Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 LEITURA Redação 8ºAno Professora Patrícia Pinheiro

2 TEXTO DE OPINIÃO Objetivo Quando escrevemos um texto de opinião, nosso objetivo é o de convencer. Apresentamos nossa opinião em relação a determinado assunto e desejamos convencer nosso leitor a assumir o mesmo ponto de vista.

3 Conteúdo Para que se possa alcançar com êxito esse objetivo, é preciso conhecer muito bem o tema de que irá tratar. O autor do texto precisa ter dados e informações que justifiquem sua opinião, que possibilitem a ele construir bons argumentos, a favor ou contra o tema abordado.

4 A escrita de um texto de opinião pressupõe, geralmente, as seguintes etapas de trabalho (não necessariamente nesta ordem) : tomada de posição em relação ao tema (contra ou a favor); justificativa da posição assumida, com base em argumentos;

5 antecipação de possíveis argumentos contrários ao seu ponto de vista, contestando-os; conclusão do texto, reforçandose a posição assumida.

6 Levantados esses pontos, é preciso, também, que se observem dois aspectos fundamentais para a construção da coerência do texto: organização dos argumentos; ligação entre as diferentes partes do texto (frases, parágrafos; introdução, desenvolvimento e conclusão).

7 TEXTO ARGUMENTATIVO é o texto em que defendemos uma idéia, opinião ou ponto de vista, uma tese, procurando (por todos os meios) fazer com que nosso ouvinte/leitor aceite-a, creia nela.

8 TESE é a ideia que defendemos, necessariamente polêmica, pois a argumentação implica divergência de opinião.

9 A palavra ARGUMENTO tem uma origem curiosa: vem do latim ARGUMENTUM, que tem o tema ARGU, cujo sentido primeiro é "fazer brilhar", "iluminar. Os argumentos de um texto são facilmente localizados: identificada a tese, faz-se a pergunta por quê? (Ex.: o autor é contra a pena de morte (tese). Porque... (argumentos).

10 VOCÊ É A FAVOR DA PROIBIÇÃO DE JOGOS ELETRÔNICOS COM TEMAS VIOLENTOS?

11 SIM Se queremos combater a violência, temos que lidar também com suas causas e uma delas pode ser esse tipo de jogo eletrônico. Por propiciar uma participação ativa do jogador na criação da violência, a influência que ele exerce sobre as pessoas é muito maior que a de filmes ou programas de televisão, por exemplo. Existem pessoas que são mais suscetíveis a essa influência. Aquelas com personalidade limítrofe ou compreensão limitada podem confundir jogo e realidade. Como crianças que assistem ao desenho do Homem-Aranha e depois agem como se realmente fossem o super-herói. Todos nós mesmo os considerados normais interiorizamos essa violência, ainda que de forma controlada. Mas em uma situação em que nosso controle é diluído, com o uso de álcool ou drogas, por exemplo, um comportamento agressivo pode aflorar. Uma sociedade tolerante à violência como a brasileira, em que há muita impunidade, é um complicador. Mesmo sem uso de drogas o jovem pode se tornar violento por acreditar que vá ficar impune. Içami Tiba, psiquiatra e educador

12 NÃO Sou contra, pois não acredito que esses jogos, por si mesmos, gerem violência. Quando o Counter-Strike foi lançado, em 2000, levantou-se essa mesma polêmica e, oito anos depois, não se percebeu aumento da agressividade associado ao jogo. A forma lúdica de lidar com a violência, brincadeiras que envolvem uma dicotomia entre bem e mal são anteriores à era eletrônica. Há muito tempo que as crianças brincam de polícia e ladrão e o fato de uma pessoa interpretar um bandido não quer dizer que ela seja má ou vá se tornar má. É verdade que o jogo eletrônico desperta uma série de sensações no usuário, pois os gráficos têm um realismo muito grande. É quase como vivenciar aquilo na vida real. A forma como a pessoa vai reagir a esse estímulo varia, mas o que percebemos é que, em geral, a utilização do jogo é muito mais catártica, ou seja, funciona como uma válvula de escape que permite vivenciar um conteúdo violento, num ambiente de simulação seguro. Acaba sendo algo saudável. Além disso, a proibição contribui para despertar a curiosidade e tornar o proibido ainda mais atrativo. Erick Itakura, núcleo de pesquisa da psicologia em informática da PUC-SP

13 Trabalho avaliativo 2º Trimestre Orientações: Grupo (4 pessoas). Livro páginas105 e 106. Ler, COM BASTANTE ATENÇÃO, as instruções fornecidas na pág. 106 do livro. Preparar slides para apresentação em sala (para próxima aula). Informar a bibliografia dos dados apresentados no trabalho. Entregar um texto argumentativo sobre o assunto tratado.

14 Conteúdo da Avaliação Mensal 2º Trimestre Crônica Argumentativa. Estudar no livro, caderno e anotações Estudar no livro, caderno e anotações feitas a partir dos trabalhos apresentados em sala de aula sobre o assunto.

