ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES"

Transcrição

1 ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES Dra Cristiane Rapparini Rio de Janeiro RJ Junho, 2012

2 Disclosure (CFM nº1.595/00 de 18/5/2000 e ANVISA nº120/2000 de 30/11/2000) Projeto O Projeto participa de eventos promovidos por empresas (BD, BBraun, Biodina, AstraZeneca, etc.) e recebe patrocínio da BD e da BBraun. Os recursos recebidos pelo Projeto são integralmente revertidos para o próprio Projeto. A inclusão de fotos de produtos de diferentes empresas nesta apresentação tem o objetivo educativo de mostrar exemplos de produtos disponíveis no mercado e não significa que sejam endossados pelo Projeto. Rede de participação voluntária Fundadores e colaboradores

3 Slides estarão disponíveis: Website Projeto Lista de discussão Sistema de vigilância

4 Primum non nocere Não-maleficência - Primeiro, não causar mal Hipócrates, ao redor do ano 430 ac, propôs aos médicos, no parágrafo 12 do primeiro livro da sua obra Epidemia: "Pratique duas coisas ao lidar com as doenças; auxilie ou não prejudique o paciente". O Juramento Hipocrático insere obrigações de Não-Maleficência e Beneficência: "Usarei meu poder para ajudar os doentes com o melhor de minha habilidade e julgamento; abster-me-ei de causar danos ou de enganar a qualquer homem com ele. Beauchamp TL, Childress JF. Principles of Biomedical Ethics. 4ed. New York: OUP, 1994:189. Florence Nightingale (1859): Pode parecer talvez um estranho princípio enunciar como primeiro dever de um hospital não causar mal ao paciente".

5 A safe health care practice does no harm to the recipient, does not expose the provider to any avoidable risk, and does not result in any waste that is dangerous for other people Slide apresentado por Susan Wilburn OMS - SIGN 2009

6

7 PACIENTES TRABALHADORES DA SAÚDE

8 INTERRELAÇÃO ENTRE A SAÚDE E SEGURANÇA DO PACIENTE E DO TRABALHADOR DA SAÚDE SAÚDE E SEGURANÇA DO PACIENTE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR DA SAÚDE Dra June Fisher, Rio de Janeiro, 2010.

9 INTERRELAÇÃO ENTRE A SAÚDE E SEGURANÇA DO PACIENTE E DO TRABALHADOR DA SAÚDE SAÚDE E SEGURANÇA DO PACIENTE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR DA SAÚDE Equívoco histórico que as necessidades de segurança dos pacientes estão em conflito com a segurança dos trabalhadores da saúde! Dra June Fisher, Rio de Janeiro, 2010.

10 INTERRELAÇÃO ENTRE A SAÚDE E SEGURANÇA DO PACIENTE E DO TRABALHADOR DA SAÚDE SAÚDE E SEGURANÇA DO PACIENTE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR DA SAÚDE Equívoco histórico que as necessidades de segurança dos pacientes estão em conflito com a segurança dos trabalhadores da saúde! Não existe segurança do paciente sem segurança do trabalhador da saúde! Dra June Fisher, Rio de Janeiro, 2010.

11 PACIENTES TRABALHADORES DA SAÚDE

12 Toolkit Safe Injection Practices Coalition. One and Only Campaign 2012.

13 BLUNTING Slide apresentado pela Dra Denise Cardo, Recife, 2010.

14 Toolkit Safe Injection Practices Coalition. One and Only Campaign 2012.

15 Indirect syringe reuse Nevada endoscopy center HCV investigation, Acute Hepatitis C Virus Infections Attributed to Unsafe Injection Practices Nevada, Clean needle and syringe is used to draw medication MMWR; May 16, 2008; 57:19 2. When used on an HCVinfected patient, backflow from the injection or removal of the needle contaminates the syringe 3. When again used to draw medication, contaminated syringe contaminates the medication vial 4. Contaminated vial that is reused exposes subsequent patients to risk of HCV infection Melissa Schaefer, SIGN 2009.

16 Multiple Clusters of Hepatitis Virus Infections Associated With Anesthesia for Outpatient Endoscopy Procedures GUTELIUS B. et al. Gastroenterology 2010;139:

17 BLUNTING Slide apresentado por Joseph Perz, Washington DC, Safer Design for Safer Injections: Innovations in process, products, and practices.

18 Pessoa, CL. WHO

19 BLUNTING Slide apresentado pela Dra Denise Cardo, Recife, 2010.

20 Hospital Cluster of HBV Infection: Molecular Evidence of Patient-to-Patient Transmission through Lancing Device Italy. a) Falha na troca da lanceta, b) Falha na mudança da tampa da extremidade, e/ou c) a infecção de uma nova lanceta ocorreu como consequência da contaminação do holder da lanceta (por exemplo: respingos de sangue da lanceta). Lanini S. et al. PLOS March 2012 Volume 7 Issue 3 e33122

21 Reported outbreaks of HBV infection associated with blood glucose monitoring in the United States, Desde 1990, foram investigados 18 surtos de infecção pelo HBV, 15 (83%) nos últimos 10 anos, que estiveram associados com uso inadequado de equipamentos de glicemia capilar. Pelo menos 147 pessoas se contaminaram com HBV durante estes surtos, 6 (4,1%) dos quais morreram de complicações da infecção aguda por HBV. Thompson ND & Perz JF. J Diabetes Sci Technol 2009;3(2):

22 Agulhas e seringas são artigos de uso único. Eles não devem ser usados para mais de um paciente ou reusados para preparar doses adicionais de medicação. Toolkit Safe Injection Practices Coalition. One and Only Campaign 2012.

23 Não use medicamentos de um frasco uni-dose ou uma bolsa IV para múltiplos pacientes. Toolkit Safe Injection Practices Coalition. One and Only Campaign 2012.

24 Limite o uso de frascos multidose e use somente para um único paciente sempre que possível. Toolkit Safe Injection Practices Coalition. One and Only Campaign 2012.

25 Hepatitis C transmission due to contamination of multidose medication vials: Summary of an outbreak and a call to action Branch-Elliman W et al. Am J Infect Control 2012, article in press.

