CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES"

Transcrição

1 I SEMINÁRIO ESTADUAL HOSPITAIS SAUDÁVEIS CONTROLE DE RISCOS BIOLÓGICOS E ACIDENTES COM PERFUROCORTANTES Cristiane Rapparini SP Setembro, 2008

2

3 NORMA REGULAMENTADORA NR-32 AGENTES BIOLÓGICOS Microrganismos geneticamente modificados ou não (Formas de vida de dimensões microscópicas. Organismos visíveis individualmente apenas ao microscópio, que inclui bactérias, fungos, protozoários e vírus) Culturas de células Parasitas Toxinas Príons PORTARIA N 322, 14/11/2005

4 TRANSMISSÃO INFECÇÕES OCUPACIONAIS RISCOS BIOLÓGICOS Oral-fecal Via respiratória (gotículas ou aérea) Por contato Por via sangüínea Sepkowitz, K. A. Ann Intern Med 1996;125:

5 RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE HIV Hepatite B Hepatite C Transmissão sangüínea (60 diferentes agentes infecciosos) Published case reports were found for a total of 60 pathogens or species: 26 viruses, 18 bacteria/rickettsia, 13 parasites, and 3 yeasts. Tarantola, AJIC 34(6): , 2006.

6 RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE HIV Hepatite B Hepatite C Transmissão sangüínea EVOLUÇÃO = ANOS Tarantola, AJIC 34(6): , 2006.

7 RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE OMS - 3 milhões de acidentes percutâneos com agulhas contaminadas por material biológico por ano exposição HBV, HCV, HIV OMS (2000) HBV HCV HIV World Health Organization, 2002 Prüss-Üstün et al., 2003 Wilburn e Eijkemans, 2004

8 CASOS DE SOROCONVERSÃO PELO HIV ACIDENTES OCUPACIONAIS TRABALHADORES DA ÁREA DA SAÚDE Canada 1 casos 2 casos EUA 57 casos 139 casos México 0 casos 9 casos Dinamarca 0 casos 1 caso Trinidade & Tobago 0 casos 1 caso Brasil 1 caso Argentina 1 caso 0 casos Reino Unido 5 casos 14 casos França 13 casos 31 casos Bélgica 0 casos 3 casos Holanda 0 casos 2 casos Espanha Suiça 5 casos 0 casos 2 casos 1 caso Itália 5 casos África 5 casos 1 casos Alemanha 5 casos 33 casos Israel 0 casos 1 caso 106 casos comprovados 238 casos prováveis Austrália 6 casos 0 casos HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39.

9 CASOS DE SOROCONVERSÃO PELO HIV ACIDENTES OCUPACIONAIS TRABALHADORES DA ÁREA DA SAÚDE Canada 1 casos 2 casos EUA 57 casos 139 casos México 0 casos 9 casos Dinamarca 0 casos 1 caso Trinidade & Tobago 0 casos 1 caso Brasil 1 caso Argentina 1 caso 0 casos Reino Unido 5 casos 14 casos França 13 casos 31 casos Bélgica 0 casos 3 casos Holanda 0 casos 2 casos Espanha Suiça 5 casos 0 casos 2 casos 1 caso Itália 5 casos África 5 casos 1 casos Alemanha 5 casos 33 casos Israel 0 casos 1 caso 106 casos comprovados 238 casos prováveis Austrália 6 casos 0 casos HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39.

10 No Data = No Problem JAGGER, 2001.

11 Acidentes de trabalho com material biológico Situação - Brasil Número de acidentes? Número de infecções ocupacionais?

12 História de exposição nos 6 meses antecedentes ao acidente atual Município do Rio de Janeiro 1997 a 2004*. 8,5% de trabalhadores Entre médicos, esse percentual atingiu 12,9%. Dados sujeitos à revisão - Fonte: SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT Jan Dez Total = acidentes

13 Freqüência encontrada de acidentes segundo as categorias ocupacionais nos 30 dias antecedentes à pesquisa e com 12 meses 2,7% e 14,7% entre auxiliares de enfermagem 1,6% e 10,2% entre enfermeiros 2,6% e 10,5% entre técnicos de laboratório 2,5% e 11,3% entre trabalhadores equipe limpeza 7,1% e 24,1% entre médicos assistentes 12,3% e 44,5% entre médicos residentes 9,4% e 55,4% entre internos de medicina Basso M, 1999.

14 NOTIFICAÇÃO

15 BRASIL - Portaria MS nº 777 de 28/04/2004 Art. 1º Regulamentar a notificação compulsória de agravos à saúde do trabalhador - acidentes e doenças relacionados ao trabalho - em rede de serviços sentinela específica. 1 São agravos de notificação compulsória, para efeitos desta portaria: Acidente com Exposição a Material Biológico

16 SMS-RJ Janeiro 1997 INICIATIVAS - BRASIL SINABIO CRT/SES-SP 1999 PSBio Projeto Riscobiologico.org Repat EERP/USP 2003 Comissão de Saúde Ocupacional em Hospitais e Outros Estabelecimentos de atendimento à Saúde Humana, ANAMT 2004 Portaria MS 777/2004 SINAN-NET Norma Regulamentadora NR Protocolo de exposição a material biológico SAS/MS

17 Acidentes notificados: Ano de Ocorrência. Município do Rio de Janeiro 1997 a 2005*. Dados sujeitos à revisão - Fonte: SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT Jan Dez Total = acidentes

18 SINABIO - SP Jan/1999 a Set/2006 N = acidentes 228 municípios com notificação Município de SP ~ 30% dos casos Fonte: Sinabio - Vig Epidemiológica PE DST/AIDS SP

19 Acidentes notificados: Ano de Ocorrência. Município de São Paulo 2000 a 2007*. Fonte: SINABIO - PM DST/Aids/SMS/SP e SINAN - NET - CCD/COVISA *Dados preliminares até 31/12/2007, sujeitos a revisão. **Dados extraídos do SINAN NET.

20 Acidentes notificados: Ano de Ocorrência. Município de São Paulo 2000 a 2007*. SINAN Net acidentes Fonte: SINABIO - PM DST/Aids/SMS/SP e SINAN - NET - CCD/COVISA *Dados preliminares até 31/12/2007, sujeitos a revisão. **Dados extraídos do SINAN NET.

21 PSBio - Sistema de vigilância Acidentes de trabalho com material biológico em serviços de saúde brasileiros Sistema de notificação voluntária NaSH

22 Vigilância PSBio ALAGOAS SCIH - Hospital Unimed Maceió - Dra Raquel Guimarães BAHIA SCIH - Obras Sociais Irmã Dulce - Dr Gustavo Mustafa Tanajura MATO GROSSO DO SUL Serviço Hospitalar de Epidemiologia - Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian - Enfa Sandra Maria do Valle Leone de Oliveira MINAS GERAIS Programa Municipal DST/HIV/AIDS - Prefeitura Municipal de Juiz de Fora - Dr Guilherme Côrtes SCIH - Centro Hospitalar Psiquiátrico de Barbacena - Enfa Maria José Pamplona de Oliveira RIO DE JANEIRO Programa de Saúde do Trabalhador do Município de Resende - Regina Maria Nascimento Quaresma SCIH - Hospital Ferreira Machado - Dr Telmo Garcia SCIH - Instituto Nacional de Cardiologia de Laranjeiras - Dra Marisa Santos SCIH PRONEP - Dra Márcia Pinto RIO DE JANEIRO (cont.) Controle de Qualidade Clínica de Hemoterapia - Alfredo Martins Comissão de Biossegurança Unigranrio - Dr Rogério Alves de Souza SCIH - Clínica Perinatal de Laranjeiras - Dra Denise Cotrim da Cunha SCIH - Casa de Saúde Santa Lúcia - Dra Simone Nouer SCIH Hospital Geral de Ipanema Enfa Cláudia Sodré RIO GRANDE DO SUL SCIH - Hospital Centenário - Enfa Fernanda Estrella SÃO PAULO Serviço de Medicina do Trabalho - Hospital Sírio Libanês - Dra Márcia Cristina Duru Pardo Departamento de Saúde Ocupacional - Unimed São José do Rio Pardo - Téc Luiz Antonio Tavares Nogueira TOCANTINS Serviço de Controle de Infecção Hospitalar - Hospital de Referência Dona Regina - Enfa Ivani Maria Helfenstens Penques da Silva

23

24 SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO - Brasil a 2008* 05/09/2008 N (Não informado/não preenchido) = 32 Resultados parciais sujeitos à revisão.

25 SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO - Brasil a 2008* 05/09/2008 N Exp Percutâneas = N (Não informado/não preenchido) = 110 Resultados parciais sujeitos à revisão.

26 Vigilância PSBio ALAGOAS SCIH - Hospital Unimed Maceió - Dra Raquel Guimarães BAHIA SCIH - Obras Sociais Irmã Dulce - Dr Gustavo Mustafa Tanajura MATO GROSSO DO SUL Serviço Hospitalar de Epidemiologia - Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian - Enfa Sandra Maria do Valle Leone de Oliveira MINAS GERAIS Programa Municipal DST/HIV/AIDS - Prefeitura Municipal de Juiz de Fora - Dr Guilherme Côrtes SCIH - Centro Hospitalar Psiquiátrico de Barbacena - Enfa Maria José Pamplona de Oliveira RIO DE JANEIRO Programa de Saúde do Trabalhador do Município de Resende - Regina Maria Nascimento Quaresma SCIH - Hospital Ferreira Machado - Dr Telmo Garcia SCIH - Instituto Nacional de Cardiologia de Laranjeiras - Dra Marisa Santos SCIH PRONEP - Dra Márcia Pinto RIO DE JANEIRO (cont.) Controle de Qualidade Clínica de Hemoterapia - Alfredo Martins Comissão de Biossegurança Unigranrio - Dr Rogério Alves de Souza SCIH - Clínica Perinatal de Laranjeiras - Dra Denise Cotrim da Cunha SCIH - Casa de Saúde Santa Lúcia - Dra Simone Nouer SCIH Hospital Geral de Ipanema Enfa Cláudia Sodré RIO GRANDE DO SUL SCIH - Hospital Centenário - Enfa Fernanda Estrella SÃO PAULO Serviço de Medicina do Trabalho - Hospital Sírio Libanês - Dra Márcia Cristina Duru Pardo Departamento de Saúde Ocupacional - Unimed São José do Rio Pardo - Téc Luiz Antonio Tavares Nogueira TOCANTINS Serviço de Controle de Infecção Hospitalar - Hospital de Referência Dona Regina - Enfa Ivani Maria Helfenstens Penques da Silva

27 O PROBLEMA

28 HIV

29 CASOS DE SOROCONVERSÃO PELO HIV ACIDENTES OCUPACIONAIS TRABALHADORES DA ÁREA DA SAÚDE Canada 1 casos 2 casos EUA 57 casos 139 casos México 0 casos 9 casos Dinamarca 0 casos 1 caso Trinidade & Tobago 0 casos 1 caso Brasil 1 caso Argentina 1 caso 0 casos Reino Unido 5 casos 14 casos França 13 casos 31 casos Bélgica 0 casos 3 casos Holanda 0 casos 2 casos Espanha Suiça 5 casos 0 casos 2 casos 1 caso Itália 5 casos África 5 casos 1 casos Alemanha 5 casos 33 casos Israel 0 casos 1 caso 106 casos comprovados 238 casos prováveis Austrália 6 casos 0 casos HPA CfI et al. 03/2005 Ed; 1-39.

30 Contaminação de acidente profissional em SP Auxiliar de enfermagem Acidente em 14/10/94 em procedimento de punção venosa de pc com Aids 17/10/94 = teste de Elisa Nov/94 = febre + linfoadenopatia 29/12/94 = 2 teste de Elisa - 11/04/95 = Elisa e W.Blot + Caso notificado em 10/08/97 Del Bianco, R Seabra-Santos NJ et al. Braz J Infect Dis 2002;6(3):140-1.

31 CONTAMINAÇÃO HIV Rio de Janeiro feminino, tec enfermagem acidente com dispositivo IV em janeiro 1996 Fonte desconhecia infecção pelo HIV Acidente provocado por outro profissional após falha no acesso vascular periférico durante entrega de novo escalpe Rapparini e col Rapparini, C. Am J Infec Control 2006;34:

32 CONTAMINAÇÃO HIV Rio de Janeiro, enfermagem nível superior acidente com agulha sutura Fonte desconhecia infecção pelo HIV Movimentação da paciente durante parto vaginal PS iniciou PEP (3 drogas) 1h45min após o acidente Dados sujeitos à revisão - Fonte: SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT Jan Dez Total = acidentes

33 CONTAMINAÇÃO HIV + HCV Florianópolis - Santa Catarina masculino, aux enf, 37 anos acidente com dispositivo IV em 6/6/98 Enf Neurotraumatologia - Fonte sabidamente HIV + Ao retirar a luva para facilitar a fixação do dispositivo com esparadrapo e lança-lá na bandeja, espetou mais ou menos 3 cm de mandril na região hipotenar da mão. Araujo VC e col - ABIH Rapparini, C. Am J Infec Control 2006;34:

34 INFECÇÕES OCUPACIONAIS PELO HIV RS BRASIL 1 caso casos casos caso 2004 Secretaria de Estado da Saúde do Rio Grande do Sul. Boletim até dez 2005 (Online Agosto 2006).

35 Soroconversão ocupacional de HIV Ambulatório de Medicina Tropical do Amazonas Acidente com paciente-fonte HIV+ em junho de 1991 M.R.T.G., 52 anos - junho de 1999, apresentou soroconversão que evoluiu com herpes zoster em junho de Em março de 2003, internada por quadro de neurotoxoplasmose. Lucena N e col. Congresso da SBMT - Campos do Jordão, Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - vol 40: Supl I, Pág 80 - HI058.

36 HEPATITE B

37 Incidence per 100,000 Estimated Incidence of HBV infections among HCW and General Population, US, Cardo, D Health Care Workers OSHA Bloodborne Pathogen Standard Year casos / ano casos = Doença clínica 200 casos = Óbito 800 casos = Cronicidade General U.S. Population casos / ano 250 casos = Doença clínica 18 casos = Óbito 63 casos = Cronicidade

38 HEPATITE B - VACINA eficácia efeitos colaterais dose intervalo de tempo entre as doses via de administração doses de reforço testagem antes e após a vacinação MMWR 1991, 40(RR13): 1-19.

39 Proporção de vacinação contra hepatite B segundo categoria profissional. Município do Rio de Janeiro 1997 a 2005*. Dados sujeitos à revisão - Fonte: SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT Jan Dez Total = acidentes

40

41 Proporção de vacinação contra hepatite B segundo categoria profissional. Município de São Paulo 2000 a 2007*. 70,9% Fonte: SINABIO - PM DST/Aids/SMS/SP e SINAN-NET CCD/COVISA *Dados preliminares até 31/12/2007, sujeitos a revisão.

42 SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO - Brasil a 2008* 27/05/2008 Resultados parciais sujeitos à revisão.

43 HEPATITE C

44 HEPATITE C PROFISSIONAIS DE SAÚDE ESTIMATIVA EUA CASOS POR ANO JAGGER, 2001.

45 SOROCONVERSÕES NOTIFICADAS SÃO PAULO SINABIO Jan/1999 a Set/ acidentes De casos com desfecho conhecido 2 casos de HCV 1 casos de HBV Fonte: Sinabio - Vig Epidemiológica PE DST/AIDS SP

46 CONTAMINAÇÕES NOTIFICADAS Município do Rio de Janeiro 1997 a 2005*. 1 CASO PARA HEPATITE B jan/98 - RS, 26 anos, fem, equipe de limpeza, manuseio de lixo, fonte desconhecida, fez ARV, sem informação sobre vacinação para hepatite B 1 CASO PARA HEPATITES B e C mar/98 - AAC, 22 anos, fem, equipe de limpeza, manuseio de lixo, fonte desconhecida, não fez ARV, não vacinada para hepatite B Dados sujeitos à revisão - Fonte: SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT Jan Dez Total = acidentes

47 PSBIO - SISTEMA DE VIGILÂNCIA HCV 1 CASO

48 HEPATITE C AGUDA EM PROFISSIONAL DE SAÚDE Rio de Janeiro Auxiliar de enfermagem, 57 anos, fem Vacinada HBV Acidente - 02/08/2007 Na coleta CD4 (agulha coleta vácuo), durante descarte Paciente-fonte anti-hiv pos, anti-hcv neg (2003) e pos (2008) PS anti-hcv ago (neg)/out (neg)/dez (pos, confirmado PCR) Iniciou tratamento antiviral com boa resposta May, S SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT

49 HEPATITE C AGUDA EM PROFISSIONAL DE SAÚDE EXPOSTO A SANGUE DE PACIENTE PORTADORA DE CIRROSE HEPÁTICA POR VÍRUS DA HEPATITE C SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SÃO PAULO ESF, 43 anos, masculino, casado, auxiliar de enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva, procedente de São José do Rio Preto Sofreu acidente perfurocortante com agulha oca de paciente-fonte portadora de cirrose hepática pelo HCV (classificação C de Child- Pugh), internada por descompensação com ascite e síndrome hepatorenal Ao realizar o banho no leito Agulha havia sido esquecida. Jorge LS e col. ABIH 2006 (Resumo 737).

50 ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO RISCO APÓS EXPOSIÇÃO PERCUTÂNEA (sangue): HIV 0,3 % 3 :1000 Hepatite B 6 a 40%* 3 : 10 Hepatite C 1,8% 3 : 100 * Risco de hepatite clínica

51

52 PEP - EFEITOS ADVERSOS - NEVIRAPINA 1 caso - hepatotoxicidade grave (AZT + 3TC + NVP) mulher, 43 anos - necessidade de transplante hepático MMWR 2001; 49:1153.

53 ACIDENTES OCUPACIONAIS COM RISCO BIOLÓGICO O QUE FAZER NO MOMENTO DO ACIDENTE? Aconselhar o trabalhador Cuidados locais Esclarecer as condições do acidente Esclarecer a situação da fonte Esclarecer os riscos envolvidos

54

55 Considerações para o uso de PEP Risco de Transmissão Risco de efeitos adversos Cardo, Denise - CDC - 1 st IAS, 2001 PEP

56 MEDICAMENTOS ANTI-RETROVIRAIS Quando iniciar? O mais rápido hours x days Até quanto tempo vale a pena? < 72 h? Por quanto tempo manter? 4 semanas

57 Profilaxia anti-retroviral pós-exposição ocupacional ao HIV

58 NYC - Slide compliments of Dr. Neal Gregory - Chatham, NY

59 COMO OCORREM OS ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO?

60 QUEM?

61 Acidentes notificados: Categoria ocupacional. Município do Rio de Janeiro 1997 a 2005*. Dados sujeitos à revisão - Fonte: SMS-RJ/SUBASS/SVS/CDT/GDT Jan Dez Total = acidentes

62 Acidentes notificados segundo categoria profissional. SINABIO - Estado de São Paulo - jan1999 a set2006. PE DST/AIDS SP

63 Acidentes notificados segundo categoria profissional. Município de São Paulo 2000 a Fonte: SINABIO - PM DST/Aids/SMS/SP e SINAN-NET CCD/COVISA *Dados preliminares até 31/12/2007, sujeitos a revisão.

64 SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO - Brasil a 2008* 05/09/2008 Resultados parciais sujeitos à revisão.

65 ONDE?

66 SINABIO - SP Fonte: Sinabio - Vig Epidemiológica PE DST/AIDS SP

67 SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO - Brasil a 2008* 05/ Resultados parciais sujeitos à revisão.

68 COM QUE OBJETO?

69 WHAT DEVICES ARE INVOLVED IN PERCUTANEOUS INJURIES? Although many types of sharps injure healthcare personnel, aggregate data from NaSH indicates that six devices are responsible for nearly eighty percent of all injuries.

70 SINABIO - SP Fonte: Sinabio - Vig Epidemiológica PE DST/AIDS SP

71 SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO - Brasil a 2008* 05/09/2008 Resultados parciais sujeitos à revisão.

72 Fatores de Risco para infecção pelo HIV após exposição Fator de risco Razão de chances (OR)* IC 95% Lesão profunda Sangue visível no dispositivo Procedimento com agulha previamente em veia ou artéria do paciente Doença terminal no paciente-fonte Uso de AZT pós-exposição MMWR 1995; 44(50):

73 COMO?

74 Acidentes notificados: Ano de Ocorrência. Município do Rio de Janeiro 1997 a 2005* ,00 13,60 13,10 15,00 13,40 12 % ,40 0 Recapeamento de agulhas Administração de medicamentos Manuseio de material cirúrgico e cirurgias Manuseio de lixo Coleta de sangue e punção venosa periférica Descarte Dados sujeitos à revisão. SMS/SSC/CDT/GDT Jan Dez Total = acidentes

75 SINABIO - SP Fonte: Sinabio - Vig Epidemiológica PE DST/AIDS SP

76 Acidentes ocupacionais com material biológico, segundo circunstâncias do acidente. Município de São Paulo, * SINABIO - PM DST/Aids/SMS/SP e SINAN-NET CCD/COVISA *Dados preliminares até 31/12/2007, sujeitos a revisão.

77

78 HISTORICAL PERSPECTIVE PREVENTING SHARPS INJURIES In 1981, McCormick and Maki first described the characteristics of needlestick injuries among healthcare personnel and recommended a series of prevention strategies, including educational programs, avoidance of recapping, and better needle disposal systems McCormick RD, Maki DG. Epidemiology of needle-stick injuries in hospital personnel. Am J Med 1981;70:

79

80 Rio de Janeiro, 2007.

81

82

83

84

85 - Um airbus sem um reverso, sem spoiler e com manete travado - Uma pista escorregadia, sem ranhuras e sem área de escape - Um avião com o peso no limite e carregado de combustível E A CULPA É DO PILOTO? Revista Isto É - Ed /08/2007

86 Occupational Health Hierarchy of Hazards Controls Most effective Least effective Elimination or substitution (e.g., eliminate unnecessary injections) Engineering Controls (e.g., safer needle devices, sharps containers, mechanical lift) Administrative (policies and training programmes) Work Practices (Universal Precautions, no recapping) Personal Protective Equipment (gloves, masks, gowns, etc) *See Cardo D, 2008.

87 The Needlestick Safety and Prevention Act November 6, 2000 NR-32 (2005) Deve ser assegurado o uso de materiais perfurocortantes com dispositivo de segurança, conforme cronograma a ser estabelecido pela CTPN. JAGGER, 2001.

88 Sharp Object Injury Product Categories: Injection Devices Blood Drawing Devices Vascular Access Devices Glass Blood Tubes JAGGER, Surgical Devices

89 Catanzarite V et al. OBSTETRICS & GYNECOLOGY, 2007.

90

91

92 DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA

93 CANICA-SAFETY

94 No Data = No Problem JAGGER, 2001.

95 HIV HIV HCV HIV HIV JAGGER, 2001.

96 Para melhor ou para pior, minha vida tomou um novo rumo no dia em que uma agulha contaminada perfurou minha mão. Estou contando minha história em nome de todas as enfermeiras que enfrentam esse risco diariamente, e minha mensagem é essa: isso não precisava acontecer. Lynda Arnold Nursing, 1997

97

98

RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE RISCOS BIOLÓGICOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE HIV Hepatite B Hepatite C Transmissão sangüínea Mais de 60 diferentes agentes infecciosos 40% dos casos de hepatites B e C 2.5% das infecções pelo HIV Atribuíveis

Leia mais

CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE

CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE SIMPÓSIO: RISCOS E SEGURANÇA NO TRABALHO CENÁRIO ATUAL: RISCOS BIOLÓGICOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE Cristiane Rapparini Campinas SP Agosto, 2008 http://www.premierinc.com/quality-safety NORMA REGULAMENTADORA

Leia mais

O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO

O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO O CONTROLE DE SAÚDE NA EXPOSIÇÃO A RISCO BIOLÓGICO NR 32 - GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Cristiane Rapparini Rio de Janeiro Abril, 2008 O PROBLEMA No Data = No Problem JAGGER,

Leia mais

RISCOS BIOLÓGICOS. Dr Guilherme Côrtes Fernandes. Belo Horizonte Março, 2007

RISCOS BIOLÓGICOS. Dr Guilherme Côrtes Fernandes. Belo Horizonte Março, 2007 RISCOS BIOLÓGICOS Dr Guilherme Côrtes Fernandes Belo Horizonte Março, 2007 A primeira referência de doença infecciosa ocupacional na história é atribuída a Tucídides no século IV a.c. em sua narração sobre

Leia mais

Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde. Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico.

Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde. Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico. Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde Dra Cristiane Rapparini Doutora em Infectologia pela UFRJ Coordenadora do Projeto Riscobiologico.org Riscos Biológicos & Trabalhadores da Saúde 1621134 - Produzido

Leia mais

PROJETO RISCOBIOLOGICO.ORG SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO

PROJETO RISCOBIOLOGICO.ORG SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO PROJETO RISCOBIOLOGICOORG SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO PROJETO RISCOBIOLOGICOORG SISTEMA DE VIGILÂNCIA PSBIO RELATÓRIO ANO III N 2 (Dados sujeitos à revisão) A PROFISSIONAL ACIDENTADA ESTÁ GRÁVIDA? INFORMAÇÕES

Leia mais

Acidentes com materiais perfurocortantes

Acidentes com materiais perfurocortantes Acidentes com materiais perfurocortantes Forma de transmissão: Oral-fecal Riscos biológicos Via respiratória (gotículas ou aérea) Contato Via sanguínea Alto risco Risco Intermediário Sem risco Sangue e

Leia mais

DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO?

DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO? DISPOSITIVOS DE SEGURANÇA: QUAIS OS CRITÉRIOS PARA IMPLEMENTAÇÃO? Cristiane Rapparini Projeto Riscobiologico.org São Paulo Outubro, 2007 - Um airbus sem um reverso, sem spoiler e com manete travado - Uma

Leia mais

I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE I FORUM DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE São Paulo 17 de setembro de 2014 Realização: Centro de Vigilância Sanitária Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo www.cvs.saude.sp.gov.br

Leia mais

SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas

SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas SERVIÇO O DE ATENDIMENTO A ACIDENTES COM MATERIAL BIOLÓGICO GICO: Experiência do Instituto de Infectologia Emílio Ribas Dr. Francisco Ivanildo de Oliveira Junior O Instituto de Infectologia Emílio Ribas

Leia mais

Trabalhador da Saúde

Trabalhador da Saúde V Seminário Hospitais Saudáveis SHS Trabalhador da Saúde Acidentes com Material Biológico Dra Cristiane Rapparini São Paulo SP Setembro 2012 Disclosure (CFM nº1.595/00 de 18/5/2000 e ANVISA nº120/2000

Leia mais

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006

Profilaxia Pós-Exposição ao HIV. Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Profilaxia Pós-Exposição ao HIV Alcyone Artioli Machado FMRP-USP - 2006 Fatores de risco para infecção ocupacional pelo HIV O risco de infecção ocupacional pelo HIV era aumentado quando: A exposição ocupacional

Leia mais

ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES

ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES ANBio Workshop sobre Biossegurança e Prevenção de Infecções Nosocomiais RISCOS BIOLÓGICOS & PERFUROCORTANTES Dra Cristiane Rapparini Rio de Janeiro RJ Junho, 2012 Disclosure (CFM nº1.595/00 de 18/5/2000

Leia mais

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO

ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO ACIDENTE COM MATERIAL BIOLÓGICO EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO Sangue, fluidos orgânicos potencialmente infectantes (sêmen, secreção vaginal, liquor, líquido sinovial, líquido pleural, peritoneal, pericárdico,

Leia mais

SEGURANÇA DO PROFISSIONAL

SEGURANÇA DO PROFISSIONAL SEGURANÇA DO PROFISSIONAL RISCO BIOLÓGICO Palestrante: Carolina Cardoso de Araujo Ferri Importância na Enfermagem Brasil: 1,5 milhões de profissionais São Paulo: 346.730 profissionais * Enfermeiros: 65.981

Leia mais

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP

Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP Luiz Antonio Vane Prof. Titular do Depto de Anestesiologia da F.M. Botucatu - UNESP CENTRO CIRÚRGICO Jardim Japonês Centro Cirúrgico Hospital Maternidade Terezinha de Jesus Juiz de Fora (MG) Queimaduras

Leia mais

Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado. Eliane Martinho

Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado. Eliane Martinho Conceito de segurança em dispositivos médico-hospitalares - a teoria e o mercado Eliane Martinho A SEGURANÇA DO PROFISSIONAL DA SAÚDE ACIDENTES OCUPACIONAIS POR MATERIAIS PÉRFURO- CORTANTES HISTÓRICO 1984

Leia mais

Acidentes Ocupacionais com Risco Biológico: O que fazer para evitar a contaminação por HIV?

Acidentes Ocupacionais com Risco Biológico: O que fazer para evitar a contaminação por HIV? Acidentes Ocupacionais com Risco Biológico: O que fazer para evitar a contaminação por HIV? O que fazer no momento do acidente? Aconselhar o profissional de saúde esclarecer as condições do acidente esclarecer

Leia mais

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à :

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à : RISCO BIOLÓGICO Risco Biológico A ocorrência do evento danoso está ligado à : 1) Existência ou não de medidas preventivas Níveis de Biossegurança. 2) Existência ou não de medidas preventivas que garantam

Leia mais

Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde

Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde Manual de implementação Programa de prevenção de acidentes com materiais perfurocortantes em serviços de saúde Adaptado de Workbook for designing, implementing, and evaluating a sharps injury prevention

Leia mais

Isolamento. HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC. 1987: Precauções Universais. 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas

Isolamento. HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC. 1987: Precauções Universais. 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas Isolamento HISTÓRICO 1983: Guia de Isolamento do CDC Isolamento Categoria Específico Isolamento Doença Específico 1987: Precauções Universais 1987: Isolamento de Substâncias Corpóreas 1996: Novo Guia de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO - 2001 DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA HOSPITALAR RISCO OCUPACIONAL: SANGUE

Leia mais

Secretaria de Saúde PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011

Secretaria de Saúde PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011 PROTOCOLO PARA A PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DO HIV PARA ACIDENTES OCUPACIONAIS UBERABA, 2011 INDICE Introdução... 3 1) Definição da sorologia para HIV do paciente-fonte... 4 2) Locais de atendimento ao acidentado...

Leia mais

DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein.

DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein. DRA. GLÁUCIA BERRETA RUGGERI MÉDICA ENDOCRINOLOGISTA DO CENTRO DE SAÚDE OCUPACIONAL HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN glauciabr@einstein.br Segurança do Paciente => 1999 => Marco => TheError is Human

Leia mais

COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO

COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE ACIDENTES COM MATERIAIS PERFUROCORTANTES PROTOCOLO DE PRONTO ATENDIMENTO EM ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO AO RISCO BIOLÓGICO ASSIS 2013 Página 1 de 7 COMISSÃO DE PREVENÇÃO

Leia mais

Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho

Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho Fluxograma de atendimento a acidente de trabalho Assim que ocorrer o acidente Introdução Fluxo AT Com o objetivo de adotar medidas de cuidado e segurança à saúde de médicos, clientes e colaboradores, a

Leia mais

MONITORAMENTO DE ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO. Alcyone Artioli Machado 14º Congresso Brasileiro de Infectologia

MONITORAMENTO DE ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO. Alcyone Artioli Machado 14º Congresso Brasileiro de Infectologia MONITORAMENTO DE ACIDENTES COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO Alcyone Artioli Machado 14º Congresso Brasileiro de Infectologia Acidente Estresse Vírus Doença Letal TRANQUILIZAR O TRABALHADOR Subnotificação

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005

Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005 Ministério do Trabalho e Emprego Portaria 485 de 11 de Novembro de 2005 Enfoque na prevenção de exposições a material biológico BIOSSEGURANÇA relato de caso Circulante de centro cirúrgico g ao manusear

Leia mais

Acidente com Perfuro- Cortantes. Guia Rápido

Acidente com Perfuro- Cortantes. Guia Rápido Acidente com Perfuro- Cortantes Guia Rápido Cuidado do Ferimento Lavar com água e sabão o ferimento ou pele exposta ao sangue ou fluidos orgânicos. Lavar as mucosas com água em abundância. Não é recomendada

Leia mais

MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO

MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE POLÍTICAS DE SAÚDE COORDENAÇÃO NACIONAL DE DST E AIDS MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO INTRODUÇÃO O objetivo deste documento é descrever

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO E/OU PERFUROCORTANTES ENTRE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE Os acidentes de trabalho com material biológico e/ou perfurocortante apresentam alta incidência entre

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ Guilherme Viero, Marlise Shoenhals, Franciele A.C. Follador, Darlan Clóvis Vettorello Rech,

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: e-mail: ÁREA TEMÁTICA: 1- INTRODUÇÃO

TÍTULO: AUTORES: e-mail: ÁREA TEMÁTICA: 1- INTRODUÇÃO TÍTULO: ANÁLISE DOS ACIDENTES DE TRABALHO COM FLUIDOS BIOLÓGICOS OCORRIDOS COM ESTUDANTES DE NÍVEL MÉDIO E SUPERIOR NOS HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO (HSE), DE 1999 A 2001. AUTORES: Nogueira, Daniele

Leia mais

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA. Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP

DISPOSITIVO DE SEGURANÇA. Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP DISPOSITIVO DE SEGURANÇA Fernanda Mara Coelho Cardozo Consultora Educacional BD Medical Mestranda em Enfermagem pela EERP - USP No passado e no Presente Novas Tecnologias Cenário Atual Complexidade terapêutica

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO

ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO A MATERIAL BIOLÓGICO CID-10: Z20.9 Elaboração: equipe técnica Camila Seixas - Médica - Vigilância em Saúde do Trabalhador Frederico Leão - Médico - Vigilância em Saúde

Leia mais

RISCOS BIOLÓGICOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE

RISCOS BIOLÓGICOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE I Simpósio de Biossegurança ESTES/UFU RISCOS BIOLÓGICOS NOS SERVIÇOS DE SAÚDE Tanyse Galon Contextualizando a Temática RISCO BIOLÓGICO O conceito tem um fim em si mesmo? CONCEITOS DA RELAÇÃO SAÚDE E TRABALHO

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade

Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade Cateter intravascular com dispositivo de segurança Análise de custo-efetividade I. Elaboração final: março 2008 II. Autores: Alvaro Koenig III. Previsão de revisão: não há IV. Tema: Uso de cateteres intravasculares

Leia mais

Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP Tese doutorado

Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP Tese doutorado Uso de dispositivos eletrônicos para melhorar a adesão dos trabalhadores da saúde ao tratamento e seguimento de acidentes ocupacionais com risco biológico Dr Iris Ricardo Rossin Médico Assistente HC-FMRP/USP

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F.

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F. UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ LUIZ SASSO FILHO PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL DIA AIDS EM BRASÍLIA D.F. BRASÍLIA DF 2009 PERFIL DOS PORTADORES DO VÍRUS HIV ATENDIDOS NO HOSPITAL

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL

REDE DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO EM HOSPITAIS DO BRASIL Profª Drª Maria Helena Palucci Marziale Profª Associada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto/USP Coordenadora do Núcleo de Estudos em Saúde e Trabalho Editora da Revista Latino americana de Enfermagem

Leia mais

Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS

Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS Lucia Mardini DVAS Hepatites Virais Hepatite: inflamação do fígado. As hepatites podem

Leia mais

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE ACIDENTES COM PERFURO CORTANTES INTRODUÇÃO *Cindy Heloisa Silva da Silva - NOVAFAPI *Frida Jéssica de Carvalho e Silva- NOVAFAPI *Renata Giordana de Sousa Andrelino- NOVAFAPI

Leia mais

Hepatites virais e profissionais de saúde

Hepatites virais e profissionais de saúde Hepatites virais e profissionais de saúde Prof. Antonio Carlos de Castro Toledo Jr. Faculdade de Medicina da Unifenas-BH Pós-graduação em Medicina Tropical e Infectologia da Universidade Federal do Triângulo

Leia mais

16/02/2013 ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM ABORDAGEM SINDRÔMICA DAS DST. Prof. Rivaldo lira

16/02/2013 ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM ABORDAGEM SINDRÔMICA DAS DST. Prof. Rivaldo lira ABORDAGEM SINDRÔMICA DAS DST ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM Prof. Rivaldo lira 1 2 Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas. a) São corretas apenas as afirmativas 1 e 2. b) São corretas

Leia mais

NÍVEL DE BIOSSEGURANÇA 1

NÍVEL DE BIOSSEGURANÇA 1 NÍVEL DE BIOSSEGURANÇA 1 Nível de contenção laboratorial que se aplica aos laboratórios de ensino básico, onde são manipulados os microrganismos pertencentes a classe de risco 1. Não é requerida nenhuma

Leia mais

NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE. Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR

NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE. Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDE Noeli Martins Médica do Trabalho Auditora Fiscal do Trabalho da SRTE/PR METODOLOGIA DE ELABORAÇÃO / REVISÃO DAS NORMAS REGULAMENTADORAS Portaria

Leia mais

Lynda Arnold Nursing, 1997

Lynda Arnold Nursing, 1997 Para melhor ou para pior, minha vida tomou um novo rumo no dia em que uma agulha contaminada perfurou minha mão. estou contando minha história em nome de todas as enfermeiras que enfrentam este risco diariamente,

Leia mais

HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER

HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER HEPATITES O QUE VOCÊ PRECISA SABER O QUE É HEPATITE? QUAIS OS TIPOS? Hepatopatias Hepatites Virais Doença hepática alcoólica Hepatopatias criptogênicas Hepatites tóxicas Hepatopatias auto-imunes Hepatopatias

Leia mais

Como Minimizar o Risco Profissional? Prevenção contra HIV e Profilaxia Medicamentosa

Como Minimizar o Risco Profissional? Prevenção contra HIV e Profilaxia Medicamentosa CAPÍTULO 110 Como Minimizar o Risco Profissional? Prevenção contra HIV e Profilaxia Medicamentosa Soraia Menezes Genelhu * Em todo mundo, 38 milhões de pessoas vivem com o vírus da imunodeficiência humana

Leia mais

Curso Pré Congresso. Profilaxia Pós Exposição Sexual. V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia

Curso Pré Congresso. Profilaxia Pós Exposição Sexual. V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia Curso Pré Congresso Profilaxia Pós Exposição Sexual V Congresso Norte-Nordeste de Infectologia Denize Lotufo Estevam / Infectologista Gerente da Assistência do CRT/DST/AIDS Coordenação do Programa Estadual

Leia mais

HIV + sint. C.V. (> 1500 cópias/ml) PPE EXPANDIDO PPE PPE

HIV + sint. C.V. (> 1500 cópias/ml) PPE EXPANDIDO PPE PPE AVALIAÇÃO DO STATUS SOROLÓGICO Conhecida Solicitar consentimento para a realização dos seguintes exames: HBs Ag, Anti-HBc IgM+IgG, Anti-HCV e Anti-HIV (teste rápido para HIV*) Desconhecida Material de

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 Enfermeira, 01 Farmacêutica e 01 Medico Infectologista e consultores-representantes

Leia mais

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014 Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 29 de 2014 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae.

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae. A Equipe Multiprofissional de Saúde Ocupacional da UDESC lembra: Dia 01 de dezembro é dia mundial de prevenção à Aids! Este material foi desenvolvido por alunos do Departamento de Enfermagem da Universidade

Leia mais

MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C - 2015

MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C - 2015 MANEJO HEPATITES VIRAIS B/C - 2015 HEPATITE C PAPEL DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE FILIPE DE BARROS PERINI Assessor Técnico GEDST-DIVE-SES Infectologista Policlínica Municipal do Continente SMS-PMF Assessor

Leia mais

NOTA TÉCNICA 04/08 ASSUNTO: UTILIZAÇÃO DOS TESTES RÁPIDOS ANTI- HIV EM SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA.

NOTA TÉCNICA 04/08 ASSUNTO: UTILIZAÇÃO DOS TESTES RÁPIDOS ANTI- HIV EM SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA. ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA DAS DST/HIV/AIDS NOTA TÉCNICA 04/08 ASSUNTO:

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

Hélio Vasconcellos Lopes

Hélio Vasconcellos Lopes HIV/AIDS no Município de Santos e dados brasileiros Hélio Vasconcellos Lopes Coordenador do Programa Municipal DST/AIDS/Hepatites da Secretaria Municipal de Saúde Professor titular da Faculdade de Medicina

Leia mais

Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos

Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos ARTIGO ORIGINAL Acidentes de trabalho com material biológico em uma Unidade Sentinela: casuística de 2.683 casos Occupational accidents involving exposure to biological material by a Worker s Health Sentinel

Leia mais

NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br

NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br NR 32 Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde Profª Andréia Ap.Tavares Martins E-mail: andreiatmenf@yahoo.com.br A Saúde e a Segurança do Trabalhador no Brasil Em 2009 foram registrados 723.452

Leia mais

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA

ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA 101 ACIDENTES COM MATERIAL PERFUROCORTANTE ENTRE PROFISSIONAIS DE SAÚDE EM HOSPITAL PRIVADO DE VITÓRIA DA CONQUISTA - BA Sueli Andrade Amaral* Anne Fátima da Silva Sousa** Saadia Oliveira Ribeiro*** Marluce

Leia mais

Risco de Transmissão Ocupacional (Hepatites B e C e HIV)

Risco de Transmissão Ocupacional (Hepatites B e C e HIV) Risco de Transmissão Ocupacional (Hepatites B e C e HIV) Risco Ocupacional Risco: probalidade de ocorrência de um evento não desejado (acidente de trabalho) Ocupacional: relacionado aos procedimentos específicos

Leia mais

HIV-AIDS. Infecções Peri-natais

HIV-AIDS. Infecções Peri-natais Transmissão Relação sexual Transfusão de sangue Transmissão vertical Acidente de trabalho Retrato da epidemia de aids Nacionalmente estável e concentrada em populações-chave Casos acumulados de aids (até

Leia mais

VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers

VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers Acidentes perfurocortantes e HIV VIGILÂNCIA DE HIV EM ACIDENTES PERFUROCORTANTES COM TRABALHADORES DA SAÚDE HIV surveillance in needlestick accidents with health workers Artigo Original RESUMO Objetivo:

Leia mais

A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho

A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho A-3 Modelos de formulários para pesquisa com os trabalhadores sobre a exposição a sangue ou outros materiais biológicos no ambiente de trabalho Esta pesquisa ajuda a avaliar os aspectos relativos à notificação

Leia mais

Saúde no Trabalho. Problemas ocupacionais em áreas críticas. Dr. Marcos José C. Baptista Médico do trabalho coordenador

Saúde no Trabalho. Problemas ocupacionais em áreas críticas. Dr. Marcos José C. Baptista Médico do trabalho coordenador Saúde no Trabalho Problemas ocupacionais em áreas críticas Dr. Marcos José C. Baptista Médico do trabalho coordenador Riscos ocupacionais Risco: probabilidade de ocorrência de um dano à saúde ou à integridade

Leia mais

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem O Vírus da Hepatite C (HCV) é considerado o principal agente etiológico responsável por 90 a 95% dos casos de hepatite pós-transfusional não A e não

Leia mais

PROCEDIMENTOS SEQUENCIADOS PARA O DIAGNÓSTICO, INCLUSÃO E MONITORAMENTO DO TRATAMENTO DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA HEPATITE C.

PROCEDIMENTOS SEQUENCIADOS PARA O DIAGNÓSTICO, INCLUSÃO E MONITORAMENTO DO TRATAMENTO DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA HEPATITE C. PROCEDIMENTOS SEQUENCIADOS PARA O DIAGNÓSTICO, INCLUSÃO E MONITORAMENTO DO TRATAMENTO DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA HEPATITE C. A) DIAGNÓSTICO ETAPA I - TRIAGEM SOROLÓGICA ( ANTI-HCV ) ETAPA II CONFIRMAÇAO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1

ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1 Artigo Orginal 172 ACIDENTES PERFUROCORTANTES ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DO INTERIOR PAULISTA 1 Silvia Rita Marin da Silva Canini 2 Elucir Gir 3 Miyeko Hayashida 4 Alcyone

Leia mais

Alexandre O. Chieppe

Alexandre O. Chieppe Transmissão Vertical da Sífilis S e do HIV Alexandre O. Chieppe Coordenação Estadual de DST/AIDS-CVE Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro Câmara Técnica de AIDS do CREMERJ Do Início da Epidemia

Leia mais

Caderno de Informações Epidemiológicas das DST/HIV/Aids do Município de Uberaba-MG

Caderno de Informações Epidemiológicas das DST/HIV/Aids do Município de Uberaba-MG SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA MUNICIPAL DE DST/AIDS DE UBERABA Caderno de Informações Epidemiológicas das DST/HIV/Aids do Município de Uberaba-MG Gerente: Maria Clara de Vasconcelos Afonso Elaboração:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA. Nome do Candidato Caderno de Prova 28, PROVA DISSERTATIVA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA. Nome do Candidato Caderno de Prova 28, PROVA DISSERTATIVA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO COMISSÃO DE EXAMES DE RESIDÊNCIA MÉDICA Novembro/2010 Processo Seletivo para Residência Médica - 2011 28 - Área de atuação em Infectologia Nome do Candidato Caderno de

Leia mais

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico Página 1 / 8 1. Situação Epidemiológica do Sarampo Diferentes regiões do mundo estão definindo metas para a eliminação do sarampo e da rubéola até o ano de 2015. No entanto, surtos recentes de sarampo

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS FACULDADE CATÓLICA SALESIANA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA DE DOENÇAS INFECTO-PARASITÁRIAS HIV/AIDS Descrição Doença que representa um dos maiores problemas de saúde da atualidade, em função de seu

Leia mais

R S O C R S A A F I LI AI S MA M O DE F R I MO R S

R S O C R S A A F I LI AI S MA M O DE F R I MO R S OS M R NA O I C ELA R S NO A R PA S O ZEM A F A E D U A Q Z O I LI O DE F CO R C S I A MA M SS O N M O ST E R S IV OS AI S T R I MO Missão Institucional Prestar assistência de excelência e referência com

Leia mais

O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM:

O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM: ARTIGO ARTICLE O IMPACTO DA AIDS NA PRÁTICA DE ENFERMAGEM: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA THE IMPACT OFAIDS IN NURSINGPRACTICE: A PUBLICHEALTH PROBLEM Elucir Gir 1, Marinésia A Prado 2, Silvia RMS Canini

Leia mais

Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais

Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Gerusa Maria Figueiredo gerusa.figueiredo@saude.gov.br I CONGRESSO BRASILEIRO

Leia mais

Material Perfurocortante

Material Perfurocortante Prevenção de acidentes por Material Perfurocortante Gestão da Fase Pré-Analítica: Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial GESTÃO PREVENÇÃO DE DE RISCOS ACIDENTES

Leia mais

ENFERMAGEM EM BIOSSEGURANÇA

ENFERMAGEM EM BIOSSEGURANÇA BIOSSEGURANÇA : 1-CONCEITO: É a ciência que estuda o manuseio de substâncias biológicas avaliando todas as condições que serão necessárias para a atividade de enfermagem. 1.2 Considerações gerais : Em

Leia mais

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio vírus Vírus - Características Gerais Seres acelulares Desprovidos de organização celular Não possuem metabolismo próprio Capazes de se reproduzir apenas no interior de uma célula viva nucleada Parasitas

Leia mais

GUIA PARA A PREVENÇÃO E PROFILAXIA PÓS EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO HIV

GUIA PARA A PREVENÇÃO E PROFILAXIA PÓS EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO HIV MINISTÉRIO DE SAÚDE DE MOÇAMBIQUE DIRECÇÃO NACIONAL DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA MÉDICA GUIA PARA A PREVENÇÃO E PROFILAXIA PÓS EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL AO HIV Abril 2007 ÍNDICE ABREVIATURAS...

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE RIO GRANDE DO SUL

ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE RIO GRANDE DO SUL CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde ACIDENTE DE TRABALHO COM MATERIAL BIOLÓGICO: UMA EDUCAÇÃO PERMANENTE PARA OS TRABALHADORES DA SAÚDE PORTO ALEGRE

Leia mais

Clique para editar o título mestre

Clique para editar o título mestre Fórum HIV e Hepatites Virais NOVAS ABORDAGENS PARA PREVENÇÃO DA INFECÇÃO PELO HIV ESTE É O MELHOR CAMINHO? Profilaxia Pós Exposição Denize Lotufo Estevam Infectologista Coordenação de DST/Aids de SP 1

Leia mais

DIAGNÓSTICO DAS LESÕES ESPECÍFICAS DO HIV NO FÍGADO E VIAS BILIARES

DIAGNÓSTICO DAS LESÕES ESPECÍFICAS DO HIV NO FÍGADO E VIAS BILIARES III Workshop Internacional de Atualização em Hepatologia DIAGNÓSTICO DAS LESÕES ESPECÍFICAS DO HIV NO FÍGADO E VIAS BILIARES MÁRIO REIS ÁLVARES-DA-SILVA Prof. Adj. Dep to MEI Hepatologia Universidade Federal

Leia mais

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015

Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015 Boletim Epidemiológico Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Influenza: Monitoramento até a Semana Epidemiológica 37 de 2015 A vigilância da influenza no Brasil é composta pela vigilância

Leia mais

Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite

Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite HEPATITE A hepatite é uma inflamação do fígado provocada na maioria das vezes por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar hepatite aguda, que se

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DST/AIDS

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DST/AIDS BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DST/AIDS 2013 SMS-RJ/SUBPAV/SAP boletim.indd 1 07/11/2013 12:51:59 boletim.indd 2 07/11/2013 12:51:59 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 5 SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA DA AIDS NO MUNICÍPIO DO RIO

Leia mais

As infecções que transtornam nosso dia a dia: coqueluche, influenza, varicela, tuberculose. Há esperança?

As infecções que transtornam nosso dia a dia: coqueluche, influenza, varicela, tuberculose. Há esperança? 18ª Jornada de Controle de Infecção Hospitalar - Hospital São Francisco As infecções que transtornam nosso dia a dia: coqueluche, influenza, varicela, tuberculose. Há esperança? Denise Brandão de Assis

Leia mais

Relatório de Gestão da CCIH

Relatório de Gestão da CCIH Relatório de Gestão da CCIH 1 - Apresentação A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por membros executores -01 enfermeira, 01 farmacêutica e 01 infectologista e consultoresrepresentantes

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

Seleção de Temas. Questionário - Proficiência Clínica. Área: Imunologia Rodada: Julho/2008. Prezado Participante,

Seleção de Temas. Questionário - Proficiência Clínica. Área: Imunologia Rodada: Julho/2008. Prezado Participante, Seleção de Temas Prezado Participante, Gostaríamos de contar com a sua contribuição para a elaboração dos próximos materiais educativos. Cada questionário desenvolve um assunto (temas) específico dentro

Leia mais

PROTOCOLO DE CONDUTA DE EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO: HIV E HEPATITE B E C

PROTOCOLO DE CONDUTA DE EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO: HIV E HEPATITE B E C 1 de 19 PROTOCOLO DE CONDUTA DE EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO: SUMÁRIO 2 de 19 Introdução 3 Profissionais de Saúde e Tipos de Exposição 4 Risco de Transmissão 4 Prevenção da Exposição a Materiais Biológicos

Leia mais

O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E OS RISCOS NO TRABALHO: acidentes com materiais perfurocortantes

O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E OS RISCOS NO TRABALHO: acidentes com materiais perfurocortantes O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E OS RISCOS NO TRABALHO: acidentes com materiais perfurocortantes Mel DAVID I RESUMO Este trabalho procura caracterizar os acidentes de trabalho com materiais perfurocortantes

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA FICHA DE NOTIFICAÇÃO DO ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO

ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DA FICHA DE NOTIFICAÇÃO DO ACIDENTE DE TRABALHO COM EXPOSIÇÃO À MATERIAL BIOLÓGICO Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde/SMS Coordenadoria Geral de Vigilância da Saúde/CGVS Equipe de Vigilância em Saúde Ambiental e do Trabalhador ORIENTAÇÕES PARA O PREENCHIMENTO

Leia mais

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1 Resumo do Perfil epidemiológico por regiões HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 Resumo do perfil epidemiológico por regiões SAÚDE 1 HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 APRESENTAçÃO Hoje, no

Leia mais

Acidente perfurocortante e o profissional de saúde: onde procurar atendimento?

Acidente perfurocortante e o profissional de saúde: onde procurar atendimento? Acidente perfurocortante e o profissional de saúde: onde procurar atendimento? Accidents involving piercing cutting material and the health professionals: where to search for attending? Luanne Nayara Ferreira

Leia mais