PGMC e outras medidas pró-competição

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PGMC e outras medidas pró-competição"

Transcrição

1 Superintendência de Competição PGMC e outras medidas pró-competição Serra, 04/09/2018

2 Gestão das relações de atacado PGMC RHORPA SNOA REMUNERAÇÃO ITX RGI CONVERGÊNCIA

3 O NOVO PGMC

4 Plano Geral de Metas de Competição CATEGORIA 01 CATEGORIA 02 COMPETITIVOS A dinâmica do mercado possivelmente contesta a concentração de poder de mercado. Pode ser indicada desregulamentação do varejo. MODERADAMENTE COMPETITIVOS Perspectiva de competição em um futuro próximo a partir de aplicações de medidas assimétricas no atacado, em especial medidas de transparência. CATEGORIA 03 POTENCIALMENTE COMPETITIVOS Potencialmente competitivos a partir da aplicação de medidas assimétricas mais elaboradas no atacado, com enfoque na replicabilidade de preços. CATEGORIA 04 NÃO COMPETITIVOS Medidas assimétricas possivelmente não são suficientes para promover a competição.

5 Plano Geral de Metas de Competição Barreiras estruturais e não e não transitórias Inexistência Barreiras estruturais de tendência e não de transitórias competição Insuficiência Barreiras estruturais da atuação e não ex-post transitórias MERCADOS RELEVANTES Ato Barreiras do Conselho estruturais Diretor e não transitórias Dosimetria Barreiras estruturais e não transitórias PODER DE MERCADO MEDIDAS ASSIMÉTRICAS

6 Medidas Assimétricas no Atacado Categoria Transporte de Alta Capacidade EILD LOCAL e LONGA DISTÂNCIA Dutos NA* Transparência Transparência com controle de preços Transparência Transparência com controle de preços Transparência com controle de preços 4 NA* Transparência Dimensão Geográfica Municipal Municipal Municipal * Eventual aplicação de medidas de transparência com controle de preços em municípios atendidos por políticas públicas.

7 Medidas Assimétricas no Atacado Categoria Interconexão Móvel Interconexão Fixa Roaming Transparência com controle de preços Transparência com controle de preços Transparência com controle de preços 4 Dimensão Geográfica Regional Regional Área de Numeração

8 Medidas Assimétricas no Atacado Categoria Dimensão Geográfica Full Unbundling e Bitstream Transparência * Transparência com controle de preços Municipal * Eventual aplicação de medidas de transparência com controle de preços em municípios atendidos por políticas públicas.

9 Detentores de PMS no Espírito Santo Transporte de alta capacidade EILD (local e longa distância) Dutos e subdutos e Telefônica e Claro Interconexão para tráfego telefônico em rede móvel, Telefônica, Claro e Tim Interconexão para tráfego telefônico em rede fixa Roaming nacional Telefônica Infraestrutura por meio de par de cobre

10 DESTAQUES NOS MERCADOS

11 Transporte de Dados em Alta Capacidade Link de dados de capacidade superior a 34 Mbps com a função de recebimento, transmissão e entrega de tráfego IP (Internet Protocol), entre dois ou mais endereços preestabelecidos pela contratante, através de interfaces padronizadas, em tráfego bidirecional, com condições de qualidade e segurança preestabelecidas, transparente ou não a protocolos e independente do suporte físico utilizado na dimensão geográfica municipal. Oferta de Referência de Produto de Atacado (ORPA) Transporte de dados Barreiras em estruturais alta capacidade e não transitórias Interconexão para Barreiras Trânsito estruturais de Dados e (trânsito) não transitórias Interconexão para Barreiras Troca estruturais de Tráfego e de não Dados transitórias (peering) Contratação independente Barreiras estruturais ou conjunta e não transitórias MODELO 01 MODELO 02 ENTRE CENTRO DE FIOS ONDE FOR PMS ENTRE CENTRO DE FIOS ONDE FOR PMS E s DESIGNADOS PELA ANATEL

12 Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até s Nova Venécia Marataízes São Carlos - SP Guarapari

13 Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até s Nova Venécia Marataízes São Carlos - SP Guarapari

14 Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até s Nova Venécia Marataízes São Carlos - SP TDAC Guarapari

15 Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até s Nova Venécia Marataízes São Carlos - SP TDAC TDAC Guarapari

16 Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até s Nova Venécia Marataízes São Carlos - SP TDAC Guarapari

17 Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até s Nova Venécia Marataízes São Carlos - SP TDAC Guarapari

18 Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até s Nova Venécia Marataízes São Carlos - SP TDAC TDAC TDAC Guarapari

19 Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até s Oferta de Transporte de Dados em Alta Capacidade até Pontos de Troca de Tráfego em municípios nos quais o Grupo não é PMS. s deverão constar do SNOA. Anatel está elaborando proposta de metodologia para identificação dos s, prevendo a participação social. Expectativa de conclusão da lista de s até o prazo final para apresentação das ORPAs.

20 Dutos e subdutos O Grupo com PMS ( para todos os municípios do ES) deve apresentar ORPA de acesso a dutos e subdutos Ampliação e melhoria da qualidade da base de dutos Mapeamento deverá ser disponibilizado no SNOA GIESB definirá o cronograma Distribuição geográfica Controle de preço em todos os municípios

21 Cronograma de Implementação Atos de PMS 120 dias Ato com os Valores de Referência e s Prazo final Apresentação das ORPAs Implementação BDA Prazo final Homologação das ORPAs 180 dias 60 dias 240 dias

22 APLICAÇÃO: Definição de Prestadora de Pequeno Porte - PPP Grupo detentor de participação de mercado nacional inferior a 5% (cinco por cento) em cada mercado de varejo em que atua. Regulamentos e revisões a partir da Resolução nº 694 Dosimetria das assimetrias regulatórias Regulamento Interconexão

23 Remuneração da Interconexão e Oferta de Trânsito e Transporte para Tráfego Telefônico Obrigação de apresentação de OPI para Trânsito Local e Transporte Trânsito Local: serviço de comutação e/ou uso de rede local de Prestadora de Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC para encaminhamento de chamadas entre Pontos de Interconexão, dentro de uma mesma Área Local; Transporte: serviço de comutação e/ou uso de rede interurbana de Prestadora de Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC para encaminhamento de chamadas entre Pontos de Interconexão, entre Áreas Locais distintas; Alterações na Res. 588: Transporte Mesma área de numeração: TU-RIU1 Transporte Áreas de numeração distintas: TU-RIU2 Trânsito Local: TU-COM

24 Interconexão e convergência Interconexão como ponto de convergência Abordagem moderada 1 Garantia de acesso 2 Livre pactuação 3 A Anatel poderá solicitar contratos 4

25 OBRIGADO. Guido Lorencini Schuina Gerência de Monitoramento das Relações entre Prestadoras

Abraão Balbino e Silva Superintendente de Competição. Ofertas de Referência de Produtos de Atacado (ORPAs)

Abraão Balbino e Silva Superintendente de Competição. Ofertas de Referência de Produtos de Atacado (ORPAs) Abraão Balbino e Silva Superintendente de Competição Ofertas de Referência de Produtos de Atacado (ORPAs) Não PPP PPP Novo Paradigma Regulatório PMS Não PMS Resoluções nº 694 (Rev. PGMC) e 704 Resoluções

Leia mais

REGULAÇÃO ECONÔMICA DA PRESTAÇÃO - PGMC/RHORPA/RGI - Manaus jan./17

REGULAÇÃO ECONÔMICA DA PRESTAÇÃO - PGMC/RHORPA/RGI - Manaus jan./17 REGULAÇÃO ECONÔMICA DA PRESTAÇÃO - PGMC/RHORPA/RGI - Manaus jan./17 ABORDAGENS DE REGULAÇÃO ECONÔMICA Evolução da Regulação de Competição Introdução Consolidação Transição Novo Modelo (Des)Equilíbrio Competitivo

Leia mais

PLANO GERAL DE METAS DE COMPETIÇÃO E REGULAMENTO DE HOMOLOGAÇÃO DE OFERTAS DE REFERÊNCIA DE PRODUTOS DE ATACADO

PLANO GERAL DE METAS DE COMPETIÇÃO E REGULAMENTO DE HOMOLOGAÇÃO DE OFERTAS DE REFERÊNCIA DE PRODUTOS DE ATACADO PLANO GERAL DE METAS DE COMPETIÇÃO E REGULAMENTO DE HOMOLOGAÇÃO DE OFERTAS DE REFERÊNCIA DE PRODUTOS DE ATACADO Audiência Pública Consultas Públicas 35, 36 e 37 Brasília, 24/1/2017 Superintendência de

Leia mais

Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA

Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA Atualizado em: 27/09/2013 Com o recente lançamento do Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA, a TelComp passou a receber várias consultas

Leia mais

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento Produtos SOIA FAQ e Treinamento 2 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento

Leia mais

Políticas de incentivo a provedores regionais

Políticas de incentivo a provedores regionais 14º Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo a provedores regionais Montes Claros, julho de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE, PNAD Acessos fixos e móveis

Leia mais

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Marco Regulatório Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Panorama do Setor Em 1997, na corrida pelo usuário, a telefonia fixa era o destaque

Leia mais

Fórum Integrado de Tecnologia e Inovação Leonardo Euler de Morais Chefe da Assessoria Técnica ATC

Fórum Integrado de Tecnologia e Inovação Leonardo Euler de Morais Chefe da Assessoria Técnica ATC Fórum Integrado de Tecnologia e Inovação - 2014 Leonardo Euler de Morais Chefe da Assessoria Técnica ATC Next Generation Network Trends and Convergence Internet Móvel VoIP Radio/TV sobre Internet Interatividade

Leia mais

O PGMC e a Legislação da Concorrência: Convergência, divergência ou outra coisa?

