MATERIAL DE APOIO PEDAGÓGICO AO PROJETO OICA FAZER ACONTECER IV IMPRESSO EM 2009 IMPRESSO EM PAPEL RECICLADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MATERIAL DE APOIO PEDAGÓGICO AO PROJETO OICA FAZER ACONTECER IV IMPRESSO EM 2009 IMPRESSO EM PAPEL RECICLADO"

Transcrição

1

2 IMPRESSO EM PAPEL RECICLADO Concepção, pesquisa e desenvolvimento: Raquel A. M. Rotundo e Maria Silvia Poletti Figueiredo Colaboração: Julciléia Morita Siqueira Design e produção gráfica: Mondana:IdeiasBizarras Revisão: Fátima Caldas Ilustrações: Vilmar Conrado Realização: Fundação ArcelorMittal Brasil Produção: Asas Produções Apoio: Ministério da Cultura IMPRESSO EM 2009 MATERIAL DE APOIO PEDAGÓGICO AO PROJETO OICA FAZER ACONTECER IV

3 Índice Mensagem ao educador 4 Sobre o tema Alimentação saudável: uma lição saborosa A produção dos alimentos e o meio ambiente Segurança alimentar Os objetivos do milênio Consumo responsável Os materiais educativos Vídeos Produção de alimentos e o meio ambiente Alimentação saudável Prazer de estar bem Cartilhas dos estudantes Expectativas de aprendizagem 12 Sugestões de atividades 13 Referências para consulta 20 3

4 Caro Educador, O Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente chegou à maioridade. Em 18 anos de história, o programa amadureceu e ampliou seu alcance, contribuindo para a conscientização ambiental de milhares de estudantes brasileiros. Isso só foi possível com a dedicação de educadores de todo o país que, apesar de viverem realidades distintas, abraçaram com o mesmo empenho a tarefa de ampliar a percepção de seus alunos sobre a questão ambiental. Nós acreditamos que o conhecimento é o bem mais valioso que podemos oferecer a nossos jovens, fator fundamental para que se tornem adultos responsáveis e conscientes em relação ao planeta em que vivemos. Compartilhamos com você o interesse em garantir uma educação de qualidade que inclua assuntos atuais e importantes para a formação pessoal dos alunos. Por isso, para 2009, escolhemos um tema que afeta diretamente a vida de cada um e que está alinhado às diretrizes de saúde e segurança da ArcelorMittal: a alimentação saudável. Além de garantir mais qualidade de vida, uma prática alimentar adequada também contribui para a preservação do meio ambiente. Portanto, acreditamos que ao estimular a alimentação saudável estamos cuidando do futuro de nossas crianças e de nosso planeta. Esperamos que este material seja útil na condução de atividades e discussões sobre o tema. Lembre-se: ele foi elaborado para auxiliá-lo a transportar para a sala de aula, de maneira didática e consistente, a reflexão sobre as escolhas que fazemos no dia-a-dia. Obrigada pela confiança e dedicação ao programa. Contamos mais uma vez com o seu apoio para fazer da edição 2009 do Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente um sucesso. Bom trabalho! Fundação ArcelorMittal Brasil Mensagem ao educador 4

5 Sobre o tema Alimentação saudável: uma lição saborosa Quando pensamos em sustentabilidade, de imediato pensamos em ações mais efetivas como preservar áreas naturais, reciclar o lixo, economizar água e energia, conservar o solo, adotar fontes alternativas de energia e não poluir, mas raramente nos lembramos da nossa prática alimentar, um simples ato que é essencial para a nossa sobrevivência. A vida moderna tem causado grandes mudanças em nosso hábito alimentar. Uma alimentação inadequada acarreta problemas que interferem no desenvolvimento infantil e na saúde das pessoas. Em geral, isso pode ocorrer tanto pela falta como pelo excesso de alimentos na dieta, trazendo sérias consequências, como a desnutrição e a obesidade. Estudos mostram que, entre outros fatores, o estilo de vida das pessoas, a prática alimentar, o acesso à água potável de boa qualidade e aos alimentos variados estão diretamente relacionados a uma vida mais saudável. A questão da alimentação nunca foi tão veiculada como nos dias de hoje, envolvendo todos os meios de comunicação. Frequentes mensagens de nutrição e saúde são propagadas diariamente, porém nem sempre são reais, claras e precisas, de forma a orientar os consumidores em relação aos cuidados necessários para a manutenção da saúde. Para seguir um estilo de vida mais saudável, é preciso compreender a importância de uma prática alimentar adequada e isso, necessariamente, tem a ver com o que comemos, com a qualidade e a variedade dos alimentos, com a forma de preparar e de compartilhar as nossas refeições. Tem a ver, também, com a origem dos alimentos e com as técnicas empregadas no sistema de produção, respeitando a biodiversidade, o solo, a água e o ar. Todo esse aprendizado pode e deve ser feito em qualquer lugar, mas a escola é um espaço privilegiado para o estudo da alimentação sustentável, como ciência, arte, técnica, cultura e história. A integração desses temas ao currículo escolar é uma preciosa ferramenta para conscientizar os estudantes sobre a tomada de decisões quanto ao consumo de alimentos. Essa concepção de ensino/aprendizagem é reforçada pela proposta do MEC Ministério da Educação que incorpora os temas Saúde e Meio Ambiente ao currículo do Ensino Fundamental. O conteúdo educativo deve ser considerado em todas as disciplinas, melhorando a compreensão dos problemas relacionados à saúde humana, à conservação dos recursos naturais e ao conforto, compreendendo desde o enfoque preventivo até a promoção de uma vida mais saudável. Tanto a escola como a família têm papéis decisivos na promoção de bons hábitos alimentares e do consumo consciente, especialmente porque as crianças e adolescentes se espelham nos adultos, o que torna de igual importância o exemplo de pais e educadores. O estudante bem orientado faz as escolhas adequadas dentro e fora da escola. 5

6 A produção dos alimentos e o meio ambiente Atualmente, grande parte dos consumidores está cada vez mais distante da produção dos alimentos que compram e consomem e, normalmente, não se preocupam em conhecer a sua procedência, nem a forma como foram produzidos. A agricultura e a indústria produzem alimentos para atender à demanda de uma população que não para de crescer. Para isso, além do uso inadequado dos recursos naturais, utilizam-se métodos artificiais de produção, o que resulta em sérios danos para o meio ambiente e para os seres vivos. Para saber se um alimento é adequado para o consumo, as pessoas dependem de informações e da atuação dos órgãos governamentais responsáveis por fiscalizar o setor produtivo. Esses órgãos atuam em locais não acessíveis ao consumidor: no campo, nas indústrias, nas empresas que armazenam, transportam, distribuem e comercializam os produtos. Estabelecem regras para o controle da qualidade dos alimentos e promovem a informação para a população. Todos os envolvidos na cadeia de produção são responsáveis pela segurança desses alimentos. Os produtores do campo devem garantir uma produção isenta de resíduos de agrotóxicos, fertilizantes e hormônios; a indústria e o comércio devem fornecer alimentos seguros e saudáveis; ao consumidor final, cabe assumir a sua cota de responsabilidade em relação aos alimentos que compra e consome, fazendo as melhores escolhas. 6 Por isso, o consumidor precisa ficar mais atento à origem e qualidade dos alimentos, assim como às técnicas empregadas em sua produção. Deve considerar as condições de higiene, a qualidade dos alimentos disponíveis no mercado e, finalmente, compreender a sustentabilidade social e ecológica dos métodos empregados em sua produção, mantendo-se atento aos problemas e desigualdades existentes em sua distribuição.

7 Segurança alimentar O termo segurança alimentar envolve vários aspectos relacionados à alimentação, além das questões sanitárias que garantem um alimento seguro. No Brasil, segurança alimentar e nutricional é definida como (...) o direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos com qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras da saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam social, econômica e ambientalmente sustentáveis. (Fonte: II Conferência Nacional de Segurança Alimentar, 2004) Em outras palavras, a segurança alimentar está relacionada com a renda e as informações disponíveis para que as pessoas possam ter acesso aos alimentos em quantidades adequadas, de forma a atender às necessidades nutricionais, considerando a cultura alimentar e a preservação da saúde e do meio ambiente. Essa carta pode ser encontrada na internet, no endereço eletrônico Solicite aos estudantes que pesquisem a carta e promova um debate sobre os compromissos apresentados pelos grupos. Segurança alimentar é discutida por adultos e crianças O tema segurança alimentar e nutricional começou a ser conhecido e discutido em 1996, por ocasião da Cúpula Mundial da Alimentação em Roma, quando mais de 180 países, incluindo o Brasil, se reuniram para debater sobre a fome e a desnutrição no mundo. Foram elaborados dois documentos: a Declaração de Roma sobre Segurança Alimentar Mundial e o Plano de Ação da Cúpula Mundial de Alimentação, com a meta de, até o ano de 2015, reduzir à metade o número atual de pessoas desnutridas em todo o mundo, tornando possível o acesso aos alimentos de forma segura. A II Conferência Infanto-Juvenil para o Meio Ambiente foi realizada em Brasília, em 2006, por cerca de 700 estudantes, representando 12 mil escolas de todo o país, quando foi elaborada a Carta das Responsabilidades Vamos Cuidar do Brasil. No documento, foram definidas nove responsabilidades e ações. Duas delas referem-se à produção, consumo e reeducação alimentar: Responsabilidade nº 8: Valorização da produção e do consumo de alimentos naturais e orgânicos Mudança de hábitos alimentares e opção por alimentos mais saudáveis; sensibilização de agricultores para práticas de cultivo com adubos orgânicos e inseticidas naturais; questionamentos sobre plantio e o consumo de transgênicos. Responsabilidade nº 9: Reeducação alimentar, respeitando os hábitos alimentares de todos os povos Elaboração de projetos de segurança alimentar como: cardápio escolar balanceado, resgate e socialização de conhecimentos tradicionais, receita de alimentos saudáveis e hortas escolares. 7

8 Os objetivos do milênio Em 2000, a Organização das Nações Unidas (ONU), ao analisar os maiores problemas mundiais, aprovou a Declaração do Milênio, um documento que reúne várias metas, estabelecidas em conferências mundiais ao longo da década de 90. Esta declaração deu origem aos Oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, visando a melhorar a qualidade de vida de todas as pessoas. Todos os países participantes, inclusive o Brasil, se comprometeram a cumprir os objetivos estabelecidos. 8 Conheça mais e faça a sua parte. Acesse:

9 Consumo responsável O combate à fome e às consequências advindas da má nutrição constitui um dos problemas emergenciais da humanidade e, por isso, está presente nos principais documentos traçados por organizações internacionais, como a Declaração dos Direitos Humanos. Existe uma mobilização muito grande, com a participação de pessoas e organizações, visando a fazer valer o direito ao alimento, pressionar governos para ativar seus compromissos com a redução da fome e mudar políticas da agropecuária, comerciais, industriais e sociais que agravem o problema. No Brasil, existem inúmeras iniciativas nesse sentido, com esforços voltados para a conservação dos recursos naturais, da biodiversidade, do acesso à água potável e da produção de alimentos, porém muita coisa ainda precisa ser feita. Estudos apontam que, apesar de ser um dos principais produtores de alimentos do planeta, o país é um dos que mais desperdiçam comida, em todas as etapas, desde a plantação, colheita, armazenamento, transporte e industrialização inadequados, até o manuseio e preparo dentro de casa. Assim, o ponto básico dos esforços atuais para a conservação ambiental está na participação individual ou coletiva das pessoas, formando consumidores mais conscientes e tornando as atividades humanas mais sustentáveis. O consumo consciente pode fazer a diferença e ajudar a superar as questões referentes à produção, à sustentabilidade do planeta, à fome e à obesidade. O consumidor consciente pode agir diretamente, em suas ações cotidianas, procurando adequar sua prática alimentar de modo a evitar o desperdício de alimentos, fazer melhores escolhas de produtos e serviços, valorizar empresas que se empenham de forma transparente e pressionar empresas e governos para a adoção de práticas e políticas adequadas. PARA SABER MAIS Referências pesquisadas O site do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária traz os endereços físicos e/ou eletrônicos das unidades federais, estaduais e municipais de vigilância sanitária, que compõem o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária SNVS. O site do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor possui Informações sobre direitos dos consumidores, qualidade e segurança dos produtos e orientações para o consumo sustentável. O Instituto Akatu é uma organização não governamental sem fins lucrativos. Foi criado no âmbito do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, para educar e mobilizar a sociedade para o consumo consciente. O Projeto Criança & Consumo, do Instituto Alana, foi criado em 2005 para conscientizar e apontar formas de minimizar e prevenir os prejuízos decorrentes da comunicação mercadológica voltada ao público infanto-juvenil. Assim, fomenta a reflexão sobre as consequências do consumismo que cada vez mais atingem essa parcela da sociedade. 9

10 Os materiais educativos Para auxiliar o desenvolvimento do tema "Alimentação Saudável, proposto pelo Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente na edição de 2009, foi desenvolvido um conjunto de materiais, composto por um Manual do Educador, com orientações e sugestões de atividades; um DVD com uma coletânea de vídeos didáticos alusivos ao tema; uma cartilha destinada aos estudantes de 1º ao 5º ano; e uma cartilha para os estudantes de 6º ao 9º ano (de acordo com a Lei nº /2006). A questão da nutrição e do desenvolvimento de bons hábitos alimentares deve ser vista não apenas como a oferta de alimentos necessários ao ser humano. É também um estímulo ao convívio, que compreende desde a escolha e preparação dos alimentos até seu consumo, incluindo as consequências dessas atividades para as pessoas e para o meio ambiente. Os alimentos envolvem significados culturais, econômicos, políticos, ambientais, emocionais e comportamentais que devem ser considerados quando trabalhar essa temática. O Manual do Educador, com sugestões para o desenvolvimento de diversas atividades, relaciona todos esses assuntos. O seu objetivo é apoiar o trabalho dos educadores, visando a agregar conhecimentos e idéias, sem a pretensão de substituir conteúdos já programados. Procura promover reflexões mais profundas, organizar grupos de trabalhos, estimular o desenvolvimento de ações e divulgar resultados, buscando sempre contribuir para um trabalho inovador na unidade escolar. As atividades sugeridas foram selecionadas procurando complementar as informações já oferecidas nas cartilhas dos alunos e nos três vídeos que integram o DVD, possibilitando, assim, aos educadores, um trabalho amplo e interdisciplinar sobre o tema em questão. Pelo fato de serem dirigidas a diferentes idades, recomenda-se que as atividades sejam adaptadas e inovadas, atendendo às expectativas dos envolvidos no processo e à realidade local de cada grupo, assim como aplicadas em contexto e momento oportuno. DVD Alimentação saudável: uma lição saborosa Material de apoio audiovisual, elaborado como importante ferramenta pedagógica, para ser utilizada de forma associada ao manual de atividades e às cartilhas direcionadas aos alunos. Tem como objetivo orientar os educadores na ampla tarefa de difundir o tema proposto e desenvolver o projeto na escola, buscando sempre uma integração das diversas áreas e disciplinas. Sobre os vídeos: 10 Produção de alimentos e o meio ambiente ( Fundação ArcelorMittal Brasil) O vídeo promove uma viagem histórica ao mundo dos alimentos, desde a sua origem com os povos antigos até os dias de hoje, oferecendo subsídios para compreender melhor o panorama atual da alimentação. Apresenta também importantes informações sobre a produção, técnicas agrícolas e a indústria dos alimentos. Possibilita uma reflexão em relação às nossas escolhas e práticas alimentares, tanto para a nossa saúde e qualidade de vida, como para a conservação do meio ambiente.

