Balanço Social. Parceria de Sucesso. Prefeitura, Pró-Saúde e São Vicente, com gestão profissionalizada, encontram novos caminhos para o hospital

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Balanço Social. Parceria de Sucesso. Prefeitura, Pró-Saúde e São Vicente, com gestão profissionalizada, encontram novos caminhos para o hospital"

Transcrição

1 Balanço Social EDIÇÃO Nº 1 DEZEMBRO/2008 Parceria de Sucesso Prefeitura, Pró-Saúde e São Vicente, com gestão profissionalizada, encontram novos caminhos para o hospital

2 Há um ano iniciava-se a parceria entre a Pró-Saúde e o Hospital de Caridade São Vicente de Paulo. Esta data é para ser comemorada, mas ao estilo dos profissionais da saúde: atendendo pessoas, servindo à comunidade e, acima de tudo, ajudando o próximo. Um ano de união, conquistas e trabalho É assim que avaliamos uma gestão bem sucedida: quando as pessoas que precisam dela participam com a gente. Hospital de Caridade São Vicente de Paulo R. São Vicente de Paulo, 223 Centro Jundiaí - São Paulo Tel.: (11) R. Diogo Cabrera, 94B Imirim - CEP São Paulo - SP Tel/Fax.: (11)

3 EDITORIAL HUMBERTO CAETANO Diretor Operacional No Hospital de Caridade São Vicente de Paulo encontramos campo fértil para o desenvolvimento de nossas atividades. A parceria entre a Prefeitura de Jundiaí, Pró-Saúde, Colaboradores e médicos do Hospital, vem comprovando que é possível construir parcerias sólidas no setor de saúde e beneficiar toda a população que depende de assistência hospitalar através do Sistema Único de Saúde. Nosso trabalho não teria sucesso se não fosse o esforço conjunto e coordenado de várias pessoas que dedicam parte de suas vidas, não só ao trabalho, mas também ao aprendizado contínuo através dos treinamentos e cursos proporcionados aos colaboradores. Muito me orgulha o fato de termos criado a parceria com a Faculdade Anchieta para formação de uma turma de MBA em Administração Hospitalar e Serviços de Saúde para os colaboradores do Hospital, além de vários outros que foram ministrados no ano. Além disso, procuramos melhorar e remodelar as parcerias com as escolas profissionalizantes e faculdades da cidade proporcionando assim estágio para vários estudantes. Os investimentos, sempre com apoio dos representantes do Município, estão trazendo novos e modernos serviços para a comunidade, como a criação do novo Setor de Imagens, Setor de Quimioterapia, Setor Radioterapia e o Setor de Captação de Córneas, com funcionamento dentro das próprias dependências do Hospital. Procuramos intensificar o relacionamento com os colaboradores, sempre com a idéia de que todos terão a liberdade na ação e a responsabilidade no resultado gerado, procurando com isso, formar profissionais e valorizar o maior patrimônio que este hospital tem que é o ser humano. Ser humano que cuida e necessita de cuidados. Foram várias as iniciativas geradas para a motivação das pessoas, mas a mais simples de todas é o respeito a elas e a oportunidade oferecida para que todos se manifestem e possam ser agentes ativos no processo de crescimento do Hospital. Estamos lançando outro importante desafio para o próximo ano. Foi instituído o Setor de Qualidade no Hospital. Aquilo que era vontade se transforma em realidade e a meta é ter o Hospital Certificado pela ONA (Organização Nacional de Acreditação) no prazo de um ano e, para isso, todos serão chamados a contribuir e, pelos resultados até agora colhidos e pela confiança que tenho no potencial de nossos colaboradores, não tenho dúvidas de que a meta será atingida. ÍNDICE O prefeito Ary Fossen fala sobre o São Vicente A história do São Vicente em Jundiaí Conheça o Conselho Gestor e a Comissão de Captação de Órgãos O que andam dizendo sobre a Pró-Saúde no São Vicente As conquistas para a Cardiologia O novo Centro de Oncologia do São Vicente Os bons resultados do programa de Internação Domiciliar O desafio do equilíbrio financeiro O São Vicente e seu Banco de Talentos Humanização: palavra de ordem Os coordenadores do São Vicente O belo trabalho da Pastoral da Saúde Conheça a Conferência Nossa Senhora do Desterro As apostas da Diretoria para o São Vicente A importância da parceria com a Prefeitura Reformas transformam o Centro Cirúrgico Uma série de conquistas para o hospital São Vicente ganha um novo tomógrafo Os números do hospital EXPEDIENTE Superintendência Marco Antônio Paes de Freitas Diretoria Humberto Caetano - Diretor Operacional da Pró-Saúde Gabriel Giraldi - Diretor Geral Ewerton Donato - Diretor Administrativo Cibele Sinico - Diretora de Relacionamento Izandro Regis de Brito Santos - Diretor Clínico William José de Souza - Diretoria Assistencial Redação Thaís Dornelles - Jornalista Responsável (Mtb ) Antonio Granziol Jr. - Diagramação Débora Burato - Revisão Marjorie Magni - Fotografias Impressão: Leograf Tiragem: exemplares Balanço Social Esta publicação pertence a Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, distribuída a hospitais, clínicas, laboratórios, médicos, administradores, fornecedores e interessados em geral das áreas médicas, hospitalar e administrativa. OS ARTIGOS PUBLICADOS NESTA EDIÇÃO REFLETEM ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE A OPINIÃO DE SEUS AUTORES E NÃO NECESSARIAMENTE A DA REVISTA. PERMITIDA A REPRODUÇÃO DOS ARTIGOS, DESDE QUE CITADA A FONTE. 2

