CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA"

Transcrição

1

2 Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão Direitos Humanos e Inclusão NÚCLEO UNIV SÃO GABRIEL CIÊNCIAS EATAS E DA TERRA PROE-2012/7344-1S Clicar na Terceira Idade Projeto de Inclusão Digital para pessoas da terceira idade da comunidade do Beira Linha. Alexandre Teixeira

3 PROJETO DE ETENSÃO TÍTULO Clicar na Terceira Idade Projeto de Inclusão Digital para pessoas da terceira idade da comunidade do Beira Linha. PALAVRAS CHAVES: Idoso ; Inclusão Digital ; NTICS ; Jogos Digitais ORIGEM PRINCIPAL: Curso/Edital PROE MODALIDADE DA AÇÃO ETENSIONISTA: Projeto de Extensão ÁREA/ SUB-ÁREAS DO CONHECIMENTO ÁREA DE ETENSÃO PRIMÁRIA: Direitos Humanos e Justiça QTE BOLSISTA ETENSIONISTA: 2 ÁREA DE ETENSÃO SECUNDÁRIA: Tecnologia e Produção ETENSIONISTA VOLUNTÁRIO: 2 LINHA DE ETENSÃO: Direitos individuais e coletivos DISCIP. INTEGRAÇÃO COM ENSINO: Práticas investigativas relacionada a disciplina ABRANGÊNCIA: Local INTEGRAÇÃO COM PESQUISA: Execução de alguma atividade de pesquisa como parte da experiência de extensão TEMPO DE EISTÊNCIA DO PROJETO (EM SEMESTRE): 2 TEMPO DE FINANCIAMENTO DA PROE (EM SEMESTRE): 2 CAMPUS/UNIDADE DE VÍNCULO DO PROJETO: NÚCLEO UNIV SÃO GABRIEL CURSO DE VÍNCULO DO PROJETO: CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTACAO - PSG OBJETIVO PRINCIPAL Inclusão digital OBJETIVO GERAL Promover a inclusão digital da pessoa que se encontra na terceira idade contribuindo para a sua inserção social e desenvolver um modelo de capacitação em tecnologia digital para apoiar o aprendizado do idoso. OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. Promover a inserção do idoso no mundo digital; 2. Exercitar a potencialidade do idoso no raciocínio lógico utilizado pelo computador; 3. Desenvolver aspectos cognitivos e de memória do idoso; 4. Propiciar a interação do idoso com outras pessoas via Internet; 5. Desenvolver a auto-valorização e a confiança da pessoa idosa no uso do computador e de outros instrumentos digitais; 6. Oportunizar aos idosos um espaço para que os mesmos possam discutir temas básicos referentes ao envelhecimento. 7. Permitir aos alunos dos Cursos de Engenharia de Computação, Sistemas da Informação e Jogos Digitais a oportunidad e elaborar material didático e software especializado para o idoso e conviver mais de perto com esta parte da sociedade. METAS QUANTIFICÁVEIS Nossa meta é que 80% dos alunos do curso possam aprender as noções básicas da Informática através das oficinas e que 100% possam se envolver nas reflexões e discussões dos temas básicos referentes ao envelhecimento. JUSTIFICATIVA A revolução tecnológica possibilitou a criação de um mercado imaterial, onde redes integradoras e multiplicadoras de informação produzem a possibilidade cada vez maior de indivíduos utilizarem os recursos da computação e do uso da Internet, entretanto, também instauram a não inserção dos diversos atores sociais no chamado mundo digital como uma nov forma de a exclusão social. Os indivíduos que não conseguirem acessar as novas linguagens terão cada vez mais dificuldade para s participar dos processos pessoais e sociais, na medida em que cada vez mais essas exigências estão sendo inseridas nos domínios do cotidiano. A tecnologia invadiu as casas, empresas e instituições de todos os tipos, a sociedade como um todo está de tornando informatizada. Recursos da imprensa, rádio, TV, telefone, fax, vídeo, computador e Internet são disseminadores de culturas, valores e padrões sociais de comportamento. Cada vez mais o ser humano cria dependências pelos recursos eletrônicos, que passam a coexistir no dia a dia de todos. Com isso as mudanças transparecem nas diversas dimensões de viver na sociedade globalizada. O analfabeto do futuro será o indivíduo que não souber decifrar a nova linguagem gerada pelos meios de comunicação. A n ova geração é introduzida nesse universo já a partir do nascimento e por isso sua intimidade com os meios eletrônicos ocorre numa relação de identificação e fascinação. Por outro lado, os idosos de hoje têm revelado suas dificuldades em entender a nova linguagem e em lidar com os avanços tecnológicos até mesmo nas questões mais básicas como os eletrodomésticos,

4 celulares, caixas eletrônicos instalados nos bancos. Consequentemente, aumenta o número de idosos iletrados em Informática, ou analfabetos digitais, em todas as áreas da sociedade. Esse novo universo de relações, comunicações e trânsito de informações pode se tornar mais um elemento de exclusão para o idoso, tirando-lhe a oportunidade de participar do presente, marginalizando-o e exilando-o no tempo da geração anterior, relegando à função social de memória, de passado. Para inserir-se na sociedade atual é preciso ter acesso à linguagem da Informática, dispondo dela para liberar-se do fardo de ser visto como um indivíduo ultrapassado e descontextualizado do mundo atual. A Lei / 1994, que dispõe sobre a política nacional do idoso, estabelece que a família, a sociedade e o Estado têm o dever de assegurar ao idoso todos os direitos de cidadania, garantindo sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade, bem estar e o direito à vida. O Estatuto do Idoso, Lei /2003, no Capítulo V, define que o idoso tem direito à educação, cultura, esporte, lazer, diversões, espetáculos, produtos e serviços que respeitem sua peculiar condição de idade. Mediante o exposto surge a necessidade do ensino de informática para a pessoa idosa, não apenas vinculado a atividades recreativas, mas cursos que os habilitem através do domínio das ferramentas digitais, a inclusão de novas perspectivas de sua inserção no mercado de trabalho, pois os novos empregos que ainda surgirão, de alguma forma ou de outra, envolverão as tecnologias da informação e comunicação. A inclusão digital pode ser vista como um caminho de grande relevância para a inclusão social, devendo ser tratada como política pública. Uma pessoa integrada com o universo digital terá condições de integrar novas práticas associadas à busca e a construção do conhecimento e de canais de comunicação, ampliando as possibilidades de sua integração social. Para que os recursos tecnológicos possam fazer parte da rotina das pessoas idosas, há necessidade de projetos consistentes e contínuos que as insiram em propostas que viabilizem a alfabetização digital, respeitando este novo perfil de aluno. Tais projetos devem enfatizar a utilização dos recursos das tecnologias de informação para o aprendizado, a informação, o lazer, a comunicação e o trabalho. O projeto clicar na Terceira Idade, que teve sua origem no curso de Sistemas de Informação da PUC Minas em Guanhães, em seus três anos de funcionamento, atendeu cerca de 80 pessoas nessa faixa etária na cidade de Guanhães. Entretanto, devido ao encerramento das atividades do curso, com a formatura da ultima turma em dezembro de 2011, não será mais ofertado. A migração do Projeto Clicar na Terceira Idade da cidade de Guanhães para o programa de extensão Beira Linha da PUC Minas no São Gabriel, tem como propósito, a continuidade do projeto e o oferecimento ao público da terceira idade da comunidade do Beira Linha o acesso às novas tecnologias da informação e comunicação, direcionada ao perfil do aluno, com o intuito de enriquecer seus conhecimentos em informática, promovendo melhoras na qualidade de vida dessas pessoas, contribuindo para elevação da auto-estima, autoconfiança, encorajando-os a continuarem atuantes na sociedade em que vivem, conforme estabelece o Estatuto do Idoso. Espera-se que, no mínimo, mais 42 pessoas possam participar do curso, aprendendo a utilizar o computador e debatendo sobre o processo de aprendizagem digital na terceira idade e com isto acessar as informações de que necessitam no cotidiano. Espera-se que mais de 80 pessoas sejam beneficiadas indiretamente com este projeto. O desenvolvimento deste projeto dará aos alunos e professor envolvidos a oportunidade de colocar o conhecimento, que está sendo construído, em benefício da comunidade, de poder visualizar as necessidades de seu meio e valorizar o ser humano, principalmente os idosos, por si mesmo. Permitirá que os alunos desenvolvam estudos e pesquisas sobre a aprendizagem tecnológica do idoso e que criem um modelo de capacitação em tecnologia digital para idoso visando a sua utilização e difusão em outras iniciativas. A interdisciplinaridade entre as disciplinas: Introdução à Computação, Computadores e Sociedade, Interface Homem Máquina, Algoritmos e Técnicas de Programação, Algoritmos e Estruturas de Dados, Projeto de Algoritmos, Projeto de Jogos, dará aos alunos embasamento para a criação de software educativo específicos para atender as demandas e necessidades dos idosos, às suas particularidades, ao mesmo tempo suas necessidades tanto cognitivas e sociais. O curso de Informática para a Terceira Idade compreende o desenvolvimento de oficinas voltadas para a ambientação com o computador, editores de texto e gráficos e navegação na Internet. Serão utilizados textos para o aprofundamento sobre os temas básicos: Informática e o Idoso, Estatuto do Idoso, Saúde e Alimentação, Vida e Sociedade. Estes temas serão apresentados de forma dinâmica com filmes, palestras, oficinas, debates, digitação, produção de desenhos, livros, jogos e sites utilizando os programas básicos da Informática. Tão necessário quanto formar e capacitar o idoso, é propiciar o aprimoramento de sua capacidade de reconstruir uma rede de relações que permita a ele estar em contato com o mundo e com as outras pessoas que o rodeia. O Projeto se desenvolverá através da participação de um professor, dois alunos extensionistas bolsistas e dois alunos extensionistas não bolsistas dos cursos de Engenharia de Computação, Sistemas de Informação ou Jogos Digitais. BIBLIOGRAFIA 1. DEMO, P. Desafios modernos da educação. Petrópolis, Vozes, IBGE, Censo 2010, Disponível em: < sinopseporsetores/?nivel=st>. Acesso em 17/11/ LEPÍSCOPO, M. Informática: a formação profissional do SENAC. São Paulo: Acesso, Presidência da República, Estatuto do Idoso. Disponível em: < /ccivil_03/ leis/2003/l htm>. Acesso em 17/11/2011.

5 5. RICHARDSON, Roberto Jarry e colaboradores Pesquisa Social: métodos e técnicas. São Paulo, Atlas, VALENTE, J.A. (Org.). Computadores e conhecimento: repensando a educação. Campinas, SP: Gráfica da UNICAMP PROCESSOS METODOLÓGICOS Haverá duas turmas iniciais conforme descrito no próximo tópico, onde serão desenvolvidas as seguintes oficinas: 1. Oficinas de sensibilização e de desenvolvimento da coordenação motora fina; 2. Oficinas de trabalho com computador; 3. Aulas de iniciação ao estudo e funcionamento do computador; 4. Aulas de conhecimento básico de Sistema Operacional, editor de texto, gerador de apresentação; 5. Oficinas de produção de texto; 6. Oficinas para o uso da Internet. 7. Oficinas para uso de Redes Sociais. 8. Oficinas sobre segurança na Internet. 9. Atividades complementares como dinâmicas, filmes, palestras, debates etc. A avaliação do Projeto será feita através de atividades propostas aos alunos de acordo com o conteúdo ministrado durante curso e de um questionário abordando todas as atividades desenvolvidas no curso. PARA ESTABELECER OS TIPOS DE AÇÃO FORAM REALIZADOS ESTUDOS, PESQUISAS, DIAGNÓSTICOS? A população idosa é o segmento que mais cresce no mundo. Estimativas sugerem que, em 2050, a expectativa de vida será de 87,5 anos para homens e 92,5 anos para mulheres, em países desenvolvidos, e 82 para homens e 86 para mulheres em países em desenvolvimento. No Brasil, o envelhecimento está ocorrendo de forma muito rápida. Avalia-se que hoje temos uma população em torno de 20 milhões de pessoas com 60 anos ou mais e na próxima década, este número passará para 30 milhões de pessoas. A proporção de pessoas da terceira idade vem crescendo mais rapidamente que a proporção de crianças crianças 16 idosos crianças 30 idosos crianças 45 idosos Os fatores que influenciam neste crescimento são: a queda da taxa de fecundidade e o aumento da longevidade da população. Em Belo Horizonte, segundo o censo do IBGE de 2010, já são pessoas com mais de 60 anos de idade para uma população de habitantes. Isso cria a necessidade de conhecer os interesses e anseios das pessoas idosas, para que possam ser implantadas políticas de atendimento específicas para esse segmento da sociedade. Segundo o censo 2010 do IBGE a quantidade de pessoas com idade entre 60 e 74 anos de idade, público alvo do projeto, nos bairros em que se localiza a comunidade do Beira Linha são: Bairro São Gabriel: Bairro Beira Linha: 173. Bairro Ouro Minas: 159. Bairro Paulo VI: 315. Total: 1904 PROPOSTA DE AVALIAÇÃO DA AÇÃO ETENSIONISTA A ação extensionista será avalidada através da lista de presença, relatórios dos monitores, contato com os beneficiários diretos e com os beneficiários indiretos através de entrevistas semi-estruturadas ou questionários eletrônicos. REPLICAÇÃO: PÚBLICO Não CARACTERÍSTICA PRINCIPAL Idosos CARACTERIZAÇÃO O Público alvo corresponde à pessoas na terceira idade ou que estão para entrar na terceira idade e que morem na comunidade do Beira Linha ou seu entorno. QTD. BENEFICIÁRIOS DIRETOS: 42 MEMÓRIA DE CÁLCULO E/OU FONTE: =2 x 21 QTD. BENEFICIÁRIOS INDIRETOS: 84 MEMÓRIA DE CÁLCULO E/OU FONTE: =2 x 42

6 PREVISÃO DA PARTICIPAÇÃO DO PÚBLICO Na avaliação das atividades Na execução das atividades No planejamento das atividades PROPOSTA DE PARTICIPAÇÃO DO PÚBLICO ALVO QUE SERÁ UTILIZADA EM TODAS AS ETAPAS DO PLANO - NA ELABORAÇÃO O público alvo poderá participar indicando novas atividades para o projeto. - NA EECUÇÃO O público alvo poderá participar na execução do projeto, escolhendo temas de debate, palestra e filmes - NA AVALIAÇÃO O público alvo participará da avaliação respondendo à um questionário sobre o projeto. - NO MONITORAMENTO O público alvo participará de uma reunião de verificação do andamento do projeto. LOCAL DAS ATIVIDADES INSTITUIÇÃO: PUC Minas no São Gabriel ENDEREÇO:RUA WALTER IANNI, 255 / Lab de Informática BAIRRO: São Gabriel UF: MG CIDADE: Belo Horizonte CEP: TELEFONE: ATIVIDADE ATIVIDADES PREVISTAS 1. Oficinas de sensibilização e de desenvolvimento da coordenação motora fina; 2. Oficinas de trabalho com computador; 3. Aulas de iniciação ao estudo e funcionamento do computador; 4. Aulas de conhecimento básico de Sistema Operacional, editor de texto, gerador de apresentação; 5. Oficinas de produção de texto; 6. Oficinas para o uso da Internet. 7. Oficinas para uso de Redes Sociais. 8. Oficinas sobre segurança na Internet. 9. Atividades complementares como dinâmicas, filmes, palestras, debates etc. ATIVIDADE: Atividade cultural QUANTIDADE: 1 ATIVIDADE: Curso QUANTIDADE: 1 ATIVIDADE: Debate QUANTIDADE: 2 ATIVIDADE: Espetáculo QUANTIDADE: 1 ATIVIDADE: Evento festivo / comemorativo QUANTIDADE: 1 RESULTADOS ESPERADOS RESULTADOS ESPERADOS Espera-se que através do desenvolvimento deste projeto, a Universidade seja conhecida na comunidade como um local do saber acessível a todas as classes e idades. Que os idosos que participarem sejam capazes de aprimorar suas relações com o mundo e com as pessoas que os rodeiam, além de serem divulgadores dos trabalhos que podem ser desenvolvidos n a academia. Que haja uma aproximação e valorização do ser humano através deste momento único que é o ensinar, o dividir seus conhecimentos com o objetivo de tornar a vida do próximo melhor e que os resultados dos estudos e pesquisas sobre a aprendizagem tecnológica dos idosos e os modelos construídos para esta capacitação sejam utilizados em outras iniciativas acadêmicas. Que haja a criação de aplicativos todos no formato de software educativo específicos para atender as demandas e necessidades dos idosos, utilizando-se ao máximo as técnicas de programação, lógica e adequação de interfaces, atendendo às particularidades dos sujeitos, ao mesmo tempo suas necessidades tanto cognitivas e sociais quanto suas dificuldades físicas. Criação de espaço na WEB, onde os idosos possam interagir e construir suas relações e ações socializadoras. Onde sejam

7 disponibilizados alguns recursos que permitem ao idoso participar de uma comunidade onde as relações sócio-afetivas sejam incentivadas. RESULTADO(S) ESPERADO(S) COM O PÚBLICO Aprendizagem de informática Apropriação de conhecimentos e/ou técnicas Fortalecimento de vínculos comunitários RESULTADO(S) ESPERADO(S) NA FORMAÇÃO DO ALUNO Estímulo da reflexão entre teoria e prática Formação humanística Reflexão crítica sobre a prática profissional RESULTADO(S) ESPERADO(S) NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR Desenvolvimento de uma postura ética e crítica Mudança de valores/atitudes pessoais Reorientação da prática didático-pedagógica RESULTADO(S) ESPERADO(S) NA INSTITUIÇÃO Cumprimento da missão institucional Divulgação da instituição Fortalecimento da atuação interinstitucional

8 RESUMO DO PROJETO A população idosa é o segmento que mais cresce no mundo. Estimativas sugerem que, em 2050, a expectativa de vida se de 87,5 anos para homens e 92,5 anos para mulheres, em países desenvolvidos, e 82 para homens e 86 para mulheres e países em desenvolvimento. No Brasil, o envelhecimento está ocorrendo de forma muito rápida. Avalia-se que hoje temos uma população em torno de 2 milhões de pessoas com 60 anos ou mais e na próxima década, este número passará para 30 milhões de pessoas. A proporção de pessoas da terceira idade vem crescendo mais rapidamente que a proporção de crianças crianças 16 idosos crianças 30 idosos crianças 45 idosos Os fatores que influenciam neste crescimento são: a queda da taxa de fecundidade e o aumento da longevidade da população. Em Belo Horizonte, segundo o censo do IBGE de 2010, já são pessoas com mais de 60 anos de idade para uma população de habitantes. Isso cria a necessidade de conhecer os interesses e anseios das pessoas idosas, para que possam ser implantadas políticas de atendimento específicas para esse segmento da sociedade. O projeto de Inclusão Digital para a Terceira Idade, envolve o contato das pessoas que estão na terceira idade em atividad básicas e introdutórias no uso do computador, utilizando dispositivos educativos para que o idoso aprenda informática, visando uma maior integração à sociedade e aos avanços tecnológicos. Pretende ser um curso com metodologia de trabal capaz de facilitar o processo de aprendizagem do cidadão idoso promovendo a sua valorização através da inclusão digital da discussão de temas pertinentes ao envelhecimento. Pretende-se com o projeto, atender às expectativas relacionadas ao uso da informática por parte dos idosos moradores da comunidade Beira Linha. A comunidade Beira Linha está localizada na região Nordeste de Belo Horizonte, indo das margens do córrego do Onça at as proximidades da estrada da Britadeira, no estremo Nordeste da cidade. Ela perpassa vários bairros, incluindo o São Gabriel, onde se situa o campus da PUC Minas no São Gabriel, até o bairro Paulo VI. Segundo o censo 2010 do IBGE a quantidade de pessoas com idade entre 60 e 74 anos de idade, público alvo do projeto, nos bairros em que se localiza a comunidade do Beira Linha são: Bairro São Gabriel: Bairro Beira Linha: 173. Bairro Ouro Minas: 159. Bairro Paulo VI: 315. Total: O total de idosos acima relacionado justifica a inserção do projeto Clicar no programa Beira Linha.

9 Atividade/Rubrica a ser financiada VISÃO GERAL DO CRONOGRAMA DE ATIVIDADE FEV/12 MAR/12 ABR/12 MAI/12 JUN/12 JUL/12 AGO/12 SET/12 OUT/12 NOV/12 DEZ/12 Confecção dos relatórios Conclusão do curso Discussão de temas sobre envelhecimento Desenvolvimento do curso Divulgação e inscrições Planejamento do curso/preparação Seleção de monitores

10

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão NÚCLEO UNIV BH CIÊNCIAS HUMANAS PROEX-2012/7321-1S

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão NÚCLEO UNIV BH CIÊNCIAS HUMANAS PROEX-2012/7321-1S Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão Direitos Humanos e Inclusão NÚCLEO UNIV BH CIÊNCIAS HUMANAS PROE-2012/7321-1S Mapeamento Colaborativo da diversidade

Leia mais

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão Direitos Humanos e Inclusão NÚCLEO UNIV SÃO GABRIEL CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROE-2012/7270-1S "OIT no campus"

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL SÃO VICENTE DE PAULO Ensino Fundamental, Médio e Normal PROJETO RÁDIO VOZES

COLÉGIO ESTADUAL SÃO VICENTE DE PAULO Ensino Fundamental, Médio e Normal PROJETO RÁDIO VOZES COLÉGIO ESTADUAL SÃO VICENTE DE PAULO Ensino Fundamental, Médio e Normal PROJETO RÁDIO VOZES IRATI 2005 RESUMO Dentro do Programa Ética e Cidadania Ensino Médio Construindo Valores na Escola, o Projeto

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

Planejamento Anual - 2014

Planejamento Anual - 2014 Planejamento Anual - 2014 Tutor Email SILVANA SOUZA SILVEIRA silvana.silveira@pucrs.br Informações do Planejamento Planejamento quanto à participação/contribuição do (a) tutor (a) nas atividades e na formação

Leia mais

USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO

USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NOS ASSENTAMENTOS RURAIS DO BREJO PARAIBANO MIRANDA 1, Márcia Verônica Costa; SILVA 2, Gilmar Batista da 1 Professora Orientadora

Leia mais

Projeto de Monitoria 2010/2011

Projeto de Monitoria 2010/2011 Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Campus Guarulhos Curso de Ciências Sociais Projeto de Monitoria 2010/2011 Ciências Sociais, Linguagens e Tecnologias: formação docente inicial e práticas de

Leia mais

Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha. Planejamento para 2015

Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha. Planejamento para 2015 Polo Universitário Santo Antônio Núcleo de Tecnologia Educacional Santo Antônio da Patrulha Planejamento para 2015 Formação Aprender faz parte da vida, sendo um processo permanente de desenvolvimento humano

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE O USO DA INTERNET NO PROCESSO EDUCACIONAL: O DESAFIO PARA OS PROFESSORES

Leia mais

Projeto de Monitoria 2011/2012 Ciências Sociais, Linguagens e Tecnologias: formação docente inicial e práticas de ensino em Ciências Sociais

Projeto de Monitoria 2011/2012 Ciências Sociais, Linguagens e Tecnologias: formação docente inicial e práticas de ensino em Ciências Sociais Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Campus Guarulhos Curso de Ciências Sociais Projeto de Monitoria 2011/2012 Ciências Sociais, Linguagens e Tecnologias: formação docente inicial e práticas de

Leia mais

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO

WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO WEB-RÁDIO MÓDULO 2: RÁDIO NOME DO PROJETO Web Rádio: Escola César Cals- Disseminando novas tecnologias via web ENDREÇO ELETRÔNICO www.eccalsofqx.seduc.ce.gov.br PERÍODO DE EXECUÇÃO Março a Dezembro de

Leia mais

O USO DE SOFTWARES EDUCATIVOS: E as suas contribuições no processo de ensino e aprendizagem de uma aluna com Síndrome de Down

O USO DE SOFTWARES EDUCATIVOS: E as suas contribuições no processo de ensino e aprendizagem de uma aluna com Síndrome de Down O USO DE SOFTWARES EDUCATIVOS: E as suas contribuições no processo de ensino e aprendizagem de uma aluna com Síndrome de Down Ana Paula de Oliveira Schmädecke 1 Andreia dos Santos Dias 2 Resumo: Este trabalho

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão NÚCLEO UNIV BARREIRO CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão NÚCLEO UNIV BARREIRO CIÊNCIAS HUMANAS Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão Direitos Humanos e Inclusão NÚCLEO UNIV BARREIRO CIÊNCIAS HUMANAS PROEX-2012/7338-1S Projeto Carta Social -

Leia mais

Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013)

Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013) Inclusão digital de deficientes visuais através de Projeto Comunitário, Santana do Livramento (2013) Eduardo Bueno Simões Pires 1, Aline da Cunha Simões Pires 2 1 Instituto de Informática Universidade

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

TÍTULO: INCLUSÃO DIGITAL PARA A MELHOR IDADE: DESAFIOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS

TÍTULO: INCLUSÃO DIGITAL PARA A MELHOR IDADE: DESAFIOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: INCLUSÃO DIGITAL PARA A MELHOR IDADE: DESAFIOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E

Leia mais

Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi

Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi EJE: Comunicacion y Extensión AUTORES: Garcia, Gabriela Viero 1 Tumelero, Samira Valduga 2 Rosa, Rosane 3

Leia mais

Como usar a robótica pedagógica aplicada ao currículo

Como usar a robótica pedagógica aplicada ao currículo 1 Congresso sobre práticas inovadoras na educação em um mundo impulsionado pela tecnologia Workshop: Como usar a robótica pedagógica aplicada ao currículo Palestrante: João Vilhete Viegas d'abreu Núcleo

Leia mais

A EXTENSÃO NA CASA BRASIL DE ANÁPOLIS: APONTAMENTOS INICIAIS

A EXTENSÃO NA CASA BRASIL DE ANÁPOLIS: APONTAMENTOS INICIAIS A EXTENSÃO NA CASA BRASIL DE ANÁPOLIS: APONTAMENTOS INICIAIS SANTOS, Jéssica de Andrade¹; BESSA, Vanessa Cristina Gadêlha 1 ; SILVA, Vinícius Costa 1 ; SILVA, Núbia Carla de Souza 1 ; FIGUEIREDO, Adda

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES

CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES 1 CURSO REDES DE COMPUTADORES ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES CANINDÉ 2013 2 ALANA CAMILA ARICLÉCIO DOMINGOS EUDES JUNIOR HILDERLENE GOMES Trabalho realizado como requisito

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA

CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA CONSTRUINDO A CIDADANIA POR MEIO DE TECNOLOGIAS COM ALUNOS DO EJA Neire Oliveira de Castro Souza 1 Lorrainy Dias Mendes 2 Airson José de Moraes Júnior 3 Neusa Elisa Carignato Sposito (Orientador) 4 RESUMO

Leia mais

Produção de conhecimento e transformação: o papel da extensão universitária BARREIRODIGITAL.BR UM PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL PARA A

Produção de conhecimento e transformação: o papel da extensão universitária BARREIRODIGITAL.BR UM PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL PARA A Produção de conhecimento e transformação: o papel da extensão universitária BARREIRODIGITAL.BR UM PROJETO DE INCLUSÃO DIGITAL PARA A TERCEIRA IDADE: UMA ANÁLISE DAS CONTRIBUIÇÕES DO PROJETO COMO AGENTE

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE ( X ) CURTA DURAÇÃO ( ) LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DA REDE IFES 1. IDENTIFICAÇÃO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL Planejamento Anual de Atividades 2011 (01 de janeiro de 2011

Leia mais

ESCOLA-COMUNIDADE-UNIVERSIDADE: PARCEIRAS NA SOCIALIZAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E DOS RECURSOS TECNOLÓGICOS

ESCOLA-COMUNIDADE-UNIVERSIDADE: PARCEIRAS NA SOCIALIZAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E DOS RECURSOS TECNOLÓGICOS ESCOLA-COMUNIDADE-UNIVERSIDADE: PARCEIRAS NA SOCIALIZAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E DOS RECURSOS TECNOLÓGICOS Débora Laurino Maçada FURG Sheyla Costa Rodrigues FURG RESUMO - Este projeto visa estabelecer a parceria

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade

Mostra de Projetos 2011. Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade Mostra de Projetos 2011 Projeto Exercitando Direitos do PELC - Programa de Esporte e Lazer da Cidade Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais.

Leia mais

ANEXO III. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO

ANEXO III. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA R E I T O R I A Rua Esmeralda, 430-97110-767 Faixa Nova Camobi Santa

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO:Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR EM PATRIMÔNIO, DIREITOS CULTURAIS E CIDADANIA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR EM PATRIMÔNIO, DIREITOS CULTURAIS E CIDADANIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO NÚCLEO INTERDISCIPLINAR DE ESTUDOS E PESQUISAS EM DIREITOS HUMANOS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO INTERDISCIPLINAR

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando. Novos Gênios

Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando. Novos Gênios Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando Novos Gênios BELIZARIO, B. N; AFONSO JUNIOR, O. P; OLIVEIRA, J. V. S; 1 Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando Novos Gênios Orlando Pereira

Leia mais

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO

ROTINAS DE PRODUÇÃO JORNALÍSTICA NO SITE PORTAL COMUNITÁRIO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) (X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

USO DA INFORMÁTICA NA INCLUSÃO SOCIAL DE PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS E COMUNIDADE GERAL DO BREJO PARAIBANO

USO DA INFORMÁTICA NA INCLUSÃO SOCIAL DE PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS E COMUNIDADE GERAL DO BREJO PARAIBANO USO DA INFORMÁTICA NA INCLUSÃO SOCIAL DE PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS E COMUNIDADE GERAL DO BREJO PARAIBANO Ruan dos Santos Silva (1) ; Márcia Verônica Costa Miranda (2) Centro de Ciências Agrárias

Leia mais

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 O Diretor Geral do Câmpus Juiz de Fora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG), no uso de suas atribuições

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS VIANNA JÚNIOR INTERNET COMO INSTRUMENTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS VIANNA JÚNIOR INTERNET COMO INSTRUMENTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS VIANNA JÚNIOR INTERNET COMO INSTRUMENTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Lúcia Helena de Magalhães 1 Maria Cristina de Oliveira 2 Resumo Este artigo

Leia mais

XADREZ: uma ferramenta para a inclusão resultados preliminares

XADREZ: uma ferramenta para a inclusão resultados preliminares XADREZ: uma ferramenta para a inclusão resultados preliminares Tayla Kuhnen 1 ; Sara Cristina Stacheski Martins 2 ; Tiago Martins da Silva 3 ; Marcelo Eger Sibert 4 ; Marines Dias Gonçalves 5 INTRODUÇÃO

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos finalizados. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido). Cidade: Londrina.

Leia mais

Projeto Integrador. Faculdade Senac

Projeto Integrador. Faculdade Senac Projeto Integrador Faculdade Senac Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás adota o Projeto Integrador nos cursos da área de Tecnologia da Informação com o intuito de possibilitar ao aluno criação de um produto

Leia mais

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Programa Viver é Melhor Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Legião da Boa Vontade (LBV) Cidade: Londrina/PR

Leia mais

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância

A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR. GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância A EXTENSÃO EM MATEMÁTICA: UMA PRÁTICA DESENVOLVIDA NA COMUNIDADE ESCOLAR GT 05 Educação Matemática: tecnologias informáticas e educação à distância Nilce Fátima Scheffer - URI-Campus de Erechim/RS - snilce@uri.com.br

Leia mais

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM BLOG: A CONSTRUÇÃO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Suzana Aparecida Portes FC UNESP- Bauru/SP E-mail: suzanaapportes@gmail.com Profa. Dra. Thaís Cristina Rodrigues Tezani FC UNESP- Bauru/SP E-mail:

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO Registro na Extensão Nº: Em / / FORMULÁRIO DE PROGRAMA DE EXTENSÃO 1 - Identificação: 1.1 - Título 1 : 1.2 - Área Temática Principal (assinalar apenas uma área temática, aquela que melhor define o problema

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL INFORMÁTICA TERCEIRA IDADE

INCLUSÃO DIGITAL INFORMÁTICA TERCEIRA IDADE RESUMO INCLUSÃO DIGITAL INFORMÁTICA TERCEIRA IDADE Área Temática: Educação ZENI, Janice IFRS Câmpus Sertão 1 ANTUNES, Ilidrimari IFRS Câmpus Sertão 2 GATTI, Ilana IFRS Câmpus Sertão 3 OLIVEIRA, Marcos

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PLANO DE TRABALHO

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PLANO DE TRABALHO ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PLANO DE TRABALHO DADOS CADASTRAIS PLANO DE TRABALHO - ENTIDADE ÓRGÃO / ENTIDADE PROPONENTE: CNPJ: ENDEREÇO: ENDEREÇO ELETRÔNICO (E-MAIL): CIDADE: UF: CEP: (DDD) FONE: CONTA CORRENTE:

Leia mais

DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO

DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO DOCUMENTO TÉCNICO DO PROJETO Este roteiro de elaboração do Documento Técnico do Projeto tem por objetivo subsidiar a apresentação de propostas para desenvolvimento do Programa Luta pela Cidadania, que

Leia mais

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES... 2 AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES SILVA, M.M Margareth Maciel Silva

Leia mais

Juventude com Arte, Saúde e Cidadania Autores: Ellen da Silva Mourão; Giovanna Grasiane de Sousa; Preceptora de Serviço: Maria Regina de Paula Fagundes Netto; Preceptora Acadêmica: Lêda Maria Leal de Oliveira.

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA SUBPROJETO: PEDAGOGIA Alfabetizar letrando com as tecnologias INTRODUÇÃO A escola necessita formar seu aluno a aprender a ler o mundo, ter autonomia para buscar seu conhecimento, incentivá-lo a ser autor

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Terceira Idade e Movimento

Mostra de Projetos 2011. Terceira Idade e Movimento Mostra de Projetos 2011 Terceira Idade e Movimento Mostra Local de: Campina Grande do Sul Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Secretaria

Leia mais

http://sigproj1.mec.gov.br/projetos/imprimir.php?modalidade=1&projeto_id=126773...

http://sigproj1.mec.gov.br/projetos/imprimir.php?modalidade=1&projeto_id=126773... Página 1 de 7 Imprimir Fechar 1. Introdução 1.1 Identificação da Ação Título: A Melhor Idade na Era Digital 2013 Coordenador: Tipo da Ação: / Docente Projeto Edital: EDITAL PAEX 04/2012 Vinculada à Programa

Leia mais

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Pró-Reitoria de Extensão Projeto de Extensão Direitos Humanos e Inclusão NÚCLEO UNIV BETIM CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROEX-2012/7245-1S Mulheres de Isabel

Leia mais

PROJETO. A inserção das Famílias no CAMP

PROJETO. A inserção das Famílias no CAMP PROJETO A inserção das Famílias no CAMP APRESENTAÇÃO O CAMP-Gna é uma entidade filantrópica sediada em Goiânia, no Setor Central, onde funciona ininterruptamente há 36 anos. Desde 01 de julho de 1973,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 7º semestre

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 7º semestre EIXO TECNOLÓGICO: Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( )integrado( )subsequente( )concomitante ( ) bacharelado (x)licenciatura( )tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: UMA PROPOSTA UTILIZANDO TECNOLOGIAS I Mostra de Iniciação Científica I MIC 23 e 24 de setembro de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

Leia mais

INCLUSÃO E DIVULGAÇÃO DAS ATIVIDADES DE GERAÇÃO DE RENDA DAS ALUNAS DO PROGRAMA MULHERES MIL DE SÃO JOÃO DA BARRA NAS REDES SOCIAIS

INCLUSÃO E DIVULGAÇÃO DAS ATIVIDADES DE GERAÇÃO DE RENDA DAS ALUNAS DO PROGRAMA MULHERES MIL DE SÃO JOÃO DA BARRA NAS REDES SOCIAIS INCLUSÃO E DIVULGAÇÃO DAS ATIVIDADES DE GERAÇÃO DE RENDA DAS ALUNAS DO PROGRAMA MULHERES MIL DE SÃO JOÃO DA BARRA NAS REDES SOCIAIS Resumo Solange da Silva Figueiredo; Isabel Cristina da Silva Gonçalves;

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1. COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1. COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM LOGO: APRENDIZAGEM DE PROGRAMAÇÃO E GEOMETRIA * 1 COSTA, Igor de Oliveira 1, TEIXEIRA JÚNIOR, Waine 2 Palavras-CHAVE: formação de professores, programação, Logo Introdução As

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Nome da Instituição: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/ NÚCLEO DE APOIO À INCLUSÃO DO ALUNO COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS Responsável pelo preenchimento das informações: HELIANE

Leia mais

Diminuir as diferenças culturais e sociais provocadas pela exclusão digital;

Diminuir as diferenças culturais e sociais provocadas pela exclusão digital; PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA BOLSISTA DO Edital MCT/CNPq Nº 49/2010 REID/Casa Brasil, COMO PROPONENTE: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO. DESCRIÇÃO O Instituto

Leia mais

USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência

USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência USO DE JOGOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA PARA IDOSOS: Relatos de Experiência Lucas Santiago Rodrigues Graduando em Sistemas de Informação na UFMS Natália Fernanda de Castro Meira Graduanda em Engenharia de

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim - ES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Introdução O Programa Municipal de Educação Ambiental estabelece diretrizes, objetivos, potenciais participantes, linhas

Leia mais

AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL

AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL AS TECNOLOGIAS, A CIÊNCIA E A PESQUISA NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Márcia Adriana Rosmann 1 Francieli da Veiga dos Santos 2 Palavras-chaves: Formação. Informação. Comunicação. Escola. A escola de Educação

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

História. ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações

História. ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações História ADAV: Associação para o Desenvolvimento e a Assistência de Talentos e Vocações Em 1929, convidada a dirigir um dos primeiros laboratórios de psicologia de Minas Gerais, ligado à Escola de Aperfeiçoamento

Leia mais

TÍTULO: REFORÇO ESCOLAR: CONTRIBUINDO PARA O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES. TEMA: BRINCAR DE APRENDER. GRUPO:

TÍTULO: REFORÇO ESCOLAR: CONTRIBUINDO PARA O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES. TEMA: BRINCAR DE APRENDER. GRUPO: TÍTULO: REFORÇO ESCOLAR: CONTRIBUINDO PARA O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES. TEMA: BRINCAR DE APRENDER. GRUPO: Alda Nery Danielle Alvarenga Gieze Belleza Margareth Gonçalves Jucilene Dias Luciana

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. A Universidade e a Comunidade de Mãos Dadas

Mostra de Projetos 2011. A Universidade e a Comunidade de Mãos Dadas Mostra de Projetos 2011 A Universidade e a Comunidade de Mãos Dadas Mostra Local de: Arapongas. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: (campo

Leia mais

PROJETO VEM CUIDAR DE MIM

PROJETO VEM CUIDAR DE MIM PROJETO VEM CUIDAR DE MIM APRESENTAÇAO DA ENTIDADE O Asilo Dr. Carlos Romeiro, Instituição de Longa Permanência, com sede na rua dos Vicentinos, nº 33, Bairro Queluz, Conselheiro Lafaiete MG, Obra Unida

Leia mais

Ao tratar da questão da Qualidade de Vida nas Escolas, um grande

Ao tratar da questão da Qualidade de Vida nas Escolas, um grande 14 Elaboração de Projetos Voltados para a Qualidade de Vida na Escola Maria Auxiliadora de Freitas Reis Especialista em Ontologia da Linguagem na PUC Brasília Estela Marina Alves Boccaletto Doutoranda

Leia mais

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB Introdução Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho Universidade Federal

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014

INVESTIMENTO SOCIAL. Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Agosto de 2014 INVESTIMENTO SOCIAL Nós promovemos o desenvolvimento sustentável de diversas maneiras Uma delas é por meio do Investimento Social INVESTIMENTO INVESTIENTO SOCIAL - Estratégia

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano Base: 2014 Título do Projeto: Pastoral da criança Tipo de Projeto:

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA. Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO EMPRESARIAL: REFLEXÕES SOBRE O TEMA Renata Ferraz de Toledo Maria Claudia Mibielli Kohler REPRESENTAÇÕES DE EDUCAÇÃO E DE MEIO AMBIENTE O QUE ENTENDEMOS POR EDUCAÇÃO? O QUE

Leia mais

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE.

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. Joelma Carvalho Vilar(UFS) 1 Cleverton dos Santos(UFS) 2 Érica Santos de Jesus(UFS) 3 Vera Lúcia Mendes de Farias(UFS)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE MIDIAS NA EDUCAÇÃO ANGELA CRISTINA NUNES GUEDES HUERTAS ORIENTADOR: PROFESSOR: PAULO GUILHERMETI O ENSINO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL:

Leia mais

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental

Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental Diretrizes Pedagógicas e Programa Municipal de Educação Ambiental GOVERNO DO ESTADO DE SÃO APULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIRETRIZES PEDAGÓGICAS O que se espera

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE INCLUSÃO DE META COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS E FISCALIZ S AO PLN 0002 / 2007 - LDO Página: 489 de 2393 ESPELHO DE S DE INCLUSÃO DE META AUTOR DA 24760001 0461 Promoção da Pesquisa e do Desenvolvimento Científico

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO PROJETO DE ETENSÃO CÂMPUS: Campos Belos ANO DE EECUÇÃO: 2015 LINHAS DE

Leia mais

Hospital de Caridade de Ijuí. Projeto Jovem Aprendiz

Hospital de Caridade de Ijuí. Projeto Jovem Aprendiz Hospital de Caridade de Ijuí Projeto Jovem Aprendiz Abril / 2010 IDENTIFICAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO Nome: Associação Hospital de Caridade Ijuí CNPJ: 90.730.508/0001-38 Principal Responsável pela Organização:

Leia mais

Universidade Aberta Para a Terceira Idade - Projeto Maioridade

Universidade Aberta Para a Terceira Idade - Projeto Maioridade Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 Universidade Aberta Para a Terceira Idade - Projeto Maioridade Área Temática de Saúde Resumo No Brasil

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido.

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Criar novos mecanismos de intercâmbio e fortalecer os programas de intercâmbio já existentes,

Leia mais

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM 1.1. TÍTULO DO PROJETO: Programa História e Memória Regional 1.2. CURSO: Interdisciplinar 1.3. IDENTIFICAÇÃO DO(A) PROFESSOR(A) /PROPONENTE 1.3.1.

Leia mais

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS Marcia Aparecida Alferes 1 Resumo O presente texto pretende refletir sobre a questão da alfabetização como conceito presente nas políticas educacionais que

Leia mais

REGULAMENTO SEMANA UEMG

REGULAMENTO SEMANA UEMG REGULAMENTO SEMANA UEMG Belo Horizonte, abril de 2015 0 SUMÁRIO CAPÍTULO I DA SEDE, DATA E DA INSTITUIÇÃO PROMOTORA... 2 CAPÍTULO II DA ABRANGÊNCIA DA SEMANA UEMG... 2 CAPÍTULO III DOS OBJETIVOS... 2 CAPÍTULO

Leia mais

Colégio Cenecista Dr. José Ferreira

Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Colégio Cenecista Dr. José Ferreira QUADRINHOS NA CIÊNCIAS Área de Concentração: Ciências Naturais Disciplina de Concentração: Ciências Professores: Maria José Lima, Polyana Noronha e Thaianne Lopes Uberaba

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms.

PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms. FUNDAÇÃO UNIVERSITARIA FEDERAL DO TOCANTINS UFT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE PALMAS PROJETO DE PESQUISA: UTILIZAÇÃO DE CALCULADORA CIENTÍFICA MODELO CASIO fx-82ms. Autores: Prof. Paulo Alexandre Oliveira Acad.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

USO DA ROBÓTICA PARA O ESTUDO DE ALGORITMOS Pesquisa em andamento

USO DA ROBÓTICA PARA O ESTUDO DE ALGORITMOS Pesquisa em andamento USO DA ROBÓTICA PARA O ESTUDO DE ALGORITMOS Pesquisa em andamento Larissa Rozza Peluso 1 ; Cátia dos Reis Machado 2 RESUMO A aprendizagem do conteúdo da disciplina de Algoritmos e Programação de Computadores

Leia mais