Sumário. Prefácio, xix

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário. Prefácio, xix"

Transcrição

1 Sumário Prefácio, xix 1 Introdução, 1 Objetivo do livro, Citações importantes sobre planejamento financeiro com destaque para o fluxo de caixa no contexto empresarial, 2 2 Administração financeira considerações gerais, Conceito, Objetivos, Funções, Importância, Dinâmica empresarial, Fluxos de fundos, levantamento e alocação de recursos, liquidez e rentabilidade, Fluxos de fundos, Levantamento e alocação de recursos, Levantamento de recursos, Formas de captação de recursos para projetos, Alocação de recursos, Liquidez e rentabilidade, Liquidez, Rentabilidade, Liquidez versus rentabilidade, Meta da administração financeira e segmentos de decisões financeiras, Meta da administração financeira, 15

2 x Como Administrar o Fluxo de Caixa das Empresas Silva Segmentos de decisões financeiras, 16 Conclusões, 19 3 Demonstrações contábeis, Conceitos, objetivos e princípios fundamentais de contabilidade, Principais relatórios, Mudanças propostas na legislação Lei n o /07 (IFRS) alteram e revogam dispositivos da Lei n o 6.404/76, relativos à elaboração das demonstrações financeiras, Instruções importantes publicadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Bacen, com foco em companhias abertas, Quadro-resumo Demonstrações contábeis (Lei n o 6.404/76, atualizada pelas Leis n os /01 e /07 (IFRS) e posteriormente pela Lei n o /09 com modificações importantes constantes nos arts. 37 e 38), Painel de controle (indicadores de gestão financeira), Quadro de indicadores comentários, Visão de mercado análise resumida indicadores e comentários, 33 Conclusões, 35 4 Administração do fluxo de caixa, Conceitos, A importância de um sistema confiável de projeção de fluxo de caixa, Fatores que afetam o fluxo de caixa, Enfoque do cash management, Os ciclos: operacional, financeiro e econômico, Regime de competência e regime de caixa, Método Direto Método Indireto, Objetivos, Funções do administrador financeiro, Dicas: alguns instrumentos de gerenciamento e relatórios com informações gerenciais utilizados pelos administradores financeiros no seu dia a dia, Informações complementares com periodicidade mensal/trimestral ou anual em função da complexidade e porte do negócio, Gestão de tesouraria, Funções e atividades de tesouraria, Administração do caixa, Administração do contas a receber, Administração do contas a pagar, Administração financeira dos estoques, 81

3 Sumário xi Plano de contas de tesouraria (ou do fluxo de caixa), Índice de inadimplência, Devedores duvidosos/vendas totais, Valores a receber em dias de vendas, Cronologia dos valores a receber e o DVR, Capital de giro definições e entendimentos práticos, Fundamento do modelo dinâmico de análise financeira, Reclassificação do balanço: abordagem financeira, Necessidade de capital de giro (NCG), Relacionamento e produtos bancários, Controles internos, Fontes de capital, Gestão de riscos, Análise de investimentos (métodos usuais de investimentos de capital), Conceitos, objetivos, importância e classificação, Projeto de investimento de capital (métodos de avaliação de investimentos), Valor presente líquido (VPL), Taxa interna de retorno (TIR), Uma alternativa ao método da TIR: o método da taxa interna de retorno modificada (MTIR), Índice de lucratividade, Taxa de retorno contábil (rentabilidade), Payback (período de recuperação do investimento), Payback descontado, Fluxo de caixa incremental, Limitações dos métodos de avaliação de investimentos, Decisões de dividendos, Política de dividendos com índice de distribuição contínua, Política de dividendos regulares, Política de dividendos regulares mais distribuição extra, Falta de recursos na empresa, Custos financeiros, overtrade e efeito tesoura, Desequilíbrio financeiro, Impactos da inflação e juros nas empresas, Valor do dinheiro no tempo, Fluxo de caixa livre, modelo, Modelos e estruturas do fluxo de caixa: quadros de apoio, 184

4 xii Como Administrar o Fluxo de Caixa das Empresas Silva 5 Planejamento e elaboração do fluxo de caixa, Planejamento, Questionário de coleta de informações e apoio para elaboração da projeção do fluxo de caixa e/ou orçamento de caixa anual e seu acompanhamento, Implantação setorial e consolidado, Mapas e planilhas auxiliares, Modelos, 200 Conclusões, Análise do fluxo de caixa, Análise dos resultados, Interpretação, Acompanhamento e avaliação, Revisão e controle, Mapas e planilhas de controle, 216 Conclusões, Indicadores econômicos e financeiros relevantes para análise da qualidade da informação na administração do fluxo de caixa, EBITDA, Virtudes e defeitos do EBITDA, Algumas discussões pelos analistas de mercado sobre o formato, conteúdo e apresentação do quadro EBITDA, Nota: divulgação do LAJIDA/EBITDA companhias abertas regulação pela CVM, EVA (é a versão moderna do lucro) valor econômico agregado, Quadros ilustrativos e comentários sobre o cálculo do valor econômico agregado (EVA), Um outro formato de apresentação do valor econômico agregado (VEA) (ou EVA), Gestão VBM/MVA/GVA, Endividamento, Conceito, Alavancagem operacional, Alavancagem combinada (total) resumo, Análise do ponto de equilíbrio, Ponto de equilíbrio contábil, Ponto de equilíbrio econômico, Ponto de equilíbrio financeiro, Margem de segurança, Custo de capital, 258

5 Sumário xiii Abordagem introdutória, Custo de capital exemplo, 260 Conclusões, Gestão de preços e otimização de custos, Formação do preço de venda, Formação de preço com base no custo, Formação de preço com base no mercado, Formação de preço com base no lucro embutido, Formação de preço para mercadoria importada (com uso do mark-up multiplicador), Como calcular o preço de venda, utilizando o mark-up divisor, Análise de custos fixos e variáveis, Redução de custos e eliminação de desperdícios, Evitar desperdícios é reduzir custos, Técnica de administração para eliminar desperdícios, Checklist de apoio para redução de custos, Resumo: especificações das terminologias contábeis usadas, Matriz de apoio para o processo preliminar de decisão para aprovação de novas demandas e/ou projetos com alto desembolso, 287 Conclusões, Dicas e sugestões para um eficiente gerenciamento do caixa, Dicas de gerenciamento de caixa (boa governança financeira), Sugestões de saneamento financeiro, 292 Conclusões, Estudos de casos, Estudo de Caso 1, Estudo de Caso 2, Estudo de Caso 3, 314 Conclusões, Situações e dificuldades financeiras das empresas, Conceito, Dificuldades financeiras com base em balanços e em fluxos de caixa, Insolvência econômico-financeira, Insolvência técnica, Evidências de dificuldades financeiras nas empresas, Dificuldades financeiras e o ciclo de vida das empresas, Causas da insolvência, 322

6 xiv Como Administrar o Fluxo de Caixa das Empresas Silva Como enfrentar as dificuldades financeiras, Recuperação extrajudicial, judicial e falência das empresas, Recuperação extrajudicial, Recuperação judicial, Falência, Os treze erros que podem quebrar sua empresa, Valor justo das empresas Avaliação Escorregadas técnicas, Orçamento empresarial dicas, alertas e propostas, Introdução, Elaboração do orçamento empresarial, Evolução do processo orçamentário, Orçamento de caixa (nosso foco!), Objetivos e vantagens do orçamento, Limitações do orçamento, O alinhamento entre a previsão, o orçamento e o controle é fundamental, Quadro do processo orçamentário, Condições para implementação, O processo orçamentário, Fluxograma do processo orçamentário, Consolidação do processo orçamentário das unidades, Do orçamento empresarial: checklist de apoio, Oportunidades de melhorias propostas, 336 Anexo 1 relatório de administração quadro auxiliar, 338 Anexo 2 visão contábil, 341 Anexo 3 extrato fontes de financiamento de empresa e uso de capital de terceiros, 348 Anexo 4 para reflexão: avaliação de empresas perguntas-chave, 355 Anexo 5 sugestões para enfrentar a crise, 360 Glossário, 363 Referências, 379 Sites de consulta, 387

Sumário. Parte II Mensuração do desempenho gerencial 31. Parte I Gestão 1. Gestão rural no século XXI 3

Sumário. Parte II Mensuração do desempenho gerencial 31. Parte I Gestão 1. Gestão rural no século XXI 3 Parte I Gestão 1 CAPÍTULO 1 Gestão rural no século XXI 3 Estrutura do estabelecimento agropecuário 4 Novas tecnologias 7 A era da informação 8 Controle de ativos 9 Recursos humanos 10 Produção para atender

Leia mais

E D I T A L N º 0 2 / R E T I F I C A Ç Ã O D O E D I T A L D E C O N C U R S O S P Ú B L I C O S N º 0 1 / A B E R T U R A

E D I T A L N º 0 2 / R E T I F I C A Ç Ã O D O E D I T A L D E C O N C U R S O S P Ú B L I C O S N º 0 1 / A B E R T U R A BANCO REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO EXTREMO SUL BRDE E D I T A L N º 0 2 / 2 0 1 5 R E T I F I C A Ç Ã O D O E D I T A L D E C O N C U R S O S P Ú B L I C O S N º 0 1 / 2 0 1 5 - A B E R T U R A O Banco

Leia mais

x Contabilidade Rural Crepaldi

x Contabilidade Rural Crepaldi Sumário Prefácio à 8 a edição, xix Prefácio à 7 a edição, xxi Prefácio à 6 a edição, xxiii Prefácio à 4 a edição, xxv Prefácio à 3 a edição, xxvii Prefácio à 2 a edição, xxix Prefácio à 1 a edição, xxxi

Leia mais

Estruturação e Organização de Empresas. Valuation. Consultoria para empresas em recuperação judicial. Consultoria em Planejamento Estratégico

Estruturação e Organização de Empresas. Valuation. Consultoria para empresas em recuperação judicial. Consultoria em Planejamento Estratégico Estruturação e Organização de Empresas Consultoria em Planejamento Estratégico Valuation Consultoria para empresas em recuperação judicial ASCENSÃO E QUEDA DO NEGÓCIO MATURIDADE CRESCIMENTO CRESCIMENTO

Leia mais

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os CRISE Contabilidade Escreve, oficializa É a ciência que registra os Possuem denominador financeiro comum acontecimentos verificados no patrimônio de uma entidade Conjunto de bens direitos e obrigações

Leia mais

Sumário. Capítulo 1. Demonstrações Contábeis...1

Sumário. Capítulo 1. Demonstrações Contábeis...1 Sumário Capítulo 1 Demonstrações Contábeis...1 1. Conceito e Finalidade das Demonstrações Contábeis...1 2. Elaboração e Divulgação das Demonstrações Contábeis...3 3. Conjunto das Demonstrações Contábeis...4

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

1. Introdução II. Técnicas de Orçamento de Capital III. Estimativa dos Fluxos de Caixa

1. Introdução II. Técnicas de Orçamento de Capital III. Estimativa dos Fluxos de Caixa FEA - USP Graduação Ciências Contábeis EAC0511 Profa. Joanília Cia Tema 07 Decisões de Investimento e Orçamento de Capital 7. Decisões Estratégicas de Investimentos:Orçamento de Capital 1. Introdução II.

Leia mais

Conceitos Introdutórios. A Inflação nas Finanças. Demonstrações Contábeis

Conceitos Introdutórios. A Inflação nas Finanças. Demonstrações Contábeis Conceitos Introdutórios Mercado Financeiro Brasileiro A Inflação nas Finanças Demonstrações Contábeis Conceitos Introdutórios Retornar Conceitos Introdutórios ADMINISTRAÇÃO A administração é o processo

Leia mais

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 Sumário Introdução, 1 Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 1 Direcionadores do Uso de Tecnologia de Informação, 7 1.1 Direcionadores de mercado, 8 1.2 Direcionadores organizacionais,

Leia mais

FUNDAMENTOS DE CAPITAL DE GIRO. João Victor

FUNDAMENTOS DE CAPITAL DE GIRO. João Victor FUNDAMENTOS DE CAPITAL DE GIRO João Victor Outubro, 2013 Contextualização do Capital de Giro FINANÇAS Fluxos Internacionais de Capital ÂMBITO Sistema Financeiro Nacional MACRO Mercados Financeiros ÂMBITO

Leia mais

ASPECTOS AVANÇADOS NA ANÁLISE ECONÔMICA E FINANCEIRA (PARTE III)

ASPECTOS AVANÇADOS NA ANÁLISE ECONÔMICA E FINANCEIRA (PARTE III) ASPECTOS AVANÇADOS NA ANÁLISE (PARTE III)! As outras contas do Ativo Circulante e Passivo Circulante.! O que é a variável T- Tesouraria.! Análise da T Tesouraria. Autores: Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br)!

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL TURMA 2016 53 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS MBA EM GESTÃO FINANCEIRA, CONTROLADORIA E AUDITORIA TURMA 27 Vitória-ES APRESENTAÇÃO O curso de MBA em Gestão Financeira, Controladoria

Leia mais

Gestão Integrada de Custos e Orçamentos Objetivos Gerais: A Gestão Integrada de Custos e Orçamentos permite detetar e eliminar desperdícios e otimiza ações estratégicas para o controle de gastos. Ao adotar

Leia mais

29/09/2010. Objetivos. Orçamento Empresarial UFRN Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos da Aula BIBLIOGRAFIA

29/09/2010. Objetivos. Orçamento Empresarial UFRN Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos da Aula BIBLIOGRAFIA Objetivos Orçamento Empresarial UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho 1. Apresentar um conceito de orçamento de investimentos 2. Elaborar o quadro de usos e fontes de um negócio 3. Calcular

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO

Autorizado pela Portaria nº de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO C U R S O D E C I Ê N C I A S C O N T Á B E I S Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Código: CNB Pré-Requisito: Período Letivo:

Leia mais

Sumário. Visão Geral de Finanças Corporativas. Demonstrações Contábeis e Planejamento Financeiro de Longo Prazo

Sumário. Visão Geral de Finanças Corporativas. Demonstrações Contábeis e Planejamento Financeiro de Longo Prazo Sumário PARTE I Visão Geral de Finanças Corporativas CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS 1 1.1 Finanças corporativas e o administrador financeiro 2 O que são finanças corporativas? 2 O administrador

Leia mais

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de:

A empresa quantifica aspectos socioambientais nas projeções financeiras de: Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Econômica Critério I - Estratégia Indicador 1 - Planejamento Estratégico 1. Assinale os objetivos que estão formalmente contemplados no planejamento

Leia mais

Gestão do Crédito e Risco - Especial Banca

Gestão do Crédito e Risco - Especial Banca Objetivos Gerais: Gestão do Crédito e Risco - Especial Banca Este curso tem como objetivo dotar os participantes das competências que lhes permitam compreender as diferentes abordagens de avaliação de

Leia mais

Objetivos PLANEJAMENTO FINANCEIRO DE CURTO PRAZO E ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Análise Dinâmica do Capital de Giro. Capital Circulante Positivo

Objetivos PLANEJAMENTO FINANCEIRO DE CURTO PRAZO E ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Análise Dinâmica do Capital de Giro. Capital Circulante Positivo UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PLANEJAMENTO FINANCEIRO DE CURTO PRAZO E ADMINISTRAÇÃO DO

Leia mais

Finanças para Não Financeiros MANUAL DO CANDIDATO ESPM. Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP. Informações

Finanças para Não Financeiros MANUAL DO CANDIDATO ESPM. Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP. Informações Finanças para Não Financeiros MANUAL DO CANDIDATO ESPM Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP Informações Central de Candidatos: (11) 5081-8200 (Opção1) Segunda a sexta 9h às 21h e Sábado

Leia mais

Análise do Capital de Giro. Administração Financeira 4º Sem. Unipampa Prof. Silvia Flores

Análise do Capital de Giro. Administração Financeira 4º Sem. Unipampa Prof. Silvia Flores Análise do Capital de Giro Administração Financeira 4º Sem. Unipampa Prof. Silvia Flores Ciclos da Empresa Compra de Matéria Prima Recebimento Venda CICLO OPERACIONAL Venda Período Médio de Estoques Período

Leia mais

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas Economia Empresarial Finanças Corporativas Gestão Contábil Financeira Gestão de Pessoas Gestão da Qualidade e Processos Gestão

Leia mais

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário Capítulo 16 DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO 16.1 Planejamento Orçamentário 16.1 Planejamento orçamentário 16.2 Elaboração de quadros orçamentários 16.3 Projeções de resultados Administração Financeira:

Leia mais

Pessoa Jurídica - Tamanho

Pessoa Jurídica - Tamanho Pessoa Jurídica - Tamanho 0MEI Microempreendedor individual; 0Microempresa; 0Empresa de Pequeno Porte; MEI Microempreendedor individual 0Foi criado visando a legalização de atividades informais por partes

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO. Professor: Período:

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO. Professor: Período: FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: (curso/habilitação) Ciências Contábeis Disciplina: Administração Fin. e Orçamento Empresarial I Carga Horária: (horas/semestre) 50 aulas Semestre Letivo: 5º Semestre

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA II DIREITO TRIBUTARIO LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ORÇAMENTO PUBLICO TEORIA

Leia mais

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE... 19 APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 PARTE I CONTABILIDADE GERAL CAPÍTULO I NOÇÕES DE CONTABILIDADE... 27 1. Noções de Contabilidade... 27 1.1. Conceitos, objetivos, campo

Leia mais

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo de Investimento em Ações Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

EMENTAS MÓDULO I Governança Corporativa e Indicadores Estratégicos Negociação e Tomada de Decisão Gestão de Projetos

EMENTAS MÓDULO I Governança Corporativa e Indicadores Estratégicos Negociação e Tomada de Decisão Gestão de Projetos EMENTAS MÓDULO I Governança Corporativa e Indicadores Estratégicos Missão, objetivos e metas da Governança Corporativa. Governança Corporativa: conceitos e valores. Os índices brasileiros atrelados a Governança

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Administração - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE GESTÃO DA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIA GESTÃO DE PESSOAS DIREITO EMPRESARIAL E TRABALHISTA CONTABILIDADE Os recursos

Leia mais

MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL

MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MBA EM GESTÃO E ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Objetivos do Curso O curso tem por objetivo capacitar os participantes no desenvolvimento de competências relacionadas com a utilização dos

Leia mais

MBA em FINANÇAS EMPRESARIAIS

MBA em FINANÇAS EMPRESARIAIS MBA em FINANÇAS EMPRESARIAIS 1) OBJETIVO O objetivo do MBA é proporcionar ao participante os conhecimentos e as técnicas indispensáveis à Gestão Financeira da empresa. Nas últimas décadas, a atuação do

Leia mais

ORÇAMENTO EMPRESARIAL

ORÇAMENTO EMPRESARIAL ORÇAMENTO EMPRESARIAL Engenharia de Produção Prof. Flávio Smania Ferreira flavioferreira@live.estacio.br http://flaviosferreira.wordpress.com PLANO DE ENSINO Ementa: A natureza do processo de planejamento

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC)

CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC) CONTROLE DE CONTEÚDO - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: CONTABILIDADE (TRE-SP AJAC) 1 Ortografia oficial. GRAMÁTICA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO DA LÍNGUA PORTUGUESA CONTEÚDO

Leia mais

PLANEJAMENTO E GESTÃO TRIBUTÁRIA

PLANEJAMENTO E GESTÃO TRIBUTÁRIA EMENTA PLANEJAMENTO E GESTÃO TRIBUTÁRIA DISCIPLINA: Contabilidade Empresarial EMENTA: A disciplina enfoca a legislação e órgãos normatizadores, o balanço patrimonial, a demonstração do resultado do exercício,

Leia mais

VERSÃO 1 RESPOSTAS PROVA DE FINANÇAS

VERSÃO 1 RESPOSTAS PROVA DE FINANÇAS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE ORGANIZAÇÕES PROCESSO SELETIVO MESTRADO-EDITAL FEA-RP-PPGAO

Leia mais

ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA

ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO EMPRESARIAL CONCEITOS E APLICAÇÕES PROF. SILVIA FLORES ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTO É um plano administrativo que cobre todas as operações da empresa, para um período de

Leia mais

Papel do Atuário na Gestão de Negócios Gláucia Carvalho Superintendente Atuarial ENA

Papel do Atuário na Gestão de Negócios Gláucia Carvalho Superintendente Atuarial ENA Papel do Atuário na Gestão de Negócios Gláucia Carvalho Superintendente Atuarial ENA - 2015 AGENDA 2 COMO SOMOS VISTOS? NECESSIDADE DE INTEGRAÇÃO: MACROPROCESSOS E A ÁREA ATUARIAL NOSSO CONTEXTO: DIVULGAÇÃO

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil

Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil Sumário Capítulo 1 Escrituração contábil 01 1.1 Conceito 01 1.2 Métodos de escrituração 01 1.2.1 Método das partidas dobradas 02 1.2.1.1 Funcionamento das contas nas partidas dobradas 04 1.3 Normas legais

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO

POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO POLÍTICA DE RISCO DE CRÉDITO Gerência de Riscos e Compliance Página 1 Índice 1. Objetivo... 3 2. Abrangência... 3 3. Vigência... 3 4. Conceito... 3 5. Estrutura da Área... 4 6. Análise de Risco de Crédito...

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: DR JOSÉ LUIZ VIANA COUTINHO Código: 073 Município: Jales/SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Unidade I CONTABILIDADE AVANÇADA. Prof. Walter Dominas

Unidade I CONTABILIDADE AVANÇADA. Prof. Walter Dominas Unidade I CONTABILIDADE AVANÇADA Prof. Walter Dominas Consolidação das demonstrações contábeis A Consolidação das Demonstrações Contábeis é uma técnica que permite conhecer a posição financeira de um grupo

Leia mais

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli

Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli USP/FEA/EAC Curso de Graduação em Administração Disciplina: Noções de Contabilidade para Administradores (EAC0111) Turmas: 01 e 02 Tema 4: Balanço Patrimonial Prof.: Márcio Luiz Borinelli 1 DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Divulgação do LAJIDA/LAJIR CVM Instrução 527

Divulgação do LAJIDA/LAJIR CVM Instrução 527 Divulgação do LAJIDA/LAJIR CVM Instrução 527 Seminário ANEFAC/IBRACON Mudanças Contábeis para 2013 Bruce Mescher 25 de março de 2013 Agenda Contexto Instrução CVM nº 527 e Nota Explicativa Por dentro da

Leia mais

2014 RJ Gestão de riscos como geração de valor e defesa contra crises

2014 RJ Gestão de riscos como geração de valor e defesa contra crises 2014 RJ Gestão de riscos como geração de valor e defesa contra crises Visão do Financiador e Investidor Institucional Renê Sanda Membro do Conselho de Administração da CPFL e do FGC Comunidade de Conselheiros

Leia mais

RISCO DE TESOURARIA. Gestão de Operações e. 2ª Edição Curso Prático. Inscreva-se em OSEUFORMADOR

RISCO DE TESOURARIA. Gestão de Operações e. 2ª Edição Curso Prático. Inscreva-se em OSEUFORMADOR 2ª Edição Curso Prático Gestão de Operações e RISCO DE TESOURARIA SAIBA COMO REALIZAR UMA GESTÃO EFICIENTE, REDUZIR OS RISCOS E CONTROLAR O CASH FLOW OSEUFORMADOR Lisboa, 21, 22 e 23 de Novembro de 2016

Leia mais

QUADRO DE DISCIPLINAS

QUADRO DE DISCIPLINAS QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas 1 Horas- Aula 2 1. Fundamentos do Gerenciamento de Projetos 24 2. Gerenciamento do Escopo em Projetos 24 3. Gerenciamento da Qualidade em Projetos 12 4. Gerenciamento

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NOS QUADROS COMPLEMENTARES DE OFICIAIS INTENDENTES DA MARINHA (CP-QC-IM) EM Resumo

CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NOS QUADROS COMPLEMENTARES DE OFICIAIS INTENDENTES DA MARINHA (CP-QC-IM) EM Resumo CONCURSO PÚBLICO PARA INGRESSO NOS QUADROS COMPLEMENTARES DE OFICIAIS INTENDENTES DA MARINHA (CP-QC-IM) EM 2016 Resumo 1 - O candidato aprovado e classificado na Seleção Inicial fará o Curso de Formação

Leia mais

Faculdade da Amazônia Ocidental Controladoria e Contabilidade Gerencial Profª Girleida Nobre Rocha

Faculdade da Amazônia Ocidental Controladoria e Contabilidade Gerencial Profª Girleida Nobre Rocha Faculdade da Amazônia Ocidental Controladoria e Contabilidade Gerencial Profª Girleida Nobre Rocha Questões de Revisão Contabilidade: Sistema de Informação Gerencial 1. A demonstração contábil-financeira

Leia mais

O TRATAMENTO DAS RECEITAS FINANCEIRAS NA ANÁLISE ECONÔMICA

O TRATAMENTO DAS RECEITAS FINANCEIRAS NA ANÁLISE ECONÔMICA O TRATAMENTO DAS RECEITAS FINANCEIRAS NA Receita financeira é operacional ou não? Tratamento da receita financeira em separado. Como fazer? Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor

Leia mais

APRENDA A FORMAR PREÇO DE VENDA. 08 a 11 de outubro de a 12 de novembro de 2016

APRENDA A FORMAR PREÇO DE VENDA. 08 a 11 de outubro de a 12 de novembro de 2016 APRENDA A FORMAR PREÇO DE VENDA 08 a 11 de outubro de 2014 09 a 12 de novembro de 2016 Missão do Sebrae Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orientar na implantação e no desenvolvimento de

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina DELIBERAÇÃO Câmara de Pós-Graduação Nº 033/2010 Reestrutura o Curso de Pós-Graduação Lato sensu em Economia Empresarial. CONSIDERANDO a solicitação da Coordenação do Curso, conforme processo nº 17069/2010;

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 3.1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 Finanças Finança é a ciência de gerenciar recursos, ou aquela que lida com o emprego do dinheiro num projeto, empresa ou pessoa.

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais

Objetivos e instrumentos de política econômica, 1

Objetivos e instrumentos de política econômica, 1 Sumário Prefácio, xiii i Objetivos e instrumentos de política econômica, 1 1. Objetivo do estudo de economia, 2 2. Objetivos de política econômica, 3 2.1 Crescimento da produção e do emprego, 3 2.2 Controle

Leia mais

Entendendo a. Recuperação Judicial e. as alternativas para a. solução da crise. empresarial

Entendendo a. Recuperação Judicial e. as alternativas para a. solução da crise. empresarial Entendendo a Recuperação Judicial e as alternativas para a solução da crise empresarial Associação Comercial e Industrial de Joinville Outubro de 2016 Mudança de perspectivas Maturidade Crescimento Declínio

Leia mais

Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer

Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer Lucratividade: Crescer, Sobreviver ou Morrer Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos de Lucratividade e a importância para existência e sucesso das empresas. Proporcionar aos participantes

Leia mais

Análise de Empreendimentos

Análise de Empreendimentos Análise de Empreendimentos - Instrumentos auxiliares para o processo de tomada de decisões. - Avalia, antecipadamente, o desempenho econômico - financeiro de determinado empreendimento e, por conseqüência,

Leia mais

Exercícios - Prova TCU Auditor CESPE 2015

Exercícios - Prova TCU Auditor CESPE 2015 Questão 119 Notas Explicativas... 2 Questão 121 Remuneração por Ações *** RECURSO ***... 2 Questão 122 Provisões *** RECURSO ***... 2 Questão 123 Participações Societárias... 2 Questão 124 Lançamentos

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA CONCURSO PÚBLICO N. 01/2011 EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 02/2011

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA CONCURSO PÚBLICO N. 01/2011 EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 02/2011 CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA CONCURSO PÚBLICO N. 01/2011 EDITAL DE RETIFICAÇÃO Nº 02/2011 O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RS torna público o presente Edital, que RETIFICA os itens

Leia mais

Sumário. Capítulo Considerações Iniciais Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19

Sumário. Capítulo Considerações Iniciais Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19 Sumário Capítulo 1 A Elaboração das Demonstrações Contábeis...1 1.1. Considerações Iniciais...1 1.2. Exercícios Resolvidos para a Fixação de Conteúdo...19 Capítulo 2 As Demonstrações Contábeis e a Legislação

Leia mais

Analise Financeira das Demonstrações Contábeis

Analise Financeira das Demonstrações Contábeis Gest ão em Cooper at i vi smo Analise Financeira das Demonstrações Contábeis Dirceu Granado de Souza Dinâmica Patrimonial Consult & Assess Empresarial www.dinamicapatrimonial.com.br 1 Serve para uma avaliação

Leia mais

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE COMENTÁRIO DE DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE As informações a seguir estão apresentadas de forma consolidada. Os valores estão apresentados de acordo com as normas expedidas pela CVM Comissão de

Leia mais

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. CNPJ /

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. CNPJ / DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM 31/12/2012 E 2011 EM R$ Mil A T I V O 31/12/2012 31/12/2011 ATIVO CIRCULANTE 12.353 2.888 DISPONIBILIDADE 2.718

Leia mais

Material de Apoio Comercial. Retornos de Resultados!

Material de Apoio Comercial. Retornos de Resultados! Material de Apoio Comercial Retornos de Resultados! Estrutura do Comercial 1 a 6 - Segmentação de Clientes por Serviços Contábeis A a F - Portfólio de Serviços Contábeis (Assessorias e Consultorias) e

Leia mais

4º Trimestre 2010 Apresentação de Resultados Março 2011

4º Trimestre 2010 Apresentação de Resultados Março 2011 4º Trimestre 2010 Apresentação de Resultados Março 2011 Disclaimer Este documento pode conter considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros

Leia mais

Fundamentos da Gestão do Capital de Giro. Paulo Diogo Remo Willame

Fundamentos da Gestão do Capital de Giro. Paulo Diogo Remo Willame Fundamentos da Gestão do Capital de Giro Paulo Diogo Remo Willame Finanças Empresarial: Âmbito Macro Macroeconomia Fluxos Internacionais de Capitais Sistemas Financeiros Mercados de Capitais Âmbito Micro

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicações Práticas

Análise das Demonstrações Contábeis Aplicações Práticas Introdução O capítulo desenvolverá aplicações práticas do processo de análise econômico-financeira com base nas demonstrações de uma empresa de eletroeletrônicos Todos os valores dos demonstrativos estão

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

Apresentação. Presentation de novembro de H07 9 de novembro de 2007

Apresentação. Presentation de novembro de H07 9 de novembro de 2007 Apresentação Apresentação dos dos Resultados Resultados do do 3T07 3T07 Presentation de novembro de 2007 1H07 9 de novembro de 2007 1 As Demonstrações Financeiras são de caráter pro-forma, abrangendo demonstrações

Leia mais

Safra Exportação - Fundo de Investimento em Ações (Administrado pelo Banco Safra S.A.)

Safra Exportação - Fundo de Investimento em Ações (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Safra Exportação - Fundo de Investimento em Ações Demonstrações financeiras em 30 de setembro de 2004 e parecer de auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Quotistas e ao Administrador

Leia mais

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios COMUNICADO O SEBRAE NACIONAL Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, por meio da Universidade Corporativa SEBRAE, comunica que, na prova, serão avaliados conhecimentos conforme as áreas descritas

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Mudança nas relações com clientes em vendas. 2. Vendedor consultor: Gestor de negócio. 3. Planejamento em vendas.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Fase Cód. Disciplinas I II III IV V Matriz Curricular do Curso de Graduação em Ciências

Leia mais

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Desenvolvimento de Negócios Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Gestão Estratégica Para quê? Por Quê? Para fazer acontecer e trazer

Leia mais

O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro. Squadra Participações

O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro. Squadra Participações O Olhar dos Fundos de Investimento sobre o Franchising Brasileiro Squadra Participações SQUADRA INVESTIMENTOS 2008 Fundação da Squadra Investimentos Gestora independente de recursos com foco em ações de

Leia mais

Aula 3 e 4 Contabilidade Geral

Aula 3 e 4 Contabilidade Geral Aula 3 e 4 Contabilidade Geral Prof. Benadilson Prof. Benadilson 1 Introdução Caso para Debate Ações da Tiffany: Lucro ou Prejuízo??? Ciclo Contábil Demonstração do Resultado do Exercício (DRE). O lucro

Leia mais

I MACROECONOMIA BÁSICA: AGREGADOS MACROECONÔMICOS,

I MACROECONOMIA BÁSICA: AGREGADOS MACROECONÔMICOS, Sumário Resumido Ordem dos Economistas do Brasil, xiii Apresentação, xv Introdução Teoria Macroeconômica: Evolução e Situação Atual, 1 Parte I MACROECONOMIA BÁSICA: AGREGADOS MACROECONÔMICOS, 17 Apresentação,

Leia mais

Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total Patrimônio Líquido Depósitos Totais Nº de Agências

Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total Patrimônio Líquido Depósitos Totais Nº de Agências Market Share Indicadores Mar/09 Mar/10 Mar/11 Mar/12 Mar/13 Ativo Total 10º 11º 11º 11º 11º Patrimônio Líquido 12º 11º 12º 11º 11º Depósitos Totais 8º 8º 8º 8º 7º Nº de Agências 7º 7º 7º 7º 7º Fonte: Banco

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em IFRS

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em IFRS ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS em 27/06/2013 LUCIANO PERRONE Introdução Enquadramento conforme as Novas Normas Contábeis. SOCIEDADES ANÔNIMAS DE CAPITAL ABERTO SOCIEDADES DE GRANDE PORTE INTEGRAL

Leia mais

Pós-Graduação. Gestão Estratégica de Processos de Negócios

Pós-Graduação. Gestão Estratégica de Processos de Negócios Pós-Graduação Gestão Estratégica de Processos de Negócios - 2017 Disciplinas: 1) Introdução a BPM, Contexto Organizacional e Profissional 2) Estratégia e Modelagem do Negócio Aplicada com Foco em BPM 3)

Leia mais

CURSO: ADMINISTRAÇÃO

CURSO: ADMINISTRAÇÃO CURSO: ADMINISTRAÇÃO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: MATEMÁTICA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO Equações do primeiro e segundo graus com problemas. Problemas aplicando sistemas; sistemas com três incógnitas

Leia mais

Resultado Consolidado Resultados refletem Eficiência Operacional e Estratégia de Sucesso

Resultado Consolidado Resultados refletem Eficiência Operacional e Estratégia de Sucesso Resultado Consolidado 2010 Resultados refletem Eficiência Operacional e Estratégia de Sucesso Aviso Legal As demonstrações financeiras individuais e consolidadas foram elaboradas de acordo com as práticas

Leia mais

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA, CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu

MBA EM GESTÃO FINANCEIRA, CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu MBA EM GESTÃO FINANCEIRA, CONTROLADORIA E AUDITORIA Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu 2010 Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 OBJETIVO: proporcionar aos participantes

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO de transparência

A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO de transparência A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO de transparência Prof. Ms. Valmir Leôncio da Silva Conselheiro do CRCSP Coordenador Técnico da Escola de Contas do TCMSP O livro: A Arte da Guerra A) Desconheça o inimigo

Leia mais

Aprovado o novo contrato de CRC. O Estado de Minas Gerais vai liquidar a dívida com dividendos durante os próximos 30 anos

Aprovado o novo contrato de CRC. O Estado de Minas Gerais vai liquidar a dívida com dividendos durante os próximos 30 anos Aprovado o novo contrato de CRC O Estado de Minas Gerais vai liquidar a dívida com dividendos durante os próximos 30 anos Crescimento da empresa como compromisso de longo prazo 2 A conclusão das negociações

Leia mais

4 ApurAção InstAntâneA de resultados econômicos

4 ApurAção InstAntâneA de resultados econômicos 4 Apuração Instantânea de Resultados Econômicos Se observarmos bem, os contadores estão utilizando o computador para elaborar, não só o balancete como também outras demonstrações financeiras como a Demonstração

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Aula 9- Unidade II - A análise tradicional das demonstrações contábeis. Prof.

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Aula 9- Unidade II - A análise tradicional das demonstrações contábeis. Prof. ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aula 9- Unidade II - A análise tradicional das demonstrações contábeis Prof.: Marcelo Valverde Unidade II. Análise tradicional das demonstrações contábeis 2.4. Análise

Leia mais

ANÁLISE E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Índices de Rotação ou Atividades Índices de Prazos Médios

ANÁLISE E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Índices de Rotação ou Atividades Índices de Prazos Médios ANÁLISE E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Índices de Rotação ou Atividades Índices de Prazos Médios Objetivos Identificar as políticas adotadas pela administração de empresa, relativas aos prazos de recebimentos,

Leia mais

É o processo de planejamento, implementação e controle dos recursos de uma entidade.

É o processo de planejamento, implementação e controle dos recursos de uma entidade. O QUE É? É o processo de planejamento, implementação e controle dos recursos de uma entidade. OBJETIVO Fornecer informações adequadas para subsidiar as decisões que envolvam desembolso e/ou a captação

Leia mais

Unidade IV PLANEJAMENTO OPERACIONAL: Prof. Me. Livaldo dos Santos

Unidade IV PLANEJAMENTO OPERACIONAL: Prof. Me. Livaldo dos Santos Unidade IV PLANEJAMENTO OPERACIONAL: RECURSOS HUMANOS E FINANÇAS Prof. Me. Livaldo dos Santos Objetivos Entender o significado de orçamento. Identificar os princípios de planejamento. Conhecer as etapas

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a contratação de empresa Especializada de Consultoria para Planejamento da Estrutura Funcional e Organizacional

Leia mais

C O M U N I C A D O. Art. 2º Dê-se ciência aos interessados e a quem de direito para que o presente produza seus efeitos. Publique-se.

C O M U N I C A D O. Art. 2º Dê-se ciência aos interessados e a quem de direito para que o presente produza seus efeitos. Publique-se. COMUNICADO CTADS/IT 1/2017 DIVULGA RELAÇÃO DE DISCIPLINAS RECOMENDADAS COMO OPTATIVAS PARA O O CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DO CAMPUS ITATIBA DA UNIVERSIDADE SÃO

Leia mais

Itaucard Financeira S.A. Crédito, Financiamento e Investimento Administrador

Itaucard Financeira S.A. Crédito, Financiamento e Investimento Administrador ITAÚ ÍNDICE AÇÕES IBOVESPA CNPJ: 01.135.345/0001-15 Poá - SP, julho de 2005 Prezado Cotista, Estamos disponibilizado o balanço do fundo ITAÚ ÍNDICE AÇÕES IBOVESPA - Fundo de Investimento em Cotas de Fundos

Leia mais

Conhecimentos Bancários

Conhecimentos Bancários Conhecimentos Bancários Conhecimentos Básicos em Administração Financeira: Fundamentos e Técnicas; Orçamento e Controle de Custos Professor Lucas Silva www.acasadoconcurseiro.com.br Conhecimentos Bancários

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANGUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: CONTABILIDADE DE CUSTOS Eixo tecnológico: GESTÃO E NEGOCIOS

Leia mais

CONTROLADORIA E FINANÇAS

CONTROLADORIA E FINANÇAS CONTROLADORIA E FINANÇAS Objetivo: Capacitar profissionais para a análise e reflexão crítica, direcionada ao desenvolvimento e à implementação de novos processos empresariais, por meio de aplicação de

Leia mais

FACULDADE AÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ALINE WANZUITA GIOSELE CRISTIANI NUNES ALBERTON RICARDO LUIS CECHET

FACULDADE AÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ALINE WANZUITA GIOSELE CRISTIANI NUNES ALBERTON RICARDO LUIS CECHET FACULDADE AÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ALINE WANZUITA GIOSELE CRISTIANI NUNES ALBERTON RICARDO LUIS CECHET 1 FUNDAMENTOS LEGAIS A Lei 11.638/07 passou a exigir a obrigatoriedade do ajuste a valor presente

Leia mais