3/23/17. n_antibiotics_don_t_work_any_more?language=en

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3/23/17. https://www.ted.com/talks/maryn_mckenna_what_do_we_do_whe n_antibiotics_don_t_work_any_more?language=en"

Transcrição

1 n_antibiotics_don_t_work_any_more?language=en 1

2 Escherichia, Klebsiella, Proteus Thomas Hänscheid Definições e terminologia Enterobacteriaceae Gram-negativos fermentadores lactose mais ou lactose menos 2

3 Enterobacteriaceae 32 géneros, 132 especies ubiquos em agua, terra, vegetação e parte da flora intestinal dos animais (incluindo o Homem) causam muitas infecções no Homem - 80% das estirpes clinicamente signivicativas isoladas no laboratório - 30% das septicemias - 70% das infecções urinárias bacilos, gram-negativos, não esporulados, motil ou não, crescem em aerobiose e anaerobiose, fermentam glucose, reduzem nitratos Algumas espécies de Enterobacteriaceae relacionadas com doenças no Homem Citrobacter freundii Citrobacter koseri Citrobacter amaloneaticus Edwardsiella tarda Enterobacter cloacae Enterobacter gergoviae Enterobacter amnigenus Escherichia coli Hafnia alvei Klebsiella pneumoniae Klebsiella oxytoca Klebsiella ozonae Morganella morganii Proteus mirbailis Proteus vulgaris Proteus penneri Providencia rettgeri Providencia stuartii Salmonella typhi Salmonella paratyphi A, B, C Salmonella, outros serotipos Serratia marcescens Serratia liquefaciens Shigella dysenteriae Shigella flexneri Shigella boydii Shigella sonnei Yersinia pestis Yersinia enterocolitica Yersinia pseudotuberculosis 3

4 Coloração pelo método de Gram Staphylococcus aureus (pus) Escherichia coli (urina) Klebsiella pneumonaie (expectoração) Fermentadores 4

5 Fermentadores (lactose) meios selectivos, habitualmente usado no laboratório permitem a detecção da ferementação de lactose contêm: lactose + indicador de ph Meios solidos para o isolamento de Enterobacteriacae MacConkey 5

6 MacConkey colonias lactose mais/menos lactose mais (vermelho) lactose menos (transparente) MacConkey Escherichia coli: lactose (+) Salmonella enteridis: lactose (-) Proteus mirabilis: lactose (-) 6

7 Antigénios O somático (Ohne Hauch = sem sopro, bafo ): lipopolisacarideo, resistente ao calor (endotoxina) H flagelar (Hauch = sopro, bafo): proteina, sensivel ao calor K capsular (Kapsel): proteina ou polisacarideo, sensivel ao calor, podeminterferir com a detecção do antigénio O antigénio H (flagelar) antigénio K ou Vi (capsula) antigénio O (somatico) 7

8 Antigénios - importancia aglutinação das bacterias serve para diagnóstico e epidemiologia três exemplos: 1) Escherichia coli K1 meningite neonatal 2) Escherichia coli O157:H7 diarreia (colite hemoragica) e sindrome hemolitico uremico (HUS) 3) identificação de Salmonella spp. e Shigella spp. Agglutinação de E. coli O157:H7 8

9 Agglutinação de E. coli O157:H7 controlo positivo controlo negativo amostra Factores de vírulencia Endotoxina: lipopolisacarideo leucocitose, febre, coagulação disseminada intravascular Capsula: evasão do sistema imunitário Factores de crescimento: enterobactina e aerobactina recupaeração de ferro Exotoxinas: - shiga-toxina em Shigella spp. e E. coli O157-H7 - hemolisinas em E.coli uropatogenico Adhesinas: E. coli para aderir a mucosa intestinal e urogenital 9

10 Doencas causadas por Escherichia, Klebsiella, Proteus 10

11 Escherichia Escherichia coli urina, MacConkey e gelose de sangue urina, Gram E. coli - doença infecção cirurgica (pos-op) infecção urinária (o mais frequente das bacterias isoladas) meningite neonatal (estirpe K1) septicemia gastrenterite (5 tipos diferentes de gastrenterite) outros infecções (pneumonia, colecistie, peritonite) 11

12 E. coli 5 tipos de gastrenterite Shigatoxin E. coli 5 tipos de gastrenterite: probelma do diagnóstico laboratorial bioquimicamente igual a E. coli não patogenico bioquimicamente igual a E. coli não patogenico bioquimicamente igual a E. coli não patogenico EHEC (E.coli O157:H7) sorbitol (-); outro E. coli sorbitol (+) bioquimicamente igual a E. coli não patogenico 12

13 Klebsiella Klebsiella pneumoniae expectoração, MacConkey e gelose de sangue expectoração, Gram coloração capsula Klebsiella - doença pneumonia (doenças subjacentes: alcoolismo, diabetes, etc.) infecção urinária septicemia 13

14 14

15 algalia pós cirurgia pé diabético 15

16 16

17 WHO Lists Antibiotic-Resistant 'Priority Pathogens' for R&D Proteus Proteus mirabilis urina, MacConkey e gelose de sangue (swarming) Gram da cultura coloração flagela 17

18 Proteus - doença infecção urinária (após E. coli o mais frequente das bacterias isoladas) Proteus hidolisa ureia na urina è aumenta do ph Tratamento da infecção urinária? 18

19 Tratamento infecção urinária: nitrofurantoina (excepto Proteus por causa da urina alcalina) 19

20 20

21 ESBL Extended Spectrum Beta Lactamase ESBL 21

22 ESBL 22

23 Qual dos β-lactámicos para o tratamento da KPC? Qual dos β-lactámicos para o tratamento da KPC? 23

24 24

3/23/17. A peste em Nápoles, 1656, Micco Spadara ( )

3/23/17. A peste em Nápoles, 1656, Micco Spadara ( ) 3/23/17 A peste em Nápoles, 1656, Micco Spadara (1612-1679) 1 Enterobacteriaceae 2 Salmonella, Shigella, Yersinia Thomas Hänscheid Algumas espécies de Enterobacteriaceae relacionadas com doenças no Homem

Leia mais

Coprocultura. Identificação de Bacilos Gram-negativos

Coprocultura. Identificação de Bacilos Gram-negativos Coprocultura. Identificação de Bacilos Gram-negativos QUESTÕES PARA AS PROVAS; CONTEÚDO DAS AULAS; HORÁRIO DE ATENDIMENTO ON-LINE; blog do professor: http://chicoteixeira.wordpress.com As Enterobacteriaceae

Leia mais

SUSCEPTIBILIDADE DOS AGENTES DE INFECÇÃO URINÁRIA AOS ANTIMICROBIANOS

SUSCEPTIBILIDADE DOS AGENTES DE INFECÇÃO URINÁRIA AOS ANTIMICROBIANOS SUSCEPTIBILIDADE DOS AGENTES DE INFECÇÃO URINÁRIA AOS ANTIMICROBIANOS ALGARVE RELATÓRIO CUMULATIVO DE SUSCEPTIBILIDADE AOS ANTIMICROBIANOS DOS AGENTES DE INFECÇÃO URINÁRIA NO ALGARVE Objectivo Fornecer

Leia mais

Bactérias Gram negativas de grande relevância em saúde humana

Bactérias Gram negativas de grande relevância em saúde humana Bactérias Gram negativas de grande relevância em saúde humana Prof. Cláudio Galuppo Diniz GN oportunistas: Infecções endógenas Contaminantes secundários em lesões GN patógenos obrigatórios: Doenças do

Leia mais

Infecção Intestinal/ Coprocultura

Infecção Intestinal/ Coprocultura Microbiologia Clínica Infecção Intestinal/ Coprocultura Carlos Cardoso Biomédico Salvador, 2012 Infecção do Trato Urinário Patogenia Aderência Invasão Toxinas Reação inflamatória Colonização Infecção

Leia mais

A Salmonella em avicultura. Ana Martins Funchal, 15 de Março 2010

A Salmonella em avicultura. Ana Martins Funchal, 15 de Março 2010 A Salmonella em avicultura Ana Martins Funchal, 15 de Março 2010 Introdução A Salmonellose é uma das toxi-infecções alimentares mais comuns e amplamente disseminada por todo o mundo. Salmonellose : agravamento

Leia mais

INCIDÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS AUREUS E DE BACTÉRIAS DA FAMÍLIA ENTEROBACTERIACEAE EM CÉDULAS DE R$ 1,00, R$ 5,00, R$ 10,00 E R$ 50,00

INCIDÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS AUREUS E DE BACTÉRIAS DA FAMÍLIA ENTEROBACTERIACEAE EM CÉDULAS DE R$ 1,00, R$ 5,00, R$ 10,00 E R$ 50,00 Incidência de Staphylococcus aureus e de bactérias da família iaceae em cédulas de R$ 1,00, R$ 5,00, R$ 10,00 e R$ 50,00 INCIDÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS AUREUS E DE BACTÉRIAS DA FAMÍLIA ENTEROBACTERIACEAE

Leia mais

O papel do Laboratório de Microbiologia na Prevenção e Controlo das Infeções associadas aos Cuidados de Saúde

O papel do Laboratório de Microbiologia na Prevenção e Controlo das Infeções associadas aos Cuidados de Saúde O papel do Laboratório de Microbiologia na Prevenção e Controlo das Infeções associadas aos Cuidados de Saúde Sandra Paulo Laboratório de Microbiologia Serviço de Patologia Clínica - CHCB Infeções associadas

Leia mais

MAIS UMA VEZ VALE SALIENTAR QUE: Para a obtenção dos resultados foi levado em consideração o construto da legislação vigente no país:

MAIS UMA VEZ VALE SALIENTAR QUE: Para a obtenção dos resultados foi levado em consideração o construto da legislação vigente no país: LAUDO TÉCNICO SEXTA SEMANA Universidade Municipal de São Caetano do Sul USCS Responsável Técnica: Profa. Marta Angela Marcondes Equipe técnica: PROJETO EXPEDIÇÃO BILLINGS: PROBLEMAS E SOLUÇÕES MAIS UMA

Leia mais

MAIS UMA VEZ VALE SALIENTAR QUE: Para a obtenção dos resultados foi levado em consideração o construto da legislação vigente no país:

MAIS UMA VEZ VALE SALIENTAR QUE: Para a obtenção dos resultados foi levado em consideração o construto da legislação vigente no país: LAUDO TÉCNICO QUINTA SEMANA Universidade Municipal de São Caetano do Sul USCS Responsável Técnica: Profa. Marta Angela Marcondes Equipe técnica: PROJETO EXPEDIÇÃO BILLINGS: PROBLEMAS E SOLUÇÕES MAIS UMA

Leia mais

Bactérias de importância no TGI

Bactérias de importância no TGI Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Biológicas Departamento de Parasitologia, Microbiologia e Imunologia Bactérias de importância no TGI Família Enterobacteriaceae Bacilos Gram negativos

Leia mais

AVALIAÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA ENTRE O CHROMAGAR E OS MEIOS USUAIS DE ANÁLISE MICROBIOLÓGICA

AVALIAÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA ENTRE O CHROMAGAR E OS MEIOS USUAIS DE ANÁLISE MICROBIOLÓGICA AVALIAÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA ENTRE O CHROMAGAR E OS MEIOS USUAIS DE ANÁLISE MICROBIOLÓGICA Luiz Antônio Ximenes RESUMO O meio de cultura cromogênico é um meio que possuem na sua formulação uma série

Leia mais

Infecções por Bacterias Multiresistentes a Antimicrobianos: Medidas de Controle

Infecções por Bacterias Multiresistentes a Antimicrobianos: Medidas de Controle Infecções por Bacterias Multiresistentes a Antimicrobianos: Medidas de Controle Tigeciclina e Polimixina B, Glicopeptídeos S. aureus Acinetobacter spp. Enterobacter spp. Carbapenêmicos K. pneumoniae Carbapenêmicos

Leia mais

APROVADO EM INFARMED

APROVADO EM INFARMED FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILZADOR Farmocefe 500 mg Pó para solução injectável Farmocefe 1000 mg Pó para solução injectável Farmocefe 2000 mg Pó para solução injectável Cefepiroma Leia atentamente

Leia mais

A urina é constituída por uréia e outras substâncias químicas orgânicas e inorgânicas dissolvidas em água. Podem ocorrer grandes variações na

A urina é constituída por uréia e outras substâncias químicas orgânicas e inorgânicas dissolvidas em água. Podem ocorrer grandes variações na A urina é constituída por uréia e outras substâncias químicas orgânicas e inorgânicas dissolvidas em água. Podem ocorrer grandes variações na concentração dessas substâncias, devido à influências de fatores

Leia mais

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO Trato urinário superior Rins Ureteres Professora: Juliana Peloi Vides Trato urinário inferior Bexiga Uretra FREQUENTES!!! Parênquima renal Pelve renal Ureteres Bexiga Uretra

Leia mais

Bactérias não-fermentadoras

Bactérias não-fermentadoras Universidade Estadual do Oeste do Paraná Centro de Ciências Médicas e Farmacêuticas Especialização em Microbiologia Aplicada II Bactérias não-fermentadoras Profª. Graziela Braun Bactérias não-fermentadoras

Leia mais

ROMULO PAULO RIBEIRO ALVES ESTUDO DAS PRINCIPAIS ENTEROBACTÉRIAS RESPONSÁVEIS PELAS INFECÇÕES NO ÂMBITO HOSPITALAR E COMUNITÁRIO: UMA REVISÃO

ROMULO PAULO RIBEIRO ALVES ESTUDO DAS PRINCIPAIS ENTEROBACTÉRIAS RESPONSÁVEIS PELAS INFECÇÕES NO ÂMBITO HOSPITALAR E COMUNITÁRIO: UMA REVISÃO 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CAMPOS I CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA ROMULO PAULO RIBEIRO ALVES ESTUDO DAS PRINCIPAIS

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM - 1º ANO

CURSO DE ENFERMAGEM - 1º ANO UNESP - INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA DISCIPLINA DE MICROBIOLOGIA APLICADA À ENFERMAGEM ROTEIRO DE AULAS PRÁTICAS: BACTERIOLOGIA CURSO DE ENFERMAGEM - 1º ANO - 2016

Leia mais

Procedimentos Técnicos. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato de Lacerda Barra Filho Dr. Ivo Fernandes. Gerente da Qualidade Biomédico

Procedimentos Técnicos. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato de Lacerda Barra Filho Dr. Ivo Fernandes. Gerente da Qualidade Biomédico Versão: 1 Pg: 1/5 ELABORADO POR DE ACORDO NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato de Lacerda Barra Filho Dr. Ivo Fernandes Biomédico 01/10/2009 Gerente da Qualidade Biomédico 20/10/2009 Dr. Jose Carlos

Leia mais

RESPEXIL. (norfloxacino), MSD

RESPEXIL. (norfloxacino), MSD RESPEXIL (norfloxacino), MSD FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES RESPEXIL é apresentado em caixas com 6 e 14 comprimidos de 400 mg. USO ADULTO COMPOSIÇÃO: Cada comprimido contém: Norfloxacino...............400

Leia mais

Doenças Transmitidas por Alimentos. Prof.: Alessandra Miranda

Doenças Transmitidas por Alimentos. Prof.: Alessandra Miranda Doenças Transmitidas por Alimentos Prof.: Alessandra Miranda Origem das Doenças Biológica Química Físicas Grupos Vulneráveis Crianças de 0 a 5 anos Mulheres grávidas Doentes e pessoas com baixa imunidade

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Aula desgravada de Microbiologia. 27 Outubro 2006

Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Aula desgravada de Microbiologia. 27 Outubro 2006 Faculdade de Medicina da Universidade do Porto Aula desgravada de Microbiologia 27 Outubro 2006 Família Enterobacteriaceas. Mecanismos de patogenicidade. Aspectos mais relevantes em patologia humana. Pricipais

Leia mais

Avaliação de um corpo hídrico, receptor de chorume, como fonte de doenças de veiculação hídrica através da identificação de enterobactérias.

Avaliação de um corpo hídrico, receptor de chorume, como fonte de doenças de veiculação hídrica através da identificação de enterobactérias. Avaliação de um corpo hídrico, receptor de chorume, como fonte de doenças de veiculação hídrica através da identificação de enterobactérias. Jessica Maria da Silva Pacheco 1, Peterson Andrews Carneiro

Leia mais

Afinal, quem tem medo da KPC?

Afinal, quem tem medo da KPC? HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO - USP Bactérias multiresistentes: testando nossa resistência Afinal, quem tem medo da KPC? 16º Jornada de Controle de Infecção Hospitalar

Leia mais

Ciloxan ciprofloxacino 0,3% cloridrato. Solução Oftálmica Estéril e Pomada Oftálmica Estéril

Ciloxan ciprofloxacino 0,3% cloridrato. Solução Oftálmica Estéril e Pomada Oftálmica Estéril Ciloxan ciprofloxacino 0,3% cloridrato Solução Oftálmica Estéril e Pomada Oftálmica Estéril USO ADULTO E PEDIÁTRICO. FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES: Frascos plásticos conta-gotas contendo 5ml de

Leia mais

Vigilância Sanitária de Alimentos. Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs)- II

Vigilância Sanitária de Alimentos. Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs)- II Vigilância Sanitária de Alimentos Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs)- II Clostridium perfringens Intestino Microbiota normal Solo Água Produto cárneo Clostridium perfringens

Leia mais

MEIO MODIFICADO DE CULTURA PARA CARACTERIZAÇÃO DE SALMONELLA LACTOSE POSITIVA

MEIO MODIFICADO DE CULTURA PARA CARACTERIZAÇÃO DE SALMONELLA LACTOSE POSITIVA MEIO MODIFICADO DE CULTURA PARA CARACTERIZAÇÃO DE SALMONELLA LACTOSE POSITIVA Deise Pasetto Falcão * RSPU-B/300 FALCÃO, D. P. Meio modificado de cultura para caracterização de Salmonella lactose-positiva.

Leia mais

Isolamento e identificação de Campylobacter spp em amostras clínicas. Grace Theophilo LRNCEB - Fiocruz- IOC

Isolamento e identificação de Campylobacter spp em amostras clínicas. Grace Theophilo LRNCEB - Fiocruz- IOC Isolamento e identificação de Campylobacter spp em amostras clínicas Grace Theophilo LRNCEB - Fiocruz- IOC gtheo@ioc.fiocruz.br Bacilos Gram Características gerais Finos, curvos ou em forma de S Móveis

Leia mais

Bactérias uropatogénicas identificadas de cistites não complicadas de mulheres na comunidade

Bactérias uropatogénicas identificadas de cistites não complicadas de mulheres na comunidade Artigos Originais 9 Bactérias uropatogénicas identificadas de cistites não complicadas de mulheres na comunidade 1 2 3 4 Alexandra Silva, Paula Machado, Vitória Rodrigues, Aida Duarte Grupo de Estudo Português

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema Elaboradora Introdução Questão 1 Questão 2 DESAFIOS DO TESTE DE SENSIBILIDADE AOS ANTIMICROBIANOS Antônia Maria de Oliveira Machado. Médica, Patologista Clínica, Microbiologia, Doutora em Medicina.

Leia mais

HIDROSFERA: 3/4 DO PLANETA

HIDROSFERA: 3/4 DO PLANETA HIDROSFERA: 3/4 DO PLANETA DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E INDICADORES MICROBIOLÓGICOS 97,4% : Águas marinhas 1,8% : Águas congeladas 0.8% : Águas doces DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA Doenças causadas pelo

Leia mais

Relações hospedeiro-parasita, Acção patogénica dos microrganismos. Thomas Hänscheid. Microrganismos indígenas do Homem

Relações hospedeiro-parasita, Acção patogénica dos microrganismos. Thomas Hänscheid. Microrganismos indígenas do Homem Relações hospedeiro-parasita, Acção patogénica dos microrganismos Thomas Hänscheid Microrganismos indígenas do Homem Nascimento estéril Colonização por biliões de microrganismos Pele, mucosas nasal, bucal,

Leia mais

Bacilos entéricos Gram-negativos: Enterobacteriaceae

Bacilos entéricos Gram-negativos: Enterobacteriaceae Departamento de Microbiologia Instituto de Ciências Biológicas Universidade Federal de Minas Gerais http://www.icb.ufmg.br/mic Bacilos entéricos Gram-negativos: Enterobacteriaceae Introdução A família

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL MICROBIOLOGIA APLICADA.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL MICROBIOLOGIA APLICADA. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL MICROBIOLOGIA APLICADA Meios de Cultura Microbiologia Clínica Meios de Cultura Conjunto de substâncias,

Leia mais

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE MICRORGANISMOS E PERFIL DE SUSCEPTIBILIDADE ANTIMICROBIANA EM UROCULTURAS POSITIVAS DO LABORATÓRIO EVANGÉLICO DE ANÁPOLIS

TÍTULO: PREVALÊNCIA DE MICRORGANISMOS E PERFIL DE SUSCEPTIBILIDADE ANTIMICROBIANA EM UROCULTURAS POSITIVAS DO LABORATÓRIO EVANGÉLICO DE ANÁPOLIS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: PREVALÊNCIA DE MICRORGANISMOS E PERFIL DE SUSCEPTIBILIDADE ANTIMICROBIANA EM UROCULTURAS POSITIVAS

Leia mais

LAUDO TÉCNICO TERCEIRA SEMANA. Universidade Municipal de São Caetano do Sul USCS. Responsável Técnica: Profa. Marta Angela Marcondes

LAUDO TÉCNICO TERCEIRA SEMANA. Universidade Municipal de São Caetano do Sul USCS. Responsável Técnica: Profa. Marta Angela Marcondes LAUDO TÉCNICO TERCEIRA SEMANA Universidade Municipal de São Caetano do Sul USCS Responsável Técnica: Profa. Marta Angela Marcondes Equipe técnica: PROJETO EXPEDIÇÃO BILLINGS: PROBLEMAS E SOLUÇÕES Para

Leia mais

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA EM ESPONJAS DE USO DOMÉSTICO. REZENDE, Catia 1 ORTINS, Alci Kelli Nogueira 2 ARAÚJO, Geovana Gabriela Sabino 3 RESUMO

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA EM ESPONJAS DE USO DOMÉSTICO. REZENDE, Catia 1 ORTINS, Alci Kelli Nogueira 2 ARAÚJO, Geovana Gabriela Sabino 3 RESUMO AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA EM ESPONJAS DE USO DOMÉSTICO REZENDE, Catia 1 ORTINS, Alci Kelli Nogueira 2 ARAÚJO, Geovana Gabriela Sabino 3 RESUMO Sabe-se que a esponja é utilizada para auxiliar a etapa de

Leia mais

Gênero Staphylococcus Gênero Streptococcus. PDF created with pdffactory Pro trial version

Gênero Staphylococcus Gênero Streptococcus. PDF created with pdffactory Pro trial version Gênero Staphylococcus Gênero Streptococcus TAXONOMIA BACTERIANA FAMÍLIA Gênero Gênero Gênero espécie espécie espécie cepa cepa TAXONOMIA BACTERIANA MICROCOCCACEAE Staphylococcus Micrococcus Stomatococcus

Leia mais

Microrganismos indígenas do Homem

Microrganismos indígenas do Homem Relações hospedeiro-parasita, Acção patogénica dos microrganismos Thomas Hänscheid Microrganismos indígenas do Homem Nascimento estéril Colonização por biliões de microrganismos Pele, mucosas nasal, bucal,

Leia mais

LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO

LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO 1. Este caderno é constituído de 40 questões assim distribuídas: Conhecimentos Gerais, de 01 a 12; e Conhecimentos Específicos, de 13 a 40. 2. Caso o caderno esteja

Leia mais

Comparação das atividades antimicrobianas de meropenem e imipenem/cilastatina: o laboratório necessita testar rotineiramente os dois antimicrobianos?

Comparação das atividades antimicrobianas de meropenem e imipenem/cilastatina: o laboratório necessita testar rotineiramente os dois antimicrobianos? ARTIGO ORIGINAL ORIGINAL PAPER Comparação das atividades antimicrobianas de meropenem e imipenem/cilastatina: o laboratório necessita testar rotineiramente os dois antimicrobianos? Recebido em 6/0/0 Aceito

Leia mais

REPERCUSSÕES SISTÊMICAS RELACIONADOS A PROCESSOS INFECCIOSOS BUCAIS

REPERCUSSÕES SISTÊMICAS RELACIONADOS A PROCESSOS INFECCIOSOS BUCAIS LABORATÓRIO DE ANAERÓBIOS http://www.icb.usp.br/bmm/mariojac REPERCUSSÕES SISTÊMICAS RELACIONADOS A PROCESSOS INFECCIOSOS BUCAIS Prof. Dr. Mario J. Avila-Campos Processos sistêmicos conhecidos desde tempos

Leia mais

PURELL ADVANCED Foam Antisséptico para Mãos

PURELL ADVANCED Foam Antisséptico para Mãos Fórmula 9870-532 PURELL ADVANCED Green Certified Instant Hand Sanitizer Foam PURELL ADVANCED Espuma Alcoólica Antisséptica para Mãos FICHA TÉCNICA Indicação: Antisséptico para as mãos, utilizado para reduzir

Leia mais

Enterobactérias Profa Liliane.

Enterobactérias Profa Liliane. Enterobactérias Profa Liliane. Enterobacteriaceae: Uma das maiores famílias. Habitam o trato intestinal. São de vida livre. Anaeróbios facultativos fermentadores da glicose, o que permite diferenciá-las

Leia mais

Goreth Barberino PhD, MsC em Ciências - FIOCRUZ - Bahia Consultora do Serviço de Microbiologia - HSR

Goreth Barberino PhD, MsC em Ciências - FIOCRUZ - Bahia Consultora do Serviço de Microbiologia - HSR Goreth Barberino PhD, MsC em Ciências - FIOCRUZ - Bahia Consultora do Serviço de Microbiologia - HSR O que disse a teoria revolucionária? Resistência bacteriana A capacidade dos micro-organismos de evoluírem

Leia mais

Vigilância Sanitária de Alimentos. Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs)

Vigilância Sanitária de Alimentos. Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs) Vigilância Sanitária de Alimentos Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs) Doenças Transmitidas por Alimentos Surto: Dois ou mais envolvidos que ingeriram um alimento em comum

Leia mais

Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 2014.

Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 2014. Análise dos casos de meningites em residentes do município do Rio de Janeiro, 14. Foram notificados 928 casos suspeitos de meningite em residentes do município do Rio de Janeiro (MRJ) em 14 (início dos

Leia mais

Bacilos Gram. A família Enterobacteriaceae contem a maioria dos bacilos Gram- clinicamente importantes

Bacilos Gram. A família Enterobacteriaceae contem a maioria dos bacilos Gram- clinicamente importantes Bacilos Gram A família Enterobacteriaceae contem a maioria dos bacilos Gram- clinicamente importantes Apesar da sua complexidade menos de 20 espécies são responsáveis por cerca de 95% das infecções Encontram-se

Leia mais

Infectrin F trimetoprima sulfametoxazol. Composição Cada comprimido contém: trimetoprima mg sulfametoxazol mg

Infectrin F trimetoprima sulfametoxazol. Composição Cada comprimido contém: trimetoprima mg sulfametoxazol mg ABCD Infectrin F trimetoprima sulfametoxazol Forma farmacêutica e apresentação Comprimidos: embalagem com 10 comprimidos. Uso adulto e pediátrico Composição Cada comprimido contém: trimetoprima... 160

Leia mais

NEOFLOXIN. (norfloxacino)

NEOFLOXIN. (norfloxacino) NEOFLOXIN (norfloxacino) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido Revestido 400mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: NEOFLOXIN norfloxacino APRESENTAÇÃO Comprimido revestido de 400mg

Leia mais

Doenças de origem alimentar. alimentar

Doenças de origem alimentar. alimentar Doenças de origem alimentar Definições Intoxicação alimentar Ingestão de alimento contendo toxina produzida pelo microrganismo. Exemplo: Botulismo, estafilococose. Definições Infecção alimentar Ingestão

Leia mais

INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO

INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO Arlindo Schiesari Júnior Médico infectologista Curso de Medicina Faculdades Integradas Padre Albino Catanduva-SP arlindo107@terra.com.br Potenciais Conflitos de Interesses MSD,

Leia mais

Leite como veiculador de Doenças

Leite como veiculador de Doenças 6PIV026 - Inspeção de Leite e Derivados Leite como veiculador de Doenças 20 de Setembro de 2016 Profa. Dra. Vanerli Beloti LIPOA UEL lipoa.uel@gmail.com vbeloti@uel.br www.uel.br/laboratorios/inspecao

Leia mais

08/09/2014 BASTONETES GRAM NEGATIVOS FERMENTADORES. Familia Enterobacteriaceae

08/09/2014 BASTONETES GRAM NEGATIVOS FERMENTADORES. Familia Enterobacteriaceae BASTONETES GRAM NEGATIVOS FERMENTADORES Família Enterobacteriaceae Prof. Vânia Lúcia da Silva CARACTERÍSTICAS GERAIS Morfologia e fisiologia: Bastonetes Gram negativos não formadores de esporos; Anaeróbios

Leia mais

Exame Bacteriológico Indicação e Interpretação

Exame Bacteriológico Indicação e Interpretação Exame Bacteriológico Indicação e Interpretação Clínica Augusto Cezar Montelli 2009 Clínica Médica Departamento de Clínica Médica M Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP Unesp Diagnóstico Microbiológico

Leia mais

Enterobactérias Provas bioquímicas

Enterobactérias Provas bioquímicas BACILOS GRAM-NEGATIVOS Enterobactérias Provas bioquímicas ENTEROBACTÉRIAS IMPORTÂNCIA CLÍNICA A maioria das enterobactérias é encontrada no trato gastrointestinal de humanos, no reino animal, na água,

Leia mais

Classificação. Os meios de cultura são classificados em alguns tipos, que seguem abaixo: Seletivo; Diferencial; Enriquecimento; Transporte;

Classificação. Os meios de cultura são classificados em alguns tipos, que seguem abaixo: Seletivo; Diferencial; Enriquecimento; Transporte; Meios de Cultura Introdução Os meios de cultura são preparações nas quais, ao longo de suas formulações, contêm nutrientes necessários para proporcionar o crescimento de microorganismos; Os mesmos podem

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Cefuroxima Hikma, 750 mg/ 6ml, pó e solvente para solução injectável, IV Cefuroxima Hikma, 1500 mg/ 16ml, pó e solvente para solução injectável,

Leia mais

TEXTO DE BULA DE TYGACIL (TIGECICLINA)

TEXTO DE BULA DE TYGACIL (TIGECICLINA) TEXTO DE BULA DE TYGACIL (TIGECICLINA) I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Tygacil tigeciclina Cartucho contendo 10 frascos-ampolas de Tygacil dose única. Peso líquido: 154 mg. SOMENTE PARA USO INTRAVENOSO

Leia mais

Disciplina: Controle de Qualidade Série: 2ª Turmas: L/N/M/O. Curso: Técnico em Agroindústria. Professora: Roberta M. D.

Disciplina: Controle de Qualidade Série: 2ª Turmas: L/N/M/O. Curso: Técnico em Agroindústria. Professora: Roberta M. D. Disciplina: Controle de Qualidade Série: 2ª Turmas: L/N/M/O Segurança Alimentar e Curso: Técnico em Agroindústria Professora: Roberta M. D. Cardozo Segurança Alimentar Grupos ou espécies de microrganismos

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Cefuroxima Basi, 250 mg 500 mg, Comprimidos revestidos

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Cefuroxima Basi, 250 mg 500 mg, Comprimidos revestidos FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Cefuroxima Basi, 250 mg 500 mg, Comprimidos revestidos Cefuroxima Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento APROVADO EM Conserve este

Leia mais

USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS EM GERMES MULTIRRESISTENTES

USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS EM GERMES MULTIRRESISTENTES USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS EM GERMES MULTIRRESISTENTES Francisco Eugênio Deusdará de Alexandria Infectologista e Mestre em Genética e Toxicologia Aplicada 14/04/2015 13:19 1 O QUE É USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS?

Leia mais

CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS BACTÉRIAS AULA 1

CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS BACTÉRIAS AULA 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DAS BACTÉRIAS AULA 1 ASSUNTOS ABORDADOS q Presença e distribuição das bactérias no organismo humano; q Aspectos da infecção; q Morfologia bacteriana. PRESENÇA E DISTRIBUIÇÃO DAS

Leia mais

Possivelmente espécies captnofílicas, incluindo Corynebacterium e Lactobacillius.

Possivelmente espécies captnofílicas, incluindo Corynebacterium e Lactobacillius. INFECÇÕES DO TRACTO URINÁRIO Comuns, especialmente nas mulheres Normalmente agudas e de curta duração; Infecções severas podem resultar em perda de função renal e sequelas permanentes Aquisição Via ascendente

Leia mais

norfloxacino Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. Comprimidos revestidos 400 mg

norfloxacino Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. Comprimidos revestidos 400 mg norfloxacino Sandoz do Brasil Ind. Farm. Ltda. Comprimidos revestidos 400 mg I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO norfloxacino Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES norfloxacino comprimidos

Leia mais

BD MacConkey II Agar / Columbia CNA Agar with 5% Sheep Blood (Biplate)

BD MacConkey II Agar / Columbia CNA Agar with 5% Sheep Blood (Biplate) INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO MEIOS EM PLACAS PRONTOS A USAR PA-254447.01 Rev.: Junho de 2003 BD MacConkey II Agar / Columbia CNA Agar with 5% Sheep Blood (Biplate) UTILIZAÇÃO PRETENDIDA O BD Mac Conkey II

Leia mais

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DE DOENÇAS BACTERIANAS

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DE DOENÇAS BACTERIANAS DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DE DOENÇAS BACTERIANAS CAMPOS, Daniele Ferrari DABUS, Daniela Marques Maciel LIMA, Gabriela Silva TRENTIN, Thays de Campos LÉO, Vivian Fazolaro Acadêmicos da Faculdade de Medicina

Leia mais

URITRAT norfloxacino Comprimidos 400 mg

URITRAT norfloxacino Comprimidos 400 mg URITRAT norfloxacino Comprimidos 400 mg USO ORAL USO ADULTO FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES Comprimidos com 400 mg de norfloxacino. Embalagem com 6 ou 14 comprimidos. COMPOSIÇÃO Cada comprimido de

Leia mais

Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança

Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança Guarda Junho 2015 Arminda Jorge Particularidades na criança Prematuridade Alteração da barreira cutânea Imunodepressão Ambientes

Leia mais

Salmonella spp. epidemiologia e diagnóstico laboratorial

Salmonella spp. epidemiologia e diagnóstico laboratorial Salmonella spp. epidemiologia e diagnóstico laboratorial Dalia dos Prazeres Rodrigues, Ph.D Laboratório de Referência Nacional de Cólera e Enteroinfecções Bacterianas Lab. Enterobacterias IOC/FIOCRUZ dalia@ioc.fiocruz.br

Leia mais

AULA 03: Nutrição e metabolismo bacteriano

AULA 03: Nutrição e metabolismo bacteriano Microbiologia Básica AULA 03: Nutrição e metabolismo bacteriano Professor Luiz Felipe Leomil Coelho Departamento de Ciências Biológicas E-mail: coelho@unifal-mg.edu.br Objetivos Associar os métodos citados

Leia mais

RESISTÊNCIA nas BACTÉRIAS GRAM NEGATIVO M. HELENA RAMOS CHP

RESISTÊNCIA nas BACTÉRIAS GRAM NEGATIVO M. HELENA RAMOS CHP nas BACTÉRIAS GRAM NEGATIVO M. HELENA RAMOS CHP - 29 S AOS ANTIMICROBIA Transferência de doentes dentro e entre hospitais Prescrição e uso inadequados Medidas de controlo de infecção Viagens de pessoas

Leia mais

ATC120. Prova Objetiva. Técnico em Saúde Pública. Microbiologia

ATC120. Prova Objetiva. Técnico em Saúde Pública. Microbiologia Microbiologia Técnico em Saúde Pública Prova Objetiva 2 Língua Portuguesa A COPA DO MUNDO PERDIDA Chico Alencar, O Globo, 14/02/2014 O conhecimento do Brasil passa pelo Futebol (José Lins do Rego) A seleção

Leia mais

Bacilos Gram positivos

Bacilos Gram positivos Bacilos Gram positivos Bacilo Gram positivos formadores de esporos Bacillus- aeróbios Clostridia- anaeróbios Género Bacillus Género Bacillus Bacilos gram positivos grandes, em cadeias Possuem endosporos

Leia mais

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO NOSOCOMIAL

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO NOSOCOMIAL INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO NOSOCOMIAL DEFINIÇÃO A infecção de trato urinário (ITU) nosocomial é definida como qualquer ITU relacionada a procedimento urológico ou ITU diagnosticada após a admissão em serviço

Leia mais

BD CHROMagar Orientation Medium / Columbia CNA Agar (Biplate)

BD CHROMagar Orientation Medium / Columbia CNA Agar (Biplate) PA-254489.03-1 - INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO MEIOS EM PLACAS PRONTOS A USAR PA-254489.03 Rev.: Sep 2011 BD CHROMagar Orientation Medium / Columbia CNA Agar (Biplate) UTILIZAÇÃO PRETENDIDA O BD CHROMagar Orientation

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR ZOREF 125 mg granulado para suspensão oral ZOREF 250 mg granulado para suspensão oral Cefuroxima axetil Leia atentamente este folheto antes de utilizar

Leia mais

Universidade Estadual do Norte do Paraná/Campus Luiz Meneghel. Ciências Agrárias, Medicina Veterinária

Universidade Estadual do Norte do Paraná/Campus Luiz Meneghel. Ciências Agrárias, Medicina Veterinária PESQUISA E IDENTIFICAÇÃO DE ENTEROBACTÉRIAS ISOLADAS DE QUEIJOS ARTESANAIS COMERCIALIZADOS EM FEIRAS LIVRES E MERCADOS MUNICIPAIS NOS ESTADOS DE SÃO PAULO E PARANÁ Marcela Spinelli Flores de Tulio (Pibic/UENP),

Leia mais

PERFIL DE SENSIBILIDADE DE MICRORGANISMOS ISOLADOS EM UROCULTURAS DE PACIENTES COM INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO NA CIDADE DE PARANAVAÍ-PR

PERFIL DE SENSIBILIDADE DE MICRORGANISMOS ISOLADOS EM UROCULTURAS DE PACIENTES COM INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO NA CIDADE DE PARANAVAÍ-PR PERFIL DE SENSIBILIDADE DE MICRORGANISMOS ISOLADOS EM UROCULTURAS DE PACIENTES COM INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO NA CIDADE DE PARANAVAÍ-PR Tiago Pinheiro Ramos 1 Vinícius Cordeiro Bezerra da Silva 1 Layene

Leia mais

Diagnóstico bacteriológico de diversas patologias de cães e gatos e verificação da suscetibilidade a antimicrobianos

Diagnóstico bacteriológico de diversas patologias de cães e gatos e verificação da suscetibilidade a antimicrobianos Diagnóstico bacteriológico de diversas patologias de cães e gatos e verificação da suscetibilidade a antimicrobianos Marília Scartezzini Denise de Moura Cordova Diane Alves de Lima Jeniffer Carolina Jaques

Leia mais

Susceptibilidade aos antibióticos de bactérias responsáveis por cistites não complicadas: estudo comparativo dos isolados de 2008 e 2010

Susceptibilidade aos antibióticos de bactérias responsáveis por cistites não complicadas: estudo comparativo dos isolados de 2008 e 2010 Susceptibilidade aos antibióticos de bactérias responsáveis por cistites não complicadas: estudo comparativo dos isolados de 2008 e 2010 Antibiotic susceptibility of bacteria responsible for uncomplicated

Leia mais

Controle de qualidade na produção leiteira: Análises Microbiológicas

Controle de qualidade na produção leiteira: Análises Microbiológicas na produção leiteira: Análises Microbiológicas Profa. Dra. Vanerli Beloti LIPOA UEL lipoa.uel@gmail.com vbeloti@uel.br www.uel.br/laboratorios/inspecao Microbiologia Técnico preparado Cada passo pode significar

Leia mais

Infecção do Trato Urinário (ITU) - uma das doenças infecciosas + frequentes no ser humano Afecta:

Infecção do Trato Urinário (ITU) - uma das doenças infecciosas + frequentes no ser humano Afecta: Infecção do Trato Urinário (ITU) - uma das doenças infecciosas + frequentes no ser humano Afecta: todas as faixas etárias indivíduos saudáveis e debilitados Pelo menos 50% das têm uma ITU durante a sua

Leia mais

UROCULTURAS DE CRIANÇAS ATENDIDAS EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS DE GOIÂNIA-GO ENTRE 2012 E

UROCULTURAS DE CRIANÇAS ATENDIDAS EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS DE GOIÂNIA-GO ENTRE 2012 E UROCULTURAS DE CRIANÇAS ATENDIDAS EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS DE GOIÂNIA-GO ENTRE 2012 E 2013* ANA PAULA LEÃO JABUR, LARISSA GOMES MAGALHÃES, ALINE ALVES BORGES, ALESSANDRA MARQUES CARDOSO Resumo:

Leia mais

24/11/2015. Biologia de Microrganismos - 2º Semestre de Prof. Cláudio 1. O mundo microbiano. Profa. Alessandra B. F. Machado

24/11/2015. Biologia de Microrganismos - 2º Semestre de Prof. Cláudio 1. O mundo microbiano. Profa. Alessandra B. F. Machado UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA Relação bactéria-hospedeiro Profa. Alessandra B. F. Machado O mundo microbiano Os microrganismos são ubíquos.

Leia mais

BD CHROMagar Orientation Medium

BD CHROMagar Orientation Medium INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO MEIOS EM PLACAS PRONTOS A USAR PA-257481.03 Rev.: Sep 2011 BD CHROMagar Orientation Medium UTILIZAÇÃO PRETENDIDA O BD CHROMagar Orientation Medium (Meio de orientação CHROMagar)

Leia mais

Exame Bacteriológico de Secreções Vulvares em Matrizes Suínas

Exame Bacteriológico de Secreções Vulvares em Matrizes Suínas Exame Bacteriológico de Secreções Vulvares em Matrizes Suínas Bacteriological Examination of Vulval Discharges in Sows Schenkel, André C. - Graduado do Curso de Medicina Veterinária, ano 2004 1, Universidade

Leia mais

Bárbara Ximenes Braz

Bárbara Ximenes Braz Bárbara Ximenes Braz Identificação Sexo masculino 26 anos Universitário Americano Queixa principal Dor abdominal há 1 semana. HDA O paciente apresentou queixa de dor latejante, constante há uma semana,

Leia mais

As enfermidades de origem alimentar ocorrem

As enfermidades de origem alimentar ocorrem MICROORGANISMOS CAUSADORES DE DOENÇAS DE ORIGEM ALIMENTAR As enfermidades de origem alimentar ocorrem quando uma pessoa contrai uma doença devido à ingestão de alimentos contaminados com microorganismos

Leia mais

ROTINA DE PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DE TRATO VASCULAR

ROTINA DE PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DE TRATO VASCULAR ROTINA DE PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DE TRATO VASCULAR ROTINA DE PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DE TRATO VASCULAR Definição: Infecção relacionada ao cateter: Isolamento de um mesmo microorganismo da ponta do cateter

Leia mais

Domínio Bacteria. Filos (linhagens) Proteobactérias (5 classes, ~ 400 géneros, ~1300 especies) (in Prescott, Harley, Klein, Microbiology, 5th ed.

Domínio Bacteria. Filos (linhagens) Proteobactérias (5 classes, ~ 400 géneros, ~1300 especies) (in Prescott, Harley, Klein, Microbiology, 5th ed. Domínio Bacteria Filos (linhagens) Proteobactérias (5 classes, ~ 400 géneros, ~1300 especies) (in Prescott, Harley, Klein, Microbiology, 5th ed.) γ-proteobactérias Familia Pseudomonadaceae Familia Vibrionaceae

Leia mais

1.4 Metodologias analíticas para isolamento e identificação de micro-organismos em alimentos

1.4 Metodologias analíticas para isolamento e identificação de micro-organismos em alimentos Áreas para Submissão de Resumos (1) Microbiologia de Alimentos Trabalhos relacionados com micro-organismos associados aos alimentos: crescimento, identificação, biossíntese, controle, interação com o hospedeiro,

Leia mais

ANÁLISE DE CELULARES COMO FATOR DE RISCO PARA INFECÇÕES

ANÁLISE DE CELULARES COMO FATOR DE RISCO PARA INFECÇÕES ANÁLISE DE CELULARES COMO FATOR DE RISCO PARA INFECÇÕES Marcelo Augusto Feitosa Oliveira (1); Daniela Pontes Andrade Lima Vital (2) (1) Graduando em Biomedicina, Faculdade Maurício de Nassau, marcelo16augusto@hotmail.com;

Leia mais

DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C.

DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C. FEBRE TIFOIDE CID 10: A 01.0 DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA E ALIMENTAR RESPONSÁVEIS: Jaqueline Ourique L. A. Picoli Simone Dias Rodrigues Solange Aparecida C. Marcon CARACTERÍSTICAS GERAIS DESCRIÇÃO É

Leia mais

INFECÇÕES CERVICAIS PROFUNDAS ESTUDO RETROSPECTIVO

INFECÇÕES CERVICAIS PROFUNDAS ESTUDO RETROSPECTIVO INFECÇÕES CERVICAIS PROFUNDAS ESTUDO RETROSPECTIVO Filipa Moreira, Joana Guimarães, Daniel Miranda, Berta Rodrigues, Rui Pratas Serviço de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial 18/05/2013 01.

Leia mais

Polydexa 1 mg/ml+10 mg/ml+10000 U.I./ml Gotas auriculares, solução

Polydexa 1 mg/ml+10 mg/ml+10000 U.I./ml Gotas auriculares, solução 1.NOME DO MEDICAMENTO Polydexa 1 mg/ml+10 mg/ml+10000 U.I./ml Gotas auriculares, solução 2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada ml de solução contém 1 mg de metasulfobenzoato sódico de dexametasona,

Leia mais

PORTARIA N.º 8, DE 23 DE JANEIRO DE 1995. Dispõe sobre o Método Analítico de Carcaças de Aves e Pesquisa de Salmonella

PORTARIA N.º 8, DE 23 DE JANEIRO DE 1995. Dispõe sobre o Método Analítico de Carcaças de Aves e Pesquisa de Salmonella PORTARIA N.º 8, DE 23 DE JANEIRO DE 1995 Dispõe sobre o Método Analítico de Carcaças de Aves e Pesquisa de Salmonella O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, usando da atribuição que lhe confere o Art. 78,

Leia mais

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra. Método do Número Mais Provável

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra. Método do Número Mais Provável Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra MICROBIOLOGIA António Verissimo Paula Morais Método do Número Mais Provável Introdução O método do NMP permite calcular o número de um microorganismo

Leia mais