Referenciação à Consulta de Reumatologia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Referenciação à Consulta de Reumatologia"

Transcrição

1 Referenciação à Consulta de Reumatologia O Serviço de Reumatologia do HSM é responsável pela assistência em ambulatório de doentes com patologia da sua especialidade. Contudo dada a enorme prevalência de algumas doenças reumáticas, esta circunstância não permite que todos os casos sejam objecto de acompanhamento numa consulta especializada, devendo ser seleccionados para avaliação e/ou seguimento em Consulta de Reumatologia apenas aqueles doentes que ai beneficiem, em termos de diagnóstico e/ou tratamento, de atitudes ou cuidados que o seu médico assistente não lhes consiga proporcionar, devendo os restantes casos ser assistidos no âmbito dos cuidados de saúde primários. Deste modo, o acesso à Consulta de Reumatologia do HSM, além de ser condicionado pela área de origem dos doentes, é limitado aos casos que apresentem critérios clínicos que o justifiquem, pelo que só serão aceites na nossa consulta doentes quê sejam portadores de uma informação do seu Médico assistente, através do preenchimento do formulário anexo: Referenciação à Consulta de Reumatologia e dos exames complementares de diagnóstico (radiológicos, laboratoriais, outros) que aquele clínico considerar adequados. Assim sendo, para poder ser efectuada a marcação da consulta de 1ª vez de Reumatologia, é necessário enviar o formulário preenchido pelo médico assistente, para a morada abaixo indicada, ou para o fax ,o mesmo também poderá ser entregue na Recepção Central do HSM.

2 Referenciação à Consulta de Reumatologia Entidade da referenciação Centro de Saúde: Data: / / Médico: Telefone: Identificação do doente Nome: Nº utente: idade: sexo: Profissão: Residência: Motivo da referenciação: Se a causa for por referenciação por doença reumática já diagnosticada, ir directamente para a secção II

3 Secção I Sintoma ou sinal atribuível a doença reumática não esclarecida 1. Dor músculo- esquelética de etiologia não esclarecida Localização: Duração: Ritmo: Inflamatório Mecânico Rigidez matinal duração: 2. Sinais inflamatórios articulares locais: Localização: Duração: 3. Limitação funcional: Localização: 4. Manifestações extra - articulares que sugerem doença reumática: 5. Laboratório: VS: PCR: 6. Exames radiológicos: 7. Outros exames complementares: 8. Descrição breve do caso 9. Terapêuticas efectuadas e actual Tópico ajuda: Instruções para preenchimento do formulário: A parte inicial de Identificação deve ser preenchida. No preenchimento do formulário de referenciação o médico deve optar pela Secção I ou pela Secção II. A Secção I deverá ser preenchida no caso de sintoma ou sinal atribuível a doença reumática não esclarecida; e a opção será a Secção II se se tratar de patologia reumática já diagnosticada previamente e conhecida. Se optar pela Secção I, deve escolher dos itens 1 a 4 os que se adequam à situação e posteriormente preencher os itens de 5 a 9 (o 7 é opcional). O preenchimento fica concluído no item 9. Se optar pela Secção II, deve escolher e apenas preencher o Grupo A (Patologia reumática com indicação para seguimento por Reumatologista) ou o Grupo B (Patologia reumática que habitualmente pode ser seguida pelo médico assistente Clínico Geral (indicações restritas para referenciação). No Grupo A selecciona a patologia em 1 e deverá preencher os itens de 2 a 6. O preenchimento fica concluído. Se optar pela Secção II Grupo B selecciona a patologia e a situação específica em 1 e depois deverá preencher os itens de 2 a 6, o preenchimento fica concluído.

4 Secção I I - Patologia Reumática já diagnosticada previamente ( Grupo A ou Grupo B) Grupo A Patologia reumática com indicação para seguimento por Reumatologista 1 - Assinalar a patologia previamente diagnosticada: Artrite Psoriática Artrite Reumatóide Artropatias das doenças inflamatórias do intestino Doença óssea de Paget Espondilite Anquilosante Lupus eritematoso sistémico Osteomalácia Osteonecrose Sindrome dos anticorpos antifosfolípidos Sindrome de Reiter ou outra artrite reactiva Vasculite indique qual Outra doença difusa do tecido conjuntivo qual: 2 - Data do diagnóstico: 3 - Descrição breve do caso clínico: 4 - Terapêuticas efectuadas e actuais: 5 - Laboratório VS: PCR: 6 - Exames radiológicos:

5 Grupo B Patologia reumática que habitualmente pode ser seguida pelo médico assistente Clínico Geral (indicações restritas para referenciação): 1 - Assinalar a patologia previamente diagnosticada: a) Gota úrica: Necessidade de técnica reumatológica Intolerância medicamentosa b) Doença deposição pirofosfato cálcio (condrocalcinose): Necessidade de técnica reumatológica c) Raquialgia. Localização Suspeita de etiologia secundária Manifestações neurológicas associadas d) Osteoartrose: Dúvidas no diagnóstico ou na etiologia Sinovite persistente ou recorrente Evolução rápida e) Osteoporose: Secundária Fracturaria f) Fibromialgia:

6 g) Reumatismos das partes moles ou periarticular. Localização: Necessidade de técnica reumatológica Refractário à terapêutica adequada Suspeita de doença reumática subjacente h) Síndrome do canal cárpico ou outra neuropatia de compressão. Qual: Necessidade de técnica terapêutica reumatológica Suspeita de doença reumática subjacente 2 - Data do diagnóstico / início das queixas: 3 - Descrição do caso clínico: 4 - Exames laboratoriais: 5 - Exames radiológicos: 6 - Terapêuticas efectuadas e actuais:

Doença inflamatória da coluna vertebral podendo ou não causar artrite em articulações periféricas e inflamação em outros órgãos como o olho.

Doença inflamatória da coluna vertebral podendo ou não causar artrite em articulações periféricas e inflamação em outros órgãos como o olho. O termo reumatismo, embora consagrado, não é um termo adequado para denominar um grande número de diferentes doenças que tem em comum o comprometimento do sistema músculo-esquelético, ou seja, ossos, cartilagem,

Leia mais

DESCRIÇÃO DETALHADA DAS VARIÁVEIS

DESCRIÇÃO DETALHADA DAS VARIÁVEIS EpiReumaPt Estudo Epidemiológico das Doenças Reumáticas em Portugal DESCRIÇÃO DETALHADA DAS VARIÁVEIS DADOS GERAIS 1ª fase questionário CESOP (auto-reporte) Sócio-demográficos Data de nascimento / Idade

Leia mais

Envelhecimento e Doenças Reumáticas

Envelhecimento e Doenças Reumáticas Envelhecimento e Doenças Reumáticas Armando Malcata CHUC XVII Forum de Apoio ao Doente Reumático Envelhecimento e Doenças Reumáticas Variações demográficas e sociais. Impacto crescente; multidimensional.

Leia mais

Sessão Televoter Reumatologia

Sessão Televoter Reumatologia 2015 2 de maio Sábado Sessão Televoter Reumatologia Avaliação e investigação do doente com dor osteo-articular Manuela Costa Jaime Branco ARTRITE ARTRALGIA 1. Ritmo mecânico ou inflamatório 2. Agudo (dias)

Leia mais

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Reumatologia

CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Reumatologia CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Fisioterapia em Reumatologia Código: Fisio 221 Pré-Requisito: ------- Período Letivo:

Leia mais

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros Semiologia do aparelho osteoarticular Professor Ivan da Costa Barros IMPORTÂNCIA CLÍNICA 10% das consultas médicas Mais de 100 doenças Complicações não articulares Geralmente auto limitado 1 em 5 americanos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DO APARELHO LOCOMOTOR DISCIPLINA OPTATIVA REUMATOLOGIA PROGRAMA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DO APARELHO LOCOMOTOR DISCIPLINA OPTATIVA REUMATOLOGIA PROGRAMA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DO APARELHO LOCOMOTOR DISCIPLINA OPTATIVA REUMATOLOGIA PROGRAMA 1º e 2º SEMESTRE CARGA HORÁRIA: 60 (SESSENTA) HORAS CRÉDITO: 04 (QUATRO)

Leia mais

Portaria n.º 320/92 (II Série), de 21 de Outubro

Portaria n.º 320/92 (II Série), de 21 de Outubro Portaria n.º 320/92 (II Série), de 21 de Outubro As crescentes exigências e responsabilidades postas no exercício das actividades médicas e cirúrgicas especializadas, agora potenciadas pela livre circulação

Leia mais

PROGRAMA DE CURSO. GERAL: Compreender o mecanismo das doenças reumáticas, desenvolver a avaliação ESPECÍFICOS: Introdução à Reumatologia

PROGRAMA DE CURSO. GERAL: Compreender o mecanismo das doenças reumáticas, desenvolver a avaliação ESPECÍFICOS: Introdução à Reumatologia Curso: Fisioterapia Professor: Hosana Meireles Disciplina: Reumatologia Carga Horária: 72h. Ano: 2009 Semestre: 6º PROGRAMA DE CURSO EMENTA: Semiologia, propedêutica, terapêutica fisioterápica das doenças

Leia mais

LINHA DE CUIDADO MÚSCULO ESQUELÉTICA

LINHA DE CUIDADO MÚSCULO ESQUELÉTICA LINHA DE CUIDADO MÚSCULO ESQUELÉTICA Nome da atividade: Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Reumatologia Tipo de atividade: Disciplina de graduação Responsáveis: Profa Jane D arc Brito Lessa Profa

Leia mais

II Fórum Deliberativo de Políticas Públicas de Saúde aos Pacientes Reumáticos "Vida em Movimento"

II Fórum Deliberativo de Políticas Públicas de Saúde aos Pacientes Reumáticos Vida em Movimento II Fórum Deliberativo de Políticas Públicas de Saúde aos Pacientes Reumáticos "Vida em Movimento" II Fórum Deliberativo de Políticas Públicas para Doentes Reumáticos Nos dias 13 e 14 de Agosto de 2010,

Leia mais

Rua do Platão nº. 147 Zambujal São Domingos de Rana Tel Fax

Rua do Platão nº. 147 Zambujal São Domingos de Rana Tel Fax Rua do Platão nº. 147 Zambujal 2785 698 São Domingos de Rana Tel. 214 549 200 Fax. 214 549 208 E-mail: anea@anea.org.pt PONTO DE VISTA DE UMA ASSOCIAÇÃO DE DOENTES A ESPONDILITE ANQUILOSANTE, O QUE É?

Leia mais

parte 1 estratégia básica e introdução à patologia... 27

parte 1 estratégia básica e introdução à patologia... 27 Sumário parte 1 estratégia básica e introdução à patologia... 27 1 Terapêutica: estratégia geral... 29 terminologia de doenças... 29 História do caso... 34 Disposição do fármaco... 39 Seleção do fármaco...

Leia mais

Presc. Máxima 372 comprimidos 60 comprimidos,

Presc. Máxima 372 comprimidos 60 comprimidos, ESPONDILITE ANCILOSANTE Portaria SAS-SCTIE/MS n 7 17/07/2017 Medicamento SULFASSALAZINA METOTREXATO NAPROXENO CID 10 M45, M46.8 Apresentação 500mg (comprimido) 2,5mg (comprimido)e 25mg/mL 500mg (comprimido)

Leia mais

Acesso às Consultas Externas do Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria do Centro Hospitalar Lisboa Norte

Acesso às Consultas Externas do Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria do Centro Hospitalar Lisboa Norte Acesso às Consultas Externas do Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria do Centro Hospitalar Lisboa Norte O Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria (SE do HSM) do Centro Hospitalar

Leia mais

Sistema de classificação de doentes em MFRA FAQs

Sistema de classificação de doentes em MFRA FAQs Sistema de classificação de doentes em MFRA FAQs 1. Qual é a regra básica de classificação para enviar um doente para MFR-A?... 2 2. O doente pode ser enviado por mais do que um motivo?... 2 3. Como diferenciar

Leia mais

Pergunte ao especialista. Dra. Eliane Focaccia Póvoa Mestre em Reumatologia pela UNIFESP Chefe SGBENIN GEXSP SUL

Pergunte ao especialista. Dra. Eliane Focaccia Póvoa Mestre em Reumatologia pela UNIFESP Chefe SGBENIN GEXSP SUL Pergunte ao especialista Dra. Eliane Focaccia Póvoa Mestre em Reumatologia pela UNIFESP Chefe SGBENIN GEXSP SUL Doenças Reumatológicas DOENÇAS DIFUSAS DO TECIDO CONJUNTIVO: Lupus Eritematoso Sistêmico

Leia mais

Carlos Vaz OBJECTIVOS CLÍNICOS A ATINGIR EM CADA ANO DO INTERNATO.

Carlos Vaz OBJECTIVOS CLÍNICOS A ATINGIR EM CADA ANO DO INTERNATO. Carlos Vaz OBJECTIVOS CLÍNICOS A ATINGIR EM CADA ANO DO INTERNATO. Publicado em Diário da República, 1ª série Nº153 8 de agosto de 2012: Portaria n.º 237/2012 A formação específica no internato médico

Leia mais

CURSOS PRÉ-CONGRESSO

CURSOS PRÉ-CONGRESSO CURSOS PRÉ-CONGRESSO XVII CONGRESSO PORTUGUÊS DE REUMATOLOGIA Cursos Pré-Congresso ACTA REUMATOL PORT. 2014:39:17-21 (SUP) REssonÂncia MagnÉtica nuclear nas EspondiLaRtRitEs parte i: a utilização da RMn

Leia mais

ANEXO I. Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam

ANEXO I. Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam ANEXO I Perguntas e Respostas sobre a revisão benefício-risco do piroxicam A Agência Europeia de Medicamentos (EMEA) completou recentemente a avaliação da segurança do anti-inflamatório não esteróide (AINE)

Leia mais

Complementação de Reumatologia

Complementação de Reumatologia - GESEP I-Poliartrites com Repercussões Sistêmicas Complementação de Reumatologia A. R. S. de Sjögren E. S. P. (Esclerodermia) L. E. S. D. M. T. C. (Doença Mista do Tec. Conjuntivo) Vasculites Polidérmatomiosite

Leia mais

EDITAL DA PROVA DE SUFICIÊNCIA PARA OBTENÇÃO DE TÍTULO DE ESPECIALISTA EM REUMATOLOGIA DE 2012

EDITAL DA PROVA DE SUFICIÊNCIA PARA OBTENÇÃO DE TÍTULO DE ESPECIALISTA EM REUMATOLOGIA DE 2012 EDITAL DA PROVA DE SUFICIÊNCIA PARA OBTENÇÃO DE TÍTULO DE ESPECIALISTA EM REUMATOLOGIA DE 2012 O Presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia, no uso de suas atribuições, e de acordo com o Regimento

Leia mais

28 de Novembro de 2015

28 de Novembro de 2015 Projeto Cofinanciado pelo Programa de Financiamento a Projetos pelo INR, I.P. CONHECER mais, TRATAR melhor -Estudo descritivo de doentes com EA da ANEA no âmbito do PROJECTO INR 660/2015-28 de Novembro

Leia mais

Centro de Infusão do H9J. Nilton Salles Rosa Neto

Centro de Infusão do H9J. Nilton Salles Rosa Neto Centro de Infusão do H9J Nilton Salles Rosa Neto Introdução O tratamento de doenças reumáticas sofreu mudança notável nos últimos 15 anos: maior compreensão de mecanismos e causas; permitiu tratar a causa

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série - Semiologia Geral ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série - Generalidades sobre diagnóstico e avaliação AVALIAÇÃO DIAGNOSTICA EM II - Avaliação da coluna (postura) -

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina É uma região anatômica que estabelece a contigüidade entre ossos ou cartilagens, permitindo que o movimento seja direcionado neste sentido. Cápsula sinovial

Leia mais

Informação de segurança importante para o médico sobre o tratamento de Síndromes Periódicos associados à Criopirina (CAPS) com Ilaris

Informação de segurança importante para o médico sobre o tratamento de Síndromes Periódicos associados à Criopirina (CAPS) com Ilaris Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de segurança. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas

Leia mais

Cópia dos exames: VHS, PCR, hemograma, plaquetas, ALT, AST e creatinina. Cópia do exame de imagem das áreas afetadas pela doença.

Cópia dos exames: VHS, PCR, hemograma, plaquetas, ALT, AST e creatinina. Cópia do exame de imagem das áreas afetadas pela doença. ARTRITE REUMATOIDE Portaria SAS/MS n 710 27/06/2013 Medicamento NAPROXENO SULFASSALAZINA CID 10 M05.0, M05.3, M05.8, M06.0, M06.8, M08.0 Apresentação 500mg (comprimido) 500mg (comprimido) Presc. Máxima

Leia mais

Profº André Montillo

Profº André Montillo Profº André Montillo www.montillo.com.br Definição: É a causa mais comum de dor musculoesquelética generalizada. É a enfermidade reumática mais frequente Os primeiros relatos datam de 1850, onde os pacientes

Leia mais

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017 ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº. 17 DE 24 DE AGOSTO DE 2017 ÁREA DE CONHECIMENTO: CIRURGIA GERAL 4. Cuidados Pré, trans e pós operatório. 5. Resposta endócrina e metabólica ao trauma. 6. Infecção

Leia mais

Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues

Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues Avaliação do paciente com queixa osteoarticular. Objetivos. Diagnóstico preciso. Terapêutica adequada e sem demora. Não realização de exames desnecessários. Abordagem.

Leia mais

REUMATOLOGIA PRÁTICA JOSÉ ANTÓNIO PEREIRA DA SILVA. MD. PhD. Professor de Reumatologia e Medicina Interna Faculdade de Medicina de Coimbra Portugal

REUMATOLOGIA PRÁTICA JOSÉ ANTÓNIO PEREIRA DA SILVA. MD. PhD. Professor de Reumatologia e Medicina Interna Faculdade de Medicina de Coimbra Portugal cap_entrada.qxd 9/18/05 1:59 AM Page 1 REUMATOLOGIA PRÁTICA JOSÉ ANTÓNIO PEREIRA DA SILVA MD. PhD. Professor de Reumatologia e Medicina Interna Faculdade de Medicina de Coimbra Portugal cap_entrada.qxd

Leia mais

Normas de cuidados para as pessoas com artrite reumatóide

Normas de cuidados para as pessoas com artrite reumatóide Normas de cuidados para as pessoas com artrite reumatóide Tradução para: Feita por: E mail: NdC 1 As pessoas com sintomas de AR devem ter acesso atempado a um médico / profissional de saúde competente

Leia mais

XIV CONGRESSO PORTUGUÊS DE REUMATOLOGIA

XIV CONGRESSO PORTUGUÊS DE REUMATOLOGIA Mensagem do Presidente 11 Programa Científico 39 Programa Nacional Contra as Doenças Reumáticas 53 Declaração Escrita sobre as Doenças Reumáticas Contributo de uma Proposta 55 no Parlamento Europeu Encontros

Leia mais

Inquérito epidemiológico *

Inquérito epidemiológico * Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 5 - OMS Inquérito epidemiológico * A preencher pelo Delegado de Saúde designado pelo Delegado de Saúde Regional da área do Hospital de Referência

Leia mais

Fisioterapia Aplicada à Reumatologia e Imunologia - RCG-3011

Fisioterapia Aplicada à Reumatologia e Imunologia - RCG-3011 Fisioterapia Aplicada à Reumatologia e Imunologia - RCG-3011 Profa. Dra. Daniela Cristina Carvalho de Abreu DIA HORÁRIO SUB TURMA 22/03 14:00 às 28/03 16:15 às 29/03 14:00 às 04/04 8h ás 12h ou 13h às

Leia mais

Jornadas Internacionais do Instituto Português de Reumatologia. Novembro 2014 NOVO LOCAL. Programa Provisório CENTRO REUNIÕES DA FIL PARQUE DAS NAÇÕES

Jornadas Internacionais do Instituto Português de Reumatologia. Novembro 2014 NOVO LOCAL. Programa Provisório CENTRO REUNIÕES DA FIL PARQUE DAS NAÇÕES Jornadas Internacionais do Instituto Português de Reumatologia 27 28 Novembro 2014 NOVO LOCAL CENTRO REUNIÕES DA FIL PARQUE DAS NAÇÕES Programa Provisório Presidente das Jornadas Helena Santos Jornadas

Leia mais

Tuberculose Latente nos doentes a realizar Terapêutica Imunossupressora

Tuberculose Latente nos doentes a realizar Terapêutica Imunossupressora Hospital Curry Cabral, EPE Centro de Diagnóstico Pneumológico Grande Lisboa Tuberculose Latente nos doentes a realizar Terapêutica Imunossupressora Maria Conceição Gomes Mónica Grafino Isabel Louro Natacha

Leia mais

Qualidade de vida de pacientes idosos com artrite reumatóide: revisão de literatura

Qualidade de vida de pacientes idosos com artrite reumatóide: revisão de literatura Qualidade de vida de pacientes idosos com artrite reumatóide: revisão de literatura André Ricardo Bezerra Bonzi (1); Renata Soares Ferreira (2) Edécio Bona Neto (3); Daniel Sarmento Bezerra (4); Tânia

Leia mais

SandraPais XVII FÓRUM DE APOIO AO DOENTE REUMÁTICO 10 E 11 OUTUBRO DE 2014

SandraPais XVII FÓRUM DE APOIO AO DOENTE REUMÁTICO 10 E 11 OUTUBRO DE 2014 SandraPais XVII FÓRUM DE APOIO AO DOENTE REUMÁTICO 10 E 11 OUTUBRO DE 2014 Uma degeneração focal das cartilagens articulares, com espessamento ósseo subcondral e proliferações osteocondrais marginais Dá

Leia mais

LOMBALGIA AGUDA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA? TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA? RAIOS-X? OUTROS? NENHUM?

LOMBALGIA AGUDA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA? TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA? RAIOS-X? OUTROS? NENHUM? LOMBALGIA AGUDA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA? TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA? RAIOS-X? OUTROS? NENHUM? QUESTÕES CLÍNICAS Para quais pacientes com lombalgia aguda está indicada a avaliação com uso de exame por imagem?

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa 2010/2011. Módulo V.I Medicina Laboratorial

Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa 2010/2011. Módulo V.I Medicina Laboratorial 2010/2011 Módulo V.I Medicina Laboratorial Tema da Aula: Patologia Ósteo-articular e Doenças auto-imunes Docente: Dr.ª Teresa Amaral Data: 22/11/2010 Número da Aula Previsto: 7 Desgravador: Ana Rita Filipe

Leia mais

Data: 20/08/2014. Resposta Técnica 01/2014. Medicamento Material Procedimento X Cobertura

Data: 20/08/2014. Resposta Técnica 01/2014. Medicamento Material Procedimento X Cobertura Resposta Técnica 01/2014 Solicitante: Dr. Renato Dresch Juiz de direito Nº Processo: 9010665.22.2014.813.0024 Ré: Unimed de Belo Horizonte Data: 20/08/2014 Medicamento Material Procedimento X Cobertura

Leia mais

Exame Físico Ortopédico

Exame Físico Ortopédico TAKE HOME MESSAGES! Exame Físico Ortopédico ANAMNESE REALIZAR UMA HISTÓRIA CLÍNICA DETALHADA, LEMBRANDO QUE DETALHES DA IDENTIFICAÇÃO COMO SEXO, IDADE E PROFISSÃO SÃO FUNDAMENTAIS, POIS MUITAS DOENÇAS

Leia mais

Inquérito epidemiológico *

Inquérito epidemiológico * ETAPA de MITIGAÇÃO Diagnóstico, vigilância e tratamento Inquérito epidemiológico * A preencher pelo Delegado de Saúde da área do hospital ou pelo Delegado de Saúde de residência do doente em colaboração

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL CONTRA A FIBROMIALGIA E SÍNDROME DEFADIGACRÓNICA (MYOS) APIFARMA / ASSOCIAÇÕES DE DOENTES NOTAS DE UMA PARCERIA

ASSOCIAÇÃO NACIONAL CONTRA A FIBROMIALGIA E SÍNDROME DEFADIGACRÓNICA (MYOS) APIFARMA / ASSOCIAÇÕES DE DOENTES NOTAS DE UMA PARCERIA ASSOCIAÇÃO NACIONAL CONTRA A FIBROMIALGIA E SÍNDROME DEFADIGACRÓNICA (MYOS) APIFARMA / ASSOCIAÇÕES DE DOENTES V 4 APIFARMA / ASSOCIAÇÕES DE DOENTES b) Âmbito da Associação A Myos Associação Nacional

Leia mais

NEWSLETTER_RIDAI 02_2016

NEWSLETTER_RIDAI 02_2016 Caros colegas, Esta é a segunda newsletter do RIDAI e a segunda publicada no ano de 2016, cumprindo o objectivo de comunicar com regularidade a nossa experiência e os nossos resultados, cientes da importância

Leia mais

Artrite Idiopática Juvenil

Artrite Idiopática Juvenil www.printo.it/pediatric-rheumatology/br/intro Artrite Idiopática Juvenil Versão de 2016 2. DIFERENTES TIPOS DE AIJ 2.1 Existem tipos diferentes da doença? Existem várias formas de AIJ. Distinguem-se principalmente

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM REUMATOLOGIA

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM REUMATOLOGIA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM REUMATOLOGIA BELO HORIZONTE, 18 DE ABRIL DE 2012. 1 REGISTRO DO PROJETO PROPONENTE: INSTITUTO DE PESQUISA E ENSINO MÉDICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS.

Leia mais

RidaiOnline REGISTO INFORMÁTICO DE DOENÇAS AUTOIMUNES

RidaiOnline REGISTO INFORMÁTICO DE DOENÇAS AUTOIMUNES RidaiOnline REGISTO INFORMÁTICO DE DOENÇAS AUTOIMUNES NEWSLETTER RIDAI _ NEWSLETTER_RIDAI _ Caros colegas, Esta é a primeira newsletter do RIDAI e que será publicada com regularidade. Todos estamos certos

Leia mais

A. Ossos B. Articulações. 2 Letícia C. L. Moura

A. Ossos B. Articulações. 2 Letícia C. L. Moura Ossos e Articulações Profa. Letícia Coutinho Lopes Moura Tópicos da aula A. Ossos B. Articulações 2 B. Articulações Artrites 3 Osteoartrite Doença articular degenerativa mais comum Degeneração cartilagem

Leia mais

Jornadas Internacionais do Instituto Português de Reumatologia Novembro 2014 NOVO LOCAL. Programa CENTRO REUNIÕES DA FIL PARQUE DAS NAÇÕES

Jornadas Internacionais do Instituto Português de Reumatologia Novembro 2014 NOVO LOCAL. Programa CENTRO REUNIÕES DA FIL PARQUE DAS NAÇÕES Jornadas Internacionais do Instituto Português de Reumatologia 27 28 Novembro 2014 NOVO LOCAL CENTRO REUNIÕES DA FIL PARQUE DAS NAÇÕES Programa Presidente das Jornadas Helena Santos Jornadas Internacionais

Leia mais

XXIV Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalazen.

XXIV Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalazen. XXIV Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalazen www.digimaxdiagnostico.com.br CASO CLÍNICO Paciente C.R.S., 58 anos, procurou atendimento médico por dor e suspeita de artrose nos joelhos. CASO CLÍNICO

Leia mais

Como Fazer um CV? Patrícia Nero Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, Hospital de Egas Moniz EPE

Como Fazer um CV? Patrícia Nero Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, Hospital de Egas Moniz EPE Como Fazer um CV? Patrícia Nero Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, Hospital de Egas Moniz EPE 10 de Abril de 2015 Curriculum vitae: Documento de tipo histórico que relata a trajetória e a experiência

Leia mais

Caso Clínico 5. Inês Burmester Interna 1º ano Medicina Interna Hospital de Braga

Caso Clínico 5. Inês Burmester Interna 1º ano Medicina Interna Hospital de Braga Caso Clínico 5 Inês Burmester Interna 1º ano Medicina Interna Hospital de Braga Apresentação do caso J.M.G.M.F. Homem, 40 anos de idade, psicólogo, casado e com 4 filhos Antecedente de enxaquecas Ex-fumador

Leia mais

Vasculite sistémica primária juvenil rara

Vasculite sistémica primária juvenil rara www.printo.it/pediatric-rheumatology/br/intro Vasculite sistémica primária juvenil rara Versão de 2016 2. DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO 2.1 Quais são os tipos de vasculite? Como é a vasculite classificada?

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE 1.º CHEQUE-DENTISTA

UTILIZAÇÃO DE 1.º CHEQUE-DENTISTA GUIA DO UTILIZADOR DO SISO UTILIZAÇÃO DE 1.º CHEQUE-DENTISTA Data: 30-06-2008 Versão: 1.0 Sumário: Guia do utilizador do SISO para Estomatologistas e Médicos Dentistas, relativo à utilização do 1.º Cheque-Dentista,

Leia mais

Osteoporose secundária. Raquel G. Martins Serviço de Endocrinologia, IPO de Coimbra

Osteoporose secundária. Raquel G. Martins Serviço de Endocrinologia, IPO de Coimbra Osteoporose secundária Raquel G. Martins Serviço de Endocrinologia, IPO de Coimbra Definição Osteoporose causada por um distúrbio subjacente (doenças, fármacos ) Epidemiologia Provavelmente subdiagnosticada.

Leia mais

Comissão Coordenadora do Registo Nacional de Doentes Reumáticos da Sociedade Portuguesa de Reumatologia:

Comissão Coordenadora do Registo Nacional de Doentes Reumáticos da Sociedade Portuguesa de Reumatologia: RELATÓRIO DE EXECUÇÃO HELENA CANHÃO (COORDENADORA CIENTÍFICA) AUGUSTO FAUSTINO (COORDENADOR NACIONAL) JOÃO EURICO FONSECA (COORDENADOR DIRECTIVO) Comissão Coordenadora do Registo Nacional de Doentes Reumáticos

Leia mais

Ficha técnica da Convenção Instruções de preenchimento

Ficha técnica da Convenção Instruções de preenchimento Índice: Enquadramento... 1 Instruções... 1 Folha I. Entidade... 2 Folha II. Estabelecimentos... 2 Folha III. Pessoal... 4 Folha III. a) Horário de presença física... 5 Folha IV. Capacidade de atendimento...

Leia mais

Síndrome periódica associada ao recetor do fator de necrose tumoral (TRAPS) ou febre familiar hiberniana

Síndrome periódica associada ao recetor do fator de necrose tumoral (TRAPS) ou febre familiar hiberniana www.printo.it/pediatric-rheumatology/pt/intro Síndrome periódica associada ao recetor do fator de necrose tumoral (TRAPS) ou febre familiar hiberniana Versão de 2016 1. O QUE É A TRAPS 1.1 O que é? A TRAPS

Leia mais

07/12/2015. Letícia Coutinho Lopes 1. Ossos e Articulações

07/12/2015. Letícia Coutinho Lopes 1. Ossos e Articulações Ossos e Articulações Profa. Letícia Coutinho Lopes Moura Tópicos da Aula A. Ossos B. Articulações 2 A. Ossos Modelagem, Remodelagem Óssea Microscopia da Modelagem Óssea Anormalidades de Desenvolvimento

Leia mais

ALUNAS: MARIA VITÓRIA SILVA GOMES JULIANA FERREIRA WHIRILENE CASSIANO GINOELY SHIRLEY G. GÁRCIA

ALUNAS: MARIA VITÓRIA SILVA GOMES JULIANA FERREIRA WHIRILENE CASSIANO GINOELY SHIRLEY G. GÁRCIA ALUNAS: MARIA VITÓRIA SILVA GOMES JULIANA FERREIRA WHIRILENE CASSIANO GINOELY SHIRLEY G. GÁRCIA O sistema musculoesquelético é composto pelos ossos, músculos e articulações. Tecido ósseo Os ossos compõem

Leia mais

Estágio em Farmácia Hospitalar e Farmácia Comunitária FORMULÁRIO DE ACTIVIDADES. Nome:

Estágio em Farmácia Hospitalar e Farmácia Comunitária FORMULÁRIO DE ACTIVIDADES. Nome: Nome: RELATIVAMENTE AOS SEGUINTES TÓPICOS, ASSINALE QUAL O SEU GRAU DE PARTICIPAÇÃO (podendo assinalar mais do que um, quando aplicável). FARMÁCIA HOSPITALAR Gestão e Organização dos Serviços Farmacêuticos

Leia mais

REUMATOLOGIA REDE NACIONAL DE ESPECIALIDADE HOSPITALAR E DE REFERENCIAÇÃO DE. Setembro de 2015

REUMATOLOGIA REDE NACIONAL DE ESPECIALIDADE HOSPITALAR E DE REFERENCIAÇÃO DE. Setembro de 2015 REDE NACIONAL DE ESPECIALIDADE HOSPITALAR E DE REFERENCIAÇÃO DE REUMATOLOGIA Setembro de 2015 Coordenador Professor Doutor Jaime C. Branco, Especialista em Reumatologia do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental

Leia mais

Osteomielite Crónica Recorrente Multifocal (OCRM)

Osteomielite Crónica Recorrente Multifocal (OCRM) www.printo.it/pediatric-rheumatology/pt/intro Osteomielite Crónica Recorrente Multifocal (OCRM) Versão de 2016 1. O QUE É A OCRM 1.1 O que é? A Osteomielite Crónica Recorrente Multifocal (OCRM) é frequentemente

Leia mais

ARTRITE REUMATOIDE COMO PAUTA DA LIGA ACADÊMICA DE AUTOIMUNIDADE (LAAI)

ARTRITE REUMATOIDE COMO PAUTA DA LIGA ACADÊMICA DE AUTOIMUNIDADE (LAAI) 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Ficha de Inscrição - VERÃO 2015

Ficha de Inscrição - VERÃO 2015 Ficha de Inscrição - VERÃO 2015 1. Dados Pessoais do Participante Nome Completo: Data de Nascimento: / / Idade: Nº BI/C. do Cidadão/Cédula Pessoal: N.º de Beneficiário: Nº de Contribuinte: Morada: Localidade:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO: TECNOLOGIA EM DENSITOMETRIA

PLANO DE TRABALHO: TECNOLOGIA EM DENSITOMETRIA PLANO DE TRABALHO: TECNOLOGIA EM DENSITOMETRIA PROFESSOR: Sandra Monetti Dumont Sanches 1. EMENTA: A disciplina tem como objetivo apresentar aos alunos os fundamentos da densitometria óssea com enfoque

Leia mais

Ficha técnica da Convenção Instruções de preenchimento

Ficha técnica da Convenção Instruções de preenchimento Índice: Enquadramento... 1 Instruções... 1 Folha I. Entidade... 2 Folha II. Estabelecimentos... 2 Folha III. Pessoal... 4 Folha III. a) Horário de presença física... 5 Folha IV. Capacidade de atendimento...

Leia mais

Conferência Importância do diagnóstico precoce na Artrite Reumatóide; contributo do diagnóstico in vitro

Conferência Importância do diagnóstico precoce na Artrite Reumatóide; contributo do diagnóstico in vitro Strategy & Corporate Finance Advisory Importância do diagnóstico precoce na Artrite Reumatóide; contributo do diagnóstico in vitro Estritamente privado e confidencial Agenda Âmbito do trabalho 3 Situação

Leia mais

Perfil FAN e AUTO-ANTICORPOS. Qualidade e precisão para diagnóstico e acompanhamento clínico.

Perfil FAN e AUTO-ANTICORPOS. Qualidade e precisão para diagnóstico e acompanhamento clínico. Perfil FAN e AUTO-ANTICORPOS Qualidade e precisão para diagnóstico e acompanhamento clínico. Investimento em treinamento contínuo Garantia de resultados precisos e seguros. Profissionais capacitados Equipe

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Espondilite anquilosante. Espondiloartropatia soronegativa. Resposta Imunológica. Introdução

PALAVRAS-CHAVE: Espondilite anquilosante. Espondiloartropatia soronegativa. Resposta Imunológica. Introdução 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Onde vê a inserção (referencia aos documentos) forneça as seguintes informações para cada documento:

Onde vê a inserção (referencia aos documentos) forneça as seguintes informações para cada documento: Questionário traduzido Por uma questão de simplicidade, usamos o termo promoção da saúde para abranger a promoção da saúde, a educação para a saúde e os aspectos relacionados com as práticas públicas de

Leia mais

Promover a qualidade de vida dos doentes e familiares com Fibromialgia e Doenças Crónicas, através do desenvolvimento de projectos que implementem a

Promover a qualidade de vida dos doentes e familiares com Fibromialgia e Doenças Crónicas, através do desenvolvimento de projectos que implementem a Promover a qualidade de vida dos doentes e familiares com Fibromialgia e Doenças Crónicas, através do desenvolvimento de projectos que implementem a criação de práticas, para a formação e desenvolvimento

Leia mais

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Dores na mandíbula e na face.

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Dores na mandíbula e na face. ODONTOLOGIA PREVENTIVA Saúde Bucal Dores na mandíbula e na face. O que é ATM? ATM significa articulação temporomandibular, que é a articulação entre a mandíbula e o crânio. Portanto, temos duas ATM, cada

Leia mais

Espondiloartropatias juvenis/artrite relacionada com entesite (EAJ-ARE)

Espondiloartropatias juvenis/artrite relacionada com entesite (EAJ-ARE) www.printo.it/pediatric-rheumatology/br/intro Espondiloartropatias juvenis/artrite relacionada com entesite (EAJ-ARE) Versão de 2016 2. DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO 2.1 Como é diagnosticada? Os médicos diagnosticam

Leia mais

Dor abdominal e flatulência

Dor abdominal e flatulência Dor abdominal e flatulência PATRÍCIA SANTOS, CILÉNIA BALDAIA 2º CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM GASTRENTEROLOGIA SERVIÇO DE GASTRENTEROLOGIA E HEPATOLOGIA DO HOSPITAL DE SANTA MARIA Dor abdominal e flatulência

Leia mais

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DO ATENDIMENTO DE PACIENTES COM DISFUNÇÕES TEMPOROMANDIBULARES E DORES OROFACIAIS PELA REDE PÚBLICA DE SAÚDE

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DO ATENDIMENTO DE PACIENTES COM DISFUNÇÕES TEMPOROMANDIBULARES E DORES OROFACIAIS PELA REDE PÚBLICA DE SAÚDE Comissão de Saúde Pública SBDOF PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DO ATENDIMENTO DE PACIENTES COM DISFUNÇÕES TEMPOROMANDIBULARES E DORES OROFACIAIS PELA REDE PÚBLICA DE SAÚDE BELO HORIZONTE 2014 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

26 A 29 DE ABRIL DE 2006

26 A 29 DE ABRIL DE 2006 XIII CONGRESSO PORTUGUÊS DE REUMATOLOGIA 26 A 29 DE ABRIL DE 2006 P R O G R A M A D O C O N G R E S S O DIA 26 DE ABRIL DE 2006 4 A FEIRA 16.00h - 17.30h MEET THE EXPERT: Células B e Artrite Reumatóide

Leia mais

AVALIAÇÃO MÉDICO-SOCIAL E DO TIPO DE PERSONALIDADE DO DOENTE REUMATÓIDE

AVALIAÇÃO MÉDICO-SOCIAL E DO TIPO DE PERSONALIDADE DO DOENTE REUMATÓIDE AVALIAÇÃO MÉDICO-SOCIAL E DO TIPO DE PERSONALIDADE DO DOENTE REUMATÓIDE LUISA RAMOS, DOMINGOS ARAÚJO, A. PACHECO PALHA, A. LOPES VAZ AVALIAÇÃO MÉDICO-SOCIAL E DO TIPO DE PERSONALIDADE DO DOENTE REUMATÓIDE

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º de agosto de

Diário da República, 1.ª série N.º de agosto de Diário da República, 1.ª série N.º 153 8 de agosto de 2012 4183 2..................................... Artigo 25.º [...] 1..................................... a).......................................

Leia mais

www.printo.it/pediatric-rheumatology/pt/intro SIndrome de Blau Versão de 2016 1. O QUE É A DOENÇA DE BLAU/SARCOIDOSE JUVENIL 1.1 O que é? A síndrome de Blau é uma doença genética. Os doentes sofrem de

Leia mais

Defeitos osteoarticulares

Defeitos osteoarticulares Osteoartrite Descrição Osteoartrite ou doença articular degenerativa ( artrose ) caracteriza-se pela perda progressiva da cartilagem articular e alterações reacionais no osso subcondral e margens articulares,

Leia mais

Dimensão Focalização no Utente. Check-list Focalização no Utente

Dimensão Focalização no Utente. Check-list Focalização no Utente 1. Consentimento informado Check-list Focalização no Utente 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 Tem formalmente aprovada uma política de obtenção do consentimento informado e esclarecido para atos clínicos É garantido

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia Computadorizada, Ressonância Nuclear Magnética

Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia Computadorizada, Ressonância Nuclear Magnética Imagem da Semana: Radiografia, Tomografia Computadorizada, Ressonância Nuclear Magnética Figura 1: Radiografia de tórax em incidência póstero-anterior Figura 2: Tomografia computadorizada de tórax Figura

Leia mais

INSTRUÇÕES DA PROVA DISCURSIVA

INSTRUÇÕES DA PROVA DISCURSIVA RESIDÊNCIA SAÚDE 0 - UERJ NUTRIÇÃO CLÍNICA (0) - PROVA DISCURSIVA INSTRUÇÕES DA PROVA DISCURSIVA Você recebeu o seguinte material: Um CADERNO DE QUESTÕES constituído de três questões. ) Somente após o

Leia mais

ANEXO IV. DIRETRIZES DE INDICAÇÃO PARA TRATAMENTO DE LIPODISTROFIA EM PORTADORES HIV/Aids

ANEXO IV. DIRETRIZES DE INDICAÇÃO PARA TRATAMENTO DE LIPODISTROFIA EM PORTADORES HIV/Aids ANEXO IV DIRETRIZES DE INDICAÇÃO PARA TRATAMENTO DE LIPODISTROFIA EM PORTADORES HIV/Aids A Terapia Anti-retroviral é um procedimento relativamente recente, cujo conhecimento dos efeitos adversos vêem crescendo

Leia mais

CASO CASO--CL CLÍNICO

CASO CASO--CL CLÍNICO CASO-CLÍNICOCLÍNICO Thiago da Silva R4 Reumatologia HSPE-FMO Identificação LLA, 51 anos, feminino, policial, natural e procedente de São Paulo, católica. Queixa e Duração Dor no joelho esquerdo há 2 anos.

Leia mais

MANIFESTAÇÕES OCULARES DOS REUMATISMOS INFLAMATÓRIOS

MANIFESTAÇÕES OCULARES DOS REUMATISMOS INFLAMATÓRIOS MANIFESTAÇÕES OCULARES DOS REUMATISMOS INFLAMATÓRIOS PALMARES, J. VIEIRA, J. C, ARAÚJO D., ALMEIDA M. e A. LOPES-VAZ MANIFESTAÇÕES OCULARES DOS REUMATISMOS INFLAMATÓRIOS SEPARATA DA "" - VOLUME XI-TOMO

Leia mais

ANÁLISE DA FREQÜÊNCIA DE MARCADORES INFLAMATÓRIOS EM PORTADORES DE ARTRITE REUMATÓIDE

ANÁLISE DA FREQÜÊNCIA DE MARCADORES INFLAMATÓRIOS EM PORTADORES DE ARTRITE REUMATÓIDE ANÁLISE DA FREQÜÊNCIA DE MARCADORES INFLAMATÓRIOS EM PORTADORES DE ARTRITE REUMATÓIDE Analysis of the frequency of inflammatory markers in patients with rheumatoid arthritis Rigoberto Pasquali 1, Guilherme

Leia mais

Dia Nacional de Luta contra o Reumatismo

Dia Nacional de Luta contra o Reumatismo Dia Nacional de Luta contra o Reumatismo 30 de Outubro de 2012 Reumatismo 1. O que é reumatismo? Reumatismo é um termo genérico e popularmente usado para designar uma variedade de distúrbios e doenças

Leia mais

Metatarsalgias. Prof. Dr. Helencar Ignácio Dr. Márcio G Figueiredo

Metatarsalgias. Prof. Dr. Helencar Ignácio Dr. Márcio G Figueiredo Prof. Dr. Helencar Ignácio Dr. Márcio G Figueiredo Grupo de Cirurgia de Pé e Tornozelo Departamento de Ortopedia e Traumatologia do Hospital de Base Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto FUNFARME

Leia mais

GAMEDII HISTÓRIA EQUIPE GAMEDII AGRADECIMENTOS:

GAMEDII HISTÓRIA EQUIPE GAMEDII AGRADECIMENTOS: GAMEDII HISTÓRIA A formação de uma equipe de profissionais interessados na assistência aos pacientes portadores de doença de Crohn e retocolite ulcerativa iniciou-se em outubro de 2005. Através da equipe

Leia mais

Síndrome Periódica Associada à Criopirina (CAPS)

Síndrome Periódica Associada à Criopirina (CAPS) www.printo.it/pediatric-rheumatology/pt/intro Síndrome Periódica Associada à Criopirina (CAPS) Versão de 2016 1. O QUE É A CAPS 1.1 O que é? A Síndrome Periódica Associada à Criopirina (CAPS) compreende

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 86/XI

PROJECTO DE LEI N.º 86/XI Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 86/XI Altera o Decreto-Lei n.º 173/2003, de 1 de Agosto, isentando do pagamento das taxas moderadoras os portadores de Doença Inflamatória do Intestino - DII (Colite

Leia mais

24 25 NOVEMBRO 2016 PROGRAMA CIENTÍFICO AUDITÓRIO DA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CIDADE UNIVERSITÁRIA, LISBOA. Consulte a versão digital

24 25 NOVEMBRO 2016 PROGRAMA CIENTÍFICO AUDITÓRIO DA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CIDADE UNIVERSITÁRIA, LISBOA. Consulte a versão digital 24 25 NOVEMBRO 2016 AUDITÓRIO DA FACULDADE DE MEDICINA DENTÁRIA CIDADE UNIVERSITÁRIA, LISBOA Presidente das Jornadas Luís Cunha Miranda Consulte a versão digital Imagem: Ad Médic PROGRAMA CIENTÍFICO Presidente

Leia mais

Novo texto da informação do medicamento Extratos das recomendações do PRAC relativamente aos sinais

Novo texto da informação do medicamento Extratos das recomendações do PRAC relativamente aos sinais 25 January 2018 EMA/PRAC/35596/2018 Pharmacovigilance Risk Assessment Committee (PRAC) Novo texto da informação do medicamento Extratos das recomendações do PRAC relativamente aos Adotado na reunião do

Leia mais