Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO"

Transcrição

1 Superintendência de Competição PGMC A NOVA REALIDADE DO Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Brasília, maio de 2013

2 Agenda Nova Estrutura da Anatel e o PGMC Lógica e Estrutura do PGMC Mercados Identificados e Produtos Funcionamento do PGMC Cronograma

3 Agenda Nova Estruturada Anatele o PGMC

4 Nova Estrutura da Anatel Superintendência de Competição Gerência de Acompanhamento Econômico da Prestação Gerência de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Gerência de Acompanhamento Societário e da Ordem Econômica

5 Nova Estrutura da Anatel Gerência de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Responsável pela realização de mediação, conciliação e arbitramento de conflitos entre prestadoras de serviços de telecomunicações e pelo monitoramento, sob a ótica da competição, dos contratos entre as prestadoras ou entre estas e empresas de outros setores, incluindo aqueles de interconexão e compartilhamento de infraestrutura, bem como pela proposição de sugestões para solução de conflitos Principais Atividades: Implantação do PGMC Monitoramento dos Mercados de Atacado Homologação das Ofertas de Referência dos Produtos de Atacado Homologação dos Contratos de Interconexão Resolução de Conflitos: Reclamações Administrativas Mediações Arbitragens

6 Agenda Lógica e Estrutura do PGMC

7 Lógica do PGMC Mercados de Atacado Mercados de Varejo Detentora de rede e infraestrutura Produto de Atacado Prestadora de Serviço de Telecomunicações Imposição de assimetrias regulatórias; Medidas de Transparência Problemas Concorrenciais no Varejo oriundos do Atacado e que não são resolvidos por meio de: Regulamentação específica Atuação ex-post do CADE

8 Estrutura do PGMC

9 GIESB DO GRUPO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ENTIDADE SUPERVISORA DE OFERTAS DE ATACADO E DAS BASES DE DADOS DE ATACADO (GIESB) Art. 44. Para a implementação das Bases de Dados de Atacado, do Sistema de Negociação de Oferta de Atacado e da Entidade Supervisora será constituído o GIESB, sob a coordenação da Anatel, em até 30 (trinta) dias corridos a partir da publicação da Resolução. 1º Os membros do GIESB são representantes da Anatel, de Prestadoras com PMS nos Mercados de Atacado e de Prestadoras sem PMS nos Mercados de Atacado, ou as entidades que as representem; 2º Os membros do GIESB serão nomeados em sua reunião de instalação; 3º Após a seleção da Entidade Supervisora de Ofertas de Atacado esta passará a integrar o GIESB; 4º Os conflitos no âmbito do GIESB serão sanados por decisão da Anatel. Art. 45. São atribuições do GIESB, dentre outras: I -a coordenação, a definição, a elaboração de cronograma detalhado de atividades e o acompanhamento da implantação das BDA, do Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado e da Entidade Supervisora; II -a padronização dos aspectos técnicos, operacionais e de interface visual da BDA e do Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado; III - a padronização do acompanhamento do gerenciamento das Ofertas previstas neste Plano; IV -avaliação e divulgação das fases de implementação das BDA, do Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado e da Entidade Supervisora; V - especificação das características das BDA e do Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado; VI - definição da forma de financiamento e remuneração da Entidade Supervisora de Ofertas de Atacado; VII -especificação de regras com o objetivo de garantir a neutralidade e integridade no cumprimento das atividades da Entidade Supervisora; VIII -coordenação de processos negociais e oferta de subsídios que permitam à Anatel dirimir eventuais conflitos que venham a ocorrer nos procedimentos relacionados à implementação das BDA e do Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado.

10 GIESB Grupo Executivo (GEX) GT 1: Aspectos Jurídicos GT 2: Aspectos Técnicos

11 Agenda Mercados Identificados e Produtos

12 Mercados identificados Oferta de rede de acesso fixa para transmissão de dados por meio de redes de cobre e cabo coaxial em taxas de transmissão inferiores a 10 Mbps Oferta de Roaming Nacional Oferta de terminação em redes móveis Oferta de rede de transporte fixa para transmissão de dados em taxas de transmissão inferiores a 34 Mbps Oferta de infraestrutura passiva

13 Produtos a serem ofertados Desagregação de Canais Lógicos (bitstream) Descrição: Desagregação lógica da rede que liga a terminação do assinante ou usuário até um ponto de concentração escolhido pela Prestadora solicitante. Mercado Associado: Rede fixa de acesso Desagregação Plena do Enlace Local (Full Unbundling) Descrição: disponibilidade pela Prestadora de serviços de telecomunicações de interesse coletivo a outra Prestadora de serviços de telecomunicações de interesse coletivo de todo o espectro de frequências inerente ao par metálico de acesso. Mercado Associado: Rede fixa de acesso Interconexão de Rede Móvel Descrição: oferta de terminação de chamadas em redes móveis, incluindo-se as redes do Serviço Móvel Pessoal SMP e as redes do Serviço Móvel Especializado SME Mercado Associado: Terminação Móvel

14 Produtos a serem ofertados Roaming Nacional Descrição: Oferta de conectividade para usuários visitantes de outras redes de telecomunicações móvel. Mercado Associado: Roaming Nacional. Exploração Industrial de Linha Dedicada - EILD Descrição: modalidade de Exploração Industrial em que uma Prestadora de Serviços de Telecomunicações fornece a outra Prestadora de Serviços de Telecomunicações, mediante remuneração preestabelecida, Linha Dedicada com características técnicas definidas para constituição da rede de serviços desta última Mercado Associado: Transporte Interconexão Classe V Descrição: Interconexão direta de Redes de Telecomunicações de suporte a outros Serviços de Telecomunicações de interesse coletivo que não STFC ou serviço de telecomunicação móvel de interesse coletivo, para cursar tráfego, originado e terminado nestas redes, incluindo a ligação de Redes de Telecomunicações de suporte a backbone Internet Mercado Associado: Transporte

15 Produtos a serem ofertados Interligação Descrição: Ligação entre redes de telecomunicações para cursar tráfego destinado a redes de terceiros que não aquelas diretamente ligadas, mediante acordo comercial bilateral de trânsito Mercado Associado: Transporte. Backhaul Descrição: é a infra-estruturade rede de suporte do STFC para conexão em banda larga, interligando as redes de acesso ao backbone da operadora Mercado Associado: Transporte Infraestrutura Passiva Descrição: oferta de infraestrutura passiva envolvendo dutos, condutos, postes, e torre Mercado Associado: Infraestrutura Passiva

16 Mercados identificados MERCADOS RELEVANTES DO PGMC Rede fixa de acesso Terminação móvel Roaming Nacional Transporte local Transporte longa distância Dimensão Geográfica Município Região do PGA Área de Registro Município Município Grupos com PMS Concessionárias em alguns municípios Grupo Claro, Oi, Tim e Vivo Grupos Vivo, Oi, Tim e Claro Concessionárias em alguns municípios Concessionárias em alguns municípios Oferta de Referência Oferta de Referência Homologação das Ofertas Oferta de Referência Oferta de Referência Oferta de Referência Remédios Homologação das Ofertas Medidas de Transparência (BDA e Entidade Supervisora) Medidas de Transparência (BDA e Entidade Supervisora) Bill & Keep parcial e transitório entre PMS e não PMS Homologação das Ofertas Medidas de Transparência (BDA e Entidade Supervisora) Homologação das Ofertas Medidas de Transparência (BDA e Entidade Supervisora) Homologação das Ofertas Medidas de Transparência (BDA e Entidade Supervisora) Redução do VU-M

17 Mercados identificados MERCADOS RELEVANTES DO PGMC Infraestrutura passiva Postes Torres Dutos e valas Dimensão Geográfica Área de Registro/Código Nacional Grupos com PMS Não há PMS Grupos Telemar, Telefonica, Telmex e Tim Grupos Telemar, Telefonica,Telmex, e CTBC (apenas na área de numeração 34) Remédios Oferta de Referência Medidas de Transparência (BDA e Entidade Supervisora)

18 Agenda Funcionamento do PGMC

19 Funcionamento Grupo com PMS Apresenta Oferta de referência Não homologa ANATEL aplica MAR Homologa Grupo com PMS Aplica cautelar Comissão de Composição de Conflitos Entidade Supervisora de Atacado Base de Dados de Atacado Demanda composição Grupo sem PMS Compra no atacado

20 Metodologia de Avaliação de Replicabilidade - MAR Metodologia elaborada em conjunto com SEAE Regra de retailminusconsiderando toda a cadeia produtiva de telecom Margens definidas por meio de portaria, considerando benchmark internacional. Portaria submetida à Consulta Pública.

21 Incentivos ao investimento Feriado regulatório para: Compartilhamento de redes de acesso em fibra ótica Compartilhamento de redes de acesso em velocidades acima de 10 Mbps (bitstream) Compartilhamento de redes de transporte em velocidades acima de 34 Mbps (EILD)

22 Transparência Características gerais das Ofertas de Referência Critérios para homologação Procedimento de homologação Obrigações criar unidade ou departamento responsável, exclusivamente, por todos os processos de atendimento, comercialização e entrega dos produtos referentes às Oferta de Referência desenvolver BDA com acesso remoto e atualizada em tempo real, que contenha mecanismos de controle e acompanhamento sequencial da fila de pedidos feitos pelos Grupos demandantes das ofertas, incluindo os pedidos de Prestadoras pertencentes ao próprio Grupo com PMS

23 Entidade Supervisora Os Grupos com PMS (...) devem contratar Entidade Supervisora de Ofertas de Atacado para a implantação e operacionalização do Sistema de Negociação das Ofertas de Atacado com o objetivo de intermediar o processo, de forma isonômica e não discriminatória, relativo à contratação de produtos no atacado ofertados pelos Grupos detentores de PMS(art. 32) Atividades centralizar o acesso às BDA e às Ofertas de Referência de Atacado; disponibilizar Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado como plataforma de negociação de produtos de atacado. Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado permite a contratação de produtos de atacado; permite o controle dos prazos para encerramento da negociação entre as partes; permite acompanhamento e controle da fila de atendimento às Prestadoras solicitantes de produtos de atacado; está integrado às BDA dos Grupos detentores de PMS nos mercados de Atacado.

24 Apresentação de ORPA Prestadora Ofertante (PMS) ANATEL Homologado? Aplicação de MAR BDA ENTIDADE SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO (BROKER) Prestadora Demandante

25 Prestadoras solicitantes de Produtos de Atacado Entidade Supervisora Interface Padronizada pelo GIESB Acesso Centralizado às BDAs Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado Interface Padronizada pelo GIESB Interface Padronizada pelo GIESB Interface Padronizada pelo GIESB BDA BDA Prestadora com PMS Prestadora com PMS

26 Agenda Cronograma

27 Cronograma Publicação DOU e Entrada Vigor Implantação do GIESB Contratação da Entidade Entrada em Funcionamento das BDAs Apresentação de Ofertas de Referência Homologação pela Anatel das Ofertas 12/11/ d da publicação 120d após GIESB 10 meses da publicação 120d da publicação dda apresentação 12/09/ /03/2013 Suspenso para diligências

28 Cronograma

29 Cronograma Obrigado! Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Brasília, maio de 2013

PGMC. Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes

PGMC. Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes Simpósio da Cullen International sobre Regulação TIC em América Latina e União Europeia PGMC Obrigações de compartilhamento e medidas de incentivo à construção de redes Carlos Baigorri Anatel Estrutura

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO. Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara

PROPOSTA DE REGULAMENTO. Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara PROPOSTA DE REGULAMENTO Plano Geral de Metas de Competição (PGMC) Relator Cons. Marcelo Bechara Novembro de 2012 Contexto Incentivo e Promoção à Competição Dinâmica Anexo I Medidas assimétricas para Grupos

Leia mais

Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br

Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras asilva@anatel.gov.br Brasília/DF Setembro/2014 AGENDA RECORDANDO PGMC E O SNOA CONQUISTAS DESAFIOS RECORDANDO O PGMC Cadeia

Leia mais

Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras

Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras Preparação para o PGMC Um guia prático para as operadoras São Paulo, 13 de junho de 2013 TMCO Telco Management Gestão em Negócios de Telecom Diretoria de Novos Negócios e Regulamentação http://www.tmco.com.br

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Rio de Janeiro, julho de 2014 Ministério das Comunicações Evolução

Leia mais

Status Report Executivo PGMC. Brasília, 21 de Junho de 2013

Status Report Executivo PGMC. Brasília, 21 de Junho de 2013 Status Report Executivo PGMC Brasília, 21 de Junho de 2013 Sumário 1 2 Visão geral Anexos 2 Visão macro do cronograma Concluído Planejado Frentes do projeto Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set 1 2 3 4 5 6 7 8

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA. Proposta de Regulamento de Celebração e Acompanhamento de Termo de Ajustamento de Conduta TAC MARCELO BECHARA

CONSULTA PÚBLICA. Proposta de Regulamento de Celebração e Acompanhamento de Termo de Ajustamento de Conduta TAC MARCELO BECHARA CONSULTA PÚBLICA Proposta de Regulamento de Celebração e Acompanhamento de Termo de Ajustamento de Conduta TAC MARCELO BECHARA Relator Cons. Marcelo Bechara 25 de setembro de 2013 Evolução da Regulação

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Marabá, abril de 2014 Ministério das Comunicações Evolução da penetração

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Manaus, janeiro de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Proporção de

Leia mais

Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional. larga

Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional. larga Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda O papel dos prestadores de porte regional larga Curitiba, março de 2013 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE,

Leia mais

Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Ministério das Comunicações Encontro Provedores Regionais Políticas públicas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Recife, outubro de 2014 Meta do PNBL Se pacote PNBL de

Leia mais

Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom

Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom Um balanço sobre a competição no mercado brasileiro de telecom 40º Encontro TELE.SÍNTESE Março de 2015 Panorama Telefonia Móvel 281,7 milhões de acessos ~155 milhões de acessos de banda larga móvel (54%)

Leia mais

Desafios no acesso à internet móvel: penetração, qualidade e gestão do espectro

Desafios no acesso à internet móvel: penetração, qualidade e gestão do espectro Desafios no acesso à internet móvel: penetração, qualidade e gestão do espectro Miriam Wimmer Diretora do Departamento de Serviços e de Universalização de Telecomunicações Secretaria de Telecomunicações

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações IV Seminário Telcomp 2011 Competição e Inovação A Perspectiva de Governo e Políticas Públicas: Políticas Públicas para incentivo à expansão de redes e serviços de telecomunicações Maximiliano S. Martinhão

Leia mais

PNBL e deficiências na transmissão de dados via internet Região Norte. Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados Anatel

PNBL e deficiências na transmissão de dados via internet Região Norte. Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados Anatel PNBL e deficiências na transmissão de dados via internet Região Norte Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados Anatel Agenda Região Norte Ações da Anatel* Anuência Prévia Oi-BrT Projeto

Leia mais

Regina Ribeiro do Valle Advocacia rervalle@gmail.com. Comitê Brasileiro de Arbitragem

Regina Ribeiro do Valle Advocacia rervalle@gmail.com. Comitê Brasileiro de Arbitragem Regina Ribeiro do Valle Advocacia rervalle@gmail.com Comitê Brasileiro de Arbitragem TELECOMUNICAÇÕES (ANATEL) 1- Lei Geral De Telecomunicações Lei Nº 9.472/97 Anatel Poder Compor Conflitos Serviços De

Leia mais

Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel e das condições de prestação do serviço. João Batista de Rezende Anatel

Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel e das condições de prestação do serviço. João Batista de Rezende Anatel Melhorias da Infraestrutura de Rede das Operadoras de Telefonia Móvel e das condições de prestação do serviço João Batista de Rezende Anatel Brasília/DF Dezembro/2012 Medida Cautelar Contextualização Suspensão

Leia mais

Infra-estrutura para inovação e desenvolvimento

Infra-estrutura para inovação e desenvolvimento Infra-estrutura para inovação e desenvolvimento Painel: Telecomunicações, acessibilidade, TICs e inovação As telecomunicações constituem um setor de infra-estrutura de importante impacto no crescimento

Leia mais

ANÁLISE IGOR VILAS BOAS DE FREITAS

ANÁLISE IGOR VILAS BOAS DE FREITAS CONSELHEIRO RELATOR ANÁLISE NÚMERO E ORIGEM: 20/2015-GCIF DATA: 20/2/2015 IGOR VILAS BOAS DE FREITAS 1. ASSUNTO Pedido de Reconsideração, cumulado com pedido de efeito suspensivo, apresentado por TIM CELULAR

Leia mais

e Setorial Ambiente Econômico Setor de Telecom panorâma econômico e setorial

e Setorial Ambiente Econômico Setor de Telecom panorâma econômico e setorial 14 Panorama Econômico e Setorial Ambiente Econômico Em 2011, a economia mundial sofreu com as crises fiscais dos Estados Unidos e da Europa. Após gastos excessivos para tentar recuperar suas economias

Leia mais

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento Produtos SOIA FAQ e Treinamento 2 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento

Leia mais

DESCRITIvO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 110

DESCRITIvO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 110 DESCRITIvO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 110 I) Empresas: Este Plano Alternativo de Serviço aplica-se à TELEMAR NORTE LESTE S.A., sucessora por incorporação das Empresas Concessionárias do Serviço

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 103

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 103 DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 103 I) Empresas: Este Plano Alternativo de Serviço aplica-se à TELEMAR NORTE LESTE S.A., sucessora por incorporação das Empresas Concessionárias do Serviço

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Ministério das Comunicações Acessos dez/2010 a abr/2014 Internet móvel (3G+4G) 474% Cidades com cobertura 3G de 824 para 3.395 312% 2 Crescimento da banda larga móvel por região Período: dez/2010 a abr/2014

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 6.622, DE 8 DE NOVEMBRO DE 2012 O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que foram conferidas à Agência pelo art. 19

Leia mais

JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL JARBAS JOSÉ VALENTE Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL Outubro/2013 Modelo Regulatório Princípios Legais QUANTO AO REGIME DA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO: REGIME PÚBLICO: CONCESSÃO COM

Leia mais

Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública Brasília, 13 de novembro de 2013

Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública Brasília, 13 de novembro de 2013 Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública Brasília, 13 de novembro de 2013 Os Regimes de Prestação dos Serviços de Telecomunicações A Lei Geral de Telecomunicações (Lei nº 9.472/1996) estabelece

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto no artigo 9º do PGA-SMP e nº artigo 39, do Regulamento do Serviço de Comunicação Multimídia;

CONSIDERANDO o disposto no artigo 9º do PGA-SMP e nº artigo 39, do Regulamento do Serviço de Comunicação Multimídia; ATO Nº 7.828, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2008 O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DETELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições que foram conferidas à Agência pelo artigo 19 da Lei no 9.472, de 16 de julho de

Leia mais

A Convergência do Ponto de Vista Regulatório

A Convergência do Ponto de Vista Regulatório A Convergência do Ponto de Vista Regulatório 48 0 Painel da Telebrasil Ilha de Comandatuba, 1 a 4 de julho de 2004 José Leite Pereira Filho Conselheiro 1 Conteúdo Conceituação da Convergência Questões

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO de SERVIÇO Nº35A

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO de SERVIÇO Nº35A DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO de SERVIÇO Nº35A I) Empresas: Este Plano Alternativo de Serviço aplica-se à TELEMAR NORTE LESTE S.A., sucessora por incorporação das Empresas Concessionárias do Serviço

Leia mais

MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA

MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA Brasília, 15 de julho de 2002 MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA O conselheiro José Leite Pereira Filho, da Agência Nacional de Telecomunicações Anatel, anunciou na

Leia mais

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS EM TELECOMUNICAÇÕES - ABR TELECOM TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E PRAZO DE DURAÇÃO TÍTULO II DOS OBJETIVOS

ESTATUTO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS EM TELECOMUNICAÇÕES - ABR TELECOM TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E PRAZO DE DURAÇÃO TÍTULO II DOS OBJETIVOS ESTATUTO ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS EM TELECOMUNICAÇÕES - ABR TELECOM TÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E PRAZO DE DURAÇÃO Art. 1º A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS EM TELECOMUNICAÇÕES ( ABR Telecom ) é

Leia mais

Ministério das Comunicações 2015

Ministério das Comunicações 2015 Ministério das Comunicações 2015 _dados setoriais TELEFONIA Mais de 320 milhões de acessos! Número de acessos (em milhões) 350 300 250 200 150 100 50 0 261,8 271,1 280,7 282,4 242,2 202,9 174 150,6 121

Leia mais

DESTINAÇÃO E LICITAÇÃO DA FAIXA DE 700MHZ

DESTINAÇÃO E LICITAÇÃO DA FAIXA DE 700MHZ DESTINAÇÃO E LICITAÇÃO DA FAIXA DE 700MHZ Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática CCT Senado Federal JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Brasília/DF Julho/2013 CENÁRIO ATUAL

Leia mais

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional

Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo à banda larga O papel dos prestadores de porte regional Cuiabá, fevereiro de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE,

Leia mais

COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO

COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO COMENTÁRIO DO DESEMPENHO CONSOLIDADO Uberlândia MG, Maio de 2013 A Algar Telecom, Companhia completa e integrada de telecomunicações e TI, detentora da marca CTBC, divulga seus resultados do 1º Trimestre

Leia mais

Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014

Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014 Programa Nacional de Banda Larga: principais ações e resultados Brasília, novembro de 2014 Meta do PNBL Se pacote PNBL de 1 Mbps for ofertado por R$ 15 em todos os municípios Se pacote PNBL de 1 Mbps for

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA CFFC / CINDRA 29/05/2013. Rio de Janeiro Maio 2013

AUDIÊNCIA PÚBLICA CFFC / CINDRA 29/05/2013. Rio de Janeiro Maio 2013 AUDIÊNCIA PÚBLICA CFFC / CINDRA 29/05/2013 Rio de Janeiro Maio 2013 A Oi TEM PAPEL FUNDAMENTAL PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAÍS, INVESTINDO, GERANDO IMPOSTOS E EMPREGOS E DISTRIBUINDO SEUS RESULTADOS R$

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL

PLANO ALTERNATIVO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO Nº 30 A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço n.º 30 Franquia LDN para Celular C. Identificação para a

Leia mais

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação

Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Banda Larga Políticas Públicas e Regulação Rogério Santanna dos Santos Brasília, 29 de Setembro de 2009 Mercado Banda Larga - Operadoras Empresas 2007 (x1000) 2008 (x1000) % Crescimento Ano 2007 Telefonica

Leia mais

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação. Novembro de 2015

Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação. Novembro de 2015 Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Educação Novembro de 2015 acesso móvel TV por assinatura telefone fixo banda larga fixa Panorama Setorial - Tradicional 44,1 milhões de assinantes 25,2

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 145

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 145 DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 145 A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço n.º 145 Franquia 230 minutos + Franquia VC1 C. Identificação para

Leia mais

8º CONGRESSO BRASILEIRO DE JORNAIS ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS (ANJ) PAINEL: LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA ERA DIGITAL.

8º CONGRESSO BRASILEIRO DE JORNAIS ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS (ANJ) PAINEL: LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA ERA DIGITAL. 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE JORNAIS ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JORNAIS (ANJ) São Paulo, 19 de agosto de 2010 PAINEL: LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA ERA DIGITAL Apresentação: A Anatel, a ampliação dos acessos de

Leia mais

29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações

29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações 29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17de abril de 2012 Agenda Serviços de Telecomunicações: Convergência de Plataformas, Redes e Outorgas Premissas

Leia mais

Metas de banda larga; Oi ainda apresenta deficiências em alguns estados

Metas de banda larga; Oi ainda apresenta deficiências em alguns estados Metas de banda larga; Oi ainda apresenta deficiências em alguns estados SINTTEL - Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicaçãoes de Minas Gerais SINTTEL - Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicaçãoes

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 458, DE 8 DE FEVEREIRO DE 2007.

ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 458, DE 8 DE FEVEREIRO DE 2007. ANEXO À RESOLUÇÃO N.º 458, DE 8 DE FEVEREIRO DE 2007. REGULAMENTO DE REMUNERAÇÃO PELO USO DE REDES DE PRESTADORAS DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO - STFC TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO PLANOS PÓS PAGO CLARO ONLINE

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO PLANOS PÓS PAGO CLARO ONLINE O presente Termo tem a finalidade de registrar as características e a oferta dos novos Planos Pós Pago da e regular as relações entre a S.A., empresa autorizatária do Serviço Móvel Pessoal, inscrita no

Leia mais

TIM BRASIL MARIO CESAR ARAUJO

TIM BRASIL MARIO CESAR ARAUJO MARIO CESAR ARAUJO Agenda Destaques dos resultados de 2007 O contexto do mercado brasileiro Visão geral do plano 2008-10 Metas para 2008-10 1 Destaques 2007 TIM Brasil está posicionada como líder em valor

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS PÁG. 1 DE 13 PRÁTICA DE SERVIÇO DE BANDA LARGA REQUISITOS MÍNIMOS PARA OS PRESTADORES DE SERVIÇO DO PROGRAMA NACIONAL DE BANDA LARGA - PNBL Sumário 1.OBJETIVO... 2 2.CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 3.DEFINIÇÕES...

Leia mais

Encontro tele.sintese 42

Encontro tele.sintese 42 Encontro tele.sintese 42 A reversibilidade e ampliac a o da concessa o para banda larga, uma contradic a o? Fim da concessa o e so servic o privado, uma sai da? Renata Mielli Secretária Geral do Fórum

Leia mais

REGULAMENTO Nextel Família

REGULAMENTO Nextel Família REGULAMENTO Nextel Família Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante simplesmente NEXTEL, situada na Avenida das Nações Unidas,

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 044 - Claro Online 5GB Requerimento de Homologação Nº 8876 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária CLARO S.A.,

Leia mais

MARCELO BECHARA Maio de 2013

MARCELO BECHARA Maio de 2013 MARCELO BECHARA Maio de 2013 Contextualização HISTÓRICO DA INTERNET ORIGEM: Década de 60 Guerra Fria (EUA) conexão entre computadores de forma descentralizada. Após dois anos, expansão da rede com crescimento

Leia mais

3 CONTEXTO DO ESTUDO DE CASO

3 CONTEXTO DO ESTUDO DE CASO 27 3 CONTEXTO DO ESTUDO DE CASO Este capítulo apresenta o setor de telecomunicações no Brasil e o mercado de banda larga residencial. 3.1 O setor de telecomunicações no Brasil O setor de telecomunicações

Leia mais

Da Abrangência e dos Objetivos. Das Definições

Da Abrangência e dos Objetivos. Das Definições ANEXO À RESOLUÇÃO Nº 509, DE 14 DE AGOSTO DE 2008 REGULAMENTO DA CENTRAL DE INTERMEDIAÇÃO DE COMUNICAÇÃO TELEFÔNICA A SER UTILIZADA POR PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA OU DA FALA CIC CAPÍTULO I Da Abrangência

Leia mais

Ações do Ministério das Comunicações

Ações do Ministério das Comunicações Ações do Ministério das Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Brasília, março de 2012. Crescimento do setor alguns destaques Serviço Número de Acessos Taxa de Crescimento

Leia mais

Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas com deficiência auditiva ou da fala CIC.

Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas com deficiência auditiva ou da fala CIC. Resolução nº509/08 ANATEL RESOLUÇÃO No 509, DE 14 DE AGOSTO DE 2008 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Aprova o Regulamento da Central de Intermediação de Comunicação telefônica a ser utilizada por pessoas

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO - PAS 085 Local PLANO ALTERNATIVO N 085 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO - PAS 085 Local PLANO ALTERNATIVO N 085 - LC EMPRESA PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO - PAS 085 Local PLANO ALTERNATIVO N 085 - LC Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. NOME DO PLANO Plano PAS 085 Local - PAS 085 - LC MODALIDADE DO STFC

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO - Claro Fone Fale à Vontade PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇOS N 104 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO - Claro Fone Fale à Vontade PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇOS N 104 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO - Claro Fone Fale à Vontade PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇOS N 104 - LC EMPRESA Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. NOME DO PLANO Plano Claro Fone Fale à Vontade

Leia mais

UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES

UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES Introdução 1 Abrint 2 4 3 Onde atuamos Qual taxa de crescimento Financiamento 5 PGMC ABRINT QUEM SOMOS Entidade sem fins lucrativos

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO N o 486, DE 24 DE JANEIRO DE 2012 DOU: 25.01.12 Seção 1 pág. 63 Retificado DOU: 27.01.2012 Seção I pág. 49 O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES,

Leia mais

Programa de Medição da Qualidade da Banda Larga Fixa no Brasil

Programa de Medição da Qualidade da Banda Larga Fixa no Brasil Programa de Medição da Qualidade da Banda Larga Fixa no Brasil Lançamento Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 29 de agosto de 2012 1 RGQ-SCM Prestadoras de SCM com mais de 50.000 acessos em

Leia mais

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004 Apresentação Corporativa Maio - 2004 Apresentação Telemar - Agenda 1. Destaques 2003/2004 1 2. Estratégia de Crescimento 3 3. Revisão do Resultado Operacional 12 4. Resultados Financeiros 20 1 Destaques

Leia mais

Questões Estruturantes para as Telecomunicações

Questões Estruturantes para as Telecomunicações ABDI Questões Estruturantes para as Telecomunicações Camilla Tápias Diretora de Assuntos Jurídico-Regulatórios Agenda 01 02 Cenário atual das telecomunicações Questões estruturantes 03 Conclusão 2 01 Cenário

Leia mais

PLANO BÁSICO LOCAL (Região III, Setor 3 da Região - I do PGO)

PLANO BÁSICO LOCAL (Região III, Setor 3 da Região - I do PGO) PLANO BÁSICO LOCAL (Região III, Setor 3 da Região - I do PGO) A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: C. Identificação para a Anatel: D. Modalidade do STFC coberta: Local E. Descrição

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e SME à luz do Regulamento anexo à Resolução nº 576/2011 da Anatel Luciana Chaves Freire Félix Procuradora Federal em Brasília-DF

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Parecer Analítico sobre Regras Regulatórias n.º 12/COGCM/SEAE/MF

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Parecer Analítico sobre Regras Regulatórias n.º 12/COGCM/SEAE/MF MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer Analítico sobre Regras Regulatórias n.º 12/COGCM/SEAE/MF Brasília, 31 de julho de 2008. Assunto: Contribuições à Consulta Pública da

Leia mais

TERMO DE SUBLICENCIAMENTO E AUTORIZAÇÃO DE USO DE SOFTWARE

TERMO DE SUBLICENCIAMENTO E AUTORIZAÇÃO DE USO DE SOFTWARE TERMO DE SUBLICENCIAMENTO E AUTORIZAÇÃO DE USO DE SOFTWARE GLOBAL VILLAGE TELECOM S.A., com sede na cidade de Maringá, estado do Paraná, na Rua João Paulino Vieira Filho, nº 752, 2º andar, Novo Centro,

Leia mais

MARCELO BECHARA Março de 2013

MARCELO BECHARA Março de 2013 MARCELO BECHARA Março de 2013 Contexto Sociedade da Informação países desenvolvidos Venda de músicas online: >80% Venda de videos online: >50% TV Personalizada/Interatividade Publicidade: >50% Conteúdo:

Leia mais

Relatório de acompanhamento trimestral das Ações Regulatórias. 2014-2015 Julho a setembro de 2014

Relatório de acompanhamento trimestral das Ações Regulatórias. 2014-2015 Julho a setembro de 2014 Relatório de acompanhamento trimestral das Ações Regulatórias 2014-2015 Julho a setembro de 2014 Relatório Introdução Esse relatório tem o objetivo de apresentar o acompanhamento das Ações Regulatórias

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 045 - Claro Online Sem internet Requerimento de Homologação Nº 8879 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária

Leia mais

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA Luiz Fernando Fauth Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL ibusiness 2011 Curitiba, 24/11/2011 SUMÁRIO Cenário atual do SCM Consulta Pública

Leia mais

CDMA450. Planos de Negócio e Oportunidades para o Uso do 450 MHz no Brasil. FRANCISCO GIACOMINI SOARES Diretor Sênior de Relações Governamentais

CDMA450. Planos de Negócio e Oportunidades para o Uso do 450 MHz no Brasil. FRANCISCO GIACOMINI SOARES Diretor Sênior de Relações Governamentais CDMA450 Planos de Negócio e Oportunidades para o Uso do 450 MHz no Brasil FRANCISCO GIACOMINI SOARES Diretor Sênior de Relações Governamentais São Paulo, 31 de Maio de 2011. Roteiro Faixa de 450 MHz Tecnologias

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 102 - PLANO OI MAIS CELULAR Requerimento de Homologação Nº 11514 (R1), 11488(R2) e 11490 (R3) 1. Aplicação Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável

Leia mais

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LOCAL - STFC

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LOCAL - STFC PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LOCAL - STFC Este Plano Básico de Serviço visa oferecer aos assinantes do Serviço de Telefonia Fixa Comutada (STFC), a possibilidade de realizar chamadas na modalidade Local, através

Leia mais

Desafios e oportunidades do setor de telecomunicações no Brasil

Desafios e oportunidades do setor de telecomunicações no Brasil Desafios e oportunidades do setor de telecomunicações no Brasil Metodologia de pesquisa Diagnóstico Contexto histórico Transversalidade Panorama brasileiro Marcos legais e regulatórios Gargalos Interfaces

Leia mais

Telebras Institucional

Telebras Institucional Telebras Institucional Ibirubá-RS, Setembro 2011 A Telebrás Quem somos A TELEBRAS é uma S/A de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, autorizada a usar e manter a infraestrutura e as

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PAIS 2014 O PRESENTE REGULAMENTO TEM POR OBJETO REGULAR AS RELAÇÕES ENTRE A CLARO E OS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO PAIS 2014

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PAIS 2014 O PRESENTE REGULAMENTO TEM POR OBJETO REGULAR AS RELAÇÕES ENTRE A CLARO E OS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO PAIS 2014 REGULAMENTO DA PROMOÇÃO PAIS 2014 O PRESENTE REGULAMENTO TEM POR OBJETO REGULAR AS RELAÇÕES ENTRE A CLARO E OS PARTICIPANTES DA PROMOÇÃO PAIS 2014 1. Condições gerais 1.1 REALIZADORAS: CLARO S/A, empresa

Leia mais

UM PLANO NACIONAL PARA BANDA LARGA. O BRASIL EM ALTA VELOCIDADE.

UM PLANO NACIONAL PARA BANDA LARGA. O BRASIL EM ALTA VELOCIDADE. UM PLANO NACIONAL PARA BANDA LARGA. O BRASIL EM ALTA VELOCIDADE. NOSSO DESAFIO EM NÚMEROS ACESSOS EM 2009 MILHÕES DE ACESSOS ACESSOS EM 2014 MILHÕES DE ACESSOS INVESTIMENTOS NO PNBL (2010 2014) APORTE

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO COMBO TRIO COM VIVO FIXO VOIP

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO COMBO TRIO COM VIVO FIXO VOIP REGULAMENTO DA PROMOÇÃO COMBO TRIO COM VIVO FIXO VOIP Esta Promoção é realizada pela Vivo, nas seguintes condições. 1. Das Definições A promoção decorre de oferta conjunta de serviços convergentes de telecomunicações

Leia mais

PORTABILIDADE NUMÉRICA UMA SOLUÇÃO ORIENTADA PELA SIMPLICIDADE, QUALIDADE E BAIXO CUSTO

PORTABILIDADE NUMÉRICA UMA SOLUÇÃO ORIENTADA PELA SIMPLICIDADE, QUALIDADE E BAIXO CUSTO PORTABILIDADE NUMÉRICA UMA SOLUÇÃO ORIENTADA PELA SIMPLICIDADE, QUALIDADE E BAIXO CUSTO 1 Introdução A portabilidade é a facilidade que possibilita ao assinante de telefonia manter o número do seu telefone

Leia mais

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL - STFC

PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL - STFC PLANO BÁSICO DE SERVIÇO LONGA DISTÂNCIA NACIONAL - STFC Este Plano Básico de Serviço visa oferecer aos assinantes do Serviço de Telefonia Fixa Comutada (STFC), a possibilidade de realizar chamadas na modalidade

Leia mais

Soluções de Voz. Otimize os serviços de comunicações e os custos de telefônia com nossas soluções integradas de voz.

Soluções de Voz. Otimize os serviços de comunicações e os custos de telefônia com nossas soluções integradas de voz. Nossas Soluções Soluções de Voz Otimize os serviços de comunicações e os custos de telefônia com nossas soluções integradas de voz. lâmina_option_voz.indd 1 10/30/13 2:47 PM Soluções de Voz Soluções Integradas

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMÍLIA

CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMÍLIA CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMÍLIA Pelo presente contrato particular, a TELECOMUNICAÇÕES DE SÃO PAULO S/A TELESP, com sede na Rua Martiniano de Carvalho,

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO I PREGÃO ELETRÔNICO Nº. 011/2015 TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO A presente licitação tem por objetivo a contratação de pessoa jurídica para prestação de serviços, de forma contínua, ao da 2ª Região,

Leia mais

LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990

LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990 LEI Nº 8.078, DE 11 DE SETEMBRO DE 1990 Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. TÍTULO I DOS DIREITOS DO CONSUMIDOR... CAPÍTULO III DOS DIREITOS BÁSICOS DO CONSUMIDOR Art. 6º São

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara dos Deputados Federais Marco Maia

Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara dos Deputados Federais Marco Maia Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara dos Deputados Federais Marco Maia Proposição n RCP 0013/12 As entidades signatárias, reunidas na Campanha Banda Larga é um direito seu!, instituída desde fevereiro

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO PARA CHAMADA LONGA DISTÂNCIA NACIONAL

PLANO ALTERNATIVO PARA CHAMADA LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO PARA CHAMADA LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 243 - LDN 1. EMPRESA Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. 2. NOME DO PLANO Plano PAS 243 LD 3. MODALIDADE DO

Leia mais

ABINEE TEC 2007. Igor Vilas Boas de Freitas Diretor do Departamento de Indústria, Ciência e Tecnologia Ministério das Comunicações

ABINEE TEC 2007. Igor Vilas Boas de Freitas Diretor do Departamento de Indústria, Ciência e Tecnologia Ministério das Comunicações ABINEE TEC 2007 Perpsectivas para a Indústria de Equipamentos e Componentes Convergências: Comunicação Imagem Informática, TV e Rádio Digitais: nicho de mercado Igor Vilas Boas de Freitas Diretor do Departamento

Leia mais

<&0?24}66n& t.yyac 09itzca!& Xeatôpa>

<&0?24}66n& t.yyac 09itzca!& Xeatôpa> Poder Judiciário INSTRUÇÃO NORMATIVA 6 4 DE 7 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre projetos institucionais no âmbito do Conselho Nacional de Justiça. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Questionário trimestral dos serviços de comunicações electrónicas em local fixo e VoIP nómada. Preâmbulo

Questionário trimestral dos serviços de comunicações electrónicas em local fixo e VoIP nómada. Preâmbulo Questionário trimestral dos serviços de comunicações electrónicas em local fixo e VoIP nómada 1. Tendo a conta a necessidade de: Preâmbulo Reformular a informação estatística recolhida trimestralmente

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMILIA

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMILIA CONTRATO DE ADESÃO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DA LINHA DA ECONOMIA FAMILIA Por este instrumento, em que são partes: de um lado a TELEFÔNICA BRASIL S.A., concessionária do Serviço Telefônico Fixo

Leia mais

Request for Proposal RFP

Request for Proposal RFP Request for Proposal RFP Termos Gerais Solução de Monitoramento Integrado de Segurança e Ambiência Sumário Introdução... 2 1. Objetivo... 2 2. Termos e Condições... 3 2.1. Confidencialidade... 3 2.2. Responsabilidade...

Leia mais

Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA

Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA Perguntas e Respostas Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA Atualizado em: 27/09/2013 Com o recente lançamento do Sistema Nacional de Ofertas de Atacado SNOA, a TelComp passou a receber várias consultas

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção 3G Pooling

REGULAMENTO. Promoção 3G Pooling REGULAMENTO Promoção 3G Pooling Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante denominada simplesmente NEXTEL, situada na Alameda

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DOS PLANOS CLARO INTERNET PÓS PAGO

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DOS PLANOS CLARO INTERNET PÓS PAGO TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DOS PLANOS CLARO INTERNET PÓS PAGO O presente Termo tem a finalidade de regular as relações entre a CLARO S.A., empresa autorizatária do Serviço Móvel Pessoal, inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

REVISÃO DO MODELO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES. Grupo de Trabalho criado pela Portaria nº 4.420, de 22 de setembro de 2015

REVISÃO DO MODELO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES. Grupo de Trabalho criado pela Portaria nº 4.420, de 22 de setembro de 2015 REVISÃO DO MODELO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES Grupo de Trabalho criado pela Portaria nº 4.420, de 22 de setembro de 2015 Contexto atual Redução da relevância da telefonia fixa Queda no

Leia mais

PORTARIA Nº 79, 26 DE maio DE 2015

PORTARIA Nº 79, 26 DE maio DE 2015 PORTARIA Nº 79, 26 DE maio DE 2015 Institui, no âmbito da Autoridade Pública Olímpica APO, o Serviço de Informação ao Cidadão SIC, e revoga a Portaria nº 41, de 2013, que instituíra e disciplinava o Serviço

Leia mais

Identificação da Prestadora Prestadora de Pequeno Porte? ( ) Sim ( ) Não

Identificação da Prestadora Prestadora de Pequeno Porte? ( ) Sim ( ) Não Identificação da Prestadora Razão Social Prestadora de Pequeno Porte? ( ) Sim ( ) Não Grupo Econômico Serviço(s) Explorado(s) pelo Grupo Econômico ( ) Concessionária do STFC ( ) Prestadora do SMP ( ) Outros.

Leia mais

Senado Federal, Comissão de Serviço de Infraestrutura 23 de novembro de 2009

Senado Federal, Comissão de Serviço de Infraestrutura 23 de novembro de 2009 Banda Larga e Acessibilidade nos Serviços de Telecomunicações Desafios Estratégicos Setoriais Infraestrutura e Políticas Públicas Senado Federal, Comissão de Serviço de Infraestrutura 23 de novembro de

Leia mais