Alimentação Responsável A responsabilidade social dos fornecedores de alimentos e refeições

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Alimentação Responsável A responsabilidade social dos fornecedores de alimentos e refeições"

Transcrição

1 Alimentação Responsável A responsabilidade social dos fornecedores de alimentos e refeições Hábitos Alimentares e Saúde Alexandra Bento Associação Portuguesa dos Nutricionistas 10 de Maio Fundação Cidade de Lisboa

2 Alimentação responsável Direito Humano à Alimentação Adequado Declaração Universal dos Direitos Humanos, da Assembleia Geral das Nações Unidas firmada a 10 de Dezembro de 1948 e publicada, em Portugal, no Diário da República em 9 de Março de 1978 Toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente para lhe assegurar e à sua família a saúde e bem-estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda quanto aos serviços sociais necessários, e tem direito à segurança no desemprego, na doença, na invalidez, na viuvez, na velhice ou noutros casos de perda de meios de subsistência por circunstâncias independentes da sua vontade. ( ). Adoptada e proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas na sua Resolução 217A (III) de 10 de Dezembro de Diário da República, I Série A, n.º 57/78, de 9 de Março de 1978 Direito Humano à Alimentação Adequada O direito a ter acesso regular, permanente e irrestrito, quer directamente, quer através de aquisições alimentares ou financeiras, quantitativa e qualitativamente, adequadas e suficientes, de acordo com as tradições culturais do povo e que garanta um bom estado físico e mental, individual e colectivo, vida plena, digna e livre de medo. United Nations, General Assembly, Human Right Council, Seventh session, 10 January 2008

3 Alimentação responsável Direito Humano à Alimentação Adequado Acesso inadequado aos alimentos saudáveis

4 Alimentação responsável Direito Humano à Alimentação Adequado Elevadas taxas de desemprego Nível de pobreza Diminuição da capacidade monetária para acesso aos alimentos (In) Segurança Alimentar Alimentos disponíveis Acesso aos alimentos Utilização dos alimentos Alimentos seguros e nutricionalmente adequados A segurança alimentar existe quando todas as pessoas, em qualquer momento, têm acesso a alimentos suficientes do ponto de vista físico e económico, alimentos seguros e nutricionalmente adequados às suas necessidades e preferências, para uma vida saudável e activa (World Food Summit, 1996).

5 Estado de Saúde e Alimentação 60% das mortes relatadas a nível mundial foram derivadas às doenças crónicas (Diet, Nurition and the prevention of chronic disease, WHO, 2003) 50% das doenças crónicas: Doenças Cardiovasculares Obesidade Diabetes (Diet, Nurition and the prevention of chronic disease, WHO, 2003) Doenças directamente relacionadas com a Alimentação

6 Doenças Crónicas em Portugal Prevalência de excesso de peso e obesidade no adulto 49,3% ( ) 53,6% ( ) (Overweight and obesity in Portugal: national prevalence in , Carmo, I et al. (Obesity Review 9:11-19, 2008) Prevalência de Diabetes Mellitus tipo 2 no adulto 12,3% 7,2% Diabetes Declarada (Estudo da DGS, 2010) Prevalência de Hipertensão 42,1% (Prevalence, awareness, treatment and control of hypertension in Portugal: the PAP study Hypertens 2005 Sep;23(9):1661-6) Adopção de estilos de vida pouco saudáveis: Alimentação desequilibrada Sedentarismo

7 Impacto da Alimentação na saúde Prevenção de doenças: Nutrition transition and its relationship to the development of obesity and related chronic diseases Astrup A et al; Obes Rev Mar;9 Suppl 1:48-52 Alimentação ideal para a manutenção do peso e prevenir as doenças cardiovasculares: Consumo em Fibra Consumo de alimentos com baixa densidade energética Consumir alimentos de baixa carga glicémica Consumo de Fruta e Produtos Hortícolas Consumo de alimentos ricos em gordura Consumo de bebidas açucaradas

8 Pressupostos Alimentação responsável e sustentável Escolher alimentos e estabelecimentos que contribuam para a realização de trocas comerciais mais justas Escolher alimentos de produtores que optem por uma politica ambientar e social transparente e confirmada Optar por alimentos nacionais, regionais e locais Preservar a biodiversidade e o ecossistema Reduzir o resíduo alimentar Aproveitar as sobras Consumir alimentos de forma sustentável para o ambiente

9 Escolhas Alimentares Influência das escolhas alimentares: Preferências alimentares Conveniência Preocupação com a alimentação Preocupação com a saúde Custo dos alimentos

10 Alimentação Responsável Responsabilidade Social Intervenção da APN Intervenção comunitária (proximidade) Influências nas Políticas Públicas Media Apoio aos governos locais Influência sobre a estratégia da Industria Alimentar e da Restauração Parcerias com outras profissões no âmbito da saúde Parcerias institucionais

11 Intervenção da APN na Responsabilidade Social Parceria APN LIPOR

12 Intervenção da APN na Responsabilidade Social Grau de Escolaridade Mais Baixo Grau de Escolaridade Mais Elevado Analfabetos ou que não completaram ensino primário Completaram ensino superior % do rendimento gasto em alimentação 30% 13%

13 Intervenção da APN na Responsabilidade Social 2008 Ordenado Mínimo Nacional: 480 /Mês Contributo da alimentação mensal (para uma pessoa) 25%-30% / mês de alimentação 4-6,5 /dia de alimentação

14 Intervenção da APN na Responsabilidade Social

15 Intervenção da APN na Responsabilidade Social APN, Abril 2009

16 Intervenção da APN na Responsabilidade Social APN, Abril 2009

17 Intervenção da APN na Responsabilidade Social

18 Intervenção da APN na Responsabilidade Social Position paper APN: Dia Mundial da Alimentação 2010

19 Intervenção da APN na Responsabilidade Social

20 Intervenção da APN na Responsabilidade Social Próximos passos Definição de um Cabaz Alimentar Essencial, no âmbito do Direito Humano à Alimentação Humana Organizações Governamentais e Não Governamentais no âmbito do Direito Humano à Alimentação Adequada

21 Alimentação Responsável A responsabilidade social dos fornecedores de alimentos e refeições Hábitos Alimentares e Saúde Alexandra Bento Associação Portuguesa dos Nutricionistas 10 de Maio Fundação Cidade de Lisboa

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti.

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. Obesidade Infantil Nutrição & Atenção à Saúde Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. A Obesidade Infantil O Problema da Obesidade Infantil É uma doença

Leia mais

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável.

A principal causa da obesidade infantil advêm de uma alimentação pouco saudável e. vida ao ar livre, ou seja com um estilo de vida menos saudável. 5 ao Dia 2008 Enquadramento Mudança de hábitos alimentares das crianças A televisão, os jogos de computador e a internet têm mudado os hábitos das crianças e jovens, tornando-as mais inactivas, com menos

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Dra. Helena Maia Nutricionista ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Dra. Helena Maia Nutricionista OBJECTIVOS Obesidade: Riscos, prevalências e tipos Nutrição / Nutrientes Roda dos Alimentos Alimentação Mediterrânica IMC Conclusão RISCOS RELACIONADOS

Leia mais

Alimentação* Nova Roda dos Alimentos. As recomendações para a população portuguesa, em termos nutricionais, são as seguintes:

Alimentação* Nova Roda dos Alimentos. As recomendações para a população portuguesa, em termos nutricionais, são as seguintes: Alimentação* Nova Roda dos Alimentos A roda dos alimentos é um instrumento de educação alimentar largamente conhecido pela população portuguesa dada a sua utilização desde 1977 na campanha Saber comer

Leia mais

Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em

Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em Estudo de prevalência da hipertensão arterial, excesso de peso e obesidade no concelho de Vizela em 2007-2010 Guimarães A. Unidade de Saúde Familiar Physis, Vizela, Portugal Resumo Este estudo teve como

Leia mais

Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil. Maria Ana Carvalho

Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil. Maria Ana Carvalho Eficácia do Tratamento da Obesidade Infantil Maria Ana Carvalho Objectivos Adoptar estilos de vida mais saudáveis pelas crianças e famílias Alimentação Saudável e Prática de Actividade Física Melhorar

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA ENTENDENDO a doença metabólica A doença metabólica, também chamada de síndrome metabólica ou ainda de plurimetabólica, em geral faz parte de um conjunto de

Leia mais

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB Lindemberg Medeiros de Araújo Evi Clayton de Lima Brasil TRANSIÇÃO NUTRICIONAL: CAUSAS, SIGNIFICADOS, EFEITOS

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO. Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO. Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais PROJECTO DE RESOLUÇÃO Alimentação Humana Promoção e Consumo dos Produtos Regionais Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Exma. Sras. Deputadas e Srs. Deputados Exmo. Sr. Presidente do Governo Exma. Sra. e

Leia mais

Maio, Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Hipertensão Arterial

Maio, Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Hipertensão Arterial Maio, 2014 Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco Hipertensão Arterial Sumário: O que é a Hipertensão Arterial (HTA)?; Causas da HTA; Fatores de Risco; Como prevenir a HTA; Sintomas; Problemas

Leia mais

Tópicos. Cenário Atual. Estratégias e custo efetividade. Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011

Tópicos. Cenário Atual. Estratégias e custo efetividade. Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011 Tópicos Cenário Atual Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011 Estratégias e custo efetividade Envelhecimento Populacional Mais Idade Mais DCNT Mortalidade DCNT = 63% dos

Leia mais

A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios

A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios A saúde dos adolescentes em Portugal: respostas e desafios Andreia Jorge Silva Direção de Serviços de Prevenção da Doença e Promoção da Saúde 1 PNS/ELS - Obesidade Saúde dos Adolescentes PNS/Saúde dos

Leia mais

Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas

Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas Dieta Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas particulares. Contudo, popularmente, o emprego da palavra

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 58/XIII/1.ª PROMOÇÃO DO ACESSO A PRODUTOS DA AGRICULTURA DE PRODUÇÃO LOCAL ÀS CANTINAS PÚBLICAS

PROJETO DE LEI N.º 58/XIII/1.ª PROMOÇÃO DO ACESSO A PRODUTOS DA AGRICULTURA DE PRODUÇÃO LOCAL ÀS CANTINAS PÚBLICAS Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 58/XIII/1.ª PROMOÇÃO DO ACESSO A PRODUTOS DA AGRICULTURA DE PRODUÇÃO LOCAL ÀS CANTINAS PÚBLICAS Exposição de motivos No universo público existem diversas cantinas que

Leia mais

Projecto de Resolução n.º 255/XIII/1.º

Projecto de Resolução n.º 255/XIII/1.º Projecto de Resolução n.º 255/XIII/1.º Recomenda ao Governo que implemente um plano de rastreio ao cancro colo-rectal e que, enquanto medida preventiva, proceda à criação de um plano de sensibilização

Leia mais

Dia Mundial da Alimentação. 16 de outubro de 2013

Dia Mundial da Alimentação. 16 de outubro de 2013 Dia Mundial da Alimentação 16 de outubro de 2013 Sistemas Alimentares Saudáveis Modelo de Intervenção da Associação Portuguesa de Dietistas Associação Portuguesa de Dietistas Dia Mundial da Alimentação

Leia mais

Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Alimentação Saudável L/O/G/O.

Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco. Alimentação Saudável L/O/G/O. Unidade de Cuidados na Comunidade de Castelo Branco Alimentação Saudável L/O/G/O www.themegallery.com Maio 2014 Sumário: O que é uma Alimentação Saudável; Nova Roda dos Alimentos; Recomendações de uma

Leia mais

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito);

Principais sintomas: - Poliúria (urinar muitas vezes ao dia e em grandes quantidades); - Polidipsia (sede exagerada); - Polifagia (comer muito); O diabetes mellitus é uma doença crônica que se caracteriza por uma elevada taxa de glicose (açúcar) no sangue. Essa elevação ocorre, na maioria das vezes, por uma deficiência do organismo em produzir

Leia mais

Grãos integrais no Plano de Ação europeu sobre Alimentação e nutrição

Grãos integrais no Plano de Ação europeu sobre Alimentação e nutrição Margarida Moreira dos Santos João Breda Programa de nutrição, Actividade Física e Obesidade Gabinete Regional para a europa Organização Mundial de Saúde Perspectivas Grãos integrais no Plano de Ação europeu

Leia mais

Qualidade de vida e políticas públicas internacionais. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Qualidade de vida e políticas públicas internacionais. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Qualidade de vida e políticas públicas internacionais Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Estimativas e projeções Doenças crônicas não transmissíveis causam 60% das mortes no mundo. Estima-se que

Leia mais

Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável

Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável Projecto MobES, Mobilidade e Envelhecimento Saudável Projecto MobES - JUSTIFICAÇÃO Aumento da Esperança Média de Vida associa-se a: Prevalência de doenças crónicas; Custos na saúde. Inatividade Física

Leia mais

Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico

Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Vigitel Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico Avaliação Dados de 2013 Periodicidade: anual desde 2006 Público: maiores de 18 anos e residentes nas 26

Leia mais

A FISIOTERAPIA E OS ESTILOS DE VIDA. cuidados de saúde

A FISIOTERAPIA E OS ESTILOS DE VIDA. cuidados de saúde A FISIOTERAPIA E OS ESTILOS DE VIDA cuidados de saúde Prof. Teresa Tomás Prof. Luísa Pedro Estilos de vida e a Actividade Física Declaração de Alma-Ata (1978) 1º declaração sobre princípios dos cuidados

Leia mais

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Orientações Programáticas

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Orientações Programáticas Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável Orientações Programáticas 1 - Enquadramento Portugal era um dos poucos países Europeus que não dispunha de um programa nacional de alimentação,

Leia mais

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs -PNAN - Portaria 1.010 - Estatuto da criança e do adolescente -PCNs Alimentação Escolar Aline Guimarães Nutricionista - CECANE UnB PNAN Política Nacional de Alimentação e Nutrição Alimentação escolar PNAN

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO

EDUCAÇÃO FÍSICA FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO EDUCAÇÃO FÍSICA 7 ANO PROF.ª JUCIMARA BRITO FUNDAMENTAL PROF.ª FRANCISCA AGUIAR CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade I Tecnologia: Corpo, Movimento e Linguagem na Era da Informação 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES

Leia mais

Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar. Mariana Santos. 29 de Abril 2015

Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar. Mariana Santos. 29 de Abril 2015 Alimentação Saudável: Desafios em meio escolar & familiar 29 de Abril 2015 Mariana Santos Departamento de Alimentação e Nutrição, Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, I.P., Lisboa, Portugal

Leia mais

Incentivo à Alimentação Saudável. Julho de 2016

Incentivo à Alimentação Saudável. Julho de 2016 Incentivo à Alimentação Saudável Julho de 2016 Como é o hábito alimentar do brasileiro PERFIL ALIMENTAR DO ADULTO Apesar de incluir mais frutas e hortaliças na rotina, os brasileiros consomem doces e refrigerantes

Leia mais

10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Referências Bibliográficas 1 - Correia de Campos A. Saúde o custo de um valor sem preço. Lisboa: Editora Portuguesa de Livros Técnicos e Científicos. 1983. 2 - Direcção

Leia mais

CONCURSO RECEITAS ORIGINAIS COM REAPROVEITAMENTO DE SOBRAS DE ALIMENTOS

CONCURSO RECEITAS ORIGINAIS COM REAPROVEITAMENTO DE SOBRAS DE ALIMENTOS CONCURSO RECEITAS ORIGINAIS COM REAPROVEITAMENTO DE SOBRAS DE ALIMENTOS O ano de 2016 foi declarado pela Assembleia da Republica como o ano nacional do combate ao desperdício alimentar. O desperdício alimentar

Leia mais

DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO

DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO DIABETES: ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR (NOV 2016) - PORTO A Diabetes Mellitus é uma doença crónica, cujos índices de incidência e prevalência aumentam a cada ano. Para poderem prestar cuidados de saúde globais

Leia mais

O coração. Por isso, recomenda-se o controle dos fatores de risco. o que são doenças cardiovasculares?

O coração. Por isso, recomenda-se o controle dos fatores de risco. o que são doenças cardiovasculares? Coração saudável O coração É o músculo mais importante do nosso corpo, pois é encarregado de bombear o sangue, levando oxigênio e nutrientes a todos os órgãos por meio de vasos sanguíneos chamados artérias.

Leia mais

Izabela Alves Gomes Nutricionista UERJ Mestranda em Alimentos e Nutrição - UNIRIO

Izabela Alves Gomes Nutricionista UERJ Mestranda em Alimentos e Nutrição - UNIRIO Izabela Alves Gomes izabela.nut@gmail.com Nutricionista UERJ Mestranda em Alimentos e Nutrição - UNIRIO Rio de Janeiro - 2016 É considerado vegetariano todo aquele que exclui de sua alimentação todos os

Leia mais

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana.

AULA: 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. : 5 - Assíncrona TEMA: Cultura- A pluralidade na expressão humana. Conteúdo: Doenças relacionadas ao sedentarismo Diabetes. Doenças relacionadas ao sedentarismo Hipertensão arterial e dislipidemias. Habilidades:

Leia mais

Repercussões do Guia Alimentar para a População Brasileira para as Políticas Públicas

Repercussões do Guia Alimentar para a População Brasileira para as Políticas Públicas 1o Encontro com Referência Estaduais de Alimentação e Nutrição e Ações de promoção da alimentação saudável e adequada Repercussões do Guia Alimentar para a População Brasileira para as Políticas Públicas

Leia mais

Novo Guia Alimentar para a População Brasileira

Novo Guia Alimentar para a População Brasileira Novo Guia Alimentar para a População Brasileira Prof Ms. Lovaine Rodrigues/CRN2 4956 Esp. Nutrição Infantil- UNIFESP MSc. Pediatria UFRGS Docente - UNISINOS Guia Alimentar Conjunto de informações, análises,

Leia mais

EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX

EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX A tendência do número de nascimentos em Portugal neste período é de um decréscimo. O período de 1975 a 1977 contraria esta evolução devido a fatores

Leia mais

Parece novela, mas não é. Com vários mocinhos e vilões, o mundo da alimentação se

Parece novela, mas não é. Com vários mocinhos e vilões, o mundo da alimentação se Entenda por que o açúcar está sendo apontado como novo vilão da alimentação Relação do alimento com aumento de peso e diabetes estão entre principais preocupações Matéria publicada em 12 de Abril de 2015

Leia mais

ANÁLISE DA ASSOCIAÇÃO ENTRE VARIÁVEIS DE PERCEPÇÃO FAMILIAR SOBRE A SUFICIÊNCIA E O TIPO DOS ALIMENTOS CONSUMIDOS E RENDA E IDADE

ANÁLISE DA ASSOCIAÇÃO ENTRE VARIÁVEIS DE PERCEPÇÃO FAMILIAR SOBRE A SUFICIÊNCIA E O TIPO DOS ALIMENTOS CONSUMIDOS E RENDA E IDADE ANÁLISE DA ASSOCIAÇÃO ENTRE VARIÁVEIS DE PERCEPÇÃO FAMILIAR SOBRE A SUFICIÊNCIA E O TIPO DOS ALIMENTOS CONSUMIDOS E RENDA E IDADE Vladimir Schuindt da Silva (1); Enaiane Cristina Menezes (2) 1 Universidade

Leia mais

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE ANEXO 3 PROGRAMA CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE 1. Conhecimentos sobre o SUS - Legislação da Saúde: Constituição Federal de 1988 (Título VIII - capítulo II - Seção II); Lei 8.080/90 e Lei 8.142/90; Norma

Leia mais

Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas

Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas Aumentar o Consumo dos Hortofrutícolas As doenças crónicas não transmissíveis são responsáveis por 63% das causas de morte no mundo Fonte: WHO; Global status report on noncommunicable diseases, 2010 O

Leia mais

Código QUESTIONÁRIO GERAL SOBRE CONDIÇÕES DE SAÚDE

Código QUESTIONÁRIO GERAL SOBRE CONDIÇÕES DE SAÚDE Código QUESTIONÁRIO GERAL SOBRE CONDIÇÕES DE SAÚDE Instruções: Assinale com um X a resposta que considera mais correta em relação a cada uma das perguntas. Em alguns casos a questão é de resposta múltipla.

Leia mais

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares.

O que é a obesidade? Nas doenças associadas destacam-se a diabetes tipo II e as doenças cardiovasculares. obesidade O que é a obesidade? A obesidade é considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a epidemia do século XXI! O excesso de peso e a obesidade são diferentes graus de uma doença em que se verifica

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO 2013.1 DADOS DO ESTÁGIO CÓDIGO ÁREA CARGA HORÁRIA PERÍODO HORÁRIO Nutrição Social 230h 7 7h30 às 12h30 SUPERVISOR(A) Eliete

Leia mais

, Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando

, Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando RESOLUÇÃO CNS Nº O Plenário do Conselho Nacional de Saúde, em sua 192ª Reunião Ordinária, realizada nos dias 10 e 11 de dezembro de 2008, no uso de suas competências regimentais e atribuições conferidas

Leia mais

Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica. Obesidade Bibliografia Conclusão

Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica. Obesidade Bibliografia Conclusão Bulimia Nervosa Anorexia: -Anorexia Nervosa -Anorexia Alcoólica Obesidade Bibliografia Conclusão A Bulimia nervosa é um transtorno alimentar causado pela ingestão de grandes quantidades de alimentos, seguidos

Leia mais

Quando você precisar, nós estaremos lá.

Quando você precisar, nós estaremos lá. DIA DO COMBATE AO COLESTEROL COLESTEROL, NOÇÕES IMPORTANTES. O controle do colesterol faz parte de um estilo de vida saudável, que inclui atividade física regular, controle do peso, do estresse e parar

Leia mais

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Janaína V. dos S. Motta EPIDEMIOLOGIA NUTRICIONAL Relatório Mundial de Saúde 1) Água contaminada e falta de saneamento; 2) Uso de combustíveis

Leia mais

I - criação e manutenção de um diagnóstico atualizado da situação alimentar dos estudantes;

I - criação e manutenção de um diagnóstico atualizado da situação alimentar dos estudantes; COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 1.699, DE 2003 Institui a Política de Prevenção e Controle dos Distúrbios Nutricionais e das Doenças Associadas à Alimentação e Nutrição no Sistema

Leia mais

Hipertensão Diabetes Dislipidemias

Hipertensão Diabetes Dislipidemias Hipertensão Diabetes Dislipidemias Hipertensão A pressão alta atinge 24,3% da população adulta brasileira e é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Projeto Clube de Nutrição julho de 2013 1. Enquadramento A Obesidade é provavelmente o maior problema, relacionado com a saúde, que a sociedade moderna apresenta.

Leia mais

Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública

Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública Audiência Pública P 18 de novembro de 2009 Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública Maria José Delgado Fagundes Gerente Geral - /ANVISA Perfil Epidemiológico Brasileiro Atual:

Leia mais

Perspectivas e desafios da redução do sódio em nível nacional e internacional

Perspectivas e desafios da redução do sódio em nível nacional e internacional Perspectivas e desafios da redução do sódio em nível nacional e internacional Padrão alimentar da população brasileira Mudanças no consumo alimentar e os desafios para a agenda de redução do consumo de

Leia mais

Qualidade de vida com Esporte na Unisul

Qualidade de vida com Esporte na Unisul Qualidade de vida com Esporte na Unisul A percepção do indivíduo sobre a sua posição na vida, no contexto da cultura e dos sistemas de valores nos quais ele vive, e em relação a seus objetivos, expectativas,

Leia mais

ECOLOGIA E ECONOMIA 1. CARACTERÍSTICAS DA SOCIEDADE MODERNA

ECOLOGIA E ECONOMIA 1. CARACTERÍSTICAS DA SOCIEDADE MODERNA ECOLOGIA E ECONOMIA 1. CARACTERÍSTICAS DA SOCIEDADE MODERNA Altas taxas de mudanças Incremento das inovações tecnológicas Incremento nas inovações sociais Ambiente de incertezas Globalização: mercados

Leia mais

Perfil de Hábitos Alimentares e IMC dos Alunos dos Cursos de Educação Física e Tecnologia da Informação

Perfil de Hábitos Alimentares e IMC dos Alunos dos Cursos de Educação Física e Tecnologia da Informação BALBINO, Jhonatan Sousa [1] SOUZA, Vanessa Batista [2] BALBINO, jhonatan Sousa e SOUZA, Vanessa Batista Perfil de hábitos alimentares e IMC dos alunos do curso de educação física e tecnologia da informação.

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

Perder peso comendo bem. Melhores alimentos e chás para emagrecer.

Perder peso comendo bem. Melhores alimentos e chás para emagrecer. Perder peso comendo bem. Melhores alimentos e chás para emagrecer. Como Perder Peso, saiba como acabar com a obesidade. Quando falamos em perder peso, estamos falando em eliminar a obesidade, que é o mal

Leia mais

Codex Alimentarius. 1º Módulo.

Codex Alimentarius. 1º Módulo. Codex Alimentarius 1º Módulo Codex Alimentarius 1º Módulo Conceitos Objetivos Histórico Expressão latina que significa código ou lei de alimentos. O que é o Codex Alimentarius? O Codex Alimentarius é um

Leia mais

18 7 de Outubro de 2008 Número 127

18 7 de Outubro de 2008 Número 127 18 7 de Outubro de 2008 Resolução n.º 1012/2008 Considerando que a Marítimo da Madeira - Futebol - - SAD necessita de reunir a Assembleia-Geral, sem observância das formalidades prévias nos termos do artigo

Leia mais

AMBIENTE E TERRITÓRIO 9 ª aula

AMBIENTE E TERRITÓRIO 9 ª aula Licenciatura em Engenharia do Território 3º ano / 6º semestre AMBIENTE E TERRITÓRIO 9 ª aula Biodiversidade e serviços dos ecossistemas Convenção da Diversidade Biológica Nações Unidas Assinada no Rio

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Gerência de Estudos e Pesquisas Sociais Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Data 26/08/2016 Introdução Adolescência Transição

Leia mais

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição

Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Aluna: Laise Souza Mestranda em Alimentos e Nutrição glicose

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014. ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final

ANO LETIVO 2013/2014. ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final ANO LETIVO 2013/2014 ESTUDO DO IMC (Índice de Massa Corporal) Avaliação Final Índice O que é o IMC? Objetivo do Estudo Procedimentos do Estudo Amostra Utilizada Apresentação dos Resultados Principais Conclusões

Leia mais

QUANTO CUSTA PARA AS FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA OBTEREM UMA DIETA SAUDÁVEL NO BRASIL?

QUANTO CUSTA PARA AS FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA OBTEREM UMA DIETA SAUDÁVEL NO BRASIL? XIV Encontro Nacional da Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Reunião do Programa Bolsa Família na Saúde QUANTO CUSTA PARA AS FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA OBTEREM UMA DIETA SAUDÁVEL NO BRASIL? Camila Borges

Leia mais

CUIDADOS COM A SAÚDE

CUIDADOS COM A SAÚDE CUIDADOS COM A SAÚDE Andressa Malagutti Assis Realizar exames periodicamente, fazer exercícios e cuidar da alimentação são medidas básicas para cuidar da saúde. Além de prevenir e ajudar na cura de doenças

Leia mais

Responsável pela Candidatura Cargo Departamento Ana Gonçalves / Gestora Inovação & Embaxadora CSR/ Marketing

Responsável pela Candidatura Cargo Departamento Ana Gonçalves / Gestora Inovação & Embaxadora CSR/ Marketing FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Organização Fromageries Bel Portugal, S.A. Diretor(a) Ana Cláudia Sá Setor de Atividade Agro-Indústria Número de Efetivos 521 NIF 503130630 Morada Urbanização João Chagas, nº4b

Leia mais

Sociedade Portuguesa para o

Sociedade Portuguesa para o Prevalência e Monitorização da Obesidade e do Controlo do Peso Prevalência da Obesidade Índice de Massa Corporal (IMC) Excesso de Peso 25-30 kg/m 2 Obesidade >30 kg/m 2 Exemplo: Mulher com 1,65 m 68-82

Leia mais

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde

Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde Fórum Concelhio Para a Promoção da Saúde CASCAIS SAUDÁVEL 1. Contexto SÓCIO-POLÍTICO: Saúde na ordem do dia Envelhecimento da população Sustentabilidade do SNS Transferência de competências para as Autarquias

Leia mais

MENOS SAL MAIS SABOR A VIDA. Corte no Sal e não na sua Vida! Vai ver que a Vida ganha um novo Sabor. Com o apoio. Uma iniciativa

MENOS SAL MAIS SABOR A VIDA. Corte no Sal e não na sua Vida! Vai ver que a Vida ganha um novo Sabor. Com o apoio. Uma iniciativa MENOS SAL Corte no Sal e não na sua Vida! Vai ver que a Vida ganha um novo Sabor. Uma iniciativa Com o apoio Fazer bem está na nossa NATUREZA. O Sal consumido em excesso tem riscos para a saúde. Sabe quais

Leia mais

Hábitos Alimentares Saudáveis

Hábitos Alimentares Saudáveis ESCOLA PROMOTORA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: EXPERIÊNCIAS E PRÁTICAS Msc. Patrícia Martins Fernandez Colaboradora técnica do Projeto A Escola Promovendo Colaboradora técnica do Projeto A Escola Promovendo

Leia mais

Oficina Base. A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN

Oficina Base. A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN Oficina Base A Segurança Alimentar e Nutricional e o Sistema de SAN Programação da Oficina 10h Histórico da SAN no Brasil 10h40 Intervalo 11h Construindo o conceito de SAN 12h Almoço 14h Check-in da tarde

Leia mais

DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA

DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA NOSSA MISSÃO Contribuir para a garantia do Direito Humano à Alimentação Adequada, fiscalizando, normatizando e disciplinando o exercício profissional do nutricionista e do técnico em Nutrição e Dietética,

Leia mais

Metodologia e Amostra

Metodologia e Amostra Job: 130361 Introdução Objetivo Investigar os hábitos alimentares dos brasileiros que trabalham fora, durante o período de trabalho, comparando trabalhadores que recebem o benefício refeição com aqueles

Leia mais

NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE

NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE Luanda 3 de Fevereiro de 2014 2 Novos Hábitos Sustentáveis Quem deve PARTICIPAR? Adquirir Competências. Partilhar Experiências. Decisores, Directores

Leia mais

Avaliação dos Programas de Saúde nos Cuidados de Saúde Primários

Avaliação dos Programas de Saúde nos Cuidados de Saúde Primários PATROCINADOR OURO Avaliação dos Programas de Saúde nos Cuidados de Saúde Primários Isabel Hintze d Almeida MFamília- CS Povoação Isabel_h_almeida@hotmail.com 1 Sumário Qualidade em CSP Programas Regionais

Leia mais

Promoção de escolhas alimentares saudáveis

Promoção de escolhas alimentares saudáveis Promoção de escolhas alimentares saudáveis recente em ambiente para o setor universitário da restauração Menus. Dietas e obesidade. uma problemálca IX Ciclo de Conferências de Química Universidade de Aveiro

Leia mais

Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos

Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos Valorizar os Produtos Locais - Importância dos circuitos curtos Seminário Pequenos Investimentos Produzir e vender com Qualidade e Segurança Luís Chaves 01 de setembro de 2016 Rio Maior 1. A Federação

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR-PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE 10 ELEMENTOS CHAVE Objetivo Apresentar o componente nutricional inserido na alimentação escolar Metodologia

Leia mais

Alimentação Saudável Nutricionista Filomena Borges

Alimentação Saudável Nutricionista Filomena Borges Alimentação Saudável Nutricionista Filomena Borges Alimentação saudável Sabe-se que os hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis são aprendidos e cimentados através das relações sociais que se vão

Leia mais

Total. Analisando os custos para os países até 2030, o estudo foca naqueles passíveis de impactar diretamente o PIB, dentre eles:

Total. Analisando os custos para os países até 2030, o estudo foca naqueles passíveis de impactar diretamente o PIB, dentre eles: Resumo do estudo Impactos econômicos das doenças crônicas na produtividade e na aposentadoria precoce: o Brasil em foco (Victoria University - Austrália) 1. Resumo Executivo O envelhecimento da população

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO (ID) [ ] ( ) Questionário [ ] ( ) Entrevistador (bolsista)

Leia mais

Risco de doenças crônicas e o consumo excessivo de... Sal e obesidade. Roseli Oselka Saccardo Sarni. Sal e risco de doenças

Risco de doenças crônicas e o consumo excessivo de... Sal e obesidade. Roseli Oselka Saccardo Sarni. Sal e risco de doenças Risco de doenças crônicas e o consumo excessivo de... Sal e obesidade Roseli Oselka Saccardo Sarni Sal e risco de doenças Consumo excessivo de sal (> 5g/dia, 1 g de sal=0.4 g sódio) relaciona-se com o

Leia mais

Exercite-se com seu diabetes

Exercite-se com seu diabetes Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Exercite-se com seu diabetes Benefícios da atividade física Se você é diabético não tenha medo de

Leia mais

Fazer uma mudança, assumindo a responsabilidade. O papel do marketing na entrega de um sistema de saúde sustentável e bem sucedido.

Fazer uma mudança, assumindo a responsabilidade. O papel do marketing na entrega de um sistema de saúde sustentável e bem sucedido. Fazer uma mudança, assumindo a responsabilidade O papel do marketing na entrega de um sistema de saúde sustentável e bem sucedido. Michael Simpkins Mais de 20 anos de trabalho em todo o mercado de saúde

Leia mais

PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE

PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE Ano lectivo 2009/2010 PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE Equipa: Ana Luísa Leal António Sousa Célia Oliveira Justa Costa PROJECTO EDUCAR PARA A SAÚDE 1º PERÍODO ÁREA de INTERVENÇÃO- HÁBITOS ALIMENTARES DEFICITÁRIOS

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Hiperdia. Hipertensão. Diabetes.

PALAVRAS-CHAVE Hiperdia. Hipertensão. Diabetes. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Leguminosas. Sementes nutritivas para um futuro sustentável. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP

Leguminosas. Sementes nutritivas para um futuro sustentável. Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP Leguminosas Sementes nutritivas para um futuro sustentável FAO, 2016 Hélder Muteia Representante da FAO em Portugal/CPLP FAO-PT@fao.org www.fao.org/portugal 14 de Abril de 2016 As leguminosas secas sempre

Leia mais

Projecto de Enfermagem para o Prestador de Cuidados

Projecto de Enfermagem para o Prestador de Cuidados Unidade de Cuidados na Comunidade-1º Ano de Vida Projecto de Enfermagem para o Prestador de Cuidados Dilma Pereira Raquel Azevedo Enfermeiras Especialistas em Enfermagem Comunitária Projecto de Enfermagem

Leia mais

Estratégia para a promoção da alimentação saudável em Portugal

Estratégia para a promoção da alimentação saudável em Portugal Informação do Artigo Citação: Portugal Saúde em Números 2015; 4; 37-41 Histórico: recebido - 31-07-2013 revisto - 31-10-2013 aceite - novembro 2013 prova - 07/09/2015 online - 09-10-2015 2015 outubro 04

Leia mais

Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Ministério da Saúde

Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Ministério da Saúde Situação Alimentar e Nutricional no Brasil e no Mundo - O rápido declínio da desnutrição infantil no Brasil e o papel das políticas públicas na redução das desigualdades Coordenação-Geral da Política de

Leia mais

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN Ana Paula Araujo de Souza 1 ; Luciana Karla Miranda Lins 2 1 Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência

Leia mais

Na hipertensão arterial

Na hipertensão arterial Erros frequentes na prática clínica como evitá-los? Na hipertensão arterial - Novembro de 2013 - Liliana Marta Serviço de Cardiologia, Hospital de Santarém Hipertensão Arterial Importante problema de saúde

Leia mais

PREOCUPAÇÃO COM A SAÚDE

PREOCUPAÇÃO COM A SAÚDE PREOCUPAÇÃO COM A SAÚDE Tâmara Barros Cuidar da alimentação, fazer exercícios regularmente e ter uma boa noite de sono são medidas básicas para manter a saúde. Além de prevenir e ajudar na cura de doenças,

Leia mais

Estratégias para a Saúde

Estratégias para a Saúde Estratégias para a Saúde V.1) Cadernos do PNS Acções e Recomendações Promoção da Cidadania em Saúde (Versão Discussão) ESTRATÉGIAS PARA A SAÚDE V.1) CADERNOS DO PNS - ACÇÕES E RECOMENDAÇÕES PROMOÇÃO DA

Leia mais

SEMINÁRIO. Observatório da Nutrição e Alimentação em Portugal 1ª Edição. Fundação Calouste Gulbenkian 15:30. 21 de março de 2013

SEMINÁRIO. Observatório da Nutrição e Alimentação em Portugal 1ª Edição. Fundação Calouste Gulbenkian 15:30. 21 de março de 2013 SEMINÁRIO Observatório da Nutrição e Alimentação em Portugal 1ª Edição Fundação Calouste Gulbenkian 15:30 Programa do seminário 15:30 - Receção aos participantes 16:00 - Sessão de Abertura Dr. Helena Ávila

Leia mais

Descrição do produto. Categoria Fiscal ANVISA. MS: RDC 27/2010 / Anexo 1. Características. Pó de cor bege-marrom, solúvel em água.

Descrição do produto. Categoria Fiscal ANVISA. MS: RDC 27/2010 / Anexo 1. Características. Pó de cor bege-marrom, solúvel em água. Vida Forte Ind. e Com. de Prod. Naturais Ltda. Descrição do produto Ficha Técnica de TERMO PLUS Sabores: Frutas Vermelhas Laranja Limão Termo Plus é um produto para auxiliar na redução de gordura com ingredientes

Leia mais

Alimentação e o corpo: muito além dos nutrientes

Alimentação e o corpo: muito além dos nutrientes Alimentação e o corpo: muito além dos nutrientes Juliana Bergamo Vega Mestre e Especialista em Alimentacao Infantil UNIFESP Coordenadora de pesquisa do Programa de Atendimento, Ensino e Pesquisa em Transtornos

Leia mais

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA Avaliação, diagnóstico e acompanhamento do paciente no pré e pós operatório REALIZAÇÃO APOIO JUSTIFICATIVA É crescente

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL

PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL PERFIL NUTRICIONAL PESSOAL Nº de Empresário Nome completo: Data: Telefone: e-mail: Data de nascimento: Idade: Sexo: Feminino Consome algum suplemento nutricional? Se sim, quantos? Sim Masculino Não Por

Leia mais