BALANÇO SOCIAL /14

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BALANÇO SOCIAL 2009 1/14"

Transcrição

1 BALANÇO SOCIAL /14

2 ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. Organograma do IDE-RAM 2. Distribuição global dos recursos humanos 3. Estrutura etária dos recursos humanos 4. Estrutura de antiguidades 5. Estrutura habilitacional 6. Conclusões 2/14

3 INTRODUÇÃO O Balanço Social, instrumento privilegiado de gestão dos recursos humanos dos serviços e organismos, deve ser elaborado anualmente no primeiro trimestre de cada ano civil, com referência a 31 de Dezembro do ano imediatamente anterior. Foi o Decreto-Lei nº 190/96, de 9 de Outubro (adaptado à RAM pelo DLR 40/2008/M, de 10/12), que consagrou pela primeira vez, como medida de modernização da Administração Pública, a obrigatoriedade de elaboração do Balanço Social para a generalidade dos serviços públicos. Regendo-se pela portaria 27/2010, de 29/4, da Vice-Presidência do Governo Regional do Governo Regional, que procedeu à aprovação e criação de novos modelos para os mapas de balanço social (substituindo os anexos ao DLR 40/2008/M), o Balanço Social do Instituto de Desenvolvimento Empresarial tem como objectivo disponibilizar um conjunto de informações sobre os recursos humanos deste organismo público, demonstrando como a sua gestão eficiente contribui decisivamente para atingir os seus objectivos. A recolha e sistematização da informação é a base de qualquer medida de gestão no domínio dos recursos humanos. Só assim se compreende que, neste contexto, a elaboração de um Balanço Social do IDE-RAM seja mais uma técnica de análise para aferir a realidade humana da instituição, nomeadamente em três aspectos: a estrutura etária, a antiguidade e o nível habilitacional. A informação para a elaboração do presente Balanço Social foi obtida mediante consulta aos dados disponibilizados pelo Departamento Administrativo e Financeiro deste Instituto. 3/14

4 1. Organograma do IDE-RAM Estrutura organizacional actualmente em vigor: ORGANOGRAMA CONSELHO CONSULTIVO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO CFE GABINETE JURÍDICO E CONTENCIOSO SECRETARIA GABINETE DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO, COOPERAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DEPARTAMENT O DE GESTÃO DE INCENTIVOS DEPARTAMENTO ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO DEPARTAMENTO DE PLANEAMENTO E CONTROLO DE GESTÃO DEPARTAMENTO DE ACOMPANHAMENTO E CONTROLO DE INCENTIVOS DEPARTAMENTO DE PROMOÇÃO EMPRESARIAL E ENG. FINANCEIRA Área de Comunicação Área de Cooperação e Internacionalização Área de Turismo Área de Indústria, Energia, Ciência e Tecnologia Área de Comércio e Serviços Recursos Humanos Contabilidade Tesouraria Controlo financeiro Administrativa Área de Promoção Empresarial Área de Engenharia Financeira Gráfico I Organograma do IDE-RAM 4/14

5 2. Distribuição global dos recursos humanos Em 31 de Dezembro de 2009, o IDE-RAM tinha um total de 35 colaboradores, mais um do que no ano anterior. À semelhança do ano anterior, o pessoal efectivo era maioritariamente feminino (21 mulheres contra 14 homens). Quatro tinham vínculo por nomeação, 18 por contrato de trabalho por tempo indeterminado, um por contrato a termo resolutivo certo e, ainda, doze colaboradores estavam enquadrados noutras situações. RECURSOS HUMANOS DIRIGENTE CARREIRA DE TÉCNICO SUPERIOR CARREIRA DE ASSISTENTE TÉCNICO CARREIRA DE ASSISTENTE OPERACIONAL TOTAL TOTAL EFECTIVOS NOMEAÇÃO CONTRATO ADMINISTRATIVO POR TEMPO INDETERMINADO CONTRATO A TERMO RESOLUTIVO, CERTO OU INCERTO OUTROS H M TOT H 2 2 M 2 2 TOT H M TOT H 0 M 1 1 TOT H M TOT TOTAL: Quadro I Recursos humanos 5/14

