MARCELO BECHARA Março de 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MARCELO BECHARA Março de 2013"

Transcrição

1 MARCELO BECHARA Março de 2013

2 Contexto

3 Sociedade da Informação

4

5 países desenvolvidos Venda de músicas online: >80% Venda de videos online: >50% TV Personalizada/Interatividade Publicidade: >50% Conteúdo: >40% IPTV/Internet TV/communica tor celular 2ª/3ª geração 1º - o computador

6 países em desenvolvimento > pré-pagos > voz Custos elevados Infraestrutura deficiente celular 2ª/3ª geração cpu- objeto de desejo TV ou rádio analógicos

7 Convergência

8

9 Vídeo Filme Som info música Voz Telefonia Música Mídia impressa Rádio Cinema/Filmes Televisão

10 TV, Filmes, Músicas, Notícias Video Film Sound Data Sound Voice Digital Television Cinema/Film Radio All-IP Plataforma IP Print Music Telephony

11 Cenário da Convergência Inovação - Consumo Concorrência Comércio Global - Plataformas, Conteúdos e Aplicações Mercados - Redes Regulação -Elementos de Rede Modelo de Fransman Padronização

12 Cenário da Convergência Integração das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC): Computação em rede Cloud Computing Aplicações localizadas em servidores acessíveis via Internet Bases de dados distribuídas em mega-datacenters Arquitetura tolerante a falhas 4 bilhões de celulares (2010) Web 2.0

13 UCG (USER CONTENT GENERATION) transformação do consumidor em prosumidor = consumidor + produtor - entretenimento - informação - identidade com o usuário - Personalização dos serviços: Programas que mais agradam; Atores e Diretores que apreciam; A região em que moram (ou gostariam); Publicidade que querem ver. - Compartilhamento de experiências

14 banda larga

15 Ferramenta para incrementar a cidadania e inclusão digital Melhoria na prestação de serviços públicos (Governo Eletrônico) Catalisadora de desenvolvimento econômico (Estudo 2009 Banco Mundial cada 10% de penetração implica 1,38% de incremento no PIB per capita) Interiorização de desenvolvimento. Principal plataforma de comunicação do futuro.

16 Serviços Largura de banda (downstream) QoS Requisitos Radiodifusão TV (MPEG-2) 2 a 6Mb/s Parametrizado HDTV (MPEG-4) 6 a 12Mb/s Parametrizado PPV ou NVoD 2 a 6Mb/s Prioritized VoD 2 a 6Mb/s Prioritized Picture in Picture (MPEG-2) + 12Mb/s Parametrizado PVR 2 a 6Mb/s Prioritized TV interativa + 3Mb/s Best effort Internet alta velocidade 3 a 10Mb/s Best effort Vídeo Conferência 300 a 750Kb/s Prioritized Voz/Vídeo Telefonia 64 a 750Kb/s Prioritized Fonte: Chae Sub Lee, Chairman SG 13, UIT

17 Taxa de transferência 1Gb/s FTTH: EPON, GPON 100Mb/s 100Mb/s: VDSL2 20Mb/s:VDSL2, ADSL2+ FTTC/B: FLC, EPON, GPON FTTN: FLC, EPON, GPON N-Play Service 10Mb/s 1Mb/s 10Mb/s: VDSL, ADSL2 1Mb/s: ADSL cobre Fibra ótica High Speed Internet 10m 100m 1km 10km Distância do usuário Fonte: Chae Sub Lee, Chairman SG 13, UIT

18 USO DA BANDA LARGA NO SERVIÇO PÚBLICO SEGURANÇA SAÚDE EDUCAÇÃO

19 Competição

20 Otimização da infraestrutura Melhor qualidade dos serviços Usuários são beneficiados Menores preços

21 Demandas

22 Melhoria da infraestrutura Maior cobertura Qualidade dos serviços Convergência: Aumento do número de serviços e aplicações decorrentes da convergência com consequente aumento de operadoras de comunicação convergentes. (Justa Competição) Inclusão Digital: Aumento da demanda e oferta de serviços digitais de alta velocidade (Banda Larga) para acesso à informação, cultura e lazer.

23 Principais Temas 2013

24 1 Reestruturação da Anatel 2 Plano Geral de Metas de Competição - PGMC 3 Regulamento de TAC 4 CP faixa de 700MHz 5 CP Regulamento de Atendimento e Cobrança

25 Reestruturação da Anatel Necessidade de adequação com a CONVERGÊNCIA o mercado se transformou mas a forma da Agência trabalhar HOJE não está voltada para a nova realidade Divisão das competências por SERVIÇOS Necessidade de divisão das competências por PROCESSOS Encontra-se em análise no Conselho Diretor da Anatel contribuições pós Consulta Pública

26 Plano Geral de Metas de Competição - PGMC Previsibilidade, Estabilidade, Transparência Usuários são beneficiados pela justa competição melhor qualidade e menores preços Implementação conforme cronograma GIESB em funcionamento; ABR Telecom e Cleartech selecionadas e ofertas de referência apresentadas pelos PMS Alguns Remédios previstos já estão em vigor e não dependem da homologação da oferta de referência 1. Bill and Keep parcial entre Prestadora com e sem PMS 2. Redução gradual do VU-M já está acontecendo, desde Disponibilização de PPT 4. EILD

27 Regulamento de TAC Regulamento que dispõe especificamente sobre TACs no âmbito da Anatel O objetivo é aprimorar a qualidade, eficiência, eficácia e efetividade da tomada de compromissos e seu acompanhamento, por parte da Agência

28 CP faixa de 700MHz Anatel trabalhando proximamente ao Ministério das Comunicações Importante ferramenta para expansão da banda larga móvel Grandes eventos internacionais crescimento de tráfego de dados das redes de banda larga Demandas dos órgãos de segurança pública e do setor de infraestrutura crescimento da demanda por serviços móveis com operação em banda larga Aceleração do acesso ao SBTVD-T e atendimento dos objetivos do PNBL Encontra-se em consulta pública até 14/4/2013

29 CP Regulamento de Atendimento e Cobrança Um ÚNICO regulamento, com regras gerais para o atendimento, cobrança e oferta a consumidores das principais aplicações (telefonia fixa, móvel, banda larga e TV por Assinatura) aperfeiçoando regras e ampliando os direitos e os mecanismos de proteção aos consumidores Pontos a serem discutidos na proposta: Atendimento pela Internet Setor de Relacionamento Adequação ao decreto SAC Oferta conjunta Comparação de ofertas Cobrança Reparação Qualidade Outros CP até 17/04/2013

30 Obrigado!

O Setor de Telecomunicações

O Setor de Telecomunicações O Setor de Telecomunicações 2ª CODE Conferência do Desenvolvimento IPEA/2011 Brasília, 25 de novembro de 2011 Eduardo Levy 83 empresas representadas 17 empresas associadas Serviços de telefonia fixa Serviços

Leia mais

As TIC como Motor para o Desenvolvimento

As TIC como Motor para o Desenvolvimento As TIC como Motor para o Desenvolvimento 7º Fórum Lusófono das Comunicações 18 fevereiro 2016 Agenda Overview do país As necessidades e desafios do mercado das telecomunicações em STP O papel da CST no

Leia mais

IPTV. Fundamentos e Sistemas Multimídia. Alex da Costa Castro e Fabiano Rocha Abreu UFF Universidade Federal Fluminense Profª.

IPTV. Fundamentos e Sistemas Multimídia. Alex da Costa Castro e Fabiano Rocha Abreu UFF Universidade Federal Fluminense Profª. IPTV Fundamentos e Sistemas Multimídia Alex da Costa Castro e Fabiano Rocha Abreu UFF Universidade Federal Fluminense Profª.: Débora IPTV Introdução Serviços IPTV Componentes da Infra-estrutura da Rede

Leia mais

Redes e Serviços Convergentes para o Brasil Digital

Redes e Serviços Convergentes para o Brasil Digital Redes e Serviços Convergentes para o Brasil Digital Telebrasil 2007 - Costa do Sauípe - Bahia Antônio Carlos Valente 01 de Junho de 2007 Indicadores das maiores operadoras européias Telefonia Fixa Banda

Leia mais

SENTIDOS E DESAFIOS DE OTT PARA PROFISSIONAIS: BROADCAST TRADICIONAL E BROADCAST STREAMING. Vitor Oliveira

SENTIDOS E DESAFIOS DE OTT PARA PROFISSIONAIS: BROADCAST TRADICIONAL E BROADCAST STREAMING. Vitor Oliveira SENTIDOS E DESAFIOS DE OTT PARA PROFISSIONAIS: BROADCAST TRADICIONAL E BROADCAST STREAMING Vitor Oliveira 1 Agenda: 1. OTT SIGNIFICADOS 2. RISCO MORAL 3. DESAFIOS REGULATÓRIOS DO VoD 4. CONVERGÊNCIA E

Leia mais

TV Digital Interativa: Oportunidade ou Sonho? TV Digital

TV Digital Interativa: Oportunidade ou Sonho? TV Digital TV Digital Interativa: Oportunidade ou Sonho? Luiz Fernando Gomes Soares Departamento de Informática PUC-Rio lfgs@inf.puc-rio.br Resumo. Esta apresentação discute primeiramente as características da TV

Leia mais

Políticas de incentivo a provedores regionais

Políticas de incentivo a provedores regionais 14º Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo a provedores regionais Montes Claros, julho de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE, PNAD Acessos fixos e móveis

Leia mais

PLANO BÁSICO DE DISTRIBUIÇÃO DE CANAIS DIGITAIS - PBTVD

PLANO BÁSICO DE DISTRIBUIÇÃO DE CANAIS DIGITAIS - PBTVD PLANO BÁSICO DE DISTRIBUIÇÃO DE CANAIS DIGITAIS - PBTVD Ara A. Minassian Hotel Blue Tree Brasília/DF 18/05/2005 23º Congresso Brasileiro de Radiodifusão Serviços de Radiodifusão de Sons e Imagens Canalização

Leia mais

IoT: Políticas e Infraestrutura

IoT: Políticas e Infraestrutura Ministério das Comunicações IoT: Políticas e Infraestrutura A Evolução da Internet das Coisas no Brasil. FIESP, São Paulo 29/07/2015 PNBL para PBLT Banda Larga para Todos Chegar a 90% dos municípios com

Leia mais

UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES

UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES UNIVERSALIZAÇÃO DA BANDA LARGA E OS PROVEDORES REGIONAIS ERICH RODRIGUES Introdução 1 Abrint 2 4 3 Onde atuamos Qual taxa de crescimento Financiamento 5 PGMC ABRINT QUEM SOMOS Entidade sem fins lucrativos

Leia mais

Missão: Ajudar nossos clientes a fazerem melhores negócios agora!

Missão: Ajudar nossos clientes a fazerem melhores negócios agora! Missão: Ajudar nossos clientes a fazerem melhores negócios agora! iopera do better business now apresenta: Caso de estudo BUSINESS ANALYTICS CRIAÇÃO DA OFERTA DE PRODUTOS E SERVIÇOS GERAÇÃO DE LEADS ALTAMENTE

Leia mais

Leitura Complementar: Redes de Acesso

Leitura Complementar: Redes de Acesso Leitura Complementar: Redes de Acesso Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br Redes de Acesso? Agenda Introdução Visão de uma Rede Broadband A Rede de Acesso Tecnologias de rede de acesso Crescimento da

Leia mais

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Brasília

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Brasília Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados Expo Money Brasília Conhecendo a TIM Aniversário de 15 anos de Listagem TIM: Uma Gigante Brasileira Crescimento Orgânico Receita Bruta (R$ Bi) 27,8 Base

Leia mais

O Papel dos Provedores Regionais na disseminação da Banda Larga

O Papel dos Provedores Regionais na disseminação da Banda Larga O Papel dos Provedores Regionais na disseminação da Banda Larga Cenário da Demanda e Oferta de Banda Larga no Brasil: Desafios e Oportunidades São Paulo 28 de Junho de 2017 CGI.br Comitê Gestor da Internet

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I Redes de Computadores I Prof.ª Inara Santana Ortiz Aula 2 Internet Internet Hoje é raro vermos uma LAN, MAN ou WAN isoladas, elas geralmente estão conectadas entre si. A Internet é formada por mais de

Leia mais

700 MHZ EDUARDO LEVY SÃO PAULO, 21 DE AGOSTO DE 2013 CONVIVÊNCIA DA TV E DA BANDA LARGA CONGRESSO DA SET - SOCIEDADE DE ENGENHARIA DE TELEVISÃO

700 MHZ EDUARDO LEVY SÃO PAULO, 21 DE AGOSTO DE 2013 CONVIVÊNCIA DA TV E DA BANDA LARGA CONGRESSO DA SET - SOCIEDADE DE ENGENHARIA DE TELEVISÃO 700 MHZ CONVIVÊNCIA DA TV E DA BANDA LARGA CONGRESSO DA SET - SOCIEDADE DE ENGENHARIA DE TELEVISÃO EDUARDO LEVY SÃO PAULO, 21 DE AGOSTO DE 2013 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 8%

Leia mais

DIFICULDADES PARA INSTALAÇÃO

DIFICULDADES PARA INSTALAÇÃO DIFICULDADES PARA INSTALAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL SEMINÁRIO DO INSTITUTO DE DIREITO APLICADO Brasília, 21 de agosto de 2013 EDUARDO LEVY crescimento do setor de telecomunicações

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Redes de Telecomunicações Prof. Robson Almeida INFRA-ESTRUTURA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 3 TELECOMUNICAÇÕES NAS ORGANIZAÇÕES CONCEITOS BÁSICOS Telecomunicações Reúne toda infraestrutura

Leia mais

700 MHZ SENADO FEDERAL CONSELHO NACIONAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL SÉRGIO KERN AS CONSEQUÊNCIAS DA DESTINAÇÃO DA FAIXA BRASÍLIA, 02 DE DEZEMBRO DE 2013

700 MHZ SENADO FEDERAL CONSELHO NACIONAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL SÉRGIO KERN AS CONSEQUÊNCIAS DA DESTINAÇÃO DA FAIXA BRASÍLIA, 02 DE DEZEMBRO DE 2013 AS CONSEQUÊNCIAS DA DESTINAÇÃO DA FAIXA 700 MHZ PARA OS SERVIÇOS DE BANDA LARGA MÓVEL 4G SENADO FEDERAL CONSELHO NACIONAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL SÉRGIO KERN BRASÍLIA, 02 DE DEZEMBRO DE 2013 crescimento

Leia mais

LEI GERAL DAS ANTENAS:

LEI GERAL DAS ANTENAS: LEI GERAL DAS ANTENAS: O IMPACTO NAS CIDADES RIO DE JANEIRO, 3 E 4 DE JUNHO DE 2013 CARLOS DUPRAT crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 8% 10% telefonia móvel banda larga fixa 27% 60%

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO 4G. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2014 CARLOS DUPRAT

IMPLANTAÇÃO DO 4G. Rio de Janeiro, 13 de maio de 2014 CARLOS DUPRAT IMPLANTAÇÃO DO 4G Rio de Janeiro, 13 de maio de 2014 CARLOS DUPRAT sumário números do setor demanda por infraestrutura investimentos do setor dificuldades para ampliação da infraestrutura faixa de 700

Leia mais

TV: Mais um passo em direção à. Convergência. IPTV WORLD FORUM LATIN AMERICA Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2007

TV: Mais um passo em direção à. Convergência. IPTV WORLD FORUM LATIN AMERICA Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2007 TV: Mais um passo em direção à Convergência IPTV WORLD FORUM LATIN AMERICA Rio de Janeiro, 30 de janeiro de 2007 ATUAÇÃO DO GRUPO TELEMAR DADOS DO ÚLTIMO BALANÇO SETEMBRO/2006 14,4 milhões de linhas fixas

Leia mais

25º Encontro Provedores Regionais NITERÓI/RJ, 13/09/2016

25º Encontro Provedores Regionais NITERÓI/RJ, 13/09/2016 25º Encontro Provedores Regionais NITERÓI/RJ, 13/09/2016 Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações - MCTIC POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO À BANDA LARGA O Programa Nacional de Banda Larga

Leia mais

Mercado de Trabalho e o Futuro do Setor de Serviços

Mercado de Trabalho e o Futuro do Setor de Serviços Mercado de Trabalho e o Futuro do Setor de Serviços Seminário Terceirização, Evolução e Marco Legal Brasília, 06 de dezembro de 2011 Eduardo Levy histórico do setor de telecomunicações Serviços de telefonia

Leia mais

Apresentação de Serviço Internet Fixa Biz

Apresentação de Serviço Internet Fixa Biz Apresentação de Serviço Internet Fixa Biz queres Índice Apresentação do Serviço... 2 Principais Características e Vantagens...2 Tarifário... 3 Serviços Incluídos e Condições Especiais...3 Aditivo Router

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE BANDA LARGA NO BRASIL ( ): CRÍTICAS E IMPASSES

POLÍTICAS PÚBLICAS DE BANDA LARGA NO BRASIL ( ): CRÍTICAS E IMPASSES POLÍTICAS PÚBLICAS DE BANDA LARGA NO BRASIL (2014-2017): CRÍTICAS E IMPASSES Rafael A. F. Zanatta, Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Senado Federal, 24/05/17 O Idec Organização civil criada

Leia mais

características compartilhamento de recursos sem necessidade de um elemento centralizador ciclos de CPU, armazenamento, banda...

características compartilhamento de recursos sem necessidade de um elemento centralizador ciclos de CPU, armazenamento, banda... tecnologias p2p Androutsellis-Theotokis, S. and Spinellis, D. 2004. A survey of peer-to-peer content distribution technologies. ACM Comput. Surv. 36, 4 (Dec. 2004), 335-371. o que é p2p? sistemas onde

Leia mais

Ali l a i n a ç n a Ind n us u tri r a i l a l com m a a Portugal Telecom 28 de julho de 2010

Ali l a i n a ç n a Ind n us u tri r a i l a l com m a a Portugal Telecom 28 de julho de 2010 Aliança Industrial com a Portugal Telecom 28 de julho de 2010 SEÇÃO 1 Racional da Transação Grupo Oi: Operador de Telecomunicações Líder no Brasil Grupo Oi é o Líder no mercado Brasileiro de Telecomunicações,

Leia mais

Compartilhamento de Infraestrutura

Compartilhamento de Infraestrutura Compartilhamento de Infraestrutura Telefônica do Brasil S/A. 11.2012 1 Os benefícios do compartilhamento geram cada vez mais acordos,com maior nível de integração Economia em custos e investimentos Infra

Leia mais

AGENDA O BRASIL DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO ARQUITETURA DE TECNOLOGIA ÚLTIMOS NÚMEROS

AGENDA O BRASIL DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO ARQUITETURA DE TECNOLOGIA ÚLTIMOS NÚMEROS SET 2016 AGENDA O BRASIL DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO ARQUITETURA DE TECNOLOGIA ÚLTIMOS NÚMEROS O BRASIL 4:31h Tempo vendo TV 38% Domicílios com Banda Larga 4:59h Tempo na Internet 168MM Smartphones no Brasil

Leia mais

Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO

Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO Quem somos Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços

Leia mais

II-2 Meios de transmissão

II-2 Meios de transmissão II-2 Meios de transmissão Comunicações ISEL - ADEETC - Comunicações 1 Sumário 1. Transmissão não ideal Atenuação, Distorção, Ruído e Interferência Causas de erros na comunicação digital 2. Meios de transmissão

Leia mais

133 anos de Serviço Universal de Telecomunicações em Portugal

133 anos de Serviço Universal de Telecomunicações em Portugal ORDEM DOS ENGENHEIROS AVEIRO 133 anos de Serviço Universal de Telecomunicações em Portugal MsC. Raquel Castro Madureira Prof. Dr. A. Manuel de Oliveira Duarte Prof.ª Dr.ª Raquel Matias-Fonseca Raquel Castro

Leia mais

Meios Físicos Cont. Espectro Eletromagnético

Meios Físicos Cont. Espectro Eletromagnético Meios Físicos Cont. Pares Metálicos Cabo coaxial Par Trançado Condutores Óticos Fibra Rádio Microondas Satélites Infravermelho Espectro Eletromagnético 1 Espectro Eletromagnético Frequências 30MHz to 1GHz

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

UBS CEO CONFERENCE. 21 de março de 2006

UBS CEO CONFERENCE. 21 de março de 2006 UBS CEO CONFERENCE 21 de março de 2006 1 Disclaimer Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

36 PAINEL TELE.SÍNTESE

36 PAINEL TELE.SÍNTESE 36 PAINEL TELE.SÍNTESE 4G E A FAIXA DE 700 MHz OS ESTUDOS DE INTERFERÊNCIA Brasília DF, 4 de fevereiro de 2014 HISTÓRICO SOBRE A LIBERAÇÃO DA FAIXA: CONSULTA PÚBLICA N 12/2012 da Anatel: sinalização da

Leia mais

UMG MODULAR 300. Aplicações Típicas. Principais Características. Visão Geral USER MEDIA GATEWAY E1, VOIP, GSM, FXS AND FXO

UMG MODULAR 300. Aplicações Típicas. Principais Características. Visão Geral USER MEDIA GATEWAY E1, VOIP, GSM, FXS AND FXO USER MEDIA GATEWAY E1, VOIP, GSM, FXS AND FXO Principais Características Aplicações Típicas Modular, de acordo com o cenário que será utilizado 2 portas Ethernet Giga 10 contas SIP + quantidade máxima

Leia mais

Nasceu para atendimento demanda interna comunicação de dados usinas e telefonia. Anos 70, 80 - comunicação por rádio. Anos 90 - Sistema UHF/microondas

Nasceu para atendimento demanda interna comunicação de dados usinas e telefonia. Anos 70, 80 - comunicação por rádio. Anos 90 - Sistema UHF/microondas Sobre a COPEL Telecom Nasceu para atendimento demanda interna comunicação de dados usinas e telefonia 1970 - inicialmente uma Divisão subordinada ao Departamento de Engenharia da Copel Anos 70, 80 - comunicação

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Revisão dos Contratos de Concessão: o que precisa mudar? Perspectivas sobre o futuro das concessões de STFC 39º Encontro Tele.Síntese Ministério das Comunicações Evolução dos serviços de telecomunicações

Leia mais

Grandes tendências globais de empreendedorismo

Grandes tendências globais de empreendedorismo Grandes tendências globais de empreendedorismo Seminário Brasil/Portugal A inovação e o empreendedorismo como desafio comum de transformação São Paulo, 10 de junho de 2016 Conteúdo dessa apresentação Importância

Leia mais

CENÁRIO NO PROVIMENTO DE INTERNET NO BRASIL. SÃO PAULO IX Fórum 10 DEZEMBRO/2016

CENÁRIO NO PROVIMENTO DE INTERNET NO BRASIL. SÃO PAULO IX Fórum 10 DEZEMBRO/2016 CENÁRIO NO PROVIMENTO DE INTERNET NO BRASIL SÃO PAULO IX Fórum 10 DEZEMBRO/2016 SCM Banda larga no Brasil Mapa de faixa de velocidade* * Taxa de Transmissão Fonte: http://especiais.g1.globo.com/tecnologia/banda-larga-brasil/2015/

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Oferta Vivo Internet"

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Oferta Vivo Internet REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Oferta Vivo Internet" 1. Esta Promoção é realizada pela Telefônica Brasil S.A, doravante denominada Vivo, nas seguintes condições: Das Definições Para esta Promoção, aplicam-se

Leia mais

Aplicações de Mobilidade. para Serviços Públicos_

Aplicações de Mobilidade. para Serviços Públicos_ Aplicações de Mobilidade para Serviços Públicos_ 1. Nova Era_ Nos últimos 4 anos o tráfego de voz cresceu 10%... O de tráfego de dados cresceu mais de 400% Tráfego de Dados Móveis TV e vídeos puxarão

Leia mais

Limite de Franquia de tráfego: faz sentido? Ayub, CTO da UPX

Limite de Franquia de tráfego: faz sentido? Ayub, CTO da UPX Limite de Franquia de tráfego: faz sentido? Ayub, CTO da UPX UPX Technologies CDN Para aceleração de sites (WAA) Para proteção de sites (WAF) Para transmissão de áudio e vídeo (streaming) IP Transit Provider

Leia mais

Geraldo Neto Gerente de relações governamentais 700 MHz Convivência entre LTE e TV Digital

Geraldo Neto Gerente de relações governamentais 700 MHz Convivência entre LTE e TV Digital Geraldo Neto Gerente de relações governamentais 700 MHz Convivência entre LTE e TV Digital 1 A faixa de 700 MHz Convivência entre LTE e TV Digital Teste encomendado pela Abinee e patrocinado por Alcatel-Lucent,

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AGRONEGÓCIO. Maio de 2017

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AGRONEGÓCIO. Maio de 2017 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NO AGRONEGÓCIO Maio de 2017 O OBJETIVO DA PESQUISA FOI IDENTIFICAR O GRAU DE ACESSO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TIC) POR PARTE DOS AGRONEGÓCIOS. 4.467 produtores

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL

TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA CARLOS DUPRAT BRASÍLIA, 05 DE MAIO DE 2015 1. O crescimento da demanda 2.

Leia mais

Jorge Salomão Pereira. Novos Cabos Submarinos : um segundo ciclo de investimentos

Jorge Salomão Pereira. Novos Cabos Submarinos : um segundo ciclo de investimentos Jorge Salomão Pereira Novos Cabos Submarinos : um segundo ciclo de investimentos Cabos submarinos: espinha dorsal da conexões de alta capacidade Crescimento acelerado Ano Tráfego Mundial IP 1992 100 Gb/dia

Leia mais

Computação em Grid e em Nuvem

Computação em Grid e em Nuvem Computação em Grid e em Nuvem Grids Computacionais Características Infraestrutura Produtos Exemplos Computação em Nuvem Características Modelos Infraestrutura Exemplos 1 Grids Computacionais Definição

Leia mais

Soluções para Transmissão de Vídeo Digital IP utilizando plataformas Satélite e Terrestre

Soluções para Transmissão de Vídeo Digital IP utilizando plataformas Satélite e Terrestre Soluções para Transmissão de Vídeo Digital IP utilizando plataformas Satélite e Terrestre Marcos Mandarano 30-31 Janeiro 2007 Informações de direitos exclusivos. Não pode ser reproduzido sem autorização

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Ranking de Índice de Desenvolvimento de TIC

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Ranking de Índice de Desenvolvimento de TIC O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Ranking de Índice de Desenvolvimento de TIC Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Dezembro de 2016 RELATORIO - TELEBRASIL_V1

Leia mais

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco TV Analógica e Digital O Padrão de Televisão Digital Nacional Prof. Márcio Lima E-mail:marcio.lima@upe.poli.br 01.07.2014 Introdução No Brasil,

Leia mais

AULA 2 - INTERNET. Prof. Pedro Braconnot Velloso

AULA 2 - INTERNET. Prof. Pedro Braconnot Velloso AULA 2 - INTERNET Prof. Pedro Braconnot Velloso Começo da Internet Lançamento do Sputnik I Primeiro satélite artificial Russo Reação dos EUA 1958 - Presidente Eisenhower Advanced Research Projects Agency

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Oferta de Vivo Internet Fixa e Vivo HDTV"

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Oferta de Vivo Internet Fixa e Vivo HDTV REGULAMENTO DA PROMOÇÃO Oferta de Vivo Internet Fixa e Vivo HDTV" Esta Promoção é realizada pela Telefônica Brasil S.A, doravante denominada Vivo, nas seguintes condições: A promoção decorre de oferta

Leia mais

Módulo 6 Compressão Vídeo Sistemas Multimédia

Módulo 6 Compressão Vídeo Sistemas Multimédia Módulo 6 Compressão Vídeo Sistemas Multimédia Universidade de Aveiro 1 Sumário O sinal vídeo O vídeo digital- CCITT 601 Os formatos de vídeo Compressão de vídeo Redução de informação Redundância temporal

Leia mais

DESAFIOS PARA A INSTALAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES

DESAFIOS PARA A INSTALAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES DESAFIOS PARA A INSTALAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES COMISSÃO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO SÃO PAULO, 17 DE NOVEMBRO DE 2015 CARLOS DUPRAT AGENDA 1. Números do

Leia mais

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO?

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? A OCUPAÇÃO DE ESPECTRO, O COMPARTILHAMENTO E OUTRAS QUESTÕES CONCEITUAIS É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO 43º ENCONTRO TELE.SÍNTESE

Leia mais

Gerenciamento de Conteúdo Web CMS Joomla. Luiz C B Martins

Gerenciamento de Conteúdo Web CMS Joomla. Luiz C B Martins Gerenciamento de Conteúdo Web CMS Joomla Luiz C B Martins luizmartins@unb.br Objetivo do Curso Usar as ferramentas e os conceitos básicos da plataforma Joomla para gerenciar e atualizar páginas na internet

Leia mais

Meios de transmissão. Comunicações (23 Abril 2009) ISEL - DEETC - Comunicações 1

Meios de transmissão. Comunicações (23 Abril 2009) ISEL - DEETC - Comunicações 1 Meios de transmissão (23 Abril 2009) 1 Sumário 1. Transmissão não ideal 1. Atenuação, Distorção, Ruído e Interferência 2. Meios de transmissão 1. Pares Entrelaçados 1. UTP Unshielded Twisted Pair 2. STP

Leia mais

12/08/2014. Esclarecimentos quanto às condições de uso de RF na subfaixa de ,5 MHz por transceptores de radiação restrita

12/08/2014. Esclarecimentos quanto às condições de uso de RF na subfaixa de ,5 MHz por transceptores de radiação restrita No Brasil a utilização das Frequências Wireless é regulamentada pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações), atualmente regida pela Resolução 365/2004. Prof. Marcel Santos Silva Redes Wireless 2

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências. O que é Femtocell? Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Femtocell, pequenas estações rádio base (ERB's) desenvolvidas para operar dentro de residências. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco

Leia mais

Marco Civil da Internet

Marco Civil da Internet Marco Civil da Internet Marco Civil da Internet O Brasil discutiu durante quatro anos o Marco Civil da Internet, considerado hoje uma lei pioneira no mundo ao estabelecer regras, direitos e deveres no

Leia mais

STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA. Willian Prenzler de Souza

STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA. Willian Prenzler de Souza STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA Willian Prenzler de Souza 1 TELECOM NO BRASIL Com o crescimento do serviço de banda larga fixa no Brasil, nos últimos 10 anos, hoje os provedores regionais (ISP),

Leia mais

2016: Um ano de recuperação

2016: Um ano de recuperação 2016: Um ano de recuperação Cenário macro ainda difícil, mas com perspectiva de melhora... aliada à uma profunda recuperação operacional... mostrando uma recuperação consistente nos resultados de 2016

Leia mais

Informática. Transferência de Arquivos e Dados. Professor Márcio Hunecke.

Informática. Transferência de Arquivos e Dados. Professor Márcio Hunecke. Informática Transferência de Arquivos e Dados Professor Márcio Hunecke www.acasadoconcurseiro.com.br Informática TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS E DADOS Upload e Download Em tecnologia, os termos download e

Leia mais

TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções N 38/95, 15/96 e 20/96 do Grupo Mercado Comum.

TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções N 38/95, 15/96 e 20/96 do Grupo Mercado Comum. MERCOSUL/GMC/RES. N 61/01 PAUTAS NEGOCIADORAS DO SGT N 1 COMUNICAÇÕES TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções N 38/95, 15/96 e 20/96 do Grupo Mercado Comum. CONSIDERANDO:

Leia mais

Streaming. Por Gloria Braga

Streaming. Por Gloria Braga Streaming Por Gloria Braga O STREAMING é uma tecnologia de transmissão O streaming não é uma forma nova de utilização musical, mas tão somente uma nova forma de se transmitir arquivos de conteúdo variável,

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Capítulo 4: Introdução às Telecomunicações nas Empresas Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da Internet James A. O'Brien Editora Saraiva The McGraw-Hill Companies, Inc., 1999 Objetivos

Leia mais

Pós-Graduação em Computação Distribuída e Ubíqua

Pós-Graduação em Computação Distribuída e Ubíqua Pós-Graduação em Computação Distribuída e Ubíqua INF628 - Engenharia de Software para Sistemas Distribuídos Arquiteturas para Cloud Computing Sandro S. Andrade sandroandrade@ifba.edu.br Objetivos Apresentar

Leia mais

Monitorando o WiFi Livre SP

Monitorando o WiFi Livre SP Monitorando o WiFi Livre SP Fausto Nogueira Peralta Henrique de Moraes Holschuh GTER42-08/12/2016 Objetivo Expor como foi implementado o monitoramento do projeto WiFi Livre SP utilizando ferramenta SimetBox,

Leia mais

GOVERNANÇA E GESTÃO DE TIC. Câmara dos Deputados

GOVERNANÇA E GESTÃO DE TIC. Câmara dos Deputados GOVERNANÇA E GESTÃO DE TIC Câmara dos Deputados GOVERNANÇA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS Comitê de Gestão Estratégica Escritório Corporativo de Gestão Estratégica Comitês Setoriais de Gestão Escritórios Setoriais

Leia mais

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Professora Andréia Freitas 2013 7 semestre Aula 06 MEMORIA, F. Design para a Internet. 1ª Edição. Rio de Janeiro: Campus, 2005. ALVES, W. P. Crie, anime

Leia mais

CIDADE INTELIGENTE. É composto por diversos sistemas modulares, podendo ser implantados conforme a necessidade do município.

CIDADE INTELIGENTE. É composto por diversos sistemas modulares, podendo ser implantados conforme a necessidade do município. CIDADE INTELIGENTE CIDADE INTELIGENTE O projeto Cidade Inteligente foi desenvolvido pela ENW com o objetivo de inclusão social, qualidade de vida, além de modernizar a estrutura pública e prover novos

Leia mais

10 oportunidades para a distribuição de conteúdos digitais

10 oportunidades para a distribuição de conteúdos digitais 10 oportunidades para a distribuição de conteúdos digitais Com Erick Krulikowski (Consultor para Distribuição nacional) Com base nos levantamentos da Meta 1 do projeto Consumo em Rede, o consultor Erick

Leia mais

ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS COMUNICAÇOES. REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL

ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS COMUNICAÇOES. REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL [. ERICSON M. SCORSIM DIREITO DAS - COMUNICAÇOES REGIME JURíDICO: Telecomunicações, Internet Televisão e Publicidade. B18UOTECA DO SENADO FEDERAL SUMÁRIO APRESENTAÇÃO DO DIREITO DAS COMUNICAÇÔES....13

Leia mais

A Gestão do Espectro Desafios Nacionais e Padrões Globais

A Gestão do Espectro Desafios Nacionais e Padrões Globais 43 º Encontro Tele.Síntese A Gestão do Espectro Desafios Nacionais e Padrões Globais Brasília, DF, 01 de dezembro de 2015 José Leite Pereira Filho Professor da Universidade de Brasília e Consultor Conselheiro

Leia mais

A PUBLICIDADE ENTRE AS GERAÇÕES

A PUBLICIDADE ENTRE AS GERAÇÕES A PUBLICIDADE ENTRE AS GERAÇÕES ABA Insights 27 de Outubro de 26 CONTEÚDO GERAÇÕES Y Z 2 3 Quem são eles? O que eles pensam sobre publicidade? Como eles evitam a publicidade? 2 GERAÇÕES GERAÇÕES Y Z Gen

Leia mais

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CONCEITO DE REDE DE COMPUTADORES PROFESSOR CARLOS MUNIZ

INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CONCEITO DE REDE DE COMPUTADORES PROFESSOR CARLOS MUNIZ INTRODUÇÃO À TECNOLOGIA DA CONCEITO DE REDE DE COMPUTADORES PROFESSOR CARLOS MUNIZ INTRODUÇÃO Redes de computadores são estruturas físicas (equipamentos) e lógicas (programas, protocolos) que permitem

Leia mais

NET e Claro estreiam nova campanha institucional

NET e Claro estreiam nova campanha institucional NET e Claro estreiam nova campanha institucional Enviado por D REDÇÃO 13-br-2016 PQN - O Portal da Comunicação NET e Claro estrearam a campanha institucional Gigantes, em que se apresentam como uma só

Leia mais

Voz sobre IP VoIP telefonia IP telefonia Internet telefonia em banda larga voz sobre banda larga Públicas Privadas Telefonia IP

Voz sobre IP VoIP telefonia IP telefonia Internet telefonia em banda larga voz sobre banda larga Públicas Privadas Telefonia IP Voz sobre IP Voz sobre IP, também chamada de VoIP (Voice over Internet Protocol), telefonia IP, telefonia Internet, telefonia em banda larga ou voz sobre banda larga é o roteamento de conversação humana

Leia mais

Acesso Múltiplo por divisão de Código (CDMA) é o nome de uma tecnologia usada para comunicação sem fio em que o transporte das

Acesso Múltiplo por divisão de Código (CDMA) é o nome de uma tecnologia usada para comunicação sem fio em que o transporte das Acesso Múltiplo por divisão de Código () é o nome de uma tecnologia usada para comunicação sem fio em que o transporte das informações ocorre por meio de ondas de rádio. O foi desenvolvido primeiro nos

Leia mais

Operadoras Competitivas Negócios de VALOR

Operadoras Competitivas Negócios de VALOR Operadoras Competitivas Negócios de VALOR No Brasil a penetração da banda larga fixa nos domicílios ainda é baixa Cresceu de 10M em 2008 para 14,4M agora A banda larga fixa é referência abrangente do desenvolvimento

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Bem-vindo. Suporte

Bem-vindo. Suporte Suporte Bem-vindo Nosso suporte técnico está a sua disposição 24h por dia 7 dias por semana, é importante que você, nosso assinante, entre em contato conosco quando quiser conhecer mais serviços ou em

Leia mais

Resultados 3T11. Telefônica Brasil S.A. São Paulo, 10 de Novembro de Relações com Investidores Telefónica do Brasil

Resultados 3T11. Telefônica Brasil S.A. São Paulo, 10 de Novembro de Relações com Investidores Telefónica do Brasil Resultados 3T11 Telefônica Brasil S.A. São Paulo, 10 de Novembro de 2011. Disclaimer Para fins de comparabilidade, os números do 3T10, acumulado 2011 e 2010 foram elaborados de forma combinada. Desta forma,

Leia mais

O Case da NET ROCINHA

O Case da NET ROCINHA O Case da NET ROCINHA Pequeno provedor (Net Rocinha) sediado na favela da Rocinha. Fundado em 2006 após perceber a grande necessidade de acesso na região. Associados desde 2009 na ABRINT. Formalizado em

Leia mais

Informática. Cloud Computing e Storage. Professor Márcio Hunecke.

Informática. Cloud Computing e Storage. Professor Márcio Hunecke. Informática Cloud Computing e Storage Professor Márcio Hunecke www.acasadoconcurseiro.com.br Informática COMPUTAÇÃO EM NUVEM Cloud Computing ou Computação em Nuvem pode ser definido como um modelo no

Leia mais

Seminário Ministério das Comunicações Anatel e Abert

Seminário Ministério das Comunicações Anatel e Abert Seminário Ministério das Comunicações Anatel e Abert O Novo Papel da Anatel na Radiodifusão MARCONI THOMAZ DE SOUZA MAYA Superintendente de Serviços de Comunicação de Massa Recife, 4 de maio de 2012 O

Leia mais

Audiência Pública nº 02/2017

Audiência Pública nº 02/2017 Audiência Pública nº 02/2017 Chamamento Público para celebração de contrato de cessão da capacidade satelital em Banda Ka do SGDC Brasília, 23 de Fevereiro de 2017 Horário: 10h Agenda Data: 23/02/2017

Leia mais

Redes de Computadores. Técnico em Informática - Integrado Prof. Bruno C. Vani

Redes de Computadores. Técnico em Informática - Integrado Prof. Bruno C. Vani Redes de Computadores Técnico em Informática - Integrado Prof. Bruno C. Vani Internet: aplicações diversas tostadeira Porta-retratos TV a cabo Refrigerador telefones Visão geral da Internet: PC servidor

Leia mais

Internet e negócios O que mudou? Cassio De Matos Silva Rodrigo Fernandes da Costa

Internet e negócios O que mudou? Cassio De Matos Silva Rodrigo Fernandes da Costa Internet e negócios O que mudou? Cassio De Matos Silva 5909002 Rodrigo Fernandes da Costa 6793073 Sumário Introdução Histórico Vantagens e limitações Exemplos Referências Introdução Tipos de negócios básicos:

Leia mais

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS ALEXANDER CASTRO BRASÍLIA, 1º DE MARÇO DE 2016 Solução para novo modelo de telecomunicações precisa garantir a estabilidade

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO

SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO SET EXPO 2016 Vitor Elisio Goes de Oliveira Menezes Superintendente Sistema de Controle de Radiodifusão SCR O que é o Mosaico? Administração Administração

Leia mais

SERVIÇOS OVER THE TOP E TELECOMUNICAÇÕES: IMPACTOS, DESAFIOS E OPORTUNIDADES

SERVIÇOS OVER THE TOP E TELECOMUNICAÇÕES: IMPACTOS, DESAFIOS E OPORTUNIDADES SERVIÇOS OVER THE TOP E TELECOMUNICAÇÕES: IMPACTOS, DESAFIOS E OPORTUNIDADES ICT WEEK PLATAFORMAS DIGITAIS E SERVIÇOS OTT S ALEXANDER CASTRO BRASÍLIA, 22 DE SETEMBRO DE 2016 Quem somos Sindicato Nacional

Leia mais

3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL

3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL O impacto da Portabilidade Numérica nas Operadoras, Mercado e Clientes Luiz Antonio Vale Moura Assessor do Conselho Diretor ANATEL 1 Política Pública: 1. Lei n 9.472, de 16 de

Leia mais

EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil

EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil EAQ Entidade Aferidora da Qualidade de Banda Larga Workshop 5: Qualidade da Banda Larga no Brasil 21 de maio de 2013 Workshop de Qualidade da Banda Larga 1. Introdução 2. A origem 3. Infraestrutura e Cadeia

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio em Informática Forma Integrada Disciplina: Informática Prof. Leandro Camargo

Curso Técnico de Nível Médio em Informática Forma Integrada Disciplina: Informática Prof. Leandro Camargo Curso Técnico de Nível Médio em Informática Forma Integrada Disciplina: Informática Prof. Leandro Camargo leandrocamargo@ifsul.edu.br www.leandrocamargo.com.br Redes de Computadores História Como e onde

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO ROTEADOR INTELBRAS IWR-3000N

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO ROTEADOR INTELBRAS IWR-3000N MANUAL DE CONFIGURAÇÃO ROTEADOR INTELBRAS IWR-3000N AVISO IMPORTANTE CARO CLIENTE, A NAXI FIBRA disponibiliza em sua residência/empresa, por padrão, dois equipamentos: ONU (Modem Óptico / Dispositivo Branco);

Leia mais

33º Encontro de Provedores Regionais

33º Encontro de Provedores Regionais 33º Encontro de Provedores Regionais Cenário da Demanda e Oferta de Banda Larga no Brasil: Desafios e Oportunidades Campinas 11 de Julho de 2017 CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil NIC.br Núcleo

Leia mais