Tipos de Resumo. Resumo Indicativo ou Descritivo. Resumo Informativo ou Analítico

Tipos de Resumo. Resumo Indicativo ou Descritivo. Resumo Informativo ou Analítico Resumir é apresentar de forma breve, concisa e seletiva um certo conteúdo. Isto significa reduzir a termos breves e precisos a parte essencial de um tema. Saber fazer um bom resumo é fundamental no percurso

Leia mais

REDAÇÃO. Colégio Anísio Teixeira Redação 1 ano

REDAÇÃO. Colégio Anísio Teixeira Redação 1 ano REDAÇÃO Colégio Anísio Teixeira Redação 1 ano Por onde começar? Transforme a proposta em pergunta, como por exemplo: Quais são as regras que regem os comportamentos nas redes sociais?. Com base isso, tente

Leia mais

Aula 28.2 Conteúdos: A estrutura de construção de um texto argumentativo Características do gênero Artigo de opinião LÍNGUA PORTUGUESA

Aula 28.2 Conteúdos: A estrutura de construção de um texto argumentativo Características do gênero Artigo de opinião LÍNGUA PORTUGUESA 2 Aula 28.2 Conteúdos: A estrutura de construção de um texto argumentativo Características do gênero Artigo de opinião 3 Habilidades: Apreender a estruturação de um Artigo de opinião 4 Artigo de opinião

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

Descrição e regras e dinâmica do jogo Unidos para produzir um lugar saudável - PDTSP TEIAS

Descrição e regras e dinâmica do jogo Unidos para produzir um lugar saudável - PDTSP TEIAS Descrição e regras e dinâmica do jogo Unidos para produzir um lugar saudável - PDTSP TEIAS Peças do jogo O jogo Unidos para produzir um lugar saudável PDTSP TEIAS Escola Manguinhos Versão inicial é composto

Leia mais

PROVA DE REDAÇÃO 2º TRIMESTRE DE 2010 PROFª DEBORAH

PROVA DE REDAÇÃO 2º TRIMESTRE DE 2010 PROFª DEBORAH PROVA DE REDAÇÃO 2º TRIMESTRE DE 2010 PROFª DEBORAH NOME Nº 8 ANO A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta. É terminantemente

Leia mais

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R INTRODUÇÃO A pesquisa é um procedimento reflexivo e crítico de busca de respostas para problemas ainda não solucionados. O

Leia mais

Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM. E agora José?

Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM. E agora José? Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM E agora José? Respondam Rápido: O que encanta um homem? O que encanta uma mulher? E o que ENCANTA um corretor do ENEM?

Leia mais

A EVOLUÇÃO DA ESCRITA

A EVOLUÇÃO DA ESCRITA A EVOLUÇÃO DA ESCRITA Percebemos a partir da observação das imagens exibidas no vídeo A EVOLUÇÃO DA ESCRITA que o homem sempre buscou muitas formas de transmitir pensamentos. O texto é uma das formas mais

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA

A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA A UTILIZAÇÃO DA COLA OFICIAL DURANTE AS AVALIAÇÕES DE MATEMÁTICA Camila Nicola Boeri Universidade de Aveiro Portugal camilaboeri@hotmail.com Márcio Tadeu Vione IFMT - Campus Parecis - MT mtvione@gmail.com

Leia mais

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ ALVES, T. C.²; RENK, E. F.³; LEÃO, T.J.E. 4 ¹ Trabalho desenvolvido na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado II Espaços

Leia mais

O PROJETO DE PESQUISA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

O PROJETO DE PESQUISA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O PROJETO DE PESQUISA Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Escolher um tema de pesquisa Por onde começar? Ler para aprender Estrutura do Projeto de Pesquisa A Definição

Leia mais

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas Manual de Aplicação do Jogo da Escolha Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas 1 1. Como o jogo foi elaborado O Jogo da Escolha foi elaborado em 1999 pelo Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas

Leia mais

Texto 1 - Internet emburrece? As redes facilitaram o acesso à informação, mas também facilitaram a apropriação de reflexões dos outros

Texto 1 - Internet emburrece? As redes facilitaram o acesso à informação, mas também facilitaram a apropriação de reflexões dos outros PROVA DE REDAÇÃO - 1º TRIMESTRE DE 2012 PROFa. DEBORAH NOME N o 8º ANO Leia atentamente os enunciados, capriche na letra e procure dar respostas amplas. A compreensão do enunciado faz parte da questão.

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA MG T exto dissertativo: ponto de vista acerca de um tema Profa. Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com.br Algumas perguntas O quê? Por quê? Para quê?

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO: Série: 4 ano do curso normal médio Turma: A Ano letivo: 2011 Alunas Aplicadoras: Jennifer T. C. Teixeira e Nicole F. Gonçalves.

IDENTIFICAÇÃO: Série: 4 ano do curso normal médio Turma: A Ano letivo: 2011 Alunas Aplicadoras: Jennifer T. C. Teixeira e Nicole F. Gonçalves. IDENTIFICAÇÃO: Série: 4 ano do curso normal médio Turma: A Ano letivo: 2011 Alunas Aplicadoras: Jennifer T. C. Teixeira e Nicole F. Gonçalves. Público alvo: 4º e/ou 5º ano Projeto (Tema): Respiração JUSTIFICATIVA:

Leia mais

E quando Deus diz não?

E quando Deus diz não? E quando Deus diz não? 1 Cr 17:1-27 Como é ruim ouvir um não! Enquanto ouvimos sim, enquanto as coisas estão acontecendo ao nosso favor, enquanto Deus está aprovando ou permitindo o que fazemos, enquanto

Leia mais

Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores.

Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores. Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores. Prof. Ms. Deisily de Quadros (FARESC) deisily@uol.com.br Graduando Mark da Silva Floriano (FARESC) markfloriano@hotmail.com Resumo: Este artigo apresenta

Leia mais

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA 1. DO OBJETO Constitui-se como objeto da Ata de Registro de Preço a aquisição de materiais didáticos e paradidáticos em tecnologia educacional para

Leia mais

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Regina Donato de Moraes 1 Lourdes Keila Casado Pulucena 2 Lucieni Vaz dos Santos 3 Aprender brincando não é apenas um passatempo, quando se trata de ensinar.

Leia mais

NOME: NOME: DATA: / / PROFESSORA: CAÇA-PALAVRAS PROCURE NO CAÇA-PALAVRAS OS NOMES DAS CRIANÇAS QUE APARECEM NO POEMA QUE VOCÊ LEU.

NOME: NOME: DATA: / / PROFESSORA: CAÇA-PALAVRAS PROCURE NO CAÇA-PALAVRAS OS NOMES DAS CRIANÇAS QUE APARECEM NO POEMA QUE VOCÊ LEU. NOME: DATA: / / PROFESSORA: ANINHA PULA AMARELINHA HENRIQUE BRINCA DE PIQUE MARÍLIA BRINCA DE MÃE E FILHA MARCELO É O REI DO CASTELO MARIAZINHA SUA RAINHA CAROLA BRINCA DE BOLA JOÃO DE POLÍCIA E LADRÃO

Leia mais

O livro que falava com o vento e outros contos

O livro que falava com o vento e outros contos LER a partir dos 10 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL O livro que falava com o vento e outros contos JOSÉ JORGE LETRIA Ilustrações de Alain Corbel Apresentação da obra O Livro Que Falava com o Vento

Leia mais

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa

Especificações Técnicas. Elaboração da Pesquisa Especificações Técnicas Período 28 a 31 de julho de 2011 Abrangência Nacional Universo Eleitores com 16 anos e mais Amostra 2.002 entrevistas em 140 municípios Margem de erro 2 pontos percentuais e grau

Leia mais

Prática com Projeto em aulas de Matemática: um desafio Antonio Roberto Barbutti arbarbutti@hotmail.com EMEF Padre Francisco Silva

Prática com Projeto em aulas de Matemática: um desafio Antonio Roberto Barbutti arbarbutti@hotmail.com EMEF Padre Francisco Silva Prática com Projeto em aulas de Matemática: um desafio Antonio Roberto Barbutti arbarbutti@hotmail.com EMEF Padre Francisco Silva Resumo: Este trabalho é resultado do curso de formação Gestar II Matemática,

Leia mais

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18).

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18). SUGESTÕES PARA O APROVEITAMENTO DO JORNAL ESCOLAR EM SALA DE AULA 1ª a 5ª série A cultura escrita diz respeito às ações, valores, procedimentos e instrumentos que constituem o mundo letrado. Esse processo

Leia mais

ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE A PARTIR DO JOGO TRAVESSIA DO RIO. Palavras-chave: resolução de problemas; jogo; problematizações.

ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE A PARTIR DO JOGO TRAVESSIA DO RIO. Palavras-chave: resolução de problemas; jogo; problematizações. ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE A PARTIR DO JOGO TRAVESSIA DO RIO Cidinéia da Costa Luvison SME Bragança Paulista/SP; SEE - Morungaba/SP E-mail: cidineiadacosta.luvison@gmail.com Cleane Aparecida dos Santos

Leia mais

Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração

Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração Material pelo Ético Sistema de Ensino Elaborado para Educação Infantil Publicado em 2011 Projetos temáticos EDUCAÇÃO INFANTIL Data: / / Nível: Escola: Nome: Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ZERO Instruções REDAÇÃO Você deve desenvolver seu texto em um dos gêneros apresentados nas propostas de redação. O tema é único para as três propostas. O texto deve ser redigido em prosa. A fuga do tema

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 JOGOS COMPUTACIONAIS E A EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: CONTRIBUIÇÕES DAS PESQUISAS E DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS Regina Célia Grando Universidade São Francisco regina.grando@saofrancisco.edu.br Resumo: No presente

Leia mais

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Meu nome é Maria Bonita, sou mulher de Vírgulino Ferreira- vulgo Lampiãofaço parte do bando de cangaceiros liderados por meu companheiro.

Leia mais

NOME DO PROJETO PROJETO MERGULHANDO NA LEITURA 2013 PÚBLICO ALVO Educação Infantil e Ensino Fundamental I

NOME DO PROJETO PROJETO MERGULHANDO NA LEITURA 2013 PÚBLICO ALVO Educação Infantil e Ensino Fundamental I NOME DO PROJETO PROJETO MERGULHANDO NA LEITURA 2013 PÚBLICO ALVO Educação Infantil e Ensino Fundamental I OBJETIVOS GERAIS: Promover o hábito da leitura entre os alunos; Proporcionar ao aluno o prazer

Leia mais

Projeto Alimentação. EMEF M BOI MIRIM III DRE Campo Limpo

Projeto Alimentação. EMEF M BOI MIRIM III DRE Campo Limpo Projeto Alimentação EMEF M BOI MIRIM III DRE Campo Limpo 2013 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL 2012 JUSTIFICATIVA A ADOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES POUCO SAUDÁVEIS PELAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES VEM AUMENTANDO CONSIDERAVELMENTE.

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014 CARGO E UNIDADES: Professor de Educação Infantil e Fundamental (MACAÍBA) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova:

Leia mais

2. Laboratório: uso do avental, organização e relatório 3. Tarefas. 1. Avaliação da Semana de Geociências e Meio Ambiente 2.

2. Laboratório: uso do avental, organização e relatório 3. Tarefas. 1. Avaliação da Semana de Geociências e Meio Ambiente 2. PIC VERSÃO PARA O PROFESSOR Produção Integrada ao Conteúdo 6. o ano Ensino Fundamental Componentes da PIC 2. o bimestre Arte Ciências A nota da PIC é a média entre a nota de tarefa (avaliação do conjunto

Leia mais

O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Adelson Carlos Madruga Universidade Federal da Paraíba adelsoncarlos1992@hotmail.com Elizangela Mario da Silva Universidade Federal

Leia mais

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua

Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua Aluno(a) Nº. Série: Turma: Ensino Médio Trimestre [ ] Data: / / Disciplina: Professor: Linguagem e língua É a palavra que identifica o ser humano, é ela seu substrato que possibilitou a convivência humana

Leia mais

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1 OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1. Introdução: Compreendendo que a Educação Infantil é uma etapa

Leia mais

LEITURA: UMA PRÁTICA À LIBERDADE

LEITURA: UMA PRÁTICA À LIBERDADE LEITURA: UMA PRÁTICA À LIBERDADE LINCK, Ieda M. Donati¹ SILVA, Kelly Rosalba Melo². Resumo Este artigo está diretamente relacionado com o Projeto: Leitura Uma Prática à Liberdade, vinculado à Unicruz Universidade

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1

Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1 Outdoor de Lançamento do CD da Dupla Johny e Junior 1 Danizieli de OLIVEIRA 2 Diego de OLIVEIRA 3 Renata Cristina FORNAZIERO 4 Thaís Roberta CASAGRANDE 5 Wolnei MENEGASSI 6 Paulo César D ELBOUX 7 Faculdade

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

Departamento de Educação Alunas: Gleilcelene Neri de Brito Orientadora: Rosália Duarte Título do Projeto:

Departamento de Educação Alunas: Gleilcelene Neri de Brito Orientadora: Rosália Duarte Título do Projeto: PIBIC 05/06 Departamento de Educação Alunas: Gleilcelene Neri de Brito Orientadora: Rosália Duarte Título do Projeto: Criança e Televisão: O que as Crianças da favela da Maré pensam sobre o que vêem na

Leia mais

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO

Colégio Nomelini Ensino Fundamental II LISTA Nº 04 9º ANO Trazer a tarefa resolvida no dia: 22/03/2013 (Sexta-feira) Prof. Vanessa Matos Interpretação de textos LISTA Nº 04 9º ANO DESCRIÇÃO: A seleção de atividades é para a leitura e interpretação. Responda os

Leia mais

COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS. Texto na íntegra

COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS. Texto na íntegra COMPREENSÃO DA ESCRITA ENTRE CRIANÇAS PEQUENAS TOLEDO, Daniela Maria de (Mestranda) RODRIGUES, Maria Alice de Campos (Orientadora); UNESP FCLAr Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar CAPES Texto

Leia mais

percebe diferença e qual?

percebe diferença e qual? 1 percebe diferença e qual? este ano ficou melhor 1 os cursos/qualificação 2 aulas de informática/internet 5 ter 2 diplomas 1 chances de emprego 1 mais oportunidades 1 diminuiu o tempo para a conclusão

Leia mais

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil

Principais discussões sobre o ensino-aprendizagem de matemática na educação infantil 1 Introdução: A matemática é uma disciplina de fundamental importância na vida de todo mundo. Desde tempos antigos o ensino dessa matéria vem fazendo cada vez mais parte da vida dos seres humanos. Basta

Leia mais

6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO

6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO 6. o ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROF. FRANCISCA AGUIAR PROF. SUZY PINTO CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade I Tecnologia: Corpo, movimento e linguagem na era da informação Aula

Leia mais

Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana.

Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana. Unidade IV Cultura A pluralidade na expressão humana. 25.2 Conteúdo: Gênero dissertativo-argumentativo. Habilidade: Reconhecer a tese defendida em um texto. (D19) REVISÃO A REDAÇÃO DO ENEM 1 Domínio da

Leia mais

Jogos. Redes Sociais e Econômicas. Prof. André Vignatti

Jogos. Redes Sociais e Econômicas. Prof. André Vignatti Jogos Redes Sociais e Econômicas Prof. André Vignatti Teoria dos Jogos Neste curso, queremos olhar para redes a partir de duas perspectivas: 1) uma estrutura subjacente dos links de conexão 2) o comportamentos

Leia mais

Mara Lucia da Silva 1 Marilene Parè ² Ruth Sabat.² RESUMO

Mara Lucia da Silva 1 Marilene Parè ² Ruth Sabat.² RESUMO PROREXT/PROJETO DE EXTENSÃO 2008/1 - TERRITÓRIO AFROSUL DESENVOLVENDO O DIÁLOGO ACADEMIA / ONG AFROSUL ATRAVÉS DE TRABALHO COM JOVENS DE COMUNIDADE POPULAR RESUMO Mara Lucia da Silva 1 Marilene Parè ²

Leia mais

76 Anos Educando para a Vida

76 Anos Educando para a Vida CIANSP - COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Rua Monsenhor Domingos Pinheiro, 35 Calafate/BH Fone: (31) 3334 6913 - coorden acao@colegiopied ade.co m.b r 76 Anos Educando para a Vida DISCIPLINA: REDAÇÃO PROFESSORA:

Leia mais

PRÁTICAS DE INCLUSÃO SÓCIO EDUCATIVAS, CULTURAIS E RECREATIVAS COMO FORMA DE REDUZIR DESIGUALDADES.

PRÁTICAS DE INCLUSÃO SÓCIO EDUCATIVAS, CULTURAIS E RECREATIVAS COMO FORMA DE REDUZIR DESIGUALDADES. PRÁTICAS DE INCLUSÃO SÓCIO EDUCATIVAS, CULTURAIS E RECREATIVAS COMO FORMA DE REDUZIR DESIGUALDADES. TÍTULO: INSERÇÃO DO LÚDICO (BRINCAR) AO PROCESSO DA INCLUSÃO PRODUTIVA. INTRODUÇÃO Verifiquei a importância

Leia mais

O JOGO DIDÁTICO NA TRILHA DA SAÚDE : CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DA TEMÁTICA DIETA, ALIMENTAÇÃO E SAÚDE NO ENSINO DE CIÊNCIAS.

O JOGO DIDÁTICO NA TRILHA DA SAÚDE : CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DA TEMÁTICA DIETA, ALIMENTAÇÃO E SAÚDE NO ENSINO DE CIÊNCIAS. O JOGO DIDÁTICO NA TRILHA DA SAÚDE : CONTRIBUIÇÕES PARA O ENSINO DA TEMÁTICA DIETA, ALIMENTAÇÃO E SAÚDE NO ENSINO DE CIÊNCIAS. Andressa Luíssa França Borralho (Licenciando em Ciências da Natureza - UFPI),

Leia mais

Pesquisas e seminários Como fazer?

Pesquisas e seminários Como fazer? +++ + COLÉGIO DOS SANTOS ANJOS Avenida Iraí, 1330 - Planalto Paulista - Telefax: 5055.0744 04082-003 - São Paulo - e-mail: colsantosanjos@colegiosantosanjos.g12.br Site: www.colegiosantosanjos.g12.br Q

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL ERNESTO SOLON BORGES Bandeirantes MS PROJETO VIDA SEM DROGAS: DIAS DE LUTA, DIAS DE GLÓRIA

ESCOLA ESTADUAL ERNESTO SOLON BORGES Bandeirantes MS PROJETO VIDA SEM DROGAS: DIAS DE LUTA, DIAS DE GLÓRIA ESCOLA ESTADUAL ERNESTO SOLON BORGES Bandeirantes MS PROJETO VIDA SEM DROGAS: DIAS DE LUTA, DIAS DE GLÓRIA Turmas: 6º C, 7ºA e 8º A Número de alunos: 95 Professores Envolvidos: Patrícia Pinto PROBLEMÁTICA

Leia mais

Texto 4 Composição em prosa não literária

Texto 4 Composição em prosa não literária Curso de Redação: Do texto ao texto Professora: Maria Aparecida Araújo Texto 4 Composição em prosa não literária Conteúdo Descrição Narração Dissertação Bibliografia: 1. CARNEIRO, Agostinho Dias: Redação

Leia mais

Manual Arkos Secretaria de Educação

Manual Arkos Secretaria de Educação Manual Arkos Secretaria de Educação 1) Sobre Arkos O portal Arkos foi inspirado por uma das mais bem sucedidas iniciativas educacionais da Europa incentivando milhões de alunos a lerem mais. A ideia básica

Leia mais

Caderno de Redação. 3º ano Ensino Médio. Aluno(a):... 28/09/2011

Caderno de Redação. 3º ano Ensino Médio. Aluno(a):... 28/09/2011 Caderno de Redação 3º ano Ensino Médio Aluno(a):... 28/09/2011 Este Caderno de Redação segue as novas diretrizes estabelecidas pela portaria nº 109, emitida em 27/05/2009, no Diário Oficial da União, para

Leia mais

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo COMO USAR O MATERIAL NAS PÁGINAS A SEGUIR, VOCÊ ENCONTRA UM PASSO A PASSO DE CADA ETAPA DO DESIGN FOR CHANGE, PARA FACILITAR SEU TRABALHO COM AS CRIANÇAS. VOCÊ VERÁ QUE OS 4 VERBOS (SENTIR, IMAGINAR, FAZER

Leia mais

CONSTRUINDO O SISTEMA NERVOSO HUMANO: UTILIZAÇÃO DE MODELOS E MODELAGENS COMO PRÁTICA ALTERNATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS.

CONSTRUINDO O SISTEMA NERVOSO HUMANO: UTILIZAÇÃO DE MODELOS E MODELAGENS COMO PRÁTICA ALTERNATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS. CONSTRUINDO O SISTEMA NERVOSO HUMANO: UTILIZAÇÃO DE MODELOS E MODELAGENS COMO PRÁTICA ALTERNATIVA NO ENSINO DE CIÊNCIAS. Brayan Paiva Cavalcante¹; Clécio Danilo Dias da Silva²; Dalvan Henrique Luiz Romeiro³;

Leia mais

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 975 O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Drielly Adrean Batista

Leia mais

Pedagogia, Departamento de Educação, Faculdade de Ciências e Tecnologia- UNESP. E-mail: rafaela_reginato@hotmail.com

Pedagogia, Departamento de Educação, Faculdade de Ciências e Tecnologia- UNESP. E-mail: rafaela_reginato@hotmail.com 803 AS CONTRIBUIÇÕES DO LÚDICO PARA O DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL INFANTIL NO CONTEXTO ESCOLAR Rafaela Reginato Hosokawa, Andréia Cristiane Silva Wiezzel Pedagogia, Departamento de Educação, Faculdade de

Leia mais

2. CAIXA DE FERRAMENTAS - CHEGANDO A REDAÇÃO

2. CAIXA DE FERRAMENTAS - CHEGANDO A REDAÇÃO SUMÁRIO INTRODUÇÃO 15 Para que serve este Livro 17 Como usar este livro 1. PARA ENTENDER A PROFISSÃO 23 O que é preciso para ter sucesso na profissão 23 TALENTO - Como saber se você tem 24 CONHECIMENTO-Como

Leia mais

Atividade 11. Caça ao Tesouro Autômatos de Estados Finitos

Atividade 11. Caça ao Tesouro Autômatos de Estados Finitos Atividade 11 Caça ao Tesouro Autômatos de Estados Finitos Sumário Freqüentemente programas de computador precisam processar uma seqüência de símbolos como letras ou palavras em um documento, ou até mesmo

Leia mais

A Fórmula Mágica Para Escrever Artigos! Ela Sempre Funciona! Por Junior Resende

A Fórmula Mágica Para Escrever Artigos! Ela Sempre Funciona! Por Junior Resende A Fórmula Mágica Para Escrever Artigos! Ela Sempre Funciona! Por Junior Resende Esta é a minha fórmula super rápida para escrever artigos facilmente e com velocidade de um relâmpago. Este é o caminho verdadeiro,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Silêncio criativo Em Catador de Palavras, o jovem leitor tem a oportunidade de escolher as palavras mais adequadas que o ajudarão a

Leia mais

PROJETO CONVIVÊNCIA E VALORES

PROJETO CONVIVÊNCIA E VALORES PROJETO CONVIVÊNCIA E VALORES Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos, e esquece-se da urgência de deixar filhos melhores para o nosso planeta PROJETO: CONVIVÊNCIA

Leia mais

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 IFES danielly.fraga@live.com Danielly Fraga Santana 3 IFES binecosta@gmail.com Dilza Côco 4 IFES/UFES dilzacoco@gmail.com

Leia mais

Teste de Habilidade Específica - THE

Teste de Habilidade Específica - THE LEIA COM ATENÇÃO 1. Só abra este caderno após ler todas as instruções e quando for autorizado pelos fiscais da sala. 2. Preencha os dados pessoais. 3. Autorizado o inicio da prova, verifique se este caderno

Leia mais

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez.

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. PROJETO DE LEITURA E ESCRITA Era uma vez... E conte outra vez. CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO TEMA; PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. INSTITUIÇÃO Escola Estadual Lino Villachá

Leia mais

Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo

Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo Caro Monitor, Esta oficina tem como objetivo geral favorecer o primeiro contato do aluno da EJA Ensino Fundamental com o tipo textual que será

Leia mais

Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians

Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians Projeto TEMPO DE DESPERTAR Em homenagem a Robin Willians I. INTRODUÇÃO Durante uma pesquisa realizada exclusivamente com homens pelo Instituto Avon/Data Popular e lançada em novembro de 2013, alguns dados

Leia mais

Multiplicando Ideias EE Profa. Clorinda Tritto Giangiacomo Sala 12 Sessão 1

Multiplicando Ideias EE Profa. Clorinda Tritto Giangiacomo Sala 12 Sessão 1 Multiplicando Ideias EE Profa. Clorinda Tritto Giangiacomo Sala 12 Sessão 1 Professoras Apresentadoras: Carla Janaina Bravo Rosilene Maria de Melo Realização: Foco A sequência didática de Matemática, Multiplicando

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe Formação de Professores para o Pré-Escolar e para o Ensino Primário Opção: Ensino Primário Ficha Técnica Título Programa de Metodologia

Leia mais

Caderno de Redação. 8ª série Ensino Fundamental. Aluno(a):... 27/09/2011

Caderno de Redação. 8ª série Ensino Fundamental. Aluno(a):... 27/09/2011 Caderno de Redação 8ª série Ensino Fundamental Aluno(a):... 27/09/2011 Este Caderno de Redação segue as novas diretrizes estabelecidas pela portaria nº 109, emitida em 27/05/2009, no Diário Oficial da

Leia mais

PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico

PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico 1 PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico Vera Maria Oliveira Carneiro 1 Educar é ser um artesão da personalidade, um poeta da inteligência, um semeador de idéias Augusto Cury Com este texto, pretendemos

Leia mais

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA Escola de Ensino Médio João Barbosa Lima PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA DESPERTANDO O GOSTO PELA LEITURA E A ARTE DE ESCREVER Projeto na Sala de PCA da Área de Linguagens e Códigos PROEMI -Programa

Leia mais

TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com

TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com TIPOS RELACIONADOS À FUNÇÃO REFERENCIAL: RESUMO RESUMO DESCRITIVO > Resume estrutura temática > Inclui

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE

PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE 1 PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE Prof. Dr. Flávio Villaça Professor Titular de Planejamento Urbano da FAU-USP Versão de 20/12/04 Flavila@uol.com.br INTRODUÇÀO Este texto foi elaborando

Leia mais

ano VI número 14 Julho de 2010 É chegada a hora... Na Ponta do Lápis ano VI nº 14 O que levar em conta ao avaliar os textos dos estudantes?

ano VI número 14 Julho de 2010 É chegada a hora... Na Ponta do Lápis ano VI nº 14 O que levar em conta ao avaliar os textos dos estudantes? ano VI número 14 Julho de 2010 É chegada a hora... O que levar em conta ao avaliar os textos dos estudantes? 31 Convencer: vencer com a ajuda de todos 16 A palavra que eu tomo em minhas mãos, como ensina

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

Alfabetização e Letramento

Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento Material Teórico A Escrita no Processo de Alfabetização Responsável pelo Conteúdo e Revisor Textual: Profª. Ms Denise Jarcovis Pianheri Unidade A Escrita no Processo de Alfabetização

Leia mais

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER Nilton Cezar Ferreira 1 Por mais de dois séculos já se faz reformas curriculares no Brasil, no entanto nenhuma dessas reformas conseguiu mudar de forma

Leia mais

COMO AJUDAR QUEM PERDEU PESSOAS QUERIDAS

COMO AJUDAR QUEM PERDEU PESSOAS QUERIDAS COMO AJUDAR QUEM PERDEU PESSOAS QUERIDAS OPÇÕES DE LOGO 1. Psicotraumatologia Clínica 2. PSICOTRAUMATOLOGIA CLÍNICA psicotraumatologia clínica Todos já perdemos ou perderemos pessoas queridas e, geralmente,

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E RESULTADOS ALCANÇADOS. CONVENIADA: PREFEITURA MUNICIPAL DE OSVALDO CRUZ

RELATÓRIO MENSAL CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E RESULTADOS ALCANÇADOS. CONVENIADA: PREFEITURA MUNICIPAL DE OSVALDO CRUZ PROJETO S.O. S BOMBEIROS NO RESGATE DA CIDADANIA. RELATÓRIO MENSAL CIRCUNSTANCIADO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E RESULTADOS ALCANÇADOS. CONVENIADA: PREFEITURA MUNICIPAL DE OSVALDO CRUZ PROGRAMA DE PROTEÇÃO

Leia mais

O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO: UM CIDADÃO BILINGUE

O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO: UM CIDADÃO BILINGUE O ENSINO DA MATEMÁTICA E O ALUNO SURDO: UM CIDADÃO BILINGUE NEDEL¹, Vera SILVA²,Maria Elena Neves da Resumo O presente artigo relata a importância do uso das tecnologias. As lutas dos surdos pelo direito

Leia mais

www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ]

www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ] www.fecomercio-rj.org.br [ 1 ] A SEGURANÇA PÚBLICA NO BRASIL 16 de abril de 2008 [ 2 ] (1 MENÇÃO) - SG1) Na sua opinião, quem tem mais responsabilidade pelo combate à criminalidade e violência contra as

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS. 3º ano 1º trimestre / 2015. Nome: Data: / /.

ROTEIRO DE ESTUDOS. 3º ano 1º trimestre / 2015. Nome: Data: / /. ROTEIRO DE ESTUDOS 3º ano 1º trimestre / 2015 Nome: Data: / /. Querido (a) Aluno (a), Elaboramos este roteiro com dicas sobre os conteúdos trabalhados no 1º trimestre e que serão abordados nas avaliações

Leia mais

Placas. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz

Placas. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz Placas CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz SINOPSE geral da série Chico, 6 anos, adora passar as tardes na estamparia de fundo de quintal do seu avô. Nela, Vô Manu construiu um Portal por onde

Leia mais

PROGRAMA DE CONTEÚDOS 2014

PROGRAMA DE CONTEÚDOS 2014 C O L É G I O L A S A L L E Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, 2000 - Fone (045) 3252-1336 - Fax (045) 3379-5822 http://www.lasalle.edu.br/toledo/ PROGRAMA DE 2014 DISCIPLINA: LINGUAGEM

Leia mais

Nesse E-Book você vai aprender a lidar com aquelas situações chatas da nossa vida como psicólogos iniciantes em que tudo parece dar errado!

Nesse E-Book você vai aprender a lidar com aquelas situações chatas da nossa vida como psicólogos iniciantes em que tudo parece dar errado! Nesse E-Book você vai aprender a lidar com aquelas situações chatas da nossa vida como psicólogos iniciantes em que tudo parece dar errado! Aqueles primeiros momentos em que tudo que fazemos na clínica

Leia mais

Projeto Paz na Escola

Projeto Paz na Escola Projeto Paz na Escola Olímpia Terezinha da Silva Henicka Dariléia Marin Em uma sociedade como a nossa, na qual a riqueza é tão mal distribuída, a preocupação com a sobrevivência deve ser maior que as preocupações

Leia mais

A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES

A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES Mércia Rodrigues Gonçalves Pinheiro, UESB RESUMO O presente trabalho foi articulado através de pesquisa de campo, utilizando observação direta e entrevista

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

VIDA FÁCIL ESSA DE CONSULTOR, HEIN?

VIDA FÁCIL ESSA DE CONSULTOR, HEIN? VIDA FÁCIL ESSA DE CONSULTOR, HEIN? Maria Beatriz de Carvalho Melo Lobo Ter uma consultoria, ao contrário do que tem sido mostrado esta semana nos jornais, não representa vida fácil não! Quando deixamos

Leia mais

Brinquedoteca Aprender Brincando : espaço educativo alternativo na Universidade

Brinquedoteca Aprender Brincando : espaço educativo alternativo na Universidade 1 Brinquedoteca Aprender Brincando : espaço educativo alternativo na Universidade Maria Janine Dalpiaz Reschke 1 Lílian Aiala 2 Este trabalho tem como objetivo discutir os resultados do projeto de extensão:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP FACULDADE DE TECNOLOGIA FT PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Projeto Gene: Ambiente de Apoio à Aprendizagem de Genética Baseado em Tamagotchi

Leia mais

Texto 2 Refugiados, aceitá-los ou não? Pequeno contributo para uma discussão viável

Texto 2 Refugiados, aceitá-los ou não? Pequeno contributo para uma discussão viável COMISSÃO DE CONCURSO E SELEÇÃO PRIMEIRO SEMESTRE DO ANO LETIVO DE 2016 REDAÇÃO 29/11/2015 - das 15h às 18h Nº da identidade Órgão expedidor Nº da inscrição Leia com atenção as instruções abaixo. NÃO SE

Leia mais

APRENDENDO A ESTUDAR. Ensino Fundamental - II

APRENDENDO A ESTUDAR. Ensino Fundamental - II APRENDENDO A ESTUDAR Ensino Fundamental - II Projeto Hábitos de Estudo 2012 Onde estudar? Reserve sempre o mesmo horário para estudar (duas a três horas diárias). Descubra o horário em que se sinta mais

Leia mais