6 No ano de 2009, o grupo profissional dominante foi o do pessoal dirigente com cerca de 34% dos efectivos, sendo a taxa de feminização de 42%. Conforme exigido por lei, todos os dirigentes eram licenciados. O pessoal técnico superior representava 31% dos efectivos totais em serviço no IDE-RAM, seguindo-se o grupo de assistentes técnicos (29%) e o de assistentes operacionais (6%). TOTAL DE EFECTIVOS ASSISTENTES TÉCNICOS; 29% ASSISTENTES OPERACIONAIS; 6% DIRIGENTES; 34% TÉCNICOS SUPERIORES; 31% Gráfico II Distribuição dos recursos humanos. Quanto à relação jurídica com o Instituto, importa referir que os 35 indivíduos que exerceram funções no Instituto de Desenvolvimento Empresarial estavam assim distribuídos: - quatro com nomeação, a exercer cargos dirigentes (dois do sexo feminino e dois do masculino); 6/14

7 - dezoito com contratos por tempo indeterminado, sendo três dirigentes, oito da carreira técnica superior, cinco da carreira de assistente técnico e dois da carreira de assistente operacional (doze do sexo feminino contra seis do masculino); - um com contrato a termo resolutivo certo (do sexo masculino); - doze noutras condições, sendo cinco dirigentes, três da carreira técnica superior e quatro da carreira de assistente técnico (seis de cada sexo). Mais de metade dos efectivos (52%) tinha contrato por tempo indeterminado, 11% estavam nomeados, 3% tinham contrato a termo resolutivo certo e 34% estavam noutras situações. RELAÇÃO JURÍDICA OUTRAS SITUAÇÕES 34% NOMEAÇÃO 11% CONTRATO A TERMO RESOLUTIVO CERTO 3% CONTRATO POR TEMPO INDETERMINADO 52% Gráfico III - Relação jurídica dos efectivos. 7/14

8 3. Estrutura etária dos recursos humanos Em 31 de Dezembro de 2009, o pessoal afecto ao IDE-RAM apresentava um nível médio etário de 38,8 anos, sendo que se verificou, em relação ao ano transacto, um rejuvenescimento do pessoal, pois em 2008 a idade média dos efectivos era de 42,5. Em 2009, a idade média dos colaboradores do sexo feminino era de 36 anos, contra uma idade média mais alta para os homens: 43 anos. A faixa etária mais significante era a dos anos, com doze efectivos, seguida da faixa anos, que contava com nove trabalhadores. ESTRUTURA ETÁRIA HOMENS MULHERES TOTAL ATÉ AOS 18 ANOS E MAIS 0 NÍVEL MÉDIO ETÁRIO 38,8 ANOS Quadro II - Estrutura etária. 8/14

9 Para além de estarem em maior número (21 contra 14), as mulheres que trabalharam no IDE-RAM em 2009 lideraram quatro faixas etárias: anos, anos, anos e anos. EFECTIVOS POR ESCALÃO ETÁRIO SEGUNDO O SEXO ANOS ANOS ANOS ANOS ANOS ANOS ANOS HOMENS MULHERES Gráfico IV Efectivos por escalão etário segundo o sexo. No que se refere à percentagem de efectivos por faixa etária, é relevante referir que 34% do pessoal se enquadrava na faixa de anos, seguindo-se os trabalhadores com idades compreendidas entre os 30 e os 34 anos (26%). Tanto os efectivos com 40 a 44 anos, como os que têm idades compreendidas entre os 55 e os 59 anos, apresentam uma percentagem de 11%. Por último, as faixas etárias menos significantes em termos percentuais são as de anos (3%) e as de anos (6%). 9/14

10 ESTRUTURA ETÁRIA 50-54ANOS 6% ANOS 3% ANOS 11% ANOS 9% ANOS 26% ANOS 11% ANOS 34% Gráfico V Percentagem de efectivos por faixa etária. 10/14

