Ética e gestão organizacional Aula 07. Virgílio Oliveira UFJF FACC

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ética e gestão organizacional Aula 07. Virgílio Oliveira UFJF FACC"

Transcrição

1 Aula 07 Virgílio Oliveira UFJF FACC 1

2 A dupla moral brasileira se refere ao oportunismo como moral oficiosa em oposição à integridade como moral oficial 2

3 A esperteza é louvada em círculos fechados, embora seja severamente questionada em público 3

4 O oportunismo abarca a corrupção menor, embora não se confunda com a corrupção maior e com o crime 4

5 Corrupção menor Cervejinha ao guarda diante da multa aliviada Pagamento de consulta com desconto mediante dispensa de recibo, permitindo ao médico sonegar impostos Deixa de ser bobo, todo mundo faz 5

6 O ente normalmente lesado pela moral do oportunismo é o Estado Um ato de corrupção parece menor quando se refere a essa abstração 6

7 O ente normalmente lesado pela moral do oportunismo é o Estado Nesse sentido, a insensibilidade, a ineficiência e a improbidade historicamente demonstradas pelos operadores do Estado parecem legitimar tais condutas Se eu estivesse prejudicando alguém, eu não faria, mas, deixar pro governo... 7

8 Opera-se, portanto, uma confusão entre Estado (permanente) e governo (transitório) Ignora-se o papel do Estado enquanto equalizador social, ou seja, lesar o Estado significa lesar a muitos 8

9 Moral da integridade X Moral do oportunismo A moral da integridade corresponde ao sistema de normas que integra o imaginário oficial do brasileiro, configurando o comportamento decente ou virtuoso 9

10 Moral da integridade X Moral do oportunismo Tem caráter altruísta diante do bem comum e é reforçada por instituições como as igrejas e as escolas Desfruta de amplo respaldo social 10

11 Moral da integridade X Moral do oportunismo A moral do oportunismo vincula-se ao imaginário oficioso do brasileiro, embasando o comportamento esperto, o jeitinho 11

12 Moral da integridade X Moral do oportunismo Tem caráter egoísta, pois preza a conveniência individual frente ao coletivo Desfruta de respaldo em círculos íntimos: colegas, compadres, sócios e comparsas 12

13 Consequência social da dupla moral: formalismo O formalismo refere-se (...) ao grau de discrepância entre o prescritivo e o descritivo, entre o poder formal e o poder efetivo, entre a impressão que nos é dada pela Constituição, pelas leis e regulamentos, organogramas e estatísticas, e os fatos e práticas reais do governo e da sociedade (Riggs, 1964, p. 123) 13

14 Consequência social da dupla moral: a moral da parcialidade no contexto público Aos amigos, tudo. Aos indiferentes, a lei. Aos inimigos, os rigores da lei 14

15 Consequência social da dupla moral: a moral da parcialidade no contexto organizacional Adota-se normas mistas: dos muros para dentro, retidão; dos muros para forma, certa malícia 15

16 Consequência social da dupla moral: a moral da parcialidade no contexto organizacional Na visão de alguns autores, a inserção das organizações brasileiras em dinâmicas globais tem reconfigurado nossas práticas duais 16

17 Consequência social da dupla moral: a moral da parcialidade no contexto organizacional Voltaremos ao tema com a discussão do texto CHU, R. A.; WOOD JR., T. Cultura organizacional brasileira pós-globalização: global ou local? Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 42, n. 5,p

2. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ATENDIMENTO AO PÚBLICO, ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO

2. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ATENDIMENTO AO PÚBLICO, ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO 2. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ATENDIMENTO AO PÚBLICO, ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO QUESTÃO Nº 37 Quando falamos de excelência do atendimento, estamos nos referindo, primeiramente, à plena satisfação do cliente.

Leia mais

Ética e gestão organizacional Aula 05. Virgílio Oliveira UFJF FACC

Ética e gestão organizacional Aula 05. Virgílio Oliveira UFJF FACC Aula 05 Virgílio Oliveira UFJF FACC 1 Há alguns conceitos derivados dos pressupostos básicos da ética Egoísmo e auto-interesse Altruísmos 2 A realização de interesses pessoais (autointeresse) é algo natural

Leia mais

AULA AO VIVO. Professora Laira Pinheiro

AULA AO VIVO. Professora Laira Pinheiro AULA AO VIVO Professora Laira Pinheiro Folha de São Paulo, São Paulo, 28 out., 1993, pg.6, cad.4. Você sabe o que é ética? Será que ela tem preço? Qual é o seu valor? A ética está em crise? Vivemos numa

Leia mais

Ética e gestão organizacional Aula 01. Virgílio Oliveira UFJF FACC

Ética e gestão organizacional Aula 01. Virgílio Oliveira UFJF FACC Aula 01 Virgílio Oliveira UFJF FACC 1 2 Ética e moral...... são sinônimos?... trata-se da mesma coisa? 3 De modo corriqueiro, as palavras ética e moral são empregadas como sinônimos A honestidade é um

Leia mais

ÉMILE DURKHEIM ( )

ÉMILE DURKHEIM ( ) AVISO: O conteúdo e o contexto das aulas referem-se aos pensamentos emitidos pelos próprios autores que foram interpretados por estudiosos dos temas RUBENS expostos. RAMIRO Todo exemplo JR (TODOS citado

Leia mais

2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de Segurança Operacional. 09 a 11 de novembro de 2010

