Objetos de aprendizagem colaborativa como alternativa à dislexia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Objetos de aprendizagem colaborativa como alternativa à dislexia"

Transcrição

1 Objetos de aprendizagem colaborativa como alternativa à dislexia Jucelio Soares dos Santos 1 (UEPB) Rodrigo Alves da Costa 2 (UFPE/UEPB) Resumo: Neste trabalho, apresentaremos um estudo bibliográfico e uma análise de objetos de aprendizagem colaborativa, apontando sua importância na utilização no processo de ensino em crianças que possuem dislexia. A pesquisa tem por objetivo apontar quais benefícios os objetos de aprendizagem possibilitam para uma educação significativa e inclusiva dessas crianças no âmbito escolar. Como resultados, tais ferramentas, através de atividades lúdicas e de caráter educacional, proporcionam espaços relevantes que, uma vez integradas a ações multidimensionais, contribuem para aprendizagem de alunos disléxicos, especialmente na fase de alfabetização. Palavras-chave: Objetos de aprendizagem, dislexia, alfabetização. Abstract: In this paper, we will present a bibliographical study and an analysis of collaborative learning objects, pointing out their importance in the use of the teaching process for students who have dislexia. The research aims to point out which benefits the learning objects provide for a meaningful and inclusive education of these children within schools. As a result, such tools, through educational recreational activities, provide relevant spaces that, once integrated with multidimensional actions, contribute to the learning of dyslexic students, especially in the phase of literacy. Keywords: Learning objects, dyslexia, literacy. 1 Jucelio SOARES DOS SANTOS (Graduando em Licenciatura em Computação) Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) 2 Rodrigo ALVES COSTA (Doutorando em Computação, Professor de Computação) Universidade Federal do Pernambuco (UFPE) Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) - 1 -

2 Introdução Crianças que possuem dislexia enfrentam uma série de dificuldades no processo de aprendizagem. Um dos problemas mais significativos é a dificuldade de associar os sons às letras. Embora haja um esforço por parte do aluno, a dificuldade em juntar as letras para formar sílabas e em juntar as sílabas para formar palavras compromete os primeiros passos na escrita e na leitura. Diante de tal necessidade, uma alternativa proposta para superar essas barreiras é a utilização de recursos educacionais digitais. Tais recursos facilitam a construção da linguagem pragmática, fonológica, semântica e gramatical. Para Schirmer, Fontoura e Nunes (2004), a utilização desses recursos no processo de alfabetização permite que a criança possa construir o uso da linguagem envolvendo a produção de sons para formar palavras, captando a atenção para seus significados e suas regras sintáticas e morfológicas para combinar palavras em frases compreensíveis. Neste trabalho, apresentaremos uma análise de recursos digitais, especificamente o uso de objetos de aprendizagem colaborativa, apontando sua importância na utilização no processo de alfabetização e quais benefícios os objetos de aprendizagem proporcionam para uma educação significativa e inclusiva no âmbito escolar. Não faz parte desta avaliação, portanto, analisar a ferramenta segundo os requisitos de qualidade de software. Este trabalho se classifica como uma pesquisa bibliográfica e exploratória (GIL, 1999), durante a qual foram escolhidos alguns objetos de aprendizagem e, a partir da sua observação dos seus aspectos e do referencial teórico, foi realizada uma análise sobre a contribuição desses recursos para uma aprendizagem colaborativa. Foi averiguado o estímulo que estes recursos proporcionam no desenvolvimento cognitivo, perceptivo e emocional de crianças com dislexia no âmbito escolar

3 Necessidades cognitivas de crianças disléxicas e o fracasso escolar A fase em que a criança inicia o processo da leitura e da escrita é um momento decisivo, sendo que, para maioria das crianças, o sistema fonológico pessoal, responsável pela assimilação fonética, é desenvolvido nesta época (SNOWLING, 2004). Uma das dificuldades encontradas nesse processo é a dislexia, normalmente detectada na escola durante o processo formal de assimilação da linguagem escrita. Trata-se de uma dificuldade em fazer cálculos mentais, organizar tarefas diárias e lidar com noções de tempo e espaço. Ocasionando problemas no processamento da informação, tornando o aprendizado inconstante. De acordo com Ianhez e Nico (2001, p. 122), muitas definições de dislexia destacam a discrepância entre sua inteligência (normalmente acima da média) e suas habilidades lingüísticas. O que observa a respeito deste distúrbio que, embora seja considerada uma palavra que soe familiar por muitos, tem sido bastante confusa em relação às outras dificuldades de aprendizagem, a respeito do seu significado e suas características especificas (DOMIENSE, 2011, p.12). Estima-se que esse distúrbio afeta entre três e dez por cento da população mundial (ABD, 2013). Na verdade, algumas pessoas podem até apresentar a dislexia, porém não são diagnosticadas na fase escolar. Tal quadro situacional, com algumas exceções, acaba por causar uma impressão negativa nos próprios disléxicos, levando-os a se desinteressarem pela vida acadêmica, apresentando altos índices de evasão escolar. Pouco se sabe a respeito das dificuldades em que a criança pode ter no processamento lexical, mas o que se sabe é que esse déficit de aprendizagem na leitura em indivíduos disléxicos está relacionado aos baixos índices de consciência fonológica (PINHEIRO, 1995)

4 Miguel (2013) destaca a importância da consciência fonológica no momento em que a criança inicia o processo da leitura, sendo relevante para o conhecimento dos marcadores e das estruturas textuais, que proporcionam melhores formas para compreender os textos. Entretanto, o autor adverte a respeito dos riscos em propostas poucos viáveis para captar a atenção da leitura, devido ao pouco conhecimento sobre o processo de aprendizagem neste público. Caso a criança não tenha a consciência fonológica consolidada, seu processo de alfabetização será diretamente afetado, o que pode levar a uma frustração pessoal com a educação formal, a um quadro de baixa autoestima e um baixo rendimento escolar. Muitas vezes, essas crianças são taxadas pejorativamente, o que pode causar ações reativas de comportamento antissocial, além de levá-la ao desinteresse pela escola, repetência e muitas vezes até a evasão na fase inicial da vida estudantil. A dificuldade enfrentada por crianças disléxicas no âmbito escolar, no que diz respeito aos efeitos negativos que esse distúrbio pode ocasionar na aprendizagem, gera a necessidade de um rápido diagnóstico para minimizá-las. Depois de diagnosticadas, a criança disléxica passa por uma intervenção. Tal processo cognitivo consiste em intervir nos envolvidos, estimulando o desenvolvimento de habilidades na leitura através de atividades de caráter lúdico e dinâmico. Neste aspecto, o uso das tecnologias pode ser um grande parceiro no processo da inclusão dessa classe de estudantes, desde que este uso seja efetivo. Ele precisa levar em consideração as necessidades de cada aluno, ampliando as possibilidades de o mesmo realizar as atividades propostas em sala e beneficiando a aprendizagem de crianças com diferentes necessidades (BIBIANO E FERNANDES, 2011)

5 Uso de tecnologias no processo de aprendizagem colaborativa em crianças disléxicas Com a crescente popularização das redes de computadores, novas formas de convívio vêm se estabelecendo. As pessoas buscam, através da Internet, novos meios de se relacionarem com o mundo, como lembra Lévy (1999, p. 120): pessoas mais diversas podem entrar em contato, dar as mãos ao redor do mundo. Em vez de se construir com base na identidade do sentido, o novo universal se realiza por imersão. As novas tecnologias provocam mudanças significativas no processo de ensinoaprendizagem, transformando as salas de aulas tradicionais em espaços dinâmicos e alternativos de conhecimento. Essas tecnologias têm sido entendidas como recursos didáticos e ainda não são utilizadas em todas as suas potencialidades e possibilidades. Dentre estes recursos tecnológicos, destaca-se o uso dos Objetos de Aprendizagem, que Beck (2001) define como recursos digitais que possibilitam a sua utilização como suporte ao ensino. O objetivo destes é dissipar o conteúdo educacional em pedaços pequenos que possibilitem a reutilização em diversos ambientes de aprendizagem, em uma programação orientada a objetos. Neste trabalho, tratamos os objetos de aprendizagem como recursos digitais que utilizam animação e simulação para auxiliar no processo de aprendizagem colaborativa. De acordo com Leite et al. (2005, p.1121), a aprendizagem colaborativa não depende da tecnologia para que possa ocorrer, mas a popularização da Internet e a utilização da mesma podem dar oportunidades para que se crie um tipo de ambiente colaborativo. Ou seja, esta aprendizagem pode ser formada em situações em que dois ou mais indivíduos aprendem em conjunto (DILLENBOURG, 1999). Deste modo, - 5 -

6 Através do processo colaborativo, torna-se possível a criação dos ambientes de imersão cognitiva e social, a partir dos quais se desenham as redes que ligam pessoas e idéias, formas de dialogar, compreender e aprender num suporte digital neste, os games (MOITA, 2007). Para facilitar o processo de aprendizagem colaborativa de crianças com dislexia, o professor pode fazer uso de objetos de aprendizagem e adaptá-los às dificuldades que cada criança proporciona. Segundo Seabra (2010, p. 24), para que estas tecnologias sejam significativas, não basta que os alunos simplesmente acessem as informações: eles precisam ter a habilidade e o desejo de utilizá-las, saber relacioná-las, sintetizá-las, analisá-las e avaliá-las. Esta seria uma forma de promover uma maior interação em sala de aula, por exemplo, entre alunos que têm facilidade de uso de tecnologia com os que têm dificuldades, utilizando para isso os objetos de aprendizagem colaborativa. Resultados e discussões Devido à interação mediática que o computador proporciona para o processo de alfabetização dos alunos, procuramos recursos que promovessem uma experiência de interação do aluno com a leitura e a escrita diferenciada da realidade que ocorre em sala de aula. Para isso, destacamos a animação, a simulação e a adaptação às necessidades do aluno presentes nos objetos de aprendizagem. Como base no referencial teórico, escolhemos um repositório online (Ver Figura 1 - disponível através do link <http://saberinterativo.com.br>) para realizar uma análise sobre os impactos positivos que esta ferramenta pode proporcionar no processo de alfabetização de crianças que possuem dislexia. Trata-se de um recurso indicado para crianças dos três primeiros anos do ensino fundamental, estágio na qual a criança instiga o desenvolvimento de operações concretas a partir - 6 -

7 da exercitação de atividades voltadas para organização com base em inúmeros fundamentos que necessitam construir para uma tomada de decisão. Figura 1: Tela inicial do Nível Pré-Silábico Foto: Patricia Gallo Projeto piloto Saber Interativo Na atividade Colar Etiquetas (Ver Figura 2), é possivel trabalhar o letramento escolar. Nesta atividade o aluno percebe que um nome específico se escreve sempre do mesmo jeito

8 Figura 2: Atividade de Colar Etiquetas do Nível Pré-Silábico Foto: Patricia Gallo Projeto piloto Saber Interativo Na atividade Bingo da Letras (Ver Figura 3), o aluno, a partir de letras que aparecem como opção, aleatoriamente, ao clicar no saco e sorteio, procura a letra igual em seu nome. Figura 3: Atividade de Bingo das Letras do Nível Pré-Silábico Foto: Patricia Gallo Projeto piloto Saber Interativo - 8 -

9 A terceira atividade do nível pré-silábico expõe o nome do aluno e, abaixo, dispõe todas as letras do alfabeto. O aluno precisa identificar as letras que correspondem às do seu nome e arrastá-las. Assim, é possivel ouvir a letra e observar os seus aspectos gráficos, bem como ouvir o som de cada uma. O aluno pode se familiarizar com as formas das letras, ampliar seu repertório, bem como identificar, com maior rapidez, as que formam palavras significativas. Figura 4: Atividade de Identificar as letras do nome do Nível Pré-Silábico Foto: Patricia Gallo Projeto piloto Saber Interativo A partir da utilização dos objetos de aprendizagem, o usuário pode coordenar e apresentar instruções de fácil compreensão. Assim, ele rapidamente aprende a confiar no recurso e certifica ao longo do prazo experiências adquirida pelo objeto de aprendizagem. Além disso, a interface dos objetos de aprendizagem é intuitiva e cheia de desenhos, constituindo-se em um ambiente atrativo aos olhos de qualquer criança. Destacamos também a importância do feedback construtivo presente no recursos, - 9 -

10 pois, através deles, a criança disléxica poderá fazer uma reflexão a respeito da resolução de um problema, associando uma palavra a uma imagem. Considerações finais A partir desta análise, podemos verificar que há ferramentas que permitem realizar atividades de coordenação motora, nas quais o aluno aprende a confiar no recurso e certifica, ao longo do prazo da atividade, experiências adquiridas pelo Objeto de Aprendizagem. Tais recursos auxiliam no desenvolvimento da concentração e no aprimoramento do senso lógico e organizacional. Eles acabam exigindo muita atenção das crianças, auxiliando no melhoramento da capacidade de combinar elementos e ajudando-os no seu desenvolvimento em diversas áreas do conhecimento. Através de atividades lúdicas e de caráter educacional, é possível proporcionar espaços relevantes que, uma vez integrados com ações multidimensionais, contribuem para aprendizagem de alunos disléxicos, especialmente na fase de alfabetização. Referências ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DISLEXIA. Site da Associação Brasileira de Dislexia. Brasil. Disponível em: <http://www.dislexia.org.br>. Acesso em: 15 Jul BECK, R. J. Learning Objects: What? Center for Internation Education. University of Winsconsin. Milwaukee BIBIANO, B. E FERNANDES, E. É possível resolver. Revista Nova Escola, São Paulo, ano 26, n. 244, Agosto. p DILLENBOURG, P. Introduction: what do you mean by Collaborative learning? In: P. Dillenbourg (Ed.). Collaborative Learning, Cognitive and Coputational Approaches. Amersterdam: Pergamon, Elsevier Science,

11 DOMIENSE, M. do C. de S. Dislexia: Um jeito de ser e de aprender de maneira diferente f. Monografia Curso de Especialização em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar, Universidade de Brasilia, Brasilia, GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, IANHEZ, M. E.; NICO, M. A. Nem sempre é o que parece: Como enfrentar a dislexia e os fracassos escolares. Rio de Janeiro: Alegro, LEITE, C. L. K.; PASSOS, M. O. A.; TORRES, P. L.; ALCÂNTARA, P. R. A Aprendizagem Colaborativa no Ensino Virtual. In: EDUCERE, 5., 2005, Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, LÉVY, P. Cibercultura. Tradução Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, MIGUEL, E. S. Como ajudar a compreender a leitura. Revista Pátio, Porto Alegre, ano 5, n. 16, Mar/Mai, p MOITA, F. M. G. S. C. Os Games: Contextos de aprendizagem colaborativa on line. In: SILVA, E. M.; MOITA, F. M. G. S. C. SOUSA, R. P. (Orgs). Jogos eletrônicos: construindo novas trilhas. Campina Grande: EDUEP, p. PINHEIRO, A. M. V. Dificuldades específicas de leitura: a identificação de déficits cognitivos e a abordagem do processamento de informação. Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 11, n. 2, Mai/Ago, p SCHIRMER, C. R.; FONTOURA, D. R.; NUNES, M. L. Distúrbios da aquisição da linguagem e da aprendizagem. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, v. 80, n. 2, p , Abr, SEABRA, C. Tecnologias na escola: Como explorar o potencial das tecnologias de informação e comunicação na aprendizagem. Porto Algre: Telos Empreendimentos Culturais, SNOWLING, M. J. Dislexia. São Paulo: Santos Livraria Editora,

Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Tecnologias de Informação

Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Tecnologias de Informação Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Ednilson Luiz Silva Vaz Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, UNESP Brasil ednilson_vaz@hotmail.com

Leia mais

A INTERNET COMO RECURSO PEDAGÓGICO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

A INTERNET COMO RECURSO PEDAGÓGICO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A INTERNET COMO RECURSO PEDAGÓGICO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Jacqueline Liedja Araujo Silva Carvalho Universidade Federal de Campina Grande (UFCG CCTA Pombal) jliedja@hotmail.com

Leia mais

O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização

O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização O uso de Objetos de Aprendizagem como recurso de apoio às dificuldades na alfabetização Juliana Ferreira Universidade Estadual Paulista UNESP- Araraquara E-mail: juliana.ferreiraae@gmail.com Silvio Henrique

Leia mais

INTRODUÇÃO. Palavras-chave: Alfabetização, EJA, Inclusão, Facebook.

INTRODUÇÃO. Palavras-chave: Alfabetização, EJA, Inclusão, Facebook. A INCLUSÃO DIGITAL E O FACEBOOK NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EJA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA POMBAL PB Autor (1) Amélia Maria

Leia mais

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL

O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL O USO DE SOFTWARE EDUCATIVO NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇA COM SEQUELAS DECORRENTES DE PARALISIA CEREBRAL Introdução Com frequência as tecnologias digitais estão sendo empregadas pelos educadores em

Leia mais

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Suzana Aparecida Portes FC UNESP- Bauru/SP E-mail: suzanaapportes@gmail.com Profa. Dra. Thaís Cristina Rodrigues Tezani FC UNESP- Bauru/SP E-mail:

Leia mais

Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem

Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem Objetos de aprendizagem como ambientes interativos de aprendizagem Prof. Me. Wagner Antonio Junior Secretaria Municipal da Educação de Bauru e-mail: wag.antonio@gmail.com Pôster Pesquisa em andamento A

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3

DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS. Maio/2005 216-TC-C3 1 DESENVOLVENDO HABILIDADES E CONSTRUINDO CONHECIMENTOS NO AMBIENTE VIRTUAL CYBERNAUTAS Maio/2005 216-TC-C3 José Antonio Gameiro Salles UNISUAM / CCET / Desenv. de Softwares & UNISUAM/LAPEAD - antoniosalles@gmail.com

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA

A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA A CONSTRUÇÃO DE ESPAÇOS E MATERIAIS DIGITAIS PARA A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: O USO DO SMARTPHONE NO ENSINO DA GEOMETRIA Autores : Agata RHENIUS, Melissa MEIER. Identificação autores: Bolsista IFC-Campus Camboriú;

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

Desenvolvimento de jogo digital para ensino de português e matemática para crianças do ensino básico. 1. Introdução

Desenvolvimento de jogo digital para ensino de português e matemática para crianças do ensino básico. 1. Introdução Desenvolvimento de jogo digital para ensino de português e matemática para crianças do ensino básico Danilo Raniery Alves Coutinho (Bolsista) José Raul Brito Andrade (Voluntário) Ana Liz Souto Oliveira

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR Luciana Barros Farias Lima e Claudia Regina Pinheiro Machado Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO lucpeda@gmail.com

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA: UM ENFOQUE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES CAMARGO, Victor Discente da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva ZUTTIN, Fabiana Docente da Faculdade de Ciências Sociais

Leia mais

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO Tatiane Testa Ferrari e-mail: tatitferrari@ig.com.br Ticiane Testa Ferrari e-mail: ticiferrari@ig.com.br Araceli Simão Gimenes Russo e-mail:

Leia mais

LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i. Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática.

LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i. Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática. LUDENS 2011: jogos e brincadeiras na matemática i Palavras-chaves: lúdico na matemática, jogo, ensino da matemática. Justificativa A Matemática faz parte do cotidiano das pessoas. Nas diversas atividades

Leia mais

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB Luzivone Lopes GOMES - PPGFP UEPB luzivone@gmail.com Kennedy Machado OLIVIERA prof.kennedy@hotmail.com RESUMO: Este artigo trata de um relato de experiência

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

JOGOS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. Um Relato de Experiência do Projeto de Inovação com Tecnologias Educacionais

JOGOS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL. Um Relato de Experiência do Projeto de Inovação com Tecnologias Educacionais JOGOS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Um Relato de Experiência do Projeto de Inovação com Tecnologias Educacionais O SENAI estimula e aperfeiçoa as tecnologias educacionais para suprir as necessidades

Leia mais

Realidade Virtual Aplicada à Educação

Realidade Virtual Aplicada à Educação Realidade Virtual Aplicada à Educação Sandra Dutra Piovesan 1, Camila Balestrin 2, Adriana Soares Pereira 2, Antonio Rodrigo Delepiane de Vit 2, Joel da Silva 2, Roberto Franciscatto 2 1 Mestrado em Informática

Leia mais

UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS.

UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS. MINISTERIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UTILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA PESSOAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS. Elaine Cristina Dias Calaça

Leia mais

Bingo Químico em Braille.

Bingo Químico em Braille. Bingo Químico em Braille. Carine Fernanda Drescher * (IC), Julieta Saldanha Oliveira (PQ) e Liana da Silva Fernandes (PQ). E-mail: carinedrescher@gmail.com Rua Riachuelo, CEP- 97050011, 115, apto 305.

Leia mais

Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet

Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet 1 de 5 22/7/2008 17:14 Uma Aplicação de Ensino Orientada a Agentes na Internet Adriana Soares Pereira Cláudio Fernando Resin Geyer adriana@inf.ufrgs.br Resumo Este trabalho apresenta uma proposta de desenvolvimento

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS Educação Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EMEIAIEF) GT 09 RESUMO

Leia mais

O USO DE SOFTWARES EDUCATIVOS: E as suas contribuições no processo de ensino e aprendizagem de uma aluna com Síndrome de Down

O USO DE SOFTWARES EDUCATIVOS: E as suas contribuições no processo de ensino e aprendizagem de uma aluna com Síndrome de Down O USO DE SOFTWARES EDUCATIVOS: E as suas contribuições no processo de ensino e aprendizagem de uma aluna com Síndrome de Down Ana Paula de Oliveira Schmädecke 1 Andreia dos Santos Dias 2 Resumo: Este trabalho

Leia mais

UMA AÇÃO INCLUSIVA FRENTE ÀS TECNOLOGIAS ASSISTIVAS UTILIZADAS POR PESSOAS CEGAS

UMA AÇÃO INCLUSIVA FRENTE ÀS TECNOLOGIAS ASSISTIVAS UTILIZADAS POR PESSOAS CEGAS UMA AÇÃO INCLUSIVA FRENTE ÀS TECNOLOGIAS ASSISTIVAS UTILIZADAS POR PESSOAS CEGAS Carlene da Penha Santos - Graduanda/ UFPB Luzia Domiciano da Silva - Graduanda/ UFPB OBJETIVO Aproximar os alunos ditos

Leia mais

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA 9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA Autor(es) MICHELE CRISTIANI BARION FREITAS Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO 1. Introdução A partir de ferramentas

Leia mais

Proposta de aplicativo gamificado para o ensino de direção defensiva

Proposta de aplicativo gamificado para o ensino de direção defensiva Proposta de aplicativo gamificado para o ensino de direção defensiva Fernando Chade De Grande e-mail: tiensdesenhos@hotmail.com João Fernando Tobgyal da Silva Santos e-mail: fernandotobgyal@faac.unesp.br

Leia mais

A IMPORTÂNCIA NO APRENDIZADO DA ESCRITA E DA LEITURA: UM OLHAR MAIS CUIDADOSO PARA OS DISLÉXICOS

A IMPORTÂNCIA NO APRENDIZADO DA ESCRITA E DA LEITURA: UM OLHAR MAIS CUIDADOSO PARA OS DISLÉXICOS A IMPORTÂNCIA NO APRENDIZADO DA ESCRITA E DA LEITURA: UM OLHAR MAIS CUIDADOSO PARA OS DISLÉXICOS Polyana Lucena Camargo de Almeida (G-UEL) poly_uel@yahoo.com.br Viviane Boneto Pinheiro (G-UEL) vivianeboneto@hotmail.com

Leia mais

EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM. www.executivebc.com.br

EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM. www.executivebc.com.br EXECUTIVE EDUCAÇÃO EXECUTIVA NOSSA ABORDAGEM www.executivebc.com.br NOSSA ABORDAGEM Nós da Executive acreditamos que necessidades específicas de educação devam ser atendidas por soluções específicas. Desse

Leia mais

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos

Instituto Educacional Santa Catarina. Faculdade Jangada. Atenas Cursos Instituto Educacional Santa Catarina Faculdade Jangada Atenas Cursos Curso de Capacitação em AEE Aluna: Ivete D. Poleto De Cezare Vanini, 01 de Maio de 2015. 1 - Tema: Deficiência Intelectual 2 - Problema:

Leia mais

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO

USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO USO DA INFORMÁTICA COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO ENSINO DE CIÊNCIAS NO 9º ANO Luciano Bernardo Ramo; Maria Betania Hermenegildo dos Santos Universidade Federal da Paraíba. luciano_bernardo95@hotmail.com

Leia mais

DESMISTIFICANDO O USO DA LOUSA DIGITAL

DESMISTIFICANDO O USO DA LOUSA DIGITAL DESMISTIFICANDO O USO DA LOUSA DIGITAL Alcione Cappelin alcionecappelin@hotmail.com Cristiane Straioto Diniz cstraioto@gmail.com Eloisa Rosotti Navarro eloisa-rn@hotmail.com Renata Oliveira Balbino rebalbino@yahoo.com.br

Leia mais

OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS

OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS OS JOGOS DIGITAIS EDUCATIVOS NAS AULAS DE CIÊNCIAS SAYONARA RAMOS MARCELINO FERREIRA QUIRINO (UEPB) WILAVIA FERREIRA ALVES (UEPB) RAFAELA CORREIA DOS SANTOS (UEPB) PAULA ALMEIDA DE CASTRO (ORIENTADORA

Leia mais

O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Adelson Carlos Madruga Universidade Federal da Paraíba adelsoncarlos1992@hotmail.com Elizangela Mario da Silva Universidade Federal

Leia mais

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Michele Gomes Felisberto; Micheli de Oliveira; Simone Pereira; Vagner Lean dos Reis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha Introdução O mundo em que vivemos

Leia mais

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Adriana Cristina Lázaro e-mail: adrianaclazaro@gmail.com Milena Aparecida Vendramini Sato e-mail:

Leia mais

Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1

Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1 Mídia e Tecnologia: experiência do jornal escolar no Projeto Mais Educação na Escola Marechal Rondon em Santa Maria/RS 1 Janilce Silva Praseres 2 Sandra Antonina Barrozo de Oliveira 3 Universidade Federal

Leia mais

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas.

Palavras-chave: Fisioterapia; Educação Superior; Tecnologias de Informação e Comunicação; Práticas pedagógicas. A INTERAÇÃO DOS PROFESSORES DO CURSO DE FISIOTERAPIA COM AS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO PROCESSO PEDAGÓGICO Heloisa Galdino Gumueiro Ribeiro 1, Prof. Dirce Aparecida Foletto De Moraes 2

Leia mais

Abordagem de Licenciandos sobre softwares educacionais de Química

Abordagem de Licenciandos sobre softwares educacionais de Química Abordagem de Licenciandos sobre softwares educacionais de Química Autor(a): Joycyely Marytza 1 INTRODUÇÃO As atuais concepções pedagógicas exigem do professor a inclusão das novas tecnologias para um melhor

Leia mais

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS Dificuldades de Palestra EF e EM Todas Conscientizar sobre as dificuldades de aprendizagem aprendizagem que podem ser manifestadas pelos alunos numa sala de aula e sugerir ações de encaminhamento, conforme

Leia mais

Autores:, Emerson Uriel FALCÃO, José Luiz Ungeritch JÚNIOR. Identificação autores: Aluno IFC-Campus Camboriú; Orientador IFC-Campus Camboriú.

Autores:, Emerson Uriel FALCÃO, José Luiz Ungeritch JÚNIOR. Identificação autores: Aluno IFC-Campus Camboriú; Orientador IFC-Campus Camboriú. DESENVOLVIMENTO DE JOGOS ELETRÔNICOS COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA ALUNOS DO CURSO DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS CAMBORIÚ Autores:, Emerson Uriel FALCÃO, José

Leia mais

GÊNEROS TEXTUAIS E ENSINO DE LÍNGUA INGLESA: UM BREVE ESTUDO

GÊNEROS TEXTUAIS E ENSINO DE LÍNGUA INGLESA: UM BREVE ESTUDO GÊNEROS TEXTUAIS E ENSINO DE LÍNGUA INGLESA: UM BREVE ESTUDO Analine Bueno Scarcela Cuva Faculdade da Alta Paulista, Tupã/SP e-mail: analine.bueno@gmail.com Pôster Pesquisa Concluída Introdução Toda disciplina

Leia mais

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC

A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica articulada com integração das TIC ALVES,S.S.S 1 A Inclusão escolar do aluno com deficiência intelectual e a mediação pedagógica

Leia mais

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber...

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber... Colégio Pe. João Bagozzi Formação de Educadores Tecnologias da Informação e da Comunicação - TICs http://blog.portalpositivo.com.br/ticbagozzi Projeto: TE Conhecer, aprender, 1 Objetivos e Atividades:

Leia mais

A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO A VIVÊNCIA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Autor (1) Sergio Morais Cavalcante Filho Universidade Estadual da Paraíba (UEPB CCEA Patos) email: sergio.smcf@gmail.com RESUMO O presente artigo expõe uma experiência

Leia mais

O QUE É A NEUROPSICOPEDAGOGIA. Neuropsicopedagoga Thaianny Salles. www.grupopsicopedagogiando.com.br

O QUE É A NEUROPSICOPEDAGOGIA. Neuropsicopedagoga Thaianny Salles. www.grupopsicopedagogiando.com.br O QUE É A NEUROPSICOPEDAGOGIA Palestrante: Neuropsicopedagoga Thaianny Salles www.grupopsicopedagogiando.com.br A mente... O cérebro... PRINCIPAIS CONCEITOS NEURO Do grego Neuron, nervo e Logos, estudo.

Leia mais

Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva

Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva Disciplina: Ambientes Sociotécnicos para Ensino/Aprendizagem de Línguas Professora: Dra. Maria Raquel de A. Bambirra Aluna: Ednalva Pereira da Silva O uso Wallwisher/Padlet no ensino de L2 e sua complexidade

Leia mais

Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola

Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola Revistas digitais educativas para tablet: possibilidade de enriquecimento audiovisual da revista Nova Escola Francisco Rolfsen Belda e-mail: belda@faac.unesp.br Danilo Leme Bressan e-mail: danilo.bressan@gmail.com.br

Leia mais

OFICINAS DE APOIO PARA LEITURA E ESCRITA ATRAVÉS DA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DA UFPB

OFICINAS DE APOIO PARA LEITURA E ESCRITA ATRAVÉS DA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DA UFPB OFICINAS DE APOIO PARA LEITURA E ESCRITA ATRAVÉS DA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DA UFPB CABRAL, Samara Pereira 1 ARAÚJO, Graciara Alves dos Santos 2 SOUSA, Maria do Desterro

Leia mais

Modos Diferenciados de Ensinar e Aprender no Ambiente Virtual

Modos Diferenciados de Ensinar e Aprender no Ambiente Virtual Modos Diferenciados de Ensinar e Aprender no Ambiente Virtual Tiago de Souza Lima Gomes 1 (UM, Universidade do Minho) Marcelo Mendonça Teixeira 2 (UM, Universidade do Minho) Resumo: Na actual sociedade

Leia mais

PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO

PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO PERSPECTIVAS SOBRE O USO DO DESIGN INSTRUCIONAL PARA UMA EaD INCLUSIVA: POR ONDE ESTAMOS CAMINHANDO Carlos Eduardo Rocha dos Santos Universidade Bandeirante Anhanguera carlao_santos@yahoo.com.br Oswaldo

Leia mais

ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE

ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE Florianópolis - SC Abril 2015 Aline Linhares F. Silveira. IEA e-learning- aline.silveira@iea.com.br

Leia mais

GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA GUIA DE SUGESTÕES DE AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ALFABETIZAÇÃO NO TEMPO CERTO NAs REDES MUNICIPAIS DE ENSINO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS

Leia mais

A importância das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na aprendizagem dos alunos com Dificuldades Intelectuais e Desenvolvimentais (DID)

A importância das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na aprendizagem dos alunos com Dificuldades Intelectuais e Desenvolvimentais (DID) A importância das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) na aprendizagem dos alunos com Dificuldades Intelectuais e Desenvolvimentais (DID) Ana Isabel Leitão, Técnica Superior de Educação Especial

Leia mais

Programa de Alfabetização na Língua Materna

Programa de Alfabetização na Língua Materna Programa de Alfabetização na Língua Materna 2014 Itatiba/ Campinas/SP BRASIL IES2 Inovação, Educação e Soluções Tecnológicas Ltda 1. Definição do PALMA O PALMA é um programa de alfabetização complementar

Leia mais

Débora Regina Tomazi FC UNESP- Bauru/SP E-mail: deboratomazi@hotmail.com. Profa. Dra. Thaís Cristina Rodrigues Tezani. E-mail: thaist@fc.unesp.

Débora Regina Tomazi FC UNESP- Bauru/SP E-mail: deboratomazi@hotmail.com. Profa. Dra. Thaís Cristina Rodrigues Tezani. E-mail: thaist@fc.unesp. AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: A UTILIZAÇÃO DE PLATAFORMAS EDUCACIONAS ADAPTATIVAS E A PRÁTICA DOCENTE. Débora

Leia mais

3 Jogos Sérios e Educação O avanço tecnológico tem transformado e contribuído para a melhoria da prestação de serviço em diversas áreas. No contexto educacional, novos sistemas e equipamentos têm sido

Leia mais

111 ENSINO FUNDAMENTAL

111 ENSINO FUNDAMENTAL ENSINO FUNDAMENTAL 111 A ORGANIZAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS NO MUNICÍPIO 112 O Sistema Público Municipal de Ensino de Viana, acompanhando as mudanças educacionais de ordem político-pedagógica

Leia mais

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS Mário Sérgio de Andrade Mendonça, mariomendonc@gmail.com Eduardo Machado Real, eduardomreal@uems.br UEMS Universidade Estadual

Leia mais

:::Informática Aplicada à::: :::Educação Ambiental::: Criando Mídias

:::Informática Aplicada à::: :::Educação Ambiental::: Criando Mídias :::Informática Aplicada à::: :::Educação Ambiental::: Criando Mídias jorge.cavalcanti@univasf.edu.br 13/02/2014 Projeto Escola Verde 1 Programa 1. Introdução e conceitos básicos. 2. Tecnologias de informação

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE EDUCATIVO PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO SOFTWARE DEVELOPMENT FOR EDUCATIONAL PROCESS OF LITERACY

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE EDUCATIVO PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO SOFTWARE DEVELOPMENT FOR EDUCATIONAL PROCESS OF LITERACY DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE EDUCATIVO PARA O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO SOFTWARE DEVELOPMENT FOR EDUCATIONAL PROCESS OF LITERACY Daiyane Akemi Morimoto- Graduanda em Pedagogia- Unisalesiano de Linsday_akemi@hotmail,com

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE Martyhellen Maria Monteiro da Silva - Acadêmica do 8º período do Curso de Pedagogia-UVA, Bolsista do PIBID/UVA-Pedagogia

Leia mais

UMA EXPERIÊNCIA EM ALFABETIZAÇÃO POR MEIO DO PIBID

UMA EXPERIÊNCIA EM ALFABETIZAÇÃO POR MEIO DO PIBID UMA EXPERIÊNCIA EM ALFABETIZAÇÃO POR MEIO DO PIBID Michele Dalzotto Garcia Acadêmica do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual do Centro- Oeste/Irati bolsista do PIBID CAPES Rejane Klein Docente do

Leia mais

PROGRAMA APRENDER A LER PARA APRENDER A FALAR A leitura como estratégia de ensino da linguagem

PROGRAMA APRENDER A LER PARA APRENDER A FALAR A leitura como estratégia de ensino da linguagem PROGRAMA APRENDER A LER PARA APRENDER A FALAR A leitura como estratégia de ensino da linguagem Como é que o PALAF se compara com outros programas? O PALAF foi traçado por duas psicólogas educacionais,

Leia mais

UMA PROPOSTA PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE INTERVALOS REAIS POR MEIO DE JOGOS

UMA PROPOSTA PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE INTERVALOS REAIS POR MEIO DE JOGOS UMA PROPOSTA PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DE INTERVALOS REAIS POR MEIO DE JOGOS Jéssica Ayumi Uehara Aguilera 1 j.ayumi@hotmail.com Alessandra Querino da Silva 2 alessandrasilva@ufgd.edu.br Cintia da Silva

Leia mais

A INICIAÇÃO À DOCÊNCIA NA VIDA ACADÊMICA E NO AUXÍLIO DE EDUCANDOS DA ESCOLA PÚBLICA

A INICIAÇÃO À DOCÊNCIA NA VIDA ACADÊMICA E NO AUXÍLIO DE EDUCANDOS DA ESCOLA PÚBLICA A INICIAÇÃO À DOCÊNCIA NA VIDA ACADÊMICA E NO AUXÍLIO DE EDUCANDOS DA ESCOLA PÚBLICA Kellyn Brenda Chriezanoski Carneiro 1 Rejane Klein 2 Resumo: O presente trabalho tem como objetivo apresentar um breve

Leia mais

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA

MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA MÍDIAS SOCIAIS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL REGRAS ABERTAS PARA UMA PARTICIPAÇÃO EFETIVA Mário Taveira Martins 1 (IF-SERTÃO PE) Lucas Samir Silva de Matos 2 (IF-SERTÃO PE) Resumo: Este artigo foi elaborado

Leia mais

A PRODUÇÃO DE VÍDEO AULAS COMO RECURSO E COMPLEMENTO DE ENSINO

A PRODUÇÃO DE VÍDEO AULAS COMO RECURSO E COMPLEMENTO DE ENSINO A PRODUÇÃO DE VÍDEO AULAS COMO RECURSO E COMPLEMENTO DE ENSINO Thassiane Calíssia Ravazi Ferreira ¹; Bruno da Silva Santos ²; Gabriely Cassiola Rovari¹; Larissa Santos de Oliveira ¹; Raisa Viana Nasralla

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

O computador como ferramenta de Inclusão digital para terceira idade

O computador como ferramenta de Inclusão digital para terceira idade O computador como ferramenta de Inclusão digital para terceira idade Amélia Maria Rodrigues Oliveira Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) amelia.amiga@hotmail.com Joelson Alves Soares Universidade Estadual

Leia mais

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO NOME DO PROJETO Web Rádio: Escola César Cals- Disseminando novas tecnologias via web ENDREÇO ELETRÔNICO www.eccalsofqx.seduc.ce.gov.br PERÍODO DE EXECUÇÃO Março a Dezembro de

Leia mais

Resumo Aula-tema 04: Eu e os outros (Competência Social)

Resumo Aula-tema 04: Eu e os outros (Competência Social) Resumo Aula-tema 04: Eu e os outros (Competência Social) Os seres humanos são, por natureza, seres sociais, que interagem a todo instante nos diferentes ambientes (familiar, escolar, profissional etc.).

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA

RELATO DE EXPERIÊNCIA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA Instituição/Escola: Centro Estadual de Educação Básica Para Jovens e Adultos de Toledo Nome do Autor: Jaqueline Bonetti Rubini Coautor: Nilton Sérgio Rech E-mail para contato: jaquelinebonetti@hotmail.com

Leia mais

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar Tatiana Medeiros Cardoso Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de Maio, 141 95.520-000 Osório RS Brasil tati.info@gmail.com

Leia mais

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas CONSTRUINDO CONCEITOS SOBRE FAMÍLIA DE FUNÇÕES POLINOMIAL DO 1º GRAU COM USO DO WINPLOT Tecnologias da Informação e Comunicação e Educação Matemática (TICEM) GT 06 MARCOS ANTONIO HELENO DUARTE Secretaria

Leia mais

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Jocélia Germano

Leia mais

MÉTODO DAS BOQUINHAS

MÉTODO DAS BOQUINHAS MÉTODO DAS BOQUINHAS MÉTODO DAS BOQUINHAS ALFABETIZAÇÃO FONOVISUOARTICULATÓRIA Refletir sobre a educação e sobre novas formas de encarar a aprendizagem tem se tornado constante, principalmente em relação

Leia mais

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar

Colégio La Salle São João. Professora Kelen Costa Educação Infantil. Educação Infantil- Brincar também é Educar Colégio La Salle São João Professora Kelen Costa Educação Infantil Educação Infantil- Brincar também é Educar A importância do lúdico na formação docente e nas práticas de sala de aula. A educação lúdica

Leia mais

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula

O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula O olhar do professor das séries iniciais sobre o trabalho com situações problemas em sala de aula INTRODUÇÃO Josiane Faxina Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Câmpus Bauru e-mail: josi_unesp@hotmail.com

Leia mais

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO

Caro(a) aluno(a), Estaremos juntos nesta caminhada. Coordenação NEO Caro(a) aluno(a), seja bem-vindo às Disciplinas Online da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Bom Despacho e Faculdade de Educação de Bom Despacho. Em pleno século 21, na era digital, não poderíamos

Leia mais

TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D

TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D Luzivone Lopes GOMES UEPB luzivone@gmail.com Filomena Mª Gonçalves da Silva Cordeiro Moita - UEPB filomena_moita@hotmail.com

Leia mais

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM.

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. UCHÔA, Yasmim Figueiredo Graduanda de Pedagogia/ UEPB. Bolsista PIBID CABRAL, Isabel Cristina Gomes de Morais Graduanda

Leia mais

JOGOS DIGITAIS NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE ENGENHARIA DE SOFTWARE

JOGOS DIGITAIS NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE ENGENHARIA DE SOFTWARE JOGOS DIGITAIS NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE ENGENHARIA DE SOFTWARE João Fukusawa 1, Andreia Carniello 2, Adriana Carniello 3 1. Especializando do Curso de Pós-Graduação em Gestão de Projetos em Desenvolvimento

Leia mais

Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual

Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual Aula 15 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE.

Leia mais

NTE DE NOVA ANDRADINA. OFICINA BLOG: O Blog como ferramenta didática no Ensino de Língua Inglesa

NTE DE NOVA ANDRADINA. OFICINA BLOG: O Blog como ferramenta didática no Ensino de Língua Inglesa NTE DE NOVA ANDRADINA OFICINA BLOG: O Blog como ferramenta didática no Ensino de Língua Inglesa NOVA ANDRADINA - MS ABRIL/2008 NÚCLEO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS DE NOVA ANDRADINA OFICINA BLOG: O Blog

Leia mais

Desenvolvimento e aplicação de um software como ferramenta lúdica para a memorização das regras do novo acordo ortográfico

Desenvolvimento e aplicação de um software como ferramenta lúdica para a memorização das regras do novo acordo ortográfico Desenvolvimento e aplicação de um software como ferramenta lúdica para a memorização das regras do novo acordo ortográfico Maria José Basso Marques*, Elisângela Mazei da Silva** Estado de Mato Grosso,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS BRINCADEIRAS E JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL PINHO, Luis Marcelo Varoneli Graduando do curso de Pedagogia, da Faculdade de Ciências Humanas da Associação Cultural e Educacional de Garça,

Leia mais

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS Fortaleza Ce Agosto 2009 Liádina Camargo Lima Universidade de Fortaleza liadina@unifor.br Categoria C Métodos

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

MÉTODOS DE ENSINO PARA O FUTSAL ESCOLAR

MÉTODOS DE ENSINO PARA O FUTSAL ESCOLAR MÉTODOS DE ENSINO PARA O FUTSAL ESCOLAR Rafael Rodrigo Klein, Universidade Federal de Santa Maria UFSM, Santa Maria, Rio Grande do Sul - Brasil RESUMO Este trabalho é um relato de experiência acerca de

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA LINDOMÁRIO LIMA ROCHA FACILITADOR VIRTUAL DA APRENDIZAGEM EM QUÍMICA Campina Grande-

Leia mais

AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO

AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO Danilo Abreu SANTOS, Wannyemberg K. da S. DANTAS, Adriano Araújo DOS SANTOS Departamento de Computação,

Leia mais

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica

Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Novas Tecnologias no Ensino de Física: discutindo o processo de elaboração de um blog para divulgação científica Pedro Henrique SOUZA¹, Gabriel Henrique Geraldo Chaves MORAIS¹, Jessiara Garcia PEREIRA².

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores FORMANDO PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARA O ACESSO A INTERNET: O CURSO DE WEB DESIGN E A

Leia mais