Em Memória de Jay Haley. In Memory of Jay Haley

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Em Memória de Jay Haley. In Memory of Jay Haley"

Transcrição

1 Em Memória de Jay Haley In Memory of Jay Haley Consuelo C. Casula 1 Jay Haley em 13 fevereiro de 2007 foi reencontrar seu mestre Milton Erickson, para retomar uma conversa com ele, com Gregory Bateson e com Jonh Weakland, privando a sua esposa Madeleine Richeport, a filha Kathleen, os filhos Andrew e Gregory, os netos e todos nós de sua amável presença, de sua sábia supervisão e das suas conferências vivazes. Jay Haley, durante seu mestrado em comunicação pela Universidade de Stanford, já tinha compreendido a habilidade comunicativa de Milton Erickson e dedidou seu tempo para analizá-la de modo a identificar as características reproduziveis e utilizáveis por outros terapeutas. De 1953 a 1962, Jay Haley participou do grupo de pesquisa coordenado por Gregory Bateson que tinha a intenção de compreender os mecanismos da esquizofrenia e os observar no processo de comunicação. Dessa pesquisa nasceram os conceitos de duplo vínculo e de paradoxo que levaram ao desenvolvimento da terapia familiar estratégica. Deste grupo de cientistas da comunicação nasceu a revolução copernicana da psicoterapia que retirou do centro do universo terapêutico o terapeuta, as suas teorias protetivas e as suas interpretações confiantes, para dar esse lugar para o paciente com seus sintomas, suas resistências, e suas exigências. Recordo que deste grupo faziam parte, também, Paul Watzlawick, que nos deixou em 31 de março de 2007, Don Jackson, W. Fry e Jonh Weakland com o qual Jay Haley conduziu as conversações com Erickson publicadas nos livros Mudar os indivíduos, Mudar os casais, Mudar as crianças e as famílias. De 1962 a 1969, Jay Haley foi diretor do projeto experimental do Mental Research Institute de Palo Alto, Califórnia, para depois se tornar diretor de pesquisas sobre a família do Child Guidance Clinic na Filadélfia e, sucessivamente, de 1975 a 1994, co-diretor do Family Therapy Institute de Washington. Em 1994 se mudou com a esposa Madeleine para La Jolla, San Diego, onde continuou a ensinar na Alliant International University, a pesquisar, supervisionar e a escrever. A esposa antropologa estimulou nele um novo inte- 1 NT.: Em Português o livro foi publicado pela editora Summus.Consuelo Casula é psicóloga e psicoterapeuta em Milão, Itália. É membro da Societá Italiana Ipnosi (SII), professora e supervisora na Societá Italiana Ipnosi e Psicoterapia e professora assistente da Universitá IULM de Milão.

2 166 Jay Haley - C. C. Casula resse nos confrontos de populações distantes e de questões éticas. Tenho lembranças deles com muito afeto, mão com mão, enquanto caminhavam nas salas do encontro no qual também participei. Jay Haley foi o primeiro a receber o premio Lifetime Achievement Award da Erickson Foundation. Foi um grande homem, mesmo fisicamente, imponente, sorridente e irônico, que amava o zen e a natureza humana. Com sua voz doce e calma atingia diretamente o coração e a alma e com sua astucia enigmática e sua perspectiva provocatória iluminava a mente e o cérebro dos ouvintes. Ele continua a inspirar quem o lê ou relê os seus numerosos livros, o último dos quais Directive Family Therapy, está sendo impresso pela editora Haworth Press. Michael Yapko, ao homenageá-lo na Ericksonian Foundations Newsletter, declara ter o hábito de reler uma vez por ano Terapia não convencional e descobrir a cada vez uma coisa de novo. De fato, o livro contém um concentrado mágico, fruto da combinação química das duas grandes personalidade de Milton Erickson e Jay Haley. O produto desta união é um nutriente para os psicoterapeutas que desejam se sintonizar com o paciente com o qual estão trabalhando e assumir a responsabilidade sobre suas intervenções. Agrada-me imaginar que Heinz Von Foerster diria que Jay Haley criou Milton Erickson porque foi ele que, com o livro Terapia não convencional de 1973 (traduzido para o italiano pela editora Camillo Loriedo 1 ), fez o mundo inteiro conhecer aquele psiquiatra original que atraía, para seu consultório em Phoenix, pacientes e alunos provenientes de todas as partes da América. É difícil imaginar Jay Haley sem Milton Erickson e Milton Erickson sem Jay Haley: juntos formaram uma dupla criativa que gerou um novo modo de comunicação na terapia e na supervisão. Nos seus livros, Jay Haley trata de esquizofrenia, de hipnose, de terapia familiar com uma modalidade irreverente conduzindo o leitor a refletir sobre temas que freqüentemente são considerados muito obvios. Cito alguns exemplos: No livro Learning and Teaching Therapy 2 inicia afirmando que não existe mais uma ortodoxia, e sem ortodoxia não existe mais um modo certo de fazer terapia: existem apenas tantos modos diversos, cada um com a sua legitimidade. Para seguir essa profissão, então, não se pode mais ser especialista, mas generalista: os terapeutas são os instrumentos através dos quais as técnicas terapêuticas são espressas. Eles são os instrumentos da mudança, com seus erros e suas incertezas que continuam a mudar e com as quais aprendem a agir melhor com os clientes sucessivos. Nesse livro 2 NT.: Aprendendo e ensinando Terapia.

3 Jay Haley - C. C. Casula 167 coloca em discussão tanto a duração da sessão quanto a compensação ligada a isto. Haley propõe um modo provocativo de fazer-se pagar não pelas horas utilizadas para conversar com os pacientes, mas pela solução atingida, pelo caso resolvido. No livro The Power Tactics of Jesus Christ 3, Jay Haley propõe uma reflexão insólita sobre três importantes mistérios da nossa profissão: a natureza da esquizofrenia, a natureza da hipnose e a natureza da terapia. Existe a esquizofrenia? Existe hipnose? Existe terapia? Pergunta-se Haley. Como podemos definí-las? O que fazemos para saber que coisas são e que coisas não são? Como podemos estar certos da sua existência? Por que nos obstinamos a pensar na terapia como uma troca entre dois ou mais indivíduos? Por que não tentamos vê-la mais como um contrato comercial, uma tarefa, uma chamada ou como o encontro de mais forças? E por que não envolvemos outros além do paciente como outros componentes da família, da escola, todas as pessoas significativas com as quais interage? A terapia pode ser definida misteriosa e paradoxal enquanto está baseada nas ilusões dos terapeutas de que aquilo que eles fazem ou dizem provoca, segundo uma causalidade linear, a mudança do paciente. Jay Haley convida a imprimir na mente a citação de Montaigne que diz quando a natureza cura, a medicina recebe as honras e sobretudo ao avaliar a corresponsabilidade das mudanças naturais que simplesmente acontecem ou que os individuos espontaneamente colocam em ação, o curso natural dos eventos que, propriamente naturais, resolvem os sintomas. Muitos problemas neuróticos surgem, de fato, durante as fases de transição dos ciclos de vida naturais do indivíduo ou da família. Quando o ciclo naturalmente completou o seu curso, inclusive o disturbio neurótico pode não ter nenhum motivo de permanecer, e desaparece. Para Jay Haley, a hipnose é também misteriosa e paradoxal quando o terapeuta endereça o paciente na direção de uma mudança espontânea seguindo as indicações do terapeuta, ou quando transforma um sintoma em um comportamento voluntário e o torna absurdo e insustentável. Em Estratégias da psicoterapia com o termo paradoxo indica uma ordem que qualifica uma outra ordem de modo conflituante, simultaneamente ou em um momento sucessivo. Por exemplo, o hipnotizador servindo-se do paradoxo, pode dizer: desejo que o Sr. não mova a mão mas concentre sua atenção somente sobre as sensações que estás experienciando e, em pouco tempo, a mão se movimentará espontaneamente. 3 NT.: As táticas poderosas de Jesus Cristo.

4 168 Jay Haley - C. C. Casula Jay Haley estimula a nossa reflexão sobre estratégias, sobre técnicas, e sobre a ética do terapeuta. Em Terapia não convencional recorda que os problemas sofridos pelo gênero humano são os mesmos há muitos séculos, mas os modos de afrontá-los devem ser novos: os terapeutas de hoje devem conseguir aprender modos diversos para mudar diversos tipos de pessoas, deve conquistar flexibilidade e capacidade de improvizar acompanhado de uma base ética sólida. Nas últimas linhas do livro The power tatics of Jesus Christ, reforça a importância de ensinar aos terapeutas estratégias para a solução dos sintomas que sejam permeados de ética e de auto-disciplina. Refere-se àquela disciplina que é ensinada na filosofia oriental ou nas práticas das artes marciais que permitem a conquista de poder no interno de um limite de harmonia, equilíbrio e controle de si. No livro Estratégias da psicoterapia, Haley define o sintoma de modos diversos de acordo com o ponto de vista. Do ponto de vista do indivíduo, sintoma é um meio para mostrar uma dificuldade sua e para qualificar como inevitável uma série de comportamentos excessivos. Do ponto de vista interpessoal, um sintoma é uma tática com a qual o paciente conquista uma posição de vantagem nas suas relações, um modo de tratar uma outra pessoa que representa uma incongruência entre o nível de conteúdo e o nível da metacomunicação. Do ponto de vista da família, é um sinal que indica que a família tem dificuldades de superar uma fase do ciclo vital ou que percebe uma confusão da hierarquia entre pais e filhos, ou é perturbada por uma incoerência na qual um comportamento é primeiro permitido e depois proibido e depois novamente permitido, no qual a excessiva proteção se alterna a rígidas punições. A definição que mais me agrada é aquela apresentada em Mudar os indivíduos na qual, servindo-se de uma metáfora eficaz, define o sintoma o cabo do paciente. E como se segura uma panela? Pelo cabo! Simples, não? Simples porque tanto o mestre Erickson quanto o aluno Haley acreditavam na força terapêutica da simplicidade, da natureza, das fases evolutivas, dos ciclos de mudança, do narcisismo inato, das exigências e das diferenças biológicas, dos recursos escondidos, das reestruturações e das metáforas. Simples porque chama a atenção para o princípio de utilização ericksoniano que ensina a servir-se de tudo aquilo que o paciente nos traz. E nesta metáfora tem ainda implícita a filosofia da terapia breve. Quem escolheu se ocupar da terapia breve mais que outras sabe que deve assumir a responsabilidade de intervir na vida de um paciente e guiá-lo na direção do bem estar com uma abordagem estratégica. A terapia breve é necessariamente diretiva, se deseja em um tempo breve ajudar o paciente a substituir o sintoma pelo o orgulho de estar livre deste. Assumir a responsa-

5 Jay Haley - C. C. Casula 169 bilidade implica ética, autodisciplina e a consciência da estratégia mais eficaz para aquele paciente particular e para aquele problema específcio. Até a hipnose resulta mais eficaz quando usada de modo estratégico. Em Terapia não convencional, Jay Haley indica para abordagem estratégica que o terapeuta prenda o cabo da panela e mantenha a iniciativa daquilo que acontece na sessão. Ele elabora uma técnica para cada problema singular de cada paciente em particular. A abordagem estratégica comporta elaborar os problemas para resolvê-los, estabelecer os objetivos, projetar as intervenções para atingir esses objetivos imediatamente e em um tempo breve, calibrar as respostas para corrigir a abordagem e avaliar os resultados. E sobretudo ter muitas estratégias à disposição. Entre aquelas propostas por Haley enfatizo algumas: reestruturação, ênfase nos aspectos positivos, desenvolver diversos cenários evolutivos, amplificar as respostas, diferenciar a angústia fisiológica daquela não necessária pela qual chegou a terapia, utilizar o sintoma, oferecer alternativas piores que o sintoma, promover mudanças usando o poder da metáfora, encorajar as resistências e as recaídas, prescrever tarefas difíceis. Qualquer que seja a estratégia que se deseje adotar é importante recordar que a estrutura fundamental de cada psicoterapia é a benevolência que convida a transformar a relação terapêutica em um desafio afetuoso. Isto nos leva a ler e a fazer ler aos pacientes as boas intenções mesmo por detrás de um comportamente estúpido. Leva-nos a usar a reestruturação como modalidade comunicacional habitual. A reestruturação da qual se serve o terapeuta é baseada no conceito que a natureza de cada descrição é determinada pelos seus objetivos, e, assim como um dos objetivos da terapia é criar benevolência, torna-se funcional ler um comportamento negativo como um esforço positivo, uma limitação como carência de habilidade comunicacional ou como falta de compreensão recíprica, a passividade e falta de iniciativa como constância e estabilidade. Até mesmo ler um comportamento protetivo como vingativo e egoísta. E, quando é necessário retirar o paciente de sua neurose, o terapeuta estratégico pode também recorrer a uma penitência através da qual se provoca no paciente um fastídio maior do que aquele causado pelo sintoma. É uma forma de penitência leiga onde a salvação, e portanto a liberação da escravatura do sintoma, vem atravessada pelo sofrimento induzido pelo terapeuta. Haley, no livro O terapeuta e a sua vítima, recorda que para a penitência funcionar deve ser executada de forma voluntária pelo paciente: eis ai ou outro paradoxo. A penitência que deve ser uma ação clara e não ambígua, com um início e um fim, vem escolhida em colaboração com o paciente que esteja disposto a aceitar executá-la propriamente para sua adequação. A penitência deve ser bastante árdua para interromper o sintoma, mas sobre-

6 170 Jay Haley - C. C. Casula tudo deve resultar benéfica para o paciente, deve procurar um bem certo para ele. A provação é também um modo para medir a motivação do paciente. Haley recorda que não se deve considerar óbvio que a motivação de superar os problemas exista no momento em que o paciente entra no nosso consultório para iniciar a terapia. Ao contrário, um aspecto essencial de cada forma de terapia consiste propriamente em estimular a motivação do paciente. Por isso diversas páginas de seus livros se estende ao mostrar a técnica denominada familiarmente comer o mingau pelas beradas 4. Erickson e Haley mostram nos seus trabalhos a eficácia de conduzir o paciente a desejar ardentemente a intervenção terapêutica. Até porque antes de antes de apresentá-lo sob a forma de prescrição, provação, conselho, o paciente é coagido a suportar longuíssimos e intermináveis afastamentos e desvios permitindo que o terapeuta identifique e esclarece oportunidades, conveniência, dúvidas sobre a prontidão ou receptividade do paciente. O terapeuta não quer que o paciente sofra demais sem estar preparado, ou que a intervenção possa fazer com que o paciente se irrite, gerando um rancor contra o terapeuta. Nem Jay Haley nem Milton Erickson temiam dizer abertamente ao paciente aquilo que ninguém ousava, nem tinham medo de perdê-lo ou de irritá-lo. Exprimiam abertamente verdades, inclusive dolorosas, depois de estarem seguros que os pacientes estavam prontos para aceitar a intervenção terapêutica e depois que tivessem dado a sua palavra de honra que iriam seguir as indicações do terapeuta. E se expressavam com benevolência terapêutica. Esta estratégia, estudada para superar as resistências do paciente, é potente para alimentar a curiosidade e, então, estimular o paciente a colaborar com autêntica motivação. Encerro esta comemoração com algumas recordações pessoais. Conheci Haley durante um congresso organizado pela Fundação Ericksoniana. No Congresso Evolution of Psychoterapy em 1990, Jay Haley, durante sua conferência entitulada O Zen e a arte da terapia apresentou aquilo que as duas disciplinas têm em comum, as semelhanças entre a mudança terapêutica e a iluminação que surge através da relação particular que se instaura entre o mestre/terapeuta e o aluno/paciente. Tanto os mestres Zen quanto Milton Erickson, para estimular a mudança/iluminação, recontam histórias aos seus pacientes/alunos, dão prescrições, tarefas absurdas, provações, propõem enigmas, estimulam a imaginação criativa, utilizam de humor, provocam dores físicas, focalizam a atenção no presente e não no passado. Em 4 NT: A autora utilizou a expressão menare il can per l aia que traduzida literalmente significa dar voltas com o cachorro.

7 Jay Haley - C. C. Casula 171 ambas as disciplinas, não se busca a patologia, mas se segue o caminho da iluminação. Da conferência intitulada Tipicamente eriksoniano do congresso de 1992 Ericksonian Methods: the essence of the story me lembro de uma experiência sua extraordinária. Conta sobre um paciente que pede um tratamento hipnótico por um problema e quando Haley pergunta qual é o problema, o paciente responde que prefere não dizer para ele. Haley aceita, faz sua intervenção hipnótica e, ao fim da terceira sessão, o paciente agradecelhe por ter ajudado a resolver o seu problema. Haley nunca soube qual era o problema que em somente três sessões ajudou o paciente a resolver. E isso é tipicamente ericksoniano. Da conferência do congresso Training Ericksonian Methods de 1994, sobre O que é a supervisão lembro um comentário sobre mudanças acontecidas na supervisão ao longo dos anos: primeiro os supervisores conduziam uma conversa reflexiva, focalizada nos problemas emocionais do terapeuta e agora os supervisores oferecem um conjunto de técnicas para os diversos problemas. Advertia sobre um risco que agora virou realidade: Não existe mais ortodoxia e qualquer um que se considere capaz de inventar uma técnica qualquer abre uma escola, tendo a certeza de encontrar seguidores. Aquilo que agora recordo com mais afeto é sua conferência apresentada na Brief Therapy Conference de 1996 sobre A terapia breve, breve, breve de Milton Erickson. Nesta ocasião, Jay Haley enfatizou que, nos seus tratamentos, Milton Erickson sempre privilegiou a brevidade e a eficácia de suas intervenções. Erickson não tinha tempo a perder, e seus pacientes também não. Estes muitas vezes chegavam de muito longe e ambos (terapeuta e paciente) eram estimulados pela urgência que conduz à concentração do olhar. A isso, Milton Erickson unia uma visão positiva do paciente, a confiança nos confrontos de seus recursos, uma boa dose de curiosidade, o que o levava a formular tantas perguntas, algumas pertinentes outras irreverentes, e uma elaborada diretividade estratégica. Para Erickson era de fato importante seguir uma estratégia, começar a propor mudanças já na formulação do problema, talvez até encorajar o paciente a piorar, não somente para averiguar a motivação, mas também para mostrar aos pacientes as reais possibilidade de mudança ou simplesmente para prescrever uma prevista ou temida recaída. Jay Haley, durante aquela conferência de 1996, também apresentou um vídeo sobre as origens da terapia familiar. Foi comovente ver os rostos jovens e sentir as vozes frescas e estusiásticas dos precussores da terapia familiar: Bateson, Don Jackson, Withaker, Minuchin, com muitos dos quais Haley está agora reunido. Depois da lembrança das pessoas que já em 1996

