Categorias em análise: Hardware, Software, Serviços TI e Serviços Telecomunicações.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Categorias em análise: Hardware, Software, Serviços TI e Serviços Telecomunicações."

Transcrição

1 RELATÓRIO LOCAL Despesa TIC no Sector Financeiro Oportunidades num Sector em Reestruturação INTRODUÇÃO IDC Portugal: Centro Empresarial Torres de Lisboa, Rua Tomas da Fonseca, Torre G, Lisboa Este estudo tem como objectivo analisar de forma detalhada a despesa das instituições financeiras com tecnologias de informação e comunicações (TIC) em Portugal. Para tal, a equipa da International Data Corporation (IDC) procedeu à análise dos Relatórios & Contas referentes a Para além da análise quantitativa, realizada a partir dos dados disponibilizados nos Relatórios & Contas, o estudo faz uma análise das principais tendências, que pela sua importância ou impacto, serão mais visíveis em 2011 em Portugal neste sector, e que terão impacto a curto, médio e longo prazo. Categorias em análise: Hardware, Software, Serviços TI e Serviços Telecomunicações. Instituições em análise: Bancos (Caixa Geral de Depósitos, Banco Espírito Santo, Banco Santander Totta, MillenniumBCP, Banco BPI, Banif, Crédito Agrícola, Montepio Geral, Banco Popular, Banco Finantia, Banco Português de Negócios, BNP Paribas Personal Finance, Credibom, Banco Bilbao y Vizcaya Argentaria, Deutsche Bank, Banco Itaú, Banco Primus, Banco de Investimento Global, Banco BIC, Banco Carregosa, Banco Português de Gestão, Banco Invest, BAI Europa, Banco Rural Europa, Unicre e o Banco de Portugal). Seguros (Açoreana Seguros, Alico, Axa Seguros, Axa Seguros Vida, BES Vida, BPI Vida, CA Seguros, Caixa Seguros e Saúde, Cares, Companhia de Seguros Fidelidade Mundial, Companhia de Seguros Sagres, Companhia Portuguesa de Resseguros, Cosec, Crédito Agrícola Vida, Europ Assistance, Eurovida, Finibanco Vida, Generali Vida, Global Seguros, Império Bonança, Liberty Seguros, Lusitânia Seguros, Lusitânia Vida, Mapfre Seguros, Medis, Millenniumbcp Fortis, Multicare, N Seguros, Ocidental Seguros, Ocidental Vida, Popular Seguros, Real Vida Seguros, Rentipar Seguros, Santander Totta Seguros, Seguro Directo, Seguros Logo, Tranquilidade, Tranquilidade Vida, Via Directa, Victoria Seguros, Victoria Seguros de Vida, Zurich e Zurich Vida). Agosto 2011

2 ÍNDICE DE CONTEÚDOS Introdução 1 Definições 5 Equipamento Informático 5 Sistemas Automáticos de Dados 5 Serviços informáticos 5 Comunicações 5 Situação Actual 6 Despesa TIC no Sector Financeiro em Caixa Geral de Depósitos 22 Banco EspÍrito Santo 25 Banco Santander Totta 28 MillenniumBCP 32 Banco BPI 35 Banif 39 Crédito Agrícola 44 Montepio Geral 46 Banco Popular 49 Banco Finantia 51 Banco Português de Negócios 55 BNP Paribas Personal Finance 57 Credibom 61 Banco Bilbao y Vizcaya Argentaria 63 Deutsche Bank 65 Banco Itaú 66 Banco Primus 67 Banco de Investimento Global 68 Banco BIC 70 Banco Carregosa 72 Banco Privado Atlântico Europa 72 Banco Português de Gestão 72 Banco Invest 72 BAI Europa 73 Banco Rural Europa 73 Unicre 74 Banco de Portugal 77 Despesa TIC no Sector Segurador em Perspectivas Futuras 83 Citação de Informações e Dados da IDC IDC

3 ÍNDICE DE TABELAS Tabela 1 - Previsões Macroeconómicas para Portugal (%)... 6 Tabela 2 - Maiores Bancos em Portugal (M ) Tabela 4 - Maiores Seguradoras em Portugal (M ) Tabela 5 - Despesa TIC no Sector Financeiro em Portugal (M ) Tabela 6 - Despesa TIC dos Bancos em Portugal (M ) Tabela 7 - Despesa TIC da Caixa Geral de Depósitos (M ) Tabela 8 - Despesa TIC da Caixa Geral de Depósitos (M ) Tabela 9 - Despesa TIC do Santander Totta (M ) Tabela 10 - Despesa TIC do MillenniumBCP (M ) Tabela 11 - Resumo da Despesa TIC do BPI (M ) Tabela 12 - Resumo da Despesa TIC do Banif (M ) Tabela 13 - Resumo da Despesa TIC do Crédito Agrícola (M ) Tabela 14 - Resumo da Despesa TIC do Montepio Geral (M ) Tabela 15 - Resumo da Despesa TIC do Banco Popular (M ) Tabela 16 - Resumo da Despesa TIC do Banco Finantia (M ) Tabela 17 - Resumo da Despesa TIC do Banco Popular (M ) Tabela 18 - Resumo da Despesa TIC do BNP Paribas Personal Finance (M ) Tabela 19 - Resumo da Despesa TIC do Credibom (M ) Tabela 20 - Resumo da Despesa TIC do BBVA (M ) Tabela 21 - Resumo da Despesa TIC do Deutsche Bank (M ) Tabela 22 - Resumo da Despesa TIC do Banco Itaú (M ) Tabela 23 - Resumo da Despesa TIC do Banco Primus (M ) Tabela 24 - Resumo da Despesa TIC do Banco de Investimento Global (M ) Tabela 25 - Resumo da Despesa TIC do Banco BIC (M ) Tabela 26 - Resumo da Despesa TIC da Unicre (M ) Tabela 27 - Resumo da Despesa TIC do Banco de Portugal (M ) Tabela 28 - Resumo da Despesa TIC nos Seguros (M ) Tabela 29 - Previsões Crescimento PIB Principais Economias (%) Tabela 30 - Prioridades da Despesa TIC IDC 3

4 ÍNDICE DE FIGURAS Figura 1 - Evolução do Crédito Concedido (M )... 7 Figura 2 - Evolução do Produto Bancário (M )... 8 Figura 3 - Evolução dos Lucros (M )... 9 Figura 4 - Evolução dos Prémios Emitidos (M ) Figura 5 - Evolução dos Prémios Emitidos (M ) Figura 6 - Despesa TIC Banco Espírito Santo (M ) Figura 7 - Despesa TIC no Santander Totta (M ) Figura 8 - Despesa TIC do MillenniumBCP (M ) Figura 9 - Despesa TIC do Banco BPI (M ) Figura 10- Despesa TIC do Banif (M ) Figura 11 - Despesa TIC do Crédito Agrícola (M ) Figura 12 - Despesa TIC do Montepio Geral (M ) Figura 13 - Despesa TIC do Banco Popular (M ) Figura 14 - Despesa TIC do Banco Finantia (M ) Figura 15 - Despesa TIC do Banco Português de Negócios (M ) Figura 16 - Despesa TIC do BBVA (M ) Figura 17 - Crescimento da Despesa TIC no Sector Financeiro na Europa Ocidental IDC

5 METODOLOGIA Para produzir este relatório, a equipa da IDC Portugal procedeu à análise detalhada dos Relatórios & Contas das instituições financeiras a actuar no território nacional. Nos últimos anos, a crescente importância das tecnologias de informação e comunicações no interior das organizações financeiras levou a que os Relatórios & Contas anuais incluíssem informações relativas aos investimentos realizados com estas tecnologias. Assim a análise dos Relatórios & Contas das instituições financeiras permitem-nos identificar com alguma exactidão a despesa com hardware, inscrita nestas fontes nos movimentos dos activos tangíveis, e com software (inscrita como activos intangíveis), assim como a despesa com serviços informáticos e de comunicações. DEFINIÇÕES Contrariamente ao que sucede com outros estudos produzidos pela IDC, mantivemos neste estudo a terminologia constante do Orçamento de Estado. Como suporte à leitura e ao entendimento correcto deste estudo, apresentamos em seguida o conjunto de definições mais relevantes para os temas nele abordados e que seguem as definições incluídas na classificação económica das receitas e despesas públicas publicadas no Decreto-Lei Nº 26/2002 de 14 de Fevereiro. EQUIPAMENTO INFORMÁTICO Nesta categoria incluem-se as despesas das instituições financeiras equipamento informático, incluídas em activos tangíveis. Em algumas instituições financeiras Banco Espírito Santo, Crédito Agrícola, Banif, Finibanco e Banco de Portugal -, o Relatório & Contas apenas inclui a despesa com equipamento. Nestes casos, a IDC incluiu uma estimativa do peso da despesa com equipamento informático no equipamento. SISTEMAS AUTOMÁTICOS DE DADOS Nesta categoria incluem-se as despesas das instituições financeiras software, incluídas em activos intangíveis. SERVIÇOS INFORMÁTICOS Nesta categoria incluem-se as despesas das instituições financeiras com a aquisição de serviços informáticos. COMUNICAÇÕES Nesta categoria incluem-se as despesas das instituições financeiras com serviços de comunicações IDC 5

Atividade Seguradora - Prémios de Seguro Direto 2011

Atividade Seguradora - Prémios de Seguro Direto 2011 Atividade Seguradora - Prémios de Seguro Direto 2011 16 janeiro 2012 No ano de 2011 o volume da produção de seguro direto em Portugal atingiu os 11,6 mil milhões de euros, dos quais cerca de 92,3% diz

Leia mais

R E L ATÓRIO L O C AL I N T R O DUÇÃO

R E L ATÓRIO L O C AL I N T R O DUÇÃO R E L ATÓRIO L O C AL D e s p e s a T I C n a A d m i n i s t r a ç ã o P ú b l i c a, 2 0 1 1 : Q u a i s a s O p o r t u n i d a d e s n o A c t u a l A m b i e n t e d e C r i s e E c o n ó m i c a

Leia mais

Atividade Seguradora Prémios de Seguro Direto 2013

Atividade Seguradora Prémios de Seguro Direto 2013 Atividade Seguradora Prémios de Seguro Direto 2013 (atualizado em 23 de janeiro de 2014) No ano de 2013 o volume da produção de seguro direto em Portugal foi ligeiramente superior a 13 mil milhões de euros,

Leia mais

Atividade Seguradora - Prémios de Seguro Direto 2014

Atividade Seguradora - Prémios de Seguro Direto 2014 Atividade Seguradora - Prémios de Seguro Direto 2014 (atualizado em 15 de janeiro de 2015) No ano de 2014, o volume da produção de seguro direto em Portugal foi de 14,3 mil milhões de euros, refletindo

Leia mais

Plano de Marketing de Envio por e-mail do Extracto Electrónico

Plano de Marketing de Envio por e-mail do Extracto Electrónico Empresarial Plano de Marketing de Envio por e-mail do Extracto Electrónico Projecto Final de Licenciatura Elaborado por Ana Maria Araújo Aluno nº 20081109 Orientador: Professor Doutor Georg Dutschke Barcarena

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha de Apoio à Tesouraria Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Tenham um volume de facturação anual inferior a 150 milhões de euros Desenvolvam

Leia mais

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha Turismo de Habitação e Turismo em Espaço Rural Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Comprovem ser Micro e Pequenas Empresas através da certificação

Leia mais

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A BANCA PAGA METADE DA TAXA DE IRC, AS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES REPRESENTAM APENAS

Leia mais

Provedores dos clientes

Provedores dos clientes Provedores dos clientes Ace European Group Limited ACP Mobilidade - Sociedade de Seguros de Assistência, S.A. ADA, Ayuda del Automovilista, S.A. de Seguros y Reaseguros Dra. Ada Pereira Nunes dos Santos

Leia mais

Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 10.382 90,7% Sexo Homem 4.231

Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 10.382 90,7% Sexo Homem 4.231 1 / 14 Painel de Banca Portugal Características Tamanho painel (ISO): 32.637 Pessoas perfiladas (ISO): 11.557 Taxa de resposta estimada (ISO): 41% Atualizado: 15/12/2014 Tamanho (ISO): o número de participantes

Leia mais

PME Investe III - Sector do Turismo. Linha de Apoio às Empresas da Região OESTE

PME Investe III - Sector do Turismo. Linha de Apoio às Empresas da Região OESTE PME Investe III - Sector do Turismo Linha de Apoio às Empresas da Região OESTE Objectivos Esta Linha de Crédito, sem juros e com garantias a custo reduzido, visa apoiar as empresas do sector do turismo,

Leia mais

Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização)

Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização) Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização) Ace Europe Group Limited Sucursal em Portugal Departamento de e Qualidade de Negócio Quinta da Fonte Edf. D. Manuel I Piso

Leia mais

Provedores dos clientes

Provedores dos clientes Provedores dos clientes Ace European Group Limited Açoreana Seguros, S.A. ACP Mobilidade - Sociedade de Seguros de Assistência, S.A. ADA, Ayuda del Automovilista, S.A. de Seguros y Reaseguros Dra. Ada

Leia mais

Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização)

Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização) Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização) Ace Europe Group Limited Sucursal em Portugal Departamento de gestão de reclamações e qualidade de negócio Quinta da Fonte

Leia mais

2. Referencial contabilístico de preparação das demonstrações financeiras

2. Referencial contabilístico de preparação das demonstrações financeiras 1. Identificação da entidade EXERCÍCIO DE 2011 INTRODUÇÃO PLC - Corretores de Seguros, S.A é uma sociedade anonima. A Empresa foi constituida em 1999, tem sede na Av. Infante Santo nº 48 2º Esq. em Lisboa,

Leia mais

Linha Específica para o Sector do Turismo

Linha Específica para o Sector do Turismo Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das

Leia mais

Função autónoma responsável pela gestão de reclamações

Função autónoma responsável pela gestão de reclamações Função autónoma responsável pela gestão de reclamações ACP Mobilidade - Sociedade de Seguros de Assistência, S.A. Área de gestão de reclamações apoioclientes@acp.pt ADA, Ayuda del Automovilista, S.A. de

Leia mais

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 EMPRESA: UNISEGUROS- CORRETORES DE SEGUROS, LDA SEDE: Rua de Castilho nº 65 2º Dto. Sala 10 Lisboa, Concelho de Lisboa Nº CONTRIBUINTE

Leia mais

Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI

Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI No seguimento do quadro de apoios concedidos às empresas portuguesas no âmbito das linhas de apoio PME Investe, estão abertas a partir de 18 de Junho

Leia mais

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Estabelecimentos de Restauração e Bebidas Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Não tenham um volume de facturação anual

Leia mais

Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização)

Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização) Função autónoma responsável pela gestão de reclamações (Lista em atualização) Ace Europe Group Limited Sucursal em Portugal Departamento de e Qualidade de Negócio Quinta da Fonte Edf. D. Manuel I Piso

Leia mais

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das empresas do sector

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha Turismo de Habitação e Turismo em Espaço Rural Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha Específica PME Investe III do Sector do Turismo, visa

Leia mais

Consultadoria, Sondagens e Estudos de Mercado, Lda. Ficha Técnica. Inquérito Banca e Media: Novas Tendências. Distribuição da amostra:

Consultadoria, Sondagens e Estudos de Mercado, Lda. Ficha Técnica. Inquérito Banca e Media: Novas Tendências. Distribuição da amostra: Banca e Media: Novas Tendências Março 2001 Ficha Técnica Inquérito Banca e Media: Novas Tendências Amostra: 1003 utilizadores da Internet em Portugal. Amostragem: Aleatória simples. Distribuição da amostra:

Leia mais

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Empreendimentos Turísticos e Actividades de Animação de Interesse para o Turismo Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que:

Leia mais

Empresas de Seguros Nacionais

Empresas de Seguros Nacionais Empresas de Seguros Nacionais empresas de seguros nacionais ACP-MOBILIDADE SOCIEDADE DE SEGUROS DE ASSISTÊNCIA, A ACP-Mobilidade - Sociedade de Seguros de Assistência,, foi constituída para explorar o

Leia mais

Índice: Letra 2 e 3 Livrança 4 e 5 Operações Bancárias 6 a 8 Cheque

Índice: Letra 2 e 3 Livrança 4 e 5 Operações Bancárias 6 a 8 Cheque Índice: Letra 2 e 3 Livrança 4 e 5 Operações Bancárias 6 a 8 Cheque 1 Letra: Definição de Letra: A letra é um titulo de crédito à ordem, sujeito a formalidades, através das quais uma pessoa sacador ordena

Leia mais

Cremos ser de extrema importância a vossa presença e participação.

Cremos ser de extrema importância a vossa presença e participação. Exmos. Associados e parceiros, Chamamos a vossa atenção para o convite abaixo. Cremos ser de extrema importância a vossa presença e participação. Inscrevam-se! Convite No seguimento dos contactos mantidos

Leia mais

(Nome) beneficiário dos. , na qualidade de (Titular; Companheiro(a); Cônjuge; Filho(a)) (Nome) sócio do Sindicato

(Nome) beneficiário dos. , na qualidade de (Titular; Companheiro(a); Cônjuge; Filho(a)) (Nome) sócio do Sindicato SINDICATO DOS BANCÁRIOS DO CENTRO GALP FROTA 1 Proponente (Nome) beneficiário dos SAMS/Centro Nº do sócio do SBC Nº, na qualidade de (Titular; Companheiro(a); Cônjuge; Filho(a)) declaro que pretendo aderir

Leia mais

A sua família está protegida?

A sua família está protegida? Dinheiro&direitos 118 julho/agosto 2013 seguro de vida 37 A sua família está protegida? Se tem ou vai contratar um crédito à habitação, fique atento às coberturas do seguro de vida e não apenas ao preço.

Leia mais

LINHA DE APOIO À REESTRUTURAÇÃO DE DÍVIDA BANCÁRIA DAS EMPRESAS DOS AÇORES E APOIO À LIQUIDEZ

LINHA DE APOIO À REESTRUTURAÇÃO DE DÍVIDA BANCÁRIA DAS EMPRESAS DOS AÇORES E APOIO À LIQUIDEZ LINHA DE APOIO À REESTRUTURAÇÃO DE DÍVIDA BANCÁRIA DAS EMPRESAS DOS AÇORES E APOIO À LIQUIDEZ 1- O que é a Linha de Apoio à Reestruturação de Dívida Bancária das Empresas dos Açores e Apoio à Liquidez?

Leia mais

Linha Específica para o Sector do Turismo

Linha Específica para o Sector do Turismo Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS ANO 22 Nº 44 NOVEMBRO 2009

BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS ANO 22 Nº 44 NOVEMBRO 2009 BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA ANO 22 Nº 44 NOVEMBRO 2009 Dados sobre a Banca em Portugal relativos 1º semestre de 2009 ÍNDICE Pag. 0 NOTA INTRODUTÓRIA... 3 1 PRINCIPAIS VARIÁVEIS E INDICADORES...

Leia mais

Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros

Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros SERVIÇO DE PROVEDORIA RELATÓRIO DE ACTIVIDADES - ANO DE 2012 Nos termos do disposto no artigo 14º do Regulamento do Serviço de Provedoria

Leia mais

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 50 2014 Anual

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 50 2014 Anual Boletim Estatístico Associação Portuguesa de Bancos Nº 50 2014 Anual Lisboa Setembro 2015 Nota de Agradecimentos A Associação Portuguesa de Bancos agradece a todos os seus Associados a disponibilidade

Leia mais

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 48 2012 Anual

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 48 2012 Anual Boletim Estatístico Associação Portuguesa de Bancos Nº 48 2012 Anual Lisboa Outubro 2013 Nota de Agradecimentos A Associação Portuguesa de Bancos agradece a todos os seus Associados a disponibilidade

Leia mais

ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008

ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008 LINHA DE CRÉDITO PARA ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR COM GARANTIA MÚTUA ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008 Comissão de Acompanhamento 29 de Maio de 2008 Introdução, e principais conclusões Este documento

Leia mais

crédito ao investimento no turismo

crédito ao investimento no turismo Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, lote 6 1050-124 Lisboa Tel 211 140 200 Fax 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt www.turismodeportugal.pt crédito ao investimento no turismo p r

Leia mais

CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO

CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO PROTOCOLOS BANCÁRIOS INFORMAÇÃO SINTETIZADA CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO PROTOCOLOS BANCÁRIOS ÍNDICE NOVAS LINHAS DE APOIO FINANCEIRO

Leia mais

Sociodemographic profile Real delivery Panel IR% Total panelists: 10.382 90,7% Sex Man 4.231

Sociodemographic profile Real delivery Panel IR% Total panelists: 10.382 90,7% Sex Man 4.231 1 / 14 Bank Panel Portugal Features Panel size (ISO): 32.637 People profiled (ISO): 11.557 Estimated response rate (ISO): 41% Updated: 15/12/2014 Size (ISO): number of panelists according to ISO 26362

Leia mais

HISTÓRICO DAS EMPRESAS DE SEGUROS ESTABELECIDAS EM PORTUGAL ENTRE 1975 E 2011

HISTÓRICO DAS EMPRESAS DE SEGUROS ESTABELECIDAS EM PORTUGAL ENTRE 1975 E 2011 HISTÓRICO DAS EMPRESAS DE SEGUROS ESTABELECIDAS EM PORTUGAL ENTRE 1975 E 2011 GISELA LAGES 1 1 Departamento de Autorizações e Registo do ISP INTRODUÇÃO O documento que ora se apresenta é resultado de

Leia mais

Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros. Relatório de Actividades do Serviço de Provedoria. Ano de 2014

Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros. Relatório de Actividades do Serviço de Provedoria. Ano de 2014 Relatório de Actividades do Serviço de Provedoria Ano de 2014 1. Actividade desenvolvida pelo Serviço de Provedoria O Serviço de Provedoria do Cliente de Seguros visa a disponibilização de uma solução

Leia mais

A lista actualizada de sociedades de seguros encontra-se na página de internet do Instituto de Seguros de Portugal, em http://www.isp.

A lista actualizada de sociedades de seguros encontra-se na página de internet do Instituto de Seguros de Portugal, em http://www.isp. BANCO DE PORTUGAL Última atualização: setembro 2014 Last update: setembro 2014 S.12 SOCIEDADES FINANCEIRAS S.128 e S.129 SOCIEDADES DE SEGUROS E FUNDOS DE PENSÕES / INSURANCE CORPORATIONS AND PENSION FUNDS

Leia mais

Caixa acelera. expansão em Angola. Controlo da parceria com Totta. será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9

Caixa acelera. expansão em Angola. Controlo da parceria com Totta. será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9 Caixa acelera expansão em Angola Controlo da parceria com Totta será antecipado para liderar no financiamento às PME Empresas 8 e 9 BANCA CGD antecipa controlo do Caixa Totta e acelera expansão em Angola

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira

Escola Secundária de Paços de Ferreira Escola Secundária de Paços de Ferreira Tânia Marlene Silva Maio 2008 1 Índice Introdução.3 1. Transferências a credito 4 2. Débitos directos e transferências a credito 3. Transferências a credito Vantagens

Leia mais

Síntese das Actividades de Supervisão Comportamental. 1.º Semestre de 2009. Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal.

Síntese das Actividades de Supervisão Comportamental. 1.º Semestre de 2009. Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal. Síntese das Actividades de Supervisão Comportamental 1.º Semestre de 2009 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal.pt ÍNDICE SINOPSE DO 1º SEMESTRE 2009 1 FISCALIZAÇÃO DA PUBLICIDADE

Leia mais

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação 1 Incentivos financeiros à internacionalização Em 2010 os incentivos financeiros à internacionalização, não considerando

Leia mais

LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA

LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA ORÇAMENTO: 120 milhões de euros, dos quais 60 milhões de euros alocados pelo Turismo de Portugal. ENTIDADES PARCEIRAS: - Banco Bilbao Vizcaya Argentaria - Banco

Leia mais

LINHA DE APOIO À TESOURARIA DAS EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014]

LINHA DE APOIO À TESOURARIA DAS EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014] LINHA DE APOIO À TESOURARIA DAS EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014] INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 OBJETO Apoiar, exclusivamente, a tesouraria das empresas turísticas,

Leia mais

SPMS, E.P.E. Índice. 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 5 3. Orçamento de Tesouraria... 10 4. Orçamento de Investimentos...

SPMS, E.P.E. Índice. 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 5 3. Orçamento de Tesouraria... 10 4. Orçamento de Investimentos... 2012 ORÇAMENTO Índice 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 5 3. Orçamento de Tesouraria... 10 4. Orçamento de Investimentos... 11 1 Orçamento 2012 1. Enquadramento 1.1. Objectivos O presente

Leia mais

VI. NOMENCLATURA DAS OPERAÇÕES CÓDIGOS. Movimento de regularização contabilística de descobertos em contas externas

VI. NOMENCLATURA DAS OPERAÇÕES CÓDIGOS. Movimento de regularização contabilística de descobertos em contas externas Anexo à Instrução nº 1/96 VI. NOMENCLATURA DAS OPERAÇÕES CÓDIGOS 0. CÓDIGOS ESPECIAIS CÓDIGOS Operação desconhecida abaixo do limiar Movimento de regularização contabilística de descobertos em contas externas

Leia mais

Privado. Mas o consumidor também pode

Privado. Mas o consumidor também pode Guia Financeiro Investidor Privado Este artigo foi redigido ao abrigo do novo acordo ortográfico. SEGUROS DE VIDA Crédito e família protegidos Se vai contratar o seguro por causa do empréstimo da casa,

Leia mais

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 46 2010 Anual

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 46 2010 Anual Boletim Estatístico Associação Portuguesa de Bancos Nº 46 2010 Anual Lisboa Junho 2011 Nota de Agradecimentos A Associação Portuguesa de Bancos quer agradecer a todos os seus Associados pelo contributo

Leia mais

NPC DESIGNAÇÃO INÍCIO DE ACTIVIDADE FIM DE ACTIVIDADE 980350964 ACE EUROPEAN GROUP LIMITED - SUCURSAL EM PORTUGAL 20-03-2007

NPC DESIGNAÇÃO INÍCIO DE ACTIVIDADE FIM DE ACTIVIDADE 980350964 ACE EUROPEAN GROUP LIMITED - SUCURSAL EM PORTUGAL 20-03-2007 A.2.2. COMPANHIAS DE SEGUROS E FUNDOS DE PENSÕES Actualizado em Junho 2007 A.2.2.1. COMPANHIAS DE SEGUROS NPC DESIGNAÇÃO INÍCIO DE ACTIVIDADE FIM DE ACTIVIDADE 980350964 ACE EUROPEAN GROUP LIMITED - SUCURL

Leia mais

Divulgação de Resultados ECSI 2012

Divulgação de Resultados ECSI 2012 Divulgação de Resultados ECSI 2012 Banca, Seguros, Comunicações, Combustíveis, Gás em Garrafa, Gás Natural, Eletricidade, de Passageiros e Águas Equipa ECSI: Parceiro no sector dos Seguros Índice Introdução

Leia mais

O Novo Posicionamento do Departamento de Segurança na Banca. Margarida Mota

O Novo Posicionamento do Departamento de Segurança na Banca. Margarida Mota Margarida Mota 1 Índice 1. Fórum de Segurança Bancária 2. Enquadramento Legal - Actividade de Segurança Privada na Banca 3. Medidas de Segurança Específicas Obrigatórias 4. Departamento de Segurança -

Leia mais

Conheça os bancos que mais subiram as comissões desde o início da crise. Desde 2010 que as instituições financeiras têm vindo a aumentar as comissões

Conheça os bancos que mais subiram as comissões desde o início da crise. Desde 2010 que as instituições financeiras têm vindo a aumentar as comissões Conheça os bancos que mais subiram as comissões desde o início da crise Desde 2010 que as instituições financeiras têm vindo a aumentar as comissões dos serviços associados às contas à ordem. Em média,

Leia mais

GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pagamento de Contribuições à Segurança Social (2015 v5.9) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

Provedores do Cliente (Lista em atualização)

Provedores do Cliente (Lista em atualização) Provedores do Cliente (Lista em atualização) Ace European Group Limited Açoreana Seguros, S.A. ACP Mobilidade - Sociedade de Seguros de Assistência, S.A. Aegon Santander Portugal Não Vida Companhia de

Leia mais

GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pagamento de Contribuições à Segurança Social (2015 v5.7) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

Ccent. 46/2009 Rentipar / Global Seguros * Global Vida. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Ccent. 46/2009 Rentipar / Global Seguros * Global Vida. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 46/2009 Rentipar / Global Seguros * Global Vida Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 do artigo 35.º da Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho] 31/12/2009 DECISÃO DE

Leia mais

Incentivos a Microempresas do Interior. Saiba como se candidatar

Incentivos a Microempresas do Interior. Saiba como se candidatar Incentivos a Microempresas do Interior 3 Incentivos a Microempresas do Interior Para que servem estes incentivos? 4 5 Este regime de incentivos apoia microempresas localizadas no Interior ou em regiões

Leia mais

Anexo VII. Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa

Anexo VII. Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa Anexo VII Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa (Nos termos das notas explicativas ao classificador das receitas e das despesas públicas em anexo

Leia mais

LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO

LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO 30 de dezembro de 2011 Linhas PME Investe Sector do Turismo Características Gerais e Condições de Financiamento - Linhas Específicas do Sector do Turismo - PME INVESTE

Leia mais

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News 28 PME Líder CRITÉRIOS Bloomberg News CRITÉ RIOS COMO CHEGAR A PME LÍDER Atingir o Estatuto PME Líder é a ambição de muitas empresas. É este o primeiro passo para chegar a PME Excelência. Saiba o que precisa

Leia mais

Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 14/2011 CNP BVP*CNP VIDA / Carteira de Seguros ALICO Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 do artigo 35.º da Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho] 13/05/2011 DECISÃO

Leia mais

ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL

ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL Agosto de 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 ENQUADRAMENTO... 3 O IMPACTE DO SECTOR FINANCEIRO NAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS... 4 PEGADA CARBÓNICA DO SECTOR

Leia mais

A Saúde dos Portugueses que caminhos?

A Saúde dos Portugueses que caminhos? A Saúde dos Portugueses que caminhos? APRESENTAÇÃO Universidade A da [CLIENTE] Beira Interior Covilhã, 19.Maio.2007 PAGE 1 AGENDA Serviço Nacional de Saúde Financiamento privado: o caso MultiCare MultiCare

Leia mais

Índice PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23

Índice PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23 introdução 7 Índice NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23 PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ACTIVIDADE FINANCEIRA 1. Evolução da actividade bancária

Leia mais

A Relação dos créditos reconhecidos, nos termos do nº 2 do artigo 129º do Código

A Relação dos créditos reconhecidos, nos termos do nº 2 do artigo 129º do Código Exmo(a). Senhor(a) Doutor(a) Juiz de Direito do Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão 4º Juízo Cível Processo nº 3879/11.7TJVNF Insolvência de Cristiana Manuela Nogueira Marinho Pereira Apenso da

Leia mais

CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA

CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA 28 de Novembro de 2014 AGENDA FUNÇÕES DA BANCA E DOS SEGUROS BANCASSURANCE E ASSURBANK RACIONAL E CONDICIONANTES EVOLUÇÃO

Leia mais

Sessão de esclarecimento ACIB. Barcelos, 28 de março de 2012

Sessão de esclarecimento ACIB. Barcelos, 28 de março de 2012 Sessão de esclarecimento ACIB Barcelos, 28 de março de 2012 O IEFP, I.P. É UM SERVIÇO PÚBLICO DE EMPREGO COM ATENDIMENTO PERSONALIZADO E GRATUITO QUE PODE APRESENTAR SOLUÇÕES PARA A SUA EMPRESA FACULTA

Leia mais

GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES À SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Pagamento de Contribuições à Segurança Social (2015 v5.11) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

ADL - Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano

ADL - Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano SISTEMAS DE INCENTIVO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL Sistema de Incentivos à Inovação MODCOM Modernização do Comércio Linha de Crédito - PME INVEST III ADL - Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano

Leia mais

Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo)

Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo) Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo) Objetivo - Financiar o reforço do fundo de maneio ou dos capitais permanentes e investimento novo em ativos fixos corpóreos ou incorpóreos; - Até

Leia mais

Ccent. 47/2012 MONTEPIO GERAL / FINIBANCOVIDA. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Ccent. 47/2012 MONTEPIO GERAL / FINIBANCOVIDA. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 47/2012 MONTEPIO GERAL / FINIBANCOVIDA Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 do artigo 50.º da Lei n.º 19/2012, de 8 de maio] 07/12/2012 DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO

Leia mais

Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros. Relatório de Actividades do Serviço de Provedoria. Ano de 2013

Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros. Relatório de Actividades do Serviço de Provedoria. Ano de 2013 Centro de Informação, Mediação, Provedoria e Arbitragem de Seguros Relatório de Actividades do Serviço de Provedoria Ano de 2013 O Serviço de Provedoria foi criado no ano de 2009, no âmbito da publicação

Leia mais

ESTUDO IDC/ACEPI. Economia Digital em Portugal 2009-2017

ESTUDO IDC/ACEPI. Economia Digital em Portugal 2009-2017 ESTUDO IDC/ACEPI Economia Digital em Portugal 2009-2017 ECONOMIA DIGITAL NO MUNDO (2012) 2.5 mil milhões de internautas no mundo 850 mil milhões de euros 300 mil milhões de euros Europa maior mercado de

Leia mais

LINHA DE APOIO À CONSOLIDAÇÃO FINANCEIRA EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014]

LINHA DE APOIO À CONSOLIDAÇÃO FINANCEIRA EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014] LINHA DE APOIO À CONSOLIDAÇÃO FINANCEIRA EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014] INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 OBJETO Criar as condições para a adequação dos serviços de dívida

Leia mais

SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012

SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012 SEGURO RISCOS RURAIS 2002 / JAN A SET - 2012 1 SEGURO RISCOS RURAIS Esse estudo tomou por base dados oficiais gerados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, IBGE e pela SUSEP (Superintendência

Leia mais

Anexo ao Balanço e à Demonstração dos Resultados

Anexo ao Balanço e à Demonstração dos Resultados Anexo ao Balanço e à Demonstração dos Resultados Introdução EXERCÍCIO DE 2009 A Empresa «ANTONIO MARQUES, CORRETOR DE SEGUROS EIRL» tem sede na Rua António José Baptista, n.º 16 2.º Dto., em Setúbal, foi

Leia mais

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016

REGULAMENTADO SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO. Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016 SESSÃO ESPECIAL DE MERCADO REGULAMENTADO Apuramento dos Resultados da Oferta Pública de Subscrição das OBRIGAÇÕES TAXA FIXA MOTA-ENGIL 2013/2016 14 de Março de 2013 ENTIDADE OFERENTE OFERTA PÚBLICA DE

Leia mais

Incentivos a Microempresas do Interior

Incentivos a Microempresas do Interior Incentivos a Microempresas do Interior Saiba como se candidatar Para que servem estes incentivos? Este regime de incentivos apoia microempresas localizadas no Interior ou em regiões com problemas de interioridade,

Leia mais

Curriculum Vitae. Intensive Training for Young European Entrepreneurs Hogeschool West-Vlaanderen Kortrijk - Bélgica

Curriculum Vitae. Intensive Training for Young European Entrepreneurs Hogeschool West-Vlaanderen Kortrijk - Bélgica Identificação Alfredo Manuel Santos de Oliveira Simões Av. das Laranjeiras, 14-5º Esq. Quinta Grande 2610-098 ALFRAGIDE PORTUGAL Telemóvel: +351-96-309 17 04 Internet e-mail: Página Internet: alfredo.simoes@mail.telepac.pt

Leia mais

Oportunidades para as TIC no Novo Contexto Económico e Social

Oportunidades para as TIC no Novo Contexto Económico e Social Oportunidades para as TIC no Novo Contexto Económico e Social 10ª Edição Forum TI TechData 15 de Novembro Centro de Congressos de Lisboa 17 de Novembro Casa da Música, Porto Gabriel Coimbra Manging Director,

Leia mais

8.ª Edição. Congresso Anual de Cartões e Meios de Pagamento. 26 e 27 de Maio de 2010. Lagoas Park Hotel OEIRAS EMPRESA ACREDITADA POR ORGANIZAÇÃO

8.ª Edição. Congresso Anual de Cartões e Meios de Pagamento. 26 e 27 de Maio de 2010. Lagoas Park Hotel OEIRAS EMPRESA ACREDITADA POR ORGANIZAÇÃO 8.ª Edição Congresso Anual de Cartões e Meios de Pagamento 26 e 27 de Maio de 2010 Lagoas Park Hotel OEIRAS ORGANIZAÇÃO EMPRESA ACREDITADA POR O único encontro do sector em Portugal Essencial para acompanhamento

Leia mais

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar

PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI Nº 37/XI-1ª PROÍBE A APLICAÇÃO DE TAXAS, COMISSÕES, CUSTOS, ENCARGOS OU DESPESAS ÀS OPERAÇÕES DE MULTIBANCO ATRAVÉS DE CARTÕES DE DÉBITO Preâmbulo

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS Ano 18 Nº 35 Julho de 2005 Dados sobre a Banca em Portugal relativos ao exercício de 2004

BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS Ano 18 Nº 35 Julho de 2005 Dados sobre a Banca em Portugal relativos ao exercício de 2004 BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA Ano 18 Nº 35 Julho de 2005 Dados sobre a Banca em Portugal relativos ao exercício de 2004 ÍNDICE Pag. RELAÇÃO DOS BANCOS INCLUÍDOS NESTE BOLETIM.. 4 0 NOTA INTRODUTÓRIA...

Leia mais

Como poderemos ver é uma modalidade de alta rentabilidade e dominada pelo canal banco.

Como poderemos ver é uma modalidade de alta rentabilidade e dominada pelo canal banco. MERCADO DE SEGUROS BRASILEIRO RESIDENCIAL JANEIRO A JULHO DE 2008 Esse poderá ser o primeiro grande produto do chamado micro seguro. De fato a dificuldade para sua aplicabilidade para as camadas menos

Leia mais

Lista Integral das Empresas de Seguros

Lista Integral das Empresas de Seguros Lista Integral das Empresas de Seguros (ordem alfabética) Lista Integral das Empresas de Seguros (ordem alfabética) A Pátria, Companhia de Seguros A Social Companhia Portuguesa de Seguros, S.A. A.M.A.

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Índice 1. Segmentos de Atuação. 2. Serviços Especializados. 3. Linhas de Crédito... 4. Resultados da Atividade do Sistema Nacional de Garantia Mútua. 5. Contactos 3 10 12 22

Leia mais

Ccent. 10/2008 TRANQUILIDADE/UNITEDHEALTH/ADVANCECARE. Decisão de Não Oposição Da Autoridade da Concorrência

Ccent. 10/2008 TRANQUILIDADE/UNITEDHEALTH/ADVANCECARE. Decisão de Não Oposição Da Autoridade da Concorrência Ccent. 10/2008 TRANQUILIDADE/UNITEDHEALTH/ADVANCECARE Decisão de Não Oposição Da Autoridade da Concorrência (alínea b) do n.º 1 do artigo 35.º da Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho) 27/03/2008 DECISÃO DO

Leia mais

Regime Protocolos Bancários para o Turismo (PME)

Regime Protocolos Bancários para o Turismo (PME) para o Turismo (PME) ADRAL 8 de Junho 2005 Objectivos: Apoiar financeiramente projectos turísticos económica e financeiramente viáveis, que contribuam para o aumento da qualidade, diversificação e competitividade

Leia mais

OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO.

OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. ÍNDICE INTRODUÇÃO OS BENEFÍCIOS DO RENTING VANTAGENS FISCAIS O RENTING REDUZ CUSTOS PERMITE MANTER A LIQUIDEZ E AS LINHAS DE CRÉDITO INTACTAS FINANCIAMENTO

Leia mais

Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas: ABERTURA DE CONCURSOS

Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas: ABERTURA DE CONCURSOS Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas: ABERTURA DE CONCURSOS O SIALM Sistema de Incentivos de Apoio Local a Microempresas é a principal bandeira do Programa VALORIZAR. Com esta medida as

Leia mais

ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000

ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000 ACORDO DE PARALISAÇÃO 2000 Entre a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias, Pessoa Colectiva nº 500948470, com sede em Lisboa, na Rua Dr. António Cândido, nº 8, 2º andar,

Leia mais

Consulte a área Bancos Aderentes para saber em detalhe todas as informações relativas aos bancos aderentes.

Consulte a área Bancos Aderentes para saber em detalhe todas as informações relativas aos bancos aderentes. SERVIÇO MB Way O que é o MB Way? O MB Way é a primeira solução interbancária que permite fazer compras e transferências imediatas através de smartphone ou tablet. Basta aderir ao serviço num MULTIBANCO,

Leia mais

A Satisfação do Cliente no Sector dos Seguros

A Satisfação do Cliente no Sector dos Seguros A Satisfação do Cliente no Sector dos Seguros Introdução Num contexto de uma economia de mercado em acelerada mudança, afigura-se fundamental que as empresas em geral, e em particular o sector segurador,

Leia mais

Ccent. 35/2009 Lusitania/Real Seguros. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Ccent. 35/2009 Lusitania/Real Seguros. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 35/2009 Lusitania/Real Seguros Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência [alínea b) do n.º 1 do artigo 35.º da Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho] 15/10/2009 DECISÃO DE NÃO OPOSIÇÃO DA

Leia mais