CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS"

Transcrição

1 CONTROLE DA SAÚDE DO TRABALHADOR NAS EMPRESAS Dr. Ailton Luis da Silva Tel: (11)

2 Modelos de Serviços de Saúde Ocupacional existentes. A Convenção nº 161 da OIT, em seu artigo 7 permite as seguintes modalidades. ORGANIZADOS POR PODERES PÚBLICOS OU SERVIÇOS OFICIAIS SESMT TERCEIRIZAÇÃO (Consultorias) COMBINAÇÃO DAS DUAS ANTERIORES (Terceirização Parcial) COLETIVO

3 MEDICINA DO TRABALHO DEFINIÇÃO : Saúde pública dirigida para uma comunidade de trabalhadores. -Considera além do indivíduo a coletividade dos trabalhadores. -Usa a epidemiologia como ferramenta além da propedêutica -OBJETIVO: postura de antecipação e prevenção dos agravos à saúde. -Promoção da Saúde -Prevenção da Doença -Diagnóstico e Tratamento Precoces -OUTRAS AÇÕES NECESSÁRIAS: Limitação da Incapacidade Reabilitação

4 ELABORAÇÃO DE PROGRAMAS DE SAÚDE Programa Projeto, Plano Todo programa está sujeito a mudanças PCMSO : É um planejamento das ações necessárias na área de saúde ocupacional de uma ou mais empresas Requisitos 1. Conhecimento da população envolvida 2. Conhecimento de todos os riscos envolvidos 3. Elaboração das ações, dos exames necessários com a devida periodicidade 4. Possuir equipe treinada para atingir os objetivos e as metas 5. Imputar os dados em um sistema eletrônico que permita tabulação de acordo com a epidemiologia 6. Estudo dos relatórios para mudanças se necessário

5 1 - CONHECIMENTO DA POPULAÇÃO ENVOLVIDA Perfil de Saúde do grupo de pessoas envolvidas Questionários dirigidos (Exame periódico) Entrevistas realizadas pelo médico ou por membro da equipe Divisão da população por sexo, raça, idade, peso, altura, etc. Dados positivos do exame físico realizado Dados de alguns resultados de exames complementares Tabulação e análise dos dados para conclusões epidemiológicas Conhecimento dos fatores de risco à saúde da população Ações educativas e de intervenção preventiva

6 2 - CONHECIMENTO DOS AMBIENTES ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO Condição dos postos de trabalho Reconhecimento e quantificação dos riscos Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonômicos Riscos Psicossociais

7 ETIOLOGIA DAS PRINCIPAIS DOENÇAS O mecanismo de aparecimento e desenvolvimento da maioria das doenças é explicado por modelos multicausais como: Estilo de vida 53%; Fatores Ambientais 20%; Fatores Biológicos 17%; Fatores Genéticos; Fatores de Desenvolvimento; Acesso aos serviços de saúde 10%. 53% Estilo de Vida 20% Fatores Ambientais 10% Assistência Médica 17% Fatores Biológicos

8 EXEMPLOS DE PROGRAMAS PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO RESPIRATÓRIA PROGRAMA DE CONTROLE DA VOZ PROFISSIONAL PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE DST / AIDS PROGRAMA DE CONTROLE DO STRESS PROGRAMA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL PROGRAMA DA SAÚDE DA MULHER PROGRAMA DE PREVENÇÃO DAS LER / DORTs PROGRAMA PARA DEPENDÊNCIA QUÍMICA

9 VANTAGENS DAS AÇÕES DE PROMOÇÃO À SAÚDE PARA AS ORGANIZAÇÕES Realização de diagnósticos precoces Diminuição de custos com Assistência Médica Diminuição do Ausentismo Melhoria da Imagem junto ao mercado Retenção dos melhores funcionários Maior segurança dos colaboradores Redução da Rotatividade Menores custos com contratações e treinamentos Aumento da produtividade Sem falar no principal objetivo da Saúde ocupacional que é a prevenção

10 COMPETÊNCIAS BÁSICAS REQUERIDAS PARA O EXERCÍCIO DA MEDICINA DO TRABALHO Reconhecer os fatores de risco nos ambientes de trabalho Conhecer os processos de trabalho Proporcionar intervenções de prevenção nos ambientes e processos de trabalho. Assessorar Empregadores e Trabalhadores em questões de prevenção de doenças e Políticas de Saúde. Exercer suas atividades com ética e responsabilidade legal Preparar relatórios e laudos necessários resguardando o sigilo médico Desenvolver ações de promoção e proteção da saúde Montar prontuário médico individual e realizar os exames clínicos necessários.

11 COMPETÊNCIAS BÁSICAS REQUERIDAS PARA O EXERCÍCIO DA MEDICINA DO TRABALHO Solicitar exames complementares e relatórios de médicos especialistas sempre que for necessário. Manter estreito relacionamento com estes profissionais e laboratórios. Estabelecer nexo causal para casos suspeitos de Doenças Ocupacionais. Acompanhar o processo de reabilitação física e profissional valorizando a capacidade de trabalho remanescente. Orientar e participar de Campanhas e Temas de Saúde Orientar sobre a aptidão de pessoas portadoras de necessidades especiais bem como suas limitações Incentivar o trabalhador a procurar opinião médica sobre o seu problema;

12 ATIVIDADES DO MÉDICO DO TRABALHO Atendimento ao Trabalhador. Relacionamentos estreitos com: Outros profissionais do SESMT. Previdência Social. Médicos Assistentes dos funcionários (convênio médico, nossos referenciados, etc.) Laboratórios. Instituições de Pesquisa. Centro de Referência do Trabalhador. Ministério do Trabalho e Emprego. Direção da Empresa.

13 PRONTUÁRIO MÉDICO Passa a considerar toda a vida do trabalhador na Empresa; Deve ser completo em relação a memória dos exames complementares e relatórios médicos; Facilita o reconhecimento das patologias ocupacionais e não ocupacionais; Pode auxiliar o médico assistente do trabalhador; É usado com muita freqüência no momento do letígio.

14 ELABORAÇÃO DO PCMSO Conhecimento dos Ambientes de Trabalho e dos Riscos Existentes Visitas PPRA (Monitoramento Ambiental) ATENDIMENTO AO TRABALHADOR Conhecimento dos Xenobióticos Conhecimento das fases de intoxicação e patologias Realização de Monitoramento biológico quando possível Realização de exames e diagnósticos precoces

15 EM SE TRATANDO DE RISCOS QUÍMICOS: Qual o estado físico do Xenobiótico 1. POEIRAS: 2. FUMOS: 3. FUMAÇAS: 4. NEBLINAS: 5. GASES: 6. VAPORES: FASES DA INTOXICAÇÃO (ETAPAS METABÓLICAS) EXPOSIÇÃO E VIAS DE PENETRAÇÃO TOXICOCINÉTICA (percurso do xenobiótico no organismo) BIOTRANSFORMAÇÃO TOXICODINÂMICA (ação nos órgãos) ARMAZENAMENTO EXCREÇÃO FASE CLÍNICA

16 ESTRUTURA MÍNIMA DO DOCUMENTO BASE (PCMSO) Dados da Empresa Responsável da Empresa Responsável Técnico Médicos examinadores credenciados Registro das ações necessárias Exames médicos ocupacionais obrigatórios Análise do local de trabalho

17 Exames clínicos e complementares necessários com a devida periodicidade. Objetivo -Identificar risco ou doenças em fase subclínica para poder intervir no indivíduo ou no ambiente de trabalho. Deve no mínimo contemplar a NR Níveis de exposição (monitoramento biológico) Quadro I da NR Quadro II da NR Órgãos alvos 4. Exames especiais para determinadas funções de risco 5. Outros efeitos biológicos 6. Outros exames se existirem programas de saúde 7. Campanhas de imunização quando existirem, adequados ao perfil epidemiológico dos trabalhadores

18 CONTROLE MÉDICO EXAMES OCUPACIONAIS OBRIGATÓRIOS 1. EXAME ADMISSIONAL (EXPOSIÇÃO PRÉVIA OU DOENÇAS QUE POSSAM SER AGRAVADAS) 2. EXAME PERIÓDICO (NÍVEIS DE EXPOSIÇÃO) 3. EXAME DE RETORNO AO TRABALHO (CONDIÇÃO LABORATIVA REMANESCENTE) 4. EXAME DE MUDANÇA DE FUNÇÃO (IDEM ADMISSÃO) 5. EXAME DEMISSIONAL CONSULTAS E ORIENTAÇÕES ENCAMINHAMENTOS PARA MPAS E OUTROS PROFISSIONAIS (DEFESA PRÉVIA)

19 PRONTUÁRIO DE EXAME MÉDICO ADMISSIONAL DADOS PESSOAIS E ADMINISTRATIVOS Nome da Empresa Nome do Funcionário Sexo Raça Estado Civil Data de Nascimento Idade Documento de Identidade Registro na Empresa Tipo Sangüíneo Setor RG/CP Ramal Função

20 ANTECEDENTES PESSOAIS E FAMILIARES NEUROLÓGICOS CARDIOVASCULARES ENDÓCRINOS OSTEOMUSCULARES PULMONARES DERMATOLÓGICOS OTOLÓGICOS TABAGISMO ETILISMO DOENÇAS INFECTO-CONTAGIOSAS INTERNAÇÕES ANTERIORES CIRURGIAS ANTERIORES HÁBITOS (VÍCIOS, LAZER)

21 ANTECEDENTES PROFISSIONAIS Empresas Anteriores Funções Anteriores Tempo de Trabalho nas Funções Exposições a Alguns Agentes Conhecidos Acidentes de Trabalho Anteriores Doenças do Trabalho Anteriores Insalubridade Periculosidade Afastamentos do Trabalho Anteriores ANAMNESE GERAL ANAMNESE OCUPACIONAL

22 Peso Altura Feminino D. U. M. Estado Geral Mucosas Aparelho Cardiovascular Aparelho Gastrointestinal Aparelho Respiratório Aparelho Osteomuscular Aparelho Genito Urinário Parede Abdominal Pele e Anexos EXAME FÍSICO GERAL Exames Complementares Data Resultados Apto Inapto Para a Função No Setor Data Nome e C.R.M.

23 EXAME MÉDICO PERIÓDICO Objetivo: Identificar risco ou doenças em fase subclínica para poder intervir no indivíduo ou no ambiente de trabalho. As pessoas que tem o diagnóstico realizado precocemente vivem mais tempo comparadas com aquelas que procuram o médico com o início dos sintomas. Seja o tratamento eficiente ou não. Enfoque - Prevenção Primária e Secundária. Deve no mínimo contemplar a NR-7 realizando-se exames e investigações necessárias para detectar : Níveis de exposição; Órgão alvo; Outros efeitos biológicos.

24 Anual; Quadro I da NR-7; Quadro II da NR-7; EXAME MÉDICO PERIÓDICO PERIODICIDADE Quem necessita vigilância maior. Planejamento - Realizado com antecedência Prioridades Setores de maior risco Programação Prévia Que exames realizar e quando avisar as chefias Metodologia - o que deve ser observado com maior atenção na população.

25 EXAMES COMPLEMENTARES SOLICITADOS Hemograma Audiometria Rx de Tórax Espirometria Exames para monitoramento biológico Exames para verificar órgãos alvos Outros exames Funções que necessitam maior vigilância Exames para complementar diagnósticos Exames para outros programas de saúde Avaliações de especialistas Resultado dos exames com datas Apto Inapto Orientações para o funcionário. Aconselhamentos se necessário Condutas médico administrativas Análise dos resultados para a coletividade

26 PRONTUÁRIO DO EXAME PERIÓDICO Nome Função Inicial e Atual Consultas médicas no período e os motivos História pregressa de acidentes ou doença do trabalho Se havia restrição em exames anteriores, verificar se está sendo cumprida Queixas atuais Número de ausência por doenças ou AT Exame clínico completo com ênfase aos possíveis agravos face aos riscos Anormalidades detectadas

27 EXAME DE RETORNO AO TRABALHO Quando fazer O que deve ser verificado Em afastamentos maiores de 16 dias observar a CREM Que exames complementares solicitar Hemograma Audiometria Rx de Tórax Espirometria Exames para monitoramento biológico Exames para verificar órgãos alvos Outros exames: Funções que necessitam maior vigilância Exames para complementar diagnósticos Exames para outros programas de saúde Avaliações de especialistas Aptidão e Inaptidão

28 EXAME DE MUDANÇA DE FUNÇÃO Quando fazer O que deve ser verificado Que exames complementares solicitar Hemograma Audiometria Rx de Tórax Espirometria Exames para monitoramento biológico Exames para verificar órgãos alvos Outros exames: Funções que necessitam maior vigilância Exames para complementar diagnósticos Exames para outros programas de saúde Avaliações de especialistas Aptidão e Inaptidão

29 EXAME DEMISSIONAL Quando deve ser realizado Objetivo -Identificação de doenças do trabalho, agravos e ou seqüelas das doenças e de acidentes do trabalho. O que deve ser observado com maior atenção Que exames complementares solicitar e em que situações Hemograma Audiometria Rx de Tórax Espirometria Beta HCG? Exames para monitoramento biológico Não solicito exames que mostram apenas níveis de exposições Exames para verificar órgãos alvos Não solicito Outros exames: Funções que necessitam maior vigilância Não solicito Exames para complementar diagnósticos Exames para outros programas de saúde Não solicito Avaliações de especialistas Aptidão e Inaptidão

30 Condutas Médico Administrativas a serem tomadas pelo Serviço de Medicina Ocupacional em Consultas Ocupacionais PRIMEIRA CONSULTA - Quer em algum exame obrigatório pela legislação. -Quer em uma consulta ocupacional com encaminhamento realizado pela chefia, administração ou pelo próprio funcionário. - Identificar a queixa principal; -Realizar uma boa anamnese e um bom exame físico; --O posto de trabalho é conhecido --Os riscos estão bem identificados e quantificados

31 - Investigar outros diagnósticos diferenciais; - Solicitar exames complementares; - Solicitar avaliações de outros especialistas, sempre que necessário. Manter contatos estreitos com estes profissionais; - É necessário algum tipo de afastamento? -É necessário visitar ou retornar ao posto de trabalho para melhor estudo? -PRÓXIMO RETORNO Completar a história clínica Analisar os exames complementares e os relatórios de especialistas quando solicitados.

32 QUESTÕES: O diagnóstico sindrômico e anatômico está completo? Chegou-se ao diagnóstico de certeza da doença? O diagnóstico deve ser feito por exclusão? Existe nexo causal? Correlacionar os dados clínicos e laboratoriais obtidos com os Riscos encontrados no posto de Trabalho.

33 OUTRAS QUESTÕES: A exposição ocupacional foi adequadamente caracterizada? Otempodeexposiçãoécompatível? Otempodelatênciaécompatível? O Trabalho ou a ocupação, podem ser considerados fatores de risco que contribuam para a determinação ou agravamento da doença?

34 MUITO OBRIGADO

Dr. Ailton Luis da Silva. www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300

Dr. Ailton Luis da Silva. www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 ACOMPANHAMENTO E MONITORAMENTO DO TRABALHADOR EM TELEATENDIMENTO (CALL CENTERS) Dr. Ailton Luis da Silva www.healthwork.com.br ailton@healthwork.com.br Tel: (11) 5083-5300 O segmento transformou-se no

Leia mais

AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS

AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS AS DOENÇAS E AS RELAÇÕES COM OS PROCESSOS TRABALHISTAS Ana Maria Selbach Rodrigues Médica do Trabalho SAÚDE Saúde: do latim, salute salvação, conservação da vida (Dicionário Aurélio) OMS = saúde é um estado

Leia mais

NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL. ASO Natalia Sousa

NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL. ASO Natalia Sousa NRS ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL ASO Natalia Sousa ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL ASO Para cada exame médico ocupacional realizado, o médico emitirá o ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) em duas vias:

Leia mais

P.C.M.S.O. (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional)

P.C.M.S.O. (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) () ELETRIC PRODUTOS INDÚSTRIA COMÉRCIO IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. Rua Nestor Pestana, 30 8º andar 01303-010 São Paulo SP Brasil Tels.: (55-11) 3138-1111/ 3138-1114/ 3138-1119 www.conbet.com.br / conbet@conbet.com.br

Leia mais

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2)

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) Página 1 de 6 NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) 7.1. Do objeto. 7.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte

Leia mais

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Objetivo A Norma Regulamentadora 9 estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL 5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL Instituto Algodão Social Missão Promover aos associados do setor algodoeiro a responsabilidade social empresarial, a cidadania,

Leia mais

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br (41) 35620280 medicinaocupacional@saudemais.med.br http://www.saudemais.med.br Temos a satisfação de apresentar nossos serviços de Saúde Ocupacional. Oferecemos assessoria completa em segurança e medicina

Leia mais

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR

III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR III ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DOS MUNICÍPIOS DA MICRORREGIÃO DO ALTO SAPUCAÍ PCMSO E SAÚDE DO SERVIDOR Sônia Cristina Bittencourt de Paiva Consultora em Saúde Ocupacional e Ergonomia A RELAÇÃO

Leia mais

Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros

Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros CATECE Comissão de Análise de Títulos de Especialistas e Cursos de Especialização Complexidade da especialidade O

Leia mais

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira OBJETO: Estabelece

Leia mais

Complexidade da especialidade. Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros. Complexidade da especialidade

Complexidade da especialidade. Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros. Complexidade da especialidade Complexidade da especialidade Proposta Especialidade FONOAUDIOLOGIA DO TRABALHO segundo os critérios da CBO e outros CATECE Comissão de Análise de Títulos de Especialistas e Cursos de Especialização O

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

A Segurança consiste na responsabilidade de saber e agir da maneira correta.

A Segurança consiste na responsabilidade de saber e agir da maneira correta. Segurança do Trabalho É o conjunto de medidas que versam sobre condições específicas de instalações do estabelecimento e de suas máquinas visando à garantia do trabalhador contra riscos ambientais e de

Leia mais

COMENTÁRIOS JURÍDICOS AO PCMSO E À EMISSÃO DE ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL AVULSO ASO AVULSO.

COMENTÁRIOS JURÍDICOS AO PCMSO E À EMISSÃO DE ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL AVULSO ASO AVULSO. COMENTÁRIOS JURÍDICOS AO PCMSO E À EMISSÃO DE ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL AVULSO ASO AVULSO. Eduardo Carvalho Abdalla Advogado, Especialista em Gestão Jurídica da Empresa Consultor de Saúde, Segurança

Leia mais

INFORMAÇÃO PARA A PREVENÇÃO

INFORMAÇÃO PARA A PREVENÇÃO FALANDO SOBRE NEXO EPIDEMIOLOGICO Um dos objetivos do CPNEWS é tratar de assuntos da área de Segurança e Medicina do Trabalho de forma simples de tal forma que seja possível a qualquer pessoa compreender

Leia mais

PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional VIGÊNCIA: 1 ANO EMPRESA: Virtual Machine Data da Elaboração Data de Vencimento 18/ 02 /2008 17 / 02/2009 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA Razão Social: Vitual Machine CNPJ: 08.693.563/0001.14 CNAE: 4751200 Grau

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE UNIVERSITARIA DIVISÃO DE SERVIÇOS GERAIS SETORES DE ADMINISTRAÇÃO DE PREDIOS E VIGILANCIA.

PREFEITURA DA CIDADE UNIVERSITARIA DIVISÃO DE SERVIÇOS GERAIS SETORES DE ADMINISTRAÇÃO DE PREDIOS E VIGILANCIA. Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Pró-Reitoria de Recursos Humanos Coordenadoria de Qualidade de Vida do Servidor PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL PREFEITURA

Leia mais

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express Apresentação 2 PPRA perguntas & respostas 3 PCMSO perguntas & respostas 5 Links Úteis 6 apresentação

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

MELP CONSTRUTORA E PAVIMENTADORA LTDA - ME - Atendimento de Saúde São Paulo

MELP CONSTRUTORA E PAVIMENTADORA LTDA - ME - Atendimento de Saúde São Paulo Proposta MELP CONSTRUTORA E PAVIMENTADORA LTDA - ME - Atendimento de Saúde São Paulo À MELP CONSTRUTORA E PAVIMENTADORA LTDA - ME A\C: Jose Moreira Zeferino Apresentação da Proposta Conforme solicitado,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 PARECER CONSULTA CRM-MT Nº 13/2012 DATA DA ENTRADA: 12 de junho de 2012 INTERESSADO: Dr. MHM CRM-MT XXXX CONSELHEIRA CONSULTORA: Dra. Hildenete Monteiro Fortes ASSUNTO:

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

Prezados Senhores, MANUAL DA UNIDADE SUMÁRIO O PAPEL DO RESPONSÁVEL PELA UNIDADE INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

Prezados Senhores, MANUAL DA UNIDADE SUMÁRIO O PAPEL DO RESPONSÁVEL PELA UNIDADE INFORMAÇÕES IMPORTANTES: MANUAL DA UNIDADE Prezados Senhores, Com o intuito de promover a excelência e a qualidade na prestação de nossos serviços, vimos por meio deste, agradecer pela confiança e credibilidade. A Engemed Saúde

Leia mais

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização 1º FORUM LISTER DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Antônio Sampaio Diretor Técnico INTRODUÇÃO Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos

Leia mais

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho

Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Serviço Especializado de Segurança e Medicina do Trabalho Sumário Abreviaturas...3 Resumo...4 Introdução...5 Cronograma dos processos...5 Análise crítica...8 Proposta de melhoria...9 Anexos...10 1 Abreviaturas

Leia mais

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO 6 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO AMBIENTAL INEAA MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO José Roberto Teixeira NOVEMBRO/2002 MEIO AMBIENTE, SAÚDE E

Leia mais

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS Alunos: Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR 7 PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Esta Norma Regulamentadora - NR

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

Conheça nossos Serviços

Conheça nossos Serviços BEM VINDO! Oferecemos completa Assessoria e Consultoria nos aspectos legais, técnicos e normativos relacionados à quaisquer serviços de SEGURANÇA, SAÚDE E MEDICINA DO TRABALHO. Conheça nossos Serviços

Leia mais

Môsiris R. Giovanini Pereira AFT RS Mestre em Epidemiologia UFRGS

Môsiris R. Giovanini Pereira AFT RS Mestre em Epidemiologia UFRGS Môsiris R. Giovanini Pereira AFT RS Mestre em Epidemiologia UFRGS Gestão da Saúde do Trabalhador na Indústria Quais os indicadores de saúde do trabalhador da indústria? Como estabelecer políticas de promoção,

Leia mais

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina

Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Resolução nº 1488/98 do Conselho Federal de Medicina Deveres dos médicos com relação à saúde do trabalhador Versa sobre normas específicas para médicos que atendam o trabalhador Fonte: Diário Oficial da

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO Aizenaque Grimaldi de Carvalho Conselheiro do CREMESP Especialista em Medicina do Trabalho Especialista em Medicina Legal e Perícias Médicas Ex Vice-Presidente da Associação Nacional de Medicina do Trabalho

Leia mais

5º Fórum Febraban de Segurança e Saúde no Trabalho do Sistema Financeiro. Programa Qualidade de Vida CAIXA. São Paulo - SP Outubro 2008

5º Fórum Febraban de Segurança e Saúde no Trabalho do Sistema Financeiro. Programa Qualidade de Vida CAIXA. São Paulo - SP Outubro 2008 5º Fórum Febraban de Segurança e Saúde no Trabalho do Sistema Financeiro Programa Qualidade de Vida CAIXA São Paulo - SP Outubro 2008 Sistema de Saúde e Segurança no Trabalho 1º NÍVEL 2º NÍVEL 3º NÍVEL

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA RESOLUÇÃO CFFa nº 467, de 24 de abril de 2015. Dispõe sobre as atribuições e competências relativas ao profissional fonoaudiólogo Especialista em Fonoaudiologia do Trabalho, e dá outras providências. O

Leia mais

Campus Governador Lamenha Filho - Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL.

Campus Governador Lamenha Filho - Rua Jorge de Lima, 113, Trapiche da Barra, CEP 57.010.382, Maceió/AL. NÚCLEO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR NAISST REGIMENTO INTERNO Capítulo I Das Disposições Preliminares Art 1º. Este Regimento Interno estabelece e disciplina a estruturação e o

Leia mais

PCMSO MEDSET QUALIDADE DE VIDA MEDICINA, SEGURANÇA, ENGENHARIA DO TRABALHO

PCMSO MEDSET QUALIDADE DE VIDA MEDICINA, SEGURANÇA, ENGENHARIA DO TRABALHO PCMSO MEDSET QUALIDADE DE VIDA MEDICINA, SEGURANÇA, ENGENHARIA DO TRABALHO MED-SET QUALIDADE DE VIDA 1 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL EMPRESA: BORSARI - ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778. GR ASSESSORIA LTDA Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.4561 PCMSO Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional PPRA Programa

Leia mais

Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba

Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba Avaliações Pós Periódicos Ferramenta utilizada como melhoria da saúde dos empregados da Coelba Autores Litza Márcia da Cunha Porto Sandra Magelli Moreira Silva Coelba- Companhia de Eletricidade do Estado

Leia mais

ATUAÇÃO DO MÉDICO DO TRABALHO. Profa. Lys Esther Rocha

ATUAÇÃO DO MÉDICO DO TRABALHO. Profa. Lys Esther Rocha ATUAÇÃO DO MÉDICO DO TRABALHO Profa. Lys Esther Rocha Agenda O que é Medicina do Trabalho? Conceito de Trabalho e Saúde A relação Saúde e Trabalho O Mundo do Trabalho Atual: características e desafios

Leia mais

Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012

Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012 Proposta de programa Científico do Congresso da Associação Paulista de Medicina do Trabalho 2012 Dia 20/01/2012 Sexta Feira Na Associação Paulista de Medicina. ATIVIDADE TEMA DA ATIVIDADE ( Observação

Leia mais

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS Elaborado em: 05/01/2011 Autor: Borges 1.Introdução É comum entre empregadores e colaboradores que exerçam cargos de confiança a preocupação em gerir

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS

ANEXO I CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS 1.OBJETO ANEXO I CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS Contratação de empresa especializada na prestação de serviços de Assistência Médica de Segurança e Medicina do Trabalho, para atendimento aos colaboradores

Leia mais

Nome da atividade: PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVA

Nome da atividade: PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE PERDAS AUDITIVA Nome da atividade: DE PERDAS AUDITIVA RESULTADOS ESPERADOS: - PREVENIR A INSTALAÇÃO DE PERDAS AUDITIVAS OCUPACIONAIS. - CONTROLAR A EVOLUÇÃO DE PERDAS JÁ EXISTENTES - DIAGNOSTICAR PRECOCEMENTE PERDAS AUDITIVAS

Leia mais

PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional).

PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional). PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional). PCMSO O PCMSOé definido e regulamentado pela Norma Regulamentadora nº 7, contida na Portaria 3214, de 8 de Junho de 1978, do Ministério do Trabalho

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM nº 1.488/1998 (Publicada no D.O.U.,de 06 março 1998, Seção I, pg.150 ) Modificada pela Resolução CFM n. 1.810/2006 Modificada pela Resolução CFM nº 1.940/2010

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho ACI

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho ACI FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Gestão Aplicada a SST Segurança e Saúde do Trabalho ACI COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTA AULA Compreender a importância do PCMSO como instrumento

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO 2015 XXXV CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE

Leia mais

Marcos Damas. www.bethaconsultoria.com.br. Prezados (as) Senhores (as),

Marcos Damas. www.bethaconsultoria.com.br. Prezados (as) Senhores (as), Prezados (as) Senhores (as), A BETHA CONSULTORIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO é uma empresa especializada em assessoria e prestação de serviços na área de segurança e medicina do trabalho para os mais diversos

Leia mais

1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO

1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO MÓDULO 1 ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO, PARA EVITAR A SUPERLOTAÇÃO

Leia mais

O PAPEL DAS AUTOGESTÕES NA POLÍTICA DE SAÚDE DO TRABALHADOR BRASILEIRO CONTRIBUIÇÕES PARA A 4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR E DA

O PAPEL DAS AUTOGESTÕES NA POLÍTICA DE SAÚDE DO TRABALHADOR BRASILEIRO CONTRIBUIÇÕES PARA A 4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR E DA O PAPEL DAS AUTOGESTÕES NA POLÍTICA DE SAÚDE DO TRABALHADOR BRASILEIRO CONTRIBUIÇÕES PARA A 4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR E DA TRABALHADORA CONCEITO DE SAÚDE DA OMS "um estado de completo

Leia mais

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas?

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense Ana Carolina S. Oliveira Psi. Esp. Dependência Química Importância Preocupação permanente de gestores

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO ANEXO I TERMOS DE REFERÊNCIA NÚMERO /DATA 009/01-25/10/2001 ORIGEM SRF/RFFC/ER-6 1.1 Tendo em vista que o contrato firmado com a Sul América não prevê a realização de exames admissionais,

Leia mais

Estabelecer critérios para a padronização do PCMSO visando obter a uniformização dos documentos nas áreas na UNIDADE LOGÍSTICA.

Estabelecer critérios para a padronização do PCMSO visando obter a uniformização dos documentos nas áreas na UNIDADE LOGÍSTICA. 1 1 OBJETIVO Estabelecer critérios para a padronização do PCMSO visando obter a uniformização dos documentos nas áreas na UNIDADE LOGÍSTICA. 2 USUÁRIOS Componentes do SESMT Local Componentes do SESMT Corporativo

Leia mais

Pág. nº.1. Atualização nº. 00/2007. Orientação 1 PCMSO

Pág. nº.1. Atualização nº. 00/2007. Orientação 1 PCMSO Pág. nº.1 Todos os créditos ao Núcleo de SMS do CENPES Petrobras, um exemplo e uma referência para a capacitação das empresas Brasileiras. Rogério Dias Regazzi Diretor Isegnet e Inovando no Isegnet Pertencente

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 4 Programa Controle MÇdico de SaÉde Ocupacional PCMSO Estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação,

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PSICOLOGIA Ementário/abordagem temática/bibliografia básica (3) e complementar (5) Morfofisiologia e Comportamento Humano Ementa: Estudo anátomo funcional

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO II

DIREITO DO TRABALHO II DIREITO DO II Me. Ariel Silva. l Órgãos de segurança SESMT: O Serviço Especializado em engenharia de segurança e em Medicina do Trabalho, SESMT, constitui-se no órgão técnico da empresa composto exclusivamente

Leia mais

Data de Vigência: Página 1 de 9

Data de Vigência: Página 1 de 9 Data de Vigência: Página 1 de 9 1- Objetivo: Realizar os exames admissionais, periódicos, demissionais e de retorno ao trabalho respeitando os critérios estabelecidos na NR 7. 2- Aplicação: Este procedimento

Leia mais

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES 1. JUSTIFICATIVA 1.1. Motivação para a Contratação: A contratação constante do objeto em questão é justificada em virtude do término do atual contrato; da impreterível necessidade

Leia mais

Polyclínica Médica e Operadora de Planos de Saúde S/S Ltda. PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL CREDIOESTE

Polyclínica Médica e Operadora de Planos de Saúde S/S Ltda. PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL CREDIOESTE PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL CREDIOESTE Chapecó-SC, Julho de 2012 Documento base com validade de 1 (um) ano 1 Dados da Empresa Empresa: Credioeste Endereço: Avenida Porta Alegre

Leia mais

60.107 - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDICE - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL...01/02

60.107 - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDICE - EXAMES MÉDICOS DE SAÚDE OCUPACIONAL...01/02 60.107 - EXAMES MÉDCOS DE SAÚDE OCUPACONAL DATA DE APROVAÇÃO: 21/12/1999 ÍNDCE CAPÍTULO - GENERALDADES...01/02 - Objetivo - Aplicação - Definições CAPÍTULO - EXAMES MÉDCOS DE SAÚDE OCUPACONAL...01/02 -

Leia mais

METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010

METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010 METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010 PROERGO julho/2010 Pág. 1/7. I N D I C E 1. - APRESENTAÇÃO 2. - OBJETIVO 3. - INTRODUÇÃO 4. - EMPRESA BENEFICIADA 5. - CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978. Revogadas NR rurais em 15/04/2008

Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978. Revogadas NR rurais em 15/04/2008 Ministério Trabalho e Emprego -CLT Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978 36 NR (última( (19/04/2013 Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados) Revogadas

Leia mais

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE

CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE CIPA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTE OBJETIVO Prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção

Leia mais

EXPRESSO NEPOMUCENO/ P.A.BASF

EXPRESSO NEPOMUCENO/ P.A.BASF EXPRESSO NEPOMUCENO/ P.A.BASF SAO BERNARDO DO CAMPO PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL CONTEÚDO 1. PROGRAMAÇÃO DE EXAMES MÉDICOS 2. RELATÓRIO ANUAL DE EXAMES SUBMETIDOS ASPECTOS LEGAIS

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 25, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1994 (*) (DOU de 30/12/94 Seção 1 págs 21.280 a 21.282) (Republicada em 15/12/95 Seção

Leia mais

Título do Projeto! JUNTOS PELA SAÚDE

Título do Projeto! JUNTOS PELA SAÚDE Título do Projeto! JUNTOS PELA SAÚDE População Saudável Campanhas para realização dos exames preventivos Material Educativo Comunicação População Saudável Educação em Saúde: Esta ação tem como objetivo

Leia mais

MÓDULO ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO

MÓDULO ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO 1.2 EAME MÉDICO DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS SUMÁRIO ASSUNTO PÁGINA 1.2. EAME MÉDICO... 3 1.2.1. INTRODUÇÃO... 3 1.2.2. PENALIDADES... 3 1.2.3. ADMISSIONAL OU PRÉ-ADMISSIONAL...

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS 1 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS 2 Índice 1- Exames Médicos Ocupacionais. 2- Controle de Atestados Médicos. 3 - Afastamentos: INSS/Licença Maternidade. 4 - Avaliação Médica.

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE UM PCMSO INTEGRADO AO SÉCULO S

A ELABORAÇÃO DE UM PCMSO INTEGRADO AO SÉCULO S A ELABORAÇÃO DE UM PCMSO INTEGRADO AO SÉCULO S XXI (PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO M DE SAÚDE OCUPACIONAL - NR-7) Dr. José Carlos T. Dias Ferreira CRM 46.101 DEPTO. DE MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO - CIESP

Leia mais

PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL

PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL MISSÃO Atuar como agente de mudança desenvolvendo políticas de gestão de pessoas que contribuam para o alcance dos objetivos institucionais. Planejar

Leia mais

Exposição ao Amianto Problemática em Saúde Ocupacional

Exposição ao Amianto Problemática em Saúde Ocupacional Exposição ao Amianto Problemática em Saúde Ocupacional João Crisóstomo Pereira Borges Universidade de Coimbra - Faculdade de Medicina ARS de Centro, IP Especialista em Saúde Pública e em Medicina do Trabalho

Leia mais

Aspectos do Projeto e Planejamento na Gestão Segurança do Trabalho

Aspectos do Projeto e Planejamento na Gestão Segurança do Trabalho Aspectos do Projeto e Planejamento na Gestão Segurança do Trabalho Prof.MSc.Gonçalo Siqueira Santos / SP Segurança no trabalho Qual a sua atividade? Esta frase é uma das mais utilizadas entre os médicos

Leia mais

Palavras Chave: Fisioterapia preventiva do trabalho; LER/DORT; acidente de trabalho, turnover.

Palavras Chave: Fisioterapia preventiva do trabalho; LER/DORT; acidente de trabalho, turnover. A eficácia da fisioterapia preventiva do trabalho na redução do número de colaboradores em acompanhamento no ambulatório de fisioterapia de uma indústria de fios têxteis Rodrigo Mendes Wiczick (UTFPR)rodrigo_2006@pg.cefetpr.br

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

Estratégia Saúde Integrada

Estratégia Saúde Integrada Departamento de Saúde e Segurança Por trás de uma vida existem muitas outras. Estratégia Saúde Integrada Fernando Coelho Neto Gerente de Saúde Corporativa Evolução da estratégia em Saúde Corporativa Cultura

Leia mais

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no

Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no Com carga horária de 480 horas o curso Enfermagem do Trabalho é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos, atividades

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS REDEBLH-BR PARA BANCOS DE LEITE HUMANO:

NORMAS TÉCNICAS REDEBLH-BR PARA BANCOS DE LEITE HUMANO: NORMAS TÉCNICAS REDEBLH-BR PARA BANCOS DE LEITE HUMANO: Recursos Humanos BLH-IFF/NT- 01.04 - Qualificação de Recursos Humanos BLH-IFF/NT- 02.04 - Controle de Saúde dos Funcionários FEV 2004 BLH-IFF/NT-

Leia mais

FILIAL CURITIBA-PR FEVEREIRO DE 2015 A JANEIRO DE 2016

FILIAL CURITIBA-PR FEVEREIRO DE 2015 A JANEIRO DE 2016 FILIAL CURITIBA-PR FEVEREIRO DE 2015 A JANEIRO DE 2016 SUMÁRIO CAP. TÍTULO PÁGINA 1 RECOMENDAÇÃO INICIAL 3 2 EMPRESA 3 3 FUNDAMENTAÇÃO E EXIGÊNCIA LEGAL 4 4 INTEGRAÇÃO PORTADORES DE CUIDADOS ESPECIAIS

Leia mais

Programa de Conservação Auditiva Willes de Oliveira e Souza 14/11/2014

Programa de Conservação Auditiva Willes de Oliveira e Souza 14/11/2014 Pontos fundamentais para o êxito de programas relacionados a riscos ambientais Programa de Conservação Auditiva Willes de Oliveira e Souza 14/11/2014 Histórico ANEXO I do QUADRO II NR 7 (Port. 19-04/1998

Leia mais

PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL PCMSO FUNDEPES / SEDE ADMINISTRATIVA

PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL PCMSO FUNDEPES / SEDE ADMINISTRATIVA PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL PCMSO FUNDEPES / SEDE ADMINISTRATIVA 1 Maceió-AL Junho/2015 SUMÁRIO 1.0 Apresentação da Empresa 03 3 7.0 Atestado de Saúde Ocupacional 14 8.0 Informações

Leia mais

Manual de Identidade. Manual de Identidade Visual - Centro Médico Lippelt

Manual de Identidade. Manual de Identidade Visual - Centro Médico Lippelt Manual de Identidade Visual - Centro Médico Lippelt Manual de Identidade O manual de identidade visual Centro Médico Lippelt tem por objetivo estabelecer os critérios de uso e aplicação da marca Centro

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

Promoção da saúde dos trabalhadores

Promoção da saúde dos trabalhadores Promoção da saúde dos trabalhadores Ana Claudia Camaro Gonçalves da Silva Médica colaboradora da disciplina saúde ocupacional Médica do CPS HCFMUSP Vice Presidente da ABPS Doutoranda em Educação em Promoção

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

RH Saúde Ocupacional

RH Saúde Ocupacional Programa de Promoção da Saúde no Ambiente de Trabalho RH Saúde Ocupacional Objetivo Tem como principal objetivo propiciar ambiente de Tem como principal objetivo propiciar ambiente de trabalho e clima

Leia mais

PORTARIA Nº 25, DE 29.12.94, DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO DOU DE 30.12.94, REPUBLICADA NO DE 15.02.95

PORTARIA Nº 25, DE 29.12.94, DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO DOU DE 30.12.94, REPUBLICADA NO DE 15.02.95 PORTARIA Nº 25, DE 29.12.94, DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO DOU DE 30.12.94, REPUBLICADA NO DE 15.02.95 Norma Regulamentadora NR 9 Riscos ambientais Nova redação Programa de Prevenção de

Leia mais

NVRAnB/ DVAS/ CEVS/SES

NVRAnB/ DVAS/ CEVS/SES ÁREAS CONTAMINADAS : RISCOS À SAÚDE HUMANA Seminário Sul-Brasileiro de Gerenciamento de Áreas Contaminadas 3 e 4 de setembro de 2012, Porto Alegre RS NVRAnB/ DVAS/ CEVS/SES P R O M O Ç Ã O DETERMINANTES

Leia mais

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS CLIENTE: PETROBRAS 1DE20 : ÁREA: TRANSPETRO MUCURIPE CONTRATO: 0300.0083029.13.2 SMS PRIME PLUS REV ÍNDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS 00 EMISSÃO INICIAL DO DOCUMENTO EM 18/09/24 PARECER

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

Saúde Ocupacional. Produtos de Saúde do Trabalhador. Egberto Miranda Silva Neto

Saúde Ocupacional. Produtos de Saúde do Trabalhador. Egberto Miranda Silva Neto Saúde Ocupacional Produtos de Saúde do Trabalhador Egberto Miranda Silva Neto Resolução Normativa - RN nº 211 Art. 14. Nos contratos de planos individuais ou familiares, coletivos por adesão e coletivos

Leia mais

INDUSTRIAS QUIMICAS TAUBATE S A IQT - Atendimento de Saúde São Paulo

INDUSTRIAS QUIMICAS TAUBATE S A IQT - Atendimento de Saúde São Paulo Proposta INDUSTRIAS QUIMICAS TAUBATE S A IQT - Atendimento de Saúde São Paulo À INDUSTRIAS QUIMICAS TAUBATE S A IQT A\C: Camila Borges de Carvalho camila.borges@iqt.com.br Apresentação da Proposta Conforme

Leia mais

PCMSO, como eu faço. Dr Guilherme Murta

PCMSO, como eu faço. Dr Guilherme Murta PCMSO, como eu faço Dr Guilherme Murta Diretor Científico da APAMT Professor-tutor da Especialização da Medicina do Trabalho UFPR Professor do Curso de Graduação em Medicina na Faculdades Pequeno Príncipe

Leia mais

III Congresso Brasileiro dos Serviços de Saúde do Poder Judiciário

III Congresso Brasileiro dos Serviços de Saúde do Poder Judiciário III Congresso Brasileiro dos Serviços de Saúde do Poder Judiciário CAIXA ECONÔMICA FEDERAL PRO Programa de Reabilitação Histórico... PRT Programa de Readaptação ao Trabalho De SET/2000 a JUN/2004. Objetivos:

Leia mais

Código: MAN-DIPES-007 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013

Código: MAN-DIPES-007 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Código: MAN-DIPES-007 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Qualidade de Vida Aprovado por: Diretoria de Gestão de Pessoas 1 OBJETIVO Estabelecer as diretrizes gerais que norteiam

Leia mais