O Futuro do Ensino Médico no Brasil. Mílton de Arruda Martins Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Futuro do Ensino Médico no Brasil. Mílton de Arruda Martins Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo"

Transcrição

1 O Futuro do Ensino Médico no Brasil Mílton de Arruda Martins Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

2

3 MEDICAL EDUCATION IN THE UNITED STATES AND CANADA A REPORT TO THE CARNEGIE FOUNDATION FOR THE ADVANCEMENT OF TEACHING BY ABRAHAM FLEXNER WITH AN INTRODUCTION BY HENRY S. PRITCHETT PRESIDENT OF THE FOUNDATION BULLETIN NUMBER FOUR (1910)

4 Escolas Médicas no Brasil (n=180) ( vagas) Fonte: escolasmedicas.com.br

5 Escolas Médicas no Brasil (n=180) ( vagas) Mais de 50% dos Programas de Residência (migração interna de médicos jovens) Fonte: escolasmedicas.com.br

6 Ano de Criação das Escolas Médicas Número de Cursos de Medicina Ano de Início do Curso

7 Meu curso de medicina corresponde às minhas expectativas 40.0% 35.0% 30.0% 25.0% 20.0% 15.0% 10.0% 5.0% 0.0% CT C I D DT 50.0% 45.0% 40.0% 35.0% 30.0% 25.0% 20.0% 15.0% 10.0% 5.0% 0.0% CT C I D DT CT C I D DT CT C I D DT CT C I D DT CT C I D DT N NE CO SE S 45.0% 40.0% 35.0% 45.0% 40.0% 30.0% 35.0% 25.0% 20.0% 15.0% 10.0% 5.0% 0.0% CT C I D DT CT C I D DT 30.0% 25.0% 20.0% 15.0% 10.0% 5.0% 0.0% CT C I D DT CT C I D DT CT C I D DT Masc Fem 1 /2 3 /4 5 /6

8 Ampliação dos Cenários de Prática Hospital Universitário Ambulatório Centro de Saúde Escola Hospital Secundário Unidade Básica de Saúde Distrito de Saúde Escola Sistema Municipal de Saúde Escola Sistema Único de Saúde Escola

9 Projeto CINAEM Projeto Pedagógico Desenvolvimento Docente Gestão do Curso Infra-estrutura e Cenários de Ensino- Aprendizagem Avaliação

10 Diretrizes Curriculares: Perfil do médico a ser formado Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado em princípios éticos, no processo de saúde-doença em seus diferentes níveis de atenção, com ações de promoção, prevenção, recuperação e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do ser humano

11 Diretrizes Curriculares (MEC) Competências Gerais do Médico Atenção à Saúde Tomada de Decisões Comunicação Liderança Administração e Gerenciamento Educação Permanente

12 Políticas de Incentivo ao Aprimoramento dos Cursos de Medicina O Ministério da Saúde tem feito programas de incentivo ao aperfeiçoamento da graduação. Exemplos são o PROMED e o PROSAÚDE. O Ministério da Educação, através da Secretaria de Ensino Superior definiu critérios mais rigorosos para autorização de novos Cursos de Medicina. O MEC já determinou redução de vagas e suspensão de vestibulares, a partir de propostas de Grupo de Trabalho coordenado pelo Prof. Adib Jatene. O MEC e o MS criaram Câmara Interministerial para estabelecer estratégias conjuntas. É fundamental que critérios rigorosos sejam aplicados também para o reconhecimento e renovação de reconhecimento.

13 Organização do curso de graduação em Medicina Ter como eixo do desenvolvimento curricular as necessidades de saúde dos indivíduos e das populações referidas pelo usuário e identificadas pelo setor saúde. Utilizar metodologias que privilegiem a participação ativa do aluno na construção do conhecimento e a integração entre os conteúdos, além de estimular a interação entre o ensino, a pesquisa e a extensão/assistência

14 100 Distribuição dos conteúdos ao longo do curso 80 Conteúdos Básicos Porcent tagem Conteúdos Clínicos Ano do Curso

15 Algumas Perguntas Fundamentais Qual a melhor forma de selecionar os candidatos para os Cursos de Medicina? Todos os médicos recém-formados deverão fazer Residência Médica para exercer sua profissão? Quantos médicos o Brasil necessita formar por ano? Quantos especialistas de cada área devem ser formados?

