PROPOSTA DE REGULAMENTO. Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPOSTA DE REGULAMENTO. Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara"

Transcrição

1 PROPOSTA DE REGULAMENTO Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara Novembro de 2012

2 Contexto

3 Incentivo e Promoção à Competição

4 Dinâmica

5 Anexo I Medidas assimétricas para Grupos com PMS PGMC (Regras gerais) Anexo II Diretrizes Metodológicas para análise de mercado e identificação de Grupos PMS Anexo I Anexo II Estudo Ato Designação Grupos com PMS Estudo Identificação e análise dos Mercados Relevantes e dos Grupos com PMS Ato Designação Grupos com PMS

6 4 anos 2 anos 2 anos PGMC Identificação e designação dos Grupos com PMS Identificação e designação dos Grupos com PMS Reanálise dos Mercados Relevantes e Medidas Assimétricas dos Grupos com PMS 2 anos 4 anos

7 Lógica de Funcionamento Grupo com PMS Apresenta Oferta de referência Anatel Homologou? NÃO SIM Grupo com PMS Possibilidade de cautelar Comissão de Composição de Conflitos Entidade Supervisora de Atacado Base de Dados de Atacado Demanda composição Grupo sem PMS Compra no atacado

8 ENTIDADE SUPERVISORA E GRUPO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ENTIDADE SUPERVISORA DE OFERTAS DE ATACADO E DAS BDAS (GIESB) BDA Interface Padronizada pelo GIESB Prestadora com PMS Entidade Supervisora Acesso Centralizado às BDAs Prestadoras solicitantes de Produtos de Atacado $ $ $ Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado Interface Padronizada pelo GIESB Prestadora com PMS Interface Padronizada pelo GIESB Interface Padronizada pelo GIESB BDA

9 Metodologia de Avaliação de Replicabilidade - MAR Elaborada por determinação do CD, no âmbito da deliberação da CP do PGMC, para tornar o processo de homologação das ofertas de referência objetivo e transparente; Margens propostas na metodologia consideraram benchmark internacional; Portaria do Conselho Diretor deve aprovar Metodologia e margens definidas. Consulta Pública por 40 dias Possibilitar ampla discussão com a sociedade

10 Mercados Relevantes e Grupos com PMS

11 PROBLEMAS DECORRENTES DE PROVÁVEL EXERCÍCIO DE PODER DE MERCADO IDENTIFICADOS PELO GT Rede Fixa de Acesso Rede Fixa de Transporte Terminação Móvel Roaming Nacional Infraestrutura Passiva Recusa de acesso Diferenciação de condições em função do demandante Compressão de margens Recusa de acesso Diferenciação de condições em função do demandante Compressão de margens Impor necessidade de aquisição de EILD para troca de tráfego Elevação de barreira artificial à entrada (efeito clube) Compressão de margens Recusa de acesso Diferenciação de condições em função do demandante

12 Rede fixa de acesso 10 Mbps Terminação móvel Roaming Nacional Transporte Local e LD 34 Mbps Infraestrutura passiva Postes Torres Dutos e valas Dimensão Geográfica Grupos com PMS Município Região do PGA Área de Registro Município Concessionárias em alguns municípios Grupo Claro, Oi, Tim e Vivo Grupos Vivo, Oi, Tim e Claro Concessionárias em alguns municípios Área de Registro/Código Nacional Não há PMS Grupos Telemar, Telefonica, Telmex e Tim Grupos Telemar, Telefonica,Telmex e CTBC (CN 34) Remédio Garantir atendimento solicitações - 20% capacidade física Regime Especial de Remuneração pelo Uso de Redes Móveis Medidas de Transparência (BDA e Entidade Supervisora) Oferta de Referência Homologação das Ofertas Tornar disponível na AR um PTT (após demanda classe V) Garantir atendimento solicitações - 20% capacidade física Garantir atendimento solicitações - 10% capacidade física Cautelar Utilizar como valor de referência um percentual do menor preço praticado no varejo pelo próprio Grupo Utilizar valor inferior ao menor valor de itinerância cobrado Garantir 50% do Backhaul (quando houver concessionária) Utilizar como referência os valores estabelecidos no Ato nº 2.716, de 15/05/2012, ou em outro que venha a substituí-lo (EILD e Backhaul) Full peering (classe V) Utilizar como referência preços determinados por meio de pesquisa de mercados

13 REDE FIXA DE ACESSO PARA TRANSMISSÃO DE DADOS POR MEIO DE PAR DE COBRE OU CABO COAXIAL* EM TAXAS DE TRANSMISSÃO INFERIORES A 10 MBPS* (bitstream, full unbundiling) Dimensão Geográfica Grupos com PMS Medidas Assimétricas Cautelar Município Telefônica/ Telmex/ Oi/ CTBC/ Sercomtel Apresentar e homologar Oferta de Referência Medidas de transparência (BDA e Entidade Supervisora) Garantir atendimento solicitações que correspondam a 20% capacidade física Utilizar como valor de referência um percentual do menor preço praticado no varejo pelo próprio Grupo * Sugestão do Relator