4 São Vicente em números De janeiro a agosto de INTERNAÇÕES ,0 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 6,1 6,1 6,5 MÉDIA DE PERMANÊNCIA - DIAS 6,1 6,4 6,0 5,7 6,0 5,7 6,1 Número de colaboradores Setor Administração Enfermagem Médicos Técnico Apoio Externo PSF - Policlínicas PACs Estagiários (residentes) Outros TOTAL Qtde jan/08 fev/08 mar/08 abr/08 mai/08 jun/08 jul/08 ago/08 set/08 out/08 nov/08 dez/08 MÉDIA MÉDIA ,0 0 jan/08 fev/08 mar/08 abr/08 mai/08 jun/08 jul/08 ago/08 set/08 out/08 nov/08 dez/08 MÉDIA MÉDIA número médio de leitos 31 número de leitos de UTI ATENDIMENTOS EXTERNOS EXAMES DE LABORATÓRIO R$ 2,3 milhões Receita média mensal do hospital R$ 4,8 milhões Subvenção mensal do município set/08 out/08 nov/08 dez/08 jan/08 fev/08 mar/08 abr/08 mai/08 jun/08 jul/08 ago/08 MÉDIA MÉDIA set/08 out/08 nov/08 dez/08 jan/08 fev/08 mar/08 abr/08 mai/08 jun/08 jul/08 ago/08 MÉDIA MÉDIA R$ 1 milhão Aumento médio mensal do faturamento de receita própria do SUS NÚMERO DE CIRURGIAS GERAL PRONTO ATENDIMENTO R$ 4,098 milhões Redução de endividamento do hospital R$ 1,4 milhão Investimento em materiais e equipamentos set/08 out/08 nov/08 dez/08 jan/08 fev/08 mar/08 abr/08 mai/08 jun/08 jul/08 ago/08 MÉDIA 2007 MÉDIA jan/08 fev/08 mar/08 abr/08 mai/08 jun/08 jul/08 ago/08 set/08 out/08 nov/08 dez/08 MÉDIA MÉDIA R$ 2,4 milhões Investimento em obras PRONTO SOCORRO ADULTO PRONTO SOCORRO ORTOPEDIA De 800 a 1000 Refeições servidas durante o dia, englobando desjejum, almoço, lanche da tarde, jantar, ceia e lanche noturno, para pacientes e colaboradores jan/08 fev/08 mar/08 abr/08 mai/08 jun/08 jul/08 ago/08 set/08 out/08 nov/08 dez/08 MÉDIA MÉDIA jan/08 fev/08 mar/08 abr/08 mai/08 jun/08 jul/08 ago/08 set/08 out/08 nov/08 dez/08 MÉDIA MÉDIA toneladas Média mensal de roupas lavadas 27

5 Tomógrafo: investimento em parceria com a Prefeitura Tomógrafo Inaugurado no dia 14 de março deste ano, o tomógrafo do Hospital São Vicente de Paulo foi uma doação da empresa Siemens, realizada a pedido do prefeito municipal. O Departamento de Diagnóstico por Imagem do Hospital São Vicente passou a atender cerca de 1000 pacientes por mês. Com o novo aparelho foi possível aumentar a quantidade de atendimentos e a agilidade na entrega dos exames realizados diariamente. Segundo Tatiane Santos, Coordenadora do Departamento de Diagnóstico por Imagem, o prazo de entrega dos exames externos era de dez dias e agora conseguimos entregar em até 5 dias. Para os pacientes internados o prazo é de até 48 horas. O motivo da agilidade, segundo ela, é a modernidade do aparelho que possibilita resultados mais rápidos e eficientes. 14

6 Sob o olhar do prefeito A prefeitura passou a acompanhar o Hospital São Vicente com olhos voltados para a profissionalização da gestão. O faturamento feito atualmente pela diretoria, segundo o prefeito, merece destaque entre as benfeitorias realizadas. Acompanhamos a implantação e entrega dos hospitais do estado para as organizações sociais, sem fins lucrativos, feitos pelo então governador Mario Covas. Não foi diferente com a entrada da Pró-Saúde no Hospital São Vicente. Não conseguíamos faturar corretamente. Hoje o faturamento é corrente. Progredimos muito em todos os aspectos: humanização, internação domiciliar, o novo pronto atendimento fora do prédio do hospital, o atendimento preferencial para o idoso, o setor de quimioterapia, a implantação do centro de oncologia, o banco de olhos e aparelho de ultrassom. Felizmente o Hospital São Vicente faz milagre na cidade de Jundiaí. O relacionamento entre a Pró-Saúde e a prefeitura é dos melhores. Mas tudo está resolvido? Não. Avançamos muito e nós temos a felicidade de ter em Jundiaí a Pró-Saúde que trouxe esse modelo moderno de gestão. Felizmente, o Hospital São Vicente faz milagre na cidade de Jundiaí. Ary Fossen, prefeito 15

7 São Vicente Parte da História de Jundiaí Jundiaí ocupa o segundo lugar no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M), segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Isto significa que a cidade é a segunda, no Estado de São Paulo, em qualidade de vida, entre os municípios com mais de 200 mil habitantes. A cidade é referência em atendimento médico público e oferece serviços especializados para a micro região, que é composta pelas cidades de Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itatiba, Itupeva, Jarinu, Louveira, Morungaba e Várzea Paulista. O atendimento médico em Jundiaí começa nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e dependendo da gravidade do caso, as UBSs encaminham o paciente para o Hospital de Caridade São Vicente de Paulo, que atende pacientes pelo SUS. O hospital foi fundado pelos Confrades Vicentinos, durante uma das reuniões semanais da Conferência Nossa Senhora do Desterro, vendo a necessidade dos socorridos e dos indigentes que pediam ajuda. Presidente do Conselho Central de Jundiaí da Sociedade São Vicente de Paulo há 3 anos, João Boaventura de Araújo, sabe que o hospital cresceu muito desde sua fundação, mas sem perder seus valores. A caridade permanece até hoje. Nossa população é muito sofrida e depende disso. Os doentes precisam de dedicação e HOSPITAL SÃO VICENTE 14 DE PAULO

8 PALAVRA DO PACIENTE Pronto Atendimento Adequação do serviço de hotelaria WILIAN Depois de um mês de internação, Wilian Rodrigues Temporem Alves, conta que foi muito bem tratado. Após ter sido atropelado por um caminhão, o estudante informou que As enfermeiras foram muito dedicadas. Segundo ele, foi a primeira vez que ficou internado e estava muito assustado com o que estava acontecendo. Mesmo assim, afirma que os funcionários o animavam constantemente. É um milagre estar vivo depois de tudo o que aconteceu. Quero agradecer a todos os funcionários e à equipe que cuidou de mim. Pretendo escrever uma carta a todos como forma de agradecimento, explica. Adequação das recepções 25

9 Conquistas para o São Vicente Adequação dos espaços físicos Adequação das salas de espera Ambulatório de especialidades Implantação de uniformes Ampliação da farmácia do Centro Cirúrgico 24

