TributAção. Junho de Edição Extraordinária DIREITO TRIBUTÁRIO COMENTADO. As novas listas de Paraísos Fiscais e de Regimes Fiscais Privilegiados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TributAção. Junho de 2010 - Edição Extraordinária DIREITO TRIBUTÁRIO COMENTADO. As novas listas de Paraísos Fiscais e de Regimes Fiscais Privilegiados"

Transcrição

1 TributAção Junho de Edição Extraordinária DIREITO TRIBUTÁRIO COMENTADO As novas listas de Paraísos Fiscais e de Regimes Fiscais Privilegiados *Ricardo Luiz Becker Flávio Veitzman Felipe Barboza Rocha Desde o advento da Lei nº /08, que introduziu o conceito de Regime Fiscal Privilegiado no ordenamento jurídico brasileiro, muito se discutiu a respeito da abrangência desse novo conceito, bem como da possibilidade de expansão da lista de países de tributação favorecida, os conhecidos Paraísos Fiscais. Nesse contexto, em , foi publicada pela Receita Federal do Brasil a Instrução Normativa nº ( IN 1.037/10 ), que trouxe uma nova lista de Países de Tributação Favorecida e, pela primeira vez, listou as pessoas jurídicas estrangeiras consideradas como sujeitas a um Regime Fiscal Privilegiado. Considerações iniciais Antes de tudo, é importante que fique clara a distinção entre os conceitos de País de Tributação Favorecida e Regime Fiscal Privilegiado. De acordo com o artigo 24 da Lei 9.430/96, é considerado País de Tributação Favorecida o país ou dependência que: (a) não tribute a renda ou que a tribute a alíquota máxima inferior a vinte por cento; ou (b) cuja legislação interna oponha sigilo relativo à composição societária de pessoas jurídicas ou à sua titularidade; ou (c) cuja legislação não permita o acesso a informações relativas à composição societária de pessoas jurídicas, à sua titularidade ou à identificação do beneficiário efetivo de rendimentos atribuídos a não residentes. Por sua vez, o artigo 24-A da Lei nº 9.430/96 define como Regime Fiscal Privilegiado aquele que: (i) não tribute a renda ou a tribute a uma alíquota máxima inferior a 20%; (ii) conceda vantagem de natureza fiscal a pessoa física ou jurídica não residente: (a) sem exigência de realização de atividade econômica substantiva no país ou dependência; (b) condicionada ao não exercício de atividade econômica substantiva no país ou dependência; (iii) não tribute, ou o faça em alíquota máxima inferior a 20%, os rendimentos auferidos fora de seu território; (iv) não permita o acesso a informações relativas à composição societária, titularidade de bens ou direitos ou às operações econômicas realizadas. Este Boletim foi redigido meramente para fins de informação e debate, não devendo ser considerado opinião legal para qualquer operação ou negócio específico Direitos autorais reservados a Pinheiro Neto Advogados. TRIBUTAÇÃO é elaborado mensalmente pela Área Tributária de PINHEIRO NETO ADVOGADOS, composta por 105 integrantes, sendo 13 sócios, 55 associados e 24 estagiários.

2 As novas listas (i) Lista de Paraísos Fiscais Levando-se em consideração que a definição de Paraísos Fiscais foi ampliada pela Lei nº /08, passando a contemplar países ou dependências cuja legislação não permita o acesso a informações relativas à composição societária de pessoas jurídicas, a Lista de Paraísos Fiscais foi atualizada 1, resultando na inclusão de novos 14 países ou territórios. Entre os novos países considerados paraísos fiscais pelo Fisco brasileiro, destaca-se a presença da Suíça na lista. Houve também exclusões dessa lista. As sociedades holding de Luxemburgo e as tradings e holdings de Malta foram transferidas da Lista de Paraísos Fiscais para a Lista de Regime Fiscal Privilegiado. (ii) Lista de Regimes Fiscais Privilegiados A lista das pessoas jurídicas sujeitas a Regime Fiscal Privilegiado é outra novidade trazida pela IN 1037/10. São considerados regimes fiscais privilegiados: (i) com referência à legislação de Luxemburgo, o regime aplicável às pessoas (ii) com referência à legislação do Uruguai, o constituídas sob a forma de Sociedades Financeiras de Inversão (Safis) até 31 de dezembro de 2010; (iii) com referência à legislação da Dinamarca, o regime aplicável às pessoas (iv) com referência à legislação do Reino dos Países Baixos, o regime aplicável às pessoas (v) com referência à legislação da Islândia, o constituídas sob a forma de International Trading Company (ITC); (vi) com referência à legislação da Hungria, o constituídas sob a forma de offshore KFT; (vii) com referência à legislação dos Estados Unidos da América, o regime aplicável às pessoas jurídicas constituídas sob a forma de Limited Liability Company (LLC) estaduais, cuja participação seja composta de não residentes, não sujeitas ao imposto de renda federal; ou (viii) com referência à legislação da Espanha, o constituídas sob a forma de Entidad de Tenencia de Valores Extranjeros (E.T.V.Es.); (ix) com referência à legislação de Malta, o constituídas sob a forma de International Trading Company (ITC) e de International Holding Company (IHC). 1 A nova lista contém os seguintes países: Andorra; Anguilla; Antígua e Barbuda; Antilhas Holandesas; Aruba; Ilhas Ascensão; Comunidade das Bahamas; Bahrein; Barbados; Belize; Ilhas Bermudas; Brunei; Campione D Italia; Ilhas do Canal (Alderney, Guernsey, Jersey e Sark); Ilhas Cayman; Chipre; Cingapura; Ilhas Cook; República da Costa Rica; Djibouti; Dominica; Emirados Árabes Unidos; Gibraltar; Granada; Hong Kong; Kiribati; Lebuan; Líbano; Libéria; Liechtenstein; Macau; Ilha da Madeira; Maldivas; Ilha de Man; Ilhas Marshall; Ilhas Maurício; Mônaco; Ilhas Montserrat; Nauru; Ilha Niue; Ilha Norfolk; Panamá; Ilha Pitcairn; Polinésia Francesa; Ilha Queshm; Samoa Americana; Samoa Ocidental; San Marino; Ilhas de Santa Helena; Santa Lúcia; Federação de São Cristóvão e Nevis; Ilha de São Pedro e Miguelão; São Vicente e Granadinas; Seychelles; Ilhas Solomon; St. Kitts e Nevis; Suazilândia; Suíça; Sultanato de Omã; Tonga; Tristão da Cunha; Ilhas Turks e Caicos; Vanuatu; Ilhas Virgens Americanas; Ilhas Virgens Britânicas. 2

3 Implicações fiscais do enquadramento na Lista de Paraísos Fiscais ou na Lista de Regime Fiscal Privilegiado Há diferenças importantes não somente entre os conceitos, mas, principalmente, quanto às implicações fiscais relativas ao enquadramento de uma parte estrangeira na Lista de Paraísos Fiscais ou na Lista de Regime Fiscal Privilegiado. (a) Operações realizadas por pessoas físicas ou jurídicas localizadas em Paraísos Fiscais Majoração da alíquota de Imposto de Renda na Fonte ( IRF): de acordo com a legislação fiscal em vigor (artigo 8º da Lei nº 9.779/99 e artigo 47 da Lei nº /03), os rendimentos e os ganhos de capital decorrentes de operação em que o beneficiário seja residente ou domiciliado em país ou dependência com tributação favorecida, a que se refere o artigo 24 da Lei 9430/96, sujeitam-se, regra geral, à incidência do IRF à alíquota de 25%. Aplicação das regras de preços de transferência: as operações realizadas com beneficiários residentes em Países com Tributação Favorecida devem observar as regras de preços de transferência, previstas nos artigos 18 a 23 da Lei 9.430/96, independentemente de vinculação entre as partes. Exclusão dos benefícios fiscais concedidos a investimentos estrangeiros realizados no mercado financeiro e de capitais brasileiro ( Investimentos ): de acordo com a legislação fiscal em vigor (artigo 81 da Lei nº 8.981/95; artigo 7º da Lei nº 9.959/00; artigo 29 da Medida Provisória nº /01; e artigo 16 da Medida Provisória nº /01), o tratamento fiscal mais benéfico aos rendimentos e ganhos auferidos por investidores estrangeiros que investem no Brasil por meio da Resolução CMN nº 2689/00 não é aplicável caso os investimentos sejam oriundos de país que não tribute a renda ou que à tribute à alíquota máxima inferior a 20%. Limitação à dedutibilidade de juros pagos por pessoas jurídicas brasileiras (regras de thincapitalization): no caso de pagamento de juros a beneficiários residentes em países de tributação favorecida, a pessoa jurídica brasileira estará sujeita a limites mais rígidos (i..e, dívida não poderá superar a 30% do patrimônio líquido da devedora) para os fins de dedutibilidade de juros, tal como disposto no artigo 25 da MP 472/09. Limitação à dedutibilidade de pagamentos realizados por pessoas jurídicas brasileiras: regra geral, conforme previsto no artigo 26 da MP 472/09, pagamentos para beneficiários residentes em países com tributação favorecida são tratados como despesas indedutíveis para a fonte pagadora no Brasil, salvo se houver: (i) a identificação do efetivo beneficiário da entidade no exterior, destinatário dessas importâncias; (ii) a comprovação da capacidade operacional da pessoa física ou entidade no exterior de realizar a operação; e (iii) a comprovação documental do pagamento do preço respectivo e do recebimento dos bens, direitos ou a utilização de serviço. (b) Operações realizadas por pessoas jurídicas sujeitas a Regime Fiscal Privilegiado Aplicação das regras de preços de transferência: as operações realizadas com privilegiado, conforme definido na Lista de Regimes Fiscais Privilegiados, devem observar as regras de preços de transferência, previstas nos artigos 18 a 23 da Lei 9.430/96, independentemente de vinculação entre as partes. Limitação à dedutibilidade de juros pagos por pessoas jurídicas brasileiras (regras de thincapitalization): no caso de pagamento de juros a 3

4 privilegiado, conforme definido na Lista de Regimes Fiscais Privilegiados, a pessoa jurídica brasileira estará sujeita a limites mais rígidos (i.e., dívida não poderá superar a 30% do patrimônio líquido da devedora) para os fins de dedutibilidade de juros, tal como disposto no artigo 25 da MP 472/09. Limitação à dedutibilidade de pagamentos realizados por pessoas jurídicas brasileiras: regra geral, conforme previsto no artigo 26 da MP 472/09, pagamentos para privilegiado, conforme definido na Lista de Regimes Fiscais Privilegiados são tratados como despesas indedutíveis para a fonte pagadora no Brasil, salvo se houver: (i) a identificação do efetivo beneficiário da entidade no exterior, destinatário dessas importâncias; (ii) a comprovação da capacidade operacional da pessoa física ou entidade no exterior de realizar a operação; e (iii) a comprovação documental do pagamento do preço respectivo e do recebimento dos bens, direitos ou a utilização de serviço. Cumpre mencionar que permanece inalterado o regime tributário aplicável a pessoas jurídicas enquadradas na Lista de Regimes Fiscais Privilegiados relativo a (i) rendimentos e ganhos de capital, os quais continuam, regra geral, sujeitos à incidência do IRF à alíquota de 15%; e (ii) a Investimentos 2.689, inclusive operações realizadas com Fundos de Investimento em Participações, que continuam, desde que atendidos os requisitos previstos na legislação fiscal, sujeitos a um regime especial de tributação. O quadro abaixo sintetiza os respectivos efeitos tributários do enquadramento em cada uma das Listas: Lista de Paraísos Fiscais (art. 24 da Lei 9.430/96) Lista de Regimes Fiscais Privilegiados (art. 24-A da Lei 9.430/96) Preços de Transferência Majoração de Alíquota do IRRF sobre rendimentos e ganhos de capital Benefícios Fiscais aplicáveis a Investimentos Subcapitalização (Limite de endividamento de até 30% do patrimônio líquido da PJ brasileira) Limitação à dedutibilidade de despesas (art. 26 da MP 472/09) Não Não 4

5 Considerações Finais A edição da IN 1.037/10 pela Receita Federal é positiva, uma vez que identifica de forma expressa as pessoas jurídicas sujeitas a regime fiscal privilegiado, conceito esse que já existia no ordenamento jurídico brasileiro desde Seria recomendável, contudo, que a Receita Federal esclareça quais entidades na Dinamarca, Luxemburgo e no Reino dos Países Baixos são consideradas como holding companies para os fins da Lista de Regimes Fiscais Privilegiados. * Sócio e Associados de Pinheiro Neto Advogados. O Informativo TributAção é desenvolvido mensalmente pelos profissionais que integram a Área Tributária de Pinheiro Neto Advogados. Sócios da Área Tributária Coordenador Nacional: José Roberto Pisani. São Paulo: Sérgio Farina Filho, Marcelo Mazon Malaquias, Ricardo Luiz Becker, Luciana Rosanova Galhardo, Mauro Berenholc, Eduardo Carvalho Caiuby, Luiz Roberto Peroba Barbosa, Tércio Chiavassa, Marcelo Marques Roncaglia e Giancarlo Chamma Matarazzo. Rio de Janeiro: Carlos Henrique T. Bechara e Marcos De Vicq De Cumptich. Colaboraram com esta edição: Ricardo Luiz Becker, Flávio Veitzman e Felipe Barboza Rocha RUA HUNGRIA, 1.100, SÃO PAULO, SP T.: +55 (11) F.: +55 (11) AV. NILO PEÇANHA, 11, 8º ANDAR RIO DE JANEIRO, RJ T.: +55 (21) F.: +55 (21) SAFS QUADRA 2, BLOCO B, 3º ANDAR, ED. VIA OFFICE, , Brasília, DF T.: +55 (61) F.: +55 (61)

RECEITA FEDERAL ALTERA LISTA DE PAÍSES CONSIDERADOS PARAÍSOS FISCAIS

RECEITA FEDERAL ALTERA LISTA DE PAÍSES CONSIDERADOS PARAÍSOS FISCAIS Brasil 01452-002 SP RECEITA FEDERAL ALTERA LISTA DE PAÍSES CONSIDERADOS PARAÍSOS FISCAIS Fábio Tadeu Ramos Fernandes ftramos@almeidalaw.com.br Melina Joice Fioravante mjfioravante@almeidalaw.com.br No

Leia mais

Novas Regras de Subcapitalização

Novas Regras de Subcapitalização Regras de Subcapitalização Jurisdições de Tributação Favorecida/ Regime Fiscal Privilegiado Gustavo L. Haddad Novembro/ 2010 0 Novas Regras de Subcapitalização 1 1 Regras de Subcapitalização (thin capitalization

Leia mais

O Uso dos Paraísos Fiscais e Holdings Internacionais

O Uso dos Paraísos Fiscais e Holdings Internacionais O Uso dos Paraísos Fiscais e Holdings Internacionais Ana Cláudia Akie Utumi autumi@tozzinifreire.com.br Dezembro, 2013 Ana Cláudia Akie Utumi autumi@tozzinifreire.com.br Membro do Comitê Científico Permanente

Leia mais

Lara Schwartzmann e Clarissa Machado. Encontro com a Indústria de Private Equity & Venture Capital. 06 de Novembro de 2012

Lara Schwartzmann e Clarissa Machado. Encontro com a Indústria de Private Equity & Venture Capital. 06 de Novembro de 2012 Fundos de Investimento em Participações Regulamentação, tributação e utilização de estruturas de investimento independentes e conjugadas com fundos off-shore Lara Schwartzmann e Clarissa Machado Encontro

Leia mais

Recentes Alterações nas Regras de Tributação de Remessas ao Exterior

Recentes Alterações nas Regras de Tributação de Remessas ao Exterior Recentes Alterações nas Regras de Tributação de Remessas ao Exterior Efeitos das Medidas Provisórias publicadas ao final de 2009 e da Instrução Normativa nº 1.037/2010 No final do ano passado foram publicadas

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 6, ANO 1I JUNHO DE 2010 1 STJ ADMITE CRÉDITO DA GUERRA FISCAL DE ICMS Mesmo com benefício fiscal, STJ reconhece direito a crédito de alíquota

Leia mais

4. Nomeação do mesmo administrador em três ou mais sociedades.

4. Nomeação do mesmo administrador em três ou mais sociedades. LISTA DE INDICADORES DE RISCO DA PRÁTICA DO CRIME DE BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS A presente lista de indicadores de risco da prática do crime de branqueamento de capitais não pretende ser exaustiva, e não

Leia mais

ACTUALIZAÇÃO DA LISTA DOS PARAÍSOS FISCAIS (PORTARIA N.º 292/2011, DE 8 DE NOVEMBRO)

ACTUALIZAÇÃO DA LISTA DOS PARAÍSOS FISCAIS (PORTARIA N.º 292/2011, DE 8 DE NOVEMBRO) ACTUALIZAÇÃO DA LISTA DOS PARAÍSOS FISCAIS (PORTARIA N.º 292/2011, DE 8 DE NOVEMBRO) A Portaria n.º 292/2011, publicada no passado dia 8 de Novembro, procedeu a uma actualização da lista dos países, territórios

Leia mais

Estruturas financeiras internacionais para a Pessoa Física

Estruturas financeiras internacionais para a Pessoa Física Souraya Radwan s.radwan@amicorp.com Liliana Sadi l.sadi@amicorp.com CURAZAO SEPTIEMBRE 30, 2011 Maio 14 Estruturas financeiras internacionais para a Pessoa Física O que abordaremos: Conceitos Ambiente,

Leia mais

Central de Atos TJMG. Manual Técnico de Informática Versão 1.1

Central de Atos TJMG. Manual Técnico de Informática Versão 1.1 Central de Atos TJMG Manual Técnico de Informática Versão 1.1 Sumário 1 Introdução... 3 2 O modelo de arquivo... 3 3 Tabelas... 5 3.1 PAPEIS DA PARTE... 5 3.2 TIPO DE ATO... 5 3.3 PAÍSES... 6 1 Introdução

Leia mais

Aspectos tributários das remessas ao exterior para o pagamento de Serviços, Royalties e Assistência Técnica

Aspectos tributários das remessas ao exterior para o pagamento de Serviços, Royalties e Assistência Técnica Aspectos tributários das remessas ao exterior para o pagamento de Serviços, Royalties e Assistência Técnica Francisco Lisboa Moreira 31 de outubro de 2014 Aspectos tributários das remessas ao exterior

Leia mais

REGIME TRIBUTÁRIO DAS REMESSAS PARA PAGAMENTOS DE SERVIÇOS OU PROMOÇÃO TURÍSTICA NO EXTERIOR

REGIME TRIBUTÁRIO DAS REMESSAS PARA PAGAMENTOS DE SERVIÇOS OU PROMOÇÃO TURÍSTICA NO EXTERIOR REGIME TRIBUTÁRIO DAS REMESSAS PARA PAGAMENTOS DE SERVIÇOS OU PROMOÇÃO TURÍSTICA NO EXTERIOR 13mar2014/Joandre Antonio Ferraz 1 O tema merece voltar ao período entre 1976 e 1989, em que o BACEN proibiu

Leia mais

ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS)

ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS) ANEXO 17 TABELA DENACIONALIDADES EPAÍSES (CARTÃO SUS) NACIONALIDADES Cód. Afeganistão 101 África do Sul 102 Albânia 103 Alemanha 104 Ando ra 105 Angola 106 Angui la 107 Antigua e Barbuda 108 Antilhas Holandesas

Leia mais

IRRF - Rendimentos, Ganhos e Remessas - Residente ou Domiciliado no Exterior

IRRF - Rendimentos, Ganhos e Remessas - Residente ou Domiciliado no Exterior IRRF - Rendimentos, Ganhos e Remessas - Residente ou Domiciliado no Exterior RENDIMENTO, GANHO OU REMESSA Receitas de fretes, afretamentos, aluguéis ou arrendamentos de embarcações marítimas ou fluviais

Leia mais

COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS

COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS Uma verdadeira revolução está em curso relativamente à troca de informações financeiras em matéria fiscal. Até há muito

Leia mais

Resenha de Matérias Técnicas Nº. 824, de 30 04 2015

Resenha de Matérias Técnicas Nº. 824, de 30 04 2015 Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Presidente: Claudio Avelino Mac-Knight Filippi Gestão: 2014-2015 Resenha de Matérias Técnicas Nº. 824, de 30 04 2015 Veículos pesquisados no período

Leia mais

DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS)

DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS) PT (115) DIRETRIZES PARA PAGAMENTO (POR PAÍS) Este documento tem o propósito de informar rotarianos sobre opções de pagamento e dados necessários para recebimento de fundos do Rotary. Consulte a lista

Leia mais

Utilização de Paraísos Fiscais, Holdings e Empresas Offshore

Utilização de Paraísos Fiscais, Holdings e Empresas Offshore Utilização de Paraísos Fiscais, Holdings e Empresas Offshore PROF. FLÁVIO RUBINSTEIN Porto Alegre, RS 19.04.2012 INTRODUÇÃO ROTEIRO DA AULA 1. Introdução 2. Paraísos Fiscais na Legislação Tributária Brasileira

Leia mais

Brasil 2012 SERVIÇOS E TARIFAS

Brasil 2012 SERVIÇOS E TARIFAS SERVIÇOS E TARIFAS Soluções FedEx para o seu negócio Caso você tenha necessidade de enviar documentos urgentes, economizar em remessas regulares ou enviar cargas pesadas, a FedEx tem uma solução de transporte

Leia mais

Nota Técnica. A indignação mundial com relação aos Paraísos Fiscais. Apoio: Nº 173 Julho de 2011

Nota Técnica. A indignação mundial com relação aos Paraísos Fiscais. Apoio: Nº 173 Julho de 2011 Nota Técnica Nº 173 A indignação mundial com relação aos Paraísos Fiscais Apoio: A indignação mundial com relação aos Paraísos Fiscais O levantamento de dados feito por esta Nota Técnica vai ao encontro

Leia mais

Nota Técnica. Fim aos Paraísos Fiscais: Brasil e o G-20 precisam tornar efetivas a transparência e a troca de informação em matéria fiscal.

Nota Técnica. Fim aos Paraísos Fiscais: Brasil e o G-20 precisam tornar efetivas a transparência e a troca de informação em matéria fiscal. Nota Técnica Nº 178 Fim aos Paraísos Fiscais: Brasil e o G-20 precisam tornar efetivas a transparência e a troca de informação em matéria fiscal Apoio: A Fim im aos Paraísos Fiscais: o Brasil e o G-20-20

Leia mais

TributAção. Abril de 2012 - Edição Extraordinária

TributAção. Abril de 2012 - Edição Extraordinária TributAção Abril de 2012 - Edição Extraordinária PLANO MAIOR Governo concede novos benefícios fiscais O Governo Federal, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, avançou

Leia mais

Boletimj. Manual de Procedimentos. Imposto de Renda e Legislação Societária. Tributos e Contribuições Federais. Legislação Falimentar.

Boletimj. Manual de Procedimentos. Imposto de Renda e Legislação Societária. Tributos e Contribuições Federais. Legislação Falimentar. Boletimj Manual de Procedimentos Imposto de Renda e Legislação Societária Fascículo N o 41/2014 // Tributos e Contribuições Federais IRPJ/CSL Tributação em bases universais - Controladora.... 01 // Legislação

Leia mais

Lucros Auferidos No Exterior Tributação Em Bases Universais (Lei 12.973/14) Setembro de 2014

Lucros Auferidos No Exterior Tributação Em Bases Universais (Lei 12.973/14) Setembro de 2014 Lucros Auferidos No Exterior Tributação Em Bases Universais (Lei 12.973/14) Setembro de 2014 Conteúdo 1. Histórico 2. Conceitos Básicos 3. Consolidação e Definições 4. Coligadas 5. Deduções e Parcelamento

Leia mais

Brasil 2015. FedEx International Priority. FedEx International Economy 3

Brasil 2015. FedEx International Priority. FedEx International Economy 3 SERVIÇOS E TARIFAS Soluções FedEx para o seu negócio Caso você tenha necessidade de enviar documentos urgentes, economizar em remessas regulares ou enviar cargas pesadas, a FedEx tem uma solução de transporte

Leia mais

Multinacionais Brasileiras

Multinacionais Brasileiras Multinacionais Brasileiras A Rota dos Investimentos Brasileiros no Exterior KPMG no Brasil 21 Conteúdo Sobre este relatório 3 A trajetória das transnacionais brasileiras 4 Principais destinos dos investimentos

Leia mais

Como não organizar todos os países do mundo?

Como não organizar todos os países do mundo? Como não organizar todos os países do mundo? A FIFA tem federações de 186 países independentes, de 19 regiões não independentes e das 4 regiões do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte (abreviado

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE 2013)

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE 2013) Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO JULHO DE 2013 (DADOS ATÉ JUNHO DE

Leia mais

ConJur - Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados

ConJur - Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados Página 1 de 5 CONTAS NO EXTERIOR Acordo entre Brasil e EUA fere Constituição, afirmam advogados 3 de setembro de 2015, 15h54 Por Brenno Grillo As trocas automáticas de informações financeiras entre os

Leia mais

Internacionalização de Empresas Aspectos Societários e Tributários Internacionais

Internacionalização de Empresas Aspectos Societários e Tributários Internacionais São Paulo Rio de Janeiro Brasília Curitiba Porto Alegre Recife Belo Horizonte Londres Lisboa Shanghai Miami Buenos Aires Internacionalização de Empresas Aspectos Societários e Tributários Internacionais

Leia mais

Introdução... 14. 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16

Introdução... 14. 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16 Sumário Introdução... 14 1. Brasões de Armas da África... 16 1.1. África do Sul... 16 1.1.1. Brasões de Armas da África do Sul... 18 1.1.2. Brasão de armas e Botswana... 23 1.1.3. Brasão de armas do Lesoto...

Leia mais

Necessidade de visto para. Não

Necessidade de visto para. Não País Necessidade de visto para Turismo Negócios Afeganistão África do Sul Albânia, Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia. Argentina Ingresso permitido com Cédula de Identidade

Leia mais

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil PAÍS Visto de Turismo Visto de Negócios Observação Afeganistão Visto exigido Visto exigido África do Sul Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Albânia Dispensa de visto,

Leia mais

IX. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de Título de Viagem da RAEM

IX. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de Título de Viagem da RAEM IX. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de (países ordenados por continente) Ásia Brunei 14 dias --- Camboja 30 dias c) --- Coreia do Sul 90 dias --- Filipinas 14 dias --- Indonésia

Leia mais

Tratamento fiscal dos royalties em operações nacionais e internacionais. Giancarlo Chamma Matarazzo

Tratamento fiscal dos royalties em operações nacionais e internacionais. Giancarlo Chamma Matarazzo Tratamento fiscal dos royalties em operações nacionais e internacionais Giancarlo Chamma Matarazzo Regras Gerais de Royalties para o Descrição Celebração de contrato entre uma no a qual concede a uma no

Leia mais

PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA

PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA Com a Lei nº. 9.430, de 27-12-96, a legislação do imposto de renda regulou pela primeira vez a questões dos preços de transferências internacionais de bens, serviços, direitos e

Leia mais

DDI VIA EMBRATEL Relação de países e seus respectivos códigos de acesso

DDI VIA EMBRATEL Relação de países e seus respectivos códigos de acesso PAIS CODIGO ACESSO DDI AFEGANISTAO 93 N AFRICA DO SUL 27 S ALASCA 1 S ALBANIA 355 S ALEMANHA 49 S ANDORRA 376 S ANGOLA 244 S ANGUILLA 1 S ANT.HOLANDESAS 599 S ANTIGUA 1 S ARABIA SAUDITA 966 S ARGELIA 213

Leia mais

4028-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 122 28 de Junho de 2005 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

4028-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 122 28 de Junho de 2005 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS 4028-(2) DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B N. o 122 28 de Junho de 2005 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Portaria n. o 563-A/2005 de 28 de Junho O Decreto-Lei n. o 62/2005, de 11 de Março, transpôs para a ordem jurídica

Leia mais

Paraísos fiscais, planejamento tributário agressivo e novos mecanismos de tributação

Paraísos fiscais, planejamento tributário agressivo e novos mecanismos de tributação Paraísos fiscais, planejamento tributário agressivo e novos mecanismos de tributação Autora: Luciana Bauer Juíza Federal publicado em 30.06.2015 Este trabalho nasceu de uma leitura pouco provável, qual

Leia mais

INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro

INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro INSTRUTIVO N.º 01/2015 de 14 de Janeiro ASSUNTO: CLASSIFICAÇÃO DE PAÍSES, BANCOS MULTILATERAIS DE DESENVOLVIMENTO E ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS Havendo necessidade de se estabelecerem critérios de classificação

Leia mais

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC

Exportações Brasileiras de Carne Bovina Brazilian Beef Exports. Fonte / Source: SECEX-MDIC Categorias / Products:, INDUSTRIALIZADA / PROCESSED,,, 1 de 16 2000 1999 %(2000x1999) Janeiro / January US$ (000) US$/Ton 25.537 9.793 2.608 15.392 4.375 3.518 66% 124% -26% INDUSTRIALIZADA / PROCESSED

Leia mais

PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM

PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM 1 PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM PROCEDIMENTOS MIGRATÓRIOS E DOCUMENTOS DE VIAGEM 2 17. TABELA DE VISTOS Apresentamos a seguir uma tabela

Leia mais

ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO

ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO ESTUDANTES DE PÓS-GRADUAÇÃO Documento atualizado em 20/12/2013. O Programa de Fomento à Pesquisa 2014 oferece aos estudantes regularmente matriculados nos cursos de pós-graduação da UFRGS (mestrado acadêmico,

Leia mais

TributAção LEGISLAÇÃO TRIBUNAIS DIREITO COMENTADO. Agosto de 2014 - Edição nº 94

TributAção LEGISLAÇÃO TRIBUNAIS DIREITO COMENTADO. Agosto de 2014 - Edição nº 94 TributAção Agosto de 2014 - Edição nº 94 LEGISLAÇÃO Novas regras de Escrituração Contábil Fiscal (p.02) Sai regulamento do pagamento de parcelamentos tributários com prejuízo fiscal e base negativa da

Leia mais

Inscrição de. Peregrinos. Jornada Mundial da Juventude

Inscrição de. Peregrinos. Jornada Mundial da Juventude Inscrição de Peregrinos Jornada Mundial da Juventude Bem-vindos à JMJ Rio2013 Em breve serão abertas as inscrições para a JMJ Rio2013. Organize seu grupo! A pouco menos de um ano para o início da JMJ Rio2013

Leia mais

PAÍSES COM TRIBUTAÇÃO FAVORECIDA E AS LISTAS DA OCDE: O CASO DO URUGUAI

PAÍSES COM TRIBUTAÇÃO FAVORECIDA E AS LISTAS DA OCDE: O CASO DO URUGUAI PAÍSES COM TRIBUTAÇÃO FAVORECIDA E AS LISTAS DA OCDE: O CASO DO URUGUAI Martinho Martins Botelho 1 RESUMO Os Países com Tributação Favorecida (PTFs) representam os Estados nacionais ou regiões dependentes

Leia mais

TributAção. Outubro de 2015 - Edição nº 108

TributAção. Outubro de 2015 - Edição nº 108 TributAção Outubro de 2015 - Edição nº 108 CONFAZ celebra Convênios para autorizar diversos Estados a instituir programas de anistia e parcelamento de débitos de ICMS (p. 5) LEGISLAÇÃO ICMS e Comércio

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 24/11/2015) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 24/11/2015) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

Tributação Internacional Junho 2014

Tributação Internacional Junho 2014 www.pwc.pt/tax Tributação Internacional Junho 2014 Perante a aldeia global em que vivemos, atuar apenas no mercado doméstico não é suficiente. De facto, a internacionalização é um requisito obrigatório

Leia mais

Centro Universitário de Brasília UniCEUB Monografia de Graduação do Curso em Bacharel de Direito ALBERTO FREDERICO TEIXEIRA SOARES CARBONAR

Centro Universitário de Brasília UniCEUB Monografia de Graduação do Curso em Bacharel de Direito ALBERTO FREDERICO TEIXEIRA SOARES CARBONAR 1 Centro Universitário de Brasília UniCEUB Monografia de Graduação do Curso em Bacharel de Direito ALBERTO FREDERICO TEIXEIRA SOARES CARBONAR TRIBUTAÇÃO DOS RENDIMENTOS INTERNACIONAIS: COBRANÇA DE IRPJ

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil País Afeganistão África do Sul Albânia Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Austrália

Leia mais

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil PAÍS Visto de Turismo Visto de Negócios Observação Afeganistão Visto exigido Visto exigido África do Sul Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Albânia Dispensa de visto,

Leia mais

Obrigações nacionais / estrangeiras

Obrigações nacionais / estrangeiras Obrigações nacionais / estrangeiras Recebeu juros de obrigações nacionais ou estrangeiras? Se recebeu juros de obrigações nacionais ou estrangeiras, a retenção na fonte que tiver sido efectuada pelo BIG

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO)

COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO) Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO 2012 (JANEIRO) MRE-DPR JANEIRO/2012

Leia mais

Instrumento de captação de aforro estruturado (ICAES) e Juros de depósito

Instrumento de captação de aforro estruturado (ICAES) e Juros de depósito Instrumento de captação de aforro estruturado (ICAES) e Juros de depósito Recebeu juros de depósito nacionais ou estrangeiros ou de ICAES? Se recebeu juros de depósitos, nacionais ou estrangeiros, ou de

Leia mais

8/4/2014. Linneu de Albuquerque Mello TÍTULO. Sub-capitalização

8/4/2014. Linneu de Albuquerque Mello TÍTULO. Sub-capitalização Linneu de Albuquerque Mello TÍTULO Sub-capitalização 1 Exposição de Motivos da MP 472 29. O art. 24 visa evitar a erosão da base de cálculo do IRPJ e da CSLL mediante o endividamento abusivo realizado

Leia mais

CAPITALIZATION RULES NO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO

CAPITALIZATION RULES NO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO A ADOÇÃO DAS THIN CAPITALIZATION RULES NO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO As novas regras tiveram aplicação imediata, a partir de 1º de janeiro de 2010 em relação ao IRPJ, mas no caso da CSLL somente passaram

Leia mais

IREITO RIBUTÁRIO NTERNACIONAL

IREITO RIBUTÁRIO NTERNACIONAL REVISTA DE D I T 10 IREITO RIBUTÁRIO NTERNACIONAL Coordenadores: CLÓVIS PANZARINI FILHO FERNANDO TONANNI MARCO ANTÔNIO BEHRNDT RICARDO PEREIRA RIBEIRO ROBERTO FRANÇA DE VASCONCELLOS QUARTIER LATIN A AMPLIAÇÃO

Leia mais

Planejamento Tributário Internacional e Tributação Aduaneira RELAÇÕES DE CONSUMO. Repercussões e Perspectivas. Câmara Brasil-Alemanha (AHK)

Planejamento Tributário Internacional e Tributação Aduaneira RELAÇÕES DE CONSUMO. Repercussões e Perspectivas. Câmara Brasil-Alemanha (AHK) Planejamento Tributário Internacional e Tributação Aduaneira RELAÇÕES DE CONSUMO Repercussões e Perspectivas Câmara Brasil-Alemanha (AHK) Tributação de Lucros Auferidos no Exterior. Tributação dos lucros

Leia mais

Incentivos Fiscais na Emissão de Debêntures - Lei nº 12.431/2011. Fernando Tonanni. 16 de Agosto de 2011

Incentivos Fiscais na Emissão de Debêntures - Lei nº 12.431/2011. Fernando Tonanni. 16 de Agosto de 2011 Incentivos Fiscais na Emissão de Debêntures - Lei nº 12.431/2011 Fernando Tonanni 16 de Agosto de 2011 1 A Lei nº 12.431/2011 Publicada em 27 de junho de 2011; conversão em Lei da Medida Provisória nº

Leia mais

O que é o NETI? Núcleo de estudos e pesquisas; Identificar alternativas que possibilitem agir dentro de parâmetros justos;

O que é o NETI? Núcleo de estudos e pesquisas; Identificar alternativas que possibilitem agir dentro de parâmetros justos; O que é o NETI? Núcleo de estudos e pesquisas; Identificar alternativas que possibilitem agir dentro de parâmetros justos; Profissionais ligados às atividades empresariais e contribuintes em geral. O que

Leia mais

TributAção LEGISLAÇÃO TRIBUNAIS DIREITO COMENTADO. Julho de 2014 - Edição nº 93. MP 651 Questões tributárias (p.02)

TributAção LEGISLAÇÃO TRIBUNAIS DIREITO COMENTADO. Julho de 2014 - Edição nº 93. MP 651 Questões tributárias (p.02) TributAção Julho de 2014 - Edição nº 93 LEGISLAÇÃO TRIBUNAIS MP 651 Questões tributárias (p.02) Temas com Repercussão Geral no STF (p. 05) MP 651 Novidades na tributação do PIS/COFINS na alienação de participação

Leia mais

XI. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de Título de Viagem da RAEM

XI. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de Título de Viagem da RAEM Macau 2015 Livro do Ano XI. Dispensa de Visto de Entrada para Portadores de Passaporte e de (países ordenados por continente) Ásia Brunei 14 dias --- Camboja 30 dias c) --- Coreia do Sul 90 dias --- Filipinas

Leia mais

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS - 2009

OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS - 2009 OBRIGAÇÕES DECLARATIVAS - 2009 JANEIRO / 2009 Até ao dia 12 Entrega da Declaração Modelo 11, por transmissão electrónica de dados, pelos Notários, Até ao dia 20 - Entrega, pelas Instituições de Crédito

Leia mais

Desembaraço aduaneiro e pena de perdimento, classificação e reclassificação fiscal. Processo administrativo e judicial

Desembaraço aduaneiro e pena de perdimento, classificação e reclassificação fiscal. Processo administrativo e judicial Desembaraço aduaneiro e pena de perdimento, classificação e reclassificação fiscal. Processo administrativo e judicial PAULO CALIENDO PROF. DR. PUC/RS E MEMBRO DA FESDT Perdimento e os reflexos do novo

Leia mais

TributAção LEGISLAÇÃO TRIBUNAIS DIREITO COMENTADO. Junho de 2014 - Edição nº 92. Para CARF, não incide PIS/COFINS sobre incentivo de ICMS (p.

TributAção LEGISLAÇÃO TRIBUNAIS DIREITO COMENTADO. Junho de 2014 - Edição nº 92. Para CARF, não incide PIS/COFINS sobre incentivo de ICMS (p. TributAção Junho de 2014 - Edição nº 92 LEGISLAÇÃO CONFAZ prorroga prazo do PEP (p. 2) SPU e PGFN com novas regras para a inscrição de débitos em dívida ativa (p. 2) Governo publica Decreto que regulamenta

Leia mais

TributAção. Novembro de 2014 - Edição nº 97. STJ e Guerra Fiscal: jurisprudência favorável aos contribuintes (pag. 04).

TributAção. Novembro de 2014 - Edição nº 97. STJ e Guerra Fiscal: jurisprudência favorável aos contribuintes (pag. 04). TributAção Novembro de 2014 - Edição nº 97 LEGISLAÇÃO Medida Provisória 651/2014 é convertida em lei (pag. 02). Receita Federal veda créditos de PIS e COFINS na importação de bens usados destinados ao

Leia mais

ANO DOS RENDIMENTOS IDENTIFICAÇÃO DO(S) SUJEITO(S) PASSIVO(S) Sujeito passivo B NIF 03 RENDIMENTOS OBTIDOS NO ESTRANGEIRO MONTANTE DO RENDIMENTOS ..

ANO DOS RENDIMENTOS IDENTIFICAÇÃO DO(S) SUJEITO(S) PASSIVO(S) Sujeito passivo B NIF 03 RENDIMENTOS OBTIDOS NO ESTRANGEIRO MONTANTE DO RENDIMENTOS .. MODELO EM VIGOR A PARTIR DE JANEIRO DE 009 ORIGINAL PARA A DGCI O s dados recolhidos são processados automaticamente, destinando-se à prossecução das atribuições legalmente cometidas à adminis tração fiscal.

Leia mais

Introdução 1 As tabelas a seguir mostram os cartuchos de jato de tinta HP compatíveis com as impressoras HP Photosmart.

Introdução 1 As tabelas a seguir mostram os cartuchos de jato de tinta HP compatíveis com as impressoras HP Photosmart. Introdução 1 As tabelas a seguir mostram os cartuchos de jato de HP compatíveis com as impressoras HP Photosmart. Impressoras série 100 2 Impressora HP Photosmart 130 HP 57 HP Photosmart 100 HP 57 Impressoras

Leia mais

Os paraísos fiscais diante da crise financeira: perspectivas em regimes internacionais.

Os paraísos fiscais diante da crise financeira: perspectivas em regimes internacionais. 37º Encontro Anual da ANPOCS SPG 08 - Sociologias: perspectivas sobre a economia, as finanças e as organizações. Os paraísos fiscais diante da crise financeira: perspectivas em regimes internacionais.

Leia mais

Índice. 1. Registro Contrato DCE... 3. Participante 2

Índice. 1. Registro Contrato DCE... 3. Participante 2 Índice 1. Registro DCE... 3 Participante 2 Registro de de Derivativo Contratado no Exterior Nome do Arquivo Tamanho do Registro 1. Registro DCE Caracteres: 1500 Header Seq Campo Formato Posição Conteúdo

Leia mais

INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS

INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS INVESTIMENTOS BRASILEIROS NO EXTERIOR ASPECTOS TRIBUTÁRIOS IBCPF INSTITUTO BRASILEIRO DE CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS FINANCEIROS PORTO ALEGRE 09/04/2014 O CONTEÚDO DESTA APRESENTAÇÃO NÃO TEM O OBJETIVO

Leia mais

Calendário Fiscal. Fevereiro de 2014 DIA 10. Segurança Social - declaração de remunerações (Janeiro)

Calendário Fiscal. Fevereiro de 2014 DIA 10. Segurança Social - declaração de remunerações (Janeiro) Calendário Fiscal Fevereiro de 2014 DIA 10 Segurança Social - declaração de remunerações (Janeiro) A entrega da declaração de remunerações referente ao mês de Janeiro de 2014 tem que ser feita obrigatoriamente

Leia mais

p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e

p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e p r o v i d i n g c o n f i d e n c e t h r o u g h p e r f o r m a n c e Confiança Global A Trident Trust é um dos principais fornecedores independentes de serviços corporativos, de trust e de fundos

Leia mais

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 )

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Legend # Entrance allowed by presenting Civil Identity Card * - Maximum stay of 90 days every 180 days For more informations: Phone: +55 11 2090-0970

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/02/2013) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 07/02/2013) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

TributAção TRIBUNAIS LEGISLAÇÃO DIREITO COMENTADO. Março de 2015 - Edição nº 101

TributAção TRIBUNAIS LEGISLAÇÃO DIREITO COMENTADO. Março de 2015 - Edição nº 101 TributAção Março de 2015 - Edição nº 101 LEGISLAÇÃO Ajuste fiscal, regulamentação do Reintegra e diminuição do benefício na exportação (pag. 2) Benefícios fiscais são concedidos para imóveis localizados

Leia mais

MALTA TRADING EM MALTA

MALTA TRADING EM MALTA MALTA TRADING EM MALTA Trading em Malta 1. Uma jurisdição eficaz para operações de comércio internacional 410.000 MALTA GMT +1 Localizada no coração do mar Mediterrâneo, Malta sempre se destacou pelo seu

Leia mais

Os desafios da implementação da Lei 11.638/07

Os desafios da implementação da Lei 11.638/07 Os desafios da implementação da Lei 11.638/07 Nossos principais negócios: 40 empresas e 7 consórcios Corporação Cemig Áreas de Atuação: Geração, transmissão, comercialização e distribuição de energia elétrica

Leia mais

7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil PRIMEIRO ANÚNCIO. www.hivamericas.org

7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil PRIMEIRO ANÚNCIO. www.hivamericas.org 7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil PRIMEIRO ANÚNCIO www.hivamericas.org Datas chave para a sua agenda Data limite para inscrição pela taxa antecipada sexta-feira, 31 de janeiro

Leia mais

L A E R T E J. S I L V A

L A E R T E J. S I L V A MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

TributAção. Setembro de 2012 Edição nº 74. CARF admite dedutibilidade de JCP de períodos anteriores

TributAção. Setembro de 2012 Edição nº 74. CARF admite dedutibilidade de JCP de períodos anteriores TributAção Setembro de 2012 Edição nº 74 CARF admite dedutibilidade de JCP de períodos anteriores Na sessão do último dia 11, a 2ª Turma da 4ª Câmara da 1ª Seção do Conselho Administrativo de Recursos

Leia mais

A lista que se segue mostra o sistema de definição de televisão standard utilizado na maioria dos Países do Mundo. American Forces Radio.

A lista que se segue mostra o sistema de definição de televisão standard utilizado na maioria dos Países do Mundo. American Forces Radio. SISTEMAS DE TV MUNDIAIS Países diferentes usam sistemas de TV diferentes. A diferença entre estes sistemas reside em parte na forma como a informação do sinal de cor é modulada com a informação de luminosidade

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 14/05/2014) Legenda

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil (Atualizado em 14/05/2014) Legenda Ministério das Relações Exteriores Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração Quadro Geral de Regime de Vistos para

Leia mais

OPERAÇÕES COMERCIAIS E FINANCEIRAS INTERNACIONAIS REALIZADAS EM PARAÍSOS FISCAIS: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO INTERNACIONAL E OPERAÇÕES OFFSHORE

OPERAÇÕES COMERCIAIS E FINANCEIRAS INTERNACIONAIS REALIZADAS EM PARAÍSOS FISCAIS: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO INTERNACIONAL E OPERAÇÕES OFFSHORE Revista de Direito Vol. 13, Nº. 18, Ano 2010 OPERAÇÕES COMERCIAIS E FINANCEIRAS INTERNACIONAIS REALIZADAS EM PARAÍSOS FISCAIS: PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO INTERNACIONAL E OPERAÇÕES OFFSHORE Carolina Iwancow

Leia mais

Simples. Conecta + 200. Conecta + 400. Conecta + 800

Simples. Conecta + 200. Conecta + 400. Conecta + 800 REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DO PLANO ALTERNATIVO LDI CSP81 Por este instrumento, em que fazem parte de um lado, DATORA TELECOMUNICAÇÕES LTDA, Prestadora do Serviço Telefônico Fixo Comutado STFC, inscrita no

Leia mais

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N o 388, DE 2014 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo de Cooperação Técnica entre o Governo da República Federativa

Leia mais

Seminário Imigração de Mão de Obra. AMCHAM - 23 de agosto de 2013

Seminário Imigração de Mão de Obra. AMCHAM - 23 de agosto de 2013 Seminário Imigração de Mão de Obra AMCHAM - 23 de agosto de 2013 Introdução Expatriados: Quem são? Existência de dois regimes: (1) Transferência de Estrangeiro para o Brasil; e (2) Transferência de Brasileiro

Leia mais

o Diretor Executivo da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento - FAPED, no uso de suas atribuições legais,

o Diretor Executivo da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento - FAPED, no uso de suas atribuições legais, Deliberação 01 de 23 de fevereiro de 2015. o Diretor Executivo da Fundação de Apoio à Pesquisa e Desenvolvimento - FAPED, no uso de suas atribuições legais, CONSIDERANDO o que dispõe a Lei n." 8.958, de

Leia mais

Peculiaridades Legais envolvendo Profissionais Estrangeiros. Aspectos Legais Trabalhistas. Câmara Portuguesa 27 de maio de 2014

Peculiaridades Legais envolvendo Profissionais Estrangeiros. Aspectos Legais Trabalhistas. Câmara Portuguesa 27 de maio de 2014 Peculiaridades Legais envolvendo Profissionais Estrangeiros Aspectos Legais Trabalhistas Câmara Portuguesa 27 de maio de 2014 Introdução Expatriados: Quem são? Existência de dois regimes: (1) Transferência

Leia mais

PRIMEIRO ANÚNCIO. www.hivamericas.org. 7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil

PRIMEIRO ANÚNCIO. www.hivamericas.org. 7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil 7 10 de maio, 2014 Hotel Royal Tulip Rio de Janeiro, Brasil PRIMEIRO ANÚNCIO www.hivamericas.org CONLATAM14 First An_Portuguese_Email_v1b.indd 1 14/10/2013 13:29 Convite dos Presidentes do congresso Em

Leia mais

Origem e conceito das regras de subcapitalização

Origem e conceito das regras de subcapitalização Renata Emery Origem e conceito das regras de subcapitalização As atividades das empresas são geralmente financiadas por capital aportado pelos sócios e dívida. As regras de sucapitalização visam evitar

Leia mais

Instruções de Preenchimento Complementares do DLO 2061 Adicional de Capital Principal Março/2016

Instruções de Preenchimento Complementares do DLO 2061 Adicional de Capital Principal Março/2016 Instruções de Preenchimento Complementares do DLO 2061 Adicional de Capital Principal Março/2016 SUMÁRIO I Objetivo 02 II Orientações Gerais 02 III Orientações Gerais Sobre o Arquivo XML 02 IV Orientações

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados

Mercados. informação regulamentar. Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Mercados informação regulamentar Portugal Acordos Bilaterais Celebrados Janeiro 2013 Índice 5 NOTA DE PRÉVIA 6 ENQUADRAMENTO GERAL A 7 ÁFRICA DO SUL 7 ALBÂNIA 7 ALEMANHA 8 ANDORRA 8 ANGOLA 9 ANGUILLA 10

Leia mais

BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56

BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56 BOLETIM Novembro/2013 Extraordinário nº 56 Medida Provisória nº 627/13 Imposto de Renda da Pessoa Jurídica - Tributação em Bases Universais Com o advento da Lei nº 9.249, de 26 de dezembro de 1995, teve

Leia mais

Guia de Referência Anti-Branqueamento de Capitais e de Combate ao Financiamento do Terrorismo

Guia de Referência Anti-Branqueamento de Capitais e de Combate ao Financiamento do Terrorismo Capítulo IV Organismos regionais e grupos relevantes A. Organismos regionais do tipo GAFI 1. Grupo Ásia-Pacífico sobre o Branqueamento de Capitais 2. Grupo de Acção Financeira das Caraíbas 3. Conselho

Leia mais

CONCORRÊNCIA FISCAL INTERNACIONAL E PARAÍSOS FISCAIS

CONCORRÊNCIA FISCAL INTERNACIONAL E PARAÍSOS FISCAIS CONCORRÊNCIA FISCAL INTERNACIONAL E PARAÍSOS FISCAIS Frederick Mario Mason RESUMO: A concorrência fiscal internacional deve ser estimulada, e não coibida como quer a OCDE. A concorrência fiscal traz ao

Leia mais

JANEIRO / 2015 IRS ATÉ AO DIA 12

JANEIRO / 2015 IRS ATÉ AO DIA 12 JANEIRO / 2015 IRS ATÉ AO DIA 12 Entrega da Declaração Mensal de Remunerações, por transmissão eletrónica de dados, pelas entidades devedoras de rendimentos do trabalho dependente sujeitos a IRS, ainda

Leia mais

Os desafios legais da globalização estratégica

Os desafios legais da globalização estratégica Os desafios legais da globalização estratégica 08/10/2015 Pamela Helena Borges Global Mobility Services Agenda 1) Residência Fiscal sob ótica da IN SRF208/2002 e acordos internacionais 2) Obrigações fiscais

Leia mais

Governo Federal publica MP de incentivos ao mercado de capitais

Governo Federal publica MP de incentivos ao mercado de capitais Informe Jurídico nº 13-2014 Governo Federal publica MP de incentivos ao mercado de capitais No dia 10 de julho, o governo federal publicou a Medida Provisória n 651 ( MP 651 ), que traz diversos incentivos

Leia mais