Apresentação. O Programa tem as seguintes linhas de atuação: Geração de renda e oportunidade de trabalho. Educação para a qualificação profissional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação. O Programa tem as seguintes linhas de atuação: Geração de renda e oportunidade de trabalho. Educação para a qualificação profissional"

Transcrição

1 Apresentação O Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania reflete o nosso compromisso com o desenvolvimento local, regional e nacional.apoiamos iniciativas que promovam, de forma digna e produtiva, a inserção social de pessoas e grupos, reduzindo a pobreza e a desigualdade. O Programa tem as seguintes linhas de atuação: Geração de renda e oportunidade de trabalho Educação para a qualificação profissional Garantia dos direitos da criança e do adolescente Destacamos também que gênero, igualdade racial, pessoas com deficiência, pescadores e outros povos e comunidades tradicionais são temas transversais do Programa.

2 2 Sumário Metas de desempenho do programa... 3 Seção 1 Resumo do projeto... 5 Seção 2 Em que contexto se insere o projeto? Do que se trata a sua organização? Em que realidade o projeto vai atuar? Quais serão os participantes do projeto?... 9 Seção 3 Como o projeto será organizado? Qual é o objetivo geral do projeto? Quais são os objetivos específicos? Que ações serão realizadas? Que resultados serão esperados? Como o projeto será realizado na prática? Quem coordenará o projeto e qual será a equipe técnica? Seção 4 Como cuidar da sustentabilidade do projeto? Como a comunidade vai participar do projeto? Quais serão os parceiros do projeto? Como o projeto pretende interagir com políticas públicas? Como será o Planejamento de Comunicação do projeto? Seção 5 Como avaliar o projeto? Seção 6 Qual será o cronograma do projeto? Seção 7 Que recursos financeiros serão necessários? Orçamento Resumido Orçamento físico-financeiro... 35

3 3 Metas de desempenho do programa Com o objetivo de aprimorar a gestão de seus investimentos sociais, a Petrobras estabeleceu um conjunto de metas que deverão ser atingidas pela carteira de projetos. Portanto, ao elaborar o seu projeto, recomendamos que seja especificado como se pretende contribuir para o alcance das metas abaixo: Linha de atuação Metas 70% de projetos apoiados com Planos de Negócio Estruturados. # Geração de Renda e Oportunidade de Trabalho 60% de projetos apoiados, com tecnologia e/ou infraestrutura incorporados pela organização, aptos à geração de renda e oportunidade de trabalho. 60% de elevação da renda per capita média dos participantes do projeto. Investimentos em Projetos Sociais # Educação para a Qualificação Profissional 20% do público participante dos projetos voltados para a qualificação profissional incluídos no mundo do trabalho. 60% dos participantes com certificados emitidos por entidade certificadora nacionalmente reconhecida (Sistema S, faculdades, universidades, ministérios, secretarias municipais e estaduais). 80% dos participantes dos cursos profissionalizantes e projetos de alfabetização com certificado de conclusão. 30% dos participantes dos projetos voltados para a qualificação profissional apresentam evolução de escolaridade. # Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente 60% dos participantes em atividades de educação complementar com melhoria de desempenho na educação formal. 80% dos participantes em projetos voltados para a proteção (saúde, creche e pré-escola, combate ao trabalho infantil, combate à exploração sexual, programas socioeducativos) concluindo o período total de atendimento. 70% dos projetos com atividades de formação para profissionais do Sistema de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente.

4 N O T A S

5 Seção 1 Resumo do projeto

6 6 N O T A S O resumo do projeto é uma síntese das ações a serem executadas e uma das partes mais importantes na elaboração de um projeto. É a partir dele que os avaliadores do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania poderão ter uma visão geral da proposta. Seja claro e objetivo, incluindo apenas as informações essenciais ao entendimento do projeto. Descreva o projeto, considerando os principais objetivos, o perfil e o número de participantes, o método de trabalho a ser aplicado, as principais ações, a participação da comunidade, as ações de sustentabilidade organizacional, o foco da comunicação, os resultados esperados e o valor do investimento solicitado. É fundamental destacar os resultados a serem obtidos. Isso ajuda a entender as dimensões e o potencial transformador do projeto. De acordo com o objetivo geral do projeto, defina em qual(ou quais) das seguintes linhas de atuação o projeto se enquadra: Geração de Renda e Oportunidade de Trabalho. Educação para a qualificação profissional Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente. Indique também se o projeto aborda algum dos temas transversais: gênero, igualdade racial, pessoas com deficiência, pescadores e outros povos e comunidades tradicionais. Lembre-se que o resumo do projeto é, geralmente, a última parte a ser escrita, portanto, deve-se buscar no documento completo apenas as informações mais importantes. Inclua também um índice no seu projeto que ajude a localizar cada uma de suas partes (veja um exemplo no Formulário de Apresentação de Projetos). O projeto deve ter entre 30 e 40 páginas, assim evite que o resumo ultrapasse duas páginas. Atenção: Dê um nome ao seu projeto utilizando nomes curtos e objetivos com até 40 caracteres que facilitem a sua comunicação.

7 7 N O T A S Seção 2 Em que contexto se insere o projeto?

8 8 N O T A S Sugerimos que a discussão de contexto aqui proposta não ultrapasse oito páginas do projeto Do que se trata a sua organização? Nesta seção, é importante falar sobre sua organização (a proponente), sua história e suas experiências. Utilize os tópicos abaixo para orientar o seu texto. Por que e quando sua organização foi criada; Qual é a missão de sua organização; Quais são os principais objetivos e linhas de atuação; Quem a constitui e como ela é dirigida; Quais as experiências mais importantes que a organização acumula; Quais são seus principais parceiros e apoiadores; Quais são as principais fontes de recursos; Informe se a instituição já foi apoiada pela Petrobras alguma vez; 2.2. Em que realidade o projeto vai atuar? Este item refere-se à realidade em que sua organização atua e a situação na qual o projeto pretende intervir, ou seja, os problemas prioritários a serem enfrentados. Utilize os tópicos abaixo para orientar o seu texto. Com que questão social o projeto vai trabalhar; Como essa questão se apresenta na área geográfica específica do projeto; Quais as características socioeconômicas e culturais dessa área; Que problemas e oportunidades são considerados prioritários;

9 9 Com que problemas o projeto pretende lidar; Quais as causas desses problemas; Procure agregar informações de diagnósticos e pesquisas que efetivamente retratem a realidade em que o projeto vai atuar. Neste item, a Petrobras não quer apenas dados estatísticos oficiais (como os do IBGE), mas também de outras fontes com atuação na região. Lembramos que projetos que considerarem o mapeamento do Programa Petrobras Agenda 21 (http://www.petrobras.com.br/agenda21/) serão priorizados nas situações de empate técnico, em qualquer uma das fases do processo seletivo Quais serão os participantes do projeto? Caracterize os participantes segundo sua etnia, atividade econômica, condição de saúde, orientação sexual, faixa etária, região de moradia, escolaridade, entre outros aspectos. Lembramos que a Petrobras prioriza o atendimento à juventude (15 a 29 anos), portanto, se o projeto desenvolver ações com pessoas desse perfil, não deixe de explicitar nesta seção. Para a Petrobras, os participantes diretos são aqueles atendidos por uma atividade do projeto (cooperado, aluno, jovem em liberdade assistida, educador, etc.). Abaixo, segue o quadro que deve ser preenchido no formulário de elaboração de projetos para explicitar o número de pessoas e a faixa etária com o qual o projeto pretende trabalhar diretamente. Crianças (0-6) Crianças (7-11) Crianças (12-14) adolescentes (15-17) jovens (18-29) adultos (30-59) idosos (60 e +) total Atenção A Petrobras não apoia projetos que ofereçam serviços a serem pagos pelos participantes, seja na forma de mensalidade ou qualquer outra contrapartida financeira ou em trabalho.

10 N O T A S

11 Seção 3 Como o projeto será organizado?

12 12 N O T A S Nesta seção, devem ser descritos os objetivos (geral e específicos), as ações, resultados esperados, como o projeto será realizado na prática e a coordenação e equipe técnica do projeto. Sugerimos que o texto desta seção não ultrapasse 12 páginas. As intervenções sociais são ações coletivas, portanto, é fundamental que os envolvidos nas ações participem da elaboração do projeto e contribuam com suas reflexões, garantindo a legitimidade do projeto Qual é o objetivo geral do projeto? O objetivo geral é a missão do projeto. Deve estar diretamente relacionado à linha de atuação e demonstrar o resultado que se pretende alcançar com a sua realização. Este objetivo deve contribuir para a mudança da realidade descrita no contexto (Seção 2), demonstrando a proposta de melhoria da condição atual. Precisa ser passível de ser alcançado por meio dos objetivos específicos e das atividades propostas. Não deve conter números ou descrição de atividades Quais são os objetivos específicos? São os passos fundamentais para se alcançar o objetivo geral. Devem ser capazes de demonstrar as estratégias que serão utilizadas pelo projeto, ser viáveis, hierarquizados e mensuráveis. Para este projeto, sugerimos que sejam apresentados, no máximo, seis objetivos específicos.

13 Que ações serão realizadas? São atividades que levam ao alcance dos objetivos específicos propostos. Elas têm de estar relacionadas a cada objetivo específico estabelecido para o projeto e ser: mensuráveis (refletir a quantidade a ser atingida); específicas (não genéricas); temporais (indicar prazo para sua realização); alcançáveis (serem factíveis, realizáveis); significativas (importantes para o alcance dos resultados e para resolver ou minimizar o problema descrito no contexto). Atente para não incluir aqui atividades-meio, como compras e contratação Que resultados serão esperados? Os resultados esperados são transformações no contexto social decorrentes da realização do projeto, por isso devem estar associados aos objetivos específicos. Referemse a mudanças de conhecimento, percepção, habilidade, atitudes, opiniões, aspirações, motivação, comportamento, práticas, condição ou status. Para a Petrobras é importante que as metas do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania (vide tabela de metas na Apresentação) estejam incluídas nos resultados esperados. Faça associações constantes entre objetivo geral, objetivos específicos, ações e resultados. Quanto mais clara a conexão entre esses aspectos, maior a chance de sucesso do projeto. Vejamos o exemplo:

14 14 Objetivo Geral (3.1) Promover a reintegração na sociedade de jovens e adultos, egressos do sistema penitenciário, preparando-os para ingressar no mercado de trabalho e exercer a plenitude de sua cidadania, através de programas de educação e qualificação profissional. Objetivo especifico (3.2) Ações (3.3) Resultados esperados (3.4) 1. Capacitar 120 jovens e adultos nos cursos de qualificação profissional nas áreas de mecânica automotiva, marcenaria, pintura e construção civil. 2. Viabilizar a empregabilidade dos participantes por meio da articulação com instituições e empresas parceiras Oferecer 06 turmas do curso de mecânica automotiva, com 120h cada; 1.2. Oferecer 04 turmas de marcenaria, com 80h cada; 1.3. Oferecer 08 turmas de pintura e construção civil, com 110h cada; 1.4. Oferecer 08 palestras sobre cidadania, com 4h cada Formar carteira de parceiros, contatá-los rotineiramente e abrir outros canais de relacionamento Criar e manter site para cadastro de formandos dos cursos para organizar e divulgar oferta a empregadores ou clientes. 120 jovens e adultos formados, com certificado de conclusão reconhecido por entidade certificadora, preparados para atuar profissionalmente nas áreas de mecânica automotiva, marcenaria, pintura e construção civil. 50% de participantes empregados formalmente; e 50% com capacidade e possibilidade de exercer autonomamente uma profissão. 3. Apoiar a reintegração dos participantes à sociedade, promovendo a assistência psicossocial aos indivíduos e suas famílias e trabalhando para a ampliação da sociabilidade dos egressos Realizar 01 atividade mensal de promoção da cidadania, com 4h, para os participantes e/ou seus familiares após a formação; 3.2. Apoiar o avanço de escolaridade por ações que viabilizem aos participantes o acesso a classes em Educação de Jovens e Adultos (EJA); 3.3. Realizar acompanhamento psicossocial semanal dos participantes e seus familiares, com elaboração de relatórios para avaliação de evolução na participação coletiva e autorrealização. 70% dos participantes com evolução em indicadores psicossociais relacionados a participação na comunidade e construção de projetos de realização pessoal e profissional; e 50% dos participantes com evolução de escolaridade. Atenção O modelo acima é apenas um exemplo. Ajuste-o à realidade do seu projeto. Quanto mais gente envolvida nesse trabalho, melhor poderá ser a produção de objetivos claros e consistentes.

15 Como o projeto será realizado na prática? Nesta seção, descreva com precisão como o projeto será desenvolvido, ou seja, o como fazer. Relate como as atividades serão implementadas para atingir os objetivos específicos. Descreva etapas, processos e rotinas previstas para o projeto. Indique conteúdos trabalhados pelo projeto, o plano pedagógico (quando houver), grades de formação, cronograma de cursos etc. É neste item que a instituição deve detalhar as ações apresentadas no item 3.3 (ações). Podem ser apresentadas aqui as ações meio (contratações, compras etc.) e as justificativas teóricas para o método de trabalho, caso existam. Utilize os tópicos abaixo para orientar o seu texto: Sobre o método empregado: Pode ser reaplicado ou multiplicado em contextos semelhantes; 3.6. Quem coordenará o projeto e qual será a equipe técnica? Relacione a equipe técnica do projeto, incluindo formação e qualificação profissional (administrador, pedagogo, educador popular, líder comunitário, entre outros), a função ou cargo (coordenador, educador, assistente administrativo, supervisor, entre outros), a natureza do vínculo profissional (CLT, cooperado, autônomo, estágio) e carga horária. Defina também se o profissional será remunerado ou não com os recursos solicitados à Petrobras. Apenas os nomes da equipe de coordenação precisam estar definidos. É importante que a experiência profissional e/ou formação do coordenador esteja coerente com o objetivo do projeto e com a função que ele vai desempenhar. Os nomes da equipe técnica podem ser informados após a aprovação do projeto na Seleção Pública, mas a instituição deverá especificar todos os cargos previstos. Já foi usado em outras situações? É participativo e/ou promove o diálogo, a troca e a apropriação de conhecimentos pelas instituições e pelas comunidades envolvidas; Já foi sistematizado e/ou registrado; Será utilizada alguma Tecnologia Social 1 já reconhecida? 1 Tecnologia Social compreende produtos, técnicas e/ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que represente efetivas soluções de transformação social. (fonte: rts.org.br/rts/tecnologia-social/tecnologia-social).

16 16 nome Função no Projeto Formação Profissional Natureza do Vínculo Carga Horária Semanal Remunerado com os recursos solicitados? Antônio W. Pereira Coordenador Administração CLT 40 horas sim A definir Educador Pedagogia CLT 20 horas não A definir Supervisor Lider comunitário Cooperado 6 horas sim A definir Educadora Educador popular Autônoma 20 horas sim A Petrobras utiliza um sistema online de monitoramento e acompanhamento periódico das atividades. Por meio dele é possível evidenciar o trabalho realizado e os resultados obtidos, assim como conferir transparência e credibilidade a todo o processo. Por isso, sugerimos que a instituição faça a previsão, na sua equipe, de um profissional responsável pela elaboração do relatório, registro das atividades e acompanhamento dos indicadores propostos. Atenção A natureza do vínculo e a carga horária da equipe técnica devem respeitar a legislação trabalhista.

17 Seção 4 Como cuidar da sustentabilidade do projeto?

18 18 N O T A S Entendemos a sustentabilidade como o conjunto de forças, relações e recursos que contribuem para a continuidade do projeto e permanência dos resultados após o encerramento do patrocínio da Petrobras. Neste sentido, é importante a participação da comunidade, as parcerias institucionais, o alinhamento com políticas públicas e a forma como o projeto será comunicado. Procure não ultrapassar o limite de cinco páginas do projeto para esta seção Como a comunidade vai participar do projeto? Para a Petrobras um bom projeto é aquele que é criado a partir de uma demanda da comunidade. Seu envolvimento confere legitimidade ao projeto, ao mesmo tempo em que é uma forma de apoiar o desenvolvimento dessas pessoas. Utilize os tópicos abaixo para orientar o seu texto. O quanto a comunidade deseja o projeto; Como a comunidade participou da identificação do problema; De que forma a comunidade participou da elaboração do projeto; Como a comunidade será beneficiada; Tem representação da comunidade na condução do projeto; Como a comunidade participará da avaliação o projeto (acompanhamento das ações, resultados, aplicação dos recursos etc.).

19 Quais serão os parceiros do projeto? O segundo aspecto abordado nesta seção diz respeito não só às parcerias já estabelecidas, mas também às estratégias da instituição para agregar novos parceiros. Elas são centrais para lidar com a complexidade do setor social. As redes, os conselhos, as alianças etc. têm sido alternativas importantes para superar a escassez de recursos. Utilize os tópicos a seguir para orientar o seu texto. De que tipos de parcerias o projeto precisa; Há envolvimento do Governo, de empresas, fundações nacionais ou internacionais; Há cooperação com outras organizações da sociedade civil ou universidades; Como o projeto pretende cuidar dessas relações de parceria Como o projeto pretende interagir com políticas públicas? Outro aspecto importante desta seção refere-se a forma que os projetos se articulam com políticas públicas. É fundamental que a organização descreva como pretende integrar as ações propostas no projeto com políticas públicas (Sistema Único de Saúde, Secretarias de Educação, Assistência Social, Bolsa Família etc). Utilize os tópicos abaixo para orientar o seu texto. Identificar as políticas públicas (locais, estaduais ou federais) que podem contribuir para o seu projeto; De que maneira o projeto vai fortalecer, relacionar-se ou influenciar a criação de políticas públicas. Atenção: A Petrobras solicitará a comprovação das parcerias no momento da contratação caso o projeto seja aprovado na Seleção Pública. Podem ser anexadas ao projeto cartas de intenção dos parceiros. Exemplo: Nome do Parceiro Tipo de Contribuição (Financeira, Técnica, Recursos Humanos ou Outra) Secretaria Municipal de Educação Organização de turmas de EJA Secretaria de Segurança Pública Encaminhamento de participantes

20 20 N O T A S 4.4. Como será o Planejamento de Comunicação do projeto? Os projetos sociais trabalham para transformar uma realidade. Nesse processo de transformação, a comunicação é ferramenta fundamental para a mobilização social, porque é por meio dela que os projetos conseguem envolver as pessoas, criando o sentimento de participação e responsabilidade. A comunicação deve ser utilizada não só para divulgar os resultados do projeto, mas também para subsidiar todo o processo de mobilização social. Para a Petrobras, as formas de comunicação do projeto representam elementos importantes da proposta e da sustentabilidade de suas iniciativas e, por esse motivo, devem ser pensadas e definidas como uma questão estratégica de relacionamento com diversos públicos de interesse (parceiros, líderes locais, formadores de opinião no setor social e comunidade em geral, entre outros). Por isso, recomendamos que a instituição faça uma previsão do profissional responsável pelas atividades de comunicação do projeto. Para estruturar o seu planejamento de comunicação considere que: Todo planejamento de comunicação deve se basear nas pessoas (públicos) as quais se destina. Portanto, descreva os objetivos de comunicação, considerando as características desses públicos. Deve-se estabelecer o quê fazer e como fazer. Defina as estratégias e táticas de comunicação para alcançar os objetivos propostos. Também é importante definir quais são as melhores formas de acesso aos públicos, por meio da seleção das mídias e instrumentos de comunicação a serem utilizados. Veja o exemplo a seguir:

21 21 Objetivos de Comunicação (para que?) Informar a proposta do projeto e divulgar o andamento e os resultados obtidos Dar visibilidade ao projeto Agregar novas parceiras Públicos de interesse (para quem?) Estratégias (como?) Instrumentos de comunicação e mídias (o que?) Quantidade (quantos?) Período (mês de realização das ações) Participantes Banner 2 1º / 22º mês Famílias Evento de lançamento / encerramento do projeto Convites 200 1º / 22º mês Comunidade em geral Folder º / 22º mês Opinião Pública Ações de publicidade Spot de rádio 30 1º / 6º / 12º / 18º / 23º mês Assessoria de Imprensa Release 10 1º / 6º / 12º / 18º / 22º mês Parceiros consolidados Acompanhamento dos Revista º / 12º mês resultados Newsletter digital 10 6º / 12º mês Potenciais parceiros Divulgação na internet Site 1 2º mês Atenção Objetivo é o que se pretende alcançar com o planejamento de comunicação. Público é para quem a comunicação se destina. Considere sempre a realidade local e as características dos seus públicos. Estratégia são ações que serão implementadas para o alcance do objetivo de comunicação proposto. Instrumentos de comunicação e mídias são materiais produzidos para o desenvolvimento das ações e o alcance dos objetivos propostos (ex.: uniformes, boletins, banner, folder, revista etc.). Quantidade é para informar o quanto será produzido de cada instrumento e suas possíveis edições. Período é o mês de realização das ações previstas.

22 22 N O T A S Atenção Este modelo é apenas um exemplo. Seja criativo e ajuste o plano à realidade do seu projeto. Caso o projeto seja contratado, a marca da Petrobras, do Governo Federal e o selo do Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania deverão ser aplicados de forma padronizada e previamente aprovada pela Companhia em todas as peças de comunicação do projeto, independentemente do meio e do formato utilizados, em conformidade com as cláusulas estipuladas em contrato. A Petrobras deverá, ainda, ser mencionada como patrocinadora em eventos, entrevistas, artigos e outras peças de difusão e promoção do projeto. Devem ser previstos recursos para todos os instrumentos e mídias do plano de comunicação, sejam eles da Petrobras, de contrapartida da instituição ou de outros parceiros.

23 23 N O T A S Seção 5 Como avaliar o projeto?

24 24 Indicadores são informações objetivas que permitem medir o avanço do projeto e os resultados alcançados. Nesta seção, a instituição deve apresentar indicadores pertinentes para o bom acompanhamento do projeto, que podem ser qualitativos, quantitativos, de processo ou de resultado. Os Indicadores de Processo apontam se as ações do projeto estão acontecendo da forma planejada e são mensurados durante a sua implementação. Os Indicadores de Resultado demonstram os efeitos ou transformações provocados pelo projeto. Devem ser mensurados a partir da fase intermediária, fornecendo informações sobre os resultados parciais, e, ao final do projeto, apontando os resultados finais alcançados. Veja o exemplo abaixo: OBJETIVOS ESPECÍFICOS INDICADORES MEIOS DE VERIFICAÇÃO PERÍODO DE VERIFICAÇÃO 1.a. Números de aulas e cursos realizados Listas de presença e relatórios com registro fotográfico Trimestral 1. Capacitar 120 jovens e adultos nos cursos de qualificação profissional nas áreas de mecânica automotiva, marcenaria, pintura e construção civil. 1.b. Percentual de frequência dos participantes nos cursos 1.c. Percentual de participantes satisfeitos com os cursos 1.d. N de jovens e adultos formados nos cursos com certificado de conclusão reconhecido Listas de presença e relatórios de frequência dos participantes nos cursos Pesquisa de satisfação com os participantes e relatório de avaliação dos cursos Listagem de certificados entregues Mensalmente Trimestral Semestral 1.e. Percentual de participantes que apresentam aproveitamento satisfatório dos cursos Relatórios de avaliação elaborados pelos educadores e instrutores do projeto Semestral 2.a. Número de empresas parceiras Documento de formalização das parcerias Trimestral 2. Viabilizar a empregabilidade dos participantes por meio de articulação com instituições e empresas parceiras. 2.b. Percentual de participantes empregados Relatório de acompanhamento dos participantes inseridos no mercado de trabalho Semestral 2.c. Percentual de participantes trabalhando como autônomos Relatório de acompanhamento dos participantes trabalhadores autônomos Semestral

25 25 OBJETIVOS ESPECÍFICOS INDICADORES MEIOS DE VERIFICAÇÃO PERÍODO DE VERIFICAÇÃO 3.a. Número de atividades realizadas Listas de presença e relatórios com registro fotográfico Trimestral 3. Apoiar a reintegração dos participantes à sociedade, promovendo a assistência psicossocial aos indivíduos e suas famílias e trabalhando para a ampliação da sociabilidade dos egressos. 3.b. Percentual de participantes com evolução em indicadores psicossociais 3.c. Percentual de evasão de participantes do projeto Relatórios de acompanhamento psicossocial Cadastro de participantes Semestral Trimestral 3.d. Percentual de participantes com evolução de escolaridade Relatórios de acompanhamento pedagógico Anual Na coluna Indicadores, devem ser inseridos os Indicadores de Processo e os Indicadores de Resultado. Para que sejam verificáveis, todos os indicadores devem ser expressos em números ou percentuais, sejam qualitativos ou quantitativos. Os meios de verificação são as fontes de dados/informações que evidenciam o indicador e como esses dados serão coletados e registrados. Sugerimos que os diferentes públicos de interesse do projeto sejam convocados a participar dos processos de avaliação (ex.: a equipe executora do projeto, os participantes diretos, os familiares etc). Quanto maior o número de envolvidos maior sua legitimidade. Período de verificação refere-se ao momento que esses indicadores serão avaliados. É fundamental saber escolher e priorizar os indicadores, pois qualidade é mais importante que quantidade.

26 N O T A S

27 27 N O T A S Seção 6 Qual será o cronograma do projeto?

28 28 Definidas as ações, é importante organizá-las com o auxílio de um quadro que as distribua mês a mês, como no modelo abaixo. Repare que os objetivos e ações que constam no cronograma devem ser os mesmos da seção 3.3 (Que ações serão realizadas?). Exemplo: Ano I Objetivos específicos Ações Oferecer 06 turmas do curso de mecânica automotiva, com 120h cada x x x 1. Capacitar 120 jovens e adultos nos cursos de qualificação profissional nas áreas de mecânica automotiva, marcenaria, pintura e construção civil Oferecer 04 turmas de marcenaria, com 80h cada 1.3. Oferecer 08 turmas de pintura e construção civil, com 110h cada x x x x x x 1.4. Oferecer 08 palestras sobre cidadania, com 4h cada x x x x 2. Viabilizar a empregabilidade dos participantes por meio da articulação com instituições e empresas parceiras 2.1. Formar carteira de parceiros, contatá-los rotineiramente e abrir outros canais de relacionamento Criar e manter site para cadastro de formandos dos cursos para organizar e divulgar oferta a empregadores ou clientes x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x

29 29 Ano I Continuação OBJETIVOS ESPECÍFICOS ações mês 01 mês 02 mês 03 mês 04 mês 05 mês 06 mês 07 mês 08 mês 09 mês 10 mês 11 mês Apoiar a reintegração dos participantes à sociedade, promovendo a assistência psicossocial aos indivíduos e suas famílias e trabalhando para a ampliação da sociabilidade dos egressos Realizar 01 atividade mensal de promoção da cidadania, com 4h, para os participantes e/ou seus familiares após a formação 3.2. Apoiar o avanço de escolaridade por ações que viabilizem aos participantes o acesso a classes em Educação de Jovens e Adultos (EJA) 3.3. Realizar acompanhamento psicossocial semanal dos participantes e seus familiares, com elaboração de relatórios para avaliação de evolução na participação coletiva e autorrealização x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x

30 30 Ano II Objetivos específicos Ações Capacitar 120 jovens e adultos, distribuídos em turmas, nos cursos de qualificação profissional nas áreas de mecânica automotiva, marcenaria, pintura e construção civil Oferecer 06 turmas do curso de mecânica automotiva, com 120h cada 1.2.Oferecer 04 turmas de marcenaria, com 80h cada 1.3.Oferecer 08 turmas de pintura e construção civil, com 110h cada 1.4. Oferecer 08 palestras sobre cidadania, com 4h cada x x x x x x x x x x x x x 2. Viabilizar a empregabilidade dos participantes através da articulação com instituições e empresas parceiras Formar carteira de parceiros, contatá-los rotineiramente e abrir outros canais de relacionamento Criar e manter site para cadastro de formandos dos cursos para organizar e divulgar oferta a empregadores ou clientes x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x

31 31 Ano II Continuação Objetivos específicos Ações Apoiar a reintegração dos participantes à sociedade, promovendo a assistência psicossocial aos indivíduos e suas famílias e trabalhando para a ampliação da sociabilidade dos egressos 3.1. Realizar 01 atividade mensal de promoção da cidadania, com 4h, para os participantes e/ou seus familiares após a formação 3.2. Apoiar o avanço de escolaridade por ações que viabilizem aos participantes o acesso a classes em Educação de Jovens e Adultos (EJA) 3.3.Realizar acompanhamento psicossocial semanal dos participantes e seus familiares, com elaboração de relatórios para avaliação de evolução na participação coletiva e autorrealização x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x Atenção 01, mês 02, e assim por diante, indicam os meses de realização do projeto a partir do início do contrato com a Petrobras e não os meses do ano. Assim, se o contrato se iniciar num mês de maio, este será o mês 01 do projeto. O cronograma, assim como as ações do projeto, devem priorizar o atendimento direto aos participantes. O período destinado às ações de planejamento, diagnóstico e pesquisa deve ser otimizado.

Roteiro de Elaboração de Projetos. Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos 2010

Roteiro de Elaboração de Projetos. Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos 2010 Roteiro de Elaboração de Projetos Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania Seleção Pública de Projetos 2010 1 Anexo 01 Roteiro para Elaboração de Projetos Prezados Colegas, Se você está lendo este

Leia mais

Integração Petrobras Comunidade Seleção Pública de Projetos

Integração Petrobras Comunidade Seleção Pública de Projetos Roteiro para elaboração de projetos anexo 1 Integração Petrobras Comunidade Seleção Pública de Projetos Prezados Colegas, Se você está lendo este roteiro é porque está ligado a uma das organizações da

Leia mais

Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais 2014 --- Roteiro para a Elaboração de Projetos

Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais 2014 --- Roteiro para a Elaboração de Projetos Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais 2014 --- Roteiro para a Elaboração de Projetos Capa: Centro de Referência Esportiva (PE) Imagem: Guilherme Costa / Banco de Imagens Petrobras Ponto de

Leia mais

ELABORAÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

ELABORAÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS ELABORAÇÃO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO Um projeto é um empreendimento planejado que consiste num conjunto de atividades inter-relacionadas e coordenadas para alcançar objetivos

Leia mais

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DADOS DA ORGANIZAÇÃO PROPONENTE Razão Social CNPJ Endereço Completo Inscrição Telefone Email Representante Legal

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS ESPORTE & CIDADANIA ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESPORTIVOS EDUCACIONAIS 1

PROGRAMA PETROBRAS ESPORTE & CIDADANIA ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESPORTIVOS EDUCACIONAIS 1 ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESPORTIVOS EDUCACIONAIS PROGRAMA PETROBRAS ESPORTE & CIDADANIA ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESPORTIVOS EDUCACIONAIS 1 Sumário 1. Apresentação do Programa Petrobras

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FIA 2011. Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FIA 2011. Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação da criança e do adolescente, os dados de seu município, os resultados da

Leia mais

CARAVANA ESPORTIVA. Projetos Esportivos Educacionais

CARAVANA ESPORTIVA. Projetos Esportivos Educacionais CARAVANA ESPORTIVA Seleção Pública P de Projetos Esportivos Educacionais Programa Petrobras Esporte & Cidadania Fomentar o desenvolvimento do esporte olímpico brasileiro; Democratizar o acesso ao esporte

Leia mais

CARAVANA ESPORTIVA. Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais

CARAVANA ESPORTIVA. Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais CARAVANA ESPORTIVA Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais 00/00/2012 Gestor: Versão: 12/3/2012 Sumário Investimento Socioambiental Programa Petrobras Esporte & Cidadania Regulamento Seleção

Leia mais

Roteiro para elaboração de projetos 1

Roteiro para elaboração de projetos 1 1 Roteiro para elaboração de projetos 1 O objetivo aqui é que vocês exercitem a criatividade, a atitude empreendedora, a inteligência emocional (liderar e ser liderado) e a responsabilidade (individual

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS ANEXO III EDITAL Nº 01/2012. Roteiro para Apresentação de Projetos

SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS ANEXO III EDITAL Nº 01/2012. Roteiro para Apresentação de Projetos SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS ANEXO III EDITAL Nº 01/2012 Roteiro para Apresentação de Projetos Entidade: Programa: PROGRAMA ESTADUAL DE APOIO À RECUPERAÇÃO DE USUÁRIOS

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO

MANUAL DE ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO MANUAL DE ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE TRABALHO DADOS CADASTRAIS PLANO DE TRABALHO - ENTIDADE ÓRGÃO / ENTIDADE PROPONENTE: CNPJ: ENDEREÇO: ENDEREÇO ELETRÔNICO(E-MAIL): CIDADE: UF: CEP:

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PLANO DE TRABALHO

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PLANO DE TRABALHO ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PLANO DE TRABALHO DADOS CADASTRAIS PLANO DE TRABALHO - ENTIDADE ÓRGÃO / ENTIDADE PROPONENTE: CNPJ: ENDEREÇO: ENDEREÇO ELETRÔNICO (E-MAIL): CIDADE: UF: CEP: (DDD) FONE: CONTA CORRENTE:

Leia mais

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta

Roteiro para elaboração de Projeto Proposta . Capa: - Título do projeto - Nome da instituição proponente - Linha de ação a ser apoiada. Roteiro para elaboração de Projeto Proposta. Identificação da instituição proponente e responsável legal - devem

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Introdução Independentemente do nível de experiência da proponente na elaboração de projetos, o Instituto Cooperforte empresta apoio, orientação e subsídios às Instituições

Leia mais

Pronatec Aprendiz. Orientações para Implementação

Pronatec Aprendiz. Orientações para Implementação Pronatec Aprendiz Orientações para Implementação Edição de 2015 Apresentação O Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) representa um passo importante para a consolidação da educação

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012 EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 02/2012 Aviso de Divulgação de Seleção de Instrutor Pleno para as atividades de incubação de empreendimentos produtivos. REF: CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Leia mais

Manual de apoio à elaboração de projetos culturais

Manual de apoio à elaboração de projetos culturais Manual de apoio à elaboração de projetos culturais Um projeto tem como objetivo transformar idéias e aspirações em ações concretas que possam aproveitar oportunidades, solucionar problemas, atender a necessidades

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011 EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011 Aviso de Divulgação de Seleção de Instrutor Pleno para as. REF: CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PARA ATENDIMENTO AO CONVENIO Nº 711591/2009 MDS/ITS/CEDEP

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Brincar de ler e escrever

Brincar de ler e escrever I Edital FNA 2015 Brincar de ler e escrever A Fundação Negro Amor - FNA foi criada em 2008 e, desde então, desenvolve ações na área socioeducativa e cultural, com foco na promoção da educação infantil

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS AMBIENTAIS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS AMBIENTAIS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS AMBIENTAIS 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO NOME DO PROJETO Utilize nomes curtos e objetivos com até 20 caracteres que facilitem a comunicação do projeto. LINHAS DE ATUAÇÃO

Leia mais

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local -

Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. - Assistente Técnico Local - Programa Pará: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher - Assistente Técnico Local - No âmbito do Programa Pará - Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial de Políticas para

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS CULTURAL FESTIVAIS E DIFUSÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

PROGRAMA PETROBRAS CULTURAL FESTIVAIS E DIFUSÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS PROGRAMA PETROBRAS CULTURAL FESTIVAIS E DIFUSÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Este documento contém um pequeno descritivo do conteúdo que deve ser inserido em cada um dos campos do formulário de

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Prazo de execução: xxxx meses, a partir da assinatura do convênio

Prazo de execução: xxxx meses, a partir da assinatura do convênio MODELO PARA APRESENTAÇÃO PLANO DE TRABALHO EDITAL 2013 1 - IDENTIFICAÇÃO 1.1 DO PROJETO Nome do Projeto: Local onde será executado o projeto: (endereço completo) Nº de Beneficiários diretos: xx crianças

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO TRABALHO, EMPREGO, RENDA E ESPORTE SETRE ANEXO III-B TERMO DE REFERÊNCIA DO PROCESSO CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES EXECUTORAS DE AÇÕES DE QUALIFICAÇÃO SOCIAL E

Leia mais

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS EDITAL FLD 04/2011 SELEÇÃO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DE REDES SOCIAIS QUE ATUAM NA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM JUSTIÇA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICA 1. OBJETIVO Selecionar projetos

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032

UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032 UNICEF BRASIL Edital de Licitação RH/2012/032 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida empresas e consultores

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável ANEXO III ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável ANEXO III ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ANEXO III ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS O QUE É UM PROJETO? É um documento que organiza idéias para se realizar um empreendimento, explicitando o motivo de realizá-lo, as etapas de trabalho, as

Leia mais

EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO

EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO EDITAL FLD 02/2015 - JUSTIÇA SOCIOAMBIENTAL SELEÇÃO DE PROJETOS PARA CONSERVAÇÃO DO BIOMA PAMPA E QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO O projeto deve ser elaborado no formulário em WORD, disponível para download

Leia mais

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO O título do projeto deve delimitar a área de abrangência onde as ações serão executadas. Setembro, 2014 1 SUMÁRIO 1. DADOS GERAIS

Leia mais

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00

Número de. Empregados. Pessoa Física Nenhum R$ 50,00 R$ 600,00. Microempresa Até 5 R$ 70,00 R$ 840,00. Acima de 5 R$ 400,00 R$ 4800,00 FICHA DE ADESÃO Por esta Ficha de adesão, solicito meu ingresso como associado da ABRIMPE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE INCENTIVO E MELHORIA EM PROJETOS EMPRESARIAIS, EMPREENDEDORISMO E EDUCACIONAL, comprometendo-me

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ATIVIDADES EXTRA-CURRICULARES (ESPORTIVOS OU DE ÁREA)

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ATIVIDADES EXTRA-CURRICULARES (ESPORTIVOS OU DE ÁREA) ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ATIVIDADES EXTRA-CURRICULARES (ESPORTIVOS OU DE ÁREA) I - CAPA NA CAPA DEVE CONSTAR: - Nome da Unidade Escolar com DRE; - Nome do professor responsável pela elaboração

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL DA JUVENTUDE PADRE JOÃO PIAMARTA / PD&C 2012 - CULTIVANDO JOVENS AGRICULTORES / Relatório 5

CENTRO EDUCACIONAL DA JUVENTUDE PADRE JOÃO PIAMARTA / PD&C 2012 - CULTIVANDO JOVENS AGRICULTORES / Relatório 5 CENTRO EDUCACIONAL DA JUVENTUDE PADRE JOÃO PIAMARTA / PD&C 2012 - CULTIVANDO JOVENS AGRICULTORES / Relatório 5 INFORMAÇÕES GERAIS DO PROJETO 01 - Nome do Projeto: PD&C 2012 - CULTIVANDO JOVENS AGRICULTORES

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. IDENTIFICAÇÃO (máximo 01 folha) Título da Proposta: Instituição Proponente: CNPJ: Endereço: CEP: Telefone: Fax:

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. IDENTIFICAÇÃO (máximo 01 folha) Título da Proposta: Instituição Proponente: CNPJ: Endereço: CEP: Telefone: Fax: Usar papel timbrado da instituição! TERMO DE REFERÊNCIA. IDENTIFICAÇÃO (máximo 0 folha) Título da Proposta: Instituição Proponente: CNPJ: Endereço: CEP: Telefone: Fax: Responsável pela Instituição Proponente:

Leia mais

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)

Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) Presidência da República Controladoria-Geral da União Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) O PETI é um programa do Governo Federal que

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente de Viana - COMDICAVI Lei Municipal Nº. 1214/94

Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente de Viana - COMDICAVI Lei Municipal Nº. 1214/94 EDITAL Nº. 01/2014 - COMDICAVI Dispõe sobre o chancelamento de projetos das entidades não governamentais e órgãos governamentais de atendimento à criança e ao adolescente, para financiamento com recursos

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA AGÊNCIA BRASILEIRA DE COOPERAÇÃO - ABC INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA - IICA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E

Leia mais

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão:

CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável Missão: O CIEDS, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, é uma Instituição Social Sem Fins Lucrativos, de Utilidade Pública Federal, fundada em 1998, com sede na cidade do Rio de

Leia mais

MANUAL DE PROJETOS SOCIAIS

MANUAL DE PROJETOS SOCIAIS MANUAL DE PROJETOS SOCIAIS CAMPOS DOS GOYTACAZES - RJ 2010 O Manual a seguir orienta o preenchimento do Formulário de Projetos Sociais dos Conselhos. Assim, para o encaminhamento de Projetos Sociais aos

Leia mais

14 de dezembro de 2012 MONITORAMENTO DO PROGRAMA APRENDIZ LEGAL/ FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO

14 de dezembro de 2012 MONITORAMENTO DO PROGRAMA APRENDIZ LEGAL/ FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO 14 de dezembro de 2012 MONITORAMENTO DO PROGRAMA APRENDIZ LEGAL/ FUNDAÇÃO ROBERTO MARINHO 1. APRESENTAÇÃO A presente proposta de projeto refere-se ao Monitoramento do Programa Aprendiz Legal idealizado

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

1. Instituído pela Genzyme do Brasil, o Edital do PAPAP é regido pelo presente regulamento.

1. Instituído pela Genzyme do Brasil, o Edital do PAPAP é regido pelo presente regulamento. A Genzyme do Brasil ( Genzyme ) torna pública a abertura do Edital 001/2015 para o Programa de Apoio aos Projetos de Associações de Pacientes ( PAPAP ) e define o processo seletivo para o ano de 2016,

Leia mais

EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM

EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1.2. Universalização do ensino fundamental de nove anos

Leia mais

6h diárias - 11 meses

6h diárias - 11 meses 6h diárias - 11 meses PROPOSTA PEDAGÓGICA PROGRAMA DE APRENDIZAGEM EM AUXILIAR DE VAREJO ÍNDICE 1 - Apresentação da Entidade ijovem 3 2 - Justificativa do Programa. 3 3 Público-alvo: 4 4 Objetivo geral:

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS.

CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS 2016 TRANSFORMANDO PESSOAS E IDEIAS. CHAMADA PÚBLICA 2016 A Política de Responsabilidade Social da AngloGold Ashanti define como um de seus princípios que a presença de nossa

Leia mais

ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DOS PROJETOS

ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DOS PROJETOS ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DOS PROJETOS Roteiro Pedagógico e Metodológico Parte 1. Identificação do Projeto 1.1. Instituição de ensino proponente, com a respectiva identificação 1.2. Título do Projeto/Objeto

Leia mais

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS PORTO ALEGRE EM AÇÃO É ESPORTE E EDUCAÇÃO O esporte não é educativo a priori, é o educador que precisa fazer dele ao mesmo tempo um objeto e meio

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA O PROGRAMA SERVIDOR MULTIPLICADOR EDITAL EGP Nº 002/2015

EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA O PROGRAMA SERVIDOR MULTIPLICADOR EDITAL EGP Nº 002/2015 EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS PARA O PROGRAMA SERVIDOR MULTIPLICADOR EDITAL EGP Nº 002/2015 A Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos, por meio da Escola de Gestão Pública de Palmas, torna

Leia mais

QUAIS INSTRUMENTOS SÃO USADOS NO MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS?

QUAIS INSTRUMENTOS SÃO USADOS NO MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS? COMO SE FAZ NO BRASIL: PRINCIPAIS INSTRUMENTOS DE MONITORAMENTO DE PROGRAMAS SOCIAIS COMO SE FAZ O MONITORAMENTO? O monitoramento de programas envolve as seguintes etapas:» 1ª etapa: Coleta regular de

Leia mais

O título do projeto deve refletir a natureza do problema enfocado e ter um impacto significativo em seu leitor. Não deve ser muito extenso.

O título do projeto deve refletir a natureza do problema enfocado e ter um impacto significativo em seu leitor. Não deve ser muito extenso. P R O G R A M A D E R E S P O N S A B I L I D A D E S O C I A L C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O E S T Á C I O D O C E A R Á E S T Á C I O - F I C CURSO: COORDENADOR: DADOS DO PROFESSOR RESPONSÁVEL

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva

PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva PROCESSO SELETIVO Edital 01/2015 Serviço de Inclusão Produtiva A Casa de Acolhimento e Orientação à Crianças e Adolescentes (CAOCA), em parceria com a Secretaria de Assistência Social de Vitória (Semas),

Leia mais

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social

Objetivos Consolidar uma política garantidora de direitos Reduzir ainda mais a desigualdade social AGENDA SOCIAL AGENDA SOCIAL Estamos lutando por um Brasil sem pobreza, sem privilégios, sem discriminações. Um país de oportunidades para todos. A melhor forma para um país crescer é fazer que cada vez

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PORTARIA Nº 458, DE 4 DE OUTUBRO DE 2001* Estabelece Diretrizes e Normas do Programa de Erradicação do Trabalho

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

PROGRAMA AÇÃO PARA CRIANÇAS Guia para elaboração de Projetos

PROGRAMA AÇÃO PARA CRIANÇAS Guia para elaboração de Projetos PROGRAMA AÇÃO PARA CRIANÇAS Guia para elaboração de Projetos A CESE recebe projetos por e-mail, mas não recebe documentos institucionais escaneados (esses devem ser enviados por correio convencional).

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013

UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 UNICEF BRASIL Edital de Seleção de Consultor: RH/2014/013 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida profissionais

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento

ELABORAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Instrutora: Aneliese Nascimento Instrutora: Aneliese Nascimento O QUE É UM PROJETO? 4 Instrumento de comunicação. 4 Instrumento de intervenção em um ambiente ou situação para mudanças. 4 Instrumento para fazer algo inovador. O QUE DEVE

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS SEPPIR/Nº 001/2008

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS SEPPIR/Nº 001/2008 Presidência da República Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Subsecretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS SEPPIR/Nº 001/2008

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 O Presidente do Instituto Pauline Reichstul-IPR, torna público que receberá inscrições para o processo seletivo de pessoal para atuação no projeto Ações Integradas

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE FUNDAÇÃO ASSISTÊNCIA SOCIAL E CIDADANIA 1 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PROJETO TÉCNICO: ACESSUAS TRABALHO / PRONATEC EQUIPE RESPONSÁVEL: Proteção Social Básica PERÍODO: Setembro

Leia mais

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2013 Regulamento

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2013 Regulamento 1. Do Conceito de Tecnologia Social 1.1 Tecnologia Social compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de

Leia mais

A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM. Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007

A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM. Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007 A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJOVEM Síntese da proposta de Ação Comunitária de seus desafios 2007 A AÇÃO COMUNITÁRIA NO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Dimensão formativa do programa voltada à educação para a cidadania

Leia mais

Mobilização e Participação Social no

Mobilização e Participação Social no SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Mobilização e Participação Social no Plano Brasil Sem Miséria 2012 SUMÁRIO Introdução... 3 Participação

Leia mais

APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM

APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM PROEX N º 05/2015/PROEX APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM EXECUÇÃO: 10 JULHO DE 2015 A 10 DE DEZEMBRO DE 2015. 1 PROEX Nº 05/2015 EDITAL PROGRAMA MULHERES SIM A Reitora do Instituto Federal de Santa Catarina,

Leia mais

Projetos alinhados com pelo menos um dos eixos de atuação abaixo:

Projetos alinhados com pelo menos um dos eixos de atuação abaixo: PROGRAMA VOLUNTARIADO BB APOIO A PROJETOS COM RECURSOS DO FIA EDITAL INTERNO DO PROJETO VOLUNTÁRIOS BB FIA 2015 UNIDADE NEGÓCIOS SOCIAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL - UNS APRESENTAÇÃO O Projeto Voluntários

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) N.º e Título do Projeto BRA 06/005 A Educação Como Fator de Coesão Social Natureza do Serviço Modalidade Localidade de Trabalho Consultoria Produto Brasília/DF Objetivo da Contratação

Leia mais

PROJETO ESCOLA DE FÁBRICA

PROJETO ESCOLA DE FÁBRICA PROJETO APRESENTAÇÃO O projeto Escola de Fábrica é uma iniciativa do Governo Federal, através do e da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica, que pretende possibilitar a inclusão social de jovens

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO Nº 01/2014 ANEXO I. Formulário para Solicitação de Patrocínio

CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO Nº 01/2014 ANEXO I. Formulário para Solicitação de Patrocínio CHAMADA PÚBLICA DE PATROCÍNIO Nº 01/2014 ANEXO I Formulário para Solicitação de Patrocínio Procedimentos para o envio de projeto ao CAU/GO: 1. Após preencher o Formulário para Solicitação de Patrocínio

Leia mais

AGENTE DE DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL

AGENTE DE DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL PLANO DE CURSO QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM AGENTE DE DESENVOLVIMENTO SOCIOAMBIENTAL EIXO TECNOLÓGICO:Ambiente e Saúde Carga Horária: 160 horas CATALÃO GO JANEIRO- 2014 SUMÁRIO 1- Justificativa ( Inserir

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

ANEXO III - ROTEIRO DE PROJETO

ANEXO III - ROTEIRO DE PROJETO ANEXO III - ROTEIRO DE PROJETO 1.DADOS CADASTRAIS DA ENTIDADE OU ORGANIZAÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PROPONENTE NOME DA ENTIDADE OU ORGANIZAÇÃO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (abreviatura caso possua) NOME FANTASIA

Leia mais

Relatório Anual. Instituto Nossa Ilhéus. Instituto Nossa Ilhéus

Relatório Anual. Instituto Nossa Ilhéus. Instituto Nossa Ilhéus Resumo da ONG O é uma iniciativa da sociedade civil organizada que tem por objetivo fortalecer a cidadania e a democracia participativa, tendo por base a sustentabilidade e o monitoramento social. O age

Leia mais

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Termo de Referência Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico No âmbito do Programa Pernambuco Trabalho e Empreendedorismo da Mulher conveniado

Leia mais

Agendas Transversais

Agendas Transversais Reunião do Conselho Nacional de Direitos da Mulher - CNDM Agendas Transversais Maria do Rosário Cardoso Andrea Ricciardi 02/10/2013 Ministério do Planejamento 1 AGENDAS TRANSVERSAIS Igualdade Racial, Comunidades

Leia mais

Instrumento de Avaliação

Instrumento de Avaliação Monitoramento e Avaliação do Bolsa-Formação 2012 - Instrumento_de_Avaliação - # 42 Instrumento de Avaliação {{>toc}} I - Contextualização da Unidade Ofertante a. Nome da mantenedora; b. Base legal da mantenedora

Leia mais

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015

POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL DO IFBA PROGRAMA DE ASSITÊNCIA E APOIO AOS ESTUDANTES EDITAL Nº 001/2015 1. ABERTURA O Diretor Geral do IFBA Campus Jacobina, no uso de suas atribuições, faz saber que,

Leia mais

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações?

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? SESI Empreendedorismo Social Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? REGULAMENTO SESI Empreendedorismo Social A inovação social é o ponto de partida para um novo modelo que atende

Leia mais

Histórico 2006/ 2010

Histórico 2006/ 2010 Histórico 2006/ 2010 Programa Na Mão Certa O Programa Na Mão Certa, uma iniciativa da Childhood Brasil, que tem como objetivo reunir esforços para mobilizar governos, empresas e organizações da sociedade

Leia mais

ANEXO I CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente

ANEXO I CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente ANEXO I CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA CAPACITAÇÃO I ÁREAS DE INTERESSE Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente a) Capacitação para implantação dos planos estaduais

Leia mais

http://www.bvs.br/ Projeto 4 Plano de Marketing e Divulgação da BVS-SP Brasil 18 de janeiro de 2005

http://www.bvs.br/ Projeto 4 Plano de Marketing e Divulgação da BVS-SP Brasil 18 de janeiro de 2005 http://www.bvs.br/ Projeto 4 18 de janeiro de 2005 Introdução Diante dos novos desafios e contínuas mudanças, as organizações precisam ser ágeis na tomada de decisão. Coordenar esforços de comunicação

Leia mais

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas o Docente universitária na disciplina Fundamentos de marketing o 12 anos de experiência em comunicação

Leia mais

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE FORTALECENDO E ARTICULANDO A REDE DE ATENÇÃO A CRIANÇA E O ADOLESCENTE Fazer laços é ligar, entrelaçar o que está separado. Literal e metaforicamente falando. A inclusão do trabalho sobre o tema da sexualidade

Leia mais

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Programa Viver é Melhor Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Legião da Boa Vontade (LBV) Cidade: Londrina/PR

Leia mais

EDITAL 37/2014. 1.1 TÍTULO: Desenvolvimento de Metodologias de Articulação e Gestão de Políticas Públicas para Promoção da Democracia Participativa

EDITAL 37/2014. 1.1 TÍTULO: Desenvolvimento de Metodologias de Articulação e Gestão de Políticas Públicas para Promoção da Democracia Participativa EDITAL 37/2014 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA - MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 TÍTULO:

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior - SECITECE

Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior - SECITECE Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior - SECITECE TERMO DE REFERÊNCIA Suporte Técnico Especializado em Inovação Sênior- Pessoa Física, visando apoiar a COTEC/SECITECE

Leia mais

ANEXO IV - Configuração tecnológica exigida... 15 ANEXO V Ficha de Inscrição... 16

ANEXO IV - Configuração tecnológica exigida... 15 ANEXO V Ficha de Inscrição... 16 EDITAL DE SELEÇÃO SUMÁRIO 1. Apresentação... 01 2. Objetivo geral... 04 3. Objetivo específico... 04 4. Duração... 04 5. Público-alvo... 04 6. Critérios de seleção dos municípios... 04 7. Contrapartidas

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*)

RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*) RESOLUÇÃO Nº 101 DE 17 DE MARÇO DE 2005 (*) Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente Dispõe sobre os Procedimentos e critérios para a aprovação de projetos a serem financiados com recursos

Leia mais