8 172 Jay Haley - C. C. Casula habitavam o mundo habitado agora por Haley, por volta do final do vídeo, fora de cena, se escuta a voz do entrevistador que pergunta a Haley de que modo ele gostaria de ser lembrado. E ele responde: como o mais velho terapeuta de família. Ele o foi, até a bela idade de 83 anos, vividos com talento e paixão, com flexibilidade e originalidade que o levou a produzir algo único e a presentear a nós, alunos, palavras de sabedoria. Ensinamentos inesquecíveis estampados nas páginas dos livros escritos por ele e assimilados pelos nossos neurônios e que ninguém poderá nos roubar. Referências Haley, J. & Zeig, J. (2001). Changing directives: The strategic Therapy of Jay Haley. Arizona: The Milton H. Erickson Press. Haley, J. (1974). Le strategie della psicoterapia. Itália: Santoni. Haley, J. (1976). Terapie non comuni. Roma: Astrolabio. Haley, J. (1985). La terapia del problem-solving: nuove strategie per una terapia familiare efficace. La nuova Italia Scientifica. Haley, J. (1985). Il terapeuta e la sua vittima: l uso dell ordalia per cambiare il comportamento. Roma: Astrolabio. Haley, J. (1986). The Power Tactics of Jesus Christ. New York: Tringle Press / W.W. Norton. Haley, J. (1987). Cambiare gli individui, Conversazioni con Milton H. Erickson. Roma: Astrolabio. Haley, J. (1987). Cambiare le coppie, Conversazioni con Milton H. Erickson. Roma: Astrolabio. Haley, J. (1988). Cambiare i bambini e le famiglie, Conversazioni con Milton H. Erickson. Roma: Astrolabio. Haley, J. (1995). Dietro lo specchio, Conversazioni con Milton H. Erickson. Roma: Astrolabio. Haley, J. (1996). Learning and teaching Therapy. New York: The Guildford Press. Endereço para correspondência Recebido em 07/06/2007 Aceito em 08/07/2007 Traduzido em 12/11/2007

A CURVA TERAPÊUTICA DA PRIMEIRA SESSÃO NA CLÍNICA SISTÊMICA PÓS-MODERNA

A CURVA TERAPÊUTICA DA PRIMEIRA SESSÃO NA CLÍNICA SISTÊMICA PÓS-MODERNA A CURVA TERAPÊUTICA DA PRIMEIRA SESSÃO NA CLÍNICA SISTÊMICA PÓS-MODERNA Autora: (Elda Elbachá Psicoterapeuta Sistêmica, Diretora, Docente e Supervisora do Centro de Estudos da Família e Casal - CEFAC/BA)

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

A ILUSÃO NOS ADOECE E A REALIDADE NOS CURA. O ENIGMA DA DOENÇA E DA CURA

A ILUSÃO NOS ADOECE E A REALIDADE NOS CURA. O ENIGMA DA DOENÇA E DA CURA 1 A ILUSÃO NOS ADOECE E A REALIDADE NOS CURA. O ENIGMA DA DOENÇA E DA CURA José Fernando de Freitas RESUMO Os doentes têm uma relação especial com suas doenças. A mente diz que quer se curar, mas, na realidade,

Leia mais

Para evoluir é necessário reencontrar a autenticidade do próprio espírito

Para evoluir é necessário reencontrar a autenticidade do próprio espírito Para evoluir é necessário reencontrar a autenticidade do próprio espírito Autor: Regis Mesquita Blog Nascer Várias Vezes - http://www.nascervariasvezes.com/ "Não ser autêntico é uma forma de evitar aquilo

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

Roda da Vida Preciosa Coaching NA ABORDAGEM transpessoal

Roda da Vida Preciosa Coaching NA ABORDAGEM transpessoal Roda da Vida Preciosa Coaching NA ABORDAGEM transpessoal O Coaching é um caminho direcionado ao florescimento de cada pessoa que o procura (coachee) com um desejo inadiável de se superar, resolver alguma

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Cristina Soares Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Quando decidi realizar meu processo de coaching, eu estava passando por um momento de busca na minha vida.

Leia mais

Terapia Analítica. Terapia analitica (S. Freud) (Conferências introdutórias à Psicanálise, Teoria Geral das Neuroses, 1916/17)

Terapia Analítica. Terapia analitica (S. Freud) (Conferências introdutórias à Psicanálise, Teoria Geral das Neuroses, 1916/17) Terapia Analítica Terapia analitica (S. Freud) (Conferências introdutórias à Psicanálise, Teoria Geral das Neuroses, 1916/17) A sugestão. O caráter transitório de seus efeitos lembra os efeitos igualmente

Leia mais

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 S E L E C I O N A R D E S E N V O L V E R L I D E R A R H O G A N D E S E N V O L V E R C A R R E I R A DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 Data: 12,

Leia mais

Como falar com uma pessoa poderá me ajudar?

Como falar com uma pessoa poderá me ajudar? Como falar com uma pessoa poderá me ajudar? Aline Cerdoura Garjaka Encontrei, no seminário de 1976-77, Como viver junto, de Roland Barthes, a seguinte passagem (cito): Portanto, eu dizia É com essas palavras

Leia mais

O GERENTE MINUTO. Como Tomar Decisões Rápidas. (Resumo do Livro dos autores: Kenneth Blancharo & Spencer Jonhson Editora Record)

O GERENTE MINUTO. Como Tomar Decisões Rápidas. (Resumo do Livro dos autores: Kenneth Blancharo & Spencer Jonhson Editora Record) O GERENTE MINUTO Como Tomar Decisões Rápidas (Resumo do Livro dos autores: Kenneth Blancharo & Spencer Jonhson Editora Record) Este livro relata a história de um jovem que andava a procura de um Gerente

Leia mais

TERAPIA FAMILIAR SISTÉMICA: UMA BREVE INTRODUÇÃO AO TEMA

TERAPIA FAMILIAR SISTÉMICA: UMA BREVE INTRODUÇÃO AO TEMA TERAPIA FAMILIAR SISTÉMICA: UMA BREVE INTRODUÇÃO AO TEMA 2011 Trabalho de Curso no âmbito da cadeira Modelos Sistémicos, do Mestrado Integrado em Psicologia na Universidade de Coimbra Pedro Nuno Martins

Leia mais

APRENDIZAGEM EMOCIONAL

APRENDIZAGEM EMOCIONAL APRENDIZAGEM EMOCIONAL Escrito por Mauricio Aguiar Saudações a você que vem acompanhando o trabalho do POINT DOS AMORES e com a sua participação e interesse contribui para o crescimento do POINT. Nesta

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE Quem somos A nossa equipa apresenta um atendimento personalizado ao nível da Osteopatia através de uma abordagem multidisciplinar de qualidade, avaliação, diagnóstico e

Leia mais

Transcrição entrevista Vitória Pamplona, psicoterapeuta psicodramatista e coordenadora de grupos de gestantes e casais grávidos Psicologia da UFF

Transcrição entrevista Vitória Pamplona, psicoterapeuta psicodramatista e coordenadora de grupos de gestantes e casais grávidos Psicologia da UFF Transcrição entrevista Vitória Pamplona, psicoterapeuta psicodramatista e coordenadora de grupos de gestantes e casais grávidos Psicologia da UFF Qual a origem do psicodrama? O psicodrama foi criado por

Leia mais

1» A revolução educacional e a educação em valores 11

1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Sumário Introdução 9 1» A revolução educacional e a educação em valores 11 Introdução 12 As causas da revolução educacional 12 O triplo desafio pedagógico 14 Da transmissão à educação 15 O que pretende

Leia mais

Educação familiar e escolar para o terceiro milênio. nosso tema

Educação familiar e escolar para o terceiro milênio. nosso tema Prefácio As pessoas já têm mil noções feitas bem antigas! com relação à palavra educação. Os pais e a escola têm de ensinar para as crianças, em palavras e só com palavras, quase tudo sobre os conhecimentos

Leia mais

Ambos os métodos possuem vantagens e desvantagens, por isso deve se analisar cada caso para decidir qual o mais apropriado.

Ambos os métodos possuem vantagens e desvantagens, por isso deve se analisar cada caso para decidir qual o mais apropriado. Módulo 4 Como Organizar a Pesquisa O questionário e a observação são dois métodos básicos de coleta de dados. No questionário os dados são coletados através de perguntas, enquanto que no outro método apenas

Leia mais

Guia de Tratamento para Dependentes Químicos. Tudo isso você vai saber agora neste Guia de Tratamento para Dependentes Químicos

Guia de Tratamento para Dependentes Químicos. Tudo isso você vai saber agora neste Guia de Tratamento para Dependentes Químicos Guia de para Dependentes Químicos O que fazer para ajudar um dependente químico? Qual é o melhor procedimento para um bom tratamento? Internação Voluntária ou Involuntária Como decidir? Como fazer? O que

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade

Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade Pensar na realidade é pensar em transformações sociais. Atualmente, temos observado os avanços com relação à

Leia mais

Conceitos Introdutórios

Conceitos Introdutórios Alexa B. Leirner Pintar aquilo que vemos diante de nós é uma arte diferente de pintar o que vemos dentro de nós. (Carl.Gustav Jung) 1 Objetivos Apresentar em linhas gerais os principais objetivos e o programa

Leia mais

UNIDADE I OS PRIMEIROS PASSOS PARA O SURGIMENTO DO PENSAMENTO FILOSÓFICO.

UNIDADE I OS PRIMEIROS PASSOS PARA O SURGIMENTO DO PENSAMENTO FILOSÓFICO. UNIDADE I OS PRIMEIROS PASSOS PARA O SURGIMENTO DO PENSAMENTO FILOSÓFICO. PARTE 1 O QUE É FILOSOFIA? não é possível aprender qualquer filosofia; só é possível aprender a filosofar. Kant Toda às vezes que

Leia mais

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica PORQUE AS CRIANÇAS ESTÃO PERDENDO TODOS OS REFERENCIAIS DE ANTIGAMENTE EM RELAÇÃO ÀS BRINCADEIRAS?

Leia mais

OBJEÇÕES INSTRUMENTO DE SUCESSO O LADO POSITIVIO DAS OBJEÇÕES PARA APRIMORAR O PROFISSIONAL DE VENDAS. Vista a camisa do 0800 E SEJA UM VENCEDOR!!!

OBJEÇÕES INSTRUMENTO DE SUCESSO O LADO POSITIVIO DAS OBJEÇÕES PARA APRIMORAR O PROFISSIONAL DE VENDAS. Vista a camisa do 0800 E SEJA UM VENCEDOR!!! OBJEÇÕES INSTRUMENTO DE SUCESSO O LADO POSITIVIO DAS OBJEÇÕES PARA APRIMORAR O PROFISSIONAL DE VENDAS. OBJEÇÕES VILÃS OU OPORTUNIDADES? A VISÃO ORIENTAL SOBRE Um para CRISE PERIGO (JI) A VISÃO ORIENTAL

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Competências Essenciais de Coaching Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Por que estamos aqui? Estamos aqui para: Conhecer quais são as competências essências do um

Leia mais

Saber dar e receber Feedback

Saber dar e receber Feedback Saber dar e receber Feedback Imagem de http://sestudo.blogspot.com/ Um presidente da Câmara de Nova Iorque, Ed Koch, passeava nas ruas da cidade e perguntava às pessoas o que achavam do seu desempenho

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

Reconhecida como uma das maiores autoridades no campo da análise infantil na

Reconhecida como uma das maiores autoridades no campo da análise infantil na 48 1.5. Aberastury: o nascimento de um neo-kleinianismo Reconhecida como uma das maiores autoridades no campo da análise infantil na Argentina, Arminda Aberastury fazia parte do grupo de Angel Garma, que

Leia mais

silêncio impresso pela família. Os sentimentos são proibidos por serem muito doloridos e causarem muito incômodo. O medo e a vergonha dominam.

silêncio impresso pela família. Os sentimentos são proibidos por serem muito doloridos e causarem muito incômodo. O medo e a vergonha dominam. Introdução O objetivo deste trabalho é compreender a possível especificidade das famílias nas quais um ou mais de seus membros apresentam comportamento adictivo a drogas. Para isto analisaremos que tipos

Leia mais

RESENHA. 1. Indentidade da Obra JUNG,C. G. Psicologia e religião oriental. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1991.

RESENHA. 1. Indentidade da Obra JUNG,C. G. Psicologia e religião oriental. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1991. RESENHA AGOSTINHO, Márcio Roberto Mestre em Ciências da Religião MACKENZIE SÃO PAULO/SP BRASIL Coordenador do Curso de Psicologia - FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: casteloagostinho@yahoo.com.br 1. Indentidade

Leia mais

Homeopatia. Copyrights - Movimento Nacional de Valorização e Divulgação da Homeopatia mnvdh@terra.com.br 2

Homeopatia. Copyrights - Movimento Nacional de Valorização e Divulgação da Homeopatia mnvdh@terra.com.br 2 Homeopatia A Homeopatia é um sistema terapêutico baseado no princípio dos semelhantes (princípio parecido com o das vacinas) que cuida e trata de vários tipos de organismos (homem, animais e plantas) usando

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas. Grupo de Pesquisa em Interação, Tecnologias Digitais e Sociedade - GITS

Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas. Grupo de Pesquisa em Interação, Tecnologias Digitais e Sociedade - GITS Universidade Federal da Bahia Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas Grupo de Pesquisa em Interação, Tecnologias Digitais e Sociedade - GITS Reunião de 18 de junho de 2010 Resumo

Leia mais

Escolher o futuro O papel do/a psicólogo/a clínico/a no contexto de intervenção em comunidades socioeconómicas desfavorecidas 1

Escolher o futuro O papel do/a psicólogo/a clínico/a no contexto de intervenção em comunidades socioeconómicas desfavorecidas 1 Escolher o futuro O papel do/a psicólogo/a clínico/a no contexto de intervenção em comunidades socioeconómicas desfavorecidas 1 Mário Jorge Silva (psicólogo clínico) e Marli Godinho (psicóloga clínica)

Leia mais

determinam o comportamento e as consequências do comportamento no contexto de interação, ou seja, na relação funcional dos comportamentos.

determinam o comportamento e as consequências do comportamento no contexto de interação, ou seja, na relação funcional dos comportamentos. Psicoterapia comportamental infantil Eliane Belloni 1 A psicoterapia comportamental infantil é uma modalidade de atendimento clínico que visa propiciar mudanças no comportamento da criança a partir de

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

A psicologia tem uma dimensão prática que se integra em vários contextos e instituições sociais: escolas, hospitais, empresas, tribunais, associações

A psicologia tem uma dimensão prática que se integra em vários contextos e instituições sociais: escolas, hospitais, empresas, tribunais, associações PSICOLOGIA APLICADA A psicologia tem uma dimensão prática que se integra em vários contextos e instituições sociais: escolas, hospitais, empresas, tribunais, associações Os níveis de intervenção vão desde

Leia mais

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras

Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova. Prof. Humberto S. Herrera Contreras Educar hoje e amanhã uma paixão que se renova Prof. Humberto S. Herrera Contreras O que este documento nos diz? Algumas percepções iniciais... - O título já é uma mensagem espiritual! tem movimento, aponta

Leia mais

TERAPIA MOTIVACIONAL SISTÊMICA APLICADA ÁS FAMILIAS

TERAPIA MOTIVACIONAL SISTÊMICA APLICADA ÁS FAMILIAS TERAPIA MOTIVACIONAL SISTÊMICA APLICADA ÁS FAMILIAS XXI ABEAD - RECIFE ROBERTA PAYÁ ROBERTAPAYA@HOTMAIL.COM TERAPIA MOTIVACIONAL SISTÊMICA PARA O TRANSTORNO DO ABUSO DE SUBSTANCIAS Um Modelo Integrativo

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF):

A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF): A Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF): Há sempre mais do que uma única história* Por que o tema é importante? Provavelmente, cada vez que você leva sua criança a uma

Leia mais

A Saúde mental é componente chave de uma vida saudável.

A Saúde mental é componente chave de uma vida saudável. Transtornos mentais: Desafiando os Preconceitos Durante séculos as pessoas com sofrimento mental foram afastadas do resto da sociedade, algumas vezes encarcerados, em condições precárias, sem direito a

Leia mais

APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA

APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA Maria Ignez de Souza Vieira Diniz ignez@mathema.com.br Cristiane Akemi Ishihara crisakemi@mathema.com.br Cristiane Henriques Rodrigues Chica crischica@mathema.com.br

Leia mais

O Coaching pode ajudar uma pessoa a:

O Coaching pode ajudar uma pessoa a: O que é o Coaching O que é o Coaching É um processo compartilhado de desenvolvimento pessoal e profissional focado em ações no presente, para tornar real suas intenções de atingir objetivos e alcançar

Leia mais

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- GESTÃO DEMOCRÁTICA DA ESCOLA, ÉTICA E SALA DE AULAS Cipriano Carlos Luckesi 1 Nos últimos dez ou quinze anos, muito se tem escrito, falado e abordado sobre o fenômeno da gestão democrática da escola. Usualmente,

Leia mais

A alma da liderança Por Paulo Alvarenga

A alma da liderança Por Paulo Alvarenga A alma da liderança Por Paulo Alvarenga A palavra liderança é uma palavra grávida, tem vários significados. Desde os primórdios dos tempos a humanidade vivenciou exemplos de grandes líderes. Verdadeiros

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

Certificação Internacional em Coaching

Certificação Internacional em Coaching Certificação Internacional em Coaching O CURSO O Coaching apresenta-se hoje como uma das formas mais eficazes de desenvolvimento pessoal, ajudando a extrair o máximo potencial de si e dos outros, com vista

Leia mais

XXVII CURSO DE INVERNO ATUALIZAÇÃO EM DEPENDÊNCIA QUÍMICA

XXVII CURSO DE INVERNO ATUALIZAÇÃO EM DEPENDÊNCIA QUÍMICA FIPAD Associação de Incentivo à Pesquisa em Álcool e Drogas XXVII CURSO DE INVERNO ATUALIZAÇÃO EM DEPENDÊNCIA QUÍMICA ACT - TERAPIA DE ACEITAÇÃO E COMPROMISSO: MATRIX COMO FERRAMENTA MOTIVACIONAL PARA

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

A PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA: SERÁ QUE EU CONSIGO? UM ENFOQUE PSICOLÓGICO 1

A PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA: SERÁ QUE EU CONSIGO? UM ENFOQUE PSICOLÓGICO 1 A PRÁTICA DA ATIVIDADE FÍSICA: SERÁ QUE EU CONSIGO? UM ENFOQUE PSICOLÓGICO 1 Márcia Pilla do Valle 2 Todos sabemos que a prática de uma atividade física é fundamental para a saúde do indivíduo. Cada vez

Leia mais

O Cuidado como uma forma de ser e de se relacionar

O Cuidado como uma forma de ser e de se relacionar O Paradigma Holístico O holismo ( de holos = todo) abrangendo a ideia de conjuntos, ou de todos e de totalidade, não engloba apenas a esfera física, mas se estende também às mais altas manifestações do

Leia mais

Roteiro VcPodMais#005

Roteiro VcPodMais#005 Roteiro VcPodMais#005 Conseguiram colocar a concentração total no momento presente, ou naquilo que estava fazendo no momento? Para quem não ouviu o programa anterior, sugiro que o faça. Hoje vamos continuar

Leia mais

TRABALHO VOLUNTÁRIO VISITA AO LAR DA TERCEIRA IDADE DONA VILMA

TRABALHO VOLUNTÁRIO VISITA AO LAR DA TERCEIRA IDADE DONA VILMA 140 TRABALHO VOLUNTÁRIO VISITA AO LAR DA TERCEIRA IDADE DONA VILMA Lucas Moreira Professor Almiro Ferreira RESUMO Através deste trabalho será desenvolvido o conceito de responsabilidade social, onde para

