DANIEL IDALGO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO E COMERCIO EXTERIOR- UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO- UNAERP- RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO, BRASIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DANIEL IDALGO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO E COMERCIO EXTERIOR- UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO- UNAERP- RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO, BRASIL"

Transcrição

1 INTRANET NA REDE BANCÁRIA DO GRUPO SANTANDER BANESPA. DANIEL IDALGO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO E COMERCIO EXTERIOR- UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO- UNAERP- RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO, BRASIL PROF.A DR.A GLÁUCIA APARECIDA PRATES CURSO DE ADMINISTRAÇÃO E COMERCIO EXTERIOR- UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO- UNAERP- RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO, BRASIL PROF.A MS. SANDRA REGINA ANTICO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO E COMERCIO EXTERIOR- UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO- UNAERP- RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO, BRASIL

2 RESUMO Dentro dos limites da empresa, toda informação e documentação que circulam em forma de papel podem ser colocadas na intranet em formato digital, reduzindo assim tempo e custos operacionais. Tudo baseado na estrutura de hipertexto, interligados por links e com hierarquização de níveis de acesso. Este trabalho tem como objetivo demonstrar a intranet, através do caso da fusão do Santander Banespa. Com o referido estudo observou-se que a Intranet aumenta a velocidade e o fluxo das informações da empresa. Palavras-chave: Intranet, Tecnologia da Informação, Sistemas colaborativos, Santander. ABSTRACT Inside the boundaries of a company, every information and documentation which circulates in form of paper may be sent through the intranet in a digital format, thus reducing time and operational costs. All documents based on an hypertext structure, connected by links and with access level hierarchy. This paper aims to describe thee intranet through the companies fusion Banestado and Santander Banks in Brazil. By this tool the workflow has increaased. Key-words: Intranet, Technology, Collaaborative Systems, Santander.

3 1. INTRODUÇÃO Nos dias de hoje, a Intranet representa uma solução de custo e segurança interna da rede do Grupo Santander Banespa, cuja a implementação só foi possível devido à fusão da empresa citadas. Após esta fusão, o Grupo começou então, uma busca por uma tecnologia mais simples e barata, que possibilitasse um intercâmbio de informações de maneira objetiva para os funcionários. E a resposta estava logo ali, na Intranet. Através de um software que todos estão acostumados a usar, é possível se navegar através do mundo e acessar todo tipo de informação imaginável. A questão era trazer essa facilidade para dentro de nossas agências. O objetivo maior de uma Intranet é que cada funcionário possa ter acesso fácil e instantâneo a todo o conhecimento da organização através de seu computados.o cenário mundial vem passando por grandes transformações nos últimos anos, em diversos aspectos, mais especificamente no que se refere aos aspectos de mercados globais, surgimento de novos mercados e disseminação de informação.(benett,1997) A grande revolução gerada por essa forma de comunicação é sem dúvida a facilidade de acesso à informação. Em uma Intranet, a localização da informação torna-se transparente para quem a utiliza.com isso, a rede local da empresa assume uma nova função prover fluxo de informação (FAGUNDES,2004). Outro aspecto importante é que em decorrência da distribuição do poder computacional ocorrido nos últimos anos, cada funcionário se tornou uma usina geradora de informação.no modelo tradicional de uma empresa, há uma tendência de que estes fiquem confinados em seus computadores pessoais. A Intranet quebra esse paradigma, e a informação que anteriormente ficava sob a posse do funcionário torna-se um bem da empresa. (BENETT,1997). O presente trabalho tem como objetivo mostrar as principais questões referentes à Intranet, fornecendo uma visão geral algumas questões relacionadas e verificando seus conceitos, aplicado ao Grupo Santander Banespa, vantagens, desvantagens e principalmente os problemas enfrentados nesta área.

4 O tema foi escolhido porque hoje é presenciado a transição para a era digital e é imprescindível ter conhecimentos de informática, ainda mais sobre a rede mundial de computadores e tudo que seja relacionado a ela. O presente trabalho tem caráter descritivo e estudo de caso da implantação da Intranet no referido banco. Para a tal foi realizado uma pesquisa bibliográfica em Sites específicos, Boletim Interno, periódicos científicos(intranet), entrevista com supervisor da agência, sendo considerado os modelos fortes e fracos, modelo de implantação. 2.SUPORTE DA TECOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA FUSÃO E AQUISIÇÃO. A onda de fusões e incorporações bancárias ocorridas no Brasil a partir de 1996, teve na venda do Banespa ao Grupo Santander, ao mesmo tempo, um marco e um fim de uma etapa na consolidação bancária. Isto porque se trata do maior e último grande Banco estadual privatizado no país, e possibilitou ao Banco Santander do Brasil a se tornar o único Banco estrangeiro a se situar entre os três grandes Bancos privados do país. Fusões e aquisições como esta, resulta em tensão para os funcionários, pois além da eminente possibilidade de demissões, o colaborador sai de uma estrutura pública, com suas vantagens e desvantagens, para outra mais competitiva e voltada para o mercado. Lidar com estas profundas mudanças requer uma grande habilidade e atenção do RH. Na atualidade este cenário está mudando: a Internet e a tecnologia a ela associada, em especial os sistemas de segurança, vêm permitindo que os antigos sistemas proprietários sejam abandonados, assim como o atendimento dos clientes pelas formas convencionais. Podendo agora oferecer uma vasta gama de serviços aos seus clientes desde operações mais simples, como consulta de saldo e pagamento de contas, até operações em bolsas em tempo real, integração como pacotes financeiros, etc (FAGUNDES,2004) Meios de comunicação internas no banco Santander Banespa. Os meios de comunicação utilizados internamente são os mais tradicionais e fáceis de se operar,intranet, Boletim Interno, Out Look ( ). A Internet é uma gigantesca rede mundial de computadores, que inclui desde grandes computadores até micros do porte de um PC. Esses equipamentos são interligados através de linhas comuns de telefone, linhas de comunicação privadas, cabos submarinos, canais de

5 satélite e diversos outros meios de telecomunicação. No Brasil, o número de pessoas e computadores ligados à Internet, está em verdadeira ascensão, pequenos comércios e grandes empresas, estão também aderindo a este meio substancialmente novo de provimento e acesso de serviços. Fazendo um paralelo com a estrutura de estradas de rodagem, a Internet funciona como uma rodovia pela qual a informação contida em textos, som e imagem pode trafegar em alta velocidade entre qualquer computador conectado a essa rede. E por essa razão que a Internet é muitas vezes chamada da "super rodovia da informação" (FAGUNDES,2004). A tecnologia usada em Internet é um sucesso hoje, devido a sua interface gráfica e facilidade de transporte de informação, misturando texto, figuras, fotos, gráficos, animações e sons (BENETT,1997). Desta forma a apresentação da informação teve sua qualidade consideravelmente elevada. Isto só foi possível através da criação de tecnologias, que foram incorporando-se a rede mundial fazendo dela o que é hoje. Utiliza os recursos da rede interna, e tem seu acesso restrito ao pessoal da companhia e filiais, e estão diretamente relacionadas à Internet, pois compartilham os mesmos software e equipamentos de rede. Podem ser ligadas à Internet, com segurança, utilizando "firewalls" que permitem restrições de uso e acesso, por exemplo permitindo aos empregados acessarem os recursos desejados da Internet e restringindo o acesso de outros dados privados da empresa. Combinam recursos multimídia tais como textos, gráficos, sons e até mesmo vídeo para distribuir notícias, respostas as questões dos empregados, atualizar informações de pessoal, etc. Podem ser também utilizadas em aplicações de acesso remoto, como no caso de vendedores externos que utilizam notebooks para acessarem informações da empresa de suas casas ou quando estiverem visitando seus clientes. Portanto, a Intranet é o resultado da promessa de desempenho na rede, pois facilita a distribuição de documentos e dados e tem como base as tecnologias comprovadas e eficientes da Internet e da Web (Peter). Extranet é o nome dado a um conjunto de Intranets interligadas através da Internet. É uma rede de negócios que une empresas parceiras por meio de suas Intranets utilizando os padrões abertos da Internet. Esses parceiros não precisam ter o mesmo tipo de computador

6 (hardware), sistema operacional, gerenciadores de bancos de dados (software) ou browser para navegação. (FAGUNDES,2004) A Extranet é uma Intranet ampliada para ser utilizada fora de uma empresa, normalmente, envolvendo serviços externos: clientes, fornecedores e parceiros. Ela usa a mesma tecnologia e infra-estrutura da Internet, possibilitando às empresas disponibilizarem o acesso via Internet para a sua Intranet. Essa extensão da Intranet é uma parte da rede corporativa, usada para negócios, seus acessos são controlados por senha e servem para troca de dados e informações. A comunicação entre a matriz e a filial de uma empresa é uma das formas de utilizar a Extranet. São redes corporativas que se utilizam da tecnologia e infra-estrutura de comunicação de dados da Internet, que são utilizadas na comunicação interna da própria empresa e / ou comunicação com outras empresas (TITTEL,1997). O termo Intranet começou a ser usado em meados de 1995 por fornecedores de produtos de rede para se referirem ao uso dentro das empresas privadas de tecnologias projetadas para a comunicação por computador entre empresas. Em outras palavras, uma Intranet consiste em uma rede privativa de computadores que se baseia nos padrões de comunicação de dados da Internet pública. Conforme BENETT (1997, p. 321), a rede de uma empresa pode possuir um ou centenas de servidores Web, e ainda assim ser considerada uma Intranet. O tamanho não define a Intranet, mas sim o fato de destinar-se ao uso interno e particular da empresa. Chama-se Intranet o uso da tecnologia da Internet numa rede privada de computadores. Com o rápido desenvolvimento de ferramentas e aplicações para a Internet as empresas observaram que poderiam aproveitar essas tecnologias para aumentar a produtividade dos seus negócios (FAGUNDES,2004). A Intranet é algo novo, porém seu uso vem crescendo a passos largos. O maior benefício do uso de Intranet é a facilidade do trabalho em grupo groupware. Devido as características da infra estrutura é possível trabalhar com computadores de médio poder de processamento. Uma Intranet pode ser implementada em rede de computadores multiprotocolares, ou seja, em redes heterogêneas de computadores. Com isso, pode-se dizer que uma rede Intranet é o mesmo que uma LAN, uma rede local de computadores.

7 A "Intranet" começou a ser usada em 1995 para designar redes de computadores dentro de uma empresa utilizando tecnologia projetada para a comunicação entre empresas, ou fora da empresa, em outras palavras é uma rede interna de computadores que se baseia nos padrões de comunicação da Internet pública (XIMENES,2003). Entre os vários padrões envolvidos, estão o TCP/IP (Transport Control Protocol/Internet Protocol), que é um protocolo de rede que permite que um computador enderece e envie dados de forma confiável a outro computador. Outros padrões abrangem, o FTP (File Transfer Protocol), que consiste em um serviço capaz de transmitir arquivos de um computador para outro; o SMTP (Simple Mail Transport Protocol), que é a base do correio eletrônico ( ), e o MIME (Multipurpose Internet Mail Extensions), que consiste em um padrão que define formatos binários, como por exemplo, imagens gráficas e arquivos de áudio, para transmissão por correio eletrônico. A diferença entre a Internet e uma Intranet não é de caráter tecnológico. A verdadeira diferença está nos seguintes fatores: Escopo de acesso A forma como as tecnologias são utilizadas para a comunicação Os objetivos das partes que estão se comunicando De um lado, a Internet tem um escopo global, é mantida por canais públicos de telecomunicações e está aberta a qualquer pessoa, sem qualquer restrição quanto ao conteúdo. Ela funciona como uma ferramenta de pesquisa, um meio de publicidade, até como um ponto de encontro, entre outras milhares de aplicações imagináveis.(figura 1.) FIGURA:01 Modelo de interface com usuário final.

8 A INTRANET, INTERNET E EXTRANET, são redes corporativas que utilizam da mesma tecnologia e infra-estrutura de comunicação de dados. As Vantagens da Intranet É uma excelente plataforma para divulgação de informações sobre marketing, pessoal, benefícios e política corporativa internamente. (TITTEL,1997) Paginador Web com múltiplos recursos está disponível para praticamente qualquer sistema operacional cliente. Pode substituir tanto os sistemas de informação para executivos (EIS) como os de computação colaborativa. Os servidores Web não necessitam de tanto hardware e espaço em disco como os pacotes de software para grupos de trabalhos clássicos. A tecnologia Web apresenta capacidade expansão e pode ser utilizada através de redes remotas. A Intranet fornece os recursos da Internet sem o risco de invasão. As informações confinadas numa rede Intranet são acessíveis apenas à organização a que pertence e às pessoas autorizadas por ela. Os produtores de front-end competem entre si, o que resulta em baixa no preço dos produtos e até produtos gratuitos. Diminui gastos com hardware e software, treinamento, troca de arquivos, backups periódicos, gerenciamento e tudo o que é necessário para uma rede convencional funcionar. Disponibiliza as informações sob demanda, quando e onde ela é necessária, mantém uma única fonte de informação, Utilizando então o mesmo pessoal que normalmente seria responsável por preparar o material impresso. As desvantagens da Intranet para os grupos de trabalhos tradicionais, apresenta aplicativos de colaboração mais poderosos. Não existe um sistema unificado como os pacotes de grupos de trabalho. É necessário configurar e manter aplicativos separados, como correio eletrônico e servidores Web. Deve-se manter uma equipe de manutenção do servidor Web, em dedicação exclusiva, a nível de manter páginas Web, pois as informações ali guardadas são dinâmicas, dependendo do caso, podendo ser alteradas da noite para o dia.

9 Para a manutenção destes computadores e programas é necessário contratar os serviços de profissionais especializados. Que é o grande segredo para obter sucesso com a intranet Recursos tecnológicos para implantação da intranet. Webmaster - Cuida do servidor e das conexões da rede. Sua principal função é fazer com que os funcionários da empresa tenham acesso às informações que lhe são pertinentes. Webdesigner - É o responsável por colocar na rede os conteúdos atualizados e por manter o padrão dos sites. Além destes profissionais, existe um outro não menos importante, é o especialista que adapta as informações dos manuais, livros e transparências para o formato HTML Basicamente a montagem de uma Intranet consiste em usar as estruturas de redes locais existentes na maioria das empresas, e em instalar um servidor Web. Servidor Web - É a máquina que faz o papel de repositório das informações contidas na Intranet. É lá que os clientes vão buscar as páginas HTML, mensagens de ou qualquer outro tipo de arquivo. Estações da Rede - Nas estações da rede, os funcionários acessam as informações colocadas à sua disposição no servidor. Para isso usam o Web browser, software que permite folhear os documentos. Os benefícios trazidos pela Intranet na organização esta relacionado ao aumento da produtividade dos funcionários.facilidade na comunicação, estímulo à auto ajuda,automatização de rotinas de negócios, disponibilidade da informação onde e quando ela é necessária. Este modelo de Intranet Dinâmica está baseado na integração das informações de negócios a bases de dados e permite que os usuários acessem em tempo real as informações geradas dinamicamente. Os usuários passam a ter acesso a formulários e modelos que interagem com a base de dados e executam consultas elaborados em HTML ou DHTML. Desta forma, os usuários passam a interagir diretamente com as informações armazenadas no banco de dados e não estão mais limitados a consultar apenas documentos estáticos. Os principais aspectos a serem considerados ao optar por uma Intranet dinâmica são:

10 Integração com banco de dados: o gerenciador de banco de dados deverá trabalhar continuamente em conjunto com o servidor Web, devendo observar a necessidade de adequar a solução de comunicação do banco de dados à performance necessária para aplicação. Interatividade: a inter atividade entre os usuários e as aplicações clienteservidor da Intranet é beneficiada pela flexibilidade de uso dos browsers, associada à evolução de performance das conexões entre aplicações e bases dedados. Replicação: um ponto importante a ser analisado é a possibilidade de replicar em uma base de dados as informações mais acessadas pelos usuários, ao invés de mantê-las no banco de dados centralizado. Desta forma, o servidor Web pode acessar estas informações mais rapidamente, aliviando a carga do banco de dados central e produzindo tempos enormes de resposta às consultas dos usuários. Neste tipo de Intranet Estática, as informações necessárias são disponibilizadas em servidores Web e os usuários têm acesso a elas através do uso de browsers. Em geral, estas informações já estão disponíveis através de outros meios dentro da empresa. As informações típicas disponibilizadas neste modelo são: políticas e procedimentos internos, manuais da qualidade, dados históricos, catálogos e informações técnicas de produtos, avisos e informativos, entre outros. Estas informações são estáticas, ou seja, estão codificadas em páginas HTML ou documentos acrobat e sua atualização implica na edição do código destas páginas. A opção por esta solução, requer a consideração dos seguintes aspectos: Segurança: Para garantir a segurança geralmente é suficiente a utilização de um único software ou hardware de proteção de rede interna contra acessos externos (firewall). Pode-se configurar o firewall para bloquear o acesso de qualquer usuário externo, mas dependendo dos objetivos do projeto, pode-se liberar o acesso às informações internas para grupos especiais de usuários, como parceiros de negócios, fornecedores e vendedores externos; Publicação de informações: as duas maneiras mais utilizadas para disponibilizar as informações na Intranet são: o modelo centralizado e o distribuído. No modelo centralizado, vários usuários produzem informações e a

11 autorização para publicar e difundir as mesmas é dada por uma área ou gestor central. No modelo distribuído, que é semelhante ao adotado na Internet, todos os usuários podem gerar e publicar informações na Intranet. Tecnicamente todos os usuários ligados à rede podem disponibilizar as informações; Gerenciamento: o model o centralizado é mai s fácil de ser gerenciado, pois proporciona maior qualidade às informações disponibilizadas e permite dimensionar melhor os recursos computacionais envolvidos. A utilização do firewall, associada ao uso de algumas ferramentas dos servidores Web, permite a criação de relatórios estatísticos de utilização das informações da Intranet. A utilização das ferramentas permite saber o tempo de conexão de um determinado usuário à Intranet, quais foram as informações mais acessadas, qual foi o setor da organização que mais acessou as informações, etc. Estes dados são úteis para adequar as informações aos interesses dos usuários, além de permitir que o administrador da Intranet descubra tentativas de acesso a informações não disponíveis para determinados usuários; Ferramentas: deve-se disponibilizar ao usuário ferramentas de fácil uso e que facilitem a navegação pelas informações disponibilizadas na Intranet. O uso de máquinas de busca facilitam a pesquisa das informações, principalmente quando o acervo de dados é grande. 3.PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA INTRANET NO BANCO SANTANDER BANESPA O período de implantação foi consideravelmente rápido 11 meses após a aquisição feita pelo grupo Santander. Em contra partida a empresa foi a grande realizadora da obra através do departamentos de Analise de Sistema. Com esse avanço tecnológico o grupo como um todo teve acesso a toda as informações gerencias,modelos de formulários,acesso ao suporte interno e RH, pontuação da produção das agencias e de cada funcionário em Real Time, micro base (portal com informação de todos os clientes divididos em carteiras de negócios, cursos, noticias do mercado financeiro, regulamentos e campanhas de produtos e serviços, taxas de juros que vão de um simples empréstimo pessoal ate um Finame (Empréstimo rural) Agronegocio, telefones da agencias e Regionais,cotações das principais moedas, etc...

12 3.1 Motivação após a implantação da Intranet dentro do conglomerado. Com o processos de implantação tornou-se mais fácil e acessível a disseminação do conhecimento na organização, propiciando uma reordenação da organização do trabalho dentro do ambiente da empresa.os colaboradores começam a enxergar oportunidades de crescimento, uma vez que as informações ficavam centralizadas nas mãos da alta administração. Tornou-se um importante fornecedor de informações para os líderes envolvidos em processos de tomada de decisões, reduzindo também os custos de impressão, papel, distribuição de softwares, correio e processamento de pedidos. Uma vez que reduziu significantemente as despesas com telefonemas e pessoal no suporte telefônico Trouxe também uma maior facilidade e rapidez no acesso a informações técnicas e de marketing, beneficiando os funcionários através de Informaçõs mais claras e transparente, sem ruidos e treinamento imediato (Just in Time). 3.2 Perfil Antes da implantação da Intranet. Com base no Recursos Humanos as informações eram transmitidas através de memorando ou telefone. E às vezes, pelo receio de perguntar, alguns colaboradores não tinham conhecimento de seus benefícios, oportunidades de crescimento, etc. Serviço de Atendimento ao Cliente era exclusivamente realizado pelo telefone. Marketing e Vendas, divulgação através de mala direta e folders Após a implantação da Intranet Com base no departamento de Recursos Humanos Informações sobre benefícios, políticas de campanhas, missões e valores da companhia, oportunidades de trabalho, programas de desenvolvimento pessoal, etc. Serviço de Atendimento ao Cliente mudou consideravelmente relatórios sobre problemas comuns, perguntas e respostas. Andamento de ordens de serviços, treinamento e desenvolvimento, dicas para atender às reclamações, protocolos de procedimentos, informativos das cotações diárias, segurança da informação, normas, It s, formulários, etc.

13 Para o Marketing e Vendas a Intranet agregou para o conglomerado informações sobre produtos, listas de preços dos produtos e serviços prestados, promoções internas, leads de vendas (indicativo para prospecção), informações sobre a concorrência, análise sobre negócios ganhos e perdidos, planejamento de eventos, material para treinamento e formulários de contrato.(figura 2.) FIGURA:02 Tela da Intranet do grupo Santender Banespa, 04/ Problemas enfrentados pelos colaboradores. Os aplicativos de colaboração não são tão poderosos quanto os oferecidos pelos programas para grupos de trabalho tradicionais. É necessário configurar e manter aplicativos separados, como correio eletrônico e servidores Web, em vez de usar um sistema unificado, como faria com um pacote de software para grupo de trabalho. Existe um número limitado de ferramentas para conectar um servidor Web a bancos de dados ou outros aplicativos back-end. As Intranets exigem uma rede TCP/IP, ao contrário de outras soluções de software para grupo de trabalho que funcionam com os protocolos de transmissão de redes locais existentes. A ausência de replicação embutida as Intranets não apresentam nenhuma replicação embutida para usuários remotos. A HMTL não é poderosa o suficiente para desenvolver aplicativos cliente / servidor.

14 4. CONCLUSÃO Analisando todos os aspectos que foram expostos durante o trabalho de pesquisa, pode-se concluir com segurança que a Intranet é um recurso útil e até necessário às empresas, e outras instituições (hospitais, escolas, etc...) que possuam pelo menos uma estrutura de tamanho médio, e principalmente às empresas com grandes estruturas. A Intranet aumenta a velocidade e o fluxo das informações da empresa, possibilitando que um funcionário entre em contato com qualquer outro funcionário da empresa através do correio eletrônico interno. Com o referido projeto observamos que a Intranet aumenta a velocidade e o fluxo das informações da empresa, possibilitando que um funcionário entre em contato com qualquer outro funcionário da empresa através do correio eletrônico interno. É importante conscientizar sobre a importância da Intranet, que provocará um impacto muito grande no mundo corporativo e, devido ao maior fluxo de informações gerado, no relacionamento dos funcionários com a empresa. 5. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS BENETT, Gordon. "Intranets Como Implantar Com Sucesso na Sua Empresa". Rio de Janeiro: Campus, 1997 FAGUNDES, Eduardo, Networking 1 Fevereiro 2002 Como podemos Conceituar uma Rede Intranet Disponível no Site:http://www.efagundes.com/Consultas_Online/Como%20podemos%20conceituar%20um a%20rede%20intranet.htm PETER Dyson, "O ABC da INTRANET", Coleman, Pat, Gilbert, Len Tradução Ernesto Yoshida São Paulo: Makron Books TITTEL, Ed / J.M. Stewart, "Intranet Bíblia", 1997 XIMENES, Fernando Barcellos "Pare o Tempo ou Atualize" Agosto/2003 Disponível ao Site:

Introdução. PSINF Internet / Intranet nas Empresas. Motivos. Intranet. Canais. Finalidade

Introdução. PSINF Internet / Intranet nas Empresas. Motivos. Intranet. Canais. Finalidade Introdução PSINF Internet / Intranet nas Empresas Prof. Alexandre Beletti Ferreira Internet: sites sobre lazer, shopping, cultura, etc... Intranet: sistemas corporativos de informações, e que também podem

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. O que é a nova infra-estrutura informação (TI) para empresas? Por que a conectividade é tão importante nessa infra-estrutura

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - SI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Sistemas Colaborativos Empresariais (ECS) Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar

Leia mais

milenaresende@fimes.edu.br

milenaresende@fimes.edu.br Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior Sistemas de Informação A Internet, Intranets e Extranets milenaresende@fimes.edu.br Uso e funcionamento da Internet Os dados da pesquisa de TIC reforçam

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS. Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos. Operam em diferentes plataformas de hardware

LISTA DE EXERCÍCIOS. Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos. Operam em diferentes plataformas de hardware 1. A nova infra-estrutura de tecnologia de informação Conectividade Mede a capacidade de comunicação de computadores e dispositivos Sistemas abertos Sistemas de software Operam em diferentes plataformas

Leia mais

Sistemas de Produtividade

Sistemas de Produtividade Sistemas de Produtividade Os Sistemas de Produtividade que apresentaremos em seguida são soluções completas e podem funcionar interligadas ou não no. Elas recebem dados dos aplicativos de produtividade,

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 9.1 9 OBJETIVOS OBJETIVOS A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO O que é a nova infra-estrutura de tecnologia de informação

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

INTRANET / EXTRANET. 1. Introdução

INTRANET / EXTRANET. 1. Introdução I JLKNMPODQSRUTWVYX:ZP[]\ K_^&`ba]ODQUcT IdMMfeg[]O7K(h I N T R A N E T & E X T R A N E T iyjk6lnmo prqds1t1uwvxyqdt{z} >u 1 INTRANET / EXTRANET 1. Introdução Atualmente, quem acessa a Internet, conhece

Leia mais

INTRANETS. Disciplina: Comércio Eletrônico Prof.: Luis Alberto Gómez Alunos: Renato Jorge Prim Alessandra Teixeira Luciana Silvy

INTRANETS. Disciplina: Comércio Eletrônico Prof.: Luis Alberto Gómez Alunos: Renato Jorge Prim Alessandra Teixeira Luciana Silvy INTRANETS Disciplina: Comércio Eletrônico Prof.: Luis Alberto Gómez Alunos: Renato Jorge Prim Alessandra Teixeira Luciana Silvy I N T R A N E T S O que é Intranet? A intranet é um tipo de rede (LAN ou

Leia mais

INTERNET, INTRANET E EXTRANET

INTERNET, INTRANET E EXTRANET INTERNET, INTRANET E EXTRANET 1 Internet Rede de computadores que interliga milhões de usuários em todo o mundo. Não é uma rede única, mas um grupo de redes hierarquizadas. Pessoas e computadores trocando

Leia mais

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Introdução Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Os Benefícios do Trabalho Remoto O mundo assiste hoje à integração e à implementação de novos meios que permitem uma maior rapidez e eficácia

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

Valor Comercial das Telecomunicações. Telecomunicações nas Empresas. Superar barreiras geográficas. Superar barreiras do tempo

Valor Comercial das Telecomunicações. Telecomunicações nas Empresas. Superar barreiras geográficas. Superar barreiras do tempo Valor Comercial das Telecomunicações Superar barreiras geográficas Atendimento ao cliente/preenchimento de pedidos Superar barreiras do tempo Consultas de crédito (POS) Superar barreiras de custo Videoconferência

Leia mais

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO Capítulo 9 A INTERNET E A NOVA INFRA-ESTRUTURA DA TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 9.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS O que é a nova infra-estrutura de tecnologia de informação (IT) para empresas? Por que a conectividade

Leia mais

Unidade 1. Conceitos Básicos

Unidade 1. Conceitos Básicos Unidade 1 Conceitos Básicos 11 U1 - Conceitos Básicos Comunicação Protocolo Definição de rede Rede Internet 12 Comunicação de dados Comunicação de dados comunicação de informação em estado binário entre

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET CONCEITOS, OBJETIVOS, BENEFÍCIOS E TENDÊNCIAS Renato Schumacher

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

Servidor, Proxy e Firewall. Professor Victor Sotero

Servidor, Proxy e Firewall. Professor Victor Sotero Servidor, Proxy e Firewall Professor Victor Sotero 1 Servidor: Conceito Um servidor é um sistema de computação centralizada que fornece serviços a uma rede de computadores; Os computadores que acessam

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET Autores: OROMAR CÓRDOVA GILBERTO ALVES LOBATO COPEL Companhia Paranaense

Leia mais

Informática Básica. Internet Intranet Extranet

Informática Básica. Internet Intranet Extranet Informática Básica Internet Intranet Extranet Para começar... O que é Internet? Como a Internet nasceu? Como funciona a Internet? Serviços da Internet Considerações finais O que é Internet? Ah, essa eu

Leia mais

A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC

A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC O AMBIENTE OPERACIONAL QUE AGREGA A CONFIABILIDADE E O SUPORTE DA ITAUTEC À SEGURANÇA E À PERFORMANCE DO LINUX O LIBRIX É UMA DISTRIBUIÇÃO PROFISSIONAL LINUX

Leia mais

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos

Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Arquitetura dos Sistemas de Informação Distribuídos Quando se projeta um sistema cuja utilização é destinada a ser feita em ambientes do mundo real, projeções devem ser feitas para que o sistema possa

Leia mais

Internet - A rede Mundial

Internet - A rede Mundial Internet - A rede Mundial Fernando Albuquerque 061-2733589 fernando@cic.unb.br O que é? Qual a sua história? Como funciona? Como está organizada? Quais os serviços? Como acessar? Quais os cuidados? Qual

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Web

Desenvolvimento de Aplicações Web Desenvolvimento de Aplicações Web André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Método de Avaliação Serão realizadas duas provas teóricas e dois trabalhos práticos. MF = 0,1*E + 0,2*P 1 + 0,2*T 1 + 0,2*P

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

9. Quais as características a tecnologia de conexão à Internet denominada ADSL A) Conexão permanente, custo variável, linha telefônica liberada e

9. Quais as características a tecnologia de conexão à Internet denominada ADSL A) Conexão permanente, custo variável, linha telefônica liberada e 9. Quais as características a tecnologia de conexão à Internet denominada ADSL A) Conexão permanente, custo variável, linha telefônica liberada e velocidade maior do que as linhas tradicionais. B) Conexão

Leia mais

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Desenvolvimento de Sistemas Cliente Servidor Prof. Esp. MBA Heuber G. F. Lima Aula 1 Ciclo de Vida Clássico Aonde estamos? Page 2 Análise O que fizemos

Leia mais

Soluções Completas. Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de:

Soluções Completas. Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de: Soluções Completas Fundada em 1991, a.compos é pioneira na área de soluções em tecnologia, atuando nas áreas de: - Conexões compartilhada (.IP) e dedicada (.LINK); - Data Center com servidores virtuais

Leia mais

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos

Agenda. A Empresa História Visão Conceito dos produtos Agenda A Empresa História Visão Conceito dos produtos Produto Conceito Benefícios Vantagens: Criação Utilização Gestão Segurança Integração Mobilidade Clientes A empresa WF História Em 1998, uma ideia

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Intranets, Extranets e a Internet Uma intranet Sites é uma na rede Internet interna a uma organização que utiliza tecnologias da Internet para fornecer um ambiente do

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Gestão de Armazenamento

Gestão de Armazenamento Gestão de Armazenamento 1. Introdução As organizações estão se deparando com o desafio de gerenciar com eficiência uma quantidade extraordinária de dados comerciais gerados por aplicativos e transações

Leia mais

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET Prof. Marcondes Ribeiro Lima Fundamentos de Internet O que é internet? Nome dado a rede mundial de computadores, na verdade a reunião de milhares de redes conectadas

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Conceito, características e classificação das Redes de Computadores; Topologias; Meios físicos de transmissão; Equipamentos de Rede; Segurança;

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Capítulo 7: Sistemas de Informação Colaborativos 7-1 Sistemas de Informação e as decisões gerenciais na era da Internet James A. O'Brien Saraiva S/A Livreiros Editores, 2001 Editora Saraiva The McGraw-Hill

Leia mais

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid)

Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Tipos de Sistemas Distribuídos (Cluster e Grid) Sistemas Distribuídos Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

Valor Comercial das Telecomunicações

Valor Comercial das Telecomunicações Valor Comercial das Telecomunicações Superar barreiras geográficas Atendimento ao cliente/preenchimento de pedidos Superar barreiras do tempo Consultas de crédito (POS) Superar barreiras de custo Videoconferência

Leia mais

Segurança de Redes de Computadores

Segurança de Redes de Computadores Segurança de Redes de Computadores Aula 10 Segurança na Camadas de Rede Redes Privadas Virtuais (VPN) Prof. Ricardo M. Marcacini ricardo.marcacini@ufms.br Curso: Sistemas de Informação 1º Semestre / 2015

Leia mais

Fonte de Consulta: Sistemas de Informação e as Decisões Gerenciais na Era da Internet James A. O Brien NOTAS DE AULA

Fonte de Consulta: Sistemas de Informação e as Decisões Gerenciais na Era da Internet James A. O Brien NOTAS DE AULA NOTAS DE AULA 1. TENDÊNCIAS EM SISTEMAS DE MICROCOMPUTADORES Existem várias categorias principais de sistemas de computadores com uma diversidade de características e capacidades. Consequentemente, os

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING)

UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING) UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING) Thiago Batista de Oliveira¹, Júlio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil thiagoolyveira@gmail.com,juliocesarp@unipar.br

Leia mais

O acesso a informações públicas será assegurado mediante:

O acesso a informações públicas será assegurado mediante: SIMRECI Sistema de Relacionamento com o Cidadão O SIMRECI é um programa de computador que oferece ferramentas para a gestão do relacionamento com o cidadão e, especialmente garante ao poder público atender

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos Introdução a Sistemas Distribuídos Definição: "Um sistema distribuído é uma coleção de computadores autônomos conectados por uma rede e equipados com um sistema de software distribuído." "Um sistema distribuído

Leia mais

Introdução. Página 1 de 9. Trabalho sobre EXTRANET. Universidade de São Paulo Escola Politécnica. Luciano Chede Abad 14/09/2002

Introdução. Página 1 de 9. Trabalho sobre EXTRANET. Universidade de São Paulo Escola Politécnica. Luciano Chede Abad 14/09/2002 Introdução E-business é a nova onda nas empresas. A Internet não permite apenas que as empresas façam negócios de maneiras novas, ela praticamente as obriga a fazer isso, por questões de sobrevivência.

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA Curso: Redes de Computadores Módulo 2 - Conceitos e Fundamentos Evolução das Redes d LAN, MAN e WAN Material de Apoio 2011 / sem2 Prof. Luiz Shigueru Seo CONCEITOS e FUNDAMENTOS

Leia mais

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Redes. Sistemas Operacionais de Rede. Protocolos de Rede. Sistemas Distribuídos Arquitetura de Redes Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistemas Operacionais de Rede NOS Network Operating Systems Sistemas operacionais que trazem recursos para a intercomunicação

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho

http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Prof. Ricardo César de Carvalho vi http://aurelio.net/vim/vim-basico.txt Entrar neste site/arquivo e estudar esse aplicativo Administração de Redes de Computadores Resumo de Serviços em Rede Linux Controlador de Domínio Servidor DNS

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 2 Arquitetura de Data Center Ambientes Colaborativos A história dos sistemas

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia do Porto Administração de Sistemas Informáticos I Clusters

Instituto Superior de Engenharia do Porto Administração de Sistemas Informáticos I Clusters Instituto Superior de Engenharia do Porto Administração de Sistemas Informáticos I Clusters Trabalho elaborado por: 980368 - Sérgio Gonçalves Lima 1010949 - Nisha Sudhirkumar Chaganlal Clusters O que é

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Resumo da solução Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Você deseja uma solução de computação unificada para a sua empresa de médio ou pequeno porte ou para o padrão avançado do seu

Leia mais

Redes de Computadores e suas classificações. Maurício Severich

Redes de Computadores e suas classificações. Maurício Severich Redes de Computadores e suas classificações Maurício Severich Sumário O computador pessoal e a demanda Redes e suas classificações Conectividade Cliente/Servidor Topologia Distância O computador pessoal

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Cluster, Grid e computação em nuvem Slide 8 Nielsen C. Damasceno Introdução Inicialmente, os ambientes distribuídos eram formados através de um cluster. Com o avanço das tecnologias

Leia mais

Conheça a nova solução de servidor que ajuda pequenas empresas a fazer mais Com menos.

Conheça a nova solução de servidor que ajuda pequenas empresas a fazer mais Com menos. Conheça a nova solução de servidor que ajuda pequenas empresas a fazer mais Com menos. O papel de um servidor Introdução à rede básica Sua empresa tem muitas necessidades recorrentes, tais como organizar

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos

Eficiência operacional no setor público. Dez recomendações para cortar custos Eficiência operacional no setor público Dez recomendações para cortar custos 2 de 8 Introdução Com grandes cortes no orçamento e uma pressão reguladora cada vez maior, o setor público agora precisa aumentar

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação. Telecomunicações e a Internet na Empresa

Administração de Sistemas de Informação. Telecomunicações e a Internet na Empresa Administração de Sistemas de Informação e a Internet na Empresa Conectando a Empresa à Rede As organizações estão se tornando empresas conectadas em redes. As redes do tipo Internet, Intranet e Extranet

Leia mais

Gestão do Conteúdo. 1. Introdução

Gestão do Conteúdo. 1. Introdução Gestão do Conteúdo 1. Introdução Ser capaz de fornecer informações a qualquer momento, lugar ou através de qualquer método e ser capaz de fazê-lo de uma forma econômica e rápida está se tornando uma exigência

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3 REFLEXÃO 3 Módulos 0771, 0773, 0774 e 0775 1/5 18-02-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0771 - Conexões de rede, 0773 - Rede local - instalação,

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

1 http://www.google.com

1 http://www.google.com 1 Introdução A computação em grade se caracteriza pelo uso de recursos computacionais distribuídos em várias redes. Os diversos nós contribuem com capacidade de processamento, armazenamento de dados ou

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 9 Telecomunicações e Rede Interconectando a Empresa Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob

Leia mais

INTERNET HOST CONNECTOR

INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR IHC: INTEGRAÇÃO TOTAL COM PRESERVAÇÃO DE INVESTIMENTOS Ao longo das últimas décadas, as organizações investiram milhões de reais em sistemas e aplicativos

Leia mais

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 Índice 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE...3 1.1 O protocolo FTP... 3 1.2 Telnet... 4 1.3 SMTP... 4 1.4 SNMP... 5 2 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE O sistema

Leia mais

INTERNET CONCEITOS. Internet é a "grande rede mundial de computadores"

INTERNET CONCEITOS. Internet é a grande rede mundial de computadores INTERNET CONCEITOS O que é Internet Estamos acostumados a ouvir que Internet é a "grande rede mundial de computadores" Entretanto, essa definição não é muito simplista. Na realidade, Ela é uma coleção

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Basedos na Web Capítulo 12 Agenda Arquitetura Processos Comunicação Nomeação Sincronização Consistência e Replicação Introdução

Leia mais

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes Tecnologia e Infraestrutura Conceitos de Redes Agenda Introdução às Tecnologias de Redes: a) Conceitos de redes (LAN, MAN e WAN); b) Dispositivos (Hub, Switch e Roteador). Conceitos e tipos de Mídias de

Leia mais

efagundes com Como funciona a Internet

efagundes com Como funciona a Internet Como funciona a Internet Eduardo Mayer Fagundes 1 Introdução à Internet A Internet é uma rede de computadores mundial que adota um padrão aberto de comunicação, com acesso ilimitado de pessoas, empresas

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

Informática Redes de Computadores e Internet. Prof. Marcos André Pisching, M.Sc.

Informática Redes de Computadores e Internet. Prof. Marcos André Pisching, M.Sc. Informática Redes de Computadores e Internet Prof. Marcos André Pisching, M.Sc. Objetivos Descrever a importância das redes de computadores. Explicar a importância da Internet. Redes de Computadores Rede:

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1) Administração A palavra administração vem do latim

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Data Warehouse Processos e Arquitetura

Data Warehouse Processos e Arquitetura Data Warehouse - definições: Coleção de dados orientada a assunto, integrada, não volátil e variável em relação ao tempo, que tem por objetivo dar apoio aos processos de tomada de decisão (Inmon, 1997)

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) UNISC Setor de Informática/Redes Atualizado em 22/07/2008 1. Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão de dados via

Leia mais

INTRANET: UNIFICANDO A ORGANIZAÇÃO

INTRANET: UNIFICANDO A ORGANIZAÇÃO INTRANET: UNIFICANDO A ORGANIZAÇÃO Home ou Página Principal da INTRANET SBT, acessada pelo navegador Internet Explorer: http://intranet.sbt.com.br INTRANET: UNIFICANDO A ORGANIZAÇÃO INTRANET é uma rede

Leia mais

Segurança na Rede Local Redes de Computadores

Segurança na Rede Local Redes de Computadores Ciência da Computação Segurança na Rede Local Redes de Computadores Disciplina de Desenvolvimento de Sotware para Web Professor: Danilo Vido Leonardo Siqueira 20130474 São Paulo 2011 Sumário 1.Introdução...3

Leia mais

Comparação SDs X Scs

Comparação SDs X Scs Prof. Alexandre Lima Sistemas Distribuídos Cap 9 1/7 Comparação SDs X Scs Distribuição inerente Economia Velocidade Confiabilidade Crescimento incremental Descrição Algumas aplicações envolvem máquinas

Leia mais

INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião

INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião INTRODUÇÃO A REDES DE COMPUTADORES (DEFINIÇÕES) Prof. Msc. Hélio Esperidião O QUE É? Uma Rede de Computadores é formada por um conjunto de equipamentos(módulos processadores - MPs) capazes de trocar informações

Leia mais