AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE QUINTA DA LOMBA ESCOLA BÁSICA 2+3 DE QUINTA DA LOMBA. Regulamento de utilização do cartão eletrónico - GIAE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE QUINTA DA LOMBA ESCOLA BÁSICA 2+3 DE QUINTA DA LOMBA. Regulamento de utilização do cartão eletrónico - GIAE"

Transcrição

1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE QUINTA DA LOMBA ESCOLA BÁSICA 2+3 DE QUINTA DA LOMBA Regulamento de utilização do cartão eletrónico - GIAE OBJETO E ÂMBITO O Agrupamento de Escolas de Quinta da Lomba implementou, na escola sede, um sistema de gestão integrada para a administração escolar (GIAE). O GIAE é um sistema informático, que funciona através de uma rede, instalado nos postos de trabalho de prestação de serviços à comunidade: portaria, refeitório, bufete, papelaria, reprografia e serviços administrativos. Este sistema permite a identificação automática através do cartão que funciona por aproximação e tem como principal objetivo a segurança. Todas as compras ou transações efetuadas ao nível do bufete, compra de refeições, papelaria, reprografia, entre outras far-se-ão, exclusivamente, através da utilização do cartão, pelo que os elementos da comunidade escolar deixarão de manusear dinheiro. O presente regulamento aplica-se a todos os utilizadores do sistema e portadores de cartão da Escola Básica 2,3 de Quinta da Lomba. Este cartão eletrónico permitirá aos seus utilizadores: 1. Serem identificados como membros da comunidade escolar; 2. Controlar a entrada e a saída do recinto escolar; 3. Fazer compras, pagamentos e requisição de serviços; 4. Marcar a reserva de refeições no refeitório; 5. Consultar saldos e movimentos. 1

2 CONDIÇÕES DE AQUISIÇÃO E UTLIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO 1 - UTILIZADORES 1- São utilizadores do GIAE, todos os elementos da comunidade educativa, nomeadamente: a) Alunos; b) Funcionários da escola (pessoal docente e não docente); c) Colaboradores. Poderão ser considerados também, como utilizadores do GIAE, outros elementos que possam permanecer de forma temporária na escola e que necessitem de aceder aos serviços. 2- O cartão é pessoal e intransmissível e tem impressa a foto do seu proprietário. Cada vez que o cartão é utilizado aparece a respetiva foto no monitor, permitindo dessa forma comprovar a propriedade do mesmo. Quando a foto não corresponder ao utilizador, as operadoras retêm o cartão até que este seja reclamado pelo seu legítimo proprietário. 3- O uso do cartão é obrigatório e imprescindível sempre que o utilizador venha para a escola. 4- O cartão deve ser guardado e transportado em local apropriado e seguro, de forma a assegurar a sua conservação, impedindo, simultaneamente, a sua utilização por terceiros. 5- O cartão nunca deve ser emprestado a outro utilizador. 6- Quando o perder, o utilizador deve deslocar-se aos serviços administrativos e solicitar um cartão temporário. 7- Os utilizadores podem pedir o talão comprovativo do carregamento do cartão na papelaria. 8- Pode ser solicitada, nos serviços administrativos, uma listagem de todos os movimentos efetuados pelos alunos que configurem dedução no IRS, antes do final do ano civil. 9- O utente deve utilizar de forma correta todo o equipamento do sistema de uso do cartão. Qualquer dano verificado será pago pelo responsável da sua má utilização. 2 - CARTÃO DE UTILIZADOR 1- O cartão de utilizador identifica o utilizador na escola e perante o GIAE. Todos os dados e informação com registo no cartão magnético de cada utente são para uso, único e exclusivo, dos serviços deste estabelecimento de ensino ou do Encarregado de Educação do aluno, quando solicitado. 2

3 2- O cartão de utilizador pode ser de dois tipos: cartão definitivo e cartão temporário 3- O cartão definitivo é um cartão personalizado, atribuído aos elementos da comunidade educativa (alunos, funcionários e colaboradores) tendo sempre impresso na sua frente o logótipo da escola, número/código do utilizador, nome do utilizador e foto. 4- O cartão temporário é um cartão não personalizado, atribuído a utilizadores que necessitem de utilizar os serviços da escola por um curto período de tempo e sempre que não se justifique a atribuição de um cartão definitivo. Este tipo de cartão é ainda atribuído aos utilizadores quando se verifica a perda, extravio, danos ou esquecimento do cartão definitivo atribuído. 5- Na cedência do cartão temporário (de substituição) os serviços debitam ou cobram uma caução no valor de cinco euros que será devolvida aquando da devolução do cartão temporário em bom estado. 6- O cartão temporário (de substituição), a solicitar na secretaria e ativado por esta, obrigará posteriormente a nova ativação/validação do cartão original, visto que, no programa informático, ao titular do cartão esquecido foi atribuído um cartão de substituição. 7- Poderão ainda ser definidos outros tipos de cartões, nomeadamente para os serviços, sempre que tal se justifique. 8- Não é obrigatória a atribuição de cartão de utilizador temporário a elementos que venham à escola por períodos de curta duração que não utilizem os serviços. 3 AQUISIÇÃO DO CARTÃO 1- O 1º cartão de utilizador terá o seguinte custo: a) adultos 3 b) alunos não subsidiados 3,00 c) alunos com escalão B 1,50 d) alunos com escalão A 1 2- Quando o utilizador perder, extraviar ou danificar o seu cartão, deve solicitar um novo cartão nos serviços administrativos. 3- A requisição de 2ª via do cartão terá um custo de cinco euros. 4- A solicitação de 3ª via e seguintes do cartão terá um custo de dez euros. 5- Enquanto estiver a aguardar o seu novo cartão, o utilizador deve solicitar um cartão temporário (de substituição). 6- Sempre que o utilizador detete alguma anomalia no cartão deve dirigir-se aos serviços administrativos para comunicar a ocorrência e requisitar um novo cartão ou a reparação do mesmo. 3

4 4 - CARREGAMENTO DO CARTÃO 1- Os carregamentos serão sempre efetuados na CAIXA, que funciona na papelaria. 2- Apenas serão permitidos carregamentos com valores múltiplos de 0,50, sendo o carregamento mínimo de Os carregamentos apenas serão consumados na entrega imediata do montante correspondente, em dinheiro. 4- Após o carregamento é impresso um talão comprovativo do valor carregado no cartão. 5- O montante carregado no cartão transita para o ano letivo seguinte, desde que o aluno/funcionário continue a frequentar a Escola Básica 2,3 de Quinta da Lomba. 5 - DEVOLUÇÕES DE SALDOS 1- A devolução de eventuais saldos do cartão de utilizador só tem lugar quando um elemento da comunidade educativa abandonar definitivamente a escola. 2- Os saldos dos cartões dos funcionários (pessoal docente e não docente) transitam para o ano letivo seguinte, a não ser em situações de mobilidade em que o saldo é devolvido no final do período de contrato do funcionário. 3- Sempre que haja lugar a devolução, esta deve sempre ser solicitada nos serviços administrativos até ao dia 31 de julho desse ano letivo. 4- A devolução será efetuada por transferência bancária, mediante apresentação do NIB do utente. 5- O não cumprimento do prazo estabelecido viabiliza a transferência do saldo não reclamado para o orçamento privativo da escola. 6 PORTARIA 1- É OBRIGATÓRIA a validação, através do cartão magnético, da entrada e saída da escola para todos os utilizadores do GIAE. A saída da escola, ainda que temporária, terá que ser validada através da passagem do cartão. 2- O não cumprimento do ponto anterior condicionará o uso do cartão nos serviços da escola. 3- A validação das entradas e saídas é feita através da passagem do cartão nos leitores próprios instalados na portaria. 4- Existem 2 tipos de acesso nos cartões para os alunos: a) O acesso Condicionado permite sair no período definido como período de almoço; 4

5 b) O acesso Impedido não permite a saída do seu utilizador durante o período letivo, inclusive durante a hora de almoço. 5- No caso de se tratar de uma saída excecional do aluno (ida ao médico, etc.) o encarregado de educação tem obrigatoriamente que a autorizar, mencionando a hora de saída e a previsível hora de chegada. Essa informação deverá ser dada pelo encarregado de educação, através da caderneta do aluno, ao diretor de turma ou diretamente à direção da escola, para que a saída seja administrativamente autorizada. 7 PAPELARIA 1- Na papelaria é possível efetuar compras de material de papelaria e de serviços. Também poderão ser marcadas as refeições. 2- Na papelaria serão ainda permitidos carregamentos, uma vez que aí funciona em simultâneo a CAIXA. 8 - REPROGRAFIA 1- Todo o material que dá saída da reprografia tem que ser debitado em cartão. 2- Os alunos sempre que utilizarem este serviço pagam com o cartão. 3- Os professores da escola têm o seu cartão com dois campos de utilização: a) Campo requisitar requisição de fotocópias, à qual está associado um plafond que se aplica a todo o material inerente à preparação das atividades letivas; b) Campo caixa - aquisição de produtos/serviços para uso pessoal. 9 - BUFETE 1- Os utilizadores do sistema devem fazer os pedidos de produtos de bufete diretamente no serviço, fazendo uso do seu cartão. 2- O sistema do serviço do bufete não permite qualquer venda a crédito REFEIÇÕES 1- As refeições são compradas na papelaria ou no GIAE online. 2- O GIAE online permite fazer a compra de refeições para alunos, professores e funcionários que se encontrem devidamente regularizados no sistema. 3- O utilizador poderá adquirir refeições para dias diferentes (máximo 10 dias), se existirem as respetivas ementas no sistema informático. Cada cartão compra apenas uma refeição por dia. 5

6 4- A hora limite para compra de refeição é às 17:00h do dia anterior ao dia do almoço. 5- É ainda permitido a compra das refeições após as 17:00h do dia anterior e as 10:30h do próprio dia do almoço, à qual acrescerá a taxa de multa legalmente em vigor. 6- Para a situação descrita no ponto anterior, existe um limite máximo de vendas (com taxa de multa) de 20 refeições/diárias. 7- Em nenhuma circunstância será permitida a venda de refeições para além do período atrás mencionado, dando cumprimento ao estipulado na lei vigente. 8- Os alunos subsidiados que beneficiam dos escalões A e B do ASE (Ação Social Escolar) são obrigados a marcar e a comprar atempadamente a sua refeição, tal como todos os outros alunos. Se as marcarem no próprio dia é aplicada a multa correspondente. 9- Os alunos devem comprar apenas as refeições que tenham a certeza de que vão ser consumidas. Caso marquem as refeições e depois se verifique que estes não as consumiram sem que seja apresentada uma justificação válida para esse efeito, será apurada a responsabilidade. Caso esta situação ocorra com alunos subsidiados será desencadeado um processo de averiguações que poderá culminar com a anulação do subsídio de refeição. Estas situações serão dadas a conhecer ao encarregado de educação do aluno. 10-Não são permitidas anulações de refeições previamente adquiridas sendo apenas possível proceder à sua transferência para data posterior, desde que a ementa esteja disponível no sistema. Tal procedimento terá que ser efetuado até ao dia anterior a que a refeição se reporta. 11- Em caso de falta imprevista, é possível proceder à transferência da refeição para data posterior desde que tal pedido seja feito até às 10:00h do próprio dia a que a refeição adquirida se reporta. 12-No caso de engano na compra de refeições o utilizador pode alterar essa refeição para outro dia (com um intervalo mínimo de um dia), ou para a semana seguinte, desde que a ementa já esteja disponível. Caso isso não se verifique devem dirigir-se à Direção para que a mesma possa encontrar uma resposta adequada à situação. 11- SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS Os serviços administrativos são responsáveis por: 1. Validação de cartões; 2. Substituição de cartões, com respetiva cobrança de caução; 3. Desativação de cartões; 6

7 4. Entregar aos utilizadores e aos encarregados de educação dos alunos o documento comprovativo do montante despendido na escola para efeitos de IRS. 12 AÇÃO SOCIAL ESCOLAR (ASE) 1- Em articulação com os serviços administrativos, a equipa deste serviço é responsável por preparar o sistema para a inserção e anulação de produtos e respetivo preçário; 2- O funcionário deste setor deverá inserir atempadamente as ementas das refeições de modo a que estejam disponíveis, a fim de possibilitar a aquisição das mesmas, com pelo menos cinco dias úteis de antecedência. 3- Este serviço atribui aos alunos subsidiados o valor do plafond de material a levantar na papelaria. 4- O cartão dos alunos subsidiados, sejam eles contemplados com escalão A ou escalão B, tem dois campos: Caixa e Subsídio; a) O campo Caixa diz respeito ao dinheiro dos carregamentos efetuados pelo utilizador que serve para as suas compras diárias; b) O campo Subsídio tem atribuído um plafond que permitirá ao aluno solicitar o material de papelaria à funcionária do respetivo serviço, procedendo esta ao efetivo desconto no plafond do cartão. 5- Os alunos com reforço alimentar atribuído (suplementos) podem solicitá-lo no bufete, pois o cartão contém essa informação, e podem usufruir no máximo de 2 reforços alimentares por dia. ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO Ao encarregado de educação cabe a responsabilidade da verificação periódica do estado de conservação do cartão do seu educando e dos pagamentos inerentes à substituição, perda, extravio ou cartão danificado, referidos no presente regulamento. ANOMALIAS CIRCUNSTANCIAIS Sempre que houver algum problema elétrico ou outra anomalia que impossibilite a utilização do cartão ou a finalização da compra, deve a funcionária do serviço recolher o cartão para, posteriormente, validar a operação interrompida. 7

8 OMISSÕES Qualquer situação omissa neste regulamento será resolvida pelo Diretor em articulação com os administradores e operadores do sistema GIAE. DISPOSIÇÕES FINAIS 1- Os órgãos da escola podem reajustar os valores monetários constantes neste regulamento, devendo disso dar conhecimento à comunidade educativa através de despacho do diretor e/ou de ordem de serviço. 2- Os casos não previstos no presente regulamento e as dúvidas resultantes da sua aplicação serão resolvidos pelos órgãos de administração e direção da escola, na sequência da análise das situações em concreto e no respeito pelas competências previstas na lei e no presente regulamento. 3- As disposições previstas no presente regulamento devem, com respeito pelo estabelecido no regulamento interno, respeitar os regulamentos específicos existentes. ENTRADA EM VIGOR O presente regulamento entra em vigor depois de Aprovado pelo órgão competente da escola. Aprovado em reunião de Direção em 18 / 03 /

GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO

GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO A partir de 15 Setembro de 2014, o Agrupamento de Escolas de Rio Tinto, tem implementado um Sistema

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar.

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar. REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar. A partir de janeiro de 2012, a Escola Básica e Secundária de Vila Cova, a seguir designada por EBSVC, tem

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALFREDO DA SILVA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA ALFREDO DA SILVA REGULAMENTO. GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALFREDO DA SILVA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA ALFREDO DA SILVA REGULAMENTO. GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar REGULAMENTO (UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO) GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar A partir de abril de 2014, a Escola Básica e Secundária Alfredo da Silva, a seguir designada por EBSAS, tem

Leia mais

GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO

GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO INTRODUÇÃO O Agrupamento de Escolas de Viana do Alentejo tem implementado um Sistema de Integração e Administração Escolar,

Leia mais

REGULAMENTO DE CARTÕES GIAE

REGULAMENTO DE CARTÕES GIAE REGULAMENTO DE CARTÕES GIAE O Agrupamento de Escolas de Miraflores dispõe de um Sistema de Integração e Administração Escolar, adiante designado GIAE, que substitui o anterior Sistema de Integração, SIGE.

Leia mais

S E D E : E S C O L A B Á S I C A E S E C U N D Á R I A D E V I L A P O U C A D E A G U I A R GIAE. Gestão Integrada. para a Administração Escolar

S E D E : E S C O L A B Á S I C A E S E C U N D Á R I A D E V I L A P O U C A D E A G U I A R GIAE. Gestão Integrada. para a Administração Escolar S E D E : E S C O L A B Á S I C A E S E C U N D Á R I A D E V I L A P O U C A D E A G U I A R GIAE Gestão Integrada para a Administração Escolar Regulamento de Utilização Mod. AEVPA - Direção Página 1

Leia mais

Regulamento do acesso e utilização do cartão escolar GIAE. Agrupamento de Escolas de Melgaço. GIAE - Gestão Integrada para Administração Escolar

Regulamento do acesso e utilização do cartão escolar GIAE. Agrupamento de Escolas de Melgaço. GIAE - Gestão Integrada para Administração Escolar MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Cod. 152602 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO Agrupamento de Escolas de Melgaço Regulamento do acesso e utilização do cartão escolar GIAE GIAE - Gestão Integrada para Administração

Leia mais

G I A E (GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR)

G I A E (GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR) G I A E (GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR) REGIMENTO DE UTILIZAÇÃO 1. Introdução O presente regimento define e regula o funcionamento do Sistema de Gestão Integrada para a Administração Escolar,

Leia mais

GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO

GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO AGRUPMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO I BAIXA DA BANHEIRA GIAE SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO A Escola dos 2.º e 3.º Ciclos D. João I dispõe

Leia mais

REGULAMENTODO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADADA ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR

REGULAMENTODO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADADA ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR REGULAMENTODO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADADA ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR O Agrupamento de Escolas Condeixa-a-Nova tem implementado na sua Escola Sede e na Escola Básica nº 2 um Sistema de Integração e Administração

Leia mais

REGULAMENTO CARTÃO IDENTIFICAÇÃO

REGULAMENTO CARTÃO IDENTIFICAÇÃO REGULAMENTO DO CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO Artigo 1.º Agrupamento Vertical de Escolas D. Dinis Principais funcionalidades do sistema informático para a gestão integrada para a administração escolar (GIAE)

Leia mais

Escola Básica e Secundária Sacadura Cabral. REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar

Escola Básica e Secundária Sacadura Cabral. REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar Agrupamento de Escolas Escola Básica e Secundária Sacadura Cabral Celorico da Beira REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar 1. Objeto e Âmbito O presente

Leia mais

Regulamento de Utilização do Cartão Magnético GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar. Artigo 1.º Âmbito e definição

Regulamento de Utilização do Cartão Magnético GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar. Artigo 1.º Âmbito e definição ANEXO XI REGULAMENTO INTERNO Regulamento de Utilização do Cartão Magnético GIAE Gestão Integrada para Administração Escolar Artigo 1.º Âmbito e definição 1. O GIAE é um sistema informático que funciona

Leia mais

Gestão Integrada Administração Escolar. Cartão Magnético / GIAE. Agrupamento de Escolas de Cristelo

Gestão Integrada Administração Escolar. Cartão Magnético / GIAE. Agrupamento de Escolas de Cristelo Gestão Integrada Administração Escolar Cartão Magnético / GIAE Agrupamento de Escolas de Cristelo 1. INTRODUÇÃO Considerando a importância que as novas tecnologias representam no quotidiano dos cidadãos

Leia mais

REGULAMENTO. GIAE - REGULAMENTO (Conforme o regulamento Interno homologado pelo Conselho Geral em 10 de setembro de 2012)

REGULAMENTO. GIAE - REGULAMENTO (Conforme o regulamento Interno homologado pelo Conselho Geral em 10 de setembro de 2012) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. BISSAYA BARRETO CASTANHEIRA DE PERA REGULAMENTO 1 Índice INTRODUÇÃO... 3 ARTIGO 1.º - PRINCIPAIS FUNCIONALIDADES DO GIAE... 3 ARTIGO 2.º - UTILIZADORES... 3 ARTIGO 3.º - CARTÃO

Leia mais

Regulamento. Cartão. Giae. Pag. 1

Regulamento. Cartão. Giae. Pag. 1 Regulamento Cartão Giae Pag. 1 Regulamento Cartão GIAE I Objecto e Âmbito O presente documento define e regula o funcionamento do Sistema de Gestão Integrada para a Administração Escolar, designado de

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas Diogo Cão

Agrupamento Vertical de Escolas Diogo Cão 2012/2013 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO (Anexo ao Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas Diogo Cão) Artigo 1.º Âmbito e função 1. O Cartão Magnético tem por função identificar todos

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO DE IDENTIFICAÇÃO. Artigo 1.º. Âmbito e função

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO DE IDENTIFICAÇÃO. Artigo 1.º. Âmbito e função Anexo do Regulamento Interno REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO MAGNÉTICO DE IDENTIFICAÇÃO Artigo 1.º Âmbito e função 1. Cartão Magnético de Identificação (adiante designado CMI) tem por função identificar

Leia mais

Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CARTÃO ELETRÓNICO

Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CARTÃO ELETRÓNICO Agrupamento de Escolas Nº1 de Abrantes REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CARTÃO ELETRÓNICO Artigo 1.º (Âmbito e objetivo) 1 - O cartão eletrónico é um cartão de leitura magnética, utilizado por todos os

Leia mais

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES DE LEITURA POR PROXIMIDADE

REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES DE LEITURA POR PROXIMIDADE REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES DE LEITURA POR PROXIMIDADE Artigo 1º Âmbito e função 1. O Cartão de leitura por proximidade tem por função identificar todos os utentes (alunos, pessoal docente e

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MAGNÉTICO

REGULAMENTO DO CARTÃO MAGNÉTICO REGULAMENTO DO CARTÃO MAGNÉTICO 1. Objeto e Âmbito O cartão escolar é um cartão de leitura magnética, utilizado por todos os alunos, professores e funcionários do Agrupamento e tem como objetivo aumentar

Leia mais

Regulamento da Utilização dos Cartões Magnéticos da Escola EB 2,3/S de Mora. (anexo L)

Regulamento da Utilização dos Cartões Magnéticos da Escola EB 2,3/S de Mora. (anexo L) da Escola EB 2,3/S de Mora (anexo L) Artigo 1º Âmbito e função 1. O cartão magnético é propriedade da Escola que é responsável pela sua emissão e que por motivos fundamentados pode fazer cessar a sua utilização;

Leia mais

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas

Agrupamento de Escolas Martim de Freitas 1º- O cartão é pessoal e intransmissível. Em caso algum pode alguém utilizar o cartão pertencente a outrem. 2º- O mesmo cartão é válido para todos os anos que um aluno ou funcionário frequente ou trabalhe

Leia mais

Escola Secundária de Alves Redol. Resolução Nº 79 CP/2008-2009

Escola Secundária de Alves Redol. Resolução Nº 79 CP/2008-2009 Ano Lectivo 2008/2009 Resolução Nº 79 CP/2008-2009 No uso das competências que lhe estão atribuídas pela alínea b) do Artigo 33.º do Decreto-Lei n.º 75/2008 de 22 de Abril o Conselho Pedagógico, na sua

Leia mais

REGIMENTO CARTÕES MAGNÉTICOS

REGIMENTO CARTÕES MAGNÉTICOS REGIMENTO CARTÕES MAGNÉTICOS 2012 - CAPÍTULO I INTRODUÇÃO As novas tecnologias representam no quotidiano da comunidade educativa uma importância significativa. A adoção do cartão magnético proporciona

Leia mais

Neste momento estão em uso as seguintes funcionalidades:

Neste momento estão em uso as seguintes funcionalidades: Apresentação O SIGE - Sistema Integrado de Gestão de Escolas é um produto desenvolvido pela empresa Micro I/O visando contribuir para tornar as escolas locais mais seguros, mais aprazíveis e mais eficientes.

Leia mais

ANEXO II REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO DE IDENTIFICAÇÃO

ANEXO II REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO DE IDENTIFICAÇÃO ANEXO II REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO ELETRÓNICO DE IDENTIFICAÇÃO Artigo 1.º Âmbito e função 1. O cartão eletrónico de identificação tem por função identificar todos os utentes (alunos, pessoal

Leia mais

REGULAMENTO. cartão magnético. agrupamento de escolas da abelheira VIANA DO CASTELO

REGULAMENTO. cartão magnético. agrupamento de escolas da abelheira VIANA DO CASTELO agrupamento de escolas da abelheira VIANA DO CASTELO REGULAMENTO cartão magnético Preâmbulo 2 Artigo 1.º - Objeto e âmbito de aplicação 2 Artigo 2.º - Composição 2 Artigo 3.º - Competências 3 Artigo 4.º

Leia mais

GIAE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR MANUAL DE UTILIZADOR

GIAE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR MANUAL DE UTILIZADOR Agrupamento de Escolas Anselmo de Andrade GIAE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR MANUAL DE UTILIZADOR 1. O que é o GIAE Online? O GIAE Online é uma aplicação instalada num servidor do Agrupamento.

Leia mais

Regras Práticas de Utilização dos Cartões Eletrónicos. Alunos

Regras Práticas de Utilização dos Cartões Eletrónicos. Alunos Regras Práticas de Utilização dos Cartões Eletrónicos Alunos No dia 2 de abril, entra em funcionamento na Escola Básica e Secundária de Salvaterra de Magos, um Sistema de Automação Escolar, adiante designado

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCANENA CÂMARA MUNICIPAL. Regulamento Cartão Sénior Municipal

MUNICÍPIO DE ALCANENA CÂMARA MUNICIPAL. Regulamento Cartão Sénior Municipal Regulamento Cartão Sénior Municipal Artigo 1º Objeto 1- O Cartão Sénior Municipal é um cartão emitido pela Câmara Municipal de Alcanena que tem como destinatários os cidadãos residentes no concelho de

Leia mais

Regulamento de Utilização de Cartões Magnéticos de Identificação

Regulamento de Utilização de Cartões Magnéticos de Identificação Regulamento de Utilização de Cartões Magnéticos de Identificação REGULAMENTO DA UTILIZAÇÃO DOS CARTÕES MAGNÉTICOS DE IDENTIFICAÇÃO Artigo 1.º Âmbito e função 1. O Cartão Magnético de Identificação tem

Leia mais

Componente de Apoio à Família

Componente de Apoio à Família Capítulo 056 Componente de Apoio à Família MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 11 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e organização... 3 3. Funcionamento... 4 3.1. Períodos da CAF... 4 3.2. Horários

Leia mais

GIAE ONLI NE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR

GIAE ONLI NE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR GIAE ONLI NE GESTÃO INTEGRADA DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR MANUAL DE UTIL IZ ADOR Com a finalidade de permitir a melhoria e a eficácia da partilha e acesso à informação, que se pretende, entre este Agrupamento

Leia mais

GIAE VERSÃO 2.1.1 28 JUNHO DE 2011 MUITO IMPORTANTE

GIAE VERSÃO 2.1.1 28 JUNHO DE 2011 MUITO IMPORTANTE GIAE VERSÃO 2.1.1 28 JUNHO DE 2011 MUITO IMPORTANTE Devido a um bug detectado no motor da base de dados, situação agora corrigida pelo fabricante, esta nova actualização do GIAE é disponibilizada numa

Leia mais

O cliente pode escolher as transações que quer pagar na Loja CTT? Não, pode escolher os dias (valor total para um dia) que pretende pagar.

O cliente pode escolher as transações que quer pagar na Loja CTT? Não, pode escolher os dias (valor total para um dia) que pretende pagar. FAQ 1. Sistema Pós-Pago Quais os custos administrativos associados? Os custos administrativos são cobrados no momento do pagamento, dependendo do número de viagens cobradas (0,26 +IVA por viagem até um

Leia mais

NORMAS E CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DE AUXILIOS ECONÓMICOS ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

NORMAS E CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DE AUXILIOS ECONÓMICOS ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO NORMAS E CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DE AUXILIOS ECONÓMICOS ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO NORMAS E CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DE AUXILIOS ECONÓMICOS OBJECTIVOS O Decreto-lei 55/2009 estabelece

Leia mais

GIAE VERSÃO 2.2.0 24 ABRIL DE 2012. Com o objetivo de unificar a versão todos os módulos do GIAE são atualizados para a versão 2.2.0.

GIAE VERSÃO 2.2.0 24 ABRIL DE 2012. Com o objetivo de unificar a versão todos os módulos do GIAE são atualizados para a versão 2.2.0. GIAE VERSÃO 2.2.0 24 ABRIL DE 2012 Com o objetivo de unificar a versão todos os módulos do GIAE são atualizados para a versão 2.2.0. Muito Importante: Antes de efetuar qualquer procedimento de instalação,

Leia mais

REGULAMENTO DE TARIFAS DA MARINA DA PRAIA DA VITÓRIA

REGULAMENTO DE TARIFAS DA MARINA DA PRAIA DA VITÓRIA ÍNDICE Artigo 1º - Disposições Gerais...3 Artigo 2.º - Definições...3 Artigo 3.º - Aplicação de Tarifas...4 Artigo 4.º - Formas de pagamento...5 Artigo 5.º - Documentos...5 Artigo 6.º - Tipos de Estacionamento...6

Leia mais

Normas do Banco de Manuais Escolares do Município de Ponte de Lima

Normas do Banco de Manuais Escolares do Município de Ponte de Lima Normas do Banco de Manuais Escolares do Município de Ponte de Lima O projeto Banco de Manuais Escolares do Município de Ponte de Lima tem como propósito fomentar a partilha de manuais escolares, mediante

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16 COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA/ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E DE APOIO À FAMILIA - 2015/16 FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias divertidas Objeto e âmbito de aplicação O presente documento

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CENTRAL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA 1. FUNDOS BIBLIOGRÁFICOS Os fundos disponíveis na Biblioteca têm classificações diferenciadas e estão sujeitos a condições

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes REGULAMENTO DE RECUPERAÇÃO DE MÓDULOS EM ATRASO

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes REGULAMENTO DE RECUPERAÇÃO DE MÓDULOS EM ATRASO Página 1 de 9 Objeto, âmbito e destinatários 1. O presente regulamento estabelece o regime geral de realização das provas de recuperação a realizar em época extraordinária para conclusão de módulos em

Leia mais

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO REGULAMENTO INTERNO PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. FILIPA DE LENCASTRE Artigo 1º Finalidade O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE EIXO REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR Serviços de Ação Social Escolar (SASE) REGULAMENTO Artigo 1º Definição e composição 1. Os Serviços de Ação Social Escolar, a funcionar nos Serviços de Administração Escolar

Leia mais

REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS do Montepio Geral Associação Mutualista Título II DISPOSIÇÕES PARTICULARES - MODALIDADES INDIVIDUAIS

REGULAMENTO DE BENEFÍCIOS do Montepio Geral Associação Mutualista Título II DISPOSIÇÕES PARTICULARES - MODALIDADES INDIVIDUAIS Artigo 1.º (Definições e Interpretação) 1. Nesta Secção, os termos e expressões iniciados por maiúsculas têm o significado que lhes é atribuído no Título VI (Glossário) do Regulamento. 2. Em caso de conflito

Leia mais

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores.

REGULAMENTO. Presenteador: É a pessoa física ou jurídica que adquire o VALE-VIAGEM CVC, mediante a compra direta de cargas de valores. REGULAMENTO A CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S.A., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria. Cartões GIAE Regulamento de Utilização

Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria. Cartões GIAE Regulamento de Utilização Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria Cartões GIAE Regulamento de Utilização O presente regulamento define e regula o funcionamento do Sistema de Gestão Integrada para a Administração Escolar, adiante

Leia mais

CARTÃO BIGONLINE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PONTOS

CARTÃO BIGONLINE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PONTOS CARTÃO BIGONLINE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PONTOS Definições: Gestor: Banco de Investimento Global, S.A., responsável pela concepção, gestão e desenvolvimento do Programa de Pontos (adiante designado

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015 S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Despacho n.º 341/2015 de 6 de Fevereiro de 2015 Considerando que nos termos do disposto na Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas o empregador público deve elaborar regulamentos

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14. FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14. FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA - 2013/14 FUNCIONAMENTO: refeições, prolongamento horário, férias em movimento Objeto e âmbito de aplicação O presente documento visa regular o funcionamento da Componente

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO

TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO TERMOS E CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO A Quatro Educativo, na pessoa de Paulo Sérgio da Silva Vieira, tem sede na Rua do Barreiro nº 5, Casal da Estortiga, 2495-102 Santa Catarina da Serra.

Leia mais

ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES ANEXO V NORMAS DE FUNCIONAMENTO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES As normas de funcionamento e de utilização dos serviços prestados pelas BE do AEMTG estão definidas nos seguintes pontos: Ponto 1. Utilizadores

Leia mais

Despacho nº 9265-B/2013

Despacho nº 9265-B/2013 Regulamento Interno da Componente de Apoio à Família (CAF) dos Jardim-deinfância e das Escola Básica 1 (EB1) da União de Freguesias de Nogueiró e Tenões 444 Ano Letivo 2014/15 Enquadramento...Quando as

Leia mais

GUIA DE PROCEDIMENTOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA

GUIA DE PROCEDIMENTOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ Câmara Municipal GUIA DE PROCEDIMENTOS SERVIÇOS DE APOIO À FAMÍLIA SERVIÇO DE REFEIÇÕES ESCOLARES NAS ESCOLAS DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO DA REDE PÚBLICA DO MUNICÍPIO DA FIGUEIRA

Leia mais

Artigo 2º Cedência de instalações

Artigo 2º Cedência de instalações MANUAL INTERNO UTILIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES DESPORTIVAS Artigo 1º Disposições gerais 1. As Instalações Desportivas da escola EB André Soares têm como finalidade, para além da atividade letiva, a prestação

Leia mais

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS 2015 REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito e Enquadramento A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica promove o programa Ocupação Científica

Leia mais

Normas DE. Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família. Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica

Normas DE. Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família. Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica Normas DE FuNcioNamENto Atividades de Animação e Apoio à Família e Componente de Apoio à Família Estabelecimentos de Educação e Ensino da Freguesia de Benfica O presente documento apresenta-se como um

Leia mais

Candidatura, atribuição e pagamento de alojamento. Conselho de Gestão do IPPortalegre 2. Artigo 1º

Candidatura, atribuição e pagamento de alojamento. Conselho de Gestão do IPPortalegre 2. Artigo 1º Candidatura, atribuição e pagamento de alojamento Conselho de Gestão do IPPortalegre 21 07 2014 2 Artigo 1º O presente regulamento define as condições de candidatura, atribuição e pagamento de alojamento,

Leia mais

Regulamento de Propina

Regulamento de Propina Regulamento de Propina 2015 2015 ÍNDICE SECÇÃO I Curso de Licenciatura em Enfermagem... 4 Artigo 1º Valor da Propina... 4 Artigo 2º Modalidades de pagamento... 4 SECÇÃO II Cursos de Pós-Licenciatura e

Leia mais

Universidade do IVlinho Reitoria RT-71/2013. desdacho

Universidade do IVlinho Reitoria RT-71/2013. desdacho Universidade do IVlinho Reitoria desdacho RT-71/2013 As bibliotecas da Universidade são uma estrutura essencial de apoio ao trabalho dos alunos, professores e investigadores, representando um repositório

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO

REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO DO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Preâmbulo O Concelho de Portel, à semelhança da generalidade dos Concelhos do interior do país, tem uma parte significativa

Leia mais

ÍNDICE. 1 - Disposições Gerais...3. 2 - Ensino Básico...4. 3 - Ensino Secundário...4. 4 - Alunos com Necessidades Educativas Especiais...

ÍNDICE. 1 - Disposições Gerais...3. 2 - Ensino Básico...4. 3 - Ensino Secundário...4. 4 - Alunos com Necessidades Educativas Especiais... MUNICÍPIO DE VILA FRANCA DE XIRA NORMAS DE PROCEDIMENTO DE CANDIDATURA AO SUBSÍDIO DE TRANSPORTE ÍNDICE 1 - Disposições Gerais...3 2 - Ensino Básico...4 3 - Ensino Secundário...4 4 - Alunos com Necessidades

Leia mais

REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO

REGULAMENTO DAS VISITAS DE ESTUDO DGEstE - Direção-Geral de Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Alentejo Agrupamento de Escolas de Moura código n.º 135471 Escola Básica de Moura nº 1 (EB23) código n.º 342294 REGULAMENTO

Leia mais

Associação Escola 31de Janeiro ANO LETIVO 2014/2015

Associação Escola 31de Janeiro ANO LETIVO 2014/2015 ANO LETIVO 2014/2015 A Associação Escola 31 de Janeiro é uma Instituição privada sem fins lucrativos, fundada em 31 de Janeiro de 1911. Foi uma das Instituições pioneiras ao nível associativo, dedicando-se

Leia mais

REFEIÇÕES ESCOLARES. cascais.pt

REFEIÇÕES ESCOLARES. cascais.pt REFEIÇÕES ESCOLARES cascais.pt REFEIÇÕES ESCOLARES PROGRAMA ALIMENTAR (PA) O Programa Alimentar do Município de Cascais tem mais de 20 anos e abrange todas as Escolas do Pré-escolar e 1º Ciclo da rede

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.)

REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.) REGIMENTO DO PROGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR (A.E.C.) A G R U P A M E N T O D E E S C O L A S D E B E N A V E N T E INTRODUÇÃO Tendo por base os normativos legais

Leia mais

FACULDADE METODISTA GRANBERY GABINETE DA DIREÇÃO PORTARIA Nº 01/2015

FACULDADE METODISTA GRANBERY GABINETE DA DIREÇÃO PORTARIA Nº 01/2015 FACULDADE METODISTA GRANBERY GABINETE DA DIREÇÃO PORTARIA Nº 01/2015 Ementa: Altera e estabelece o Regulamento Financeiro para os cursos de graduação da Faculdade Metodista Granbery. O TESOUREIRO DO INSTITUTO

Leia mais

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições:

REGULAMENTO. Capítulo 1º. Definições: REGULAMENTO A OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS CVC TUR LTDA., o Presenteador e o Presenteado do VALE-VIAGEM CVC, a primeira, na qualidade de prestadora de serviços de turismo, e o segundo, aderindo às condições

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA 1. Funcionamento 1.1 A Biblioteca funciona de acordo com o calendário institucional. 1.2 Horário de funcionamento: de segunda à sexta-feira, de 7h30 às 22h20. A partir das 22h,

Leia mais

COOPERATIVA DE ENSINO DE BENFICA, C.R.L. NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016

COOPERATIVA DE ENSINO DE BENFICA, C.R.L. NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016 NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CEBE NO ANO LETIVO 2015/2016 1. FREQUÊNCIA 1.1. A frequência da CEBE está condicionada a que um dos pais e/ou encarregado de educação da criança se tornem sócios da CEBE, para

Leia mais

Deslocações em Serviço e Ajudas de Custo

Deslocações em Serviço e Ajudas de Custo Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos Deslocações em Serviço e Ajudas de Custo Regulamento I Disposições Gerais 1. Os funcionários docentes e não docentes podem deslocar-se em serviço, durante o

Leia mais

REGULAMENTO CARTÃO FIDELIDADE - POSTO CHAPARRAL

REGULAMENTO CARTÃO FIDELIDADE - POSTO CHAPARRAL REGULAMENTO CARTÃO FIDELIDADE - POSTO CHAPARRAL COMO PARTICIPAR Para participar basta preencher uma ficha de inscrição, disponível no POSTO CHAPARRAL ou fazendo seu cadastro via internet pelo site www.postochaparral.com.br.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR

REGULAMENTO INTERNO DOS CAMPOS DE FÉRIAS DA LIPOR FÉRIAS DA LIPOR 1. Considerações Gerais A Lipor, Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, com sede em Baguim do Monte, concelho de Gondomar, realiza atividades de promoção e organização

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015

REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 REGULAMENTO DO PROGRAMA OLIVAIS EM FÉRIAS ANO 2015 Contactos da Junta de Freguesia Morada: Rua General Silva Freire, Lote C 1849-029 Lisboa Telefone: 21 854 06 90 Fax: 21 852 06 87 / 21 248 79 25 E-mail:

Leia mais

Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY

Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY Objeto a) Pelo presente contrato, a Caixa Económica Montepio Geral, entidade com capital aberto ao investimento do público, com sede na Rua Áurea,

Leia mais

Fundo Universitário AMI

Fundo Universitário AMI Fundo Universitário AMI Regulamento Geral Preâmbulo Desde 1994, ano em que se inaugurou o primeiro centro social da AMI (Olaias) e até 2014, os Serviços Sociais da AMI apoiaram 64.317 pessoas em situação

Leia mais

Termos e Condições Cartão de descontos em Serviços Auto

Termos e Condições Cartão de descontos em Serviços Auto Termos e Condições Cartão de descontos em Serviços Auto 1. A presente oferta é válida para Residentes em Portugal, maiores de 18 anos. Não pode ser usada conjuntamente com qualquer outra oferta promocional

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO

REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO REGULAMENTO MUNICIPAL CARTÃO DO IDOSO ÍNDICE Preâmbulo Artigo 1.º - Âmbito Artigo 2.º - Objetivo Artigo 3.º - Condições de Atribuição Artigo 4.º - Organização Processual Artigo 5.º - Benefícios do Cartão

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA EMPRÉSTIMO OU COMPARTICIPAÇÃO NA AQUISIÇÃO DE MANUAIS ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA:

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA EMPRÉSTIMO OU COMPARTICIPAÇÃO NA AQUISIÇÃO DE MANUAIS ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA: REGULAMENTO MUNICIPAL PARA EMPRÉSTIMO OU COMPARTICIPAÇÃO NA AQUISIÇÃO DE MANUAIS ESCOLARES NOTA JUSTIFICATIVA: Considerando que, decorrente da imposição da lei fundamental, incumbe ao Estado assegurar

Leia mais

TÍTULO I DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA

TÍTULO I DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA S u m á r i o DA SUBORDINAÇÃO E COMPETÊNCIA... 2 DO FUNCIONAMENTO... 3 DO USUÁRIO... 3 DAS INSCRIÇÕES... 4 DA CONSULTA... 4 DO EMPRÉSTIMO, RESERVA E DEVOLUÇÃO... 5 DAS SANÇÕES... 6 DO EXTRAVIO E DANOS...

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA

BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA BIBLIOTECA ESCOLAR REGULAMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO DA SILVA CORREIA ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO... 3 1. A EQUIPA EDUCATIVA... 3 2. COMPETÊNCIAS

Leia mais

Serviços de Ação Social Escolar (SASE)

Serviços de Ação Social Escolar (SASE) Serviços de Ação Social Escolar (SASE) REGULAMENTO Artigo 1º Definição e composição 1. Os Serviços de Ação Social Escolar, a funcionar nos Serviços de Administração Escolar do Agrupamento destinam-se,

Leia mais

REGULAMENTO DO BANCO DE EMPRÉSTIMO DE MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO DO BANCO DE EMPRÉSTIMO DE MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO DO BANCO DE EMPRÉSTIMO DE MANUAIS ESCOLARES 1 PREÂMBULO Sendo a aposta na educação uma estratégia fundamental para o desenvolvimento do concelho de Vendas Novas, é lançado o Banco de Empréstimo

Leia mais

Regimento Interno de Educação Física

Regimento Interno de Educação Física Aspectos Gerais Regimento Interno de Educação Física 2013/14 Ponto 1 - As instalações desportivas destinam-se à realização das aulas de Educação Física e Atividades de Complemento Curricular. Qualquer

Leia mais

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL

M U N I C Í P I O D E V A L E N Ç A C ÂM ARA MUNIC I PAL REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Nota justificativa Os municípios são autarquias locais que têm como objetivo primordial a prossecução dos interesses próprios e comuns dos respetivos

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO REGULAMENTO GERAL DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Artigo 1º (Âmbito) O presente regulamento fixa as normas gerais relativas a Matrículas e Inscrições nos diferentes

Leia mais

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO

CURSOS VOCACIONAIS PRÁTICA SIMULADA REGULAMENTO ESPECÍFICO REGULAMENTO ESPECÍFICO MARÇO DE 2014 ÍNDICE ENQUADRAMENTO NORMATIVO... 1 ÂMBITO E DEFINIÇÃO 1 CONDIÇÕES DE ACESSO 1 OBJETIVOS 1 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER 2 ESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO DE PS 2 AVALIAÇÃO

Leia mais

ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia

ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia ESCOLA DE MÚSICA Mértola tem Melodia Regulamento 2014/2015 O presente Regulamento estabelece as regras gerais de funcionamento da Escola de Música Mértola tem Melodia (MTM) e tem a vigência de Setembro

Leia mais

NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR NORMAS PARA A ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO E APOIO À FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Aprovação em Conselho Municipal de Educação 10 de março de 2015 Aprovação em Reunião de Câmara 25

Leia mais

BANCO DE MANUAIS ESCOLARES USADOS DE SÃO PEDRO DO SUL

BANCO DE MANUAIS ESCOLARES USADOS DE SÃO PEDRO DO SUL BANCO DE MANUAIS ESCOLARES USADOS DE SÃO PEDRO DO SUL A União de Freguesias de São Pedro do Sul, Várzea e Baiões, em parceria com a Câmara Municipal de São Pedro do Sul e a Associação de Pais e Encarregados

Leia mais

REGULAMENTO DOS APOIOS ECONÓMICOS

REGULAMENTO DOS APOIOS ECONÓMICOS REGULAMENTO DOS APOIOS ECONÓMICOS PREAMBULO No âmbito da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, com a nova redação dada pela Lei n.º 5-A/2002 e da Lei n.º 159/99 de 14 de Setembro, de 11 de Janeiro, compete

Leia mais

mini biblioteca aefmup

mini biblioteca aefmup mini biblioteca aefmup REGULAMENTO Fevereiro 2014 Regulamento da Mini-Biblioteca AEFMUP Preâmbulo O presente instrumento normativo tem como objetivo definir as linhas orientadoras para a utilização da

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 8 de março de 2013. Série. Número 32

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 8 de março de 2013. Série. Número 32 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 8 de março de 2013 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS Portaria n.º 19/2013 Aprova o Programa Juventude Ativa. 2 8 de

Leia mais

Programa Olivais em Férias

Programa Olivais em Férias Capítulo 90 Programa Olivais em Férias Ano 2015 MR.003.01.Vers.1.0.a Página 1 de 8 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Planeamento e Organização... 3 3. Inscrição... 3 3.1. Valor a pagar... 3 3.2. Fichas de

Leia mais

contrato de adesão ao serviço faturação repartida, faturação repartida vpn, faturação repartida com diferenciação horária e agenda de contactos

contrato de adesão ao serviço faturação repartida, faturação repartida vpn, faturação repartida com diferenciação horária e agenda de contactos contrato de adesão ao serviço faturação repartida, faturação repartida vpn, faturação repartida com diferenciação horária e agenda de contactos Mod.C/1000127 A preencher pela tmn Nº conta Nº Solicitação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS

REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS REGULAMENTO DO PROGRAMA ITAUCARD BUSINESS REWARDS 1. DISPOSIÇÕES GERAIS a) Este Regulamento faz parte integrante do Contrato de Cartão de Crédito ( Contrato ) e regula as condições aplicáveis ao Programa

Leia mais

REGULAMENTO DA ACÇÃO ACTIVAÇÃO GIFT CARD Campanha promocional denominada: Oferta de 20 em Gift Cards

REGULAMENTO DA ACÇÃO ACTIVAÇÃO GIFT CARD Campanha promocional denominada: Oferta de 20 em Gift Cards REGULAMENTO DA ACÇÃO ACTIVAÇÃO GIFT CARD Campanha promocional denominada: Oferta de 20 em Gift Cards Artº 1º (Promotora) O Centro Comercial Parque Nascente leva a cabo a campanha promocional Oferta de

Leia mais

Regulamento Geral. As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15 de Setembro. As inscrições feitas em Junho e Julho beneficiam de desconto.

Regulamento Geral. As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15 de Setembro. As inscrições feitas em Junho e Julho beneficiam de desconto. Regulamento Geral Matrícula: Para efetuar a matrícula é necessário: Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão 1 Fotografia Pagamento da matrícula As matrículas devem ser efetuadas o mais tardar até 15

Leia mais