Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº Anual

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 48 2012 Anual"

Transcrição

1 Boletim Estatístico Associação Portuguesa de Bancos Nº Anual Lisboa Outubro 2013

2

3 Nota de Agradecimentos A Associação Portuguesa de Bancos agradece a todos os seus Associados a disponibilidade demonstrada e o contributo que deram para a elaboração do presente Boletim Estatístico.

4

5 Índice Nota Introdutória... 5 I. Fichas Técnicas e Demonstrações Financeiras Individuais... 9 I.1 Banco BIC Português, S.A.... I.2 Banco BPI, S.A.... I.3 Banco Português de Investimento, S.A.... I.4 Banco Comercial Português, S.A.... I.5 Banco ActivoBank, S.A.... I.6 Banco de Investimento Imobiliário, S.A.... I.7 Banco de Investimento Global, S.A.... I.8 Banco Espírito Santo, S.A.... I.9 Banco Espírito Santo de Investimento, S.A.... I.10 Banco Espírito Santo dos Açores, S.A.... I.11 BEST Banco Electrónico de Serviço Total, S.A.... I.12 Banco Finantia, S.A.... I.13 Banco Invest, S.A.... I.14 Banif Banco Internacional do Funchal, S.A.... I.15 Banif Banco de Investimento, S.A.... I.16 Banco Banif Mais, S.A.... I.17 Caixa Central Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo, CRL... I.18 Caixa Económica Montepio Geral... I.19 Finibanco, S.A.... I.20 Caixa Geral de Depósitos, S.A.... I.21 Caixa Banco de Investimento, S.A.... I.22 Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S.A.... I.23 Banco Itaú BBA International, S.A.... I.24 Banco Popular Portugal, S.A.... I.25 Banco Santander Consumer Portugal, S.A.... I.26 Banco Santander Totta, S.A.... I.27 Banco do Brasil, AG Sucursal em Portugal... I.28 Barclays Bank PLC Sucursal em Portugal... I.29 BNP Paribas Sucursal em Portugal... I.30 BNP Paribas Securities Services, S.A. Sucursal em Portugal... I.31 Fortis Bank Sucursal em Portugal Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 3

6 II. Fichas Técnicas e Demonstrações Financeiras Consolidadas II.1 Grupo BPI... II.2 Grupo Banco Comercial Português... II.3 Grupo Banco de Investimento Global... II.4 Grupo Banco Espírito Santo... II.5 Grupo Banco Espírito Santo de Investimento... II.6 Grupo Banco Finantia... II.7 Grupo Banco Invest... II.8 Banif Grupo Financeiro... II.9 Grupo Crédito Agrícola... II.10 Grupo Caixa Económica Montepio Geral... II.11 Grupo Caixa Geral de Depósitos... II.12 Grupo Caixa Banco de Investimento... II.13 Grupo BBVA (Portugal)... II.14 Grupo Itaú BBA International... II.15 Santander Consumer Portugal... II.16 Santander Totta, SGPS, S.A.... II.17 Grupo Barclays Bank (Portugal) III. Recursos Humanos IV. Balcões IV.1 Por distrito... IV.2 Por concelho Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 4

7 Nota Introdutória O presente Boletim Estatístico disponibiliza informação financeira e não financeira das instituições financeiras associadas com referência ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 e, para efeitos comparativos, a respectiva informação financeira relativa a 31 de Dezembro de Do total das 34 instituições que compõem o conjunto das instituições financeiras associadas da APB, não foram incluídos no presente Boletim os dados do Banco Efisa, S.A. e do NCG Banco, S.A., Sucursal por indisponibilidade da informação à data da elaboração deste Boletim Estatístico, não foram também incluídos os dados do Deutsche Bank, AG, Sucursal em Portugal. Em relação ao Boletim Estatístico anterior verificaram-se as seguintes alterações: Os dados do Banco BIC, S.A. em 2012, reflectem a aquisição do Banco Português de Negócios, S.A. ao Estado Português em Junho de Este processo foi concluído em Dezembro de 2012 e resultou na fusão por incorporação da sociedade adquirente (Banco BIC) na adquirida (BPN) através da transferência global do património. O Banco BIC foi incorporado no BPN e a nova entidade adoptou a denominação social de Banco BIC Português, S.A. Os dados de 2011 são os da entidade adquirida, conforme publicado no Relatório e Contas de 2012; Em Dezembro de 2012 foi encerrada a Sucursal em Portugal do BNP Wealth Management, entidade anteriormente incluída no Grupo BNP Paribas; O Grupo Banif procedeu à reetruturação da sua estrutura accionista durante o segundo semestre de Assim foi efectuada a fusão por incorporação da Banif SGPS, S.A. no Banif S. A., procedendo-se à simplificação da estrutura do Grupo Banif. Desta forma o Grupo Banif passou a designar-se de Banif - Grupo Financeiro; Ainda no seguimento da reestruturação do Banif Grupo Financeiro, o Banif Investimento deixou de preparar contas consolidadas a partir do exercício findo em 31 de Dezembro de As instituições financeiras incluídas no presente Boletim Estatístico, assim como a designação do Grupo a que pertencem (para efeitos da apresentação das contas consolidadas) encontram-se divulgadas nas págs. 7 e 8. Neste contexto, o presente Boletim Estatístico encontra-se estruturado conforme segue: No Capítulo I é apresentada informação sobre cada uma das instituições financeiras, a nível individual. Esta informação compreende uma Ficha Técnica completa por instituição e as respectivas Demonstrações Financeiras individuais (Balanço, Demonstração dos Resultados, Demonstração do Rendimento Integral, Demonstração das Alterações nos Capitais Próprios e Demonstração dos Fluxos de Caixa). No Capítulo II é disponibilizada informação a nível consolidado, compreendendo também uma Ficha Técnica completa por Grupo e as respectivas Demonstrações Financeiras consolidadas (Balanço, Demonstração dos Resultados, Demonstração do Rendimento Integral, Demonstração das Alterações nos Capitais Próprios e Demonstração dos Fluxos de Caixa). Os Capítulos III e IV contêm informação detalhada, respectivamente, sobre os recursos humanos e sobre os balcões das instituições financeiras associadas. Conforme já ocorrido na preparação dos Boletins Estatísticos anteriores, tanto a informação individual como a consolidada foram disponibilizadas pelas instituições financeiras associadas através do preenchimento de mapas pré-definidos pela APB e que, no caso dos Balanços e das Demonstrações dos Resultados, seguem o modelo de divulgação do Banco de Portugal. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 5

8 Com o objectivo de tornar a informação agora divulgada mais facilmente acessível aos utilizadores, alguma da informação contida no Boletim Estatístico agora publicado será disponibilizada, em formato Excel, na página de Internet da APB. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 6

9 Lista de instituições financeiras que integram o conjunto de Associados da APB e que reportaram dados em base individual e em base consolidada Instituições financeiras Domésticas Instituições financeiras Designação do Grupo para efeitos de apresentação de contas consolidadas Banco BIC Português, S.A. Banco BPI, S.A. Grupo BPI Banco Português de Investimento, S.A. Banco Comercial Português, S.A. Grupo Banco Comercial Português Banco ActivoBank, S.A. Banco de Investimento Imobiliário, S.A. Banco de Investimento Global, S.A. Banco Espírito Santo, S.A. Banco Espírito Santo de Investimento, S.A. Grupo Banco de Investimento Global Grupo Banco Espírito Santo Grupo Banco Espírito Santo de Investimento Banco Espírito Santo dos Açores, S.A. BEST - Banco Electrónico de Serviço Total, S.A. Banco Finantia, S.A. Banco Invest, S.A. Banif - Banco Internacional do Funchal, S.A. Grupo Banco Finantia Grupo Banco Invest Banif Grupo Financeiro Banif - Banco de Investimento, S.A. Banif Mais, S.A. Caixa Central - Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo, CRL Caixa Económica Montepio Geral Grupo Crédito Agrícola Grupo Caixa Económica Montepio Geral Finibanco, S.A. Caixa Geral de Depósitos, S.A. Caixa - Banco de Investimento, S.A. Grupo Caixa Geral de Depósitos Grupo Caixa Banco de Investimento Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 7

10 Instituições financeiras Filiais Instituições financeiras Banco Bilbao Vizcaya Argentaria (Portugal), S.A. Designação do Grupo para efeitos de apresentação de contas consolidadas Grupo BBVA (Portugal) Banco Popular Portugal, S.A. Banco Santander Consumer Portugal, S.A. Santander Consumer Portugal Itaú BBA International, S.A. Banco Santander Totta, S.A. Santander Totta, SGPS, S.A. Instituições financeiras Sucursais Instituições financeiras Designação do Grupo para efeitos de apresentação de contas consolidadas Banco do Brasil, AG Sucursal em Portugal Barclays Bank PLC Sucursal em Portugal Grupo Barclays Bank (Portugal) Fonte: APB BNP Paribas Sucursal em Portugal BNP Paribas Securities Services, S.A. Sucursal em Portugal Fortis Bank Sucursal em Portugal Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 8

11 I. Fichas Técnicas e Demonstrações Financeiras Individuais Dados por instituição financeira Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 9

12

13 I.1. Banco BIC Português, S.A. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 11

14 Banco BIC Português, S.A. Informação Genérica Sede: Av. António Augusto de Aguiar, 132, Lisboa Telefone: Fax: Internet: Órgãos Sociais Conselho de Administração Presidente: Administradores Executivos: Administradores Não Executivos: Comissão Executiva Presidente: Vice Presidente: Restantes Membros: Mesa Assembleia Geral Presidente: Vice Presidente: Secretário: Conselho Fiscal Presidente: Vogais: ROC/ SROC SROC: Fernando Leonídio Mendes Teles; Luís Fernando de Mira Amaral, Jaime Pedro Galhoz Pereira, Carlos Prieto Traguelho, Diogo Vasco Ramos Barrote, Artur de Jesus Marques, Rui Manuel Correia Pedras; Américo Ferreira de Amorim, Isabel José dos Santos; Luís Fernando de Mira Amaral; Jaime Pedro Galhoz Pereira; Carlos Prieto Traguelho, Diogo Vasco Ramos Barrote, Artur de Jesus Marques, Rui Manuel Correia Pedras; Pedro Azevedo Maia; Francisco Pinto; Jorge Brito Pereira; Henrique Manuel Camões Serra; Maria Ivone de Freitas Pereira dos Santos, Abílio Manuel Pinto Rodrigues de Almeida Morgado; Deloitte & Associados, SROC, S.A. Estrutura Accionista 21,0% 19,0% Particulares Empresas 60,0% Membros dos Órgãos Sociais O Banco BIC Português, S.A. adquiriu em Junho de 2012 o Banco Português de Negócios, S.A. Em Dezembro do mesmo ano foi efectuada a fusão por incorporação do Banco BIC no BPN e foi extinto o Banco BIC. O BPN alterou a sua designação social para Banco BIC Português, S.A. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 12

15 Banco BIC Português, S.A. Outra Informação Total Homens Mulheres 31 de Dezembro de 2012 Empregados (activ. dom.) - por tipo de função Funções de chefia Funções específicas Funções administrativas Auxiliares Total Empregados - por distribuição geográfica Em Portugal No estrangeiro Total Balcões - por distribuição geográfica Em Portugal 210 No estrangeiro 1 - Total 210 Outros indicadores de cobertura bancária ATM's 262 Contas bancárias activas Cartões de crédito e débito activos POS s Demonstrações Financeiras (milhares ) Individual Consolidado 31 de Dezembro de 2012 Balanço Total de activo Crédito a clientes Recursos de clientes Responsabilidades representadas por títulos Passivos subordinados Aplicações e recursos de instituições de crédito Capitais próprios Capital Demonstração dos Resultados Margem financeira Produto bancário / Produto da actividade Resultado antes de impostos... (4.478) - Fluxos de Caixa Fluxos de caixa líquidos das actividades operacionais Fluxos de caixa líquidos das actividades de investimento... ( ) - Fluxos de caixa líquidos das actividades de financiamento... ( ) - Efeito da alteração da taxa de câmbio em caixa e equivalentes Variação líquida em caixa e seus equivalentes... (35.841) - Caixa e equivalentes no início do exercício Caixa e equivalentes no fim do exercício Capitais Próprios Total de capitais próprios a 31 de Dezembro de ( ) - Total de capitais próprios a 31 de Dezembro de Inclui sucursais no exterior e escritórios de representação 2 As demonstrações financeiras de 2011 apresentadas são as do BPN tal como publicadas no Relatório e Contas àquela data re-expressas por alteração da política contabilística relativa à contabilização dos fundos de pensões. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 13

16 Banco BIC Português, S.A. Balanço individual 31-Dez Dez-11 3 Variação Activo Milhares Milhares Milhares % 1. Caixa e disponibilidades em bancos centrais (32.598) -30,3% 1.1. Caixa (24.712) Depósitos à ordem e disponibilidades em bancos centrais (7.886) - 2. Disponibilidades em outras instituições de crédito (3.243) -6,0% 3. Activos financeiros detidos para negociação (20.124) Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Acções (79) Outros títulos Derivados (20.045) - 4. Outros activos financeiros ao justo valor através de resultados Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Acções Outros títulos Activos financeiros disponíveis para venda ,6% 5.1. Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores (1.683) Acções (25.167) Outros títulos Provisões e imparidades... - (22.832) Aplicações em instituições de crédito ,2% 6.1. Mercado monetário interbancário Depósitos Empréstimos ( ) Outras aplicações (25.731) Operações de compra com acordo de revenda Provisões e imparidades... - (3) 3-7. Crédito a clientes ( ) -28,2% 7.1. Crédito não representado por valores mobiliários ( ) Crédito titularizado não desreconhecido ( ) Outros créditos e valores a receber (titulados) Crédito e juros vencidos ( ) Provisões e imparidades... ( ) ( ) Investimentos detidos até à maturidade Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Provisões e imparidades Activos com acordo de recompra Derivados de cobertura Activos não correntes detidos para venda (9.886) -100,0% Valor bruto (14.030) Provisões e imparidades... - (4.144) Propriedades de investimento Valor bruto Provisões, imparidades e amortizações Outros activos tangíveis (3.037) -19,1% Valor bruto (34.252) Provisões, imparidades e amortizações... (27.005) (58.220) Activos intangíveis ,0% Valor bruto (10.400) Provisões, imparidades e amortizações... (1.749) (12.409) Investimentos em filiais, associadas e empreendimentos conjuntos (63) -100,0% Valor bruto (63) Provisões e imparidades Activos por impostos correntes Activos por impostos diferidos Outros activos ,6% Valor bruto Provisões e imparidades... (8.075) (9.666) Total de Activo ( ) -11,0% 3 As demonstrações financeiras de 2011 apresentadas são as do BPN tal como publicadas no Relatório e Contas àquela data re-expressas por alteração da política contabilística relativa à contabilização dos fundos de pensões. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 14

17 Banco BIC Português, S.A. Balanço individual (continuação) 31-Dez Dez-11 4 Variação Passivo Milhares Milhares Milhares % 1. Recursos de bancos centrais Passivos financeiros detidos para negociação (18.082) -100,0% 3. Outros passivos financeiros ao justo valor através de resultados Recursos de outras instituições de crédito ( ) -54,2% 4.1. Depósitos (58.470) Mercado monetário interbancário Empréstimos ( ) Operações de venda com acordo de recompra Outros recursos ( ) - 5. Recursos de clientes e outros empréstimos ,1% 5.1. Depósitos à ordem Depósitos a prazo Depósitos de poupança (259) Outros recursos (16.563) - 6. Responsabilidades representadas por títulos ( ) -89,3% 6.1. Certificados de depósitos Obrigações Outras responsabilidades ( ) - 7. Passivos financeiros associados a activos transferidos ( ) - 8. Derivados de cobertura (97) -100,0% 9. Passivos não correntes detidos para venda Provisões ( ) -80,7% 11. Passivos por impostos correntes ,3% 12. Passivos por impostos diferidos Instrumentos representativos de capital Outros passivos subordinados (431) -0,2% 15. Outros passivos (92.011) -56,9% Total de Passivo ( ) -27,4% Capital 16. Capital (79.772) -21,0% 17. Prémios de emissão ,0% 18. Outros instrumentos de capital Acções próprias Reservas de reavaliação (5.695) ,7% 21. Outras reservas e resultados transitados ( ) ,2% 22. Resultado do exercício... (7.959) (95.425) ,7% 23. Dividendos antecipados Total de Capital ( ) ,5% Total de Passivo + Capital ( ) -11,0% 4 As demonstrações financeiras de 2011 apresentadas são as do BPN tal como publicadas no Relatório e Contas àquela data re-expressas por alteração da política contabilística relativa à contabilização dos fundos de pensões. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 15

18 Banco BIC Português, S.A. Demonstração dos resultados individual 31-Dez Dez-11 5 Variação Milhares Milhares Milhares % 1. Juros e rendimentos similares (45.507) - 2. Juros e encargos similares (45.232) - 3. Margem financeira (275) -0,5% 4. Rendimentos de instrumentos de capital (187) - 5. Rendimentos de serviços e comissões Encargos com serviços e comissões... (12.148) (14.780) Resultados de activos e passivos ao justo valor através de resultados Resultados de activos financeiros disponíveis para venda (1.382) Resultados de reavaliação cambial (916) Resultados de alienação de outros activos... (105) (1) (104) Outros resultados de exploração Produto bancário ,1% 13. Custos com pessoal (10.842) Gastos gerais administrativos Amortizações do exercício (2.444) Provisões líquidas de reposições e anulações (13.339) Correcções de valor associadas ao crédito a clientes e valores a receber de outros devedores (líquidas de reposições e anulações)... (36.878) (46.406) Imparidade de outros activos financ. líquida de reversões e recuperações Imparidade de outros activos líquida de reversões e recuperações Resultado antes de impostos... (4.478) (91.676) ,1% 21. Impostos correntes (268) Impostos diferidos Resultado do exercício (7.959) (95.425) ,7% Demonstração do rendimento integral 31-Dez Dez-11 5 Variação Milhares Milhares Milhares % Resultado do exercício... (7.959) (95.425) ,7% Activos disponíveis para venda Ganhos e perdas no exercício (5.644) ,3% Reclassificação de ganhos e perdas incluídos em resultados do exercício Impostos Pensões Outros movimentos Total outro rendimento integral do exercício (963) ,2% Total rendimento integral do exercício 74 (96.388) ,1% 5 As demonstrações financeiras de 2011 apresentadas são as do BPN tal como publicadas no Relatório e Contas àquela data re-expressas por alteração da política contabilística relativa à contabilização dos fundos de pensões. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 16

19 Banco BIC Português, S.A. Demonstração das alterações nos capitais próprios (Milhares ) Capital Prémios de emissão Outros instrumentos de capital Acções próprias Reserva de justo valor Outras reservas e resultados transitados Resultado do exercício Total do capital próprio Saldo a 31 de Dezembro de (5.695) ( ) (95.425) ( ) Outros movimentos registados directamente no capital próprio Alterações de justo valor líquidas de imposto Pensões regime transitório Outros movimentos Resultado do exercício (7.959) (7.959) Total de ganhos e perdas reconhecidos no exercício (7.959) 74 Aumento de capital Emissão de outros instrumentos de capital Constituição de reservas (95.425) Dividendos de acções ordinárias Dividendos antecipados Variação de acções próprias Planos de incentivos baseados em acções Outros movimentos... (80.772) (644) Saldo a 31 de Dezembro de (7.959) As demonstrações financeiras de 2011 apresentadas são as do BPN tal como publicadas no Relatório e Contas àquela data re-expressas por alteração da política contabilística relativa à contabilização dos fundos de pensões. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 17

20 Banco BIC Português, S.A. Demonstração dos fluxos de caixa individual 31-Dez Dez-11 Variação Milhares Milhares Milhares % Fluxos de caixa das actividades operacionais Juros e proveitos recebidos (30.372) - Juros e custos pagos... (83.402) ( ) Serviços e comissões recebidas Serviços e comissões pagas... (12.148) (14.780) Recuperações de créditos (34) - Contribuições para o fundo de pensões Pagamentos de caixa a empregados e fornecedores... ( ) ( ) Sub-total (3.869) ,8% Variações nos activos e passivos operacionais Disponibilidades de natureza obrigatória e recursos em bancos centrais. (73.902) (70.000) (3.902) - Activos e passivos financeiros ao justo valor através de resultados (4.251) Aplicações em instituições de crédito (21.889) - Recursos de instituições de crédito... ( ) ( ) ( ) - Crédito a clientes Recursos de clientes e outros empréstimos ( ) Derivados de cobertura... (18.179) (22.504) - Outros activos e passivos operacionais... (66.276) ( ) Fluxos de caixa líquidos das actividades operacionais, antes de impostos sobre os lucros ( ) ,2% Impostos sobre os lucros pagos... (4.876) (695) (4.181) - Fluxos de caixa líquidos das actividades operacionais ( ) ,7% Fluxos de caixa das actividades de investimento... Aquisição de investimentos em subsidiárias e associadas... (99.463) 1 (99.464) - Alienação de investimentos em subsidiárias e associadas Dividendos recebidos Compra de activos financeiros disponíveis para venda... - (19.824) Venda de activos financeiros disponíveis para venda Investimentos detidos até à maturidade Compra de imobilizações... (4.013) (108) (3.905) - Venda de imobilizações (4) - Fluxos de caixa líquidos das actividades de investimento... ( ) (19.927) (83.549) -419,3% Fluxos de caixa das actividades de financiamento... Aumento de capital Emissão de obrigações e outros passivos titulados ( ) - Reembolso de obrigações e outros passivos titulados... ( ) (31.128) ( ) - Emissão / reembolso de passivos subordinados... (7.802) (8.267) Acções próprias Dividendos pagos Fluxos de caixa líquidos das actividades de financiamento... ( ) ( ) -169,1% Variação líquida em caixa e seus equivalentes... (35.841) (38.812) ,7% Caixa e equivalentes no início do exercício (38.812) - Efeito da alteração da taxa de câmbio em caixa e seus equivalentes Variação líquida em caixa e seus equivalentes... (35.841) (38.812) ,7% Caixa e equivalentes no fim do exercício (35.841) -22,2% Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 18

21 I.2. Banco BPI, S.A. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 19

22 Banco BPI, S.A. Informação Genérica Sede: Rua Tenente Valadim, 284; Porto. Telefone: Fax: Internet: Órgãos Sociais Conselho de Administração Presidente: Administradores Executivos: Administradores Não Executivos: Comissão Executiva do Conselho de Administração Presidente: Vice Presidente: Restantes Membros: Mesa Assembleia Geral Presidente: Vice Presidente: Secretário: Conselho Fiscal Presidente: Vogais: ROC/ SROC SROC: Secretário da Sociedade: Comissão de Remunerações Membros: Comissão de Corporate Governance Presidente: Vogais: Comissão de Riscos Financeiros Presidente: Vogais: Comissão de Auditoria e Controlo Interno Presidente: Vogais: Artur Santos Silva; Fernando Ulrich, António Domingues, António Farinha Morais, José Pena do Amaral, Manuel Ferreira da Silva, Maria Celeste Hagatong, Pedro Barreto; Alfredo Rezende de Almeida, Allianz Europe Ltd (representada por Herbert Walter), António Lobo Xavier, Armando Leite de Pinho, Carlos Moreira da Silva, Edgar Alves Ferreira, Ignacio Alvarez-Rendueles, Isidro Fainé Casas, Juan Nin Génova, Klaus Dührkop, Marcelino Armenter Vidal, Mário Leite da Silva, Tomaz Jervell; Fernando Ulrich; António Domingues; António Farinha Morais, José Pena do Amaral, Manuel Ferreira da Silva, Maria Celeste Hagatong, Pedro Barreto; Miguel Luís Kolback da Veiga; Manuel Cavaleiro Brandão; Alexandra Magalhães, Luis Manuel Amorim; Abel António Pinto dos Reis; Jorge de Figueiredo Dias, José Neves Adelino, Miguel Artiaga Barbosa; Deloitte & Associados, SROC, S.A. (representada por António M. Dias); João Avides Moreira; CaixaBank, S.A. (representada por Isidro Fainé Casas) Arsopi - Holding, SGPS, S.A. (representada por Armando Pinho), HVF - SGPS, S.A. (representada por Edgar Ferreira) Artur Santos Silva; Armando Leite de Pinho, Herbert Walter, Klaus Duhrkop, Tomaz Jervell; Artur Santos Silva; Marcelino Armenter Vidal; Ruy Octávio Matos de Carvalho; Alfredo Rezende de Almeida, Edgar Alves Ferreira, Ignacio Alvarez-Rendueles e Mário Leite da Silva Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 20

23 Banco BPI, S.A. Estrutura Accionista 0,75% 10,30% Particulares 88,95% Empresas Membros dos Órgãos Sociais Performance Bolsista Cotação das acções do Banco BPI, S.A. 1,00 0,50 0,47 0,54 0,49 0,39 0,36 0,53 0,50 0,59 0,76 0,86 0,81 0,94 0,00 Fonte: Euronext Nota: Cotações de fecho no último dia útil de cada mês. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 21

24 Banco BPI, S.A. Outra Informação Total Homens Mulheres 31 de Dezembro de 2012 Empregados (activ. dom.) - por tipo de função Funções de chefia Funções específicas Funções administrativas Auxiliares Total Empregados - por distribuição geográfica Em Portugal No estrangeiro Total Balcões - por distribuição geográfica Em Portugal 681 No estrangeiro 7 24 Total 705 Outros indicadores de cobertura bancária ATM's Contas bancárias activas Cartões de crédito e débito activos POS s Demonstrações Financeiras (milhares ) Individual Consolidado 31 de Dezembro de 2012 Balanço Total de activo Crédito a clientes Recursos de clientes Responsabilidades representadas por títulos Passivos subordinados Aplicações e recursos de instituições de crédito... ( ) ( ) Capitais próprios Capital Demonstração dos Resultados Margem financeira Produto bancário / Produto da actividade Resultado antes de impostos Fluxos de Caixa Fluxos de caixa líquidos das actividades operacionais Fluxos de caixa líquidos das actividades de investimento (14.829) Fluxos de caixa líquidos das actividades de financiamento... ( ) ( ) Efeito da alteração da taxa de câmbio em caixa e equivalentes Variação líquida em caixa e seus equivalentes Caixa e equivalentes no início do exercício Caixa e equivalentes no fim do exercício Capitais Próprios Total de capitais próprios a 31 de Dezembro de Total de capitais próprios a 31 de Dezembro de Inclui sucursais no exterior e escritórios de representação Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 22

25 Banco BPI, S.A. Balanço individual 31-Dez Dez-11 Variação Activo Milhares Milhares Milhares % 1. Caixa e disponibilidades em bancos centrais ,2% 1.1. Caixa Depósitos à ordem e disponibilidades em bancos centrais (20.488) - 2. Disponibilidades em outras instituições de crédito (344) -0,2% 3. Activos financeiros detidos para negociação ,5% 3.1. Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Acções Outros títulos Derivados Outros activos financeiros ao justo valor através de resultados (16) -0,1% 4.1. Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Acções (16) Outros títulos Activos financeiros disponíveis para venda ,2% 5.1. Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Acções (14.551) Outros títulos Provisões e imparidades... (73.763) (61.447) (12.316) - 6. Aplicações em instituições de crédito ( ) -45,2% 6.1. Mercado monetário interbancário Depósitos ( ) Empréstimos ( ) Outras aplicações Operações de compra com acordo de revenda ( ) Provisões e imparidades... (1.231) (650) (581) - 7. Crédito a clientes ( ) -4,7% 7.1. Crédito não representado por valores mobiliários ( ) Crédito titularizado não desreconhecido Outros créditos e valores a receber (titulados) ( ) Crédito e juros vencidos Provisões e imparidades... ( ) ( ) (54.859) - 8. Investimentos detidos até à maturidade Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Provisões e imparidades Activos com acordo de recompra Derivados de cobertura ,4% 11. Activos não correntes detidos para venda Valor bruto Provisões e imparidades Propriedades de investimento Valor bruto Provisões, imparidades e amortizações Outros activos tangíveis (16.512) -17,4% Valor bruto (9.186) Provisões, imparidades e amortizações... ( ) ( ) (7.326) Activos intangíveis ,8% Valor bruto Provisões, imparidades e amortizações... (78.361) (77.274) (1.087) Investimentos em filiais, associadas e empreendimentos conjuntos (1.304) -0,3% Valor bruto (1.304) Provisões e imparidades Activos por impostos correntes ,6% 17. Activos por impostos diferidos ( ) -33,0% 18. Outros activos (90.488) -11,8% Valor bruto (80.038) Provisões e imparidades... (96.583) (86.133) (10.450) - Total de Activo ,0% 8 Inclui juros a receber, correcções de valor de activos objecto de cobertura e comissões associadas ao custo amortizado. 9 Inclui juros a receber, despesas com rendimento diferido, correcções de valor de activos objecto de cobertura e comissões associadas ao custo amortizado (líquidas). Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 23

26 Banco BPI, S.A. Balanço individual (continuação) 31-Dez Dez Variação Passivo Milhares Milhares Milhares % 1. Recursos de bancos centrais ,9% 2. Passivos financeiros detidos para negociação (86.742) -20,4% 3. Outros passivos financeiros ao justo valor através de resultados Recursos de outras instituições de crédito ,6% 4.1. Depósitos ( ) Mercado monetário interbancário Empréstimos Operações de venda com acordo de recompra Outros recursos (99.006) - 5. Recursos de clientes e outros empréstimos ( ) -2,3% 5.1. Depósitos à ordem Depósitos a prazo ( ) Depósitos de poupança (83.914) Outros recursos Responsabilidades representadas por títulos ( ) -44,0% 6.1. Certificados de depósitos Obrigações ( ) Outras responsabilidades Passivos financeiros associados a activos transferidos ,9% 8. Derivados de cobertura ,1% 9. Passivos não correntes detidos para venda Provisões (1.315) -0,5% 11. Passivos por impostos correntes ,7% 12. Passivos por impostos diferidos ,3% 13. Obrigações subordinadas de conversão contingente Outros passivos subordinados e títulos de participação (58.243) -19,7% 15. Outros passivos (29.307) -4,8% Total de Passivo ,5% Capital 16. Capital ,2% 17. Prémios de emissão ( ) -100,0% 18. Outros instrumentos de capital ,6% 19. Acções próprias... (18.272) (21.020) ,1% 20. Reservas de reavaliação... ( ) ( ) ,0% 21. Outras reservas e resultados transitados (92.541) -22,9% 22. Resultado do exercício ( ) ,9% 23. Dividendos antecipados Total de Capital ,0% Total de Passivo + Capital ,0% 10 Valores ajustados pela instituição financeira subsequentemente aos dados fornecidos para o Boletim Estatístico nº 47 Anual de Inclui juros a pagar, correcções de valor de passivos objecto de operações de cobertura e comissões associadas ao custo amortizado (líquidas). 12 Inclui juros a pagar e correcções de valor de passivos objecto de operações de cobertura. 13 Inclui juros a pagar, correcções de valor de passivos objecto de operações de cobertura e prémios e comissões líquidos. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 24

27 Banco BPI, S.A. Demonstração dos resultados individual Dez Dez-11 Variação Milhares Milhares Milhares % 1. Juros e rendimentos similares ( ) - 2. Juros e encargos similares ( ) - 3. Margem financeira estrita ,8% 4. Rendimentos de instrumentos de capital (5.006) - 5. Comissões líquidas associadas ao custo amortizado (1.514) - 6. Margem financeira ,9% 7. Comissões recebidas Comissões pagas... (37.990) (41.760) Outros proveitos líquidos (1.953) Comissões líquidas ,7% 11. Ganhos e perdas em operações de justo valor ( ) Ganhos e perdas em activos disponíveis para venda (2.975) Juros, ganhos e perdas financeiros com pensões (5.580) Resultados em operações financeiras (22.957) -10,9% 15. Rendimentos e receitas operacionais (63.949) Encargos e gastos operacionais... (19.106) ( ) Outros impostos... (10.224) (9.749) (475) Rendimentos e encargos operacionais... (18.409) (63.784) ,1% 19. Produto bancário ,6% 20. Custos com pessoal (51.501) Gastos gerais administrativos (1.047) Amortizações do exercício (5.135) Custos de estrutura (57.683) -10,7% 24. Recuperação de créditos, juros e despesas (4.672) Imparidade e provisões líquidas para crédito e garantias... ( ) ( ) (4.129) Imparidade e outras provisões líquidas... (32.032) ( ) Resultado antes de impostos ( ) ,7% 28. Impostos sobre lucros ( ) Resultado individual ( ) ,9% Demonstração do rendimento integral 31-Dez Dez-11 Variação Milhares Milhares Milhares % Resultado do exercício ( ) ,9% Activos disponíveis para venda Ganhos e perdas no exercício ( ) Reclassificação de ganhos e perdas incluídos em resultados do exercício... ( ) ( ) - Impostos... ( ) ( ) - Pensões (46.903) Outros movimentos Total outro rendimento integral do exercício ( ) ,9% Total rendimento integral do exercício ( ) ,4% 14 A Demonstração dos resultados individual apresentada está de acordo com o formato publicado pelo Banco BPI, S.A. no seu relatório e contas. Para efeitos de análise agregada no Boletim Informativo da APB, as rubricas foram reclassificadas de acordo com o formato seguido pela APB e que segue o formato do Banco de Portugal. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 25

28 Banco BPI, S.A. Demonstração das alterações nos capitais próprios (Milhares ) Capital Prémios de emissão Outros instrumentos de capital Acções próprias Reserva de justo valor Outras reservas e resultados transitados Resultado do exercício Saldo a 31 de Dezembro de (21.020) ( ) ( ) Outros movimentos registados directamente no capital próprio Alterações de justo valor líquidas de imposto Pensões regime transitório (25.294) - (25.294) Outros movimentos Resultado do exercício Total de ganhos e perdas reconhecidos no exercício (2.451) Aumento de capital Emissão de outros instrumentos de capital Constituição de reservas ( ) Dividendos de acções ordinárias Dividendos antecipados Variação de acções próprias Planos de incentivos baseados em acções (1.752) Outros movimentos... - ( ) Saldo a 31 de Dezembro de (18.272) ( ) Total do capital próprio Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 26

29 Banco BPI, S.A. Demonstração dos fluxos de caixa individual Dez Dez-11 Variação Milhares Milhares Milhares % Fluxos de caixa das actividades operacionais Juros, comissões e outros proveitos recebidos ( ) - Juros, comissões e outros custos pagos... ( ) ( ) Recuperações de créditos (4.672) - Contribuições para o fundo de pensões... (69.553) (1.297) (68.256) - Pagamentos de caixa a empregados e fornecedores... ( ) ( ) (34.300) - Sub-total (90.895) -11,3% Variações nos activos e passivos operacionais Disponibilidades de natureza obrigatória e recursos em bancos centrais Activos e passivos financeiros ao justo valor através de resultados e activos financeiros disponíveis para venda... ( ) ( ) Aplicações em instituições de crédito ( ) Recursos de instituições de crédito ( ) Crédito a clientes ( ) - Recursos de clientes e outros empréstimos... ( ) ( ) - Passivos financeiros detidos para negociação... ( ) ( ) - Outros activos e passivos operacionais... (44.175) (94.015) Fluxos de caixa líquidos das actividades operacionais, antes de impostos sobre os lucros ( ) ,9% Impostos sobre os lucros pagos... (14.037) (39.644) Fluxos de caixa líquidos das actividades operacionais ( ) ,4% Fluxos de caixa das actividades de investimento Aquisição de investimentos em subsidiárias e associadas... - (20) 20 - Alienação de investimentos em subsidiárias e associadas Dividendos recebidos (6.935) - Investimentos detidos até à maturidade Compra de imobilizações... (62.631) (71.916) Venda de imobilizações (22.407) - Fluxos de caixa líquidos das actividades de investimento (18.778) -23,2% Fluxos de caixa das actividades de financiamento Aumento de capital Passivos por activos não desreconhecidos ( ) - Emissão de obrigações subordinadas de conversão contingente Amortizações de obrigações subordinadas de conversão contingente... ( ) - ( ) - Emissões de dívida titulada e subordinada ( ) - Amortizações de dívida titulada... ( ) ( ) ( ) - Aquisições e vendas de dívida titulada e subordinada própria... ( ) ( ) Juros de dívida titulada e subordinada... ( ) ( ) Juros de obrigações subordinadas de conversão contingente... (55.581) - (55.581) - Acções próprias Dividendos pagos Fluxos de caixa líquidos das actividades de financiamento... ( ) ( ) -217,1% Variação líquida em caixa e seus equivalentes ( ) ,0% Caixa e equivalentes no início do exercício ( ) - Efeito da alteração da taxa de câmbio em caixa e seus equivalentes Variação líquida em caixa e seus equivalentes ( ) ,0% Caixa e equivalentes no fim do exercício ,3% 15 Formato da Demonstração dos fluxos de caixa adaptado pela instituição financeira. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 27

30

31 I.3. Banco Português de Investimento, S.A. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 29

32 Banco Português de Investimento, S.A. Informação Genérica Sede: Rua Tenente Valadim, 284; Porto. Telefone: Fax: Internet: Órgãos Sociais Conselho de Administração Presidente: Administradores Executivos: Administradores Não Executivos: Comissão Executiva Presidente: Restantes Membros: Mesa Assembleia Geral Presidente: Secretário: Conselho Fiscal Presidente: Vogais: ROC/ SROC SROC: Secretário da Sociedade: Fernando Ulrich; Manuel Ferreira da Silva, Alexandre Lucena e Vale, João Pedro Oliveira e Costa, José Miguel Morais Alves; António Domingues, Fernando Costa Lima; Manuel Ferreira da Silva; Alexandre Lucena e Vale, João Pedro Oliveira e Costa, José Miguel Morais Alves; Rui Manuel Parente Chancerelle de Machete; Luís Graça Moura; Artur Alves Conde; João Morais Cabral, Ana Paula Serra, Manuel Correia de Pinho (suplente); Deloitte & Associados, SROC, S.A.; João Avides Moreira. Estrutura Accionista Empresas 100,00% Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 30

33 Banco Português de Investimento, S.A. Outra Informação Total Homens Mulheres 31 de Dezembro de 2012 Empregados (activ. dom.) - por tipo de função Funções de chefia Funções específicas Funções administrativas Auxiliares Total Empregados - por distribuição geográfica Em Portugal No estrangeiro Total Balcões - por distribuição geográfica Em Portugal 2 No estrangeiro 16 1 Total 3 Outros indicadores de cobertura bancária ATM's - Contas bancárias activas - Cartões de crédito e débito activos - POS s - Demonstrações Financeiras (milhares ) Individual Consolidado 31 de Dezembro de 2012 Balanço Total de activo Crédito a clientes Recursos de clientes Responsabilidades representadas por títulos Passivos subordinados Aplicações e recursos de instituições de crédito Capitais próprios Capital Demonstração dos Resultados Margem financeira Produto bancário / Produto da actividade Resultado antes de impostos Fluxos de Caixa Fluxos de caixa líquidos das actividades operacionais Fluxos de caixa líquidos das actividades de investimento Fluxos de caixa líquidos das actividades de financiamento... (732) - Efeito da alteração da taxa de câmbio em caixa e equivalentes Variação líquida em caixa e seus equivalentes Caixa e equivalentes no início do exercício Caixa e equivalentes no fim do exercício Capitais Próprios Total de capitais próprios a 31 de Dezembro de Total de capitais próprios a 31 de Dezembro de Inclui sucursais no exterior e escritórios de representação Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 31

34 Banco Português de Investimento, S.A. Balanço individual 31-Dez Dez-11 Variação Activo Milhares Milhares Milhares % 1. Caixa e disponibilidades em bancos centrais (33) -16,8% 1.1. Caixa (33) Depósitos à ordem e disponibilidades em bancos centrais Disponibilidades em outras instituições de crédito ,7% 3. Activos financeiros detidos para negociação ,0% 3.1. Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Acções Outros títulos (11.374) Derivados Outros activos financeiros ao justo valor através de resultados Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Acções Outros títulos Activos financeiros disponíveis para venda (19.091) -32,0% 5.1. Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Acções (20) Outros títulos (19.467) Provisões e imparidades... (441) (422) (19) - 6. Aplicações em instituições de crédito ( ) -21,0% 6.1. Mercado monetário interbancário Depósitos ( ) Empréstimos (11.190) Outras aplicações ( ) Operações de compra com acordo de revenda Provisões e imparidades... (3) (3) Crédito a clientes (35.994) -26,9% 7.1. Crédito não representado por valores mobiliários (37.598) Crédito titularizado não desreconhecido Outros créditos e valores a receber (titulados) Crédito e juros vencidos Provisões e imparidades... (871) (292) (579) - 8. Investimentos detidos até à maturidade Obrigações outros títulos de rendimento fixo de emissores públicos Obrigações outros títulos de rendimento fixo de outros emissores Provisões e imparidades Activos com acordo de recompra Derivados de cobertura ,0% 11. Activos não correntes detidos para venda Valor bruto Provisões e imparidades Propriedades de investimento Valor bruto Provisões, imparidades e amortizações Outros activos tangíveis (297) -16,3% Valor bruto (82) Provisões, imparidades e amortizações... (23.324) (23.109) (215) Activos intangíveis (18) -26,9% Valor bruto Provisões, imparidades e amortizações... (3.189) (3.164) (25) Investimentos em filiais, associadas e empreendimentos conjuntos ,0% Valor bruto Provisões e imparidades Activos por impostos correntes Activos por impostos diferidos (196) -16,1% 18. Outros activos (3.852) -17,7% Valor bruto (3.764) Provisões e imparidades... (252) (164) (88) - Total de Activo ( ) -19,9% 17 Inclui juros a receber e receitas com rendimento diferido. 18 Inclui juros a receber. Boletim Estatístico 2012 (Anual) Centro de Estudos Financeiros 32

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 50 2014 Anual

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 50 2014 Anual Boletim Estatístico Associação Portuguesa de Bancos Nº 50 2014 Anual Lisboa Setembro 2015 Nota de Agradecimentos A Associação Portuguesa de Bancos agradece a todos os seus Associados a disponibilidade

Leia mais

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 46 2010 Anual

Boletim Estatístico. Associação Portuguesa de Bancos. Nº 46 2010 Anual Boletim Estatístico Associação Portuguesa de Bancos Nº 46 2010 Anual Lisboa Junho 2011 Nota de Agradecimentos A Associação Portuguesa de Bancos quer agradecer a todos os seus Associados pelo contributo

Leia mais

Enquadramento Página 1

Enquadramento Página 1 No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições") neste processo

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

CÓDIGO DE CONTAS DO SNC

CÓDIGO DE CONTAS DO SNC CÓDIGO DE CONTAS DO SNC 1 MEIOS FINANCEIROS LÍQUIDOS 11 Caixa 12 Depósitos à ordem 13 Outros depósitos bancários 14 Outros instrumentos financeiros 141 Derivados 1411 Potencialmente favoráveis 1412 Potencialmente

Leia mais

26 de Junho de 2015 DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO

26 de Junho de 2015 DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO Apresentação ao mercado do modelo de adopção plena das IAS/IFRS e outras matérias inerentes ao processo de adopção plena das IAS/IFRS no sector bancário nacional DEPARTAMENTO DE REGULAÇÃO E ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Análise Financeira 2º semestre

Análise Financeira 2º semestre ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE VISEU DEPARTAMENTO DE GESTÃO Análise Financeira 2º semestre Caderno de exercícios CAP II Luís Fernandes Rodrigues António Manuel F Almeida CAPITULO II 2011 2012 Página

Leia mais

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 ÍNDICE Relatório de Gestão 2 Balanço 5 Demonstração de Resultados por Naturezas 7 Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 Relatório e Parecer do Conselho Fiscal 20 Certificação Legal das Contas

Leia mais

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8

Relatório de Gestão 2. Balanço 5. Demonstração de Resultados por Naturezas 7. Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 ÍNDICE Relatório de Gestão 2 Balanço 5 Demonstração de Resultados por Naturezas 7 Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados 8 Relatório e Parecer do Conselho Fiscal 20 Certificação Legal das Contas

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS ANO 22 Nº 44 NOVEMBRO 2009

BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS ANO 22 Nº 44 NOVEMBRO 2009 BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA ANO 22 Nº 44 NOVEMBRO 2009 Dados sobre a Banca em Portugal relativos 1º semestre de 2009 ÍNDICE Pag. 0 NOTA INTRODUTÓRIA... 3 1 PRINCIPAIS VARIÁVEIS E INDICADORES...

Leia mais

ALVES RIBEIRO - INVESTIMENTOS FINANCEIROS, SGPS, S.A. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 (Montantes em Euros, excepto quando expressamente indicado) 1. NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

ANO DE 2010 BALANÇO DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

ANO DE 2010 BALANÇO DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CONTAS ANO DE 2010 BALANÇO DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PARAQUEDISMO RUA DA UNIDADE, 9 7000-719

Leia mais

BNI Banco de Negócios Internacional, S.A.

BNI Banco de Negócios Internacional, S.A. Balanço Em 31 de Dezembro de 2006 ACTIVO Notas Caixa e disponibilidades no Banco Central 5 204 460 2 547 Disponibilidades sobre instituições de crédito 6 2 847 256 35 474 Créditos sobre clientes 7 75 154

Leia mais

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte

Leia mais

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1

A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A banca paga metade da taxa de IRC, as remunerações representam apenas 30% do VAB, e faltam 530 milhões contos Pág. 1 A BANCA PAGA METADE DA TAXA DE IRC, AS REMUNERAÇÕES DOS TRABALHADORES REPRESENTAM APENAS

Leia mais

05 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS DO GRUPO

05 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS DO GRUPO 05 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS DO GRUPO 1. BALANÇO E DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, C.R.L. Balanços em 31 de Dezembro de e 2010 2010 ACTIVO Notas Activo

Leia mais

NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA. Objectivo ( 1) 2 Âmbito ( 2) 2 Definições ( 3 a 6) 2

NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA. Objectivo ( 1) 2 Âmbito ( 2) 2 Definições ( 3 a 6) 2 NORMA CONTABILISTICA E DE RELATO FINANCEIRO 2 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 7 Demonstrações de

Leia mais

IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício.

IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício. Anexo à Instrução nº 4/96 IV - 2. LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 8 PROVEITOS POR NATUREZA As contas desta classe registam os proveitos correntes do exercício. 80 - JUROS E PROVEITOS EQUIPARADOS Proveitos

Leia mais

BALANÇO INDIVIDUAL. Dezembro 2011

BALANÇO INDIVIDUAL. Dezembro 2011 BALANÇO INDIVIDUAL ACTIVO Activo não corrente: Activos fixos tangíveis... 5 52.063,72 63.250,06 Propriedades de investimento... Goodwill... Activos intangíveis. Activos biológicos.. Participações financeiras

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001 Banif - Banco Internacional do Funchal, SA e Grupo Banif Consolidado INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001 Banif - Banco Internacional do Funchal, SA Sociedade

Leia mais

Estatísticas de Seguros

Estatísticas de Seguros Estatísticas de Seguros 2009 Autoridade de Supervisão da Actividade Seguradora e de Fundos de Pensões Autorité de Contrôle des Assurances et des Fonds de Pensions du Portugal Portuguese Insurance and Pension

Leia mais

Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS. Informação não auditada.

Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS. Informação não auditada. Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 2015 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS Lisboa, 7 de Agosto de 2015 Informação não auditada. RESULTADOS CONSOLIDADOS: Janeiro

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha Turismo de Habitação e Turismo em Espaço Rural Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Comprovem ser Micro e Pequenas Empresas através da certificação

Leia mais

SPMS, E.P.E. Índice 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 3 3. Orçamento de Tesouraria... 8 4. Orçamento de Investimento...

SPMS, E.P.E. Índice 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 3 3. Orçamento de Tesouraria... 8 4. Orçamento de Investimento... 2012 Orçamento Índice 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 3 3. Orçamento de Tesouraria... 8 4. Orçamento de Investimento... 8 1 Plano Estratégico 2011-2013 1. Enquadramento O presente documento

Leia mais

Linha Específica para o Sector do Turismo

Linha Específica para o Sector do Turismo Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das

Leia mais

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA)

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) 31 de Dezembro de 2006 ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) Relatório do Conselho de Administração Altri, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Contas Individuais Rua General Norton de Matos, 68 4050-424

Leia mais

ABC da Gestão Financeira

ABC da Gestão Financeira ABC da Gestão Financeira As demonstrações financeiras são instrumentos contabilísticos que reflectem a situação económico-financeira da empresa, evidenciando quantitativamente os respectivos pontos fortes

Leia mais

NCRF 2 Demonstração de fluxos de caixa

NCRF 2 Demonstração de fluxos de caixa NCRF 2 Demonstração de fluxos de caixa Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 7 - Demonstrações de Fluxos de Caixa, adoptada pelo texto

Leia mais

PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS

PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS Índice 1. Introdução 2. Considerações sobre as opções tomadas 3. Disposições gerais 4. Quadro de contas 5. Lista e âmbito das contas 6. Tabelas 7. Contas individuais

Leia mais

BALANÇO EM 31 de Dezembro de 2013. NOTAS 31 Dez 2013

BALANÇO EM 31 de Dezembro de 2013. NOTAS 31 Dez 2013 Entida:ANIPB - Associação Nacional s Industriais Prefabricação em Betão BALANÇO EM 31 Dezembro 2013 Nº Contribuinte: 0084421 RUBRICAS 31 Dez 2013 31 Dez 2012 ATIVO Ativo Não Corrente Ativos Fixos Tangíveis

Leia mais

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA)

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) 30 de Junho de 2005 ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) Relatório do Conselho de Administração Altri, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Contas Individuais Rua General Norton de Matos, 68 4050-424

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha Turismo de Habitação e Turismo em Espaço Rural Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha Específica PME Investe III do Sector do Turismo, visa

Leia mais

Anexo à Instrução 11/96

Anexo à Instrução 11/96 Anexo à Instrução 11/96 SOCIEDADES CORRETORAS Sociedade... SITUAÇÃO ANALÍTICA EM / / SALDOS DEVEDORES 10 - CAIXA VALORES (em contos) 11 - DEPÓSITOS À ORDEM NO BANCO DE PORTUGAL 12 - DISPONIBILIDADES SOBRE

Leia mais

João Carvalho das Neves

João Carvalho das Neves ANÁLISE FINANCEIRA João Carvalho das Neves Professor Associado e Director do MBA - ISEG Sócio ROC Neves, Azevedo Rodrigues e Batalha, SROC 1 Análise dos fluxos de caixa 52 1 Análise dos fluxos de caixa

Leia mais

PLC - CORRETORES DE SEGUROS, S.A. EXERCÍCIO DE 2007 RELATÓRIO DE GESTÃO

PLC - CORRETORES DE SEGUROS, S.A. EXERCÍCIO DE 2007 RELATÓRIO DE GESTÃO PLC - CORRETORES DE SEGUROS, S.A. EXERCÍCIO DE 2007 RELATÓRIO DE GESTÃO De acordo com as disposições legais e estatuárias venho submeter á apreciação dos senhores accionistas o Relatório de Gestão e as

Leia mais

Balanço e análise setorial

Balanço e análise setorial Balanço e análise setorial Data 2-3-215 Utilizador Utilizador exemplo N.º 51871 Referência Relatório de exemplo SOCIEDADE EXEMPLO, LDA NIF 123456789 DUNS 45339494 RUA BARATA SALGUEIRO, 28 3º, 4º E 5º,

Leia mais

Relatório de Gestão do Conselho de Administração Exercício de 2012 Conjuntura Económica e Financeira

Relatório de Gestão do Conselho de Administração Exercício de 2012 Conjuntura Económica e Financeira Relatório de Gestão do Conselho de Administração Exercício de 2012 Senhores Accionistas, De acordo com a Lei e os Estatutos, submetemos à Vossa apreciação, discussão e votação o Relatório, Balanço e Demonstração

Leia mais

COMUNICADO 9M 2015 COMUNICADO 9M 2015. (Contas não auditadas)

COMUNICADO 9M 2015 COMUNICADO 9M 2015. (Contas não auditadas) COMUNICADO 9M 2015 (Contas não auditadas) 30 novembro 2015 1 1. EVOLUÇÃO DOS NEGÓCIOS 1.1. ÁREA FINANCEIRA A Área Financeira do Grupo concentra as atividades financeiras, incluindo a Orey Financial e as

Leia mais

PLC Corretores Seguros SA Pág. 1 de 4 BALANÇO ANALÍTICO. Exercícios ACTIVO AB AA AL AL. Imobilizado:

PLC Corretores Seguros SA Pág. 1 de 4 BALANÇO ANALÍTICO. Exercícios ACTIVO AB AA AL AL. Imobilizado: PLC Corretores Seguros SA Pág. 1 de 4 Imobilizado: ACTIVO AB AA AL AL Imobilizações incorpóreas: Despesas de Instalação... 770,64 770,64 Despesas de investigação e de desenvolvimento... Propriedade industrial

Leia mais

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 54 RELATÓRIO ANUAL GERDAU 2011 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Gerdau S.A. e Metalúrgica Gerdau S.A. Em 31 de dezembro de 2011 e 2010 GERDAU S.A. e empresas controladas BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

Leia mais

a) Firma e sede das empresas associadas a empresas incluídas na consolidação;

a) Firma e sede das empresas associadas a empresas incluídas na consolidação; 14.5 - ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS CONSOLIDADOS I - Informações relativas às empresas incluídas na consolidação e a outras 1. Relativamente às empresas incluídas na consolidação a)

Leia mais

Balanço e demonstração de resultados Plus

Balanço e demonstração de resultados Plus Balanço e demonstração de resultados Plus Data 2-3-215 Utilizador Utilizador exemplo N.º 51871 Referência Relatório de exemplo SOCIEDADE EXEMPLO, LDA NIF 123456789 DUNS 45339494 RUA BARATA SALGUEIRO, 28

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS

RESULTADOS CONSOLIDADOS 2012 RESULTADOS CONSOLIDADOS Lisboa, 8 de Fevereiro de 2013 A presente informação anual não foi sujeita a auditoria. Processo de Recapitalização A 31 de Dezembro de 2012 foi anunciada a aprovação por parte

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXA FUNDO RENDIMENTO FIXO IV (em liquidação) RELATÓRIO & CONTAS Liquidação RELATÓRIO DE GESTÃO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNO CAIXAGEST Técnicas

Leia mais

5. NÚMERO MÉDIO DE UTENTES E DE PESSOAS AO SERVIÇO DA INSTITUIÇÃO REPARTIDO POR VALÊNCIAS

5. NÚMERO MÉDIO DE UTENTES E DE PESSOAS AO SERVIÇO DA INSTITUIÇÃO REPARTIDO POR VALÊNCIAS COMPROVATIVO DE ENTREGA DA CONTA DE GERÊNCIA Ano: 2014 Identificação da Declaração: Data da recepção: 29/06/2015 1. Identificação da Instituição Nome: ASSOCIAÇÃO SOCIAL CULTURAL ESPIRITUALISTA Morada:

Leia mais

Balanço e Demonstração de Resultados. Conheça em detalhe a Avaliação de Risco. Risco Elevado SOCIEDADE EXEMPLO, LDA AVALIAÇÃO DO RISCO COMERCIAL

Balanço e Demonstração de Resultados. Conheça em detalhe a Avaliação de Risco. Risco Elevado SOCIEDADE EXEMPLO, LDA AVALIAÇÃO DO RISCO COMERCIAL Balanço e Demonstração de Resultados Data 26-6-215 SOCIEDADE EXEMPLO, LDA NIF 123456789 DUNS 45339494 RUA BARATA SALGUEIRO, 28 3º, 4º E 5º, 125-44 LISBOA TEL.: 213 5 3 FAX: 214 276 41 ana.figueiredo@ama.pt

Leia mais

CASA DO POVO DA ALAGOA. Demonstrações Financeiras e Anexo

CASA DO POVO DA ALAGOA. Demonstrações Financeiras e Anexo CASA DO POVO DA ALAGOA Demonstrações Financeiras e Anexo em 31 de Dezembro de 2014 BALANÇO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014 RUBRICAS ACTIVO Euros DATAS 31-12-2014 31-12-2013 Activo não corrente Activos fixos

Leia mais

Informação Financeira

Informação Financeira Informação Financeira Balanço Polis Litoral Ria Aveiro das ACTIVO BALANÇO ANALÍTICO Dezembro 09 Dezembro 08 ACTIVO BRUTO AMORT. E AJUST. ACTIVO LIQUIDO ACTIVO LIQUIDO IMOBILIZADO Imobilizações Incorpóreas

Leia mais

ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA

ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ANO : 2010 ÍNDICE 1 - Identificação da entidade 1.1 Dados de identificação 2 - Referencial contabilístico de preparação das demonstrações financeiras 2.1 Referencial

Leia mais

31. A DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

31. A DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA 31. A DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA A demonstração de fluxos de caixa é um mapa de fluxos que releva a entradas e as saídas de caixa, durante um exercício. A Demonstração de fluxos de caixa é estruturada

Leia mais

Informação Financeira

Informação Financeira Informação Financeira Balanço Código das contas POCMS Imobilizado ACTIVO Exercícios AB AP AL AL Bens de domínio público: 451 Terrenos e Recursos naturais 452 Edifícios 453 Outras construções e infra-estruturas

Leia mais

Relatório de Actividades 3.º Trimestre de 2013

Relatório de Actividades 3.º Trimestre de 2013 2013 Relatório de Actividades 3.º Trimestre de 2013 Nos termos do n.º 3 do artigo 8.º do Código dos Valores Mobiliários informa-se que a presente informação trimestral não foi sujeita a auditoria ou revisão

Leia mais

PLANO DE CONTAS EMPRESAS DE SEGUROS PARA AS. Aprovado pela Norma Regulamentar n.º 4/2007-R, de 27 de Abril

PLANO DE CONTAS EMPRESAS DE SEGUROS PARA AS. Aprovado pela Norma Regulamentar n.º 4/2007-R, de 27 de Abril PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS Aprovado pela Norma Regulamentar n.º 4/2007-R, de 27 de Abril Índice 1. Introdução 2. Considerações sobre as opções tomadas 3. Disposições gerais 4. Quadro de

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha de Apoio à Tesouraria Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Tenham um volume de facturação anual inferior a 150 milhões de euros Desenvolvam

Leia mais

IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA

IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA IES DECLARAÇÃO ANUAL IES - INFORMAÇÃO EMPRESARIAL SIMPLIFICADA (EMPRESAS DO SECTOR SEGURADOR -- DECRETO-LEI n o 94-B/98 de 17 de Abril) 01 N o DE IDENTIFICAÇÃO FISCAL (NIPC) 02 EXERCÍCIO 1 1 IRC ANEXO

Leia mais

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DEFIR ANGOLA

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DEFIR ANGOLA ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ANO : 2012 1 - Actividade 1.1 Breve descrição das actividades da empresa ÍNDICE 2 - Bases de preparação das demonstrações financeiras e derrogações 2.1 Bases de apresentação

Leia mais

1.5. Sede da entidade-mãe Largo Cónego José Maria Gomes 4800-419 Guimarães Portugal.

1.5. Sede da entidade-mãe Largo Cónego José Maria Gomes 4800-419 Guimarães Portugal. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO PERÍODO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 (Montantes expressos em euros) 1. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE 1.1. Designação da Entidade Casfig Coordenação de âmbito social

Leia mais

Portaria n.º 107/2011, de 14 de Março

Portaria n.º 107/2011, de 14 de Março Portaria n.º 107/2011, de 14 de Março O Decreto-Lei n.º 36-A/2011, de 9 de Março, aprovou o regime da normalização contabilística para as microentidades, tendo previsto a publicação, em portaria do membro

Leia mais

Portaria n.º 107/2011, de 14 de Março, n.º 51 - Série I

Portaria n.º 107/2011, de 14 de Março, n.º 51 - Série I Aprova o Código de Contas para Microentidades O Decreto-Lei n.º 36-A/2011, de 9 de Março, aprovou o regime da normalização contabilística para as microentidades, tendo previsto a publicação, em portaria

Leia mais

SPMS, E.P.E. Índice. 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 5 3. Orçamento de Tesouraria... 10 4. Orçamento de Investimentos...

SPMS, E.P.E. Índice. 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 5 3. Orçamento de Tesouraria... 10 4. Orçamento de Investimentos... 2012 ORÇAMENTO Índice 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 5 3. Orçamento de Tesouraria... 10 4. Orçamento de Investimentos... 11 1 Orçamento 2012 1. Enquadramento 1.1. Objectivos O presente

Leia mais

Scal - Mediação de Seguros, S. A.

Scal - Mediação de Seguros, S. A. Scal - Mediação de Seguros, S. A. Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 1. Nota introdutória A Empresa Scal-Mediação de Seguros foi constituída

Leia mais

Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI

Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI No seguimento do quadro de apoios concedidos às empresas portuguesas no âmbito das linhas de apoio PME Investe, estão abertas a partir de 18 de Junho

Leia mais

INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL

INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL 2012 ÍNDICE 1. NOTA INTRODUTÓRIA... 3 2. PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 2012-2014... 6 3. PLANO DE GESTÃO PREVISIONAL 2012... 7 3.1. PLANO DE TESOURARIA... 8 3.2.

Leia mais

Categorias em análise: Hardware, Software, Serviços TI e Serviços Telecomunicações.

Categorias em análise: Hardware, Software, Serviços TI e Serviços Telecomunicações. RELATÓRIO LOCAL Despesa TIC no Sector Financeiro Oportunidades num Sector em Reestruturação INTRODUÇÃO IDC Portugal: Centro Empresarial Torres de Lisboa, Rua Tomas da Fonseca, Torre G, 1600-209 Lisboa

Leia mais

2. Referencial contabilístico de preparação das demonstrações financeiras

2. Referencial contabilístico de preparação das demonstrações financeiras 1. Identificação da entidade EXERCÍCIO DE 2011 INTRODUÇÃO PLC - Corretores de Seguros, S.A é uma sociedade anonima. A Empresa foi constituida em 1999, tem sede na Av. Infante Santo nº 48 2º Esq. em Lisboa,

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras fevereiro de 2015 Este relatório contém 64 páginas Capital Social 22.375.000 o matricula na CRCL com o número único de matricula e identificação de pessoa coletiva 501 836 926

Leia mais

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Proveitos Operacionais de 60,8 milhões de euros (+ 8,1%) EBITDA de 5,6 milhões de euros (+ 11,1%) Margem EBITDA 9,2% (vs. 8,9%) Resultado

Leia mais

CENTRO DE CARIDADE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO

CENTRO DE CARIDADE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO CENTRO DE CARIDADE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO Demonstrações Financeiras 31 de Dezembro de 2014 Índice Balanço... 3 Demonstração dos Resultados por Naturezas... 4 Demonstração dos Fluxos de Caixa...

Leia mais

ANEXO. Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014

ANEXO. Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 ANEXO Anexo às Demonstrações Financeiras Individuais Para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 1 - Identificação de entidade: 1.1- Designação da entidade: GATO - Grupo de Ajuda a Toxicodependentes

Leia mais

RELATÓRIO DA ACTIVIDADE E CONTAS DO EXERCÍCIO DE

RELATÓRIO DA ACTIVIDADE E CONTAS DO EXERCÍCIO DE SILVIP - SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO, S.A. Sede: Av. Fontes Pereira de Melo, 6 7.º Esq. - 1050-121 Lisboa Capital social realizado: 750.000 Euros Matrícula n.º 66 637 da Cons.

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225 INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Empresa: COFINA, SGPS, S.A. Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225 Período de referência: Valores em Euros 1º Trimestre 3º Trimestre

Leia mais

CARES - Companhia de Seguros, S.A.

CARES - Companhia de Seguros, S.A. CARES - Companhia de Seguros, S.A. Relatório e Contas 2007 Grupo Caixa Geral de Depósitos Relatório e Contas CARES 2007 Índice 2 Índice 3 4 8 14 49 58 Órgãos Sociais Relatório do Conselho de Administração

Leia mais

CONTABILIDADE FINANCEIRA AVANÇADA

CONTABILIDADE FINANCEIRA AVANÇADA Exame Época Normal 04 de Julho de 0 Duração: H 00M Deve identificar-se nesta folha de prova, indicando o nome completo, número de matrícula e turma em que se encontra inscrito(a). As opções de resposta

Leia mais

Anexo às Contas Individuais da Sociedade ACCENDO, LDA

Anexo às Contas Individuais da Sociedade ACCENDO, LDA Anexo às Contas Individuais da Sociedade ACCENDO, LDA Exercício de 2011 Notas às Demonstrações Financeiras 31 De Dezembro de 2011 e 2010 1. Identificação da entidade Accendo, Lda, inscrita na conservatória

Leia mais

COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015

COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015 COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015 Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. Sociedade Aberta Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, nº 17 6A, 1070-313 Lisboa Portugal Capital

Leia mais

Exame de 2.ª Chamada de Contabilidade Financeira Ano letivo 2013-2014

Exame de 2.ª Chamada de Contabilidade Financeira Ano letivo 2013-2014 PARTE A (13,50v) Realize as partes A e B em folhas de teste separadas devidamente identificadas I A empresa A2, SA dedica-se à compra e venda de mobiliário, adotando o sistema de inventário periódico.

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

I B 1:) CERTIFICAÇÃO LEGAL DAS CONTAS. Introdução

I B 1:) CERTIFICAÇÃO LEGAL DAS CONTAS. Introdução Relatório e Contas do Exercício de 2013 10, I B 1:) Te[: +351 217 990 420 Av. da República, 50-1Q Fax: +351 217990439 1069-211 Lisboa www. bdo. pt CERTIFICAÇÃO LEGAL DAS CONTAS Introdução 1. Examinámos

Leia mais

Banif - Investimentos - SGPS, S.A. SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS

Banif - Investimentos - SGPS, S.A. SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS RELATÓRIO E CONTAS DO EXERCÍCIO DE 2006 1 Í N D I C E 1. ÓRGÃOS SOCIAIS 2. GRUPO BANIF - INVESTIMENTOS - SGPS, S.A. 3. RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Enquadramento Macroeconómico Actividade da

Leia mais

Relatório Estatístico Mensal

Relatório Estatístico Mensal Relatório Estatístico Mensal Fundos de Investimento Mobiliário Julho 2013 Sede: Rua Castilho, 44-2º 1250-071 Lisboa Telefone: 21 799 48 40 Fax: 21 799 48 42 e.mail: info@apfipp.pt home page: www.apfipp.pt

Leia mais

Agenda Evolução de mapas legais Obrigado AGENDA Evolução do Normativo Contabilístico Nacional SNC Demonstrações Financeiras A nova terminologia Dificuldades de transição Siglas SNC: Sistema de Normalização

Leia mais

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANO : 2011 ÍNDICE 1 - Identificação da entidade 1.1 Dados de identificação 2 - Referencial contabilístico de preparação das

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

Exame para Contabilista Certificado. Contabilidade Financeira Aprofundada. Duração: 2 horas

Exame para Contabilista Certificado. Contabilidade Financeira Aprofundada. Duração: 2 horas Nome: Nº do BI/ Passaporte Duração: 2 horas Leia atentamente as questões. Depois, coloque no quadradinho que fica na parte superior direito de cada questão, a alínea correspondente à melhor resposta. Se

Leia mais

- Contabilidade Financeira II 2007/ 2008 2º Semestre 1 AUMENTOS DE CAPITAL. Por incorporação de Reservas. Por entrada de Dinheiro

- Contabilidade Financeira II 2007/ 2008 2º Semestre 1 AUMENTOS DE CAPITAL. Por incorporação de Reservas. Por entrada de Dinheiro AULA 10 Capital Próprio Aumentos de capital Demonstração de fluxos de caixa Construção da DFC - Contabilidade Financeira II 2007/ 2008 2º Semestre 1 AUMENTOS DE CAPITAL Por incorporação de Reservas Por

Leia mais

8 - ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS

8 - ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS 8 - ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS 1. Indicação e justificação das disposições do POC que, em casos excepcionais, tenham sido derrogadas e dos respectivos efeitos nas demonstrações financeiras,

Leia mais

MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF. 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras

MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF. 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras MODELOS DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS OBSERVAÇÕES E LIGAÇÃO ÀS NCRF 1. Conjunto completo de demonstrações financeiras Nos termos do previsto no ponto 2.1.4. das Bases para a Apresentação das Demonstrações

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

Linha Específica para o Sector do Turismo

Linha Específica para o Sector do Turismo Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das

Leia mais

RELATÓRIO E INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL

RELATÓRIO E INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL 2015 RELATÓRIO E INSTRUMENTOS DE GESTÃO PREVISIONAL EM 1 - Introdução 2 - Análise dos Documentos Previsionais 2.1 - Plano Plurianual de Investimentos 2.2 - Orçamento Anual de Exploração 2.3. Demonstração

Leia mais

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 2009.12.31

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS EM 2009.12.31 00 - Introdução a) Objecto social e identificação da Empresa HABECE Cooperativa de Habitação e Construção de Cedofeita, Crl., tem por objecto a construção ou a sua promoção e a aquisição de fogos para

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO JULHO 2010 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS ANO 23 Nº 45

BOLETIM INFORMATIVO JULHO 2010 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE BANCOS ANO 23 Nº 45 BOLETIM INFORMATIVO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA ANO 23 Nº 45 JULHO 2010 Dados sobre a Banca em Portugal relativos ao exercício de 2009 RELAÇÃO DOS BANCOS INCLUÍDOS NESTE BOLETIM INFORMATIVO (Ordem Alfabética

Leia mais

COMUNICADO 1S 2015. COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas)

COMUNICADO 1S 2015. COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas) COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas) 31 agosto 2015 1. EVOLUÇÃO DOS NEGÓCIOS 1.1. ÁREA FINANCEIRA A Área Financeira do Grupo concentra as atividades financeiras, incluindo a Orey Financial, e as suas

Leia mais

5. NÚMERO MÉDIO DE UTENTES E DE PESSOAS AO SERVIÇO DA INSTITUIÇÃO REPARTIDO POR VALÊNCIAS

5. NÚMERO MÉDIO DE UTENTES E DE PESSOAS AO SERVIÇO DA INSTITUIÇÃO REPARTIDO POR VALÊNCIAS COMPROVATIVO DE ENTREGA DA CONTA DE GERÊNCIA Ano: 2011 Identificação da Declaração: Data da recepção: 27/06/2012 1. Identificação da Instituição Nome: AMU - COOPERAÇÃO E SOLIDARIEDADE LUSÓFONA POR UM MUNDO

Leia mais

Contabilidade Financeira II 2008/2009

Contabilidade Financeira II 2008/2009 Contabilidade Financeira II 2008/2009 Capital Próprio CAPITAL PRÓPRIO Conceitos Gerais Aplicação de resultados Valor nominal, contabilístico e de mercado Demonstração das Alterações do C.P. Aumentos de

Leia mais

8. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

8. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 8. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Nota Introdutória A Manuel Rodrigues Gouveia, S.A. ( MRG ou Empresa ) tem sede em Seia, foi constituída em 1977 e tem como actividade principal a Construção Civil

Leia mais

CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande

CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande CENTRO SÓCIO - CULTURAL E DESPORTIVO SANDE S. CLEMENTE Rua N. Senhora da Saúde nº 91 -S. Clemente de Sande NIPC :501971327 NISS :20007555241 NOTAS PERÍODOS 31-12-2014 31-12- ACTIVO Activo não corrente

Leia mais

CONTAS INDIVIDUAIS IFRS Dezembro de 2008

CONTAS INDIVIDUAIS IFRS Dezembro de 2008 RASO, SGPS, S.A. CONTAS INDIVIDUAIS IFRS Dezembro de 2008 RASO, SGPS, SA SEDE: Aeroporto de Lisboa, Rua C, Edifício 124, 5º Piso Matriculada na Conservatória Registo Comercial do Porto e NIF nº 508 708

Leia mais

! " # $%&' (") *+)( *+)* , " # - %. " / 012 $ )"* *+)( 012+"4 "# *+)( 012 5"5 " 6! ! " '.! " 7 . % "' *+)( $%, % " ## *++* -. - ! $ ." )+#.

!  # $%&' () *+)( *+)* ,  # - %.  / 012 $ )* *+)( 012+4 # *+)( 012 55  6! !  '.!  7 . % ' *+)( $%, %  ## *++* -. - ! $ . )+#. !! " # $%&' (") *+)( *+)*, " # %. " / 012 $ )"* *+)( 3 012+"4 "# *+)( 012 5"5 " 6!! " '.! " 7. % "' *+)(!, $%, % " ## *++*. 7! $." )+#. *+)*!! 28" *+)(. "' $%981!5": *+)(*+);!)5) *++**++

Leia mais