Montagem e Manutenção. Luís Guilherme A. Pontes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Montagem e Manutenção. Luís Guilherme A. Pontes"

Transcrição

1 Montagem e Manutenção Luís Guilherme A. Pontes

2 Introdução Qual é a importância da Montagem e Manutenção de Computadores?

3 Sistema Binário

4 Sistema Binário Existem duas maneiras de se trabalhar e armazenar os dados. Sistema Analógico Sistema Digital

5 Dados Analógicos Este é o mais comum no nosso meio, pois geralmente trabalhamos com eles. Exemplos de Dados Analógicos: Fita K-7 Fita VHS Vinil

6 Vantagens dos Dados Analógicos Eles são extremamente precisos, pois sua representação contém infinitos valores. Podendo assim representar os que nós temos no mundo real. Podemos citar como exemplo o vinil que guarda o som como ele realmente é, um dado analógico.

7 Desvantagens dos Dados Analógicos Eles exigem alta precisão dos aparelhos que interagem com ele, ou dos discos e fitas que servem para armazena-los. Isso os deixam sujeitos a erros, que podem acontecer com uma simples variação na leitura ou processamento dos dados.

8 Dados Digitais Estes dados, são mais robustos e menos sujeitos a erros. Exemplo de Dados Digitais: CDs Disquetes DVDs

9 Vantagens dos Dados Digitais Eles são menos sujeitos a erros, pois só existem dois valores responsáveis por sua representação, ficando quase que impossível de acontecer a mudança de um desses estados para o outro. Exige menos dos equipamento que trabalham com ele, e é mais fácil de ser armazenado.

10 Desvantagens dos Dados Digitais Não refletem a realidade com a mesma precisão que os dados Analógicos. Exigem uma maneira de conversão para que se tenha resultados reais.

11 Por que escolher os Dados Digitais? Foi baseado nessas características, que os computadores optaram por trabalhar apenas com dados digitais. Eles estariam menos sujeitos a erros. As máquinas trabalhariam com ele com muita facilidade.

12 Como funciona o Sistema Binário Como ele só possui dois valores, eles optaram pela representação com o 0 relacionado a menor valor e o 1 relacionado ao maior. Já para as máquinas, quando elas emitissem um certo valor de voltagem, estariam representando o valor 1.. Quando não apresentarem voltagem nenhuma (ou quase nula), estariam representando o valor 0.

13 O bit O bit é justamente um dado que pode ser representado por um 0 e um 1, ou seja, ele só pode assumir esses dois valores. Ou 0 ou 1. Mas ficaria muito difícil de representarmos as informações apenas com zeros e uns, foi então que eles resolveram formar um grupo de bits para poderem representar algum valor.

14 Quantos valores podem ser representados por 2 bits? Um nós sabemos que é dois (ou o 0 ou o 1). E dois? É só elevar dois por dois. Ou seja quatro valores. 00 (Uma das possibilidades) 10 (Outra) 01 (A terceira) 11 (E enfim a quarta possibilidade)

15 E por quatro bits?

16 O byte Foi seguindo essa mesma lógica que eles resolveram juntar ao invés de 2 ou 4 bits, 8 bits, que daria um resultado de 2 8 que na verdade é 256, ou seja: , , até o valor Esse conjunto de 8 bits, foi chamado de byte. Através dele foi criada a Tabela ASCII.

17 Tabela ASCII Como o byte pode assumir 256 valores diferentes, foi estabelecida uma tabela em que cada um desses valores representa uma letra do nosso alfabeto, por exemplo: A letra a é representada pelo valor 97, ou seja, a possibilidade Vejam na apostila a tabela ASCII.

18 Conclusão Todos os computadores trabalham apenas com sistemas binários, ou seja, um monte de zeros e uns, que representam o bit,, que por sua vez, em um conjunto de 8 forma o byte (uma unidade que pode assumir 256 valores diferentes) e que cada um desse valores representa uma letra. Entenderam? Dúvidas?

19 Arquiteturas

20 No início No início, a fabricação dos computadores não era padronizada, ou seja, cada indústria tinha sua própria maneira de fabricá-los. Cada programador tinha que produzir seus programas de acordo com determinado computador.

21 Que problema isso gerava? Um dado que era armazenado em um computador, dificilmente seria compreendido por outro, pois eles trabalhavam completamente diferentes. Um programa que funcionava em um não funcionava em outro.

22 O que precisava se feito? Eles necessitavam estabelecer um padrão de construção para os computadores, para que eles pudessem ser compatíveis entre si. Isso iria facilitar o desenvolvimento de componentes (peças) e de programas.

23 IBM-PC e Macintosh Foi então que duas empresas resolveram padronizar a construção de um computador. A IBM lançou o computador IBM-PC, que por motivos financeiros, foi o que mais se expandiu. E a Apple lançou o Macintosh, que apesar de mais caro, apresenta em certas ocasiões, melhor desempenho.

24 Preço e Utilidade Como o Macintosh era mais caro, ele ficou restrito a apenas uma parte da sociedade. Ele ficou mais destinado a trabalhos pesados como gráficos e desenhos. Já o IBM-PC ficou mais para os usuários comuns que apenas queriam um computador para facilitar suas vidas.

25 Por que o Padrão IBM-PC cresceu mais? Como era mais barato, todos o compravam mais, e por isso as outras empresas (parecidas com a IBM) resolveram lançar seus próprios modelos e periféricos que fossem compatíveis com o IBM-PC. Como eles seguiam a mesma linha, também ficaram mais baratos. É por isso que hoje em dia, existem inúmeros empresas que fabricam computadores dentro do padrão IBM-PC.

26 Curiosidades Vocês sabem a qual padrão esse computador que vocês estão mexendo pertence?

27 Atualidade Ainda neste ano, as máquinas baseadas no Macintosh passaram a trabalhar com processadores Intel e abandonaram os Power PC s da IBM, que agora pretende focar seus recursos para outros aparelhos que utilizam processador.

28 Enfoque do Curso Este curso ficará exclusivamente voltado para os computadores baseados na arquitetura IBM PC.

29 Funcionamento

30 Funcionamento Básico dos Computadores Em geral, os computadores podem ser divididos em seis unidades: Unidades de Entrada Unidades de Saída Unidades de Memória Unidade Aritmética de Lógica Unidade Central de Processamento Unidade Secundária de Armazenamento

31 Unidades de Entrada Ela é a responsável pela entrada de dados no computador. Como exemplo dessas unidades, podemos citar: O teclado, o mouse, o microfone, as Câmeras Digitais e etc.

32 Unidades de Saída São através delas que o usuário (nós) podemos ver o resultado dos processos realizados pelo processador. Vejamos alguns exemplos de unidades de saída: Monitor, as Caixas de Som, a Impressora e outros periféricos.

33 Unidades de Memória É uma unidade de armazenamento volátil que é rápida, e possui pouco espaço para armazenar os dados. Geralmente ela guardas os dados que estão esperando para serem processados e os dados que já foram processados. Ela é mais conhecida como Memória Principal ou Memória RAM.

34 Unidade de Aritmética e de Lógica Essa unidade é responsável por realizar as operações ocorridas no computador. É através dela que as contas como a soma, divisão, subtração e multiplicação são realizadas.

35 Unidade Central de Processamento Essa unidade é a responsável por controlar todos os procedimentos que estão sendo realizados no computador. É ela que diz, por exemplo, que a memória RAM deve guardar os dados obtidos nas unidades de entrada, ou que os dados devem ser mostrados nas unidades de saída. Ela é mais conhecida como CPU,, ou processador.

36 Unidade secundária de armazenamento É uma unidade de armazenamento não volátil que tem muito mais espaço se comparada a unidade de memória, mas em compensação e muito mais lenta. O rápido processador perderia performance se toda vez que fosse buscar os dados a serem processados, tivesse que recorrer a esta unidade. Um exemplo desta unidade é o HD (Hard Disc).

37 Resumo Então, os dados que entram pela unidade de entrada em conjunto com os que estão armazenados no HD, são levados até a memória RAM, onde a CPU e a Unidades Lógica realizam os procedimentos necessários com eles. Posteriormente eles voltam para a memória RAM, e são exibidos nas unidades de saída e armazenados novamente no HD. Entendeu?

38 Na prática temos...

39 O processador O processador, às vezes é considerado como o cérebro do computador, pois é ele que realiza os processos e todas as funções primordiais para o seu funcionamento. Alguns autores chegam a descrevê-lo como a parte principal do computador.

40 Ele não trabalha sozinho Mas temos que considerar um importante fato: Ele não trabalha sozinho. É ai que entra a unidade de memória. É ela que dá o suporte para que o processador trabalhe. Se ela for muito rápida e possuir alto armazenamento, ele terá um ótimo desempenho, mas caso contrário, ele ficará limitado as restrições da memória.

41 A memória pode ser considerada uma mesa de trabalho. Vamos fazer a seguinte analogia: Imagine que um secretário (o processador) tem uma mesa de trabalho (memória RAM). Se essa mesa de trabalho for grande e de boa qualidade, certamente o secretário teria um desempenho muito melhor do que se ela fosse pequena e de má qualidade.

42

43 Mais ela é volátil Seguindo a mesma analogia, imagine que ao final do dia, todos os dados que o secretário deixou em cima da mesa, fossem perdidos. E é exatamente isso que acontece com a memória RAM, os dados só permanecem em quanto o computador esta ligado, se ele for desligado, todos esses dados são perdidos.

44 O Hard Disc (HD) É por isso que precisamos do HD, para que quando o computador for desligado, os dados que já foram processados, podem ser guardados nele para poderem ser usados da próxima vez. Mas lembrem-se de que o HD, se comparado com a memória RAM é muito lento.

45 O HD pode ser considerado um Armário Seguindo ainda a analogia do secretário. Imagine que ao final do dia, antes de ele ir embora, ele pegue todos os dados que são necessários, e guarde em um armário, pois lá, eles não iram sumir, e poderão ser consultados assim que necessário. E é exatamente essa a função do HD, guardar os dados para serem usados mais adiante, mesmo depois do computador ser desligado.

46

47 Na prática! O tempo de abertura e reabertura de um programa é um bom exemplo disso.

48 HD

49 Memória

50 Unidades de Aritmética ou de Lógica Já vimos todas as unidades, exceto uma. E é exatamente dela que vamos falar agora. As unidades Lógicas.

51 O que são as unidades Lógicas? São as unidades responsáveis pelas operações aritméticas, como a soma, divisão, subtração e multiplicação. Elas também são as responsáveis por operações de decisão, como por exemplo: Uma comparação se determinado número é maior, menor ou igual a outro.

52 Os Softwares O que é um software? É uma espécie de agente que tem como objetivo fazer a interação entre o homem e a máquina. É ele que organiza e da funcionalidade a todas as unidades que vimos anteriormente. Sem ele, os hardwares não têm utilidade alguma.

53 Eles são divididos em... Os softwares de baixo nível E os softwares de alto nível

54 Os softwares de baixo nível Os softwares de baixo nível, são os responsáveis por uma ponte entre os outros softwares e determinado periférico, ou seja, é ele que facilita a utilização de uma placa de vídeo por exemplo.

55 Entendendo os Softwares de baixo nível Como já foi dito, os computadores trabalham apenas com o sistema binário (os zeros e uns). Seria muito difícil para se implementar um programa desde as funções responsáveis para controlar a placa de vídeo até a sua verdadeira utilidade. Os responsáveis por essas funções são exatamente os softwares de baixo nível. Como exemplo, podemos citar os Drivers dos sistemas operacionais, e a BIOS.

56 Os software de alto nível Já que existe essa base criada pelos softwares de baixo nível, ficou mais fácil de se implementar programas mais agradáveis aos usuários. E esses é que são os software de alto nível. Como exemplo podemos citar editores de texto como o Microsoft Word ou o OpenOffice.

57 Veja a ilustração Agora você entendeu?

58 Ainda falta alguma coisa Mesmo já tendo essa base criada pelos Drivers e pela BIOS, os desenvolvedores de programas de alto nível ainda se sentiam prejudicados, pois eles teriam que implementar por si próprios, todos os comandos que seriam responsáveis por organizar cada um dos periféricos, ou seja, seus programas teriam que realizar de maneira certa e padronizada uma gravação no disco por exemplo.

59 Os Sistemas Operacionais

60 Os Sistemas Operacionais Foi com essa idéia que foram criados os Sistemas Operacionais. Todos os programas tem que realizar esses determinados comandos (salvar no HD, controlar a memória, e etc) da mesma maneira, então porque não criarmos um sistema que seria responsável por todas essas operações em comum para esses programas.

61 Foi assim que nasceu os S.O.s E foram assim que nasceram os Sistema Operacionais. Eles fazem essa parte da administração e controle de todos os softwares de baixo nível, deixando os de alto nível apenas com suas próprias funções (a de editar planilhas, textos, desenhos e etc).

62 Vejam a Ilustração Veja onde se encaixa os S.O.s

63 Exemplos de S.O.s Como exemplo de sistemas operacionais podemos citar: Windows 98 Windows XP Linux Unix MacOs Entre outros...

64 Oservações Um detalhe importante é o de que se um programa foi feito para rodar em determinado sistema operacional, ela jamais (há exceções) rodará (funcionará) em outro. O programador terá que criá-lo de acordo com o outro sistema operacional.

65 Dúvidas Vocês tem alguma dúvida até aqui?

66 Componentes

67 Algumas características do processador Dentre as várias características de um processador, vamos ver suas principais: Relacionado a velocidade temos a freqüência do processador. Temos a voltagem, que é o valor necessário para que ele funcione. E temos os bits, que representam sua performance, ou seja, o número de bits que ele processa em determinado instante.

68 Este é um processador Veja a foto

69 Onde fica o processador Mas como qualquer cérebro, o processador também necessita de um corpo para o sustentar, e quem faz o papel desse corpo é a Placa Mãe (Main Board). Ela também serve para sustentar todos os outros periféricos do computador, como por exemplo a memória, e etc.

70 Vejam a foto

71 A fonte de alimentação Ela é responsável por alimentar todo o computador. Ela também é responsável pela proteção dos periféricos, não deixa passar voltagens que estejam fora do normal, ou seja, nem muito baixa nem muito alta.

72 Vejam a foto

73 Mais detalhes Mais a frente, vamos ver com mais detalhes, cada um dos componentes do computador e suas configurações. Dúvidas?

FUNDAMENTOS DE HARDWARE COMO FUNCIONA UM PC? Professor Carlos Muniz

FUNDAMENTOS DE HARDWARE COMO FUNCIONA UM PC? Professor Carlos Muniz FUNDAMENTOS DE HARDWARE COMO FUNCIONA UM PC? A arquitetura básica de qualquer computador completo, seja um PC, um Machintosh ou um computador de grande porte, é formada por apenas 5 componentes básicos:

Leia mais

Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari. amanda@fcav.unesp.br

Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari. amanda@fcav.unesp.br Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari amanda@fcav.unesp.br Documentário http://www.youtube.com/watch?v=sx1z_mgwds8 Introdução Computadores de primeira geração (1946 1959): A primeira geração

Leia mais

APOSTILA DE INFORMÁTICA - INTRODUÇÃO

APOSTILA DE INFORMÁTICA - INTRODUÇÃO APOSTILA DE INFORMÁTICA - INTRODUÇÃO Profa Responsável Fabiana P. Masson Caravieri SUMÁRIO 1. CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA... 3 2. PRINCIPAIS COMPONENTES FÍSICOS DO COMPUTADOR... 3 2.1 PERIFÉRICOS...

Leia mais

Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com Site: www.veniciopaulo.com

Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com Site: www.veniciopaulo.com Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com Site: www.veniciopaulo.com Formação: Graduando em Analises e Desenvolvimento de Sistemas (8º Período) Pregoeiro / Bolsa de Valores

Leia mais

O processador é um dos elementos componentes do computador moderno, sendo responsável pelo gerenciamento de todo o computador.

O processador é um dos elementos componentes do computador moderno, sendo responsável pelo gerenciamento de todo o computador. Resumo 01 O que é um processador? O processador é um dos elementos componentes do computador moderno, sendo responsável pelo gerenciamento de todo o computador. Os processadores atualmente são encapsulados

Leia mais

Todos os microprocessadores hoje disponíveis em micros compatíveis com PC utilizam o funcionamento do 80386 como ponto de partida.

Todos os microprocessadores hoje disponíveis em micros compatíveis com PC utilizam o funcionamento do 80386 como ponto de partida. 8 0 Introdução Todos os microprocessadores hoje disponíveis em micros compatíveis com PC utilizam o funcionamento do 80386 como ponto de partida. Isso acontece por pelo menos três motivos técnicos: 0 80386

Leia mais

INFORmação. O que é um Computador?

INFORmação. O que é um Computador? Professor: M. Sc. Luiz Alberto Filho Conceitos básicos Evolução histórica Hardware Sistemas de numeração Periféricos Software Unidades Básicas de Medidas 2 Facilidade de armazenamento e recuperação da

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 1 Índice 1. Introdução...3 1.1. O que é um Computador?... 3 1.2. Máquinas Multiníveis... 3 2 1. INTRODUÇÃO 1.1 O QUE É UM COMPUTADOR? Para estudarmos como um computador

Leia mais

Técnico em Informática - Instalação e Manutenção de Computadores PROCESSADORES

Técnico em Informática - Instalação e Manutenção de Computadores PROCESSADORES Técnico em Informática - Instalação e Manutenção de Computadores PROCESSADORES Processador... 2 Clock... 5 Multiplicador de clock / FSB... 6 Memória Cache... 6 Processador O processador é o cérebro do

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Compatibilidade O termo compatibilidade refere-se aos diferentes componentes do computador (hardware e software) que são convenientes para o emprego das funções

Leia mais

Simulado Informática Concurso Correios - IDEAL INFO

Simulado Informática Concurso Correios - IDEAL INFO Simulado Informática Concurso Correios - IDEAL INFO Esta prova de informática é composta por 20 (vinte) questões de múltipla escolha seguindo o molde adotado pela UnB/CESPE. O tempo para a realização deste

Leia mais

DISPOSITIVOS DE BLOCO. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves

DISPOSITIVOS DE BLOCO. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves DISPOSITIVOS DE BLOCO Professor: João Paulo de Brito Gonçalves INTRODUÇÃO Periférico Dispositivo conectado a um computador de forma a possibilitar sua interação com o mundo externo. Conectados ao computador

Leia mais

Introdução. à Informática. Wilson A. Cangussu Junior. Escola Técnica Centro Paula Souza Professor:

Introdução. à Informática. Wilson A. Cangussu Junior. Escola Técnica Centro Paula Souza Professor: Introdução à Informática Escola Técnica Centro Paula Souza Professor: Wilson A. Cangussu Junior Vantagens do computador Facilidade de armazenamento e recuperação da informação; Racionalização da rotina,

Leia mais

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server

Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server Máquinas Virtuais: Windows 2008 Server André Luiz Silva de Moraes chameandre@gmail.com Faculdade Senac http://www.senacrs.com.br Feira das Oportunidades 04 de Maio de 2011 1 / 11 1 Conceitos Básicos Definições

Leia mais

Introdução à Engenharia de Computação

Introdução à Engenharia de Computação Introdução à Engenharia de Computação Tópico: Organização Básica de um Computador Digital Introdução à Engenharia de Computação 2 Componentes de um Computador Computador Eletrônico Digital É um sistema

Leia mais

Para existência de um sistema de informação, fazem-se necessários três componentes, são eles:

Para existência de um sistema de informação, fazem-se necessários três componentes, são eles: RESUMO Um sistema de informação é composto de três componentes, Hardware, Software e Peopleware. Para quantificar a memória do equipamento é utilizado um sistema de medida, ou seja, o byte, que significa

Leia mais

Seja Bem-vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de informática.

Seja Bem-vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de informática. Seja Bem-vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de informática. AULA 1 Noções básicas de Informática Componentes básicos Hardware Componentes básicos Software Noções de MS Word

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE UM SISTEMA OPERATIVO

CONCEITOS BÁSICOS DE UM SISTEMA OPERATIVO 4 CONCEITOS BÁSICOS DE UM SISTEMA OPERATIVO CONCEITOS BÁSICOS MS-DOS MICROSOFT DISK OPERATION SYSTEM INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DE UM SISTEMA OPERATIVO LIGAÇÕES À INTERNET O que é um sistema operativo?

Leia mais

BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EaD UAB/UFSCar Sistemas de Informação - prof. Dr. Hélio Crestana Guardia

BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EaD UAB/UFSCar Sistemas de Informação - prof. Dr. Hélio Crestana Guardia O Sistema Operacional que você usa é multitasking? Por multitasking, entende-se a capacidade do SO de ter mais de um processos em execução ao mesmo tempo. É claro que, num dado instante, o número de processos

Leia mais

Processadores. Guilherme Pontes

Processadores. Guilherme Pontes Processadores Guilherme Pontes Já sabemos o básico! Como já sabemos, o processador exerce uma das mais importantes funções do computador. Vamos agora nos aprofundar em especificações mais técnicas sobre

Leia mais

46. Para aumentar em 25% o tamanho da fonte da palavra continente, é

46. Para aumentar em 25% o tamanho da fonte da palavra continente, é BANCO DO BRASIL ESCRITURÁRIO MATO GROSSO E TOCANTINS Comentário da prova realizada dia 10/06/2007. A figura acima mostra uma janela do Word 2002, com um texto em processo de edição. Nesse texto, a expressão

Leia mais

Introdução à Computação: Sistemas de Computação

Introdução à Computação: Sistemas de Computação Introdução à Computação: Sistemas de Computação Beatriz F. M. Souza (bfmartins@inf.ufes.br) http://inf.ufes.br/~bfmartins/ Computer Science Department Federal University of Espírito Santo (Ufes), Vitória,

Leia mais

Introdução/Histórico da Informática. O Computador

Introdução/Histórico da Informática. O Computador Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Engenharia Civil Prof.: Maico Petry Introdução/Histórico da Informática O Computador DISCIPLINA: Informática Aplicada para Engenharia Idade da Pedra

Leia mais

Estoque. Como controlar o estoque

Estoque. Como controlar o estoque Estoque Como controlar o estoque Por que é necessário controlar o estoque? Reduzir custos Se há excesso em estoque A empresa terá custos operacionais para manter o estoque, isto significa capital empatado

Leia mais

Conseguimos te ajudar?