14 REDE FIXA DE TRANSPORTE LOCAL E DE LONGA DISTÂNCIA PARA TRANSMISSÃO DE DADOS EM TAXAS DE TRANSMISSÃO INFERIORES A 34 MBPS* (EILD, Backhaul e interconexão classe V) Dimensão Geográfica Município Grupos com PMS Medidas Assimétricas Cautelar * Sugestão do Relator Telefônica/ Telmex/ Oi/ Sercomtel Apresentar e homologar Oferta de Referência Medidas de transparência (BDA e Entidade Supervisora) Tornar disponível na AR um PTT (após demanda classe V)* Garantir atendimento solicitações que correspondam a 20% capacidade física Garantir 50% do Backhaul (quando houver concessionária) Utilizar como referência os valores estabelecidos no Ato nº 2.716, de 15/05/2012, ou em outro que venha a substituí-lo (EILD e Backhaul)* Determinar Full Peering (Interconexão classe V)

15 Taxa de transferência Feriado Regulatório em Fibra alinhado com a busca de altas taxas de transmissão para o Brasil e incentivo ao investimento 1Gb/s FTTH: EPON, GPON 100Mb/s 100Mb/s: VDSL2 20Mb/s:VDSL2, ADSL2+ FTTC/B: FLC, EPON, GPON FTTN: FLC, EPON, GPON N-Play Service 10Mb/s 1Mb/s 10Mb/s: VDSL, ADSL2 1Mb/s: ADSL cobre Fibra ótica High Speed Internet 10m 100m 1km 10km Distância do usuário Fonte: Chae Sub Lee, Chairman SG 13, UIT

16 Granularidade da dimensão geográfica nos Mercados de Redes fixas de acesso e transporte Atos de PMS Art 2º Determinar que os Grupos detentores de PMS nos Mercados Relevantes (...) nos Municípios constantes da tabela II anexa terão prazo de 180 dias para apresentar elementos de prova para afastar a caracterização de PMS em regiões daqueles municípios. 117 municípios no Mercado de Rede Fixa de Acesso e 137 no de Transporte

17 TERMINAÇÃO DE CHAMADAS EM REDES MÓVEIS Dimensão Geográfica Grupos com PMS Medidas Assimétricas Figura Região do PGA CLARO/ OI/ TIM E VIVO Apresentar e homologar Oferta de Referência Medidas de transparência (BDA e Entidade Supervisora) Full billing entre PMS* Bill and Keeps decrescentes entre PMS e não PMS Fixar RVU-M para os próximos 2 anos (2014/2015), e prever a entrada do RVU-M a custos para 2016* Vedar diferença de preço entre o on-net e off-net para os Grupos com PMS * * Sugestão do Relator

18 ROAMING NACIONAL Dimensão Geográfica Grupos com PMS Medidas Assimétricas Cautelar Área de Registro VIVO/ Oi/ TIM e CLARO Apresentar e homologar Oferta de Referência Medidas de transparência (BDA e Entidade Supervisora) Enviar ao usuário visitante em sua rede, sem ônus, SMS informando que o usuário se encontra fora de sua AR, o valor e as condições em que os serviços serão ofertados.* Utilizar valor inferior ao menor valor de itinerância cobrado * Sugestão do Relator

19 INFRAESTRUTURA PASSIVA PARA REDES DE TRANSPORTE E ACESSO (Postes, Torres, Dutos e Valas) Dimensão Geográfica Grupos com PMS Medidas Assimétricas Cautelar Código Nacional Postes: Não há Torres: Telemar/ Telefônica/ Telmex e Tim Dutos e valas: Telemar/ Telefônica/ Telmex e Apresentar e homologar Oferta de Referência Medidas de transparência (BDA e Entidade Supervisora) Garantir atendimento solicitações que correspondam a 10% capacidade física Utilizar como valor de referência um percentual do menor preço praticado no mercado pelo próprio Grupo detentor de PMS

20 OBRIGAÇÃO ADVINDA DO PGO - Municípios cuja população total seja igual ou maior que 70% da população das 3 Regiões, em 7 anos da efetivação da operação societária Grupos com Concessionária em mais de 2 Regiões Manter proposta do GT modificando apenas o marco para o início da contagem dos prazos para o dever de construção de infraestrutura de transporte em municípios, nos seguintes prazos: - Municípios cuja população total seja igual ou maior que 50% da população das 3 Regiões, em 3 anos da efetivação da operação societária; - Municípios cuja população total seja igual ou maior que 60% da população das 3 Regiões, em 5 anos da efetivação da operação societária;

21 Composição de Conflitos

22 RITO SUMARÍSSIMO Pedido de Composição Grupo sem PMS? Sim Caso de Reunião Sim Juízo Houve Admissibilidade Prévia? Acordo? Não Não Não Sim Homologa Acordo Necessidade de Cautelar? Não Sim Despacho Cautelar Prosseguimento Mérito e Encerramento do Processo RITO ORDINÁRIO RGI REILD RI Uniformização Gradual

23 Considerações Operacionais

24 Cronograma de Implementação Publicação DOU e Entrada Vigor Consulta Pública da MAR Aprovação da MAR pelo CD Implantação do GIESB Contratação da Entidade Entrada em Funcionamento das BDAs Apresentação de Ofertas de Referência Homologação pela Anatel das Ofertas 12/11/ /11/2012 (duração 40 d) 120d do fim da CP 30d da publicação 120d após GIESB 10 meses da publicação 120d da publicação d da apresentação -- 21/12/ /04/ /12/ /04/ /09/ /03/ /05/2013 Nova estrutura da Anatel contribui para o PGMC

25 Prazo praticamente imediato para alguns remédios importantes e que não dependam de Oferta da Referência MERCADO INTERCONEXÃO MÓVEL 1. Bill and Keep parcial entre Prestadora com e sem PMS (01/01/2013) 2. Redução gradual do VU-M já está acontecendo, desde 2012 INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTE 1. Disponibilização de PPT (Troca direta de tráfego - Internet (90 dias a contar da primeira solicitação, em cada Área de Registro) 2. EILD (regras já vigentes, pelo Regulamento de EILD, de 05/2012)

26 Resumo das Sugestões do Relator

27 Fixar que os mercados relevantes serão identificados, analisados e acompanhados permanentemente pela Anatel. Possibilitar que as revisões antecipadas das Medidas Assimétricas possam iniciadas a pedido de interessado e possibilitar que haja revisão antecipada quando constatado que tais medidas já não sejam mais necessárias; Para o Tema Entidades, manter, em regra, a proposta do GT; Modificar a composição de prazo Reduzir, o quanto possível, a quantidade de ritos para Composição de Conflitos na Anatel; Decisão monocrática como regra e colegiada excepcionalmente; Esclarecer que o ingresso com pedido de composição de conflitos do PGMC será restrito à Prestadora sem PMS no mercado objeto da disputa; Possibilitar de que haja efeito suspensivo em recursos contra decisão em Composição de Conflitos;

28 Não aprovar proposta de Regimento Interno da Comissão de Composição de Conflitos e aproveitar os dispositivos relativos às competências na Portaria de nomeação dos membros da Comissão; Elevar para 34 Mbps as obrigações de oferta para o mercado de rede fixa de transporte. Reduzir para Alteração 10 Mbps o dever de oferta de referência no mercado de rede fixa de acesso e incluir na Análise de Mercado as redes coaxiais. Conceder feriado regulatório, também, para as fibras apagadas. Estabelecer que o dever de disponibilização de PTT deve-se dar por demanda Excluir equiparação On-net/Off-net Com PMS - Full Billing Com x Sem PMS - Bill and Keeps decrescentes (80-20% e 60-40%)

29 Fixar RVU-M para os próximos 2 anos (2014 e 2015), antes da entrada do RVU-M a Custos, em Excluir obrigação de envio de SMS (s/ nexo com competição) Tendo em vista a entrada em vigor imediata do PGMC, propor novos prazos, considerando tempo adequado para Anatel e empresas. Submeter à Consulta Pública proposta de Portaria que aprova MAR; Explicitar a incidência da Lei nº /2009 referente ao compartilhamento de torres (distância menor que 500m); Granularidade manter proposta do GT de fixar prazo de 180 dias para que prestadoras com PMS, em determinados Municípios, possam apresentar elementos de prova que demonstrem não PMS em região do Município.

30 PGMC : Previsibilidade, Estabilidade, Transparência Otimização da infraestrutura Usuários são beneficiados Ampliação dos investimentos em redes ópticas Melhor qualidade dos serviços Menores preços

31 Obrigado!

32 Cenários VU-M

33 PROPOSTAS Se não tiver sido determinado RVUM a Custos (*) VU-M Redução ~ 13% Redução ~ 10% Redução ~ 6% MODELO DE CUSTOS HCA/CCA (Custos Histórico e Corrente) RVU-M (Composição de Conflito) Bottom-Up (empresa hipotética eficiente) 75% VU-M (2013) 50% VU-M (2013) RVU-M a custo REGIME REMUNERAÇÃO PMS X PMS PMS X Ñ PMS Full Billing B&K B&K Full Billing 01/01/ /02/ /02/2016

34 Contribuições por Tema Contribuições por tipo de contribuinte MAIS DE 78% DAS CONTRIBUIÇÕES FORAM DAS EMPRESAS

Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO

Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br Brasília, maio de 2013 Agenda Nova Estrutura

Leia mais

PGMC. Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes

PGMC. Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes Simpósio da Cullen International sobre Regulação TIC em América Latina e União Europeia PGMC Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes Carlos Baigorri Anatel Estrutura

Leia mais

MARCELO BECHARA Março de 2013

MARCELO BECHARA Março de 2013 MARCELO BECHARA Março de 2013 Contexto Sociedade da Informação países desenvolvidos Venda de músicas online: >80% Venda de videos online: >50% TV Personalizada/Interatividade Publicidade: >50% Conteúdo:

Leia mais

Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br

Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br Brasília/DF Setembro/2014 AGENDA RECORDANDO PGMC E O SNOA CONQUISTAS DESAFIOS RECORDANDO O PGMC Cadeia

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Manaus, janeiro de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Proporção de

Leia mais

Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional. larga

Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional. larga Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional larga Curitiba, março de 2013 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE,

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Marabá, abril de 2014 Ministério das Comunicações Evolução da penetração

Leia mais

Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras

Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras São Paulo, 13 de junho de 2013 TMCO Telco Management Gestão em Negócios de Telecom Diretoria de Novos Negócios e Regulamentação http://www.tmco.com.br

Leia mais

Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Recife, outubro de 2014 Meta do PNBL Se pacote PNBL de

Leia mais

29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações

29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações 29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17de abril de 2012 Agenda Serviços de Telecomunicações: Convergência de Plataformas, Redes e Outorgas Premissas

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA. Proposta de Regulamento de Celebração e Acompanhamento de Termo de Ajustamento de Conduta TAC MARCELO BECHARA

CONSULTA PÚBLICA. Proposta de Regulamento de Celebração e Acompanhamento de Termo de Ajustamento de Conduta TAC MARCELO BECHARA CONSULTA PÚBLICA Proposta de Regulamento de Celebração e Acompanhamento de Termo de Ajustamento de Conduta TAC MARCELO BECHARA Relator Cons. Marcelo Bechara 25 de setembro de 2013 Evolução da Regulação

Leia mais

Status Report Executivo PGMC. Brasília, 21 de Junho de 2013

Status Report Executivo PGMC. Brasília, 21 de Junho de 2013 Status Report Executivo PGMC Brasília, 21 de Junho de 2013 Sumário 1 2 Visão geral Anexos 2 Visão macro do cronograma Concluído Planejado Frentes do projeto Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set 1 2 3 4 5 6 7 8

Leia mais

Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom

Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom 40º Encontro TELE.SÍNTESE Março de 2015 Panorama Telefonia Móvel 281,7 milhões de acessos ~155 milhões de acessos de banda larga móvel (54%)

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Rio de Janeiro, julho de 2014 Ministério das Comunicações Evolução

Leia mais

Fórum Integrado de Tecnologia e Inovação Leonardo Euler de Morais Chefe da Assessoria Técnica ATC

Fórum Integrado de Tecnologia e Inovação Leonardo Euler de Morais Chefe da Assessoria Técnica ATC Fórum Integrado de Tecnologia e Inovação - 2014 Leonardo Euler de Morais Chefe da Assessoria Técnica ATC Next Generation Network Trends and Convergence Internet Móvel VoIP Radio/TV sobre Internet Interatividade

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e SME à luz do Regulamento anexo à Resolução nº 576/2011 da Anatel Luciana Chaves Freire Félix Procuradora Federal em Brasília-DF

Leia mais

REGULAMENTO MODELO DE CUSTOS. Brasília, 18 de junho de 2014

REGULAMENTO MODELO DE CUSTOS. Brasília, 18 de junho de 2014 REGULAMENTO MODELO DE CUSTOS Brasília, 18 de junho de 2014 MATÉRIA OBJETO DA DELIBERAÇÃO Norma para fixação dos valores máximos das tarifas de uso de rede do STFC, dos valores de referência de uso de rede

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO Nº 581, DE 29 DE OUTUBRO DE 2002

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO Nº 581, DE 29 DE OUTUBRO DE 2002 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL RESOLUÇÃO Nº 581, DE 29 DE OUTUBRO DE 2002 Estabelece os requisitos mínimos aplicáveis ao cumprimento do disposto no "caput" do art. 5º do Regulamento Conjunto

Leia mais

Desafios no acesso à internet móvel: penetração, qualidade e gestão do espectro

Desafios no acesso à internet móvel: penetração, qualidade e gestão do espectro Desafios no acesso à internet móvel: penetração, qualidade e gestão do espectro Miriam Wimmer Diretora do Departamento de Serviços e de Universalização de Telecomunicações Secretaria de Telecomunicações

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que foram conferidas à Agência pelo art. 19

Leia mais

Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel e das condições de prestação do serviço. João Batista de Rezende Anatel

Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel e das condições de prestação do serviço. João Batista de Rezende Anatel Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel e das condições de prestação do serviço João Batista de Rezende Anatel Brasília/DF Dezembro/2012 Medida Cautelar Contextualização Suspensão

Leia mais

Banda Larga rural e urbana

Banda Larga rural e urbana Banda Larga rural e urbana Edital de Licitação 004/2012/PVCP/SPV-Anatel (450 MHz e 2,5 GHz) Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados Anatel Brasília/DF Abril/2012 Premissas e objetivos

Leia mais

Compartilhamento de Postes Resolução Conjunta com ANEEL

Compartilhamento de Postes Resolução Conjunta com ANEEL Compartilhamento de Postes Resolução Conjunta com ANEEL PÓS CONSULTA PÚBLICA Relator Cons. Marcelo Bechara Dezembro 2014 contextualização Cenário Ocupação desordenada dos postes Barreira à entrada para

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 001, DE 24 DE NOVEMBRO DE 1999 (*) Vide alterações e inclusões no final do texto

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga

Programa Nacional de Banda Larga Programa Nacional de Banda Larga Metas e eixos de ação Comissão de Ciência e Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Senado Federal Brasília, 31 de agosto de 2011 Dados de acesso à Internet em

Leia mais

ANÁLISE IGOR VILAS BOAS DE FREITAS

ANÁLISE IGOR VILAS BOAS DE FREITAS CONSELHEIRO RELATOR ANÁLISE NÚMERO E ORIGEM: 20/2015-GCIF DATA: 20/2/2015 IGOR VILAS BOAS DE FREITAS 1. ASSUNTO Pedido de Reconsideração, cumulado com pedido de efeito suspensivo, apresentado por TIM CELULAR

Leia mais

Ref.: CONSULTA PÚBLICA Nº 26, DE 04 DE JULHO DE 2012 - Proposta de Documentos Relevantes para a modelagem de custos de telecomunicações

Ref.: CONSULTA PÚBLICA Nº 26, DE 04 DE JULHO DE 2012 - Proposta de Documentos Relevantes para a modelagem de custos de telecomunicações São Paulo, 30 de agosto de 2012 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL Setor de Autarquias Sul - SAUS - Quadra 6 - Bloco F - Térreo Biblioteca 70070-940 - Brasília - DF Fax: (61) 2312-2002 Correio

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 771ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 771ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 771ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR DATA: 12 de março de 2015 HORÁRIO: 15:00h LOCAL: Setor de Autarquias Sul, Quadra 06, Bloco C - Espaço Cultural. ASSUNTOS:

Leia mais

Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública Brasília, 13 de novembro de 2013

Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública Brasília, 13 de novembro de 2013 Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública Brasília, 13 de novembro de 2013 Os Regimes de Prestação dos Serviços de Telecomunicações A Lei Geral de Telecomunicações (Lei nº 9.472/1996) estabelece

Leia mais

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA Luiz Fernando Fauth Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL ibusiness 2011 Curitiba, 24/11/2011 SUMÁRIO Cenário atual do SCM Consulta Pública

Leia mais

Plano de Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel

Plano de Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel Plano de Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel Agência Nacional de Telecomunicações Anatel Brasília/DF 08/2012 Reclamações ARU Anatel Diferença percentual entre a pior

Leia mais

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP

III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP III Fórum Lusófono das Comunicações ARCTEL-CPLP Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional II Painel Que Mercado na CPLP? Agenda Sobre a Oi Que Mercado na CPLP Panorama Roaming Internacional

Leia mais

Relatório de acompanhamento trimestral das Ações Regulatórias. 2014-2015 Julho a setembro de 2014

Relatório de acompanhamento trimestral das Ações Regulatórias. 2014-2015 Julho a setembro de 2014 Relatório de acompanhamento trimestral das Ações Regulatórias 2014-2015 Julho a setembro de 2014 Relatório Introdução Esse relatório tem o objetivo de apresentar o acompanhamento das Ações Regulatórias

Leia mais

MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA

MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA Brasília, 15 de julho de 2002 MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA O conselheiro José Leite Pereira Filho, da Agência Nacional de Telecomunicações Anatel, anunciou na

Leia mais

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano.

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano. 01) O que é AICE? Significa Acesso Individual Classe Especial. É um Plano básico e com regulamentação própria (Regulamentado pela Resolução Nº 586, da ANATEL, de 05 de abril de 2012). Modalidade de telefonia

Leia mais

Revisão dos Contratos de Concessão do STFC -- Plano Geral de Metas para a Universalização

Revisão dos Contratos de Concessão do STFC -- Plano Geral de Metas para a Universalização Agência Nacional de Telecomunicações Revisão dos Contratos de Concessão do STFC -- Plano Geral de Metas para a Universalização José Alexandre Bicalho Superintendente de Planejamento e Regulamentação 02/09/2014

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014

Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014 Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014 Meta do PNBL Se pacote PNBL de 1 Mbps for ofertado por R$ 15 em todos os municípios Se pacote PNBL de 1 Mbps for

Leia mais

3 CONTEXTO DO ESTUDO DE CASO

3 CONTEXTO DO ESTUDO DE CASO 27 3 CONTEXTO DO ESTUDO DE CASO Este capítulo apresenta o setor de telecomunicações no Brasil e o mercado de banda larga residencial. 3.1 O setor de telecomunicações no Brasil O setor de telecomunicações

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações IV Seminário Telcomp 2011 Competição e Inovação A Perspectiva de Governo e Políticas Públicas: Políticas Públicas para incentivo à expansão de redes e serviços de telecomunicações Maximiliano S. Martinhão

Leia mais

Grupo 1: O fato de a atividade atender ao interesse coletivo é suficiente para manter a autorização dada pelo Poder Público?

Grupo 1: O fato de a atividade atender ao interesse coletivo é suficiente para manter a autorização dada pelo Poder Público? Grupo 1: O fato de a atividade atender ao interesse coletivo é suficiente para manter a autorização dada pelo Poder Público? Quais argumentos poderiam ser usados por uma empresa prestadora de serviço de

Leia mais

Consulta Pública nº 26/2014 Revisão dos Contratos de Concessão do STFC

Consulta Pública nº 26/2014 Revisão dos Contratos de Concessão do STFC Consulta Pública nº 26/2014 Revisão dos Contratos de Concessão do STFC 26 de setembro de 2014 Audiência Pública Superintendência de Planejamento e Regulamentação (SPR) Sumário Temas e Análise das Alternativas

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 490, DE 24 DE JANEIRO DE 2008 REGULAMENTO DE CONSELHO DE USUÁRIOS DO STFC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento estabelece as regras básicas para implantação,

Leia mais

HOJE SISTEMAS DE INFORMÁTICA LTDA (HOJE TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO

HOJE SISTEMAS DE INFORMÁTICA LTDA (HOJE TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO HOJE SISTEMAS DE INFORMÁTICA LTDA (HOJE TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO RESOLUÇÃO N.º 410, de 11 de julho de 2005 da ANATEL D.O.U. de 13/07/2005. INTERCONEXÃO DE REDES DE TELECOMUNICAÇÕES DE INTERESSE

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 782ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 782ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 782ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR DATA: 13 de agosto de 2015 HORÁRIO: 15:30h LOCAL: Setor de Autarquias Sul, Quadra 06, Bloco C - Espaço Cultural. ASSUNTOS:

Leia mais

Infra-estrutura para inovação e desenvolvimento

Infra-estrutura para inovação e desenvolvimento Infra-estrutura para inovação e desenvolvimento Painel: Telecomunicações, acessibilidade, TICs e inovação As telecomunicações constituem um setor de infra-estrutura de importante impacto no crescimento

Leia mais

Workshop. Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações (REPNBL-Redes)

Workshop. Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações (REPNBL-Redes) Workshop Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações (REPNBL-Redes) José Gontijo Diretor do Departamento de Indústria, Ciência e Tecnologia

Leia mais

REPNBL: implantação e modernização da Infraestrutura de telecomunicações no Brasil

REPNBL: implantação e modernização da Infraestrutura de telecomunicações no Brasil Ministério das Comunicações REPNBL: implantação e modernização da Infraestrutura de telecomunicações no Brasil SMART GRID FÓRUM/2013 São Paulo SP 28/11/2013 Ministério das Comunicações Objetivos do PNBL

Leia mais

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Brasília/DF Maio/2013 15 anos de LGT Em 1997, na corrida pelo usuário, a

Leia mais

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010.

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010. Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010. Embratel Participações S.A. ( Embrapar ) (BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,2 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ), 100,0

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009

CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009 CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009 Proposta de Alteração do Regulamento sobre Condições de Uso de 2.690 MHz. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO N o 486, DE 24 DE JANEIRO DE 2012 DOU: 25.01.12 Seção 1 pág. 63 Retificado DOU: 27.01.2012 Seção I pág. 49 O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES,

Leia mais

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese

Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Revisão dos Contratos de Concessão. O PGMU. Desafio do Backhaul 390 Encontro Tele.Síntese Mario Dias Ripper F&R Consultores Brasília, 02 de setembro de 2014. PGMU III Geografia Características do Brasil

Leia mais

Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA

Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA Atualizado em: 27/09/2013 Com o recente lançamento do Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA, a TelComp passou a receber várias consultas

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Controle 45R

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Controle 45R REGULAMENTO Promoção Nextel 3G Controle 45R Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante denominada simplesmente NEXTEL, situada

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL

PLANO ALTERNATIVO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO Nº 30 A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço n.º 30 Franquia LDN para Celular C. Identificação para a

Leia mais

MAHA-TEL TELECOMUNICAÇÕES LTDA (MAHA-TEL TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO

MAHA-TEL TELECOMUNICAÇÕES LTDA (MAHA-TEL TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO MAHA-TEL TELECOMUNICAÇÕES LTDA (MAHA-TEL TELECOM) OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO RESOLUÇÃO NO. 410, de 11 de julho de 2005 da ANATEL D.O.U. de 13/07/2005. INTERCONEXAO DE REDES DE TELECOMUNICACOES DE INTERESSE

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. Código de Seleção de Prestadora (CSP) Este tutorial apresenta o Código de Seleção de Prestadora (CSP) utilizado no Brasil para chamadas de longa distância. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e

Leia mais

Senado Federal. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA

Senado Federal. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática PLANO NACIONAL DE BANDA LARGA 4 de novembro de 2014 Flávia Lefèvre Guimarães flavia@lladvogados.com.br Lei Geral de Telecomunicações

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 719ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 719ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL PAUTA DA 719ª REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR DATA: 31 de outubro de 2013 HORÁRIO: 15:00h LOCAL: SALA DE REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR - SAUS - QUADRA 06 - BLOCO H

Leia mais

ser alcançada através de diferentes tecnologias, sendo as principais listadas abaixo: DSL (Digital Subscriber Line) Transmissão de dados no mesmo

ser alcançada através de diferentes tecnologias, sendo as principais listadas abaixo: DSL (Digital Subscriber Line) Transmissão de dados no mesmo 1 Introdução Em 2009, o Brasil criou o Plano Nacional de Banda Larga, visando reverter o cenário de defasagem perante os principais países do mundo no setor de telecomunicações. Segundo Ministério das

Leia mais

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Rogério Santanna dos Santos Brasília, 29 de Setembro de 2009 Mercado Banda Larga - Operadoras Empresas 2007 (x1000) 2008 (x1000) % Crescimento Ano 2007 Telefonica

Leia mais

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento Produtos SOIA FAQ e Treinamento 2 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento

Leia mais

A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições:

A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições: REGULAMENTO Duo Negócios A oferta será realizada pela VIVO nas seguintes condições: 1. Das Definições Para esta, aplicam-se as seguintes definições: 1.1. : Oferta especial para a aquisição dos produtos

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO N.º 51.300, DE 30 DE JUNHO DE 2005.

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO N.º 51.300, DE 30 DE JUNHO DE 2005. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO N.º 51.300, DE 30 DE JUNHO DE 2005. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art.

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois

Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois Programa Nacional de Banda Larga 18 meses depois Caio Bonilha Telebras 1 Câmara dos Deputados, 06/12/2011 Mercado de Banda Larga no Brasil Conexões Banda Larga por região 9% 2% 17% 63% 9% Norte Nordeste

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO. Acesso Individual Classe Especial (AICE) Relator Cons. Marcelo Bechara

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO. Acesso Individual Classe Especial (AICE) Relator Cons. Marcelo Bechara PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO Acesso Individual Classe Especial (AICE) Relator Cons. Marcelo Bechara contextualização Público alvo Forma de Pagamento AICE Atual Qualquer indivíduo (142.263 acessos

Leia mais

Políticas de incentivo a provedores regionais

Políticas de incentivo a provedores regionais 14º Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo a provedores regionais Montes Claros, julho de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE, PNAD Acessos fixos e móveis

Leia mais

Qualidade da Banda Larga Fixa (SCM) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional

Qualidade da Banda Larga Fixa (SCM) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional Qualidade da Banda Larga Fixa (SCM) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional 2014 Superintendência de Controle de Obrigações - SCO Gerência de Controle de Obrigações de Qualidade - COQL Brasília,

Leia mais

REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015)

REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015) REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015) Empresa Participante: INTELIG TELECOMUNICAÇÕES LTDA., com sede na Rua Fonseca Teles, nº 18, A30, bloco B, Térreo, São

Leia mais

USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET

USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES USO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES PARA ACESSO A INTERNET er@ da informação impacto nos serviços Edmundo Antonio Matarazzo Superintendência de Universalização agosto

Leia mais

I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO

I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: INVEST CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 93.202.448/0001-79 (NOME FANTASIA DO PRODUTO): INVESTCAP TRAD-PU 03 (12M) MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900283/2013-20

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITALVA Gabinete do Prefeito

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITALVA Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 1719 DE 23 DE OUTUBRO DE 2012. Dispõe sobre a criação do Comitê de Investimentos no âmbito do Fundo de Previdência do Município de Italva FPMI, e dá outras providências. O Prefeito do Município

Leia mais

Qualidade dos serviços de telefonia móvel e fixa no Brasil. Maria Inês Dolci Coordenadora institucional da PROTESTE

Qualidade dos serviços de telefonia móvel e fixa no Brasil. Maria Inês Dolci Coordenadora institucional da PROTESTE Qualidade dos serviços de telefonia móvel e fixa no Brasil Maria Inês Dolci Coordenadora institucional da PROTESTE Quem é a PROTESTE? Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, totalmente independente,

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA

A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA Ana Carolina Rovida de Oliveira Especialista em Direito da Economia e Empresarial I INTRODUÇÃO A estabilização

Leia mais

WORKSHOP TELECOMUNICAÇÕES Infraestrutura: Compartilhamento e Melhoria da Rede Externa

WORKSHOP TELECOMUNICAÇÕES Infraestrutura: Compartilhamento e Melhoria da Rede Externa WORKSHOP TELECOMUNICAÇÕES Infraestrutura: Compartilhamento e Melhoria da Rede Externa Antonio Roberto Zanoni Gerente da TELEBRAS Inovação 21/10/2015 Agenda Situação atual da Rede Externa Prejuízos decorrentes

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N o 4.677, DE 2004 Dispõe sobre autorização para as Polícias Federal, Civil e Militar utilizarem as torres de telefonia celular

Leia mais

Keynote speech by Senator Walter Pinheiro

Keynote speech by Senator Walter Pinheiro II LATIN AMERICAN PUBLIC POLICY FORUM ON INTERNET, E- COMMERCE AND MOBILE TECHNOLOGIES Economic, Social and Cultural Impact on Latin America's Development Keynote speech by Senator Walter Pinheiro Discussion

Leia mais

Visão Telefônica Vivo sobre o mercado de Atacado. Leo Petersen

Visão Telefônica Vivo sobre o mercado de Atacado. Leo Petersen Visão Telefônica Vivo sobre o mercado de Atacado Leo Petersen Atacado Telefônica VIVO Foco em soluções de compartilhamento A área de Atacado da Telefônica VIVO atua de forma pró-ativa, operando com produtos

Leia mais

REGULAMENTO DO PGA TÍTULO I FINALIDADE

REGULAMENTO DO PGA TÍTULO I FINALIDADE REGULAMENTO DO PGA TÍTULO I FINALIDADE Art.1º - O presente Regulamento do Plano de Gestão Administrativa - PGA da Ceres estabelece critérios e limites para definição do plano de custeio administrativo

Leia mais

Rodrigo Zerbone Conselheiro Relator. Brasília/DF Fevereiro/2014

Rodrigo Zerbone Conselheiro Relator. Brasília/DF Fevereiro/2014 Rodrigo Zerbone Conselheiro Relator Brasília/DF Fevereiro/2014 Estrutura do Regulamento Disposições Gerais Direitos e Deveres dos Consumidores Atendimento Oferta Cobrança Disposições Finais e Transitórias

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Cuiabá, fevereiro de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE,

Leia mais

Resolução nº xxx, de xx de junho de 2013

Resolução nº xxx, de xx de junho de 2013 Resolução nº xxx, de xx de junho de 2013 Aprova alteração dos Anexos I e II do Regulamento de Separação e Alocação de Contas RSAC, aprovado pela Resolução nº 396, de 31 de março de 2005, alterado pela

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

A Lei de Diretrizes da Política

A Lei de Diretrizes da Política A Lei de Diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012 Ipea, 06 de janeiro de 2012 Sumário Objetivo: avaliar a nova Lei de Diretrizes da Política de Nacional

Leia mais

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras CP 013/14 Sistemas Subterrâneos Questões para as distribuidoras 1) Observa-se a necessidade de planejamento/operacionalização de atividades entre diversos agentes (distribuidoras, concessionárias de outros

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 355, DE 17 DE MARÇO DE 2015. Dispõe sobre os procedimentos e as taxas de desconto dos fluxos de caixa marginais a serem adotados nos processos de Revisão Extraordinária nos Contratos de Concessão

Leia mais

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP PLANO BÁSICO DE SERVIÇO Nome da Prestadora: BRASIL TELECOM CELULAR S/A ÁREA 5 Número: Página 1 de 8 1. Aplicação Este Plano Básico de Serviço é aplicável pela autorizatária

Leia mais

e Setorial Ambiente Econômico Setor de Telecom panorâma econômico e setorial

e Setorial Ambiente Econômico Setor de Telecom panorâma econômico e setorial 14 Panorama Econômico e Setorial Ambiente Econômico Em 2011, a economia mundial sofreu com as crises fiscais dos Estados Unidos e da Europa. Após gastos excessivos para tentar recuperar suas economias

Leia mais

ANEXO 5 PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO E PROVIMENTO DA INTERCONEXÃO

ANEXO 5 PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO E PROVIMENTO DA INTERCONEXÃO ANEXO 5 PLANEJAMENTO TÉCNICO INTEGRADO E PROVIMENTO DA INTERCONEXÃO 1. OBJETIVO 1.1 As Interconexões previstas no presente Anexo 5 serão objeto de planejamento técnico contínuo e integrado entre as Partes,

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS EM TELECOMUNICAÇÕES - ABR TELECOM TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E PRAZO DE DURAÇÃO TÍTULO II DOS OBJETIVOS

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS EM TELECOMUNICAÇÕES - ABR TELECOM TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E PRAZO DE DURAÇÃO TÍTULO II DOS OBJETIVOS ESTATUTO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS EM TELECOMUNICAÇÕES - ABR TELECOM TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E PRAZO DE DURAÇÃO Art. 1º A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS EM TELECOMUNICAÇÕES ( ABR Telecom ) é

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 095-LC Modalidade

Leia mais

A Convergência do Ponto de Vista Regulatório

A Convergência do Ponto de Vista Regulatório A Convergência do Ponto de Vista Regulatório 48 0 Painel da Telebrasil Ilha de Comandatuba, 1 a 4 de julho de 2004 José Leite Pereira Filho Conselheiro 1 Conteúdo Conceituação da Convergência Questões

Leia mais

Via do Cliente OI VELOX 3G PNBL PLANO DE SERVIÇO DE INTERNET MÓVEL OI VELOX 3G PARA O PNBL

Via do Cliente OI VELOX 3G PNBL PLANO DE SERVIÇO DE INTERNET MÓVEL OI VELOX 3G PARA O PNBL Via do Cliente OI VELOX 3G PNBL PLANO DE SERVIÇO DE INTERNET MÓVEL OI VELOX 3G PARA O PNBL Oferta válida de 14/02/2013 a 24/04/2013 Certificamos a sua adesão à OFERTA OI VELOX 3G PNBL que consiste na aquisição

Leia mais

Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações (REPNBL-Redes)

Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações (REPNBL-Redes) Ministério das Comunicações Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga para Implantação de Redes de Telecomunicações (REPNBL-Redes) Objetivos do PNBL Objetivo Geral Expandir a infraestrutura

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA 07/13 RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO - RAG ORIENTAÇÕES GERAIS Introdução O Planejamento é um instrumento de gestão, que busca gerar e articular mudanças e aprimorar o desempenho dos sistemas de

Leia mais

Regulamento do Telefone de Uso Público TUP

Regulamento do Telefone de Uso Público TUP Regulamento do Telefone de Uso Público TUP JARBAS JOSÉ VALENTE Conselheiro Relator Brasília, 18 de junho de 2014 Objetivo A Anatel busca alternativas regulatórias para fomentar a revitalização do TUP e

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO PACOTE DE INTERNET DIÁRIO PRÉ PAGO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO PACOTE DE INTERNET DIÁRIO PRÉ PAGO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO PACOTE DE INTERNET DIÁRIO PRÉ PAGO O presente Termo tem a finalidade de regular as relações entre a CLARO S.A., empresa autorizatária do Serviço Móvel Pessoal, inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança. 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança?

Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança. 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança? Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança Novas regras 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança? Por ter parte de sua remuneração (chamada de adicional)

Leia mais

CARTILHA REGULAMENTO GERAL CONSUMIDOR RGC. Outubro / 2015

CARTILHA REGULAMENTO GERAL CONSUMIDOR RGC. Outubro / 2015 CARTILHA REGULAMENTO GERAL CONSUMIDOR RGC Outubro / 2015 CONHEÇA SEUS DIREITOS Principais normas aplicáveis aos consumidores: * Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90); * Regulamento Geral de

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga PNBL Situação em junho de 2014

Programa Nacional de Banda Larga PNBL Situação em junho de 2014 Programa Nacional de Banda Larga PNBL Situação em junho de 2014 Estrutura da apresentação Concepção do PNBL Objetivos do PNBL Meta do PNBL Evolução recente de indicadores de banda larga Principais ações

Leia mais