Aula 10 Sistema Trifuel

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 10 Sistema Trifuel"

Transcrição

1 Introdução Aula 10 O Trifuel sistema digital multiponto de gerenciamento de motor, possibilita o uso de Gás Natural Veicular (GNV), gasolina, álcool ou qualquer mistura destes dois últimos combustíveis no mesmo veículo. 2 Introdução Introdução Com apenas uma unidade de comando, o Trifuel administra sistemas de injeção e de ignição, controle de ar, regulagem de detonação, entre outros componentes, com base na análise de vários sensores que ajustam a mistura, o avanço e a quantidade de ar que entra no motor. A presença de um turbo compressor no sistema auxilia no aproveitamento das diferentes características dos três combustíveis. Ele pode gerar um ganho de torque que elimina a perda de rendimento existente hoje nos carros convertidos

2 1 - Canister 2 - Reservatório de gasolina para partidas a frio 3 - Relé 4 - Bomba elétrica de combustível 5 - Válvula solenóide 6 - Válvula de purga do canister 7 - Sensor de pressão/temperatura de ar 8 - Galeria de combustível/válvula de injeção 9 - Sensor de detonação 10 - Sensor de rotação 11 - Sensor de temperatura 12 - Sensor de fase 13 - Bobina de ignição 14 - Pedal acelerador 15 - Corpo eletrônico de borboleta 16 - Turbo-compressor Sonda Lambda 18 - Válvula de controle do turbocompressor 19 - Válvula de corte do cilindro 20 - Válvula de abastecimento de GNV 21 - Regulador de pressão de GNV 22 - Válvula de corte de GNV 23 - Galeria 24 - Válvula injetora de GNV 25 - Cilindro de GNV 26 - Unidade de comando 27 - Bomba de combustível 28 - Vela de ignição 7 8 2

3 A grande novidade do Motronic Tri Fuel é a capacidade de gerenciar três combustíveis diferentes em um motor que seja originalmente equipado com turbocompressor. Essa foi uma forma de compensar a redução de potência, característica dos veículos abastecidos com gás, baseada no conceito da sobre-alimentação, sem perder as vantagens do GNV, otimizando a performance do veículo e reduzindo a emissão de CO2. 9 O turbo também é controlado eletronicamente, por meio de um remapeamento feito no software, para atender as condições do combustível gasoso, que tem a pressão de ar mais elevada. O software analisa e transmite as informações de funcionamento do motor para o turbo, determinando quando é necessário colocar pressão para que entre em ação, explorando todo o poder calorífico do combustível e proporcionando mais desempenho. 10 O turbocompressor é parafusado ao coletor de escapamento do motor. O fluxo dos gases queimados que sai dos cilindros gira a turbina, que funciona como um motor de turbinas a gás. A turbina é conectada por um eixo ao compressor localizado entre o filtro de ar e o coletor de admissão. O compressor pressuriza o ar que vai para os cilindros

4 Os gases de escapamento, ao deixar os cilindros, passam pelas palhetas da turbina, fazendo-a girar. Quanto mais gases passam pelas palhetas, mais rapidamente elas giram. Do outro lado da árvore à qual a turbina está conectada, o compressor bombeia ar para dentro dos cilindros. O compressor é um tipo de bomba centrífuga que suga o ar para dentro no centro de suas palhetas e lança-as para fora à medida que gira O acionamento do circuito de combustível pode ser realizado automaticamente ou ativado pelo motorista, por meio de um interruptor no painel. No modo automático, o software identifica quando o combustível está acabando e promove o chaveamento de maneira confortável para o usuário. Também pode passar automaticamente de GNV para flexfuel, para aumentar a potência

5 Componentes do Gás Natural - 5ª Geração Componentes do Gás Natural - 5ª Geração Válvula de Cilindro: Válvula com dispositivo de segurança 2 -Cilindro GNV: Armazena o GNV em alta pressão 3 -ECU GNV: Controla a mistura ar-gás 4 -Variador de Avanço: Controla o ponto de ignição melhorando o desempenho 5 - Chave Comutadora: Faz a comutação gás-gasolina 6 -Redutor Zenith: Reduz a pressão do gás para admissão do motor 18 Componentes do Gás Natural - 5ª Geração Unidade de Controle 7 -Válvula de Abastecimento: Local por onde abastece o cilindro 8 -Indicador de Nível: Indica a pressão de gás no cilindro 9 -Bicos Injetores e Suporte: Injetam o gás na entrada da válvula de admissão Unidade de comando do motor: recebe as mensagens dos sensores e calcula os sinais para os atuadores, como bobina de ignição e válvulas de injeção, ativando-os por meio dos estágios de saída de potência

6 Injetor de gás natural Sensor de Alta Pressão Injetor de gás natural: dosa o fluxo de gás em qualquer condição de operação, sempre otimizando o uso. Sensor de alta pressão: mede a pressão do gás na entrada do regulador de pressão (200 Bar) Sensor de Baixa Pressão Válvula de cilindro Sensor de baixa pressão e temperatura: mede a pressão e a temperatura do gás na galeria de distribuição (flauta), onde a pressão deve ser de 6 Bar. Válvula de cilindro: fecha a saída do cilindro do GNV, proporcionando mais segurança em situações de emergência

7 Galeria de Gás Regulador de Pressão Galeria de gás: posiciona e fixa os injetores e o sensor de temperatura e pressão, enquanto fornece gás em quantidade necessária para o funcionamento do motor. Regulador de Pressão: reduz e controla a pressão do gás na galeria de distribuição para qualquer condição de operação do motor. Este componente reduz a pressão de 200 para 6 bar Não recomenda se a limpeza das válvulas injetoras, a utilização de combustíveis de boa qualidade é suficiente para manter os bicos em perfeito estado. Os bicos que injetam o líquido ficam lubrificados e refrigerados, já os bicos que impulsionam o gás para dentro do motor são secos, mas foram especialmente confeccionados para que não se danifiquem por estarem secos, corrigindo o problema dos carros convertidos FIM Aula

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 29 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO ECOSPORT 1.6 16V FLEX MARELLI IAW 7GFR.CS SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: ECOSPORT - ECU Agora veremos: IAW 7GFR.CS - AULA 03

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 30 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO 307 1.6 16V FLEX BOSCH ME 7.4.9 SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: 307 UNIDADE DE CONTROLE ELETRÔNICO ECU Agora veremos: 307 ME

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 42 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO 307 1.6 16V FLEX BOSCH ME 7.4.9 SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: 307 IGNIÇÃO E PARTIDA A FRIO Agora veremos: 307 ME 7.4.9 - AULA

Leia mais

Página 1 de 18. Jetta. Esquema de circuito de corrente Nº 36 / Motor de 2,0 l a gasolina, CCZA A partir de outubro de 2010

Página 1 de 18. Jetta. Esquema de circuito de corrente Nº 36 / Motor de 2,0 l a gasolina, CCZA A partir de outubro de 2010 Página 1 de 18 Esquema de circuito de corrente Nº 36 / 1 04.2012 Motor de 2,0 l a gasolina, CCZA A partir de outubro de 2010 Página 2 de 18 Esquema de circuito de corrente Nº 36 / 2 Bateria, Motor de partida,

Leia mais

SLIDE PATROCINADOR 1

SLIDE PATROCINADOR 1 SLIDE PATROCINADOR 1 SLIDE PATROCINADOR 1 AULA TÉCNICA 21 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO FIESTA 1.6 FLEX MARELLI IAW 4CFR SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: FIESTA 1.6 FLEX MARCHA

Leia mais

AULA TÉCNICA

AULA TÉCNICA AULA TÉCNICA 058 2014 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO UNO VIVACE 1.0 FLEX MARELLI IAW7GF SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: UNO VIVACE IGNIÇÃO E CANISTER Agora veremos: IAW 7GF - AULA

Leia mais

Aplicativos JEEP MPI. O Indicador de mau funcionamento (mil) no painel de instrumento iluminará se são reconhecidas certas falhas.

Aplicativos JEEP MPI. O Indicador de mau funcionamento (mil) no painel de instrumento iluminará se são reconhecidas certas falhas. 1 Aplicativos JEEP MPI JEEP CHEROKEE 4.0L Código de Falhas A unidade central incorpora uma função de diagnóstico O Indicador de mau funcionamento (mil) no painel de instrumento iluminará se são reconhecidas

Leia mais

Injeção eletrônica de combustíveis

Injeção eletrônica de combustíveis Injeção eletrônica de combustíveis É um sistema de dosagem de combustível nos motores ciclo Otto com o objetivo de controlar a relação estequiométrica (ar/combustível) de forma que a mesma seja sempre

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 31 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO ECOSPORT 1.6 16V FLEX MARELLI IAW 7GFR.CS SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: ECOSPORT - COMBUSTÍVEL Agora veremos: IAW 7GFR.CS

Leia mais

Como funciona a injeção eletrônica - Pirituba Fusca Club. Escrito por Robson Luiz Braga. Injeção Eletrônica

Como funciona a injeção eletrônica - Pirituba Fusca Club. Escrito por Robson Luiz Braga. Injeção Eletrônica Injeção Eletrônica Devido à rápida evolução dos motores dos automóveis, além de fatores como controle de emissão de poluentes e economia de combustível, o velho carburador que acompanhou praticamente todo

Leia mais

Chevrolet Omega/Suprema 2.0/2.2/3.0/4.1

Chevrolet Omega/Suprema 2.0/2.2/3.0/4.1 Diagnóstico da injeção eletrônica Chevrolet Omega/Suprema 2.0/2.2/3.0/4.1 Autoria: Fernando Furini Mauro Perides Colaboração: Gustavo Frezza Junior - Overspeed Helder Muller Versão 1.3-17/04/2006 Pág 1

Leia mais

SUMÁRIO. Parte I. Capítulo 4 - Gerenciamento de Sistemas de Eletrônica Embarcada... 23

SUMÁRIO. Parte I. Capítulo 4 - Gerenciamento de Sistemas de Eletrônica Embarcada... 23 SUMÁRIO Parte I Capítulo 1 - Combustão... 3 Processo de combustão... 3 Motores de Combustão Interna... 4 Relação Ar/Combustível... 5 Relação Estequiométrica... 5 Tipos de misturas... 6 Fator Lambda...

Leia mais

MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS TÉRMICOS

MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS TÉRMICOS MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS TÉRMICOS MOTORES ALTERNATIVOS DE COMBUSTÃO INTERNA Prof. Dr. Ramón Silva - 2015 MACI Alimentação - Carburador Carburador Elementar 1. Vazão de Ar 2. Valvula Borboleta Aceleradora

Leia mais

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO EM MOTORES (FLEX) DO TIPO CICLO OTTO

BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO EM MOTORES (FLEX) DO TIPO CICLO OTTO BANCADA DIDÁTICA PARA TREINAMENTO EM MOTORES (FLEX) DO TIPO CICLO OTTO MODELO: EE0421 APRESENTAÇÃO A bancada didática para treinamento em motores de combustão interna do tipo CICLO OTTO Flex (motor vivo),

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 10 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO ONIX 1.4 FLEX MULTEC H N14Y SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: ONIX 1.4 FLEX MAF E TEMPERATURA MOTOR Agora veremos: MULTEC H N14Y-

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 19 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO FIESTA 1.6 FLEX MARELLI IAW 4CFR SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: FIESTA 1.6 FLEX IGNIÇÃO, ELETROVENTILADOR E PARTIDA A FRIO

Leia mais

PMC5617. Motores Flexíveis. Semana de Eng. Mackenzie. Eduardo S. Oliveira, José Maria Muniz, Luciana R. Colin José Mauro, Roger Guilherme.

PMC5617. Motores Flexíveis. Semana de Eng. Mackenzie. Eduardo S. Oliveira, José Maria Muniz, Luciana R. Colin José Mauro, Roger Guilherme. Apresentar: 1) Alguns conceitos de motores de combustão interna; 2) Funcionamento simplificado da tecnologia Total-Flex ; Motor Otto: Para cada 13,8g de ar você pode colocar 1g de combustível (gasohol);

Leia mais

Desenvolvimento da Rede - Treinamento

Desenvolvimento da Rede - Treinamento Desenvolvimento da Rede - Treinamento ÍNDICE Introdução... 3 Dados técnicos... 4 Vantagens da utilização do sistema de gerenciamento eletrônico... 5 Inovações técnicas... 6 Componentes e sistemas... 7

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 26 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO 307 1.6 16V FLEX BOSCH ME 7.4.9 SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: ONIX - AJUSTES E SCANNER Agora veremos: 307 ME 7.4.9 - AULA

Leia mais

PC-SCAN 2010 SISTEMA DE DIAGNÓSTICO VEICULAR

PC-SCAN 2010 SISTEMA DE DIAGNÓSTICO VEICULAR SISTEMA DE DIAGNÓSTICO VEICULAR Manual de Operação MARELLI IAW-6R TWINGO RENAULT Seção A : Versão : 1.00G / 99 A1 ÍNDICE Introdução... A3 Auto-Diagnóstico... A4 Conectando o seu PC-SCAN 2010... A4 Consultas

Leia mais

AULA TÉCNICA

AULA TÉCNICA AULA TÉCNICA 085 2014 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO PÁLIO E-TORQ FLEX MARELLI IAW7GF SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: E-TORQ 1.6 16V MAP, TEMPERATURA DO AR E DETONAÇÃO Agora veremos:

Leia mais

CAPÍTULO 16. A unidade central opera no modo emergência quando um sensor falha, assim o motorista conseguirá levar o carro até a oficina.

CAPÍTULO 16. A unidade central opera no modo emergência quando um sensor falha, assim o motorista conseguirá levar o carro até a oficina. 1 of 32 21/07/2014 19:28 CAPÍTULO 16 AUDI A4 1.6 ADP 1995 em diante COMO FUNCIONA ESTE SISTEMA Este sistema é Mutliponto sequencial, com 4 válvulas injetoras que possui autodiagnose ou seja que caso tenha

Leia mais

MOTORES Flex. Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM. UFRJ Dezembro de 2012

MOTORES Flex. Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM. UFRJ Dezembro de 2012 MOTORES Flex Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM UFRJ Dezembro de 2012 FLEX FUEL BRASILEIRO Permite a utilização de álcool hidratado (E100), gasolina (E22) ou qualquer mistura

Leia mais

Índice. Introdução 03. Cuidados ao manusear o equipamento 05. Acessórios Inclusos 06. Definições do equipamento 07

Índice. Introdução 03. Cuidados ao manusear o equipamento 05. Acessórios Inclusos 06. Definições do equipamento 07 Manual 1 Índice. Introdução 03 Cuidados ao manusear o equipamento 05 Acessórios Inclusos 06 Definições do equipamento 07 Conectando o Pin Out 11 Fazendo medições 13 Testando com injetores e bobinas reais

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 33 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO ECOSPORT 1.6 16V FLEX MARELLI IAW 7GFR.CS SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: ECOSPORT ROTAÇÃO E FASE Agora veremos: IAW 7GFR.CS

Leia mais

APLICATIVOS VW. DIGIFANT Mi

APLICATIVOS VW. DIGIFANT Mi Página 1 de 16 CAPITULO 70 APLICATIVOS VW DIGIFANT Mi GOLF GL/GLX 2.0 - Mi. COMO FUNCIONA O SISTEMA DIGIFANT Mi GOLF 2.0 Este sistema de injeção é digital multiponto ou seja com quatro válvulas injetoras

Leia mais

NT PowerBox. Dispositivo eletrônico de fácil instalação que aumenta a potência do motor, diminui a emissão de gases tóxicos e protege o óleo.

NT PowerBox. Dispositivo eletrônico de fácil instalação que aumenta a potência do motor, diminui a emissão de gases tóxicos e protege o óleo. NT PowerBox Dispositivo eletrônico de fácil instalação que aumenta a potência do motor, diminui a emissão de gases tóxicos e protege o óleo. SEU MOTOR TEM BAIXA PERFORMANCE? DÊ UMA DOSE DE NT POWERBOX

Leia mais

Motores de Combustão Interna - MCI

Motores de Combustão Interna - MCI Motores de Combustão Interna - MCI Eng. Nauberto R. Pinto Colaboração: Camila R. de Lacerda 29/01/2016 1 Elementos da Combustão 2 Classificação dos motores quanto ao tipo de combustão: Motores de Combustão

Leia mais

Conector. Led. Botão de programação. Módulo. de ignição. Conectar o fio amarelo no sinal variável do sensor TPS (sinal típico: 0 a 5V ou 5 a 0V).

Conector. Led. Botão de programação. Módulo. de ignição. Conectar o fio amarelo no sinal variável do sensor TPS (sinal típico: 0 a 5V ou 5 a 0V). APRESENTAÇÃO E CARACTERÍSTICAS O Variador de Avanço T34 é um módulo eletrônico desenvolvido para ser aplicado em veículos que tenham o sistema de ignição com bobina e injeção eletrônica ou bobina e distribuidor.

Leia mais

Controle do regulador de volume de combustível - faixa/funcionamento do circuito

Controle do regulador de volume de combustível - faixa/funcionamento do circuito Todos os códigos EOBD que começam por P seguidos de zero possuem um significado padrão independentemente da marca ou modelo de veículo. Para obter o significado dos códigos EOBD que não começam por P seguidos

Leia mais

FUNCIONAMENTO DO SISTEMA COMMON RAIL DE INJEÇÃO ELETRÔNICA DIESEL

FUNCIONAMENTO DO SISTEMA COMMON RAIL DE INJEÇÃO ELETRÔNICA DIESEL FUNCIONAMENTO DO SISTEMA COMMON RAIL DE INJEÇÃO ELETRÔNICA DIESEL O sistema Common Rail de injeção eletrônica Diesel é um dos mais modernos e flexíveis sistemas de injeção existentes no mercado, preenchendo

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 15 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO FIESTA 1.6 FLEX MARELLI IAW 4CFR SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: FIESTA 1.6 FLEX MAP E SENSORES DE OXIGÊNIO Agora veremos: IAW

Leia mais

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO AULA TÉCNICA 46 2015 INSTRUTOR: SCOPINO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO 307 1.6 16V FLEX BOSCH ME 7.4.9 SCOPINO TREINAMENTOS Já tivemos aula sobre: 307 ELETROINJETORES, ELETROVENTILADOR E AR CONDICIONADO Agora

Leia mais

Controle Motor Flex Dificuldade de Partida e Falha no Reconhecimento de A/F

Controle Motor Flex Dificuldade de Partida e Falha no Reconhecimento de A/F 10 - e Falha no Reconhecimento de A/F MODELOS ENVOLVIDOS: Fiat T.T. com motorização Flex. DESCRIÇÃO: Para veículos que apresentarem dificuldade de partida, falha no reconhecimento de A/F ou funcionamento

Leia mais

Desenvolvimento da Rede - Treinamento

Desenvolvimento da Rede - Treinamento Desenvolvimento da Rede - Treinamento ÍNDICE Introdução... 3 Dados técnicos... 4 Vantagens da utilização do sistema de gerenciamento eletrônico... 5 Inovações técnicas... 6 Componentes e sistemas... 7

Leia mais

Injeção eletrônica (CFI-Gasolina) Posicionamento dos conectores- relé e clipe. Conectores. Central elétrica / vista de cima

Injeção eletrônica (CFI-Gasolina) Posicionamento dos conectores- relé e clipe. Conectores. Central elétrica / vista de cima Injeção eletrônica (CFI-Gasolina) Posicionento dos conectores- relé e clipe Central elétrica / vista de cima Posição MB-MB M Finalidade Conectores Chicote dos instrumentos do painel Chicote do comutador

Leia mais

é igual à de um veículo movido a álcool ou a gasolina?» Quais são as vantagens para o frotista em converter

é igual à de um veículo movido a álcool ou a gasolina?» Quais são as vantagens para o frotista em converter Gás Natural Veicular - GNV»O que é GNV?» Existe perigo de explosão com o uso do Gás Natural Veicular?» Como abastecer um veículo movido a Gás Natural?» Quantos países já possuem Gás Natural Veicular?»

Leia mais

BOSCH MOTRONIC M2.8-16V

BOSCH MOTRONIC M2.8-16V CAPITULO 56 BOSCH MOTRONIC M2.8-16V APLICATIVOS GM VECTRA GSI CALIBRA 2.0 16V COMO FUNCIONA O SISTEMA MOTRONIC 2.8 DO VECTRA GSI 2.0 E CALIBRA 2.0 16V Como funciona injeção eletrónica de combustível MOTRONIC

Leia mais

Arquitetura das Unidades de Controle Eletrônico

Arquitetura das Unidades de Controle Eletrônico Arquitetura das Unidades de Controle Eletrônico Antes que a unidade eletrônica de controle (Electronic Control Unit ECU) atue de forma precisa no motor, a ECU deve estimar com a maior de precisão possível

Leia mais

TESTES MECÂNICOS SINAIS ELÉTRICOS CONFIGURAÇÕES. 1 Sinal Sonda Lâmbda Catalizador visto por Sinal de Duas Sondas. 2 Primário de bobina Ignição

TESTES MECÂNICOS SINAIS ELÉTRICOS CONFIGURAÇÕES. 1 Sinal Sonda Lâmbda Catalizador visto por Sinal de Duas Sondas. 2 Primário de bobina Ignição OSCILOSCÓPIO - GUIA RÁPIDO Guia do Utilizador 2016 SINAIS ELÉTRICOS 1 Sinal Sonda Lâmbda Catalizador visto por Sinal de Duas Sondas 2 Primário de bobina Ignição Avaliar o Sinal do módulo Injeção 3 Secundário

Leia mais

Memorial Técnico Descritivo

Memorial Técnico Descritivo Unidade Didática para Estudo de Motores à Combustão Interna Ciclo Otto www.intechno.com.br Índice Apresentação... 3 Vantagens... 4 Aplicações... 5 1. Cilindro Transparente... 6 2. Sistema de Exaustão...

Leia mais

Gás Natural Veicular - FAQ Qua, 13 de Setembro de :00. O que é GNV?

Gás Natural Veicular - FAQ Qua, 13 de Setembro de :00. O que é GNV? O que é GNV? GNV é a sigla de Gás Natural Veicular, ou seja, é o gás natural utilizado em veículos automotores. É o mesmo gás canalizado utilizado em residências, comércio e indústria. Nos veículos ele

Leia mais

Aula 3 ARREFECIMENTO

Aula 3 ARREFECIMENTO Aula 3 ARREFECIMENTO ARREFECIMENTO Em motores de combustão interna, durante a fase de combustão, a temperatura chega a aproximadamente 1400*C, onde em condições ótimas trasformam cerca de 25% do calor

Leia mais

Fuelbox F100. Injeção eletrônica programável

Fuelbox F100. Injeção eletrônica programável Fuelbox F100 Injeção eletrônica programável Descrição A Fuelbox F100 é uma unidade de gerenciamento eletrônico de motores com até 12 cilindros, indicada para veículos de alto desempenho, veículos de competição,

Leia mais

SISTEMA DE VALIDAÇÃO AUTOMÁTICO DE SENSORES E ATUADORES

SISTEMA DE VALIDAÇÃO AUTOMÁTICO DE SENSORES E ATUADORES Blucher Engineering Proceedings Agosto de 2014, Número 2, Volume 1 SISTEMA DE VALIDAÇÃO AUTOMÁTICO DE SENSORES E ATUADORES André Luis Furlanetti Gouvêa, Alexsandro da Silva, Alexandre Maria, Priscílio

Leia mais

MOTOSSERRA OM GS 44 (EURO 1) CARBURADOR WT-780D

MOTOSSERRA OM GS 44 (EURO 1) CARBURADOR WT-780D CARBURADOR WT-780D CARBURADOR WT-780D REF. CÓDIGO DESCRIÇÃO QUANT. 1 094600148 Mola de retorno 1 2 074000240 Parafuso de regulagem da lenta 1 3 095000141 Borboleta do acelerador 1 4 50010141 Parafuso da

Leia mais

KIT DIDÁTIDO MOCK UP MOTOR DIESEL

KIT DIDÁTIDO MOCK UP MOTOR DIESEL KIT DIDÁTIDO MOCK UP MOTOR DIESEL MODELO: EE0234 APRESENTAÇÃO A bancada didática para treinamento em motores de combustão interna do tipo ciclo diesel (motor vivo), modelocummins ISBE 4 cilindros - EURO

Leia mais

Diagnósticos Borboleta motorizada (drive by wire)

Diagnósticos Borboleta motorizada (drive by wire) Diagnósticos 55-002 - Borboleta motorizada (drive by wire) Características e funcionamento O NCM comanda a borboleta com base na solicitação de torque do motor. A solicitação de torque pode, por exemplo,

Leia mais

3 Aparato Experimental

3 Aparato Experimental 3 Aparato Experimental Todas as experiências foram realizadas na bancada de testes de motores, localizada no Laboratório de Engenharia Veicular (LEV) da PUC-Rio. A seguir, na Figura 6, ilustra-se o esquema

Leia mais

Localização dos Componentes

Localização dos Componentes 1 of 40 21/07/2014 18:54 CAPÍTULO 15 AUDI A4 1.8 ADR 1995 em diante AUDI A4 1.8 TURBO AEB 1995 em diante COMO FUNCIONA ESTE SISTEMA Este sistema é multiponto seqüencial, com 4 válvulas injetoras que possui

Leia mais

Kaptor. Manual de Operação. Tabelas de Falhas Genéricas RAD537/ 1.01

Kaptor. Manual de Operação. Tabelas de Falhas Genéricas RAD537/ 1.01 Kaptor Manual de Operação Tabelas de Falhas Genéricas RAD537/ 1.01 TABELAS DE FALHAS GENÉRICAS SUMÁRIO 1.0 - INTRODUÇÃO... 3 2.0 - TABELAS DE FALHAS... 3 Operação 1.0 - INTRODUÇÃO Falhas Genéricas Neste

Leia mais

Sistema de injeção para a motorização V Central de Injeção/Ignição HSFI2.3

Sistema de injeção para a motorização V Central de Injeção/Ignição HSFI2.3 Sistema de injeção para a motorização 1.8 16V Central de Injeção/Ignição HSFI2.3 O sistema Delphi HSFI 2.3 é uma central eletrônica Microhíbrida com borboleta motorizada que realiza a função Integrada

Leia mais

P0001 Controle regulador de volume de combustível Circuito aberto P0002 Controle regulador de volume de combustível Faixa/desempenho P0003 Controle

P0001 Controle regulador de volume de combustível Circuito aberto P0002 Controle regulador de volume de combustível Faixa/desempenho P0003 Controle P0001 Controle regulador de volume de combustível Circuito aberto P0002 Controle regulador de volume de combustível Faixa/desempenho P0003 Controle regulador de volume de combustível circuito baixo P0004

Leia mais

FIPM. Fuel Injector Pulse Modulator. Manual do usuário V1.2 SOLUCIONANDO PROBLEMAS. O led 05 do FIPM não se acende.

FIPM. Fuel Injector Pulse Modulator. Manual do usuário V1.2 SOLUCIONANDO PROBLEMAS. O led 05 do FIPM não se acende. SOLUCIONANDO PROBLEMAS O led 05 do FIPM não se acende. Positivo (fio vermelho), positivo ignição (fio laranja), negativo (fio preto) não estão corretamente ligados. Os leds 04 e 05 piscam juntos e o FIPM

Leia mais

LINTEC VEÍCULOS E MOTORES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

LINTEC VEÍCULOS E MOTORES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LINTEC VEÍCULOS E MOTORES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Código: ET 700.018 Data: 05/08/2011 MOTOR 3LD1500 LINTEC PRODUTO: MOTOR APROVADO: Adelair Colombo ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MODELO: MOTOR 3LD1500 ELABORADO:

Leia mais

MOTOR 8.0 HP LIFAN CSM

MOTOR 8.0 HP LIFAN CSM 1 - CARCAÇA 1 2.03.50.004 Arruela do Bujão do Óleo 2 2 2.03.64.230 Bujão Óleo 2 3 2.03.80.057 Retentor do Virabrequim 1 4 2.03.21.579 Lacre 1 5 2.01.14.021 Relé Interruptor Nível do Óleo 1 6 2.03.23.043

Leia mais

Eficiência Volumétrica Definição e propostas

Eficiência Volumétrica Definição e propostas SUBSISTEMA MOTOR Eficiência Volumétrica Definição e propostas Autor: Rodrigo Martinuzzi Índice 1. Introdução Parâmetros essenciais 2. Sistema de admissão Requisitos do sistema de admissão Caracterização

Leia mais

QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I

QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I QUEIMADOR DE IMERSÃO SÉRIE I INFORMAÇÕES TÉCNICAS E MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO SUMÁRIO Descrição 1 - Notas importantes 1 2 - Sobre o produto 2 3 Tabela de capacidades 3 4 Especificações técnicas 4

Leia mais

Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema

Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema Mecanização Agrícola e Máquinas Motorização e partes do sistema Eng. Agr. Me. Andre Gustavo Battistus E-mail: andregustavo@udc.edu.br E-mail alternativo: andre_battistus@hotmail.com Terminologia Motorização

Leia mais

Conheça o Sistema Flex da Peugeot, interessante - por HUGOMELO

Conheça o Sistema Flex da Peugeot, interessante - por HUGOMELO Conheça o Sistema Flex da Peugeot, interessante - por HUGOMELO Conheça as características e os procedimentos para manutenção e diagnóstico do sistema de injeção eletrônica dos motores 1.4 e 1.6 bicombustíveis

Leia mais

RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE FALHA DO DIAGNÓSTICO A BORDO SEGUNDA GERAÇÃO (OBD2) TRADUZIDOS PARA O PORTUGUÊS CORTESIA APTTA BRASIL AO TÉCNICO REPARADOR

RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE FALHA DO DIAGNÓSTICO A BORDO SEGUNDA GERAÇÃO (OBD2) TRADUZIDOS PARA O PORTUGUÊS CORTESIA APTTA BRASIL AO TÉCNICO REPARADOR RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE FALHA DO DIAGNÓSTICO A BORDO SEGUNDA GERAÇÃO (OBD2) TRADUZIDOS PARA O PORTUGUÊS CORTESIA APTTA BRASIL AO TÉCNICO REPARADOR ESTES CÓDIGOS SÃO REFERENCIA PARA TODOS OS SISTEMAS DO VEÍCULO

Leia mais

Projeto Veículo Elétrico

Projeto Veículo Elétrico Projeto Veículo Elétrico Palio Weekend Elétrico Leonardo Gaudencio Cavaliere Supervisor de Inovações do Produto Belo Horizonte, 05 julho 2010 GRUPO FIAT NO MUNDO GRUPO FIAT NO BRASIL MONTADORAS COMPONENTES

Leia mais

CAPITULO 20 APLICATIVOS PEUGEOT MAGNETI MARELLI MULTIPOINT 8P. 306 1.8/2.0 XU7JP (LFZ)/XU10J2 (RFX) 1993 em diante

CAPITULO 20 APLICATIVOS PEUGEOT MAGNETI MARELLI MULTIPOINT 8P. 306 1.8/2.0 XU7JP (LFZ)/XU10J2 (RFX) 1993 em diante CAPITULO 20 APLICATIVOS PEUGEOT MAGNETI MARELLI MULTIPOINT 8P 306 1.8/2.0 XU7JP (LFZ)/XU10J2 (RFX) 1993 em diante 806 2.0 XU10J2C/Z (RFU) 1994 em diante BOXER 2.0 XU10J2U/X3 (RFW) 1994 em diante COMO FUNCIONA

Leia mais

Departamento Técnico: (011) (011)

Departamento Técnico: (011) (011) ELETRONIC FUEL INJECTOR CONTROLLER Este produto tem como função controlar bico(s) injetor(es) suplementares a fim de suprir a falta de combustível em motores com sobre-alimentadores de ar instalados (turbo

Leia mais

Material de Apoio INJEÇÃO ELETRÔNICA DE COMBUSTÍVEL BOSCH. Programa Especial - Injeção Eletrônica LE-Jetronic

Material de Apoio INJEÇÃO ELETRÔNICA DE COMBUSTÍVEL BOSCH. Programa Especial - Injeção Eletrônica LE-Jetronic INJEÇÃO ELETRÔNICA DE COMBUSTÍVEL BOSCH A necessidade de se reduzir o consumo de combustível dos automóveis, bem como de se manter a emissão de poluentes pelos gases de escape dentro de limites, colocou

Leia mais

Sensores de Pressão. Aplicações Automotivas

Sensores de Pressão. Aplicações Automotivas Aplicações Automotivas 1 pressão Aplicações Automotivas Sensor de Absoluta do coletor de admissão (MAP) para cálculo da injeção de combustível. (1 a 5 bar). nos freios em sistemas de freio eletropneumáticos(10

Leia mais

INT / FAB DESCRIÇÃO SP BR IPI MONTADORA IMAGEM CX - RELE COMUTADOR FAROL R$ 37,72 R$ 39,81 0 SCANIA

INT / FAB DESCRIÇÃO SP BR IPI MONTADORA IMAGEM CX - RELE COMUTADOR FAROL R$ 37,72 R$ 39,81 0 SCANIA INT / FAB DESCRIÇÃO SP BR IPI MONTADORA IMAGEM 575188 1401788CX - RELE COMUTADOR FAROL R$ 37,72 R$ 39,81 0 SCANIA 574808 1401789CX - RELE PISCA SERIE 4 R$ 56,63 R$ 59,77 0 SCANIA 569965 1425019CX - BLOQUEIO

Leia mais

ZÍZIMO MOREIRA FILHO VINÍCIUS RODRIGUES BORBA

ZÍZIMO MOREIRA FILHO VINÍCIUS RODRIGUES BORBA ZÍZIMO MOREIRA FILHO VINÍCIUS RODRIGUES BORBA 1680 Holandês Huygens propôs o motor movido à pólvora; 1688 Papin, físico e inventor francês, desenvolve motor à pólvora na Royal Society de Londres. O motor

Leia mais

APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P

APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P CAPITULO 64 APLICATIVOS GM BOSCH MOTRONIC M1.5.4 P VECTRA 2.0-8V - 97 VECTRA 2.0-16V - 97 KADETT 2.0-97 S10 2.2 VECTRA 2.2 COMO FUNCIONA O SISTEMA. Este sistema de injeção eletrônica é um sistema digital

Leia mais

Sistema de Controle Um sistema de controle é realizado por meio de hardware e software. Este sistema processa os sinais de entrada e converte estes

Sistema de Controle Um sistema de controle é realizado por meio de hardware e software. Este sistema processa os sinais de entrada e converte estes Sistema de Controle Um sistema de controle é realizado por meio de hardware e software. Este sistema processa os sinais de entrada e converte estes sinais em uma ação ao qual foi programado. O software

Leia mais

TM 527 - INJEÇÃO VW INJEÇÃO ELETRÔNICA. 1 Menu Principal

TM 527 - INJEÇÃO VW INJEÇÃO ELETRÔNICA. 1 Menu Principal INJEÇÃO ELETRÔNICA TM 527 - INJEÇÃO VW VW - Marelli 4LV Linha Gol 1.0 EGAS, Gol 1.0 16V EGAS VW - Motronic 5.9.2v3 Linha Golf/Bora 2.0/Beetle 2.0 VW - Motronic ME7.5.10 Golf 1.6 EGAS 1 Menu Principal Opcao:

Leia mais

APLICATIVOS RENAULT. Siemens/Fênix 5

APLICATIVOS RENAULT. Siemens/Fênix 5 CAPÍTULO 13 APLICATIVOS RENAULT Siemens/Fênix 5 MEGANE 1.6 K7M 702/703/720 1995 em diante COMO FUNCIONA ESTE SISTEMA Este sistema é multiponto seqüencial, com 4 válvulas injetoras que possui autodiagnose

Leia mais

Medidor de Fluxo de Ar MAF

Medidor de Fluxo de Ar MAF Medidor de Fluxo de Ar MAF O medidor de massa de ar - MAF (Mass Air Flow) mede diretamente a massa do ar admitido. Está localizado na entrada da tubulação de admissão junto ao suporte do filtro de ar.

Leia mais

Diagnósticos Substituição do PCM - Reprogramações. Diagnósticos Substituição do PCM - Reprogramações

Diagnósticos Substituição do PCM - Reprogramações. Diagnósticos Substituição do PCM - Reprogramações FREEMONT Diagnósticos DESCRIÇÃO Diante de uma substituição do PCM, esse novo PCM deve ser reprogramado. Para tanto, usar a ferramenta de diagnóstico (witech) para efetuar a reprogramação da mesma. O novo

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS pág. 1 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS MODELOS Potência térmica máx. Potência térmica mín. Vazão máx. óleo Vazão mín. óleo Voltagem 60 Hz Motor Velocidade Capacitor Transformador de ignição Programador Programador

Leia mais

B310r 4x2 rodoviário VOLVO PNEUS 295/80R22,5. DIMENSÕES (mm)

B310r 4x2 rodoviário VOLVO PNEUS 295/80R22,5. DIMENSÕES (mm) VOLVO B310r 4x2 rodoviário Computador de bordo com diagnóstico de falhas Arquitetura BEA2 (Bus Electrical Architecture) Motor eletrônico Volvo D11C Suspensão com controle eletrônico Sistema Volvo de freios

Leia mais

Boletim da Engenharia

Boletim da Engenharia Boletim da Engenharia 11 de Manutenção Preventiva para Compressores Parafuso 11/02 Para continuar obtendo uma alta performance oferecida pelos compressores parafuso Bitzer instalados nas centrais de refrigeração,

Leia mais

Empilhadeira hidrostática Linde. Linde STILL - Marcamp. Marcos Moreira, 21/06/2017

Empilhadeira hidrostática Linde. Linde STILL - Marcamp. Marcos Moreira, 21/06/2017 Empilhadeira hidrostática Linde. Linde STILL - Marcamp Marcos Moreira, 21/06/2017 Apresentação pessoal Linde STILL (KION SOUTH AMERICA) Desde Oct.2001 Gerente técnico; Marcos Moreira 41 anos, casado, 2

Leia mais

INJEÇÃO ELETRÔNICA SISTEMA SPI G7

INJEÇÃO ELETRÔNICA SISTEMA SPI G7 INJEÇÃO ELETRÔNICA SISTEMA SPI G7 Qualificação SENAI - PR, 2002 CIP 0010XA0107402 Trabalho elaborado pela Diretoria de Educação e Tecnologia do Departamento Regional do SENAI - PR, através do LABTEC -

Leia mais

SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL

SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL Página 1 FIAT CHRYSLER AUTOMOBILES 13/08/2015 DESCRIÇÃO DO SISTEMA GNV COMPONENTES DO SISTEMA GNV 1. Cilindro GNV 2. Suporte do Cilindro de GNV 3. Linha de Alta Pressão: Tubo

Leia mais

Programa Detalhado de Máquinas Térmicas e Hidráulicas

Programa Detalhado de Máquinas Térmicas e Hidráulicas Programa Detalhado de Máquinas Térmicas e Hidráulicas 1. Generalidades 1.1. Dimensões e unidades de medida 1.1.1. Dimensões e homogeneidade dimensional 1.1.2. Sistemas de unidades 2. Máquinas Hidráulicas

Leia mais

Relatório do projeto de Controle Eletrônico para Regime de Marcha Lenta

Relatório do projeto de Controle Eletrônico para Regime de Marcha Lenta FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SOROCABA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ELETRÔNICA AUTOMOTIVA Relatório do projeto de Controle Eletrônico para Regime de Marcha Lenta Endryl Laureano Moreira Roque Renan José

Leia mais

4LD LDG Motor e Gerador

4LD LDG Motor e Gerador LD 00 LDG 00 Motor e Gerador MOTOR LD 00 / LDG 00 ÍNDICE A Bloco do Motor Bloco do Motor Cabeçote Conjunto Pistão Virabrequim Comando de Válvulas Trem de Válvulas Trem de Engrenagens Alimentação e Escape

Leia mais

Funcionamento de um motor CAPITULO 11. Curvas características de um motor - Influencia dos parâmetros de regulagem, de uso e concepção

Funcionamento de um motor CAPITULO 11. Curvas características de um motor - Influencia dos parâmetros de regulagem, de uso e concepção CAPITULO 11 Curvas características de um motor - Influencia dos parâmetros de regulagem, de uso e concepção Curvas características de um motor - Influencia dos parâmetros de regulagem, de uso e concepção

Leia mais

KIT DIDÁTIDO MOCK UP MOTOR DIESEL

KIT DIDÁTIDO MOCK UP MOTOR DIESEL KIT DIDÁTIDO MOCK UP MOTOR DIESEL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS/DESCRIÇÃO A bancada didática para treinamento em motores de combustão interna do tipo ciclo diesel (motor vivo) tem como objetivo auxiliar as aulas

Leia mais

Análise de Modos de Falha e Efeitos

Análise de Modos de Falha e Efeitos Análise de Modos de Falha e Efeitos Patriota de Siqueira 3 Sistema de Resfriamento. Arrefecimento Falta ventilação Ventilador Aquecimento do motor Resfriar a água do sistema entre forçada quebrado Ventilador

Leia mais

4 - RESULTADOS E ANÁLISES

4 - RESULTADOS E ANÁLISES 4 - RESULTADOS E ANÁLISES Nos resultados são apresentados os parâmetros de calibração e ajuste, os parâmetros de operação e desempenho e, por fim, a análise dos parâmetros de combustão do motor multicombustível.

Leia mais

BOSCH MOTRONIC 1.5.1 E 1.5.2

BOSCH MOTRONIC 1.5.1 E 1.5.2 CAPÍTULO 52 BOSCH MOTRONIC 1.5.1 E 1.5.2 APLICATIVO DA GM OMEGA 2.0 SUPREMA 2.0 OMEGA 3.0 SUPREMA 3.0 VECTRA 2.0 COMO FUNCIONA O SISTEMA MOTRONIC 1.5 Omega 2.0 e 3.0 Vectra 2.0 Como funciona injeção eletrónica

Leia mais

Sistema Multi-Combustível e seu Futuro

Sistema Multi-Combustível e seu Futuro Sistema Multi-Combustível e seu Futuro Frans Theunissen Orlando Volpato Delphi Automotive Systems South America Technical Center - Brasil Unimep Santa Bárbara D oeste 17 de agosto de 2005 Agenda Benefícios

Leia mais

Super Turbo. Na simbologia da Porsche, a letra S tem um significado. Car News

Super Turbo. Na simbologia da Porsche, a letra S tem um significado. Car News Car News Super Turbo Freios de cerâmica como equipamento de série e 30 cv a mais no motor: é o Porsche 911 Turbo S. Texto: Luiz Alberto Pandini Fotos: Porschepress Na simbologia da Porsche, a letra S tem

Leia mais

VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO

VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO VÁLVULA REGULADORA DE PRESSÃO 1 - Com auxílio do diagrama elétrico correspondente, determinar: A) a pinagem dos conectores, lado válvula reguladora e ECM B) a polaridade dos fios 2 - Utilizando a ferramenta

Leia mais

Para o perfeito funcionamento e conservação dos componentes instalados, siga as recomendações abaixo:

Para o perfeito funcionamento e conservação dos componentes instalados, siga as recomendações abaixo: t1200 apresentação e características A Micro comutadora t1200 é um módulo eletrônico desenvolvido para facilitar a instalação do Kit GNV. Essa comutadora é programada somente para veículos providos de

Leia mais

Catálogo de Cursos TAL/MECÂNICA SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL

Catálogo de Cursos TAL/MECÂNICA SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL TAL/MECÂNICA SENAI, SUA CONQUISTA PROFISSIONAL ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DOS CURSOS 1. TÍTULO ALINHAMENTO E BALANCEAMENTO DE RODAS Preparar profissionais a identificar os ângulos da geometria da direção e

Leia mais

Simulador de sonda lambda inteligente

Simulador de sonda lambda inteligente t65 Simulador de sonda lambda inteligente APRESENTAÇÃO E CARACTERÍSTICAS O Simulador de sonda lambda inteligente T65 é um módulo eletrônico desenvolvido para efetuar a simulação do sinal do sensor de sonda

Leia mais

Agenda. Combustíveis Fosseis X Combustíveis Renováveis. Matrizes Energéticas no Transporte. Alternativas aos Motores Diesel. Opções Tecnológicas

Agenda. Combustíveis Fosseis X Combustíveis Renováveis. Matrizes Energéticas no Transporte. Alternativas aos Motores Diesel. Opções Tecnológicas Ethanol Summit 2009 Etanol: Nova Opção para Motores Diesel Engenharia de Desenvolvimento 3 de Junho de 2009 Agenda Combustíveis Fosseis X Combustíveis Renováveis Matrizes Energéticas no Transporte Alternativas

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS X050QTA11

CATÁLOGO DE PEÇAS X050QTA11 CHASSI COMPONENTES DO CHASSI 01 02 03 01 AMORTECEDOR TRASEIRO 01 NEUTRO C024NN 843,54 g 02 CHASSI 01 NEUTRO C001NN 12700 g 03 SUPORTE DA CARENAGEM FRONTAL 01 NEUTRO C306NN 218,19 g 04 BALANÇA TRASEIRA

Leia mais

4LD LDG Motor e Gerador

4LD LDG Motor e Gerador LD 00 LDG 00 Motor e Gerador MOTOR LD 00 / LDG 00 ÍNDICE A Bloco do Motor Bloco do Motor Cabeçote Conjunto Pistão Virabrequim Comando de Válvulas Trem de Válvulas Trem de Engrenagens Alimentação e Escape

Leia mais

COMBUSTÍVEIS. Diesel

COMBUSTÍVEIS. Diesel COMBUSTÍVEIS COMBUSTÍVEIS Diesel O Diesel é o combustível mais utilizado no Brasil. A maior parte da frota comercial brasileira é movida a óleo diesel. Assim como a gasolina, ele é um sub-produto do petróleo,

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS X050QTR11

CATÁLOGO DE PEÇAS X050QTR11 CHASSI 01 02 03 2 04 05 06 07 08 COMPONENTES DO CHASSI NÚMERO DESCRIÇÃO QT COR NÚMERO DA PEÇA 01 AMORTECEDOR TRASEIRO 01 NEUTRO C024NN 02 CHASSI 01 NEUTRO C001NN 03 SUPORTE DA CARENAGEM FRONTAL 01 NEUTRO

Leia mais