2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de Segurança Operacional. 09 a 11 de novembro de 2010 2º Simpósio Internacional de Confiabilidade e Gestão de 17 a 19 de novembro de 2009 Segurança Operacional 09 a 11 de novembro de 2010 A estrada pavimentada para o desenvolvimento e credibilidade do transporte

Leia mais

2/22/2013. Ética geral e profissional. Ética geral e profissional. Ética geral e profissional. Reflexões sobre ética

2/22/2013. Ética geral e profissional. Ética geral e profissional. Ética geral e profissional. Reflexões sobre ética Ministrado por: Júlio ndrade, UFF Elaborado por: Virgílio Oliveira, UFF 1 2 modernidade ocidental posicionou o indivíduo no centro do mundo Não há, hoje, um outro absoluto, seja ele: um ente (como a Natureza,

Leia mais

Planificação anual Curso Vocacional de Ensino Secundário Ano letivo 2015 / 2016 CURSO VOCACIONAL DE INFORMÁTICA E TECNOLOGIAS WEB

Planificação anual Curso Vocacional de Ensino Secundário Ano letivo 2015 / 2016 CURSO VOCACIONAL DE INFORMÁTICA E TECNOLOGIAS WEB Planificação anual Curso Vocacional de Ensino Secundário Ano letivo 2015 / 2016 CURSO VOCACIONAL DE INFORMÁTICA E TECNOLOGIAS WEB ANO: CVITW1 DISCIPLINA: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS DOCENTE: MICAEL ALVES COMPETÊNCIAS

Leia mais

Escrito por Neri Neitzke Ter, 07 de Novembro de :32 - Última atualização Ter, 07 de Novembro de :39

Escrito por Neri Neitzke Ter, 07 de Novembro de :32 - Última atualização Ter, 07 de Novembro de :39 Excel Avançado 2016 O Microsoft Office Excel Avançado, vem oferecer recursos mais avançados para os que já trabalham e conhecem o Microsoft Excel. Neste curso você vai se aprofundar ainda mais nesta poderosa

Leia mais

- LÍNGUA PORTUGUESA -

- LÍNGUA PORTUGUESA - 1 Compreensão e interpretação de textos. 2 Gêneros e tipos de texto. 3 Articulação textual: operadores sequenciais, expressões referenciais. 4 Coesão e coerência textual. Identificação, definição, classificação,

Leia mais

Ética e gestão organizacional Aula 04. Virgílio Oliveira UFJF FACC

Ética e gestão organizacional Aula 04. Virgílio Oliveira UFJF FACC Aula 04 Virgílio Oliveira UFJF FACC 1 As fontes dos preceitos morais no presente A compreensão de nossos próprios preceitos morais requer: uma espécie de arqueologia das instituições sociais contemporâneas

Leia mais

DOCENTE: MICAEL ALVES

DOCENTE: MICAEL ALVES Planificação anual Curso Vocacional de Ensino Básico Ano letivo 2015 / 2016 CURSO VOCACIONAL DE INFORMÁTICA E MULTIMÉDIA ANO: 9.º DISCIPLINA: APLICAÇÕES DE ESCRITÓRIO DOCENTE: MICAEL ALVES COMPETÊNCIAS

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.587, DE 2007 Altera as Leis nº s 6.938, de 31 de agosto de 1981, e 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Autora: Deputada Thelma

Leia mais

Aula 6 Abordagem Estruturalista da Administração EPA

Aula 6 Abordagem Estruturalista da Administração EPA Aula 6 Abordagem Estruturalista da Administração EPA Os desdobramentos da Abordagem Estruturalista Teoria da Burocracia Ênfase na Estrutura Abordagem Estruturalista Teoria Estruturalista Ênfase na Estrutura,

Leia mais

Política de Responsabilidade Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r

Política de Responsabilidade Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r Sócio Ambiental (PRSA) w w w. b a n c o g u a n a b a r a. c o m. b r ÍNDICE: 1. SOBRE A DOCUMENTAÇÃO... 3 1.1. CONTROLE DE VERSÃO... 3 1.2. OBJETIVO... 4 1.3. ESCOPO... 4 2. RESPONSABILIDADE SÓCIO AMBIENTAL...

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, ADMINISTRAÇÃO E DE SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 153, DE 2015

COMISSÃO DE TRABALHO, ADMINISTRAÇÃO E DE SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 153, DE 2015 COMISSÃO DE TRABALHO, ADMINISTRAÇÃO E DE SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 153, DE 2015 Tipifica a conduta de deixar de repassar as contribuições ao FGTS recolhidas dos contribuintes à Caixa Econômica

Leia mais

Cultura Ética. Deives Rezende Filho Superintendência de Ética e Ombudsman

Cultura Ética. Deives Rezende Filho Superintendência de Ética e Ombudsman Cultura Ética Deives Rezende Filho Superintendência de Ética e Ombudsman 1 18 maio 2011 Ética e Ombudsman Missão: Promover um ambiente institucional íntegro, orientando os colaboradores a cultivar o respeito

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa PROGRAMA DE RESIDÊNCIA TÉCNICA EM GESTÃO PÚBLICA COM ÊNFASE EM SISTEMA ÚNICO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL

Universidade Estadual de Ponta Grossa PROGRAMA DE RESIDÊNCIA TÉCNICA EM GESTÃO PÚBLICA COM ÊNFASE EM SISTEMA ÚNICO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL Universidade Estadual de Ponta Grossa PROGRAMA DE RESIDÊNCIA TÉCNICA EM GESTÃO PÚBLICA COM ÊNFASE EM SISTEMA ÚNICO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL BOLETIM INFORMATIVO SOBRE OS TRÂMITES ADMINISTRATIVOS PARA EFETIVAÇÃO

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA ESTE CÓDIGO TEM POR OBJETIVOS: Externar os princípios e valores que regem a conduta dos sócios, funcionários e colaboradores (integrantes) do Zeigler e Mendonça de Barros Sociedade

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2.º / 3.º CICLOS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2.º / 3.º CICLOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2.º / 3.º CICLOS Educação Física Domínio Cognitivo (Saber e Saber Domínio Comportam ental (Saber Estar) Conhecimento e compreensão de conceitos e fatores de aptidão física e regulamentos

Leia mais

CALENDÁRIO DE PROVAS SUPLETIVAS 1º SEMESTRE/2017 TURMA 1A-1B 28/06/17 19:00/20:40 MATEMATICA PROVA 20:55/22:35 METODOS E TECNICAS DE PESQUISA AULA

CALENDÁRIO DE PROVAS SUPLETIVAS 1º SEMESTRE/2017 TURMA 1A-1B 28/06/17 19:00/20:40 MATEMATICA PROVA 20:55/22:35 METODOS E TECNICAS DE PESQUISA AULA TURMA 1A-1B 19:00/20:40 MATEMATICA PROVA 20:55/22:35 METODOS E TECNICAS DE PESQUISA AULA 19:00/20:40 TEORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO PROVA 20:55/22:35 MATEMATICA AULA 19:00/20:40 TEORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador ALVARO DIAS I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador ALVARO DIAS I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2012 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 204, de 2011, que adiciona o inciso VIII no art. 1º na Lei nº 8.072 de

Leia mais

BANCO DO BRASIL. Cobrança Integrada BB BANCO DO BRASIL 001-9 00190.00009 01332.919008 00000.704189 1 47280000006940

BANCO DO BRASIL. Cobrança Integrada BB BANCO DO BRASIL 001-9 00190.00009 01332.919008 00000.704189 1 47280000006940 ...................... (-) desconto (-) outras deduções (+) mora / multa (+) outros acréscimos Data de emissão Nosso número Dados do 001-9 17/09/2010 17/09/2010 13329190000000704-0 13329190000000704-0

Leia mais

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas ÍNDICE REMISSIVO GRI GRI G434 Opção de acordo Essencial CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Indicador e Descrição Onde encontrar / Resposta ESTRATÉGIA E ANÁLISE G41 Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente PERFIL

Leia mais

Administração. Ementa: Papel da oferta e demanda na determinação do preço e quantidade de mercado. Processo de produção e de custos.

Administração. Ementa: Papel da oferta e demanda na determinação do preço e quantidade de mercado. Processo de produção e de custos. Administração 1 SEMESTRE FUNDAMENTOS DA ADMINISTAÇÃO,75 H Ementa: Administração e organização. Processo administrativo e dinâmica administrativa. Subsistemas organizacionais. Enfoque contemporâneo da administração.

Leia mais

3.12 Questões comentadas 3.13 Questões Cespe/UNB

3.12 Questões comentadas 3.13 Questões Cespe/UNB SUMÁRIO 1. NOÇÕES INICIAIS 1.1 Sistemas Processuais Penais 1.1.1 Sistema inquisitório 1.1.2 Sistema misto (ou híbrido) 1.1.3 Sistema acusatório 1.1.4 Modelo adotado no Brasil 1.2 Fontes do Processo Penal

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO 2014.2 Curso: Tecnologia em Semestre Letivo/Turno: 4º Semestre Gestão de RH Disciplina: Sistemas Professores: de Remuneração Carga Horária: 50 horas Ementa da disciplina

Leia mais

POLÍTICA ANTI CORRUPÇÃO

POLÍTICA ANTI CORRUPÇÃO POLÍTICA ANTI CORRUPÇÃO Rev. 00 1. Objetivo A Salinas Embalagem vem reforçar, em consonância com a legislação em vigor, seu posicionamento de repúdio e de apoio ao combate a corrupção. Embalagem. 2. Abrangência

Leia mais

3º GEPEA. Legislação e normas da USP para o Acesso à Informação Pública. Regis Lattouf PG

3º GEPEA. Legislação e normas da USP para o Acesso à Informação Pública. Regis Lattouf PG 3º GEPEA Legislação e normas da USP para o Acesso à Informação Pública Regis Lattouf PG 2 Lei de Acesso à Informação Pública Lei nº 12.527, de 18.11.11 Decreto Estadual nº 58.052, de 16.05.12 1. Breve

Leia mais

CALENDÁRIO DE PROVAS DE EXAMES ESPECIAIS 1º SEMESTRE/2017 TURMA 1A-1B

CALENDÁRIO DE PROVAS DE EXAMES ESPECIAIS 1º SEMESTRE/2017 TURMA 1A-1B TURMA 1A-1B 19:00/20:40 TEORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO PROVA 20:55/22:35 MATEMATICA AULA 19:00/20:40 TEORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO AULA 20:55/22:35 FUNDAMENTOS A CONTABILIDADE PROVA 19:00/20:40 PORTUGUES

Leia mais

LEI /2013: UMA PERSPECTIVA SOBRE O PRISMA GOVERNAMENTAL

LEI /2013: UMA PERSPECTIVA SOBRE O PRISMA GOVERNAMENTAL LEI 12.846/2013: UMA PERSPECTIVA SOBRE O PRISMA GOVERNAMENTAL Lose your wealth and you have lost nothing Lose your health and you have lost something Lose your integrity and you have lost everything Integridade

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Introdução: A Pena 2. A Pena na Constituição Federal de 1988 3. Finalidades da pena 4. Espécies de pena no Código Penal brasileiro 5. Direito Penitenciário 6. Legislação 7. Aplicação

Leia mais

ÉTICA E INTEGRIDADE EMP M R P ESA S RIA I L Ant n oni n o i F e F r e n r a n nd n o St S anz n ia i ni n

ÉTICA E INTEGRIDADE EMP M R P ESA S RIA I L Ant n oni n o i F e F r e n r a n nd n o St S anz n ia i ni n ÉTICA E INTEGRIDADE EMPRESARIAL Antonio Fernando Stanziani Eu sou eu e minhas circunstâncias e se não as salvo também não me salvo. Ortega y Gasset Meditações do Quixote Integridade Sentir, pensar, falar

Leia mais

Uma casa para Lívia e Grégoire

Uma casa para Lívia e Grégoire Uma casa para Lívia e Grégoire Maíra Zasso e Yorik van Havre, Abril 2011 A idéia principal desta proposta é inverter a lógica do primeiro desenho de vocês. Em vez de ter um aquário no centro da casa, a

Leia mais

Circular 128/2014 São Paulo, 21 de Fevereiro de 2014.

Circular 128/2014 São Paulo, 21 de Fevereiro de 2014. Circular 128/2014 São Paulo, 21 de Fevereiro de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) PLANOS DE ATENÇÃO MÉDICA EM EVENTOS TEMPORÁRIOS, PÚBLICOS, PRIVADOS OU MISTOS NA CIDADE DE SÃO PAULO Diário Oficial da

Leia mais

ÉTICA AULA 6 PROF. IGOR ASSAF MENDES

ÉTICA AULA 6 PROF. IGOR ASSAF MENDES ÉTICA AULA 6 PROF. IGOR ASSAF MENDES CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DO PSICÓLOGO TEXTO 5: CÓDIGO DE ÉTICA CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA CFP O Conselho Federal de Psicologia CFP é uma autarquia de direito

Leia mais

PERSPECTIVA DO DIREITO INTERNACIONAL SOBRE CORRUPÇÃO

PERSPECTIVA DO DIREITO INTERNACIONAL SOBRE CORRUPÇÃO Judivan J. Vieira PERSPECTIVA DO DIREITO INTERNACIONAL SOBRE CORRUPÇÃO LIVRO IV THESAURUS by Judivan J. Vieira, 2014 Ficha Técnica Supervisão editorial Victor Tagore Arte da capa Victor Tagore Diagramação

Leia mais

Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso )

Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso ) Projeto do Estágio Supervisionado da Licenciatura em Ciências Biológicas (Parte do Projeto Pedagógico do Curso ) De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de professores - Art

Leia mais

Comprovante de Entrega Cedente CTG O PRAIANOS. Agência / Código Cedente 3878-4 / 0000410-3

Comprovante de Entrega Cedente CTG O PRAIANOS. Agência / Código Cedente 3878-4 / 0000410-3 / 13433102062-0 Nº do Documento do Documento 10/02/2015 6430101 Desconhecido Falecido Outros (Anotar no verso) : Banco Bradesco S.A. 237-2 23793.87802 91343.310206 62000.041004 3 63350000005000 Recibo

Leia mais

Improbidade Administrativa

Improbidade Administrativa Direito Administrativo Improbidade Administrativa Noção de probidade Agir com probidade é o que se espera do agente público. Probidade é um conceito ligado à honestidade, honradez, retidão de conduta,

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE ASSESSOR ADMINISTRATIVO DA PRESIDÊNCIA

MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE ASSESSOR ADMINISTRATIVO DA PRESIDÊNCIA MATRIZ DE COMPETÊNCIAS DE ASSESSOR ADMINISTRATIVO DA PRESIDÊNCIA ASSESSOR ADMINISTRATIVO DA PRESIDÊNCIA (CJ-3) Área: Administrativa Unidade: Assessoria Administrativa da Presidência ATIVIDADE PRINCIPAL

Leia mais

Concurso Público de Provas para ingresso na carreira de ESCRIVÃO DE POLÍCIA EP-1/2010

Concurso Público de Provas para ingresso na carreira de ESCRIVÃO DE POLÍCIA EP-1/2010 Academia de Polícia Dr. Coriolano Nogueira Cobra Secretaria de Concursos Públicos Concurso Público de Provas para ingresso na carreira de ESCRIVÃO DE POLÍCIA EP-1/2010 A Comissão do concurso torna pública

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 01. Tratando se das atribuições de um Vigia de um órgão público municipal, é correto afirmar que: A) A realização de rondas diurnas e noturnas tem como objetivo evitar roubos,

Leia mais

ÉTICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA. PROFa. DRA. CARLA GIANI MARTELLI UNESP- FCL- ARARAQUARA

ÉTICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA. PROFa. DRA. CARLA GIANI MARTELLI UNESP- FCL- ARARAQUARA ÉTICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA PROFa. DRA. CARLA GIANI MARTELLI UNESP- FCL- ARARAQUARA VALORIZAÇÃO DA ÉTICA Clamor social por mais ética Padrões éticos e morais mais rigorosos no mundo todo Poderia existir

Leia mais

(1724-1804) Immanuel. Kant

(1724-1804) Immanuel. Kant Prof. José Leopoldo Ferreira Antunes Immanuel Kant (1724-1804) Movimento intelectual da segunda metade do século XVIII ("século das luzes") que enfatizava a ciência e a razão como formas efetivas para

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 90-CEPE/UNICENTRO, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009. ESTA RESOLUÇÃO ESTÁ REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 71/2011- CEPE/UNICENTRO. Aprova o Curso de Especialização em Controladoria e Finanças, modalidade

Leia mais

Aula 6: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Émile Durkheim (I).

Aula 6: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Émile Durkheim (I). Aula 6: Modelos clássicos da análise e compreensão da sociedade e das instituições sociais e políticas: A Sociologia de Émile Durkheim (I). CCJ0001 - Fundamentos das Ciências Sociais Profa. Ivana Schnitman

Leia mais

Objetivos: 1. Definir Infrações Penais, apresentando as diferenças entre o Crime e Contravenção. Distinguir o Crime Doloso do Culposo.

Objetivos: 1. Definir Infrações Penais, apresentando as diferenças entre o Crime e Contravenção. Distinguir o Crime Doloso do Culposo. Assunto: Infrações Penais Objetivos: 1. Definir Infrações Penais, apresentando as diferenças entre o Crime e Contravenção. Distinguir o Crime Doloso do Culposo. Sumário: 1. Introdução 2. Desenvolvimento

Leia mais

Código de Conduta Empresarial

Código de Conduta Empresarial Código de Conduta Empresarial Prezados Colegas, A Cristal construiu uma empresa global baseada nos valores de honestidade, confiança e respeito. Estes princípios orientam nossa conduta dentro e fora de

Leia mais

GAFIC/FELABAN/ASBA/ABANSA Unificación de Criterios sobre Administración de Riesgos de LD/FT San Salvador set/2011 1

GAFIC/FELABAN/ASBA/ABANSA Unificación de Criterios sobre Administración de Riesgos de LD/FT San Salvador set/2011 1 GAFIC/FELABAN/ASBA/ABANSA Unificación de Criterios sobre Administración de Riesgos de LD/FT San Salvador set/2011 1 LEGISLAÇÃO LEI Nº 9.613/1998 Regime Administrativo CAPÍTULO VI - Da Identificação dos

Leia mais

k\\ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

k\\ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO k\\ TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N *01912136* Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação

Leia mais

Mudança institucional e enfrentamento da corrupção no Brasil

Mudança institucional e enfrentamento da corrupção no Brasil Mudança institucional e enfrentamento da corrupção no Brasil Abril de 2014 Apoio: Termos das mudanças institucionais para o enfrentamento da corrupção no Brasil Mudanças pautadas por uma trajetória iniciada

Leia mais

COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho

COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da 1ª Região Av.

Leia mais

Os cinco aspectos da alfabetização emocional. Controle das emoções. Lidar com relacionamentos

Os cinco aspectos da alfabetização emocional. Controle das emoções. Lidar com relacionamentos Os cinco aspectos da alfabetização emocional Autoconsciência Controle das emoções Automotivação Lidar com relacionamentos Empatia O conteúdo desta página é propriedade intelectual das autoras Nicola Call

Leia mais

Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes. Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes

Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes. Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes Ensinar e aprender: Processos e relações interdependentes Profa. Dra. Maria Regina Cavalcante Profa. Dra. Alessandra de Andrade Lopes Eixo 2: Práticas Pedagógicas no Ensino Superior: epistemologia do ensinar

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS AULA 17 Monitoramento e avaliação de pessoas: Avaliação de desempenho Prof. Lucas Ambrózio Lopes da Silva Departamento de Administração Pública 1. Delimitando e medindo

Leia mais

RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO

RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO RAMO DE AUTOMÓVEIS EM PALMAS-TO 1 2 3 6 Resumo Este trabalho busca estudar um dos mais complexos elementos do comportamento seja na cultura, crença, classe social entre outros, o clima organizacional analisa

Leia mais

Pós graduação em Ciências Sociais Aplicadas: como chegar lá e como concluí-la com êxito? Prof. Virgílio Oliveira FACC UFJF

Pós graduação em Ciências Sociais Aplicadas: como chegar lá e como concluí-la com êxito? Prof. Virgílio Oliveira FACC UFJF Pós graduação em Ciências Sociais Aplicadas: como chegar lá e como concluí-la com êxito? Prof. Virgílio Oliveira FACC UFJF ANTES DE COMEÇAR COMO PERCEBER SE EU TENHO PERFIL PARA A ÁREA ACADÊMICA? A compreensão

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Aula de Paisagismo no campus de Cruz das Almas

APRESENTAÇÃO. Aula de Paisagismo no campus de Cruz das Almas P R O J E T O - P I L O T O UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA - UFRB Pró-Reitoria de Extensão - Proext Rua Rui Barbosa, 710 - Centro - Cruz das Almas/BA - 44.380-000 Site: www.ufrb.edu.br/proext

Leia mais

Comitê Social e Ambiental ICC BluSol

Comitê Social e Ambiental ICC BluSol Informativo nº 16 Blumenau, 3º trimestre de 2016. Prezados Colaboradores, Neste informativo, abordaremos sobre a Corrupção. Em que temos colaborado para a Corrupção? Quais ações e condutas comportamentais

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO BANCO DO BRASIL - ESCRITURÁRIO

CONTROLE DE CONTEÚDO BANCO DO BRASIL - ESCRITURÁRIO CONTROLE DE CONTEÚDO BANCO DO BRASIL - ESCRITURÁRIO 1 Acentuação. Ortografia oficial. PORTUGUÊS 2 Construção frasal. Emprego de conectores. Pontuação. 3 Período composto por subordinação. 4 Concordância

Leia mais

Violência Moral e Psicológica no Trabalho: uma violência organizacional

Violência Moral e Psicológica no Trabalho: uma violência organizacional Violência Moral e Psicológica no Trabalho: uma violência organizacional ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO Um dos principais fatores de risco à saúde mental presentes no trabalho na atualidade Violência Reduz um

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 46 QUESTÃO 41

PROVA ESPECÍFICA Cargo 46 QUESTÃO 41 29 PROVA ESPECÍFICA Cargo 46 QUESTÃO 41 A comunicação pode contribuir de forma estratégica tanto na prevenção quanto na atuação nas corporações no que diz respeito às emergências e crises. Sobre as ações

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA... 2 1. Considerações Gerais... 3 2. MISSÃO, VISÃO, VALORES... 3 Missão da GPS... 3 Visão da GPS... 3 Valores da GPS... 3 3. Padrão Geral de Conduta

Leia mais

Obrigatoriedade na declaração

Obrigatoriedade na declaração A declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física 2010 aparece com algumas novidades, especialmente em relação aos parâmetros que definem a obrigatoriedade da apresentação, o que deverá fazer com que diminua,

Leia mais

Fiscalização Trabalhista. Anita Maria Meinberg Perecin

Fiscalização Trabalhista. Anita Maria Meinberg Perecin Anita Maria Meinberg Perecin Apresentação dos documentos : Livro de inspeção do trabalho Cópia do contrato social CNPJ Cópia da convenção coletiva da categoria Laudo PPRA Carta de preposição Procuração

Leia mais

OLHANDO DE PERTO Pode-se observar na Figura 5 que todo o "ciclo de inovação" (P&D ao Mercado) ocorre dentro das fronteiras da organização. A inovação-

OLHANDO DE PERTO Pode-se observar na Figura 5 que todo o ciclo de inovação (P&D ao Mercado) ocorre dentro das fronteiras da organização. A inovação- SEMINÁRIO TEMÁTICO VIII: TECNOLOGIA E INOVAÇÃO AULA 01: CONCEITOS SOBRE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA TÓPICO 04: INOVAÇÃO ABERTA E INOVAÇÃO FECHADA Conceitualmente a inovação foi pensada como um processo interno

Leia mais

Programa Social Bola Bacana Bola Bacana envolvimento nas atividades escolares

Programa Social Bola Bacana Bola Bacana envolvimento nas atividades escolares PROGRAMA A ineficiência dos Governos na resolução dos problemas em nossa sociedade, os olhos fechados, pelo menos para estes assuntos, de uma parcela dos empresários, e as situações de miséria e sofrimento

Leia mais

Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte. Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges

Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte. Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges Estrutura da apresentação A visão de Governança Corporativa e Compliance

Leia mais

Circular 217/2010 São Paulo, 10 de maio de 2010.

Circular 217/2010 São Paulo, 10 de maio de 2010. Circular 217/2010 São Paulo, 10 de maio de 2010. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) REGULAMENTA OS PROCEDIMENTOS PARA A GESTÃO DE FORMULÁRIOS DE DECLARAÇÃO DE ÓBITO E NASCIDO VIVO Diário Oficial do Estado de

Leia mais

Estatística Básica. Introdução à Análise Exploratória de Dados. Renato Dourado Maia. Instituto de Ciências Agrárias

Estatística Básica. Introdução à Análise Exploratória de Dados. Renato Dourado Maia. Instituto de Ciências Agrárias Estatística Básica Introdução à Análise Exploratória de Dados Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Pergunta Inicial O que é Estatística? 2/26 Contexto

Leia mais

1º SIMULADO XXI EXAME DE ORDEM 2ª FASE

1º SIMULADO XXI EXAME DE ORDEM 2ª FASE 2ª FASE 1º SIMULADO XXI EXAME DE ORDEM 1 2 1º SIMULADO - 2ª FASE XXI EXAME DE ORDEM DIREITO ADMINISTRATIVO A resolução em vídeo do Simulado estará disponível na área de Transmissões no app do OAB de Bolso

Leia mais

REGULAÇÃO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS NO DESENVOLVIMENTO SOCIO-ECONÓMICO E NA INTEGRAÇÃO CULTURAL

REGULAÇÃO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS NO DESENVOLVIMENTO SOCIO-ECONÓMICO E NA INTEGRAÇÃO CULTURAL REGULAÇÃO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS NO DESENVOLVIMENTO SOCIO-ECONÓMICO E NA INTEGRAÇÃO CULTURAL (AS RELAÇÕES DE MOBILIDADE DO HOMEM NO DOMÍNIO E OCUPAÇÃO DO SEU ESPAÇO VITAL) índice Geral 0. À guisa

Leia mais

ASSÉDIO MORAL A INTERFERÊNCIA DAS RELAÇÕES PESSOAIS NA EMPRESA CAROLINA RONCATTI PATRICIA CANHADAS WILDE C. COLARES

ASSÉDIO MORAL A INTERFERÊNCIA DAS RELAÇÕES PESSOAIS NA EMPRESA CAROLINA RONCATTI PATRICIA CANHADAS WILDE C. COLARES ASSÉDIO MORAL A INTERFERÊNCIA DAS RELAÇÕES PESSOAIS NA EMPRESA CAROLINA RONCATTI PATRICIA CANHADAS WILDE C. COLARES 1 1. O QUE É O ASSÉDIO MORAL? Definições: Marie-France Hirigoyen Toda e qualquer conduta

Leia mais

É sujeito passivo da improbidade a pessoa física ou jurídica lesada pelo ato (Lei nº 8429/92, art. 1º):

É sujeito passivo da improbidade a pessoa física ou jurídica lesada pelo ato (Lei nº 8429/92, art. 1º): IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA A Constituição Federal ordena os princípios básicos da Administração (art.37) e expressamente determina a imposição de sanções para os atos de improbidade administrativa. Da

Leia mais

Sistemas de Controle das empresas estatais

Sistemas de Controle das empresas estatais Sistemas de Controle das empresas estatais Alexandre Luis Bragança Penteado Gerente Setorial do Jurídico Corporativo de Órgãos Externos da Petróleo Brasileiro S.A. - PETROBRAS Sistemas de controle do Estado

Leia mais

TESE. Fernando A. N. Galvão da Rocha. Resumo. 1. Introdução. 70 Revista ENM. Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis-MG)

TESE. Fernando A. N. Galvão da Rocha. Resumo. 1. Introdução. 70 Revista ENM. Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis-MG) TESE Formação dos juízes da Justiça Militar para atuação democrática Fernando A. N. Galvão da Rocha Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis-MG) Resumo As escolas judiciais devem capacitar os juízes

Leia mais

Ética e gestão organizacional Aula 06. Virgílio Oliveira UFJF FACC

Ética e gestão organizacional Aula 06. Virgílio Oliveira UFJF FACC Aula 06 Virgílio Oliveira UFJF FACC 1 Há, no campo da ética, duas visões fundamentais: Ética da convicção Ética da responsabilidade 2 A essência da teoria ética da convicção diz: - cumpra suas obrigações

Leia mais

ANEXO I. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA REALIZAÇÃO DO EXAME DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL FEBRABAN DA MODALIDADE COMPLETA.

ANEXO I. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA REALIZAÇÃO DO EXAME DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL FEBRABAN DA MODALIDADE COMPLETA. ANEXO I. Versão 1.1 Março de 2014 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA REALIZAÇÃO DO EXAME DE CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL FEBRABAN DA MODALIDADE COMPLETA. Esta modalidade visa à certificação plena do Correspondente,

Leia mais

Juizados Especiais. Aula 13 (21.05.13) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor) e-mail: vinipedrosa@uol.com.br.

Juizados Especiais. Aula 13 (21.05.13) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor) e-mail: vinipedrosa@uol.com.br. Juizados Especiais Aula 13 (21.05.13) Vinicius Pedrosa Santos (magistrado e professor) e-mail: vinipedrosa@uol.com.br Ementa da aula Juizado Especial Criminal Competência Princípios JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 08. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 08. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 08 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua Sonia FLEURY (2002) A proliferação de redes de gestão resulta de fatores múltiplos que conformam uma nova realidade política e administrativa.

Leia mais

Marco regulatório de 2009

Marco regulatório de 2009 Marco regulatório de 2009 Circular 3.461/09 Cadastro de Clientes Atualização Cadastral Know Your Customer KYC Pessoas Politicamente Expostas PEPs Cadastro de Clientes Cumprir a regulamentação em vigor

Leia mais

Obrigatoriedade do ECF

Obrigatoriedade do ECF EQUIPAMENTO EMISSOR DE CUPOM FISCAL ECF CONCEITO ECF é o equipamento de automação comercial com capacidade para emitir documentos fiscais e realizar controles de natureza fiscal, referentes a operações

Leia mais

INTEGRIDADE ACADÊMICA APROVEITE SUA VIDA UNIVERSITÁRIA SEM IRREGULARIDADES CENTRO TECNOLÓGICO

INTEGRIDADE ACADÊMICA APROVEITE SUA VIDA UNIVERSITÁRIA SEM IRREGULARIDADES CENTRO TECNOLÓGICO INTEGRIDADE ACADÊMICA APROVEITE SUA VIDA UNIVERSITÁRIA SEM IRREGULARIDADES CENTRO TECNOLÓGICO APRESENTAÇÃO Produzir trabalhos acadêmicos não é tarefa fácil. Para que projetos universitários tenham qualidade,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. CESPE Prof. Marcelo Camacho

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. CESPE Prof. Marcelo Camacho ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CESPE Prof. Marcelo Camacho PROGRAMAÇÃO DAS AULAS TRE-PE ANALISTA JUDICIARIO AREA ADMINISTRATIVA AULA 1 1 As reformas administrativas e a redefinição do papel do Estado. 1.1 Reforma

Leia mais

Neste curso, vamos estudar algumas maneiras em que a matemática é usada para modelar processos dinâmicos em biologia.

Neste curso, vamos estudar algumas maneiras em que a matemática é usada para modelar processos dinâmicos em biologia. Introdução à Modelagem Matemática em Biologia Os sistemas biológicos são caracterizados por mudança e adaptação. Mesmo quando eles parecem ser constantes e estáveis, isso é o pelo resultado de um balanceamento

Leia mais

Breves Apontamentos da Justiça Militar

Breves Apontamentos da Justiça Militar Breves Apontamentos da Justiça Militar Dedico este trabalho a Deus, e a todos os meus amigos e familiares que não mediram esforços para me apoiar neste projeto e em minha vida acadêmica, cada ato ou gesto

Leia mais

Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira

Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira Seminário Nacional NTU - 2014 Lei Anticorrupção e Programa de Compliance Lélis Marcos Teixeira 28/agosto/2014 Iniciativas FETRANSPOR Lei 12.846/2013 Agenda Abertura Histórico Iniciativas Dúvidas Encerramento

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Aspectos penais em tópicos sintéticos: QUEM É O FUNCIONÁRIO PÚBLICO OU EQUIPARADO?

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Aspectos penais em tópicos sintéticos: QUEM É O FUNCIONÁRIO PÚBLICO OU EQUIPARADO? Do que trata? * Crimes contra a administração pública, cometidos por funcionário público. QUEM É O FUNCIONÁRIO PÚBLICO OU EQUIPARADO? Considera-se funcionário público, para os efeitos penais (Conforme

Leia mais

POLÍTICA DE DOAÇÕES, CONTRIBUIÇÕES E PATROCÍNIO

POLÍTICA DE DOAÇÕES, CONTRIBUIÇÕES E PATROCÍNIO POLÍTICA DE DOAÇÕES, CONTRIBUIÇÕES E PATROCÍNIO Elaborador: Verificador: Aprovador: Klaus Hortense Tamara Willmann Hamilton Amadeo 30/06/2017 01/07/2017 20/07/2017 Página 1 de 6 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública

Pesquisa de Opinião Pública Pesquisa de Opinião Pública João Luís F. Batista 27-03-2017 LCF0130 Resolução de Problemas Florestais Depto. Ciências Florestais - ESALQ - USP 1/34 Conteúdo e Objetivo Conteúdo e Objetivo Conteúdo 1. Conceitos:

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES 1 NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: Considerado um dos mais importantes romances brasileiros, Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida, se inscreveu de forma

Leia mais

SALA DE SENSIBILIZAÇÃO COMO METODOLOGIA DE INTERVENÇÃO DO PIBID NA ESCOLA. PALAVRAS - CHAVE: Educação Física Escolar; Família; Percepção Sensorial.

SALA DE SENSIBILIZAÇÃO COMO METODOLOGIA DE INTERVENÇÃO DO PIBID NA ESCOLA. PALAVRAS - CHAVE: Educação Física Escolar; Família; Percepção Sensorial. SALA DE SENSIBILIZAÇÃO COMO METODOLOGIA DE INTERVENÇÃO DO PIBID NA ESCOLA PALAVRAS - CHAVE: Educação Física Escolar; Família; Percepção Sensorial. INTRODUÇÃO O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação

Leia mais

Evolução da Teoria das Organizações

Evolução da Teoria das Organizações Organização, Sistemas e Métodos Evolução da Teoria das Organizações Por José Luís Carneiro - www.jlcarneiro.com - Grandes feitos da Humanidade As pirâmides do Egito A Grande Muralha da China A Acrópole

Leia mais

ESTUDO DAS FUNÇÕES DO SCO. Capitão PMSC ARAÚJO GOMES

ESTUDO DAS FUNÇÕES DO SCO. Capitão PMSC ARAÚJO GOMES ESTUDO DAS FUNÇÕES DO SCO defesacivilgomes@yahoo.com.br ASSUNTO Descreve e comenta as principais funções previamente padronizadas pelo SCO, enfatizando a característica de capacidade para múltiplos riscos.

Leia mais

SITUAÇÃO ATUAL EM 2013 SOBRE O RECOLHIMENTO DO ISS NAS CAPITAIS DOS ESTADOS

SITUAÇÃO ATUAL EM 2013 SOBRE O RECOLHIMENTO DO ISS NAS CAPITAIS DOS ESTADOS Capitais / Questiona mento Existe municipal regulament ando o recolhimen to do ISS? Qual? Rio Branco Sim. 1.508/03. Maceió Macapá Manaus Existe lei municipal regulamenta ndo o ISS, mas não Há Dispensa

Leia mais

Guia Unicred do IMPOSTO DE RENDA 2016

Guia Unicred do IMPOSTO DE RENDA 2016 Guia Unicred do IMPOSTO DE RENDA 2016 1 ÍNDICE Imposto de Renda 2016... 03 Obrigatoriedade de entrega da declaração... 04 Orientações gerais.... 05 Formas de entrega.... 06 Multa pelo atraso na entrega...

Leia mais

Polícia Civil Direito Administrativo Improbidade Administrativa Clóvis Feitosa

Polícia Civil Direito Administrativo Improbidade Administrativa Clóvis Feitosa Polícia Civil Direito Administrativo Improbidade Administrativa Clóvis Feitosa 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Improbidade Administrativa Clovis Feitosa IMPROBIDADE

Leia mais