10 PALAVRA DA AUTORIDADE DRª MÁRCIA DOBARRO SECRETÁRIA MUNICIPAL DE SAÚDE O hospital é mantido com subsídios municipais. Além do prédio localizado na Rua São Vicente nº 223, são realizados atendimento no prédio do Pronto Atendimento, na rua Jorge Zolner, nº 201 e no Ambulatório de Especialidades, que fica na Rua Euclides da Cunha, nº 158, ambos ao lado do hospital. O local transformou-se, ao longo de sua existência, em um Hospital de Alta Complexidade. Pertence ao Sistema de Referência e Contra Referência do Estado de São Paulo, tendo como exemplo o Paciente Politraumatizado. Conta ainda com uma das raras UTIs Neurológicas do Estado, possuindo também as especialidades de Cardiologia (Hemodinâmica), Radioterapia, Angiologia, Cirurgia Vascular, Odontologia, Ortopedia, Pronto Socorro Adulto 24 horas e Internação Domiciliar. O Hospital São Vicente vem passando por um processo de transformação bastante importante nesse último ano. Houve uma profissionalização da administração do São Vicente e a habilitação junto ao Ministério da Saúde. As habilitações, principalmente dos leitos de UTI, causam uma economia no repasse de verbas do município. Antes nós tínhamos leitos de UTI que não eram cadastrados, geravam custos e não recebíamos subsídios do Governo Federal. A habilitação faz com que nós possamos aplicar recursos em outras ações que são tão ou mais importantes dentro do hospital. PALAVRA DA AUTORIDADE JUCA CHAVES RODRIGUES VICE-PREFEITO DE JUNDIAÍ 98% dos pacientes atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) O São Vicente vive um momento de transição e percebemos diversas melhorias físicas e administrativas conquistadas pela Pró-Saúde. Através dos números obtidos recentemente, é possível estipular novas metas para atingir o crescimento esperado. Os dados atuais são consistentes.

11 Colaborador preside o Conselho Gestor Entre inúmeros atendimentos diários, Antônio Carlos Pereira, chefe da segurança do hospital, mobiliza funcionários de diferentes setores para agilizar os primeiros atendimentos de quem chega no São Vicente. Motivado pela paixão ao trabalho, hoje Pereira (como é conhecido no São Vicente) tem uma responsabilidade maior. Depois de 14 anos trabalhando no local, este ano assumiu o posto de presidente do Conselho Gestor do Hospital São Vicente. Esta é a primeira vez que um representante do São Vicente é eleito presidente da entidade e minha satisfação é muito grande, revela. Hoje o trabalho do Conselho é atuante. O São Vicente é referência em 8 cidades e está localizado entre duas importantes rodovias (Anhanguera e Bandeirantes) por isso um hospital deste porte precisa manter a mesma qualidade no atendimento todos os dias, disse ele. A implantação do Conselho tem como objetivo incentivar a participação e integração, estabelecendo um processo democrático, de comunicação entre os três segmentos representativos: administração, funcionários e usuários do hospital. MELHORIA COMISSÃO DE CAPTAÇÃO DE ÓRGÃOS Tem uma composição multidisciplinar e funciona buscando potenciais doadores (pacientes em morte encefálica) para doação de órgãos. É um trabalho complexo, pois envolve abordagem dos familiares, a notificação dos potenciais doadores ao órgão estadual de controle da captação e transplante, o diagnóstico de morte e manutenção do doador até o momento da retirada dos órgãos. A Comissão foi reestruturada no ano passado, com a criação do regimento interno, instituição de reuniões periódicas com atas e um plano de ação para credenciamento do hospital (antes a comissão existia para cumprimento de lei, mas não era atuante e o hospital não tinha credenciamento para captação). Neste ano, mais especificamente no mês de setembro, o hospital conseguiu o credenciamento junto ao SUS para captação (publicado em Diário Oficial). É composta por Enfermeiros, médicos, psicólogos, fisioterapeutas e assistentes sociais. 6

12 Novas instalações do Centro Cirúrgico Reformas no Centro Cirúrgico Recentemente, a Diretoria do Hospital de Caridade São Vicente de Paulo realizou reformas em vários setores, entre eles, o Centro Cirúrgico. As mudanças beneficiaram os profissionais que lá trabalham e, principalmente, os pacientes atendidos pelo hospital, que contam agora com um espaço adequado e equipamentos mais modernos. Elisangela de Souza Santana, enfermeira coordenadora do centro cirúrgico, trabalha há 9 anos no hospital e está há um ano e seis meses no setor. Para ela, as mudanças foram fundamentais para o bom funcionamento do local. Com a chegada da Pró-Saúde demos início à reforma, ampliamos o setor com mais uma sala cirúrgica e uma nova farmácia. Refizemos o quadro de funcionários e adequamos o número de enfermeiras para atender melhor os pacientes, conta ela. De acordo com a enfermeira, as mudanças no centro cirúrgico foram além da adequação do espaço físico. Iniciamos os cursos de humanização que não existiam antes. Trocamos toda a parte de material como perfuradoras da parte ortopédica e ainda será feito investimento com a serra da cardíaca e material para neuro-cirurgia, explica. Todas as mudanças deixaram Elisangela otimista: Espero que possamos dar o melhor de nós para os pacientes, disse. 23

13 Parceria com a Prefeitura Osucesso do trabalho desenvolvido no São Vicente, deve-se, em grande parte, pela parceria criada com a prefeitura. Segundo Ewerton Donato, Diretor Administrativo, a parceria proporciona a melhoria e o aperfeiçoamento dos serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde. A Pró-Saúde é especializada na Gestão de Hospitais, que através de profissionais com formação e experiência comprovada, tem obtido resultados excepcionais. Além disso, oferece retaguarda de apoio, para que a gestão possa ser submetida a avaliações constantes, sob o ponto de vista da qualidade e obtenção dos resultados préestabelecidos por um planejamento estratégico. Desta forma os recursos financeiros são otimizados, permitindo a cobertura cada vez maior do atendimento às pessoas carentes, relata o diretor. PALAVRA DO PARCEIRO ANA CHRISTINA P. ZAMPEIRI CHEIBUB JUNDIMAGEM A parceria entre Jundimagem e HCSVP aconteceu depois da Pró- Saúde já ter assumido a diretoria do hospital. Desde o início estamos presenciando os investimentos e as mudanças, tendo como foco o bom atendimento do paciente e o bom relacionamento com os serviços terceirizados. Presenciamos grandes mudanças nas áreas administrativa, operacional e outras que trouxeram qualidade no atendimento, haja vista o contentamento dos pacientes por nós atendidos. Temos a satisfação de ouvir elogios, não só de pacientes, como também de colegas, em relação à área de Imagem, como nos outros setores, terceirizados ou não. Tudo isso somado, nos estimula a continuar acreditando e investindo nesta nova parceria. 22

14 O que andam dizendo Os benefícios da vinda da Pró-Saúde para o São Vicente são vários. Possuem boa estrutura, administradores de várias áreas e ainda oferecem o apoio necessário que precisamos, seja em assuntos econômicos, gestão de pessoas ou compras. Temos um bom entrosamento na área clínica. Estamos com as contas muito bem demonstradas, e os balanços financeiros também. Antes o hospital funcionava bem, mas a prestação de contas não era adequada. Marco Antônio Paes de Freitas Superintendente Hospital São Vicente de Paulo O sincronismo entre a Pró-Saúde, a superintendência e o gestor municipal, proporcionou direcionar recursos para implementação de reformas estruturais, revisão de equipamentos médicos e de sua manutenção, compra de novos aparelhos, revisão e otimização do sistema (software), além da revisão do quadro de colaboradores. Izandro Régis Brito Santos Diretor clínico e responsável técnico pelo Hospital Cirurgião Oncologista do corpo clínico 7

15 PALAVRA DO PACIENTE Conquistas para a Cardiologia ROGENEI Transferido de outro hospital, sem nenhum diagnóstico ou atendimento, Rogenei Quiero, ajudante geral, chegou ao Hospital São Vicente depois de 10 dias com febre, dores abdominais e pressão baixa. Depois de passar 18 dias na UTI, quatro cirurgias, uma plástica e 15 sessões de Câmera Hiperbárica, ficou 54 dias internado. Explica ainda que leva boas lembranças do período que esteve no hospital. Fui bem atendido desde que cheguei e fiz boas amizades. Venho visitá-los, mesmo que ainda esteja em tratamento. Venho só para ver os amigos que fiz. Por isso, só tenho que agradecer, desde as copeiras, higiene hospitalar, as enfermeiras e toda a equipe. Wagner Ligabó, responsável pela cirurgia cardíaca do São Vicente e pela hemodinâmica do hospital, um serviço terceirizado, é quem fala sobre as mudanças no setor. Ele atua nas cirurgias cardíacas e de marca-passo, trabalho muito importante porque mantém o nível de alta complexidade do São Vicente. O hospital vivenciava um déficit crônico de falta de verba. Com a Pró-Saúde houve entendimento entre o hospital e a prefeitura, que oferece subsídios à instituição. Houve um avanço grande nas negociações e melhora nos critérios de gestão. De acordo com Ligabó, antes da Pró-Saúde as solicitações demoravam a serem praticadas. Hoje há um dinamismo maior e as coisas acontecem mais rápido pelo sincronismo com a prefeitura. Antigamente eu reivindicava para receber. Hoje a verba é bem gerenciada e todas as solicitações são providenciadas rapidamente. Esse dinamismo estimula os funcionários a trabalhar, conta Ligabó. 8

16 Daniel Baptista Willian Pantaleão na chefia de um setor. A política de investir nos funcionários torna o profissional mais qualificado para exercer sua função, revela. Telma Lodovici Ranalli é chefe do Serviço de Nutrição e Dietética (SND) do São Vicente. É responsável técnica pela área de nutrição clínica e pela produção de alimentos do hospital. Depois de trabalhar no local durante três anos, assumiu o cargo atual em Março deste ano. Participou de uma seleção interna para avaliar, entre as nutricionistas, qual era mais apta para ser gestora do setor e ficou muito feliz com o resultado. Nunca havia trabalhado como gestora e aceitei o desafio para adquirir experiências e trazer melhorias para o setor, explica ela. Em agosto de 2005, Daniel Baptista da Silva começou a trabalhar no São Vicente como auxiliar administrativo do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel da Urgência). Mais tarde, assumiu a coordenadoria do Saec (Serviço de Atendimento Especial para Crônicos) e hoje é Chefe da central de ambulâncias. Foi uma oportunidade muito boa. No meio de tantos funcionários a diretoria conseguiu identificar a potencialidade de cada um e oferecer uma chance. Ao mesmo tempo o funcionário percebe que a empresa está investindo nele. A chance de evoluir dentro da empresa é igual para todos. Outro colaborador promovido foi Willian César Esmael Pantaleão, Chefe do CPD (Central de Processamento de Dados). Ele trabalha no hospital há três anos e foi promovido há aproximadamente 6 meses. Sei que muitos jovens da minha idade não têm a mesma oportunidade por isso valorizo ainda mais o meu trabalho e o da minha equipe, conta ele. 21

17 Daniel Alves Telma Ranalli As apostas da Diretoria Reconhecer o valor de cada colaborador dentro dos setores e promovê-los de acordo com a necessidade do hospital. Estas ações agilizaram o atendimento no São Vicente e ainda mudaram a vida de algumas pessoas. Daniel Paulo Alves começou a trabalhar no hospital em 2001, no arquivo médico. Passou pelos setores de estatística, infecção hospitalar, pelo setor de qualidade do hospital e hoje é chefe de faturamento. Para ele, o reconhecimento veio sem que houvesse expectativas. Entrei no hospital sem imaginar que depois de começar no arquivo estaria hoje 20

18 O novo Centro de Oncologia Os atendimentos que atualmente são realizados no Instituto de Oncologia, localizado na Rua Barão de Teffé, nº 594, serão realizados no próprio São Vicente. Em média, são realizados 600 exames por mês no Instituto. A inauguração da área física aconteceu em agosto. Com o início do atendimento na área interna do hospital, será ampliada a qualidade no serviço oferecido. Segundo Marcelo Ferreti Faneli, médico oncologista e chefe do setor de oncologia do hospital, com a chegada da Pró-Saúde no São Vicente, a integração entre o Instituto de Oncologia e a diretoria melhorou e os problemas de falta de pagamento acabaram. É possível sentir o empenho dos diretores, o esforço, seriedade e a boa vontade em nos atender e a postura profissional. Antes, sofríamos com a falta de pagamento. Isso exigia uma negociação mais difícil com as pessoas que vendiam os medicamentos para o Instituto. As tabelas de preços eram mais complicadas porque o pagamento era compensado com preços mais altos. 600 exames realizados mensalmente no Instituto de Oncologia 9

19 Internação domiciliar OBons resultados estimulam ampliação do programa programa de Internação Domiciliar tem como objetivo a desospitalização do paciente. Entre as vantagens do programa está a diminuição do risco de infecção hospitalar, a melhora na rotatividade dos leitos do hospital e, conseqüentemente, a redução do custo. É oferecida apenas a pacientes que moram em Jundiaí e que passaram pela internação do Hospital São Vicente. Em casa, o paciente recebe atenção diferenciada e ainda convive com pessoas conhecidas, afirma Alessandra Mation, médica responsável pela Internação Domiciliar do São Vicente. Cada atendimento é individualizado e a duração do tratamento depende da estabilidade clínica de cada Dra. Alessandra instruindo equipe de Internação Domiciliar 10

20 Conferência Nossa Senhora do Desterro Em meados de março deste ano, uma equipe de funcionários do Hospital São Vicente de Paulo decidiu reiniciar o trabalho da Conferência Nossa Senhora do Desterro para ajudar pacientes carentes. De acordo com Adilson Luiz Jacintho, Vice-Presidente da Conferência, o trabalho consiste, entre outras coisas, identificar e ajudar pessoas que têm pouca ou nenhuma condição de se manter financeira ou emocionalmente. São pessoas que precisam de roupas, sapatos, comida ou até mesmo, e na maioria das vezes, que só precisam ser ouvidas, diz. Atualmente, a Conferência conta com 14 colaboradores. Adilson destaca ainda que o voluntariado dos funcionários do hospital tem contagiado pessoas de fora que se interessam e querem fazer o mesmo. A equipe responsável pela Conferência realiza eventos beneficentes para arrecadar fundos que são revertidos para suprir as necessidades das famílias carentes. PALAVRA DA AUTORIDADE SILVANA BAPTISTA COMISSÃO DE SAÚDE E BEM ESTAR DA CÂMARA MUNICIPAL A Comissão de Saúde e Bem Estar Social (COSBES) da Câmara Municipal tem a competência de analisar e emitir pareceres sobre toda e qualquer matéria que diz respeito a saúde e tramite pela Câmara Municipal. A Comissão também analisa e vota o orçamento e os Convênios do vários setores da saúde, além de receber e averiguar toda e qualquer denúncia ou reclamação que chegue à Câmara Municipal e ou protocoladas junto à mesma. De acordo com Silvana Baptista, médica e presidente da Comissão de Saúde da câmara, a situação do São Vicente há um ano era semelhante a todos os hospitais do país. "A falta de investimentos por parte dos governos federal e estadual na área de saúde, sendo o São Vicente um dos hospitais de maior demanda de pacientes SUS da região, fez com que a prefeitura viesse em socorro do hospital e contratasse uma administração técnica competente, para colocar em prática as habilidades técnicas necessárias para interação de todos os setores. 19

21 Pastoral da Saúde na luta pela vida Voluntários participam de ações que misturam amor e fé em prol da comunidade Todas as quartas-feiras o Diácono Rosário Guagliano Filho realiza uma celebração religiosa na capela São Vicente de Paulo, localizada no corredor central do hospital. São apenas 15 minutos de orações, mas o trabalho dele continua em outros setores do São Vicente. Em um hospital de alta complexidade como o São Vicente, o tempo é muito precioso. São celebrações sempre sobre algum assunto do evangelho, sempre relacionado à realidade do hospital, explica ele. Ao sair da capela, o Diácono Rosário inicia o trabalho junto à Pastoral da Saúde. Com a ajuda de voluntários, percorre os leitos oferecendo atenção e apoio às pessoas que estão internadas. No início, a Pastoral da Saúde de Jundiaí era restrita à Catedral Nossa Senhora do Desterro. Hoje está em todos os hospitais da cidade. A formação deste grupo de voluntários é o resultado de um entrosamento entre a Coordenação Diocesana da Pastoral da Saúde, a Direção do Hospital e a Paróquia Nossa Senhora do Desterro. Para Dom Gil Antônio Moreira, Bispo da Diocese de Jundiaí, que está à frente da Diocese da região desde 2004, o trabalho da Pastoral é muito importante para fortalecer a humanização no atendimento. Hoje todos os hospitais são alvo de crítica devido às dificuldades do setor no país, mas o que tenho observado no São Dom Gil (esq.) em reunião com Diácono Rosário, na Cúria Diocesana Vicente, é que de algum tempo para cá tem havido um crescimento muito bom no atendimento humanitário, tanto para os doentes quanto para o corpo de funcionários. Isto é uma grande benção para a nossa cidade e para a região e contribui, inclusive, para o processo do tratamento, disse o Bispo. 18

22 Maria e Luana, felizes com os resultados do programa paciente, que pode variar de 30 dias a três meses. A equipe multidisciplinar que participa da Internação Domiciliar é composta pela médica, auxiliares e técnicos de enfermagem, um assessor administrativo, fisioterapeutas, nutricionista e fonoaudióloga. Nosso objetivo é capacitar os cuidadores que recebem o paciente em casa, dando seqüência ao trabalho oferecido no hospital, disse a médica. Por mês são atendidos em média 45 pacientes. A diretoria é flexível. Define metas e é muito séria com o que faz. Facilita o nosso trabalho e oferece benefícios aos pacientes e funcionários. Graças ao sucesso da operacionalização do programa, a médica conta que uma nova equipe multidisciplinar está em fase de implantação. Hoje temos 39 pacientes em atendimento. Nosso objetivo é dobrar a média mensal de atendimentos, finaliza. Após ficar três meses na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Geraldo Xavier, morador da Vila Nambi em Jundiaí, passou a fazer parte da Internação Domiciliar em março deste ano. 45 média mensal de pacientes atendidos no programa de Internação Domiciliar Com seqüelas em decorrência de três AVC s (Acidente Vascular Cerebral), Geraldo está acamado. Quem passou pela capacitação do cuidador foi a filha, Maria Xavier Martins, que apesar de insegura no início, hoje se emociona ao perceber a evolução do tratamento. Aprendi a fazer desde curativos até o banho de leito. Acho muito bom ficar com meu pai perto da família e ainda no conforto de casa, conta ela. E ainda revela: É muito melhor do que ir todos os dias ao hospital. A equipe da internação domiciliar já faz parte da família Xavier. Prova disso é o cartaz feito pela neta de Geraldo, Luana Xavier Costa, de 11 anos, e que enfeita o quarto dele. Fiz o cartaz porque sei da importância deste trabalho, conta Luana. Agradeço a todos que ajudaram meu vô. 11

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014

PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP. Maio de 2014 PROJETO DE ESTRUTURAÇÃO SAÚDE PÚBLICA Prefeitura Municipal de Itapeva - SP Maio de 2014 UMA RÁPIDA VISÃO DA SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL HOJE Estrutura com grandes dimensões, complexa, onerosa e com falta de

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES.

THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. THALITA KUM PROJETO - CUIDANDO COM HUMANIDADE DOS ACAMADOS E DE SEUS CUIDADORES. ANA LUCIA MESQUITA DUMONT; Elisa Nunes Figueiredo. Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SMSA-BH (Atenção Básica)

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

Plano de Ação. Plano de Ação - 2013. Plano de Ação para o Ano de 2013: Finalidades Estatutárias. Objetivos. Origem dos Recursos.

Plano de Ação. Plano de Ação - 2013. Plano de Ação para o Ano de 2013: Finalidades Estatutárias. Objetivos. Origem dos Recursos. Plano de Ação 2013 Plano de Ação para o Ano de 2013: Finalidades Estatutárias Objetivos Origem dos Recursos Infraestrutura Público Alvo Capacidade de Atendimento Recursos Financeiros Utilizados Recursos

Leia mais

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso

PADI. Programa de Atenção domiciliar ao Idoso PADI Programa de Atenção Objetivos do programa Apesar dos benefícios óbvios da internação quando necessária, o paciente idoso afastado da rotina de casa e da família apresenta maior dificuldade de recuperação,

Leia mais

Programas de Aulas de Língua Inglesa para Adolescentes de Baixa Renda e a Possível Influência na Qualidade de Vida

Programas de Aulas de Língua Inglesa para Adolescentes de Baixa Renda e a Possível Influência na Qualidade de Vida 3 Programas de Aulas de Língua Inglesa para Adolescentes de Baixa Renda e a Possível Influência na Qualidade de Vida Ana Paula Cavallaro Pedagoga Especialista em Gestão da Qualidade de Vida - UNICAMP INTRODUÇÃO

Leia mais

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA

MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA MUTIRÃO DE CIRURGIA DA CATARATA A - Empresa Com um terreno de 1.000.000 m² e 354.000 m² de área construída, o Centro Comercial Leste Aricanduva surgiu em 1991 com a inauguração do primeiro shopping center

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

FANTÁSTICO E JORNAL NACIONAL DENUNCIAM ESQUEMA QUE TRANSFORMA SAÚDE EM BALCÃO DE NEGÓCIOS

FANTÁSTICO E JORNAL NACIONAL DENUNCIAM ESQUEMA QUE TRANSFORMA SAÚDE EM BALCÃO DE NEGÓCIOS FANTÁSTICO E JORNAL NACIONAL DENUNCIAM ESQUEMA QUE TRANSFORMA SAÚDE EM BALCÃO DE NEGÓCIOS A reportagem veiculada no programa Fantástico, da Rede Globo, no domingo (04/01), trouxe à tona um drama que assola

Leia mais

II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo

II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo Conhecendo o Grupo 18 COLÉGIOS - PR / SC / RJ / SP/ RS 1 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO - HUSF FUNCLAR FUNDAÇÃO CLARA DE ASSIS UNIFAG UNIDADE DE PESQUISA

Leia mais

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade.

b. Completar a implantação da Rede com a construção de hospitais regionais para atendimentos de alta complexidade. No programa de governo do senador Roberto Requião, candidato ao governo do estado pela coligação Paraná Com Governo (PMDB/PV/PPL), consta um capítulo destinado apenas à universalização do acesso à Saúde.

Leia mais

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização Cristiane dos Santos Schleiniger * Lise Mari Nitsche Ortiz * O Terceiro Setor é o setor da sociedade que emprega aproximadamente 1 milhão de pessoas.

Leia mais

Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB FGV. Debates. As tendências do Sistema Único de Saúde

Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB FGV. Debates. As tendências do Sistema Único de Saúde Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Debates FGV As tendências do Sistema Único de Saúde Hospitais sem fins lucrativos Estabelecimentos de saúde que

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

Sumário: 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família no território 2.1 (Rio de Janeiro);

Sumário: 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família no território 2.1 (Rio de Janeiro); PLANO DE TRABALHO 2014 Sumário: 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família no território 2.1 (Rio de Janeiro); 1.2. Estratégia da Saúde da Família no território 3.1 (Rio de Janeiro); 1.3. Estratégia

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil

Gestão de Qualidade. HCFMRP - USP Campus Universitário - Monte Alegre 14048-900 Ribeirão Preto SP Brasil Gestão de Qualidade O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, visando a qualidade assistencial e a satisfação do cliente compromete-se a um entendimento

Leia mais

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Família Secretaria Municipal de Saúde CASC - Centro de Atenção a Saúde Coletiva Administração Municipal Horizontina RS Noroeste do Estado Distante 520 Km da

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE Elaborado por: Ana Paula de Menezes Assistente Social da CASSIND APRESENTAÇÃO A internação domiciliar ou home care é compreendida como a instalação de uma estrutura

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário Organizando Voluntariado na Escola Aula 1 Ser Voluntário Objetivos 1 Entender o que é ser voluntário. 2 Conhecer os benefícios de ajudar. 3 Perceber as oportunidades proporcionadas pelo voluntariado. 4

Leia mais

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO O QUE É TELEMEDICINA? Os recursos relacionados à Telemedicina são cada vez mais utilizados por hospitais e clínicas médicas. Afinal, quem não quer ter acesso a diversos

Leia mais

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir:

Os serviços, objetos desse termo de referência, deverão ser desenvolvidos em 03 (três) etapas, conforme descrição a seguir: Termo de Referência 1. Objeto Contratação de empresa especializada em gestão de saúde para execução de atividades visando a reestruturação do modelo de atenção à saúde, objetivando diagnosticar novas proposituras

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Por que ouvir a sua voz é tão importante?

Por que ouvir a sua voz é tão importante? RESULTADOS Por que ouvir a sua voz é tão importante? Visão Tokio Marine Ser escolhida pelos Corretores e Assessorias como a melhor Seguradora pela transparência, simplicidade e excelência em oferecer soluções,

Leia mais

Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social

Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social Experiência no Atendimento Domiciliar ao Paciente Serviço Social Flávia J.Rodrigues de Sá Pinheiro de Melo Assistente Social Especialista em Saúde Mental e Moléstias Infecciosas - Unicamp Serviço Atenção

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Unidades de Negócios

Unidades de Negócios Grupo Clivale Como surgiu? História Tudo começou com a iniciativa de Raphael Serravalle ao perceber a carência de um serviço médico especializado na cidade do Salvador, calçada, induziu dois de seus filhos:

Leia mais

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior 5.1 Nome da iniciativa ou Projeto Academia Popular da Pessoa idosa 5.2 Caracterização da Situação Anterior O envelhecimento é uma realidade da maioria das sociedades. No Brasil, estima-se que exista, atualmente,

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

O QUE SÃO AS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE? O que é uma Organização Social?

O QUE SÃO AS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS DE SAÚDE? O que é uma Organização Social? O que é uma Organização Social? É uma entidade sem fins lucrativos ou seja, é uma sociedade civil sem fins lucrativos ou uma fundação - que atende às exigências da Lei Estadual nº 2.675/2011, sendo regulamentada

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS

APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO CARLOS APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2012 E PROJETOS PARA 2013. FINANCEIRO Feito por: Diego dos Santos CONTABILIDADE/CUSTOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES MARIÁ BARBALHO NARDI Orientadora: Prof.ª Drª Isabel Cristina Echer

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ

A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ O contexto Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio Libanês (2005) Assistencialismo Hospital Municipal Infantil Menino Jesus (2005) Responsabilidade

Leia mais

Plano de Ação. Plano de Ação - 2014. Plano de Ação para o Ano de 2014: Finalidades Estatutárias. Objetivos. Origem dos Recursos.

Plano de Ação. Plano de Ação - 2014. Plano de Ação para o Ano de 2014: Finalidades Estatutárias. Objetivos. Origem dos Recursos. Plano de Ação 2014 Plano de Ação para o Ano de 2014: Finalidades Estatutárias Objetivos Origem dos Recursos Infraestrutura Público Alvo Capacidade de Atendimento Recursos Financeiros Utilizados Recursos

Leia mais

A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006

A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006 A GESTÃO HOSPITALAR E A NOVA REALIDADE DO FINANCIAMENTO DA ASSISTÊNCIA RENILSON REHEM SALVADOR JULHO DE 2006 No passado, até porque os custos eram muito baixos, o financiamento da assistência hospitalar

Leia mais

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas 1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas Maria Lúcia Alves Pereira Cardoso GEPAG UNIFESP abril / 2009 CONTEXTO Características do Trabalho no

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Ata de Reunião. Aprovado por: Mara Januário Queiroz Cabral

Ata de Reunião. Aprovado por: Mara Januário Queiroz Cabral Título: Reunião Extraordinária do Colegiado Gestor Data: 06/05/2014 Página: 1 de 6 Pauta: 1. Apresentação das duas candidatas a direção da EEUFMG; 2. Medicamentos trazidos de casa para o HC pelo paciente

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE PACIENTE INTERNA E EXTERNA

TRANSFERÊNCIA DE PACIENTE INTERNA E EXTERNA 1 de 8 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 25/11/2012 1.00 Proposta inicial LCR, DSR,MGO 1 Objetivo Agilizar o processo de transferência seguro do paciente/cliente, para

Leia mais

RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS

RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS RESULTADOS PESQUISA COM COMITÊS Definição e significado do PGQP para os comitês: Definições voltadas para ao Programa Significado do PGQP Qualificação das organizações

Leia mais

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV

VIII Jornada de Estágio de Serviço Social. A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV A PRÁTICA DO SERVIÇO SOCIAL NA ASSOCIAÇÃO MINISTÉRIO MELHOR VIVER- AMMV SILVA, D. Pollyane¹ MORO, M. Silvana ² SOUSA, G. Cristiane³ Resumo Este trabalho tem o intuito de descrever a Prática Profissional

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA

SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA SAÚDE COMO UM DIREITO DE CIDADANIA José Ivo dos Santos Pedrosa 1 Objetivo: Conhecer os direitos em saúde e noções de cidadania levando o gestor a contribuir nos processos de formulação de políticas públicas.

Leia mais

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004)

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004) 1 Segurança Alimentar e Nutricional Segurança alimentar é a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a

Leia mais

Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS)

Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS) Implantação dos Requisitos Acreditação RN 277 (ANS) Debates GVSaúde Acreditação Operadoras de Planos de Saúde Helton Marcondes Coordenação de Processos e Qualidade - GEPP Roteiro Unimed-BH em Números;

Leia mais

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014 ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL Guia Prático de Compra Edição de julho.2014 O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO Í n d i c e 6 perguntas antes de adquirir um sistema 4 6 dúvidas de quem vai adquirir

Leia mais

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Programa Viver é Melhor. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Programa Viver é Melhor Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Legião da Boa Vontade (LBV) Cidade: Londrina/PR

Leia mais

Audiência Pública. Câmara dos Deputados. Comissão de Defesa do Consumidor

Audiência Pública. Câmara dos Deputados. Comissão de Defesa do Consumidor Audiência Pública Câmara dos Deputados Comissão de Defesa do Consumidor Agenda Central de Atendimento - Índices NII e Nextel Brasil Qualidade Técnica Conclusão Central de Atendimento Própria Serviço não

Leia mais

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos à Rede SUS no exercício de 2014 para aplicação em obras de ampliação e construção de entidades

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS. Junho, 2006 Anglo American Brasil MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Junho, 2006 Anglo American Brasil 1. Responsabilidade Social na Anglo American Brasil e objetivos deste Manual Já em 1917, o Sr. Ernest Oppenheimer, fundador

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD

Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD Experiência Do Município De Cascavel PR Na Atenção Domiciliar ABRASAD Histórico 2005: Início do trabalho. I Seminário de Assistência Domiciliar. 2006: Portaria GM 2529. Fundação da ABRASAD Associação Brasileira

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: risco de apagão?

Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: risco de apagão? Recursos Humanos para a Assistência Domiciliar: Formação e Qualificação, há h risco de apagão? Serviços de Atenção Domiciliar Einstein Perfil da Assistência Domiciliar Hoje Aumento das condições crônicas

Leia mais

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Tec. de Enfermagem Claudia Sterque claudiasterque@yahoo.com.br 11 de novembro de 2010 VISÃO DO TÉCNICO ESPECIALISTA Quando comecei

Leia mais

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA DAL BEN: SUA PARCEIRA EM CUIDADOS ASSISTENCIAIS A saúde no Brasil continua em constante transformação. As altas taxas de ocupação dos hospitais brasileiros demandam dos profissionais

Leia mais

Junho 2013 1. O custo da saúde

Junho 2013 1. O custo da saúde Junho 2013 1 O custo da saúde Os custos cada vez mais crescentes no setor de saúde, decorrentes das inovações tecnológicas, do advento de novos procedimentos, do desenvolvimento de novos medicamentos,

Leia mais

25 ANOS DE SUS: AVANÇOS E DESAFIOS. Senhor Presidente, saúde merece nossa defesa, nosso reconhecimento e a

25 ANOS DE SUS: AVANÇOS E DESAFIOS. Senhor Presidente, saúde merece nossa defesa, nosso reconhecimento e a ** Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 08/10/2013. 25 ANOS DE SUS: AVANÇOS E DESAFIOS Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, Mais que críticas, o Sistema

Leia mais

Planejamento e financiamento para a qualificação das ações de alimentação e nutrição na Atenção Básica à Saúde

Planejamento e financiamento para a qualificação das ações de alimentação e nutrição na Atenção Básica à Saúde Planejamento e financiamento para a qualificação das ações de alimentação e nutrição na Atenção Básica à Saúde Introdução O Município Y tem uma população de aproximadamente 3 milhões de habitantes. A Secretaria

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM Dispõe sobre a normatização do funcionamento dos prontos-socorros hospitalares, assim como do dimensionamento da equipe médica e do sistema de trabalho. O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

Manual de administração

Manual de administração Manual de administração Como fazer outsourcing dos sistemas de informação Índice Introdução Passo 1 - Definir o enquadramento Passo 2 - Analisar os recursos e serviços internos Passo 3 - Analisar os recursos

Leia mais

Introdução. Importante: O Programa não inclui atendimento de urgência/emergência. Nestes casos deverão ser procurados os serviços específicos.

Introdução. Importante: O Programa não inclui atendimento de urgência/emergência. Nestes casos deverão ser procurados os serviços específicos. Introdução A Assistência Domiciliar surge para responder à demanda de individualização da assistência, realizando cuidados na privacidade do domicílio do paciente, possibilitando ao mesmo e à família participarem

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 enfermeira, 01 farmacêutica e 01 infectologista e consultoresrepresentantes

Leia mais

Gestão de Redes Assistenciais e o Impacto no Custeio da Assistência. Irene Minikovski Hahn

Gestão de Redes Assistenciais e o Impacto no Custeio da Assistência. Irene Minikovski Hahn Gestão de Redes Assistenciais e o Impacto no Custeio da Assistência Irene Minikovski Hahn novas tecnologias remuneração pela doença transição demográfica falta de incentivo para avaliação de qualidade

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA

PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA SALVADOR 2012 GOVERNADOR Jaques Wagner VICE-GOVERNADOR Otto Alencar SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO Osvaldo Barreto Filho SUB-SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO Aderbal de Castro Meira Filho

Leia mais

PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017

PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017 PROPOSTAS DE PLANO DE GESTÃO IFSP CAMPUS CATANDUVA - 2015-2017 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DO OBJETIVO A palavra viva é diálogo existencial. Expressa e elabora o mundo, em comunicação e colaboração.

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO

O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO SETOR NA CIDADE DE SÃO PAULO Januário Montone II Congresso Consad de Gestão Pública Painel 23: Inovações gerenciais na saúde O SISTEMA DE PARCERIAS COM O TERCEIRO

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS

AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS AÇÕES SOCIAIS, AMBIENTAIS E CULTURAIS Relatório de Atividades 2014 Sumário 1.0 Introdução - Pág 3 2.0 Quem Somos, Estatísticas, Valores - Pág 4 3.0 Projetos 2014 - Pág 5 a 15 3.1 Novo site - Pág 5 a 12

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

Trabalho voluntário: o cidadão em ações sociais

Trabalho voluntário: o cidadão em ações sociais Trabalho voluntário: o cidadão em ações sociais O trabalho voluntário vem assumindo um papel expressivo na sociedade. Adeptos da prática vêm de todas as classes sociais. Por Mayara Kelly Há seis anos,

Leia mais

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi Cenário positivo Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37 Texto: Lucas Rizzi Crescimento econômico, redução da pobreza, renda em expansão e dois grandes eventos esportivos vindo

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 70 A ONG brasileira está em crise? 06 de fevereiro de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através

Leia mais

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015 V.4 - N.4 - Setembro de 2015 Vilma Lúcia da Silva 05 Assessora de Comunicação do Parque da Cidade Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal Só no mês de setembro o Parque da Cidade recebeu

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 Enfermeira, 01 Farmacêutica e 01 Medico Infectologista e consultores-representantes

Leia mais

Temas Simultâneos: Acolhimento da Demanda. A Experiência do Centro de Saúde da Vila Ipê. Haydée Lima Julho/ Agosto 2012

Temas Simultâneos: Acolhimento da Demanda. A Experiência do Centro de Saúde da Vila Ipê. Haydée Lima Julho/ Agosto 2012 6º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ATENÇÃO BÁSICA Temas Simultâneos: Acolhimento da Demanda Espontânea na Atenção Básica em Saúde: A Experiência do Centro de Saúde da Vila Ipê Haydée Lima Julho/ Agosto 2012

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico

II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico II Seminário de Gestão do Corpo Clínico Experiências e modelos para gestão do corpo clínico Fundação São Francisco Xavier Instituída em 1969 pela Usiminas Fundação de Direito Privado, sem fins lucrativos

Leia mais

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL Lembro-me que haviam me convocado para uma entrevista de trabalho no NOVOTEL. Lembro-me de estar ansioso e ter passado a noite anterior preparando a minha entrevista. Como iria

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais