SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS GT SINAN SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET AGRAVO: AIDS ADULTO Nome do campo Tipo Categoria Descrição Características DBF Código conforme Ocupação/Ramo de classificação Portaria nº 3.947/GM em 25 varchar (6) Atividade Econômica Brasileira de de novembro de 1998 ID_OCUPACA Ocupações Transmissão Vertical varchar (1) Sexual foi transmissão vertical 1 Relações sexuais com Homens 2 Relações sexuais com Provável modo de transmissão do HIV: de mãe para filho Provável modo de transmissão do HIV: sexual Se opção for igual a 1 e a data de nascimento do paciente for igual ou anterior 1980 (data de diagnóstico do primeiro caso notificado de aids no Brasil) Incluir a seguinte mensagem de alerta: Você está incluindo um caso de aids com provável modo de transmissão vertical. Confirma essa informação? Aceitar apenas os códigos Quando o paciente for do sexo feminino e for assinalado Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 1/8 ANT_TRASMI ANT_REL_SE

2 Mulheres 3 Relações sexuais com homens e mulheres 4 Não foi transmissão sexual a opção 2 o programa deve mostrar uma mensagem alertando para a notificação de paciente Incluir a seguinte mensagem de alerta: Você está incluindo um caso de aids com provável modo de transmissão homossexual feminina. Confirma essa informação? Sanguínea Uso de Droga injetável Sanguínea Tratamento/hemotransfu são para hemofilia 3 Ignorado Provável modo de transmissão do HIV: uso de drogas injetáveis Provável modo de transmissão do HIV: tratamento Quando paciente do sexo para feminino, preencher hemofilia/hemotra automaticamente com a nsfusão categoria 2 (não). ANT_DROGA ANT_HEMOLF Sanguínea Transfusão sanguínea Sanguínea Acidente com material biológico com posterior soroconversão até 6 meses Provável modo de transmissão: transfusão sanguínea Se campo = 1 o sistema deve exigir a obrigatoriedade do preenchimento do campo (Data da transfusão), (UF de transfusão), (Município onde foi realizada transfusão) Se campo = 1 o sistema deve exigir a obrigatoriedade do preenchimento do campo (Data do evento), (UF de transfusão), (Município onde Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 2/8 ANT_T_HEMO ANT_ACIDEN

3 Data do evento date dd/mm/aaaa UF Município onde foi realizada a transfusão/acidente Instituição onde foi realizada a transfusão/acidente Varchar(2) Varchar(6) Varchar(8) varchar(70) município onde foi realizada a transfusão sangüínea do paciente (código IBGE) Nome da Instituição onde foi realizada a Transfusão foi realizada transfusão) Campo obrigatório se no campo (Sanguínea) for assinalado transfusão sanguínea igual a 1 e campo obrigatório se no campo (Sanguínea) for assinalado acidente com material biológico com posterior soroconversão até 6 meses igual a 1 Campo obrigatório se no campo (Sanguínea) for assinalado transfusão sanguínea igual a 1 e campo obrigatório se no campo (Sanguínea) for assinalado acidente com material biológico com posterior soroconversão até 6 meses igual a 1 Campo obrigatório se no campo (Sanguínea) for assinalado transfusão sanguínea igual a 1 e campo obrigatório se no campo (Sanguínea) for assinalado acidente com material biológico com posterior soroconversão até 6 meses igual a 1 Campo obrigatório se no campo (Sanguínea) for assinalado transfusão sanguínea igual a 1 e campo obrigatório se no campo (Sanguínea) for assinalado acidente com Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 3/8 ANT_DT ANT_UF ANT_MUNICI ANT_INSTIT

4 Após investigação realizada conforme algoritmo do PN DST/AIDS, a transfusão / varchar(2) acidente com material biológico foi considerada causa da infecção pelo HIV? Evidência laboratorial de infecção pelo HIV (Teste de triagem) 1 Sim 2 Não 3 Não se aplica 1 Positivo / Reagente 2 Negativo / Não reagente 3 Inconclusivo 4 Não realizado 9 Ignorado material biológico com posterior soroconversão até 6 meses for igual a 1 se campo transfusão sanguínea = 1 ou acidente com material com posterior soroconversão até 6 meses = 1. Aceitar apenas os códigos Data da coleta Date dd/mm/aaaa Informar a data da coleta do teste de triagem 1 Positivo / Reagente Evidência laboratorial de 2 Negativo / infecção pelo HIV Não reagente (Teste confirmatório) 3 Inconclusivo 4 Não realizado 9 Ignorado Informar data de Data de coleta Date dd/mm/aaaa coleta do teste confirmatório 1 Positivo / Reagente Teste rápido 1 2 Negativo / Não reagente 3 Inconclusivo 4 Não realizado ANT_TRANSF LAB_TRIAG1 DTTRIAGEM1 LAB_CONFIR DTTRIAGEM2 TPRAPIDO1 Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 4/8

5 Teste rápido 2 Teste rápido 3 Data da coleta dos exames Sarcoma de Kaposi (10) Tuberculose disseminada/ extrapulmonar/ não cavitária (10) Candidose oral ou leucoplasia pilosa (5) Tuberculose pulmonar cavitária ou não especificada (5) Date 9 Ignorado 1 Positivo / Reagente 2 Negativo / Não reagente 3 Inconclusivo 4 Não realizado 9 Ignorado 1 Positivo / Reagente 2 Negativo / Não reagente 3 Inconclusivo 4 Não realizado 9 Ignorado Informar data de dd/mm/aaaa realização dos testes rápidos Sarcoma de Kaposi Pontuação (10). Tuberculose disseminada/extra pulmonar/ não cavitária Pontuação (10) Candidíase Oral ou Leucoplasia Pilosa Pontuação (5) Tuberculose pulmonar cavitária ou não especificada Pontuação (5) Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 5/8 TPRAPIDO2 TPRAPIDO3 DTRAPIDO1 ANT_SARCOM ANT_TUBERC ANT_CANDID ANT_PULMON Herpes Zoster em ANT_HERPES

6 Herpes Zoster em indivíduo menor ou igual a 60 anos (5) indivíduo menor ou igual a 60 anos Pontuação (5) Disfunção do sistema nervoso central (5) Disfunção do sistema nervoso central Pontuação (5) ANT_DISFUN Diarréia igual ou maior a 1 mês (2) Diarréia igual ou maior que um 1 mês ANT_DIARRE Febre maior ou igual a 38ºC por tempo maior ou igual a 1 mês (2) Caquexia ou perda de peso maior que 10% (2) Astenia maior ou igual a 1 mês (2) Febre maior ou igual 38º C, por tempo maior ou igual a 1 mês Excluída a tuberculose como causa Caquexia ou pedra de peso maior que 10% Excluída a tuberculose como causa Incluir a seguinte mensagem; Excluída a tuberculose como causa ao entrar no campo Incluir a seguinte mensagem; Excluída a tuberculose como causa ao entrar no campo Astenia maior ou igual a 1 mês Excluída a Incluir a seguinte mensagem; tuberculose como Excluída a tuberculose como causa causa ao entrar no campo Astenia maior ou igual a 1 mês ANT_FEBRE ANT_CAQUEX ANT_ASTERI ANT_DERMAT Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 6/8

7 Dermatite persistente (2) Anemia e/ou linfopenia e/ou trombocitopenia (2) Tosse persistente ou qualquer pneumonia (2) Linfadenopatia Maior ou Igual a 1 cm, Maior ou Igual a 2 sítios extrainquinais por tempo maior ou igual a 1 mês (2) Critério CDC adaptado Câncer cervical invasivo Candidose Esôfago Anemia e/ou linfopenia e/ou trombocitopenia Tosse persistente ou qualquer pneumonia Excluída a tuberculose como causa Incluir a seguinte mensagem; Excluída a tuberculose como causa Linfadenopatia maior ou igual a 1 cm, maior ou igual a 2 sítios extra inquinais por tempo maior ou igual a 1 mês Câncer cervical invasivo Crítica: se sexo=masculino, preencher automaticamente com o código 2. Candidose (esôfago, traquéia, brônquios,pulmão ) ANT_ANEMIA ANT_TOSSE ANT_LINFO ANT_CANCER ANT_ESOFAG Candidose Traquéia, Brônquio, Pulmão Candidose (esôfago, traquéia, brônquios,pulmão ANT_PULMAO Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 7/8

8 ) Citomegalovirose (exceto fígado, baço ou linfonodos) Criptococose extrapulmonar Criptosporidiose intestinal crônica >1 mês Herpes Simples mucocutâneo > 1 Mês Histoplasmose Disseminada Isosporidiose intestinal crônica > 1 mês Leucoencefalopatia Multifocal Progressiva Citomegalovirose Criptococose (Extra Pulmonar) Criptosporidíase Herpes Simples (Muco Cutâneo > 1 mês, esôfago, brônquios, pulmão) Histoplasmose disseminada Isosporíase Leucoencefalopati a Multifocal Progressiva ANT_CITO ANT_CRIPTO ANT_CRIP_1 ANT_H_SIMP ANT_HISTO ANT_ISOPOR ANT_LEUCO Linfoma Não Hodgkin e outros linfomas Linfoma não Hodgkin ANT_LINFOM Linfoma Primário do Cérebro Microbacteriose disseminada exceto Linfoma Primário do Cérebro Micobacteriose Disseminada ANT_LINFO_ ANT_MICRO Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 8/8

9 tuberculose e hanseníase Pneumonia por Pneumocystis carinii Reativação de doença de Chagas (meningoencefalite e/ou miocardite) Salmonelose (Septicemia Recorrente não tifóide) Toxoplasmose Cerebral Contagem de linfócitos T CD4+ menor que 350 cel/mm 3 Critério óbito Declaração de óbito com menção de aids, ou HIV e causa de morte associada à imunodeficiência, sem classificação por outro critério após investigação UF Município Onde se Realiza o Tratamento varchar(2) varchar(6) Pneumonia por P. Carinii Salmonelose (sepcemia recorrente) Toxoplasmose cerebral Critério de definição de caso para fins de vigilância epidemiológica Nome da unidade federada onde se realiza o tratamento Nome do município onde se realiza o Se assinalada a categoria = 1 o campo Evolução do caso deve obrigatoriamente estar preenchido com as categorias 2 (Óbito por aids) Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 9/8 ANT_PNEUMO ANT_MIOCAR ANT_SALMO ANT_TOXO ANT_CONTAG CRITERIO TRA_UF TRA_MUNICI

10 Numeric(8) Unidade de Saúde Onde se Realiza o Tratamento varchar(70) Evolução do caso Data do Óbito Critério de definição de caso date varchar(3) 1 Vivo 2 Óbito por Aids 3 Óbito por outras causas 100 CDC adaptado 300 Rio de 600 Critério óbito 900 Descartado 901 HIV+ tratamento Nome da unidade de saúde onde se realiza o tratamento Data do óbito do paciente Se campo Evolução do Caso = 2 ou 3, campo Data de Óbito é de preenchimento obrigatório. Se o campo Critério óbito = 1 ou Evolução do Caso = 3, Data de óbito deve ser menor ou igual à Data de Notificação. Campo interno TRA_UNIDAD ID_EV_NOT DT_OBITO ID_CRITERI Área: <Sigla> Projeto: <Sigla / Nome do Projeto> Em issão: <00/00/0000> Arquivo: <Nome do Arquivo> Pág 10/8

DICIONÁRIO DE DADOS - SINAN NET - Versão 4.0

DICIONÁRIO DE DADOS - SINAN NET - Versão 4.0 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA CENTRO DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS EM VIGILÂNCIA EM SAÚDE GT-SINAN SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, Interino, no uso de suas atribuições, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, Interino, no uso de suas atribuições, resolve: PORTARIA Nº 486, DE 16 DE MAIO DE 2.000 O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, Interino, no uso de suas atribuições, resolve: Art. 1º - Expedir a edição revisada e atualizada das orientações e critérios relativos

Leia mais

AIDS TRANSMISSÃO FISIOPATOGENIA. Conceição Pedrozo

AIDS TRANSMISSÃO FISIOPATOGENIA. Conceição Pedrozo AIDS TRANSMISSÃO FISIOPATOGENIA Conceição Pedrozo 2010 Fisiopatogenia, História Natural da Infecção pelo HIV e Infecção Primária ETIOLOGIA O HIV 1 E 2 são membros da família Retroviridae e pertencem ao

Leia mais

Chapecó. 1. Secretaria de Estado da Saúde Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional de

Chapecó. 1. Secretaria de Estado da Saúde Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional de Perfil epidemiológico dos clientes com AIDS cadastrados no Sistema de Controle Logístico de Medicamentos no Hospital Dia Aids no município de Chapecó-SC no ano de 2007. Otilia Cristina Coelho Rodrigues

Leia mais

Patologia Geral AIDS

Patologia Geral AIDS Patologia Geral AIDS Carlos Castilho de Barros Augusto Schneider http://wp.ufpel.edu.br/patogeralnutricao/ SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA (AIDS ou SIDA) Doença causada pela infecção com o vírus

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS GT SINAN AGRAVO: RAIVA HUMANA Nome do campo Data da Investigação

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Programa Nacional de DST e Aids

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Programa Nacional de DST e Aids Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Programa Nacional de DST e Aids Série Manuais n.º 60 Brasil 2004 2004 Ministério da Saúde É permitida a reprodução parcial ou total, desde que citada

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO. DICIONÁRIO DE DADOS - SINAN NET - Versão 4.0

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO. DICIONÁRIO DE DADOS - SINAN NET - Versão 4.0 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA CENTRO DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS EM VIGILÂNCIA EM SAÚDE GT-SINAN AGRAVO: RAIVA HUMANA 31. Data da Investigação

Leia mais

HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica. Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano)

HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica. Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano) HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano) AIDS Conceito Doença que manifesta-se por infecções comuns de repetição, infecções

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS - SINAN NET

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO DICIONÁRIO DE DADOS - SINAN NET MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS GT-SINAN AGRAVO: LEISHIMANIOSE VISCERAL SISTEMA DE INFORMAÇÃO

Leia mais

REVISÃO DA DEFINIÇÃO NACIONAL DE CASOS DE AIDS EM INDIVÍDUOS COM 13 ANOS OU MAIS, PARA FINS DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

REVISÃO DA DEFINIÇÃO NACIONAL DE CASOS DE AIDS EM INDIVÍDUOS COM 13 ANOS OU MAIS, PARA FINS DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Ministério da Saúde Secretaria de Políticas de Saúde Coordenação Nacional de DST e Aids REVISÃO DA DEFINIÇÃO NACIONAL DE CASOS DE AIDS EM INDIVÍDUOS COM 13 ANOS OU MAIS, PARA FINS DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

Leia mais

Circular 0158/2000 São Paulo, 17 de Maio de 2000.

Circular 0158/2000 São Paulo, 17 de Maio de 2000. [fesehf/cabecalho.htm] Circular 0158/2000 São Paulo, 17 de Maio de 2000. Assunto: Publicações Diversas Prezado (a) Senhor (a), Administrador(a) Farmácia O Ministério da Saúde fez publicar no D.O.U.nº 94

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS Descrição Doença que representa um dos maiores problemas de saúde da atualidade, em função de seu

Leia mais

INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU

INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU DOENÇAS INDICADORAS DE INFECÇÃO PELO HIV/AIDS DETECÇÃO TARDIA: A DOENÇA JÁ COMEÇOU Doenças indicativas de infecção Síndrome retroviral aguda Febre prolongada Diarréia crônica pelo HIV / AIDS Infecções

Leia mais

PERFIL DAS DOENÇAS INDICATIVAS DE AIDS DE ACORDO COM O CRITÉRIO CDC ADAPTADO NO ESTADO DA PARAÍBA

PERFIL DAS DOENÇAS INDICATIVAS DE AIDS DE ACORDO COM O CRITÉRIO CDC ADAPTADO NO ESTADO DA PARAÍBA PERFIL DAS DOENÇAS INDICATIVAS DE AIDS DE ACORDO COM O CRITÉRIO CDC ADAPTADO NO ESTADO DA PARAÍBA PROFILE OF AGREEMENT AIDS INDICATIVE DISEASES WITH DISCRETION CDC ADAPTED AS OF PARAÍBA Maria Soraya Pereira

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F.

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F. UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F. BRASÍLIA DF 2009 PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL

Leia mais

DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET

DICIONÁRIO DE DADOS SINAN NET MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS GT SINAN DRT_Pneumoniose SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 09/2014

NOTA TÉCNICA Nº 09/2014 ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SESAU DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVEP GERÊNCIA DE AGRAVOS DE TRANSMISSÃO RESPIRAT, SEXUAL, VIG DO ÓBITO E SIST DE INFORMAÇÃO E - GATRSVOSI NÚCLEO

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO. DICIONÁRIO DE DADOS - SINAN NET Versão 4.0

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO. DICIONÁRIO DE DADOS - SINAN NET Versão 4.0 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA CENTRO DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS EM VIGILÂNCIA EM SAÚDE GT-SINAN SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVO DE NOTIFICAÇÃO

Leia mais

BENTO GONÇALVES RELATÓRIO EPIDEMIOLÓGICO SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA - SIDA SISTEMA DE INFORMAÇÕES SOBRE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SINAN

BENTO GONÇALVES RELATÓRIO EPIDEMIOLÓGICO SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA - SIDA SISTEMA DE INFORMAÇÕES SOBRE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SINAN Bento Gonçalves SIDA 1986 a 2013 SMS Serviço de Vigilância Epidemiológica 1 2 Bento Gonçalves SIDA 1986 a 2013 SMS Serviço de Vigilância Epidemiológica BENTO GONÇALVES RELATÓRIO EPIDEMIOLÓGICO SÍNDROME

Leia mais

AID S C ID 10 : B 2 0 a B 2 4

AID S C ID 10 : B 2 0 a B 2 4 AID S C ID 10 : B 2 0 a B 2 4 D e s c riç ã o A aids é um a doença em ergente,que representa um dos m aiores problem as de saúde da atualidade em virtude de seu caráter pandêm ico e gravidade. O s infectados

Leia mais

AIDS PERINATAL. Licia Moreira UFBA

AIDS PERINATAL. Licia Moreira UFBA Licia Moreira UFBA Definição de AIDS na CRIANÇA Toda criança com menos de 13 anos com evidência laboratorial de infecção Uma amostra de soro repetidamente positiva em teste como ELISA, IFI (pesquisa de

Leia mais

Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS

Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS Lucia Mardini DVAS Hepatites Virais Hepatite: inflamação do fígado. As hepatites podem

Leia mais

INFECÇÃO VIH/SIDA. Francisco Antunes

INFECÇÃO VIH/SIDA. Francisco Antunes INFECÇÃO VIH/SIDA Francisco Antunes Professor Catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e Director do Serviço de Doenças Infecciosas do Hospital de Santa Maria Disciplina de Doenças

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS COORDENAÇÃO DE DENGUE

SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS COORDENAÇÃO DE DENGUE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS COORDENAÇÃO DE DENGUE NOTA TÉCNICA nº 01/2014 GVEDT/SUVISA/SES-GO COORDENAÇÃO DE DENGUE Goiânia,

Leia mais

PESQUISA. Revista Brasileira de Ciências da Saúde ISSN 1415-2177

PESQUISA. Revista Brasileira de Ciências da Saúde ISSN 1415-2177 PESQUISA Revista Brasileira de Ciências da Saúde Research DOI:10.4034/RBCS.2014.18.s1.01 Volume 18 Suplemento 1 Páginas 5-12 2014 ISSN 1415-2177 Prevalência das Coinfecções em Pacientes Notificados com

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS VIVENDO COM HIV/AIDS EM PELOTAS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO. Ângela Beatriz Affeldt

CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS VIVENDO COM HIV/AIDS EM PELOTAS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO. Ângela Beatriz Affeldt UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS DEPARTAMENTO DE MEDICINA SOCIAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EPIDEMIOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE PÚBLICA BASEADA EM EVIDÊNCIAS CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS VIVENDO

Leia mais

Hélio Vasconcellos Lopes

Hélio Vasconcellos Lopes HIV/AIDS no Município de Santos e dados brasileiros Hélio Vasconcellos Lopes Coordenador do Programa Municipal DST/AIDS/Hepatites da Secretaria Municipal de Saúde Professor titular da Faculdade de Medicina

Leia mais

I n f o r m e E p i d e m i o l ó g i c o D S T - A I D S 1

I n f o r m e E p i d e m i o l ó g i c o D S T - A I D S 1 1 2 GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SECRETÁRIO DE ESTADO DE SAÚDE José Leôncio de Andrade Feitosa SUPERINTENDENTE DE SAÚDE Angela Cristina Aranda SUPERINTENDENTE

Leia mais

A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS. SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR

A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS. SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DA AIDS NO BRASIL Desde o início de 1980 até junho de 2012 foram registrados

Leia mais

Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade

Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade Seminário: Estudos e Pesquisas em DST/HIV/Aids determinantes epidemiológicos e sóciocomportamentais Porto Alegre 14-16/12/09 Ângela Tayra Divisão de Vigilância

Leia mais

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae.

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae. A Equipe Multiprofissional de Saúde Ocupacional da UDESC lembra: Dia 01 de dezembro é dia mundial de prevenção à Aids! Este material foi desenvolvido por alunos do Departamento de Enfermagem da Universidade

Leia mais

Nome do campo Campo Tipo Categoria Descrição Características DBF Campo obrigatório 31-Data da Investigação

Nome do campo Campo Tipo Categoria Descrição Características DBF Campo obrigatório 31-Data da Investigação MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA CENTRO DE INFORMAÇÕES ESTRATÉGICAS EM VIGILÂNCIA EM SAÚDE GT-SINAN SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1 Resumo do Perfil epidemiológico por regiões HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 Resumo do perfil epidemiológico por regiões SAÚDE 1 HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 APRESENTAçÃO Hoje, no

Leia mais

Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV" Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov.

Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov. Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV" Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov.br Casos notificados de AIDS, Brasil e São Paulo - 1980 a

Leia mais

Retrovírus: AIDS. Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos

Retrovírus: AIDS. Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos Retrovírus: AIDS Apresentador: Eduardo Antônio Kolling Professor: Paulo Roehe Pós doutorandos: Fabrício Campos e Helton dos Santos HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana) Surgimento: -Provável origem durante

Leia mais

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Corrimentos Gonorréia Clamídia Tricomonías e múltiplos bactéria NÃO SIM Candida albicans Neisseria gonorrhoeae Chlamydia trachomatis

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA 1 ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA À SAÚDE ASSUNTOS DESTE INFORME Agravos notificados

Leia mais

D urante a gestação há m aior concentração do HIV no uido cérvico-vaginal,o que potencialm ente aum enta o risco de transm issão sexualdesse vírus.

D urante a gestação há m aior concentração do HIV no uido cérvico-vaginal,o que potencialm ente aum enta o risco de transm issão sexualdesse vírus. R e s e rv a tó rio O hom em. M o d o d e tra n s m is s ã o e tra n s m is s ib ilid a d e O HIV pode ser transm itido pelo sangue (via parenterale vertical),esperm a,secreção vaginal(via sexual) e leite

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010 Briefing Boletim Epidemiológico 2010 1. HIV Estimativa de infectados pelo HIV (2006): 630.000 Prevalência da infecção (15 a 49 anos): 0,61 % Fem. 0,41% Masc. 0,82% 2. Números gerais da aids * Casos acumulados

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/ AIDS ESTADO DE GOIÁS

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/ AIDS ESTADO DE GOIÁS BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/ AIDS ESTADO DE GOIÁS GOIÁS 2015 Situação Epidemiológica da AIDS no Estado de Goiás Secretaria de Estado da Saúde de Goiás Superintendência de Políticas de Atenção Integral à

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO HIV/AIDS E COINFECÇÕES NO ESTADO DE GOIÁS

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO HIV/AIDS E COINFECÇÕES NO ESTADO DE GOIÁS SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE GERÊNCIA DE PROGRAMAS ESPECIAIS COORDENAÇÃO ESTADUAL DE DST/AIDS PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO HIV/AIDS E COINFECÇÕES NO ESTADO DE GOIÁS Goiânia, 2012

Leia mais

III UNIDADE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA AIDS

III UNIDADE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA AIDS III UNIDADE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA AIDS 1 COMPETÊNCIA Capacidade para planejar, coordenar, executar, monitorar e avaliar ações de Vigilância Epidemiológica (VE) da aids. HABILIDADE Identificar as

Leia mais

EVOLUÇÃO TEMPORAL DE MANIFESTAÇÕES ORAIS NOTIFICAÇÃO EM PORTADORES DE AIDS

EVOLUÇÃO TEMPORAL DE MANIFESTAÇÕES ORAIS NOTIFICAÇÃO EM PORTADORES DE AIDS EVOLUÇÃO TEMPORAL DE MANIFESTAÇÕES ORAIS NOTIFICAÇÃO EM PORTADORES DE AIDS Bárbara Letícia de Queiroz Xavier. Universidade Federal de Campina Grande/UFCG. Email: barbaraleticiaqx@hotmail.com Eliane de

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/AIDS

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/AIDS BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/AIDS CURITIBA/PR 2014 BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/AIDS CURITIBA/PR 2014 Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba Centro de Epidemiologia Coordenação de Vigilância Epidemiológica

Leia mais

AIDS e HIV AIDS NÚMERO ESTIMADO DE MORTES PROVOCADAS PELA AIDS NO MUNDO TODO (1980-2000) A AIDS ou Síndrome da Imunodeficiência

AIDS e HIV AIDS NÚMERO ESTIMADO DE MORTES PROVOCADAS PELA AIDS NO MUNDO TODO (1980-2000) A AIDS ou Síndrome da Imunodeficiência AIDS AIDS e A AIDS ou Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (do inglês Acquired Immunodeficiency Syndrome) caracteriza-se por uma profunda imunossupressão associada a infecções oportunistas, neoplasias

Leia mais

Teste de vacina contra Aids reduz risco de infecção 4

Teste de vacina contra Aids reduz risco de infecção 4 Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2009. Edição 14 Joelma Castro Sousa 1 Neyane de Moraes Francelino 1 Selonia Patrícia Oliveira Sousa 2 Otacílio Batista de Sousa

Leia mais

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com VIROSES Prof. Edilson Soares www.profedilson.com CATAPORA OU VARICELA TRANSMISSÃO Saliva Objetos contaminados SINTOMAS Feridas no corpo PROFILAXIA Vacinação HERPES SIMPLES LABIAL TRANSMISSÃO Contato

Leia mais

Aids ou Sida? www.interaulaclube.com.br

Aids ou Sida? www.interaulaclube.com.br A UU L AL A Aids ou Sida? A Aids é uma das doenças mais comentadas e pesquisadas dos últimos anos. Mesmo com os avanços que os especialistas vêm obtendo, ainda falta explicar muitos de seus aspectos. A

Leia mais

BENTO GONÇALVES RELATÓRIO EPIDEMIOLÓGICO SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA - SIDA SISTEMA DE INFORMAÇÕES SOBRE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SINAN

BENTO GONÇALVES RELATÓRIO EPIDEMIOLÓGICO SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA - SIDA SISTEMA DE INFORMAÇÕES SOBRE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SINAN 1 2 BENTO GONÇALVES RELATÓRIO EPIDEMIOLÓGICO SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA - SIDA SISTEMA DE INFORMAÇÕES SOBRE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO SINAN 7ª REVISÃO 1986 a 2012 Rio Grande do Sul Bento Gonçalves

Leia mais

Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer

Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer Vigilância Epidemiológica: Informar para conhecer Vigilância epidemiológica no Brasil 1990: Sistema de Informação de Agravos de Notificação SINAN 2007 SINAN Net - http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/

Leia mais

Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014. Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya

Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014. Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya Nota Técnica N.º 29 /14 Recife, 09 de outubro de 2014 Assunto: Notificação dos casos suspeitos da Febre Chikungunya 1. Características da doença A Febre do Chikungunya (CHIKV) é uma doença causada por

Leia mais

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico Secretaria Municipal de Saúde de Janaúba - MG Edição Julho/ 2015 Volume 04 Sistema Único de Saúde TUBERCULOSE VIGILÂNCIA Notifica-se, apenas o caso confirmado de tuberculose (critério clinico-epidemiológico

Leia mais

Sinan Net. Manual de Operação. Versão do produto: 5.0. Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014. Série A. Normas e Manuais Técnicos.

Sinan Net. Manual de Operação. Versão do produto: 5.0. Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Sinan Net Manual de Operação Versão do produto: 5.0 Edição do documento: 1.0 Outubro de 2014 Série A. Normas e Manuais Técnicos MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VIII nº 01

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VIII nº 01 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST ano VIII nº 01 27ª a 52ª semanas epidemiológicas - julho a dezembro de 2010 01ª a 26ª semanas epidemiológicas - janeiro a junho de 2011 2012. Ministério

Leia mais

Arquivos de definição: aidsw.def (aids adulto) e aidscw.def (aids criança) Base de dados: Iaids.DBF (aids adulto) e Iaidsc.

Arquivos de definição: aidsw.def (aids adulto) e aidscw.def (aids criança) Base de dados: Iaids.DBF (aids adulto) e Iaidsc. AIDS Para construir série histórica de alguns indicadores epidemiológicos e operacionais referentes a casos de aids adulto e criança anteriores ao ano de 2007, incluídos no SinanW, deve-se utilizar os

Leia mais

HIV no período neonatal prevenção e conduta

HIV no período neonatal prevenção e conduta HIV no período neonatal prevenção e conduta O HIV, agente causador da AIDS, ataca as células do sistema imune, especialmente as marcadas com receptor de superfície CD4 resultando na redução do número e

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

Encerramentos de Casos de Hepatites Virais no SINAN. Lucia Mardini DVAS

Encerramentos de Casos de Hepatites Virais no SINAN. Lucia Mardini DVAS Encerramentos de Casos de Hepatites Virais no SINAN Lucia Mardini DVAS Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS CEVS Rua Domingos Crescêncio Nº 132 sala 310 hepatites@saude.rs.gov.br

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

Direito à Previdência Social - RESOLUÇÃO INSS/DC Nº 089, de 05/04/2002, da Diretoria Colegiada do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS

Direito à Previdência Social - RESOLUÇÃO INSS/DC Nº 089, de 05/04/2002, da Diretoria Colegiada do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS Direito à Previdência Social - RESOLUÇÃO INSS/DC Nº 089, de 05/04/2002, da Diretoria Colegiada do Instituto Nacional do Seguro Social - INSS Aprova a Norma Técnica de Avaliação da Incapacidade Laborativa

Leia mais

Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias

Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias Diagnóstico Imunológico das Imunodeficiências Secundárias Dois tipos de imunodeficiências Primárias ou Congênitas Secundárias ou Adquiridas Imunodeficiências Secundárias Principais causas de imunodeficiências

Leia mais

Assunto: Nova classificação de caso de dengue OMS

Assunto: Nova classificação de caso de dengue OMS Assunto: Nova classificação de caso de dengue OMS 1. A partir de janeiro de 2014 o Brasil adotará a nova classificação de caso de dengue revisada da Organização Mundial de Saúde (detalhamento anexo I):

Leia mais

Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004

Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004 Memória de cálculo dos indicadores do Pacto de Atenção Básica 2004 Fontes de informação: A. População Todos os dados de população foram obtidos a partir do existente no site do Datasus www.datasus.gov.br/cgi/ibge/popmap.htm.

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 HIV AIDS. Brasília - 2012

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 HIV AIDS. Brasília - 2012 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 HIV AIDS Brasília - 2012 Ano I - nº 01 até semana epidemiológica 52ª - dezembro de 2012 Sumário Apresentação... 03 Introdução... 05 HIV e Aids no Brasil... 06

Leia mais

Manifestações Cardiológicas Relacionadas ao HIV/SIDA. Maria de Lourdes Giacomini. Medicina Interna e Infectologia

Manifestações Cardiológicas Relacionadas ao HIV/SIDA. Maria de Lourdes Giacomini. Medicina Interna e Infectologia Manifestações Cardiológicas Relacionadas ao HIV/SIDA Maria de Lourdes Giacomini Medicina Interna e Infectologia HCAA - 2006 INTRODUÇÃO 1981 - EUA São Francisco, NY Sarcoma de kaposi, PPC, imunodeficiência

Leia mais

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente Carrefour Guarujá Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente Enfª Bárbara Pereira Quaresma 2 O que é DST? Toda doença transmitida através de relação sexual. Você sabe como se pega uma DST? SEXO VAGINAL

Leia mais

Estimativa global de casos de Aids entre adultos e crianças, 2007. Pessoas vivendo com HIV/Aids, 2007. Total: 33 milhões (30 36 milhões)

Estimativa global de casos de Aids entre adultos e crianças, 2007. Pessoas vivendo com HIV/Aids, 2007. Total: 33 milhões (30 36 milhões) III Curso Nacional de Infecções Respiratórias Aids: Perfil atual da doença pulmonar na era pós-terapia anti-retroviral Dr. Unaí Tupinambás Dep. Clínica Médica da Faculdade de Medicina - UFMG Pessoas vivendo

Leia mais

Infecção pelo HIV e AIDS

Infecção pelo HIV e AIDS Infecção pelo HIV e AIDS Infecção pelo HIV e AIDS 1981: pneumonia por Pneumocystis carinii/jirovecii outros sinais e sintomas: infecção do SNC, infecção disseminada por Candida albicans, perda de peso,

Leia mais

PROJETO: MATEMÁTICA NA SAÚDE GRUPO C

PROJETO: MATEMÁTICA NA SAÚDE GRUPO C EE JUVENTINO NOGUEIRA RAMOS PROJETO: MATEMÁTICA NA SAÚDE TEMA : AIDS GRUPO C ADRIANO OSVALDO DA S. PORTO Nº 01 ANDERSON LUIZ DA S.PORTO Nº 05 CÍNTIA DIAS AVELINO Nº 11 CLAUDINEI MOREIRA L. JUNIOR Nº 12

Leia mais

Cara r cterí r s í tic i a c s a C lí l n í ic i as e E id i emi m o i ló l gic i as

Cara r cterí r s í tic i a c s a C lí l n í ic i as e E id i emi m o i ló l gic i as Histórico: Terapia Nutricional AIDS/SIDA Vânia Marra Passos Nutricionista Clínica do Hospital Anuar Auad - HDT 1977 1978 - Primeiros casos nos EUA, Haiti e África Central, descobertos e definidos como

Leia mais

Atividade 3 os anos Marcos/Juliano ago/09

Atividade 3 os anos Marcos/Juliano ago/09 Biologia Atividade 3 os anos Marcos/Juliano ago/09 Nome: Nº: Turma: Caríssimas e caríssimos! Dando continuidade ao nosso trabalho, mantida a distância corporal entre nós (prevenção), mas preservada a lembrança

Leia mais

Introdução. Infecção pelo HIV. Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade. Profundas repercussões sociais

Introdução. Infecção pelo HIV. Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade. Profundas repercussões sociais Introdução Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade Profundas repercussões sociais Possibilitou um enorme avanço no campo da virologia Prof. Marco Antonio Passou de doença letal a

Leia mais

I - Cronograma de implantação do patch 4.2.0.0 para UF, regionais, municípios e estabelecimentos de saúde.

I - Cronograma de implantação do patch 4.2.0.0 para UF, regionais, municípios e estabelecimentos de saúde. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Esplanada dos Ministérios, Edifício Sede, 1º andar, Sala 131 CEP 70.058-900 NOTA TÉCNICA N.º 01/2011 GT-SINAN/CIEVS/DEVEP/SVS/MS Assunto: Liberação

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VII nº 01

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VII nº 01 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST ano VII nº 01 27ª a 52ª semanas epidemiológicas - julho a dezembro de 2009 01ª a 26ª semanas epidemiológicas - janeiro a junho de 2010 2010. Ministério

Leia mais

Copenhagen HIV Programme University of Copenhagen Panum Institute, Building 21.1 Blegdamsvej 3B 2200 Copenhagen N Dinamarca www.cphiv.

Copenhagen HIV Programme University of Copenhagen Panum Institute, Building 21.1 Blegdamsvej 3B 2200 Copenhagen N Dinamarca www.cphiv. HIDES (Estudo de Doenças Indicadoras de VIH na Europa) Protocolo de pesquisa Versão: 1.1 (11 de Novembro de 2011) Comissão executiva: Nathan Clumeck, CHU Saint-Pierre, Bruxelas, Bélgica Jose Gatell, Hospital

Leia mais

Imunodeficiências: classificação e diagnóstico

Imunodeficiências: classificação e diagnóstico Imunodeficiências: classificação e diagnóstico Distúrbios de funcionamento do sistema imunológico conseqüências risco aumentado de infecções, doenças auto-imunes e câncer Características das infecções:

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015

BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015 BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015 AIDS O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde estima que aproximadamente 734 mil pessoas vivam com HIV/aids no país, o que corresponde

Leia mais

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO Sangue, fluidos orgânicos potencialmente infectantes (sêmen, secreção vaginal, liquor, líquido sinovial, líquido pleural, peritoneal, pericárdico,

Leia mais

AIDS / Uma epidemia em expansão

AIDS / Uma epidemia em expansão A negociação da divisão de trabalho, no cuidado com a casa, com os filhos, com a alimentação e etc.. vem sendo um dos grandes assuntos debatidos entre casais nos tempos modernos. Ainda assim, freqüentemente

Leia mais

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes IMPLANTAÇÃO DE TESTES RÁPIDOS DE HIV E SÍFILIS NA ATENÇÃO BÁSICA Os Testes Rápidos de HIV e Sífilis são estratégias importantes para a melhoria da qualidade da atenção à gestante durante o pré-natal, por

Leia mais

AIDS Síndrome da Imunodeficiência Humana

AIDS Síndrome da Imunodeficiência Humana AIDS Síndrome da Imunodeficiência Humana Vírus da imunodeficiência humana (HIV) gp120 gp41 p17 Dupla camada de lipídeos p24 Material genético e enzimas Estrutura do genoma do HIV-1 vpr rev rev gag vif

Leia mais

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio vírus Vírus - Características Gerais Seres acelulares Desprovidos de organização celular Não possuem metabolismo próprio Capazes de se reproduzir apenas no interior de uma célula viva nucleada Parasitas

Leia mais

INSTITUTO OSWALDO CRUZ. Mestrado em Medicina Tropical

INSTITUTO OSWALDO CRUZ. Mestrado em Medicina Tropical INSTITUTO OSWALDO CRUZ Mestrado em Medicina Tropical Leishmaniose Visceral em pacientes infectados por HIV. Estudo de casos observados em Campo Grande, MS, 2000-2006 Priscilla Alexandrino de Oliveira Rio

Leia mais

Doenças Infecciosas que Acometem a Cavidade Oral

Doenças Infecciosas que Acometem a Cavidade Oral Disciplina: Semiologia Doenças Infecciosas que Acometem a Cavidade Oral PARTE 2 http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 FAMÍLIA HHV Alfaherpesvirinae HHV1(herpes bucal)

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Doenças Sexualmente Transmissíveis são aquelas que são mais comumente transmitidas através da relação sexual. PRINCIPAIS DOENÇAS SEXUALMENTE

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE ALAGOAS. BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS/DST E HEPATITES VIRAIS Ano III nº 01

SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE ALAGOAS. BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS/DST E HEPATITES VIRAIS Ano III nº 01 SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE ALAGOAS BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS/DST E HEPATITES VIRAIS Ano III nº 01 1 2013. Secretária de Saúde do Estado de Alagoas É permitida a reprodução parcial ou total desta

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL RESOLUÇÃO INSS/DC Nº 089, DE 05 DE ABRIL DE 2002.

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL RESOLUÇÃO INSS/DC Nº 089, DE 05 DE ABRIL DE 2002. ASSUNTO: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL RESOLUÇÃO INSS/DC Nº 089, DE 05 DE ABRIL DE 2002. Aprova a Norma Técnica de Avaliação da Incapacidade Laborativa para fins de Benefícios Previdenciários em

Leia mais

Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e AIDS

Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e AIDS Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e AIDS O que é SIDA (AIDS) Síndrome da imunodeficiência adquirida, doença infecciosa crônica, progressiva e fatal que leva a destruição do sistema imunológico. Caracterizada

Leia mais