Trabalhador da Saúde

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Trabalhador da Saúde"

Transcrição

1 V Seminário Hospitais Saudáveis SHS Trabalhador da Saúde Acidentes com Material Biológico Dra Cristiane Rapparini São Paulo SP Setembro 2012

2 Disclosure (CFM nº1.595/00 de 18/5/2000 e ANVISA nº120/2000 de 30/11/2000) Projeto O Projeto participa de eventos promovidos por empresas (BD, BBraun, Biodina, AstraZeneca, etc.) e recebe patrocínio da BD e da BBraun. A inclusão de fotos de produtos de diferentes empresas nesta apresentação tem o objetivo educativo de mostrar exemplos de produtos disponíveis no mercado e não significa que sejam endossados pelo Projeto. Rede de participação voluntária Fundadores e colaboradores

3 Slides estarão disponíveis: Website Projeto Lista de discussão Sistema de vigilância

4 Health Care Without Harm "First Do No Harm"... Together with our partners around the world, Health Care Without Harm shares a vision of a health care sector that does no harm, and instead promotes the health of people and the environment. Projeto Hospitais Saudáveis O PHS é uma associação sem fins econômicos, dedicada a transformar o setor saúde em um exemplo para toda a sociedade em aspectos de proteção ao meio ambiente e à saúde do trabalhador, do paciente e da população em geral.

5

6 Apresentado por Manoela Souza Costa: Rio de Janeiro, novembro de 2010.

7 Acidentes de Trabalho com Material Biológico Estado de São Paulo, SINABIO Sistema de Notificação de Acidentes Biológicos em Profissionais da Saúde 1999 até acidentes Com a implantação do SINAN no período de janeiro de 2007 a junho de 2010 foram notificados acidentes. Notificações 140% Municípios notificantes 100% SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PE DST/Aids -SP). (*) Dados preliminares até 30/06/2010, sujeitos à revisão mensal.

8 Apresentado por Manoela Souza Costa: Rio de Janeiro, novembro de 2010.

9 ~ 600 Apresentado por Manoela Souza Costa: Rio de Janeiro, novembro de 2010.

10 Apresentado por Manoela Souza Costa: Rio de Janeiro, novembro de 2010.

11 6,7% Apresentado por Manoela Souza Costa: Rio de Janeiro, novembro de 2010.

12 Acidentes notificados: Categoria ocupacional. Município do Rio de Janeiro 1997 a 2011*. Dados sujeitos à revisão Fonte: SMSDC-RJ/SUBPAV /SAP/CLCPE/GSAIDS Jan 1997 Dez Total = acidentes

13 Acidentes de Trabalho com Material Biológico Estado de São Paulo, Aux Tec Enf 52,0% Estudantes 6,3% Médicos 10,8% Auxiliares de limpeza 5,7% Enfermeiros 6,7% Coletor de lixo 1,8% SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PE DST/Aids -SP). (*) Dados preliminares até 30/06/2010, sujeitos à revisão mensal.

14 Acidentes de Trabalho com Material Biológico Município de São Paulo, ,1% 5,1% Fonte: SINAN NET - CCD/COVISA *Dados preliminares sujeitos a revisão.

15 16% Apresentado por Manoela Souza Costa: Rio de Janeiro, novembro de 2010.

16 Acidentes notificados: Categoria ocupacional. Município do Rio de Janeiro 1997 a 2011*. DESCARTE CIRURGIA/MANUSEIO MAT CIR REENCAPE DE AGULHAS MANUSEIO DE LIXO PUNÇÃO VEN/ART PERIFÉRICA ADMINISTRACAO IM/SC/ID COLETA DE SANGUE OUTRAS 6,2 8,2 11,6 11,6 10,5 12,7 14,4 Descarte Manuseio de lixo 26,0% 24,7 0,0 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 30,0 Dados sujeitos à revisão Fonte: SMSDC-RJ/SUBPAV /SAP/CLCPE/GSAIDS Jan 1997 Dez Total = acidentes

17 Acidentes de Trabalho com Material Biológico Estado de São Paulo, N = (+ 565 ignorado) SINAN - Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids-SP (VE-PE DST/Aids -SP). (*) Dados preliminares até 30/06/2010, sujeitos à revisão mensal.

18 Acidentes de Trabalho com Material Biológico Município de São Paulo, Fonte: SINAN NET - CCD/COVISA *Dados preliminares sujeitos a revisão. N = Outros 1.139, Ignorado 121, Em branco 121

19 Acidentes percutâneos Projeto - PSBio, Projeto PSBio

20 OMS (2000) HIV Carga de Doenças: Sistemas de Vigilância 106 casos comprovados 238 casos prováveis No estimado de trabalhadores Prev da infecção na população Ocorrência de acidentes Risco de transmissão Profilaxias pós-exposição Janine Jagger International Healthcare Worker Safety Center University of Virginia World Health Organization, 2002 Prüss-Üstün et al., 2003 Wilburn e Eijkemans, 2004 Em 30 anos de epidemia No Data = No Problem HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39

21 Riscos Biológicos Ocupacionais OMS 2 a 3 milhões de acidentes percutâneos com agulhas contaminadas por material biológico / ano exposição HBV, HCV, HIV OMS (2000) HBV HCV HIV World Health Organization, 2002 Prüss-Üstün et al., 2003 Wilburn e Eijkemans, 2004