11 Cartilhas dos estudantes - Alimentação saudável: uma lição saborosa As cartilhas das crianças (1º a 5º ano) e jovens (6º a 9º ano) foram elaboradas com o uso de textos, ilustrações e atividades interativas, propostas para favorecer a reflexão sobre uma prática alimentar mais adequada. Consideram o direito a uma alimentação saudável e suficiente, a garantia da origem e da produção sustentável dos alimentos e o papel dos consumidores quanto às melhores escolhas, evitando o desperdício e praticando o consumo consciente. Levando em conta as diferenças regionais e culturais dos estudantes, assim como a amplitude da faixa etária a ser trabalhada, as informações contidas nas cartilhas abordam, de forma leve e atrativa, os aspectos básicos do conhecimento, atendendo ao programa curricular já estabelecido. Cabe ao educador orientar seus alunos quanto ao uso da cartilha, de modo a proporcionar momentos curiosos e divertidos em sala de aula e acompanhar todas as etapas do aprendizado, integrando, sempre que possível, outras atividades sugeridas para complementação do trabalho. O processo de discutir, avaliar e encerrar as atividades, preferencialmente de forma coletiva, é essencial para a assimilação das informações e para a promoção da comunicação. Além de motivar o interesse dos alunos para a divulgação de suas ideias e propostas de ações, estimula a prática da cidadania, motivando ações como, por exemplo, o voluntariado, as mudanças de hábitos e as campanhas de mobilização e conscientização, refletidas numa participação mais efetiva, em escolhas mais adequadas e no consumo responsável. Alimentação saudável ( Fundação ArcelorMittal Brasil) Saber a procedência e a forma de produção dos alimentos é muito importante. Conhecer a melhor maneira de consumi-los, assim como repensar a nossa prática alimentar é imprescindível. Aprender sobre os alimentos que devem fazer parte de nossa alimentação diária e os cuidados no momento da compra e no preparo são os assuntos dessa aventura ao conhecimento, relacionando alimentação, saúde e meio ambiente. Prazer de estar bem ( Sesi, SP ) Este vídeo procura orientar os estudantes quanto à importância de uma alimentação saudável e da prática regular de atividades físicas. O conteúdo apresenta a pirâmide alimentar, traz dicas para uma alimentação equilibrada e incentiva o hábito de praticar esportes em qualquer idade, promovendo uma melhor qualidade de vida, com o aumento da confiança e da auto-estima, a diminuição do risco de doenças e a manutenção do peso adequado. 11

12 Expectativas de aprendizagem O papel do educador é fundamental para a formação de hábitos alimentares saudáveis de seus alunos, assim como para o auxílio na promoção da saúde e da qualidade de vida da comunidade. Com o desenvolvimento desse trabalho, considerando a amplitude do tema, o uso adequado dos materiais oferecidos e o comprometimento dos educadores na orientação e acompanhamento das atividades, certamente, todos estarão bem preparados para suas escolhas, atendendo a algumas expectativas esperadas na aprendizagem, como: compreender os principais tipos de nutrientes e associá-los aos alimentos presentes na dieta diária; entender o fundamento de uma dieta balanceada e desenvolver atitudes corretas; perceber a relação que existe entre saúde, atividade física e hábitos saudáveis de alimentação; perceber criticamente que a publicidade pode levar a consumir alimentos além da necessidade, comprometendo a saúde e os recursos naturais do planeta; identificar os cuidados que devem ser tomados na escolha e na compra dos alimentos; pensar mais criticamente na relação produção consumo de alimentos e geração de resíduos. 12

13 Sugestões de atividades 01 O ASSUNTO É... MERENDA ESCOLAR Competências e habilidades: coletar e discutir informações a respeito da alimentação oferecida na escola. Procedimento: sugerir aos alunos que entrem em contato com a merendeira da escola, para fazer uma entrevista. Estimule esse contato, orientando-os para que formulem algumas perguntas, como: Quando aprendeu a cozinhar? Existe um curso para merendeiras? O que mais gosta de cozinhar? Por que precisa usar uniforme para trabalhar? De onde vêm os ingredientes para a merenda? Quem escolhe o cardápio da semana? As carnes vêm congeladas? Os legumes vêm frescos? Como eles são guardados? Durante quanto tempo? É sempre observado o prazo de validade dos ingredientes industrializados? Quais os cuidados para conservar os alimentos? O que é feito com as sobras dos alimentos? Os alunos deixam resto de comida no prato? Como vocês calculam a quantidade certa para tanta gente? O que é feito com as embalagens dos alimentos? Os alimentos oferecidos são nutritivos e saudáveis? Vocês recebem sempre a visita de um nutricionista? Ação: distribuir por temas as respostas das entrevistas, de forma que, por meio de cartazes, os alunos divulguem o trabalho na escola. Grupo 1: divulgar as informações relativas ao trabalho de uma merendeira na escola; Grupo 2: encarregar-se da origem dos alimentos, como são armazenados e manuseados; Grupo 3: apresentar o valor nutricional dos alimentos oferecidos e como é determinado o cardápio da merenda; Grupo 4: trabalhar com as sobras, o desperdício e o lixo gerado. Divulgação: organizar uma palestra, convidando um nutricionista para falar sobre o tema Educação Nutricional ; e a merendeira da escola, para falar de seu trabalho e dos cuidados na preparação dos alimentos. Reúna os pais dos alunos para participarem desse encontro. 02 OS ALIMENTOS AO LONGO DO TEMPO Competências e habilidades: coletar informações e elaborar texto, comparar dados e tirar conclusões. Procedimento: orientar os alunos para conversar com pessoas mais velhas (avós, tios, pais e irmãos), procurando saber como era a alimentação deles na infância e na mocidade; quais eram as principais necessidades alimentares e como eram supridas. Descobrir, também, de que forma os alimentos eram produzidos, onde eram comprados e armazenados. Quais os tipos de alimentos mais consumidos naquela época e se havia desperdício. Ação: produzir textos com as informações colhidas e comparar as necessidades de outros tempos com as de hoje, assim como as formas encontradas para solucioná-las. Divulgação: apresentar um painel com fotos e figuras sobre o tema Passado, presente e futuro dos alimentos. Mostrar como eram e como são produzidos e consumidos os alimentos. 13

14 03 EQUILÍBRIO NA ALIMENTAÇÃO - PIRÂMIDE ALIMENTAR Competências e habilidades: buscar e discutir informações sobre alimentação equilibrada, fazer leitura de modelos e relacionar com as informações coletadas. Procedimento: orientar os alunos para que conversem com pessoas que recebem cesta básica, para saber quais os alimentos que a compõem. Com os dados coletados, devem fazer uma lista e distribuir os alimentos anotados nos diferentes níveis da Pirâmide Alimentar. Ação: promover a discussão sobre a variedade e quantidade dos alimentos da cesta básica e se estão distribuídos adequadamente. Se necessário, apresentar sugestões para melhorias no valor nutricional deste benefício. Divulgação: colocar um banner da Pirâmide Alimentar no pátio da escola, para consulta permanente. Combine com os alunos para cada um levar um alimento diferente, com o objetivo de montar uma mesa de alimentos variados. Por meio da observação da variedade exposta na mesa, discutam os diferentes grupos alimentares, as origens e a produção dos alimentos, agrupando-os didaticamente. Após o estudo, de forma cooperativa, dividam e provem os alimentos. Dica: a Pirâmide Alimentar do pátio, grande e colorida, pode ser inovada com muita criatividade, usando sucatas de embalagens vazias, recortes de figuras, ou mesmo representando os alimentos com massinha de papel machê. Caso exista uma horta na escola, relacioná-la à Pirâmide Alimentar em todos os momentos possíveis. 14