Leia mais

OBJETIVOS. Compreender a importância de uma boa organização do estudo; Ser capaz de rentabilizar o estudo de uma forma mais efetiva;

OBJETIVOS. Compreender a importância de uma boa organização do estudo; Ser capaz de rentabilizar o estudo de uma forma mais efetiva; OBJETIVOS Definir objetivos de estudo a nível pessoal; Compreender a importância de uma boa organização do estudo; Ser capaz de rentabilizar o estudo de uma forma mais efetiva; Sensibilizar os E.E. para

Leia mais

Meditações para os 30 dias de Elul

Meditações para os 30 dias de Elul 1 Meditações para os 30 dias de Elul O Zohar explica que quanto mais preparamos a alma durante o mês que precede Rosh Hashaná, melhor será o nosso ano. De acordo com a Kabbalah, o Recipiente para receber

Leia mais

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de PAULO FREIRE E A ALFABETIZAÇÃO Vera Lúcia Queiroga Barreto 1 Uma visão de alfabetização que vai além do ba,be,bi,bo,bu. Porque implica uma compreensão crítica da realidade social, política e econômica

Leia mais

ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? RESUMO

ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? RESUMO ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? 1 Sandra Gaspar de Sousa Moura RESUMO Este artigo tem a finalidade de mostrar a importância das relações interpessoais dentro do ambiente escolar e como os sujeitos

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Baralho da. Motivação. Refletindo sobre a mudança do comportamento exagerado. Renata Brasil Araujo

Baralho da. Motivação. Refletindo sobre a mudança do comportamento exagerado. Renata Brasil Araujo Baralho da Motivação Refletindo sobre a mudança do comportamento exagerado Renata Brasil Araujo Baralho da Motivação Refletindo sobre a mudança do comportamento exagerado Renata Brasil Araujo 2015 Sinopsys

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

VI Seminário de Pós-Graduação em Filosofia da UFSCar 20 a 24 de setembro de 2010

VI Seminário de Pós-Graduação em Filosofia da UFSCar 20 a 24 de setembro de 2010 Fundamentos metodológicos da teoria piagetiana: uma psicologia em função de uma epistemologia Rafael dos Reis Ferreira Universidade Estadual Paulista (UNESP)/Programa de Pós-Graduação em Filosofia FAPESP

Leia mais

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207 OLHAR GLOBAL Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas A poeira do renascimento 36 Fotografe Melhor n o 207 Olivier convida pessoas que encontra na rua ou na internet para posarem

Leia mais

Disciplina: Alfabetização

Disciplina: Alfabetização Título do artigo: As intervenções didáticas no processo de alfabetização inicial Disciplina: Alfabetização Selecionador: Beatriz Gouveia 1 Categoria: Professor 1 Coordenadora de projetos do Instituto Avisa

Leia mais

Técnicas de Memorização.

Técnicas de Memorização. Como Estudar? Técnicas de Memorização. Aprendizagem: dreamstime As estratégias de estudo que adquiriste no ensino secundário devem ser adaptadas ao ensino superior. Existem disciplinas com forte componente

Leia mais

Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO

Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO Capítulo 15: TÉCNICAS PARA UMA ENTREVISTA DE TRABALHO 15.1 Como se Preparar para as Entrevistas É absolutamente essencial treinar-se para as entrevistas. Se você não praticar, poderá cometer todos os tipos

Leia mais

A Tecnologia e a Educação (*)

A Tecnologia e a Educação (*) A Tecnologia e a Educação (*) Eduardo O C Chaves I. A Tecnologia Há muitas formas de compreender a tecnologia. Para alguns ela é fruto do conhecimento científico especializado. É, porém, preferível compreendê-la

Leia mais

REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES

REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES REFLEXÕES CLÍNICAS SOBRE UM CASAL DE PAIS ADOTANTES Autores: Tânia Regina Goia; José Paulo Diniz; Maria Luísa Louro de Castro Valente Instituição: Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências e

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais

A tecnologia e a ética

A tecnologia e a ética Escola Secundária de Oliveira do Douro A tecnologia e a ética Eutanásia João Manuel Monteiro dos Santos Nº11 11ºC Trabalho para a disciplina de Filosofia Oliveira do Douro, 14 de Maio de 2007 Sumário B

Leia mais

Caminhando Com as Estrelas

Caminhando Com as Estrelas Caminhando Com as Estrelas Espiritualidade que Liberta Com Alessandra França e Jaqueline Salles Caminhando Com as Estrelas Espiritualidade que Liberta Aula 1 Com Alessandra França Temas: O Reino dos Céus

Leia mais

Liderança: Seja a pessoa certa, no lugar certo.

Liderança: Seja a pessoa certa, no lugar certo. Liderança: Seja a pessoa certa, no lugar certo. Suelen Teixeira Martins Master Coach, membro da Academia Brasileira de Coach, Certificada Internacionalmente pelo BCI (BEHAVIORAL COACH INSTITUTE). Musicista

Leia mais

Entrevista com Pierre Fédida

Entrevista com Pierre Fédida Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., IV, 1, 168-174 Entrevista com Pierre Fédida (Concedida a Paulo Roberto Ceccarelli em Paris, no dia 27 de julho de 2000) 168 Há algum tempo o Sr. tem utilizado a expressão

Leia mais

O que a Postura Consultiva tem a ver com Você

O que a Postura Consultiva tem a ver com Você O que a Postura Consultiva tem a ver com Você Marcelo Egéa M* O que é postura consultiva Criar e sustentar uma marca é um trabalho que exige o máximo de todos na empresa. Alguns têm contato direto com

Leia mais

APÊNDICE. Planejando a mudança. O kit correto

APÊNDICE. Planejando a mudança. O kit correto APÊNDICE Planejando a mudança No capítulo 11, trabalhamos o estabelecimento de um objetivo claro para a mudança. Agora, você está repleto de ideias e intenções, além de uma série de estratégias de mudança

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Título do artigo: O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Área: Gestão Coordenador Pedagógico Selecionadora: Maria Paula Zurawski 16ª Edição do Prêmio Victor Civita Educador

Leia mais

JOSANE BATALHA SOBREIRA DA SILVA APROXIMANDO CULTURAS POR MEIO DA TECNOLOGIA

JOSANE BATALHA SOBREIRA DA SILVA APROXIMANDO CULTURAS POR MEIO DA TECNOLOGIA JOSANE BATALHA SOBREIRA DA SILVA APROXIMANDO CULTURAS POR MEIO DA TECNOLOGIA Valinhos, setembro de 2014 1 JOSANE BATALHA SOBREIRA DA SILVA APROXIMANDO CULTURAS POR MEIO DA TECNOLOGIA Relato do Projeto

Leia mais

CONTROL+EU. Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 1ª edição - 1 de agosto de 2015. w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r

CONTROL+EU. Marcelo Ferrari. 1 f i c i n a. 1ª edição - 1 de agosto de 2015. w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r CONTROL+EU Marcelo Ferrari 1 f i c i n a 1ª edição - 1 de agosto de 2015 w w w. 1 f i c i n a. c o m. b r CONTROL+EU Você não sofre porque tem uma programação mental, você sofre porque sua programação

Leia mais

DO DESENVOLVIMENTO DA TEORIA PULSIONAL FREUDIANA PARA UMA REFLEXÃO SOBRE A RELAÇÃO ENTRE AMOR E ÓDIO. Ligia Maria Durski

DO DESENVOLVIMENTO DA TEORIA PULSIONAL FREUDIANA PARA UMA REFLEXÃO SOBRE A RELAÇÃO ENTRE AMOR E ÓDIO. Ligia Maria Durski DO DESENVOLVIMENTO DA TEORIA PULSIONAL FREUDIANA PARA UMA REFLEXÃO SOBRE A RELAÇÃO ENTRE AMOR E ÓDIO. Ligia Maria Durski Iniciemos este texto fazendo uma breve retomada de alguns momentos importantes da

Leia mais

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo:

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo: Honestidade Honestidade Esta é a qualidade de honesto. Ser digno de confiança, justo, decente, consciencioso, sério. Ser honesto significa ser honrado, ter um comportamento moralmente irrepreensível. Quando

Leia mais

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis Grupos de Oração sem a experiência do Batismo no Espírito Santo, exercício dos carismas e o cultivo da vivência fraterna, revelam uma face desfigurada da RCC. Reflitamos a esse respeito tendo por base

Leia mais

Valores educacionais do Olimpismo

Valores educacionais do Olimpismo Valores educacionais do Olimpismo Aula 3 Busca pela excelência e equilíbrio entre corpo, vontade e mente Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Detalhar o valor busca pela excelência 2 Apresentar estratégias

Leia mais

Introdução. Módulo 1: Necessidade de Informação, introdução

Introdução. Módulo 1: Necessidade de Informação, introdução 1 Introdução Objetivo Este módulo ajudará os gerentes a identificarem as necessidades de informação, a definirem prioridades, e a determinarem que módulos do PAG APS serão mais úteis para eles. A planilha

Leia mais

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper www.dalecarnegie.com.br Copyright 2014 Dale Carnegie & Associates, Inc. All rights reserved.

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

judgment EM PERSPECTIVA:

judgment EM PERSPECTIVA: EM PERSPECTIVA: judgment As teorias de liderança geralmente estão baseadas em características individuais, como o carisma, influência, ética, entre outras, mas um determinante central da performance de

Leia mais

GRUPOS. são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar.

GRUPOS. são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar. GRUPOS são como indivíduos, cada um deles, tem sua maneira específica de funcionar. QUANTOS ADOLESCENTES A SUA CLASSE TEM? Pequenos (de 6 a 10 pessoas) Médios ( de 11 pessoa a 25 pessoas) Grandes ( acima

Leia mais

Semana 2: Estenda um Convite

Semana 2: Estenda um Convite Semana 2: Estenda um Convite Incluído: 1. Preparação do líder 2. Guia da lição 1. PREPARAÇÃO DO LÍDER VISÃO GERAL DA LIÇÃO Como podem adolescentes dar a conehcer à seus amigos que querem desesperadamente

Leia mais

Márcio Ronaldo de Assis 1

Márcio Ronaldo de Assis 1 1 A JUSTIÇA COMO COMPLETUDE DA VIRTUDE Márcio Ronaldo de Assis 1 Orientação: Prof. Dr. Juscelino Silva As virtudes éticas derivam em nós do hábito: pela natureza, somos potencialmente capazes de formá-los

Leia mais

CURSO ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS PARA AS DOENÇAS DA ALMA.

CURSO ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS PARA AS DOENÇAS DA ALMA. CURSO ESTRATÉGIAS TERAPÊUTICAS PARA AS DOENÇAS DA ALMA. JUSTIFICATIVA Apesar dos avanços tecnológicos e o aperfeiçoamento dos métodos especializados e modernos da prática médica tradicional, fica cada

Leia mais

Formacão em Renascimento com Fanny Van Laere

Formacão em Renascimento com Fanny Van Laere Formacão em Renascimento com Fanny Van Laere Apoiado por Rebirthing internacional, escola oficial fundada por Leonard Orr, criador do Renacimiento. A quem se destina? Para quem deseja transformar a sua

Leia mais

MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES

MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 1 Paulo Sertek Mestre em Tecnologia e Desenvolvimento email: psertek@xmail.com.br www.ief.org.br Nas organizações mecanicistas, o homem é visto apenas por fora, em suas ações,

Leia mais

OS EFEITOS DAS EMOÇÕES NEGATIVAS NA SAÚDE DE NOSSO CORPO

OS EFEITOS DAS EMOÇÕES NEGATIVAS NA SAÚDE DE NOSSO CORPO 1 RESUMO OS EFEITOS DAS EMOÇÕES NEGATIVAS NA SAÚDE DE NOSSO CORPO Glória Maria A. F. Cristofolini Nada se passa na mente que o corpo não manifeste, cita Hermógenes. Quando a medicina ocidental passou a

Leia mais

CONHECENDO A PSICOTERAPIA

CONHECENDO A PSICOTERAPIA CONHECENDO A PSICOTERAPIA Psicólogo Emilson Lúcio da Silva CRP 12/11028 2015 INTRODUÇÃO Em algum momento da vida você já se sentiu incapaz de lidar com seus problemas? Se a resposta é sim, então você não

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL:

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: AÇÃO TRANSFORMADORA IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública Belo Horizonte Março de 2013 Quem sou eu? A que grupos pertenço? Marcia Faria Westphal Faculdade

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

Como escrever para o seu. Site. e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Blog do Advogado Moderno - PROMAD

Como escrever para o seu. Site. e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Blog do Advogado Moderno - PROMAD o seu Site e usar seu conhecimento como forma de conquistar e reter clientes. Conteúdo Introdução Escrever bem é um misto entre arte e ciência Seus conhecimentos geram mais clientes Dicas práticas Faça

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais