Empresas aumentam procura por cursos de gestão internacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Empresas aumentam procura por cursos de gestão internacional"

Transcrição

1 ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO ECONÓMICO Nº 5935 DE 2 DE JUNHO DE 2014 E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE Formação de EXECUTIVOS As mudanças nas empresas está a levar as escolas a procurar novos temas e formas de negócio. Chris Ratcliffe/Bloomberg Empresas aumentam procura por cursos de gestão internacional A internacionalização está a trazer novas necessidades de formação para os quadros. CARLA CASTRO A internacionalização das empresas e da economia está a ser acompanhada pelas escolas de negócios e a abrir uma nova janela de oportunidade de negócios interessante: a internacionalização das organizações fez despontar o interesse por novos conteúdos nomeadamente de gestão internacional e gestão multicultural, diz Nadim Habib, CEO da Formação de Executivos da Nova SBE. A internacionalização é uma tendência que se tem intensificado nas escolas portuguesas, com parcerias com escolas estrangeiras, captação de alunos internacionais, estágios no estrangeiro, etc. As escolas estão a encontrar A formação de executivos começa a encontrar oportunidades de negócio nos nichos de mercado e nos temas out of the box. uma oportunidade no crescimento da procura da formação para executivos nos países emergentes dada a necessidade das competências de gestão nos líderes desses mercados, refere Ana Paula Serra, vice-presidente da Porto Business School. A componente online da formação é também uma tendência irreversível, que acompanha uma sociedade cada vez mais digital. Começam a aparecer cursos inteiramente online de prestigiadas universidades como Harvard. São já conhecidos como MOOC, a sigla de Massive Open Online Courses. A formação de executivos começa também a encontrar oportunidades de negócios em explorar pequenos nichos de mercado como o luxo, o desporto, a medicina vaterinária, as campanhas eleitorais, etc. O surgimento de temas de formação out of the box é destacado por João Cantiga Esteves, director executivo do IDEFE/, como um caminho por onde está a seguir a formação, enquanto Luís Cardoso, director da Católica-Lisbon SBE, refere as implicações em termos de necessidades de formação d o aparecimento de um vasto conjunto de novas profissões e o desaparecimento de muitas das profissões existentes. PUB

2 II Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS EDITORIAL Quando falha o efeito cascata Quando as empresas não aproveitam as novas competências que os executivos trazem da formação. Escolas ajudam empresas a exportar PÁGINA IV/V Três escolas portuguesas brilham nos rankings PÁGINA VI Conheça o impacto da formação na vida dos executivos e empresas PÁGINA VIII/IX Sejam bem vindos à sheconomy PÁGINA XXVI/XXVII Como funcionam os boards das empresas pguesas PÁGINA XXVIII/XXIX Director: António Costa Director-executivo: Bruno Proença Subdirectores: Francisco Ferreira da Silva e Helena Cristina Coelho Editora: Madalena Queirós Redacção: Joana Moura, Carla Castro, António Freitas de Sousa Produção: Ana Marques (chefia), Artur Camarão, Carlos Martins e João Santos Departamento Gráfico: Dário Rodrigues (editor) e Ana Maria Almeida Tratamento de Imagem: Samuel Rainho (coordenação), Paulo Garcia e Tiago Maia Presidente: Nuno Vasconcellos Vice-presidente: Rafael Mora Administradores: Paulo Gomes, António Costa e Gonçalo Faria de Carvalho Director Geral Comercial: Bruno Vasconcelos Redacção: Rua Vieira da Silva, nº Lisboa Tel.: / Fax: Jason Alden/Bloomberg Como garantir que as competências aprendidas num programa de formação são aplicadas quando o executivo regressa à sua organização? Esse é um dos principais desafios com que as empresas se defrontam. O cenário, muitas das vezes é exactamente o contrário: um quadro, transformado com o que aprendeu, quando regressa à empresa encontra tudo igual. Para além disso não lhe são dadas muitas hipóteses de aplicar o que aprendeu. Um desperdício de tempo, dinheiro, energia e motivação que deve ser evitado a todo o custo. Como? Para garantir que o executivo transmite aos restantes colegas tudo que aprendeu durante o programa a que se chama o efeito cascata tem que haver um esforço concertado da empresa e também da escola de negócios. Esta é a única forma de fazer render o elevado investimento, muitas vezes pago pela empresa, na formação de um executivo. Encontrar formas de garantir que esse investimento multiplique as eficiências e os resultados da operação da empresa. Há escolas, como o INSEAD que lançaram cadeiras de transformação organizacional onde o executivo aprende algumas das estratégias para fazer a mudança acontecer. Mas muitas vezes o efeito cascata simplesmente não funciona. O que acaba por levar muitos dos quadros que passaram pela formação, a sentirem-se frustados e subaproveitados por não aplicarem as suas novas competências. Ou, mais grave, a sentirem-se de mãos atadas quando são confrontados com a manutenção de práticas na organização que, agora, sabem que são completamente erradas. A escolha é simples: ou a organização permite a aplicação de algumas das competências adquiridas durante a formação; ou o mais certo é que, ao fim de algum tempo, o executivo acabe por ir trabalhar para outra empresa que valorize a sua aprendizagem e as suas novas competências. O impacto da qualidade da formação de executivos em Portugal - há três escolas no ranking das melhores do mundo - no desempenho da economia é ainda mais complicado. Mas o efeito cascata pode também aplicar-se aos países. Por exemplo, apesar de conseguir um valor três vezes superior ao da Alemanha em número de escolas de executivos na lista das melhores do mundo, Portugal tem um desempenho económico que está a anos - luz da performance alemã. Porquê? Uma das explicações possíveis é o facto da geração destes executivos, formados nas escolas de negócios, ainda nãoteremchegadoaotopodasorganizações empresariais e políticas. Neste especial falamos ainda de como as escolas de negócios estão a ajudar mais mulheres a chegar aos conselhos de administração das empresas de todo o mundo. Sejam bem vindos à era da sheconomy. MADALENA QUEIRÓS A escolha é simples: ou a organização permite a aplicação de algumas das práticas aprendidas durante o programa de formação; ou, o mais certo é que, ao fim de algum tempo, o executivo acabe por ir rentabilizar os seus novos conhecimentos noutra empresa que os valorize. Esse falhanço do efeito casquata pode também aplicar-se aos países. Portugal tem o triplo da Alemanha de escolas de negócios nos rankings internacionais, mas continua a anos- luz desse país, em performance económica.

3 PUB

4 IV Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS Paulo Alexandre Coelho Cursos de gestão internacional e multicultural estão a ter um aumento da procura Internacionalização leva ao aumento da procura deste tipo de formação específica para os quadros das empresas. CARLA CASTRO Internacionalização. Online. Especialização. São as três grandes tendências na formação de executivos a nível mundial. A internacionalização das escolas acompanha a internacionalização da economia que está a abrir uma nova janela de oportunidade de negócios interessante: a internacionalização das organizações fez despontar o interesse por novos conteúdos nomeadamente de gestão internacional e gestão multicultural, revela Nadim Habib, CEO da Formação de Executivos da Nova SBE. A internacionalização é um dado adquirido na formação. As parcerias com escolas estrangeiras, captação de alunos internacionais, estágios no estrangeiro, etc. são uma realidade incontornável para qualquer escola de negócios, assim como, sempre que possível, a exportação de formação, como destaca Ana Paula Serra, vice-presidente da Porto Business School: as escolas encontram uma oportunidade no crescimento da procura da for- Internacionalização das escolas acompanha a internacionalização da economia. mação para executivos nos países emergentes e nos sectores público e terceiro sector dada a necessidade das competências de gestão nos líderes desses mercados. A componente online da formação é também uma tendência irreversível, que acompanha a sociedade que é cada vez mais digital. Começam a aparecer cursos inteiramente online de prestigiadas universidades como Harvard. São já conhecidos como MOOC, a sigla de Massive Open Online Courses. Este tipo de formação online é mais conveniente, poupa-se tempo e custos. São vantagens que parecem compensar o risco de nos cursos online poder vir a perder-se pontos no campo da interacção e networking. Os modos de aprendizagem estão a mudar e há novos concorrentes que competem em preço e inovação, diz Ana Paula Serra, que admite ver alguma aqui alguma ameaça. Outra tendência que começa a ser explorada na formação de executivos são os pequenos nichos de mercado. Exemplos destes nichos com oportunidades são o luxo, o desporto, a medicina vaterinária, as campanhas eleitorais, entre muitos outros exemplos. Cursos out of the box Além destas fortes tendências principais, há outras que se vão instalando. Uma delas é o surgimento de temas de formação out of the box, destacado por João Cantiga Esteves, director executivo do IDEFE/. Exemplo disso são os cursos lançados recentemente por esta escola tais como Técnicas de gestão da máfia aplicadas a negócios legítimos, Brain and Business, Contabilidade Forense entre outros. Relacionado com esta questão dos temas out of the box, Luís Cardoso, director da Católica- -Lisbon SBE, destaca o aparecimento de um vasto conjunto de novas profissões e o desaparecimento de muitas das profissões existentes, com as decorrentes implicações em termos de necessidades de formação.

5 Segunda-feira 2 Junho 2014 Diário Económico V PUB TENDÊNCIAS QUE VIERAM PARA FICAR INTERNACIONALIZAÇÃO Tal como a economia tem de se internacionalizar para sobreviver, não há escola em Portugal que não procure a internacionalização com enfoque especial nos PALOP. Ao internacionalizarem-se não só exportam o know how como preparam melhor os seus alunos para uma carreira internacional que é uma exigência em crescendo no mercado de trabalho. A internacionalização tem várias formas: parcerias com escolas estrangeiras, captação de alunos internacionais e aulas em inglês, viagens a outros países, aproximação a empresas estrangeiras e, sempre que possível, estágios no estrangeiro. CURSOSONLINE E À MEDIDA Não só a formação à medida está a crescer como também a formação à medida online está a ter cada vez mais procura. É muito mais conveniente, poupa-se tempo e custos. São vantagens que parecem compensar o risco de nos cursos online poder vir a perder-se pontos no campo da interacção e networking. Um inquérito feito o ano passado pelo Financial Times conclui que 49% das empresas espera vir a ter mais cursos customizados leccionados online. Os já apelidados MOOC (a sigla de Massive Open Online Courses) são uma tendência clara já identificada na formação de executivos mundial. ESPECIALIZAÇÃO Os pequenos nichos de mercado são um mercado cheio de potencial que começa a ser explorado na formação de executivos pelas melhores escolas de negócios do mundo. Exemplos destes nichos com oportunidades são o luxo, o desporto, a medicina vaterinária, as campanhas eleitorais, etc. A HEC Paris e a italiana Bocconi, duas escolas líderes mundiais, por exemplo, leccionam cursos avançados em Luxo; o IESE espanhol tem um programa de gestão de campanhas eleitorais; a Universidade da Pensilvânia lançou um programa de liderança executiva só para veterinários. Nadim Habib explica, por outro lado, que há uma procura crescente de programas que impliquem o desenvolvimento de quadros intermédios polivalentes e empreendedores e não só de altos quadros devido à necessidade de criar empresas mais flexíveis e ágeis. E lembra ainda que as soft skills continuam a ser o que os executivos mais procuram na formação. Diz mesmo que na Nova SBE os programas que contribuam para ajudar implementar lideranças eficazes que dominem artes como a comunicação eainspiração contiuam a ser dos mais procurados. Luís Cardoso dá-se conta de uma outra tendência que são as preocupações diferentes das novas gerações, relacionadas com o equilíbrio da vida pessoal e profissional, a qualidade de vida no trabalho, a valorização do seu significado e contributo social, autonomia e empreendedorismo. Feito o retrato, todas estas tendências apontam para um futuro com líderes diferentes dos de hoje. Começam aaparecer cursos inteiramente online de prestigiadas universidades como Harvard. São já conhecidos como MOOC, a sigla de Massive Open Online Courses.

6 VI Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS Infografia: Mário Malhão Católica LSBE no top 20 europeu Nova SBE e são outras duas das escolas portugueses no ranking do Financial Times. MADALENA QUEIRÓS Com três escolas portuguesas presentes no ranking das melhores formações de executivos, porque é que a economia portuguesa continua em dificuldades? Porque é que o efeito cascata - que descreve o impacto que um executivo que passa por um programa de uma escola de negócios pode ter ao regressar à organização não se verifica? Á primeira vista, o que se constata é que a qualidade das escolas de negócios portuguesas não está a conseguir melhorar o desempenho da economia portuguesa. É preciso algum tempo para que esta geração de gestores que participaram nestes programas cheguem ao topo das empresas para que a gestão em Portugal melhore, é a explicação avançada pela maioria das escolas e economistas contactados pelo Economico. A Católica Lisbon SBE é a única escola portuguesa entre as 50 melhores do mundo na formação de executivos, de acordo com o ranking do Financial Times. Três entre as melhores Há três escolas portuguesas no ranking das melhores do mundo na formação de executivos, de acordo com a lista publicada em Maio no Financial Times. O que confirma a crescente projecção internacional das escolas de negócios portuguesas. Em lugar destacado, a Católica Lisbon School of Business & Economics (CLSBE) repete o privilégio de ser a única portuguesa a estar no top 50 mundial e na liga das 20 melhores da Europa. A CLSBE, que estreou a presença portuguesa nestes rankings há sete anos, continua a ser a única a conseguir estar na lista global que combina as classificações nos rankings dos programas abertos e a ordenação dos programas customizados. A Católica destaca-se ainda na percentagem de estudantes internacionais, chegando ao 25º lugar. Também na qualidade da alimentação e instalações consegue ultrapassar escolas como a prestigiada Essec ou Oxford. Com uma facturação anual de 5,9 milhões de dólares, a Católica conseguiu duplicar o volume da actividade internacional no último ano, de acordo com Francisco Veloso, que lidera a escola. Mas há duas outras estrelas portuguesas a brilhar no mapa-mundo da formação. Nos programas costumizados, a Porto Business School consegue a maior subida, chegando ao lugar 64. A escola de negócios da Universidade do Porto é a portuguesa melhor classificada na lista das que melhor apoiam os seus alunos, após terminarem os programas. Surge em 21º lugar na coluna de follow up, na grelha de avaliação, à frente de escolas como a suíça IMD, líder do ranking global, ou da London Business School.

7 PUB

8 VIII Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS Como a formação pode ajudar a sua carreira a levantar vôo Criação de novas unidades de negócio, recuperação de empresas que estavam perto da falência, sobreviver aos momentos de crise são alguns dos efeitos de frequentar um programa de formação de executivos. Católica-Lisbon SBE NEGÓCIO DOS BALÕES DE AR QUENTE DE ANDREIA CRUZ PROSPEROU Quando pegou na empresa de balões de ar quente do pai, a Publibalão, Andreia Cruz sentiu que precisava de voltar aos bancos da escola, mesmo sendo licenciada em Gestão. Fez o Programa Avançado em Empreendedorismo e Gestão da Inovação da Católica-Lisbon SBE (PAEGI) e as ideias começaram a surgir: criou a primeira escola de pilotos de balões, a Alentejo sem fronteiras, e uma nova marca, a Up Alentejo, em parceria com o operador turístico Emotion. Resultado: a facturação este ano foi o dobro da do ano passado. Acrescentámos um valor distintivo ao nosso serviço tornando-o mais atractivo, afirma Andreia Cruz. C.C. Chris Ratcliffe/Bloomberg INDEG-IUL/ISCTE O DIRECTOR INTERNACIONAL DE MARKETING QUE ERA SÓ DIRECTOR DE MERCADO DA EUROPA Victor Manuel Alexandre desempenhava as funções de Southern Europe Market Manager na Farm Frites BV, quando, após a conclusão do EMBA so INDEG-IUL, passou a ser Marketing Manager International na sede da empresa na Holanda. Não tenho dúvidas de que a realização do EMBA contribuiu para esta evolução, garante Victor Alexandre, que aos 42 anos diz que foi esta formação que lhe deu os conhecimentos que lhe permite encarar os desafios com maior confiança e maior capacidade técnica. E é, também depois de ter concluído este EMBA, que acredita que a amplitude da formação nas áreas de gestão do EMBA do INDEG-IUL proporcionam aos seus formandos as ferramentas necessárias para desempenharem qualquer cargo de topo numa organização. J.M. IDEFE/ TERESA BERTRAND ESTÁ A INOVAR O SEU CLUSTER DE ENERGIA Teresa Bertrand, directora executiva da associação EnergyIn - Pólo de Competitividade e Tecnologia da Energia, fez o curso de Competitividade e Estratégia para o Desenvolvimento da Empresa (CEDE) no IDEFE/ e diz que está a assistir já ao impacto positivo para as empresas do que trouxe das aulas, pelo modo comoestãoagoraarepensar e redireccionar as suas actividades. Teresa Bertrand está a ajudar a delinear o percurso futuro das empresas deste cluster de energia, apoiando cada vez mais as suas estratégias de diferenciação pela inovação e de internacionalização, acrescenta. C.C. Universidade Portucalense O COORDENADOR DE SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO DA AGERE Paulo sousa frequentou o MBA da Universidade Portucalense e explica o que isso significou na sua vida: Frequentar o MBA na Universidade Portucalense significou antes de mais um encontro com o conhecimento de alto nível e de elevada exigência, uma oportunidade ganha e da qual sou testemunha.no rasto do crescimento como profissional não posso deixar de registar o empenho e abnegação de professoras e professores na garantia da qualidade do ensino e da elevação de todos os que tiverem a oportunidade de frequentar o MBA. J.M.

9 Segunda-feira 2 Junho 2014 Diário Económico IX AESE Escola de Direcção e Negócios O PLANO DE NEGÓCIOS DE PEDRO ALMEIDA, DIRECTOR DE SUPERMERCADOS DO EL CORTE INGLÊS FOI DECISIVO PARA AVANÇAR COM O SUPERMERCADO DO RESTELO Sabia que o projecto do supermercado do El Corte Inglês, no Restelo, esteve para ser adiado? O imóvel para o instalar já estava comprado mas o eclodir da crise fez a administração hesitar. A decisão para avançar foi tomada depois da apresentação de um plano de negócio feito por Pedro Almeida, director dos supermercados do El Corte Inglês no Sul do país. Nesse plano, exemplificava com indicadores indiscutíveis que adiar o projecto iria custar muito mais dinheiro à empresa. Um conselho certeiro que levou à tomada de decisão acertada. Hoje este supermercado é um sucesso em vendas e atingiu o break-even em apenas um ano, apesar de ter aberto as portas em plena crise, recorda orgulhoso Pedro Almeida. Um sucesso que não teria sido possível caso o director dos supermercados do El Corte Inglês não tivesse frequentado o Programa de Direcção de Empresas (PDE) da AESE, Escola de Direcção e Negócios, reconhece. Tudo o que aprendeu foram instrumentos essenciais, nomeadamente como construir um plano de negócios, para o lançamento e sucesso desta unidade, sublinha Pedro Almeida. M.Q. Paula Nunes NOVA School of Business & Economics COMO A FORMAÇÃO ESTÁ A POTENCIAR O TALENTO NA PORTUGAL TELECOM Nove em cada dez executivos da PT que frequentam os programas de Formação de Executivos da NOVA SBE acabam por atingir os objectivos definidos por eles ou pela organização, garante Sandra Rebelo, directora de Recursos Humanos da PT. Um investimento com rentabilidade garantida e que leva a que, todos os anos, a empresa invista na formação de cerca de cem talentos. Liderança, conceitos de gestão ou desenvolvimento de competências específicas são muitos os temas dos programas à medida desenvolvidos pela NOVA SBE em resposta aos desafios colocados pela maior empresa de telecomunicações portuguesa. A maioria destas formações disponibilizadas por esta escola à dezenas de empresas fazem parte da oferta de costumized corporate solutions Uma das áreas de negócio que oferece programas abertos destinados a executivos de uma única empresa ou cria novas formações costumizadas criadas para responder a a uma necessidade específica, ou a um público específico da empresa, explica Nadim Habib, CEO da Formação de Executivos da NOVA SBE. M.Q. Mario Proenca/Bloomberg PUB

10 X Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS REPORTAGEM Pedro Pimentel da direcçao da AESE e do Conselho de Administração da ASM, Paulo Vaal Neto, das Organizações Chana Gilberta Inglês, da Plantão Rómulo Peixoto, da Finicapital, em Lisboa, na sede da AESE. Paulo Figueiredo AESE aposta em melhorar a gestão das empresas para ajudar as economias Tanto em Lisboa como em Luanda, o objectivo da AESE é contribuir para o crescimento económico. MADALENA QUEIRÓS madalen. Como gerir empresas que não param de crescer num país em que faltam gestores de segunda linha que possam fazer chegar os objectivos estratégicos da empresa ao resto dos trabalhadores? Este é o principal desafio que enfrentam empresas públicas e privadas em Angola. Nas economias de acelerado crescimento económico a boa gestão e liderança são ainda mais relevantes, diz Pedro Pimentel, da direcção da AESE. Para ajudar a ultrapassar este problema de falta de quadros a AESE Escola de Direcção e Negócios decidiu apoiar a criação de uma escola de executivos em Angola. Chama-se Angola School of Management (ASM) e, em parceria com a AESE, está a desenvolver programas de formação como o PADE para gestores angolanos com paragem obrigatória em Lisboa e Madrid. Semanas para conhecerem empresas e gestores destas duas cidades. Este Programa de Alta Direcção, destinado à liderança das empresas, é adaptado à realidade angolana, diz Pedro Pimentel, que é também do Conselho de Nas economias de acelerado crescimento económico, a boa gestão e a liderança são ainda mais relevantes. Administração da ASM Luanda. Até porque, enquanto em Portugal o contexto é de redução de equipas e congelar investimentos, Angola está no extremo oposto como uma economia em grande expansão, o que tem que se reflectir nos casos que são estudados nos programas, esclarece. Mas o objectivo, tanto em Lisboa como em Luanda, continua a ser o mesmo: Queremos ajudar a melhorar a qualidade de gestão das empresas, o que também está na génese dos programas em Luanda para promover o desenvolvimento económico dos países. As empresas com crescimento rápido têm que adaptar-se rapidamente. Há ineficiências que podem ser combatidas e muito do que tenho aprendido já está a influenciar positivamente a minha gestão, diz Paulo Vaal Neto, que frequenta o PADE e é responsável das Organizações Chana, um dos principais grupos do sector automóvel angolano. Ainda está a meio do programa - quando falámos tinha acabado de chegar a Lisboa para uma semana de contacto com grandes empresas portuguesas - mas reconhece que com o que já aprendeu conseguiu implementar práticas com efeito positivo na empresa, além de conhecer outros gestores de Angola, o que cria bons contactos. Rómulo Peixoto, accounting director da Finicapital, uma das empresas responsáveis pela intervenção na Baía de Luanda que promete mudar a face da capital angolana, também participa nesta edição do PADE. Este executivo é um dos responsáveis por um investimento de milhões de dólares a vinte anos, uma das maiores operações do país. E não tem dúvidas que já está a aplicar muitos dos conhecimentos apreendidos. Gilberta Inglês, responsável pelos recursos humano da empresa Plantão, de segurança privada, viu em cinco anos o seu negócio crescer exponencialmente. Um crescimento que coloca grandes desafios em termos de gestão, que o PADE está a ajudar a resolver. O programa já existe em Luanda desde 2008 e ajudou a formar grande parte da administração de empresas como a companhia Aérea TAAG.

11 PUB

12 XII Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS Executivos dão metade das receitas à Católica-Lisbon REPORTAGEM Escola aposta em parcerias com players económicos fundamentais. CARLA CASTRO O aparecimento de um vasto conjunto de novas profissões e o desaparecimento de muitas das profissões actualmente existentes, que modificarão em grande escala as necessidades de formação, defende Luís Cardoso, director da formação de executivos da Católica-Lisbon School of Business and Economics, a escola de negócios e gestão mais bem colocada no ranking da formação de executivos do Financial Times, onde a formação de executivos representa cerca de metade das receitas totais da escola. Este é um dos factores que vai influenciar a formação de executivos nos próximos anos, a par de outros, mas que estão todos interligados entre si, defende Luís Cardoso. Desde logo, o inevitável processo imparável de globalização, com implicações nomeadamente a nível demográfico, cultural, social e de deslocalização dos quadros ; depois o acelerar das mudanças tecnológicas aliadas à revolução digital em curso, que têm óbvias consequências nas metodologias de ensino e aprendizagem ; e ainda é de esperar que as novas gerações venham a ter preocupações diferentes, relacionadas com o equilíbrio da vida pessoal e profissional, a qualidade de vida no trabalho, a valorização do seu significado e contributo social, autonomia e empreendedorismo, algo que não deixará de se reflectir na Formação de Executivos, acrescenta o responsável pela formação de executivos da Católica-Lisbon SBE. Cursos vão de 20 a 200 horas Na Católica-Lisbon SBE os cursos à medida equivalem a quase metade do volume de negócios da formação de executivos. E as parcerias nestas ofertas de formação são com players fundamentais como a Jerónimo Martins, a Logoplaste, a Mota-Engil ou a Sonae, adianta Luís Cardoso. Para conseguir a proeza de ser a única escola portuguesa a estar no top 50 mundial e na liga das 20 melhores da Europa do Financial Times, Luís Cardoso explica que são vários os trunfos e apostas: qualidade do corpo docente, metodologias interactivas e baseadas É de esperar que as novas gerações venham a ter preocupações diferentes reacionadas com o equilíbrio da vida pessoal e profissional, etc., diz Luís Cardoso, director da formação de executivos a Católica-Lisbon SBE. A Católica Lisbon SBE foi a primeira escola portuguesa a chegar aos rankings do FT. em experiências reais, rigor nos conteúdos, oferta abrangente de programas, quer com conteúdos mais abrangentes quer em áreas de enorme especialização. A Católica-Lisbon SBE tem cursos abertos e programas customizados em áreas como a gestão geral, marketing e gestão comercial, finanças e banca, gestão de projectos e operações, turismo, liderança e comportamento organizacional, entre muitos outros. O preço da formação na Católica é variável dependendo sobretudo do número de horas do programa, já que existem cursos de 20 e poucas horas e outros de mais de 200 horas. A Católica-Lisbon SBE, que estreou a presença portuguesa nestes rankings há sete anos, tendo sido a primeira portuguesa a chegar lá, continua a ser a única a conseguir estar na lista global que combina as classificações nos rankings dos programas abertos e customizados feitos à medida das empresas. A Católica destaca-se ainda na percentagem de estudantes internacionais, chegando ao 25º lugar. Também na qualidade da alimentação e instalações consegue ultrapassar escolas como a prestigiada Essec ou a Universidade de Oxford. Com uma facturação anual de 5,9 milhões de dólares, a Católica-Lisbon SBE conseguiu duplicar o volume da actividade internacional no último ano. Os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) são os mercados principais desta escola, com destaque para Angola. Mas tem parcerias com escolas de países como a Polónia, a Indonésia e a Colômbia e nos planos da Católica-Lisbon SBE está a expansão para outras geografias. Paulo Alexandre Coelho

13 PUB

14 XIV Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS Católica Porto já faz formação in-company no exterior REPORTAGEM Formação à medida e parcerias internacionais estão cada vez mais na ordem do dia. ANTÓNIO FREITAS DE SOUSA Num mundo onde a formação pode ser o antes e o depois de uma vida profissional com fronteiras muito alargadas, cabe às universidades tentar dar resposta a uma procura que tende cada vez mais a ser uma espécie de fato à medida pelo menos do ponto de vista das empresas que querem desenvolver os seus recursos humanos. A Católica está do lado da resposta: a escola inclui dois MBA, formação aberta em diversas áreas de actuação (gestão, marketing, gestão de operações, capital humano e liderança e finanças e fiscalidade), formação sectorial e formação in-company, através de programas totalmente customizados, que vão ao encontro das necessidades e objectivos das empresas e dos seus profissionais, avançou fonte oficial ao Económico. Neste quadro, os cursos executivos assumem um papel de elevada importância: a Católica disponibiliza mais de 20 cursos abertos, nas áreas funcionais de gestão, gestão internacional, finanças e fiscalidade, marketing, gestão de operações e capital humano e liderança. No âmbito da formação sectorial, necessariamente mais direccionada, a Católica tem também previstos uma série de programas que pretendem abordar as mais diversas áreas. Estão neste lado das soluções apresentadas os executive master em gestão hoteleira, gestão na saúde e gestão para juristas. Formação in-company A formação ao estilo fato à medida é, entretanto, uma das áreas que tem demonstrado maior capacidade de crescimento: não há duas empresas iguais e cada negócio tem as suas especificidades; e isso é de extrema importância quando se trata do desenvolvimento de formação à medida dos quadros e colaboradores da empresa, disse a mesma fonte. Neste segmento, a Católica está preparada para trabalhar com cada empresa para o desenho de programas customizados às suas necessidades e objectivos. Mais: cada programa resulta da articulação de experiências e conhecimento entre a Católica Porto Business Já decorreram formações especializadas de quadros para empresas como a Sonangol, e o Standard Bank; neste momento, estáadecorrer uma formação comogrupo Elevo, para cerca de 40 quadros. Angola é o país de expansão. Bruno Barbosa A Católica Porto tem uma parceria com a Católica Luanda Business School. Schooleaempresa,resultandonumprocesso centrado no desenvolvimento de conhecimentos e competências, enquadrado pelos valores e experiências organizacionais, numa solução inovadora e orientada para a aplicação prática. Empresas como a Unicer, Banco de Portugal, Soares da Costa, Lactogal, Nors e Sogrape já fizeram regressar os seus quadros aos bancos da escola. A procura é de tal forma, e os resultados também, que este tipo de formação já foi alvo de exportação : já decorreram formações especializadas de quadros para empresas como asonangoeostandardbank;nestemomento, está a decorrer uma formação com o grupo Elevo, para cerca de 40 quadros (em simultâneo com a formação de 60 quadros em Portugal), revelou a Católica ao Económico. Para já, o mercado de exportação confina-se a Angola, mas nada indica que, no futuro, outros países possam fazer parte da rede externa de formação in-company. Formação abroad A Católica Business Schools Alliance é uma aliança estratégica fundada entre a Católica e a Católica Luanda Business School, em Neste âmbito, e ancorada num projecto conjunto que aproveita a complementaridade e a diversidade existentes entre os parceiros, a aliança tem por ambição construir uma rede global de escolas de negócios que se torne uma referência para a educação de executivos no mundo da língua portuguesa. Segundo a universidade, este é mais um braço com que a formação de executivos vai poder contar no futuro sempre numa lógica, cada vez mais procurada, de internacionalização. O mesmo serve para o caso dos MBA.

15 Segunda-feira 2 Junho 2014 Diário Económico XV PME da região Centro são o alvo da D. Dinis REPORTAGEM Business School nasceu das empresas e é para estas que orienta a sua oferta. JOANA MOURA Focada em áreas como os Recursos Humanos, Gestão, Marketing, Tecnologia e Inovação, e Finanças, a D. Dinis Business School assenta numa filosofia de estratégia empresarial para as PME: a simplicidade, excluindo-se tudo o que seja acessório e desnecessário no plano da dinâmica empresarial real, diz o director da escola,vitor Hugo Ferreira. Uma escola de negócios criada pela Nerlei Núcleo Empresarial da Região de Leiria, a sua oferta formativa foi concebida para dar resposta às necessidades de formação previamente identificadas num estudo de diagnóstico realizado na Região Centro. E esse é o nosso principal diferencial, explica o director, acrescentando: conhecemos profundamente as nossas empresas e encontra- A nossa oferta formativa foi concebida para dar resposta às necessidades de formação das PME da Região Centro, diz o director. mos soluções adaptadas a essa realidade baseadas no conhecimento científico de excelência, mas fugimos do mero utilitarismo académico. Nesse sentido, destacam-se cursos como Gestão para PME, o mini-mba,criação e Gestão de Negócios de Turismo, Liderança& Gestão de Equipas, Marketing para PME, entre vários outros cursos de curta e média duração. Formação que pode ir dos 400 aos quatro mil euros e, essencialmente, procurada por quadros das PME. As empresas de maior dimensão têm preferido cursos à medida. Com apenas um ano, a D. Dinis conta já com mais de 100 alunos, tem quatro programas à medida em execução, na área tecnológica/industrial e das instituições financeiras. Os cursos abertos são os mais procurados na D. Dinis Business School. Bruno Barbosa PUB

16 XVI Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS O está a apostar em temas out of the box na sua formação de executivos. REPORTAGEM Paulo Figueiredo Como aprender com a máfia a fazer negócios legítimos O IDEFE/ lançou, em 2013, a Lisbon Executive Academy com cursos mais curtos. CARLA CASTRO O está apostado em lançar em Portugal novos temas de formação mais out of the box, que têm tido muito sucesso noutros países, daí o lançamento de cursos como Técnicas de gestão da máfia aplicadas a negócios legítimos, Brain and business ou Contabilidade forense, revela João Cantiga Esteves,director executivo do IDE- FE, a escola de formação de executivos do. Este novo tipo de abordagem aos temas clássicos é uma das tendências na formação de executivos, acredita João Cantiga Esteves, e o não quer perder o comboio. Por outro lado, a escola continua a trabalhar nos temas que são as suas áreas core gestão contabilidade, fiscalidade e finanças que têm mantido um nível de procura elevado, pois são temas recorrentes e sobre os quais a generalidade dos gestores precisa de reforçar os seus conhecimentos, afirma João Cantiga Esteves. São exemplos desta oferta os cursos de Os novos temas out of the box têm tido muito sucesso noutros países, daí a aposta da escola neste tipo de oferta de formação, diz João Cantiga Esteves, director executivo do IDEFE/. Finanças para não financeiros e Fast- -track-mba, entre outros. No leque da sua oferta de pós-graduações a escola tem vindo a apostar em diversos sectores específicos únicos no mercado, diz João Cantiga Esteves, dando como exemplo o Agrobusiness e Gestão Aplicada ao Sector de Vinhos. Estes cursos de cariz mais prático estão orientados para as necessidades do mundo empresarial, constituindo uma mais- -valia em termos de qualificação dos gestores no mercado de trabalho, afirma o responsáveldoidefe. O ano passado, o IDEFE lançou uma novidade na área da formação de executivos: a Lisbon Executive Academy destinado a executivos e empresas, que oferece cursos de curta duração. Cursos breves a 400 euros A escola tem cursos de inscrição aberta para executivos e à medida para empresas e o custo de cada formação depende muito do que se pretende. Depende dos objectivos que cada gestor tem na formação que procura, começa por explicar João Cantiga Esteves. Por exemplo, uma formação profissional de curta duração na Lisbon Executive Academy pode ter um valor bastante acessível, diz, adiantanto que já foram lançados no IDEFE cursos breves com um custo de cerca de 400 euros, mas sobre temas que envolvem um grau de especialização elevado. No entanto, se o que se procura é uma formação executiva com maior abrangência nos temas abordados, acrescenta o mesmo responsável, orientada para uma área de conhecimento específica, já se recomendaria uma pós-graduação que pela duração e composição deverá ser encarada como um investimento pelos gestores. A escola oferece uma grande variedade de pós-graduações altamente especializadas que podem ter a duração até um ano académico e com valor de propinas a partir dos três mil euros.

17 PUB

18 XVIII Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS REPORTAGEM Paulo Bento é o presidente do INDEG-IUL, a escolade gestão e negócios do ISCTE. Paulo Figueiredo Formação à medida tem vindo a aumentar no INDEG-IUL do ISCTE Apesar de os programas abertos continuarem a ter um papel dominante, os customizados estão a ter cada vez mais procura pelas empresas portuguesas. JOANA MOURA O INDEG-IUL, escola de negócios do ISCTE, já faz formação pós-graduada nas áreas de Gestão há muito tempo e tem, hoje, uma oferta muito variada: um Executive MBA, vários mestrados executivos, pós-graduações, programas de especialização, programas intensivos e, também, programas customizados. E não só na área da Gestão e. Os sectores da Saúde, Turismo, Recursos Humanos, Marketing e outros são também áreas com oferta de formação especializada de cursos que podem ir dos dois dias a dois anos. Uma das tendências que mais se tem verificado é o aumento da procura de formação customizada, ainda que os programas abertos continuem a ter um papel dominante nesta escola de negócios do ISCTE. O presidente do INDEG-IUL, Paulo Bento, atribui esse crescimento ao facto de o mercado encarar com agradável surpresa as propostas que nos temos proposto levar a cabo e Banco de Portugal, Caixa Geral de Depósitos, Correios de Portugal, EDP, Galp Energia, Grupo PT, IAPMEI, KPMG, Novabase, REN, Somague ou Sonae são apenas algumas das empresas com quem o INDEG-IUL tem colaborado. revela algumas das entidades com as quais a instituição tem trabalhado, como éocasodo Banco de Portugal, Caixa Geral de Depósitos, Correios de Portugal, EDP, Galp Energia, Grupo PT, IAPMEI, KPMG, Novabase, REN, Somague ou Sonae. Colaborações que podem ser regulares ou pontuais. Razões que, para Paulo Bento, explicam também, que não haja uma resposta directa quando a pergunta é quanto pode custar fazer um curso para executivos no INDEG - IUL? O presidente da escola diz que o valor do investimento subjacente acaba por não reflectir essa mesma realidade [a de que a oferta é muito diferenciada]. Mas de uma coisa Paulo Bento tem a certeza, no que toca à instituição que dirige: um dos pontos fortes da formação de executivos oferecida no INDEG-IUL é o facto de os participantes tenderem a ter uma média etária superior aos programas equivalentes de outras instituições, originando um clima de maior partilha, o qual por sua vez é potenciado pela larga experiência empresarial e pelas ligações fortes do corpo docente ao mundo real, garante. Caracterizada por ter uma estrutura de direcção com grande proximidade com os cursos, alunos e estruturas e com uma forte ligação ao mundo empresarial, o INDEG-IUL está sempre atento ao futuro e sabe que uma das tendências passa pela presença ou relevância nos programas de assuntos como a ética ou a própria globalização, explica o presidente desta escola de negócios, adiantando que outra das tendências é a importância dada às executive weeks noutros países ou realidades (uma ou mais por edição) e uma panóplia de actividades complementares através das quais se procura tornar a experiência mais rica e, de preferência, inesquecível.

19 PUB

20 XX Diário Económico Segunda-feira 2 Junho 2014 FORMAÇÃO DE EXECUTIVOS Nova SBE lança programa acelerador de carreiras REPORTAGEM Nadim Habib é o CEO da Formação de Executivos da Nova School of Business and Economics. Nova SBE tem impacto em 90% dos executivos da PT que frequentam os programas da escola. MADALENA QUEIRÓS ANovaSBE quer ser a escola de negócios de referência do mundo que fala português, diz Nadim Habib, CEO da Formação de Executivos. Paulo Figueiredo Nove em cada dez executivos da PT que frequentam os programas de Formação de Executivos da Nova SBE acabam por atingir os objectivo de carreira definidos por eles ou pela organização, garante Sandra Rebelo, directora de Recursos Humanos da PT. Um investimento com rentabilidade garantida e que leva a que, todos os anos, a empresa aposte na formação de cerca de 100 talentos. Aprendizagem de ferramentas para uma liderança eficaz, conceitos de gestão ou desenvolvimento de competências específicas são alguns dos temas dos programas à medida desenvolvidos pela Nova SBE, em resposta aos desafios colocados pela maior empresa de telecomunicações portuguesa. As necessidades de formação dependem, fundamentalmente, da fase que cada empresa está a atravessar. Se no ano passado apostamos em programas para fomentar o improviso, porque estávamos numa fase de fusão e crescimento, este ano apostamos na consolidação de competências porque essa é a necessidade da empresa neste momento, sublinha Sandra Rebelo. A maioria destas formações disponibilizadas por esta escola a dezenas de empresas fazem parte da oferta de costumized corporate solutions, uma das áreas de negócio que oferece programas abertos destinados a executivos de uma única empresa ou cria novas formações costumizadas criadas para responder a uma necessidade específica ou a um público específico da empresa, explica Nadim Habib, CEO da Formação de Executivos da Nova SBE. Mas a escola pode também desenhar sessões de coaching individual para colmatar lacunas de alguns executivos. A oferta da escola de negócios da Nova SBE tem soluções que acompanham todas as fases de desenvolvimento de carreira de qualquer executivo. Na área de career track a última novidade é o Management Acceleration Program. Uma formação destinada a acelerar a progressão na carreira de executivos, com menos de quatro anos de experiência. Uma formação destinada a um público-alvo que não tinha qualquer oferta de formação específica. Ainda neste segmento, a Nova SBE oferece o Curso Geral de Gestão, um dos programas mais prestigiados da escola e que já formou várias gerações de gestores portugueses. Á medida que subimos na hierarquia da empresa, surgem outras ferramentas. Para os gestores de topo há o Intensive Management Program. Uma oferta que, em seis dias de formação intensiva, oito horas por dia, pretende dar aos líderes ferramentas para que possam definir e implementar estratégias que tragam valor para a organização. Na oferta da Nova SBE surge um segundo tipo de programas para quem não tem qualquer formação em gestão, mas de repente tem que assumir um lugar de liderança. São programas de formações em competências e funções específicas como o Programa Avançado de Negociação, Programa de Liderança Eficaz e o Programa de Gestão Financeira. Uma outra oferta da formação de executivos são os cursos destinados a indústrias específicas como o Gerir Escritórios de Advogados, Gerir Negócios de Família e Liderança na Oferta de Cuidados de Saúde. Com o crescimento da internacionalização das empresas portuguesas, as nossas formações têm cada vez mais a componente de experiência internacional, descevre Nadim Habib, que elege como prioridade ser a escola de negócios de referência do mundo que fala português. Para isso é essencial a aposta feita em criar pólos em Angola, Moçambique e Brasil.

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

em - Corporate Reporting (1.ª Edição) Executive Master

em - Corporate Reporting (1.ª Edição) Executive Master www. indeg. iscte-iul. pt EXPERIÊNCIA DE IMERSÃO AVANÇADA NO STATE OF THE ART E NAS ALTERAÇÕES MAIS RECENTES NAS TEMÁTICAS, NORMATIVAS E MÉTODOS DE REPORTE INTEGRADO DAS ORGANIZAÇÕES VISANDO UM DESEMPENHO

Leia mais

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012

APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 APEX- APOIO À PROMOÇÃO DA EXPORTAÇÃO DAS PME 2012 A aposta no apoio à internacionalização tem sido um dos propósitos da AIDA que, ao longo dos anos, tem vindo a realizar diversas acções direccionadas para

Leia mais

EFFECTIVE LEADERSHIP PROGRAM

EFFECTIVE LEADERSHIP PROGRAM executive education EFFECTIVE LEADERSHIP PROGRAM LIDERANÇA EFICAZ IMPLICA UM ENTENDIMENTO PROFUNDO DO SIGNIFICADO QUE A ORGANIZAÇÃO ATRIBUI À PALAVRA SUCESSO. O líder deve ir além da visão imediatista

Leia mais

Inscrições. As inscrições para os cursos realizam-se em Setembro de 2012. O Sector Empresarial do Estado não se encontra abrangido por esta Aliança.

Inscrições. As inscrições para os cursos realizam-se em Setembro de 2012. O Sector Empresarial do Estado não se encontra abrangido por esta Aliança. Caderno de s 2 Objectivos A formação de executivos é, hoje em dia, uma necessidade incontornável, sendo um importante factor do sucesso, da competitividade e da sustentabilidade das organizações. Considerando

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

Recursos Humanos em Portugal

Recursos Humanos em Portugal O Maior Salão Profissional de Recursos Humanos em Portugal 9.ª Edição 17e 18 de Março de 2010 Centro de Congressos do Estoril www.ife.pt OS DECISORES SÃO UMA PRESENÇA GARANTIDA + 2000 profissionais de

Leia mais

Health Management Future

Health Management Future 2012 Health Management Future COM O PATROCÍNIO DE O grupo BIAL tem como missão desenvolver, encontrar e fornecer novas soluções terapêuticas na área da Saúde. Fundado em 1924, ao longo dos anos BIAL conquistou

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA Gestão Empresarial Internacional e Diplomacia Económica International Management and Economic Diplomacy 2 O aumento das exportações

Leia mais

Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel

Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel Programa Avançado de Gestão para o Setor do Pós Venda Automóvel ACAP de Portas Abertas para a Universidade RAZÃO DE SER Antes da Agenda O que sabe hoje chega para garantir a SUSTENTABILIDADE e o SUCESSO

Leia mais

Pós-Graduação Leadership & Management. 3ª Edição

Pós-Graduação Leadership & Management. 3ª Edição Pós-Graduação Leadership & Management 3ª Edição 2010/2011 Leadership & Management Direcção Científica Prof. Doutor José Verissimo Doutora Teresa Passos A Direcção Executiva é partilhada entre o IDEFE e

Leia mais

Saibacomoaformaçãoopode ajudar a sair da crise

Saibacomoaformaçãoopode ajudar a sair da crise ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO ECONÓMICO Nº 5434 DE 28 DE MAIO DE 2012 E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE Formação de EXECUTIVOS Saibacomoaformaçãoopode ajudar a sair da crise Image Source

Leia mais

PGG PROGRAMA GERAL DE GESTÃO. Unleash your. full potential WWW.CLSBE.LISBOA.UCP.PT/EXECUTIVOS

PGG PROGRAMA GERAL DE GESTÃO. Unleash your. full potential WWW.CLSBE.LISBOA.UCP.PT/EXECUTIVOS PGG PROGRAMA GERAL Unleash your full potential WWW.CLSBE.LISBOA.UCP.PT/EXECUTIVOS PGG PROGRAMA GERAL O PGG - Programa Geral de Gestão, proporciona uma formação geral em Gestão de Empresas. Destina-se a

Leia mais

Formação de Executivos / Executive Business Education

Formação de Executivos / Executive Business Education Formação de Executivos / Executive Business Education 2 ÍNDICE 05 06 07 08 09 09 11 12 13 14 15 15 15 Mensagem de Boas Vindas Apresentação Advisory Board Porquê Formação executiva? 7 razões para escolher

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016

MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 PROJECTO CONJUNTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO MÉXICO 2015-2016 MISSÃO EMPRESARIAL AO MÉXICO 19-27 Fev. 2016 INSCRIÇÕES ATÉ 15 DE JANEIRO 2016 Promotor: Co-financiamento: Monitorização: Foto: Miguel Moreira

Leia mais

Plano Geral de Formação

Plano Geral de Formação Plano Geral de Formação 2 0 1 6 A Católica Business Schools Alliance é constituída por: Índice Mensagem de boas vindas Católica Business Schools Alliance 10 razões para nos escolher MBA Atlântico Oficina

Leia mais

Executive MBA, e auniversidade de Oxford, que. conquista um terceiro lugar em Gestão, um

Executive MBA, e auniversidade de Oxford, que. conquista um terceiro lugar em Gestão, um posição em Economia e MBA e em terceiro nos mestrados de Empreendedorismo e Gestão. A Universidade de Stanford também aparece muito bem cotada, com dois primeiros lugares, em Gestão e em Recursos Humanos,

Leia mais

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas

Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Programas Operacionais e Sistemas de Incentivos às Empresas Da União Europeia vão chegar até 2020 mais de 20 mil milhões de euros a Portugal. Uma pipa de massa, nas palavras do ex-presidente da Comissão

Leia mais

EXECUTIVOS. Formação de. Programas são trampolim para subir na carreira PUB. Paula Nunes

EXECUTIVOS. Formação de. Programas são trampolim para subir na carreira PUB. Paula Nunes ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO ECONÓMICO Nº 6179 DE 25 DE MAIO DE 2015 E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE Formação de EXECUTIVOS Programas são trampolim para subir na carreira Paula Nunes

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

Programa Avançado de Gestão

Programa Avançado de Gestão PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão Com o apoio de: Em parceria com: Nova School of Business and Economics Com o apoio de: PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão A economia Angolana enfrenta hoje

Leia mais

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES

HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 2011 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES COM O PATROCÍNIO DE: ÍNDICE A NOSSA PROPOSTA DE VALOR 3 HEALTH MANAGEMENT CHALLENGES 4 Estrutura e Coordenação 5 Conteúdos e Corpo Docente 6 Introdução: Health Servuction

Leia mais

Escola Curso Vagas APEX

Escola Curso Vagas APEX AESE Escola de Direcção e Negócios PADE 1 LISBOA 2 16.500 3.300 AESE Escola de Direcção e Negócios PDE 1 LISBOA 2 13.000 2.600 AESE Escola de Direcção e Negócios PDE 2 LISBOA 2 13.000 2.600 AESE Escola

Leia mais

A importância de um MBA

A importância de um MBA A importância de um MBA para dar o salto na carreira O investimento é grande e o retorno está longe de ser garantido, mas, ainda assim, continua a compensar tirar um MBA. Só que o título não chega. O mais

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA 2015-16

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA 2015-16 O PGL foi desenhado para profissionais, com mais de 5 anos de experiência, dinâmicos, com grande capacidade de trabalho e ambição de aceder a novas responsabilidades. PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

PROGRAMA DE DIREÇÃO DE EMPRESAS

PROGRAMA DE DIREÇÃO DE EMPRESAS 2016 JANEIRO > JULHO PORTO www.aese.pt/pde Escola associada: PROGRAMA DE DIREÇÃO DE EMPRESAS OBJETIVOS DO PROGRAMA O PDE atinge este ano a sua sexagésima edição, destacando-se como o Programa mais vezes

Leia mais

Formação de EXECUTIVOS

Formação de EXECUTIVOS ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO ECONÓMICO Nº 5681 DE 27 DE MAIO DE 2013 E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE Formação de EXECUTIVOS Saiba como as escolas de negócios ajudam as empresas a

Leia mais

MINI MBA EM GESTÃO. Luanda UMA OPORTUNIDADE QUE RESULTARÁ NUM NOVO IMPULSO PARA A SUA EMPRESA

MINI MBA EM GESTÃO. Luanda UMA OPORTUNIDADE QUE RESULTARÁ NUM NOVO IMPULSO PARA A SUA EMPRESA MINI Luanda 6ª Edição MBA EM UMA OPORTUNIDADE QUE RESULTARÁ NUM NOVO IMPULSO PARA A SUA EMPRESA GESTÃO MINI MBA EM GESTÃO Um programa conciso e único Na linha das anteriores edições, merecedoras de Novas

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1. 3. (PT) - Diário Económico, 25/09/2012, Unicer antecipa crescimento de 15% das vendas em Angola 5

1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1. 3. (PT) - Diário Económico, 25/09/2012, Unicer antecipa crescimento de 15% das vendas em Angola 5 Tema de pesquisa: Internacional 25 de Setembro de 2012 Revista de Imprensa 25-09-2012 1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1 2. (PT) - Jornal de Negócios - Negócios Mais, 25/09/2012, Bluepharma

Leia mais

Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação

Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação Tópicos da Intervenção do Senhor Ministro da Economia e da Inovação 24 de Novembro de 2005 Plano Tecnológico - Inovação e Crescimento

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Principais objectivos

Principais objectivos Âmbito A Exponor vai realizar o Time2Export com o objectivo de fomentar networking, partilhar informação e preparar as empresas para melhor explorarem as oportunidades de negócios que a economia global

Leia mais

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Outras conclusões: Recrutamento na área de Marketing Digital registou crescimento de 15%. Área de E- commerce cresceu 6% Remuneração dos profissionais

Leia mais

Procura de Excelência

Procura de Excelência www.mba.deg.uac.pt Procura de Excelência MASTER IN BUSINESS ADMINISTRATION Mestrado em Gestão (MBA) Secretariado Departamento de Economia e Gestão Rua da Mãe de Deus Apartado 1422 E-mail: mba@uac.pt Tel:

Leia mais

PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA PAEX

PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA PAEX PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA PAEX 2 / PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA - PAEX PARCEIROS PARA A EXCELÊNCIA PAEX CONHEÇA AS ESCOLAS ENVOLVIDAS PÁG 4-5 APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÁG 6-17 OS CLIENTES FALAM POR NÓS

Leia mais

A Católica Porto Business School está focada no desenvolvimento do capital humano, preparando pessoas para funções de liderança nas empresas e

A Católica Porto Business School está focada no desenvolvimento do capital humano, preparando pessoas para funções de liderança nas empresas e A Católica Porto Business School está focada no desenvolvimento do capital humano, preparando pessoas para funções de liderança nas empresas e organizações. Act for your future www.catolicabs.porto.ucp.pt

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016

PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016 PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL 2015-2016 2 PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL COORDENAÇÃO Prof. Doutor Paulo Lopes Henriques Prof.ª Doutora Carla Curado Prof. Doutor Pedro Verga Matos APRESENTAÇÃO Este

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

MBA especialização em GesTão De projectos

MBA especialização em GesTão De projectos MBA especialização em GESTão DE projectos FORMEDIA Instituto Europeu de Empresários e Gestores FORMEDIA e INSTITUTO EUROPEO DE POSGRADO FORMEDIA - Instituto Europeu de Empresários e Gestores A FORMEDIA

Leia mais

Competitividade e Inovação

Competitividade e Inovação Competitividade e Inovação Evento SIAP 8 de Outubro de 2010 Um mundo em profunda mudança Vivemos um momento de transformação global que não podemos ignorar. Nos últimos anos crise nos mercados financeiros,

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC C T E C E N T R O D E T E C N O L O G I A E M P R E S A R I A L C T E C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e g r a n d e p o r t e Na teoria e na vida, FDC AF - 05-006 - CTE02 R.indd 2 7/10/07

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO Como fazemos 1. Através do Serviço de Assistência Empresarial (SAE), constituído por visitas técnicas personalizadas às

Leia mais

Caderno de Cursos 2015/2016

Caderno de Cursos 2015/2016 Caderno de Cursos 0/06 de Cursos No quadro infra constam informações sobre os cursos oferecidos por cada uma das Escolas, o valor de mercado, o preço e o número de vagas disponíveis. Escola Curso Vagas

Leia mais

Empreendedorismo aprende-se?

Empreendedorismo aprende-se? Empreendedorismo aprende-se? O tempo do empresário self made man parece ter os dias contados. A forte concorrência, cada 1 vez mais global, e a exigência do cliente obrigam os 'candidatos a empreendedores

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

NEWSLETTER. Uma nova dimensão Gescar. Uma parceria pelas PME. Buscando a excelência a cada passo ANO I SETEMBRO-NOVEMBRO 2011

NEWSLETTER. Uma nova dimensão Gescar. Uma parceria pelas PME. Buscando a excelência a cada passo ANO I SETEMBRO-NOVEMBRO 2011 NEWSLETTER ANO I SETEMBRO-NOVEMBRO 2011 Uma nova dimensão Gescar A Gescar Comunicação existe para dar uma nova dimensão à sua empresa, destacando-a da concorrência e dotando-a de uma identidade única.

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Outubro de 2009 Agenda EM DESTAQUE Estágios e Suplemento ao Diploma- uma aposta no futuro! Índice Nota Editorial Eventos/Notícias Na Primeira Pessoa Manz

Leia mais

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006

SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO VENTURE CAPITAL IT 2006 Jaime Andrez Presidente do CD do IAPMEI 10 de Maio de 2006 Minhas Senhoras e meus Senhores, 1. Em nome do Senhor Secretário de Estado Adjunto, da Indústria

Leia mais

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda

Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009. 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário 2009 28 e 29 de Outubro Hotel Trópico, Luanda Formação em Gestão de Fundos Imobiliários A formação em Gestão de Fundos de Investimento Imobiliário

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Programa de Formação Avançada em COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COM O ALTO PATROCÍNIO Faculdade de Filosofia de Braga Programa de Formação Avançada em COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA docente mês dia horário horas ects

Leia mais

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015

MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS SGS. Duração 112 Horas / 3 meses. Edição 1ª Edição. Calendário outubro dezembro 2015 Edição 1ª Edição Calendário outubro dezembro 2015 Duração 112 Horas / 3 meses Regime Pós-laboral e ao sábado MASTER INNOVATION MANAGEMENT SYSTEMS Em parceria com: SGS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS COORDENAÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA PORTO 2016

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA PORTO 2016 PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA PORTO 2016 O PGL foi desenhado para profissionais, com mais de 5 anos de experiência, dinâmicos, com grande capacidade de trabalho e ambição de aceder a novas responsabilidades.

Leia mais

Master in Management for Human Resources Professionals

Master in Management for Human Resources Professionals Master in Management for Human Resources Professionals Em colaboração com: Master in Management for Human Resources Professionals Em colaboração com APG Um dos principais objectivos da Associação Portuguesa

Leia mais

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004)

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) por António Jorge Costa, Presidente do Instituto de Planeamento

Leia mais

Quatro gestores e um engenheiro

Quatro gestores e um engenheiro Tiragem: 26368 Pág: VIII Área: 26,85 x 36,48 cm² ID: 30707498 22-06-2010 Universidades Âmbito: Economia, Negócios e. Corte: 1 de 2 PRÉMIOS Foto cedida Os cinco finalistas do Prémio Primus Inter Pares,

Leia mais

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com Moçambique Agenda EVENTOS 2013 NEW!! Também in Company INSCREVA-SE EM inscrip@iirportugal.com VISITE www.iirportugal.com INOVAÇÃO Estimado cliente, Temos o prazer de lhe apresentar em exclusiva o novo

Leia mais

CATÓLICA PORTO BUSINESS SCHOOL Gestão de Operações

CATÓLICA PORTO BUSINESS SCHOOL Gestão de Operações CATÓLICA PORTO BUSINESS SCHOOL Gestão de Operações Member of www.catolicabs.porto.ucp.pt A Católica Porto Business School Fundada em 2002, a Católica Porto Business School é a escola de negócios da Universidade

Leia mais

Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa

Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa A Securitas é o parceiro de Segurança da Universidade Fernando Pessoa (UFP), no Porto. Uma colaboração que se tem vindo a cimentar ao longo dos 14 anos

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

Conceito O2. O futuro tem muitos nomes. Para a Conceito O2 é Coaching. Sinta uma lufada de ar fresco. :!:!: em foco

Conceito O2. O futuro tem muitos nomes. Para a Conceito O2 é Coaching. Sinta uma lufada de ar fresco. :!:!: em foco :!:!: em foco Conceito O2 Sinta uma lufada de ar fresco Executive Coaching Através do processo de Executive Coaching a Conceito O2 realiza um acompanhamento personalizado dos seus Clientes com objectivo

Leia mais

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO 4 de Agosto de 2011 MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO Apresentar um novo modelo de organização de serviços e organismos do Estado vocacionados para: - Promoção e captação de investimento estrangeiro; - Internacionalização

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE

PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE GESTÃO EM SAÚDE PÓS-GRADUAÇÃO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING EM SAÚDE Duração 2 semestres Condições de selecção Curriculum profissional; curriculum académico e entrevista (se necessário) ECTS

Leia mais

Business Intensive Program. Para uma Performance Empresarial mais Competitiva

Business Intensive Program. Para uma Performance Empresarial mais Competitiva Business Intensive Program Para uma Performance Empresarial mais Competitiva 02 BIP BUSINESS INTENSIVE PROGRAM Business Intensive Program Para uma Performance Empresarial mais Competitiva Em tempos de

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO

FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO FORMAÇÃO EM GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS NOS SECTORES HOTELEIRO E TURÍSTICO (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Março/Abril 2004) por António Jorge Costa, Presidente do Instituto de Planeamento

Leia mais

Pós-Graduação. Mercados Internacionais e Diplomacia Económica. 1ª Edição

Pós-Graduação. Mercados Internacionais e Diplomacia Económica. 1ª Edição Pós-Graduação Mercados Internacionais e Diplomacia Económica 1ª Edição 2011/2012 Mercados Internacionais e Diplomacia Económica Coordenação Científica Prof. Doutor Joaquim Ramos Silva Prof. Doutor Manuel

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E

www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E Quem somos? Quem somos? O que fazemos? O que nos distingue? Onde estamos? 2 Quem somos? APRESENTAÇÃO A Talent Search foi

Leia mais

www.pwc.pt/academy Gestão de cobranças PwC s Academy Técnicas e ferramentas para uma gestão eficaz das suas cobranças!

www.pwc.pt/academy Gestão de cobranças PwC s Academy Técnicas e ferramentas para uma gestão eficaz das suas cobranças! www.pwc.pt/academy Gestão de cobranças PwC s Academy Técnicas e ferramentas para uma gestão eficaz das suas cobranças! Como gerir cobranças? Destinatários prioritários Esta ação de formação é prioritária

Leia mais

ajudam a lançar negócios

ajudam a lançar negócios Capa Estudantes portugueses ajudam a lançar negócios em Moçambique Rafael Simão, Rosália Rodrigues e Tiago Freire não hesitaram em fazer as malas e rumar a África. Usaram a sua experiência para construírem

Leia mais

47% em I&D duplicou. numa década. Portugal investe 1,52% do PB em Investigação e Desenvolvimento Investimento. última década" e lembra que "é preciso

47% em I&D duplicou. numa década. Portugal investe 1,52% do PB em Investigação e Desenvolvimento Investimento. última década e lembra que é preciso Portugal investe 1,52% do PB em Investigação e Desenvolvimento Investimento numa década em I&D duplicou I&D, a sigla que sintetiza a expressão Investigação e Desenvolvimento é hoje, e mais do que nunca,

Leia mais

Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China

Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China Lisboa, Janeiro de 2014 Realizar Negócios na China é o sonho de qualquer empresário mas pode ser uma realidade

Leia mais

Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China

Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China 2ª Edição Curso de Língua Chinesa, Cultura e Dinâmica de Negócios para Empresários e Gestores na China Realizar Negócios na China é o sonho de qualquer empresário, mas pode ser uma realidade para os que

Leia mais

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR Prioridades Estratégicas Indústria Portuguesa Agro-Alimentar Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares XI LEGISLATURA 2009-2013 XVIII

Leia mais

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS Sessão de Esclarecimento Associação Comercial de Braga 8 de abril de 2015 / GlobFive e Creative Zone PT2020 OBJETIVOS DO PORTUGAL 2020 Promover a Inovação empresarial (transversal);

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo 2 ÍNDICE EMPREENDEDORISMO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 4 CONDIÇÕES DE ACESSO E SELECÇÃO DOS CANDIDATOS...

Leia mais

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO A noção de Empreendedorismo, como uma competência transversal fundamental para o desenvolvimento humano, social e económico, tem vindo a ser reconhecida

Leia mais

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005.

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. Cooperação empresarial, uma estratégia para o sucesso Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. É reconhecida a fraca predisposição

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

Cooperação Universidade Empresa

Cooperação Universidade Empresa INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NA CERIMÓNIA DE ABERTURA DO ANO LECTIVO 2010/2011, DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO, SOB O TEMA «CONTRIBUIÇÃO DO ENSINO

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO E LIDERANÇA PARA PME LÍDER

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO E LIDERANÇA PARA PME LÍDER PDGL PME LÍDER WWW.CLSBE.LISBOA.UCP.PT/EXECUTIVOS PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO E LIDERANÇA PARA PME LÍDER EM PARCERIA COM: Unleash your full potential PDGL PAGEF PME LÍDER PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Finanças para Não Financeiros

Finanças para Não Financeiros www.pwc.pt/academy Finanças para Não Financeiros Academia da PwC Este curso permite-lhe compreender melhor as demonstrações financeiras, os termos utilizados e interpretar os principais indicadores sobre

Leia mais

Avaliação nos hospitais faz aumentar oferta de formação pós-graduada na área da saúde

Avaliação nos hospitais faz aumentar oferta de formação pós-graduada na área da saúde TEMA DE CAPA FORMAÇÃO EM GESTÃO DA SAÚDE Pág: II Área: 26,79 x 37,48 cm² Corte: 1 de 5 Avaliação nos hospitais faz aumentar oferta de formação pós-graduada na área da saúde Em 2010, os administradores

Leia mais

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades Já há mais de 170 cursos superioresem Portugal que são dados só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades portuguesas já têm mais de 1 70 cursos em inglês Internacionalização. Atrair novos estudantes

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE INTERNACIONALIZAÇÃO

ESTRATÉGIAS DE INTERNACIONALIZAÇÃO INTERNACIONALIZAÇÃO ESTRATÉGIAS Unleash your full potential WWW.CLSBE.LISBOA.UCP.PT/EXECUTIVOS INTERNACIONALIZAÇÂO ESTRATÉGIAS O sucesso das empresas hoje, e a sua sustentação no longo prazo, baseiam-se

Leia mais

o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos.

o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos. o Empresa Internacional de Executive Search e Consultoria em Gestão Estratégica de Recursos Humanos. o Formada por uma Equipa de Consultores com uma consolidada e diversificada experiência, quer na área

Leia mais

Managing Team Performance

Managing Team Performance www.pwc.pt/academy Managing Team Performance Helping you push harder Lisboa, 22 e 24 de abril Academia da PwC Um curso onde irá conhecer as melhores práticas de gestão contínua de performance e de resultados

Leia mais

Assim, a dívida externa bruta é hoje já superior a 200% do PIB!

Assim, a dívida externa bruta é hoje já superior a 200% do PIB! INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NO SEMINÁRIO «COMO EXPORTAR NO CENÁRIO GLOBAL» NO AUDITÓRIO DA BIBLIOTECA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA MARIA

Leia mais

A internacionalização da língua portuguesa. Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning.

A internacionalização da língua portuguesa. Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning. A internacionalização da língua portuguesa Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning. Mário Filipe O ensino de línguas de grande difusão global é hoje servido por várias

Leia mais

ce tec CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA

ce tec CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA ce tec CENTRO DE EMPREENDEDORISMO / ISMAI - TECMAIA CURSO DE EMPREENDEDORISMO 3ª Edição-Internacional O CEITEC (Centro de Empreendedorismo ISMAI-Tecmaia) apresenta a 3ª edição do Curso em Empreendedorismo,

Leia mais

Fiscalidade e Contabilidade

Fiscalidade e Contabilidade Fiscalidade e Contabilidade Formação Executiva 2016 www.catolicabs.porto.ucp.pt A Católica Porto Business School Pós-Graduações Fundada em 2002, a Católica Porto Business School é a escola de negócios

Leia mais

Plano Geral de Formação 2 0 1 3

Plano Geral de Formação 2 0 1 3 Plano Geral de Formação 2 0 1 3 A Católica Business Schools Alliance é constituída por: Plano Geral de Formação 2 0 1 3 A Católica Business Schools Alliance é constituída por: Índice Católica Business

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais