Construção de Redes de Distribuição por Particulares PART

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Construção de Redes de Distribuição por Particulares PART"

Transcrição

1 ED/CE Manual de Distribuição Construção de Redes de Distribuição por Particulares PART VOLUME II DOCUMENTAÇÃO Belo Horizonte Mina Gerais - Brasil

2

3

4

5 ANEXOS SUMÁRIO Nº da Página ÚLTIMA REVISÃO 1 - Solicitação de Liberação de Obras PART A - Relação de UC s a serem ligadas em conjunto com a Obra Relação de carga A - Cálculo de Queda de Tensão Folha de Dados para Análise de Partida de Motores Carta para Contrato de Demanda Check List - Dossiê Obra Part Detalhe de Derivação - PRORDR Carta para Novo Loteamento/Logradouro Aprovada e com Licença da Prefeitura A - Declaração para Atendimento a Solicitação de Extensão de Rede de Energia Elétrica em Parcelamentos de Solo Urbano Prazos para Atendimento Obras Part Levantamento Ambiental para Projeto Rural A- Árvores protegidas por Lei ou imunes de corte B - Declaração de Ocupação Antrópica C Autorização de Cessão de Rendimento Lenhoso Declaração para Remoção de RDR Instrumento Particular de Constituição de Servidão Locação de Postes de RDU em Logradouros Públicos não demarcados Ofício da Prefeitura assumindo o Acréscimo de I.P Relação de Dados Físicos da Obra Relação de Materiais Fornecidos, Salvados e Condição Técnica Relação de Materiais Estratégicos

6

7 ANEXOS SUMÁRIO Nº da Página ÚLTIMA REVISÃO 16 A - Comunicação para Compra de Materiais Estratégicos Termo de Mandato e Delegação de Poderes Instrumento Particular de Procuração Carimbos Complementares Termo de Acordo Comunicado de Conclusão de Obra Acerto Financeiro/Contábil A - Acerto Financeiro/Contábil - Memória de Cálculo B - Acerto Financeiro/Contábil Recibo Autorização para Recebimento de Crédito em Conta Corrente Carta Decurso de Prazo Protocolo para Entrega de Documentos a Empreiteiras - Obra PART Cancelamento de Processo

8

9 1 1 - Solicitação de Liberação de Obras PART Comentários: Emitir em via única, papel formato A4 e deverá ser assinada pela Empreiteira. Preencher o formulário para um único consumidor e/ou ponto de ligação. Para grupos, preencher a Relação de UC`s a Serem Ligadas em Conjunto com a Obra - ANEXO 1A, os itens que totalizam a obra deverão ser preenchidos apenas no formulário do coordenador. Preenchimento pela Empreiteira, objetiva munir a Expansão dos dados necessários para liberação ou não da obra. Preencher os campos com as informações solicitadas/indicadas. Para obras Rurais em que o consumidor não possuir endereço urbano, deverá ser informado o endereço que o consumidor recebe correspondência pelo correio ou o endereço na região rural onde são entregues as contas de energia, para estes casos é de responsabilidade do Relacionamento Comercial se informar junto ao Faturamento para preenchimento do endereço correto. O apelido do consumidor é somente para facilitar a sua localização quando o mesmo é mais conhecido pelo apelido do que pelo próprio nome. Ramo de Negócio: Observar as instruções contidas na ND 5.12, Anexo 2. A declaração deverá ser assinada pelo Consumidor. Preenchimento pela CEMIG D: Deverão conter os resultados das análises, comentários e a liberação pelo técnico responsável. Projeto, Recurso e Dossiê (Responsável: Técnico de Projeto da Expansão). Segmento: Atendente ou Núcleo Comercial. Tramitação da via: 1 via Empreiteira Relacionamento Comercial Dossiê Obra.

10 PREENCHIDO PELA CEMIG PREENCHIDO PELA EMPREITEIRA SOLICITAÇÃO DE LIBERAÇÃO DE OBRAS PART 1 - Dados do Consumidor: Nome: Nacionalidade : Estado Civil : Nome do Cônjuge : CPF/CNPJ: CI / Insc.Est.: Profissão : Endereço: Bairro: Município: Estado: CEP: Telefone: Fax: E_Mail: Apelido do Consumidor: Endereço Entrega da Conta: Bairro: Município: Estado: CEP: 2 - Dados da Obra: Endereço: Bairro: Município: Região: Descrição do Ramo de Negócio : Nº de Clientes a serem ligados: Tipo: PPR PRT OCR GPR RES Resid.BxR COM IND 3 - Valor: Material/Equip Mão-de-Obra: Total: 4 - Nome do Representante da Empreiteira: Nome da Testemunha 1, RG e CPF: Nome da Testemunha 2, RG e CPF: Codigo do Almoxarifado Recebedor dos Materiais: 5 - Prazo Negociado para a Conclusão da Obra: dias 6 - Empreiteira Contratada: Telefone: E_mail: Ass.Empreiteira: Data: / / 1 - Segmento (1,2,3,4,5,6 ou 9): ( preenchimento exclusivo da RC ) 2 - Nº do Projeto: 3 - Recurso Liberado Analisado por: Nº Pessoal: Reprovado Data: / / Aguardar Liberação de Recursos 4 - Dossiê Liberado Analisado por: Nº Pessoal: Reprovado Data: / / DECLARAÇÃO Declaro para os devidos fins, que tenho conhecimento da existência dos Programas de Eletrificação Urbana e Rural a serem implementados pela CEMIG D sem custo para o interessado, porém, devido à urgência da execução da obra, estou optando por executá-la através de empreiteira cadastrada pela CEMIG D. Declaro também ter pleno conhecimento da Resolução nº58 da ANEEL, de 26 de abril de 2004, segundo a qual poderei ou não adquirir da CEMIG D os materiais, considerados por esta como estratégicos, necessários à obra. Tenho ciência que estando a obra incluída dentro dos critérios da Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica, a CEMIG D deverá devolver o valor da obra, exceto os custos de Iluminação Pública, deacordocom a tabela de preços e critérios de utilização de materiais praticados pela concessionária, sendo que a quitação deverá ocorrer no prazo previsto pela Legislação vigente. Estou também ciente de que, caso tenha direito à devolução e eu opte por utilizar postes de concreto, contrário à recomendação da CEMIG D, o valor a ser devolvido, se houver, será calculado conforme orçamento CEMIG D. Nome do Consumidor 2

11 3 1 A - Relação de UC s a serem ligadas em conjunto com a Obra Comentários: Emitir em via única, papel formato A4. Emissão obrigatória para o atendimento a grupos, ou seja, quando envolver mais de um Consumidor. Emitir o formulário Solicitação de Liberação de Obra PART - ANEXO 1, em nome do Coordenador. Para os demais integrantes do grupo de Consumidores (Urbanos ou Rurais), preencher com as informações individualizadas, visando possibilitar a CEMIG D, emitir os documentos necessários para a ligação em conjunto com a obra, quando da sua energização. Para consumidor rural que não possuir endereço urbano, deverá ser informado o endereço que o mesmo recebe correspondência pelo correio ou o endereço na região rural onde são entregues as contas de energia, para estes casos é de responsabilidade do Relacionamento Comercial se informar junto ao Faturamento para preenchimento do endereço correto. O apelido do consumidor é somente para facilitar a sua localização quando o mesmo é mais conhecido pelo apelido do que pelo próprio nome. O nome informado no cadastro será o que constará na conta de energia elétrica. O Ramo de Negócio deverá descrever em detalhe a atividade comercial desenvolvida em cada UC. Tramitação da via: 1 via Empreiteira Relacionamento Comercial Dossiê Obra.

12 4 Relação de UC's a Serem Ligadas em Conjunto com a Obra Empreiteira: Nº Projeto: Nome: Apelido: CPF/CNPJ: Tipo Cons: Ramo Negócio : End Lig: Bairro: Município: Estado: ID Cons + Prox: End Ent Cta: Bairro: Município: Estado: CEP: Fone: Nome: Apelido: CPF/CNPJ: Tipo Cons: Ramo Negócio : End Lig: Bairro: Município: Estado: ID Cons + Prox: End Ent Cta: Bairro: Município: Estado: CEP: Fone: Nome: Apelido: CPF/CNPJ: Tipo Cons: Ramo Negócio : End Lig: Bairro: Município: Estado: ID Cons + Prox: End Ent Cta: Bairro: Município: Estado: CEP: Fone: Nome: Apelido: CPF/CNPJ: Tipo Cons: Ramo Negócio : End Lig: Bairro: Município: Estado: ID Cons + Prox: End Ent Cta: Bairro: Município: Estado: CEP: Fone: Nome: Apelido: CPF/CNPJ: Tipo Cons: Ramo Negócio : End Lig: Bairro: Município: Estado: ID Cons + Prox: End Ent Cta: Bairro: Município: Estado: CEP: Fone: Nome: Apelido: CPF/CNPJ: Tipo Cons: Ramo Negócio : End Lig: Bairro: Município: Estado: ID Cons + Prox: End Ent Cta: Bairro: Município: Estado: CEP: Fone: Nome: Apelido: CPF/CNPJ: Tipo Cons: Ramo Negócio : End Lig: Bairro: Município: Estado: ID Cons + Prox: End Ent Cta: Bairro: Município: Estado: CEP: Fone: Nome: Apelido: CPF/CNPJ: Tipo Cons: Ramo Negócio : End Lig: Bairro: Município: Estado: ID Cons + Prox: End Ent Cta: Bairro: Município: Estado: CEP: Fone:

13 5 2 - Relação de carga Comentários: Emitir em via única, papel formato A4, somente para cargas a serem ligadas acima de 10 kw. No formulário Relação de Carga deverá conter: Qtde = Quantidade de equipamentos. Descrição = Identificação dos equipamentos/finalidade de Utilização. Ex.: motor de picadeira, motor de bomba d água, motor de encilhadeira, etc Característica por Unidade: Volts = Tensão de funcionamento do equipamento. Fases = N o de fases de funcionamento do equipamento. HP ou CV = Potência nominal de motor. kw = Potência do equipamento. Total: kva = Potência total demandada de cada equipamento. kw = Potência total das unidades Preenchido pela Empreiteira e assinado pelo Consumidor ou Responsável Técnico da Empreiteira, devidamente identificado, com a data de elaboração. Tramitação da via: 1 via Empreiteira Relacionamento Comercial Dossiê Obra.

14 6 RELAÇÃO DE CARGA Consumidor: Empreiteira: Nº Projeto: Qtde Descrição Caracteristica por Unidade TOTAL Volts Fases HP CV kw kw kva TOTAL Ramo de Atividade: Nome do Consumidor ou Responsável Técnico Data: / /

15 7 2 A - Cálculo de Queda de Tensão Comentários: Emitir em papel formato A4, sendo: uma via com a situação atual do circuito a ser modificado e a outra com as modificações propostas. Caso seja feita a simulação no GEMINI imprimir o resultado e anexar ao Dossiê. Documento obrigatório, quando houver circuitos de Baixa Tensão. Preenchido pela Empreiteira e assinado pelo Responsável Técnico da Empreiteira, com a data de elaboração. Tramitação das vias: 1 via Empreiteira Relacionamento Comercial Dossiê Obra.

16 8 Cálculo de Queda de Tensão Folha: de Data: Serviço: Número(Transformador/Alimentador): Prim: Secun: FP: Referência Desenho No : Trecho Carga Queda de Tensão Designação Comprimento Distribuída Acumulada no Condutores Total no Trecho Fim do Trecho Unitária No Trecho Total A B C D (C/2+D)B=E F G E x G = H I Prim ária km MVA MVA MVA x km Secundária 100 m kva kva kva x 100 m N AWG % % % Demanda Noturna : Preparado por 86827E Demanda Diurna: Visto Data / /

17 9 3 - Folha de Dados para Análise de Partida de Motores Comentários: Emitir em via única, em papel formato A4, com o nome, CPF e assinatura do responsável pelas informações. Os campos deverão ser preenchidos com base nas instruções contidas no Manual do Motor e/ou da placa de identificação. É obrigatória a sua emissão para toda relação de carga que possuem motores com potências iguais ou maiores que a indicada no documento Limites para Liberação de Carga. Tramitação da via: 1 via Empreiteira Relacionamento Comercial Dossiê Obra.

18 10 FOLHA 1/2 FOLHA DE DADOS PARA ANÁLISE DE PARTIDA DE MOTORES CONSUMIDOR: Tipo do Motor: INDUÇÃO C/ ROTOR EM GAIOLA SINCRONO INDUÇÃO C/ ROTOR BOBINADO CORRENTE CONTÍNUA Número de Fases: 1 FASE 2 FASES 3 FASES Potência do Motor: Tensão do Motor: Corrente de Partida: Corrente Nominal: CV V A A Relação Ip / In: Fator de Potência em Regime: Fator de Potência na Partida: Número de Partidas: por hora: Outras (Especificar): por dia: Dispositivo Auxiliar de Partida (quando houver) CHAVE SÉRIE-PARALELO CHAVE ESTRELA-TRIÂNGULO CHAVE COMPENSADORA - TAP % RESISTÊNCIA/REATÂNCIA PRIMÁRIA - AJUSTE % RESISTÊNCIA ROTORIA SOFT-START

19 11 FOLHA 2/2 Ordem de partida do motor (em caso de partida de dois ou mais motores): Cargas operando enquanto o motor parte (quando houver): Potência: kva - Fator de Potência: Cargas sensíveis a flutuações de tensão: Tipo: Flutuação Admissível: % Em caso de simultaneidade de partida, relacionar os motores e suas características elétricas. Potência do Transformador do Consumidor: kva Impedância Percentual do Transformador do Consumidor: % No momento da partida, qual é a maior queda de tensão percentual que o motor suporta? % NOTAS 1. Em caso de partida seqüencial de motores, preencher uma folha para cada motor, indicando a ordem de partida. 2. Anexar, sempre que possível, a(s) folha(s) das características elétricas, fornecida(s) pelo fabricante do motor. DATA: / / Nome do Responsável pelas Informações CPF:

20 12

21 Carta para Contrato de Demanda Comentários: Deverá ser emitida em 2 (duas) vias, em papel formato A4, assinado pelo Consumidor ou seu representante legal. É obrigatória a sua emissão para toda relação de carga acima de 75 kw. Os dados informados nessa Carta serão a base para a classificação da unidade consumidora. Os dados informados estarão sujeitos a futuras alterações, caso a CEMIG D venha a detectar divergências nas informações, inicialmente fornecidas. Em caso afirmativo, a CEMIG D se reserva no direito de refazer os cálculos e cobrar do Consumidor a diferença existente. Tramitação das vias: 1 via dossiê obra. 1 via Relacionamento Comercial.

22 14 CARTA PARA CONTRATO DE DEMANDA Local e data:, de de À CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A ASSUNTO: CONTRATO DE DEMANDA Prezados Senhores, Informamos que é de nosso interesse a contratação de kw para a unidade consumidora abaixo identificada: Nome do Consumidor: CPF: Endereço para correspondência: Nº: Cidade: Estado: CEP: Unidade Consumidora: Endereço: Região: Município: Ramo de Atividade: Atividade Sazonal? Sim N o de Meses de Utilização: Não Opção de Modalidade Tarifária: Convencional Horo-sazonal Verde Horo-sazonal Azul Assinatura do Interessado ANÁLISE DA CEMIG D Projeto elétrico do posto (subestação) liberado em / / Demanda Contratada...: kw Horário de Ponta Definido...: De às horas. Responsável pela análise N o Pessoal: data: / /

23 Check List - Dossiê Obra Part Comentários: Emitido em via única, papel formato A4. Empreiteira deverá montar uma pasta com todos os documentos necessários à execução da obra. O Check List é parte integrante de todas as etapas do processo deverá ser colocado S pela Empreiteira, demonstrando quais documentos estão sendo entregues à CEMIG D e N para os demais, não poderá haver espaços em branco. O Núcleo Comercial irá verificar se os documentos e quantidades relacionados pela Empreiteira estão corretos, colocado S nos campos apropriados e N para os demais, não poderá haver espaços em branco, gerar PS, anotar seu número e data e enviar para análise da Expansão. A Expansão irá conferir os documentos e seus preenchimentos, colocado S nos campos apropriados e N para os demais, não poderá haver espaços em branco. Tramitação da via: 1 via Empreiteira Relacionamento Comercial Dossiê Obra.

24 16 CHECK LIST - DOSSIÊ OBRA PART Consumidor: Empreiteira: Nº Projeto: Documentos para Entrada do Dossiê - Nº do PS: Data: / / 1 Solicitação de Liberação de Obras PART 2 4 Vias do Termo de Acordo Assinado 3 5 Cópias do Projeto com Assinatura do Responsável Técnico 4 Caderneta de Campo, Cálculo de Tração, Traçado Planta Baixa, Cópia da tela c/perfil (PRORDR) 5 Detalhe de Derivação - PRORDR (RDR) 6 Cálculo da Estrutura de Derivação - DERIVA -PRORDR (RDR) 7 Cálculo de "Janela" para Travessias sob LT Aprovado pela CEMIG D 8 1 Cópia de novos Loteamento/Logradouro Aprovada e com Licença da Prefeitura 9 1 Cópia do Projeto Elétrico do Padrão de Entrada Aprovado pela CEMIG D, (cópia da ART quitada) 10 1 Cópia do Projeto da Travessia Protocolada no Órgão Competente 11 Declaração de Remoção de RDR 12 Cálculo de Queda de Tensão 13 Carta para Contrato de Demanda analisada pela CEMIG D 14 Relação de Carga 15 Relação de Dados Físicos da Obra 16 Relação de Materiais Fornecidos, Salvados, Condição Técnica e disquete c/arquivo do MATREL 17 Instrumento Particular de Constituição de Servidão 18 Autorização para Exploração Florestal - APEF (IBAMA/IEF)(RDR) 19 Levantamento Ambiental para Projeto Rural 20 Declaração de Ocupação Antrópica 21 Declaração Atendim. Solicitação Extensão de Rede Energia Elétrica em Parcel. de Solo Urbano 22 1 Cópia da Autorização de Cessão de Rendimento Lenhoso 23 Locação de Postes RDU em Logradouros não Demarcados Assinada pela Prefeitura 24 Ofício da Prefeitura Assumindo o Acréscimo de I.P. (RDU) 25 Cálculo Fotométrico de acordo com a ND Contrato Social da Empresa Negociação com Pessoas Jurídicas 27 Documento Comprovando e/ou Liberando Pagamento de Serviços das Empresas de Uso Mútuo 28 Folha de Dados para Análise de Partida de Motores 29 Termo de Mandato e Delegação de Poderes - com Firma Reconhecida 30 Instrumento Particular de Procuração - com Firma Reconhecida 31 ART Construção 32 ART Projeto 33 ART Topografia (RDR) 34 Relação de UC's a Serem Ligadas em Conjunto com a Obra Documentos para Aceitação do Comunicado de Conclusão da Obra 1 Relação de UC's a Serem Ligadas em Conjunto com a Obra Devidamente Preenchida 2 4 Vias do Acerto Financeiro/Contábil e Memória de Cálculo Acerto Financeiro /Contábil Assinados 3 Autorização para Recebimento de Crédito em Conta Corrente Assinado pelo Consumidor 4 Relatório de Vistoria de Topografia e Projeto Assinado pela Empreiteira 5 Comunicado de Conclusão de Obra 6 Laudo de Ensaio e Certif. de Garantia do Transformador 7 1 Cópia do Projeto, aprovado pela CEMIG D, com Assinatura do Resp. Téc. com Coordenadas GPS DX/EX N Comer Emprei.

25 Detalhe de Derivação - PRORDR Comentários: Para as derivações de obras rurais dimensionar o poste a ser utilizado na derivação através do cálculo da estrutura de derivação do Programa Deriva que se encontra na CEMIGNET/FTP/PUBLICO/PROJETO PRO-RDR/DERIVA e no site /serviços on line/manual part. Para projetos que tenha sido elaborado através do PRORDR, independente da distância, esse detalhe deverá ser apresentado em folha à parte, em papel formato A4 e em 5 (cinco) vias, anexando ao projeto. Quando houver mais de uma derivação, emitir um detalhe para cada uma delas. Não poderá ser usado o projeto para lançar este detalhe. Deverá conter o máximo de informações possíveis, como: Subestação de atendimento, alimentador, coordenadas do GEMINI do ponto de derivação e número da chave, se possível, que abre o circuito a ser trabalhado, número de folha (IBGE ou ortofoto), número do identificador do consumidor mais próximo, número do transformador desse consumidor, distância e altura do condutor neutro dos vãos adjacentes à derivação, visando facilitar sua localização no mapeamento existente. Constar os seguintes dados do Consumidor: Nome CPF Endereço urbano completo, inclusive telefone Nome da Fazenda Região Município Ramo de Atividade

26 18 DETALHE DE DERIVAÇÃO - PRORDR Nº Folha IBGE/Ortofoto U2 U4 o o Nome do Consumidor Existente No. CEMIG D do Transformador - Fase - Potência U3 U U1 Indicar: Condutor Existente, Neutro e NBI Extensão do Vão Altura atual do Neutro Coordenada UTM Extensão do Vão Altura atual do Neutro Extensão do Ramal Nome do Consumidor C.P.F.: Endereço Residencial Telefone para Contato Cidade Estado Nome da Fazenda Região Município Ramo de Atividade: Indicar: Nome da Subestação Código do Alimentador Número da Placa do Equipamento que Interrompe o Circuito Notas: A - Máxima resistência na malha de terra de 80 OHMS; B - Seccionar e aterrar as cercas existentes. Logomarca Nome da Empreiteira Sem Escala Proj./Des. Aprovado Detalhe da derivação para o ramal de (Tensão Conf. CREA da Rede em MT) do Sr. (Nome do Consumidor), Expansão-UA-Nºno município de (Nome do Município da Obra) ANO Visto Data Folha Única

27 19 7 Carta para Novo Loteamento/Logradouro Aprovada e com Licença da Prefeitura Comentários: A Empreiteira deverá anexar 1 (uma) cópia na entrada do Dossiê. Em se tratando de negociação para eletrificação de loteamento, ainda não aprovado pela Prefeitura, os órgãos da CEMIG D (Expansão) não estão autorizados a analisar/aprovar o projeto. O Núcleo Comercial deverá enviar correspondência à Prefeitura (modelo anexo), assegurando o atendimento, após regularização/aprovação da Prefeitura. Tramitação da via: Dossiê Núcleo de Mapeamento da Expansão.

28 20 CEMIG Distribuição S.A Ilmo. Sr. (Nome do Prefeito) DD. Prefeito Municipal de (Município) Prefeitura Municipal de (Município) (Endereço) (Cep) - Cidade MG Nossa Referência: DX/XX-(no./ano-XX) Sua Referência Assunto : Ofício nº XX/XX de XX-XX-XXXX : Disponibilidade de Energia Data: XX-XX-XXXX Senhor Prefeito: Informamos-lhe que o sistema elétrico de distribuição da CEMIG D está capacitado a fornecer energia elétrica, para atender a (descrever a que se destina o atendimento), nesta cidade. Na época oportuna, o consumidor deverá solicitar a CEMIG D o orçamento da obra de extensão e modificação da rede existente. Atenciosamente, (Nome do Gerente do Relacionamento Comercial e Serviços) Gerente de Relacionamento Comercial e Serviços de XXXXXXXXXXX (Endereço da Agência de Atendimento) Cep - Cidade - MG cc: Área de Mapeamento 88278E Av.Barbacena, Santo Agostinho - CEP Belo Horizonte - MG - Brasil - Fax (0XX31) Tel.: (0XX31) Em sua resposta, favor citar nossa referência

29 21 7 A - Declaração para Atendimento a Solicitação de Extensão de Rede de Energia Elétrica em Parcelamentos de Solo Urbano Comentários: Quando o projeto for da área urbana, para atendimento a novos loteamentos ou onde houver necessidade de extensão de rede de distribuição superior a 500 metros, em área de preservação ambiental ou não, a Empreiteira deverá fornecer, juntamente com o projeto e uma cópia da planta devidamente aprovada pela Prefeitura Municipal a Declaração para Atendimento a Solicitação de Extensão de Rede de Energia Elétrica em Parcelamentos de Solo Urbano conforme Termo de Compromisso firmado entre CEMIG e Ministério Público do Estado de Minas Gerais em agosto de Assinará o Prefeito Municipal ou, no seu impedimento, a pessoa por ele indicado. A Empreiteira deverá solicitar a emissão deste documento, em via única, papel formato A4, com o timbre da Prefeitura Municipal ou o carimbo da mesma no local indicado. Tramitação da via: Empreiteira Dossiê da Obra

30 22 Pedir papel timbrado do Município DECLARAÇÃO PARA ATENDIMENTO A SOLICITAÇÃO DE EXTENSÃO DE REDE DE ENERGIA ELÉTRICA EM PARCELAMENTOS DE SOLO URBANO Declaro, para os devidos fins, que o parcelamento de solo urbano denominado, localizado situado no Bairro, neste Município, de propriedade de, objeto de solicitação de extensão de rede de energia elétrica junto à CEMIG Distribuição S.A.. - CEMIG D, com extensão superior a 500 metros, encontra-se na situação descrita na letra abaixo: a) O loteamento ou desmembramento acima identificado é caracterizado como novo parcelamento de solo urbano e está localizado total ou parcialmente em área considerada de proteção ambiental, estando de acordo com o seguinte: Existência de aprovação pelos órgãos competentes e validade da aprovação concedida; obras concluídas ou aprovadas pelo Poder Público, nos termos do art. 16 da Lei Federal nº 6.766/1979, alterada pela Lei nº 9.785/1999; conclusão da instalação dos seguintes equipamentos urbanos: escoamento de águas pluviais, redes de esgoto sanitário e de abastecimento de água potável e as vias de circulação, pavimentadas ou não; localização em áreas onde, por lei, é permitido o parcelamento do solo; cumprimento de norma ambiental ou urbanística; obtenção das licenças ambientais pertinentes à execução de parcelamentos; localização em área sujeita a interferência com linhas de transmissão elétrica (com tensão igual ou maior que 34,5 kilovolts). Nestes casos, haverá análise prévia da COMPROMISSÁRIA quanto à necessidade de realização de obras de adequação, obras essas que deverão correr às custas do interessado; existência de autorização formal do Poder Executivo local para débito, na fatura global de energia elétrica da Prefeitura Municipal, do valor monetário referente ao consumo de energia elétrica para iluminação pública quando da entrada em operação da rede de distribuição (tensão até 27,6 kilovolts). b) O loteamento ou desmembramento acima identificado não é caracterizado como novo parcelamento do solo urbano, nos termos da Lei nº 6.766/1979, alterada pela Lei nº 9.785/1999, e não está localizado total ou parcialmente em área considerada de proteção ambiental. c) O loteamento ou desmembramento acima identificado é caracterizado como novo parcelamento do solo urbano, nos termos da Lei nº 6.766/1979, alterada pela Lei nº 9.785/1999, e não está localizado total ou parcialmente em área considerada de proteção ambiental. Por ser verdade, firma a presente declaração para todos os fins de direito, enquanto persistirem as condições descritas nesta Declaração., de de 200 Prefeito Municipal de... Carimbo do Município

31 Prazos para Atendimento Obras Part Comentários: A gerência responsável por cada atividade deverá estar atenta para o fiel cumprimento dos prazos previstos no cronograma. Para os casos onde não forem atendidos os prazos, a Gerência responsável pela atividade deverá providenciar a Emenda de contrato. Os prazos estão divididos em três etapas: Negociação; Liberação do Dossiê; Execução da Obra.

32 24 Item 1 PRAZO PARA ATENDIMENTO OBRAS PART - NEGOCIAÇÃO Atividade Receber Dossiê da Obra com Termo de Acordo (TA) assinado, verificar check-list, gerar PS, digitar relação de UC's e enviar à DX/EX Prazo Médio Prazo Máximo 1 dia corrido Área/Órgão Responsável Relacionamento Comercial 1 dia 2 Deslocamento da Documentação (Via Malote) 3 dias corridos GE/IA corrido Conferir documentação, analisar informações técnicas, aprovar projeto e cadastrar dados 13 dias 3 17 dias corridos DX/EX nos Sistemas corridos Emitir Acerto Financeiro (AF), Boleto Bancário (BB)-(Quando houver) e 2 vias do Relatório 4 1 dia corrido Núcleo Comercial de Vistoria de Projeto (RV)-(Quando houver reprovação). TOTAL 16 dias 22 dias Item Atividade Prazo Área/Órgão Prazo Máximo Médio Responsável 5 Providenciar assinatura do AF, pagamento do BB (quando houver), 2 vias do Relatório de 3 dias Empreiteira/ 30 dias corridos Vistoria de Projeto (RV) (quando houver), 5 vias do projeto liberado, cronograma de corridos Consumidor 6 Receber AF assinado, BB pago, 1 via do RV assinada pela empreiteira (quando houver) e 5 vias do projetos e enviar à DX/EX 1 dia corrido Núcleo Comercial 7 Deslocamento da Documentação (Via Malote) 1 dia corrido 3 dias corridos GE/IA 8 Dotação Orçamentária - verificar OI (Liberada e planejada) 9 Gerar reserva de Material Estratégico 1 dia 1 dia corrido Medição * corrido Salvado DX/EX * Item Deslocamento da subpasta (Via Malote) 12 Entrega de Material PRAZO PARA ATENDIMENTO OBRAS PART - LIBERAÇÃO DO DOSSIÊ Montar subpasta, nomear reservas, liberação via Sigem para execução da obra e encaminhar subpasta para Serviço de Campo Estratégico/Medição Medição * 1 dia corrido 1 dia corrido 1 dias corrido 1 dia corrido 3 dias corridos GE/IA TOTAL 9 dias 42 dias A reserva do medidor será direcionada para o Centro de Distribuição de Materiais CDM e nos Centro de Distribuição Avançados CDA PRAZO PARA ATENDIMENTO OBRAS PART - EXECUÇÃO DA OBRA Execução da obra e atualização do Sigem. Atividade Comunicar sobre a obra à empreiteira, programar e vistoriar os materiais, entregar projeto liberando sua execução, distribuir as demais vias do projeto e Relações de UC s, atualizar Sigem (A liberação da energização da obra deverá ocorrer somente após a comprovação da quitação do BB ou consulta ao Sigem). Receber Comunicado de Conclusão de Obra, Relação de UC s preenchidas, projeto com coordenada GPS pós-processada e atualizar Sigem. Receber, energizar a obra e o padrão de entrada e atualizar Sigem Digitar no Sigem a data de conclusão e energização da obra, devolver subpasta para a DX/EX. Enviar as Relações de UC s para o Faturamento e atualizar Sigem. 3 dia corrido MS/LA Prazo Até 10 dias corridos Compromisso Contratual 1 dia útil 14 dias corridos Área/Órgão Responsável Serviço de Campo 18 Devolução de materiais ao Centro de Distribuição Avançado - CDA existente no Órgão de Distribuição até 21 dias após energização da obra Empreiteira/ Consumidor Receber subpasta, fazer fechamento,atualizar a obra concluída e atualizar Sigem. Enviar pelo correio, via AR, TA, AF, Memória de Cálculo, Recibo, Autorização para Crédito ou Débito para o Cliente. 5 dias úteis 1 dia útil DX/EX

33 Levantamento Ambiental para Projeto Rural Comentários: Preenchido pela Empreiteira, em via única, formato A4 e assinado pelo Funcionário responsável pela coleta dos dados. Obs.: Deverá conter o máximo de informações. Tramitação da via: 1 via Empreiteira Relacionamento Comercial Dossiê Obra.

34 26 1/3 LEVANTAMENTO AMBIENTAL PARA PROJETO RURAL N PS: Data PS: / / Nome do Consumidor: Telefone contato: Celular: Localização: Município: Cidade: Referência: Constituem áreas de preservação permanente (APP) as áreas descritas no art. 10º da Lei Estadual nº de 19/06/2002, ficando proibida a utilização e/ou implantação de qualquer atividade dentro dos limites definidos, sem a autorização do órgão ambiental. A seguir algumas APP s a serem observadas: CARACTERIZAÇÃO DO TERRENO A SER IMPLANTADA A REDE NOVA: 1) É próximo a riacho, ribeirão ou rio? ( )Sim ( ) Não Se SIM, obedecer distância mínima medida a partir do nível de água mais alto: -Se largura do curso d água for menor do que 10 m, instalar a rede a 30 m de distância; -Se largura maior ou = 10 e menor que 50 m, instalar rede a 50 m de distância; -Se largura maior ou = 50 e menor que 200 m, instalar rede a 100 m de distância; -Se largura maior ou = 200 e menor que 600 m, instalar rede a 200 m de distância; -Se largura for maior que 600 m, instalar rede a 500 m de distância. Cálculo da vegetação ou árvores a serem cortadas nesta área = m² ou un 2) È próximo a lagoas, lagos ou reservatórios? ( )Sim ( ) Não Se SIM, obedecer distâncias mínimas medida a partir do nível de água mais alto: - reservatórios de hidrelétricas com espelho d água até 10 ha, instalar rede a 15 m de distância; - lagoa ou reservatório em área urbana consolidada, instalar rede a 30 m de distância; - lagoa ou reservatório artificial exceto tanques para peixes, instalar rede a 30 m de distância; - lagoa ou reservatório natural menor ou igual a 20ha em área rural, instalar rede a 50 m de distância; - lagoa ou reservatório natural em área rural, maior que 20ha, instalar rede a 100 m de distância. Cálculo da vegetação ou árvores a serem cortadas nesta área = m² ou un 3) È próximo a veredas e brejos? ( )Sim ( ) Não Se SIM, instalar a rede a 50 m partir do limite do espaço encharcado. Cálculo da vegetação ou árvores a serem cortadas nesta área = m² ou un 4) É próximo à mina d água? ( )Sim ( ) Não Se SIM, manter raio mínimo de 50 metros, ao redor da mina. Cálculo da vegetação ou árvores a serem cortadas nesta área = m² ou un CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A.

35 27 2/3 5) O traçado da RDR passa nos topos de vários morros em linha? (Traçado longitudinal) ( )Sim ( ) Não Há possibilidade de evitar esse traçado? ( )Sim ( ) Não Cálculo da vegetação ou árvores a serem cortadas nesta área = m² ou un 6) O traçado da RDR passa de um lado ao outro do morro? (Traçado transversal) ( )Sim ( ) Não Há possibilidade de evitar esse traçado? ( )Sim ( ) Não Cálculo da vegetação ou árvores a serem cortadas nesta área = m² ou un OBSERVE O PREENCHIMENTO DOS ÍTENS 1º AO 6º E RESPONDA: 7) Some a quantidade de vegetação ou nº de árvores a serem cortadas= 8) O consumidor está localizado em APP, anteriormente a 2002? ( ) Sim ( ) Não Se SIM, é necessário assinatura de DECLARAÇÃO DE OCUPAÇÃO ANTRÓPICA 9) O traçado da RDR passa em Unidade de Conservação? ( )Sim ( ) Não Se SIM, caso tenha poda ou supressão, solicitar autorização para o IEF ou IBAMA, conforme o caso. 10) O traçado da RDR passa em Mata Atlântica? ( )Sim ( ) Não Se SIM, caso tenha poda ou supressão, solicitar autorização para o IEF com anuência do IBAMA. 11) O traçado da RDR passa em região de grutas ou cavernas? ( )Sim ( ) Não Se SIM, solicitar autorização/anuência para a implantação da RDR ao IBAMA. 12) O traçado da RDR passa em área de reserva indígena ou quilombo? ( )Sim ( ) Não Se SIM, solicitar autorização/anuência para a implantação da RDR ao IBAMA. A prática da poda ou abertura de picada DENTRO da APP, SOMENTE poderá ser realizada com a devida Autorização do Órgão Ambiental, conforme Cláusula Oitava do Convênio Cemig/IEF. 13) Existe necessidade de suprimir ALGUMA VEGETAÇÃO que NÂO esteja localizada nas áreas citadas, para instalar a RDR? ( )Sim ( ) Não Se SIM, solicitar autorização ao IEF. 14) Algumas espécies de árvores são protegidas por lei, proibidas de corte e estão detalhadas abaixo. Existe necessidade de supressão de alguma(s) da(s) espécies listadas? ( )Sim ( ) Não ( ) Açaí - Quantidade: ( ) Aroeira - Quantidade: ( ) Braúna - Quantidade: ( ) Buriti - Quantidade: ( ) Castanheira - Quantidade: ( ) Gonçalo Alves - Quantidade: ( ) Ipê Amarelo - Quantidade: ( ) Pequi - Quantidade: ( ) Pinheiro Brasileiro - Quantidade: ( ) Faveiro de Wilson - Quantidade: CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A.

36 28 3/3 15) Existe alternativa para evitar o corte dessa(s) árvore(s) protegida(s)? ( )Sim ( ) Não Se SIM, evita o corte de quantas e quais árvores? _( ) Se NÃO o fato deverá ser comunicado à gerência para solicitação formal ao Órgão Ambiental para a supressão dessa(s) árvore(s). Nesse caso, a obra não poderá ser executada sem a devida Autorização do Órgão Ambiental. APRESENTAR A PROPOSTA FINAL DO PROJETO ELÉTRICO Descrever a Situação (anexar fotos, se possível): Incluir mapa ou croqui do projeto. Escala (1: ortofotocarta ou 1: IBGE) Conclusão: ( ) Com Impacto Ambiental Haverá necessidade de Autorização Ambiental ( ) Sem Impacto Ambiental Não haverá necessidade de Autorização Ambiental Nome da Empresa: Data do Levantamento: / / Nome do representante: matrícula: Nome/Assinatura: CEMIG DISTRIBUIÇÃO S.A.

37 29 9 A- Árvores protegidas por Lei ou imunes de corte Açaí Aroeira Buriti Braúna Castanheira Ipê Amarelo Gonçalo Alves Faveiro de Wilson Pequi Pinheiro Brasileiro

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL T Í T U L O ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DA R3 DCMD 01/09/2014 01/10/2014 CONTROLE DE REVISÃO Data Responsáveis Descrição 01/09/2014 R3 Elaboração: Eng. Alberto J.

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL PROCEDIMENTO DA DISTRIBUIÇÃO VERSÃO Nº R0 DATA DATA DA VIGÊNCIA 15/07/2013 Histórico de Revisões Revisão Alterações Data R0 - Versão Inicial. 21/06/2013 Página 2 de 10 1. ENCAMINHAMENTO Para apresentação

Leia mais

Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares. Check-List. Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto

Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares. Check-List. Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto Relação de Documentos necessários para Aprovação de Projetos Particulares Check-List Gerência de Serviços Técnicos - Departamento de Projeto Diretoria de Serviços Operacionais 1. RESUMO Relação de documentos

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL

PROCEDIMENTOS DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO ELÉTRICO À ENERSUL PROCEDIMENTO DA DISTRIBUIÇÃO VERSÃO Nº R1 DATA DATA DA VIGÊNCIA 15/07/2013 Histórico de Revisões Revisão Alterações Data R0 - Versão Inicial. 21/06/2013 R1 - Acrescentado Medição Agrupada, Cabinas e Postos

Leia mais

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Foram alterados os Modelos dos Contratos dos Anexos I e II

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Foram alterados os Modelos dos Contratos dos Anexos I e II Incorporação de Redes Particulares de Distribuição de Energia Elétrica Processo Planejar, Ampliar e Melhorar o Sistema Elétrico Atividade Planejar o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR01.01-00.001

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

LEVANTAMENTO AMBIENTAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO DE REDES RURAIS

LEVANTAMENTO AMBIENTAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO DE REDES RURAIS Página 1 de 6 Treinamento Recomendado: - formal - leitura (sem necessidade de manter em registro) Controle de Revisão Revisão Data Item Descrição das Alterações - 27/02/2004 - Emissão inicial A 20/05/2005

Leia mais

AUTORIZAÇÃO PARA INTERVENÇÃO DE QUALQUER NATUREZA NA VEGETAÇÃO NATURAL OU IMPLANTADA de 16/08/2005

AUTORIZAÇÃO PARA INTERVENÇÃO DE QUALQUER NATUREZA NA VEGETAÇÃO NATURAL OU IMPLANTADA de 16/08/2005 08/11/2006 Pág 1 AUTORIZAÇÃO PARA INTERVENÇÃO DE QUALQUER Substitui a IS-19 NATUREZA NA VEGETAÇÃO NATURAL OU IMPLANTADA de 16/08/2005 1. FINALIDADE 1.1 Esta Instrução tem por finalidade estabelecer critérios

Leia mais

PORTARIA Nº 144 DE 07 DE NOVEMBRO DE 2007.

PORTARIA Nº 144 DE 07 DE NOVEMBRO DE 2007. PORTARIA Nº 144 DE 07 DE NOVEMBRO DE 2007. Institui o modelo do Termo de Compromisso previsto no art. 129 da Lei no 10.431, de 20 de dezembro de 2006, e dá outras providências. O SECRETÁRIO DO MEIO AMBIENTE

Leia mais

FORMULÁRIOS PARA AUTORIZAÇÃO DE RECUPERAÇÃO OU RESTAURAÇÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS COM SUPRESSÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS

FORMULÁRIOS PARA AUTORIZAÇÃO DE RECUPERAÇÃO OU RESTAURAÇÃO DE ÁREAS PROTEGIDAS COM SUPRESSÃO DE ESPÉCIES EXÓTICAS CONDIÇÃO OBRIGATÓRIA EXECUÇÃO DE PROJETO DE RECUPERAÇÃO DAS ÁREAS CONSIDERADAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE ATINGIDAS COM PLANTIOS E MANUTENÇÃO DE ÁRVORES NATIVAS DA REGIÃO E/OU CONDUÇÃO DA REGENERAÇÃO NATURAL,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - PMPA SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA DE PORTO ALEGRE - SMF ASSESSORIA DE AQUISIÇÕES ESPECIAIS DE IMÓVEIS AEI

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - PMPA SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA DE PORTO ALEGRE - SMF ASSESSORIA DE AQUISIÇÕES ESPECIAIS DE IMÓVEIS AEI PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE - PMPA SECRETARIA MUNICIPAL DA FAZENDA DE PORTO ALEGRE - SMF ASSESSORIA DE AQUISIÇÕES ESPECIAIS DE IMÓVEIS AEI EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 02/2010 AEI/SMF O Município

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA PROGRAMA NACIONAL DE HABITAÇÃO URBANA

PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA PROGRAMA NACIONAL DE HABITAÇÃO URBANA PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA PROGRAMA NACIONAL DE HABITAÇÃO URBANA PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS RELACIONADOS COM A IMPLANTAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DAS REDES DE ENERGIA ELÉTRICA EMPREENDIMENTOS HABITACIONAIS

Leia mais

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação!

Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Prezado (a) Consorciado (a), Parabéns pela contemplação! Para realizar sua contemplação providenciar a documentação solicitada abaixo e levar até uma loja do Magazine Luiza ou representação autorizada

Leia mais

NORTE: Com o Loteamento Veneza (Antiga Chácara 55) LESTE: Com a quadra 148 (Aeroporto); SUL: Com a Chácara 53; OESTE: Com a Rua Renascença.

NORTE: Com o Loteamento Veneza (Antiga Chácara 55) LESTE: Com a quadra 148 (Aeroporto); SUL: Com a Chácara 53; OESTE: Com a Rua Renascença. DECRETO N o 1487/2006 DATA: 27 de janeiro de 2006. SÚMULA: Aprova, com ressalvas, o Loteamento denominado LOTEAMENTO ALPHAVILLE. MARINO JOSE FRANZ, Prefeito Municipal de Lucas do Rio Verde, Estado de Mato

Leia mais

Referência do Contrato: CUSD nº ou CCD nº Dados Cadastrais Proprietário / Razão Social. Dados Cadastrais Nome Completo. Testemunha Nome Completo

Referência do Contrato: CUSD nº ou CCD nº Dados Cadastrais Proprietário / Razão Social. Dados Cadastrais Nome Completo. Testemunha Nome Completo Referência do Contrato: CUSD nº ou CCD nº Dados Cadastrais Proprietário / Razão Social No me do Empreendimento (quando aplicável) Nº do CNPJ Nº Inscrição Estadual Nº Inscrição Municipal Código de Atividade

Leia mais

Contrato nº XXX/2015 Chamada Pública nº XXX/2015 CONTRATO DE ADESÃO DE GERAÇÃO PRÓPRIA N.º 000/2015 QUE ENTRE SI FAZEM A E, NA FORMA ABAIXO:

Contrato nº XXX/2015 Chamada Pública nº XXX/2015 CONTRATO DE ADESÃO DE GERAÇÃO PRÓPRIA N.º 000/2015 QUE ENTRE SI FAZEM A E, NA FORMA ABAIXO: A CONTRATO DE ADESÃO DE GERAÇÃO PRÓPRIA N.º 000/2015 QUE ENTRE SI FAZEM A E, NA FORMA ABAIXO:, com sede na cidade de, Endereço, inscrita no CNPJ/MF sob o n., doravante denominada DISTRIBUIDORA, neste ato

Leia mais

Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013)

Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013) 1. Conceito Orientações sobre Adiantamento de Despesas de Pequeno Valor (Versão n.º 03, de 16/09//2013) 1.1 Adiantamento consiste na entrega de numerário a servidor, sempre precedida de empenho gravado

Leia mais

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Normas CEMIG ND2.1 - Instalações Básicas de Redes de Distribuição Áreas Urbanas ND3.1 - Projetos de Redes de Distribuição Aéreas Urbanas RDU Rede de Distribuição

Leia mais

PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN:

PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN: CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO A FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS E DE SERVIDORES, QUE ENTRE SI CELEBRAM O /ESTADO OU MUNICÍPIO DE/ E O BANCO DO BRASIL S.A.. O /ESTADO OU MUNICÍPIO DE/,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA Associação Alphaville Salvador Residencial 1 PROCEDIMENTOS PARA INÍCIO DE OBRA 1. Entregar uma cópia do jogo de Plantas Aprovadas pela Prefeitura Municipal de Salvador e

Leia mais

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda.

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda. Prezado(a) Consorciado(a), Para melhor atendê-lo, elaboramos este Guia Prático de Contratação de Imóvel destacando as modalidades de aquisição, fases do processo, documentos necessários, emissão e registro

Leia mais

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL 1 APROVAÇÃO DE PROJETOS TRANSCRIÇÃO DE TRECHOS LEGISLAÇÃO PERTINENTE CÓDIGO

Leia mais

RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA

RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA ELETROBRÁS NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA 1 PARCELAMENTO DE DÉBITO 1.1 No caso de titular da conta 1. Original e cópia do RG ou da Carteira de Habilitação;

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE CONVITE Nº 006 / 2007 - DFEPAF ENCERRAMENTO E ABERTURA DAS PROPOSTAS: Dia 27 de novembro de 2007 às 10:00 horas. TIPO: Menor preço global 1. OBJETO DO CONVITE Constitui objeto

Leia mais

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto.

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Orientações para aquisição de Bens Imóveis Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Lembrando que a análise do seu

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS COM PARTICIPAÇÃO FINANCEIRA DO CLIENTE,

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS COM PARTICIPAÇÃO FINANCEIRA DO CLIENTE, CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, COM PARTICIPAÇÃO FINANCEIRA DO CLIENTE, QUE ENTRE SI CELEBRAM, LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S/A, DE UM LADO, E XXXXXXXXX, DE OUTRO LADO. LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS. Locatário Pessoa Física:

INSTRUÇÕES BÁSICAS. Locatário Pessoa Física: INSTRUÇÕES BÁSICAS O que é necessário para alugar um imóvel na Bandeirantes Imóveis? Para alugar quaisquer dos imóveis disponíveis na carteira de locação da Bandeirantes Imóveis siga os seguintes passos:

Leia mais

C O N V Ê N I O Nº 015/2015

C O N V Ê N I O Nº 015/2015 C O N V Ê N I O Nº 015/2015 Que entre si celebram de um lado o MUNICÍPIO DE ITABIRITO, pessoa jurídica de direito público interno, inscrição no CNPJ sob o nº 18.307.835/0001-54, com endereço a Avenida

Leia mais

MICROGERAÇÃO E MINIGERAÇÃO DISTRIBUIDA

MICROGERAÇÃO E MINIGERAÇÃO DISTRIBUIDA MICROGERAÇÃO E MINIGERAÇÃO DISTRIBUIDA Versão: 01 Data: 12/01/2013 SUMÁRIO 1. Objetivo 03 2. Normas e Regulamentos Complementares 03 3. Definições 04 3.1. Acesso 04 3.2 Acordo Operativo 04 3.3. Condições

Leia mais

CONTRATO n 002/2015. PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN:

CONTRATO n 002/2015. PARÁGRAFO ÚNICO - São as seguintes as modalidades de Ordens Bancárias, a serem processadas pelo Sistema OBN: CONTRATO n 002/2015. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO A FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS E DE SERVIDORES, QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE CANDELÁRIA (RS) E O BANCO DO BRASIL S.A. O MUNICÍPIO

Leia mais

NT - CRITÉRIOS PARA PROJETOS DE REDES E LINHA AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO IT - APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO E SUBESTAÇÃO REBAIXADORA

NT - CRITÉRIOS PARA PROJETOS DE REDES E LINHA AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO IT - APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO E SUBESTAÇÃO REBAIXADORA Página 1 de 1. OBJETIVO 2. ÂMBO DE APLICAÇÃO 3. NORMAS E/OU DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. ANEXOS 6. VIGÊNCIA. APROVAÇÃO Página 2 de 1. OBJETIVO Esta norma estabelece as condições exigíveis

Leia mais

RESCISÃO DE LOCAÇÃO. A Rescisão poderá ser feita estando o contrato sendo regido pelo prazo determinado ou indeterminado.

RESCISÃO DE LOCAÇÃO. A Rescisão poderá ser feita estando o contrato sendo regido pelo prazo determinado ou indeterminado. RESCISÃO DE LOCAÇÃO 1 OBJETIVO Descrever o processo de rescisão do inquilino, desde o comunicado de desocupação até a entrega efetiva das chaves e o acerto final. 2 PROCEDIMENTO A palavra Rescisão é utilizada

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA 414/2010

RESOLUÇÃO NORMATIVA 414/2010 RESOLUÇÃO NORMATIVA 414/2010 Condições Gerais de Fornecimento de Energia Elétrica Transferência dos Ativos de Iluminação Pública P aos Municípios Marcos Bragatto Superintendente de Regulação da Comercialização

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO CT - 56 SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO TÉCNICO ATRAVÉS DOS CANAIS DE ATENDIMENTO ELETRÔNICO. Página 1 de 16

COMUNICADO TÉCNICO CT - 56 SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO TÉCNICO ATRAVÉS DOS CANAIS DE ATENDIMENTO ELETRÔNICO. Página 1 de 16 Página 1 de 16 COMUNICADO TÉCNICO CT - 56 SOLICITAÇÃO DE ATENDIMENTO TÉCNICO ATRAVÉS DOS CANAIS DE ATENDIMENTO ELETRÔNICO Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição Gerência

Leia mais

Manual do Expositor. Informações: 11 2223-2521 operacional.decofe@apcdcentral.com.br. Prezado EXPOSITOR,

Manual do Expositor. Informações: 11 2223-2521 operacional.decofe@apcdcentral.com.br. Prezado EXPOSITOR, Prezado EXPOSITOR, Os Expositores através do CNPJ da sua empresa (conforme contrato de locação) em campo específico, acessarão os formulários para preenchimento, envio e impressão dos mesmos, on-line.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA I-321.00XX MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA PEP 1/27 1- OBJETIVO O presente manual tem o objetivo de orientar

Leia mais

GUIA DO CLIENTE SEU CÓDIGO. Seja bem-vindo!

GUIA DO CLIENTE SEU CÓDIGO. Seja bem-vindo! GUIA DO CLIENTE Seja bem-vindo! É uma satisfação tê-lo como cliente. Aqui você encontrará informações importantes sobre os canais de atendimento, como usar a energia de forma adequada e segura, seus principais

Leia mais

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0202/2013.

INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0202/2013. INSTRUMENTO CONTRATUAL N. 0202/2013. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE PAGAMENTO A FORNECEDORES DE BENS E SERVIÇOS E DE SERVIDORES, QUE ENTRE SI CELEBRAM O E O BANCO DO BRASIL S.A., SOB N. 203698765.

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. RESOLUÇÃO n. 008/ 2010

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE. RESOLUÇÃO n. 008/ 2010 ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS HÍDRICOS CONSELHO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO n. 008/ 2010 Dispõe sobre a exploração de florestas energéticas e comerciais originárias

Leia mais

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA INSCRIÇÃO DE TÉCNICO (A) / TECNÓLOGO (A) EM RADIOLOGIA 3 fotos coloridas 3x4 para documento; Cópia da cédula de Identidade (RG); Cópia da cédula do CPF; Cópia do Título de Eleitor;

Leia mais

Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA.

Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA. Autorização para débitos de MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA. Declaro para os devidos fins que autorizo à GENERALI DO BRASIL COMPANHIA DE SEGUROS a debitar de minha indenização, as MULTAS, AUTUAÇÕES e IPVA existentes

Leia mais

Consórcio Contemplação de Imóveis Para quem quer planejar e realizar seus objetivos.

Consórcio Contemplação de Imóveis Para quem quer planejar e realizar seus objetivos. Consórcio Contemplação de Imóveis Para quem quer planejar e realizar seus objetivos. Bradesco Consórcios ROTEIRO PARA AVALIAÇÃO DE IMÓVEL Central de Atendimento às Agências (11) 3357-1799 Central de Atendimento

Leia mais

- Maiores informações: Departamento de Registro/Belo Horizonte. Telefones: (31)3071-3315 ou 3071-3316.

- Maiores informações: Departamento de Registro/Belo Horizonte. Telefones: (31)3071-3315 ou 3071-3316. RELAÇÃO DE DOCUMENTOS DA EMPRESA EXIGIDOS PARA O REGISTRO PESSOA JURÍDICA ATENÇÃO: TODA A DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA O REGISTRO DEVERÁ SER APRESENTADA EM CÓPIA AUTENTICADA EM CARTÓRIO OU NO ATO DO REGISTRO

Leia mais

Guia Crédito Imobiliário Itaú

Guia Crédito Imobiliário Itaú Guia Crédito Imobiliário Itaú Preencha todos os formulários necessários para o financiamento de forma legível e na sua totalidade, utilizando como base as orientações abaixo. Todos os detalhes dos documentos

Leia mais

1.7 O valor do cheque acolhido pelo BANCO e eventualmente não honrado, será debitado na conta de livre movimentação da COPASA MG, mantida no BANCO.

1.7 O valor do cheque acolhido pelo BANCO e eventualmente não honrado, será debitado na conta de livre movimentação da COPASA MG, mantida no BANCO. NORMA DE CREDENCIAMENTO DE AGENTES ARRECADADORES PARA A COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS - COPASA MG OBJETO - Constitui objeto deste instrumento a prestação de serviço destinada ao recebimento e

Leia mais

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto.

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Orientações para aquisição de Bens Móveis Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Lembrando que a análise do seu

Leia mais

INVENTOR INDEPENDENTE

INVENTOR INDEPENDENTE CONTRATO DE RECONHECIMENTO DE TITULARIDADE, DIREITOS E DEVERES SOBRE TECNOLOGIA QUE ENTRE SI CELEBRAM A FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE MINAS GERAIS FAPEMIG E O INVENTOR INDEPENDENTE XXXXXXXXXXXXXXXXXXX.

Leia mais

Região Metropolitana de Campinas

Região Metropolitana de Campinas MA-GRC-001 Versão: 01 Vigência: 2015 Página: 1 / 11 Região Metropolitana de Campinas 1 MA-GRC-001 Versão: 01 Vigência: 2015 Página: 2 / 11 ÍNDICE 1. Objetivo... 3 2. Direito de obtenção e utilização...

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO 011/2013

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO 011/2013 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO 011/2013 OBJETO: LOCAÇÃO DE IMÓVEL PARA CEDÊNCIA A EMPRESA ROSANGELA MENEGAT ALBARELLO & CIA LTDA. VANDERLEI ZANATTA, Prefeito Municipal de Taquaruçu do Sul, no uso das atribuições

Leia mais

CONSÓRCIO DE IMÓVEIS

CONSÓRCIO DE IMÓVEIS INSTRUÇÕES PARA PROPOSTA DE UTILIZAÇÃO DO CRÉDITO a) Preencha na sua totalidade a proposta de utilização do crédito e a encaminhe juntamente com os documentos solicitados do comprador, vendedor e imóvel

Leia mais

CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS N.º XXXX/XX

CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS N.º XXXX/XX Página 1 de 5 CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS N.º XXXX/XX Pelo presente Instrumento Particular, de um lado, como ADMINISTRADORA, a empresa VIVER NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS LTDA ME CRECI/RN sob o nº 2990

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO NEGRO ESTADO DO PARANÁ CNPJ N.º 76.002.641/0001-47

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO NEGRO ESTADO DO PARANÁ CNPJ N.º 76.002.641/0001-47 EDITAL DE CREDENCIAMENTO Nº 003/2013 A Secretaria Municipal da Saúde do Município de Rio Negro torna público para o conhecimento dos interessados, que estará recebendo em sua sede, situada na Praça João

Leia mais

Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS

Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS 4 13 Proc: PROTOCOLO Inscrição para o PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM PEQUENAS EMPRESAS FASE I FASE II SOLICITANTE (Pesquisador responsável ou Coordenador da Equipe - não omita nem abrevie nomes) CÓDIGO

Leia mais

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA

1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1 - AQUISIÇÃO DO CARTÃO BB PESQUISA 1º PASSO: Recebimento do e-mail de aprovação do projeto. 2º PASSO: Preenchimento e assinatura do Termo de Aceitação de Apoio Financeiro e do Cadastro de Portador, que

Leia mais

Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007

Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007 Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007 Altera a Resolução SMU n.º 703 de 29/12/2006 que consolida, organiza e atualiza as normas, os procedimentos e a padronização para a elaboração e aprovação dos

Leia mais

P R E F E I T U R A D E G A S P A R CNPJ 83.102.244/0001-02

P R E F E I T U R A D E G A S P A R CNPJ 83.102.244/0001-02 Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento SELEÇÃO DE EMPRESA DO RAMO DA CONSTRUÇÃO CIVIL INTERESSADA NA PRODUÇÃO DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL NO ÂMBITO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA. O MUNICÍPIO

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 004/2013

CHAMADA PÚBLICA Nº 004/2013 CHAMADA PÚBLICA Nº 004/2013 ADESÃO/CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS E AFINS CNPJ 01.787.506/0001-55 Página 1 de 15 CHAMADA PÚBLICA N.º 004/2013 ADESÃO/CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 OBJETIVO Estabelecer as regras e procedimentos para concessão de viabilidade técnica, aprovação de projetos e acompanhamento

Leia mais

Direitos e Deveres dos Consumidores Residenciais de Energia Elétrica

Direitos e Deveres dos Consumidores Residenciais de Energia Elétrica Encontro do Conselho de Consumidores da AES Eletropaulo (Conselpa) e Conselho Coordenador das Associações Amigos de Bairros, Vilas e Cidades de SP (Consabesp). Direitos e Deveres dos Consumidores Residenciais

Leia mais

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia CRTR 10ª REGIÃO/PR Serviço Público Federal

Conselho Regional de Técnicos em Radiologia CRTR 10ª REGIÃO/PR Serviço Público Federal ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO DE PESSOA FÍSICA VIA CORREIO 1. Solicitar os boletos para recolhimento da taxa de inscrição de pessoa física, da taxa de expedição da habilitação e da anuidade (proporcional),

Leia mais

ir l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Manual da Construção Legal

ir l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Manual da Construção Legal ASCOM t ru ir l e g a legal construir cons Quero l Secretaria Municipal de Planejamento e Meio Ambiente Elaboração: Lilian Márcia Neves Haddad Arquiteta Urbanista, CREA 90.776/D MG - Especialista em Planejamento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 098/2006-CAD/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 098/2006-CAD/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 098/2006-CAD/UNICENTRO Celebra Termo de Convênio firmado entre a UNICENTRO e o Banco UNIBANCO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho de Administração,

Leia mais

Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias. Evento Morte Natural ou Morte Acidental

Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias. Evento Morte Natural ou Morte Acidental Planos de Previdência Itaú - Proteção Familiar Comunicação de Sinistro para Planos de Previdência com Coberturas Acessórias Evento Morte Natural ou Morte Acidental O Itaú está a sua disposição e sabe a

Leia mais

PORTARIA Nº. 93, DE 27 DE JUNHO DE 2008.

PORTARIA Nº. 93, DE 27 DE JUNHO DE 2008. PORTARIA Nº. 93, DE 27 DE JUNHO DE 2008. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso das atribuições legais que lhe confere a Lei Complementar nº. 214, de 23 de junho de 2005, que cria a Secretaria

Leia mais

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO DA PRESIDÊNCIA N.º 168, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece procedimentos administrativos para fins de Registro de Atestado de obra/serviço no Crea-RS, conforme disposto na Resolução do Confea

Leia mais

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A ISO 9001:2000

Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A ISO 9001:2000 CONTRATO ESPECIAL DE FIDELIDADE PARA FORNECIMENTO DE ÁGUA POTÁVEL, COLETA/ AFASTAMENTO E TRATAMENTO DE ESGOTO, QUE ENTRE SI CELEBRAM A SOCIEDADE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO - SANASA CAMPINAS

Leia mais

LEI Nº 3604/2015, DE 19 DE MAIO DE 2015.

LEI Nº 3604/2015, DE 19 DE MAIO DE 2015. LEI Nº 3604/2015, DE 19 DE MAIO DE 2015. AUTORIZA O MUNICÍPIO CONCEDER CONTRIBUIÇÃO AO CLUBE DA MAIOR IDADE ALEGRIA DE VIVER, FIRMAR CONVÊNIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPORÉ-RS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS 1. Quais os casos passíveis de licenciamento ambiental junto ao setor Anexo III Áreas Verdes do (DLA), visando a Autorização Ambiental Municipal? São passíveis de licenciamento ambiental pelo Anexo III:

Leia mais

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. O que são, como cria-las e como negocia-las

COTAS DE RESERVA AMBIENTAL. O que são, como cria-las e como negocia-las COTAS DE RESERVA AMBIENTAL O que são, como cria-las e como negocia-las COTAS DE RESERVA AMBIENTAL O que são, como cria-las e como negocia-las! 3 Olá! Você já ouviu falar das Cotas de Reserva Ambiental

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO A SER APRESENTADA PARA EMISSÃO DE CERTIDÃO DE ACERVO TÉCNICO:

DOCUMENTAÇÃO A SER APRESENTADA PARA EMISSÃO DE CERTIDÃO DE ACERVO TÉCNICO: O QUE É ACERVO TÉCNICO? O Acervo Técnico é o conjunto das atividades desenvolvidas ao longo da vida do profissional, compatíveis com suas atribuições desde que registradas no Crea-ES por meio de ARTS -Anotações

Leia mais

Consignação Manual do Correspondente Consignação

Consignação Manual do Correspondente Consignação Manual do Correspondente Consignação Banestes S.A. - Banco do Estado do Espírito Santo GCONS - Gerência de Consignação SUMÁRIO 1. Conceito...3 2. Apresentação...3 3. Informações Gerais...3 3.1. Condições

Leia mais

I requerimento preenchido e assinado pelo requerente ou representante legal;

I requerimento preenchido e assinado pelo requerente ou representante legal; Instrução Normativa nº 006, de 30 de setembro de 2013. O Diretor Presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo- IDAF, usando das atribuições que lhe confere o artigo 35 da

Leia mais

AV. BRASÍLIA, 1057 FONE: 054-3356 1244. Edital de Licitação

AV. BRASÍLIA, 1057 FONE: 054-3356 1244. Edital de Licitação Edital de Licitação Modalidade.:Tomada de Preço Numero...:0002/15 DATA DA ABERTURA DA LICITAÇÃO: 13/01/2015 DATA ABERTURA DAS PROPOSTAS..: 30/01/2015 HORARIO...: 09:00 Fornecedor.: Endereço...: CGCMF...:

Leia mais

ATO CONVOCATÓRIO 006/2013 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS (CARROS E VANS) COM MOTORISTA

ATO CONVOCATÓRIO 006/2013 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS (CARROS E VANS) COM MOTORISTA ATO CONVOCATÓRIO 006/2013 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE LOCAÇÃO DE VEÍCULOS (CARROS E VANS) COM MOTORISTA O INSTITUTO QUALIDADE MINAS - IQM, pessoa jurídica de Direito privado sem fins lucrativos,

Leia mais

GUIA BNDES FINAME LEASING

GUIA BNDES FINAME LEASING GUIA BNDES FINAME LEASING O Itaú entende que viabilizar a ampliação ou modernização de sua frota ou de seus equipamentos de seus clientes é muito importante para o relacionamento e, por isso, traz as melhores

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA RESOLUÇÃO/SEFAZ N. 2.052, DE 19 DE ABRIL DE 2007.

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA RESOLUÇÃO/SEFAZ N. 2.052, DE 19 DE ABRIL DE 2007. ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA RESOLUÇÃO/SEFAZ N. 2.052, DE 19 DE ABRIL DE 2007. Dispõe sobre o Cadastro de Convenentes da Administração Estadual. O SECRETÁRIO DE ESTADO DE

Leia mais

FAQ Perguntas Frequentes

FAQ Perguntas Frequentes FAQ Perguntas Frequentes Índice 01. Incorporação Imobiliária...3 02. Contrato...4 03. Pagamento e Boletos...5 04. Financiamento...6 05. Distrato e Transferência...8 06. Documentações...9 07. Instalação

Leia mais

ABAS Associação Brasileira de Águas Subterrâneas QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS NAS ATIVIDADES DE HIDROGEOLOGIA E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

ABAS Associação Brasileira de Águas Subterrâneas QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS NAS ATIVIDADES DE HIDROGEOLOGIA E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS ABAS Associação Brasileira de Águas Subterrâneas QUALIFICAÇÃO DE EMPRESAS NAS ATIVIDADES DE HIDROGEOLOGIA E ÁGUAS SUBTERRÂNEAS CREDENCIAMENTO E SELO DE QUALIDADE Prezado(a) Colega, Segue abaixo o manual

Leia mais

INSTRUÇÃO SUPLEMENTAR IS

INSTRUÇÃO SUPLEMENTAR IS INSTRUÇÃO SUPLEMENTAR IS IS N o 141-001 Aprovação: Portaria nº 1554, de 22 de junho de 2015. Assunto: Procedimentos para comunicação da relação de alunos de cursos homologados em escolas de aviação civil.

Leia mais

Região Metropolitana de São Paulo

Região Metropolitana de São Paulo MA-GCF-002 Versão: 02 Vigência: 2015 Página: 1 / 14 2015 Região Metropolitana de São Paulo MA-GCF-002 Versão: 02 Vigência: 2015 Página: 2 / 14 ÍNDICE 1. Objetivo... 3 2. Direito de obtenção e utilização...

Leia mais

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se:

TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal. Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: TERMO DE ADESÃO E USO DA LOJA VIRTUAL VT URBANO VA Legal 1. DEFINIÇÕES: Para interpretação do Termo de Adesão e Uso da Loja Virtual VT URBANO VA Legal considera-se: EMPRESA CONCESSIONÁRIA Viação Atibaia

Leia mais

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0 1. OBJETIVO Este informativo técnico tem como objetivo orientar o envio dos documentos e o preenchimento correto da planilha do Projeto Expresso v 2.0 - Caixas Metálicas e planilha do Projeto Expresso

Leia mais

1º ADITIVO AO CONTRATO DE FILIAÇÃO E ADESÃO DE ESTABELECIMENTO AO SISTEMA FORTBRASIL DE CARTÃO DE CRÉDITO

1º ADITIVO AO CONTRATO DE FILIAÇÃO E ADESÃO DE ESTABELECIMENTO AO SISTEMA FORTBRASIL DE CARTÃO DE CRÉDITO 1º ADITIVO AO CONTRATO DE FILIAÇÃO E ADESÃO DE ESTABELECIMENTO AO SISTEMA FORTBRASIL DE CARTÃO DE CRÉDITO FORTBRASIL ADMINISTRADORA DE CARTÕES DE CRÉDITO S/A, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 02.732.968/0001-38,

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO Contratação de Serviços de Engenharia para Instalação de Novos Pontos de IP e Complementação da Eficientização do Sistema de Iluminação Pública de Porto Alegre ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO N o 615, DE 6 NOVEMBRO DE 2002 (*) Vide alterações e inclusões no final do texto. Aprova o modelo do Contrato de Prestação de Serviço Público de Energia

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE RESOLUÇÃO INEA Nº 25 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010 ESTABELECE PROCEDIMENTOS PARA REQUERIMENTO DAS LICENÇAS

Leia mais

Manual de Prestação de Contas: Convênios Estaduais

Manual de Prestação de Contas: Convênios Estaduais D I R E T O R I A D E CONTRATOS E CONVÊNIOS M a n u a l d e P r e s t a ç ã o d e C o n t a s S e c r e t a r i a d e E s t a d o d e D e f e s a S o c i a l Manual de Prestação de Contas: Convênios Estaduais

Leia mais

MINUTA CONTRATO DE LOCAÇÃO Nº XXX/2013

MINUTA CONTRATO DE LOCAÇÃO Nº XXX/2013 MINUTA CONTRATO DE LOCAÇÃO Nº XXX/2013 EDITAL CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 004/2013 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº: 23062.008112/2013-11 DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº XXX/2013 Contrato de Locação nº XXX/2013 que entre

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS. Versão 1.0 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE DIÁRIAS DA MGS Versão 1.0 SUMÁRIO 1. Descrição do Local de Acesso... 1 2. Módulo Registrar Diárias... 3 3. Módulo Aprovar Diárias... 11 4. Registrar Prestação de Contas...

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Matéria publicada originalmente no Diário do Comércio Data: 01/08/2006 01 - CONCEITOS? 1.01.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR

CONDIÇÕES GERAIS RESERVE CLUBCAR Seja bem-vindo à Blue Service Assistance, a opção mais vantajosa em assistência e clube de vantagens. É uma enorme satisfação ter você como nosso associado. A Blue Service Assistance está cada vez mais

Leia mais

INSTRUÇÕES - Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil

INSTRUÇÕES - Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil INSTRUÇÕES - Aditamento ao Contrato de Arrendamento Mercantil Como é feita a liberação do veículo em contratos de Leasing Nos contratos de leasing o veículo pertence à Instituição Financeira, mas ela deixa

Leia mais

Pagamentos MT-212-00137-6 Última Atualização 06/01/2015

Pagamentos MT-212-00137-6 Última Atualização 06/01/2015 Pagamentos MT-212-00137-6 Última Atualização 06/01/2015 I. Objetivos Após este módulo de capacitação você será capaz de: Carregar Documentos Fiscais Verificar o status de envio dos documentos fiscais Consultar

Leia mais

Relação de Documentos Exigidos Para Inscrição Pessoa Jurídica

Relação de Documentos Exigidos Para Inscrição Pessoa Jurídica Relação de Documentos Exigidos Para Inscrição Pessoa Jurídica AS CÓPIAS DOS DOCUMENTOS APRESENTADOS DEVERÃO ESTAR AUTENTICADAS OU ACOMPANHADAS DOS ORIGINAIS. 1. Preencher o requerimento, que deverá ser

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1.1 Tipo do Serviço e Especificação do Veiculo

TERMO DE REFERÊNCIA. 1.1 Tipo do Serviço e Especificação do Veiculo TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO ELETRÔNICA DE PREÇO Nº 017/2013 TIPO: MENOR PREÇO A Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Brasil FETRAF-BRASIL/CUT, entidade de direito

Leia mais

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO.

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. PESSOA JURÍDICA: a) instrumento de constituição primitivo e respectivas alterações, se houver, admitindo-se a Última alteração quando consolidada,

Leia mais

CORRESPONDENTE CAIXA AQUI NEGOCIAL

CORRESPONDENTE CAIXA AQUI NEGOCIAL CORRESPONDENTE CAIXA AQUI NEGOCIAL Renovação de Crédito Consignado Modelo Automatizado VERSÃO 2.0 Julho 2014 ÍNDICE 1. CADASTRO DE CLIENTES... 3 2. SIMULAÇÃO DA OPERAÇÃO... 6 3. SOLICITAÇÃO DA PROPOSTA

Leia mais

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Publicado no D.O.E. de 17 de maio de 2005. Orienta os órgãos da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, quanto à incorporação de imóveis

Leia mais

SISTEMA DE NORMAS RD Nº 05/2007 de 18/04/07 1 de 7

SISTEMA DE NORMAS RD Nº 05/2007 de 18/04/07 1 de 7 Nº RD e Data de aprovação: PÁGINA : SISTEMA DE NORMAS RD Nº 05/2007 de 18/04/07 1 de 7 CÓDIGO : GECOM/D.C. - 01 TÍTULO DA NORMA : SUBSTITUI : SISTEMA DE MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA 1. PROPÓSITOS: Estabelecer

Leia mais