O PGMC e a Legislação da Concorrência: Convergência, divergência ou outra coisa? O PGMC e a Legislação da Concorrência: Convergência, divergência ou outra coisa? 5º Encontro de Telecomunicações da FIESP Planejamento e Políticas Setoriais em benefício do usuário: PGMC e PNBL São Paulo,

Leia mais

NOVA REGULAMENTAÇÃO DE INTERCONEXÃO (RGI)

NOVA REGULAMENTAÇÃO DE INTERCONEXÃO (RGI) NOVA REGULAMENTAÇÃO DE INTERCONEXÃO (RGI) Audiência Pública Janeiro 2017 Nilo Pasquali Gerente de Regulamentação Superintendência de Planejamento e Regulamentação 2 INTERCONEXÃO: HISTÓRICO E DIAGNÓSTICO

Leia mais

Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais

Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais Representatividade dos provedores regionais Grandes Médios Pequenos > 900 mil clientes de 20 mil a 900 mil clientes < 20 mil clientes

Leia mais

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 24 de setembro de 2013 Agenda Contextualização do Setor Qualidade Indicadores

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Cuiabá, fevereiro de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE,

Leia mais

UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES

UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES Introdução 1 Abrint 2 4 3 Onde atuamos Qual taxa de crescimento Financiamento 5 PGMC ABRINT QUEM SOMOS Entidade sem fins lucrativos

Leia mais

Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br

Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br Brasília/DF Setembro/2014 AGENDA RECORDANDO PGMC E O SNOA CONQUISTAS DESAFIOS RECORDANDO O PGMC Cadeia

Leia mais

O Compartilhamento de Infraestrutura e o Programa Nacional de Banda Larga

O Compartilhamento de Infraestrutura e o Programa Nacional de Banda Larga Encontro de Provedores Regionais O Compartilhamento de Infraestrutura e o Programa Nacional de Banda Larga Belo Horizonte, julho de 2013 Banda larga fixa vs. móvel: demanda crescente por infraestrutura...

Leia mais

Oferta de Referência de Produtos de Atacado (ORPA) Interconexão (Classe V)

Oferta de Referência de Produtos de Atacado (ORPA) Interconexão (Classe V) Oferta de Referência de Produtos de Atacado (ORPA) Interconexão (Classe V) 1 ÍNDICE 1. Objeto...1 2. Dados do Ofertante...1 3. Serviços Prestados e Área de Atuação...1 4. Aspectos Técnicos da Oferta...1

Leia mais

Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO

Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br Brasília, maio de 2013 Agenda Nova Estrutura

Leia mais

CONDIÇÕES TÉCNICAS E COMERCIAIS DE CONTRATAÇÃO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) - VOZ

CONDIÇÕES TÉCNICAS E COMERCIAIS DE CONTRATAÇÃO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) - VOZ ANEXO I CONDIÇÕES ESPECIFICAS DO SERVIÇO TC DIGITRONCO, TC ISDN E TC DDR CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO 1.1 O presente instrumento tem por objeto estabelecer as condições específicas para a prestação do TC

Leia mais

AGENDA: Panorama da internet no mundo. Panorama da internet no Brasil. Aplicações da internet no Brasil e no mundo. Mercados

AGENDA: Panorama da internet no mundo. Panorama da internet no Brasil. Aplicações da internet no Brasil e no mundo. Mercados 1 AGENDA: Panorama da internet no mundo Panorama da internet no Brasil Aplicações da internet no Brasil e no mundo Mercados O que a Anatel está fazendo por você? O que está por vir? 2 Panorama da internet

Leia mais

ÍNDICE. 1 Introdução Definições Pontos de Interconexão (POI) Compartilhamento de Infra-estrutura...4

ÍNDICE. 1 Introdução Definições Pontos de Interconexão (POI) Compartilhamento de Infra-estrutura...4 ÍNDICE 1 Introdução...1 2 Definições...2 3 Pontos de Interconexão (POI)...3 4 Compartilhamento de Infra-estrutura...4 5 Características de Rede...6 6 Qualidade, Confiabilidade e Disponibilidade da Interconexão...8

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO. Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara

PROPOSTA DE REGULAMENTO. Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara PROPOSTA DE REGULAMENTO Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara Novembro de 2012 Contexto Incentivo e Promoção à Competição Dinâmica Anexo I Medidas assimétricas para Grupos

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES XVII SNT APTEL/PETROBRAS

SEMINÁRIO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES XVII SNT APTEL/PETROBRAS SEMINÁRIO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES XVII SNT 2018 - APTEL/PETROBRAS - Painel de Compartilhamento de Estrutura - Rio de Janeiro, 1º/10/2018 Superintendência de Competição AS RAZÕES DO COMPARTILHAMENTO

Leia mais

WA CL V NNN 20XX ANEXO 1 - GLOSSÁRIO. Anexos: cada um dos documentos anexos ao Contrato e que dele são parte integrante.

