ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE MÃOS DE MANIPULADORES, MÁQUINAS DE MOER CARNE E FACAS DE CORTE, EM SUPERMERCADOS DA CIDADE DE APUCARANA- PR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE MÃOS DE MANIPULADORES, MÁQUINAS DE MOER CARNE E FACAS DE CORTE, EM SUPERMERCADOS DA CIDADE DE APUCARANA- PR"

Transcrição

1 ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE MÃOS DE MANIPULADORES, MÁQUINAS DE MOER CARNE E FACAS DE CORTE, EM SUPERMERCADOS DA CIDADE DE APUCARANA- PR SOUZA M. C; TOLEDO E. A Resumo Este trabalho teve como objetivo identificar microrganismos presentes nas mãos de manipuladores, máquinas de moer carne e facas.das máquinas analisadas, apenas uma albergava E.coli, nas facas a E.coli esteve presente apenas em uma amostra e nas mãos dos manipuladores não houve crescimento.a presença de E.coli aponta para a possibilidade da contaminação de alimentos. A prevenção pode ser feita através de medidas educativas e disponibilização de produtos para uma higienização adequada do ambiente. Palavras- chave: Análise Microbiológica. Coliformes Totais. Escherichia Coli Abstract This study aimed to identify microorganisms present in the hands of manipulators, meat grinding machines and knives. Machines analyzed, only one harbored E. coli, knives in E.coli was present in one sample only in the hands of manipulators and no growth. The presence of E.coli points to the possibility of food contamination. Prevention can be done through educational measures and availability of products suitable for a sanitization of the environment. Keywords: Microbiological Analysis. Total Coliforms. Escherichia Coli Introdução A carne bovina desempenha um papel importante na alimentação da população brasileira, devido ao seu preço baixo, associado ao seu alto valor nutricional. A carne na forma moída é amplamente utilizada hoje em dia pela

2 versatilidade de pratos que permite elaborar, mas a mesma pode representar riscos á saúde pública, por ser veículo frequente de transmissão de patógenos. A carne constitui uma grande superfície de contato, altamente favorável para multiplicação de bactérias (OLIVEIRA et al., 2008). Existem diversas fontes de contaminação de carnes. Dentre elas: a deficiência no controle da higiene durante o abate do animal, faca de sangria, trato gastrintestinal, pele do animal, tempo e temperatura nos pontos de venda e varejo, higienização dos equipamentos e o excesso de manipulação (JAY, 2005). Os manipuladores representam um dos principais veículos de contaminação da carne, uma vez que sua participação chega a atingir até 26% dos surtos de toxinfecção alimentar. Podem ser manipuladores doentes, ou que apresentem hábitos de higiene pessoal inadequados, ou que usem métodos antihigiênicos na preparação de alimentos (ANDRADE; BRABES, 2003). Contudo, se qualquer peça do equipamento de moer for de difícil limpeza e sanificação, é mais do que provável que essas tarefas essenciais não serão realizadas a contento, havendo acúmulo de restos de alimentos e bactérias patogênicas ou deterioradoras, aumentando assim os riscos de contaminação cruzada em toda área destinada ao processamento (OLIVEIRA et al., 2008). O objetivo deste trabalho foi verificar o nível de contaminação microbiológica presente nas máquinas de moer carne, mãos de manipuladores e facas de corte em supermercados situados na cidade de Apucarana- PR. Determinando se há presença de Coliformes totais e Coliformes Fecais (Escherichia coli), nas amostras analisadas. Referencial Teórico e Metodológico Este trabalho ressalta a importância de padrões higiênicos sanitários satisfatórios para a obtenção de um alimento seguro, nos quais os mesmos ofereçam a promoção e manutenção da saúde. A análise microbiológica foi realizada no laboratório de microbiologia da Faculdade de Apucarana (FAP). As amostras analisadas foram obtidas através da coleta de material das mãos, máquinas e facas em supermercados de Apucarana - Paraná. Foram coletadas 18 amostras, sendo elas 6 de mãos de manipuladores, 6 de máquinas de moer carne e 6 de facas.

3 Esse material foi coletado com auxílio de swab, em seguida o mesmo foi dispensado em tubos de ensaio contendo água peptonada a (1%). Logo após foram inoculados 1 ml do meio coletado e semeados em placas petrifilm. Após 48 horas de incubação das placas a 35 foi feita a leitura dos meios identificado apenas Escherichia coli, caracterizando colônias azuis e colônias vermelhas com bolhas, consideradas colônias de E. coli e coliformes totais, respectivamente. Conclusão A tabela 1 apresenta o número de amostras positivas pela técnica dos tubos múltiplos, das 18 amostras analisadas quanto à presença de E. coli e Coliformes Totais. Tabela 1- número de amostras positivas, com amostras das mãos dos manipuladores, facas de corte e máquinas de moer carne. Estabelecimento Amostra Nº de amostras positivas para E.coli Nº de amostras positivas Coliformes Totais Supermercado A Supermercado B Supermercado C Presente Supermercado D Presente Supermercado E

4 Supermercado F Como pôde-se observar na tabela 1, a presença de E.coli nas amostras indicam, que houve contaminação fecal, já que a E.coli faz parte da flora intestinal de animais. A contaminação por E.coli pode se dar através da contaminação cruzada entre alimentos crus e cozidos, utilização de utensílios mal higienizados ou não desinfectados, não higienização das mãos entre a manipulação de gêneros alimentícios diferentes e má higienização do manipulador após o uso do sanitário (SILVA, 1995). Conforme a mesma tabela, nos utensílios analisados, em dois haviam presença de coliformes fecais, na máquina de moer carne e a faca de corte. Os limites encontrados nas amostras analisadas estavam dentro do padrão estabelecido, porem é possível perceber a ocorrência de contaminação fecal e atentar- se aos riscos que a contaminação bacteriana pode causar no seu humano. Tabela 2- Contagem de E.coli, das amostras de mãos de manipuladores, facas de corte e máquinas de moer carne. Estabelecimento Amostra UFC (g/ml) Supermercado A Supermercado B Supermercado C 2 x 10-1

5 Supermercado D 1 x 10-1 Supermercado E Supermercado F A tabela 2, determina a presença de E.coli em dois supermercados, isso implica que os manipuladores responsáveis pelo manuseio da faca e da máquina de moer carne, não se atentaram a correta higienização, dos utensílios utilizados ou até mesmo das mãos. A intervenção na educação para manipulação adequada de alimentos pode contribuir para maximizar a segurança do manipulador no manuseio de alimentos, ampliar as perspectivas educacionais deste e fornecer à população um alimento seguro, do ponto de vista microbiológico. Referências Bibliográficas 3M. Petrifilm: Placas para contagem de Escherichia coli. Instrução de uso. 3M do Brasil Ltda. Microbiologia. St Paul, MN ANDRADE, N. J.; BRABES, K. C. da S. Procedimentos de higienização e biofilmes microbianos na indústria de alimentos. Viçosa: Tribuna, JAY J.M. Microbiologia de Alimentos. Porto Alegre: Artemed, OLIVEIRA, M.M.M; BRUGNERA, D.F; MENDONÇA, A.T; PICOLLI, R.H Condições higiênico- sanitárias de máquinas de moer carne, mãos de manipuladores e qualidade microbiológica da carne moída. Ciênc. agrotec., Lavras, SILVA, E. A. Manual de controle higiênico sanitário em serviços de alimentação. São Paulo: Varella, 2008.

MONITORAMENTO DA HIGIENIZAÇÃO DE FACAS E TESOURAS UTILIZADAS NA DESOSSA DE FRANGOS EM UM FRIGORÍFICO DO VALE DO TAQUARI/RS

MONITORAMENTO DA HIGIENIZAÇÃO DE FACAS E TESOURAS UTILIZADAS NA DESOSSA DE FRANGOS EM UM FRIGORÍFICO DO VALE DO TAQUARI/RS 56 MONITORAMENTO DA HIGIENIZAÇÃO DE FACAS E TESOURAS UTILIZADAS NA DESOSSA DE FRANGOS EM UM FRIGORÍFICO DO VALE DO TAQUARI/RS MONITORING OF THE SANITATION OF KNIVES AND SCISSORS USED FOR BONING CHICKENS

Leia mais

Análise de Perigos. Árvore de decisão Q1 Q2 Q3 Q4. Ref.: IP 4 Inspecção à Recepção IP 5 Inspecção à Recepção: Verificação de Temperaturas

Análise de Perigos. Árvore de decisão Q1 Q2 Q3 Q4. Ref.: IP 4 Inspecção à Recepção IP 5 Inspecção à Recepção: Verificação de Temperaturas Análise de s ETAPA: Recepção das matérias-primas s considerados: Biológicos: bactérias patogénicas (forma vegetativa ou esporulada), parasitas e vírus Químicos: micotoxinas, aminas e toxinas naturais,

Leia mais

RELATÓRIO DA VERIFICAÇÃO DE CONTAMINAÇÃO MICROBIANA EM EMBALAGENS PARA TRANSPORTE DE ALIMENTOS

RELATÓRIO DA VERIFICAÇÃO DE CONTAMINAÇÃO MICROBIANA EM EMBALAGENS PARA TRANSPORTE DE ALIMENTOS RELATÓRIO DA VERIFICAÇÃO DE CONTAMINAÇÃO MICROBIANA EM EMBALAGENS PARA TRANSPORTE DE ALIMENTOS 2011 A reprodução deste documento só poderá ser feita integralmente, sem nenhuma alteração e com o conhecimento

Leia mais

Métodos físicos e químicos no controle microbiano de esponjas de Poliuretano usadas em unidades de alimentação de Montes Claros, MG

Métodos físicos e químicos no controle microbiano de esponjas de Poliuretano usadas em unidades de alimentação de Montes Claros, MG 45 Métodos físicos e químicos no controle microbiano de esponjas de Poliuretano usadas em unidades de alimentação de Montes Claros, MG Klinger Vinícius de Almeida 1, Roberta Torres Careli 2, Alécia Daila

Leia mais

Análise Técnica. Segurança Microbiológica de Molhos Comercializados em Embalagens Tipo Sache: Avaliação de um Abridor de Embalagens

Análise Técnica. Segurança Microbiológica de Molhos Comercializados em Embalagens Tipo Sache: Avaliação de um Abridor de Embalagens Análise Técnica Segurança Microbiológica de Molhos Comercializados em Embalagens Tipo Sache: Avaliação de um Abridor de Embalagens Coord. Prof. Dr. Marco Antônio Lemos Miguel Equipe: Carolina Beres & Priscila

Leia mais

MAIS UMA VEZ VALE SALIENTAR QUE: Para a obtenção dos resultados foi levado em consideração o construto da legislação vigente no país:

MAIS UMA VEZ VALE SALIENTAR QUE: Para a obtenção dos resultados foi levado em consideração o construto da legislação vigente no país: LAUDO TÉCNICO SEXTA SEMANA Universidade Municipal de São Caetano do Sul USCS Responsável Técnica: Profa. Marta Angela Marcondes Equipe técnica: PROJETO EXPEDIÇÃO BILLINGS: PROBLEMAS E SOLUÇÕES MAIS UMA

Leia mais

Faculdade de Veterinária Dept. de Veterinária Preventiva Curso de Zootecnia. Aspectos ligados a produção higiênica de carnes

Faculdade de Veterinária Dept. de Veterinária Preventiva Curso de Zootecnia. Aspectos ligados a produção higiênica de carnes Faculdade de Veterinária Dept. de Veterinária Preventiva Curso de Zootecnia Aspectos ligados a produção higiênica de carnes Fernando Bandeira 2016 Introdução Aspectos ligados a produção higiênica de carnes

Leia mais

Análise de coliformes e verificação das Boas Práticas de Fabricação de carne moída comercializada na cidade de Campina Grande-PB

Análise de coliformes e verificação das Boas Práticas de Fabricação de carne moída comercializada na cidade de Campina Grande-PB Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável http://www.gvaa.com.br/revista/index.php/rvads ARTIGO CIENTÍFICO Análise de coliformes e verificação das Boas Práticas de Fabricação de carne

Leia mais

Sanitary profile of fresh beef commercialized in supermarkets

Sanitary profile of fresh beef commercialized in supermarkets Comunicação Breve/ Brief Communication Perfil sanitário da carne bovina in natura comercializada em supermercados Sanitary profile of fresh beef commercialized in supermarkets RIALA6/1453 Vanessa de Souza

Leia mais

10º ENTEC Encontro de Tecnologia: 28 de novembro a 3 de dezembro de 2016 QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA MINERAL DO TRIANGULO MINEIRO

10º ENTEC Encontro de Tecnologia: 28 de novembro a 3 de dezembro de 2016 QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA MINERAL DO TRIANGULO MINEIRO QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA MINERAL DO TRIANGULO MINEIRO Bruna Santos Morais 1, Danusa Carolina Santos Fernandes 2, Thaís Cristina Carneiro Gonçalves 3, Elizabeth Uber Bucek 4, Ana Claudia Chesca

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE PRESUNTOS FATIADOS, COMERCIALIZADOS NO MUNICÍPIO DE FRANCISCO BELTRÃO, PARANÁ

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE PRESUNTOS FATIADOS, COMERCIALIZADOS NO MUNICÍPIO DE FRANCISCO BELTRÃO, PARANÁ ISSN 0103-4235 ISSN 2179-4448 on line Alim. Nutr.= Braz. J. Food Nutr., Araraquara v. 24, n. 3, p. 333-337, jul./set. 2013 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE PRESUNTOS FATIADOS, COMERCIALIZADOS NO

Leia mais

Boas Práticas para a Conservação dos Alimentos. Palestrante: Liza Ghassan Riachi CICLO DE PALESTRAS ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

Boas Práticas para a Conservação dos Alimentos. Palestrante: Liza Ghassan Riachi CICLO DE PALESTRAS ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Boas Práticas para a Conservação dos Alimentos Palestrante: Liza Ghassan Riachi CICLO DE PALESTRAS ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Evitar contaminação e DTAs Qualidade do Alimento Proteção da Saúde Contaminação Física

Leia mais

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO MEL DE ABELHA Apis mellifera DO SERTÃO PARAIBANO

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO MEL DE ABELHA Apis mellifera DO SERTÃO PARAIBANO QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO MEL DE ABELHA Apis mellifera DO SERTÃO PARAIBANO MELO, F. S. N. MELO 1, W. F. MARTINS 2, G. NICOLETTI 2, C. SILVEIRA 2, M. S. A. RODRIGUES 3, S. S. MARTINS 3 e A. dos S. ARAUJO

Leia mais

Boas Práticas de Higiene no manuseio de Alimentos visando a obtenção de alimentos seguros

Boas Práticas de Higiene no manuseio de Alimentos visando a obtenção de alimentos seguros Boas Práticas de Higiene no manuseio de Alimentos visando a obtenção de alimentos seguros O Vigilante Sanitário http://ovigilanatesanitario.wordpress.com E mail : ovigilantesanitario@hotmail.com Cada segmento

Leia mais

Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV

Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV Direção de Serviços de Segurança Alimentar / DGAV Assunto: COMERCIALIZAÇÃO DE REBENTOS Esclarecimento 11/2013 A presente nota de esclarecimento pretende elucidar os operadores de empresas do setor alimentar

Leia mais

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA EM LABORATÓRIO: CONTAGEM DE BACTÉRIAS TOTAIS E PESQUISA DE COLIFORMES, COLIFORMES FECAIS E ESCHERICHIA COLI EM ALIMENTOS

RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA EM LABORATÓRIO: CONTAGEM DE BACTÉRIAS TOTAIS E PESQUISA DE COLIFORMES, COLIFORMES FECAIS E ESCHERICHIA COLI EM ALIMENTOS 3cm INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CURSO TÉNICO EM... Fonte Arial ou Times 12, maiúscula sem negrito BELTRANO DE TAL FULANO DE TAL Fonte 12, semnegrito 3cm 2cm RELATÓRIO

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO-ACRE.

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO-ACRE. AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO-ACRE. Lúcia Monteiro Dias Gomes 1 ; Maura Regina Ribeiro 2 & Vanuza Salgado Moreira 3 RESUMO Este estudo

Leia mais

NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA FICHA DE ESPECIFICAÇÃO. BemVital Espessare

NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA FICHA DE ESPECIFICAÇÃO. BemVital Espessare FICHA DE ESPECIFICAÇÃO BemVital Espessare IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA NOME DA EMPRESA: NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA Endereço: Rua Pitangui, n 77 Bairro Concórdia, Belo Horizonte MG CNPJ. 04.040.657/0001-33

Leia mais

Advance technique for hamburger quality control

Advance technique for hamburger quality control Técnica avançada para controlar qualidade do hambúrguer Advance technique for hamburger quality control Sumário O maior risco para o consumidor, consequente da ingestão de hambúrguer mal conservado, é

Leia mais

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1

25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA, AO LONGO DA CADEIA PRODUTIVA DE TILÁPIA DO NILO (Oreochromis niloticus), NA REGIÃO NORTE DO ESTADO DO PARANÁ

Leia mais

Controle de qualidade na produção leiteira: Análises Microbiológicas

Controle de qualidade na produção leiteira: Análises Microbiológicas na produção leiteira: Análises Microbiológicas Profa. Dra. Vanerli Beloti LIPOA UEL lipoa.uel@gmail.com vbeloti@uel.br www.uel.br/laboratorios/inspecao Microbiologia Técnico preparado Cada passo pode significar

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS DE JALECOS E MÃOS DE PROFISSIONAIS DA SAÚDE, USUÁRIOS DE UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO HOSPITALAR. Adriana Araújo Cardoso Nutricionista graduada na

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Ciência e Tecnologia de Alimentos Campus Rio Pomba

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Ciência e Tecnologia de Alimentos Campus Rio Pomba Questão 01: Dê o fundamento e as etapas envolvidas no processo de liofilização de alimentos e cite quatro diferenças entre o processo de liofilização e o processo de secagem convencional. Pag. 1 de 15

Leia mais

CONTAMINAÇÃO EM EMBALAGENS DE ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS CONTAMINATION IN PACKAGING FOOD INDUSTRIALIZED

CONTAMINAÇÃO EM EMBALAGENS DE ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS CONTAMINATION IN PACKAGING FOOD INDUSTRIALIZED www4.fsanet.com.br/revista Rev. Saúde em foco, Teresina, v. 2, n. 2, art. 8, p. 107-114, ago./dez. 2015 ISSN Eletrônico: 2358-7946 CONTAMINAÇÃO EM EMBALAGENS DE ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS CONTAMINATION

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RESTAURAÇÃO VERTENTE RESTAURANTE - BAR

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RESTAURAÇÃO VERTENTE RESTAURANTE - BAR CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE RESTAURAÇÃO VERTENTE RESTAURANTE - BAR Planificação anual de Tecnologia Alimentar 10.ºano 01/013 Turma: 10.º N Professora: Madalena Tavares - Estrutura e Finalidades da

Leia mais

Avaliação da qualidade microbiológica da água de nascentes em pequenas propriedades situadas no Vale do Ivaí

Avaliação da qualidade microbiológica da água de nascentes em pequenas propriedades situadas no Vale do Ivaí 15670 - Avaliação da qualidade microbiológica da água de nascentes em pequenas propriedades situadas no Vale do Ivaí Assessment of microbiological quality of water sources in small properties located in

Leia mais

EVALUATION OF THE HYGIENIC-SANITARY CONDITIONS OF KITCHEN IN A MUNICIPAL SCHOOL OF CAMPO MOURÃO - PARANA

EVALUATION OF THE HYGIENIC-SANITARY CONDITIONS OF KITCHEN IN A MUNICIPAL SCHOOL OF CAMPO MOURÃO - PARANA SaBios: Rev. Saúde e Biol., v.7, n3, p.60-66, set./dez., 2012 ISSN:1980-0002 AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS DA COZINHA DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE CAMPO MOURÃO PARANÁ MAYARA FLORÊNCIO MEZZARI

Leia mais

ANÁLISE DE BOLORES E LEVEDURAS EM QUEIJOS TIPO MINAS, PRODUZIDOS ARTESANALMENTE E COMERCIALIZADOS EM FEIRAS LIVRES NA CIDADE DE PELOTAS / RS.

ANÁLISE DE BOLORES E LEVEDURAS EM QUEIJOS TIPO MINAS, PRODUZIDOS ARTESANALMENTE E COMERCIALIZADOS EM FEIRAS LIVRES NA CIDADE DE PELOTAS / RS. ANÁLISE DE BOLORES E LEVEDURAS EM QUEIJOS TIPO MINAS, PRODUZIDOS ARTESANALMENTE E COMERCIALIZADOS EM FEIRAS LIVRES NA CIDADE DE PELOTAS / RS. Autor(es): BAIRROS, Jacqueline Valle; DESTRI, Kelli; VARGAS,

Leia mais

CONTROLE DE QUALIDADE E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS EM PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES

CONTROLE DE QUALIDADE E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS EM PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES CONTROLE DE QUALIDADE E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS EM PRODUÇÃO DE REFEIÇÕES Nutricionista Especialista Tecnologia de Alimentos UFMA Consultor em Implementação de Unidades de Alimentação e Nutrição. Controle

Leia mais

Profa. Mônica Maria Oliveira Pinho Cerqueira Escola de Veterinária UFMG

Profa. Mônica Maria Oliveira Pinho Cerqueira Escola de Veterinária UFMG Profa. Mônica Maria Oliveira Pinho Cerqueira Escola de Veterinária UFMG Qualidade do leite Práticas importantes Obtenção Manutenção Ações das indústrias Melhoria da qualidade Fazendas Coleta e transporte

Leia mais

NOTA TÉCNICA CONJUNTA Nº 01/2015

NOTA TÉCNICA CONJUNTA Nº 01/2015 NOTA TÉCNICA CONJUNTA Nº 01/2015 LACEN/DIVS/DIVE Assunto: Orienta sobre a investigação, coleta e encaminhamento de amostras biológicas, alimentos e água para diagnóstico laboratorial de surtos de Doenças

Leia mais

Análise microbiológica da água destinada ao consumo humano em Instituições de Educação Infantil na zona rural de Lagoa Seca/PB

Análise microbiológica da água destinada ao consumo humano em Instituições de Educação Infantil na zona rural de Lagoa Seca/PB 14699 - Análise microbiológica da água destinada ao consumo humano em Instituições de Educação Infantil na zona rural de Lagoa Seca/PB Drinking water microbiological analysis in Child Education Institutions

Leia mais

1.2. Quais os principais danos que podem ocorrer nos produtos alimentares durante o transporte?

1.2. Quais os principais danos que podem ocorrer nos produtos alimentares durante o transporte? CAPÍTULO 1 1.1. Quais os principais princípios para a escolha do transporte? 1.2. Quais os principais danos que podem ocorrer nos produtos alimentares durante o transporte? 1.3. Em que medida a respiração

Leia mais

Resultados das análises referentes aos parâmetros básicos de qualidade da água na rede de distribuição N ANÁLISES REALIZADAS N ANÁLISES REALIZADAS

Resultados das análises referentes aos parâmetros básicos de qualidade da água na rede de distribuição N ANÁLISES REALIZADAS N ANÁLISES REALIZADAS Turbidez 51 59 59 Cloro Residual Livre 51 59 59 Cor Aparente 10 59 59 atenderam atenderam atenderam 51 59 01 amostra apresentou presença de CT Escherichia coli 51 59 Ausência As análises realizadas estão

Leia mais

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS EM UNIDADES PROCESSADORAS DE ALIMENTOS

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS EM UNIDADES PROCESSADORAS DE ALIMENTOS QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS EM UNIDADES PROCESSADORAS DE ALIMENTOS PEREIRA, S.A¹; OLIVEIRA FILHO, J.H² ¹ Pós Graduanda em Controle de Qualidade na Indústria de Alimentos, Faculdades

Leia mais

CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS EM ESTABELECIMENTOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ALIMENTOS NA EMPASA DE JOÃO PESSOA/PB

CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS EM ESTABELECIMENTOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ALIMENTOS NA EMPASA DE JOÃO PESSOA/PB CONDIÇÕES HIGIÊNICO-SANITÁRIAS EM ESTABELECIMENTOS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ALIMENTOS NA EMPASA DE JOÃO PESSOA/PB VIDAL, Ana Renally Cardoso 1, GOMES, Liana Santos do Nascimento 2, TEODOSIO, Albert Einstein

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL EM PEQUENAS AGROINDÚSTRIAS DA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SANTA CATARINA.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL EM PEQUENAS AGROINDÚSTRIAS DA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SANTA CATARINA. AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL EM PEQUENAS AGROINDÚSTRIAS DA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Autor 1 Leania Maria Fabbi E-mail: leania@sc.senai.br Autor 2

Leia mais

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO CALDO DE CANA EM FEIRAS LIVRES DO ESTADO DE RONDÔNIA

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO CALDO DE CANA EM FEIRAS LIVRES DO ESTADO DE RONDÔNIA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO CALDO DE CANA EM FEIRAS LIVRES DO ESTADO DE RONDÔNIA INTRODUÇÃO Fernanda Rosan Fortunato Seixas 1 Bruna Leticia de Souza Nascimento; Elisangela dos Santos Vicente 2 A garapa

Leia mais

COMPARAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE CHÁS INDUSTRIALIZADOS E IN NATURA MICROBIOLOGICAL QUALITY COMPARISON OF INDUSTRIALIZED TEAS AND IN NATURA

COMPARAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE CHÁS INDUSTRIALIZADOS E IN NATURA MICROBIOLOGICAL QUALITY COMPARISON OF INDUSTRIALIZED TEAS AND IN NATURA COMPARAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE CHÁS INDUSTRIALIZADOS E IN NATURA MICROBIOLOGICAL QUALITY COMPARISON OF INDUSTRIALIZED TEAS AND IN NATURA Resumo Daiane Teles de Oliveira (1) Paulo Henrique M.

Leia mais

OCORRÊNCIA DE COLIFORMES TERMOTOLERANTES E SALMONELLA spp. EM SUSHIS COMERCIALIZADOS NAS CIDADES DE JOÃO PESSOA E CAMPINA GRANDE/PB

OCORRÊNCIA DE COLIFORMES TERMOTOLERANTES E SALMONELLA spp. EM SUSHIS COMERCIALIZADOS NAS CIDADES DE JOÃO PESSOA E CAMPINA GRANDE/PB OCORRÊNCIA DE COLIFORMES TERMOTOLERANTES E SALMONELLA spp. EM SUSHIS COMERCIALIZADOS NAS CIDADES DE JOÃO PESSOA E CAMPINA GRANDE/PB T.P. Lucena 1, C.R.M. Silva Filho 2, C.D.L. Araújo 3, W.S. Morais 4 1-

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COLETA DE AMOSTRAS EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE MARINGÁ-PR

AVALIAÇÃO DA COLETA DE AMOSTRAS EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE MARINGÁ-PR V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 AVALIAÇÃO DA COLETA DE AMOSTRAS EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DE MARINGÁ-PR Eloá Angélica Koehnlein 1

Leia mais

LEVANTAMENTO DA POTABILIDADE DA ÁGUA EM ESTABELECIMENTOS ALIMENTÍCIOS DE APUCARANA E ARAPONGAS - PARANÁ

LEVANTAMENTO DA POTABILIDADE DA ÁGUA EM ESTABELECIMENTOS ALIMENTÍCIOS DE APUCARANA E ARAPONGAS - PARANÁ LEVANTAMENTO DA POTABILIDADE DA ÁGUA EM ESTABELECIMENTOS ALIMENTÍCIOS DE APUCARANA E ARAPONGAS - PARANÁ VILELA, V. L. D.; TROMBINI, R. B.; MENDONÇA, E.P. RESUMO A qualidade da água é necessária quando

Leia mais

Estação de tratamento de Água: R.F Unidade Sucupira

Estação de tratamento de Água: R.F Unidade Sucupira Estação de tratamento de Água: R.F Sucupira Resultados de Análises da Água na Saída do Tratamento e Redes de Distribuição Mês: Fevereiro/2013 2914/11 Estabelecidas Valor Médio Encontrado ETA REDE ETA REDE

Leia mais

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes

Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO UFERSA DISCIPLINA: INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL Doutoranda: Carolina de Gouveia Mendes 2012.2 INTRODUÇÃO Principais ferramentas - garantia da inocuidade,

Leia mais

INCIDÊNCIA DE COLIFORMES TOTAIS E ESCHERICHIA COLI NAS ÁGUAS UTILIZADAS PARA IRRIGAÇÃO PELA COMINIDADE DO MUNICÍPIO DE PAÇO DO LUMIAR- MA

INCIDÊNCIA DE COLIFORMES TOTAIS E ESCHERICHIA COLI NAS ÁGUAS UTILIZADAS PARA IRRIGAÇÃO PELA COMINIDADE DO MUNICÍPIO DE PAÇO DO LUMIAR- MA INCIDÊNCIA DE COLIFORMES TOTAIS E ESCHERICHIA COLI NAS ÁGUAS UTILIZADAS PARA IRRIGAÇÃO PELA COMINIDADE DO MUNICÍPIO DE PAÇO DO LUMIAR- MA SILVA, G.C;¹ BRINGEL, J.M.M² 1 INTRODUÇÃO A disponibilidade de

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES MICROBIOLÓGICAS EM UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES MICROBIOLÓGICAS EM UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES MICROBIOLÓGICAS EM UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NÉLIO JOSÉ DE ANDRADE 1 ROSÁLIA MARIA MOREIRA DA SILVA 2 KELLY CRISTINA SILVA BRABES 3 RESUMO O presente trabalho é referente

Leia mais

INDICADORES DE CONDIÇÕES HIGIÊNCICO SANITÁRIAS EM PREPARAÇÕES ORIENTAIS SERVIDAS EM RESTAURANTES NA CIDADE DE SALVADOR - BA

INDICADORES DE CONDIÇÕES HIGIÊNCICO SANITÁRIAS EM PREPARAÇÕES ORIENTAIS SERVIDAS EM RESTAURANTES NA CIDADE DE SALVADOR - BA INDICADORES DE CONDIÇÕES HIGIÊNCICO SANITÁRIAS EM PREPARAÇÕES ORIENTAIS SERVIDAS EM RESTAURANTES NA CIDADE DE SALVADOR - BA J.C.N. Nascimento 1,2, D.M. Vilas Boas 2, A.B.C. Silva 2, C.M. Lima 2, C.C. Leite

Leia mais

Procedimentos Técnicos. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato de Lacerda Barra Filho Dr. Ivo Fernandes. Gerente da Qualidade Biomédico

Procedimentos Técnicos. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato de Lacerda Barra Filho Dr. Ivo Fernandes. Gerente da Qualidade Biomédico Versão: 01 Pg: 1/5 ELABORADO POR DE ACORDO NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato de Lacerda Barra Filho Dr. Ivo Fernandes Biomédico 01/10/2009 Gerente da Qualidade Biomédico 20/10/2009 Dr. Jose Carlos

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2016 Plano de Curso nº 116 aprovado pela portaria Cetec nº 68 de 14 / 10 /2010 Etec TIQUATIRA Código: 208 Código: 208 Eixo

Leia mais

EFICÁCIA DOS MÉTODOS DE HIGIENIZAÇÃO DE UTENSÍLIOS EM RESTAURANTES COMERCIAIS

EFICÁCIA DOS MÉTODOS DE HIGIENIZAÇÃO DE UTENSÍLIOS EM RESTAURANTES COMERCIAIS EFICÁCIA DOS MÉTODOS DE HIGIENIZAÇÃO DE UTENSÍLIOS EM RESTAURANTES COMERCIAIS Edeli Simioni de Abreu 1 Rosana Farah Simony¹ Deborah Helena Silveira Dias¹ Flávia Regina Oliveira Ribeiro¹ Patricia Pacheco

Leia mais

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE COCO OBTIDA POR DIFERENTES MÉTODOS DE CONSERVAÇÃO NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, RONDÔNIA.

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE COCO OBTIDA POR DIFERENTES MÉTODOS DE CONSERVAÇÃO NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, RONDÔNIA. AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE COCO OBTIDA POR DIFERENTES MÉTODOS DE CONSERVAÇÃO NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO, RONDÔNIA. MICROBIOLOGICAL EVALUATION OF COCONUT WATER CONSERVATION OBTAINED BY DIFFERENT

Leia mais

QUALIDADE HIGIÊNICO-SANITÁRIA E MICROBIOLÓGICA DA CARNE BOVINA COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE AREIA-PB

QUALIDADE HIGIÊNICO-SANITÁRIA E MICROBIOLÓGICA DA CARNE BOVINA COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE AREIA-PB 160 Agropecuária Técnica v. 32, n. 1, 2011 ISSN 0100-7467 Areia, PB CCA-UFPB QUALIDADE HIGIÊNICO-SANITÁRIA E MICROBIOLÓGICA DA CARNE BOVINA COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE AREIA-PB Messias S Nogueira 1,

Leia mais

FACULDADE ASSIS GURGACZ FAG LETHYCIA LEONORA MARTINS

FACULDADE ASSIS GURGACZ FAG LETHYCIA LEONORA MARTINS FACULDADE ASSIS GURGACZ FAG LETHYCIA LEONORA MARTINS - 200511056 ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NA CIDADE DE CASCAVEL - PARANÁ CASCAVEL 2008 I FACULDADE ASSIS GURGACZ FAG LETHYCIA LEONORA

Leia mais

Implantar o Relatório de Acompanhamento das Atividades de Empresas RAAE, para empresas de limpeza e higienização de reservatórios de água.

Implantar o Relatório de Acompanhamento das Atividades de Empresas RAAE, para empresas de limpeza e higienização de reservatórios de água. 1. OBJETIVO Implantar o Relatório de Acompanhamento das Atividades de Empresas RAAE, para empresas de limpeza e higienização de reservatórios de água. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO Estão submetidas a esta norma

Leia mais

Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde Controle de Infecção. NVES-INFEC

Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde Controle de Infecção. NVES-INFEC Secretaria Estadual de Saúde Centro Estadual de Vigilância em Saúde Divisão de Vigilância Sanitária Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde Controle de Infecção NVES-INFEC scies-dvs@saude.rs.gov.br

Leia mais

Cultura de Segurança Alimentar conjunto de valores que devem ser seguidos para produzir e fornecer alimentos seguros

Cultura de Segurança Alimentar conjunto de valores que devem ser seguidos para produzir e fornecer alimentos seguros Mestrado em Engenharia Unidade Curricular Segurança Reforçar a Cultura da Segurança para reduzir as taxas de doenças transmitidas por alimentos Autores: Powell D., Jacob C., Chapman B. Cultura de Segurança

Leia mais

ANÁLISE DA CONTAMINAÇÃO DE UTENSÍLIOS EM UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO HOSPITALAR NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE-MG

ANÁLISE DA CONTAMINAÇÃO DE UTENSÍLIOS EM UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO HOSPITALAR NO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE-MG ISSN 0103-4235 ISSN 2179-4448 on line Alim. Nutr., Araraquara v. 22, n. 2, p. 265-271, abr./jun. 2011 ANÁLISE DA CONTAMINAÇÃO DE UTENSÍLIOS EM UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO HOSPITALAR NO MUNICÍPIO

Leia mais

ERPI Residencial Sénior UCCI Unidade de Longa Duração e Manutenção

ERPI Residencial Sénior UCCI Unidade de Longa Duração e Manutenção ERPI Residencial Sénior UCCI Unidade de Longa Duração e Manutenção António Coelho Edgar Pereira 6º SEMINÁRIO PREVENÇÃO E CONTRO DA INFEÇÃO 1. A Empresa A Doce Viver Lda. Residencial Sénior, é uma empresa

Leia mais

4ºEncontro Riscos Zonas Costeiras 21 de Março de 2013

4ºEncontro Riscos Zonas Costeiras 21 de Março de 2013 4ºEncontro Riscos Zonas Costeiras 21 de Março de 2013 Cristina Pizarro cristina.pizarro@insa.min-saude.pt Unidade de Água e Solo Departamento de Saúde Ambiental Porto Águas Balneares Águas Superficiais

Leia mais

TÍTULO: ANALISE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE CAMPOS GERAIS E ILICÍNEA - MG

TÍTULO: ANALISE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE CAMPOS GERAIS E ILICÍNEA - MG TÍTULO: ANALISE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DAS ESCOLAS DO MUNICÍPIO DE CAMPOS GERAIS E ILICÍNEA - MG Deyse A. CORREA 1 ; Ligiane AMARAL 2 ; Poliana O. COELHO 3 ; Ênnio M. BARROSO 4 RESUMO A água é uma substância

Leia mais

Segurança Alimentar em ambiente de catástrofe natural. SEGURANÇA ALIMENTAR EM AMBIENTE DE CATÁSTROFE NATURAL Cap Vet Samuel Migueis

Segurança Alimentar em ambiente de catástrofe natural. SEGURANÇA ALIMENTAR EM AMBIENTE DE CATÁSTROFE NATURAL Cap Vet Samuel Migueis SEGURANÇA ALIMENTAR EM AMBIENTE DE CATÁSTROFE NATURAL Cap Vet Samuel Migueis As catástrofes naturais são eventos naturais que com maior ou menor frequência, têm vindo a afetar as sociedades por todo o

Leia mais

Aplicação de cloro no preparo de hortaliças frescas para consumo doméstico 1

Aplicação de cloro no preparo de hortaliças frescas para consumo doméstico 1 Aplicação de cloro no preparo de hortaliças frescas para consumo doméstico 1 Chlorine use in fresh vegetables aiming domestic consumption Laura Maria Bruno 2 e Gustavo Adolfo Saavedra Pinto 3...... RESUMO

Leia mais

CARNE BOVINA SALGADA CURADA DESSECADA OU JERKED BEEF

CARNE BOVINA SALGADA CURADA DESSECADA OU JERKED BEEF ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DO PRODUTO CARNE BOVINA SALGADA CURADA DESSECADA OU JERKED BEEF 1. DESCRIÇÃO DO OBJETO Entende-se por Jerked Beef ou Carne Bovina Salgada Curada Dessecada, o produto cárneo industrializado,

Leia mais

APLICAÇÃO DO MANUAL DE BOAS PRÁTICAS TENDO COMO FOCO A HIGIENE PESSOAL DO MANIPULADOR RESUMO

APLICAÇÃO DO MANUAL DE BOAS PRÁTICAS TENDO COMO FOCO A HIGIENE PESSOAL DO MANIPULADOR RESUMO APLICAÇÃO DO MANUAL DE BOAS PRÁTICAS TENDO COMO FOCO A HIGIENE PESSOAL DO MANIPULADOR Déborah Souza Queiroz 1 Robson Ferreira da Silva 2 Eleusa Spagnuolo Souza 3 Lauriane de Oliveira Silveira 4 RESUMO

Leia mais

Qualidade sanitária em processamento industrial de carne bovina. Sanitary quality in industrial processing beef

Qualidade sanitária em processamento industrial de carne bovina. Sanitary quality in industrial processing beef Qualidade sanitária em processamento industrial de carne bovina Tafael Lucas Pereira; Universidade Tecnológica Federal do Paraná e-mail: tafadluca@hotmail.com.br Claudia Walus; Universidade Tecnológica

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA EM CISTERNAS E NO PONTO DE CONSUMO EM COMUNIDADES RURAIS DO SEMI-ÁRIDO PARAIBANO.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA EM CISTERNAS E NO PONTO DE CONSUMO EM COMUNIDADES RURAIS DO SEMI-ÁRIDO PARAIBANO. AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA EM CISTERNAS E NO PONTO DE CONSUMO EM COMUNIDADES RURAIS DO SEMI-ÁRIDO PARAIBANO. Priscilla Cordeiro de Miranda; Rogério Pereira Xavier; Albertina Farias

Leia mais

Escola Secundária Francisco Simões Ano lectivo 2009/2010 Professora: Ana Paula Reis 12º Ano. Desafio Bactéria. Realizado por: Biomaníacas

Escola Secundária Francisco Simões Ano lectivo 2009/2010 Professora: Ana Paula Reis 12º Ano. Desafio Bactéria. Realizado por: Biomaníacas Escola Secundária Francisco Simões Ano lectivo 2009/2010 Professora: Ana Paula Reis 12º Ano Desafio Bactéria Realizado por: Biomaníacas Introdução Teórica Este trabalho encontra-se inserido num projecto,

Leia mais

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE SUCOS IN NATURA COMERCIALIZADOS NA CIDADE DE JUAZEIRO DO NORTE-CE

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE SUCOS IN NATURA COMERCIALIZADOS NA CIDADE DE JUAZEIRO DO NORTE-CE Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR Campus Ponta Grossa - Paraná - Brasil ISSN: 1981-3686 / v. 06, n. 01: p. 665-670, 2012 D.O.I: 10.3895/S1981-36862012000100005 Revista Brasileira de Tecnologia

Leia mais

PROJETO: MÃOS LIMPAS PARA UMA ASSISTÊNCIA SEGURA

PROJETO: MÃOS LIMPAS PARA UMA ASSISTÊNCIA SEGURA PROJETO: MÃOS LIMPAS PARA UMA ASSISTÊNCIA SEGURA Justificativa: A higienização adequada das mãos é considerada a medida de maior impacto e comprovada eficácia na prevenção das infecções relacionadas à

Leia mais

Análise microbiológica de alfaces comercializadas em restaurantes self-service de Brasília-DF.

Análise microbiológica de alfaces comercializadas em restaurantes self-service de Brasília-DF. CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA UniCEUB FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E SAÚDE CURSO DE NUTRIÇÃO Análise microbiológica de alfaces comercializadas em restaurantes self-service de Brasília-DF. Autora:

Leia mais

Vigilância Sanitária de Alimentos. Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs)- II

Vigilância Sanitária de Alimentos. Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs)- II Vigilância Sanitária de Alimentos Bactérias causadoras de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs)- II Clostridium perfringens Intestino Microbiota normal Solo Água Produto cárneo Clostridium perfringens

Leia mais

CONTROLE SANITÁRIO NO PROCESSAMENTO DE LEITE. LEO KUNIGK Professor do curso de Engenharia de Alimentos da Escola de Engenharia Mauá

CONTROLE SANITÁRIO NO PROCESSAMENTO DE LEITE. LEO KUNIGK Professor do curso de Engenharia de Alimentos da Escola de Engenharia Mauá 1 CONTROLE SANITÁRIO NO PROCESSAMENTO DE LEITE LEO KUNIGK Professor do curso de Engenharia de Alimentos da Escola de Engenharia Mauá O leite durante a ordenha, no transporte e na estocagem está sujeito

Leia mais

em sorvetes Introdução

em sorvetes Introdução MICROBIOLOGIA em sorvetes 44 O controle microbiológico de sorvetes é de fundamental importância e por não sofrer qualquer processo de cocção ou esterilização após seu preparo final, como acontece com outros

Leia mais

INCIDÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS AUREUS E DE BACTÉRIAS DA FAMÍLIA ENTEROBACTERIACEAE EM CÉDULAS DE R$ 1,00, R$ 5,00, R$ 10,00 E R$ 50,00

INCIDÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS AUREUS E DE BACTÉRIAS DA FAMÍLIA ENTEROBACTERIACEAE EM CÉDULAS DE R$ 1,00, R$ 5,00, R$ 10,00 E R$ 50,00 Incidência de Staphylococcus aureus e de bactérias da família iaceae em cédulas de R$ 1,00, R$ 5,00, R$ 10,00 e R$ 50,00 INCIDÊNCIA DE STAPHYLOCOCCUS AUREUS E DE BACTÉRIAS DA FAMÍLIA ENTEROBACTERIACEAE

Leia mais

Escherichia coli E COLIFORMES A 37ºC NO PROCESSAMENTO DA CARNE DE SOL COMERCIALIZADA EM TERESINA, PI

Escherichia coli E COLIFORMES A 37ºC NO PROCESSAMENTO DA CARNE DE SOL COMERCIALIZADA EM TERESINA, PI Escherichia coli E COLIFORMES A 37ºC NO PROCESSAMENTO DA CARNE DE SOL COMERCIALIZADA EM TERESINA, PI [Escherichia coli and coliforms at 37 º C in the processing of "corned beef" sold in Teresina, PI] Itacy

Leia mais

POP 1: PARA DESCONGELAMENTO DE CARNE

POP 1: PARA DESCONGELAMENTO DE CARNE Revisão 00 POP 1: PARA DESCONGELAMENTO DE CARNE RETIRAR A CARNE DO CONGELADOR COM ANTECEDÊNCIA ; COLOCAR EM UM RECIPIENTE ; DEIXAR DENTRO DA GELADEIRA POR NO MÁXIMO 72 HS. >RESPONSÁVEL: Manipulador. >

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE REGULAMENTAÇÕES PARA AVALIAÇÃO DE BALNEABILIDADE

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE REGULAMENTAÇÕES PARA AVALIAÇÃO DE BALNEABILIDADE XI Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste 27 a 30 de novembro de 2012 João Pessoa - PB ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE REGULAMENTAÇÕES PARA AVALIAÇÃO DE BALNEABILIDADE Fabio Muller Hirai - Escola Politécnica

Leia mais

Apresentação da Marca: Acessórios para cozinha Chapas sob medida Tábuas coloridas Peças especiais

Apresentação da Marca: Acessórios para cozinha Chapas sob medida Tábuas coloridas Peças especiais Apresentação da Marca: Acessórios para cozinha Chapas sob medida Tábuas coloridas Peças especiais A Marca: A Duchefe foi fundada pelo grupo Plastireal em 2015 com o objetivo de oferecer as melhores soluções

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32

IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS BIOLÓGICOS DE ACORDO COM A NR 32 1 PROCEDIMENTOS PARA AVALIAÇÃO E CONTROLE DE AGENTES BIOLÓGICOS Objetivo: Determinar a natureza, grau e o tempo de exposição dos trabalhadores

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE)

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) ENTENDENDO O CARDÁPIO Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) O que é um cardápio? CARDÁPIO DO PNAE É a relação das preparações de alimentos a serem oferecidas em uma refeição.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO TÉRMICO DO LEITE PASTEURIZADO TIPO C, COMERCIALIZADO NO MUNICÍPIO DE UBERLANDIA-MG.

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO TÉRMICO DO LEITE PASTEURIZADO TIPO C, COMERCIALIZADO NO MUNICÍPIO DE UBERLANDIA-MG. UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA 4ª Semana do Servidor e 5ª Semana Acadêmica 2008 UFU 30 anos AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO TRATAMENTO TÉRMICO DO LEITE PASTEURIZADO TIPO C, COMERCIALIZADO NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

3M TM Petrifilm TM. Placa para Contagem de E.coli e Coliformes Placa para Contagem de Coliformes. Guia de. Interpretação

3M TM Petrifilm TM. Placa para Contagem de E.coli e Coliformes Placa para Contagem de Coliformes. Guia de. Interpretação 3M TM Petrifilm TM Placa para Contagem de E.coli e Coliformes Placa para Contagem de Coliformes Guia de Interpretação 3M TM Petrifilm TM Placa para Contagem de E.coli e Coliformes Este guia apresenta resultados

Leia mais

1) A selecção do método mais adequado para a conservação de alimentos, depende de factores ambientais e de factores intrínsecos ao próprio alimento. I

1) A selecção do método mais adequado para a conservação de alimentos, depende de factores ambientais e de factores intrínsecos ao próprio alimento. I 1) Quais as condições para que ocorra doença por via da acção de agentes biológicos? 2) Qual a diferença entre intoxicação e infecção alimentar? 3) Quais os microrganismos mais frequentemente considerados

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR/A DE ANIMAIS EM CATIVEIRO

PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR/A DE ANIMAIS EM CATIVEIRO PERFIL PROFISSIONAL TRATADOR/A DE ANIMAIS EM CATIVEIRO Publicação e atualizações Publicado no Despacho n.º13456/2008, de 14 de Maio, que aprova a versão inicial do Catálogo Nacional de Qualificações. PERFIL

Leia mais

ARTIGO EXPERIMENTAL: ANÁLISE MICROBIOLÓGICA EM LATAS DE BEBIDAS MICROBIOLOGICAL ANALYSIS IN BEVERAGE CANS.

ARTIGO EXPERIMENTAL: ANÁLISE MICROBIOLÓGICA EM LATAS DE BEBIDAS MICROBIOLOGICAL ANALYSIS IN BEVERAGE CANS. 1 ARTIGO EXPERIMENTAL: ANÁLISE MICROBIOLÓGICA EM LATAS DE BEBIDAS MICROBIOLOGICAL ANALYSIS IN BEVERAGE CANS. Debora da Silva (Silva, D) * Alex Sandro Pereira Silvério (Silvério, ASP) * Charlotte Cesty

Leia mais

PROTOCOLO PARA COLETA DE HEMOCULTURA

PROTOCOLO PARA COLETA DE HEMOCULTURA PARA COLETA 1 de 5 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial EB, MS RESUMO Descrever técnica correta para coleta de hemocultura e conduta frente a possíveis

Leia mais

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA DE COCO (Cocos nucifera) COMERCIALIZADA POR AMBULANTE NA CIDADE DE SÃO LUÍS MA.

QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA DE COCO (Cocos nucifera) COMERCIALIZADA POR AMBULANTE NA CIDADE DE SÃO LUÍS MA. QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE ÁGUA DE COCO (Cocos nucifera) COMERCIALIZADA POR AMBULANTE NA CIDADE DE SÃO LUÍS MA. Maria Teresa Tavares SEREJO 1, Mônica Araújo das NEVES 2, Natilene Mesquita BRITO 3 (1)

Leia mais

Eliane Maria Ferrarezzo Márcia Valéria Massa Cavaletto Rafael Cérgoli Roberto Melle P. Junior INSTALAÇÕES CIVIS PARA COZINHAS INDUSTRIAIS

Eliane Maria Ferrarezzo Márcia Valéria Massa Cavaletto Rafael Cérgoli Roberto Melle P. Junior INSTALAÇÕES CIVIS PARA COZINHAS INDUSTRIAIS Eliane Maria Ferrarezzo Márcia Valéria Massa Cavaletto Rafael Cérgoli Roberto Melle P. Junior INSTALAÇÕES CIVIS PARA COZINHAS INDUSTRIAIS Primeira Edição Jundiaí 2015 Os autores não autorizam a reprodução

Leia mais

Necessidade presente e futuro em linha fria

Necessidade presente e futuro em linha fria Hospitais da Universidade de Coimbra Unidade de Nutrição e Dietética Coordenadora: Profª Dr.ª Lélita Santos Necessidade presente e futuro em linha fria Maria da Graça Osório Técnica Superior Saúde da U.

Leia mais

A Ovinicultura de leite /queijo Relação produção e Industria. Maria Eugenia Lemos DSAVRC Gouveia Janeiro 2013

A Ovinicultura de leite /queijo Relação produção e Industria. Maria Eugenia Lemos DSAVRC Gouveia Janeiro 2013 A Ovinicultura de leite /queijo Relação produção e Industria Maria Eugenia Lemos DSAVRC Gouveia Janeiro 2013 Estruturas e Normas de Higiene e de Refrigeração na recolha e transporte do leite de ovelha

Leia mais

Avaliação da qualidade microbiológica de sushi comercializado em restaurantes de Aracaju, Sergipe

Avaliação da qualidade microbiológica de sushi comercializado em restaurantes de Aracaju, Sergipe SCIENTIA PLENA VOL. 8, NUM. 3 2012 www.scientiaplena.org.br Avaliação da qualidade microbiológica de sushi comercializado em restaurantes de Aracaju, Sergipe A. A. Santos¹; G. T. N. Simões¹; M. M. Cruz

Leia mais

QUALIDADE DO LEITE E PAGAMENTO POR QUALIDADE MOTIVAÇÃO E PONTOS CHAVE PARA ELEVAR A QUALIDADE

QUALIDADE DO LEITE E PAGAMENTO POR QUALIDADE MOTIVAÇÃO E PONTOS CHAVE PARA ELEVAR A QUALIDADE QUALIDADE DO LEITE E PAGAMENTO POR QUALIDADE MOTIVAÇÃO E PONTOS CHAVE PARA ELEVAR A QUALIDADE ITAMAR COUSSEAU icousseau@hotmail.com Fone: (42) 9123-1308 O QUE É CUSTO CUSTO OPERACIONAL EFETIVO: composto

Leia mais

CONTROLE MICROBIOLÓGICO DA ÁGUA CONSUMIDA POR HOSPITAIS DA CIDADE DO RECIFE/PE CONFORME PORTARIA N.º2914/MINISTÉRIO DA SAÚDE.

CONTROLE MICROBIOLÓGICO DA ÁGUA CONSUMIDA POR HOSPITAIS DA CIDADE DO RECIFE/PE CONFORME PORTARIA N.º2914/MINISTÉRIO DA SAÚDE. CONTROLE MICROBIOLÓGICO DA ÁGUA CONSUMIDA POR HOSPITAIS DA CIDADE DO RECIFE/PE CONFORME PORTARIA N.º2914/MINISTÉRIO DA SAÚDE. Cynthia S. de Souza 1, Bruno José de Lavôr A. Lima 2, Hélida Karla Phillippini

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO CALDO DE CANA FELIPE, L. M 1 ; MIGUEL, D. P. 2

ANÁLISE DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO CALDO DE CANA FELIPE, L. M 1 ; MIGUEL, D. P. 2 Engenharia/Engineering 77 ANÁLISE DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DO CALDO DE CANA FELIPE, L. M 1 ; MIGUEL, D. P. 2 1 Graduada em Licenciatura em Química, Faculdade Luterana do Brasil, Itumbiara (GO), e-mail:

Leia mais

Gordura (g/100g) Mínimo de 3,0. Sólidos Não-Gordurosos (g/100g) Mínimo de 8,4. Acidez em ácido lático (g/100ml) 0,14 a 0,18

Gordura (g/100g) Mínimo de 3,0. Sólidos Não-Gordurosos (g/100g) Mínimo de 8,4. Acidez em ácido lático (g/100ml) 0,14 a 0,18 1. INTRODUÇÃO Atualmente se compreende como leite de qualidade os que seguem os parâmetros de composição química eigidos pela Instrução Normativa Nº62 (IN 62) do MAPA e que sejam seguidos procedimentos

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave: Boas práticas de manipulação, Monitoramento, Manual de Boas Práticas.

RESUMO. Palavras-chave: Boas práticas de manipulação, Monitoramento, Manual de Boas Práticas. AVALIAÇÃO DA IMPLEMENTAÇÃO DE FERRAMENTAS DA QUALIDADE APLICADAS AS BOAS PRÁTICAS NA MANIPULAÇÃO DE ALIMENTOS NA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS /CAMPUS SATUBA. Viviane

Leia mais

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA EM ESPONJAS DE USO DOMÉSTICO. REZENDE, Catia 1 ORTINS, Alci Kelli Nogueira 2 ARAÚJO, Geovana Gabriela Sabino 3 RESUMO

AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA EM ESPONJAS DE USO DOMÉSTICO. REZENDE, Catia 1 ORTINS, Alci Kelli Nogueira 2 ARAÚJO, Geovana Gabriela Sabino 3 RESUMO AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA EM ESPONJAS DE USO DOMÉSTICO REZENDE, Catia 1 ORTINS, Alci Kelli Nogueira 2 ARAÚJO, Geovana Gabriela Sabino 3 RESUMO Sabe-se que a esponja é utilizada para auxiliar a etapa de

Leia mais

ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA UTILIZADA NO IFG - CÂMPUS ANÁPOLIS

ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA UTILIZADA NO IFG - CÂMPUS ANÁPOLIS ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA UTILIZADA NO IFG - CÂMPUS ANÁPOLIS Laressa Rayane Rosa Lima/ laressarayane@hotmail.com Lorraine Gomes Pereira/ lorrainegomes5@hotmail.com IFG / Anápolis Erika Regina Leal

Leia mais

Maturação do queijo Minas artesanal da região de Araxá e contagem de Staphylococcus aureus

Maturação do queijo Minas artesanal da região de Araxá e contagem de Staphylococcus aureus Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013, Belo Horizonte Maturação do queijo Minas artesanal da região de Araxá e contagem de Staphylococcus aureus Amanda Alves Pereira (1), Júnio César

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s)

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo Número: COMUSA 008/2012 Número do Processo: 8-10/1/2012 Unidade de Compra: COMUSA - Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo Proposta(s) Item:

Leia mais