Opinião ABC Brasil /04/2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Opinião ABC Brasil /04/2016"

Transcrição

1 01/04/2016 No início da crise, todos os holofotes estavam sobre os economistas. Qual seria o tamanho da crise? O que fazer para revertê-la? Já chegamos ao fundo do poço? Enquanto as respostas eram apenas econômicas, essa preferência se manteve. Entretanto, a partir do momento em que elas convergiram para a frase pronta depende das questões políticas, coerentemente o foco se voltou para os cientistas políticos. Qual a chance da aprovação das medidas fiscais no Congresso? A CPMF passa? Qual a probabilidade do impeachment ser aprovado? A princípio, parecia que esse protagonismo ainda iria se manter durante muito tempo, até que as atenções se voltassem para os economistas. O problema é que a Operação Lava Jato tem subvertido qualquer análise lógica do quadro político. A nomeação de Lula para a Casa Civil parecia uma decisão que poderia reverter o quadro a favor do Governo, mas as gravações divulgadas pelo juiz Sérgio Moro embaralharam qualquer cenário previsto anteriormente. Hoje mais uma fase da Operação Lava Jato foi deflagrada, a Carbono 14, e parece que o fio da meada pode chegar ao caso Celso Daniel. Portanto, as variáveis são tantas e tão incertas que, o protagonismo dos cientistas políticos deve ser derrubado logo pelo dos videntes, dando companhia aos economistas na torcida, porque apenas com alguma influência extrassensorial, pode-se cravar o que vai acontecer nas próximas semanas. A vantagem dos economistas sobre os cientistas políticos é que, ainda se pode fazer análises econômicas sobre os dados divulgados, isolando-os das movimentações em Curitiba e Brasília. Isso que tentaremos fazer nesse Opinião, ao usarmos o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) como base para discutir a política monetária, a fiscal e o nível de atividade. Grosso modo, o mercado achou o RTI mais hawkish, uma vez que repetiu a parte do discurso de Alexandre Tombini na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado no qual dizia, explicitamente, que não havia espaço para redução dos juros: Nesse contexto, o Comitê reitera que essas condições não permitem trabalhar com a hipótese de flexibilização

2 monetária, e que adotará as medidas necessárias de forma a assegurar o cumprimento dos objetivos do regime de metas, ou seja, circunscrever a inflação aos limites estabelecidos pelo CMN, em 2016, e fazer convergir a inflação para a meta de 4,5%, em (grifo nosso). Além disso, os números dos modelos do BCB reforçaram essa percepção ao mostrar que, mantendo-se os juros estáveis em 14,25% a.a., a inflação em 2016 ficaria além do teto de 6,5% e ainda acima do centro da meta de 4,5% em 2017, como podemos ver na tabela abaixo. Outro fato que chamou a atenção do mercado foi que, entre as premissas que geraram os resultados acima, estava o cumprimento da meta fiscal de superávit de 0,5% do PIB para esse ano e de 1,5% para o ano que vem. Considerando as recentes movimentações do Ministério da Fazenda, que já admite que poderemos ter um déficit primário da ordem de 1,5% esse ano, certamente os resultados da tabela devem ser piores do que estes. O pior é que, talvez, esse número possa ser considerado até otimista, dado o déficit verificado em fevereiro e a expectativa de uma grande liberação de emendas parlamentares, na esteira da luta contra o impeachment na Câmara. 2

3 Por tudo isso, a percepção do mercado foi que não haveria espaço para redução dos juros nem na próxima reunião do COPOM, em abril (27/04), nem, talvez, em nenhuma outra ao longo de Com relação à primeira conclusão, concordamos plenamente. As declarações de Tombini, confirmadas tanto no RTI quanto na entrevista coletiva do diretor Altamir Lopes, são bastante explícitas nesse sentido. Entretanto, mantemos a nossa projeção de redução dos juros já na reunião de junho (08/06). Para defender essa posição vamos voltar ao RTI e explorar um pouco mais a entrevista de Altamir. A questão fiscal é um tema que realmente preocupa o BCB. Prova disso é que, na parte em que o RTI analisa qualitativamente o cenário econômico (a seção 6.2 Riscos associados e implementados da política monetária) temos 27 parágrafos, dos quais 10 são utilizados para mostrar preocupações com o desenvolvimento das contas fiscais do Governo. Curiosidade: Em 6 destes 10 parágrafos é utilizada a frase incertezas quanto ao processo de recuperação dos resultados fiscais e sua composição. Entretanto, apesar da grande preocupação do BCB com a questão fiscal e a certeza de que a premissa utilizada nos seus modelos está defasada, Altamir demonstrou muita tranquilidade quanto ao impacto de uma revisão das projeções dos números fiscais sobre os seus modelos de inflação, dizendo que na data do corte do RTI ainda não tinha sido definida a nova meta fiscal. No entanto, a alteração de 0,5% para 0,15% não vai mudar as projeções para a inflação do BCB. Ou seja, indica que essa não deve ser uma variável determinante para a definição da trajetória dos juros nas próximas reuniões, ao contrário das expectativas de inflação e do nível de atividade: a dinâmica dos preços administrados e um hiato do produto mais desinflacionário que o inicialmente previsto são fatores importantes do contexto em que decisões futuras de política monetária serão tomadas, com vistas a assegurar a convergência da inflação para a meta de 4,5% estabelecida pelo CMN, em No caso da dinâmica dos preços administrados, a questão é que, com o melhor comportamento deste grupo, as expectativas de inflação poderão convergir para níveis mais baixos, como indicou Altamir ao dizer que o ajuste na inflação está em andamento, mas que já começamos a 3

