1 3AMINOپ0 9CIDOS PLASMپ0 9TICOS LIVRES پ0 9CIDOS AMINADOS PLASMپ0 9TICOS LIVRES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 3AMINOپ0 9CIDOS PLASMپ0 9TICOS LIVRES پ0 9CIDOS AMINADOS PLASMپ0 9TICOS LIVRES"

Transcrição

1 1 3AMIپ0 9CIDS PLASMپ0 9TICS LIVRES پ0 9CIDS AMIADS PLASMپ0 9TICS LIVRES CBPM AMB CBPM AMB /92 Sinon ھmia: پ0 9cido asp rtico, پ0 9cido glutپ0 9mico, Alanina, Arginina, Ciste ھna, Cistina, Citrulina, Fenilalanina, Glicina (glicocola), Glutamina, istidina, Isoleucina, Leucina, Lisina, Metionina, Prolina, Tirosina, Treonina, Triptofano, Valina. Fisiologia: پ0 9CID ASPپ0 9RTIC. Sinپ0 0nimos: Aspartato. پ0 9cido alfa-aminosuccc ھnico. 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 133,10 g/mol mg/dl x 75,1315 = پ0 8mol/l C dons: GAU e GAC پ0 9CID GLUTپ0 0MIC. Sinپ0 0nimos: Glutamato. پ0 9cido aminoglut rico. 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 147,13 g/mol mg/dl x 67,9671 = پ0 8mol/l C dons: GAA e GAG ALAIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido aminopropiپ0 0nico. C 3 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 89,09 g/mol mg/dl x 112,2460 = پ0 8mol/l C dons: GCU, GCC, GCA e GCG ARGIIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido alfa-amino gama-guanidino val rico.

2 F rmula molecular = C Massa molecular = 174,20 g/mol mg/dl x 57,4053 = پ0 8mol/l C dons: CGU, CGC, CGA, CGG, AGA e AGG CISTEپ0ˆ1A. Sinپ0 0nimos: پ0 9cido alfa-amino beta-tiolpropiپ0 0nico. پ0 9cido alfa-aminotiopropiپ0 0nico. S 2 F rmula molecular = C S Massa molecular = 121,16 g/mol mg/dl x 82,5355 = پ0 8mol/l C dons: UGU e UGC CISTIA. Sinپ0 0nimos: پ0 9cido beta dissulfo di-[aminopropiپ0 0nico]. پ0 9cido alfa-amino gama-tiopropiپ0 0nico. Diciste ھna. 2 SS 2 F rmula molecular = C S 2 Massa molecular = 240,30 g/mol mg/dl x 41,6146 = پ0 8mol/l C don: nپ0ٹ0o tem. CITRULIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido 2-amino-5-ureidoval rico. 2 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 175,19 g/mol mg/dl x 57,0809 = پ0 8mol/l C don: nپ0ٹ0o tem. FEILALAIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido fenil-aminopropiپ0 0nico.

3 1 3 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 165,19 g/mol mg/dl x 60,5364 = پ0 8mol/l C dons: UUU e UUC GLICIA. Sinپ0 0nimos: Glicocola. پ0 9cido alfa-aminoac tico. Glicina vem do grego glykos = doce. 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 75,07 g/mol mg/dl x 133,2090 = پ0 8mol/l C dons: GGU, GGC, GGA e GGG GLUTAMIA. Sinپ0 0nimo: Amida do cido alfa-aminoglut rico. 2 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 146,15 g/mol mg/dl x 68,4229 = پ0 8mol/l C dons: CAA e CAG ISTIDIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido alfa-amino beta-imidazolpropiپ0 0nico. 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 155,16 g/mol mg/dl x 64,4496 = پ0 8mol/l C dons: CAU e CAC ISLEUCIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido amino-metilval rico.

4 1 3C 3 2 C 3 F rmula molecular = C Massa molecular = 131,17 g/mol mg/dl x 76,2369 = پ0 8mol/l C dons: AUU, AUC e AUA LEUCIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido aminoisocaproico. C 3 C 3 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 131,17 g/mol mg/dl x 76,2369 = پ0 8mol/l C dons: UUA, UUG, CUU, CUC, CUA e CUG LISIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido diamino caproico. 2 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 146,19 g/mol mg/dl x 68,4041 = پ0 8mol/l C dons: AAA e AAG METIIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido aminometil-tiobut ھrico. C 3 S 2 F rmula molecular = C S Massa molecular = 149,21 g/mol mg/dl x 67,0196 = پ0 8mol/l C don: AUG PRLIA.

5 1 3Sinپ0 0nimos: Imino cido. پ0 9cido pirrolid ھnico 2-carbox ھlico. F rmula molecular = C Massa molecular = 115,13 g/mol mg/dl x 86,8583 = پ0 8mol/l C dons: CCU, CCC, CCA e CCG SERIA Sinپ0 0nimo: پ0 9cido alfa-amino beta-hidroxipropiپ0 0nico. 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 105,09 g/mol mg/dl x 95,1544 = پ0 8mol/l C dons: UCU, UCC, UCA, UCG, AGU e AGC TIRSIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido parahidroxifenil-aminopropiپ0 0nico. 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 181,19 g/mol mg/dl x 55,1907 = پ0 8mol/l C dons: UAU e UAC TREIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido alfa-amino-beta-hidroxibut ھrico. 3 C 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 119,12 g/mol mg/dl x 83,9490 = پ0 8mol/l C dons: ACU, ACC, ACA e ACG TRIPTFA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido indol-aminopropiپ0 0nico.

6 1 3 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 204,22 g/mol mg/dl x 48,9668 = پ0 8mol/l C don: UGG VALIA. Sinپ0 0nimo: پ0 9cido aminoisoval rico. C 3 C 3 2 F rmula molecular = C Massa molecular = 117,15 g/mol mg/dl x 85,3606 = پ0 8mol/l C dons: GUU, GUC, GUA e GUG bs.: C dons: A = adenina, G = guanina, C = citosina e U = uracil. C dons start ± = AUG e GUG C dons stop ± = UAG, UGA e UAA Material Biol gico: Sangue heparinizado. Coleta: 2,0 de plasma heparinizado. Valor ormal: AMIپ0 9CID (Plasma) Fenilalanina (پ0 8mol/l) Tirosina (پ0 8mol/l) At 30 dias 38,0 a 137,0 55,0 a 147,0 31 a 365 dias 35,0 a 108,0 22,0 a 108,0 1 ano 31,0 a 75,0 22,0 a 108,0 2 a 18 anos 26,0 a 91,0 24,0 a 115,0 Superior a 18 anos 35,0 a 85,0 34,0 a 112,0 * Para obter valores de Fenilalanina em mg/dl, multiplicar os پ0 8mol/l por 0, ** Para obter valores de Tirosina em mg/dl, multiplicar os پ0 8mol/l por 0, Maiores de 2 anos de idade AMIپ0 9CID Sangue (mg/dl) Plasma (mg/dl) پ0 9cido asp rtico 0,13 a 0,40 0,10 a 0,73

7 1 3پ0 9cido glutپ0 9mico 0,13 a 1,61 0,15 a 2,21 Alanina 2,60 a 4,30 2,85 a 6,06 Arginina 0,61 a 2,44 0,34 a 2,61 Cistina 0,24 a 2,04 0,12 a 1,32 Citrulina 0,21 a 0,96 0,26 a 0,87 Fenilalanina 0,33 a 1,82 0,58 a 1,40 Glicina 1,58 a 3,08 1,59 a 5,08 Glutamina 6,30 a 10,2 7,31 a 12,4 istidina 0,77 a 1,55 0,93 a 1,71 Isoleucina 0,33 a 1,11 0,13 a 1,64 Leucina 0,92 a 1,84 0,66 a 2,89 Lisina 1,61 a 2,85 1,46 a 5,12 Metionina 0,15 a 0,45 0,07 a 0,60 Prolina 1,04 a 3,34 1,09 a 4,14 Serina Tirosina 0,36 a 1,54 0,45 a 1,63 Treonina 0,77 a 2,20 0,42 a 3,04 Triptofano 0,21 a 0,82 0,51 a 1,63 Valina 1,29 a 3,10 1,17 a 4,22 M todo: PLC. Sitiografia: do autor:

Biologia - Grupos A - B - Gabarito

Biologia - Grupos A - B - Gabarito 1 a QUESTÃO: (1, ponto) Avaliador Revisor Foram coletados 1. exemplares do mosquito Anopheles culifacies, de ambos os sexos, em cada uma de duas regiões denominadas A e B, bastante afastadas entre si.

Leia mais

OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA

OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA Prof. André Maia Considerações do Professor Os ácidos nucléicos são as maiores moléculas encontradas no mundo vivo. São responsáveis pelo controle dos processos vitais básicos

Leia mais

EXAME Discursivo. Biologia. 2 A fase 01/12/2013. Boa prova!

EXAME Discursivo. Biologia. 2 A fase 01/12/2013. Boa prova! 2 A fase EXAME Discursivo 01/12/2013 Biologia Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Biologia. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS CÓDIGO GENÉTICO

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS CÓDIGO GENÉTICO UFRGS CÓDIGO GENÉTICO 1. (Ufrgs 2013) Sabe-se que a replicação do DNA é semiconservativa. Com base nesse mecanismo de replicação, assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo. ( ) O DNA

Leia mais

1ª eliminatória 2013. Ex.: A B C D E 1/6. Questões sobre matéria de 10º ano:

1ª eliminatória 2013. Ex.: A B C D E 1/6. Questões sobre matéria de 10º ano: 1ª eliminatória 2013 Este teste é constituído por 30 questões que abordam diversas temáticas da Biologia. Lê as questões atentamente e seleciona a opção correta unicamente na Folha de Respostas, marcando-a

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS COORD.: PROFa. CRISTIANA LIMONGI 1º & 2º TURNOS 3ª SÉRIE / ENSINO MÉDIO REGULAR & INTEGRADO ANO LETIVO 2015 PROFESSORES: FRED & PEDRO

Leia mais

48 Como produzimos a insulina?

48 Como produzimos a insulina? A U A UL LA Como produzimos a insulina? Na aula passada você estudou a importância da insulina no nosso organismo. Dá para imaginar o que aconteceria conosco se não fabricássemos esse hormônio ou se o

Leia mais

BIOLOGIA. 01. Considere o enunciado abaixo e as três propostas para completá-lo.

BIOLOGIA. 01. Considere o enunciado abaixo e as três propostas para completá-lo. BIOLOGIA 01. Considere o enunciado abaixo e as três propostas para completá-lo. Fleming, um microbiologista, ao examinar placas de cultivo semeadas com bactérias, observou que elas eram incapazes de crescer

Leia mais

LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO. 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no campo próprio.

LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO. 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no campo próprio. PROVA DISCURSIVA LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO 1 O DIA VESTIBULAR 2015 INSTRUÇÕES 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no campo próprio. 2) Utilize-se dos

Leia mais

EXERCÍCIOS. 1. (UFG) Analise os gráficos a seguir.

EXERCÍCIOS. 1. (UFG) Analise os gráficos a seguir. EXERCÍCIOS 1. (UFG) Analise os gráficos a seguir. e) na região Centro-Oeste, a oscilação da incidência de febre amarela está relacionada ao aumento crescente do desmatamento do Cerrado, às constantes alterações

Leia mais

BASES NITROGENADAS DO RNA

BASES NITROGENADAS DO RNA BIO 1E aula 01 01.01. A determinação de como deve ser uma proteína é dada pelos genes contidos no DNA. Cada gene é formado por uma sequência de códons, que são sequências de três bases nitrogenadas que

Leia mais

DNA, RNA E INFORMAÇÃO

DNA, RNA E INFORMAÇÃO DNA, RNA E INFORMAÇÃO OS ÁCIDOS NUCLEICOS Embora descobertos em 1869, por Miescher, no pus das bandagens de ferimentos, o papel dos ácidos nucleicos na hereditariedade e no controle da atividade celular

Leia mais

INFORMAÇÃO, VIDA E DNA. Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI

INFORMAÇÃO, VIDA E DNA. Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI INFORMAÇÃO, VIDA E DNA Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI DEFINIÇÃO DE VIDA O que é a vida para você? DEFINIÇÃO DE VIDA Em 1943 Erwin Schroedinger (um dos pais

Leia mais

EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA A PROF. MARCELO HÜBNER 01/08/2007

EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA A PROF. MARCELO HÜBNER 01/08/2007 EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA A PROF. MARCELO HÜBNER 01/08/2007 1. (Unicamp 2005) Em 25 de abril de 1953, um estudo de uma única página na revista inglesa Nature intitulado "A estrutura molecular dos ácidos nucléicos",

Leia mais

INFORMAÇÃO, VIDA E DNA. Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI

INFORMAÇÃO, VIDA E DNA. Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI INFORMAÇÃO, VIDA E DNA Prof. João Henrique Kleinschmidt Material elaborado pelos professores de NI DEFINIÇÃO DE VIDA O que é a vida para você? DEFINIÇÃO DE VIDA Em 1943 Erwin Schroedinger (um dos pais

Leia mais

Guia mangá. Biologia Molecular. Masaharu Takemura Sakura Becom Co., Ltd. novatec

Guia mangá. Biologia Molecular. Masaharu Takemura Sakura Becom Co., Ltd. novatec Guia mangá Biologia Molecular Masaharu Takemura Sakura Becom Co., Ltd. novatec Original Japanese-language edition Manga de Wakaru Bunshi Seibutsugaku ISBN 978-4-274-06702-0 2008 by Masaharu Takemura and

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E EXATAS CCNE DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA DISCIPLINA DE GENÉTICA AGRONOMIA. Unidade 1 Genética Molecular

CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E EXATAS CCNE DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA DISCIPLINA DE GENÉTICA AGRONOMIA. Unidade 1 Genética Molecular CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E EXATAS CCNE DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA DISCIPLINA DE GENÉTICA AGRONOMIA 1. Introdução Unidade 1 Ao se analisar um indivíduo, seja uma planta, seja um animal, o que se vê é o

Leia mais

Aula 8 Síntese de proteínas

Aula 8 Síntese de proteínas Aula 8 Síntese de proteínas As proteínas que podem ser enzimas, hormônios, pigmentos, anticorpos, realizam atividades específicas no metabolismo dos seres vivos. São produzidas sob o comando do DNA. Observe

Leia mais

Os conceitos I, II, III e IV podem ser substituídos, correta e respectivamente, por

Os conceitos I, II, III e IV podem ser substituídos, correta e respectivamente, por 01 - (FATEC SP) Mapas conceituais são diagramas que organizam informações sobre um determinado assunto por meio da interligação de conceitos através de frases de ligação. Os conceitos geralmente são destacados

Leia mais

Bioquímica ENZIMAS ÁC. NUCLEICOS

Bioquímica ENZIMAS ÁC. NUCLEICOS Bioquímica ENZIMAS ÁC. NUCLEICOS As enzimas são substâncias orgânicas, geralmente proteínas, que catalisam reações biológicas pouco espontâneas e muito lentas. O poder catalítico de uma enzima relaciona

Leia mais

CAP 03 GENÉTICA MOLECULAR

CAP 03 GENÉTICA MOLECULAR UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA CAP 03 GENÉTICA MOLECULAR (PARTE II) FUNÇÕES DO MATERIAL GENÉTICO DOGMA CENTRAL DA BIOLOGIA (Francis Crick) REPLICAÇÃO TRANSCRIÇÃO TRADUÇÃO DNA mrna

Leia mais

www.enemdescomplicado.com.br

www.enemdescomplicado.com.br Entre essas amostras, quais se referem a DNA? a) Apenas I e II. d) Apenas II e IV. b) Apenas I e III. e) Apenas II e V. c) Apenas II e III. 231. UFPE Nos últimos anos, a biologia molecular tem fornecido

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA Fixação 1) (UNICAMP) Considere um fragmento de DNA com a seguinte sequência de bases: GTA GCC TAG E responda: a) Qual será a sequência

Leia mais

GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE

GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE DEFINIÇÃO Palavra de origem grega gennos (fazer nascer- geração). Estudo dos mecanismos de transmissão de características de uma espécie,

Leia mais

- Ácido ribonucléico (ARN ou RNA): participa do processo de síntese de proteínas.

- Ácido ribonucléico (ARN ou RNA): participa do processo de síntese de proteínas. 1- TIPOS DE ÁCIDO NUCLÉICO: DNA E RNA Existem dois tipos de ácidos nucléicos: - Ácido desoxirribonucléico (ADN ou DNA): é o principal constituinte dos cromossomos, estrutura na qual encontramos os genes,

Leia mais

PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013

PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013 PAULO CESAR NAOUM AC&T- 2013 HEMOGLOBINAS NORMAIS MOLÉCULA DA HEMOGLOBINA HUMANA NORMAL Hb A AS HEMOGLOBINAS HUMANAS SÀO COMPOSTAS POR QUATRO CADEIAS DE AMINOÁCIDOS CONHECIDAS POR GLOBINAS E INSERIDO EM

Leia mais

A SÍNTESE DE PROTEÍNAS NAS CÉLULAS

A SÍNTESE DE PROTEÍNAS NAS CÉLULAS Biologia > Citologia > Síntese Protéica> Alunos Prof. Zell (Biologia) A SÍNTESE DE PROTEÍNAS NAS 01. (VUNESP 03) CÉLULAS Considere o diagrama, que resume as principais etapas da síntese protéica que ocorre

Leia mais

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto METABOLISMO DAS PROTEÍNAS Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto Aminoácido Os aminoácidos livres são obtidos da degradação da proteína da dieta, da renovação constante das proteínas

Leia mais

Influência da Genética desempenho

Influência da Genética desempenho UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI luizcarnevalijr@usp.br

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS fita simples do gene da ß-globina normal GTGCACCTGACTCCRGAGGAG --- GTGCACCTGACTCCRGTGGAG --- fita simples do gene da ß-globina mutante única

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com ÁCIDOS NUCLEICOS ÁCIDOS NUCLÉICOS: são substâncias formadoras de genes, constituídas por um grande

Leia mais

e o processo de liberação de energia em nível celular, explique o que ocorre nas células do miocárdio em uma situação de infarto.

e o processo de liberação de energia em nível celular, explique o que ocorre nas células do miocárdio em uma situação de infarto. BIOLOGIA UNIFESP. DIA 1 Acidentes cardiovasculares estão entre as doenças que mais causam mortes no mundo. Há uma intricada relação de fatores, incluindo os hereditários e os ambientais, que se conjugam

Leia mais

SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS. Prof. Henning Ulrich

SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS. Prof. Henning Ulrich SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS Prof. Henning Ulrich CATABOLISMO DOS AMINOÁCIDOS EM MAMÍFEROS TRANSAMINAÇÕES CATALISADAS POR ENZIMAS Em muitas reações das aminotransferases, o -cetoglutarato é o receptor do grupo

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA - SESI - SP. PROVA Comunicação Conhecimentos Pedagógicos Conhecimentos Específicos INSTRUÇÕES

SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA - SESI - SP. PROVA Comunicação Conhecimentos Pedagógicos Conhecimentos Específicos INSTRUÇÕES SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA - SESI - SP Seleção Pública para formação de cadastro reserva para provimento de cargos de a a PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL 5 / 8 SÉRIES CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS Opcao

Leia mais

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry Proteínas As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry As proteínas são os compostos orgânicos mais abundantes dos organismos vivos (~50% do peso sêco)

Leia mais

Genética e Evolução: Profa. Gilcele

Genética e Evolução: Profa. Gilcele Genética e Evolução: Profa. Gilcele Genética É o estudo dos genes e de sua transmissão para as gerações futuras. É o estudo da hereditariedade, a transmissão de traços de genitores para filhos. É dividida

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES

UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI luizcarnevalijr@usp.br

Leia mais

a) Que característica do coração dos mamíferos impede a mistura do sangue venoso e arterial?

a) Que característica do coração dos mamíferos impede a mistura do sangue venoso e arterial? Q.01 Os esquemas representam cortes transversais de regiões jovens de uma raiz e de um caule de uma planta angiosperma. Alguns tecidos estão identificados por um número e pelo nome, enquanto outros estão

Leia mais

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia Transformações Bioquímicas (BC0308) Prof Luciano Puzer http://professor.ufabc.edu.br/~luciano.puzer/ Propriedades, funções e transformações de aminoácidos e proteínas

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM 1ª série Ens. Médio 1. (Enem 2002) GARFIELD - Modificada EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM "O Globo", 01/09/2001. Qual característica geral dos seres vivos, é a mais adequada para

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES Biologia Geografia Literatura Filosofia PROVA DISCURSIVA TERCEIRÃO ALUNO: DATA:06/03/15 Literatura Biologia Questões Professores: Olívia Fabrício Iada Gallo Geografia Professor: Bispo Rocha Professor:

Leia mais

Introdução à Biologia Celular e Molecular

Introdução à Biologia Celular e Molecular Introdução à Biologia Celular e Molecular Este texto foi retirado do anexo de [Lem00], revisado por [Bas00], e tem como objetivo principal apresentar alguns conceitos básicos de biologia celular e molecular.

Leia mais

Jogo AminoUNO: uma ferramenta alternativa para o ensino da síntese de proteínas no ensino médio

Jogo AminoUNO: uma ferramenta alternativa para o ensino da síntese de proteínas no ensino médio n.1 /2013 Enviado em: 18/06/2013 Publicado em: 22/11/2013 Seção: REB na Escola ISSN: 2318-8790 Jogo AminoUNO: uma ferramenta alternativa para o ensino da síntese de proteínas no ensino médio AminoUNO game:

Leia mais

Vestibular 2013. 005. Prova de Conhecimentos Específicos e produção de texto. Fase. Confira seus dados impressos neste caderno.

Vestibular 2013. 005. Prova de Conhecimentos Específicos e produção de texto. Fase. Confira seus dados impressos neste caderno. Vestibular 2013 Segunda Fase Assinatura do candidato 005. Prova de Conhecimentos Específicos e produção de texto Confira seus dados impressos neste caderno. Assine com caneta de tinta azul ou preta apenas

Leia mais

4/14/2015. Proteínas. Fundamentos da Estrutura de Proteínas Parte 1. Funções biológicas das Proteínas

4/14/2015. Proteínas. Fundamentos da Estrutura de Proteínas Parte 1. Funções biológicas das Proteínas 1 Todo o material disponibilizado é preparado para as disciplinas que ministramos e colocado para ser acessado livremente pelos alunos ou interessados. Solicitamos que não seja colocado em sites nãolivres.

Leia mais

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos Moléculas orgânicas - Carboidratos São formados por C, H, O. São Conhecidos como: Hidratos de Carbono Glucídios Glicídios Açúcares Sacarídeos Funções: Energética (glicose); Glicogênio : reserva energética

Leia mais

Homem Vitruviano e DNA

Homem Vitruviano e DNA TÍTULO DO PROGRAMA Homem Vitruviano e DNA Série: A Beleza dos Diagramas SINOPSE DO PROGRAMA O documentário conta a história de dois diagramas que conseguiram a difícil tarefa de representar os seres humanos

Leia mais

No espaço ao lado de cada definição, escreva claramente a letra do termo apropriado da lista de termos fornecida na página 21.

No espaço ao lado de cada definição, escreva claramente a letra do termo apropriado da lista de termos fornecida na página 21. Questão 1 No espaço ao lado de cada definição, escreva claramente a letra do termo apropriado da lista de termos fornecida na página 21. Um DNA curto, de filamento único, que serve como o material de partida

Leia mais

Biologia Professor Otaviano Netto 05

Biologia Professor Otaviano Netto 05 Biologia Professor Otaviano Netto 05 Aluno (a): 25/03/2013 O núcleo celular O pesquisador escocês Robert Brown (1773-1858) é considerado o descobridor do núcleo celular. Embora muitos citologistas anteriores

Leia mais

Você não é o que come. Você é o que absorve!

Você não é o que come. Você é o que absorve! Você não é o que come. Você é o que absorve! Sabe-se que o consumo de suplementos alimentares com finalidades específicas, como incremento de massa muscular,vem crescendo constantemente no Brasil e no

Leia mais

Material e Métodos Resultados e Discussão

Material e Métodos Resultados e Discussão Área: Melhoramento Genético Vegetal TRANSFERIBILIDADE DE PRIMERS MICROSSATÉLITES DE Phaseolus vulgaris PARA Vigna unguiculata Matheus Felipe Nogueira da Silva 1, Leidiane Bezerra Albuquerque 2, Rafaela

Leia mais

Instruções. Leia as questões com muita atenção e tenha em mente que elas estão dentro do que você estudou.

Instruções. Leia as questões com muita atenção e tenha em mente que elas estão dentro do que você estudou. as da i c n ê i C gias o l o n c uas Teica e Química) s e a z, Fís Nature iologia (B édio M o n i s En 17h 14h às das 2012 / 7 0 / 5 1 Instruções Esta prova possui 44 (quarenta e quatro) questões. Para

Leia mais

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Bioinformática Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 24 de agosto de 2015 Paulo H. R. Gabriel

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Questão 3. Resposta. Resposta

Questão 1. Questão 2. Questão 3. Resposta. Resposta Questão 1 Os esquemas representam cortes transversais de regiões jovens de uma raiz e de um caule de uma planta angiosperma. Alguns tecidos estão identificados por um número e pelo nome, enquanto outros

Leia mais

AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: FAIXA DE DOSAGEM USUAL:

AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: FAIXA DE DOSAGEM USUAL: AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: L-LEUCINA*** L-ISOLEUCINA*** L-VALINA*** L-ALANINA L-ARGININA L-CISTEÍNA L-CISTINA L-FENILALANINA L-GLICINA L-GLUTAMINA L-HISTIDINA L-LISINA L-METIONINA L-ORNITINA L-PROLINA L-TIROSINA

Leia mais

Caracterização genômica de um vírus dengue tipo 3, isolado de paciente com dengue clássico.

Caracterização genômica de um vírus dengue tipo 3, isolado de paciente com dengue clássico. Universidade de São Paulo Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Programa de Pós-Graduação em Biociências Aplicadas à Farmácia Caracterização genômica de um vírus dengue tipo 3, isolado

Leia mais

A Molécula da Vida. Estrutura

A Molécula da Vida. Estrutura A Molécula da Vida Os cromossomos de células eucarióticas são formado por DNA associado a moléculas de histona, que são proteínas básicas. É na molécula de DNA que estão contidos os genes, responsáveis

Leia mais

a) Que característica do coração dos mamíferos impede a mistura do sangue venoso e arterial?

a) Que característica do coração dos mamíferos impede a mistura do sangue venoso e arterial? Q.01 Os esquemas representam cortes transversais de regiões jovens de uma raiz e de um caule de uma planta angiosperma. Alguns tecidos estão identificados por um número e pelo nome, enquanto outros estão

Leia mais

Biologia Origem e manutenção da vida

Biologia Origem e manutenção da vida Biologia Origem e manutenção da vida Capítulo 1 material genético: estrutura e função Conexões Página 7 1. O interesse de Calvin associa-se à possibilidade de obter ganhos econômicos com as formas de vida

Leia mais

INTERNATIONAL JUNIOR SCIENCE OLYMPIAD. IJSO Brasil 2014 Fase Final 16 de agosto de 2014 CÓDIGO IJSO CADERNO 2 USO EXCLUSIVO DA ORGANIZAÇÃO

INTERNATIONAL JUNIOR SCIENCE OLYMPIAD. IJSO Brasil 2014 Fase Final 16 de agosto de 2014 CÓDIGO IJSO CADERNO 2 USO EXCLUSIVO DA ORGANIZAÇÃO INTERNATIONAL JUNIOR SCIENCE OLYMPIAD IJSO Brasil 2014 Fase Final 16 de agosto de 2014 CÓDIGO IJSO CADERNO 2 USO EXCLUSIVO DA ORGANIZAÇÃO TESTES FÍSICA QUÍMICA BIOLOGIA QUESTÕES TOTAL Máximo 30,0 10,0

Leia mais

STRYER, L.; TYMOCZKO, J.L.; BERG, J.M.

STRYER, L.; TYMOCZKO, J.L.; BERG, J.M. 2 Proteínas: STRYER, L.; TYMOCZKO, J.L.; BERG, J.M. Bioquímica. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. Capítulo 2 e 3; as edições 4 e 5 também podem ser utilizadas (Cap. 3 e 4). 2.1 Aminoácidos

Leia mais

As Estruturas da Vida. US DEPARTMENT OF HEALTH AND HUMAN SERVICES National Institutes of Health National Institutes of General Medical Sciences

As Estruturas da Vida. US DEPARTMENT OF HEALTH AND HUMAN SERVICES National Institutes of Health National Institutes of General Medical Sciences As Estruturas da Vida US DEPARTMENT OF HEALTH AND HUMAN SERVICES National Institutes of Health National Institutes of General Medical Sciences www.casadasciencias.org Setembro de 2013 Traduzido e adaptado

Leia mais

Clonagem Molecular. Esta tecnologia permite estudar os genes e os seus produtos, obter organismos transgênicos e realizar terapia gênica.

Clonagem Molecular. Esta tecnologia permite estudar os genes e os seus produtos, obter organismos transgênicos e realizar terapia gênica. Clonagem Molecular A clonagem molecular é o processo de construção de moléculas de DNA recombinante e da sua propagação em hospedeiros apropriados que possibilitam a selecção do DNA recombinante. Esta

Leia mais

Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I. Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas.

Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I. Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas. Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I Acompanhe! Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas. Introdução: A proteína é o composto orgânico mais abundante

Leia mais

Tradução Modificando o alfabeto molecular. Prof. Dr. Francisco Prosdocimi

Tradução Modificando o alfabeto molecular. Prof. Dr. Francisco Prosdocimi Tradução Modificando o alfabeto molecular Prof. Dr. Francisco Prosdocimi Tradução em eukarya e prokarya Eventos pós-transcricionais Processo de síntese de proteínas RNAm contém o código do gene RNAt é

Leia mais

BIOLOGIA. Legenda: Diante do que foi descrito e demonstrado, é correto afirmar que:

BIOLOGIA. Legenda: Diante do que foi descrito e demonstrado, é correto afirmar que: BIOLOGIA 1) Desde que Alexander Fleming descobriu o primeiro antibiótico, a penicilina, em 1928, o homem e a bactéria disputam uma corrida, e a liderança da competição vem se alterando o tempo todo. A

Leia mais

BIOLOGIA. Legenda: Diante do que foi descrito e demonstrado, é correto afirmar que:

BIOLOGIA. Legenda: Diante do que foi descrito e demonstrado, é correto afirmar que: BIOLOGIA 1) Desde que Alexander Fleming descobriu o primeiro antibiótico, a penicilina, em 1928, o homem e a bactéria disputam uma corrida, e a liderança da competição vem se alterando o tempo todo. A

Leia mais

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona)

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona) Proteínas O seu nome deriva da palavra Grega proteios, que significa de principal importância. As proteínas desempenham um papel fundamental nos sistemas biológicos, estando associadas a todas as formas

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. Sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. Sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br São macromoléculas gigantescas, com massa molecular maior que 100 milhões. Os ácidos nucléicos foram isolados pela primeira vez a partir do núcleo

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE BIOLOGIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE BIOLOGIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE BIOLOGIA Nome: Nº 3 a : Série Data: / / 2015 Professores: Marcelo e Marcio Nota: (valor:2,0) A. Apresentação: Caro aluno, A estrutura da recuperação final do Colégio Pentágono

Leia mais

Determinação da Estrutura de Proteínas através de Programação por Restrições

Determinação da Estrutura de Proteínas através de Programação por Restrições Universidade Nova de Lisboa Faculdade de Ciências e Tecnologia Departamento de Informática Determinação da Estrutura de Proteínas através de Programação por Restrições Por: Ludwig Krippahl Dissertação

Leia mais

Você tem ninho de ovos de ouro?

Você tem ninho de ovos de ouro? Você tem ninho de ovos de ouro? Promotor L, o reforço que suas aves precisam... E seu bolso também! Benefícios com o uso do Promotor L : Diminui efeitos do estresse (calor, debicagem, etc.); Aumenta a

Leia mais

Profª Eleonora Slide de aula

Profª Eleonora Slide de aula Aminoácidos e Peptídeos Profª Eleonora Slide de aula Aminoácidos Estrutura Geral Ácido carboxílico com amina primária (N 2 ) no carbono α. Isomeria Ao carbono α estão ligados 4 grupos substituintes diferentes:

Leia mais

Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas

Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas Nutrição de Aves e Suínos: Desafios para as Próximas Décadas Exigência de Aminoácidos no Crescimento e Terminação de Suínos Hotel Fazenda Fonte Colina Verde 03 de Dezembro de 2015 Lucio Araújo, Cristiane

Leia mais

ESSENCIALIDADE DOS AMINOÁCIDOS

ESSENCIALIDADE DOS AMINOÁCIDOS METABOLISMO DEGRADATIVO DAS PROTEÍNAS E AMINOÁCIDOS 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS (essencialidade de aminoácidos e qualidade da proteína alimentar) Os aminoácidos devem constar na dieta dos animais devido à

Leia mais

TEORES DE PROTEÍNA SOLÚVEL E AMINOÁCIDOS LIVRES EM FARINHA DE SOJA HIDROLISADA COM ENZIMAS

TEORES DE PROTEÍNA SOLÚVEL E AMINOÁCIDOS LIVRES EM FARINHA DE SOJA HIDROLISADA COM ENZIMAS TEORES DE PROTEÍNA SOLÚVEL E AMINOÁCIDOS LIVRES EM FARINHA DE SOJA HIDROLISADA COM ENZIMAS SANTOS, Rosimeire Expedita dos. IC/Fecilcam, Fecilcam, Engenharia de Produção Agroindustrial, Fecilcam, rosimeire_epa@yahoo.com.br

Leia mais

R C COOH. H H H O O desidratação O R1 C C + R2 C C R1 C C H + H 2 O OH OH intramolecular O NH 2 N NH 2 N C C H H OH H R2

R C COOH. H H H O O desidratação O R1 C C + R2 C C R1 C C H + H 2 O OH OH intramolecular O NH 2 N NH 2 N C C H H OH H R2 1. Comentário: A ausência de alimentos de origem animal na dieta implica na ausência de proteínas integrais, as quais possuem todos os aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que não podem ser produzidos

Leia mais

ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº 28.397, DE 21/09/2006

ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº 28.397, DE 21/09/2006 ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº 28.397, DE 21/09/2006 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do Decreto Estadual

Leia mais

Zinco quelato. Identificação. Peso molecular: Não aplicável. CAS: Não aplicável

Zinco quelato. Identificação. Peso molecular: Não aplicável. CAS: Não aplicável Material Técnico Zinco quelato Identificação Fórmula Molecular: Não aplicável DCB / DCI: Não aplicável INCI: Não aplicável Peso molecular: Não aplicável CAS: Não aplicável Denominação botânica: Não aplicável

Leia mais

Capítulo VALTER T. MOTTA BIOQUÍMICA BÁSICA. Aminoácidos e proteínas

Capítulo VALTER T. MOTTA BIOQUÍMICA BÁSICA. Aminoácidos e proteínas apítulo VALTER T. MTTA BIQUÍMIA BÁSIA Aminoácidos e proteínas Aminoácidos e Proteínas bjetivos 1. Descrever as propriedades dos aminoácidos encontrados nas proteínas.. Identificar os seguintes grupamentos

Leia mais

Metabolismo de Aminoácidos. Degradação de Proteínas a Aminoácidos. Degradação de Proteínas e Aminoácidos. - glicemia = de glucagon e TNF

Metabolismo de Aminoácidos. Degradação de Proteínas a Aminoácidos. Degradação de Proteínas e Aminoácidos. - glicemia = de glucagon e TNF Metabolismo de Aminoácidos Degradação de Proteínas e Aminoácidos - Degradação de aminoácidos em excesso na alimentação - Absorção pelo fígado, retirada grupo amino - Degradação espontânea de proteínas

Leia mais

CAPÍTULO 1 Os ácidos nucleicos e a receita da vida

CAPÍTULO 1 Os ácidos nucleicos e a receita da vida GABARITO COMENTADO BIOLOGIA 3 a série do Ensino Médio Transmissão da vida Volume 2 Exercícios de sala CAPÍTULO Os ácidos nucleicos e a receita da vida ) A Como uma molécula de DNA é formada por duas fitas,

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de janeiro Instituto de Biologia Departamento de Genética

Universidade Federal Rural do Rio de janeiro Instituto de Biologia Departamento de Genética Universidade Federal Rural do Rio de janeiro Instituto de Biologia Departamento de Genética GENÉTICA VEGETAL MAURICIO BALLESTEIRO PEREIRA ANA LÚCIA CUNHA DORNELLES Sumário. 1. INTRODUÇÃO: MENDEL, O INÍCIO

Leia mais

Metabolismo das Proteínas e aminoácidos

Metabolismo das Proteínas e aminoácidos Metabolismo das Proteínas e aminoácidos Compostos à base de C, H, O e N com funções importantes no organismo animal e vegetal. São grandes moléculas, polímeros de aminoácidos ligadas por ligações peptídicas

Leia mais

Genética e Câncer. Viviane Ferreira Esteves

Genética e Câncer. Viviane Ferreira Esteves Genética e Câncer Viviane Ferreira Esteves Fatores de risco Fatores internos Predisposição hereditária Fatores externos Ambientais Predisposição Genética para o Câncer Tipo de câncer Mama Cólon Leucemias

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS. alternativa E. alternativa A. alternativa B

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS. alternativa E. alternativa A. alternativa B 1ª PARTE: QUESTÕES OBJETIVAS Questão 1 O processo de salinização pode ocorrer em solos intensamente irrigados. Sais presentes na água de irrigação acumulam-se no solo quando a água evapora. Em algumas

Leia mais

Transformando a medicina com abordagem sistemá2ca de dados gené2cos. Mauricio Carneiro Broad Ins2tute of MIT and Harvard

Transformando a medicina com abordagem sistemá2ca de dados gené2cos. Mauricio Carneiro Broad Ins2tute of MIT and Harvard Transformando a medicina com abordagem sistemá2ca de dados gené2cos Mauricio Carneiro Broad Ins2tute of MIT and Harvard Sequenciadores no mercado Illumina HiSeq 2500 Padrão do mercado, maior volume de

Leia mais

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo.

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo. O que é? A chlorella é uma alga unicelular de água doce existente na Terra há milhões de anos. A sua estrutura genética manteve-se intacta ao longo do tempo resultando numa grande concentração e variedade

Leia mais

Fundamentos da Evolução

Fundamentos da Evolução Fundamentos da Evolução UNIDADE VIII EVOLUÇÃO CAPÍTULO 24 Aula 02 Teorias evolucionistas Teoria Sintética Fatores evolutivos TEORIA SINTÉTICA DA EVOLUÇÃO Neodarwinismo Século XX Combina seleção natural

Leia mais

BIOLOGIA. 08. O desenho ilustra os cromossomos em uma fase da divisão celular e seus respectivos alelos.

BIOLOGIA. 08. O desenho ilustra os cromossomos em uma fase da divisão celular e seus respectivos alelos. BIOLOGIA CURSO APOIO 08. O desenho ilustra os cromossomos em uma fase da divisão celular e seus respectivos alelos. a) Qual fase da divisão celular está representada? Justifique sua resposta. b) Ao final

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo sgrillo.ita@ftc.br como os demais compostos constituintes de um organismo não são permanentes, estando em contínua DEGRADAÇÃO e SÍNTESE. Proteína Meia-vida Estima-se

Leia mais

Selagem Térmica Ozono

Selagem Térmica Ozono Selagem Térmica Ozono A selagem térmica Ozono é uma nova opção para o profissional de beleza, pois é uma linha inovadora e segura, composta por produtos para tratamento e alisamento dos cabelos, que surpreende

Leia mais

FAZER DIFERENTE. E REALIZANDO SONHOS Jorge Amin Bacila Neto Diretor Comercial e Marketing

FAZER DIFERENTE. E REALIZANDO SONHOS Jorge Amin Bacila Neto Diretor Comercial e Marketing catálogo pet PALAVRA DO PRESIDENTE SER DIFERENTE, FAZER DIFERENTE Confiança é o que queremos dos médicos veterinários. Manter a sua confiança é um dos grandes desafios que motiva o nosso trabalho diário.

Leia mais

Universidade Federal do Paraná Campus Palotina

Universidade Federal do Paraná Campus Palotina Universidade Federal do Paraná Campus Palotina Genética - 1ª Lista de Exercícios Natureza e Função do Material Genético 1. Que propriedades químicas possuem o DNA e as proteínas que permitem a marcação

Leia mais

43 Gabaritos das aulas 26 a 50

43 Gabaritos das aulas 26 a 50 A U L A Gabaritos das aulas 26 a 50 Aula 26 Por que as plantas precisam da luz? 1. A fotossíntese ocorre nas folhas da maioria das plantas. Em casos específicos de plantas que não têm folhas ou que as

Leia mais

1. (Unesp) A ilustração apresenta o resultado de um teste de paternidade obtido pelo método do DNA-Fingerprint, ou "impressão digital de DNA".

1. (Unesp) A ilustração apresenta o resultado de um teste de paternidade obtido pelo método do DNA-Fingerprint, ou impressão digital de DNA. Ácidos Nuclêicos 1. (Unesp) A ilustração apresenta o resultado de um teste de paternidade obtido pelo método do DNA-Fingerprint, ou "impressão digital de DNA". a) Segundo o resultado acima, qual dos homens,

Leia mais

James Watson, Francis Crick e o DNA

James Watson, Francis Crick e o DNA Pércio Augusto Mardini Farias Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/

Leia mais