16 Como evitar excesso de conteúdos?

17 E o que é importante mas não é dado?

18 Algumas Características de um Curso de Medicina do Século XXI Prioridade aos conteúdos e às competências socialmente relevantes Modelo sistêmico, bio-psico-social e ambiental de saúde (Visão Integral do Ser Humano) Forte ênfase nas bases científicas da prática médica e utilização da Iniciação Científica como estratégia para adquirir várias competências profissionais Contato com o paciente e a comunidade desde o início do Curso Médico Emprego de metodologias ativas e problematizadoras de ensino-aprendizagem, visando desenvolver a autonomia do estudante Considerar a Prática como orientadora da Aprendizagem

19 Algumas Características de um Curso de Medicina do Século XXI Inserção do estudante em todos os níveis da Atenção à Saúde Ensino integrado, tanto dos conteúdos básicos como dos clínicos Forte formação em habilidades de comunicação Formação em humanidades, ética e responsabilidade social Tempo para o estudante estudar, conquistar sua autonomia intelectual Programas de tutoria e suporte ao estudante

20 Algumas Características de um Curso de Medicina do Século XXI Utilização intensa de recursos computacionais, de simulação e da Internet Forte inserção na comunidade local Avaliação contínua do estudante, tanto de conhecimentos como de habilidades e atitudes, com características formativas. Participação dos docentes e estudantes na gestão do curso O ingresso na Escola Médica será feito através de seleção em que conhecimentos, habilidades e atitudes sejam avaliados.

21 Algumas Características de um Curso de Medicina do Século XXI Desenvolvimento permanente dos docentes em metodologias de ensino e de avaliação Carreira acadêmica para o docente-educador

22 Aprimorar a Avaliação O Exame de Ordem é a solução? Múltiplas avaliações Avaliações não só de conhecimentos, mas de habilidades e atitudes Durante o curso para permitir correções de trajetória Formativa Que dê responsabilidade para a Escola Médica

23 Aprimorar a Avaliação O Exame de Ordem é a solução? Múltiplas avaliações Avaliações não só de conhecimentos, mas de habilidades e atitudes Durante o curso para permitir correções de trajetória Formativa Que dê responsabilidade para a Escola Médica Ou exames durante o Curso de Medicina são uma solução melhor?

24 Algumas Características de um Curso de Medicina do Século XXI Desenvolvimento permanente dos docentes em metodologias de ensino e de avaliação Carreira acadêmica para o docente-educador Muito obrigado

Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE

Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE Eixo 3 - Processos de avaliação na formação de qualidade em Enfermagem Tema 2 - Avaliação do estudante no ENADE Prof. Dr. Marcos Antonio Ferreira Júnior Universidade Federal do Rio Grande do Norte Comissão

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS: o que há por mudar? Profª. Drª. Eucléa Gomes Vale

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS: o que há por mudar? Profª. Drª. Eucléa Gomes Vale DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS: o que há por mudar? Profª. Drª. Eucléa Gomes Vale DIRETRIZES CURRICULARES Alguns pressupostos: NACIONAIS - a Enfermagem atua no campo da saúde com mais 13 profissões

Leia mais

PORTARIA Nº 240, DE 10 DE MAIO DE 2013

PORTARIA Nº 240, DE 10 DE MAIO DE 2013 Página 1 de 6 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 240, DE 10 DE MAIO DE 2013 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Farmácia Campus: Campos dos Goytacazes Missão O curso tem como missão formar profissionais farmacêuticos com visão generalista e humanista capazes de exercer atividades

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DO NORTE GOIANO OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM Objetivos do curso O Curso de Graduação em Enfermagem tem por objetivo formar bacharel em enfermagem (enfermeiro) capaz de influenciar na construção

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM Missão Objetivo Geral Objetivos Específicos

CURSO: ENFERMAGEM Missão Objetivo Geral Objetivos Específicos CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Farmácia Campus: Petrópolis Missão O curso tem como missão formar profissionais farmacêuticos capazes de exercer atividades referentes aos fármacos e aos medicamentos,

Leia mais

CURSOS DA ÁREA DE SAÚDE

CURSOS DA ÁREA DE SAÚDE CURSOS DA ÁREA DE SAÚDE Curso Carga Horária Total Mínima % Carga Horária Mínima - Estágios Medicina 7.200 35% Medicina Veterinária 4.000 10% Odontologia 4.000 20% Psicologia 4.000 15% Biomedicina 3.200

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1.1 Denominação Curso de Bacharelado em Direito 1.2 Portarias: Reconhecimento: Portaria nº 522, de 15/10/2013 1.3 Total de Vagas Anuais 160 vagas anuais 1.4 Regime Acadêmico

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão Curso: ENFERMAGEM SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão Formar Enfermeiros qualificados para atuar em todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFMG

DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFMG DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFMG DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFMG Descrição comparativa com as Diretrizes Nacionais Curriculares do Curso

Leia mais

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE CURSO Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas 1. Perfil do

Leia mais

Dimensão 1 DIDÁTICO-PEDAGÓGICA. 1.1 Gestão Acadêmica 1.2 Projeto do Curso 1.3 Atividades acadêmicas articuladas ao ensino de graduação

Dimensão 1 DIDÁTICO-PEDAGÓGICA. 1.1 Gestão Acadêmica 1.2 Projeto do Curso 1.3 Atividades acadêmicas articuladas ao ensino de graduação Dimensão 1 DIDÁTICO-PEDAGÓGICA CATEGORIAS DE ANÁLISE 1.1 Gestão Acadêmica 1.2 Projeto do Curso 1.3 Atividades acadêmicas articuladas ao ensino de graduação 1.1 GESTÃO ACADÊMICA 1.1.1 Responsabilidade Social

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Fonoaudiólogo, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado

Leia mais

III FÓRUM DO MÉDICO JOVEM. Graduação em Medicina Consolidado do Fórum Nacional de Ensino Médico

III FÓRUM DO MÉDICO JOVEM. Graduação em Medicina Consolidado do Fórum Nacional de Ensino Médico CFM/ABEM III FÓRUM DO MÉDICO JOVEM Graduação em Medicina Consolidado do Fórum Nacional de Ensino Médico Florianópolis SC, 14 e 15 de outubro de 2015 Ampliação do acesso à saúde SUS -Rede de saúde precária

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Fisioterapeuta, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado

Leia mais

RESOLUÇÃO COFEN Nº 378/ REVOGADA PELA RESOLUÇÃO COFEN Nº 420/2012

RESOLUÇÃO COFEN Nº 378/ REVOGADA PELA RESOLUÇÃO COFEN Nº 420/2012 Publicado Portal do Cofen - Conselho Federal de Enfermagem (http://site.portalcofen.gov.br) Início > RESOLUÇÃO COFEN Nº 378/2011 - REVOGADA PELA RESOLUÇÃO COFEN Nº 420/2012 RESOLUÇÃO COFEN Nº 378/2011

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE SINAES AVALIAÇÃO DE IES AVALIAÇÃO DE

Leia mais

Licenciatura em Computação. UFPR - Setor Palotina 2014

Licenciatura em Computação. UFPR - Setor Palotina 2014 Licenciatura em Computação UFPR - Setor Palotina 2014 http://www.campuspalotina.ufpr.br/ APRESENTAÇÃO Setor Palotina da Universidade Federal do Paraná A criação do Campus Palotina foi aprovada pelo Conselho

Leia mais

Especialização em Enfermagem em Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Central de Material Esterilizado

Especialização em Enfermagem em Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Central de Material Esterilizado Especialização em Enfermagem em Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Central de Material Esterilizado Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições em Breve Turma 08 --> A evolução na arte de exercer a enfermagem

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes ENADE LEGISLAÇÃO Constituição da República

Leia mais

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Humanas, Letras e Artes - ICHLA

Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado. Instituto de Ciências Humanas, Letras e Artes - ICHLA Normas de Estágio Curricular Não Obrigatório Remunerado Instituto de Ciências Humanas, Letras e Artes - ICHLA - Curso de Psicologia Currículo 2011/01 e 2013/01 Descrição do Curso: O Curso de Psicologia

Leia mais

PROCESSO Nº 1313/14 PROTOCOLO Nº PARECER CEE/CES Nº 11/15 APROVADO EM 26/03/15

PROCESSO Nº 1313/14 PROTOCOLO Nº PARECER CEE/CES Nº 11/15 APROVADO EM 26/03/15 PROTOCOLO Nº 13.401.067-3 PARECER CEE/CES Nº 11/15 APROVADO EM 26/03/15 CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR INTERESSADA:.UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO MUNICÍPIO: GUARAPUAVA ASSUNTO: Pedido

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFMG

DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFMG DIRETRIZES CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA UFMG Documento aprovado por unanimidade em Reunião do Plenário do Colegiado ocorrida em 01/10/2008. CONCEPÇÃO DO CURSO A formação médica tem

Leia mais

Fabiana Prado dos Santos Nogueira. Médica de Família e Comunidade Conselheira CRMMG Câmara Técnica CRMMG e CFM

Fabiana Prado dos Santos Nogueira. Médica de Família e Comunidade Conselheira CRMMG Câmara Técnica CRMMG e CFM Fabiana Prado dos Santos Nogueira Médica de Família e Comunidade Conselheira CRMMG Câmara Técnica CRMMG e CFM Atualmente, muitas são as discussões sobre a formação do médico no Brasil O QUE SE EXIGE DO

Leia mais

Escala LiKert elaborada no contexto da Dissertação: O PROCESSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL NOS SEMI INTERNATOS: A PERCEPÇÃO DO ACADÊMICO DE ENFERMAGEM

Escala LiKert elaborada no contexto da Dissertação: O PROCESSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL NOS SEMI INTERNATOS: A PERCEPÇÃO DO ACADÊMICO DE ENFERMAGEM Escala LiKert elaborada no contexto da Dissertação: O PROCESSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL NOS SEMI INTERNATOS: A PERCEPÇÃO DO ACADÊMICO DE ENFERMAGEM Hellen Ribeiro Da Silva, Beatriz Jansen Ferreira. Lidia

Leia mais

Resolução CNE/CES 2, de 19 de fevereiro de DCN - Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de

Resolução CNE/CES 2, de 19 de fevereiro de DCN - Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Ensino baseado em competências Diretrizes Curriculares e as Práticas Farmacêuticas Hissachi Tsuji e-mail: htsuji@famema.br Famema - Faculdade de Medicina de Marília Resolução CNE/CES 2, de 19 de fevereiro

Leia mais

GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA

GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA Sonali Paula Molin Bedin Departamento de Ciência da Informação Centro de Ciências da Educação O CURSO NA UFSC Implantação em 2010-1. Alteração curricular em 2016-1. Ingresso semestral

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MEDICINA Proposta de Trabalho para a Coordenação da Pós-Graduação Lato Sensu Programas de Residência Médica COREME Proposta apresentada para fins de inscrição

Leia mais

O Reitor da Universidade Estadual do Norte do Paraná UENP -, no uso de suas atribuições legais e exercício regular de seu cargo,

O Reitor da Universidade Estadual do Norte do Paraná UENP -, no uso de suas atribuições legais e exercício regular de seu cargo, RESOLUÇÃO Nº 005/2011 CEPE/UENP Súmula: Aprova o Modelo de apresentação de Projeto Pedagógico de Curso. CONSIDERANDO proposta encaminhada pela Pró- Reitoria de Graduação; CONSIDERANDO a aprovação pelo

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: PSICOLOGIA Campus: MACAÉ Missão O Curso de Psicologia da Estácio de Sá tem como missão formar profissionais Psicólogos generalistas que no desempenho de suas atividades

Leia mais

MANUAL DE IMPLANTAÇÃO E ORIENTAÇÃO DE ROTINAS PARA LIGAS ACADÊMICAS DE ESTUDANTES DE MEDICINA

MANUAL DE IMPLANTAÇÃO E ORIENTAÇÃO DE ROTINAS PARA LIGAS ACADÊMICAS DE ESTUDANTES DE MEDICINA CENTRO NORDESTINO DE ENSINO SUPERIOR LTDA. FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DA PARAÍBA DIRETORIA ACADÊMICA Praça Dom Ulrico, nº 56 Centro, João Pessoa PB CEP: 58030-092 - Fone / fax: (083) 262.0368 www.cienciasmedicas.com.br

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 5, DE 19 DE FEVEREIRO DE (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 5, DE 19 DE FEVEREIRO DE (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 5, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Fonoaudiologia. O Presidente

Leia mais

PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013

PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013 Página 1 de 5 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO (ECNO) DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FCMMG

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO (ECNO) DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FCMMG REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO (ECNO) DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FCMMG CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO O ECNO compreende as atividades de estágio não previstas como disciplinas integrantes

Leia mais

Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo - CRF-SP

Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo - CRF-SP III ENCONTRO DE PROFESSORES DE DEONTOLOGIA FARMACÊUTICA Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo Comissão Assessora de Educação Farmacêutica CRF-SP INTRODUÇÃO O III Encontro de Professores

Leia mais

Fisioterapia na Atenção Primária à Saúde

Fisioterapia na Atenção Primária à Saúde Fst. Ms. Priscylla Knopp Mestre em Psicologia/ Psicologia social e da saúde UFJF/PPG-Psi Pesquisadora do Grupo de estudo e práticas sociais em Saúde Coletiva UFJF 30 out Fisioterapia na Atenção Primária

Leia mais

II SIMPÓSIO INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO

II SIMPÓSIO INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO Comissão Permanente de Integração Ensino Serviço Sul/Sudeste Regiões Metropolitana da Grande São Paulo / Registro / Sorocaba / Taubaté / Baixada Santista. II SIMPÓSIO INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO CIES COMISSÃO

Leia mais

O SUS como cenário de prática e o COAPES como dispositivo de fortalecimento da integração ensino serviço.

O SUS como cenário de prática e o COAPES como dispositivo de fortalecimento da integração ensino serviço. O SUS como cenário de prática e o COAPES como dispositivo de fortalecimento da integração ensino serviço. Pressupostos Constituição Federal de 1988 Art. 200 Compete ao SUS ordenar a formação de recursos

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior RESOLUÇÃO Nº 3, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior RESOLUÇÃO Nº 3, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior RESOLUÇÃO Nº 3, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001 Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. O Presidente da Câmara

Leia mais

PERCEPÇÃO DO GESTOR SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE METODOLOGIAS ATIVAS NOS CURSOS DE MEDICINA

PERCEPÇÃO DO GESTOR SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE METODOLOGIAS ATIVAS NOS CURSOS DE MEDICINA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 PERCEPÇÃO DO GESTOR SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE METODOLOGIAS ATIVAS NOS CURSOS DE MEDICINA Valéria Miranda Avanzi 1 ; Nilce Marzolla Ideriha 2 ISBN 978-85-8084-055-1

Leia mais

Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde

Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde CASO 6: OS SERVIÇOS DE SAÚDE COMO ESPAÇOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM Introdução Neste Caso Didático será relatada a experiência do

Leia mais

PROGRAMA DE ACESSO, PERMANÊNCIA E ÊXITO DO INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO: UMA AÇÃO PLANEJADA PARA O SUCESSO DOS ESTUDANTES

PROGRAMA DE ACESSO, PERMANÊNCIA E ÊXITO DO INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO: UMA AÇÃO PLANEJADA PARA O SUCESSO DOS ESTUDANTES PROGRAMA DE ACESSO, PERMANÊNCIA E ÊXITO DO INSTITUTO FEDERAL DE PERNAMBUCO: UMA AÇÃO PLANEJADA PARA O SUCESSO DOS ESTUDANTES Pró-Reitoria de Ensino PRODEN Profª Drª Edilene Rocha Guimarães Coordenação

Leia mais

Especialização em Serviço Social e Práticas em Saúde

Especialização em Serviço Social e Práticas em Saúde Especialização em Serviço Social e Práticas em Saúde Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Turma Iniciada: 03/05/2013 Últimas vagas até o dia 05/07/2013. *Alunos matriculados após

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Fisioterapia Campus: Macaé Missão O curso de Fisioterapia da Universidade Estácio de Sá, através de uma estrutura embasada em princípios contemporâneos, tem por missão

Leia mais

Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024

Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024 Desafios e Oportunidades para o Desenvolvimento da EPT no Brasil até 2024 Marcelo Machado Feres Secretário de Educação Profissional e Tecnológica SETEC Ministério da Educação XXXIX edição da Reunião dos

Leia mais

Relatório Oficina Eixos Comuns

Relatório Oficina Eixos Comuns Relatório Oficina Eixos Comuns Os Eixos Comuns nas matrizes curriculares dos cursos de graduação do Campus Baixada Santista a partir do perfil do egresso Coordenação: Câmara de Ensino de Graduação 24 de

Leia mais

EDITAL N.º 17/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica

EDITAL N.º 17/2016 ANEXO I TRILHAS DE APRENDIZAGEM DO PFGC. Competência: Visão Estratégica 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS JOÃO PESSOA PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE GESTORES

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Fisioterapia Campus: Niterói Missão O curso de Fisioterapia da Universidade Estácio de Sá, através de uma estrutura embasada em princípios contemporâneos, tem por missão

Leia mais

TEMA ESTRATÉGICO 3: Garantir apoio técnico necessário ao funcionamento pleno das atividades, tanto de graduação quanto de pesquisa.

TEMA ESTRATÉGICO 3: Garantir apoio técnico necessário ao funcionamento pleno das atividades, tanto de graduação quanto de pesquisa. CTC - CENTRO DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS MISSÃO DA UNIDADE: O Centro de Tecnologia e Ciências tem seu objetivo maior consubstanciado nos objetivos gerais de Ensino, Pesquisa e Extensão. No que tange ao objetivo

Leia mais

D E C R E T A. a) dos cursos de licenciaturas; b) das residências pedagógicas; c) das práticas pedagógicas curriculares;

D E C R E T A. a) dos cursos de licenciaturas; b) das residências pedagógicas; c) das práticas pedagógicas curriculares; Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 16.718 DE 11 DE MAIO DE 2016 Dispõe sobre a instituição e organização dos Complexos Integrados de Educação, no âmbito

Leia mais

Tema: Engenharia a dois Ciclos Propostas e Modelos para o Brasil. A NOVA FORMAÇÃO e os IMPACTOS NO EXERCÍCIO PROFISSIONAL.

Tema: Engenharia a dois Ciclos Propostas e Modelos para o Brasil. A NOVA FORMAÇÃO e os IMPACTOS NO EXERCÍCIO PROFISSIONAL. Tema: Engenharia a dois Ciclos Propostas e Modelos para o Brasil A NOVA FORMAÇÃO e os IMPACTOS NO EXERCÍCIO PROFISSIONAL Paulo Roberto da Silva XIV ENCEP Recife, 14/05/2009 1 1 - O Ensino Superior- Regulamentação

Leia mais

RESIDÊNCIA FARMACÊUTICA NO BRASIL. Vânia Mari Salvi Andrzejevski

RESIDÊNCIA FARMACÊUTICA NO BRASIL. Vânia Mari Salvi Andrzejevski RESIDÊNCIA FARMACÊUTICA NO BRASIL Vânia Mari Salvi Andrzejevski vaniasalvi@lpcc.org.br vmsalvi@ufpr.br BASE LEGAL Médica Decreto n 80.281, 1977 HC-UFPR RM iniciou década 60 Multiprofissional e em Área

Leia mais

Texto referência para a audiência pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Relações Internacionais

Texto referência para a audiência pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Relações Internacionais CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto referência para a audiência pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Relações Internacionais Comissão da Câmara de Educação Superior

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO VERBO EDUCACIONAL

PÓS-GRADUAÇÃO VERBO EDUCACIONAL PÓS-GRADUAÇÃO VERBO EDUCACIONAL A Verbo Educacional, uma das empresas do Grupo Verbo, oferece aos profissionais de múltiplas áreas do conhecimento a praticidade do ensino a distância aliado a possibilidade

Leia mais

Ações Realizadas ou em Andamento - no ano de 2016:

Ações Realizadas ou em Andamento - no ano de 2016: Ações Realizadas ou em Andamento - no ano de 2016: Apresentamos, a seguir, as ações destinadas ao desenvolvimento da IES ou a correções e melhoria dos processos e atividades acadêmicas e administrativas,

Leia mais

Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA)

Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA) Questionário fechado, a ser aplicado aos discentes regulamente matriculado no curso. (Modelo CPA) 1. A UFSCar definiu um perfil para o profissional/cidadão a ser formado em todos os seus cursos. A seguir

Leia mais

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil

O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil O Sistema de Avaliação da Educação Superior no Brasil Jacqueline Moreno Theodoro Silva Outubro/2016 Avaliação Educacional Avaliar é o ato de atribuir valor ou mérito a alguma coisa. Avaliação educacional:

Leia mais

EDITAL N.º 262/2016 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

EDITAL N.º 262/2016 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EDITAL N.º 262/216 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna pública

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 034/ CEPE DE 23 de Agosto de 2006.

RESOLUÇÃO Nº 034/ CEPE DE 23 de Agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 034/2006 - CEPE DE 23 de Agosto de 2006. APROVA A ALTERAÇÃO DA RESOLUÇÃO CEPE N.º 003- A/2003 NORMAS DE ESTÁGIO. O Reitor da Universidade Castelo Branco, usando de suas atribuições legais

Leia mais

A Reforma do Ensino Médio e a Educação Profissional

A Reforma do Ensino Médio e a Educação Profissional Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo A Reforma do Ensino Médio e a Educação Profissional Francisco Aparecido Cordão facordao@uol.com.br Diretrizes e orientações curriculares do Ensino

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A NOVA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS DIFERENTES CENÁRIOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM NUM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

UMA REFLEXÃO SOBRE A NOVA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS DIFERENTES CENÁRIOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM NUM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO UMA REFLEXÃO SOBRE A NOVA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NOS DIFERENTES CENÁRIOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM NUM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO Rosa Elisa Pasciucco da Costa rosaelisapasciucco@hotmail.com

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES MEDICINA - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Medicina - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL SATISFAÇÃO

Leia mais

Universidade Federal da Grande Dourados CNPJ: /

Universidade Federal da Grande Dourados CNPJ: / PLANO DE AÇÃO 2011 Dourados MS Maio/2011 ÍNDICE PROJETOS EM EXECUÇÃO... 3 PROJETO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA E CIDADANIA... 3 PROJETO CURSOS DE GRADUAÇÃO EM LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES TERAPIA OCUPACIONAL - SÃO CARLOS

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES TERAPIA OCUPACIONAL - SÃO CARLOS RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - DOCENTES TERAPIA OCUPACIONAL - SÃO CARLOS Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Terapia Ocupacional - Campus São Carlos INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE

Leia mais

- a compreensão da profissão como uma forma de inserção e intervenção na sociedade, tendo por base a comunidade regional;

- a compreensão da profissão como uma forma de inserção e intervenção na sociedade, tendo por base a comunidade regional; UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE-RS/UFSM PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO BACHARELADO (NOTURNO) PERFIL DESEJADO DO FORMANDO Entende-se que a formação

Leia mais

manual DE estágios supervisionados curso de psicologia

manual DE estágios supervisionados curso de psicologia manual DE estágios supervisionados curso de psicologia ORGANIZAÇÃO: Professora Andréia Barbosa de Faria Professor Fernando Dório Anastácio Professora Maxleila Reis Martins Santos manual DE estágios supervisionados

Leia mais

O que um professor de química precisa saber e saber fazer

O que um professor de química precisa saber e saber fazer O que um professor de química precisa saber e saber fazer Contribuições de estudos Visões de ensino como uma técnica, basta combinar, de modo eficaz, os meios e os fins. componentes afetivos processo de

Leia mais

O problema do ingresso irresponsável de médicos estrangeiros no Brasil

O problema do ingresso irresponsável de médicos estrangeiros no Brasil O problema do ingresso irresponsável de médicos estrangeiros no Brasil A exigência de critérios para a revalidação do diploma de medicina obtido no exterior deve ser entendida como defesa da qualidade

Leia mais

O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD?

O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD? O que é EAD? Quais as competências necessárias ao professor e tutor para a EAD? Educação à distância A educação a distância (EaD) é definida como [...] o aprendizado planejado que ocorre normalmente em

Leia mais

RESUMO DO PPC Curso Superior de Tecnologia em Logística Emitente: Adriano Araújo Data: 01/08/2017

RESUMO DO PPC Curso Superior de Tecnologia em Logística Emitente: Adriano Araújo Data: 01/08/2017 1. PERFIL DO CURSO O Curso de da Unijorge (UJ), está fundamentado em mecanismos efetivos de interdisciplinaridade e flexibilização curricular que permitem formar profissionais aptos em planejar, controlar

Leia mais

OPERADOR DE EMPILHADEIRA 160 horas

OPERADOR DE EMPILHADEIRA 160 horas PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO OPERADOR DE EMPILHADEIRA 160 horas EIXO TECNOLÓGICO: INFRAESTRUTURA ÁREA: SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE (S) HABILITADA (S): PALMAS CETEC

Leia mais

Indicadores de Qualidade da Educação Superior. Brasília-DF Agosto 2015

Indicadores de Qualidade da Educação Superior. Brasília-DF Agosto 2015 Indicadores de Qualidade da Educação Superior Brasília-DF Agosto 2015 Sobre o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES MARCOS LEGAIS da AVALIAÇÃO da EDUCAÇÃO SUPERIOR Constituição Federal

Leia mais

FÍSICA. COORDENADOR Helder Soares Moreira

FÍSICA. COORDENADOR Helder Soares Moreira FÍSICA COORDENADOR Helder Soares Moreira hmoreira@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 235 Bacharelado ATUAÇÃO O curso de graduação em Física oferece ao estudante a oportunidade de obter ampla formação

Leia mais

UFV Catálogo de Graduação FÍSICA Bacharelado e Licenciatura. COORDENADOR Alexandre Tadeu Gomes de Carvalho

UFV Catálogo de Graduação FÍSICA Bacharelado e Licenciatura. COORDENADOR Alexandre Tadeu Gomes de Carvalho UFV Catálogo de Graduação 2012 163 FÍSICA Bacharelado e Licenciatura COORDENADOR Alexandre Tadeu Gomes de Carvalho atadeu@ufv.br 164 Currículos dos Cursos UFV Bacharelado ATUAÇÃO O curso de graduação em

Leia mais

1º semestre / prosa. centro de estudos. colégio santo américo

1º semestre / prosa. centro de estudos. colégio santo américo 1º semestre / 2012 prosa centro de estudos,,,,, colégio santo américo M i n i c u r s o O jornal como instrumento pedagógico para leitura e produção de textos O curso tratará do jornal como instrumento

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: ENGENHARIA DE PETRÓLEO Campus: NITERÓI Missão O Curso de Engenharia de Petróleo da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólida formação técnica

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CAMPUS BAIXADA SANTISTA. Um itinerário de aprendizagens, desafios e perspectivas

PROJETO PEDAGÓGICO DO CAMPUS BAIXADA SANTISTA. Um itinerário de aprendizagens, desafios e perspectivas PROJETO PEDAGÓGICO DO CAMPUS BAIXADA SANTISTA Um itinerário de aprendizagens, desafios e perspectivas (Escher, Relatividade, 1960) Uma história recente 2004 início com os cursos seqüenciais de Educação

Leia mais

Documento Base (Formulação Preliminar) Comissão SEB/MEC - Fev/2016

Documento Base (Formulação Preliminar) Comissão SEB/MEC - Fev/2016 Documento Base (Formulação Preliminar) Comissão SEB/MEC - Fev/2016 Orientações para cursos de Formação de Professores, nas áreas de Didática, Metodologias e Práticas de Ensino Estrutura do documento I.

Leia mais

Carta de princípios. O CONSED, por meio dessa carta de princípios propõe:

Carta de princípios. O CONSED, por meio dessa carta de princípios propõe: Carta de princípios O CONSED, por meio dessa carta de princípios propõe: Um Novo Modelo de Ensino Médio a ser adotado por todas os sistemas de ensino e que considera trajetórias flexíveis na formação do

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM NA ATENÇÃO BÁSICA/SAÚDE DA FAMÍLIA

REGIMENTO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM NA ATENÇÃO BÁSICA/SAÚDE DA FAMÍLIA 1 REGIMENTO DO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ENFERMAGEM NA ATENÇÃO BÁSICA/SAÚDE DA FAMÍLIA Universidade Federal de São João del-rei Campus Centro Oeste Dona Lindu DIVINÓPOLIS-MG 2014 2 Pós-Graduação Lato Sensu

Leia mais

PROGRAMA ESCOLHA CERTA

PROGRAMA ESCOLHA CERTA PROGRAMA ESCOLHA CERTA 1 Índice São PAulo, 6 de maio de 2016 Proposta Comercial CARTA DE APRESENTAÇÃO... 3 INSTITUCIONAL... 4 PROGRAMA ESCOLHA CERTA... 5 PÚBLICO ALVO... 7 BENEFÍCIOS... 8 METODOLOGIA...

Leia mais

Questionário fechado, a ser aplicado aos docentes regulamente matriculado no último ano do curso. (Modelo CPA)

Questionário fechado, a ser aplicado aos docentes regulamente matriculado no último ano do curso. (Modelo CPA) Questionário fechado, a ser aplicado aos docentes regulamente matriculado no último ano do curso. (Modelo CPA) Formulário para docentes avaliação de curso Perfil Profissional 1. A UFSCar definiu um perfil

Leia mais

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS

FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS FACULDADE HORIZONTINA - FAHOR PAE - PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS HORIZONTINA - RS 2011 PAE Programa de Acompanhamento de Egressos I HISTÓRICO Desde 2006, ano em que formou a sua primeira turma,

Leia mais

Objetivo: propor recomendações para o trabalho efetivo dos NDE

Objetivo: propor recomendações para o trabalho efetivo dos NDE PROIAC Estudo sobre Núcleo Docente Estruturante (NDE) Objetivo: propor recomendações para o trabalho efetivo dos NDE Claudia Marcia Borges Barreto claudiamarcia@id.uff.br O que é NDE? Comissão de acompanhamento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 108

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 108 PROGRAMA Nº- 108 AMPLIAÇÃO DO PROJETO VOLTA REDONDA CIDADE DA MÚSICA SUB-FUNÇÃO: 361 ENSINO FUNDAMENTAL Proporcionar aos alunos da Rede Pública Municipal de Volta Redonda atividades musicais diversas nos

Leia mais

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS

Faculdade Processus REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS REGULAMENTO DO PROJETO DAS ATIVIDADES DE MONITORIA DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PROCESSUS Dispõe sobre a oferta de atividades de Monitoria no curso de graduação da Faculdade Processus e dá outras providências.

Leia mais

VERSÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO

VERSÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO VERSÃO 2014-2 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO ARACRUZ 2014 1. INTRODUÇÃO 1.1. Missão No intuito de fortalecer e promover uma educação de qualidade em que o discente é o principal protagonista, a

Leia mais

Escola de Artes, Ciências e Humanidades

Escola de Artes, Ciências e Humanidades Bacharelado em Gerontologia Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo Coordenação 2009-2011: Mônica Sanches Yassuda Marisa Accioly Domingues Inaugurada em fevereiro de 2005. Objetivos:

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Espanhol Basico. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Espanhol Basico. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCURADORIA EDUCACIONAL INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO SINAES ENADE. Prof. Nandi

PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCURADORIA EDUCACIONAL INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO SINAES ENADE. Prof. Nandi PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCURADORIA EDUCACIONAL INSTITUCIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO SINAES ENADE Prof. Nandi Lages, fevereiro de 2017 INFORMAÇÕES DO CURSO Ciência da Computação IFSC - Campus Lages Bacharelado

Leia mais

A inovação pedagógica e os impactos sobre os resultados do ENADE no curso de Administração

A inovação pedagógica e os impactos sobre os resultados do ENADE no curso de Administração A inovação pedagógica e os impactos sobre os resultados do ENADE no curso de Administração Administrador e Professor MAURO KREUZ Diretor da Câmara de Formação Profissional do Conselho Federal de Administração

Leia mais

EDITAL SIMPLIFICADO 001/2016 SELEÇÃO PRECEPTORES PARA ATUAR NO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMILIA E COMUNIDADE/2016

EDITAL SIMPLIFICADO 001/2016 SELEÇÃO PRECEPTORES PARA ATUAR NO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMILIA E COMUNIDADE/2016 EDITAL SIMPLIFICADO 001/2016 SELEÇÃO PRECEPTORES PARA ATUAR NO PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMILIA E COMUNIDADE/2016 A Comissão de Residência Multiprofissional em Área Profissional

Leia mais

CONCEPÇÃO DO CURSO: Para tanto o curso deverá garantir:

CONCEPÇÃO DO CURSO: Para tanto o curso deverá garantir: CONCEPÇÃO DO CURSO: O Curso de Farmácia da FMC/FBPN foi concebido para atender a uma necessidade Regional/Nacional de preparação de um profissional da área de saúde, orientado-o e capacitado a trabalhar

Leia mais

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010.

FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA. PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CURSO DE PEDAGOGIA PORTARIA NORMATIVA 3, de 18 de fevereiro de 2010. Institui as orientações e as atividades aprovadas para a realização da carga horária de Estágio Supervisionado

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES REGULAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1. Os estágios curriculares do Curso de Graduação em Psicologia do Centro Universitário Redentor são considerados como

Leia mais

(REPUBLICADA EM RAZÃO DE ALTERAÇÃO DO PARÁGRAFO ÚNICO DO ART. 14, CONSOANTE TEOR DO PARECER N 28/CUN/2008 E RESOLUÇÃO Nº 024/CUn/2008)

(REPUBLICADA EM RAZÃO DE ALTERAÇÃO DO PARÁGRAFO ÚNICO DO ART. 14, CONSOANTE TEOR DO PARECER N 28/CUN/2008 E RESOLUÇÃO Nº 024/CUn/2008) (REPUBLICADA EM RAZÃO DE ALTERAÇÃO DO PARÁGRAFO ÚNICO DO ART. 14, CONSOANTE TEOR DO PARECER N 28/CUN/2008 E RESOLUÇÃO Nº 024/CUn/2008) RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 008/CUN/2007, de 10 de julho de 2007. CRIA

Leia mais

TECNÓLOGO EM GESTÃO HOSPITALAR

TECNÓLOGO EM GESTÃO HOSPITALAR TECNÓLOGO EM GESTÃO HOSPITALAR A FUNDAÇÃO UNIMED E A FACULDADE UNIMED Conexão entre teoria e prática aliada a um corpo docente de alta competência e experiência no mercado de saúde. É assim, há mais de

Leia mais