MANUAL DE GESTÃO SETEMBRO REVISÃO 23

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE GESTÃO SETEMBRO 2013 - REVISÃO 23"

Transcrição

1 MANUAL DE GESTÃO SETEMBRO REVISÃO 23

2 MANUAL DE GESTÃO - ÍNDICE ÍNDICE 1 ÂMBITO E OBJETIVOS 1/1 5.2 Orientações do Sistema de Gestão LIPOR 2/12 2 PROMULGAÇÃO 1/ Planear 2/12 3 MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA 1/ Executar/Realizar 3/ Missão, Visão e Valores da LIPOR 1/ Verificar 4/ Política da LIPOR 3/ Atuar 5/12 4 LIPOR 1/8 5.3 Âmbito do Sistema de Gestão LIPOR 7/ Apresentação da LIPOR 1/ Sistema de Gestão de Qualidade 8/ Organograma 3/ Sistema de Gestão Ambiental 9/ Reciclagem Multimaterial 4/ Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho 10/ Ecofone 5/ Sistema de Gestão de Responsabilidade Social 11/ Valorização Energética e Confinamento Técnico 6/ Sistema de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação 12/ Valorização Orgânica 8/8 6 ABORDAGEM POR PROCESSOS 1/7 5 Sistema de Gestão LIPOR 1/ Objetivo da Abordagem por Processos 1/ Princípios do Sistema de Gestão LIPOR 1/ A Cadeia de Valor da LIPOR e Interligações 3/7 7 ANEXO - PROCESSOS Mod Revisão: 23 Página 1 de 1

3 MANUAL DE GESTÃO ÂMBITO E OBJETIVOS

4 MANUAL DE GESTÃO ÂMBITO E OBJETIVOS 1 ÂMBITO E OBJETIVOS O Manual de Gestão da LIPOR é o documento que descreve os princípios adotados no Sistema de Gestão da LIPOR implementado no Centro de Triagem, da Central de Valorização Energética, do Aterro Sanitário e da Central de Valorização Orgânica ao nível da gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança e Saúde e a nível global das atividades da LIPOR na gestão da Responsabilidade Social e da Inovação, para a realização da Política da LIPOR. As disposições apresentadas pretendem garantir a satisfação de todas as partes interessadas, incluindo os Colaboradores, Clientes, Fornecedores e Parceiros, relativamente às atividades exercidas, serviços realizados e materiais manuseados nas unidades abrangidas pelos âmbitos da certificação, contemplando a análise e controlo dos aspetos e efeitos ambientais daí decorrentes, bem como os riscos associados à segurança nos postos de trabalho. O modelo desenvolvido tem como objetivo intrínseco a melhoria contínua do desempenho do Sistema de Gestão, como fator decisivo para o sucesso da LIPOR, organização que pretende ser exemplar na gestão dos recursos. Através deste Manual poderá conhecer a LIPOR, os seus processos e atividades. Internamente, este Manual pretende também ser um instrumento de formação e informação sobre os aspetos relevantes para a Gestão da Qualidade, para a Gestão Ambiental, para a Higiene, Segurança e Saúde nos postos de trabalho, para a Responsabilidade Social e no âmbito da Investigação, Desenvolvimento e Inovação. Este Manual aplica-se a toda a estrutura funcional e organizacional, às atividades, serviços e materiais manuseados nas unidades abrangidas, sendo as suas diretrizes e recomendações de cumprimento vinculativo. O Sistema de Gestão não possui o requisito de Validação dos Processos de Produção e de Fornecimento de Serviço, descrito no ponto da norma de referência NP EN ISO 9001, visto que não há processos em que o resultado não possa ser verificado por subsequente monitorização ou medição. Mod Revisão: 23 Página 1 de 1 dispõe corresponde à disponível na mesma

5 MANUAL DE GESTÃO PROMULGAÇÃO

6 MANUAL DE GESTÃO - PROMULGAÇÃO 2 - PROMULGAÇÃO O presente Manual de Gestão descreve os meios e os procedimentos adotados pelo Centro de Triagem, pela Central de Valorização Energética, pelo Aterro Sanitário e pela Central de Valorização Orgânica pertencentes à LIPOR - Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, para assegurar um Sistema de Gestão da LIPOR adequado às suas atividades e serviços, constituindo o suporte material que descreve a estrutura funcional, responsabilidades, práticas, processos, procedimentos e recursos para a definição e realização da Política da LIPOR. O Sistema de Gestão tem como referência de base a promoção da melhoria contínua do desempenho ambiental e de qualidade, bem como das condições de segurança e higiene nos postos de trabalho nas unidades em causa, devendo ser sempre uma preocupação constante de todos os colaboradores, competindo a todos os elementos envolvidos, direta ou indiretamente, observar o cumprimento das determinações referenciadas neste Manual. Salienta-se que assim como a Qualidade não é obtida à custa do Ambiente, a defesa do Ambiente também não é conseguida à custa da Qualidade - os processos complementam-se e são continuamente melhorados. A Política da LIPOR reflete os seus padrões, o comprometimento do Conselho de Administração relativamente à garantia da qualidade, à prevenção da poluição, proteção e defesa do ambiente, à gestão da segurança, à responsabilidade social e à investigação, desenvolvimento e inovação, estando assinada pelo seu Presidente. Como Presidente do Conselho de Administração da LIPOR, designo o Administrador Delegado como nosso representante para o Sistema de Gestão, coadjuvado pelo Chefe do Gabinete de Auditoria, Sustentabilidade e Qualidade Total da LIPOR, delegando a responsabilidade da sua implementação, seguimento e controlo, no Chefe do Gabinete de Auditoria, Sustentabilidade e Qualidade Total em colaboração com os responsáveis dos respetivos Departamentos, Gabinetes e Divisões da LIPOR. Como Presidente do Conselho de Administração da LIPOR, designo o Administrador Delegado para Representante da Administração para as questões relacionadas com a Responsabilidade Social. Mod Revisão: 23 Página 1 de 1 dispõe corresponde à disponível na mesma

7 MANUAL DE GESTÃO MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

8 MANUAL DE GESTÃO MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA 3 MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA 3.1 Missão, Visão e Valores da LIPOR LIPOR Uma Organização Eco Eficiente Estando consciente do caminho que a LIPOR quer seguir para alcançar a sua visão, é fundamental seguir com confiança e segurança, pautando a sua atuação pelos valores em que acredita, cumprindo de forma plena a sua missão. A aposta na inovação tem sido uma constante nestes últimos anos de trabalho da LIPOR, tendo a LIPOR em 2012 implementado o Sistema de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI) segundo o normativo NP A Certificação das unidades operacionais foi o ponto de partida para a adoção da Qualidade Global como um pilar fundamental da estratégia definida. As políticas definidas permitem garantir que todos na LIPOR assumem este compromisso. Mod Revisão: 23 Página 1 de 3

9 MANUAL DE GESTÃO MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO Conceber, adotar e implementar soluções sustentáveis de gestão de resíduos, tendo em consideração as necessidades dos nossos parceiros e das comunidades que servimos. VISÃO Onde quer que estejamos queremos ser marca de referência na área do ambiente. VALORES Ser Ambicioso e orientado para resultados. Ser Criativo na procura de soluções inovadoras e sustentáveis. Ser Responsável nas nossas atividades. Ser Ético nas nossas relações Internas e Externas. Ser EQUIPA! Mod Revisão: 23 Página 2 de 3

10 MANUAL DE GESTÃO MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA 3.2.Política da LIPOR Neste contexto, em todas as suas atividades, produtos e serviços, bem como no relacionamento com todas as partes interessadas, a Lipor definiu, no âmbito da sua estratégia de gestão sustentável, como sua política para a Qualidade, Ambiente, Segurança, Responsabilidade Social e Inovação: Promover a interiorização da cultura e dos valores da LIPOR, assegurando a melhoria contínua em todas as áreas de atuação; Consolidar a organização como uma entidade de referência na área da gestão sustentável de resíduos; Cumprir os requisitos legais e outros que a organização subscreva; Prevenir todas as formas de poluição, eliminar ou minimizar os riscos para a segurança e saúde de todos os colaboradores bem como da comunidade envolvente e promover a qualidade, tendo em consideração a natureza, dimensão, acidentes decorrentes e impactes ambientais potenciais das nossas atividades; Prevenir a ocorrência de lesões e doenças profissionais, promovendo a higiene, segurança e saúde, através de uma análise rigorosa e profunda das atividades e seus riscos, informando, formando e envolvendo os colaboradores; Assegurar, de uma forma continuada, as necessidades e expectativas das partes interessadas, aumentando progressivamente a sua confiança na organização; Promover a implementação de um processo estruturado de inovação potenciando o conhecimento interno, promovendo uma cultura de inovação e criatividade, aumentando o valor da Organização. Educar, formar, informar e partilhar conhecimentos são componentes chave desta Política, de modo a contribuírem para a sustentabilidade e para o sucesso da LIPOR. (9 de janeiro de 2013) Mod Revisão: 23 Página 3 de 3

11 MANUAL DE GESTÃO LIPOR

12 MANUAL DE GESTÃO LIPOR 4 LIPOR 4.1 APRESENTAÇÃO DA LIPOR A LIPOR Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, é a entidade responsável pela gestão, valorização e tratamento dos Resíduos Urbanos produzidos pelos oito municípios que a integram: Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde. A LIPOR, sustentada nos modernos conceitos de gestão de RSU, que preconizam a adoção de sistemas integrados e a minimização da deposição de resíduos em Aterro, desenvolveu uma estratégia integrada de valorização, tratamento e confinamento de resíduos urbanos, baseada em três componentes principais: Valorização Multimaterial, Valorização Orgânica e Valorização Energética, completadas por um Aterro Sanitário para receção dos rejeitados e de resíduos previamente preparados. A estratégia LIPOR, Rumo à Sustentabilidade, tem uma mensagem inerente muito forte, que demonstra, de forma basilar e indissociável, o conceito de uma gestão integrada. A LIPOR, como agente ativo e motor de mudança, acredita no seu papel, defende os princípios do desenvolvimento sustentável, aplicando-os na sua gestão diária e induz, através do envolvimento de parceiros, a adoção das melhores práticas no seu núcleo de parceiros e partes interessadas. Esta Visão do Conselho de Administração da LIPOR assenta em princípios fundamentais e de futuro, essencialmente a inovação, o espírito de iniciativa e o exemplo. Neste sentido, têm sido promovidos um grande número de projetos em diversas áreas que têm transformado a organização e melhorado significativamente o seu desempenho. Estes projetos abarcam diversos setores estratégicos, desde a área técnica de gestão de resíduos, à inovação, ao controlo de gestão até à educação e sensibilização ambiental e à responsabilidade social. Mod Revisão: 23 Página 1 de 8

13 MANUAL DE GESTÃO LIPOR A LIPOR tem bem incutido o espírito de partilha, apostando na promoção de diversas iniciativas e atividades que privilegiam a comunicação entre parceiros, tais como: promoção de seminários técnicos e workshops sobre resíduos e Sustentabilidade, participação em diversos grupos de trabalho a nível nacional e internacional, promoção de debates com Organismos/ Instituições de referência, participação em projetos de vanguarda europeus, participação em conferências como oradores, dinamização do site (www.lipor.pt), E-News semanal, é associada de Instituições de referência, participa em diversos fóruns e consultas públicas, entre outras. O desafio diário da LIPOR é manter o seu desempenho nas vertentes da Sustentabilidade e, assim, alcançar a Excelência. Sempre na vanguarda do setor, a LIPOR prioriza a análise dos resultados em tempo útil, a identificação de novas oportunidades, a incorporação da estratégia definida na estratégia emergente e assume-se como uma Organização versátil, recetiva à Mudança e à melhoria contínua, com o objetivo de estabelecer relações de parceria ganho-ganhas. Mod Revisão: 23 Página 2 de 8

14 MANUAL DE GESTÃO LIPOR ORGANOGRAMA A atual estrutura da LIPOR encontra-se descrita no seguinte organograma: Departamento de Produção e Logística Grupo dos Agentes da Mudança Divisão de Operações, Manutenção e Obras Divisão de Valorização Orgânica Divisão de Reciclagem e Valorização Multimaterial Divisão de Valorização Energética e Confinamento Técnico Gabinete de Auditoria, Sustentabilidade e Qualidade Total Grupo do Plano Estratégico* AI CA Administrador- Delegado Departamento de Educação, Comunicação e Relações Institucionais Grupo da Prevenção Gabinete Jurídico e de Apoio aos Órgãos da Associação Gabinete de Serviços de Informática e Tecnologias da Informação Grupo de Carbono Zero Departamento de Administração, Finanças e Controlo de Gestão Divisão de Contabilidade, Finanças e Controlo de Gestão Divisão de Recursos Humanos e Formação Divisão de Compras e Aprovisionamento Núcleo de IDI Innovation Board O representante da Administração é designado na Promulgação (capítulo 2). Mod Revisão: 23 Página 3 de 8

15 MANUAL DE GESTÃO LIPOR 4.2 RECICLAGEM MULTIMATERIAL O Centro de Triagem promove a adequada valorização dos resíduos urbanos recolhidos nos sistemas de deposição e remoção seletiva da Região, criando valor acrescentado a esses resíduos. Nesta unidade procede-se à receção e à triagem dos materiais provenientes da recolha seletiva, ao enfardamento e acondicionamento dos mesmos para posterior escoamento para as indústrias recicladoras. Ocupando uma nave coberta de m 2, está equipado com duas linhas de triagem: Linha Mista (onde podem ser triados resíduos de papel/cartão e ou resíduos plásticos/metálicos); Linha de Produtos Volumoso (embalagens plásticas, metálicas e embalagens para líquidos alimentares), com duas mesas de triagem sequencial. Possui, ainda, uma linha de enfardamento equipada com uma prensa automática de alta capacidade. A LIPOR recebe resíduos provenientes de várias formas de recolha, todas elas geridas pelas respetivas Câmaras Municipais, com a exceção do serviço ECOFONE, gerido pela própria LIPOR. A Plataforma de Pré-Triagem tem como objetivo a pré-triagem de embalagens de plástico e de metal por forma a aumentar a capacidade produtiva do Centro de Triagem (grandes volumes). A linha de pré-triagem funciona nas antigas instalações da Central de Compostagem A Plataforma de Triagem realiza operações de triagem de materiais de grande dimensão ou de materiais que pela sua natureza não podem ser encaminhados para o Centro de Triagem. A maioria dos materiais é recolhida nos Ecocentros e posteriormente encaminhados para a Plataforma de Triagem. Há também materiais entregues diretamente na Plataforma por empresas ou privados. Na Plataforma de Triagem são efetuadas várias operações de triagem e preparação dos materiais para serem posteriormente enviados para unidades de reciclagem. Mod Revisão: 23 Página 4 de 8

16 MANUAL DE GESTÃO LIPOR ECOFONE O ECOFONE é um serviço existente apenas para a cidade do Porto, que consiste na recolha dos resíduos recicláveis nesta cidade à distância de um telefone. O munícipe efetua uma ligação telefónica para uma linha gratuita ( ), requisitando a recolha e troca dos sacos. Todo este serviço é gratuito para o utente, que tem assim todas as condições para contribuir para a reciclagem. Fig.1 Viatura do ECOFONE Mod Revisão: 23 Página 5 de 8

17 MANUAL DE GESTÃO LIPOR 4.3 VALORIZAÇÃO ENERGÉTICA E CONFINAMENTO TÉCNICO A Central de Valorização Energética garante o aproveitamento do potencial calorífico presente nos resíduos não passíveis de valorização multimaterial (reciclagem) ou orgânica; mediante este processo térmico controlado, consegue-se a transformação dos resíduos em energia elétrica. Os gases resultantes da combustão, antes da sua emissão para a atmosfera, são neutralizados e filtrados em equipamentos de elevada eficiência, as cinzas sofrem um processo de inertização sendo posteriormente depositadas no Aterro sanitário anexo, as escórias têm como destino final o seu confinamento no Aterro Sanitário de apoio e as sucatas ferrosas são encaminhadas para reciclagem. A Central é autossuficiente em termos energéticos, debitando na EDP cerca de 90% de energia elétrica, através de um posto de transformação integrado no próprio complexo industrial. Os resíduos sólidos a processar na Central são exclusivamente resíduos sólidos urbanos, ou equiparados, entregues pelos Municípios que integram a LIPOR ou por entidades privadas devidamente autorizadas para a descarga de resíduos. Fig.2 Fossa de descarga de resíduos Fig.3 Posto de Transformação Mod Revisão: 23 Página 6 de 8

18 MANUAL DE GESTÃO LIPOR O Confinamento Técnico é a última solução do sistema global de gestão de resíduos, necessária pelo facto da obrigatoriedade em dar destino a resíduos que não possam ser valorizados através da reciclagem multimaterial ou orgânica, ou da valorização energética. O Aterro Sanitário da Maia, anexo a esta Central de Valorização Energética, destina-se, assim, a receber os subprodutos resultantes do tratamento térmico (cinzas, escórias), e também os resíduos em bruto resultantes dos momentos de paragem para manutenção da Central de Valorização Energética. Fig.4 Aterro Sanitário da Maia Mod Revisão: 23 Página 7 de 8

19 MANUAL DE GESTÃO LIPOR 4.4 VALORIZAÇÃO ORGANICA A Valorização Orgânica, no caso do Sistema LIPOR, é assegurada através de uma instalação de compostagem com capacidade para tratar ton/ano de resíduos orgânicos, tendo associada a implementação de circuitos de remoção da fração orgânica junto de grandes produtores (restauração, grandes superfícies, mercados), nas zonas de recolha seletiva porta-a-porta (remoção da fração orgânica dos resíduos domésticos), diferentes esquemas de recolha seletiva de resíduos verdes, complementada por iniciativas locais de compostagem caseira (projetos Horta da Formiga, Horta à Porta e Horta na Escola). De modo a fornecer material de elevada qualidade à Central de Valorização Orgânica e melhor a operacionalizar todas as atividades foram criadas duas estruturas de apoio, o Parque de Verdes e a Triagem de Resíduos de Cemitérios. A qualidade, quer na seleção criteriosa da matéria orgânica a compostar, quer ao nível do composto produzido, assume particular importância, sendo um aspeto fundamental para a viabilidade e sucesso de todo o projeto. A aplicação da matéria orgânica no solo traduz-se em importantes benefícios, nomeadamente pela melhoria das características do terreno (porosidade, capacidade de retenção da água) e como agente de prevenção da degradação dos solos, contribuindo, de uma forma eficaz, para a minimização da erosão, compactação, salinização e desertificação desses espaços. A Central de Valorização Orgânica faz parte de um conjunto de unidades operacionais da LIPOR, sendo a sua gestão atualmente da responsabilidade Divisão de Valorização Orgânica. Fig.5 Central de Valorização Orgânica Mod Revisão: 23 Página 8 de 8

20 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR

21

22 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR 5 - SISTEMA DE GESTÃO LIPOR O Sistema de Gestão LIPOR pretende traduzir um Sistema de Gestão Integrada de Qualidade, Ambiente, Segurança, Saúde e Responsabilidade Social, bem como a Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação. O Sistema de Gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança e Saúde está certificado em quatro unidades operacionais da LIPOR (Centro de Triagem, Central de Valorização Energética e Confinamento Técnico e Central de Valorização Orgânica). O Sistema de Responsabilidade Social com base na SA 8000 foi implementado em todas as atividades da LIPOR, tendo-se obtido a certificação em Dezembro de O Sistema de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação encontra-se implementado, tendo obtido a certificação em Novembro de Princípios do Sistema de Gestão LIPOR O Sistema de Gestão LIPOR é fundamentado na observância do processo de melhoria contínua do desempenho dos requisitos da qualidade, ambiente, de higiene e segurança, tendo como referência a integração dos modelos de gestão respetivos descritos nas Normas ISO14001, ISO9001 e OHSAS18001, indicado a seguir. Tendo como base a uniformização de práticas e procedimentos, estes mesmos princípios são aplicados no que se refere à Gestão do Sistema de Responsabilidade Social (SA 8000) e à Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (NP 4457). Mod Revisão: 23 Página 1 de 12

23 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR 5.2 Orientações do Sistema de Gestão LIPOR Os princípios do modelo de gestão integrada da qualidade, ambiente, segurança, responsabilidade social e inovação traduziram-se em quatro orientações fundamentais para o Sistema de Gestão LIPOR: Planear, Executar/Realizar, Verificar e Atuar Planear O Planeamento do Sistema de Gestão LIPOR é estabelecido de modo a cumprir a Política da LIPOR, através da conceção e articulação das respetivas redes de processos e é consistente com todos os outros requisitos operacionais das unidades em causa. A LIPOR, como uma organização de excelência, encontra-se num constante processo de melhoria, traduzindo-se também na reflexão estratégica levada a cabo internamente. No processo de reflexão foi utilizada uma ferramenta de gestão - Balanced Socrecard que permitiu a tradução da missão e da estratégia num conjunto de objetivos e indicadores, tendo estes sido organizados em quatro perspetivas: Financeira; Do Cliente; Interna e Organizativa. No que se refere à perspetiva interna, foram identificados os processos considerados essenciais para a proposta de valor definida para os clientes, sendo de salientar o enfoque dado ao tema estratégico: Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI). Mod Revisão: 23 Página 2 de 12

24 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Executar / Realizar Para a implementação do Sistema de Gestão LIPOR, desenvolveram-se as capacidades e mecanismos de suporte necessários para observar a Política da LIPOR, e os Objetivos e Metas definidos para cada unidade. Foram estabelecidas, estão documentadas e foram comunicadas as funções e responsabilidades com o objetivo de facilitar uma gestão eficaz do Sistema de Gestão. Mod Revisão: 23 Página 3 de 12

25 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Verificar As ações de monitorização e medição e os processos de auditoria podem gerar uma grande quantidade de informação. A forma como a informação é registada e analisada determina a sua utilidade. Estes são os aspetos principais da verificação e correção do Sistema de Gestão LIPOR, com o objetivo de identificar áreas para melhoria. Mod Revisão: 23 Página 4 de 12

26 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Atuar Através da realização do programa interno de auditorias e ações de verificação e acompanhamento do Sistema de Gestão LIPOR, é altamente provável que as ações, as metas, os objetivos e, em última análise, a Política da LIPOR, tenham de ser adaptados ou modificados. É neste âmbito que se definiu a fase de revisão do Sistema de Gestão LIPOR pela Administração. O papel da Administração nesta etapa é entendido com os seguintes objetivos: Verificar a adequabilidade e eficácia do Sistema de Gestão LIPOR à Política da LIPOR; Verificar a concretização dos objetivos e metas definidas; Definir novos objetivos e metas; Analisar as principais não conformidades e reclamações detetadas e respetivas ações tomadas; Identificar potenciais causas e potenciais não conformidades e reclamações; Analisar os resultados das auditorias internas; Mod Revisão: 23 Página 5 de 12

27 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Analisar os resultados das auditorias efetuadas pela entidade certificadora; Verificar a evolução ou alteração das normas legais ou de referência para o Sistema de Gestão; Analisar ações corretivas / preventivas definidas e grau de implementação; Analisar os resultados da avaliação da satisfação e insatisfação dos clientes; Analisar atas das reuniões anteriores; Identificar as ações que visem a melhoria do Sistema de Gestão. Considera-se que este processo é também uma oportunidade para garantir eficácia do Sistema de Gestão a um nível sustentável, e que modificações circunstanciais o poderão afetar. Modificações circunstanciais que poderão ser internas ao Centro de Triagem, à Central de Valorização Energética e Confinamento Técnico e à Central de Valorização Orgânica, ou mesmo à LIPOR (ex. instalações novas, materiais novos, alterações de operações efetuadas) ou fatores externos (ex. legislação nova, tecnologias inovadoras, alterações na envolvente) Melhoria Contínua A melhoria contínua não é na realidade a última etapa. A melhoria contínua é entendida como uma parte integrante de cada passo, podendo, ou não, ser claramente explícita. Sem ela não é possível a realização do Sistema de Gestão LIPOR. É aprendendo fazendo, num processo dinâmico através da comunicação e registo, que pretendemos promover continuamente a melhoria do desempenho do Sistema de Gestão LIPOR. Mod Revisão: 23 Página 6 de 12

28 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR 5.3 Âmbito do Sistema de Gestão LIPOR Iniciou-se no ano 2000 a implementação do Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente no Centro de Triagem. Este Sistema foi posteriormente alargado à gestão da Central de Valorização Energética e Confinamento Técnico da LIPOR. No ano de 2004, o Sistema Integrado foi estendido à Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho, tendo a LIPOR obtido, em 2006, a certificação do Centro de Triagem, Central de Valorização Energética e Confinamento Técnico, segundo o referencial normativo OHSAS Em 2009, e dando continuidade ao projeto de alargamento do Sistema Integrado de Qualidade, Ambiente e Segurança a toda a estrutura da LIPOR, a Central de Valorização Orgânica obteve a certificação segundo os referenciais normativos NP EN ISO 9001, NP EN ISO e OHSAS 18001, esta certificação engloba também a recolha de resíduos orgânicos, a triagem de resíduos verdes e a comercialização de composto NUTRIMAIS. A implementação/expansão do Sistema Integrado de Gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança e Saúde, pelos referenciais normativos NP EN ISO 9001, NP EN ISO e OHSAS 18001, reforça a imagem da LIPOR, em que fazer com qualidade, em segurança e em pleno respeito pelo ambiente é uma das suas políticas de gestão. Perante o panorama e os objetivos principais da LIPOR na gestão do dia-a-dia, em que se pretende uma maior transparência nas suas atividades, um maior envolvimento de todos, uma constante aposta na Qualidade e, claro está, a antecipação do futuro, seguiu-se naturalmente a implementação de um Sistema de Gestão da Responsabilidade Social e a sua posterior certificação pelo normativo SA O processo de implementação decorreu ao longo de três anos, tendo a LIPOR visto reconhecida a sua Certificação pela norma SA 8000 no final de No seguimento de um dos grandes objetivos da LIPOR - apostar numa prática estruturada da Gestão da Inovação aos vários níveis da Organização, de modo a potenciar projetos que sejam novas oportunidades para aumentar a sua riqueza económica e social foi implementada a norma portuguesa, NP 4457:2007 (norma de requisitos do sistema de gestão de IDI Investigação, Desenvolvimento e Inovação). Foram asseguradas as competências necessárias para promover uma cultura de criatividade e de inovação na LIPOR, de modo a estruturar as atividades de IDI, acompanhar os novos projetos e mobilizar parceiros. Mod Revisão: 23 Página 7 de 12

29 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Sistema de Gestão da Qualidade A LIPOR pauta as suas atividades pela excelência operacional, tendo o Sistema de Gestão da Qualidade como principais objetivos: Ajudar a organização a aumentar a satisfação de clientes; Ajudar na compreensão e tradução das necessidades e expectativas dos clientes em especificações dos produtos e serviços; A abordagem do sistema de gestão da qualidade incentiva as organizações a analisar os requisitos dos clientes, a definir os processos que contribuem para a realização de um produto aceitável pelo cliente e a manter estes processos sob controlo; Permite criar o enquadramento certo para a melhoria contínua. No âmbito do Sistema de Gestão de Qualidade encontram-se estabelecidos e documentados, entre outros, os seguintes procedimentos: Procedimento de Gestão - Controlo de Documentos, Impressos e Registos; Procedimento de Gestão Auditorias Internas; Procedimento de Gestão - Tratamento de Não Conformidades, Ocorrências, Incidentes e Preocupações e Procedimento de Gestão - Ações Corretivas, Preventivas e de Melhoria. O Sistema de Gestão da Qualidade da LIPOR encontra-se certificado segundo o referencial normativo NP EN ISO 9001 estando implementado nas seguintes áreas/ atividades: - Triagem de resíduos provenientes da recolha seletiva; - Gestão da Central de Valorização Energética e Confinamento Técnico; - Recolha de resíduos orgânicos; - Triagem de resíduos verdes; - Gestão da Central de Valorização Orgânica; - Comercialização de composto orgânico NUTRIMAIS. Mod Revisão: 23 Página 8 de 12

30 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Sistema de Gestão Ambiental A implementação do Sistema de Gestão Ambiental visa: Melhorar a capacidade de antecipação face às crescentes expectativas de desempenho ambiental; Assegurar a contínua análise dos requisitos legais e da política ambiental em geral, reduzindo os riscos associados ao incumprimento legal; Promover uma melhor gestão de resíduos, nomeadamente no que respeita à redução de quantidades; Garantir um melhor controlo dos riscos ambientais (e dos custos associados), através de um controlo operacional eficaz e da manutenção de planos de monitorização que garantam a sua prevenção e/ou minimização. O Sistema de Gestão Ambiental da LIPOR encontra-se certificado segundo o referencial normativo NP EN ISO estando implementado nas seguintes áreas/ atividades: - Triagem de resíduos provenientes da recolha seletiva; - Gestão da Central de Valorização Energética e Confinamento Técnico; - Recolha de resíduos orgânicos; - Gestão da Central de Valorização Orgânica; - Comercialização de composto orgânico NUTRIMAIS. Mod Revisão: 23 Página 9 de 12

31 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho A LIPOR tem organizado, conforme o previsto legalmente, os serviços de segurança e saúde no trabalho, tendo como principais objetivos: Identificação de perigos, avaliação de riscos dos diferentes postos de trabalho e definição de medidas de controlo necessárias; Identificação de requisitos legais aplicáveis e avaliação da conformidade legal; Prevenção de acidentes; Prevenção de emergências; Contribuir para a melhoria da cultura de segurança (formação/ comunicação); Melhoria contínua das condições de trabalho; Promover a vigilância da saúde, bem como a organização e manutenção dos registos clínicos e outros elementos informativos relativos a cada trabalhador. O Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho da LIPOR encontra-se certificado segundo o referencial normativo OHSAS / NP 4397 estando implementado nas seguintes áreas/ atividades: - Triagem de resíduos provenientes da recolha seletiva; - Gestão da Central de Valorização Energética e Confinamento Técnico; - Recolha de resíduos orgânicos; - Gestão da Central de Valorização Orgânica; - Comercialização de composto orgânico NUTRIMAIS. Mod Revisão: 23 Página 10 de 12

32 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Sendo transversal a toda a LIPOR, o Sistema de Gestão de Responsabilidade Social tem como objetivos: Percecionar mais rapidamente o resultado do trabalho desenvolvido; Proporcionar incentivos que beneficiem colaboradores, fornecedores e outras partes interessadas; Melhorar o ambiente organizacional interno através da demonstração da preocupação da LIPOR com os seus colaboradores e do estabelecimento de condições ainda mais adequadas de saúde de saúde e segurança; Melhorar a informação e comunicação, e, portanto, maior fiabilidade das partes interessadas (clientes, comunidade, fornecedores, outros ); Consolidar a imagem e aumento da reputação da LIPOR como socialmente responsável. O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social da LIPOR encontra-se certificado segundo o referencial normativo SA 8000 estando implementado em toda a organização: - Gestão e tratamento de resíduos sólidos urbanos. Mod Revisão: 23 Página 11 de 12

33 MANUAL DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO LIPOR Sistema de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação A implementação do Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação, segundo a norma NP 4457, permite à LIPOR a gestão de um conjunto de interfaces e interações entre o conhecimento científico, o tecnológico, a organização e a sua envolvente, visando: Promover a criatividade e valorizar e gerir as ideias e oportunidades; Monitorizar eficientemente a interface da organização com o mundo tecnológico, o mercado, as inovações mais recentes, as patentes, as licenças, ; Sistematizar as atividades de IDI; Melhorar a eficiência e eficácia da gestão de projetos IDI; Adotar um modelo de gestão da IDI com base numa política e na gestão dos objetivos; Valorizar a inovação e estimular a sua utilização como um instrumento de gestão. A LIPOR encontra-se disponível para atuar nos diferentes tipos de inovação: inovação do produto; inovação do processo; inovação organizacional e inovação de marketing. Por outro lado, pela natureza da atividade da LIPOR, os conceitos de inovação social e de eco inovação estarão patentes nos mais diversos projetos de IDI da Organização. No que respeita à investigação, atualmente a LIPOR tem projetos de investigação aplicada, no entanto, pretende-se também trabalhar ao nível da investigação fundamental ou básica. O Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação encontra-se certificado, sendo o âmbito de implementação a Investigação, Desenvolvimento e Inovação de soluções sustentáveis de gestão de resíduos. Mod Revisão: 23 Página 12 de 12

34 MANUAL DE GESTÃO ABORDAGEM POR PROCESSOS

35 MANUAL DE GESTÃO ABORDAGEM POR PROCESSOS 6 ABORDAGEM POR PROCESSOS 6.1 Objetivo da Abordagem por Processos A norma NP EN ISO 9001 (norma de referência para o Sistema de Gestão da Qualidade) define o termo Abordagem por Processos da seguinte forma: para o funcionamento eficaz das organizações, estas têm que identificar e gerir numerosos processos interrelacionados e interagindo entre si. Frequentemente, a saída de um processo constitui a entrada do processo seguinte. A identificação e a gestão sistemática dos processos de uma organização e, em particular, das interações entre estes processos. Embora seja uma recomendação da norma de referência NP EN ISO 9001, a sua utilização não é vista como uma imposição, mas sim como um auxiliar eficaz para a compreensão do funcionamento da organização. O seu objetivo é proporcionar uma análise simples dos vários processos existentes e necessários para assegurar o eficaz funcionamento das unidades abrangidas pelo Sistema, bem como da documentação existentes, entradas e saídas associadas. Mod Revisão: 23 Página 1 de 7 dispõe corresponde à disponível na mesma.

36 MANUAL DE GESTÃO ABORDAGEM POR PROCESSOS A metodologia da abordagem por processos utilizada na LIPOR foi revista em 2013, tendo-se adaptado a Cadeia de Valor ao core business da Organização de modo a ir ao encontro da proposta de valor que desejamos oferecer aos nossos Clientes. Para tal recorreu-se a seguinte nomenclatura: Processos de Gestão: Cinco categorias distintas, que são a base de sustentação para analisar e determinar se a Organização está a evoluir face aos objetivos definidos. Processos de Negócio: Cinco categorias distintas, em que cada uma pode ser vital para a vantagem competitiva; Cada categoria divide-se em processos distintos que dependem da estratégia da empresa. Processos de Suporte: Suportam o funcionamento dos processos de gestão e de negócio; Seis categorias, em que cada uma divide-se em processos distintos. No ponto que se segue é apresentada a Cadeia de Valor da LIPOR e uma breve descrição de cada processo, bem como as interligações entre os processos com relevância para o Sistema de Gestão LIPOR. Mod Revisão: 23 Página 2 de 7 dispõe corresponde à disponível na mesma.

37 MANUAL DE GESTÃO ABORDAGEM POR PROCESSOS 6.2 Cadeia de Valor da LIPOR e Interligações Fig.6 Cadeia de Valor da LIPOR Mod Revisão: 23 Página 3 de 7 dispõe corresponde à disponível na mesma.

38 MANUAL DE GESTÃO ABORDAGEM POR PROCESSOS PROCESSOS DE GESTÃO GESTÃO ESTRATÉGIA: Atividades de definição e de reflexão da estratégia da LIPOR. GESTÃO DE IDI: De um modo geral são atividades de caráter científico, tecnológico, organizacional, financeiro e comercial, que visam potenciar o conhecimento interno, promovendo uma cultura de inovação a partir da implementação sistemática e sustentada dos métodos e processos de inovação em todas as áreas funcionais da LIPOR. É o processo comum ao desenvolvimento de projetos decorrentes de atividades de Conceção & Desenvolvimento. Traduz-se em vantagem competitiva para a organização. Ex.: Novos produtos e/ ou conceção de utilizações alternativas de produtos já existentes. Estão incluídos os seguintes processos: Gestão de Interfaces e de Gestão do Conhecimento; Gestão do Portefólio de Projetos; Desenvolvimento de Projetos; Gestão de Ideias, Desafios e Concursos. MELHORIA E SISTEMAS DE GESTÃO: Processo de Auditoria (internas e externas, aos processos, outras); Processo dos Sistemas de Gestão (comum aos diferentes normativos); Processo de Gestão da Energia (50001). SUSTENTABILIDADE: Processo de Apoios e Patrocínios; Processo Tampinhas; Processo de Agenda 21; Processo de Gestão da Responsabilidade Social (SA 8000); Processo Elaboração do RS, Processo de Envolvimento dos Stakeholders (AA1000 APS). CONTROLO DE GESTÃO: Processo de Gestão de Orçamento; Processo de Monitorização (Reporte). Mod Revisão: 23 Página 4 de 7 dispõe corresponde à disponível na mesma.

39 MANUAL DE GESTÃO ABORDAGEM POR PROCESSOS PROCESSOS DE NEGÓCIO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE, PARCEIROS E ENTIDADES: Processo de Serviços de Atendimento; Processo de Gestão de Clientes (Contratos com Clientes de Serviço e Gestão de Reclamações); Apoio Técnico ao Cliente (área de Gestão de Resíduos). PREVENÇÃO RECOLHA DE RESÍDUOS (ECOFONE, outras recolhas) VALORIZAÇÃO MULTIMATERIAL (Receção, Triagem, Acondicionamento, Comercialização e Expedição) VALORIZAÇÃO ENERGÉTICA E CONFINAMENTO TÉCNICO (Receção, Gestão de Contrato de Exploração, Comercialização e Expedição) VALORIZAÇÃO ORGÂNICA (Receção, Triagem, Acondicionamento, Gestão de Contrato de Exploração, Comercialização e Expedição) COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: Processo de Plano de Comunicação e Educação Ambiental; Processo Gestão de Suportes e Comunicação Externa e Interna. SERVIÇOS: Processo de Gestão de Cursos (incluir cursos Horta da Formiga) e Seminários; Processo de Visitas; Processo de Dinamização do Parque Aventura. Mod Revisão: 23 Página 5 de 7 dispõe corresponde à disponível na mesma.

40 MANUAL DE GESTÃO ABORDAGEM POR PROCESSOS PROCESSOS DE SUPORTE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS: Processo de Gestão de Competências; Processo de Formação; Processo de Medicina no Trabalho, Processo de Processamento Salarial, Processo de Acolhimento. GESTÃO DAS INFRAESTRUTURAS: Processo Gestão da Manutenção de Máquinas e Equipamentos, Edifícios e Infraestruturas; Processo de Gestão de Espaços Verdes; Processo de Gestão de Obra; Processo de Gestão da Frota. GESTÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS APROVISIONAMENTO: Processo de Gestão de Armazém; Processo de Compra (engloba a seleção de fornecedores, o fornecimento e avaliação de fornecedores). ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO: Processo de Fecho do Mês; Processo de Pagamento a Fornecedores; Processo da Gestão Documental. APOIO JURÍDICO NOTA: No âmbito do projeto de extensão da ISO9001 os processos estão a ser alvo de atualizações. Mod Revisão: 23 Página 6 de 7 dispõe corresponde à disponível na mesma.

41 MANUAL DE GESTÃO ABORDAGEM POR PROCESSOS Fig.7 Interligações dos Processos LIPOR Mod Revisão: 23 Página 7 de 7 dispõe corresponde à disponível na mesma.

42 MANUAL DE GESTÃO ANEXO - PROCESSOS

MANUAL DE GESTÃO. Revisão 24. novembro 2014

MANUAL DE GESTÃO. Revisão 24. novembro 2014 MANUAL DE GESTÃO Revisão 24 novembro 2014 MANUAL DE GESTÃO - ÍNDICE ÍNDICE 1 ÂMBITO E OBJETIVOS 1/1 5.3 Âmbito do Sistema de Gestão LIPOR 7/13 2 PROMULGAÇÃO 1/1 5.3.1 Sistema de Gestão de Qualidade 8/13

Leia mais

Mais clima para todos

Mais clima para todos Mais clima para todos 1 Mais clima para todos Na União Europeia, entre 1990 e 2011, o setor dos resíduos representou 2,9% das emissões de gases com efeito de estufa (GEE), e foi o 4º setor que mais contribuiu

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA LIPOR

MANUAL DE GESTÃO DA LIPOR MANUAL DE GESTÃO DA LIPOR Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto Departamento da Qualidade, Ambiente e Segurança Abril 2009 ÍNDICE Índice: 1 ÂMBITO E OBJECTIVOS 1/1 2 - PROMULGAÇÃO

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade IDENTIFICAÇÃO Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09 Código: CMSeixalSGQ_2600204_ManualGestaoV09 Destinatários: Trabalhadores, Munícipes e Utentes da CMSeixal Campo de aplicação:

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Integrado MSGI-01

Manual do Sistema de Gestão Integrado MSGI-01 Manual de Acolhimento LogicPulse Technologies, Lda. Índice PROMULGAÇÃO... 3 1. INTRODUÇÃO... 4 2. OBJETIVOS DO MANUAL... 4 3. APRESENTAÇÃO DA LOGICPULSE TECHNOLOGIES... 5 4. ORGANOGRAMA ORGANIZACIONAL...

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ_v5 MANUAL DA QUALIDADE. FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22

MANUAL DA QUALIDADE MQ_v5 MANUAL DA QUALIDADE. FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22 MANUAL DA QUALIDADE FORM_001_v1 [Este documento depois de impresso constitui uma cópia não controlada] Página 1 de 22 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1 Promulgação... 4 1.2 Âmbito e campo de aplicação do SGQ...

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO. SGQ Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal

MANUAL DE GESTÃO. SGQ Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO SGQ IDENTIFICAÇÃO Titulo: - Código: SGQ_2600204_ManualGestao Destinatários: Trabalhadores, Munícipes e Utentes da Campo de aplicação: Documentos de referência: NP EN ISO 9001:2008 Página

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS

ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS ORIENTAÇÕES NO ÂMBITO DA ELABORAÇÃO DA DECLARAÇÃO AMBIENTAL E RESPETIVAS I. Objetivo ATUALIZAÇÕES As Declarações Ambientais (DA) elaboradas no âmbito do Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria, devem

Leia mais

A ISO 50001. Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013

A ISO 50001. Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013 Fórum SPQ Expo 27 de Setembro de 2013 Agenda Introdução aos Sistemas de Gestão de Energia Princípios da ISO 50001 Relação entre a ISO 50001 e outras normas como a ISO 14001 ou a ISO 9001 2 O problema económico

Leia mais

XI Congresso Nacional de Engenharia do Ambiente Certificação Ambiental e Responsabilização Social nas Organizações

XI Congresso Nacional de Engenharia do Ambiente Certificação Ambiental e Responsabilização Social nas Organizações Livro de actas do XI Congresso Nacional de Engenharia do Ambiente Certificação Ambiental e Responsabilização Social nas Organizações 20 e 21 de Maio de 2011 Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias

Leia mais

Na sua experiência profissional, salienta-se uma longa lista de obras realizadas, entre as quais:

Na sua experiência profissional, salienta-se uma longa lista de obras realizadas, entre as quais: 1. A EMPRESA retende-se com o presente capítulo efectuar a apresentação da Tomás de Oliveira, do seu compromisso em relação à qualidade e da organização que disponibiliza para alcançar esse objectivo.

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

Identificação da empresa

Identificação da empresa Identificação da empresa ANA Aeroportos de Portugal, S.A. Missão, Visão e Valores Missão da ANA A ANA - Aeroportos de Portugal, SA tem como missão gerir de forma eficiente as infraestruturas aeroportuárias

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

ControlVet Segurança Alimentar, SA.

ControlVet Segurança Alimentar, SA. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A ControlVet Segurança Alimentar, S.A. é uma empresa de referência nacional na prestação de serviços de segurança alimentar, em franca expansão

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL

ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL MISSÃO A Associação para a Economia Cívica Portugal é uma Associação privada, sem fins lucrativos cuja missão é: Promover um novo modelo de desenvolvimento económico

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

XLM Innovation & Technology

XLM Innovation & Technology 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A XLM, sedeada em Aveiro, iniciou a sua atividade em 1995. Nesta data, a sua área de atuação cingia-se à venda, instalação e assistência técnica

Leia mais

RELATÓRIO DA AUDITORIA INTERNA AO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

RELATÓRIO DA AUDITORIA INTERNA AO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Pág. 1 5 Designação legal da Organização: Municipio do Sátão. Instalações auditadas: Paços do Concelho, na Praça Paulo VI, Oficina e Armazém na Zona Industrial e Obra (Bem ou serviço nº 525) "valetas em

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 -

AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 - AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 - JUNHO 2007 AVALIAÇÃO GLOBAL DA SATISFAÇÃO DE CLIENTES - 2006 De modo a automatizar de forma simples a realização da Avaliação da Satisfação de Clientes,

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

4 07-09-2011 Revisão geral acordo ortográfico. 5 04-07-2013 Revisão geral e alteração do mapa de processos

4 07-09-2011 Revisão geral acordo ortográfico. 5 04-07-2013 Revisão geral e alteração do mapa de processos Elaborado por GQ: Aprovado Por: Cópia Controlada Nº Cópia Não Controlada Revisão Data Descrição Alteração 0 2004/11/30 Emissão 1 21-06-2008 Revisão Geral 2 08-01-2009 Revisão Geral 3 13-10-2010 Revisão

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

Manual Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança

Manual Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança Manual Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança S A A G Q A Q G S A Janeiro de 2014 REVI SÃO D ESCRIÇÃO D ATA 01 Alteração do Âmbito do Sistema (página 11). Inclusão dos procedimentos requeridos pelas

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER

A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A GESTÃO DA INOVAÇÃO APCER A Gestão da Inovação Proposta de Utilização do Guia de Boas Práticas de IDI e das ferramentas desenvolvidas no âmbito da iniciativa DSIE da COTEC para o desenvolvimento do sistema

Leia mais

A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES

A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES A RELEVÂNCIA DA CERTIFICAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES Cristina Barbosa, Auditora da APCER XIX Congresso da Ordem dos Engenheiros 20-out-2012 Centro Cultural de Belém Resumo da Apresentação

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

Gestão de Instalações Desportivas

Gestão de Instalações Desportivas Gestão de Instalações Desportivas Ambiente, Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Módulo 10 sessão 3 Gestão de Instalações Desportivas 1.3. Sistemas integrados de qualidade, ambiente e segurança Ambiente,

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA IDENTIFICAÇÃO Data da auditoria 23-02-2015 24-02-2015 Organização Morada Sede Representante da Organização Câmara Municipal de Santa Maria da Feira - Biblioteca Municipal Av. Dr. Belchior Cardoso da Costa

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço Política de Produto e Serviço Publicado em julho 2012 1 Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) é o maior grupo financeiro nacional, atuando em diferentes áreas, designadamente na banca comercial,

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

GUIA DO CONSUMO SUSTENTÁVEL SEMINÁRIO CONSUMO SUSTENTÁVEL: A RESPOSTA DA DISTRIBUIÇÃO MODERNA

GUIA DO CONSUMO SUSTENTÁVEL SEMINÁRIO CONSUMO SUSTENTÁVEL: A RESPOSTA DA DISTRIBUIÇÃO MODERNA GUIA DO CONSUMO SUSTENTÁVEL SEMINÁRIO CONSUMO SUSTENTÁVEL: A RESPOSTA DA DISTRIBUIÇÃO MODERNA Susana Abreu 30 de Setembro de 2011 LIPOR Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Página: 2 Edição: 01 Revisão: 0 ÍNDICE

MANUAL DA QUALIDADE. Página: 2 Edição: 01 Revisão: 0 ÍNDICE Manual da Qualidade Página: 2 ÍNDICE CAP 1 Manual de Gestão da Qualidade 1.1 Objetivo do manual 1.2 Âmbito do Sistema de Gestão da Qualidade 1.2.1 Exclusões 1.3 Terminologia e abreviaturas usadas no manual

Leia mais

Manual da Qualidade. Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social nos Açores

Manual da Qualidade. Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social nos Açores Manual da Qualidade Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social nos Açores EDIÇÃO 05 (ABRIL 2013) PÁGINA 2 DE 16 Índice Índice... Página 1 Promulgação do Manual... Página 2 Apresentação e gestão

Leia mais

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE 3. Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete 65 66 3.1 Objectivos e Princípios Orientadores O sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete, adiante designado

Leia mais

Referenciais da Qualidade

Referenciais da Qualidade 2008 Universidade da Madeira Grupo de Trabalho nº 4 Controlo da Qualidade Referenciais da Qualidade Raquel Sousa Vânia Joaquim Daniel Teixeira António Pedro Nunes 1 Índice 2 Introdução... 3 3 Referenciais

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DO SISTEMA DE GESTÃO Pág. 2 de 16 Se está a receber este documento, isto já significa que é alguém especial para a UEM Unidade de Estruturas Metálicas SA. Convidamo-lo

Leia mais

servicos ambiente ccambiente ISO50001

servicos ambiente ccambiente ISO50001 servicos ambiente ccambiente ISO50001 Principais benefícios na implementação de um sistema de gestão de energia Promoção da eficiência energética na organização; Redução dos impactes ambientais, nomeadamente

Leia mais

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa

Vencemos juntos. Apresentação da Empresa Vencemos juntos Apresentação da Empresa @ 2014 Quem Somos Missão Fornecer ferramentas e recursos, que juntos, colmatam as necessidades dos nossos Clientes tornando-os mais competitivos e eficazes. Visão

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008

Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I. Fev. 2008 Implementação e Certificação de um Sistema I+D+I Fev. 2008 Medeiros genda 1. Áreas de negócio Martifer; 2. Martifer Energia Equipamentos para energia S.A.; 3. Certificações Obtidas 4. Porquê IDI? 5. Objectivo

Leia mais

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra

Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho. Patrícia Serra Pontos críticos das auditorias de segurança do trabalho Patrícia Serra 1 Objetivos das Auditorias ao SGSST Verificar se o SG cumpre eficazmente a política, os objetivos e metas definidos pela organização

Leia mais

São mais de 80 os serviços que garantem o correcto acondicionamento e encaminhamento do papel/cartão para os respectivos pontos de recolha.

São mais de 80 os serviços que garantem o correcto acondicionamento e encaminhamento do papel/cartão para os respectivos pontos de recolha. A Câmara Municipal procura ser um exemplo de bom desempenho ambiental. A gestão ambiental da autarquia promove, através de um conjunto de projectos, a reciclagem junto dos munícipes e dos seus trabalhadores.

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação

MANUAL DA QUALIDADE. Câmara Municipal do Funchal. Divisão de Atendimento e Informação Câmara Municipal do Funchal Divisão de Atendimento e Informação INDICE Promulgação Âmbito Exclusões Hierarquia da documentação do Sistema de Gestão da Qualidade Política da Qualidade Missão e Visão Apresentação

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA MANUAL DE GESTÃO

CÓPIA NÃO CONTROLADA MANUAL DE GESTÃO MANUAL DE GESTÃO FERNANDES & PÁGINA 2 / 18 ÍNDICE PÁG. 1. PROMULGAÇÃO 3 2. APRESENTAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO 4 3. CAMPO DE APLICAÇÃO 11 4. POLÍTICA DA FERNANDES & 12 5. SISTEMA DE GESTÃO 13 FERNANDES & PÁGINA

Leia mais

Controlo da Qualidade Aula 05

Controlo da Qualidade Aula 05 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da qualidade:. evolução do conceito. gestão pela qualidade total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9001:2000 Evolução do conceito 2 gestão pela qualidade

Leia mais

Sistemas de Gestão de Energia

Sistemas de Gestão de Energia Gestão de Energia e Eficiência Energética nas Empresas Sistemas de Gestão de Energia 25 de Janeiro de 2013 Sistemas de Gestão de Energia Agenda: Gestão de Energia, porquê? Objetivos dos Sistemas de Gestão

Leia mais

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ

Procedimento de Gestão PG 01 Gestão do SGQ Índice 1.0. Objectivo. 2 2.0. Campo de aplicação... 2 3.0. Referências e definições....... 2 4.0. Responsabilidades... 3 5.0. Procedimento... 4 5.1. Política da Qualidade 4 5.2. Processos de gestão do

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Apresentação do Manual de Gestão de IDI

Apresentação do Manual de Gestão de IDI Seminário Final do Projeto IDI&DNP Coimbra 31 de março Miguel Carnide - SPI Conteúdos. 1. O CONCEITO DE IDI (INVESTIGAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO) 2. OVERVIEW DO MANUAL 3. A NORMA NP 4457:2007 4. A

Leia mais

10ª Semana da Responsabilidade Social. Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis

10ª Semana da Responsabilidade Social. Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis 10ª Semana da Responsabilidade Social Certificação da Responsabilidade Social Geradora de confiança Base para negócios sustentáveis Enquadramento geral No mundo de hoje todas as sociedades têm ambições

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação

ÍNDICE ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DE SANTARÉM 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA. 3.1 História. 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação ÍNDICE 1. ÍNDICE 2. PROMULGAÇÃO 3. DESCRIÇÃO DA ESCOLA 3.1 História 3.2 Objetivo e Domínio da Certificação 4. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 4.1 Processos 4.2 Requisitos da Documentação 4.3 Controlo dos

Leia mais

Código de Fornecimento Responsável

Código de Fornecimento Responsável Código de Fornecimento Responsável Breve descrição A ArcelorMittal requer de seus fornecedores o cumprimento de padrões mínimos relacionados a saúde e segurança, direitos humanos, ética e meio ambiente.

Leia mais

Manual de Gestão da Qualidade

Manual de Gestão da Qualidade Manual de Gestão da Qualidade A Índice A Índice... 2 B Manual da Qualidade... 3 C A nossa Organização... 4 1 Identificação... 4 2 O que somos e o que fazemos... 4 3 Como nos organizamos internamente -

Leia mais

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar

Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Questionário do Pessoal Docente do Pré-escolar Liderança 1.1 1.2 1.3 1.4 1. As decisões tomadas pelo Conselho Pedagógico, pela Direção e pelo Conselho Geral são disponibilizadas atempadamente. 2. Os vários

Leia mais

Relatório de Avaliação do Sistema de Gestão da Qualidade

Relatório de Avaliação do Sistema de Gestão da Qualidade Relatório de Avaliação do Sistema de Gestão da Qualidade Referente ao período de janeiro a dezembro de 2014 Município de Terras de Bouro Elaborado em 29 de janeiro de 2015 janeiro de 2013 MUNICÍPIO DE

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda.

Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda. Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A é uma software house criada em 2006. A Ilustratown tem por objetivo o desenvolvimento e implementação

Leia mais

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria

A Distribuição Moderna no Sec. XXI 28 Março 2011. Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria Certificação da Qualidade Aplicada ao Sistema de Gestão da Marca Própria PROGRAMA Qualidade Produto Marca Própria - Distribuição Princípios da Qualidade/ ISO 9001 Certificação/Processo de Certificação

Leia mais

Política de Responsabilidade Social

Política de Responsabilidade Social Política de Responsabilidade Social e Programa 2015 I. ENQUADRAMENTO A criação da Fábrica do Chocolate materializa por si só o sentido de responsabilidade social da empresa e das pessoas envolvidas na

Leia mais

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial

COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada COMPETIR + Sistema de Incentivos para a Competitividade Empresarial Subsistemas Fomento da Base Económica de Exportação Desenvolvimento Local Empreendedorismo

Leia mais

Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar. [Sistema de Gestão da Qualidade]

Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar. [Sistema de Gestão da Qualidade] Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar [Sistema de Gestão da Qualidade] Relatório da Auditoria 12 de junho de 2015 1 1. INTRODUÇÃO, ÂMBITO E OBJETIVO DA AUDITORIA A Auditoria realizada ao Sistema de

Leia mais

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende

O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende SEMINÁRIO: QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO ÃO Porto, 3 e 4 de Novembro de 2005 O Sistema Integrado de Gestão de Qualidade e Ambiente da Câmara Municipal de Esposende Carla Dias carla.dias@cm-esposende.pt

Leia mais

ISO 9001. As três primeiras seções fornecem informações gerais sobre a norma, enquanto as cinco últimas centram-se na sua implementação.

ISO 9001. As três primeiras seções fornecem informações gerais sobre a norma, enquanto as cinco últimas centram-se na sua implementação. ISO 9001 A ISO 9001 é um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) standard que exige que uma dada organização satisfaça as suas próprias exigências e as dos seus clientes e reguladores. Baseia-se numa metodologia

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

MAPA DE PESSOAL 2009

MAPA DE PESSOAL 2009 MAPA DE PESSOAL 2009 Atribuições / Competências/Actividades Administração Competência para coordenar e viabilizar toda a actividade normal e funcional da LIPOR; Executar e velar pelo cumprimento das deliberações

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO

REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO REGULAMENTO DO SISTEMA PARA A VALORIZAÇÃO DE PRODUTOS E SERVIÇOS TURÍSTICOS DA ROTA DO ROMÂNICO Objetivo Artigo 1.º 1. Este regulamento tem como objetivo estabelecer condições e normas para a obtenção

Leia mais

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE CLUSTER ENERGÉTICO DE BEJA OPORTUNIDADES SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA E CRESCIMENTO ECONÓMICO A sustentabilidade energética e climática é um desígnio estratégico duplo significado. Por um lado, desenvolvimento

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente

Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Sistema Integrado de Gestão da Qualidade e Ambiente Concelho de Esposende Distrito de Braga 15 Freguesias Área - Cerca de 95 Km2 População - 33.325 habitantes ( x 3 na época balnear ) Orla Costeira Parque

Leia mais

Projeto do Regulamento Orgânico da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Projeto do Regulamento Orgânico da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Projeto do Regulamento Orgânico da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições gerais Art.º 1.º Habilitação O Regulamento Orgânico da FCUL assenta nos preceitos da legislação

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015. Sara Medina saramedina@spi.pt. IDI (Inovação, Investigação e Desenvolvimento) - Algumas reflexões

BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015. Sara Medina saramedina@spi.pt. IDI (Inovação, Investigação e Desenvolvimento) - Algumas reflexões BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015 INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA 1 I. Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) Missão: Apoiar os nossos clientes na gestão de projetos que fomentem a inovação e promovam oportunidades

Leia mais

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010

MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 MINUTA DE PROPOSTA DE RESOLUÇÃO ABILUX 05/03/2010 Dispõe sobre a destinação de Lâmpadas inservíveis, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências O CONSELHO NACIONAL DO MEIO

Leia mais

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013

ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013 1 9 ALVARÁ DE LICENÇA PARA A REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS Nº 5/2013 (S00537-201301) Nos termos do Artigo 33º. do Decreto-Lei n.º 178/2006, com a redação conferida pelo Decreto- Lei n.º

Leia mais

ISO 9001:2015. www.apcergroup.com. Rui Oliveira APCER

ISO 9001:2015. www.apcergroup.com. Rui Oliveira APCER ISO 9001:2015 Rui Oliveira APCER Agenda Enquadramento do Processo de Revisão Principais Mudanças Pensamento Baseado em Risco Informação Documentada Princípios da Qualidade Próximos Passos Cronograma para

Leia mais

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Componente Técnica, Tecnológica e Prática Componente Científica Componente Sociocultural Morada: Rua D. Jaime Garcia Goulart, 1. 9950 361 Madalena do Pico. Telefones: 292 623661/3. Fax: 292 623666. Contribuinte:

Leia mais

J. GESTÃO DOS RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

J. GESTÃO DOS RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO J. GESTÃO DOS RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO ENQUADRAMENTO LEGAL Face à necessidade da criação de condições legais para a correta gestão dos Resíduos de Construção e Demolição (RCD), foi publicado

Leia mais

BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA.

BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA. BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A BlueWorks Medical Expert Diagnosis, Lda. é uma start-up de Coimbra que se dedica ao desenvolvimento

Leia mais

Brochura Institucional

Brochura Institucional Brochura Institucional INTERFILEIRAS A INTERFILEIRAS representa as organizações - Fileiras de material - criadas ao abrigo de legislação específica com a missão de assegurar a retoma e reciclagem de resíduos

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Ana Sofia Gavina MCI FLUP/FEUP 4 de outubro de 2014

Ana Sofia Gavina MCI FLUP/FEUP 4 de outubro de 2014 A redefinição do papel da Gestão Documental numa perspetiva CI Ana Sofia Gavina MCI FLUP/FEUP 4 de outubro de 2014 INTRODUÇÃO O PROJETO na perspetiva do fornecedor de software de Gestão Documental (GD)

Leia mais

A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Alter do Chão 12 Novembro. Miguel Taborda - SPI

A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Alter do Chão 12 Novembro. Miguel Taborda - SPI A Certificação das atividades de investigação, desenvolvimento e inovação (IDI) Miguel Taborda - SPI Conteúdos. 1. O CONCEITO DE IDI (INVESTIGAÇÃO, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO) 2. A NORMA NP 4457:2007 REQUISITOS

Leia mais

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial 2 PRIMAVERA BSS Qpoint Rumo à Excelência Empresarial Numa era em que a competitividade entre as organizações é decisiva para o sucesso empresarial, a aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance

Leia mais

Benefícios da Certificação para a Administração Pública

Benefícios da Certificação para a Administração Pública Benefícios da Certificação para a Administração Pública Hélder Estradas, 7 de Maio de 2008 Agenda 1 - Resumo Histórico da Certificação em Portugal; 2 - Vantagens da Certificação; 3 - Processo de Certificação.

Leia mais

PERSPETIVA APCER. www.apcergroup.com. André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt

PERSPETIVA APCER. www.apcergroup.com. André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt PERSPETIVA APCER André Ramos Diretor de Marketing andre.ramos@apcer.pt Tópicos Perspetiva APCER Avaliação Preliminar ISO DIS 9001:2014 Transição ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 - disposições IAF e APCER

Leia mais