4 colher alguns benefícios com a expectativa do mercado já mostrando desinflação bastante significativa em 2016 e Além disso, disse que espera surpresas positivas à frente. Ou seja, a dinâmica mais favorável da inflação corrente deverá ter uma influência benéfica sobre as expectativas de inflação, quebrando o círculo vicioso de piora que tínhamos no início do ano. Daí a projeção do BCB de que o acumulado em 12 meses mostrará um alívio de mais de 2 p.p. ao final do 1º semestre desse ano. Projeção totalmente factível, dado o cenário atual. No caso do nível de atividade, não precisamos nem buscar argumentos no RTI. A própria projeção do BCB de 3,5% de queda do PIB para esse ano nos parece otimista nesse momento. A Produção Industrial Mensal (PIM) de fevereiro, divulgada hoje pelo IBGE, nos mostra que não devemos ter muitas esperanças de que o hiato do produto deixe o terreno desinflacionário tão cedo. A queda mensal foi de 2,5%, revertendo o resultado positivo de 0,4% verificado em janeiro e acumulando contração de 9,0% nos últimos 12 meses. Tudo bem que este resultado representa uma estabilidade com relação ao ano fechado em janeiro, mas isso não deve ser considerado um grande alento... Parar de piorar não é mesma coisa que melhorar. Portanto, o cenário que transparece do RTI e dos números econômicos mais recentes, é que devemos continuar a ter resultados ruins do nível de atividade, que continuará puxando para baixo a inflação corrente e as expectativas do mercado, assim como surpresas negativas nas contas fiscais. Entretanto, como o BCB considera o primeiro como desinflacionário e ao último dá mais ênfase nos prazos mais longos, a conclusão a que chegamos é que os juros devem ser mantidos na reunião de abril, mas começarão a ser reduzidos em junho, quando os seus modelos deverão indicar a convergência da inflação para 4,5% em O que poderia mudar esse cenário seria uma reversão na trajetória do Dólar, com este voltando para níveis mais próximos de R$ 4,00, não sendo esta uma hipótese improvável dada a volatilidade do cenário político nas próximas semanas. Como 4

5 saber a chance disso ocorrer? Sugerimos fazer essa pergunta a alguém com as seguintes características: Pessoa que se supõe dotada da faculdade sobrenatural de descobrir segredos, de predizer o futuro. Este material possui cunho meramente informativo, não constituindo qualquer tipo de oferta, convite, proposta ou aconselhamento por parte do Banco ABC Brasil S.A. ( Banco ) aos seus destinatários para quaisquer fins, inclusive, mas não limitado, à contratação ou não de operações financeiras, negócios ou investimentos, bem como quanto ao desenvolvimento por estes, ou não, de quaisquer estratégias correlatas. O envio deste material aos seus destinatários se dá de forma gratuita e por mera liberalidade do Banco, não se configurando como qualquer tipo de produto ou prestação de serviços por parte deste, ao qual fica reservado o direito de descontinuar o envio destas informações a qualquer tempo e sem qualquer tipo de aviso prévio a seus destinatários. As informações contidas neste material foram obtidas de fontes públicas e consideradas razoavelmente apuradas na data de sua divulgação. O Banco não confere aos destinatários deste material qualquer espécie de garantia, direito ou pretensão no que se refere às informações ora apresentadas, bem como quanto à sua exatidão, completude, isenção, confiabilidade ou atualização. Quaisquer decisões, contratações, investimentos, negócios ou estratégias, relacionadas ou não às informações ora apresentadas, deverão ser adotadas, efetuadas ou desenvolvidas pelos destinatários deste material exclusivamente de acordo com seus critérios de avaliação próprios e sob sua integral responsabilidade, com base nas informações por estes obtidas de forma independente e de acordo com a análise e opinião de seus consultores, analistas e administradores próprios. O Banco não será responsável, perante os destinatários deste material ou quaisquer terceiros, por qualquer forma de utilização das informações ora apresentadas, bem como por quaisquer perdas diretas, indiretas ou quaisquer tipos de prejuízos e/ou lucros cessantes que possam ser decorrentes do uso deste conteúdo. Este material e as informações dele constantes somente poderão ser reproduzidos, divulgados ou redistribuídos com a expressa anuência por escrito do Banco. Este material não se constitui, e não deve ser interpretado, para quaisquer fins, como relatório de análise nos termos do artigo 1º da Instrução CVM n.º 483, de 06 de Julho de

6 6

Opinião ABC Brasil /06/2017

Opinião ABC Brasil /06/2017 23/06/2017 Internamente as questões políticas continuam sendo o foco das atenções dos mercados. Contrariando as expectativas, o Comitê de Assuntos Sociais (CAS) do Senado rejeitou, por 10 votos a 9, o

Leia mais

Opinião ABC Brasil /06/2017

Opinião ABC Brasil /06/2017 09/06/2017 As questões políticas continuam a ser o ponto focal do mercado. Hoje, o presidente Michel Temer passou pelo seu primeiro teste, o julgamento do TSE, mas outros virão. Na 2ª feira teremos a reunião

Leia mais

Opinião ABC Brasil /09/2017

Opinião ABC Brasil /09/2017 01/09/2017 Na semana que vem teremos a reunião do COPOM. Apesar de haver pouca chance de que o resultado seja outro que não uma nova queda de 1,00 p.p. na taxa SELIC, o encontro não deixará de ter os seus

Leia mais

Opinião ABC Brasil /07/2017

Opinião ABC Brasil /07/2017 Opinião ABC Brasil 530 14/07/2017 Como diria Tom Jobim, o Brasil não é para principiantes e, essa máxima, pode ser perfeitamente estendida também para os mercados brasileiros. Até semana passada, a salvação

Leia mais

Opinião ABC Brasil /02/2017

Opinião ABC Brasil /02/2017 24/02/2017 No último Opinião, a partir dos dados de atividade e inflação, definimos as nossas apostas para a reunião do COPOM dessa semana e, apesar de deixar claro que achávamos que havia espaço para

Leia mais

Opinião ABC Brasil /09/2017

Opinião ABC Brasil /09/2017 22/09/2017 Os imbróglios políticos continuam assombrando os mercados, com denúncias de um lado, delações de outro, tendo como resultado final a falta de calendário para votar a Reforma da Previdência ainda

Leia mais

Opinião ABC Brasil /03/2016

Opinião ABC Brasil /03/2016 24/03/2016 A montanha russa de emoções na política brasileira fica cada vez mais radical, paralisando completamente as discussões econômicas. Entretanto, medidas vêm sendo tomadas, números têm sido divulgados

Leia mais

Opinião ABC Brasil /02/2016

Opinião ABC Brasil /02/2016 05/02/2016 A vida não tá fácil para ninguém. Seja aqui ou lá fora, os dados são divergentes e as decisões de política monetária, complicadas. Como já discutido anteriormente, o mercado está operando em

Leia mais

Opinião ABC Brasil /09/2016

Opinião ABC Brasil /09/2016 02/09/2016 A votação do processo de impeachment de Dilma Rousseff, mostra, infelizmente, que a frase do ex-ministro da Fazenda, Pedro Malan, de que no Brasil até o passado é incerto, é uma verdade insofismável.

Leia mais

Opinião ABC Brasil /07/2017

Opinião ABC Brasil /07/2017 28/07/2017 Nos últimos dias, o debate em torno da situação fiscal do Brasil se intensificou. Mesmo depois do anuncio, por parte do governo, de um contingenciamento extra de despesas e uma elevação acima

Leia mais

Opinião ABC Brasil /03/2017

Opinião ABC Brasil /03/2017 31/03/2017 Em uma semana de poucas novidades no cenário externo, os destaques ficaram por conta dos eventos internos relacionados, tanto à política fiscal, quanto à monetária. No primeiro caso, existia

Leia mais

Opinião ABC Brasil /05/2017

Opinião ABC Brasil /05/2017 19/05/2017 Há muito vínhamos ressaltando a importância das questões políticas nas projeções econômicas para o Brasil nos próximos anos. Entretanto, nessa semana, essa importância chegou a níveis tão dramáticos,

Leia mais

Opinião ABC Brasil 399 2/1/2015

Opinião ABC Brasil 399 2/1/2015 2/1/2015 O ano de 2015 é esperado como o ano do ajuste. Três ajustes são considerados importantes: o fiscal, o monetário e o de preços. E o ano já começou com sinais de que estes já estão acontecendo.

Leia mais

Opinião ABC Brasil /01/2017

Opinião ABC Brasil /01/2017 06/01/2017 No Opinião da semana passada, quando fizemos as nossas considerações com relação ao que esperar para 2017, escrevemos o seguinte comentário sobre o nível no qual o Dólar estava fechando 2016:

Leia mais

Opinião ABC Brasil /02/2017

Opinião ABC Brasil /02/2017 03/02/2017 Depois de duas semanas tentando entender o impacto de Donald Trump na economia mundial, vamos voltar a nos ater às questões domésticas. Com o nível de atividade ainda fraco, o Dólar se aproximando

Leia mais

Opinião ABC Brasil /08/2017

Opinião ABC Brasil /08/2017 25/08/2017 Depois de muito tempo em que os mercados locais foram dominados por fatores externos, tivemos uma semana em que eventos internos tiveram preponderância. Seja através da surpresa com a ideia

Leia mais

Opinião ABC Brasil /07/2017

Opinião ABC Brasil /07/2017 21/07/2017 Nas últimas semanas temos visto uma maior movimentação dos bancos centrais de economias desenvolvidas na direção de diminuir seus estímulos monetários, implementados desde a crise financeira

Leia mais

Opinião ABC Brasil /12/2016

Opinião ABC Brasil /12/2016 23/12/2016 Com o final de ano chegando, as movimentações no mercado começam a ficar mais fracas, e as novidades econômicas e políticas, mais escassas. No âmbito externo, a semana foi marcada por uma vazia

Leia mais

Opinião ABC Brasil /04/2017

Opinião ABC Brasil /04/2017 07/04/2017 Sempre que fazemos cenários prospectivos para a economia brasileira no curto prazo, alguns lugares comuns aparecem: A recuperação vai ser lenta, a política monetária entrou em círculo virtuoso

Leia mais

Opinião ABC Brasil /10/2017

Opinião ABC Brasil /10/2017 27/10/2017 Nessa semana tivemos a reunião do BCB e de um dos principais BCs do mundo, o Banco Central Europeu (BCE). Interessante que, apesar de momentos completamente diferentes do ciclo de política monetária,

Leia mais

Opinião ABC Brasil /02/2017

Opinião ABC Brasil /02/2017 10/02/2017 As incertezas externas, principalmente no cenário internacional, continuam chamando a atenção dos mercados. No entanto, nas últimas semanas o fluxo de notícias positivas no âmbito interno tem

Leia mais

Opinião ABC Brasil /10/2016

Opinião ABC Brasil /10/2016 07/10/2016 Nas últimas semanas temos destacado que os eventos externos têm influenciado de forma significativa os preços dos ativos domésticos. Nesta semana não foi diferente, os desdobramentos do Brexit,

Leia mais

Opinião ABC Brasil /09/2017

Opinião ABC Brasil /09/2017 15/09/2017 Tivemos uma semana com importantes novidades econômicas internas, como a confirmação de que a atividade está se recuperando e de que os juros deverão fechar o ano próximos de 7,00% a.a.. Entretanto,

Leia mais

Opinião ABC Brasil /07/2017

Opinião ABC Brasil /07/2017 07/07/2017 Nas nossas explicações a respeito da relativa resiliência dos ativos brasileiros, face à confusão política em que nos metemos, dois pilares são sempre citados: a equipe econômica e o cenário

Leia mais

Opinião ABC Brasil /03/2017

Opinião ABC Brasil /03/2017 17/03/2017 Depois da divulgação de vários indicadores internos relevantes, usamos o Opinião da semana passada para revisar o nosso cenário para a economia brasileira em 2017. Dessa vez, no entanto, as

Leia mais

Opinião ABC Brasil /06/2017

Opinião ABC Brasil /06/2017 30/06/2017 A política continua a dominar o noticiário, como não podia deixar de ser. Entretanto, em paralelo a isso, tivemos novidades na agenda econômica que terão impactos importantes nas discussões

Leia mais

Opinião ABC Brasil /09/2017

Opinião ABC Brasil /09/2017 08/09/2017 Em uma semana espremida pelo feriado de 7 de setembro, a questão política voltou a ser o principal tema nos mercados. A surpreendente reviravolta do caso JBS alterou o xadrez político do Governo

Leia mais

Opinião ABC Brasil /03/2017

Opinião ABC Brasil /03/2017 03/03/2017 Muitas vezes já escrevemos textos em que dizíamos que contra fatos não há argumentos. Entretanto, o que os eventos da última semana nos mostram é que estamos em um mundo em que os argumentos

Leia mais

Opinião ABC Brasil /08/2016

Opinião ABC Brasil /08/2016 19/08/2016 Estamos próximos de um momento decisivo para a economia brasileira em geral e para o mercado financeiro, em particular, o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. O início da sessão

Leia mais

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen Consultoria Conjuntura Econômica e Perspectivas 2017-22 Setembro/2016 Juan Jensen jensen@4econsultoria.com.br PIB Confiança segue mostrando recuperação na margem, ainda que nível ainda seja baixo Estamos

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 23 e 26 de Janeiro de 2017 Instituições participantes: 22 DESTAQUES DESTA EDIÇÃO Principais alterações nas

Leia mais

A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTA A CRESCER EM 2015?

A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTA A CRESCER EM 2015? A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTA A CRESCER EM 2015? 13/11/2014 Relatório Mensal-Novembro Rua Laplace 74, conj. 51 São Paulo - SP CEP: 04622-000 Tel.: 11-4305-03-29 E-mail: comercial@fmdassset.com.br R E L A

Leia mais

Opinião ABC Brasil /05/2017

Opinião ABC Brasil /05/2017 05/05/2017 No Opinião da semana passada, discutimos alguns assuntos que estavam impactando os mercados nas últimas semanas. A conclusão foi que, apesar de serem potencialmente perigosos e capazes de gerar

Leia mais

Riscos Crescentes. Roberto Padovani Junho 2017

Riscos Crescentes. Roberto Padovani Junho 2017 Riscos Crescentes Roberto Padovani Junho 2017 Política volta a ser crítica 1. Política duração da crise - voltou a ser variável de controle; 2. Há impasse político: Economia ajuda manter governabilidade

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 01 e 04 de Novembro de 2016 Instituições participantes: 22 DESTAQUES DESTA EDIÇÃO Principais alterações

Leia mais

Ata sinaliza novo corte de 0,75 p.p. na Selic na próxima reunião do Copom

Ata sinaliza novo corte de 0,75 p.p. na Selic na próxima reunião do Copom 17/01/2017 12:34 por Redação Ata sinaliza novo corte de 0,75 p.p. na Selic na próxima reunião do Copom Fica mantida expectativa de ciclo longo de afrouxamento, que levará a taxa básica de juros para 9,50%

Leia mais

Opinião ABC Brasil /05/2017

Opinião ABC Brasil /05/2017 12/05/2017 Mais uma vez, nesta semana, os eventos políticos competiram em importância com os indicadores econômicos, tanto no âmbito interno quanto externo. Com relação ao primeiro, o destaque no noticiário

Leia mais

Concessões de Crédito - Recursos Livres Variação acumulada em 12 meses. fev/15. nov/14. mai/14. mai/15. ago/14 TOTAL PF PJ

Concessões de Crédito - Recursos Livres Variação acumulada em 12 meses. fev/15. nov/14. mai/14. mai/15. ago/14 TOTAL PF PJ ASSESSORIA ECONÔMICA Dados divulgados entre os dias 24 de julho e 28 de julho Crédito O estoque total de crédito do sistema financeiro nacional (incluindo recursos livres e direcionados) registrou variação

Leia mais

ATIVIDADE ECONÔMICA. Junho de 2009

ATIVIDADE ECONÔMICA. Junho de 2009 Principais pontos Relatório de Inflação Banco Central ATIVIDADE ECONÔMICA As medidas anticíclicas vêm se traduzindo em melhoras recentes. A economia brasileira apresenta sinais de gradual recuperação.

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada entre os dias 14 e 20 de setembro de 2016 Instituições respondentes: 22 DESTAQUES DESTA EDIÇÃO Principais alterações nas

Leia mais

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3%

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3% PIB O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou nesta última sextafeira, 29 de Maio, os dados do Produto Interno Bruto (PIB) referentes ao primeiro trimestre de 2015. Análise preliminar

Leia mais

Opinião ABC Brasil /01/2016

Opinião ABC Brasil /01/2016 15/01/2016 O ano de 2016 começou há duas semanas, mas as preocupações do mercado continuam as mesmas do ano anterior. Entre as principais apreensões dos investidores neste início de ano, podemos destacar

Leia mais

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Perspectivas Econômicas Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Setembro 2016 Roteiro Internacional Ambiente externo ainda favorável para os mercados emergentes O Fed, o banco central americano, deve voltar

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS

RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Processo de desinflação acelera e pavimenta espaço para flexibilização monetária no Brasil. A divulgação do IPCA-15 de março (0,15%) sinalizou a intensificação no processo

Leia mais

Carta Econômica Trimestral

Carta Econômica Trimestral CARTA ECONÔMICA Nº 10/2016 Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, Outubro 2016 Neste final de outubro os gestores de recursos dos RPPSs, notadamente aqueles que fazem um

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Julho de Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Julho de Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Julho de 2016 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Após maio fraco, geração de empregos volta a acelerar...

Leia mais

Indicador antecedente nos EUA avança.

Indicador antecedente nos EUA avança. Estratégia Econômica: A Gradual tem os produtos sob medida para você. Nossa equipe conta com consultores de investimento que podem te auxiliar nas decisões de investimento, de acordo com perfil, prazo

Leia mais

Cenário Macro Semanal

Cenário Macro Semanal Federal Reserve sinaliza porta de saída para o atual afrouxamento quantitativo Como já era esperada, a decisão do FOMC (o comitê de política monetária do Federal Reserve) ao término de sua reunião foi

Leia mais

Opinião ABC Brasil /03/2017

Opinião ABC Brasil /03/2017 24/03/2017 A semana não foi muito boa para a economia brasileira: Os impactos da Operação Carne Fraca já começam a se fazer sentir, não apenas nas exportações brasileiras, mas também na cadeia produtiva

Leia mais

Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos,

Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, CARTA ECONÔMICA Nº 04/2016 Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, Notadamente nestes meses iniciais do ano de 2016 o cenário político é que vem dando o tom dos acontecimentos

Leia mais

Opinião ABC Brasil /12/2013

Opinião ABC Brasil /12/2013 06/12/2013 Uma semana carregada de novidades como essa parece ser um bom momento para revermos o nosso cenário de curto prazo, tanto para as variáveis brasileiras, quanto para a questão do tapering nos

Leia mais

Conjuntura econômica fraca persiste no terceiro trimestre. PIB Trimestral em %

Conjuntura econômica fraca persiste no terceiro trimestre. PIB Trimestral em % Conjuntura econômica fraca persiste no terceiro trimestre, ) ( Figura 1: PIB Trimestral variação em relação ao mesmo trimestre do ano anterior PIB Trimestral em % 5.1 4.6 3.5 2.5 1.7 1 2.5 2.5 2.8 4.1

Leia mais

Crise de confiança. Roberto Padovani Setembro 2013

Crise de confiança. Roberto Padovani Setembro 2013 Crise de confiança Roberto Padovani Setembro 2013 jan/92 nov/92 set/93 jul/94 mai/95 mar/96 jan/97 nov/97 set/98 jul/99 mai/00 mar/01 jan/02 nov/02 set/03 jul/04 mai/05 mar/06 jan/07 nov/07 set/08 jul/09

Leia mais

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA Gustavo Loyola XII CONGRESSO BRASILEIRO DE FOMENTO COMERCIAL Foz do Iguaçu (PR), abril de 2016 Estrutura 2 Cenário Internacional Cenário doméstico Conclusão Cenário

Leia mais

Opinião ABC Brasil /06/2017

Opinião ABC Brasil /06/2017 16/06/2017 Em diversas oportunidades destacamos que grande parte da reação mais moderada dos mercados à crise política das últimas semanas está relacionada, principalmente, à dois fatores: qualidade e

Leia mais

Receita Bruta manteve a tendência observada no ano, oscilando entre crescimento e queda na análise mensal. No trimestre, a queda foi de 8,3%

Receita Bruta manteve a tendência observada no ano, oscilando entre crescimento e queda na análise mensal. No trimestre, a queda foi de 8,3% Receita Bruta Receita Bruta manteve a tendência observada no ano, oscilando entre crescimento e queda na análise mensal. No trimestre, a queda foi de 8,3% Magazines As vendas para o canal Magazines mantiveram

Leia mais

Cenário macroeconômico

Cenário macroeconômico Cenário macroeconômico 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016* 2017* TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB DO MUNDO (SOMA DOS PIBs OBTIDA PELA PARIDADE DO PODER DE COMPRA) 1980 - Título 2011 FONTE: FMI. ELABORAÇÃO E

Leia mais

PANORAMA E DESAFIOS PARA A ECONOMIA BRASILEIRA. Bruno Leonardo

PANORAMA E DESAFIOS PARA A ECONOMIA BRASILEIRA. Bruno Leonardo PANORAMA E DESAFIOS PARA A ECONOMIA BRASILEIRA Bruno Leonardo PANORAMA E DESAFIOS PARA A ECONOMIA BRASILEIRA 1 Nível de atividade Econômica: Estamos saindo da recessão? Quais as perspectivas para os próximos

Leia mais

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO

PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO PESQUISA FEBRABAN DE PROJEÇÕES MACROECONÔMICAS E EXPECTATIVAS DE MERCADO Realizada de 11 a 16 de setembro/2015 Analistas consultados: 25 PROJEÇÕES E EXPECTATIVAS DE MERCADO Pesquisa de Projeções Macroeconômicas

Leia mais

O que esperar da Selic e do câmbio nominal nos próximos meses? Uma visão pelo modelo VAR com restrição Luciano D Agostini * José Luís Oreiro **

O que esperar da Selic e do câmbio nominal nos próximos meses? Uma visão pelo modelo VAR com restrição Luciano D Agostini * José Luís Oreiro ** O que esperar da Selic e do câmbio nominal nos próximos meses? Uma visão pelo modelo VAR com restrição Luciano D Agostini * José Luís Oreiro ** Segundo a Ata da última reunião do Copom, divulgada em 16

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 28 de outubro de 2016

INFORME ECONÔMICO 28 de outubro de 2016 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS No Brasil, Banco Central sinalizou a manutenção do ritmo de corte para a próxima reunião. Nos Estados Unidos, o crescimento do PIB acelerou no terceiro trimestre. No Brasil,

Leia mais

PANORAMA CONJUNTURAL. O PIB do Brasil no Segundo Trimestre de Julho de 2016 Publicado em Setembro de 2016

PANORAMA CONJUNTURAL. O PIB do Brasil no Segundo Trimestre de Julho de 2016 Publicado em Setembro de 2016 PANORAMA CONJUNTURAL Julho de 2016 Publicado em Setembro de 2016 O PIB do Brasil no Segundo Trimestre de 2016 A taxa de variação do PIB da economia brasileira no segundo trimestre de 2016 sofreu na margem

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Junho de 2013 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação VI. Boxes 2 I. Introdução

Leia mais

Informativo de Mercado Mensal

Informativo de Mercado Mensal Informativo de Mercado Mensal Abril/2016 DESTAQUES O mês abril/16 foi marcado pelos desdobramentos no âmbito político com a evolução do processo de impeachment da Presidente Dilma. No início do Abril,

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Fevereiro de Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Fevereiro de Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Fevereiro de 2016 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: Recuperação da atividade... Pág.3 Europa: Inflação

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA.

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA. NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA. Marcelo Curado * I. Atividade Econômica A análise dos indicadores macroeconômicos sobre a evolução recente da atividade econômica corrobora a noção de

Leia mais

Equipe Técnica. NMC novembro 2016

Equipe Técnica. NMC novembro 2016 Nota Mensal de Conjuntura NOVEMBRO 216 Observatório de Políticas Econômicas 216 Equipe Técnica Paulo Paiva é Professor Associado da Fundação Dom Cabral, Mestre em Demografia pela University of Pennsylvania

Leia mais

Opinião ABC Brasil /04/2017

Opinião ABC Brasil /04/2017 20/04/2017 Normalmente usamos o Opinião para tratar de algum tema específico, que acreditamos ser relevante para a discussão dos nossos cenários. Entretanto, de tempos em tempos, tantas coisas acontecem

Leia mais

Carta Mensal Outubro 2016

Carta Mensal Outubro 2016 Carta Mensal Outubro 2016 Cenário YES WE CAN, diz o Banco Central sobre cumprir meta de inflação de 2017 e 2018 Desde que o atual presidente do Banco Central foi nomeado em junho e deu posse para sua equipe

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016 Data: 08/01/2016 Participantes Efetivos: Wagner de Jesus Soares Presidente, Mariana Machado de Azevedo Economista, Rosangela Pereira

Leia mais

Artigo. Fevereiro/2016 Inflação Onde estamos e para onde vamos. Thiago Curado. Onde estamos

Artigo. Fevereiro/2016 Inflação Onde estamos e para onde vamos. Thiago Curado. Onde estamos Artigo Fevereiro/2016 Inflação Onde estamos e para onde vamos Thiago Curado Nos dois primeiros meses do ano, a inflação se mostrou mais elevada do que o antecipado. A resiliência dos núcleos em patamares

Leia mais

- Emplacamento de Veículos / FENABRAVE - Índice Nacional de Expectativa do Consumidor. - Anúncio da taxa básica de juros americana / (INEC) / CNI

- Emplacamento de Veículos / FENABRAVE - Índice Nacional de Expectativa do Consumidor. - Anúncio da taxa básica de juros americana / (INEC) / CNI BRASÍLIA 30/10/2017 30/10 SEGUNDA-FEIRA - Boletim FOCUS/Banco Central - Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPCS)/ FGV - Notas para a imprensa Política Fiscal / Banco Central - IGP-M / FGV EDIÇÃO 0008

Leia mais

Congresso mantém veto à indexação de aposentadorias ao salário mínimo

Congresso mantém veto à indexação de aposentadorias ao salário mínimo Boletim 877/2015 Ano VII 19/11/2015 Congresso mantém veto à indexação de aposentadorias ao salário mínimo BRASÍLIA - O Congresso manteve nesta quarta-feira, 18, o veto da presidente Dilma Rousseff ao atrelamento

Leia mais

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Perspectivas Econômicas Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Outubro, 2016 Roteiro Internacional China mais estável, mas riscos globais aumentaram A atividade na China e as taxas de juros baixas nas economias

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

A seguir, detalharemos nossas principais posições no período. PACIFICO MACRO JANEIRO DE

A seguir, detalharemos nossas principais posições no período. PACIFICO MACRO JANEIRO DE O fundo Pacifico Macro FIQ FIM apresentou rentabilidade de 22,08% no ano de 2016. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 14,00%. No quarto trimestre de 2016, a rentabilidade do fundo foi de 3,87%,

Leia mais

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA. Gustavo Loyola

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA. Gustavo Loyola PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA Gustavo Loyola Cenário Internacional 3 Desaceleração suave nos próximos anos, mas ainda com crescimento em ritmo elevado Crescimento moderado, limitado pela necessidade

Leia mais

Cenários para Doméstico - Político e Econômico Global EUA e China

Cenários para Doméstico - Político e Econômico Global EUA e China Cenários para 2017 2018 Doméstico - Político e Econômico Global EUA e China 1 O FIM DE UM CICLO... 2 ... O INÍCIO DE OUTRO 3 Cenário Doméstico Político e Econômico 4 Cenário AGENDA PESADA Principais TEMAS

Leia mais

Carta ao Cotista Julho Ambiente Macroeconômico. Internacional

Carta ao Cotista Julho Ambiente Macroeconômico. Internacional Carta ao Cotista Julho 2015 Ambiente Macroeconômico Internacional A economia chinesa expandiu-se 7% no primeiro semestre, o resultado foi ligeiramente melhor do que o previsto pelo mercado. Dados recentes

Leia mais

Brasília, 16 de dezembro de 2015 BALANÇO DE 2015 E PERSPECTIVAS PARA 2016

Brasília, 16 de dezembro de 2015 BALANÇO DE 2015 E PERSPECTIVAS PARA 2016 Brasília, 16 de dezembro de 2015 BALANÇO DE 2015 E PERSPECTIVAS PARA 2016 ECONOMIA SEGUE PARALISADA PAIS NÃO ENFRENTOU SUAS DIFICULDADES DE FORMA ADEQUADA AMBIENTE AFETADO POR INCERTEZAS ECONÔMICAS E DIFICULDADES

Leia mais

O fundo Pacifico Macro FIQ FIM apresentou rentabilidade de 5,11% no primeiro trimestre de No mesmo período, o CDI apresentou variação de 3,03%.

O fundo Pacifico Macro FIQ FIM apresentou rentabilidade de 5,11% no primeiro trimestre de No mesmo período, o CDI apresentou variação de 3,03%. O fundo Pacifico Macro FIQ FIM apresentou rentabilidade de 5,11% no primeiro trimestre de 2017. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 3,03%. Neste trimestre, a principal contribuição positiva

Leia mais

Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 3o. Trimestre 2012

Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 3o. Trimestre 2012 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 3o. Trimestre 2012 Elaboração:VIFIN CAIXA Vice-Presidência de Finanças SUPLA CAIXA SN de Planejamento Financeiro 1 Relatório Conjuntura

Leia mais

Carta Econômica Mensal - Abril de Ainda Incertezas...

Carta Econômica Mensal - Abril de Ainda Incertezas... Cuiabá, 09 de Maio de 2017. Carta Econômica Mensal - Abril de 2017 Ainda Incertezas... Em Abril, a trajetória do IMA-Geral e seus subíndices que refletem a carteira dos títulos públicos em mercado indica

Leia mais

Coletiva de Imprensa. Resultados de 2016 e Perspectivas para Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo, 24 de Janeiro de 2017

Coletiva de Imprensa. Resultados de 2016 e Perspectivas para Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo, 24 de Janeiro de 2017 Coletiva de Imprensa Resultados de 2016 e Perspectivas para 2017 Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo, 24 de Janeiro de 2017 Índice 1. Conjuntura Econômica 2. Construção Civil 3. Financiamento

Leia mais

Consultoria. Atual Ambiente Econômico e o Mercado de Capitais. Junho/2016. Juan Jensen

Consultoria. Atual Ambiente Econômico e o Mercado de Capitais. Junho/2016. Juan Jensen Consultoria Atual Ambiente Econômico e o Mercado de Capitais Junho/2016 Juan Jensen jensen@4econsultoria.com.br Cenário Internacional Programa de estímulos que impulsionou resultado de atividade no primeiro

Leia mais

Informativo de Mercado Mensal

Informativo de Mercado Mensal Informativo de Mercado Mensal Fevereiro/2016 DESTAQUES O mês de fevereiro/16 foi risk on. No plano internacional, o cenário mais consensual revela que o quadro macroeconômico global se tornou mais complexo

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 13/2015

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 13/2015 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 13/2015 Data: 07/07/2015 Participantes Efetivos: Wagner de Jesus Soares Presidente, Mariana Machado de Azevedo Economista, Rosangela Pereira

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T14 15 de agosto de 2014

Apresentação de Resultados 2T14 15 de agosto de 2014 Apresentação de Resultados 2T14 15 de agosto de 2014 O material divulgado pela Companhia reflete as expectativas dos administradores e poderá conter estimativas sobre eventos futuros. Quaisquer informações,

Leia mais

Crescimento de 2,7p.p. na margem bruta versus o 2T16. SG&A atingiu R$38,2 milhões no 2T17, redução de 3,5% no QoQ

Crescimento de 2,7p.p. na margem bruta versus o 2T16. SG&A atingiu R$38,2 milhões no 2T17, redução de 3,5% no QoQ Receita Líquida No 2T17 tivemos queda de 4,2% na receita líquida, uma queda bem menor que a observada no YTD Margem Bruta Crescimento de 2,7p.p. na margem bruta versus o 2T16 Despesas SG&A atingiu R$38,2

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 22 de julho de 2016

INFORME ECONÔMICO 22 de julho de 2016 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Na Europa, o BCE sinalizou que pode reavaliar as medidas de estímulos monetários nas próximas reuniões. No Brasil, o Copom considerou que não há espaço para flexibilizar

Leia mais

Taxa de câmbio. Elaboração: Quantitas

Taxa de câmbio. Elaboração: Quantitas Taxa de câmbio Elaboração: Quantitas O que move nosso câmbio? Risco Brasil (CDS) Dollar (DXY) Real (R$) Índice de commodities (CRB) Título público americano 10 anos 4 O que move nosso câmbio? Risco Brasil

Leia mais

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Perspectivas Econômicas Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Abril, 2016 Roteiro Internacional Ambiente favorável para mercados emergentes O crescimento nas economias avançadas está se estabilizando,

Leia mais

A semana em revista. Relatório Semanal 06/04/2015

A semana em revista. Relatório Semanal 06/04/2015 Relatório Semanal 06/04/2015 A semana em revista No cenário doméstico, os principais destaques da semana foram o desempenho fiscal do governo e os dados do setor industrial ambos do mês de fevereiro. O

Leia mais

Análise Mercadológica

Análise Mercadológica Análise Mercadológica Nova previsão para o crescimento do PIB em 2017 já é mais baixa do que a anterior Crédito: Divulgação 42 ANÁLISE MERCADOLÓGICA. B. FOREST Indicadores Macroeconômicos Perspectivas

Leia mais

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Perspectivas Econômicas Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Novembro, 2016 Roteiro Internacional Nova realidade global pressiona mercados emergentes Brasil O resultado das eleições presidenciais nos

Leia mais

Uma análise dos principais indicadores da economia brasileira

Uma análise dos principais indicadores da economia brasileira NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma análise dos principais indicadores da economia brasileira Guilherme R. S. Souza e Silva * RESUMO - O presente artigo tem o objetivo de apresentar e

Leia mais

AINDA SOBRE O CRÉDITO

AINDA SOBRE O CRÉDITO Abril de 2016 AINDA SOBRE O CRÉDITO O mês de Abril foi marcado pela votação do Impeachment da presidente Dilma na Câmara dos Deputados. Embora o processo ainda tenha que tramitar no Senado, o mercado entende

Leia mais

Relatório Mensal. Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2011 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários e Imobiliários 0,53% 39,27%

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T de março de 2014

Apresentação de Resultados 4T de março de 2014 Apresentação de Resultados 4T13 27 de março de 2014 Disclaimer O material divulgado pela Companhia reflete as expectativas dos administradores e poderá conter estimativas sobre eventos futuros. Quaisquer

Leia mais