Conseguimos te ajudar? Controlar suas finanças deve ser um hábito. Não com o objetivo de restringir seus sonhos de consumo, mas sim de convidá-lo a planejar melhor a realização da cada um deles, gastando o seu dinheiro de maneira

Leia mais

PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS

PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS PROCESSOS DE CRIAÇÃO DE APLICATIVOS Joaldo de Carvalho Wesley Oliveira Irlei Rodrigo Ferraciolli da Silva Rodrigo Clemente Thom de Souza INTRODUÇÃO O mundo está dominado pelos dispositivos móveis. A cada

Leia mais

Informática, Internet e multimídia

Informática, Internet e multimídia Informática, Internet e multimídia 1 Unidades de Armazenamento Dispositivos de armazenamento secundário Disquete Disco compacto Disco rígido Disco de vídeo digital 2 Memória Secundária A MEMÓRIA SECUNDÁRIA

Leia mais

MF = (M1 * 0,4) + (M2 * 0,6) MF < 6 MF = (MF * 0,6) + (EXA * 0,4)

MF = (M1 * 0,4) + (M2 * 0,6) MF < 6 MF = (MF * 0,6) + (EXA * 0,4) Informática Aplicada Prof. Gilmar F. Aquino Filho São Vicente, SP 22/02/2016 EMENTA Fundamentos em Informática; O computador; História; Origem; Funcionamento; Componentes; Conceito de Hardware; Conceito

Leia mais

Software Livre e Engenharia Elétrica

Software Livre e Engenharia Elétrica Software Livre e Engenharia Elétrica Diego Cézar Silva de Assunção Henrique Ribeiro Soares José Rubens Guimarães Vilaça Lima Pedro Dias de Oliveira Carvalho Rafael Viegas de Carvalho Carlos Gomes O software

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES SISTEMAS DE NUMERAÇÃO: REPRESENTAÇÃO EM PONTO FLUTUANTE. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES SISTEMAS DE NUMERAÇÃO: REPRESENTAÇÃO EM PONTO FLUTUANTE. Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES SISTEMAS DE NUMERAÇÃO: REPRESENTAÇÃO EM PONTO FLUTUANTE Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Compreender o que é notação em ponto flutuante Compreender a

Leia mais

Exercícios Teóricos Resolvidos

Exercícios Teóricos Resolvidos Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Matemática Exercícios Teóricos Resolvidos O propósito deste texto é tentar mostrar aos alunos várias maneiras de raciocinar

Leia mais

Computador. 1982: os computadores são ferramentas que nos permitem fazer cálculos rápida e comodamente

Computador. 1982: os computadores são ferramentas que nos permitem fazer cálculos rápida e comodamente Computador Algumas definições 1982: os computadores são ferramentas que nos permitem fazer cálculos rápida e comodamente 1985: calculador electrónico usado na investigação espacial e actualmente já noutros

Leia mais

Anatomia de uma Placa Mãe

Anatomia de uma Placa Mãe Anatomia de uma Placa Mãe Autor: Rafael Afonso de Souza Anatomia de uma placa-mãe - Parte 1 É muito importante que saibamos identificar os componentes de uma placa-mãe. Na figura abaixo vamos destacar

Leia mais

Introdução. Uso do disco Vantagens Desvantagens Baixo custo, facilidade de manutenção do software e do hardware, simetria e flexibilidade

Introdução. Uso do disco Vantagens Desvantagens Baixo custo, facilidade de manutenção do software e do hardware, simetria e flexibilidade Introdução É sabido que os processos rodam em processadores. Nos sistemas tradicionais existe somente um único processador, de forma que não há dúvida a respeito de como ele deve ser usado. Em um sistema

Leia mais

Unidade 5: Sistemas de Representação

Unidade 5: Sistemas de Representação Arquitetura e Organização de Computadores Atualização: 9/8/ Unidade 5: Sistemas de Representação Números de Ponto Flutuante IEEE 754/8 e Caracteres ASCII Prof. Daniel Caetano Objetivo: Compreender a representação

Leia mais

5.1 Sistemas de Arquivos

5.1 Sistemas de Arquivos Capítulo 5 Os Sistemas de Arquivos 5.1 Sistemas de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar, a partir da visão do usuário, as estruturas que possibilitam o armazenamento persistente de informações no

Leia mais

13/10/11 TIPOS DE UTILITÁRIOS UTILITÁRIOS 0798 INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO TIPOS DE UTILITÁRIOS TIPOS DE UTILITÁRIOS

13/10/11 TIPOS DE UTILITÁRIOS UTILITÁRIOS 0798 INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO TIPOS DE UTILITÁRIOS TIPOS DE UTILITÁRIOS 2 OBJETIVOS E COMPETÊNCIAS OBJETIVOS Instalar e configurar utilitários sobre o sistema operativo (SO). UTILITÁRIOS 0798 COMPETÊNCIAS No final do curso os/as formandos/as deverão ser capazes de utilizar

Leia mais

Introdução a Organização de Computadores Aula 4

Introdução a Organização de Computadores Aula 4 1 Subsistemas de Memória 4.1 Introdução A memória é o componente de um sistema de computação cuja função é armazenar as informações que são (ou serão) manipuladas por esse sistema, para que as informações

Leia mais

1. Introdução. Avaliação de Usabilidade Página 1

1. Introdução. Avaliação de Usabilidade Página 1 1. Introdução Avaliação de Usabilidade Página 1 Os procedimentos da Avaliação Heurística correspondem às quatro fases abaixo e no final é apresentado como resultado, uma lista de problemas de usabilidade,

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA Basicamente, são formados por: Programas de controle (de equipamentos e de trabalhos). Programas utilitários.

Leia mais

Tela Azul da Morte: o que é e como resolver Descubra o que pode causar esse travamento do Windows com a ajuda de programas gratuitos

Tela Azul da Morte: o que é e como resolver Descubra o que pode causar esse travamento do Windows com a ajuda de programas gratuitos Tela Azul da Morte: o que é e como resolver Descubra o que pode causar esse travamento do Windows com a ajuda de programas gratuitos Quem tem um computador com Windows já deve ter ouvido falar (ou até

Leia mais

22/05/2006. Discurso do Presidente da República

22/05/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura de protocolos de intenções no âmbito do Programa Saneamento para Todos Palácio do Planalto, 22 de maio de 2006 Primeiro, os números que estão no

Leia mais

Turno/Horário Noturno PROFESSOR : Salomão Dantas Soares AULA Apostila nº

Turno/Horário Noturno PROFESSOR : Salomão Dantas Soares AULA Apostila nº UNIDADE 1I: SISTEMA COMPITACIONAL Elementos hardware e periféricos Um sistema computacional consiste num conjunto de dispositivos eletrônicos (hardware) capazes de processar informações de acordo com um

Leia mais

Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro?

Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro? Como criar uma máquina virtual para instalar o Windows XP ou outro? Existem vários programas para isso, entre eles o Parallels que é pago, o VMWare, o Virtual Box e outros. Hoje vamos abordar o Virtual

Leia mais

INFORMÁTICA BÁSICA. Prof. Rafael Zimmermann

INFORMÁTICA BÁSICA. Prof. Rafael Zimmermann INFORMÁTICA BÁSICA Prof. Rafael Zimmermann 1. INFORMÁTICA É a ciência que estuda o processamento de informações. Nasceu da necessidade do homem processar informações cada vez mais complexas e com maior

Leia mais

SERVIDORES REDES E SR1

SERVIDORES REDES E SR1 SERVIDORES REDES E SR1 Rio de Janeiro - RJ HARDWARE Você pode instalar um sistema operacional para servidores em qualquer computador, ao menos na teoria tudo irá funcionar sem grandes dificuldades. Só

Leia mais

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Elementos que constituem o Computador O funcionamento do computador é possível devido aos vários elementos interligados que o constituem:

Leia mais

Implementando uma Classe e Criando Objetos a partir dela

Implementando uma Classe e Criando Objetos a partir dela Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 04 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Parte: 2 Prof. Cristóvão Cunha Implementando uma Classe

Leia mais

Sistema de Memórias de Computadores

Sistema de Memórias de Computadores Sistema de Memórias de Computadores Uma memória é um dispositivo que permite um computador armazenar dados temporariamente ou permanentemente. Sabemos que todos os computadores possuem memória. Mas quando

Leia mais

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger O controle da entrada e saída (E/S ou I/O, input/output) de dados dos dispositivos é uma das funções principais de um sistema operacional.

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Sistemas Operacionais. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Sistemas Operacionais Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Estruturas de Sistemas Operacionais Um sistema operacional fornece o ambiente no qual os programas são executados. Internamente,

Leia mais

JORNADA DE COMPRA. O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital VECTOR

JORNADA DE COMPRA. O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital VECTOR O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital 1 2 3 4 Já falamos muitas vezes sobre produção de conteúdo ser a base de uma estratégia de marketing digital de resultados para a sua empresa.

Leia mais

Hardware Básico. - Conceitos Básicos - Números Binários - Principais Componentes. Professor: Wanderson Dantas

Hardware Básico. - Conceitos Básicos - Números Binários - Principais Componentes. Professor: Wanderson Dantas Hardware Básico - Conceitos Básicos - Números Binários - Principais Componentes Professor: Wanderson Dantas Conceitos Básicos Informática: Ciência que estuda o tratamento das informações quanto a sua coleta,

Leia mais

Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu

Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu É o gerenciamento do ciclo de vida de todos os registros, em todos os tipos de mídia, desde a criação até a destruição ou arquivo permanente.

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 6 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 6-21/09/2007 1 Ementa Conceitos Básicos de Computação (Hardware, Software e Internet) Softwares Aplicativos Tutorial: Word Tutorial:

Leia mais

Virtual Box. Guia. Instalação E Utilização. Criado por Wancleber Vieira wancleber.vieira@ibest.com.br

Virtual Box. Guia. Instalação E Utilização. Criado por Wancleber Vieira wancleber.vieira@ibest.com.br Virtual Box Guia De Instalação E Utilização 1 Sumário Instalação do Linux Ubuntu através de um gerenciador de Máquinas Virtuais 1.1 Introdução, 3 1.2 Instalação do Virtual Box, 3 1.3 Configuração do Virtual

Leia mais

Educação Patrimonial Centro de Memória

Educação Patrimonial Centro de Memória Educação Patrimonial Centro de Memória O que é história? Para que serve? Ambas perguntas são aparentemente simples, mas carregam uma grande complexidade. É sobre isso que falarei agora. A primeira questão

Leia mais

Sumário. Organização de Computadores Módulo 3. Primeira Geração Válvulas (1945 1955) Primeira Geração Válvulas (1945 1955)

Sumário. Organização de Computadores Módulo 3. Primeira Geração Válvulas (1945 1955) Primeira Geração Válvulas (1945 1955) Sumário M. Sc. Luiz Alberto lasf.bel@gmail.com www.professorluizalberto.com.br Organização de Computadores Módulo 3 1. História da Arquitetura de Computadores - Continuação 1.1. 1.2. Segunda Geração Transistores

Leia mais

Gestão da TI. Os custos escondidos da. Conheça os custos escondidos na gestão amadora da TI e pare de perder dinheiro.

Gestão da TI. Os custos escondidos da. Conheça os custos escondidos na gestão amadora da TI e pare de perder dinheiro. da Gestão da TI Conheça os custos escondidos na gestão amadora da TI e pare de perder dinheiro. Conteúdo Introdução Os custos escondidos - parte 1 Os custos escondidos - parte 2 Os custos escondidos -

Leia mais

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores Conceitos Básicos de Rede Um manual para empresas com até 75 computadores 1 Conceitos Básicos de Rede Conceitos Básicos de Rede... 1 A Função de Uma Rede... 1 Introdução às Redes... 2 Mais Conceitos Básicos

Leia mais

Sistemas Operacionais. Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery

Sistemas Operacionais. Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery Sistemas Operacionais Curso Técnico Integrado Profa: Michelle Nery Conteúdo Programático CONTAS DE E GRUPOS DE O Microsoft Management Console - MMC Permissões de Segurança de um Console Contas de Usuários

Leia mais

Computador Digital Circuitos de um computador (Hardware)

Computador Digital Circuitos de um computador (Hardware) Computador Digital SIS17 - Arquitetura de Computadores (Parte I) Máquina que pode resolver problemas executando uma série de instruções que lhe são fornecidas. Executa Programas conjunto de instruções

Leia mais

Aula 4 Estatística Conceitos básicos

Aula 4 Estatística Conceitos básicos Aula 4 Estatística Conceitos básicos Plano de Aula Amostra e universo Média Variância / desvio-padrão / erro-padrão Intervalo de confiança Teste de hipótese Amostra e Universo A estatística nos ajuda a

Leia mais

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO?

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO? Índice BlueControl... 3 1 - Efetuando o logon no Windows... 4 2 - Efetuando o login no BlueControl... 5 3 - A grade de horários... 9 3.1 - Trabalhando com o calendário... 9 3.2 - Cancelando uma atividade

Leia mais

COMO COMEÇAR 2016 se organizando?

COMO COMEÇAR 2016 se organizando? COMO COMEÇAR 2016 se organizando? Como começar 2016 se organizando? Conheça estratégias simples para iniciar o novo ano com o pé direito Você sabia que, de acordo com o Sebrae, os principais motivos que

Leia mais

Suporte ao Desenvolvedor: 0800 770 332 0 www.desenvolvedoresdaruma.com.br. STK (Start Kit DARUMA)

Suporte ao Desenvolvedor: 0800 770 332 0 www.desenvolvedoresdaruma.com.br. STK (Start Kit DARUMA) STK (Start Kit DARUMA) Programando pela primeira vez com a DarumaFramework.dll O que vem a ser a DarumaFramework? A DarumaFramework é uma DLL integradora de alto nível, que foi desenvolvida para você programador,

Leia mais

Montagem e Manutenção de Computadores Aula1

Montagem e Manutenção de Computadores Aula1 Montagem e Manutenção de Computadores Aula1 Programa Instrutor Universidade Federal do Paraná Departamento de Informática 18 de Maio de 2010 Programa Instrutor (Universidade Federal do Montagem Paraná,

Leia mais

Algoritmos DCC 119. Introdução e Conceitos Básicos

Algoritmos DCC 119. Introdução e Conceitos Básicos Algoritmos DCC 119 Introdução e Conceitos Básicos Sumário Sistemas de Numeração Sistemas Computacionais Estrutura de um Computador Digital Sistemas Operacionais Algoritmo Introdução Formas de representação

Leia mais

Gravando Dados e Cópias de CD s com o Nero 6.0 Disciplina Operação de Sistemas Aplicativos I

Gravando Dados e Cópias de CD s com o Nero 6.0 Disciplina Operação de Sistemas Aplicativos I CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA Escola Técnica Estadual de Avaré ETE-AVARÉ CURSO DE TÉCNICO EM INFORMÁTICA NÚCLEO DE APOIO Gravando Dados e Cópias de CD s com o Nero 6.0 Disciplina

Leia mais

Definição de Programas de Computadores e Linguagem de Programação de Comutadores

Definição de Programas de Computadores e Linguagem de Programação de Comutadores Definição de Programas de Computadores e Linguagem de Programação de Comutadores O computador é um equipamento eletrônico composto por circuitos eletrônicos, que trabalham com o estado ligado(1) e desligado(0),

Leia mais

1. A corrida de vetores numa folha de papel.

1. A corrida de vetores numa folha de papel. 1. A corrida de vetores numa folha de papel. desenhando a pista. o movimento dos carros. o início da corrida. as regras do jogo. 2. A corrida no computador. o número de jogadores. o teclado numérico. escolhendo

Leia mais

AULA: Introdução à informática Computador Digital

AULA: Introdução à informática Computador Digital Campus Muriaé Professor: Luciano Gonçalves Moreira Disciplina: Informática Aplicada AULA: Introdução à informática Computador Digital Componentes de um computador digital : Hardware Refere-se às peças

Leia mais

É a parte física de um computador, formada por peças e circuitos eletrônicos que ficam dentro do Gabinete (Torre). Existem diversos tipos de

É a parte física de um computador, formada por peças e circuitos eletrônicos que ficam dentro do Gabinete (Torre). Existem diversos tipos de É a parte física de um computador, formada por peças e circuitos eletrônicos que ficam dentro do Gabinete (Torre). Existem diversos tipos de HARDWARE, segue abaixo, alguns dos HARDWARES INTERNOS do computador:

Leia mais

O Princípio da Complementaridade e o papel do observador na Mecânica Quântica

O Princípio da Complementaridade e o papel do observador na Mecânica Quântica O Princípio da Complementaridade e o papel do observador na Mecânica Quântica A U L A 3 Metas da aula Descrever a experiência de interferência por uma fenda dupla com elétrons, na qual a trajetória destes

Leia mais

Software Básico. Conceito de Linguagem de Máquina e Montagem: introdução ao Assembly. Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza

Software Básico. Conceito de Linguagem de Máquina e Montagem: introdução ao Assembly. Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Software Básico Conceito de Linguagem de Máquina e Montagem: introdução ao Assembly Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo

Leia mais

1. Introdução - contextos de aplicações

1. Introdução - contextos de aplicações Universidade Federal de Pelotas Sumário da Aula Fundamentos de Informática Aula 1 Noções sobre Informática, Hardware, Software e Plataformas Prof. Carlos R. Medeiros gil.medeiros@ufpel.edu.br Material

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 1 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 1-31/08/2007 1 Objetivo da disciplina O objetivo dessa disciplina é dar ao aluno noções básicas de computação. Serão apresentados

Leia mais

Capítulo 5. Figura 5.2. Conector para o monitor.

Capítulo 5. Figura 5.2. Conector para o monitor. Capítulo 5 Placas de vídeo Visão geral das placas de vídeo Esta placa está presente em todos os PCs, exceto nos que possuem placas de CPU com os circuitos de vídeo embutidos. A maioria dos PCs produzidos

Leia mais

PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP

PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP Partindo de um conhecimento de comandos elétricos e lógica de diagramas, faremos abaixo uma revisão para introdução à CLP. Como saber se devemos usar contatos abertos ou fechados

Leia mais

HD e Memória Virtual. Qual as vantagens e desvantagens da Memória Virtual?

HD e Memória Virtual. Qual as vantagens e desvantagens da Memória Virtual? Principais pontos Como funciona o HD O Hard Disk ou Disco Rígido e também conhecido com HD armazena os dados em discos magnéticos que mantêm a gravação por vários anos. Os discos giram a uma grande velocidade

Leia mais

Guia: como instalar o Ubuntu Linux

Guia: como instalar o Ubuntu Linux Guia: como instalar o Ubuntu Linux Você cansou do Windows e quer se aventurar a usar alguma distribuição Linux, mas não sabe por onde começar? Montamos um passo a passo com todas as etapas necessárias

Leia mais

Apontamentos do livro de AI Linux. 1.5 Modo texto e modo gráfico

Apontamentos do livro de AI Linux. 1.5 Modo texto e modo gráfico Apontamentos do livro de AI Linux 1.5 Modo texto e modo gráfico 1 Modo texto e modo gráfico O sistema operativo Linux possui duas formas de acesso: modo texto e modo gráfico No modo gráfico, o utilizador

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Conceitos básicos de informática O que é informática? Informática pode ser considerada como significando informação automática, ou seja, a utilização de métodos

Leia mais

Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Barra de LEDs Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 1)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 1) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 1) Com o advento dos sistemas operacionais utilizando-se de interfaces gráficas, ricas

Leia mais

Prof. Esp. Lucas Cruz

Prof. Esp. Lucas Cruz Prof. Esp. Lucas Cruz O hardware é qualquer tipo de equipamento eletrônico utilizado para processar dados e informações e tem como função principal receber dados de entrada, processar dados de um usuário

Leia mais

HD, SSD ou disco híbrido, qual o melhor para sua empresa?

HD, SSD ou disco híbrido, qual o melhor para sua empresa? HD, SSD ou disco híbrido, qual o melhor para sua empresa? No passado, escolher a melhor opção em armazenamento para o seu PC era tão simples quanto encontrar o maior HD que coubesse em seu orçamento. Infelizmente

Leia mais

DICAS DE BURACO ONLINE

DICAS DE BURACO ONLINE DICAS DE BURACO ONLINE Link: http://www.jogatina.com/dicas-jogar-buraco-online.html Às vezes, conhecemos todas as regras de um jogo, mas na hora de passar da teoria para a prática, as coisas não funcionam

Leia mais

Computadores XII: Aprendendo a Somar A4 Texto 3

Computadores XII: Aprendendo a Somar A4 Texto 3 Computadores XII: Aprendendo a Somar A4 Texto 3 http://www.bpiropo.com.br/fpc20051017.htm Sítio Fórum PCs /Colunas Coluna: B. Piropo Publicada em 17/10/2005 Autor: B.Piropo Na coluna anterior, < http://www.forumpcs.com.br/viewtopic.php?t=131250

Leia mais

Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais

Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais Conceitos Básicos sobre Sistemas Operacionais Ivanovitch Medeiros Dantas da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia de Computação e Automação DCA0800 - Algoritmos e

Leia mais

Disciplina: Introdução à Informática Profª Érica Barcelos

Disciplina: Introdução à Informática Profª Érica Barcelos Disciplina: Introdução à Informática Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 4 1. ARQUITETURA DO COMPUTADOR- HARDWARE Todos os componentes físicos constituídos de circuitos eletrônicos interligados são chamados

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Introdução a microinformática William S. Rodrigues HARDWARE BÁSICO O hardware é a parte física do computador. Em complemento ao hardware, o software é a parte lógica, ou seja,

Leia mais

Coisas. negócio. que se você NÃO estiver fazendo na nuvem, provavelmente está perdendo. por Maurício Cascão, CEO Mandic.

Coisas. negócio. que se você NÃO estiver fazendo na nuvem, provavelmente está perdendo. por Maurício Cascão, CEO Mandic. 5 Coisas que se você NÃO estiver fazendo na nuvem, provavelmente está perdendo negócio. por Maurício Cascão, CEO Mandic. CLOUD SOLUTIONS 5 { / } Coisas { / } que se você NÃO estiver fazendo na nuvem, provavelmente

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DE DADOS EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO AULA 03 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade

REPRESENTAÇÃO DE DADOS EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO AULA 03 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade REPRESENTAÇÃO DE DADOS EM SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO AULA 03 Arquitetura de Computadores Gil Eduardo de Andrade O conteúdo deste documento é baseado no livro Princípios Básicos de Arquitetura e Organização

Leia mais

1.1. Organização de um Sistema Computacional

1.1. Organização de um Sistema Computacional 1. INTRODUÇÃO 1.1. Organização de um Sistema Computacional Desde a antiguidade, o homem vem desenvolvendo dispositivos elétricoeletrônicos (hardware) que funciona com base em instruções e que são capazes

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO O que é a Informática? A palavra Informática tem origem na junção das palavras: INFORMAÇÃO + AUTOMÁTICA = INFORMÁTICA...e significa, portanto, o tratamento da informação

Leia mais

frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br

frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br Informática Básica Conceitos Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br Conceitos INFOR MÁTICA Informática INFOR MAÇÃO AUTO MÁTICA Processo de tratamento da informação

Leia mais

Como erguer um piano sem fazer força

Como erguer um piano sem fazer força A U A UL LA Como erguer um piano sem fazer força Como vimos na aula sobre as leis de Newton, podemos olhar o movimento das coisas sob o ponto de vista da Dinâmica, ou melhor, olhando os motivos que levam

Leia mais

Arquitetura de processadores: RISC e CISC

Arquitetura de processadores: RISC e CISC Arquitetura de processadores: RISC e CISC A arquitetura de processador descreve o processador que foi usado em um computador. Grande parte dos computadores vêm com identificação e literatura descrevendo

Leia mais