26 Hepatitis C transmission due to contamination of multidose medication vials: Summary of an outbreak and a call to action Branch-Elliman W et al. Am J Infect Control 2012, article in press.

27 Prolonged Survival of Hepatitis C Virus in the Anesthetic Propofol HCV is strongly associated with lipoproteins, and the highly lipidbased propofol solution could be the reason for a prolonged environmental stability of HCV in propofol. Steinmann E. et al. Clin Infect Dis. (2011) 53 (9):

28

29 PACIENTES TRABALHADORES DA SAÚDE

30 Riscos Biológicos Ocupacionais OMS 2 a 3 milhões de acidentes percutâneos com agulhas contaminadas por material biológico / ano exposição HBV, HCV, HIV OMS (2000) HBV HCV HIV World Health Organization, 2002 Prüss-Üstün et al., 2003 Wilburn e Eijkemans, 2004

31 HIV Ocupacional 57 casos 140 casos Canada 1 casos 2 casos EUA 57 casos 139 casos México 0 casos 9 casos Argentina 1 caso 0 casos Dinamarca 0 casos 1 caso Trinidade & Tobago 0 casos 1 caso Brasil 2 casos França 13 casos 31 casosholanda Reino Unido 0 5 casos Bélgica2 casos 14 casos 0 casos Alemanha 3 casos Espanha 5 casos Suiça 5 casos 33 casos 0 casos 2 casos 1 caso Itália Israel 5 casos 0 casos 1 caso África 5 casos 1 casos 106 casos comprovados 238 casos prováveis Austrália 6 casos 0 casos HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39.

32 HIV Ocupacional 57 casos 140 casos Canada 1 casos 2 casos EUA 57 casos 139 casos México 0 casos 9 casos Argentina 1 caso 0 casos Dinamarca 0 casos 1 caso Trinidade & Tobago 0 casos 1 caso Brasil 2 casos França 13 casos 31 casosholanda Reino Unido 0 5 casos Bélgica2 casos 14 casos 0 casos Alemanha 3 casos Espanha 5 casos Suiça 5 casos 33 casos 0 casos 2 casos 1 caso Itália Israel 5 casos 0 casos 1 caso África 5 casos 1 casos 106 casos comprovados 238 casos prováveis Austrália 6 casos 0 casos HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39.

33 OMS (2000) HIV Carga de Doenças: Sistemas de Vigilância 106 casos comprovados 238 casos prováveis No estimado de trabalhadores Prev da infecção na população Ocorrência de acidentes Risco de transmissão Profilaxias pós-exposição World Health Organization, 2002 Prüss-Üstün et al., 2003 Wilburn e Eijkemans, 2004 Em 30 anos de epidemia HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39

34 OMS (2000) HIV Carga de Doenças: Sistemas de Vigilância 106 casos comprovados 238 casos prováveis No estimado de trabalhadores Prev da infecção na população Ocorrência de acidentes Risco de transmissão Profilaxias pós-exposição Janine Jagger International Healthcare Worker Safety Center University of Virginia World Health Organization, 2002 Prüss-Üstün et al., 2003 Wilburn e Eijkemans, 2004 Em 30 anos de epidemia No Data = No Problem HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39

35 HIV Ocupacional SINAN - Sistema de Informação de Agravos de Notificação Consulta 24/04/2012.

36 HIV Ocupacional - SP Auxiliar de enfermagem Acidente em 14/10/94 em procedimento de punção venosa de pc com Aids 17/10/94 = teste de Elisa Nov/94 = febre + linfoadenopatia 29/12/94 = 2 teste de Elisa - 11/04/95 = Elisa e W.Blot + Caso notificado em 10/08/97 Del Bianco, R Seabra-Santos NJ et al. Braz J Infect Dis 2002;6(3):140-1.

37 HIV Ocupacional - RJ Rio de Janeiro feminino, tec enfermagem acidente com dispositivo IV em janeiro 1996 Fonte desconhecia infecção pelo HIV Acidente provocado por outro profissional após falha no acesso vascular periférico durante entrega de novo escalpe Rapparini e col Rapparini, C. Am J Infec Control 2006;34:

38 HIV + HCV - Ocupacional - SC Florianópolis - Santa Catarina masculino, aux enf, 37 anos acidente com dispositivo IV em 6/6/98 Enf Neurotraumatologia - Fonte sabidamente HIV + Ao retirar a luva para facilitar a fixação do dispositivo com esparadrapo e lança-lá na bandeja, espetou mais ou menos 3 cm de mandril na região hipotenar da mão. Araujo VC e col - ABIH Rapparini, C. Am J Infec Control 2006;34:

39 Auxiliar de limpeza contrai vírus HIV por omissão de hospital RS Hospital de Porto Alegre foi condenado a pagar uma reparação moral de R$ 350 mil a uma auxiliar de limpeza, que se contaminou pelo vírus do HIV, a partir de um acidente perfunctório - ocorrido em 19 de dezembro de ocasionado por seringa e agulha descartadas irregularmente num saco plástico deixado num "balde branco" que continha lixo comum que a trabalhadora recolhera. A decisão é da 8ª Turma do TRT-4. 18/07/2011 Fonte:

40 Auxiliar de limpeza contrai vírus HIV por omissão de hospital RS Hospital de Porto Alegre foi condenado a pagar uma reparação moral de R$ 350 mil a uma auxiliar de limpeza, que se contaminou pelo vírus do HIV, a partir de um acidente perfunctório - ocorrido em 19 de dezembro de ocasionado por seringa e agulha descartadas irregularmente num saco plástico deixado num "balde branco" que continha lixo comum que a trabalhadora recolhera. A decisão é da 8ª Turma do TRT-4. Os exames imediatos comprovaram que ela não era portadora do referido vírus no momento do acidente, vindo a apresentar os marcadores virais posteriormente e contaminar seu marido e seu filho, que era amamentado à época. 18/07/2011 Fonte:

41 SINABIO - SP Jan/1999 a Set/ acidentes De casos com desfecho conhecido 2 casos de HCV 1 casos de HBV Sinabio - Vig Epidemiológica PE DST/AIDS SP

42 Hepatites B e C Município RJ 1 CASO PARA HEPATITE B jan/98 - RS, 26 anos, fem, equipe de limpeza, manuseio de lixo, fonte desconhecida, fez ARV, sem informação sobre vacinação para hepatite B 1 CASO PARA HEPATITES B e C mar/98 - AAC, 22 anos, fem, equipe de limpeza, manuseio de lixo, fonte desconhecida, não fez ARV, não vacinada para hepatite B Dados sujeitos à revisão. Fonte: SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT. Jan Dez Total = acidentes.

43 Hepatite C aguda SP Hepatite C aguda em profissional de saúde exposto a sangue de paciente portadora de cirrose hepática por HCV SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SÃO PAULO ESF, 43 anos, masculino, casado, auxiliar de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva, procedente de São José do Rio Preto Sofreu acidente perfurocortante com agulha oca de paciente-fonte portadora de cirrose hepática pelo HCV (classificação C de Child-Pugh), internada por descompensação com ascite e síndrome hepato-renal Ao realizar o banho no leito à Agulha havia sido esquecida. Jorge LS e col. ABIH 2006 (Resumo 737).

44 Como ocorrem os acidentes? QUEM? COMO? QUANDO? OBJETO?

45 16% Apresentado por Manoela Souza Costa: Rio de Janeiro, novembro de 2010.

46 Acidentes notificados: Categoria ocupacional. Município do Rio de Janeiro 1997 a 2011*. DESCARTE CIRURGIA/MANUSEIO MAT CIR REENCAPE DE AGULHAS MANUSEIO DE LIXO PUNÇÃO VEN/ART PERIFÉRICA ADMINISTRACAO IM/SC/ID COLETA DE SANGUE OUTRAS 6,2 8,2 11,6 11,6 10,5 12,7 14,4 Descarte Manuseio de lixo 26,0% 24,7 0,0 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 30,0 Dados sujeitos à revisão Fonte: SMSDC-RJ/SUBPAV /SAP/CLCPE/GSAIDS Jan 1997 Dez Total = acidentes

47 The Needlestick Safety and Prevention Act November 6, 2000 JAGGER, NR 32 (set2005) - Deve ser assegurado o uso de materiais perfurocortantes com dispositivo de segurança.

48 The deadline for transposition and mandatory implementation of this Directive in all EU countries is May European Biosafety Summit, Dublin, 1 June 2011

49 The impact of U.S. policies to protect HCWs from bloodborne pathogens Jagger J et al. J Infec and Public Health (2008) 1,

50 Percutaneous Injuries before and after the Needlestick Safety and Prevention Act 23,908 injuries 85 hospitals / 10 states 38% (CI 95% 35 41) in 2001 when the NSPA took effect. Subsequent injury rates, through 2005, remained well below pre-nspa rates. Phillips EK, Conaway MR, Jagger JC. NEJM 366(7):670-1(Feb 16, 2012).

51 The impact of U.S. policies to protect HCWs from bloodborne pathogens Seringas - 22% Coleta de Sangue - 59% Escalpe - 23% Cateter IV - 53% Jagger J et al. J Infec and Public Health (2008) 1,

52 Increase in Sharps Injuries in Surgical Settings Versus Nonsurgical Settings after Passage of Needlestick Legislation Não cirúrgicos 31,6% Cirurgias 6,5% Injury rates in surgical versus nonsurgical hospital settings in the United States before and after the Needlestick Safety and Prevention Act of Data are from the Exposure Prevention Information Network (EPINet), International Healthcare Worker Safety Center, University of Virginia Health System. *Ratio of injury rates: 0.68 (95% CI 0.66 to 0.71); p **Ratio of injury rates: (95% CI to 1.119); p Jagger J et al. J Am Coll Surg 2010;210:

53 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA NR-32 (2005) Deve ser assegurado o uso de materiais perfurocortantes com dispositivo de segurança. PORTARIA MTE N. 939, de 18 de novembro de 2008 (DOU de 19/11/08 Seção 1 pág. 238)

54 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA Portaria MTE n. 939, de 18 de novembro de 2008 (DOU de 19/11/08 Seção 1 pág. 238) Os empregadores devem promover a substituição dos materiais perfurocortantes por outros com dispositivo de segurança no prazo máximo de vinte e quatro meses a partir da data de publicação desta Portaria. Portaria MTE n , de 30 de agosto de 2011 (DOU de 31/08/11 Seção 1 pág. 143) O empregador deve elaborar e implantar o Plano de Prevenção de Riscos de Acidentes com Materiais Perfurocortantes no prazo de cento e vinte dias, a partir da data de publicação desta Portaria.

55 Workbook for Designing, Implementing, and Evaluating a Sharps Injury Prevention Program It takes a team to eliminate sharps injuries.

56

57 SLIDING SHEATH

58 HINGED ARM / SNAP DOWN

59 RETRACTING NEEDLE

60 RETRACTING

61 BLUNTING

62

63 Hierarquia de medidas de controle Eliminação e/ou Substituição Aumento de efetividade e sustentabilidade Controle de Engenharia Medidas Administrativas Práticas de Trabalho EPI Necessidades crescentes de participação e supervisão

64 Needleless IV systems, recommended by the FDA (1992) Food and Drug Administration (FDA). (1992). FDA safety alert: Needlestick and other risks from hypodermic needles on secondary I.V. administration sets piggyback and intermittent I.V. Rockville, MD: FDA. Injetores laterais, terapia IV intermitente, etc.

65 Outpatient Surgery Magazine, 2011

66 LectraJet M3 RA Simon JK et al. Vaccine 2011 in press.

67 Dissolving "microneedle" patch could lead to universal vaccinations July 19, Sullivan SP et al. Nature Medicine 16(8): , 2010.

68 PACIENTES TRABALHADORES DA SAÚDE

69

70 SHEA Guideline for Management of Healthcare Workers Who Are Infected with HBV, HCV, and/or HIV Até 1994, 42 casos de transmissão do vírus da hepatite B do PS para o paciente (CDC-EUA) (375 pacientes) foram relatados. A partir de 1996, 10 casos adicionais de transmissão foram relatados. Geralmente estiveram associados a cirurgiões com infecção pelo HBV; um caso esteve associado a um dentista infectado. Henderson DK et al. ICHE 31(3), 2010.

71 SHEA Guideline for Management of Healthcare Workers Who Are Infected with HBV, HCV, and/or HIV Summary of Reports of Provider-to-Patient HCV Transmission from the UK Henderson DK et al. ICHE 31(3), 2010.

72 SHEA Guideline for Management of Healthcare Workers Who Are Infected with HBV, HCV, and/or HIV Henderson DK et al. ICHE 31(3), 2010.

73

RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE HIV Hepatite B Hepatite C Transmissão sangüínea Mais de 60 diferentes agentes infecciosos 40% dos casos de hepatites B e C 2.5% das infecções pelo HIV Atribuíveis

Leia mais

Trabalhador da Saúde

Trabalhador da Saúde V Seminário Hospitais Saudáveis SHS Trabalhador da Saúde Acidentes com Material Biológico Dra Cristiane Rapparini São Paulo SP Setembro 2012 Disclosure (CFM nº1.595/00 de 18/5/2000 e ANVISA nº120/2000

Leia mais

Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde. Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico.

Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde. Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico. Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico.org Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde 1621134 - Produzido

Leia mais

CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES

CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES I SEMINÁRIO ESTADUAL HOSPITAIS SAUDÁVEIS CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES Cristiane Rapparini SP Setembro, 2008 http://www.premierinc.com/quality-safety NORMA REGULAMENTADORA

Leia mais

RISCOS BIOLÓGICOS. Dr Guilherme Côrtes Fernandes. Belo Horizonte Março, 2007

RISCOS BIOLÓGICOS. Dr Guilherme Côrtes Fernandes. Belo Horizonte Março, 2007 RISCOS BIOLÓGICOS Dr Guilherme Côrtes Fernandes Belo Horizonte Março, 2007 A primeira referência de doença infecciosa ocupacional na história é atribuída a Tucídides no século IV a.c. em sua narração sobre

Leia mais

O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO

O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO NR 32 - GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Cristiane Rapparini Rio de Janeiro Abril, 2008 O PROBLEMA No Data = No Problem JAGGER,

Leia mais

CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE

CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE SIMPÓSIO: RISCOS E SEGURANÇA NO TRABALHO CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE Cristiane Rapparini Campinas SP Agosto, 2008 http://www.premierinc.com/quality-safety NORMA REGULAMENTADORA

Leia mais

Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado. Eliane Martinho

Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado. Eliane Martinho Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado Eliane Martinho A SEGURANÇA DO PROFISSIONAL DA SAÚDE ACIDENTES OCUPACIONAIS POR MATERIAIS PÉRFURO- CORTANTES HISTÓRICO 1984

Leia mais

DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO?

DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO? DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO? Cristiane Rapparini Projeto Riscobiologico.org São Paulo Outubro, 2007 - Um airbus sem um reverso, sem spoiler e com manete travado - Uma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO - 2001 DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA HOSPITALAR RISCO OCUPACIONAL: SANGUE

Leia mais

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO Sangue, fluidos orgânicos potencialmente infectantes (sêmen, secreção vaginal, liquor, líquido sinovial, líquido pleural, peritoneal, pericárdico,

Leia mais

Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde

Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde Manual de implementação Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde Adaptado de Workbook for designing, implementing, and evaluating a sharps injury prevention

Leia mais

SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas

SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL BIOLÓGICO GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas Dr. Francisco Ivanildo de Oliveira Junior O Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Leia mais

DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein.

DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein. DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein.br Segurança do Paciente => 1999 => Marco => TheError is Human

Leia mais

Acidentes com materiais perfurocortantes

Acidentes com materiais perfurocortantes Acidentes com materiais perfurocortantes Forma de transmissão: Oral-fecal Riscos biológicos Via respiratória (gotículas ou aérea) Contato Via sanguínea Alto risco Risco Intermediário Sem risco Sangue e

Leia mais

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA. Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA. Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP DISPOSITIVO DE SEGURANÇA Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP No passado e no Presente Novas Tecnologias Cenário Atual Complexidade terapêutica

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ Guilherme Viero, Marlise Shoenhals, Franciele A.C. Follador, Darlan Clóvis Vettorello Rech,

Leia mais

ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1

ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1 Artigo Orginal 172 ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1 Silvia Rita Marin da Silva Canini 2 Elucir Gir 3 Miyeko Hayashida 4 Alcyone

Leia mais

Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade

Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade I. Elaboração final: março 2008 II. Autores: Alvaro Koenig III. Previsão de revisão: não há IV. Tema: Uso de cateteres intravasculares

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE Os acidentes de trabalho com material biológico e/ou perfurocortante apresentam alta incidência entre

Leia mais

Isolamento. HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC. 1987: Precauções Universais. 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas

Isolamento. HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC. 1987: Precauções Universais. 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas Isolamento HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC Isolamento Categoria Específico Isolamento Doença Específico 1987: Precauções Universais 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas 1996: Novo Guia de

Leia mais

SEGURANÇA DO PROFISSIONAL

SEGURANÇA DO PROFISSIONAL SEGURANÇA DO PROFISSIONAL RISCO BIOLÓGICO Palestrante: Carolina Cardoso de Araujo Ferri Importância na Enfermagem Brasil: 1,5 milhões de profissionais São Paulo: 346.730 profissionais * Enfermeiros: 65.981

Leia mais

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Profilaxia Pós-Exposição ao HIV Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Fatores de risco para infecção ocupacional pelo HIV O risco de infecção ocupacional pelo HIV era aumentado quando: A exposição ocupacional

Leia mais

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à :

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à : RISCO BIOLÓGICO Risco Biológico A ocorrência do evento danoso está ligado à : 1) Existência ou não de medidas preventivas Níveis de Biossegurança. 2) Existência ou não de medidas preventivas que garantam

Leia mais

EBOLA FEBRE HEMORRÁGICA - FICHA TÉCNICA. O que é a febre hemorrágica - Ebola?

EBOLA FEBRE HEMORRÁGICA - FICHA TÉCNICA. O que é a febre hemorrágica - Ebola? 1 EBOLA FEBRE HEMORRÁGICA - FICHA TÉCNICA O que é a febre hemorrágica - Ebola? Febre hemorrágica Ebola (Ebola HF) é uma doença grave, muitas vezes fatal em seres humanos e primatas não-humanos (macacos,

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F.

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F. UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F. BRASÍLIA DF 2009 PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL

Leia mais

Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP Tese doutorado

Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP Tese doutorado Uso de dispositivos eletrônicos para melhorar a adesão dos trabalhadores da saúde ao tratamento e seguimento de acidentes ocupacionais com risco biológico Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP

Leia mais

I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE São Paulo 17 de setembro de 2014 Realização: Centro de Vigilância Sanitária Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo www.cvs.saude.sp.gov.br

Leia mais

VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers

VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers Acidentes perfurocortantes e HIV VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers Artigo Original RESUMO Objetivo:

Leia mais

BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA

BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA Centro Universitário Newton Paiva Escola de Odontologia BIOSSEGURANÇA NA PRÁTICA ODONTOLÓGICA Maria Aparecida Gonçalves de Melo Cunha O que é biossegurança? O termo biossegurança é formado pelo radical

Leia mais

Segurança do Paciente Walter Mendes. http://proqualis.net/blog/archives/2980/43

Segurança do Paciente Walter Mendes. http://proqualis.net/blog/archives/2980/43 Segurança do Paciente Walter Mendes http://proqualis.net/blog/archives/2980/43 Segurança do paciente Linha do Tempo 460 AC 1818-1865 1820 1910 1869 1940 1919-2000 Semmelweis Codman Hipócrates Nightingale

Leia mais

Soluções para a Segurança do Paciente

Soluções para a Segurança do Paciente Soluções para a Segurança do Paciente Tradução de Adélia Quadros Farias Gomes Para o Centro Colaborador para a Qualidade do Cuidado e a Segurança do Paciente Proqualis 2007 O Programa da Organização Mundial

Leia mais

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP CENTRO CIRÚRGICO Jardim Japonês Centro Cirúrgico Hospital Maternidade Terezinha de Jesus Juiz de Fora (MG) Queimaduras

Leia mais

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES INTRODUÇÃO *Cindy Heloisa Silva da Silva - NOVAFAPI *Frida Jéssica de Carvalho e Silva- NOVAFAPI *Renata Giordana de Sousa Andrelino- NOVAFAPI

Leia mais

HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER

HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER O QUE É HEPATITE? QUAIS OS TIPOS? Hepatopatias Hepatites Virais Doença hepática alcoólica Hepatopatias criptogênicas Hepatites tóxicas Hepatopatias auto-imunes Hepatopatias

Leia mais

Hepatites virais e profissionais de saúde

Hepatites virais e profissionais de saúde Hepatites virais e profissionais de saúde Prof. Antonio Carlos de Castro Toledo Jr. Faculdade de Medicina da Unifenas-BH Pós-graduação em Medicina Tropical e Infectologia da Universidade Federal do Triângulo

Leia mais

REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL

REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL Profª Drª Maria Helena Palucci Marziale Profª Associada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP Coordenadora do Núcleo de Estudos em Saúde e Trabalho Editora da Revista Latino americana de Enfermagem

Leia mais

MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO

MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE POLÍTICAS DE SAÚDE COORDENAÇÃO NACIONAL DE DST E AIDS MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO INTRODUÇÃO O objetivo deste documento é descrever

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NOS ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE - GERES

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NOS ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE - GERES SUPERINTENDÊNCIA DE GERENCIAMENTO DAS UNIDADES ASSISTENCIAIS DE SAÚDE SUNAS GERÊNCIA DE GESTÃO DE RISCOS - GERISCO GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NOS ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE - GERES Dra. Rôsani Arantes de

Leia mais

NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE. Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR

NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE. Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR METODOLOGIA DE ELABORAÇÃO / REVISÃO DAS NORMAS REGULAMENTADORAS Portaria

Leia mais

O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM:

O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM: ARTIGO ARTICLE O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA THE IMPACT OFAIDS IN NURSINGPRACTICE: A PUBLICHEALTH PROBLEM Elucir Gir 1, Marinésia A Prado 2, Silvia RMS Canini

Leia mais

Avaliação de riscos e ferimentos por picada de agulha

Avaliação de riscos e ferimentos por picada de agulha 40 Avaliação de riscos e ferimentos por picada de agulha Introdução A saúde dos trabalhadores, em especial dos trabalhadores dos sectores da saúde e da protecção social, corre riscos decorrentes da exposição,

Leia mais

Situação Epidemiológica da Doença pelo Vírus Ebola (DVE) Dra Walria Toschi S/SUBPAV/SVS/CVE/GVDATA

Situação Epidemiológica da Doença pelo Vírus Ebola (DVE) Dra Walria Toschi S/SUBPAV/SVS/CVE/GVDATA Situação Epidemiológica da Doença pelo Vírus Ebola (DVE) Dra Walria Toschi S/SUBPAV/SVS/CVE/GVDATA Rio de Janeiro 11 de novembro de 2014 Epidemiologia O vírus Ebola foi identificado pela primeira vez em

Leia mais

Programa para prevenção de ATs com perfurocortantes. Érica Lui Reinhardt Pesquisadora - Fundacentro

Programa para prevenção de ATs com perfurocortantes. Érica Lui Reinhardt Pesquisadora - Fundacentro Programa para prevenção de ATs com perfurocortantes Érica Lui Reinhardt Pesquisadora - Fundacentro Respeito Ambiente Ocupacional Saudável Programas integrados PPRA, PCMSO, PGRSS... Visão holística do serviço

Leia mais

PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C

PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C PRÁTICAS DE BIOSSEGURANÇA ADOTADAS POR MANICURES/PEDICURES NA PREVENÇÃO DE HEPATITE B E C Renato Nelson Sasso 1, Lauyze Dall"ago Barbosa 2, Janete Lane Amadei 3 RESUMO: As hepatites emergem com problema

Leia mais

Medidas de Controle de Infecção Hospitalar

Medidas de Controle de Infecção Hospitalar Medidas de Controle de Infecção Hospitalar Seminário Internacional de Pandemia de Influenza Rio de Janeiro, 18 de novembro 2005 Dra. Cristiana M. Toscano Organização Pan-Americana da Saúde Agradecimentos

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005

Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005 Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005 Enfoque na prevenção de exposições a material biológico BIOSSEGURANÇA relato de caso Circulante de centro cirúrgico g ao manusear

Leia mais

Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos

Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos ARTIGO ORIGINAL Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos Occupational accidents involving exposure to biological material by a Worker s Health Sentinel

Leia mais

Material Perfurocortante

Material Perfurocortante Prevenção de acidentes por Material Perfurocortante Gestão da Fase Pré-Analítica: Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial GESTÃO PREVENÇÃO DE DE RISCOS ACIDENTES

Leia mais

NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br

NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br A Saúde e a Segurança do Trabalhador no Brasil Em 2009 foram registrados 723.452

Leia mais

MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C - 2015

MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C - 2015 MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C - 2015 HEPATITE C PAPEL DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE FILIPE DE BARROS PERINI Assessor Técnico GEDST-DIVE-SES Infectologista Policlínica Municipal do Continente SMS-PMF Assessor

Leia mais

Grupo Hospitalar Conceição - GHC Hospital Nossa Senhora da Conceição Procedimento Operacional Padrão POP Enfermagem

Grupo Hospitalar Conceição - GHC Hospital Nossa Senhora da Conceição Procedimento Operacional Padrão POP Enfermagem Unidade: Unidade Assistencial Grupo Hospitalar Conceição - GHC Hospital Nossa Senhora da Conceição Procedimento Operacional Padrão POP Enfermagem Tarefa: Higienização de mãos Número: 79 Data: 03/2015 Responsável:

Leia mais

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA 101 ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA Sueli Andrade Amaral* Anne Fátima da Silva Sousa** Saadia Oliveira Ribeiro*** Marluce

Leia mais

RESÍDUOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE O QUE O CONTROLADOR DE INFECÇÃO HOSPITALAR PRECISA SABER

RESÍDUOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE O QUE O CONTROLADOR DE INFECÇÃO HOSPITALAR PRECISA SABER RESÍDUOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE O QUE O CONTROLADOR DE INFECÇÃO HOSPITALAR PRECISA SABER Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac 2004 RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE - Definições Resíduo

Leia mais

Como Minimizar o Risco Profissional? Prevenção contra HIV e Profilaxia Medicamentosa

Como Minimizar o Risco Profissional? Prevenção contra HIV e Profilaxia Medicamentosa CAPÍTULO 110 Como Minimizar o Risco Profissional? Prevenção contra HIV e Profilaxia Medicamentosa Soraia Menezes Genelhu * Em todo mundo, 38 milhões de pessoas vivem com o vírus da imunodeficiência humana

Leia mais

Qualidade e Infecção Hospitalar: Como as agências de acreditação avaliam o controle de infecção hospitalar. Thaiana Santiago

Qualidade e Infecção Hospitalar: Como as agências de acreditação avaliam o controle de infecção hospitalar. Thaiana Santiago Qualidade e Infecção Hospitalar: Como as agências de acreditação avaliam o controle de infecção hospitalar Thaiana Santiago Acreditação Acreditação é um processo que as organizações de saúde utilizam

Leia mais

VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP

VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP VI Curso Preparatório para a Prova do Título de Especialista da SOBECC A Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória - SAEP Andréa Tamancoldi Couto Enfermeira chefe de seção Centro Cirúrgico

Leia mais

Informe Epidemiológico EBOLA N O 14 Atualizado em 04-11-2014, às 14h

Informe Epidemiológico EBOLA N O 14 Atualizado em 04-11-2014, às 14h Informe Epidemiológico EBOLA N O 4 Atualizado em 04--204, às 4h Destaques Ocorreram 3.567 casos notificados de ebola nos oito países afetados, com 495 óbitos. A transmissão intensa continua na Guiné, Libéria

Leia mais

Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho

Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho Assim que ocorrer o acidente Introdução Fluxo AT Com o objetivo de adotar medidas de cuidado e segurança à saúde de médicos, clientes e colaboradores, a

Leia mais

Informe Epidemiológico EBOLA N O 13 Atualizado em 28-10-2014, às 14h

Informe Epidemiológico EBOLA N O 13 Atualizado em 28-10-2014, às 14h Informe Epidemiológico EBOLA N O 13 Atualizado em 28-10-2014, às 14h Situação Atual Os países com casos de Doença pelo Vírus Ebola (DVE) são classificados em duas categorias: 1- Países com transmissão

Leia mais

MONITORAMENTO DE ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO. Alcyone Artioli Machado 14º Congresso Brasileiro de Infectologia

MONITORAMENTO DE ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO. Alcyone Artioli Machado 14º Congresso Brasileiro de Infectologia MONITORAMENTO DE ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO Alcyone Artioli Machado 14º Congresso Brasileiro de Infectologia Acidente Estresse Vírus Doença Letal TRANQUILIZAR O TRABALHADOR Subnotificação

Leia mais

ACIDENTES OCUPACIONAIS E REPROCESSAMENTO FORAM DESTAQUES NO X CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO C

ACIDENTES OCUPACIONAIS E REPROCESSAMENTO FORAM DESTAQUES NO X CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO C Ano XVIII Nº 63 Publicação trimestral Tiragem: 25 mil exemplares Venda proibida Exemplar de assinante ACIDENTES OCUPACIONAIS E REPROCESSAMENTO FORAM DESTAQUES NO X CONGRESSO BRASILEIRO DE CONTROLE DE INFECÇÃO

Leia mais

As infecções que transtornam nosso dia a dia: coqueluche, influenza, varicela, tuberculose. Há esperança?

As infecções que transtornam nosso dia a dia: coqueluche, influenza, varicela, tuberculose. Há esperança? 18ª Jornada de Controle de Infecção Hospitalar - Hospital São Francisco As infecções que transtornam nosso dia a dia: coqueluche, influenza, varicela, tuberculose. Há esperança? Denise Brandão de Assis

Leia mais

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 Ementa: Utilização de luvas de procedimentos para aplicação de vacina. 1. Do fato Profissionais de Enfermagem solicitam

Leia mais

Risco de contágio ocupacional pelo sangue do doente durante os procedimentos neurocirúrgicos

Risco de contágio ocupacional pelo sangue do doente durante os procedimentos neurocirúrgicos Risco de contágio ocupacional pelo sangue do doente durante os procedimentos neurocirúrgicos Flávia Elisa Antunes Lemes de Oliveira*, Claudia Reiko Akamoto Sato*, Milton K. Shibata** Centro de Estudos

Leia mais

I International Symposium on Patient Safety and Quality. Segurança do Paciente: Cenário Nacional. Walter Mendes

I International Symposium on Patient Safety and Quality. Segurança do Paciente: Cenário Nacional. Walter Mendes I International Symposium on Patient Safety and Quality Segurança do Paciente: Cenário Nacional Walter Mendes O que é segurança do paciente? Um fenômeno mundial Índia Portugal EUA Brasil Uma das dimensões

Leia mais

Secretaria de Saúde PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011

Secretaria de Saúde PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011 PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011 INDICE Introdução... 3 1) Definição da sorologia para HIV do paciente-fonte... 4 2) Locais de atendimento ao acidentado...

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 enfermeira, 01 farmacêutica e 01 infectologista e consultoresrepresentantes

Leia mais

PROTOCOLO DE CONDUTA DE EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO: HIV E HEPATITE B E C

PROTOCOLO DE CONDUTA DE EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO: HIV E HEPATITE B E C 1 de 19 PROTOCOLO DE CONDUTA DE EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO: SUMÁRIO 2 de 19 Introdução 3 Profissionais de Saúde e Tipos de Exposição 4 Risco de Transmissão 4 Prevenção da Exposição a Materiais Biológicos

Leia mais

Curso Pré Congresso. Profilaxia Pós Exposição Sexual. V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia

Curso Pré Congresso. Profilaxia Pós Exposição Sexual. V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia Curso Pré Congresso Profilaxia Pós Exposição Sexual V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia Denize Lotufo Estevam / Infectologista Gerente da Assistência do CRT/DST/AIDS Coordenação do Programa Estadual

Leia mais

Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS

Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS Lucia Mardini DVAS Hepatites Virais Hepatite: inflamação do fígado. As hepatites podem

Leia mais

Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA. Profª MSc Priscilla Céo

Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA. Profª MSc Priscilla Céo Faculdade de Ilhéus INTRODUÇÃO À BIOSSEGURANÇA Profª MSc Priscilla Céo BIOSSEGURANÇA É o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa,

Leia mais

A lavagem de mãos é um procedimento indispensável em todos os procedimentos relacionados a terapia intravenosa.

A lavagem de mãos é um procedimento indispensável em todos os procedimentos relacionados a terapia intravenosa. A lavagem de mãos é um procedimento indispensável em todos os procedimentos relacionados a terapia intravenosa. Projeto coordenado por Profa. Dra. Denise Costa Dias 1. Selecionar a veia e os materiais

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE RIO GRANDE DO SUL

ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE RIO GRANDE DO SUL CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE

Leia mais

COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO

COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO EM ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO AO RISCO BIOLÓGICO ASSIS 2013 Página 1 de 7 COMISSÃO DE PREVENÇÃO

Leia mais

Informe Epidemiológico EBOLA N O 12 Atualizado em 21-10-2014, às 13h

Informe Epidemiológico EBOLA N O 12 Atualizado em 21-10-2014, às 13h Informe Epidemiológico EBOLA N O 12 Atualizado em 21-10-2014, às 13h Situação Atual Os países com casos de Doença pelo Vírus Ebola (DVE) são classificados em duas categorias: 1- es com transmissão intensa

Leia mais

SIMPÓSIO BD RISCO BIOLÓGICO AO PACIENTE E AO ANESTESIOLOGISTA

SIMPÓSIO BD RISCO BIOLÓGICO AO PACIENTE E AO ANESTESIOLOGISTA 1 SIMPÓSIO BD RISCO BIOLÓGICO AO PACIENTE E AO ANESTESIOLOGISTA Perguntas da platéia aos palestrantes: Dr. Pedro Paulo Tanaka Dr. Rogério Luiz da Rocha Videira Dra. Cristiane Rapparini Pergunta da platéia

Leia mais

R S O C R S A A F I LI AI S MA M O DE F R I MO R S

R S O C R S A A F I LI AI S MA M O DE F R I MO R S OS M R NA O I C ELA R S NO A R PA S O ZEM A F A E D U A Q Z O I LI O DE F CO R C S I A MA M SS O N M O ST E R S IV OS AI S T R I MO Missão Institucional Prestar assistência de excelência e referência com

Leia mais

NOTA TÉCNICA EBOLA SITUAÇÃO NA ÁFRICA E CONDUTAS PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE

NOTA TÉCNICA EBOLA SITUAÇÃO NA ÁFRICA E CONDUTAS PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDMEIOLÓGICA PROF. ALEXANDRE VRANJAC NOTA TÉCNICA EBOLA SITUAÇÃO NA ÁFRICA E CONDUTAS PARA PROFISSIONAIS

Leia mais

INFECÇÃO CRUZADA EM ODONTOLOGIA: RISCOS E DIRETRIZES CROSS-INFECTION IN DENTISTRY: RISK AND GUIDELINES

INFECÇÃO CRUZADA EM ODONTOLOGIA: RISCOS E DIRETRIZES CROSS-INFECTION IN DENTISTRY: RISK AND GUIDELINES Revista de Endodontia Pesquisa e Ensino On Line - Ano 2, Número 3, Janeiro/Junho, 2006. 1 INFECÇÃO CRUZADA EM ODONTOLOGIA: RISCOS E DIRETRIZES CROSS-INFECTION IN DENTISTRY: RISK AND GUIDELINES Clacir Londero

Leia mais

PROJETO RISCOBIOLOGICO.ORG SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO

PROJETO RISCOBIOLOGICO.ORG SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO PROJETO RISCOBIOLOGICOORG SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO PROJETO RISCOBIOLOGICOORG SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO RELATÓRIO ANO III N 2 (Dados sujeitos à revisão) A PROFISSIONAL ACIDENTADA ESTÁ GRÁVIDA? INFORMAÇÕES

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO: USO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM1

SEGURANÇA NO TRABALHO: USO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM1 SEGURANÇA NO TRABALHO: USO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM1 Elisabeth Alves Silva Martha Maria Macedo Bezerra Rachel de Sá Barreto Luna Callou Cruz Resumo O homem expõe-se

Leia mais

Em 2000, um total provisório de 86 casos confirmados de sarampo foi notificado ao CDC pelos departamentos de saúde estaduais e locais, representando

Em 2000, um total provisório de 86 casos confirmados de sarampo foi notificado ao CDC pelos departamentos de saúde estaduais e locais, representando Sarampo Estados Unidos, 2000 Em 2000, um total provisório de 86 casos confirmados de sarampo foi notificado ao CDC pelos departamentos de saúde estaduais e locais, representando um registro baixo e um

Leia mais

Acidente com Perfuro- Cortantes. Guia Rápido

Acidente com Perfuro- Cortantes. Guia Rápido Acidente com Perfuro- Cortantes Guia Rápido Cuidado do Ferimento Lavar com água e sabão o ferimento ou pele exposta ao sangue ou fluidos orgânicos. Lavar as mucosas com água em abundância. Não é recomendada

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: BIOSSEGURANÇA Código: ENF- 307 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 20.2

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

Estratégias para a Gestão de Riscos para o Uso de Medicamentos em Unidades de Saúde.

Estratégias para a Gestão de Riscos para o Uso de Medicamentos em Unidades de Saúde. Estratégias para a Gestão de Riscos para o Uso de Medicamentos em Unidades de Saúde. Índice Prof. Dr. Marcelo Polacow Bisson...3 1. Introdução...3 2. Norma Regulamentadora Nº 32 de 2005...5 3. Risco biológico...6

Leia mais

Aprovado em reunião de Disciplina de Moléstias Infecciosas em 04.05.2009.

Aprovado em reunião de Disciplina de Moléstias Infecciosas em 04.05.2009. Plano interino de preparação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (Unesp) para atendimento a pacientes com Influenza A suína (H1N1). Carlos Magno Castelo Branco Fortaleza Professor

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.1 Problema

1 INTRODUÇÃO. 1.1 Problema 8 1 INTRODUÇÃO Os acidentes com materiais pérfuro-cortantes entre os profissionais da saúde são muito freqüentes, visto que a manipulação desses materiais dá-se em toda a jornada de trabalho, e tais acidentes

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

Boas práticas para assistência ao paciente portador de agentes multiresistentes: medidas de prevenção e controle *

Boas práticas para assistência ao paciente portador de agentes multiresistentes: medidas de prevenção e controle * CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO São Paulo, dezembro de 2010. Boas práticas para assistência ao paciente portador de agentes multiresistentes: medidas de prevenção e controle * Embora o controle

Leia mais

A-6 Modelos de formulários de plano de ação do programa de prevenção de acidentes com perfurocortantes

A-6 Modelos de formulários de plano de ação do programa de prevenção de acidentes com perfurocortantes A-6 Modelos de formulários de plano de ação do programa de prevenção de acidentes com Estes formulários têm o objetivo de ajudar as instituições a desenvolverem e implementarem planos de ação para acompanhar

Leia mais

Hepatites Virais. Carmen Regina Nery e Silva agosto 2011 Regina.nery@aids.gov.br

Hepatites Virais. Carmen Regina Nery e Silva agosto 2011 Regina.nery@aids.gov.br Hepatites Virais Carmen Regina Nery e Silva agosto 2011 Regina.nery@aids.gov.br Definição Hepatite viral: Doença causada exclusivamente por vírus hepatotrópico. Diagnóstico Diferencial: CMV, mononucleose

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO

ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO CID-10: Z20.9 Elaboração: equipe técnica Camila Seixas - Médica - Vigilância em Saúde do Trabalhador Frederico Leão - Médico - Vigilância em Saúde

Leia mais

Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde

Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde GERENCIAMENTO DE RISCO AMBIENTAL Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde Nos Estabelecimentos Assistenciais de Saúde Dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico apontam que somente 63% dos municípios

Leia mais

O papel do ambiente na transmissão de infecção. Enf. Angela F. Sola SCIH - Hospital Nove de Julho Mestre pela Disciplina de Infectologia UNIFESP

O papel do ambiente na transmissão de infecção. Enf. Angela F. Sola SCIH - Hospital Nove de Julho Mestre pela Disciplina de Infectologia UNIFESP O papel do ambiente na transmissão de infecção Enf. Angela F. Sola SCIH - Hospital Nove de Julho Mestre pela Disciplina de Infectologia UNIFESP Reservatórios / Fontes Ar Enxoval Superfícies Como ocorre

Leia mais

Centro de Prevenção e Controle de Doenças CCD Núcleo Municipal de Controle de Infecção Hospitalar - NMCIH

Centro de Prevenção e Controle de Doenças CCD Núcleo Municipal de Controle de Infecção Hospitalar - NMCIH Centro de Prevenção e Controle de Doenças CCD ALERTA EPIDEMIOLÓGICO I Influenza Suína ABRIL 2009 Definição de caso 1-Caso suspeito de infecção humana pelo vírus da influenza suína A (H1N1). Apresentar

Leia mais

A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho

A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho Esta pesquisa ajuda a avaliar os aspectos relativos à notificação

Leia mais