Aquicultura na Amazônia Ocidental

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aquicultura na Amazônia Ocidental"

Transcrição

1 INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA Nome do GP Aquicultura na Amazônia Ocidental Nome do Líder Elizabeth Gusmão Affonso (2015) Membros do GP Lígia Uribe Gonçalves, Dra. Pesquisadora ( ). Alexandre Honczarick, M.Sc. Pesquisador (2018) Jorge Daniel I. Fim, M.Sc. Pesquisador (2020) Atílio Storti Filho, Bel Tecnologista (2015) Técnicos e Apoio Valdelira Lia Araújo Fernandes Bel (2040) Daniel Locatelli Bel (2044) Marcos Makiyama (2018) Gabriel da Rocha Nobre Filho Bel (2014) Waldir Bitar França Bel (2015) Maria Inês de Oliveira Pereira (2011) Yoshiko Kawashima (2010) Osvaldino dos Santos Moreira (2014) José Olegário da Silva Filho (2015 Roberto Araújo da Silva (2015) 1

2 Objetivo Subsidiar o aumento da produção de alimentos de origem animal, por meio das pesquisas e técnicas para criação de peixes regionais, assim como promover o desenvolvimento de áreas rurais através da piscicultura. Além disso, contribuir para a formação de recursos humanos (técnicos, graduação e pósgraduação. Linhas de Pesquisas Reprodução de peixes Larvicultura e alevinagem Fisiologia de peixes em cativeiro Sistemas de criação e manejo Alimentação e nutrição de peixes Sanidade de peixes 2

3 Estação experimental de Piscicultura Infraestrutura Área inundada total de m2: 1 viveiro natural com 1000 m2; 2 viveiros naturais com 390 m2 cada; 6 viveiros naturais com paredes de alvenaria com 50 m2 cada; 4 viveiros naturais com paredes de alvenaria com 120 m2 cada; 4 viveiros naturais com paredes de alvenaria com 160 m2 cada; Galpão para experimentos cerca de 200 m2. Laboratórios de Fisiologia Aplicada à Piscicultura, Nutrição de peixes, Enzimas digestivas, Organismo-alimento e Monitoramento de viveiros; Sala de armazenamento de ingredientes e de processamento de ração para peixes, Fábrica experimental de ração extrusada.

4 INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA Resultados relevantes (principais conquistas em ações de pesquisa nos últimos 5 anos) Os resultados com nutrição de pirarucu já são bastante conclusivos sobre suas exigências nutricionais, inclusive validados em sistemas de produção; O farelo de soja pode ser um ingrediente importante, em termos nutricionais, para substituir a farinha de peixe, insumo muito utilizado na dieta de peixes. Os problemas sanitários, que podem matar mais de 80% dos alevinos de pirarucu e juvenis de tambaqui, vêm sendo controlados, com elevada eficácia, por meio de plantas da biodiversidade amazônica, evidenciando o potencial terapêutico destes produtos no tratamento de diferentes doenças. Espera-se que, em curto tempo, esses possam ser industrializados e disponíveis para o produtor. 3

5 Lista de projetos aprovados e/ou em andamento (últimos 5 anos) Projeto Fronteira - FINEP Subprojeto: Apoio ao Desenvolvimento da Piscicultura no Alto Rio Negro Coordenador: Elizabeth Gusmão Valor: R$ , Reprodução induzida do pirarucu, Arapaima gigas (Cuvier, 1929), em cativeiro MPA/CNPq Coordenadora: Elizabeth Gusmão Affonso Valor: R$ , Desenvolvimento científico e tecnológico da piscicultura na região do Alto Rio Negro - CNPq Coordenador: Elizabeth Gusmão Valor: R$ ,00 4

6 Lista de projetos aprovados e/ou em andamento (últimos 5 anos) Estudo de alguns aspectos da nutrição, reprodução, sanidade e fisiologia da criação de matrinxã (Brycon amazonicus), tambaqui (Colossoma macropomum) e pirarucu (Arapaima gigas). Valor: R$ ,00 CANCELADO Atual Desenvolvimento da Aquicultura e de Recursos Pesqueiros na Amazônia Subprojeto 02: Biologia e fisiologia reprodutiva do Arapaima gigas Valor: R$ ,00 Subprojeto 03: Nutrição e alimentação artificial de peixes Valor: R$ ,00 Coordenadora: Elizabeth Gusmão Affonso Centro de Estudos de Adaptações da Biota Aquática da Amazônia ADAPTA-AMAZÔNIA Subprojeto: Aquicultura na /Amazônia Ocidental Valor: R$ ,00 Coordenador: Elizabeth Gusmão Affonso 4

7 Lista de projetos aprovados e/ou em andamento (últimos 5 anos) Implantação de Unidades Demonstrativas Agroflorestais na Amazônia Finep Subprojeto: Centro Avançado de Pesquisa, Capacitação e Treinamento em Aquicultura. Coordenadora do subprojeto: Elizabeth Gusmão Affonso Valor: R , Cultivo do tambaqu, matrinxã e pirarucu em ambiente controlado MCTI/INPA Coordenadora: Elizabeth Gusmão Affonso Valor: R$ , Atual Exigências nutricionais do pirarucu (Arapaima gigas) em condições laboratoriais e de cativeiro. Universal FAPEAM Coordenador: Elizabeth Gusmão Affonso Valor: R$ 50.00, Atual Edificações do Centro de Aquicultura na Amazônia - FINEP Coordenadora: Elizabeth Gusmão Affonso Valor: R$ ,00 4

8 Pesquisa:

9 Capacitação (Graduação e Pós-graduação) Programa de Pós-graduação em Aquicultura (UNINILTON LINS/INPA) Programa de Pós-graduação em Biologia d eágua Doce e Pesca Interior PPG-BADPI (INPA)

10 Extensão e Apoio Técnico:

11 INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA Quadro de Publicações (últimos 5 anos) Ano Periódicos Indexados SCI Periódicos ISSN Cap. Livro Livros Trab. Anais Divulgação Total Quadro de Orientações (últimos 5 anos) Ano Pósdoutorado Doutorado Mestrado TCC Pibic Outros Total

12 Edificações do Centro de Aquicultura na Amazônia - FINEP Coordenadora: Elizabeth Gusmão Affonso

13 Grupo de Pesquisa Aquicultura na Amazônia Ocidental INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA Implantação de Unidades Demonstrativas Agroflorestais na Amazônia Finep Subprojeto: Centro Avançado de Pesquisa e Capacitação em Aquicultura.

14 Grata pela atenção! Elizabeth G. Affonso

Sub-projeto: Alternativas para alimentação de peixes da Amazônia: uso de subprodutos agroflorestais e resíduos de pescado.

Sub-projeto: Alternativas para alimentação de peixes da Amazônia: uso de subprodutos agroflorestais e resíduos de pescado. Rede: Conservação e Manejo de Espécies de Peixes de Água Doce da Amazônia. Sub-projeto: Alternativas para alimentação de peixes da Amazônia: uso de subprodutos agroflorestais e resíduos de pescado. Instituição:

Leia mais

Coordenação de Pesquisas em Tecnologia e Inovação - COTI

Coordenação de Pesquisas em Tecnologia e Inovação - COTI Coordenação de Pesquisas em Tecnologia e Inovação - COTI Nome do GP Nome do Líder Membros do GP BIOLOGIA E MANEJO DE SOLOS AMAZÔNICOS Luiz Antonio de Oliveira Ph.D. Sonia Sena Alfaia Ph.D. Francisco Wesen

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Eng. de Pesca MSc. Raimunda Nonata M. Lopes. Gerente de Controle de Pesca e Aquicultura

GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Eng. de Pesca MSc. Raimunda Nonata M. Lopes. Gerente de Controle de Pesca e Aquicultura GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS PALESTRANTE: Eng. de Pesca MSc. Raimunda Nonata M. Lopes Gerente de Controle de Pesca e Aquicultura www.ipaam.am.gov.br Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas - IPAAM

Leia mais

Coordenação de Tecnologia e Inovação - COTI

Coordenação de Tecnologia e Inovação - COTI Coordenação de Tecnologia e Inovação - COTI Nome do GP Caracterização e Inovação Tecnológica de Produtos Madeireiros e não Madeireiros na Amazônia Central Nome do Líder Bazilio Frasco Vianez Membros do

Leia mais

Áreas de Atuação do Engenheiro de Pesca

Áreas de Atuação do Engenheiro de Pesca Universidade Estadual do Oeste do Paraná Centro de Engenharias e Ciências Exatas Curso de Engenharia de Pesca Áreas de Atuação do Engenheiro de Pesca Avaliação dos Recursos Pesqueiros e Impacto Ambiental

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO XXIV SEMINÁRIO FINAL PIBIC/UNIR/CNPq 2014/2015 CAMPUS DE PRESIDENTE MÉDICI. Ciências Exatas e da Terra. 04 de agosto de 2015

PROGRAMAÇÃO DO XXIV SEMINÁRIO FINAL PIBIC/UNIR/CNPq 2014/2015 CAMPUS DE PRESIDENTE MÉDICI. Ciências Exatas e da Terra. 04 de agosto de 2015 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA. PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPesq PROGRAMAÇÃO DO XXIV SEMINÁRIO FINAL PIBIC/UNIR/CNPq 2014/2015 CAMPUS DE PRESIDENTE MÉDICI Ciências Exatas e da

Leia mais

1. Matriz Curricular do Curso de Aquicultura

1. Matriz Curricular do Curso de Aquicultura 1. Matriz Curricular do Curso de Aquicultura O presente projeto de formação do Profissional Técnico de Nível Médio em Aquicultura, implica em organização curricular de acordo com as Resoluções CNE/CEB

Leia mais

I Simpósio de Piscicultura da Zona da Mata Mineira

I Simpósio de Piscicultura da Zona da Mata Mineira I Simpósio de Piscicultura da Zona da Mata Mineira Leopoldina-MG WEVERSON SCARPINI ALMAGRO Escola Agrotécnica Federal de Alegre-ES PRODUÇÃO DE PESCADO NA EAFA Foco da escola não é produção Ensino, Pesquisa

Leia mais

CADEIA PRODUTIVA DO PIRARUCU. Diagnóstico, produção, industrialização e comercialização

CADEIA PRODUTIVA DO PIRARUCU. Diagnóstico, produção, industrialização e comercialização CADEIA PRODUTIVA DO PIRARUCU Diagnóstico, produção, industrialização e comercialização CARACTERÍSTICAS DA ESPÉCIE RUSTICIDADE CARNE DE ALTA QUALIDADE COM BAIXO ÍNDICE DE GORDURA ATINGE 10 A 16 KG/ANO RESPIRAÇÃO

Leia mais

Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia. Martin Halverson

Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia. Martin Halverson Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia Martin Halverson 67-9996-8739 mmhalver@terra.com.br Realidade da Industria do Paiche Hoy Industria pouca Consolidada- Precisa se Organizar Custo Elevada de

Leia mais

Criação de pirarucu. Coleção CRIAR

Criação de pirarucu. Coleção CRIAR Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amazônia Oriental Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Criação de pirarucu Embrapa Informação Tecnológica Brasília, DF 2011 1 Coleção

Leia mais

Nutrição e Manejo Alimentar na Piscicultura

Nutrição e Manejo Alimentar na Piscicultura ISSN 1517-3135 Novembro, 2002 23 Nutrição e Manejo Alimentar na Piscicultura Foto: Rodrigo Roubach Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agroflorestal da Amazônia Ocidental Ministério

Leia mais

A importância da pesquisa para o desenvolvimento da cadeia produtiva da aquicultura

A importância da pesquisa para o desenvolvimento da cadeia produtiva da aquicultura A importância da pesquisa para o desenvolvimento da cadeia produtiva da aquicultura Eric Arthur Bastos Routledge e colaboradores* Kennedy Brayan Rocha Oliveira O desenvolvimento do potencial da aquicultura

Leia mais

PRINCIPAIS AVANÇOS NA PRODUÇÃO DO PIRARUCU:

PRINCIPAIS AVANÇOS NA PRODUÇÃO DO PIRARUCU: PRINCIPAIS AVANÇOS NA PRODUÇÃO DO PIRARUCU: OPORTUNIDADES, DESAFIOS E PERSPECTIVAS MARTIN HALVERSON DIRETOR TECNOLÓGICO: PROJETO PACU AQUICULTURA TEMAS GERAIS Estado da Tecnologia Oportunidades Problemas

Leia mais

Matriz curricular do Curso Superior de Engenharia de Aquicultura Cargahorária. Carga Código Componente Curricular

Matriz curricular do Curso Superior de Engenharia de Aquicultura Cargahorária. Carga Código Componente Curricular Período letivo íoerp1º d o Matriz curricular do Curso Superior de Engenharia de Aquicultura Cargahorária Carga Código Componente Curricular horária (horaaularelógio) (hora- AQUI 101 Aquicultura Geral 54

Leia mais

O maior Agronegócio do Mundo

O maior Agronegócio do Mundo O maior Agronegócio do Mundo US$ 600 bilhões Responde por 16% da oferta mundial de proteína animal; Soma US$ 55 bilhões em Exportações Anuais; Mercado duas vezes maior do que o complexo soja; Sete vezes

Leia mais

Pré-requisito Coreq Disciplina CCA392 - ZOOLOGIA AQUÁTICA - Ativa desde: 29/01/2008. Natureza - Obrigatoria Prática 34 Teórica 34

Pré-requisito Coreq Disciplina CCA392 - ZOOLOGIA AQUÁTICA - Ativa desde: 29/01/2008. Natureza - Obrigatoria Prática 34 Teórica 34 1 de 7 Nível:Graduação Início: 20051 Título: 01 - - - ZOOLOGIA AQUÁTICA - Ativa desde: CCA393 - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PESCA - Ativa desde: CET009 - QUIMICA GERAL E ORGANICA - Ativa desde: 20/12/2010

Leia mais

Carga horária Teo./Prat. Código Nome da Disciplina Créditos. DISCIPLINAS DE NIVELAMENTO (Todas as áreas de concentração)

Carga horária Teo./Prat. Código Nome da Disciplina Créditos. DISCIPLINAS DE NIVELAMENTO (Todas as áreas de concentração) ESTRUTURA CURRICULAR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DA UFLA - MATRIZ DE 2016 NIVEL: MESTRADO (MS) E DOUTORADO (DS) ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO: PRODUÇÃO E NUTRIÇÃO DE RUMINANTES (PNR) PRODUÇÃO E NUTRIÇÃO

Leia mais

Produção de peixes nativos: vocação do estado mato-grossense. Darci Carlos Fornari Genetic Fish Rise

Produção de peixes nativos: vocação do estado mato-grossense. Darci Carlos Fornari Genetic Fish Rise Produção de peixes nativos: vocação do estado mato-grossense Darci Carlos Fornari --------------------- Genetic Fish Rise Produção de proteína no mundo: Produto Produção (Mil ton) Exportação** (mil ton)

Leia mais

Nível:Graduação Início: Fim: Legislação: Reconhecido pela Portaria 516 de 15/10/2013. Currículo

Nível:Graduação Início: Fim: Legislação: Reconhecido pela Portaria 516 de 15/10/2013. Currículo 1 de 8 Nível:Graduação Título: 01 - - CCA238 - HISTOLOGIA E EMBRIOLOGIA - Ativa desde: 14/07/2008 CCA275 - BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR - Ativa desde: 11/01/2008 CCA283 - METODOLOGIA DA PESQUISA - Ativa

Leia mais

PERSPECTIVAS DA PRODUÇÃO COMERCIAL DO PIRARUCU. Roger Crescêncio 1. Objetivo

PERSPECTIVAS DA PRODUÇÃO COMERCIAL DO PIRARUCU. Roger Crescêncio 1. Objetivo PERSPECTIVAS DA PRODUÇÃO COMERCIAL DO PIRARUCU Roger Crescêncio 1 Objetivo Diversos grupos de pesquisa de vários países da Bacia Amazônica vêm desenvolvendo pesquisas com o pirarucu, Arapaima gigas, devido

Leia mais

Criação de Pirarucu em cativeiro prospera no sul do Pará

Criação de Pirarucu em cativeiro prospera no sul do Pará CASOS DE SUCESSO Imagem aérea dos tanques para criação de Pirarucu Criação de Pirarucu em cativeiro prospera no sul do Pará 58 Emater apoia bovinocultores a trocar pecuária por piscicultura Arquivo Emater

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Aquicultura e Pesca PANORAMA ATUAL E PERSPECTIVAS DE CURTO E MÉDIO PRAZO PARA O SETOR AQUICOLA BRASILEIRO X SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE AQUICULTURA

Leia mais

Fluxo curricular e pré-requisitos das disciplinas de acordo com os períodos

Fluxo curricular e pré-requisitos das disciplinas de acordo com os períodos Fluxo curricular e pré-requisitos das disciplinas de acordo com os períodos Disciplina PRÉ-REQUISITO 1 o PERÍODO Introdução à Zootecnia Exercício da Profissão de Zootecnista Lógica Iniciação Científica

Leia mais

TÍTULO: Validação e Introdução de Tecnologia Apropriada à Produção de Tambaqui (Piscicultura)

TÍTULO: Validação e Introdução de Tecnologia Apropriada à Produção de Tambaqui (Piscicultura) TÍTULO: Validação e Introdução de Tecnologia Apropriada à Produção de Tambaqui (Piscicultura) 1. IDENTIFICAÇÃO: Nome do Programa ao qual pertence: PROTA Data de início: Previsão de duração: Nome do responsável:

Leia mais

Piscicultura de água doce no estado do Ceará. Airton Rebouças Sampaio, Engº Agrº.

Piscicultura de água doce no estado do Ceará. Airton Rebouças Sampaio, Engº Agrº. Piscicultura de água doce no estado do Ceará Airton Rebouças Sampaio, Engº Agrº. 1 - INTRODUÇÃO A piscicultura nordestina teve início com a instituição da Comissão Técnica de Piscicultura do Nordeste CTPN,

Leia mais

Modelo de produção de peixes no Baixo São Francisco

Modelo de produção de peixes no Baixo São Francisco Modelo de produção de peixes no Baixo São Francisco Carlos Alberto da Silva Pesquisador Aqüicultura: Tema estratégico no CPATC Reunião de Planejamento da Pesquisa (2006=>2007) Inclusão de um nova área:

Leia mais

Núcleo de Estudos em Aquicultura com enfoque agroecológico Cantuquiriguaçu - AquaNEA -

Núcleo de Estudos em Aquicultura com enfoque agroecológico Cantuquiriguaçu - AquaNEA - Núcleo de Estudos em Aquicultura com enfoque agroecológico Cantuquiriguaçu - AquaNEA - Edital: N.º 81/2013 Universidade Federal da Fronteira Sul UFFS Campus Laranjeiras do Sul, PR A UFFS é multicampi,

Leia mais

Coordenação de Pesquisas em Sociedade Ambiente e Saúde - CSAS

Coordenação de Pesquisas em Sociedade Ambiente e Saúde - CSAS Coordenação de Pesquisas em Sociedade Ambiente e Saúde - CSAS Nome do GP EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO NA AMAZÔNIA Nome do Líder Membros do GP Francisca das C do A Souza Pesquisadores Danilo Fernandes da Silva

Leia mais

Núcleo de Aquacultura e Biotecnologia Marinha: Linhas de Pesquisa, Planejamento e Ações. Rio Grande, 13 de Junho de 2014!

Núcleo de Aquacultura e Biotecnologia Marinha: Linhas de Pesquisa, Planejamento e Ações. Rio Grande, 13 de Junho de 2014! Núcleo de Aquacultura e Biotecnologia Marinha: Linhas de Pesquisa, Planejamento e Ações Rio Grande, 13 de Junho de 2014! Atividades desenvolvidas Ensino: - Graduação - PPGAqua Pesquisa: - 20 anos da EMA

Leia mais

CETAM - Centro de Treinamento de Montenegro

CETAM - Centro de Treinamento de Montenegro CETAM - Centro de Treinamento de Montenegro O Centro de Treinamento de Montenegro - CETAM está localizado no bairro Zootecnia em Montenegro. Em atividade desde 1998, encontra-se instalado em uma área de

Leia mais

Evolução da piscicultura na região de Morada Nova de Minas

Evolução da piscicultura na região de Morada Nova de Minas Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2012, Belo Horizonte Evolução da piscicultura na região de Morada Nova de Minas Barbara Veloso Drumond (1), Elizabeth Lomelino Cardoso (2), Vicente

Leia mais

CETAM - Centro de Treinamento de Montenegro

CETAM - Centro de Treinamento de Montenegro CETAM - Centro de Treinamento de Montenegro O Centro de Treinamento de Montenegro - CETAM está localizado no bairro Zootecnia em Montenegro. Em atividade desde 1998, encontra-se instalado em uma área de

Leia mais

Pré-requisito Coreq Disciplina CCA137 - BIOLOGIA CELULAR - Ativa desde: 01/01/2006. Natureza - Obrigatoria Prática 34 Teórica 34

Pré-requisito Coreq Disciplina CCA137 - BIOLOGIA CELULAR - Ativa desde: 01/01/2006. Natureza - Obrigatoria Prática 34 Teórica 34 1 de 10 Nível:Graduação Início: 20062 Título: 01 - - CCA137 - BIOLOGIA CELULAR - Ativa desde: CCA235 - FUNDAMENTOS DE FILOSOFIA - Ativa desde: 11/01/2008 CCA311 - INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - Ativa

Leia mais

CULTIVO DE PEIXE EM TANQUES-REDE Minas Gerais. Palestrante: Elizabeth Lomelino Cardoso

CULTIVO DE PEIXE EM TANQUES-REDE Minas Gerais. Palestrante: Elizabeth Lomelino Cardoso CULTIVO DE PEIXE EM TANQUESREDE Minas Gerais Palestrante: Elizabeth Lomelino Cardoso 16 bacias hidrográficas Altitude acima de 600 m (57%) Temperatura média anual inferior a 20 o C Reservatórios públicos

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS. Disciplinas da Formação Técnica Específica FTE

EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS. Disciplinas da Formação Técnica Específica FTE SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO E STADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL- SUPROF DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DIRDEP EIXO TECNOLÓGICO: RECURSOS NATURAIS EMENTÁRIO:

Leia mais

Universidade Estadual do Maranhão Centro de Ciências Agrárias II SEMANA ACADÊMICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS São Luís/MA, 28 a 30 de agosto de 2013

Universidade Estadual do Maranhão Centro de Ciências Agrárias II SEMANA ACADÊMICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS São Luís/MA, 28 a 30 de agosto de 2013 PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR 28 DE AGOSTO DE 2013 HORÁRIO ATIVIDADES LOCAL 08:00h 09:00h 09:00h 13:30h Recepção aos participantes e entrega de material Solenidade de abertura INTERVALO PARA ALMOÇO : Área: Tema:

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL DO XINGU

PLANO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL DO XINGU PLANO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL DO XINGU CT 03 - Fomento às atividades produtivas sustentáveis JUNHO/2016 Status Geral Projetos de 2011-2016 Cenário geral Critérios de Seleção Projetos de

Leia mais

TEXTO COMPLEMENTAR ITEM 3.

TEXTO COMPLEMENTAR ITEM 3. 3) GRADE CURRICULAR TEXTO COMPLEMENTAR ITEM 3. AQ101 - AQUICULTURA: DA TEORIA A PRÁTICA Crédito: 2, C.H. 30 h. Responsável: Vera Maria Fonseca de Almeida e Val Ementa: Noções básicas sobre o processo de

Leia mais

QUALIDADE DA ÁGUA E DESEMPENHO DE JUVENIS DE TAMBAQUI CRIADOS EM SISTEMA DE AQUAPONIA

QUALIDADE DA ÁGUA E DESEMPENHO DE JUVENIS DE TAMBAQUI CRIADOS EM SISTEMA DE AQUAPONIA QUALIDADE DA ÁGUA E DESEMPENHO DE JUVENIS DE TAMBAQUI CRIADOS EM SISTEMA DE AQUAPONIA Munir de Araújo Ibrahim 1 ; Fábio de Jesus Castro 2 ; Wallace Henrique de Oliveira 3 1 Aluno do Curso de Medicina Veterinária;

Leia mais

PISCICULTURA NO ESTADO DO PARÁ

PISCICULTURA NO ESTADO DO PARÁ Universidade Federal do Pará Pró-Reitoria de Extensão PISCICULTURA NO ESTADO DO PARÁ CUSTO DE PRODUÇÃO E INDICADORES ECONÔMICOS Marcos Ferreira Brabo Galileu Crovatto Veras Daniel Abreu Vasconcelos Campelo

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de Criador de Peixes em Viveiros Escavados. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de Criador de Peixes em Viveiros Escavados. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS SÃO CARLOS Aprovação do curso e Autorização da oferta

Leia mais

PISCICULTURA PARA MULHERES EM COMUNIDADE RURAL DO MUNICÍPIO DE AREIA/PB

PISCICULTURA PARA MULHERES EM COMUNIDADE RURAL DO MUNICÍPIO DE AREIA/PB PISCICULTURA PARA MULHERES EM COMUNIDADE RURAL DO MUNICÍPIO DE AREIA/PB SANTOS, Adriano Prazeres dos ¹ RODRIGUES, Marcelo Luis² Centro de Ciências Agrárias/Departamento de Zootecnia/ PROBEX RESUMO Esta

Leia mais

POTENCIAL DA ATIVIDADE PISCÍCOLA NO ESTADO DE

POTENCIAL DA ATIVIDADE PISCÍCOLA NO ESTADO DE Autores: ISSN Descalvado, SP Março, 2017 POTENCIAL DA ATIVIDADE PISCÍCOLA NO ESTADO DE Autores: Fernando Martins de Almeida 1 Wellington Carreta Alves 1 Marco Antônio de Andrade Belo 2 Genaldo Martins

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CEUC. APA-Nhamundá

CENTRO ESTADUAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CEUC. APA-Nhamundá CENTRO ESTADUAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CEUC APA-Nhamundá Decreto 12.836/1990 Área de 195.900 hectares Nhamundá Parintins Terra firme 15% várzea 85% Divisão em setores Setor 03 Setor 05 Setor 04 Setor

Leia mais

Pré-requisito Coreq Disciplina CCA029 - ZOOLOGIA GERAL - Ativa desde: 01/01/2006. Natureza - Obrigatoria Prática 34 Teórica 34

Pré-requisito Coreq Disciplina CCA029 - ZOOLOGIA GERAL - Ativa desde: 01/01/2006. Natureza - Obrigatoria Prática 34 Teórica 34 1 de 8 Colegiado: Nível:Graduação Início: 20051 Título: 01 - - CCA029 - ZOOLOGIA GERAL - Ativa desde: 01/01/2006 CCA198 - INTRODUCAO A - Ativa desde: 08/08/2007 CCA275 - BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR -

Leia mais

PRODUÇÃO INTEGRADA DE ALGODÃO

PRODUÇÃO INTEGRADA DE ALGODÃO PRODUÇÃO INTEGRADA DE ALGODÃO Alderi Emídio de Araújo Eng o Agr o,fitopatologista, D.Sc. VIII Congresso Brasileiro de Algodão São Paulo 20 de setembro de 2011 Foto: GBCA O que é a Produção Integrada? Produtos

Leia mais

Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica - EVTE Piscicultura em Tanques Rede

Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica - EVTE Piscicultura em Tanques Rede Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica - EVTE Piscicultura em Tanques Rede Sistema Grande Volume Baixa Densidade - GVBD Grupo Realiza Abril de 2013 1 Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica EVTE Piscicultura

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA REITORIA CENTRO DE AQUICULTURA DA UNESP

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA REITORIA CENTRO DE AQUICULTURA DA UNESP Nível: Histórico: Mestrado/Doutorado Código Capes: AQU00032 Docente(s) Responsável(eis): Prof. Dr. SERGIO RICARDO BATLOUNI Profa. Dra. ELIZABETH ROMAGOSA Situação Ativa Dt. Aprovação 08/10/1994 Dt. Desativação

Leia mais

NOTAS CIENTÍFICAS. Uso de alimento vivo como dieta inicial no treinamento alimentar de juvenis de pirarucu (1)

NOTAS CIENTÍFICAS. Uso de alimento vivo como dieta inicial no treinamento alimentar de juvenis de pirarucu (1) Uso de alimento vivo como dieta inicial 1011 NOTAS CIENTÍFICAS Uso de alimento vivo como dieta inicial no treinamento alimentar de juvenis de pirarucu (1) Bruno Adan Sagratzki Cavero (2), Daniel Rabello

Leia mais

II Encontro de Piscicultores de Mato Grosso do Sul Piscicultura, uma atividade ao alcance de todos. PESQUISA EM REDE Uma nova forma de pesquisar?

II Encontro de Piscicultores de Mato Grosso do Sul Piscicultura, uma atividade ao alcance de todos. PESQUISA EM REDE Uma nova forma de pesquisar? Bases tecnológicas para o desenvolvimento sustentável da aquicultura no Brasil. AQUABRASIL II Encontro de Piscicultores de Mato Grosso do Sul Piscicultura, uma atividade ao alcance de todos PESQUISA EM

Leia mais

Dr. Thiago M. T. do Nascimento

Dr. Thiago M. T. do Nascimento UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Campus de Jaboticabal Faculdade de ciências Agrárias e Veterinárias Dr. Thiago M. T. do Nascimento Espécie mais produzida no Brasil 2008 111 mil t

Leia mais

Daniel Latorraca Ferreira Gestor de projetos do IMEA-

Daniel Latorraca Ferreira Gestor de projetos do IMEA- Daniel Latorraca Ferreira Gestor de projetos do IMEA- Índice Sobre o diagnóstico Aspectos sociais e produtivos Aspectos econômicos e mercadológicos Mercado consumidor Análise estratégica Sobre o diagnóstico

Leia mais

Biometria de peixes, variáveis de desempenho e organização dos dados

Biometria de peixes, variáveis de desempenho e organização dos dados Biometria de peixes, variáveis de desempenho e organização dos dados Daniel Rabello Ituassú, M.Sc. Embrapa Agrossilvipastoril Sistema de produção aquícola Nutrição de peixes Introdução Introdução Produção

Leia mais

Qualidade da Água para a Aquicultura

Qualidade da Água para a Aquicultura Qualidade da Água para a Aquicultura Perila Maciel Rebouças Mestranda em Engenharia Agrícola UFC Engenharia de Sistemas Agrícolas - Ambiência Agrícola (Piscicultura) 11/01/2013 Definições Aqui = água e

Leia mais

Projeto de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da PISCICULTURA na Região do Complexo Nascentes do Pantanal no Estado de Mato Grosso

Projeto de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da PISCICULTURA na Região do Complexo Nascentes do Pantanal no Estado de Mato Grosso Projeto de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da na Região do Complexo Nascentes do Pantanal no Estado de Mato Grosso ÁREA do PROJETO LOCALIZAÇÃO Cadeia Produtiva da 42.973 km² 200.242 Hab. Em 2007 Mato

Leia mais

Universidade Estadual do Maranhão Centro de Ciências Agrárias II SEMANA ACADÊMICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS São Luís/MA, 28 a 30 de agosto de 2013

Universidade Estadual do Maranhão Centro de Ciências Agrárias II SEMANA ACADÊMICA DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS São Luís/MA, 28 a 30 de agosto de 2013 PROGRAMAÇÃO 28 DE AGOSTO DE 2013 HORÁRIO ATIVIDADES LOCAL 08:00h 09:00h Recepção aos participantes e entrega de material Área de vivência 09:00h 12:00h 12:00h 13:30h Solenidade de abertura Auditório 1

Leia mais

Comunicado Técnico. Cuidados Essenciais no Manejo Alimentar de Peixes Redondos Cultivados no Estado do Amapá. Introdução

Comunicado Técnico. Cuidados Essenciais no Manejo Alimentar de Peixes Redondos Cultivados no Estado do Amapá. Introdução Comunicado Técnico ISSN 97 1517-4077 Julho, 2014 Macapá, AP Cuidados Essenciais no Manejo Alimentar de Peixes Redondos Cultivados no Estado do Amapá Eliane Tie Oba Yoshioka 1 Introdução A aquicultura é

Leia mais

Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Morada Nova de Minas

Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Morada Nova de Minas Edição 21 2016 Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Morada Nova de Minas No dia 01 de abril de 2016, em Morada Nova de Minas, região central de

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

Curso: Engenharia Agronômica

Curso: Engenharia Agronômica RELATÓRIO DAS ALTERAÇÕES PROPOSTAS PARA O ANO DE 2016 Curso: Engenharia Agronômica a) criação de disciplinas obrigatórias a.1) 0110130 Vida Universitária e Cidadania 2 0 1º sem. Adaptação: para ingressantes

Leia mais

COLISEU EVENTOS LTDA FEIRA NACIONAL DO PEIXE DA AMAZÔNIA - FENAPAM

COLISEU EVENTOS LTDA FEIRA NACIONAL DO PEIXE DA AMAZÔNIA - FENAPAM COLISEU EVENTOS LTDA FEIRA NACIONAL DO PEIXE DA AMAZÔNIA - FENAPAM Ji-Paraná 2017 COLISEU EVENTOS LTDA FEIRA NACIONAL DO PEIXE DA AMAZÔNIA - FENAPAM Projeto apresentado pela Instituição promotora sob a

Leia mais

FENACAM 14 PROGRAMAÇÃO DE VISITAS TÉCNICAS

FENACAM 14 PROGRAMAÇÃO DE VISITAS TÉCNICAS FENACAM 14 PROGRAMAÇÃO DE VISITAS TÉCNICAS VISITA TÉCNICA 01: Fazendas de cultivo de camarão L. vannamei em águas oligohalinas. Data: 14 de novembro de 2014. Saída: 06h00min - Centro de Eventos do Ceará.

Leia mais

TAMBAQUI: PRODUÇÃO, DEMANDA, DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA O MERCADO BRASILEIRO E INTERNACIONAL

TAMBAQUI: PRODUÇÃO, DEMANDA, DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA O MERCADO BRASILEIRO E INTERNACIONAL TAMBAQUI: PRODUÇÃO, DEMANDA, DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA O MERCADO BRASILEIRO E INTERNACIONAL Eng.º Pesca Jenner T. Bezerra de Menezes Biofish Aquicultura FENACAM/ Fortaleza - CE, Novembro 2015 QUEM

Leia mais

COORDENAÇÃO ACADÊMICA NÚCLEO DE GESTÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Projeto de Pesquisa Registrado Informações Gerais

COORDENAÇÃO ACADÊMICA NÚCLEO DE GESTÃO DE ATIVIDADES DE PESQUISA COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Projeto de Pesquisa Registrado Informações Gerais COORDENAÇÃO ACADÊMICA Projeto de Pesquisa Registrado Informações Gerais 1. Coordenador (a): Washington Luiz Gomes Tavechio (tavechio@ufrb.edu.br) Vice-Coordenador (a): 2. Título do projeto: Controle de

Leia mais

NÚCLEO DE PESQUISA APLICADA A PESCA E AQUICULTURA DO TOCANTINS - NORTE 05 RELATORIO DE ATIVIDADES. Paulo Santana Alencar Estagiário do NUPA Norte 5.

NÚCLEO DE PESQUISA APLICADA A PESCA E AQUICULTURA DO TOCANTINS - NORTE 05 RELATORIO DE ATIVIDADES. Paulo Santana Alencar Estagiário do NUPA Norte 5. RELATORIO DE ATIVIDADES Paulo Santana Alencar Estagiário do NUPA Norte 5. PALMAS 2009 INTRODUÇAO O presente relatório repassa as atividades desenvolvidas pelo estagiário Paulo Santana Alencar no Núcleo

Leia mais

Coleta de parasitos em peixes de cultivo

Coleta de parasitos em peixes de cultivo Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Amapá Embrapa Agropecuária Oeste Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Universidade Federal de Santa Catarina Coleta de parasitos em peixes

Leia mais

DEJETOS DE SUÍNOS COMO FONTE PROTÉICA. DE PIAUÇU (Leporinus p macrocephalus).

DEJETOS DE SUÍNOS COMO FONTE PROTÉICA. DE PIAUÇU (Leporinus p macrocephalus). DEJETOS DE SUÍNOS COMO FONTE PROTÉICA ALTERNATIVA PARA ALEVINOS DE PIAUÇU (Leporinus p macrocephalus). ) LUCIENE DE MORAES GARCIA LUCIENE DE MORAES GARCIA MSc em Ciência Ambiental / UFF lmoraesgarcia@yahoo.com.br

Leia mais

TÉCNICAS DE MANEJO DA ENGORDA DO

TÉCNICAS DE MANEJO DA ENGORDA DO TÉCNICAS DE MANEJO DA ENGORDA DO PIRARUCU João L. Campos Eng. Agrônomo, M. Sc. Aquicultura Brasília/DF, 09 de novembro de 2016 Projeto Estruturante Pirarucu da Amazônia Projeto de conhecimento e tecnologia

Leia mais

Sistemas de Produção de peixe. Eduardo Gianini Abimorad Centro Avançado do Pescado Continental Instituto de Pesca

Sistemas de Produção de peixe. Eduardo Gianini Abimorad Centro Avançado do Pescado Continental Instituto de Pesca Sistemas de Produção de peixe Eduardo Gianini Abimorad Centro Avançado do Pescado Continental Instituto de Pesca Extensivo Produção: Até 2000 kg/ha/ano Técnicas e insumos usados * Sem uso de fertilizante

Leia mais

Panorama da Aqüicultura Nacional Pesquisador João Donato Scorvo Filho

Panorama da Aqüicultura Nacional Pesquisador João Donato Scorvo Filho Panorama da Aqüicultura Nacional Pesquisador João Donato Scorvo Filho jdscorvo@sp.gov.br A aqüicultura, em franco desenvolvimento, vem se impondo como atividade pecuária, embora ainda seja considerada

Leia mais

CUSTOS INVISÍVEIS O que deveria entrar na conta mas não é computado!

CUSTOS INVISÍVEIS O que deveria entrar na conta mas não é computado! CUSTOS INVISÍVEIS O que deveria entrar na conta mas não é computado! O QUE É INVISÍVEL? O QUE É PIOR QUE UM CUSTO INVISÍVEL? UM CUSTO INVISÍVEL QUE NUNCA SE TORNA VISÍVEL IDENTIFICANDO O INVISÍVEL ADMINISTRAR

Leia mais

Cálculo de povoamento de viveiros e tanques-rede

Cálculo de povoamento de viveiros e tanques-rede ISSN 2447-262X Cálculo de povoamento de viveiros e tanques-rede 1 Sinop, MT Agosto, 2015 Autor Daniel Rabello Ituassú Engenheiro de Pesca, Mestre em Biologia de Água Doce e Pesca Interior, pesquisador

Leia mais

Coordenação de Pesquisas em Dinâmica Ambiental - CDAM

Coordenação de Pesquisas em Dinâmica Ambiental - CDAM Coordenação de Pesquisas em Dinâmica Ambiental - CDAM Nome do GP Nome do Líder Membros do GP Ecofisiologia e fitossanidade de árvores Ricardo A. Marenco Estudantes: Joanne K. Santos,Giordane A. Martins,

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO Visando subsidiar a proposição de propostas a CHAMADA INTERNA DA PROPI/IFTM EDITAL MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 02/2014, apresentamos a seguir os critérios a serem considerados quando da avaliação das mesmas:

Leia mais

Sobre o Currículo Lattes

Sobre o Currículo Lattes Sobre o Currículo Lattes Acesse o Currículo Lattes http://lattes.cnpq.br Acesse o Currículo Lattes na página inicial da Plataforma Lattes, no menu Acesso direto. Cadastro no Currículo Lattes Nas páginas

Leia mais

Notas Científicas Densidade de estocagem de matrinxã (Brycon amazonicus) na recria em tanque-rede

Notas Científicas Densidade de estocagem de matrinxã (Brycon amazonicus) na recria em tanque-rede Densidade de estocagem de matrinxã 299 Notas Científicas Densidade de estocagem de matrinxã (Brycon amazonicus) na recria em tanque-rede Franmir Rodrigues Brandão (1), Levy de Carvalho Gomes (1), Edsandra

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO Demanda: PRPPG/UNIVASF/MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 01/2013 Proponente: Título

Leia mais

Embrapa & Parceiros. Proposta de parceria para Capacitação Continuada de técnicos na Cadeia Produtiva da PISCICULTURA

Embrapa & Parceiros. Proposta de parceria para Capacitação Continuada de técnicos na Cadeia Produtiva da PISCICULTURA Embrapa & Parceiros Proposta de parceria para Capacitação Continuada de técnicos na Cadeia Produtiva da PISCICULTURA Lineu Alberto Domit/Embrapa Agrossilvipastoril Novembro/2011 CONSIDERAÇÕES AGROPECUÁRIA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROGRAMA DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO - PRONATEC EDITAL PROFESSOR INTERNO - Nº 27/2015

Leia mais

Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: Universidade Estadual da Paraíba Brasil

Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: Universidade Estadual da Paraíba Brasil Revista de Biologia e Ciências da Terra ISSN: 1519-5228 revbiocieter@yahoo.com.br Universidade Estadual da Paraíba Brasil Smerman, Wagner; Díaz Castro, José Gerley; Toledo, José Julio de; Rosa Santos da,

Leia mais

Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA. A01 Agricultura - aspectos gerais. A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA.

Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA. A01 Agricultura - aspectos gerais. A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA. Sistema AGRIS - Categorias de Assuntos: A AGRICULTURA A01 Agricultura - aspectos gerais A50 Investigação B GEOGRAFIA E HISTÓRIA B10 Geografia B50 História C EDUCAÇÃO, EXTENSÃO E INFORMAÇÃO C10 Educação

Leia mais

SEBRAE BIOECONOMIA SEBRAE AMAZONAS /

SEBRAE BIOECONOMIA SEBRAE AMAZONAS / SEBRAE BIOECONOMIA SEBRAE AMAZONAS 2017 MISSÃO Promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e estimular o empreendedorismo. PÚBLICO-ALVO Empresa de Pequeno Porte Microempresa

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL DO PIRARUCU DA AMAZÔNIA CENÁRIOS E PERSPECIVAS DO MERCADO Ricardo Vasconcelos

SEMINÁRIO NACIONAL DO PIRARUCU DA AMAZÔNIA CENÁRIOS E PERSPECIVAS DO MERCADO Ricardo Vasconcelos SEMINÁRIO NACIONAL DO PIRARUCU DA AMAZÔNIA CENÁRIOS E PERSPECIVAS DO MERCADO Ricardo Vasconcelos A MAR & TERRA - INTRODUÇÃO A Mar & Terra foi fundada pelo Grupo Axial em 2001, com uma abordagem de investimento

Leia mais

PD&I em Processos Bioquímicos

PD&I em Processos Bioquímicos PD&I em Processos Bioquímicos Dra Thaís Salum Laboratório de Processos Bioquímicos (LPB) Simpósio Agroenergia em Foco Novembro de 2015 Linhas de Pesquisa e Projetos Produção de microalgas como matéria-prima

Leia mais

Piscicultores e técnicos discutem os custos de produção de tilápia em viveiro escavado em Tubarão SC

Piscicultores e técnicos discutem os custos de produção de tilápia em viveiro escavado em Tubarão SC Edição 23 2016 Piscicultores e técnicos discutem os custos de produção de tilápia em viveiro escavado em Tubarão SC No dia 2 de junho de 2016, no Centro de Treinamento da Epagri de Tubarão - CETUBA, no

Leia mais

USO DE RJ\ÇAO.ARTESANAL NA. PISCICULTURA FAMILIAR

USO DE RJ\ÇAO.ARTESANAL NA. PISCICULTURA FAMILIAR USO DE RJ\ÇAO.ARTESANAL NA. PISCICULTURA FAMILIAR Ver-o-Peixe projeto de desenvolvimento é o nome de um da piscicultura familiar realizado em. parceria entre agricultores, pesquisadores e técnicos da extensão

Leia mais

Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Felixlândia

Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Felixlândia Edição 20 2016 Piscicultores e demais agentes da cadeia produtiva discutem os custos de produção da tilápia em Felixlândia No dia 31 de março de 2016, em Felixlândia, região central do estado de Minas

Leia mais

DEBATE ALEVINO UM TERMO EQUIVOCADO NA PISCICULTURA BRASILEIRA COM CONSEQÜÊNCIAS NO SETOR PRODUTIVO 1 INTRODUÇÃO

DEBATE ALEVINO UM TERMO EQUIVOCADO NA PISCICULTURA BRASILEIRA COM CONSEQÜÊNCIAS NO SETOR PRODUTIVO 1 INTRODUÇÃO DEBATE ALEVINO UM TERMO EQUIVOCADO NA PICICULTURA BRAILEIRA COM CONEQÜÊNCIA NO ETOR PRODUTIVO 1 Levy de Carvalho Gomes 2 Carlos Alberto Rego Monteiro Araujo-Lima 3 Rodrigo Roubach 4 INTRODUÇÃO A criação

Leia mais

CURSO AQUACULTURA - QUADRO DE HORÁRIOS 2013/2

CURSO AQUACULTURA - QUADRO DE HORÁRIOS 2013/2 CURSO AQUACULTURA - QUADRO DE HORÁRIOS 2013/2 1º PERÍODO Horário SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA Horário SEXTA 7:30 8:20 :20 9:10 Química Geral B (QUI003) Química Geral B (QUI003) Química Geral B (QUI003)

Leia mais

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico El papel de los ONCYTs en el diseño de instrumentos que orienten la investigación científica, el desarrollo tecnologico y la innovación productiva para enfrentar los problemas acuciantes de la región Wrana

Leia mais

TAXA DE ARRAÇOAMENTO DO Astyanax bimaculatus

TAXA DE ARRAÇOAMENTO DO Astyanax bimaculatus TAXA DE ARRAÇOAMENTO DO Astyanax bimaculatus Cristhian Roberto Hartmann¹, Anderson Sloboda 1, Álvaro Célio Grocholski 1, Luiz Henrique da Silva 2, Moreira, Luiz Sérgio 3, Adolfo JATOBÁ 4. ¹Bolsista 170/2014

Leia mais

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO E/OU REGULAMENTAÇÃO DE DISCIPLINA

FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO E/OU REGULAMENTAÇÃO DE DISCIPLINA 116 UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE PROJETOS E ACOMPANHAMENTO CURRICULAR DIVISÃO DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR FORMULÁRIO PARA CRIAÇÃO E/OU REGULAMENTAÇÃO DE DISCIPLINA

Leia mais

Densidade de estocagem de alevinos no cultivo de lambaris

Densidade de estocagem de alevinos no cultivo de lambaris Densidade de estocagem de alevinos no cultivo de lambaris Xister, Renan 1 ; Moreira, Luiz Sérgio 2 ; Ferreira, Mario 3 ; Jatobá, Adolfo 3 1,2,3 IFCatarinense, Araquari/SC INTRODUÇÃO Existem cerca de cem

Leia mais

Produtos e especialidades para nutrição animal derivados de microrganismos

Produtos e especialidades para nutrição animal derivados de microrganismos Produtos e especialidades para nutrição animal derivados de microrganismos João Fernando Albers Koch Zootecnista Doutor em Nutrição Animal P&D Biorigin Brasília/DF Setembro - 2017 Introdução Indústria

Leia mais

REVISÃO DO PERFIL DOS PROGRAMAS - atribuição de nota. (Efetuada na reunião de coordenadores na UFSC/Florianópolis nos dias: 06 e 07 março de 2003)

REVISÃO DO PERFIL DOS PROGRAMAS - atribuição de nota. (Efetuada na reunião de coordenadores na UFSC/Florianópolis nos dias: 06 e 07 março de 2003) REVISÃO DO PERFIL DOS PROGRAMAS - atribuição de nota (Efetuada na reunião de coordenadores na UFSC/Florianópolis nos dias: 06 e 07 março de 2003) A seguir estão definidos os critérios para avaliação e

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Aquicultura LABNUTRI Nutrição de Espécies Aquícolas UFSC

Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Aquicultura LABNUTRI Nutrição de Espécies Aquícolas  UFSC Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Aquicultura LABNUTRI Nutrição de Espécies Aquícolas www.aqi.ufsc.br UFSC Tópicos a serem abordados Necessidade do conhecimento das exigências nutricionais

Leia mais

Solicitação de Aprovação e Autorização de Oferta de Curso. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL e CONTINUADA em PISCICULTURA EM TANQUE-REDE

Solicitação de Aprovação e Autorização de Oferta de Curso. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL e CONTINUADA em PISCICULTURA EM TANQUE-REDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Solicitação de Aprovação e Autorização de Oferta de Curso

Leia mais

Grade Curricular do Curso Zootecnia A partir de 2008

Grade Curricular do Curso Zootecnia A partir de 2008 Grade Curricular do Curso Zootecnia A partir de 2008 1º PERÍODO Domésticos I Obrigatória 4 60 Biologia Celular Obrigatória 4 60 Informática Básica Obrigatória 2 30 Introdução à Zootecnia Obrigatória 2

Leia mais

CURRÍCULOS E PRÉ-REQUISITOS. Currículo: BACHARELADO ZOOTECNIA Código Disciplina Optativa C.H. Total Nº Créditos

CURRÍCULOS E PRÉ-REQUISITOS. Currículo: BACHARELADO ZOOTECNIA Código Disciplina Optativa C.H. Total Nº Créditos 1º PERÍODO 1511 ANATOMIA ANIMAL Não 80 4 52 BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR Não 80 4 50 CIÊNCIAS DO AMBIENTE E ECOLOGIA Não 80 4 55 INFORMÁTICA BÁSICA Não 40 2 1509 INTRODUÇÃO A ZOOTECNIA E DEONTOLOGIA Não

Leia mais