15 04 ALIMENTAÇÃO - A CANTINA E O LANCHE NA ESCOLA Competências e habilidades: levantar dados para análise, propor soluções, interpretar filme. Procedimento: estimular os alunos para que façam um levantamento do tipo de lanche, bebida e outros alimentos oferecidos pela cantina da escola e analisem o teor alimentício (calorias, valor nutricional, gorduras, açúcares etc.). Orientá-los para que conversem com o diretor para obter informações sobre a política de alimentação na escola, tanto em relação ao que é vendido quanto à orientação sobre o tipo de lanche que os alunos devem levar. Fazer um levantamento sobre os produtos mais vendidos na cantina, verificando se são alimentos recomendados. Ação: orientar os alunos para que, baseados nas informações coletadas, elaborem um plano de alimentação saudável para a escola, com argumentos consistentes. Se possível, devem apresentá-lo ao diretor. Divulgação: passar o filme Super Size Me A dieta do palhaço, de Morgan Spurlock, sobre fast food, ou outro que achar mais conveniente. Convide também um nutricionista para falar com os pais, alunos e professores sobre a importância da família e da escola na construção de hábitos alimentares saudáveis para crianças e jovens. 05 ALUNOS MULTIPLICADORES NA EDUCAÇÃO ALIMENTAR Competências e habilidades: conduzir uma explicação a partir de informações, buscar dados em diferentes fontes e compará-los, organizar informações, fazer registros claros, que possam ser compreendidos e analisados pelos colegas. Procedimento: explicar o importante papel de um agente multiplicador e convidar alguns alunos que, voluntariamente, deverão exercer essa função na escola. Nesse caso, eles serão responsáveis por encontrar a melhor forma de multiplicar, para todos os colegas, a importância da orientação nutricional e os cuidados para com a saúde. Ação: planejar ações referentes aos assuntos sugeridos abaixo: distribuir panfletos na escola, orientando sobre a importância da combinação dos alimentos, coloridos e variados, na hora da refeição; colocar cartazes mostrando alimentos naturais e industrializados, utilizando colagens de panfletos de supermercado; criar um espaço em que seja possível oferecer a degustação de alimentos saudáveis, mas não muito consumidos pelas crianças e jovens, como alguns tipos de legumes, frutas e sucos, apresentando seus respectivos valores nutricionais; visitar um supermercado para comparar preços de alimentos saudáveis e não saudáveis (verduras, legumes, frutas / biscoitos, refrigerantes etc.) e mostrar os resultados aos colegas, explicando a importância da relação custo benefício na compra de alimentos e nas preferências alimentares. Divulgação: sugerir à escola a implantação de um espaço específico no pátio para ser usado na divulgação permanente da Educação Alimentar. O local ficaria destinado, entre outras finalidades, à divulgação de campanhas, exposição de trabalhos produzidos pelos alunos, notícias, atualidades, apresentação da Pirâmide Alimentar, do cardápio da merenda escolar do dia ou da semana, com as devidas informações nutricionais. 15

16 06 DO CAMPO À MESA - REFLEXÃO POR MEIO DE UM POEMA Competências e habilidades: consultar diferentes fontes, ler, interpretar e organizar informações do texto. Procedimento: trabalhar o poema por meio da leitura e passar algumas perguntas para a interpretação. Ação: responder às perguntas e fazer uma pesquisa sobre a cana-de-açúcar, desde o seu plantio, colheita e produção do açúcar. Quais são os personagens que aparecem na poesia? Explique como cada pessoa está envolvida na produção, comércio e consumo do açúcar. Que situações descritas na poesia ocorrem na zona rural? Que regiões produtoras de açúcar no Brasil foram apontadas na poesia? Indique outro estado, região ou cidade que também produz açúcar. Onde foi produzido o açúcar que você consome em sua casa? E o lugar de origem? Retire essas informações na embalagem do produto. Divulgação: transformar a pesquisa em desenhos, representando todas as etapas pesquisadas, até o produto final da cana- -de-açúcar. Dica: pode-se fazer, também, a mesma pesquisa sobre um produto cultivado ou produzido em sua região. Açúcar Autor: Ferreira Gullar O branco açúcar que adoçará meu café nessa manhã de Ipanema não foi produzido por mim nem surgiu dentro do açucareiro por milagre. Vejo-o puro e afável ao paladar, como beijo de moça, água na pele, flor que se dissolve na boca. Mas este açúcar não foi feito por mim. Este açúcar veio da mercearia da esquina e tampouco o fez o Oliveira, dono da mercearia. Este açúcar veio de uma usina de açúcar em Pernambuco ou no Estado do Rio, e tampouco o fez o dono da usina. Este açúcar era cana e veio dos canaviais extensos, que não nascem por acaso no regaço do vale. Em lugares distantes, onde não há hospital nem escola, homens que não sabem ler e morrem de fome aos 27 anos plantaram e colheram a cana que viraria açúcar. Em usinas escuras, homens de vida amarga e dura produziram este açúcar branco e puro, com que adoço meu café esta manhã em Ipanema. Adaptado do caderno "Ensinar e aprender", editado pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo,

17 07 PARA QUE SERVEM OS RÓTULOS DOS ALIMENTOS? Competências e habilidades: estimular a curiosidade, interpretar rótulos dos alimentos, discutir, levantar hipóteses e buscar informações. Procedimento: pedir aos alunos que tragam para a escola rótulos de alimentos que consumiram durante a semana. Organize grupos, peça que espalhem os rótulos trazidos sobre a carteira e examinem um critério determinado, por exemplo, 0% de gordura trans, especificada nos rótulos dos diferentes alimentos. A atividade poderá inserir outras informações dos rótulos, de acordo com o conhecimento da turma. Ação: elaborar um texto usando as informações obtidas, enfatizando a importância da leitura do rótulo para uma compra consciente. Proponha o texto baseado no slogan Uma boa alimentação começa com uma boa informação. Divulgação: elaborar um grande painel, utilizando colagem de rótulos com as informações completas que todo produto industrializado deve trazer. 08 O LIXO REVELA SEUS HÁBITOS Competências e habilidades: coletar e registrar dados, responder perguntas de forma objetiva, produzir texto para divulgar conclusões. Procedimento: solicitar aos alunos que reflitam sobre suas práticas alimentares e sobre o lixo produzido em suas casas. Promova um debate relacionado aos materiais descartáveis oriundos da alimentação cotidiana e sugira que observem e anotem os resultados do lixo produzido por sua família em um dia. Proponha algumas perguntas para reflexão: Que tipo de materiais você observou no lixo? Plásticos? Metais? Restos de alimentos? Papéis? Qual foi o material mais encontrado? Dentre esses materiais, alguns poderiam ter sido separados para serem reciclados? Ao observar o lixo, você acha que houve desperdício? No lixo observado, havia muitas embalagens de alimentos? Essas embalagens poderiam ter sido reaproveitadas? Ação: analisar as respostas e propor que façam um texto indicando algumas medidas que devem ser tomadas para diminuir a quantidade de lixo e a relação disso com a redução do consumo e a compra consciente. Divulgação: fazer um grande painel, utilizando a colagem de embalagens de alimentos. Coletar esse material que foi descartado pelos colegas na hora do lanche (papéis de balas, chocolate, embalagens de salgadinhos, bolachas, latas de refrigerante, sucos, garrafas PET etc.). Esse painel deve chamar a atenção para a quantidade de resíduos gerados com embalagens de alimentos e para o importante papel representado por nossas melhores escolhas. 17

18 09 A LINGUAGEM DA PROPAGANDA Competências e habilidades: emitir opiniões com argumentos, ler e interpretar uma imagem, ouvir diferentes opiniões, criar a partir de observações e informações coletadas, produzir e analisar anúncios. Procedimento: dividir a classe em grupos para que procurem e selecionem, em jornais e revistas, anúncios de alimentos para trazer para a sala de aula. Cada grupo deverá escolher um anúncio que achar mais criativo e questionar sobre diversos aspectos: o público a que se dirige (por exemplo: crianças, mulheres, jovens etc.); o tipo de imagem utilizada no anúncio; como foi descrito o produto para convencer o consumidor a comprá-lo; de que forma foi escrito: se utilizou gírias, rimas, palavras com mais de uma interpretação (ambiguidade intencional) e outros recursos dessa natureza; se mencionou substâncias que poderiam contribuir para melhorar ou prejudicar a saúde do consumidor; se apresentou o produto ao lado de pessoas bonitas e aparentemente saudáveis etc. Com essas observações, peça que cada grupo crie uma propaganda de um produto alimentício qualquer, usando imagens e textos com uma linguagem semelhante à observada no anúncio analisado. Ação: adaptar o anúncio criado para ser apresentado em algum meio de comunicação: TV, rádio, jornal ou revista. Determinar o tempo estipulado para cada meio de comunicação. Divulgação: expor as propagandas criadas pelos alunos no pátio da escola ou promover as apresentações em outras salas. Sugestões: solicitar que escolham um produto alimentício bem conhecido e façam um anúncio tentando convencer o consumidor de que aquele produto é péssimo, que não deve ser comprado. Outra sugestão é pedir que criem um anúncio para divulgar as vantagens da amamentação natural, ou seja, um anúncio muito importante e sem fins comerciais. Músicas A música é um instrumento pedagógico valioso para o desenvolvimento da aprendizagem intelectual do aluno. Desperta emoções, imaginação e criatividade, melhora a autoestima e contribui para que cada ser se relacione melhor com o meio em que vive, tornando-o mais sensível e promovendo a reflexão sobre a interação do homem com o planeta. A música desperta talentos e ajuda a estimular a memória, a atenção e a concentração. Sugestões de músicas para trabalhar o tema Alimentos Tropicana (Morena Tropicana) - Alceu Valença Yes, nós temos bananas - Braguinha Planeta água - Guilherme Arantes Comida - Titãs Cio da Terra - Milton Nascimento 18

19 10 ATIVIDADE FÍSICA + BOA ALIMENTAÇÃO = SAÚDE Competências e habilidades: reconhecer a importância da atividade física para a saúde, construir, ler e interpretar gráficos, coletar dados. Procedimento: pedir aos alunos que escrevam no quadro três atividades físicas preferidas (Ex.: jogos, brincadeiras, esportes, recreação). Avaliem todas as opções e relacionem quais e quantas atividades foram citadas. Proponha a construção de um gráfico utilizando esses dados e mostrando as diferenças de preferências entre eles. Promova uma reflexão sobre a importância da atividade física, independente de modalidade, cultura ou preferências, desde que esteja de acordo com a faixa etária e aliada a uma boa alimentação. Ação: ampliar a pesquisa, promovendo entrevistas com alunos de outras classes e séries, coletando dados sobre suas preferências. Avaliar essas informações e registrar em gráficos. As preferências pelas atividades físicas podem ser consideradas por idade, sexo e modalidade esportiva. Divulgação: divulgar os gráficos, associados a uma campanha Não fique parado!!! 19

20 Referências para consulta Recursos para ampliar as perspectivas de pesquisa e reflexão Bibliografia INSTITUTO AKATU. A nutrição e o consumo consciente, São Paulo, INSTITUTO BRASILEIRO DE DEFESA DO CONSUMIDOR - IDEC. Meio Ambiente e Consumo, Brasília, MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Cartilha da Nutrição Fome Zero, Brasília, MINISTÉRIO DA SAÚDE. ANVISA / IDEC. Vigilância Sanitária Guia Didático, Brasília, MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE E INSTITUTO BRASILEIRO DE DEFESA DO CONSUMI- DOR. Manual de Educação para o Consumo Sustentável, Brasília, SESI SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA. Alimente-se bem, São Paulo, UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Educação Nutricional para alunos do Ensino Fundamental, Brasília, Sites 20 i

21 Filmes A História das Coisas (2007) Um ótimo filme para ilustrar o atual modelo insustentável de produção. Preparado por algumas ONGs norteamericanas, apresenta a importância de buscar um modelo sustentável de produção, um modelo cíclico em que os produtos pós-uso e os resíduos voltem às linhas de manufatura, um modelo sem o uso de substâncias tóxicas e sem consumo excessivo de recursos naturais. É um material excelente para treinamentos sobre sustentabilidade. Mundo de Valentina (2007) Série de reportagens do Fantástico (Rede Globo), apresentada em diversos episódios, na qual o casal Gabriel Moojen e Francielle Zanon, com a ajuda de cientistas, tenta imaginar como será o mundo de sua filha Valentina. O quadro, além de criativo, questiona as principais mudanças ambientais que irão ocorrer nos próximos 30 anos. Um dos episódios apresentados trata do futuro da comida no planeta. fantastico.globo.com/jornalismo/fantastico Estamira (2006) Este documentário relata a história de uma mulher que passou mais de 20 anos de sua vida sobrevivendo num lixão no Rio de janeiro. Aos 63 anos, dona Estamira, que sofre de distúrbos mentais, vive e trabalha no Aterro de Jardim Gramacho. Ela é uma figura muito carismática e, no lixão, encontrou socialização, amizade e respeito. Direção de Marcos Prado, Brasil, 2006, 115 min. Censura 10 anos. Ratatouille (2007) Remy é um rato que sonha se tornar um grande chef de cozinha. Só que sua família é contra a idéia, além do fato de que, por ser um rato, ele sempre é expulso das cozinhas que visita. Um dia, firma parceria com um atrapalhado ajudante de cozinheiro de um restaurante, que não sabe cozinhar. A Fantástica Fábrica de Chocolate (2005) Willy Wonka (Johnny Depp) é dono da maior fábrica de doces do mundo. Ele faz um concurso mundial para que cinco crianças visitem sua fábrica e descubram as magias que suas portas escondem. Mal sabem elas que essa aventura avaliará também seu caráter. >>> 21

22 >>> continuação Filmes Super Size Me (2004) O diretor Morgan Spurlock decide ser a cobaia de uma experiência: alimentar-se apenas em restaurantes da rede McDonald's, realizando neles três refeições ao dia, durante um mês. Durante a realização da experiência, o diretor fala sobre a cultura da fast food nos Estados Unidos, além de mostrar em si mesmo os efeitos físicos e mentais que esse tipo de dieta provocam. A Fuga das Galinhas (2000) O filme mistura aventura e comédia. As galinhas são prisioneiras da Granja dos Tweedy, onde vivem cercadas de arame farpado, temendo por suas vidas e sonhando apenas com o mundo exterior. A gananciosa dona da granja descobre um novo jeito de "forrar seu ninho", transformando galinhas em tortas de galinha. Acontece que as coisas não são bem o que aparentam ser... Vida de Inseto (1998) O filme se passa em torno de um colônia de formigas que coleta comida durante a primavera e o verão para estocar para o inverno, tendo, ainda, que dar uma parte para os gafanhotos. Feito em computação gráfica pelo estúdio Pixar, o mesmo de Toy Story. Jogo eletrônico Prato Certo A Unifesp e o Instituto Alana disponibilizam no site Criança & Consumo o jogo eletrônico Prato Certo. De acesso gratuito, o game ensina crianças e adultos a escolherem alimentos que compõem uma dieta balanceada, trazendo informações sobre a pirâmide alimentar e os benefícios da prática regular de exercícios físicos. A intenção é combater a obesidade, doença crônica que pode ser acompanhada de múltiplas complicações. Além de entreter, o jogo funciona como um meio de conscientização do comportamento nutricional e incentiva a reflexão para uma vida mais saudável. Acesse o site e faça o download do jogo Prato Certo. 22

23 O conjunto de materiais educativos, composto por cartilhas interativas para os estudantes, manual aos educadores e DVD, foi especialmente elaborado como forma de apoiar as escolas na proposta da educação alimentar e consumo consciente dos alimentos. Apresenta informações importantes relativas a uma alimentação saudável e de qualidade, como segurança alimentar, higiene, saúde, qualidade nutricional das refeições e, finalmente, a origem, produção e aproveitamento dos alimentos. Considera também, em todos esses temas, a necessidade de uma reflexão profunda sobre a prática alimentar e sua relação com a conservação do meio ambiente. Esperamos que o uso do material Alimentação Saudável Uma lição saborosa, associado aos seus conhecimentos e aos de toda a equipe da escola, marque um ponto de partida para muitas mudanças e que esse aprendizado possa ser compartilhado com a família, com os amigos e com a comunidade local. Sugerimos que todo o trabalho a ser desenvolvido com os estudantes seja organizado em forma de projeto. Com os registros e a divulgação das expectativas do grupo, das ações realizadas e dos resultados alcançados, a escola poderá se inscrever e concorrer a prêmios. Participem do Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente! Bom trabalho!

24 Prêmio ArcelorMittal de Meio Ambiente 2008 DANIELA ALBANO DA SILVA Categoria ESCOLA - 1ª e 2ª séries Escola Municipal Dona Maria de Paula Letro Município: Antônio Dias (MG) Unidade: Usina Hidrelétrica Guilman Amorim BETÂNIA RENATA BARROSO Categoria ESCOLA - 3ª e 4ª séries Escola Municipal João Nogueira de Rezende Município: Rio Piracicaba (MG) Unidade: ArcelorMittal Monlevade VENCEDORES NATHALIA RODRIGUES DE BRITO Categoria FILHO DE EMPREGADO - 3ª e 4ª séries Município: Sabará (MG) Unidade: BBA Sabará MARINA ALVES CORRÊA Categoria ESCOLA - 5ª e 6ª séries Colégio Sant Ana Município: Itaúna (MG) Unidade: ArcelorMittal Itaúna HELENA LADEIRA PINHO Categoria FILHO DE EMPREGADO - 1ª e 2ª séries Município: Belo Horizonte (MG) Unidade: ArcelorMittal Aços Longos MARIANA CARNASSALE Categoria ESCOLA - 7ª e 8ª séries IASP Instituto Adventista São Paulo Município: Hortolândia (SP) Unidade: BBA Hortolândia CATEGORIA PROJETO ESCOLA ESCOLA ESTADUAL DR. LEÃO DE ARAÚJO Projeto: Olhos de Águia Município: Nova Era (MG) Unidade: ArcelorMittal Monlevade AMEC Associação Monlevadense de Ensino Cooperativo Projeto: Brega e Chique Entre Neste Clima Município: João Monlevade (MG) Unidade: ArcelorMittal Monlevade ESCOLA MUNICIPAL DONA COTA Projeto: Entre no Clima Município: Itaúna (MG) Unidade: ArcelorMittal Itaúna CAROLINA LUÍZA DE OLIVEIRA AGANETE Categoria FILHO DE EMPREGADO - 5ª e 6ª séries Município: Contagem (MG) Unidade: BBA Contagem REALIZAÇÃO PRODUÇÃO APOIO LUÍSA FERNANDES BICALHO Categoria FILHO DE EMPREGADO - 7ª e 8ª séries Município: João Monlevade (MG) Unidade: ArcelorMittal Monlevade

Projeto Alimentação. EMEF M BOI MIRIM III DRE Campo Limpo

Projeto Alimentação. EMEF M BOI MIRIM III DRE Campo Limpo Projeto Alimentação EMEF M BOI MIRIM III DRE Campo Limpo 2013 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL 2012 JUSTIFICATIVA A ADOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES POUCO SAUDÁVEIS PELAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES VEM AUMENTANDO CONSIDERAVELMENTE.

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI PREFEITURA MUNICIPAL DE LONTRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI DESPERTANDO AÇÕES SUSTENTÁVEIS LONTRAS 2013 1.TEMA A preservação

Leia mais

Projeto Tempero de Mãe

Projeto Tempero de Mãe Projeto Tempero de Mãe Secretaria Municipal de Educação 1 Introdução A nutrição da população brasileira está cada vez mais afetada de más influências que vão da ignorância de uns até a superstição de outros,

Leia mais

O Açúcar. Leia este poema de Ferreira Gullar. Com que adoço meu café esta manhã em Ipanema.

O Açúcar. Leia este poema de Ferreira Gullar. Com que adoço meu café esta manhã em Ipanema. 8 Gramática -Revisão 8º ano DATA: /09/15: Unidade Centro Aluno (a) Professora: MARIA DO CARMO Leia este poema de Ferreira Gullar. O Açúcar O branco açúcar que adoçará meu café Nesta manhã de Ipanema Não

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO 1 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PROJETO INTERDISCIPLINAR HORTA EM GARRAFA PET: UMA ALTERNATIVA PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE IVINHEMA/MS - DISTRITO DE AMANDINA 2013 2 ESCOLA ESTADUAL

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O E. M. E. F. P R O F ª. D I R C E B O E M E R G U E D E S D E A Z E V E D O P

Leia mais

Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas.

Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. Justificativa Meio ambiente conforme o Dicionário Aurélio é aquilo que cerca ou envolve os seres vivos ou as coisas. A Escola de Ensino Fundamental Mondrian, fundada em 2011, começou suas atividades em

Leia mais

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 Institui diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e de nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional.

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari*

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* Resumo: Vasconcellos, Jorge** As mudanças ocorridas em nosso pais, principalmente a crescente modernização e urbanização,

Leia mais

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa Meio Ambiente 4 0 a O - fu dame tal Cuidar da vida também é coisa de criança Justificativa PROJETOS CULTURAIS Na idade escolar, as crianças estão conhecendo o mundo (Freire, 1992), sentindo, observando,

Leia mais

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO

ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO ARTIGO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RECICLAGEM DO LIXO Resumo: O presente artigo pretende refletir sobre os problemas ambientais em nossa sociedade, em especial, sobre o

Leia mais

Plano de Trabalho com Projetos

Plano de Trabalho com Projetos PREFEITURA DE JARAGUÁ DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL Plano de Trabalho com Projetos 1. Identificação: Escola Municipal de Ensino Fundamental Renato Pradi Professora:

Leia mais

Formando o aluno para a responsabilidade social. Esther Carvalho Março 2010

Formando o aluno para a responsabilidade social. Esther Carvalho Março 2010 Formando o aluno para a responsabilidade social Esther Carvalho Março 2010 Missão "Servir com excelência, por meio da educação, formando cidadãos éticos, solidários e competentes" Visão "Ser referência

Leia mais

Jovens cuidando do Brasil

Jovens cuidando do Brasil ação constitui uma parte da política dos três R reduzir, reutilizar e reciclar, depreende-se a necessidade de um trabalho com lixo que se inicie com uma revisão crítica dos hábitos e padrões de consumo.

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

PROJETO DE INTERVEÇÃO: UM OLHAR DIFERENTE PARA O LIXO

PROJETO DE INTERVEÇÃO: UM OLHAR DIFERENTE PARA O LIXO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO-UFERSA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CURSO :EDUCAÇÃO AMBIENTAL ALUNA:FRANCISCA IÊDA SILVEIRA DE SOUZA TUTORA: ANYELLE PAIVA ROCHA ELIAS PROFESSORA: DIANA GONSALVES

Leia mais

ATUAÇÃO DA FAO NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

ATUAÇÃO DA FAO NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ATUAÇÃO DA FAO NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR II Encontro Nacional de Experiências Inovadoras em Alimentação Escolar 50 ANOS Sr. José Tubino Representante da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação

Leia mais

ESCOLA RUMO A UM FUTURO SUSTENTÁVEL

ESCOLA RUMO A UM FUTURO SUSTENTÁVEL ESCOLA RUMO A UM FUTURO SUSTENTÁVEL Izelia Mayara Maia CASTELLAIN 1, Vitória Imai AMORIM 1, Professora coordenadora Michele C. AREND 2 Identificação autores: 1 Aluna Bolsista PIBIC-EM/CNPq IFC-Campus Camboriú,

Leia mais

Segurança Alimentar e Nutricional

Segurança Alimentar e Nutricional Segurança Alimentar e Nutricional Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição/ DAB/ SAS Ministério da Saúde Afinal, o que é Segurança Alimentar e Nutricional? Segurança Alimentar e Nutricional

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

Estudos da Natureza na Educação Infantil

Estudos da Natureza na Educação Infantil Estudos da Natureza na Educação Infantil Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Infantil (RCNEI) parte 3 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015

Leia mais

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome apresentação do programa Brasília, maio 2007 PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ONAUR RUANO Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional CRISPIM

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 TÍTULO DO PROGRAMA Balinha e Dentinho. 2 EPISÓDIO TRABALHADO Um punhado de sementes mágicas. 3 SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO O episódio Um punhado de sementes mágicas

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO

PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO PROJETO DIDÁTICO: O LIXO QUE VIROU LUXO Maria do Socorro dos Santos EEEFM José Soares de Carvalho socorrosantosgba@gmail.com Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

Módulo 12 Segmentando mercados

Módulo 12 Segmentando mercados Módulo 12 Segmentando mercados Há alguns anos que os profissionais de marketing perceberam que não se pode atender todo o mercado com um único composto de produto. Nem todos os consumidores querem um carro

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

Como saber se sua empresa é. Sustentável Guia Definitivo para Diagnóstico

Como saber se sua empresa é. Sustentável Guia Definitivo para Diagnóstico Como saber se sua empresa é Sustentável Guia Definitivo para Diagnóstico Sumário 02 Introdução Presença na estratégia Práticas Pré produção Práticas Produção Práticas Gestão Como verificar 03 04 06 07

Leia mais

Jardim Escola Aladdin

Jardim Escola Aladdin Jardim Escola Aladdin Os 4 Rs da Sustentabilidade Rio de janeiro 2016 Objetivo geral Esse projeto tem como objetivo promover o envolvimento dos alunos, professores, pais e comunidade em defesa à sustentabilidade

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO?

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? Eixo Temático -Ser Humano e Saúde. Tema -O que Fazer com Tanto Lixo? Subtema - Qualidade de Vida: A Saúde Individual, Coletiva e Ambiental. Ano/Série

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

UMA CARTILHA INTEIRINHA PARA VOCÊ

UMA CARTILHA INTEIRINHA PARA VOCÊ UMA CARTILHA INTEIRINHA PARA VOCÊ VOCÊ PODE AJUDAR A CONSTRUIR ESSA HISTÓRIA. APROVEITE TODA A DIVERSIDADE DAS CORES DO MUNDO E DEIXE SUA MARCA, COLORINDO OU PINTANDO. MÃOS À OBRA! Concepção, pesquisa

Leia mais

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR.

O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. O ENSINO DA GEOGRAFIA NA INTERFACE DA PEDAGOGIA DE PROJETOS SOCIOAMBIENTAIS E DO MACROCAMPO INTEGRAÇÃO CURRICULAR. Wedell Jackson de Caldas Monteiro E.E.M.I. Auzanir Lacerda wedellprofessor@gmail.com Nadia

Leia mais

PRODUTO ORGÂNICO. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

PRODUTO ORGÂNICO. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento PRODUTO ORGÂNICO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 2009 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução parcial ou total desta

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

Vigilância Alimentar Nutricional. Colocar aqui a página inicial do curso. Curso de. Vigilância. Alimentar. Nutricional

Vigilância Alimentar Nutricional. Colocar aqui a página inicial do curso. Curso de. Vigilância. Alimentar. Nutricional Colocar aqui a página inicial do curso Curso de Vigilância Alimentar Nutricional FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz Educação a Distância Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição Ministério

Leia mais

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez.

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. PROJETO DE LEITURA E ESCRITA Era uma vez... E conte outra vez. CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO TEMA; PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. INSTITUIÇÃO Escola Estadual Lino Villachá

Leia mais

Plano de Aula: Caderno de Receitas Saudáveis

Plano de Aula: Caderno de Receitas Saudáveis Objetivos: Escrever um caderno de receitas saudáveis para ser utilizado tanto na escola como em casa. Conteúdos: Meio Ambiente e Saúde: valorização e prática de dieta saudável. Língua Portuguesa: escrita

Leia mais

Pais, avós, parentes, adultos, professores, enfim, educadores de forma geral.

Pais, avós, parentes, adultos, professores, enfim, educadores de forma geral. Entre os dias 30 de agosto e 6 de setembro de 2014, a PUC Minas no São Gabriel realiza a VI Semana de Ciência, Arte e Política, com a temática Cidades Aqui tem gente? Dentro da programação, a SCAP Lá e

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS

EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS Silvia Mayumi Shinkai de Oliveira (1) Graduada em Administração Pública pela UNESP Araraquara (SP) e pós graduada (latu sensu) em

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR

PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR JUSTIFICATIVA Uma vez que a sobrevivência da sociedade dependerá da alfabetização cultural, social e ecológica e, sendo a Terra nossa casa maior,

Leia mais

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes

Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes Financiamento e apoio técnico Inscrições abertas para edital com foco em crianças e adolescentes A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e o Conselho Nacional dos Direitos

Leia mais

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN

FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN FIC SEM LIXO - Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual Professor Francisco Ivo Cavalcanti em Natal/RN Brenda Luíza Patriota Lima e Silva¹ André Elias Nóbrega² João Batista dos Santos³

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Lixo que não é Lixo

Mostra de Projetos 2011. Lixo que não é Lixo Mostra Local de: Dois Vizinhos Mostra de Projetos 2011 Lixo que não é Lixo Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: APMF Escola Municipal Plínio

Leia mais

10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP

10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP 10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP Políticas e Ambiente Escolar Padronização dos ambientes físicos de todas as escolas, procurando proporcionar espaços saudáveis

Leia mais

CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL CONCREGAÇÃO DAS IRMÃS MISSIONÁRIAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO COLÉGIO SANTA CLARA PROJETO: ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL SANTARÉM-PARÁ 2010 I- IDENTIFICAÇÃO: COLÉGIO SANTA CLARA DIRETORA: Irmã Gizele Maria Pereira

Leia mais

SÃO CAMILO SOCIAL. Informativo Semanal - Equipamentos Sociais - Sociedade Beneficente São Camilo-SP. Alimentação mais saudável no CEI Ponte Pequena

SÃO CAMILO SOCIAL. Informativo Semanal - Equipamentos Sociais - Sociedade Beneficente São Camilo-SP. Alimentação mais saudável no CEI Ponte Pequena SÃO CAMILO SOCIAL Informativo Semanal - Equipamentos Sociais - Sociedade Beneficente São Camilo-SP Alimentação mais saudável no CEI Ponte Pequena Produzido pela LC Web Comunicação Ano II, Edição 25 20-04-11

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

Pesquisa Nacional Fiesp/IBOPE sobre o Perfil do Consumo de Alimentos no Brasil

Pesquisa Nacional Fiesp/IBOPE sobre o Perfil do Consumo de Alimentos no Brasil Pesquisa Nacional Fiesp/IBOPE sobre o Perfil do Consumo de Alimentos no Brasil Introdução e objetivo Para avaliar o grau de aderência do consumidor brasileiro às tendências internacionais, a Fiesp encomendou

Leia mais

Associação Sócio-Cultural Idéia Solidária

Associação Sócio-Cultural Idéia Solidária PROJETO COMER BRINCANDO HISTÓRICO: No CEI Vó Xinha desde 2010 vem sendo desenvolvido a cultura do plantio de horta. As crianças que passaram e as que estão no CEI, sempre tiveram a oportunidade de manusear

Leia mais

Semana de Alimentação Escolar - 2005. Frutas, legumes e verduras pelo menos cinco porções ao dia

Semana de Alimentação Escolar - 2005. Frutas, legumes e verduras pelo menos cinco porções ao dia Semana de Alimentação Escolar - 2005 Frutas, legumes e verduras pelo menos cinco porções ao dia s e m a n a d e a l i m e n t a ç ã o s e m a n a d e a l i m e n t a ç ã o Semana de Alimentação Escolar

Leia mais

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades.

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. professor Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. Também serão produzidos, dentro de sala de aula, cartazes

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR.

SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. SEGURANÇA ALIMENTAR, SUSTENTABILIDADE, EDUCAÇÃO AMBIENTAL: REFLEXÕES A CERCA DA FORMAÇÃO DO PROFESSOR. Jonas da Silva Santos Universidade do Estado da Bahia UNEB DEDC XV jonasnhsilva@hotmail.com jonas.ss@inec.org.br

Leia mais

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA

REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA REGULAMENTO DESAFIO CRIATIVOS DA ESCOLA O Desafio Criativos da Escola é um concurso promovido pelo Instituto Alana com sede na Rua Fradique Coutinho, 50, 11 o. andar, Bairro Pinheiros São Paulo/SP, CEP

Leia mais

Escola Municipal Professor Mello Cançado Regional Barreiro Projeto Prato Colorido Belo Horizonte, março/2012

Escola Municipal Professor Mello Cançado Regional Barreiro Projeto Prato Colorido Belo Horizonte, março/2012 Escola Municipal Professor Mello Cançado Regional Barreiro Projeto Prato Colorido Belo Horizonte, março/2012 Toda a escola se envolveu nesse projeto pedagógico, desde a direção, coordenação, professoras,

Leia mais

PROJETO: DE ONDE VEM? PARA ONDE VAI? Sustentabilidade e Consumismo EMEI GUIA LOPES DRE FO

PROJETO: DE ONDE VEM? PARA ONDE VAI? Sustentabilidade e Consumismo EMEI GUIA LOPES DRE FO PROJETO: DE ONDE VEM? PARA ONDE VAI? Sustentabilidade e Consumismo EMEI GUIA LOPES DRE FO Como tudo começou A EMEI Guia Lopes possui uma área verde privilegiada e a criação de uma horta era uma vontade

Leia mais

PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES. NEI João Machado da Silva

PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES. NEI João Machado da Silva PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES NEI João Machado da Silva Justificativa Aproveitar racionalmente a pequena disponibilidade de espaço de terra do NEI João Machado da Silva na produção

Leia mais

III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM

III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM III PRÊMIO PARAÍBA ABRAÇA ODM Faça parte desse abraço A Fundação Solidariedade ponto focal do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento,braço social do Sistema Correio de Comunicação, é uma Associação

Leia mais

Projeto Quem sou eu? Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas

Projeto Quem sou eu? Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas Projeto Quem sou eu? Image URI: http://mrg.bz/q6vqo3 Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas Justificativa: Tendo em vista a

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE AS PRÓXIMAS ETAPAS DA VIRADA EDUCAÇÃO MINAS GERAIS

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE AS PRÓXIMAS ETAPAS DA VIRADA EDUCAÇÃO MINAS GERAIS ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE AS PRÓXIMAS ETAPAS DA VIRADA EDUCAÇÃO MINAS GERAIS >>> Rodas de Conversa A SEE, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (unicef) e com a colaboração de ONGs,

Leia mais

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e 1 Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e muito atuais. Em primeiro lugar, gostaríamos de dizer

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam o desejo de participação social direciona as ações para a estruturação de um processo construtivo para melhoria

Leia mais

Plano de Trabalho com Projetos - Professor

Plano de Trabalho com Projetos - Professor PREFEITURA DE JARAGUÁ DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL Plano de Trabalho com Projetos - Professor 1. Identificação Escola Municipal de Ensino Fundamental Anna Töwe

Leia mais

Comemoração da 1ª semana de Meio Ambiente do Município de Chuvisca/RS

Comemoração da 1ª semana de Meio Ambiente do Município de Chuvisca/RS Comemoração da 1ª semana de Meio Ambiente do Município de Chuvisca/RS Sustentabilidade: Reflexões sobre a temática ambiental P R E F E I T O M U N I C I P A L E R V I N O W A C H H O L S V I C E - P R

Leia mais

Feira de troca: trocar é mais divertido do que comprar

Feira de troca: trocar é mais divertido do que comprar Feira de troca: trocar é mais divertido do que comprar Feira de troca Natal, aniversário, Dia das Crianças, já pensou em quantos presentes você ganha o ano todo? Com quantos deles você ainda gosta de brincar?

Leia mais

MANUAL. Campanha de incentivo ao consumo de Frutas, Legumes e Verduras nas Centrais de Abastecimento. [Digite texto]

MANUAL. Campanha de incentivo ao consumo de Frutas, Legumes e Verduras nas Centrais de Abastecimento. [Digite texto] MANUAL Campanha de incentivo ao consumo de Frutas, Legumes e Verduras nas Centrais de Abastecimento [Digite texto] Grupo de Trabalho Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) Ministério

Leia mais

PROJETO: PRESERVANDO A ÁGUA DA TERRA Colégio Intentus/Yara Country Clube/Itaipu Binacional

PROJETO: PRESERVANDO A ÁGUA DA TERRA Colégio Intentus/Yara Country Clube/Itaipu Binacional PROJETO: PRESERVANDO A ÁGUA DA TERRA Colégio Intentus/Yara Country Clube/Itaipu Binacional 1. Justificativa A inovação e a transformação começam pelo processo educacional, que vai além do aprendizado formal

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro

Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro A Campanha Nacional pela Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma colheita para o futuro, é uma ação estratégica do Movimento Sindical de Trabalhadores

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

Projeto Curricular de Escola

Projeto Curricular de Escola Projeto Curricular de Escola QUADRIÉNIO 2014-2018 Somos aquilo que comemos. Hipócrates Cooperativa de Ensino A Colmeia 2 Índice Introdução... 4 Identificação do Problema... 5 Objetivos... 6 Estratégias/Atividades...

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL - CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA DO CONHECIMENTO JOSILENE RUBIA MURARA - CRN2 6832 LUIZE AMANDA SALVADOR CRN2 6112

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL - CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA DO CONHECIMENTO JOSILENE RUBIA MURARA - CRN2 6832 LUIZE AMANDA SALVADOR CRN2 6112 EDUCAÇÃO NUTRICIONAL - CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA DO CONHECIMENTO JOSILENE RUBIA MURARA - CRN2 6832 LUIZE AMANDA SALVADOR CRN2 6112 INTRODUÇÃO Modificações na população brasileira vêm sendo objetivamente

Leia mais

Projeto Água Nossa de Cada Dia

Projeto Água Nossa de Cada Dia Projeto Água Nossa de Cada Dia http://pixabay.com/pt/gota-%c3%a1gua-macro-628142/ Público alvo: O projeto é destinado a todos os alunos da escola, devendo ser estendido também aos pais e comunidade escolar.

Leia mais

PROJETO RECICLAGEM. 1. Tema: Reciclar é bom, Reutilizar é melhor e Reduzir é melhor ainda. Área de abrangência: 2. Duração: 01 /03 a 31/03

PROJETO RECICLAGEM. 1. Tema: Reciclar é bom, Reutilizar é melhor e Reduzir é melhor ainda. Área de abrangência: 2. Duração: 01 /03 a 31/03 PROJETO RECICLAGEM 1. Tema: Reciclar é bom, Reutilizar é melhor e Reduzir é melhor ainda. Área de abrangência: (x) Movimento (x) Musicalização (x) Artes Visuais (x) Linguagem Oral e Escrita (x) Natureza

Leia mais

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER Nilton Cezar Ferreira 1 Por mais de dois séculos já se faz reformas curriculares no Brasil, no entanto nenhuma dessas reformas conseguiu mudar de forma

Leia mais

A Educação Ambiental no Ensino Fundamental de escolas municipais de Pesqueira-PE

A Educação Ambiental no Ensino Fundamental de escolas municipais de Pesqueira-PE A Educação Ambiental no Ensino Fundamental de escolas municipais de Pesqueira-PE Autor(a): Josineide Braz de Miranda Coautor(es): Anderson Carlos Maia da Silva, Josefa Sandra de Almeida Silva, kelren Jane

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Educação Nutricional. Por quê?

Educação Nutricional. Por quê? Educação Nutricional Por quê? CRIANÇAS COM DOENÇAS DE ADULTOS CAUSAS: * Estilo de Vida = Sedentarismo * Má Alimentação * Hereditariedade CONSEQÜÊNCIAS: * Hipertensão * Diabetes - tipo 2 * Colesterol e

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013

FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 FACCAMP - FACULDADE DE CAMPO LIMPO PAULISTA CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA Campo Limpo Paulista - Maio 2013 DISCIPLINA - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Integrantes: Adriano de Oliveira RA: 14759 Karina

Leia mais

ENCONTRO TEMÁTICO 2009 A criança e o meio ambiente: cuidados para um futuro sustentável. Educação Infantil

ENCONTRO TEMÁTICO 2009 A criança e o meio ambiente: cuidados para um futuro sustentável. Educação Infantil ENCONTRO TEMÁTICO 2009 A criança e o meio ambiente: cuidados para um futuro sustentável Educação Infantil Objetivos Gerais : 1. Instigar a sensibilização para os problemas relacionados à saúde do planeta,

Leia mais

PROJETO ANUAL. Tema Central: Mãe Terra, o que deixaremos para os nossos filhos?

PROJETO ANUAL. Tema Central: Mãe Terra, o que deixaremos para os nossos filhos? PROJETO ANUAL Tema Central: Mãe Terra, o que deixaremos para os nossos filhos? I TRIMESTRE Turmas: Maternal ao 5º ano Enfatizando: Maternal e jardim I: O Circo {A magia do riso] Levar os alunos a compreender

Leia mais

Oficina 23 - HORTA NA ESCOLA

Oficina 23 - HORTA NA ESCOLA Oficina 23 - HORTA NA ESCOLA Introdução Inúmeras atividades educativas podem ser desenvolvidas, nos anos iniciais do Ensino Fundamental, abordando como tema a Horta, pois este assunto possibilita o desenvolvimento

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

Reciclagem. Projetos temáticos

Reciclagem. Projetos temáticos Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Educação infantil Publicado em 2011 Projetos temáticos Educação Infantil Data: / / Nível: Escola: Nome: Reciclagem Justificativa Este projeto tem como foco

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DRE 3 COLÉGIO ESTADUAL DJENAL TAVARES DE QUEIROZ MOITA BONITA SE O Colégio Estadual Djenal Tavares de Queiroz, foi fundado

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema.

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema. Aquecimento Global e Danos no Manguezal Pernambucano SANDRA MARIA DE LIMA ALVES 1 - sandrali@bol.com.br RESUMO Este artigo procura enriquecer a discussão sobre o fenômeno do aumento da temperatura na terra

Leia mais

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR ANNA PAULA SILVA (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS), ELIANE FERREIRA PINTO (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS). Resumo A reciclagem tem como principal foco a conscientização

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A.

Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A. São Paulo, 14 de maio 2013 À Primo Schincariol Indústria de Cerveja e Refrigerantes S.A. A/C Sr. Luiz Cláudio Taya de Araújo Diretor de Marketing Av. Primo Schincariol, 2300 Itu São Paulo 13312-900 Ref.:

Leia mais