WA CL V NNN 20XX ANEXO 1 - GLOSSÁRIO. Anexos: cada um dos documentos anexos ao Contrato e que dele são parte integrante. ANEXO 1 - GLOSSÁRIO Anexos: cada um dos documentos anexos ao Contrato e que dele são parte integrante. Área Local: área geográfica contínua de prestação de serviços, definida pela Agência, segundo critérios

Leia mais

Infraestrutura Passiva: A Base do Iceberg

Infraestrutura Passiva: A Base do Iceberg Infraestrutura Passiva: A Base do Iceberg Painel 1: Desafios no Escopo Federal Compartilhamento de Infraestrutura Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados São Paulo/SP 19 de junho de

Leia mais

IFSC - São José. TELEFONIA 1 Fábio Alexandre de Souza Professor

IFSC - São José. TELEFONIA 1 Fábio Alexandre de Souza Professor IFSC - São José TELEFONIA 1 Fábio Alexandre de Souza Professor Planos Telefônicos Planos de Numeração Encaminhamento Transmissão Tarifação Sinalização Plano de Numeração Anexo à Resolução 85 de 30/12/1998

Leia mais

Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta. Brasília/DF Janeiro/2012

Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta. Brasília/DF Janeiro/2012 Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta Brasília/DF Janeiro/2012 Aspectos gerais Implementação do Decreto 7.512, de 30 de junho de 2011 Art. 3º A ANATEL deverá, para fins de ampliação

Leia mais

A Perspectiva da Competição no Mercado de Telefonia Fixa A Visão da GVT

A Perspectiva da Competição no Mercado de Telefonia Fixa A Visão da GVT A Evolução na Dinâmica dos Negócios das Telecomunições Brasileiras A Perspectiva da Competição no Mercado de Telefonia Fixa A Visão da GVT Amos Genish CEO Painel Telebrasil Costa do Sauípe, 26 de junho

Leia mais

ANEXO 1 - GLOSSÁRIO DA OPI

ANEXO 1 - GLOSSÁRIO DA OPI ANEXO 1 - GLOSSÁRIO DA OPI O presente ANEXO contém um glossário indicativo de definições, siglas e termos técnicos empregados na OPI, no CONTRATO e demais Anexos. As definições e termos técnicos empregados

Leia mais

PGMC. Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes

PGMC. Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes Simpósio da Cullen International sobre Regulação TIC em América Latina e União Europeia PGMC Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes Carlos Baigorri Anatel Estrutura

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 576, DE 31 DE OUTUBRO DE 2011.

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 576, DE 31 DE OUTUBRO DE 2011. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 576, DE 31 DE OUTUBRO DE 2011. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 22

Leia mais

Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC. Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009

Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC. Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009 Plano Geral de Metas de Qualidade -PGMQ STFC Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília - Outubro 2009 Diretrizes Gerais para a Abertura do Mercado de Telecomunicações (abril de 1997) O novo modelo

Leia mais

- ORLE - SOR - ANATEL

- ORLE - SOR - ANATEL S e r v i ç o d e C o m u n i c a ç ã o M u l t i m í d i a - S C M Carlos Evangelista Gerência de Outorga e Licenciamento de Estações - ORLE Superintendência de Outorga e Recursos à Prestação - SOR Agência

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga

Políticas de incentivo à banda larga Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Feira de Santana, setembro de 2014 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte:

Leia mais

Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU:

Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU: Universidade de Brasília UnB Faculdade de Direito Núcleo de Direito Setorial e Regulatório Atuação Regulatória da ANATEL e o papel da AGU: principais questões jurídicas e seus encaminhamentos PAULO FIRMEZA

Leia mais

ANEXO 1 - GLOSSÁRIO DA OPI

ANEXO 1 - GLOSSÁRIO DA OPI ANEXO 1 - GLOSSÁRIO DA OPI O presente ANEXO contém um glossário indicativo de definições, siglas e termos técnicos empregados na OPI, nos CONTRATOS e demais Anexos. As definições e termos técnicos empregados

Leia mais

Seleção das Representações dos Grupos Econômicos sem PMS Biênio 2017/2018

Seleção das Representações dos Grupos Econômicos sem PMS Biênio 2017/2018 Seleção das Representações dos Grupos Econômicos sem PMS Biênio 2017/2018 A seleção das representações dos Grupos Econômicos sem PMS para Conselho Deliberativo de Atacado será realizada na forma dos artigos

Leia mais

Encontros TeleSíntese 32

Encontros TeleSíntese 32 Encontros TeleSíntese 32 Competição e concorrência: o mercado, as ações do estado e o PGMC Brasília, 26 de março de 13 Este documento é classificado como confidencial. Os direitos de reprodução pertencem

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 438, DE 10 DE JULHO DE REGULAMENTO DE REMUNERAÇÃO PELO USO DE REDES DE PRESTADORAS DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 438, DE 10 DE JULHO DE REGULAMENTO DE REMUNERAÇÃO PELO USO DE REDES DE PRESTADORAS DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 438, DE 10 DE JULHO DE 2006. REGULAMENTO DE REMUNERAÇÃO PELO USO DE REDES DE PRESTADORAS DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art.

Leia mais

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007 José Leite Pereira Filho Conselheiro 2 de Junho de 2007 Conteúdo OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 1. UNIVERSALIZAÇÃO 2. COMPETIÇÃO 3. QUALIDADE 4. EXCELÊNCIA REGULATÓRIA

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Revisão dos Contratos de Concessão: o que precisa mudar? Perspectivas sobre o futuro das concessões de STFC 39º Encontro Tele.Síntese Ministério das Comunicações Evolução dos serviços de telecomunicações

Leia mais

Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007

Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007 Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007 Autorização STFC: Teste seu entendimento 1) Você precisa de uma autorização

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Manaus, janeiro de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Proporção de

Leia mais

Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO

Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO Quem somos Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços

Leia mais

Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras

Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras São Paulo, 13 de junho de 2013 TMCO Telco Management Gestão em Negócios de Telecom Diretoria de Novos Negócios e Regulamentação http://www.tmco.com.br

Leia mais

REGULAMENTO DE NUMERAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO

REGULAMENTO DE NUMERAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO REGULAMENTO DE NUMERAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Capítulo I Da Abrangência e dos Objetivos Art. 1 o Os Recursos de Numeração do Serviço Telefônico Fixo Comutado

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Marabá, abril de 2014 Ministério das Comunicações Evolução da penetração

Leia mais

Agosto/2018. Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios

Agosto/2018. Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios Agosto/2018 Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios Crescimento Exponencial de Serviços e Tráfego de dados Demanda exponencial de Tráfego Necessidade de mais capacidade

Leia mais

Portabilidade Numérica CONCEITOS BASICOS

Portabilidade Numérica CONCEITOS BASICOS Portabilidade Numérica CONCEITOS BASICOS Curso de Regulação e Defesa do Consumidor Brasília Outubro 2009 1 Chaves do sucesso!!!! Participação em reuniões Forums com Procon s e outros Órgãos de defesa do

Leia mais

3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL

3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL O impacto da Portabilidade Numérica nas Operadoras, Mercado e Clientes Luiz Antonio Vale Moura Assessor do Conselho Diretor ANATEL 1 Política Pública: 1. Lei n 9.472, de 16 de

Leia mais

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Qualidade dos Serviços de Telecomunicações a 41º ERP Campo Grande/MS Fabrício G. M. Lopes GERENTE panorama do setor + celulares do que gente: 236 milhões de acessos Cerca de 41 milhões de telefones fixos

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Ministério das Comunicações Acessos dez/2010 a mar/2014 Internet móvel (3G+4G) 454% Cidades com cobertura 3G de 824 para 3.253 295% 2 Crescimento da banda larga móvel por região Período: dez/2010 a mar/2014

Leia mais

DESCRITIVO DO SERVIÇO VPN IP (MPLS) (ANEXO ÀS CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS)

DESCRITIVO DO SERVIÇO VPN IP (MPLS) (ANEXO ÀS CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS) DESCRITIVO DO SERVIÇO VPN IP (MPLS) (ANEXO ÀS CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS) 1. DESCRIÇÃO 1.1. O Serviço VPN IP (MPLS)(Rede Virtual Privada) é utilizado para interconexão de redes locais entre

Leia mais

AGENDA: Panorama da internet no mundo. Panorama da internet no Brasil. AplicaçõesdainternetnoBrasilenomundo. Mercados. OqueaAnatelestáfazendoporvocê?

AGENDA: Panorama da internet no mundo. Panorama da internet no Brasil. AplicaçõesdainternetnoBrasilenomundo. Mercados. OqueaAnatelestáfazendoporvocê? AGENDA: Panorama da internet no mundo Panorama da internet no Brasil AplicaçõesdainternetnoBrasilenomundo Mercados OqueaAnatelestáfazendoporvocê? Oqueestáporvir? Panorama da internet no mundo rescimento

Leia mais

IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS IMPACTO DA REVERSIBILIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO ESPECIAL DA LGT BRASÍLIA, 20 DE OUTUBRO DE 2015 MODALIDADES DE SERVIÇOS PREVISTAS NA LGT Serviço Público Outorga: Concessão

Leia mais

Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional. larga

Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional. larga Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional larga Curitiba, março de 2013 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE,

Leia mais

OS PRÓXIMOS 20 ANOS 54º

OS PRÓXIMOS 20 ANOS 54º OS PRÓXIMOS 20 ANOS 54º Encontro Tele.Síntese 11 de Setembro de 2018 Juarez Quadros do Nascimento Presidente da Anatel Os arranjos institucionais atuais são compatíveis para estimular o desenvolvimento

Leia mais

Status Report Executivo PGMC. Brasília, 21 de Junho de 2013

Status Report Executivo PGMC. Brasília, 21 de Junho de 2013 Status Report Executivo PGMC Brasília, 21 de Junho de 2013 Sumário 1 2 Visão geral Anexos 2 Visão macro do cronograma Concluído Planejado Frentes do projeto Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set 1 2 3 4 5 6 7 8

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Agência Nacional de Telecomunicações RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Aprova a Norma Sobre Condições de Prestação de Serviços de Telefonia para Chamadas Destinadas a "Assinante 0300". O PRESIDENTE

Leia mais

Resolução Administrativa de Conflitos no Setor de Telecomunicações

Resolução Administrativa de Conflitos no Setor de Telecomunicações Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Competição Gerência de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Resolução Administrativa de Conflitos no Setor de Telecomunicações Letícia Barbosa

Leia mais

Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom

Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom 40º Encontro TELE.SÍNTESE Março de 2015 Panorama Telefonia Móvel 281,7 milhões de acessos ~155 milhões de acessos de banda larga móvel (54%)

Leia mais

ANÁLISE CONSELHEIRO RELATOR

ANÁLISE CONSELHEIRO RELATOR CONSELHEIRO RELATOR ANÁLISE NÚMERO E ORIGEM: 83/2014-GCIF DATA: 24/10/2014 IGOR VILAS BOAS DE FREITAS 1. ASSUNTO Pedido de Reconsideração interposto por TIM CELULAR S.A., CNPJ/MF n.º 04.206.050/0001-80,

Leia mais

Destaques da semana. TIM & OpenFiber, na Itália. Agenda cheia até o final do ano

Destaques da semana. TIM & OpenFiber, na Itália. Agenda cheia até o final do ano Destaques da semana TIM & OpenFiber, na Itália O noticiário internacional destacou ontem, 26 de novembro, a possibilidade de fusão entre o segmento de atacado da TIM na Itália, que deve ser objeto de separação

Leia mais

Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Recife, outubro de 2014 Meta do PNBL Se pacote PNBL de

Leia mais

ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA EDUARDO LEVY

ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA EDUARDO LEVY ENTIDADE AFERIDORA DA QUALIDADE DA BANDA LARGA AUDIÊNCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 22 DE MARÇO DE 2012 Banda Larga

Leia mais

1. CONSULTA PÚBLICA PARA UNIVERSALIZAÇÃO DO STFC PRESTADO EM REGIME PÚBLICO

1. CONSULTA PÚBLICA PARA UNIVERSALIZAÇÃO DO STFC PRESTADO EM REGIME PÚBLICO PACTEL RESERVADO RELATÓRIO SÍNTESE SEMANA: 16 a 20/06/14 1. CONSULTA PÚBLICA PARA UNIVERSALIZAÇÃO DO STFC PRESTADO EM REGIME PÚBLICO O Conselho Diretor da Anatel (CDA) aprovou, em sua reunião de 18 06

Leia mais

Oferta de Referência de Produtos do Atacado (ORPA) Interligação de Redes IP entre a Oi e a Prestadora

Oferta de Referência de Produtos do Atacado (ORPA) Interligação de Redes IP entre a Oi e a Prestadora Oferta de Referência de Produtos do Atacado (ORPA) Interligação de Redes IP entre a Oi e a Prestadora Página 1 de 16 ÍNDICE 1. Objeto...3 2. Dados do Ofertante...3 3. Serviços Prestados e Área de Atuação...4

Leia mais

Os Novos Contratos de Concessão do STFC em 2006

Os Novos Contratos de Concessão do STFC em 2006 Os Novos Contratos de Concessão do STFC em 2006 Este tutorial apresenta os novos contratos de concessão em vigor para as concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado a apartir de 1º de janeiro de

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que foram conferidas à Agência pelo art. 19

Leia mais

Sessão IV: Aplicação Efetiva de Leis e Regulamentos em Telecomunicações. Obrigações contidas nas Autorizações e Concessões

Sessão IV: Aplicação Efetiva de Leis e Regulamentos em Telecomunicações. Obrigações contidas nas Autorizações e Concessões QUESTÕES ATUAIS SOBRE A APLICAÇÃO EFETIVA DA REGULAMENTAÇÃO, POLÍTICA E LEGISLAÇÃO NAS TELECOMUNICAÇÕES Sessão IV: Aplicação Efetiva de Leis e Regulamentos em Telecomunicações Obrigações contidas nas Autorizações

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 093 - Oi Controle - Pacotes Flexíveis em Reais Requerimento de Homologação Nº 8804 1 - Aplicação Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL. Grupo: Anna Claudia Geraldo Vinicius Guilherme Spadotto Rafael Cunha.

EVOLUÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL. Grupo: Anna Claudia Geraldo Vinicius Guilherme Spadotto Rafael Cunha. EVOLUÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL Grupo: Anna Claudia Geraldo Vinicius Guilherme Spadotto Rafael Cunha. INTRODUÇÃO A influência do Protocolo de Internet (IP) nos setores de Telecomunicações, criando

Leia mais

Setor de Autarquias Sul SAUS Quadra 6, Bloco F, Térreo Biblioteca Brasília DF Fax. (061)

Setor de Autarquias Sul SAUS Quadra 6, Bloco F, Térreo Biblioteca Brasília DF Fax. (061) São Paulo, 22 de junho de 2.009. AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL SUPERINTENDÊNCIA DE UNIVERSALIZAÇÃO CONSULTA PÚBLICA nº 13, DE 30 DE MARÇO DE 2009 Proposta de Consulta Pública do Plano Geral

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 217, DE 21 DE MARÇO DE 2000 REGULAMENTO DE INDICADORES DE QUALIDADE DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 217, DE 21 DE MARÇO DE 2000 REGULAMENTO DE INDICADORES DE QUALIDADE DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 217, DE 21 DE MARÇO DE 2000 REGULAMENTO DE INDICADORES DE QUALIDADE DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Da Abrangência e dos Objetivos Art. 1º Este

Leia mais

48º Encontro Tele Síntese

48º Encontro Tele Síntese 48º Encontro Tele Síntese Novas premissas, um único objetivo: qualidade dos serviços de Telecomunicações 19 de Julho de 2017 AGENDA Acompanhamento de qualidade setor regulado Atual regulamento de qualidade

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 027 - Nextel 3G Smart Requerimento de Homologação Nº 12226 Este Plano Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária Nextel Telecomunicações

Leia mais

STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA. Willian Prenzler de Souza

STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA. Willian Prenzler de Souza STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA Willian Prenzler de Souza 1 TELECOM NO BRASIL Com o crescimento do serviço de banda larga fixa no Brasil, nos últimos 10 anos, hoje os provedores regionais (ISP),

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO LOCAL

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO LOCAL DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO LOCAL 1 Empresa: Empresa: OpçãoNet Informática Ltda. 2 Nome do Plano Plano Alternativo de Serviço Local 2.1 Identificação para a Anatel PAS Nº 001 - Local 3 Modalidade

Leia mais

Estudo de Caso LACP. PTTFórum 7 NIC.BR. Galvão Rezende Equipe PTTMetro

Estudo de Caso LACP. PTTFórum 7 NIC.BR. Galvão Rezende Equipe PTTMetro Estudo de Caso LACP PTTFórum 7 NIC.BR Galvão Rezende Equipe PTTMetro Dezembro / 2013 PTTMetro/PTT.br - Modelo Switch Único / Matrix de Comutação AS A IXP AS D Switch AS B AS

Leia mais

De 1997 a 2007, foi Conselheiro Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, órgão regulador de telecomunicações no Brasil.

De 1997 a 2007, foi Conselheiro Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, órgão regulador de telecomunicações no Brasil. Objetivos Estratégicos da Anatel e Agenda Regulatória para 2007 Este tutorial apresenta os Objetivos Estratégicos da Anatel e a Agenda Regulatória. São apresentadas as estratégias de abordagem que a Anatel

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 107 - Vivo Controle 60 Requerimento de Homologação Nº 8123 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária VIVO, em

Leia mais

39º Encontro Tele Síntese Revisão dos Contratos de Concessão: O que Precisa Mudar? 02 de Setembro de 2014

39º Encontro Tele Síntese Revisão dos Contratos de Concessão: O que Precisa Mudar? 02 de Setembro de 2014 39º Encontro Tele Síntese Revisão dos Contratos de Concessão: O que Precisa Mudar? 02 de Setembro de 2014 As Obrigações das Concessionárias. Um balanço. Juliano Stanzani Gerente de Controle de Universalização

Leia mais

Estrutura das Redes Telefônicas

Estrutura das Redes Telefônicas Estrutura das Redes Telefônicas Evilásio Lucena Graduando em Eng. Elétrica Orientador: Charles C. Cavalcante UFC/DETI Conteúdo Introdução Estrutura das redes telefônicas Estrutura das redes interurbanas

Leia mais

EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil

EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil 21 de maio de 2013 Workshop de Qualidade da Banda Larga 1. Introdução 2. A origem 3. Infraestrutura e Cadeia

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 002 - Plano Sob Medida em Reais Requerimento de Homologação Nº 11089 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária

Leia mais

BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS

BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS A PAUTA REGULATÓRIA E AS DEMANDAS DAS PEQUENAS PRESTADORAS Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Planejamento e Regulamentação (SPR) Outubro de 2017

Leia mais

Oferta Pública de Referência de Interconexão Classe V - IP

Oferta Pública de Referência de Interconexão Classe V - IP Oferta Pública de Referência de Interconexão Classe V - IP 1. ÍNDICE 1. OBJETO... 4 1.1. Definição da Oferta Pública de Referência de Produto de Atacado para Interconexão Classe V - IP ( ORPA )... 4 2.

Leia mais

Contribuição Intervozes à Consulta pública 46 da Anatel Regulamento da Gestão da Qualidade do SCM

Contribuição Intervozes à Consulta pública 46 da Anatel Regulamento da Gestão da Qualidade do SCM Contribuição Intervozes à Consulta pública 46 da Anatel Regulamento da Gestão da Qualidade do SCM Art. 10. Texto original: As Prestadoras devem oferecer a seus Assinantes software de medição de qualidade

Leia mais

Introdução a Redes de Computadores. Elementos de Interconexão

Introdução a Redes de Computadores. Elementos de Interconexão Introdução a Redes de Computadores Elementos de Interconexão Objetivo! Conhecer os diferentes equipamentos de rede existentes.! Entender quais camadas do modelo de referência na qual cada um destes equipamentos

Leia mais

Desafios na oferta do acesso BL nas grandes e médias cidades

Desafios na oferta do acesso BL nas grandes e médias cidades Desafios na oferta do acesso BL nas grandes e médias cidades Antonio Carlos Valente Desde 2011, as operadoras vem fazendo esforços para o crescimento da Banda Larga no Brasil Características do PNBL Jan/11

Leia mais

São Paulo, 7 de agosto de 2000

São Paulo, 7 de agosto de 2000 São Paulo, 7 de agosto de 2000 À Agência Nacional de Telecomunicações - Anatel Superintendência de Serviços Privados Consulta Pública No. 241, de 10 de julho de 2000 Proposta de Diretrizes para Implementação

Leia mais

Ministério das Comunicações. Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais

Ministério das Comunicações. Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais 56 o Painel Telebrasil O papel das telecomunicações no desenvolvimento do País Definições de espectro para o futuro dos serviços digitais Miriam Wimmer Ministério das Comunicações Brasília, 29 de agosto

Leia mais

OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO OPI Parte Geral

OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO OPI Parte Geral TELEFÔNICA BRASIL S.A. e VIVO S.A. OFERTA PÚBLICA DE INTERCONEXÃO OPI Parte Geral Oferta Pública de Interconexão de Redes OPI apresentada ao mercado nos termos do Regulamento Geral de Interconexão, aprovado

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO PA nº 266

PLANO ALTERNATIVO PA nº 266 PLANO ALTERNATIVO PA nº 266 A. Empresa Telefônica Brasil S.A. B. Nome do Plano Fixo: Técnico: Ilimitado Fixo Local Comercial: a definir C. Identificação para a Anatel: Plano Alternativo Nº 266 D. Modalidade

Leia mais

ANEXO VI CONDIÇÕES ESPECIFICAS DO SERVIÇO 0303 (0300/0303)

ANEXO VI CONDIÇÕES ESPECIFICAS DO SERVIÇO 0303 (0300/0303) ANEXO VI CONDIÇÕES ESPECIFICAS DO SERVIÇO 0303 (0300/0303) CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO 1.1 O presente instrumento tem por objeto estabelecer as condições específicas para a prestação do serviço Oi 0300,

Leia mais

O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais -

O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais - O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais - Brasília, 23 de Março de 2017 Gerência de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Superintendência de Competição PROCESSO

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 043 - Plano Online Sem internet Requerimento de Homologação Nº 8874 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 105-3G Smart Requerimento de Homologação Nº 9143 Este Plano Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária Nextel Telecomunicações Ltda.,

Leia mais