São José dos Campos, 13/09/2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "São José dos Campos, 13/09/2011"

Transcrição

1 Clóvis Luís Padoveze São José dos Campos, 13/09/2011 1

2 1. Controladoria 2. Processo de Gestão 3. A Controladoria no Processo de Gestão 2

3 Controladoria como Ciência Consiste em corpo de doutrinas e conhecimentos relativos à gestão econômica das empresas, com o fim orientá-las para a eficácia. É a utilização da Ciência Contábil em toda a sua plenitude. 3

4 Controladoria como Ciência CIÊNCIA CONTÁBIL - Conceitos Escola Americana Processo de comunicação de informação econômica para tomada de decisão Escola Italiana Ciência que estuda e enuncia as leis do controle econômico das empresas Teorias Contábeis Teoria da Decisão Teoria da Mensuração Teoria da Informação 4

5 Objetivos da Controladoria A - Controle do Patrimônio Empresarial Antecedente (Preliminar) Concomitante (Concorrente) Subseqüente (Pós-Controle) B - Assegurar a Eficácia Empresarial Através da Otimização dos Resultados Planejados 5

6 O lucro corretamente mensurado é a melhor medida da eficácia do sistema empresa 6

7 Contabilidade Gerencial e Contabilidade Financeira Contabilidade Financeira Contabilidade Gerencial Financeira 1 - Orientação Histórica 2 - Custo como base de Valor 3 - Princípios Contábeis 4 - Relatórios Padrões Ciência Contábil Gerencial 1 - Perspectiva de Futuro 2 - Valor da Empresa (Fluxo Futuro de Benefícios) 3 - Ciência Contábil 4 - Informações (Relatórios) para qualquer decisão 7

8 Controladoria e Ciência Contábil Controladoria Unidade Administrativa Ciência Contábil Contabilidade Financeira Contabilidade Gerencial 8

9 Missão da Controladoria A missão da controladoria é assegurar a eficácia da empresa por meio da otimização de seus resultados. Lucro : melhor medida da eficácia empresarial. Heckert e Wilson À Controladoria não compete o comando do navio, pois esta tarefa é do primeiro executivo; representa, entretanto, o navegador que cuida dos mapas de navegação. É sua finalidade manter informado o comandante quanto à distância percorrida, ao local em que se encontra, e à velocidade da embarcação, à resistência encontrada, aos desvios da rota, aos recifes perigosos e aos caminhos traçados nos mapas, para que o navio chegue ao destino. Peleias Dar suporte à gestão dos negócios da empresa, de modo a assegurar que esta atinja seus objetivos, cumprindo assim sua missão. 9

10 O Setor de Controladoria na Hierarquia Presidência, Diretoria ou Gerência Produção Administração e Finanças Comercialização Administração Geral Recursos Humanos Controladoria Finanças Tecnologia de Informação Faturamento 10

11 Controladoria e as demais áreas da Empresa A Empresa Missão, Crenças e Valores Produtos / Serviços e Processos Áreas de Responsabilidade Compras Produção Desenvolvimento de Produtos Comercialização Finanças Sistemas de Informação de Apoio às Operações Sistemas de Informação de Apoio à Gestão CONTROLADORIA Asseguradora da Eficácia Empresarial 11

12 Estrutura da Controladoria CONTROLADORIA Controle Interno Relações com Investidores Sistema de Informação Gerencial Planejamento e Controle Escrituração Orçamento, Projeções e Análise de Investimentos Contabilidade de Custos Contabilidade por Responsabilidades Contabilidade Societária Acompanhamento do Negócio Controle Patrimonial Gestão do Risco Contabilidade Tributária (apuração) Gestão Tributária É a responsável pelo sistema de informação contábil gerencial da empresa. Deve atuar fortemente em todas as etapas do processo de gestão da empresa. A controladoria não se pode furtar, também, as suas funções de execução das tarefas regulamentares. A administração do sistema de informação gerencial deve ter o monitoramento permanente do controller, para alcançar a integração.

13 Papel do Controller Monitoramento dos Sistemas de Informações Gerenciais; Apoio aos demais gestores; Influência; Persuasão; Não toma decisões operacionais, exceto as da sua área; Compromisso com a mensuração correta do lucro! 13

14 Eficácia e Contabilidade Lucro como Medida da Eficácia da Empresa Planejamento e Controle com Enfoque em Resultados Valor da Empresa 14

15 O Processo de Gestão 15

16 Processo de Gestão Conjunto de teorias, conceitos, modelos e atividades para gestão das entidades. Decorre das crenças e valores da empresa e alinha-se com a sua missão. 16

17 Processo de Gestão Planejamento Planejamento Estratégico Planejamento Operacional Programação Execução Controle 17

18 Processo de Gestão Fases do Processo Finalidade Produto Planejamento Estratégico Planejamento Operacional Programação Execução Garantir a Missão e a Continuidade Otimizar o Resultado a Médio e a Longo Prazo Otimizar no Curto Prazo Otimizar o Resultado de cada Transação Diretrizes e Políticas Estratégicas Plano Operacional Programa Operacional Transações Controle Corrigir e Ajustar para Garantir a Otimização Ações Corretivas 18

19 A Controladoria Estratégica 19

20 A Controladoria na Estratégia Planejamento Estratégico Leitura do Ambiente e Cenários Informações para a Estratégia Sistema de Informação De Acompanhamento do Negócio Balanced Scorecard - Controle de Metas Estratégicas Gerenciamento do Risco 20

21 A Controladoria na Estratégia Análise SWOT Análise SWOT 2 Capitalizar 4 Monitorar Pontos Fortes 3 Melhorar 1 Eliminar Pontos Fracos Oportunidades Riscos S - Strenghts - W - Weaknesses - O - Opportunities - T - Threats - Forças Pontos Fortes Fraquezas Pontos Fracos Oportunidades Ameaças 21

22 A Controladoria na Estratégia Cenários I II III Otimista Moderado Pessimista Probabilidade 25% 50% 25% PIB - Mundial - Variação 2,5% 1,5% 0,5% PIB - EUA - Variação 4,0% 2,5% 1,5% PIB - Europa - Variação 3,5% 2,0% 1,0% PIB - Japão - Variação 3,0% 1,5% 0,5% PIB - Brasil - Variação 0,5% -2,0% -4,0% Balanço de pagamentos - US$ bi 4,0 6,0 8,0 Reservas Internacionais - US$ bi 30,0 32,0 34,0 Déficit público - % do PIB 4,0% 4,5% 5,0% Dívida Externa - US$ bi Juros Nominais - % 20% 24% 28% Taxa de Câmbio - % 5% 7% 9% Inflação anual - IPC - % 12% 10% 8% Taxa média desemprego 7,5% 8,5% 9,5% Crescimento do setor 10% 5% 0% Crescimento da empresa 12% 7% 2% Crescimento da Unidade de Negócio 1 15% 12% 10% Crescimento da Unidade de Negócio 2 10% 9% 7% 22

23 Informações para Estratégia Sistema de Informação de Acompanhamento do Negócio Centra-se em coletar e armazenar informações que possibilite visualizar a empresa no seu ramo de atuação, dentro da conjuntura econômica: a - desempenho das vendas, clientes e mercados; b - situação econômica geral do setor de atuação da empresa, da situação econômica geral do país e do mundo; c - indicadores de evolução internos versus os externos (preços, crescimento das vendas, indicadores de produtividade, etc.); d - desempenho das empresas concorrentes, das importações e exportações dos produtos concorrentes e substitutos; e - avaliação do tamanho dos mercados em que a empresa atua (consumo aparente) e participação da empresa no mercado (market-share); f - informações sobre produtividade, qualidade, recursos humanos, satisfação dos clientes, etc. 23

24 Balanced Scorecard Financeira ROCE Do Cliente Lealdade dos Clientes Pontualidade das Entregas Dos Processos de Negócios Qualidade dos Processos Ciclo dos Processos Do Aprendizado e Crescimento Capacidades do Funcionário 24

25 Gerenciamento do Risco Conformidade Desempenho Controle de ameaças/ riscos internos Coisas ruins podem acontecer Gestão do Risco Retorno de oportunidades externas Boas coisas podem não acontecer 25

26 Gerenciamento do Risco Etapas para implantação de um sistema de Gerenciamento do Risco Corporativo 1. Identificação dos riscos 2. Classificação dos riscos 3. Avaliação dos riscos: probabilidade e impacto 4. Mensuração dos riscos 5. Mitigação ou desenvolvimento de sistemas de proteção 6. Atribuir responsabilidades e verificar o impacto contábil imediato 26

27 Relatório Geral de Avaliação do Risco A = Alto M = Moderado B = Baixo Avaliação Sistema de Riscos Identificados Dado Variação Valor Probabilidade Valor do Proteção Contabilização Impacto Possível Nominal Avaliação % Risco Tipo Valor Riscos correntes Patrimoniais Aplicações Financeiras B 1% A 200 Swap sim Créditos em moeda estrangeira 2,90 20% M 50% A Securitização não Débitos em moeda estrangeira 2,90 20% M 50% A Hedge Cambial sim Perdas no estoque não contabilizadas A 90% A SIG (1) 0 não Créditos com clientes concentrados B 10% A SIG 0 não Inadimplências - atrazos existentes A 99% A SIG 0 não Imobilizados - passíveis de furtos B 10% B 200 Seguro 500 não Imobilizados - obsolescência B 2% A SIG 0 não Soma Contingentes Processo Trabalhista B 2% B 80 não 0 não Processo Trabalhista N A 95% A não 0 sim Risco Trabalhista N B 5% A SIG 0 não Risco Procedimento ICMS M 50% A SIG 0 não Risco Procedimento IR/CSLL M 50% A SIG 0 não Soma Riscos futuros Patrimoniais Resultados de Controladas 1 20% M 50% A SIG 0 não Perda de controle interno 1 2% B 20% M SIG 0 não Soma Operacionais Aumentos de custos de fornecedores 1 15% B 20% A Contrato Futuro não Estratégicos Perda de market-share 1 10% B 5% A SIG 0 não Total Geral (1) SIG - Sistema de Informação Gerencial 27

28 Da Estratégia a Programação Planejamento Estratégico Planejamento Operacional Leitura e Análise do Ambiente Construção de Cenários Premissas Orçamentárias Orçamento Sistemas de Informações 28

29 A Controladoria no Planejamento Operacional 29

30 A Controladoria no Planejamento Determinação da Estrutura do Ativo (Empresa, Unidades de Negócio, Linhas de Produto) Determinação da Estrutura do Passivo Ativo Passivo Capital de Giro Capital de Terceiros Ativo Fixo Capital Próprio 30

31 A Controladoria na Programação 31

32 A Controladoria na Programação Execução do Plano Orçamentário Definição do modelo; Elaboração; Cronograma; Monitoramento; Controle Orçamentário; Utilização para Avaliação de Desempenho. 32

33 A Controladoria na Execução 33

34 A Controladoria na Execução A - Gestão Operacional B - Gestão dos Eventos Econômicos 34

35 Gestão Operacional 1 - Modelos para Gestão do Capital de Giro Modelo de Feuriet Modelo Ortodoxo Ciclo Operacional / Financeiro Indicadores de Atividades 2 - Modelos para Gestão do Ativo Permanente Avaliação do Retorno dos Investimentos Gestão do Fluxo Futuro dos Serviços 35

36 Gestão dos Eventos Econômicos Construção de Modelos para Tomada de Decisão das Transações; Utilização dos Conceitos de Custo de Oportunidade (taxas de juros, preços de mercado, etc.); Compra à Vista, Compra à Prazo; Venda à Vista, Venda à Prazo; Aplicações Financeiras, etc. 36

37 A Controladoria no Controle e Avaliação de Desempenho 37

38 A Controladoria no Controle e Avaliação de Desempenho A - Gestão de Custos; B - Gestão de Preços de Venda; C - Avaliação do Desempenho Global; D - Avaliação do Desempenho Setorial; E - Monitoramento do Valor da Empresa. 38

39 Gestão de Custos Métodos, Formas e Sistemas de Acumulação; Apuração dos Custos Unitários; Modelos de Decisão: Margem de Contribuição e Ponto de Equilíbrio; Inflação da Empresa; Política de Redução de Custos. 39

40 Gestão de Preços de Venda Formação de Preços de Venda a partir do Custo Preço de Venda de Marketing: Valor Percebido pelo Consumidor Análise de Rentabilidade: - Produtos - Clientes - Canais de Distribuição - Por Fator Limitante 40

41 Avaliação de Desempenho Global Análise de Balanço Liquidez x Rentabilidade Análise da Geração de Lucro 41

42 Avaliação de Desempenho Setorial Visão Multidimensional Unidades de Negócios Divisões Centros de Lucros Filiais, Estabelecimentos Centros de Custos Produtos / Linhas de Produtos Processos / Atividades 42

43 Valor da Empresa Valor Contábil Valor de Mercado Valor Econômico Valor dos Intangíveis - Capital Intelectual - Conhecimento - Marcas - Clientela - Organizacional Criação de Valor - da Empresa - para os acionistas - EVA - MVA 43

44 Atividades Regulamentares Escrituração; Demonstrações publicáveis; Atendimento à área fiscal; Atendimento aos investidores, bancos e instituições relacionadas; Atendimento ao Público Interno. 44

45 Instrumentos de Controladoria no Processo de Gestão Visão Geral Planejamento Estratégico Planejamento Operacional Programação Execução Controle Cenários Sistema de Informações BSC Gestão de Riscos Determinação da Estrutura Patrimonial Plano Orçamentário Modelos Decisórios para Eventos Econômicos Custos e PV Avaliação de Resultados e Desempenho 45

46

16/11/2016. Clóvis Luís Padoveze. Segundo Hermman Jr. (Fundador da Editora Atlas) Na obra-prima de Paccioli, Summa de arithmetic, geometria et

16/11/2016. Clóvis Luís Padoveze. Segundo Hermman Jr. (Fundador da Editora Atlas) Na obra-prima de Paccioli, Summa de arithmetic, geometria et 1. A Importância da para a Administração das Organizações 2. e 3. Controladoria 4. O Momento Atual: Desafios 5. Controladoria e o Processo de Gestão 6. Mercado de trabalho Clóvis Luís Padoveze Palmas,

Leia mais

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze 1 A Controladoria no Processo de Gestão Clóvis Luís Padoveze Cascavel - 21.10.2003 2 1. Controladoria 2. Processo de Gestão 3. A Controladoria no Processo de Gestão 3 Visão da Ciência da Controladoria

Leia mais

Clóvis Luís Padoveze

Clóvis Luís Padoveze Clóvis Luís Padoveze Florianópolis, SC, 20/09/2016 1. A Importância da Contabilidade para a Administração das Organizações 2. Contabilidade Financeira e Gerencial 3. Controladoria 4. O Momento Atual: Desafios

Leia mais

CURSO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS COM ÊNFASE EM INOVAÇÃO CLARO EMENTA

CURSO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS COM ÊNFASE EM INOVAÇÃO CLARO EMENTA CURSO MBA GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS COM ÊNFASE EM INOVAÇÃO CLARO EMENTA QUADRO DE DISCIPLINAS * Curso MBA Gestão Estratégica de Negócios Horas-Aula** Módulo I 240 Economia Empresarial 24 Finanças

Leia mais

O Papel da Controladoria sob o Enfoque da Gestão Econômica

O Papel da Controladoria sob o Enfoque da Gestão Econômica O Papel da sob o Enfoque da Gestão Econômica Prof. Carlos Alberto Pereira : necessidade ou modismo??? Foco: para se alcançar os objetivos é preciso clarificá-los Sinergia: a otimização isolada das partes

Leia mais

Sumário. Parte I Administração Financeira e Mercados Financeiros, 1

Sumário. Parte I Administração Financeira e Mercados Financeiros, 1 Sumário Prefácio à 12 a Edição, xvii Parte I Administração Financeira e Mercados Financeiros, 1 1 Introdução à Administração Financeira, 3 1.1 Administração financeira nas empresas, 3 1.1.1 Objetivos das

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE DISCIPLINAS DA SÉRIE ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.2 Ciências Contábeis - Campus Mossoró) 3ª SÉRIE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA II DIREITO TRIBUTARIO LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ORÇAMENTO PUBLICO TEORIA

Leia mais

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL EY QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas (*) Horas-aula (**) I - Núcleo de Pessoas 1. Comunicação Interpessoal e Aspectos Motivacionais 2. Liderança 3. Negociação II - Núcleo de Controladoria

Leia mais

Professora: Mestre Greyce Lara Pereira Disciplina: Orçamento Empresarial 7º Período Turma: Única Data: 13/02/2017 NOTAS DE AULA

Professora: Mestre Greyce Lara Pereira Disciplina: Orçamento Empresarial 7º Período Turma: Única Data: 13/02/2017 NOTAS DE AULA Professora: Mestre Greyce Lara Pereira Disciplina: Orçamento Empresarial 7º Período Turma: Única Data: 13/02/2017 NOTAS DE AULA Temática: Organização do Sistema de Orçamento Referências: PADOVEZE, Clóvis

Leia mais

17 de novembro de Como a Controladoria pode melhorar a performance da empresa: insights da prática e das pesquisas

17 de novembro de Como a Controladoria pode melhorar a performance da empresa: insights da prática e das pesquisas 17 de novembro de 2016 Como a Controladoria pode melhorar a performance da empresa: insights da prática e das pesquisas Agenda Nossa missão Estrutura Processo Orçamentário Orçamento Matricial Despesas

Leia mais

PROPOSTA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PARA NOVA REDAÇÃO DOS ARTIGOS 21 A 29 DO ESTATUTO SOCIAL, QUE TRATAM DOS CARGOS E ATRIBUIÇÕES DA DIRETORIA

PROPOSTA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PARA NOVA REDAÇÃO DOS ARTIGOS 21 A 29 DO ESTATUTO SOCIAL, QUE TRATAM DOS CARGOS E ATRIBUIÇÕES DA DIRETORIA PROPOSTA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PARA NOVA REDAÇÃO DOS ARTIGOS 21 A 29 DO ESTATUTO SOCIAL, QUE TRATAM DOS CARGOS E ATRIBUIÇÕES DA DIRETORIA Senhores Acionistas, O Conselho de Administração da Metalfrio

Leia mais

Conceito de Orçamento INTRODUÇÃO AO ORÇAMENTO 16/08/2016

Conceito de Orçamento INTRODUÇÃO AO ORÇAMENTO 16/08/2016 Conceito de Orçamento INTRODUÇÃO AO ORÇAMENTO O orçamento compreende um conjunto de ações sistematizadas que têm como objetivo projetar e controlar os resultados financeiros da empresa em um determinado

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Riscos de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Riscos de Capital Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Riscos de Capital 2014 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 7 2 1. Introdução

Leia mais

CONTABILIDADE GERENCIAL

CONTABILIDADE GERENCIAL CONTABILIDADE GERENCIAL 1 1.1 - Objetivos da Contabilidade 1.1.1 - Estrutura Conceitual Básica da Contabilidade Deliberação CVM* nº 29 de 05/02/1986: A Contabilidade é, objetivamente, um sistema de informação

Leia mais

Gestão Integrada de Custos e Orçamentos Objetivos Gerais: A Gestão Integrada de Custos e Orçamentos permite detetar e eliminar desperdícios e otimiza ações estratégicas para o controle de gastos. Ao adotar

Leia mais

Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico. Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270

Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico. Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270 Palestra Virtual Como Fazer um Planejamento Estratégico Maicon Putti Consultor Empresarial CRA/PR 19270 Definição Planejamento Estratégico Podemos definir planejamento estratégico como o método pelo qual

Leia mais

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas Economia Empresarial Finanças Corporativas Gestão Contábil Financeira Gestão de Pessoas Gestão da Qualidade e Processos Gestão

Leia mais

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL ITAU UNIBANCO QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas Economia Empresarial Gestão Estratégica Fundamentos do Direito Empresarial Gestão de Pessoas Gestão da Qualidade e Processos Gestão

Leia mais

Ementário das Disciplinas do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis do USJ

Ementário das Disciplinas do Currículo do Curso de Bacharelado em Ciências Contábeis do USJ CONTEÚDOS CURRICULARES: Conteúdos curriculares: ementas das disciplinas/componentes curriculares considerando a adequação dos conteúdos à carga horária (em horas/ créditos), a adequação da bibliografia

Leia mais

ESCOLA DE NEGÓCIOS E GESTÃO

ESCOLA DE NEGÓCIOS E GESTÃO MBA EM GESTÃO FINANCEIRA EMPRESARIAL A decisão de oferecer um curso de Gestão Financeira Empresarial se deve a demanda estimada na região, buscando atender às expectativas de formação profissional. Atualmente,

Leia mais

CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS º PERÍODO

CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS º PERÍODO CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS - 2017.2 2º PERÍODO DISCIPLINA: CONTABILIDADE INTRODUTORIA II Escrituração dos principais atos e fatos decorrentes das operações praticados pelas organizações, bem como

Leia mais

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL TURMA 2016 53 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS MBA EM GESTÃO FINANCEIRA, CONTROLADORIA E AUDITORIA TURMA 27 Vitória-ES APRESENTAÇÃO O curso de MBA em Gestão Financeira, Controladoria

Leia mais

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL

Leia mais

MBA EXECUTIVO EM GESTÃO FINANCEIRA

MBA EXECUTIVO EM GESTÃO FINANCEIRA MBA EXECUTIVO EM GESTÃO FINANCEIRA O MBA Executivo em Gestão Financeira foi desenvolvido sob medida para profissionais que atuam ou desejam atuar como executivos estratégicos na área financeira, a fim

Leia mais

ANEXO I. Página 1 de 7

ANEXO I. Página 1 de 7 ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (2ª EDIÇÃO II/2011 EDITAL EXAME DE SUFICIÊNCIA N.º 1/2011) 1. CONTABILIDADE GERAL a) A Escrituração Contábil:

Leia mais

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO 1 OBJETIVOS DA AULA 3 Dinâmica dos Mercados em Macroeconomia Contas Nacionais - Quantificando o Desempenho da

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA. conexao.com/fgv

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA. conexao.com/fgv CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA EM GESTÃO FINANCEIRA: CONTROLADORIA E AUDITORIA conexao.com/fgv FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas é uma instituição privada, sem fins

Leia mais

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO

ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO ECONOMIA E MERCADO MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS PGCF PROF. JOÃO EVANGELISTA DIAS MONTEIRO 1 OBJETIVOS DA AULA 3 Dinâmica dos Mercados em Macroeconomia Contas Nacionais - Quantificando o Desempenho da

Leia mais

Sumário. Prefácio, xix

Sumário. Prefácio, xix Sumário Prefácio, xix 1 Introdução, 1 Objetivo do livro, 2 1.1 Citações importantes sobre planejamento financeiro com destaque para o fluxo de caixa no contexto empresarial, 2 2 Administração financeira

Leia mais

Gestão da Produção. Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Empresas Classe Mundial

Gestão da Produção. Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Empresas Classe Mundial Gestão da Produção Análise SWOT Balanced Scorecard Mapa Estratégico Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br Empresas Classe Mundial ESTRATÉGIA PRODUTIVIDADE QUALIDADE Balanced ScoreCard Lean

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES. Prof. Isidro

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES. Prof. Isidro ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Isidro TRIPÉ DE DECISÕES DA EMPRESA RENTABILIADE NÍVEIS DE ANÁLISE NÍVEL INTERMEDIÁRIO ALAVANCAGM FINANCEIRA ESTRUTURA DE CAPITAL ANÁLISE DA DOAR ESTRUTURA DE

Leia mais

Estruturação de um Sistema de Informações Contábeis

Estruturação de um Sistema de Informações Contábeis Estruturação de um Sistema de Informações Contábeis Por José Luís Carneiro - www.jlcarneiro.com - Características gerais Objetivos Suporte à Contabilidade Gerencial (Controladoria) Suporte à tomada de

Leia mais

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário

Capítulo Planejamento Orçamentário DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO. Aspectos preliminares importantes. Planejamento orçamentário Capítulo 16 DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO DE ORÇAMENTO 16.1 Planejamento Orçamentário 16.1 Planejamento orçamentário 16.2 Elaboração de quadros orçamentários 16.3 Projeções de resultados Administração Financeira:

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Saúde Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho, Msc. Código SIGA: TMBAES*06_38 1 OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

Sumário. Prefácio à 8 a Edição, xvii Prefácio à 1 a Edição, xix Agradecimentos, xxi

Sumário. Prefácio à 8 a Edição, xvii Prefácio à 1 a Edição, xix Agradecimentos, xxi Sumário Prefácio à 8 a Edição, xvii Prefácio à 1 a Edição, xix Agradecimentos, xxi 1 Contabilidade: Sistema de Informação Gerencial, 1 1.1 Histórico, 2 1.2 Objetivos e finalidade da contabilidade gerencial,

Leia mais

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os

Contabilidade CRISE. Planejamento Financeiro 25/08/2016. Escreve, oficializa É a ciência que registra os CRISE Contabilidade Escreve, oficializa É a ciência que registra os Possuem denominador financeiro comum acontecimentos verificados no patrimônio de uma entidade Conjunto de bens direitos e obrigações

Leia mais

Instrumentos financeiros e a contabilidade de hedge

Instrumentos financeiros e a contabilidade de hedge A evolução das demonstrações contábeis no Brasil Rumo à convergência Instrumentos financeiros e a contabilidade de hedge Tadeu Cendón Agosto 2009 Instrumentos financeiros - definição Ativo financeiro Passivo

Leia mais

Matriz 1 - Ciências Contábeis (Modalidade a Distância)

Matriz 1 - Ciências Contábeis (Modalidade a Distância) Matriz 1 - Ciências Contábeis (Modalidade a Distância) Nivelamentos Total Créditos Teórica Prática Pré-requisito Familiarização com a Educação a Distância 20 - - - Matemática 20 - - - Carga Horária Total

Leia mais

EMENTAS MÓDULO I Governança Corporativa e Indicadores Estratégicos Negociação e Tomada de Decisão Gestão de Projetos

EMENTAS MÓDULO I Governança Corporativa e Indicadores Estratégicos Negociação e Tomada de Decisão Gestão de Projetos EMENTAS MÓDULO I Governança Corporativa e Indicadores Estratégicos Missão, objetivos e metas da Governança Corporativa. Governança Corporativa: conceitos e valores. Os índices brasileiros atrelados a Governança

Leia mais

Pessoa Jurídica - Tamanho

Pessoa Jurídica - Tamanho Pessoa Jurídica - Tamanho 0MEI Microempreendedor individual; 0Microempresa; 0Empresa de Pequeno Porte; MEI Microempreendedor individual 0Foi criado visando a legalização de atividades informais por partes

Leia mais

Unidade I CONTROLADORIA E ORÇAMENTOS. Profª Ma. Divane A.Silva

Unidade I CONTROLADORIA E ORÇAMENTOS. Profª Ma. Divane A.Silva Unidade I CONTROLADORIA E ORÇAMENTOS Profª Ma. Divane A.Silva Controladoria e Orçamentos A disciplina está dividida em duas Unidades: Unidade I 1. Missão e Estrutura da Controladoria e o Papel do 2. O

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Emerson Carlos Baú Msc Ciências Econômicas

PLANO DE NEGÓCIOS. Emerson Carlos Baú Msc Ciências Econômicas PLANO DE NEGÓCIOS Emerson Carlos Baú Msc Ciências Econômicas O QUE É PLANO DE NEGÓCIO? Um Plano de Negócio é um documento que descreve os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para que

Leia mais

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO SOFTWARES DE SEGMENTO MOVELEIRO CSW MOVELEIRO Um segmento que pede boas ferramentas de controle de estoques, demandas, pedidos e processos precisa de soluções seguras e eficientes para otimizar as rotinas

Leia mais

O que será visto neste tópico...

O que será visto neste tópico... FEA -USP Graduação em Ciências Contábeis EAC0511-2014/2 Turma 01 Profa. Joanília Cia 1. Introdução Tema 01 Introdução I. Evolução de Finanças II. Questões de Finanças x Oquestões Oportunidades de Carreira

Leia mais

Inteligência Empresarial

Inteligência Empresarial SOLUÇÕES WK Inteligência Empresarial A Solução para da WK Sistemas contempla um conjunto de ferramentas que permitem integrar através de Dashboards e Relatórios personalizados informações das diversas

Leia mais

GUIA SOBRE CONTROLADORIA ESTRATÉGICA

GUIA SOBRE CONTROLADORIA ESTRATÉGICA GUIA SOBRE CONTROLADORIA ESTRATÉGICA SUMÁRIO INTRODUÇÃO 3 AFINAL, O QUE É UMA CONTROLADORIA ESTRATÉGICA? 6 COMO ELA FUNCIONA NA PRÁTICA? 10 O QUE FAZ UM CONTROLLER? 14 COMO FAZER UMA CONTROLARIA DA MELHOR

Leia mais

Ciências exatas e da terra. Erivelton de Oliveira Alves. PROFESSOR(A) TITULAÇÃO GRANDE ÁREA (CNPq) * EMENTA

Ciências exatas e da terra. Erivelton de Oliveira Alves. PROFESSOR(A) TITULAÇÃO GRANDE ÁREA (CNPq) * EMENTA Disciplinas, ementas e carga horaria DO CURSO DE Especialização Lato Sensu, Gestão Estratégica nos Agronegócios e suas tecnologias, do campus de Santa Helena de Goias. Matemática financeira 15 Nilcyneia

Leia mais

Profª Valéria Castro V

Profª Valéria Castro V Profª Valéria Castro Críticas Sistemas tradicionais de mensuração de desempenho devido ao foco em medidas financeiras de curto prazo. Dificultam a criação de valor econômico para o futuro. BSC propõe o

Leia mais

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal

Desenvolvimento de Negócios. Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Desenvolvimento de Negócios Planejamento Estratégico Legal: da concepção à operacionalização Competências necessárias para o Gestor Legal Gestão Estratégica Para quê? Por Quê? Para fazer acontecer e trazer

Leia mais

AULA 2 CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. PROCÓPIO ETEC HORÁCIO AUGUSTO Não fique sem o conteúdo, acesse:

AULA 2 CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. PROCÓPIO ETEC HORÁCIO AUGUSTO Não fique sem o conteúdo, acesse: INTRODUÇÃO AULA 2 CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. PROCÓPIO A contabilidade gerencial utilizar-se de temas de outras disciplinas, ela se caracteriza pôr ser uma área contábil autônoma, pelo tratamento dado

Leia mais

Orçamento. (continuação) 27/09/2016. Orçamento de Vendas. Orçamento de Produção. Orçamento de Estoque Final

Orçamento. (continuação) 27/09/2016. Orçamento de Vendas. Orçamento de Produção. Orçamento de Estoque Final Orçamento (continuação) Vendas Estoque Final Produção matéria-prima direta mão-de-obra direta custos indiretos de fabricação Custo dos Produtos Vendidos investimentos financiamentos Caixa despesas de vendas

Leia mais

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23

Sumário EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 EDITAL SISTEMATIZADO CONTABILIDADE... 19 APRESENTAÇÃO DO LIVRO... 23 PARTE I CONTABILIDADE GERAL CAPÍTULO I NOÇÕES DE CONTABILIDADE... 27 1. Noções de Contabilidade... 27 1.1. Conceitos, objetivos, campo

Leia mais

ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS. Princípios da Contabilidade de Custos Finalidade; Objetivos e enfoque (gerencial, formal e aspectos legais) 18/02/2016

ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS. Princípios da Contabilidade de Custos Finalidade; Objetivos e enfoque (gerencial, formal e aspectos legais) 18/02/2016 ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTOS Princípios da Contabilidade de Custos Finalidade; Objetivos e enfoque (gerencial, formal e aspectos legais) 18/02/2016 CONTABILIDADE X CUSTOS Contabilidade é a ciência que

Leia mais

CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS º PERÍODO

CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS º PERÍODO CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS - 2017.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA I Estudo dos conceitos básicos da contabilidade, execução de lançamentos contábeis e a preparação dos demonstrativos

Leia mais

Política de Estrutura. de Gerenciamento de Capital

Política de Estrutura. de Gerenciamento de Capital Política de Estrutura de Gerenciamento de Capital Junho/2017 Sumário 1) Objetivo... 3 2) Conceituação/Definição... 3 3) Abrangência / Áreas Envolvidas... 3 4) Responsabilidades... 3 5) Diretrizes... 6

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Unidade 4: Implementação e controle do planejamento estratégico 1 SEÇÃO 4.1 A ESTRUTURA E A CULTURA ORGANIZACIONAL NA IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA 2 Estrutura organizacional Especifica

Leia mais

Funções contábeis: Técnicas contábeis: Campo de aplicação: Classificação geral: Áreas de atuação da contabilidade:

Funções contábeis: Técnicas contábeis: Campo de aplicação: Classificação geral: Áreas de atuação da contabilidade: Síntese Contábil Contabilidade: Contabilidade é a ciência que se ocupa do registro, por meio de técnicas próprias, dos atos e fatos da administração das entidades econômicofinanceiras, que possam ser

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial Coordenação Acadêmica: Prof. André Limeira, Doutor Código no SIGA: TMBAGE*12_38 Proposta de Curso de Especialização - MBA 1 JUSTIFICATIVA

Leia mais

Unidade IV PLANEJAMENTO OPERACIONAL: Prof. Me. Livaldo dos Santos

Unidade IV PLANEJAMENTO OPERACIONAL: Prof. Me. Livaldo dos Santos Unidade IV PLANEJAMENTO OPERACIONAL: RECURSOS HUMANOS E FINANÇAS Prof. Me. Livaldo dos Santos Objetivos Entender o significado de orçamento. Identificar os princípios de planejamento. Conhecer as etapas

Leia mais

Controladoria para Gestão Empresarial

Controladoria para Gestão Empresarial Controladoria para Gestão Empresarial Aderson de Castro Soares Neto Mestre em Administração de Empresas com foco em empreendedorismo pela FACCAMP (SP). Especialista em Marketing pela PUC-Rio de Janeiro;

Leia mais

POLÍTICA GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA GESTÃO DE RISCOS 07/03/2017 1 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes, estratégias e responsabilidades na Gestão de Riscos das Empresas Randon, assim como a conceituação, identificação e análise

Leia mais

Sumário. Apresentação, xvii Nota sobre os Autores, xix

Sumário. Apresentação, xvii Nota sobre os Autores, xix Sumário Apresentação, xvii Nota sobre os Autores, xix 1 Contabilidade Geral Rodrigo de Souza Gonçalves e Fernanda Fernandes Rodrigues, 1 Objetivos, 1 Introdução, 1 1 Plano de contas elaboração e utilização,

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Administração Organizacional I As teorias administrativas. A evolução da administração e do pensamento administrativo. O ambiente organizacional:

Leia mais

FERRAMENTAS DE CONTROLADORIA PARA ORGANIZAÇÕES

FERRAMENTAS DE CONTROLADORIA PARA ORGANIZAÇÕES 1 FERRAMENTAS DE CONTROLADORIA PARA ORGANIZAÇÕES Heitor Ferrari Marbak¹ John Lenon da Silva² RESUMO Esta pesquisa foi formulada com o objetivo de apresentar a importância das ferramentas de controladoria

Leia mais

Planejamento financeiro e orçamento empresarial. Finanças e contábil

Planejamento financeiro e orçamento empresarial. Finanças e contábil Planejamento financeiro e orçamento empresarial Por Julio Diniz Jr. CONCEITOS A DESTACAR Crescimento da empresa, planejamento, orçamento; Investimentos produtivos, financeiros e financiamentos; Visão,

Leia mais

1 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA POLÍTICA DE PREÇOS... 15

1 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA POLÍTICA DE PREÇOS... 15 Sumário Prefácio à 5 a Edição... xxi Prefácio à 1 a Edição... xxv Introdução... 1 PARTE I ASPECTOS ESTRATÉGICOS E MERCADOLÓGICOS DO PREÇO... 13 1 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA POLÍTICA DE PREÇOS... 15 1.1

Leia mais

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO SOFTWARES DE SEGMENTO METAL MECÂNICO CSW METAL MECÂNICO Setor diretamente ligado à consolidação da economia, enfrenta os desafios da constante renovação tecnológica, do aumento da capacidade de produção

Leia mais

5. Estudo de Aplicação

5. Estudo de Aplicação 5. Estudo de Aplicação 5.1. Introdução Este capítulo objetiva relatar a experiência da utilização do Balanced Scorecard (BSC), como ferramenta para medição e avaliação do desempenho logístico, pela área

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: Ciências Contábeis Semestre Letivo / Turno: 8º Semestre/Noite Disciplina: Controladoria Professor (a): Carga Horária Presencial: 50 aulas Período : Ementa da disciplina:

Leia mais

ANEXO III. Disciplina Cr Ementa Início Fim

ANEXO III. Disciplina Cr Ementa Início Fim ANEXO III Quadro de Disciplinas Especiais ou Unidades de Especiais Pós-Graduação Lato Sensu - UnisulVirtual e seus Respectivos Valores Semestre 017.1 B UA No. De turma 180 181 Disciplina Cr Ementa Início

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira 1 Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2010 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão

Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão 1. Direito Constitucional 1.1. A Constituição Federal de 1988 1.1.1. Dos Princípios Fundamentais 1.1.2. Dos Direitos e Garantias Fundamentais

Leia mais

CONVERSÃO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

CONVERSÃO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONVERSÃO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Os 5 (cinco) métodos Historicamente, cinco métodos de conversão de demonstrativos financeiros foram sugeridos por diversos autores e estudiosos da matéria, alguns

Leia mais

Julgamento Atribuição de conceito (qualitativo) ou valor (quantitativo) segundo padrões ou regras préestabelecidas

Julgamento Atribuição de conceito (qualitativo) ou valor (quantitativo) segundo padrões ou regras préestabelecidas UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP Curso de Ciências Contábeis Disciplina: Avaliação de Desempenho Gerencial Prof. Izilda Lorenzo Resumo da Aula Medidas de Avaliação de Desempenho Avaliação de Desempenho Julgamento

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Resolução 3.988/2011. Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL Área Responsável: Risco de Crédito e Capital Gerência de Capital Sumário RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 3 1. INTRODUÇÃO... 3

Leia mais

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios

COMUNICADO. 1. Ambiente de Negócios 1.2 Contexto dos Pequenos Negócios no Brasil 1.3 Políticas públicas de apoio aos Pequenos Negócios COMUNICADO O SEBRAE NACIONAL Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, por meio da Universidade Corporativa SEBRAE, comunica que, na prova, serão avaliados conhecimentos conforme as áreas descritas

Leia mais

DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL

DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL JANEIRO A DEZEMBRO DE 2012 SUMÁRIO DESCRIÇÃO DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL... 4 1. FINALIDADE... 4 2. RESPONSABILIDADE

Leia mais

de Empresas e Projetos

de Empresas e Projetos Avaliação de Empresas e Projetos MBA em Finanças as Habilitação Finanças as Corporativas Projeções de Fluxos de Caixa e Taxas de crescimento Processo de análise Análise da performance histórica Projeção

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO, O QUE É?

PLANO DE NEGÓCIO, O QUE É? PLANO DE NEGÓCIO P l a n o d e N e g ó c i o é u m documento capaz de mostrar toda a viabilidade e estratégias do negócio, do ponto de vista e s t r u t u r a l, a d m i n i s t r a t i v o, estratégico,

Leia mais

QUADRO DE DISCIPLINAS

QUADRO DE DISCIPLINAS QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas 1 Horas- Aula 2 1. Fundamentos do Gerenciamento de Projetos 24 2. Gerenciamento do Escopo em Projetos 24 3. Gerenciamento da Qualidade em Projetos 12 4. Gerenciamento

Leia mais

Matriz 1 - Administração (Modalidade a Distância)

Matriz 1 - Administração (Modalidade a Distância) Matriz 1 - Administração (Modalidade a Distância) Nivelamento Língua Portuguesa 20 - - - 1º PERÍODO Comunicação Empresarial 60 3 3 - Fundamentos das Ciências Sociais 60 3 3 - Matemática Aplicada à Administração

Leia mais

x Contabilidade Rural Crepaldi

x Contabilidade Rural Crepaldi Sumário Prefácio à 8 a edição, xix Prefácio à 7 a edição, xxi Prefácio à 6 a edição, xxiii Prefácio à 4 a edição, xxv Prefácio à 3 a edição, xxvii Prefácio à 2 a edição, xxix Prefácio à 1 a edição, xxxi

Leia mais

Sumário. Apresentação à 17ª Edição, XIII. Apresentação, XV. Parte I Ensino Focado no Usuário, 1

Sumário. Apresentação à 17ª Edição, XIII. Apresentação, XV. Parte I Ensino Focado no Usuário, 1 Sumário Apresentação à 17ª Edição, XIII Apresentação, XV Parte I Ensino Focado no Usuário, 1 1 A CONTABILIDADE E O CONTADOR, 3 1.1 Tomada de decisão, 3 1.2 Função do contador, 5 1.3 Objetivos da contabilidade,

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA NAS EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE

A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA NAS EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS CIÊNCIAS CONTÁBEIS 4º ANO Cleide Helena Aparecida de Oliveira Thiago Henrique Coelho A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA

Leia mais

Unidade II ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES. Profa. Rachel Brandão

Unidade II ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES. Profa. Rachel Brandão Unidade II ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Profa. Rachel Brandão Indicadores econômico-financeiros Índices como indicadores: Indispensável ao analista Quantidade? Variável Amplitude e agrupamento :

Leia mais

sumário Apresentação, xvii Introdução, 1

sumário Apresentação, xvii Introdução, 1 sumário Apresentação, xvii Introdução, 1 1 Estrutura conceitual básica e apresentação das demonstrações contábeis, 3 1.1 Introdução, 3 1.2 Finalidade da estrutura conceitual, 5 1.3 Objetivo do relatório

Leia mais

Sumário. Prefácio, XXI. Apresentação, XXIII. Como Utilizar este Livro, XXV. Introdução, 1

Sumário. Prefácio, XXI. Apresentação, XXIII. Como Utilizar este Livro, XXV. Introdução, 1 V Prefácio, XXI Apresentação, XXIII Como Utilizar este Livro, XXV Introdução, 1 1 Aprendendo a Fazer uma Boa Análise de Balanços. O Caso Abdul, 5 1.1 Aprendendo a fazer uma boa análise de balanços, 5 1.2

Leia mais

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO

SOFTWARES DE GESTÃO SEGMENTO SOFTWARES DE SEGMENTO P LÁS TIC O S E DE EMBALAGENS CSW PLÁSTICOS E EMBALAGENS Empresas que atuam neste segmento necessitam de planejamento e gerenciamento com especial atenção na produção para o controle,

Leia mais

CONTROLADORIA II MBA Estácio 26/06/2017

CONTROLADORIA II MBA Estácio 26/06/2017 CONTROLADORIA II MBA Estácio 26/06/2017 Prof. Lucas S. Macoris PLANO DE AULA CONTROLADORIA II Aula 1 Boas Vindas e Introdução Aula 5 Orçamento Empresarial Aula 2 Valor de Empresas: Conceitos Básicos Aula

Leia mais

Ementas. Certificate in Business Administration CBA

Ementas. Certificate in Business Administration CBA Ementas Certificate in Business Administration CBA Agosto 2012 Módulo Fundamental Administração Financeira EMENTA: Disciplina desenvolve a capacidade de contribuição para as decisões gerenciais aplicando

Leia mais

Sumário. 1. Atos e fatos administrativos Fatos permutativos ou compensativos Fatos modificativos Fatos mistos...

Sumário. 1. Atos e fatos administrativos Fatos permutativos ou compensativos Fatos modificativos Fatos mistos... Sumário Capítulo 1 Conceito de contabilidade e patrimônio... 15 1. CONCEITO... 15 2. TÉCNICAS CONTÁBEIS... 15 2.1. Escrituração... 16 2.2. Demonstrações contábeis... 16 2.3. Análise de balanços... 16 2.4.

Leia mais

Guia Prático do Planejamento Estratégico

Guia Prático do Planejamento Estratégico Guia Prático do Planejamento Estratégico Introdução A todo o momento surgem ideias para melhorar nossas vidas. A maior parte destas ideias morre, porque não são sistematizadas. Numa empresa também é assim,

Leia mais

Balanced Scorecard A Estratégia em Ação

Balanced Scorecard A Estratégia em Ação Balanced Scorecard A Estratégia em Ação Definições O que é o Balanced Scorecard? É uma ferramenta que permite tangibilizar as estratégias das empresas através de objetivos e indicadores, facilitando sua

Leia mais

Controladoria. 1 Conceitos e enfoques

Controladoria. 1 Conceitos e enfoques 5 Controladoria Marcelo Evandro Johnsson Valter Pereira Francisco Filho O presente capítulo tem por objetivo apresentar o conceito e os enfoques da Controladoria enquanto área responsável por suprir os

Leia mais

ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas

ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas ACADEMIA JACAREZINHO Maio/2009 Charles Pantoja Esteves Administrador de Empresas / Analista de Sistemas S - Strenghts - Pontos Fortes W - Weaknesses - Pontos Fracos O - Opportunities - Oportunidades T

Leia mais

INDICADORES DE DESEMPENHO

INDICADORES DE DESEMPENHO DE DESEMPENHO Indicadores relacionados com o faturamento Faturamento (valor) Faturamento no Exterior (valor) Faturamento Estimado (valor) Evolução do Faturamento (valor ou %) Evolução do Faturamento estimado

Leia mais

Princípios de Finanças MBA Estácio 13/07/2017

Princípios de Finanças MBA Estácio 13/07/2017 Princípios de Finanças MBA Estácio 13/07/2017 Prof. Lucas S. Macoris PLANO DE AULA Princípios de Finanças Aula 1 Boas vindas e Introdução Aula 5 Contabilidade Gerencial Aula 2 Conceitos de Contabilidade

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL Nº 01/201 7 CRESCER CONSULTORIAS

PROCESSO SELETIVO EDITAL Nº 01/201 7 CRESCER CONSULTORIAS ANEXO VI DAS ATRIBUIÇÕES GERAIS DOS CARGOS PERFIL DE COMPETÊNCIAS E DESEMPENHO CARGO ANALISTA / FUNÇÃO ANALISTA DE COOPERATIVISMO E MONITORAMENTO Missão do Cargo: Desenvolver atividades técnicas e prestar

Leia mais