22 OMS (2000) HIV Carga de Doenças: Sistemas de Vigilância 106 casos comprovados 238 casos prováveis No estimado de trabalhadores Prev da infecção na população Ocorrência de acidentes Risco de transmissão Profilaxias pós-exposição World Health Organization, 2002 Prüss-Üstün et al., 2003 Wilburn e Eijkemans, 2004 Em 30 anos de epidemia HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39

23 Este é um problema no seu serviço de saúde?

24 Temos um problema no Brasil?

25 Hospital de Clínicas Universidade Federal do Paraná 510 Leitos e 261 Consultórios Funcionários: Fluxo: Cerca de 11 mil pessoas por dia 5 toneladas de roupas lavadas/dia seringas e agulhas descartáveis/dia 720 mil rolos de gaze/ano (5.400 km) 3 milhões de pares de luvas/ano ou 10 mil/dia Apresentado por Lidia Lima - Gerente de Resíduos no SHS-SP Hospital de Clínicas - UFPR - Curitiba PR

26 HIV Ocupacional - RS F.V.L.S., 37 anos, fem, Higienização/Limpeza 1o acidente 09/08/2008 Limpeza de quarto Agulha na bandeja de medicação AZT + 3TC 13/08/2008 abscesso na ferida drenagem + atb 26/08/2008 PEP irregular desde 18/08/ rash 2o acidente 01/09/2008 Manuseio de lixo PEP irregular, troca de antimicrobianos 29/09/2008 Trat Psiq Depressão Escandiel REH, Sistema de Saúde Mãe de Deus, Porto Alegre Sturm L, Previdência Social, Governo Federal, Caxias Do Sul ICOH - International Commission on Occupational Health

27 Hepatites B e C Município RJ 1 CASO PARA HEPATITE B jan/98 - RS, 26 anos, fem, equipe de limpeza, manuseio de lixo, fonte desconhecida, fez ARV, sem informação sobre vacinação para hepatite B 1 CASO PARA HEPATITES B e C mar/98 - AAC, 22 anos, fem, equipe de limpeza, manuseio de lixo, fonte desconhecida, não fez ARV, não vacinada para hepatite B Dados sujeitos à revisão. Fonte: SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT. Jan Dez Total = acidentes.

28 Hospital municipal indenizará faxineira a vítima de acidente biológico Na Justiça do Trabalho de Minas é possível observar a grande incidência de ações trabalhistas envolvendo empregados vítimas de acidentes biológicos. A faxineira foi vítima de acidente de trabalho em duas ocasiões, decorrente de perfurações por agulhas contendo material contaminado. Os acidentes ocorreram no hospital público onde a trabalhadora prestava serviços e lhe ocasionaram muitos transtornos. Portal Nacional do Direito do Trabalho - 01 de Março de 2011

29 Hospital municipal indenizará faxineira a vítima de acidente biológico Isso porque, durante longo período, ela teve que se submeter a uma bateria de exames laboratoriais para detectar uma possível contaminação com o vírus da Aids e outras doenças, fato que despertou na faxineira um sentimento de angústia. Diante desse quadro, a magistrada decidiu que o hospital reclamado e a empresa prestadora de serviços devem responder pelos transtornos causados à trabalhadora. Portal Nacional do Direito do Trabalho - 01 de Março de 2011

30 Ano passado (2010), o gari de Campo Grande (MS), OSC, se feriu quando recolhia lixo no HGEK. Ele conta que no meio dos resíduos comuns do hospital particular havia seringas usadas. No que eu bati a mão, eu já senti. Na hora que eu tirei a luva, eu vi o furo saindo sangue, lembrou o gari. Depois do ferimento, o gari fez exames. O resultado: ele tinha hepatite B e sífilis. O gari pede na Justiça que o hospital pague uma indenização de quase R$ 1,7 milhão. 18/07/2011

31 18/07/2011

32 Auxiliar de limpeza contrai vírus HIV por omissão de hospital Hospital de Porto Alegre foi condenado a pagar uma reparação moral de R$ 350 mil a uma auxiliar de limpeza, que se contaminou pelo vírus do HIV, a partir de um acidente perfunctório - ocorrido em 19 de dezembro de ocasionado por seringa e agulha descartadas irregularmente num saco plástico deixado num "balde branco" que continha lixo comum que a trabalhadora recolhera. A decisão é da 8ª Turma do TRT-4. 18/07/2011 Fonte:

33 Auxiliar de limpeza contrai vírus HIV por omissão de hospital Hospital de Porto Alegre foi condenado a pagar uma reparação moral de R$ 350 mil a uma auxiliar de limpeza, que se contaminou pelo vírus do HIV, a partir de um acidente perfunctório - ocorrido em 19 de dezembro de ocasionado por seringa e agulha descartadas irregularmente num saco plástico deixado num "balde branco" que continha lixo comum que a trabalhadora recolhera. A decisão é da 8ª Turma do TRT-4. Os exames imediatos comprovaram que ela não era portadora do referido vírus no momento do acidente, vindo a apresentar os marcadores virais posteriormente e contaminar seu marido e seu filho, que era amamentado à época. 18/07/2011 Fonte:

34 Auxiliar de limpeza contrai vírus HIV por omissão de hospital Sentença proferida na 30ª Vara do Trabalho de Porto Alegre reconheceu o nexo causal entre a contaminação pelo HIV e o acidente sofrido, com a condenação da CELSP (mantenedora do hospital) a pagar reparação por danos morais no valor de R$ 350 mil. A magistrada Maria Telesca concluiu que o acidente foi "consequência da conduta praticada e eventual omissão da empregadora em atender às regras de segurança no trabalho, inclusive na fiscalização do uso dos equipamentos de proteção por ela entregues ao trabalhador, ou mesmo diante da ausência de treinamento específico à reclamante para lidar com tais situações". 18/07/2011 Fonte:

35 Implicações dos acidentes Risco of infecção Impacto emocional Custos médicos Custos pessoais Aspectos legais

36 Desordem pós-traumática aguda Profissional da equipe de enfermagem São Paulo Exposição a fonte sabidamente HIV+ Suicídio Oliveira, 2002.

37 A FACE HUMANA DOS NÚMEROS...

38 Lisa Black Apresentação Univ Virginia Nov 2011

39 Lisa Black Apresentação Univ Virginia Nov 2011

40 HIV + HCV Ocupacional Lisa Black Morrer em 10 anos x Tornar-se parte da solução Se fosse possível, mudaria tudo o que aconteceu?

41 The Needlestick Safety and Prevention Act November 6, 2000 JAGGER, NR 32 (set2005) - Deve ser assegurado o uso de materiais perfurocortantes com dispositivo de segurança.

42 Percutaneous Injuries before and after the Needlestick Safety and Prevention Act 23,908 injuries 85 hospitals / 10 states 38% (CI 95% 35 41) in 2001 when the NSPA took effect. Subsequent injury rates, through 2005, remained well below pre-nspa rates. Phillips EK, Conaway MR, Jagger JC. NEJM 366(7):670-1(Feb 16, 2012).

43 The deadline for transposition and mandatory implementation of this Directive in all EU countries is May European Biosafety Summit, Dublin, 1 June 2011

44 Plano de prevenção de riscos de acidentes com materiais perfurocortantes Portaria MTE n , de 30 de agosto de 2011 Comissão gestora multidisciplinar Análise dos acidentes ocorridos e das situações de risco Estabelecimento de prioridades Medidas de controle para a prevenção de acidentes Seleção dos perfurocortantes com dispositivo de segurança Capacitação dos trabalhadores Cronograma de implementação Monitoramento do plano Avaliação da eficácia do plano

45 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA Portaria MTE n. 939, de 18 de novembro de 2008 (DOU de 19/11/08 Seção 1 pág. 238) Os empregadores devem promover a substituição dos materiais perfurocortantes por outros com dispositivo de segurança no prazo máximo de vinte e quatro meses a partir da data de publicação desta Portaria. Portaria MTE n , de 30 de agosto de 2011 (DOU de 31/08/11 Seção 1 pág. 143) O empregador deve elaborar e implantar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes no prazo de cento e vinte dias, a partir da data de publicação desta Portaria.

46 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA Portaria MTE n , de 30 de agosto de 2011 (DOU de 31/08/11 Seção 1 pág. 143) a) substituir o uso de agulhas e outros perfurocortantes quando for tecnicamente possível; b) adotar controles de engenharia no ambiente (por exemplo, coletores de descarte); c) adotar o uso de material perfurocortante com dispositivo de segurança, quando existente, disponível e tecnicamente possível; e d) mudanças na organização e nas práticas de trabalho.

47 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA Portaria MTE n. 939, de 18 de novembro de 2008 A nova portaria (MTE 1748/2011): (DOU de 19/11/08 Seção 1 pág. 238) Os empregadores devem promover a substituição dos materiais perfurocortantes por outros com dispositivo de segurança segurança, no prazo mas máximo com alguns de vinte condicionantes e quatro meses (eles a partir da existirem, data de publicação estarem disponíveis desta Portaria. no mercado ou serem tecnicamente viáveis) Portaria MTE n , de 30 de agosto de 2011 (DOU (2) torna de 31/08/11 obrigatória Seção a implantação 1 pág. do 143) plano de prevenção, que antes não era exigido. (1) mantém a obrigatoriedade dos dispositivos de O empregador deve elaborar e implantar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes no prazo de cento e vinte dias, a partir da data de publicação desta Portaria.

48

49 All sharps containers must be rigid, puncture resistant and leak resistant. Cardboard does not meet these requirements!!

50 Disposal of sharps medical waste in the United States: Impact of recommendations and regulations, Perry J et al. Am J Infect Control May;40(4):354-8.

51 Disposal of sharps medical waste in the United States: Impact of recommendations and regulations, In the United States, recommendations for the safe disposal of contaminated sharp devices were among the earliest needlestick prevention measures promoted by the CDC. These recommendations were first laid out in 1983 and then consolidated in 1987 and 1988 as part of Universal Precautions to prevent transmission of HIV, hepatitis B, and other bloodborne pathogens. Perry J et al. Am J Infect Control May;40(4):354-8.

52 Disposal of sharps medical waste in the United States: Impact of recommendations and regulations, % since 1993 Após o uso, antes do descarte - 55% - 80% - 25% - 64% - 80% - 70% Disp deixado sobre ou próx ao coletor No descarte do dispositivo no coletor Perfurocort. protuso no coletor Objeto que perturou parede do coletor Perfurocortante em lixo comum ou coletores inadequados Perry J et al. Am J Infect Control May;40(4):354-8.

53 Disposal of sharps medical waste in the United States: Impact of recommendations and regulations, Our data support the notion that the widespread implementation of point-of-use, puncture-resistant SDCs, in combination with a significant increase in the use of safety-engineered sharp devices (which protect both users and waste handlers), have resulted in a large scale decline in injury rates associated with sharps disposal in the United States. Perry J et al. Am J Infect Control May;40(4):354-8.

54

55

56

57 Annually, we estimate US hospitals dispose of their needles, scalpes, etc. into 35 million disposable or reusable sharps containers, and their manufacture, use and disposal are associated with the generation of greenhouse gas emission. Reusable sharps containers are common in the USA and Australia, where they have been used since Grimmond T & Reiner S. Waste Manag Res 2012,30:639.

58 Lisa Black Apresentação Univ Virginia Nov 2011

59 HIV Ocupacional Para melhor ou para pior, minha vida tomou um novo rumo no dia em que uma agulha contaminada perfurou minha mão. Estou contando minha história em nome de todas as enfermeiras que enfrentam esse risco diariamente, e minha mensagem é essa: isso não precisava acontecer. Lynda Arnold, Nursing 1997.

60

Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde. Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico.

Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde. Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico. Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico.org Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde 1621134 - Produzido

Leia mais

RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE HIV Hepatite B Hepatite C Transmissão sangüínea Mais de 60 diferentes agentes infecciosos 40% dos casos de hepatites B e C 2.5% das infecções pelo HIV Atribuíveis

Leia mais

ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES

ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES Dra Cristiane Rapparini Rio de Janeiro RJ Junho, 2012 Disclosure (CFM nº1.595/00 de 18/5/2000

Leia mais

DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein.

DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein. DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein.br Segurança do Paciente => 1999 => Marco => TheError is Human

Leia mais

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO Sangue, fluidos orgânicos potencialmente infectantes (sêmen, secreção vaginal, liquor, líquido sinovial, líquido pleural, peritoneal, pericárdico,

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ Guilherme Viero, Marlise Shoenhals, Franciele A.C. Follador, Darlan Clóvis Vettorello Rech,

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE Os acidentes de trabalho com material biológico e/ou perfurocortante apresentam alta incidência entre

Leia mais

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP CENTRO CIRÚRGICO Jardim Japonês Centro Cirúrgico Hospital Maternidade Terezinha de Jesus Juiz de Fora (MG) Queimaduras

Leia mais

I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE São Paulo 17 de setembro de 2014 Realização: Centro de Vigilância Sanitária Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo www.cvs.saude.sp.gov.br

Leia mais

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA. Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA. Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP DISPOSITIVO DE SEGURANÇA Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP No passado e no Presente Novas Tecnologias Cenário Atual Complexidade terapêutica

Leia mais

Acidentes com materiais perfurocortantes

Acidentes com materiais perfurocortantes Acidentes com materiais perfurocortantes Forma de transmissão: Oral-fecal Riscos biológicos Via respiratória (gotículas ou aérea) Contato Via sanguínea Alto risco Risco Intermediário Sem risco Sangue e

Leia mais

NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE. Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR

NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE. Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR METODOLOGIA DE ELABORAÇÃO / REVISÃO DAS NORMAS REGULAMENTADORAS Portaria

Leia mais

SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas

SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL BIOLÓGICO GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas Dr. Francisco Ivanildo de Oliveira Junior O Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Leia mais

Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade

Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade I. Elaboração final: março 2008 II. Autores: Alvaro Koenig III. Previsão de revisão: não há IV. Tema: Uso de cateteres intravasculares

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL...

Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. HOSPITAL... Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfuro Cortantes. Baseado na NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Portaria N 1.748 de 30 de Agosto de 2011. HOSPITAL... Validade

Leia mais

CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES

CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES I SEMINÁRIO ESTADUAL HOSPITAIS SAUDÁVEIS CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES Cristiane Rapparini SP Setembro, 2008 http://www.premierinc.com/quality-safety NORMA REGULAMENTADORA

Leia mais

Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado. Eliane Martinho

Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado. Eliane Martinho Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado Eliane Martinho A SEGURANÇA DO PROFISSIONAL DA SAÚDE ACIDENTES OCUPACIONAIS POR MATERIAIS PÉRFURO- CORTANTES HISTÓRICO 1984

Leia mais

Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde

Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde Manual de implementação Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde Adaptado de Workbook for designing, implementing, and evaluating a sharps injury prevention

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005

Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005 Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005 Enfoque na prevenção de exposições a material biológico BIOSSEGURANÇA relato de caso Circulante de centro cirúrgico g ao manusear

Leia mais

Programa para prevenção de ATs com perfurocortantes. Érica Lui Reinhardt Pesquisadora - Fundacentro

Programa para prevenção de ATs com perfurocortantes. Érica Lui Reinhardt Pesquisadora - Fundacentro Programa para prevenção de ATs com perfurocortantes Érica Lui Reinhardt Pesquisadora - Fundacentro Respeito Ambiente Ocupacional Saudável Programas integrados PPRA, PCMSO, PGRSS... Visão holística do serviço

Leia mais

Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho

Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho Assim que ocorrer o acidente Introdução Fluxo AT Com o objetivo de adotar medidas de cuidado e segurança à saúde de médicos, clientes e colaboradores, a

Leia mais

CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE

CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE SIMPÓSIO: RISCOS E SEGURANÇA NO TRABALHO CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE Cristiane Rapparini Campinas SP Agosto, 2008 http://www.premierinc.com/quality-safety NORMA REGULAMENTADORA

Leia mais

SEGURANÇA DO PROFISSIONAL

SEGURANÇA DO PROFISSIONAL SEGURANÇA DO PROFISSIONAL RISCO BIOLÓGICO Palestrante: Carolina Cardoso de Araujo Ferri Importância na Enfermagem Brasil: 1,5 milhões de profissionais São Paulo: 346.730 profissionais * Enfermeiros: 65.981

Leia mais

RISCOS BIOLÓGICOS. Dr Guilherme Côrtes Fernandes. Belo Horizonte Março, 2007

RISCOS BIOLÓGICOS. Dr Guilherme Côrtes Fernandes. Belo Horizonte Março, 2007 RISCOS BIOLÓGICOS Dr Guilherme Côrtes Fernandes Belo Horizonte Março, 2007 A primeira referência de doença infecciosa ocupacional na história é atribuída a Tucídides no século IV a.c. em sua narração sobre

Leia mais

Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA. Profª MSc Priscilla Céo

Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA. Profª MSc Priscilla Céo Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA Profª MSc Priscilla Céo BIOSSEGURANÇA É o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa,

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 Enfermeira, 01 Farmacêutica e 01 Medico Infectologista e consultores-representantes

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE RIO GRANDE DO SUL

ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE RIO GRANDE DO SUL CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE

Leia mais

MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO

MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE POLÍTICAS DE SAÚDE COORDENAÇÃO NACIONAL DE DST E AIDS MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO INTRODUÇÃO O objetivo deste documento é descrever

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO - 2001 DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA HOSPITALAR RISCO OCUPACIONAL: SANGUE

Leia mais

Estratégias para a Gestão de Riscos para o Uso de Medicamentos em Unidades de Saúde.

Estratégias para a Gestão de Riscos para o Uso de Medicamentos em Unidades de Saúde. Estratégias para a Gestão de Riscos para o Uso de Medicamentos em Unidades de Saúde. Índice Prof. Dr. Marcelo Polacow Bisson...3 1. Introdução...3 2. Norma Regulamentadora Nº 32 de 2005...5 3. Risco biológico...6

Leia mais

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à :

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à : RISCO BIOLÓGICO Risco Biológico A ocorrência do evento danoso está ligado à : 1) Existência ou não de medidas preventivas Níveis de Biossegurança. 2) Existência ou não de medidas preventivas que garantam

Leia mais

Isolamento. HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC. 1987: Precauções Universais. 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas

Isolamento. HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC. 1987: Precauções Universais. 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas Isolamento HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC Isolamento Categoria Específico Isolamento Doença Específico 1987: Precauções Universais 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas 1996: Novo Guia de

Leia mais

BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA

BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA Centro Universitário Newton Paiva Escola de Odontologia BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA Maria Aparecida Gonçalves de Melo Cunha O que é biossegurança? O termo biossegurança é formado pelo radical

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 enfermeira, 01 farmacêutica e 01 infectologista e consultoresrepresentantes

Leia mais

Lynda Arnold Nursing, 1997

Lynda Arnold Nursing, 1997 Para melhor ou para pior, minha vida tomou um novo rumo no dia em que uma agulha contaminada perfurou minha mão. estou contando minha história em nome de todas as enfermeiras que enfrentam este risco diariamente,

Leia mais

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES INTRODUÇÃO *Cindy Heloisa Silva da Silva - NOVAFAPI *Frida Jéssica de Carvalho e Silva- NOVAFAPI *Renata Giordana de Sousa Andrelino- NOVAFAPI

Leia mais

Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos

Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos ARTIGO ORIGINAL Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos Occupational accidents involving exposure to biological material by a Worker s Health Sentinel

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NOS ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE - GERES

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NOS ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE - GERES SUPERINTENDÊNCIA DE GERENCIAMENTO DAS UNIDADES ASSISTENCIAIS DE SAÚDE SUNAS GERÊNCIA DE GESTÃO DE RISCOS - GERISCO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NOS ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE - GERES Dra. Rôsani Arantes de

Leia mais

NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br

NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br A Saúde e a Segurança do Trabalhador no Brasil Em 2009 foram registrados 723.452

Leia mais

O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO

O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO NR 32 - GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Cristiane Rapparini Rio de Janeiro Abril, 2008 O PROBLEMA No Data = No Problem JAGGER,

Leia mais

COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO

COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO EM ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO AO RISCO BIOLÓGICO ASSIS 2013 Página 1 de 7 COMISSÃO DE PREVENÇÃO

Leia mais

Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] X Semana da Pesquisa

Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] X Semana da Pesquisa Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] X Semana da Pesquisa O trabalhador de limpeza hospitalar e o acidente com lesão por instrumento perfurocortante Caetana

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F.

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F. UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F. BRASÍLIA DF 2009 PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL

Leia mais

Avaliação de riscos e ferimentos por picada de agulha

Avaliação de riscos e ferimentos por picada de agulha 40 Avaliação de riscos e ferimentos por picada de agulha Introdução A saúde dos trabalhadores, em especial dos trabalhadores dos sectores da saúde e da protecção social, corre riscos decorrentes da exposição,

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Promoção da Saúde do Trabalhador da Saúde: conscientização acerca do uso de luvas e higienização das mãos pelos

Leia mais

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Profilaxia Pós-Exposição ao HIV Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Fatores de risco para infecção ocupacional pelo HIV O risco de infecção ocupacional pelo HIV era aumentado quando: A exposição ocupacional

Leia mais

PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C

PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C Renato Nelson Sasso 1, Lauyze Dall"ago Barbosa 2, Janete Lane Amadei 3 RESUMO: As hepatites emergem com problema

Leia mais

Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP Tese doutorado

Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP Tese doutorado Uso de dispositivos eletrônicos para melhorar a adesão dos trabalhadores da saúde ao tratamento e seguimento de acidentes ocupacionais com risco biológico Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP

Leia mais

Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO]

Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho [FUNDACENTRO] Seminário do Programa de Pós-graduação em Trabalho, Saúde e Ambiente O trabalhador de limpeza hospitalar e o acidente

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA PORTARIA 1.748 CASSIANA PRATES

IMPLEMENTAÇÃO DA PORTARIA 1.748 CASSIANA PRATES IMPLEMENTAÇÃO DA PORTARIA 1.748 CASSIANA PRATES Serviço de Epidemiologia e Gerenciamento de Riscos Hospital Ernesto Dornelles Tópicos Nos próximos 25min: Hospital Ernesto Dornelles Gestão de Riscos e Segurança

Leia mais

Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais

Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Gerusa Maria Figueiredo gerusa.figueiredo@saude.gov.br I CONGRESSO BRASILEIRO

Leia mais

DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO?

DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO? DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO? Cristiane Rapparini Projeto Riscobiologico.org São Paulo Outubro, 2007 - Um airbus sem um reverso, sem spoiler e com manete travado - Uma

Leia mais

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 Ementa: Utilização de luvas de procedimentos para aplicação de vacina. 1. Do fato Profissionais de Enfermagem solicitam

Leia mais

HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER

HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER O QUE É HEPATITE? QUAIS OS TIPOS? Hepatopatias Hepatites Virais Doença hepática alcoólica Hepatopatias criptogênicas Hepatites tóxicas Hepatopatias auto-imunes Hepatopatias

Leia mais

Hélio Vasconcellos Lopes

Hélio Vasconcellos Lopes HIV/AIDS no Município de Santos e dados brasileiros Hélio Vasconcellos Lopes Coordenador do Programa Municipal DST/AIDS/Hepatites da Secretaria Municipal de Saúde Professor titular da Faculdade de Medicina

Leia mais

Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde

Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde GERENCIAMENTO DE RISCO AMBIENTAL Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde Nos Estabelecimentos Assistenciais de Saúde Dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico apontam que somente 63% dos municípios

Leia mais

REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL

REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL Profª Drª Maria Helena Palucci Marziale Profª Associada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP Coordenadora do Núcleo de Estudos em Saúde e Trabalho Editora da Revista Latino americana de Enfermagem

Leia mais

ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1

ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1 Artigo Orginal 172 ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1 Silvia Rita Marin da Silva Canini 2 Elucir Gir 3 Miyeko Hayashida 4 Alcyone

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA 101 ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA Sueli Andrade Amaral* Anne Fátima da Silva Sousa** Saadia Oliveira Ribeiro*** Marluce

Leia mais

Gestão de Risco e Controle interno. (09 de agosto)

Gestão de Risco e Controle interno. (09 de agosto) Gestão de Risco e Controle interno (09 de agosto) Área construída 17.500 m² Internações /mês 1295 Trabalhadores 860 Clinicas Médicas 5 Leitos 202 Recém nascidos/mês 140 Leitos Ambulatoriais 39 Atend.PA/mês

Leia mais

Qualidade e Infecção Hospitalar: Como as agências de acreditação avaliam o controle de infecção hospitalar. Thaiana Santiago

Qualidade e Infecção Hospitalar: Como as agências de acreditação avaliam o controle de infecção hospitalar. Thaiana Santiago Qualidade e Infecção Hospitalar: Como as agências de acreditação avaliam o controle de infecção hospitalar Thaiana Santiago Acreditação Acreditação é um processo que as organizações de saúde utilizam

Leia mais

Secretaria de Saúde PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011

Secretaria de Saúde PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011 PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011 INDICE Introdução... 3 1) Definição da sorologia para HIV do paciente-fonte... 4 2) Locais de atendimento ao acidentado...

Leia mais

Hepatites virais e profissionais de saúde

Hepatites virais e profissionais de saúde Hepatites virais e profissionais de saúde Prof. Antonio Carlos de Castro Toledo Jr. Faculdade de Medicina da Unifenas-BH Pós-graduação em Medicina Tropical e Infectologia da Universidade Federal do Triângulo

Leia mais

O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM:

O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM: ARTIGO ARTICLE O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA THE IMPACT OFAIDS IN NURSINGPRACTICE: A PUBLICHEALTH PROBLEM Elucir Gir 1, Marinésia A Prado 2, Silvia RMS Canini

Leia mais

SIMPÓSIO BD RISCO BIOLÓGICO AO PACIENTE E AO ANESTESIOLOGISTA

SIMPÓSIO BD RISCO BIOLÓGICO AO PACIENTE E AO ANESTESIOLOGISTA 1 SIMPÓSIO BD RISCO BIOLÓGICO AO PACIENTE E AO ANESTESIOLOGISTA Perguntas da platéia aos palestrantes: Dr. Pedro Paulo Tanaka Dr. Rogério Luiz da Rocha Videira Dra. Cristiane Rapparini Pergunta da platéia

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: BIOSSEGURANÇA Código: ENF- 307 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 20.2

Leia mais

Clique para editar o título mestre

Clique para editar o título mestre Fórum HIV e Hepatites Virais NOVAS ABORDAGENS PARA PREVENÇÃO DA INFECÇÃO PELO HIV ESTE É O MELHOR CAMINHO? Profilaxia Pós Exposição Denize Lotufo Estevam Infectologista Coordenação de DST/Aids de SP 1

Leia mais

Nara Rubia Borges da Silva Vitória Maria Lobato Paes

Nara Rubia Borges da Silva Vitória Maria Lobato Paes CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde A PREVENÇÃO DA HEPATITE B ATRAVÉS DA IMUNIZAÇÃO EM CASO DE ACIDENTE COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO DOS TRABALHADORES

Leia mais

Reportagem Gestão de Resíduos

Reportagem Gestão de Resíduos 22 Reportagem Gestão de Resíduos Conexão 32 Setembro/Outubro 2010 23 Enfermagem na gestão de resíduos Uma das etapas mais complexas da segurança e da limpeza hospitalar está relacionada à gestão dos Resíduos

Leia mais

I-070 - DIAGNÓSTICO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇO DE SAÚDE EM UM HOSPITAL PÚBLICO EM BELÉM/PA

I-070 - DIAGNÓSTICO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇO DE SAÚDE EM UM HOSPITAL PÚBLICO EM BELÉM/PA I-070 - DIAGNÓSTICO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇO DE SAÚDE EM UM HOSPITAL PÚBLICO EM BELÉM/PA Lana Tais da Silva Coelho (1) Estudante do curso de Engenharia Ambiental do Instituto de

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

Curso Pré Congresso. Profilaxia Pós Exposição Sexual. V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia

Curso Pré Congresso. Profilaxia Pós Exposição Sexual. V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia Curso Pré Congresso Profilaxia Pós Exposição Sexual V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia Denize Lotufo Estevam / Infectologista Gerente da Assistência do CRT/DST/AIDS Coordenação do Programa Estadual

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos

Gerenciamento de Resíduos Gerenciamento de Resíduos ANVISA RDC 306/04 - REGULAMENTO TÉCNICO PARA GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SAÚDE veronica.schmidt@ufrgs.br O perigo do lixo hospitalar. Resíduos biológicos - culturas de microrganismos

Leia mais

Acidente com Perfuro- Cortantes. Guia Rápido

Acidente com Perfuro- Cortantes. Guia Rápido Acidente com Perfuro- Cortantes Guia Rápido Cuidado do Ferimento Lavar com água e sabão o ferimento ou pele exposta ao sangue ou fluidos orgânicos. Lavar as mucosas com água em abundância. Não é recomendada

Leia mais

BIOSSEGURANÇA/RISCO. S e r v i ç o s O d o n t o l ó g i c o s : prevenção e controle de risco.

BIOSSEGURANÇA/RISCO. S e r v i ç o s O d o n t o l ó g i c o s : prevenção e controle de risco. BIOSSEGURANÇA/RISCO S e r v i ç o s O d o n t o l ó g i c o s : prevenção e controle de risco. SIGLÁRIO ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária CAT Comunicação de Acidente de Trabalho CDC Centro

Leia mais

Situação Epidemiológica da Doença pelo Vírus Ebola (DVE) Dra Walria Toschi S/SUBPAV/SVS/CVE/GVDATA

Situação Epidemiológica da Doença pelo Vírus Ebola (DVE) Dra Walria Toschi S/SUBPAV/SVS/CVE/GVDATA Situação Epidemiológica da Doença pelo Vírus Ebola (DVE) Dra Walria Toschi S/SUBPAV/SVS/CVE/GVDATA Rio de Janeiro 11 de novembro de 2014 Epidemiologia O vírus Ebola foi identificado pela primeira vez em

Leia mais

Controle da infecção hospitalar no Estado de São Paulo. Cilmara Polido Garcia

Controle da infecção hospitalar no Estado de São Paulo. Cilmara Polido Garcia Controle da infecção hospitalar no Estado de São Paulo Cilmara Polido Garcia Períodos de 1855 N. de soldados admitidos no hospital N. (%) de soldados que morreram Janeiro a março 10.283 3354 (33) Abril

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO DE JANEIRO

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO DE JANEIRO PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO DE JANEIRO Objetivo 1 - Apresentar e difundir o Plano Enfrentamento do HIV/Aids e outras DST junto à

Leia mais

Material Perfurocortante

Material Perfurocortante Prevenção de acidentes por Material Perfurocortante Gestão da Fase Pré-Analítica: Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial GESTÃO PREVENÇÃO DE DE RISCOS ACIDENTES

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO

ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO CID-10: Z20.9 Elaboração: equipe técnica Camila Seixas - Médica - Vigilância em Saúde do Trabalhador Frederico Leão - Médico - Vigilância em Saúde

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE TERMO DE REFERÊNCIA PARA APRESENTAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO DE CURITIBA

Leia mais

O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE*

O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE* O ENFERMEIRO NO GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS SERVICOS DE SAÚDE* Janaína Verônica Lahm 1 Elizabeth Maria Lazzarotto INTRODUÇÃO: A preocupação com o meio ambiente começou somente no final do século passado,

Leia mais

ACIDENTES OCUPACIONAIS E REPROCESSAMENTO FORAM DESTAQUES NO X CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO C

ACIDENTES OCUPACIONAIS E REPROCESSAMENTO FORAM DESTAQUES NO X CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO C Ano XVIII Nº 63 Publicação trimestral Tiragem: 25 mil exemplares Venda proibida Exemplar de assinante ACIDENTES OCUPACIONAIS E REPROCESSAMENTO FORAM DESTAQUES NO X CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO

Leia mais

Gerenciamento dos riscos biológicos

Gerenciamento dos riscos biológicos saut matéria de capa Gerenciamento dos riscos biológicos Apesar de caminhar a passos curtos, gestão desses riscos é realidade em algumas atividades. Por Carlos Francis redacao6@cipanet.com.br Fotos Osíris

Leia mais

VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers

VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers Acidentes perfurocortantes e HIV VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers Artigo Original RESUMO Objetivo:

Leia mais

NR32 Desafio para gestão organizacional

NR32 Desafio para gestão organizacional NR32 Desafio para gestão organizacional Antonio Carlos Ribeiro Filho Médico do Trabalho Auditor Fiscal do Trabalho Gerência Regional do Trabalho e Emprego em Juiz de Fora MG Coordenador da CTPN NR 32 do

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 02, DE 29 DE OUTUBRO 2015. Apresenta recomendações que visam à interrupção da transmissão do HIV, das hepatites virais, da tuberculose e outras enfermidades entre as pessoas privadas de liberdade.

Leia mais

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2)

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) Página 1 de 6 NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) 7.1. Do objeto. 7.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte

Leia mais

CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE EM RELAÇÃO À HEPATITE C

CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE EM RELAÇÃO À HEPATITE C CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE EM RELAÇÃO À HEPATITE C 1 Vieira, E. S.; 2 Cardoso E. M.; 3 Souza, J. R.; 4 Filipini. S. M., 5 Giaretta, V. M. A Faculdade de Ciências da Saúde, Curso de

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: BIOSSEGURANÇA Código: ENF- 307 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2013.1

Leia mais

Risco Ocupacional e Saúde dos Médicos

Risco Ocupacional e Saúde dos Médicos Risco Ocupacional e Saúde dos Médicos SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR Profª Drª Rosa Amélia Andrade Dantas & AMARÁS, POIS, AO SENHOR TEU DEUS DE TODO O TEU CORAÇÃO, E DE TODA A TUA ALMA, E DE TODO O TEU

Leia mais

O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E OS RISCOS NO TRABALHO: acidentes com materiais perfurocortantes

O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E OS RISCOS NO TRABALHO: acidentes com materiais perfurocortantes O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E OS RISCOS NO TRABALHO: acidentes com materiais perfurocortantes Mel DAVID I RESUMO Este trabalho procura caracterizar os acidentes de trabalho com materiais perfurocortantes

Leia mais

Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde. IV Encontro Nacional de Tuberculose

Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde. IV Encontro Nacional de Tuberculose Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde IV Encontro Nacional de Tuberculose Jorge Eduardo Pio Assistente da S/SUBPAV/CLCPE/GPS Diretor Científico da SOPTERJ 20210-2011 1 Biossegurança em Tuberculose

Leia mais

Acidentes com material biológico em trabalhadores de enfermagem do Hospital Geral de Palmas (TO)*

Acidentes com material biológico em trabalhadores de enfermagem do Hospital Geral de Palmas (TO)* Comunicação breve Maria do Rosário Mascaro Machado¹ Fernando de Almeida Machado² Acidentes com material biológico em trabalhadores de enfermagem do Hospital Geral de Palmas (TO)* Work-related accidents

Leia mais

Aplicação de injetáveis. Hotoniel Drumond

Aplicação de injetáveis. Hotoniel Drumond Aplicação de injetáveis Hotoniel Drumond Resolução CFF 499/2008 Dispõe sobre a prestação de serviços farmacêuticos, em farmácias e drogarias Seção V Da aplicação de injetáveis: Art 21 ao 24 Outras legislações

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais