MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

2 Índice Introdução Proveito Médio de Aposento Conceitos Anexos Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 2

3 Introdução A Direcção-Geral do Turismo, com base em informação disponibilizada pelo INE, efectua mensalmente, por NUTS II e categorias de estabelecimentos, as seguintes capitações: Peso relativo do Total de Custos com Pessoal no Total Proveito Médio de Aposento/Cama Remuneração Média/ Empregado/Cama A síntese elaborada incide apenas na evolução dos Proveitos Médios por Dormida e dos Proveitos Médios de Aposento por Cama, para o ano de 2005, em relação aos períodos homólogos de anos precedentes. Em anexo apresentam-se os mapas com todos os indicadores, por meses, categorias e regiões, e as variações com o ano precedente. Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 3

4 Em 2005, os proveitos médios por dormida no país registaram o valor de 29,99, que se traduziu num decréscimo de 5,7%, em relação ao ano de Esta variação desfavorável entre 2004 e 2005, ficou a dever-se aos valores elevados atingidos em 2004, quando da realização em Portugal, do Campeonato Europeu de Futebol. De notar que em 2005, voltaram a registar-se valores próximos aos de Entre 2004 e 2005, apenas se registaram aumentos nas regiões do Algarve (6,5%) e do Alentejo (0,1%). As restantes regiões apresentaram variações homólogas negativas, os decréscimos menos acentuadas ocorreram nas Regiões Autónomas da Madeira (-0,3%) e dos Açores (-2,3%). Os mais significativos pertenceram às cidades de (-15,8%) e Porto (-12,3%), onde em 2004 se tinham apurado os maiores crescimentos. Os proveitos médios por dormida mais elevados ocorreram na cidade de (43,78 ), que teve forte influência na região de e Vale do Tejo (40,36 ), na cidade do Porto (35,08 ) com reflexos directos na região do Norte (31,50 ) e na Região Autónoma dos Açores (32,09 ). G.1 Proveitos Médios por Dormida, nos Estabelecimentos Hoteleiros, por regiões (Euros) Portugal Norte Cidade do Porto Centro LVT Cidade de Alentejo Algarve Açores Madeira ,51 31,70 37,16 27,48 41,91 46,79 31,77 22,82 33,50 27, ,81 34,49 40,01 30,00 46,77 51,98 31,25 22,89 32,84 27, ,99 31,50 35,08 27,34 40,36 43,78 31,27 24,37 32,09 27,49 Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 4

5 O Gráfico 2 apresenta os proveitos médios por dormida em 2005, para cada uma das categorias dos hotéis, desagregados por NUTS II, e também para as cidades de e Porto. e Vale do Tejo, por influência evidente da cidade de, atingiu os proveitos médios mais altos para todas as categorias de hotéis, sendo particularmente significativa a diferença para os hotéis de 5*. Os hotéis de 4* das regiões do Norte, do Centro, do Alentejo e da Região Autónoma dos Açores evidenciaram valores dentro de parâmetros semelhantes à média nacional. No entanto, as duas principais regiões turísticas do país (Madeira e Algarve) apresentaram os proveitos médios por dormida mais baixos. Nas unidades de 3* deve-se sublinhar uma certa semelhança de valores entre as várias regiões, voltando a observar-se as posições menos favoráveis da região do Algarve e da Região Autónoma da Madeira. G.2 (Euros) Proveitos Médios por Dormida, por categorias de hotéis e regiões ,00 80,00 60,00 40,00 20,00 0,00 Porugal Norte Cidade Cidade do Porto Centro LVT de Alentejo Algarve Açores Madeira ***** 67,33 47,18 47,06 (---) 86,27 87,10 (---) 71,76 50,90 **** 33,81 35,22 32,24 34,83 41,60 44,75 37,15 28,84 34,13 25,32 *** 28,76 29,58 28,91 28,31 30,58 32,62 28,64 27,08 30,54 20,53 (---) Sujeito a segredo estatístico Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 5

6 No Gráfico 3 retratam-se as séries mensais dos proveitos médios por dormida nos estabelecimentos hoteleiros, pelas principais regiões turísticas. A cidade de manteve-se sempre em posição de liderança ao longo de todo o ano, com especial destaque para o mês de Junho onde atingiu o seu valor máximo (54,02 ), juntamente com a cidade do Porto (53,70 ). Em Agosto registou o seu valor mais baixo (32,00 ), ainda assim tendo sido ultrapassada neste mês apenas pelos Açores (33,38 ). O Algarve foi a região que ao longo do ano atingiu os proveitos médios por dormida mais baixos, e mesmo em Julho e Agosto, apenas superou a Madeira e em Agosto também a cidade do Porto. A Região Autónoma da Madeira manteve-se com valores muito regulares ao longo do ano, mas quase sempre inferiores aos da Região Autónoma dos Açores, exceptuandose Março e Dezembro. G.3 Proveitos Médios por Dormida nos Estabelecimentos Hoteleiros, por meses e principais regiões ,00 50,00 40,00 (Euros) 30,00 20,00 10,00 0,00 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano Cidade do Porto Cidade de Algarve Açores Madeira Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 6

7 A evolução dos proveitos médios e das dormidas nos estabelecimentos hoteleiros, entre 2004 e 2005, por NUTS II, é retratada no Gráfico 4. Da sua observação constata-se que na maioria das regiões, embora as dormidas registassem progressões entre 2004 e 2005, o mesmo não aconteceu com os proveitos médios por dormida. Destacaram-se as cidades de e do Porto que atingiram aumentos nas dormidas de 2,2% e 4,0% e com decréscimos nos proveitos de -15,8% e -12,3%, respectivamente. G.4 A região do Algarve, foi a única que registou aumentos tanto das dormidas como dos proveitos médios, 4,5% e 6,5%, respectivamente. A região do Alentejo apresentou uma situação contrária à das outras regiões, isto é, decresceram as dormidas em -5,3%, mas os proveitos médios registaram um ligeiro aumento de 0,1%. A Região Autónoma dos Açores foi a detentora do maior aumento nas dormidas (18,0%), mas sofreu uma diminuição nos proveitos médios de -2,3%. Dormidas (Var. %) Variação das Dormidas nos Estabelecimentos Hoteleiros e dos Proveitos Médios por Dormida entre 2004 e 2005 Proveitos (Var. %) Portugal Norte Cidade do Porto Centro LVT Cidade de Alentejo Algarve Açores Madeira Dormidas nos Estabelecimentos - Var.% 2005/04 Proveitos Médios por Dormida - Var.% 2005/04-20 Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 7

8 Proveito Médio de Aposento O Gráfico 5 apresenta os proveitos médios de aposento por cama/ano, nos estabelecimentos hoteleiros, por NUTS II e cidades de e Porto, em 2003, 2004 e Este indicador revelou um decréscimo, entre 2004 e 2005, de 5,9% para o total do País. A maioria das NUTS II registaram decréscimos significativos, atendendo ao facto de 2004 ter sido um ano atípico, com excepção do Algarve e dos Açores que atingiram aumentos de 3,9% e 1,1%, respectivamente. Destacam-se de novo os decréscimos ocorridos nas cidades de e do Porto (-18,8% e -11,7%). Por outro lado, não deixa de ser significativo, o facto da cidade de (6.923,90 ) evidenciar, em 2005, um volume de proveitos médios de aposento por cama/ano superior em 1,8 vezes ao verificado no Algarve (3.846,73 ). G.5 (Euros) Proveitos Médios de Aposento /Ano, nos Estabelecimentos Hoteleiros, por regiões 9.000, , , , , , , , ,00 0,00 Portugal Norte Cidade Cidade do Porto Centro LVT de Alentejo Algarve Açores Madeira , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,51 Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 8

9 Os valores para o ano de 2005 dos proveitos médios de aposento por cama/ano, por NUTS II, e ainda para as cidades de e Porto, estão representados no gráfico abaixo. Destaca-se a grande superioridade dos valores apurados para os hotéis de 5* das regiões do Algarve, de e Vale do Tejo, da cidade de e da Região Autónoma da Madeira, que ultrapassaram a média nacional nesta categoria. Em relação aos hotéis de 4*, os valores atingidos nas várias regiões, apresentam já uma certa semelhança, embora a cidade de (7.215,20 ) tenha sido a detentora dos proveitos mais elevados. Relativamente aos hotéis de 3*, de novo surge a cidade de (5.711,23 ) com os valores dos proveitos médios de aposento por cama/ano mais elevados, cerca de 1,4 vezes superior ao registado para a média do país (3.981,14 ). G.6 (Euros) Proveitos Médios de Aposento /Ano, por categorias de hotéis e regiões , , , , , , , ,00 0,00 P ortugal Norte Cidade do P orto Centro LVT Cidade de Alentejo Algarve Açores M adeira ***** , , ,99 (---) , ,33 (---) , ,49 **** 5.532, , , , , , , , , ,94 *** 3.981, , , , , , , , , ,45 (---) Sujeito a segredo estatístico Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 9

10 O Gráfico 7 retrata a evolução mensal dos proveitos médios de aposento por cama, nos estabelecimentos hoteleiros, das principais regiões turísticas, em Analisando o comportamento das várias regiões ao longo do ano, constata-se que a cidade de atingiu sempre os valores mais elevados dos proveitos médios, com excepção para os meses de Janeiro, onde foi ligeiramente ultrapassada pela Madeira (393,90 ), de Julho, em que os Açores (588,74 ) e o Algarve (539,30 ) atingiram os lugares cimeiros e de Agosto onde se destacaram o Algarve (754,02 ), os Açores (697,81 ) e a Madeira (633,81 ). A cidade de atingiu os proveitos médios de aposento por cama mais elevados nos meses de Setembro (777,25 ), Maio (762,09 ), Junho (732,04 ) e Outubro (701,89 ). De Julho a Setembro, foi na cidade do Porto que ocorreram os proveitos médios de aposento mais baixos, das principais regiões consideradas. G.7 800,00 Proveitos Médios de Aposento nos Estabelecimentos Hoteleiros, por meses e principais regiões 2005 (Euros) 700,00 600,00 500,00 400,00 300,00 200,00 100,00 0,00 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Cidade do Porto Cidade de Algarve Açores Madeira Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 10

11 Reveste interesse a comparação (2005/04) da evolução dos proveitos médios de aposento por cama, com as remunerações médias/trabalhador, nos estabelecimentos hoteleiros, por regiões. Sublinhe-se o facto da Região Autónoma dos Açores e o Algarve e se assumirem como as únicas regiões onde se verificou um acréscimo simultâneo dos proveitos médios de aposento (1,1% e 3,9%, respectivamente) e das remunerações médias (3,6% e 5,0%, respectivamente). As restantes regiões revelaram um comportamento muito semelhante entre si, com os proveitos médios a decrescerem e as remunerações médias a aumentarem. De destacar a região do Alentejo que registou o maior aumento nas remunerações médias (11,7%) e um ligeiro decréscimo (-2,7%) nos proveitos. A região Norte foi a única onde ocorreu decréscimos, tanto nos proveitos como nas remunerações médias (-12,3% e -3,8%, respectivamente). G.8 Variação dos Proveitos Médios de Aposento /Ano e das Remunerações Médias por, entre 2004 e 2005 Remunerações (Var.%) 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0-5,0-10,0-15,0 Proveitos (Var.%) 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0-5,0-10,0-15,0-20,0 Portugal Norte Cidade do Porto Centro LVT Cidade de Alentejo Algarve Açores Madeira Remunerações Médias por - Var.% 2005/04 Proveitos Médios de Aposento /Ano - Var.% 2005/04-20,0 Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 11

12 Retrata-se no Gráfico 9, a variação entre 2004 e 2005 das taxas médias de ocupaçãocama e dos proveitos médios de aposento por cama, nos estabelecimentos hoteleiros. Como se viu anteriormente, os proveitos médios de aposento por cama apresentaram decréscimos generalizados, apesar das variações positivas das taxas de ocupaçãocama atingidas pela maioria das regiões. A região do Algarve foi a única região que registou um crescimento simultâneo nestes dois indicadores (2,7 p.p. nas taxas de ocupação-cama e 3,9% nos proveitos médios de aposento). A Região Autónoma dos Açores apresentou uma ligeira quebra de 0,9 p.p. nas taxas de ocupação e um ligeiro crescimento de 1,1% nos proveitos. A cidade de e a região do Alentejo registaram regressões, tanto ao nível das taxas de ocupação-cama (-1,1 p.p. e -1,0 p.p., respectivamente) como nos proveitos médios de aposento por cama (-18,8% e -2,7%, respectivamente). G.9 Variação das Taxas Médias de Ocupação-Cama e dos Proveitos Médios de Aposento /Ano entre 2004 e 2005 T.O.C. (Var. p.p.) 10 Proveitos (Var. %) Portugal Norte Cidade do Porto Centro LVT Cidade de Alentejo Algarve Açores Madeira -40 Taxas Médias de Ocupação-Cama - Var. 2005/04 (p.p.) Proveitos Médios de Aposento /Ano - Var.% 2005/04 Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 12

13 Conceitos DORMIDA Permanência num estabelecimento que fornece alojamento considerada em relação a cada indivíduo, e por um período compreendido entre as 12 horas de um dia e as 12 horas do dia seguinte. ESTABELECIMENTO HOTELEIRO Empreendimento turístico (Estabelecimento) destinado a proporcionar, mediante remuneração, serviços de alojamento e outros serviços ou de apoio, com ou sem fornecimento de refeições. Os estabelecimentos hoteleiros classificam-se em: hotéis, pensões, pousadas, estalagens, motéis e hotéis-apartamentos (aparthotéis). Para fins estatísticos ainda inclui aldeamentos e apartamentos turísticos. HÓSPEDE Indivíduo que efectua pelo menos uma dormida num estabelecimento hoteleiro. Ainda que se trate do mesmo estabelecimento, o mesmo indivíduo é contado, no período de referência, tantas vezes quantos os períodos que nele permanecer (novas inscrições). PROVEITOS DE APOSENTO Compreende os valores cobrados pelas dormidas realizadas por todos os hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros. PROVEITOS TOTAIS (NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS) Compreende todos os proveitos resultantes da actividade do estabelecimento hoteleiro. Inclui os proveitos de aposento, os proveitos de restauração e outros proveitos decorrentes da própria actividade (ex.: aluguer de salas, lavandaria, tabacaria, telefone, etc ) TAXAS DE OCUPAÇÃO-CAMA Indicador que permite avaliar a capacidade de alojamento média utilizada durante o período de referência. Corresponde à relação entre o número de dormidas e o número de camas no período de referência, considerando como duas as camas de casal. Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 13

14 Anexos Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros em 2005 Página 14

15 PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Período: Janeiro Empregado/Cama TOTAL DO PAÍS CONTINENTE NORTE CENTRO LISBOA E VALE DO TEJO (1) (2) (3) (4) (5) Total Geral 57,0 57,9 212,40 204,17 4,0 334,48 324,32 3,1 29,24 28,29 3,4 887,68 858,84 3,4 0,17 0,18 Total Hotéis 57,4 56,0 266,59 289,93-8,1 438,62 474,32-7,5 34,02 35,41-3,9 923,63 900,43 2,6 0,22 0,23 61,7 60,1 515,76 610,84-15,6 965, ,73-14,2 55,92 62,65-10,7 1108, ,90-0,8 0,42 0,48 Hotéis 4* 56,6 54,8 252,69 263,87-4,2 413,32 429,88-3,9 30,42 30,55-0,4 910,23 868,49 4,8 0,20 0,22 Hotéis 3* 55,9 55,9 191,44 199,30-3,9 284,27 292,51-2,8 27,96 28,37-1,4 775,23 730,75 6,1 0,17 0,18 Hotéis de 2 e 1* 41,7 37,4 184,70 214,82-14,0 230,57 278,21-17,1 27,05 27,42-1,3 661,27 678,70-2,6 0,12 0,13 Hotéis - Apartamentos 49,9 58,4 195,78 162,35 20,6 289,89 239,93 20,8 18,80 17,70 6,2 866,00 834,11 3,8 0,13 0,13 Aldeam. e Apartam. Turísticos 75,8 72,4 85,90 80,36 6,9 116,54 113,82 2,4 17,77 16,31 9,0 867,08 941,70-7,9 0,08 0,07 Motéis, Pousadas, Estalagens e Pensões 54,1 60,6 183,74 143,94 27,7 268,26 222,63 20,5 33,65 27,13 24,0 773,17 674,53 14,6 0,16 0,17 Total Geral 60,3 59,4 185,81 179,30 3,6 290,52 288,09 0,8 29,84 28,69 4,0 884,63 859,36 2,9 0,16 0,16 72,4 67,2 431,35 556,58-22,5 869, ,04-21,5 55,89 66,80-16,3 1119, ,84-4,7 0,44 0,49 Hotéis 4* 57,2 52,6 242,62 260,83-7,0 397,79 430,73-7,6 32,83 35,37-7,2 919,26 881,46 4,3 0,20 0,21 Hotéis 3* 55,0 55,1 187,15 197,39-5,2 275,54 288,12-4,4 29,11 29,34-0,8 773,14 732,23 5,6 0,16 0,17 Hotéis - Apartamentos 59,3 62,2 128,86 111,29 15,8 177,70 167,24 6,3 17,58 16,33 7,7 848,31 801,32 5,9 0,10 0,10 Total Geral 53,7 54,8 178,96 173,48 3,2 272,96 264,36 3,3 32,97 31,44 4,9 761,62 717,98 6,1 0,16 0,16 64,1 55,7 351,44 433,89-19,0 683,14 736,33-7,2 50,86 51,39-1,0 1073,47 857,38 25,2 0,32 0,39 Hotéis 4* 50,8 51,6 233,54 216,51 7,9 358,43 326,76 9,7 40,15 38,72 3,7 787,29 730,19 7,8 0,19 0,18 Hotéis 3* 58,6 43,5 199,87 198,82 0,5 291,38 295,50-1,4 37,23 35,48 4,9 929,10 694,04 33,9 0,15 0,15 Total Geral 45,5 47,4 157,62 170,41-7,5 263,06 273,43-3,8 28,86 27,20 6,1 676,11 672,27 0,6 0,15 0,16 (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) Hotéis 4* 62,9 44,4 232,06 376,62-38,4 406,80 601,22-32,3 36,55 40,97-10,8 1043,31 943,38 10,6 0,19 0,23 Hotéis 3* 41,3 48,8 185,45 181,65 2,1 300,80 291,48 3,2 32,15 28,32 13,5 661,76 664,01-0,3 0,15 0,17 Total Geral 54,9 48,8 260,60 287,93-9,5 400,41 446,94-10,4 37,92 41,51-8,6 902,05 893,12 1,0 0,20 0,20 67,3 58,8 486,29 710,51-31,6 893, ,67-31,8 67,88 95,11-28,6 1123, ,23-12,3 0,41 0,46 Hotéis 4* 48,9 38,9 311,29 365,84-14,9 486,01 588,89-17,5 41,50 46,63-11,0 933,12 914,42 2,0 0,15 0,20 Hotéis 3* 58,2 55,2 209,98 225,61-6,9 291,25 317,29-8,2 29,48 31,19-5,5 812,04 763,96 6,3 0,17 0,18 (---) - Sujeito a segredo estatístico PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Fonte: INE/DGT Período: Janeiro Empregado/cama ALENTEJO ALGARVE AÇORES MADEIRA Cidade de Cidade do Porto (3) (4) (5) Total Geral 59,1 59,6 160,46 150,65 6,5 282,00 253,45 11,3 30,27 30,88-2,0 721,74 665,25 8,5 0,18 0,18 Hotéis 4* 30,0 43,6 410,33 328,57 24,9 818,38 561,47 45,8 36,42 30,38 19,9 767,98 541,46 41,8 0,35 0,35 Hotéis 3* 53,9 61,3 172,32 165,22 4,3 308,58 267,13 15,5 29,86 28,01 6,6 757,76 738,95 2,5 0,18 0,18 Total Geral 77,6 80,2 136,63 114,23 19,6 214,77 196,97 9,0 21,58 18,53 16,5 1010,35 943,53 7,1 0,13 0,13 85,8 78,6 378,24 443,23-14,7 921,76 994,92-7,4 41,68 48,26-13,6 1138, ,25 0,2 0,54 0,54 Hotéis 4* 85,8 91,6 136,50 141,25-3,4 268,96 265,76 1,2 16,85 19,33-12,8 953,32 906,05 5,2 0,21 0,21 Hotéis 3* 89,2 108,2 100,10 126,34-20,8 129,26 154,31-16,2 14,07 16,67-15,6 669,67 773,35-13,4 0,17 0,17 Hotéis - Apartamentos 72,2 68,4 87,15 84,65 3,0 129,77 136,67-5,0 11,68 11,97-2,4 816,82 762,10 7,2 0,10 0,10 Total Geral 67,8 70,3 180,50 181,73-0,7 306,08 266,92 14,7 29,50 25,46 15,9 770,94 709,98 8,6 0,22 0,22 Hotéis 4* 69,9 94,6 197,66 182,72 8,2 356,54 285,04 25,1 32,61 23,04 41,5 862,91 843,50 2,3 0,25 0,25 Hotéis 3* 57,5 56,2 217,15 212,69 2,1 360,22 318,34 13,2 27,53 28,86-4,6 714,64 651,70 9,7 0,22 0,22 Total Geral 45,6 51,4 393,90 381,84 3,2 628,04 589,77 6,5 27,52 27,47 0,2 927,22 888,12 4,4 0,27 0,27 43,2 46,9 715,25 717,96-0,4 1191, ,69 3,0 55,97 57,21-2,2 1077,52 989,23 8,9 0,44 0,44 Hotéis 4* 50,3 56,6 335,86 313,46 7,1 528,95 483,15 9,5 22,95 19,58 17,2 887,18 820,89 8,1 0,26 0,26 Hotéis 3* 65,1 67,7 229,01 210,15 9,0 333,72 325,17 2,6 18,78 18,28 2,7 884,81 844,37 4,8 0,21 0,21 Hotéis - Apartamentos 41,8 54,7 354,61 291,72 21,6 550,75 423,08 30,2 19,70 19,17 2,8 887,07 884,22 0,3 0,21 0,21 Total Geral 48,2 39,8 342,16 422,91-19,1 487,27 610,46-20,2 39,59 46,43-14,7 926,01 984,29-5,9 n.d. n.d. 55,5 50,9 520,16 778,53-33,2 893, ,44-33,5 68,01 98,61-31,0 1047, ,63-23,4 n.d. n.d. Hotéis 4* 45,5 31,4 368,40 486,08-24,2 540,72 721,02-25,0 42,71 52,00-17,9 944,32 907,79 4,0 n.d. n.d. Hotéis 3* 51,6 45,1 298,82 341,04-12,4 378,20 444,77-15,0 30,46 32,60-6,6 889,15 863,23 3,0 n.d. n.d. Total Geral 48,7 69,9 250,71 218,99 14,5 369,49 306,32 20,6 34,35 33,20 3,5 825,04 834,88-1,2 n.d. n.d. 63,8 55,7 368,83 433,89-15,0 691,15 736,33-6,1 49,17 51,39-4,3 1119,18 857,38 30,5 n.d. n.d. Hotéis 4* 35,9 47,3 323,09 289,34 11,7 490,80 422,92 16,1 34,80 36,64-5,0 746,60 719,04 3,8 n.d. n.d. Hotéis 3* 45,5 51,2 257,15 240,32 7,0 348,37 313,97 11,0 30,36 34,53-12,1 729,78 685,77 6,4 n.d. n.d. n.d. - não disponível FONTE: INE/DGT

16 PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Período: Fevereiro Empregado/Cama TOTAL DO PAÍS CONTINENTE NORTE CENTRO LISBOA E VALE DO TEJO (3) (4) (5) Total Geral 54,3 50,0 221,94 229,91-3,5 348,88 361,62-3,5 27,27 26,16 4,2 888,60 821,99 8,1 0,17 0,18 Total Hotéis 54,2 48,9 284,12 315,24-9,9 462,08 512,71-9,9 33,18 32,82 1,1 922,44 868,11 6,3 0,22 0,23 58,9 53,2 573,26 647,10-11,4 1052, ,26-9,4 58,31 61,07-4,5 1137, ,12 6,0 0,42 0,44 Hotéis 4* 52,0 47,5 270,86 278,65-2,8 437,88 459,53-4,7 29,46 27,08 8,8 894,27 836,09 7,0 0,20 0,21 Hotéis 3* 53,9 47,1 196,38 225,63-13,0 288,68 328,86-12,2 25,93 25,98-0,2 765,60 708,89 8,0 0,16 0,18 Hotéis de 2 e 1* 40,0 35,0 187,61 217,70-13,8 231,32 270,38-14,4 26,60 26,87-1,0 660,14 627,65 5,2 0,12 0,12 Hotéis - Apartamentos 54,5 49,1 207,53 214,89-3,4 321,76 324,70-0,9 17,44 17,58-0,8 1082,60 878,82 23,2 0,13 0,14 Aldeam. e Apartam. Turísticos 61,0 75,4 119,14 89,05 33,8 146,52 112,35 30,4 18,92 13,30 42,3 857,69 828,48 3,5 0,08 0,08 Motéis, Pousadas, Estalagens e Pensões 51,7 45,8 152,67 156,92-2,7 235,36 240,45-2,1 25,94 26,30-1,4 655,11 591,51 10,8 0,16 0,16 Total Geral 56,4 52,7 198,91 200,87-1,0 310,82 317,42-2,1 27,44 25,60 7,2 890,29 831,24 7,1 0,16 0,16 63,9 60,5 549,98 594,12-7,4 1054, ,88-7,2 61,25 64,77-5,4 1176, ,79 1,5 0,44 0,45 Hotéis 4* 51,1 47,5 266,54 268,09-0,6 435,56 447,30-2,6 31,20 28,44 9,7 905,85 852,89 6,2 0,20 0,20 Hotéis 3* 53,1 46,4 192,40 223,33-13,8 279,08 321,92-13,3 26,86 26,64 0,8 763,25 707,77 7,8 0,16 0,17 Hotéis - Apartamentos 70,2 56,7 143,37 150,88-5,0 212,80 219,44-3,0 15,62 15,16 3,0 1257,86 935,38 34,5 0,10 0,10 Total Geral 56,3 51,9 171,95 184,62-6,9 259,37 283,28-8,4 32,01 31,55 1,5 761,45 737,92 3,2 0,16 0,17 79,1 87,3 331,60 355,99-6,9 618,42 586,92 5,4 53,93 56,47-4,5 1230, ,12-2,5 0,33 0,33 Hotéis 4* 48,9 45,2 233,82 239,18-2,2 365,95 358,61 2,0 38,07 36,37 4,7 764,57 719,42 6,3 0,19 0,18 Hotéis 3* 56,2 38,9 174,30 210,12-17,0 246,37 313,87-21,5 32,83 31,13 5,5 772,90 675,77 14,4 0,14 0,15 Total Geral 41,7 38,0 165,91 186,11-10,9 266,62 302,91-12,0 27,29 28,00-2,5 647,96 625,13 3,7 0,14 0,15 60,2 (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) 859,59 (---) (---) (---) (---) Hotéis 4* 45,0 43,4 245,25 288,91-15,1 435,49 501,37-13,1 34,47 36,23-4,9 809,80 807,71 0,3 0,20 0,22 Hotéis 3* 42,6 36,3 194,32 216,88-10,4 298,06 353,25-15,6 29,62 28,76 3,0 672,08 637,87 5,4 0,16 0,17 Total Geral 52,0 48,0 297,99 294,82 1,1 446,84 453,42-1,5 40,34 37,50 7,6 952,98 881,32 8,1 0,19 0,20 61,3 55,8 621,93 693,06-10,3 1142, ,86-11,1 81,19 88,86-8,6 1237, ,89-0,6 0,42 0,43 Hotéis 4* 49,8 41,0 318,15 339,48-6,3 481,84 535,44-10,0 40,89 38,39 6,5 969,41 895,64 8,2 0,20 0,20 Hotéis 3* 56,0 51,5 218,85 241,45-9,4 311,70 330,05-5,6 27,60 28,03-1,5 834,54 747,04 11,7 0,17 0,18 (---) - Sujeito a segredo estatístico PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Fonte: INE/DGT Período: Fevereiro Empregado/cama ALENTEJO ALGARVE AÇORES MADEIRA Cidade de Cidade do Porto (3) (4) (5) Total Geral 56,3 44,7 167,59 227,13-26,2 281,94 341,89-17,5 28,19 29,15-3,3 692,14 643,00 7,6 0,18 0,19 Hotéis 4* 52,4 45,4 240,98 308,24-21,8 454,17 571,66-20,6 30,61 32,70-6,4 744,27 580,98 28,1 0,25 0,34 Hotéis 3* 54,9 53,1 191,75 212,75-9,9 318,03 299,89 6,0 28,21 27,20 3,7 783,33 752,25 4,1 0,17 0,16 Total Geral 67,7 64,2 142,23 146,05-2,6 237,49 241,58-1,7 16,95 16,56 2,4 978,89 900,74 8,7 0,13 0,13 63,8 59,9 554,70 609,32-9,0 1153, ,59-8,4 43,35 48,92-11,4 1089, ,27 2,9 0,54 0,54 Hotéis 4* 55,4 58,1 207,44 206,92 0,3 400,06 391,84 2,1 18,60 17,96 3,6 893,06 882,13 1,2 0,19 0,20 Hotéis 3* 67,3 60,4 129,63 188,71-31,3 164,81 240,27-31,4 15,41 15,75-2,2 674,92 704,06-4,1 0,14 0,17 Hotéis - Apartamentos 89,1 66,4 102,18 115,79-11,8 168,10 181,15-7,2 10,40 11,27-7,7 1381,76 971,12 42,3 0,09 0,10 Total Geral 63,8 56,2 184,41 206,43-10,7 291,72 327,96-11,1 26,93 28,32-4,9 713,78 660,71 8,0 0,22 0,23 Hotéis 4* 63,9 66,8 210,33 204,92 2,6 319,84 335,10-4,6 28,70 32,81-12,5 765,73 722,56 6,0 0,22 0,25 Hotéis 3* 58,2 46,7 207,71 243,76-14,8 353,03 389,30-9,3 24,83 25,83-3,9 700,68 644,07 8,8 0,24 0,23 Total Geral 46,3 40,4 384,55 435,97-11,8 616,30 674,65-8,6 26,75 27,81-3,8 921,47 821,82 12,1 0,25 0,26 47,1 37,6 627,92 767,46-18,2 1050, ,19-14,0 53,07 55,50-4,4 1032,26 862,45 19,7 0,38 0,42 Hotéis 4* 53,2 42,5 323,10 376,43-14,2 503,88 590,52-14,7 23,33 21,67 7,7 890,66 806,42 10,4 0,24 0,25 Hotéis 3* 58,7 59,0 246,44 236,01 4,4 366,98 352,60 4,1 18,72 19,17-2,3 885,26 825,65 7,2 0,20 0,20 Hotéis - Apartamentos 40,3 41,6 360,78 362,87-0,6 578,49 563,11 2,7 19,28 20,45-5,7 903,99 835,64 8,2 0,20 0,22 Total Geral 46,9 43,1 392,49 404,68-3,0 550,17 574,14-4,2 45,33 41,92 8,1 1004,25 957,72 4,9 n.d. n.d. 55,8 51,5 664,31 746,07-11,0 1131, ,66-12,2 86,63 92,30-6,1 1232, ,17-6,4 n.d. n.d. Hotéis 4* 47,1 37,1 367,42 406,81-9,7 530,41 588,89-9,9 43,93 42,90 2,4 985,71 897,31 9,9 n.d. n.d. Hotéis 3* 52,5 45,8 295,04 355,14-16,9 381,10 440,61-13,5 29,53 30,02-1,6 915,63 813,80 12,5 n.d. n.d. Total Geral 56,3 63,0 234,45 248,90-5,8 344,59 353,41-2,5 35,99 36,50-1,4 910,82 957,75-4,9 n.d. n.d. 79,2 90,2 349,55 375,23-6,8 645,73 599,02 7,8 52,78 55,99-5,7 1335, ,75-3,2 n.d. n.d. Hotéis 4* 38,2 37,1 301,38 313,59-3,9 467,51 450,12 3,9 35,18 36,05-2,4 734,22 745,38-1,5 n.d. n.d. Hotéis 3* 49,4 40,0 220,07 244,30-9,9 295,15 325,83-9,4 32,26 30,70 5,1 715,95 563,82 27,0 n.d. n.d. n.d. - não disponível FONTE: INE/DGT

17 PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Período: Março Total de Custos com Proveito Médio de Aposento Empregado/Cama TOTAL DO PAÍS CONTINENTE NORTE CENTRO LISBOA E VALE DO TEJO (3) (4) (5) Total Geral 39,1 40,3 308,18 292,68 5,3 469,03 448,29 4,6 26,89 27,66-2,8 869,33 836,52 3,9 0,17 0,17 Total Hotéis 38,6 39,1 419,80 416,02 0,9 652,71 646,91 0,9 32,95 34,81-5,3 928,01 873,33 6,3 0,22 0,23 44,5 43,5 799,49 870,88-8,2 1402, ,45-3,3 61,00 74,64-18,3 1161, ,63 9,9 0,43 0,45 Hotéis 4* 36,0 37,2 420,76 408,88 2,9 649,29 645,81 0,5 30,02 30,44-1,4 912,42 880,17 3,7 0,21 0,22 Hotéis 3* 37,3 38,6 291,11 269,04 8,2 411,07 384,83 6,8 25,33 25,14 0,8 735,32 697,48 5,4 0,17 0,17 Hotéis de 2 e 1* 28,2 28,1 265,71 275,76-3,6 330,05 358,60-8,0 24,84 26,85-7,5 660,03 656,28 0,6 0,12 0,13 Hotéis - Apartamentos 35,7 37,9 270,50 254,96 6,1 408,45 411,25-0,7 17,46 18,52-5,7 882,27 909,13-3,0 0,13 0,14 Aldeam. e Apartam. Turísticos 50,4 55,5 121,16 113,21 7,0 156,87 146,27 7,2 13,89 14,07-1,3 816,76 811,35 0,7 0,08 0,08 Motéis, Pousadas, Estalagens e Pensões 39,8 41,7 211,58 201,39 5,1 312,76 296,02 5,7 27,18 27,74-2,0 665,95 657,21 1,3 0,16 0,16 Total Geral 39,1 41,1 282,96 266,25 6,3 429,47 408,83 5,0 26,51 27,53-3,7 867,30 840,04 3,2 0,16 0,16 46,7 45,2 803,71 888,33-9,5 1457, ,79-2,8 63,60 79,48-20,0 1203, ,34 10,0 0,45 0,46 Hotéis 4* 34,8 36,6 428,69 403,75 6,2 666,24 643,85 3,5 30,98 31,85-2,7 938,06 897,93 4,5 0,20 0,21 Hotéis 3* 36,0 38,1 288,67 261,68 10,3 403,20 372,77 8,2 25,73 25,53 0,8 727,74 693,37 5,0 0,16 0,17 Hotéis - Apartamentos 36,2 40,1 196,38 190,87 2,9 289,01 320,64-9,9 15,15 16,94-10,6 841,97 963,31-12,6 0,10 0,11 Total Geral 41,0 40,7 238,22 232,83 2,3 353,57 350,07 1,0 29,81 32,40-8,0 748,31 673,63 11,1 0,16 0,17 52,2 34,2 442,94 574,17-22,9 831, ,34-18,2 44,21 67,74-34,7 1040,74 588,42 76,9 0,33 0,31 Hotéis 4* 39,0 45,4 321,29 284,12 13,1 483,40 425,23 13,7 33,57 38,69-13,2 785,05 793,41-1,1 0,19 0,19 Hotéis 3* 36,1 36,3 259,97 229,41 13,3 369,25 329,20 12,2 28,25 29,13-3,0 737,96 673,18 9,6 0,14 0,14 Total Geral 32,5 38,5 222,51 181,36 22,7 347,83 287,85 20,8 25,94 25,45 1,9 647,03 613,57 5,5 0,15 0,15 (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) Hotéis 4* 34,8 42,4 339,62 351,38-3,3 588,47 546,26 7,7 32,92 36,25-9,2 849,62 864,96-1,8 0,20 0,22 Hotéis 3* 32,4 38,7 271,84 198,71 36,8 406,91 324,39 25,4 26,84 25,58 4,9 665,28 616,31 7,9 0,16 0,17 Total Geral 36,1 36,4 441,14 437,67 0,8 631,60 632,64-0,2 37,47 41,32-9,3 37,47 922,98-95,9 0,19 0,20 47,5 43,7 881, ,32-17,1 1473, ,24-7,7 77,15 93,21-17,2 77, ,86-93,7 0,42 0,42 Hotéis 4* 31,3 32,0 543,55 489,32 11,1 786,07 737,72 6,6 40,98 41,14-0,4 40,98 924,43-95,6 0,20 0,21 Hotéis 3* 36,3 36,0 335,88 333,75 0,6 451,13 447,67 0,8 27,82 28,75-3,2 27,82 747,88-96,3 0,17 0,17 (---) - Sujeito a segredo estatístico PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Fonte: INE/DGT Período: Março Empregado/cama ALENTEJO ALGARVE AÇORES MADEIRA Cidade de Cidade do Porto (3) (4) (5) Total Geral 41,2 43,9 262,46 211,90 23,9 399,03 332,22 20,1 31,90 29,73 7,3 716,39 683,55 4,8 0,18 0,18 Hotéis 4* 32,4 32,5 464,59 472,15-1,6 796,99 813,59-2,0 36,33 38,68-6,1 758,75 614,95 23,4 0,26 0,33 Hotéis 3* 42,5 47,4 265,39 217,63 21,9 405,55 356,96 13,6 26,30 27,74-5,2 756,27 809,00-6,5 0,18 0,17 Total Geral 44,4 47,6 196,32 187,08 4,9 327,72 313,11 4,7 16,83 17,56-4,2 903,10 895,69 0,8 0,13 0,13 44,2 52,7 879,59 752,89 16,8 1785, ,66 9,7 54,22 60,40-10,2 1139, ,53 5,5 0,56 0,63 Hotéis 4* 40,4 40,1 313,95 357,72-12,2 576,70 633,66-9,0 18,20 22,00-17,3 919,52 920,73-0,1 0,20 0,22 Hotéis 3* 41,1 44,3 218,27 193,79 12,6 287,11 272,31 5,4 16,21 14,16 14,5 682,88 603,70 13,1 0,14 0,16 Hotéis - Apartamentos 40,1 44,3 140,04 149,82-6,5 232,84 280,13-16,9 10,33 12,63-18,2 800,71 970,15-17,5 0,09 0,10 Total Geral 44,8 49,6 278,67 272,91 2,1 413,07 403,57 2,4 27,05 27,10-0,2 711,94 695,39 2,4 0,21 0,23 Hotéis 4* 42,8 58,1 318,03 296,81 7,1 462,54 442,59 4,5 28,56 31,51-9,4 762,25 791,51-3,7 0,21 0,26 Hotéis 3* 43,6 39,7 295,26 315,44-6,4 468,55 463,16 1,2 24,79 24,77 0,1 683,44 649,80 5,2 0,24 0,23 Total Geral 37,9 35,5 489,52 502,42-2,6 756,05 766,10-1,3 28,50 28,31 0,7 915,38 858,44 6,6 0,25 0,26 38,8 38,3 789,57 823,46-4,1 1273, ,37-3,2 55,56 63,34-12,3 1046,08 952,43 9,8 0,38 0,44 Hotéis 4* 40,7 34,7 424,78 292,08 45,4 641,66 751,18-14,6 25,76 14,71 75,1 851,83 831,41 2,5 0,24 0,25 Hotéis 3* 47,0 43,8 325,72 329,27-1,1 472,47 479,93-1,6 21,12 20,96 0,8 907,37 843,32 7,6 0,20 0,21 Hotéis - Apartamentos 34,3 34,2 451,04 419,90 7,4 698,21 641,28 8,9 20,55 20,59-0,2 929,99 851,70 9,2 0,20 0,20 Total Geral 32,7 34,3 570,80 573,73-0,5 771,97 753,87 2,4 41,26 44,89-8,1 1022,12 976,48 4,7 n.d. n.d. 42,8 42,6 926, ,66-14,0 1443, ,37-3,0 80,24 97,01-17,3 1315, ,98 3,7 n.d. n.d. Hotéis 4* 29,5 30,8 635,41 569,99 11,5 876,82 782,36 12,1 44,47 45,82-2,9 1040,55 942,90 10,4 n.d. n.d. Hotéis 3* 31,4 31,8 478,94 491,78-2,6 587,85 617,55-4,8 30,71 32,00-4,0 834,07 826,17 1,0 n.d. n.d. Total Geral 36,3 34,5 334,51 353,74-5,4 479,14 506,08-5,3 32,85 40,40-18,7 784,62 650,54 20,6 n.d. n.d. 47,2 34,2 457,59 574,17-20,3 851, ,34-16,3 44,23 67,74-34,7 964,29 588,42 63,9 n.d. n.d. Hotéis 4* 29,4 38,0 422,02 409,77 3,0 635,74 546,91 16,2 31,41 40,01-21,5 776,00 835,31-7,1 n.d. n.d. Hotéis 3* 33,0 35,9 372,50 356,79 4,4 474,57 452,06 5,0 30,86 31,49-2,0 727,08 708,39 2,6 n.d. n.d. n.d. - não disponível FONTE: INE/DGT

18 PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Período: Abril Empregado/Cama TOTAL DO PAÍS CONTINENTE NORTE CENTRO LISBOA E VALE DO TEJO (3) (4) (5) Total Geral 37,9 28,9 321,57 429,30-25,1 492,69 648,40-24,0 29,71 34,38-13,6 889,24 849,51 4,7 0,17 0,18 Total Hotéis 36,7 28,7 440,95 595,87-26,0 688,10 916,04-24,9 35,88 43,21-17,0 943,53 913,36 3,3 0,21 0,23 41,7 32,7 818, ,54-29,7 1474, ,39-27,4 66,24 86,71-23,6 1169, ,97 1,3 0,42 0,45 Hotéis 4* 35,3 27,3 435,63 581,91-25,1 664,85 882,57-24,7 33,36 38,54-13,4 930,39 880,64 5,6 0,20 0,22 Hotéis 3* 34,4 27,4 324,10 416,65-22,2 457,18 578,72-21,0 28,07 32,49-13,6 757,51 735,98 2,9 0,17 0,17 Hotéis de 2 e 1* 27,8 19,2 272,83 399,90-31,8 350,89 502,40-30,2 24,51 33,16-26,1 683,71 653,27 4,7 0,12 0,12 Hotéis - Apartamentos 37,6 29,8 278,65 348,90-20,1 425,02 508,71-16,5 20,45 22,28-8,2 955,55 845,43 13,0 0,13 0,14 Aldeam. e Apartam. Turísticos 50,2 36,6 133,93 178,32-24,9 173,87 255,19-31,9 17,26 17,38-0,7 839,48 799,38 5,0 0,08 0,09 Motéis, Pousadas, Estalagens e Pensões 38,0 24,5 213,70 332,11-35,7 325,49 490,18-33,6 27,38 38,16-28,2 661,71 626,49 5,6 0,16 0,16 Total Geral 37,8 29,0 297,59 395,37-24,7 453,44 595,21-23,8 30,07 34,18-12,0 880,78 848,35 3,8 0,16 0,16 42,1 34,0 836, ,40-28,1 1545, ,22-26,5 74,17 98,96-25,1 1191, ,37-2,9 0,43 0,45 Hotéis 4* 34,1 26,7 437,17 580,61-24,7 669,66 883,40-24,2 34,94 39,32-11,1 942,80 893,98 5,5 0,19 0,21 Hotéis 3* 33,8 26,9 315,87 409,38-22,8 441,87 563,67-21,6 28,62 33,08-13,5 748,19 729,43 2,6 0,16 0,17 Hotéis - Apartamentos 39,6 28,8 214,34 281,09-23,7 315,31 382,42-17,5 20,18 21,83-7,6 958,86 810,94 18,2 0,10 0,11 Total Geral 37,0 25,7 256,30 384,75-33,4 389,81 568,15-31,4 31,68 41,15-23,0 755,72 731,74 3,3 0,16 0,16 37,2 24,3 608, ,29-47,1 1110, ,26-46,6 59,15 112,62-47,5 969, ,05-15,1 0,33 0,33 Hotéis 4* 36,5 27,8 314,89 464,66-32,2 480,62 694,66-30,8 37,01 41,64-11,1 836,35 816,52 2,4 0,17 0,19 Hotéis 3* 32,9 26,9 281,09 339,48-17,2 398,27 489,20-18,6 27,33 31,32-12,7 705,39 713,39-1,1 0,15 0,15 Total Geral 32,3 22,7 221,11 336,16-34,2 361,13 520,78-30,7 26,97 40,71-33,8 667,70 649,70 2,8 0,14 0,15 (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) Hotéis 4* 29,5 28,9 371,26 556,07-33,2 685,14 940,16-27,1 35,01 47,34-26,0 785,51 943,41-16,7 0,21 0,23 Hotéis 3* 33,7 23,2 245,21 360,27-31,9 389,27 545,81-28,7 26,72 37,28-28,3 672,42 648,66 3,7 0,16 0,16 Total Geral 32,7 26,5 481,35 650,88-26,0 706,94 929,86-24,0 41,30 49,04-15,8 955,19 955,13 0,0 0,19 0,20 39,0 37,5 986, ,70-21,2 1761, ,77-15,1 89,38 105,91-15,6 1275, ,22-7,3 0,42 0,43 Hotéis 4* 30,1 21,5 581,75 794,53-26,8 840, ,66-26,3 45,04 51,70-12,9 1005,24 921,42 9,1 0,20 0,21 Hotéis 3* 33,1 26,6 375,70 520,92-27,9 504,33 679,35-25,8 30,76 37,37-17,7 791,27 796,53-0,7 0,17 0,18 (---) - Sujeito a segredo estatístico PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Fonte: INE/DGT Período: Abril Total de Custos com Proveito Médio de Aposento Empregado/cama ALENTEJO ALGARVE AÇORES MADEIRA Cidade de Cidade do Porto (1) (2) (3) (4) (5) Total Geral 40,6 29,5 270,77 341,02-20,6 430,27 502,74-14,4 31,04 34,10-9,0 710,18 678,34 4,7 0,19 0,18 Hotéis 4* 22,5 28,2 534,43 623,85-14,3 1032,55 975,38 5,9 41,20 41,41-0,5 685,05 645,65 6,1 0,26 0,33 Hotéis 3* 40,0 27,5 306,41 379,71-19,3 465,23 566,30-17,8 27,51 30,05-8,5 765,89 740,19 3,5 0,19 0,16 Total Geral 46,3 35,0 211,90 262,54-19,3 333,42 426,34-21,8 21,42 21,98-2,5 935,21 851,78 9,8 0,13 0,14 48,7 31,2 744, ,29-29,5 1455, ,78-32,5 61,51 87,94-30,1 1167, ,58 8,6 0,48 0,51 Hotéis 4* 42,0 35,3 324,79 403,99-19,6 545,89 683,58-20,1 22,39 25,32-11,6 938,63 897,02 4,6 0,20 0,22 Hotéis 3* 35,2 37,5 315,85 258,36 22,3 404,98 343,02 18,1 26,82 18,72 43,3 789,11 652,19 21,0 0,15 0,16 Hotéis - Apartamentos 46,7 32,9 158,50 203,35-22,1 254,33 295,46-13,9 14,95 16,05-6,9 961,43 762,02 26,2 0,10 0,10 Total Geral 38,8 38,0 370,11 357,38 3,6 534,39 530,38 0,8 29,31 31,77-7,7 727,50 707,82 2,8 0,23 0,23 Hotéis 4* 38,3 43,1 396,15 388,84 1,9 547,69 595,72-8,1 32,01 35,50-9,8 776,18 819,42-5,3 0,22 0,26 Hotéis 3* 34,8 30,7 404,41 430,77-6,1 605,28 632,50-4,3 28,44 29,45-3,4 711,60 692,28 2,8 0,24 0,23 Total Geral 38,1 27,1 495,74 696,46-28,8 786, ,74-26,4 28,25 35,70-20,9 967,34 890,94 8,6 0,25 0,26 40,1 28,9 770, ,39-33,7 1292, ,76-30,1 50,98 66,09-22,9 1104,00 965,36 14,4 0,38 0,44 Hotéis 4* 41,6 26,4 444,88 680,50-34,6 690, ,74-31,7 26,24 35,57-26,2 932,97 840,06 11,1 0,24 0,25 Hotéis 3* 42,5 29,5 372,48 522,62-28,7 548,93 762,36-28,0 21,70 29,06-25,3 949,75 904,39 5,0 0,20 0,20 Hotéis - Apartamentos 34,5 30,3 452,78 502,29-9,9 718,69 788,01-8,8 20,75 22,66-8,4 956,67 902,74 6,0 0,21 0,21 Total Geral 30,5 24,4 606,96 830,55-26,9 840, ,90-24,0 45,68 53,70-14,9 1010, ,60-1,5 n.d. n.d. 34,8 33,6 1002, ,25-21,4 1687, ,08-13,2 93,10 109,96-15,3 1228, ,44-8,7 n.d. n.d. Hotéis 4* 29,6 20,2 657,41 865,91-24,1 904, ,00-23,4 48,32 54,11-10,7 1037,22 943,29 10,0 n.d. n.d. Hotéis 3* 29,7 22,6 519,38 775,27-33,0 640,03 938,22-31,8 35,23 42,27-16,7 861,17 896,92-4,0 n.d. n.d. Total Geral 31,5 20,7 388,86 683,31-43,1 562,38 950,12-40,8 35,99 58,19-38,2 812,13 845,79-4,0 n.d. n.d. 35,7 31,3 635,31 886,14-28,3 1141, ,26-29,5 59,32 86,76-31,6 976, ,05-14,5 n.d. n.d. Hotéis 4* 26,5 16,8 465,33 858,67-45,8 686, ,53-44,6 34,46 51,50-33,1 817,16 798,93 2,3 n.d. n.d. Hotéis 3* 30,6 23,2 445,67 549,52-18,9 556,87 672,43-17,2 30,54 36,19-15,6 764,82 694,50 10,1 n.d. n.d. n.d. - não disponível FONTE: INE/DGT

19 PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Período: Maio Empregado/Cama TOTAL DO PAÍS CONTINENTE NORTE CENTRO LISBOA E VALE DO TEJO (3) (4) (5) Total Geral 33,3 31,0 386,77 405,89-4,7 580,89 613,96-5,4 30,07 31,57-4,8 914,84 855,79 6,9 0,17 0,18 Total Hotéis 33,2 29,4 522,73 603,64-13,4 806,47 927,86-13,1 37,48 42,06-10,9 986,89 919,26 7,4 0,22 0,24 35,1 31,1 1027, ,29-16,8 1773, ,73-13,9 74,32 84,99-12,6 1167, ,17 5,0 0,42 0,45 Hotéis 4* 30,4 29,2 513,82 565,39-9,1 779,76 855,22-8,8 34,12 36,15-5,6 927,48 901,14 2,9 0,20 0,22 Hotéis 3* 32,8 27,6 367,67 404,49-9,1 519,47 582,56-10,8 28,56 30,88-7,5 809,07 745,51 8,5 0,17 0,18 Hotéis de 2 e 1* 47,5 24,9 307,95 328,70-6,3 405,25 412,65-1,8 24,46 25,72-4,9 1337,46 663,27 101,6 0,12 0,13 Hotéis - Apartamentos 31,0 35,2 372,58 292,98 27,2 535,75 436,20 22,8 23,60 20,18 16,9 956,71 871,24 9,8 0,14 0,14 Aldeam. e Apartam. Turísticos 37,9 37,4 186,87 167,04 11,9 231,64 227,60 1,8 15,53 14,10 10,1 832,51 770,40 8,1 0,08 0,09 Motéis, Pousadas, Estalagens e Pensões 33,1 32,9 239,94 246,88-2,8 370,48 368,42 0,6 27,53 28,10-2,0 657,81 639,48 2,9 0,16 0,16 Total Geral 31,9 29,7 379,65 396,13-4,2 562,49 593,84-5,3 30,70 32,32-5,0 914,81 854,28 7,1 0,16 0,17 33,3 29,3 1164, ,50-14,2 2010, ,28-11,7 82,87 97,33-14,9 1197, ,23 5,1 0,44 0,45 Hotéis 4* 28,7 27,7 532,99 591,62-9,9 808,31 890,11-9,2 36,00 38,31-6,0 941,10 921,99 2,1 0,20 0,21 Hotéis 3* 31,7 26,8 366,31 402,82-9,1 512,86 575,25-10,8 29,08 31,42-7,4 806,11 743,90 8,4 0,16 0,17 Hotéis - Apartamentos 27,0 34,6 368,23 252,21 46,0 490,53 345,84 41,8 26,03 20,15 29,2 955,87 870,68 9,8 0,11 0,11 Total Geral 40,9 30,2 291,01 331,53-12,2 452,24 514,32-12,1 30,92 32,62-5,2 944,25 739,86 27,6 0,16 0,17 42,2 34,3 557,87 645,19-13,5 1087, ,67-11,2 52,33 65,34-19,9 1087,33 962,84 12,9 0,32 0,34 Hotéis 4* 30,3 26,0 395,20 502,30-21,3 612,40 768,33-20,3 35,11 34,90 0,6 849,92 817,77 3,9 0,17 0,20 Hotéis 3* 29,6 25,6 316,97 371,58-14,7 467,59 549,67-14,9 27,51 32,04-14,1 691,59 766,54-9,8 0,16 0,15 Total Geral 30,2 29,1 226,64 242,74-6,6 381,80 399,55-4,4 26,87 28,58-6,0 656,78 645,85 1,7 0,15 0,15 (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) Hotéis 4* 26,9 28,0 385,57 514,49-25,1 737,80 928,08-20,5 36,26 38,39-5,5 771,36 903,14-14,6 0,21 0,24 Hotéis 3* 31,7 27,4 265,76 293,66-9,5 421,90 472,34-10,7 27,52 29,74-7,5 693,63 664,94 4,3 0,16 0,16 Total Geral 27,6 24,1 605,21 706,06-14,3 871, ,93-13,7 43,94 49,89-11,9 978,97 937,47 4,4 0,20 0,21 31,7 25,3 1409, ,24-21,9 2296, ,64-17,9 103,58 124,59-16,9 1331, ,52 6,1 0,42 0,43 Hotéis 4* 26,5 22,5 694,23 781,89-11,2 1000, ,87-9,7 46,96 48,77-3,7 1033,99 959,90 7,7 0,20 0,21 Hotéis 3* 26,9 24,4 466,36 520,37-10,4 621,90 718,24-13,4 31,88 34,26-6,9 780,16 778,93 0,2 0,17 0,18 (---) - Sujeito a segredo estatístico PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Fonte: INE/DGT Período: Maio Empregado/cama ALENTEJO ALGARVE AÇORES MADEIRA Cidade de Cidade do Porto (3) (4) (5) Total Geral 33,6 30,7 305,07 318,37-4,2 501,72 477,94 5,0 31,68 32,44-2,3 729,71 695,51 4,9 0,18 0,17 Hotéis 4* 21,0 20,4 478,16 723,05-33,9 853, ,87-29,3 37,58 40,81-7,9 651,82 567,18 14,9 0,21 0,33 Hotéis 3* 34,5 26,4 343,81 403,50-14,8 516,30 587,92-12,2 28,45 30,25-6,0 805,23 735,56 9,5 0,18 0,16 Total Geral 34,3 37,7 309,20 268,22 15,3 451,77 418,89 7,8 22,63 21,14 7,0 927,48 879,93 5,4 0,13 0,14 33,6 35,0 1108, ,17 5,6 2032, ,78 2,2 68,83 71,93-4,3 1086, ,11 2,1 0,50 0,52 Hotéis 4* 32,6 38,1 415,40 417,11-0,4 671,42 683,91-1,8 23,85 27,22-12,4 889,23 930,10-4,4 0,20 0,22 Hotéis 3* 50,2 51,5 335,40 236,11 42,1 431,19 286,98 50,3 24,82 20,39 21,7 1192,04 738,35 61,4 0,15 0,16 Hotéis - Apartamentos 28,1 39,4 337,20 203,59 65,6 452,64 293,17 54,4 23,20 15,98 45,2 959,96 868,68 10,5 0,11 0,11 Total Geral 35,0 33,8 395,26 390,57 1,2 570,48 581,53-1,9 30,71 33,44-8,2 745,98 697,82 6,9 0,22 0,23 Hotéis 4* 34,0 37,1 457,89 432,69 5,8 642,60 636,81 0,9 32,19 38,68-16,8 801,20 797,14 0,5 0,22 0,24 Hotéis 3* 31,7 27,2 454,77 454,55 0,0 690,17 713,85-3,3 30,34 31,57-3,9 717,45 662,17 8,3 0,25 0,24 Total Geral 40,9 37,3 439,27 482,52-9,0 725,56 772,30-6,1 26,35 27,37-3,7 956,05 904,89 5,7 0,25 0,26 43,5 40,2 673,79 851,78-20,9 1162, ,15-15,7 50,92 52,01-2,1 1076, ,81 5,5 0,38 0,44 Hotéis 4* 42,5 35,9 414,42 479,99-13,7 658,06 762,39-13,7 24,16 25,29-4,5 909,61 849,03 7,1 0,24 0,26 Hotéis 3* 55,1 44,7 291,26 358,76-18,8 437,37 517,11-15,4 19,19 22,13-13,3 984,87 917,57 7,3 0,20 0,20 Hotéis - Apartamentos 37,9 35,2 392,68 389,87 0,7 668,67 647,00 3,3 19,01 19,93-4,6 966,76 891,89 8,4 0,21 0,20 Total Geral 25,9 21,9 762,09 926,98-17,8 1022, ,10-16,1 49,02 57,58-14,9 1057, ,71 4,9 n.d. n.d. 30,8 23,3 1363, ,85-25,3 2054, ,80-21,8 104,34 124,80-16,4 1344, ,13 6,3 n.d. n.d. Hotéis 4* 24,5 20,0 820,30 923,77-11,2 1119, ,92-6,7 51,46 55,03-6,5 1075,33 961,97 11,8 n.d. n.d. Hotéis 3* 25,0 23,5 633,09 705,20-10,2 780,29 879,75-11,3 35,97 39,92-9,9 874,13 887,28-1,5 n.d. n.d. Total Geral 30,9 29,4 418,55 450,56-7,1 620,83 664,38-6,6 33,64 38,89-13,5 881,18 840,56 4,8 n.d. n.d. 40,6 32,7 591,79 690,06-14,2 1155, ,88-12,7 52,13 66,14-21,2 1149, ,96 13,3 n.d. n.d. Hotéis 4* 23,4 22,2 549,35 740,80-25,8 821,69 973,09-15,6 32,03 39,62-19,2 861,01 842,40 2,2 n.d. n.d. Hotéis 3* 24,7 23,9 505,35 521,64-3,1 645,11 664,57-2,9 29,42 32,93-10,7 726,87 743,84-2,3 n.d. n.d. n.d. - não disponível FONTE: INE/DGT

20 PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Período: Junho Empregado/Cama TOTAL DO PAÍS CONTINENTE NORTE CENTRO LISBOA E VALE DO TEJO (3) (4) (5) Total Geral 31,4 24,9 421,55 599,00-29,6 629,27 790,14-20,4 30,93 43,92-29,6 923,25 890,59 3,7 0,17 0,18 Total Hotéis 31,6 22,9 563,52 946,49-40,5 858, ,54-31,3 40,36 65,90-38,8 989,17 968,27 2,2 0,22 0,23 35,6 26,5 1148, ,03-44,3 1978, ,13-32,5 79,22 140,55-43,6 1257, ,72-2,2 0,45 0,47 Hotéis 4* 29,3 20,3 565,77 926,68-38,9 825, ,43-31,7 36,81 62,27-40,9 947,61 907,11 4,5 0,20 0,22 Hotéis 3* 31,8 23,1 367,98 612,88-40,0 537,48 759,01-29,2 30,24 44,80-32,5 805,28 765,98 5,1 0,17 0,18 Hotéis de 2 e 1* 25,2 18,8 332,56 484,09-31,3 419,85 573,09-26,7 26,83 34,79-22,9 710,04 676,33 5,0 0,12 0,13 Hotéis - Apartamentos 33,6 27,8 346,91 410,37-15,5 512,20 541,28-5,4 19,62 25,83-24,0 982,13 869,00 13,0 0,14 0,14 Aldeam. e Apartam. Turísticos 27,9 30,8 243,60 244,58-0,4 338,63 307,17 10,2 16,59 16,74-0,9 832,39 817,19 1,9 0,09 0,09 Motéis, Pousadas, Estalagens e Pensões 30,7 31,6 283,46 288,18-1,6 406,10 391,32 3,8 34,14 31,08 9,8 669,32 663,17 0,9 0,16 0,16 Total Geral 30,1 21,8 412,71 626,58-34,1 607,99 799,66-24,0 31,37 46,34-32,3 921,80 857,15 7,5 0,16 0,16 34,5 21,7 1325, ,47-49,1 2252, ,32-35,6 92,79 175,46-47,1 1320, ,32 10,5 0,47 0,49 Hotéis 4* 28,9 18,0 561, ,74-46,2 821, ,94-38,6 37,57 69,69-46,1 967,11 926,03 4,4 0,20 0,21 Hotéis 3* 31,3 21,5 356,51 643,86-44,6 521,59 782,21-33,3 30,46 47,64-36,1 806,31 763,66 5,6 0,16 0,18 Hotéis - Apartamentos 28,9 20,1 348,73 467,69-25,4 482,09 564,82-14,6 20,78 29,60-29,8 982,99 817,86 20,2 0,11 0,11 Total Geral 30,6 19,6 347,41 616,36-43,6 511,42 796,96-35,8 37,25 55,49-32,9 783,64 762,99 2,7 0,16 0,17 43,4 15,4 465, ,77-82,0 1076, ,05-68,2 38,27 182,85-79,1 1140, ,09-9,3 0,32 0,32 Hotéis 4* 33,9 17,0 361,67 905,34-60,1 542, ,34-54,4 35,31 65,61-46,2 828,28 852,80-2,9 0,18 0,20 Hotéis 3* 34,7 17,0 291,95 767,18-61,9 414,58 954,91-56,6 28,59 59,62-52,0 712,94 754,70-5,5 0,16 0,17 Total Geral 31,6 25,6 229,53 340,11-32,5 363,26 481,51-24,6 27,86 38,03-26,7 674,56 667,64 1,0 0,14 0,16 (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) Hotéis 4* 28,6 20,6 422,90 706,78-40,2 756,11 975,48-22,5 36,70 67,34-45,5 844,42 815,54 3,5 0,21 0,20 Hotéis 3* 32,5 25,5 258,82 432,92-40,2 407,08 586,16-30,6 27,64 40,53-31,8 702,84 665,02 5,7 0,15 0,18 Total Geral 31,4 17,4 587, ,85-49,2 836, ,16-40,4 46,94 79,45-40,9 1068,90 958,67 11,5 0,20 0,20 35,6 20,4 1504, ,63-51,5 2403, ,79-38,0 120,67 220,52-45,3 1547, ,34 18,6 0,43 0,45 Hotéis 4* 29,3 14,1 656, ,17-56,4 921, ,03-50,1 48,38 95,79-49,5 1068,84 990,12 8,0 0,20 0,21 Hotéis 3* 32,9 20,0 422,29 790,66-46,6 551,44 922,19-40,2 33,05 52,16-36,6 861,20 819,90 5,0 0,17 0,18 (---) - Sujeito a segredo estatístico PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Fonte:INE/DGT Período: Junho Empregado/cama ALENTEJO ALGARVE AÇORES MADEIRA Cidade de Cidade do Porto (3) (4) (5) Total Geral 29,6 37,3 283,74 322,48-12,0 592,83 422,08 40,5 29,41 36,51-19,4 734,23 704,49 4,2 0,19 0,18 Hotéis 4* 34,1 51,4 529,29 472,94 11,9 913,95 798,96 14,4 37,19 58,83-36,8 1121,96 586,74 91,2 0,23 0,52 Hotéis 3* 17,3 42,8 351,43 268,95 30,7 1140,87 407,38 180,1 29,92 32,61-8,2 848,63 741,74 14,4 0,18 0,19 Total Geral 38,6 28,5 378,71 383,18-1,2 556,78 521,14 6,8 23,26 25,68-9,4 923,03 855,25 7,9 0,14 0,14 30,3 26,5 1590, ,07-15,2 2792, ,68-6,9 82,74 113,32-27,0 1090, ,04 3,8 0,63 0,61 Hotéis 4* 26,7 27,4 585,86 632,52-7,4 875,32 875,75 0,0 30,08 41,54-27,6 933,58 897,36 4,0 0,20 0,21 Hotéis 3* 32,2 29,6 411,96 411,04 0,2 546,76 488,35 12,0 28,67 28,09 2,1 903,56 728,24 24,1 0,16 0,16 Hotéis - Apartamentos 29,8 26,5 319,37 303,17 5,3 443,85 389,56 13,9 18,20 19,27-5,6 971,13 776,81 25,0 0,11 0,10 Total Geral 26,0 33,5 579,56 438,35 32,2 777,09 608,32 27,7 41,59 35,83 16,1 757,91 733,31 3,4 0,22 0,23 Hotéis 4* 21,6 37,7 770,55 486,45 58,4 994,14 649,02 53,2 52,23 41,35 26,3 809,02 829,84-2,5 0,21 0,24 Hotéis 3* 28,7 26,4 557,40 512,17 8,8 800,44 750,71 6,6 33,51 34,12-1,8 739,44 676,64 9,3 0,25 0,24 Total Geral 42,0 45,7 435,71 439,28-0,8 748,24 773,40-3,3 25,10 29,36-14,5 980, ,75-10,1 0,26 0,26 39,9 44,0 735,24 984,36-25,3 1338, ,22-25,9 48,99 68,65-28,6 1087, ,78-27,5 0,40 0,42 Hotéis 4* 40,2 42,2 444,10 361,89 22,7 731,33 632,75 15,6 23,04 22,57 2,1 915,70 840,47 9,0 0,25 0,25 Hotéis 3* 53,6 55,3 290,03 291,06-0,4 428,40 434,82-1,5 19,90 20,14-1,2 930,88 915,63 1,7 0,20 0,22 Hotéis - Apartamentos 43,2 49,0 346,44 271,65 27,5 604,45 486,13 24,3 16,64 16,38 1,6 990,59 950,42 4,2 0,21 0,20 Total Geral 30,8 15,0 732, ,66-51,0 962, ,22-45,0 54,02 93,53-42,2 1174, ,16 14,5 n.d. n.d. 34,5 17,4 1509, ,91-52,0 2204, ,21-42,8 124,21 231,91-46,4 1648, ,93 26,1 n.d. n.d. Hotéis 4* 28,4 12,4 781, ,47-53,6 1023, ,86-49,1 56,49 106,35-46,9 1120, ,12 11,9 n.d. n.d. Hotéis 3* 33,3 18,2 503, ,12-51,7 617, ,68-46,8 35,27 59,58-40,8 926,66 905,63 2,3 n.d. n.d. Total Geral 23,2 16,2 641, ,93-37,1 882, ,67-29,5 53,70 73,82-27,3 912,62 895,36 1,9 n.d. n.d. 44,0 15,4 450, ,77-82,6 1082, ,05-68,0 35,12 182,85-80,8 1203, ,09-4,2 n.d. n.d. Hotéis 4* 26,7 14,9 473, ,64-60,4 697, ,11-52,8 33,17 67,64-51,0 812,60 790,51 2,8 n.d. n.d. Hotéis 3* 25,5 13,9 465, ,11-54,5 585, ,59-49,6 29,50 58,39-49,5 753,79 757,37-0,5 n.d. n.d. n.d. - não disponível FONTE: INE/DGT

21 PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Período: Julho de Proveitos Empregado/Cama TOTAL DO PAÍS CONTINENTE NORTE CENTRO LISBOA E VALE DO TEJO (3) (4) (5) Total Geral 29,9 27,3 463,13 517,47-10,5 661,82 726,10-8,9 29,86 33,21-10,1 921,07 872,27 5,6 0,17 0,18 Total Hotéis 32,1 28,0 578,27 691,13-16,3 850,51 983,09-13,5 38,24 45,60-16,1 993,29 932,65 6,5 0,22 0,23 34,8 28,9 1118, ,06-25,6 1847, ,98-24,0 70,43 89,49-21,3 1185, ,69 6,4 0,42 0,50 Hotéis 4* 30,0 27,1 564,61 674,50-16,3 811,06 931,64-12,9 34,64 41,63-16,8 958,17 933,92 2,6 0,20 0,22 Hotéis 3* 29,6 28,8 407,55 465,62-12,5 552,52 607,41-9,0 29,89 34,81-14,1 753,58 769,73-2,1 0,17 0,18 Hotéis de 2 e 1* 43,8 24,4 361,65 418,39-13,6 460,39 504,29-8,7 27,13 29,23-7,2 1405,97 729,85 92,6 0,12 0,13 Hotéis - Apartamentos 26,9 24,7 454,66 425,90 6,8 637,87 630,77 1,1 21,92 21,85 0,3 963,14 851,75 13,1 0,14 0,15 Aldeam. e Apartam. Turísticos 20,4 22,4 369,32 376,31-1,9 450,60 459,85-2,0 19,77 19,90-0,7 808,41 798,62 1,2 0,09 0,10 Motéis, Pousadas, Estalagens e Pensões 31,9 32,5 267,96 285,16-6,0 404,86 403,38 0,4 27,52 27,74-0,8 687,35 693,69-0,9 0,16 0,16 Total Geral 28,8 25,5 458,70 525,10-12,6 645,18 723,32-10,8 30,36 34,39-11,7 925,53 873,19 6,0 0,16 0,17 33,6 26,7 1256, ,95-27,5 2058, ,39-25,9 79,42 103,64-23,4 1206, ,68 4,7 0,44 0,51 Hotéis 4* 29,4 25,3 567,70 717,19-20,8 815,36 982,95-17,0 36,11 45,09-19,9 987,79 960,22 2,9 0,19 0,21 Hotéis 3* 29,5 29,2 393,71 456,37-13,7 530,13 584,48-9,3 30,09 35,83-16,0 751,41 770,65-2,5 0,17 0,17 Hotéis - Apartamentos 22,3 18,1 488,60 458,10 6,7 645,96 640,48 0,9 23,97 23,38 2,5 984,56 818,46 20,3 0,12 0,11 Total Geral 40,5 34,0 310,06 354,82-12,6 460,52 494,41-6,9 29,68 32,98-10,0 950,98 803,61 18,3 0,16 0,17 51,0 58,1 557,79 701,15-20,4 953,91 988,88-3,5 39,22 61,06-35,8 1205, ,95-9,1 0,32 0,36 Hotéis 4* 33,4 29,4 390,94 490,45-20,3 583,36 686,95-15,1 32,43 37,98-14,6 857,15 832,97 2,9 0,18 0,20 Hotéis 3* 30,6 30,6 335,10 381,59-12,2 467,64 523,94-10,7 29,10 34,18-14,9 719,43 785,29-8,4 0,16 0,16 Total Geral 29,0 31,0 265,93 265,90 0,0 425,42 400,54 6,2 26,80 29,75-9,9 702,20 682,39 2,9 0,15 0,15 (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) (---) Hotéis 4* 27,2 33,8 428,70 413,45 3,7 767,16 706,08 8,7 34,63 39,86-13,1 815,39 929,13-12,2 0,21 0,21 Hotéis 3* 29,6 31,5 311,86 304,56 2,4 467,30 430,89 8,4 27,98 30,45-8,1 694,04 658,17 5,4 0,16 0,17 Total Geral 35,0 25,0 498,89 705,92-29,3 705,23 945,87-25,4 37,12 52,13-28,8 994,99 948,56 4,9 0,20 0,20 44,7 24,4 968, ,30-51,0 1630, ,40-47,5 77,31 130,25-40,6 1289, ,83 3,2 0,42 0,47 Hotéis 4* 37,0 24,1 520,96 825,60-36,9 729, ,28-31,3 36,35 57,89-37,2 1079, ,29 7,9 0,20 0,21 Hotéis 3* 32,8 27,6 404,20 550,71-26,6 529,44 682,48-22,4 29,70 40,00-25,8 803,53 795,41 1,0 0,17 0,18 (---) - Sujeito a segredo estatístico Fonte:INE/DGT PROVEITOS E CUSTOS, POR NUTS II E CATEGORIAS DE ESTABELECIMENTOS Período: Julho Empregado/cama ALENTEJO ALGARVE AÇORES MADEIRA Cidade de Cidade do Porto Total Geral 39,9 36,0 343,73 362,11-5,1 514,96 488,31 5,5 32,91 29,79 10,5 836,98 754,65 10,9 0,19 0,18 Hotéis 4* 41,1 34,6 345,67 474,43-27,1 606,65 842,33-28,0 29,62 36,71-19,3 850,40 806,54 5,4 0,23 0,29 Hotéis 3* 40,1 40,0 308,53 297,03 3,9 440,28 416,39 5,7 31,77 29,34 8,3 769,28 803,29-4,2 0,18 0,16 Total Geral 21,8 22,9 539,30 527,51 2,2 733,31 736,15-0,4 27,87 27,29 2,1 918,61 882,20 4,1 0,14 0,15 23,9 25,9 1939, ,83 6,0 3070, ,75 1,5 91,51 91,35 0,2 1126, ,36 7,5 0,53 0,59 Hotéis 4* 21,8 24,6 733,26 737,96-0,6 1046, ,64-1,7 37,20 37,31-0,3 955,73 979,94-2,5 0,19 0,21 Hotéis 3* 20,7 28,3 586,98 530,00 10,8 725,94 631,03 15,0 33,35 31,04 7,4 727,36 851,18-14,5 0,16 0,17 Hotéis - Apartamentos 22,1 17,2 470,07 409,87 14,7 630,09 596,88 5,6 21,85 20,19 8,2 986,58 759,67 29,9 0,11 0,11 Total Geral 23,8 22,7 588,74 634,56-7,2 791,82 867,09-8,7 34,48 36,74-6,2 693,27 686,69 1,0 0,22 0,24 Hotéis 4* 23,6 24,6 655,58 725,11-9,6 849,77 969,53-12,4 36,49 40,64-10,2 734,08 732,80 0,2 0,21 0,26 Hotéis 3* 21,6 18,9 674,89 676,62-0,3 962,19 975,41-1,4 34,71 35,57-2,4 651,15 662,41-1,7 0,26 0,24 Total Geral 39,5 43,5 459,99 423,08 8,7 752,80 701,79 7,3 25,31 24,36 3,9 958,28 919,98 4,2 0,25 0,27 39,6 39,9 753,13 889,86-15,4 1287, ,70-14,4 46,94 52,15-10,0 1119, ,31 11,0 0,37 0,48 Hotéis 4* 38,0 54,5 493,37 336,34 46,7 760,73 538,73 41,2 25,67 19,36 32,6 911,56 901,51 1,1 0,25 0,26 Hotéis 3* 48,4 49,8 341,77 323,32 5,7 472,20 469,79 0,5 20,69 20,25 2,2 938,80 921,80 1,8 0,20 0,21 Hotéis - Apartamentos 39,4 41,1 363,36 343,38 5,8 616,97 594,24 3,8 16,41 17,61-6,8 940,03 900,04 4,4 0,21 0,22 Total Geral 39,0 23,3 529,55 838,43-36,8 700, ,28-32,7 38,03 58,55-35,0 1073,13 994,67 7,9 n.d. n.d. 49,0 22,9 804, ,73-57,5 1239, ,42-51,5 71,86 138,54-48,1 1244, ,81 2,3 n.d. n.d. Hotéis 4* 40,3 23,5 520,40 865,90-39,9 706, ,49-33,9 37,68 65,27-42,3 1143, ,31 11,2 n.d. n.d. Hotéis 3* 35,2 24,9 489,37 711,90-31,3 586,55 839,41-30,1 30,72 44,64-31,2 927,69 883,34 5,0 n.d. n.d. Total Geral 39,6 38,4 356,84 430,51-17,1 496,36 570,21-13,0 29,67 35,90-17,4 926,80 955,25-3,0 n.d. n.d. 53,7 58,1 530,28 701,15-24,4 912,74 988,88-7,7 38,07 61,06-37,7 1261, ,95-4,8 n.d. n.d. Hotéis 4* 30,2 24,4 421,83 554,02-23,9 630,43 774,35-18,6 28,24 33,58-15,9 831,02 792,66 4,8 n.d. n.d. Hotéis 3* 30,3 26,1 446,01 482,44-7,6 543,94 600,48-9,4 29,94 35,40-15,4 759,83 727,67 4,4 n.d. n.d. n.d. - não disponível (1) (2) (3) (4) (5) FONTE: INE/DGT

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DA INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos 2 Introdução Com base em indicadores estatísticos disponibilizados pelo

Leia mais

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos

Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos Atividade Turística Janeiro de 2014 19 de março de 2014 Hotelaria com aumentos nos hóspedes, dormidas e proveitos A hotelaria registou 1,7 milhões de dormidas em janeiro de 2014, valor que corresponde

Leia mais

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas

Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas Atividade Turística Dezembro de 2012 14 de fevereiro de 2013 Residentes no estrangeiro sustentam ligeiro aumento nas dormidas As dormidas na hotelaria atingiram 1,7 milhões em dezembro 2012, mais 1,9%

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno

Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno Atividade Turística Novembro de 2014 19 de janeiro de 2015 Hotelaria manteve crescimento de dois dígitos mas com desaceleração particularmente no mercado interno As dormidas na hotelaria fixaram-se em

Leia mais

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas

Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Atividade Turística Fevereiro de 20 15 de Abril de 20 Hotelaria mantém crescimento mas com desaceleração no número de hóspedes e de dormidas Os estabelecimentos hoteleiros registaram cerca de 2 milhões

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DA ECONOMIA E INOVAÇÃO Índice Introdução Preço Médio por Dormida Proveito Médio de Aposento por Cama Conceitos Anexos Proveitos e Custos nos Estabelecimentos Hoteleiros Ano de 2004 Página 2

Leia mais

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER A oferta e a procura no TER 2007 Índice Introdução Capacidade de alojamento Estimativa de dormidas Taxas de ocupação-cama Anexos 2 Introdução. Em 2007 estavam em funcionamento em Portugal 1.023 unidades

Leia mais

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos HOTELARIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. INFORMAÇÃO SOBRE AS EMPRESAS Segundo os dados das Empresas em Portugal 2005, do INE, em 2005 o sector do Alojamento e Restauração compreendia

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 2 - setembro 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

Leia mais

2013 4º Trimestre. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo

2013 4º Trimestre. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo Sumário Executivo Na presente informação, divulgam-se os preços médios de Aposento (b&b), Meia Pensão (h&b) e Pensão Completa (f&b) praticados ao balcão, no 4.º Trimestre de 2013, pelos hotéis e pousadas,

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente 26 de junho de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2014 Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País foi de 995 euros/m

Leia mais

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2005 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014

Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014 Lisboa, 3 de junho de 2014 Associação da Hotelaria de Portugal divulga dados do Tourism Monitor do primeiro trimestre de 2014 De acordo com a Associação da Hotelaria de Portugal, houve um crescimento de

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global

indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global boletim trimestral - n.º 4 - março 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Capacidade de alojamento na Hotelaria Global 2. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de

Leia mais

2012 Anual. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo

2012 Anual. Preços médios ao Balcão. Sumário Executivo Sumário Executivo Na presente informação, divulgam-se os preços médios de Aposento (b&b), Meia Pensão (h&b) e Pensão Completa (f&b) praticados ao balcão, no ano de 2012, pelos hotéis e pousadas, bem como

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012

Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012 Lisboa, 4 de fevereiro de 2013 Associação da Hotelaria de Portugal divulga indicadores de novembro de 2012 TAXA DE OCUPAÇÃO QUARTO SOBE 10,64%, NO PORTO, e 5,75% EM LISBOA COM BOM DESEMPENHO DE TODAS AS

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS Lisboa, 30 de julho de 2014 ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA DE PORTUGAL: INDICADORES DE MAIO MARCADOS POR EVENTOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS Grande Lisboa puxou o mês A AHP Associação da Hotelaria de Portugal

Leia mais

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA

4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA 4. CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA TURÍSTICA NOÇÃO E FORMAS DE PROCURA A procura turística é tida como uma importante componente do sistema turístico, que pode ser traduzida como o conjunto de bens e serviços

Leia mais

Construção continua em queda

Construção continua em queda Construção: Obras licenciadas e concluídas 2º Trimestre de 2012 - Dados preliminares 13 de setembro de 2012 Construção continua em queda O licenciamento de obras acentuou a sua trajetória descendente,

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 6 - outubro 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 1.

Leia mais

Análise Regional dezembro 2015

Análise Regional dezembro 2015 Portugal Em, o Algarve voltou a liderar o País com 16,6 milhões de dormidas (34% de quota no País) e cresceu 2,7% face a 2014. Lisboa posicionou-se no 2.º lugar com 12,3 milhões de dormidas e assinalou,

Leia mais

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014

Barómetro de Conjuntura. Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos. verão 2014 verão 2014 Índice Sumário Executivo Perspetivas de evolução da procura para o verão 2014 NUTS II NUTS II por Mercados Perspetivas de evolução da procura para o inverno 2014/15 NUTS II 2 Sumário Executivo

Leia mais

Responsabilidade Social em Portugal 2013. Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos

Responsabilidade Social em Portugal 2013. Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Responsabilidade Social em Portugal 2013 Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos ÍNDICE Sumário Executivo Introdução Caracterização Social Vínculo laboral dos

Leia mais

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 NOTA METODOLÓGICA De acordo com a definição nacional, são pequenas e médias empresas aquelas que empregam menos de 500 trabalhadores, que apresentam um volume de

Leia mais

DIRECÇÃO GERAL DO TURISMO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ESTUDOS E ESTRATÉGIA TURÍSTICOS DIVISÃO DE RECOLHA E ANÁLISE ESTATÍSTICA

DIRECÇÃO GERAL DO TURISMO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ESTUDOS E ESTRATÉGIA TURÍSTICOS DIVISÃO DE RECOLHA E ANÁLISE ESTATÍSTICA DIRECÇÃO GERAL DO TURISMO DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE ESTUDOS E ESTRATÉGIA TURÍSTICOS DIVISÃO DE RECOLHA E ANÁLISE ESTATÍSTICA Elaborado por: Cristina Curto Caria Coordenado por: Teresinha Duarte Seetteembrro..2004

Leia mais

Inventário Anual aos Estabelecimentos Hoteleiros 2012. Folha de Informação Rápida

Inventário Anual aos Estabelecimentos Hoteleiros 2012. Folha de Informação Rápida Inventário Anual aos Estabelecimentos Hoteleiros 2012 Folha de Informação Rápida 2013 Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2012 Inventario Anual dos Estabelecimentos Hoteleiros Presidente

Leia mais

Obras licenciadas e concluídas continuaram a diminuir

Obras licenciadas e concluídas continuaram a diminuir 14 de junho de 2013 Construção: Obras licenciadas e concluídas 1º Trimestre de 2013- Dados preliminares Obras licenciadas e concluídas continuaram a diminuir No 1º trimestre de 2013 foram licenciados 4,3

Leia mais

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2006 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO Vila Real, Março de 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4 CAPITULO I Distribuição do alojamento no Território Douro Alliance... 5 CAPITULO II Estrutura

Leia mais

Edifícios Licenciados e Concluídos Diminuem

Edifícios Licenciados e Concluídos Diminuem Construção: Obras licenciadas e concluídas 1 13 de Setembro de 2007 e Concluídos Diminuem No 2º trimestre de 2007, foram licenciados mais de 11 mil edifícios e concluídos mais de 6,5 mil edifícios. Estes

Leia mais

Deslocações turísticas de residentes aumentaram

Deslocações turísticas de residentes aumentaram PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 2º Trimestre 2013 31 de outubro de 2013 Deslocações turísticas de residentes aumentaram Entre abril e junho de 2013, os residentes em Portugal efetuaram 3,9 milhões de

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Nº camas 2011 Tipologias Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve Açores Madeira Total Posição

Nº camas 2011 Tipologias Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve Açores Madeira Total Posição Camas nos Estabeleimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turístios, por NUTS II e por Tipologias Nº amas 2011 Hotéis 27.881 28.404 42.688 5.744 33.577 6.943 15.744 160.981 1 5* 3.284 928 8.928

Leia mais

CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios)

CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios) 08 de novembro de 2011 Censos 2011 21 de março de 2011 CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios) Dada a importância que o tema reveste, no quadro da preparação dos resultados provisórios

Leia mais

Boas Práticas Ambientais. Hotéis e Pousadas

Boas Práticas Ambientais. Hotéis e Pousadas Hotéis e Pousadas 2008 Índice Introdução Principais Resultados Utilização Racional de Energia Gestão de Resíduos Uso Eficiente da Água Certificação Ambiental Conceitos 2 Introdução A estratégia nacional

Leia mais

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014

Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 Procura Turística dos Residentes 4º Trimestre de 2014 30 de abril de 2015 Viagens turísticas dos residentes com ligeiro aumento No 4º trimestre de 2014 os residentes em Portugal realizaram cerca de 4,0

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa DO TURISMO DE LISBOA DADOS Maio RECUPERAÇÃO No mês de Maio, os principais indicadores analisados registam sinais positivos de recuperação em todas as unidades hoteleiras. Destacam-se as unidades de quatro

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo Alentejo Janeiro 2012 METODOLOGIA TOP DORMIDAS JANEIRO 2012 Inicia-se este ano de 2012 com alterações na metodologia do Barómetro, incluindo a sistemática comparação dos dados de 2012

Leia mais

Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo

Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo De acordo com os indicadores demográficos disponíveis relativos a 2007, a população residente em Portugal

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013

RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 RELATÓRIO DE GESTÃO 2013 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2014 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes

Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes PROCURA TURÍSTICA DOS RESIDENTES 4º Trimestre 2012 02 maio de 2013 Visita a familiares e amigos e alojamento gratuito impulsionam deslocações dos residentes No 4º trimestre de 2012, os residentes efetuaram

Leia mais

Ocupação em Empreendimentos Turísticos. Taxa de ocupação-quarto 2012

Ocupação em Empreendimentos Turísticos. Taxa de ocupação-quarto 2012 Ocupação em Empreendimentos Turísticos Taxa de ocupação-quarto 2012 Ocupação em Empreendimentos Turísticos Síntese A taxa de ocupação-quarto registada no país, em 2012, foi de 51,5%, com os residentes

Leia mais

2.3 APLICAÇÃO DA REGRA N+2 E EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO INTERMÉDIOS

2.3 APLICAÇÃO DA REGRA N+2 E EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO INTERMÉDIOS 2.3 APLICAÇÃO DA REGRA N+2 E EVOLUÇÃO DOS PEDIDOS DE PAGAMENTO INTERMÉDIOS A Regra da Guilhotina Os regulamentos comunitários que enquadram a aplicação do QCA III apresentam uma rigidez e uma exigência

Leia mais

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos DO TURISMO DE LISBOA DADOS Março PERFORMANCE POSITIVA No primeiro trimestre de, a capital portuguesa continuou a demonstrar uma boa pectivas são igualmente positivas para o futuro vindo a verificar nos

Leia mais

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros Transportes aéreos e atividade turística 2013 10 de setembro de 2014 Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 4,9% O tráfego comercial nas infraestruturas aeroportuárias nacionais em

Leia mais

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro.

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro. Abr-04 Abr-05 Abr-06 Abr-07 Abr-08 Abr-09 Abr-10 Abr-11 Abr-12 Análise de Conjuntura Maio 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos

Leia mais

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6%

Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% 09 de janeiro de 2012 Estatísticas do Comércio Internacional Novembro de 2011 Comércio Internacional Saídas aumentam 15,1% e Entradas diminuem 3,6% No período de setembro a novembro de 2011, as saídas

Leia mais

Colectores Solares para Aquecimento de Água. S. T. Spencer silvino.spencer@adene.pt

Colectores Solares para Aquecimento de Água. S. T. Spencer silvino.spencer@adene.pt Colectores Solares para Aquecimento de Água S. T. Spencer silvino.spencer@adene.pt POTENCIAL DE APLICAÇÃO DE COLECTORES SOLARES PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA Hotéis Apartamento Moteis Pousadas Estalagens

Leia mais

DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013

DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013 Superintendencia de Investimentos em Pólos Turisticos SUINVEST Diretoria de Planejamento e Estudos Econômicos DPEE DESEMPENHO DA HOTELARIA DE SALVADOR - 2013 Pesquisa SETUR Maio, 2014 1 DESEMPENHO DA HOTELARIA

Leia mais

BOLETIM ESTATÍSTICO MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO Nº7 - DEZEMBRO 2007

BOLETIM ESTATÍSTICO MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO Nº7 - DEZEMBRO 2007 BOLETIM ESTATÍSTICO Nº7 - DEZEMBRO 2007 MAIS INFORMAÇÃO/MAIOR CONHECIMENTO/MELHOR DECISÃO EDITORIAL Com a publicação do número correspondente ao último quadrimestre do ano iniciamos também a edição, no

Leia mais

ANÁLISE DOS PRINCIPAIS RESULTADOS - MOVIMENTAÇAO DE HÓSPEDES

ANÁLISE DOS PRINCIPAIS RESULTADOS - MOVIMENTAÇAO DE HÓSPEDES ANÁLISE DOS PRINCIPAIS RESULTADOS - MOVIMENTAÇAO DE HÓSPEDES EM 2009, AS ENTRADAS DE TURISTAS NOS ESTABELECIMENTOS HOTELEIROS DIMINUIRAM 0,9% FACE AO ANO ANTERIOR. NO ENTANTO, NESSE MESMO PERIODO AS DORMIDAS

Leia mais

A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro

A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro 13 de janeiro de 2015 ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Dezembro de 2014 A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro Em 2014, o Índice de

Leia mais

O Setor da Construção em Portugal 2011

O Setor da Construção em Portugal 2011 O Setor da Construção em Portugal 2011 1º semestre FEVEREIRO 2012 Ficha Técnica Título: Relatório Semestral do Setor da Construção em Portugal 1º Sem. 2011 Autoria: Catarina Gil Coordenação Geral: Pedro

Leia mais

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15 Agências de Viagens ÍNDICE Sumário Executivo 3 da procura - inverno 2014/15 Portugal - NUTS II Portugal - Principais NUTS II Principais 4 5 6 da procura - verão

Leia mais

Hotelaria com melhoria nos principais resultados

Hotelaria com melhoria nos principais resultados 10 de Agosto de 2011 Actividade Turística Junho de 2011 Hotelaria com melhoria nos principais resultados No mês de Junho de 2011, a hotelaria apresentou quatro milhões de dormidas, mais 13% do que no mês

Leia mais

Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008. Micro, Pequenas. e Médias. Empresas. em Portugal

Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008. Micro, Pequenas. e Médias. Empresas. em Portugal Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008 28 de Junho de 2010 Micro, Pequenas e Médias Empresas em Portugal Em 2008, existiam 349 756 micro, pequenas e médias empresas (PME) em Portugal,

Leia mais

Somos 10 555 853 residentes, Constituímos 4 079 577 famílias e. Dispomos de 5 879 845 alojamentos em 3 550 823 edifícios

Somos 10 555 853 residentes, Constituímos 4 079 577 famílias e. Dispomos de 5 879 845 alojamentos em 3 550 823 edifícios Censos 2011 Resultados Preliminares 30 de Junho de 2011 Somos 10 555 853 residentes, Constituímos 4 079 577 famílias e Dispomos de 5 879 845 alojamentos em 3 550 823 edifícios Cem dias após o momento censitário

Leia mais

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego Mobilidade dos Trabalhadores ESTATÍSTICAS STICAS em síntese O presente estudo baseia-se nas informações que integram a base do Sistema de Informação Longitudinal de Empresas, Estabelecimentos e Trabalhadores

Leia mais

Coastal tourism versus inland Portuguese tourism. The Serra da Estrela tourist destination

Coastal tourism versus inland Portuguese tourism. The Serra da Estrela tourist destination MPRA Munich Personal RePEc Archive Coastal tourism versus inland Portuguese tourism. The Serra da Estrela tourist destination Margarida Vaz and Anabela Dinis Universidade da Beira Interior 2007 Online

Leia mais

SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2003

SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2003 9 de Janeiro de 4 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 3 Em Junho de 3, 38,3% dos agregados domésticos portugueses

Leia mais

RELATÓRIO O SECTOR DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL EM 2010

RELATÓRIO O SECTOR DA CONSTRUÇÃO EM PORTUGAL EM 2010 RELATÓRIO O Sector da Construção em Portugal em 2010 Setembro de 2011 Ficha Técnica Título: Relatório O Sector da Construção em Portugal em 2010 Autoria: Catarina Gil Coordenação Geral: Pedro Ministro

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO TURISMO

ESTATÍSTICAS DO TURISMO ESTATÍSTICAS DO TURISMO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resultados Provisórios Julho de 2014 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Estatísticas Vitais 2014

Estatísticas Vitais 2014 Estatísticas Vitais 214 3 de abril de 215 Manteve-se o saldo natural negativo e a diminuição do número de casamentos Em 214 registaram-se 82 367 nascimentos com vida de crianças cujas mães eram residentes

Leia mais

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO Código: 426 Versão: 1.1 Agosto 2009 INTRODUÇÃO O Inquérito aos Parques de Campismo existe desde 1983 e tem como objectivo caracterizar os parques de campismo no que diz

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 NATURTEJO EMPRESA DE TURISMO - EIM MARÇO, CASTELO BRANCO 2013 Nos termos legais e estatutários, vimos submeter a apreciação da assembleia Geral o Relatório de Gestão, as contas,

Leia mais

Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014

Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014 08 de setembro de 2014 Índices de Volume de Negócios, Emprego, Remunerações e Horas Trabalhadas na Indústria Julho de 2014 Diminuição homóloga do Índice de Volume de Negócios na Indústria Em termos nominais,

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 2015

Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 2015 Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 215 14 de julho de 215 Transporte de mercadorias mantém crescimento por via marítima e aérea. Continua a diminuir no modo rodoviário Transporte de passageiros

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Análise de Conjuntura Maio 2008 Indicador de Sentimento Económico O clima económico na União Europeia volta a deteriorar-se em Abril. Comparativamente

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2013. Presidente António dos Reis Duarte. Editor Instituto Nacional de Estatística

Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2013. Presidente António dos Reis Duarte. Editor Instituto Nacional de Estatística Instituto Nacional de Estatística Estatísticas do Turismo 2013 Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Av. Cidade de Lisboa, nº 18, Cx. Postal 116, Praia Tel.: +238

Leia mais

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico, Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, Lote 6, 1050-124 Lisboa Tel. 211 140 200 Fax. 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt

Leia mais

ESTATÍSTICAS. Os dados publicados nesta síntese referem-se ao Continente e aos trabalhadores por conta de outrem a tempo completo.

ESTATÍSTICAS. Os dados publicados nesta síntese referem-se ao Continente e aos trabalhadores por conta de outrem a tempo completo. Inquérito aos Ganhos e Duração do Trabalho ESTATÍSTICAS STICAS em síntese O Inquérito aos Ganhos e Duração do Trabalho disponibiliza informação que permite conhecer o nível médio mensal da remuneração

Leia mais

T RI R SMO Crédit i o t a o a Inve v sti t m ento t no Tu T ris i mo Proto t co c lo l Ba B n a cá c r á io 2 7 d e e Se S t e em

T RI R SMO Crédit i o t a o a Inve v sti t m ento t no Tu T ris i mo Proto t co c lo l Ba B n a cá c r á io 2 7 d e e Se S t e em TURISMO Crédito ao Investimento no Turismo Protocolo Bancário Luís Coito 27 de Setembro de 2010 TURISMO INCENTIVOS FINANCEIROS AO SECTOR Intensidade de Auxílio Abrangência Empresarial Crédito ao Investimento

Leia mais

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro.

O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia e desceu 0.6 pontos na Área Euro. Julho 2012 Jun-02 Jun-03 Jun-04 Jun-05 Jun-06 Jun-07 Jun-08 Jun-09 Jun-10 Jun-11 Jun-12 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico em Junho manteve-se inalterado na União Europeia

Leia mais

II.3.1.1.1. Medidas adoptadas por motivos ambientais e de escassez

II.3.1.1.1. Medidas adoptadas por motivos ambientais e de escassez 66/12 II.3. CARACTERIZAÇÃO ECONÓMICO-FINANCEIRA II.3.1. ABASTECIMENTO DE ÁGUA II.3.1.1. Problemas Ambientais e de Escassez II.3.1.1.1. Medidas adoptadas por motivos ambientais e de escassez A captação

Leia mais

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO

Conjuntura da Construção n.º 77 O SETOR CONTINUA EM CRISE MAS EMPRESÁRIOS ACREDITAM NA RECUPERAÇÃO FEPICOP - FEDERAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E OBRAS PÚBLICAS Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal novembro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Venda de voos internacionais atinge em 2010 87,4% de todas as vendas BSP

Venda de voos internacionais atinge em 2010 87,4% de todas as vendas BSP Venda de voos pelas agências portuguesas acaba 2010 a cair, mas ainda fica acima de 2009 A venda de voos regulares pelas agências de viagens IATA portuguesas, um mercado que em 2008 ultrapassou os 900

Leia mais

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010

A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2010 16 de Fevereiro de 2011 A taxa de desemprego foi de 11,1% no 4º trimestre de 2010 A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2010 foi de 11,1%. Este

Leia mais

TURISMO NA REGIÃO DO NORTE DE PORTUGAL

TURISMO NA REGIÃO DO NORTE DE PORTUGAL TURISMO NA REGIÃO DO NORTE DE PORTUGAL EDIÇÃO 009 Ficha Técnica Título Turismo na Região do Norte de Portugal Edição Observatório das Dinâmicas Regionais do Norte (Centro de Avaliação de Políticas e Estudos

Leia mais

Desempenho Ambiental do Alojamento em Portugal 2013. Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos

Desempenho Ambiental do Alojamento em Portugal 2013. Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Desempenho Ambiental do Alojamento em Portugal 2013 Boas Práticas nos Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos ÍNDICE Sumário Executivo Introdução Utilização eficiente da energia

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL

2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL 2. A OFERTA E A PROCURA TURÍSTICA NO NORTE DE PORTUGAL A análise realizada tem como base principal as estatísticas oficiais e alguns dados quantitativos de elaboração própria. Focamos a atenção nas mudanças

Leia mais

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP PME em Números PME em Números 1 Nota introdutória De acordo com o disposto na definição europeia 1, são classificadas como PME as empresas com menos de 250 trabalhadores cujo volume de negócios anual não

Leia mais

Gestão do Consumo de Energia no Sector Turístico

Gestão do Consumo de Energia no Sector Turístico Agência Regional da Energia e Ambiente da Região Autónoma da Madeira Gestão do Consumo de Energia no Sector Turístico Funchal, 1999 Índice 1. INTRODUÇÃO... 1 2. METODOLOGIA... 4 2.1. DEFINIÇÃO DO UNIVERSO

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento SETEMBRO 2013 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde setembro de

Leia mais