11 4. Estrutura de antiguidades Quanto à estrutura de antiguidades do pessoal, o IDE-RAM apresentava, em 2009, um nível médio de antiguidade de 11,31 anos. Um valor inferior ao ano anterior, que era de 13,6 anos. Em 2009, a maioria dos afectivos (treze) apresentava uma antiguidade de 5-9 anos, seguida por anos de antiguidade, categoria em que se inserem doze trabalhadores. ESTRUTURA DE ANTIGUIDADES Homens Mulheres Total Dirigente Carreira de técnico superior Carreira de assistente técnico Carreira de assistente operacional Total ATÉ 5 ANOS MAIS DE NÍVEL MÉDIO DE ANTIGUIDADE 11,31 ANOS Quadro III Estrutura de antiguidades 11/14

12 5. Estrutura habilitacional Em 2009, tal como em 2008, a estrutura habilitacional do pessoal do IDE-RAM caracterizava-se por ter um elevado nível de pessoal detentor de uma licenciatura (79%). A segunda maior percentagem, 17%, é a de efectivos possuidores do 12º ano, sendo que 3% tinham o 11º ano, 9% o nono e 3% o sexto. ESTRUTURA HABILITACIONAL HOMENS MULHERES TOTAL % MENOS DE 4 ANOS DE ESCOLARIDADE % 4 ANOS DE ESCOLARIDADE % 6 ANOS DE ESCOLARIDADE % 9 ANOS DE ESCOLARIDADE % 11 ANOS DE ESCOLARIDADE % 12 ANOS DE ESCOLARIDADE % BACHARELATO OU CURSO MÉDIO % LICENCIATURA % MESTRADO 0 0% DOUTORAMENTO 0 0% TOTAL Quadro IV Estrutura habilitacional Relativamente à distribuição das habilitações literárias por sexo, 86% do pessoal masculino possuía habilitações de nível superior e 58% das mulheres eram detentora de uma licenciatura: 12/14

13 MULHERES NÃO LICENCIADAS 43% MULHERES LICENCIADAS 57% Gráfico VI Habilitações ao nível da licenciatura das mulheres. HOMENS NÃO LICENCIADOS 14% HOMENS LICENCIADOS 86% Gráfico VII Habilitações ao nível da licenciatura dos homens. 13/14

14 6. Conclusões As principais conclusões que podemos tirar do Balanço Social 2009 são as seguintes: - Em 31 de Dezembro de 2009, o total de efectivos do IDE-RAM era de 35, mais um do que no ano anterior, o que revela um crescimento bastante moderado tendo em conta o aumento do volume de trabalho; - Tal como no ano anterior, o pessoal efectivo era maioritariamente feminino (21 mulheres contra 14 homens); - No que respeita à média etária, o IDE-RAM apresentava, em 2009, um nível médio etário de 38,8 anos de idade, um número inferior ao da média de 2008: 42,5. A faixa etária mais significativa é a dos anos, com doze efectivos. - No que concerne à antiguidade laboral, a média de 2009 era de 11,31 anos de serviço. A de 2008 foi superior: 13,6 anos. - O grupo de pessoal com maior representatividade era o técnico superior, que atingia uma percentagem elevada (79%). Do exposto, resulta o retrato social de um serviço que, embora pequeno, está dotado de um número considerável de colaboradores com formação superior. 14/14

BALANÇO SOCIAL /19

BALANÇO SOCIAL /19 BALANÇO SOCIAL 2015 1/19 ÍNDICE INTRODUÇÃO. 3 1. Organograma do IDE, IP-RAM 5 2. Distribuição global dos recursos humanos.. 6 3. Estrutura etária dos recursos humanos. 10 4. Estrutura de antiguidades.

Leia mais

VICE PRESIDÊNCIA DO GOVERNO

VICE PRESIDÊNCIA DO GOVERNO VICE PRESIDÊNCIA DO GOVERNO INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Av. Arriaga, Edifício Golden, 3º * 9004-528 FUNCHAL * Telef: 291202170 * Fax: 291202190 E-mail: ide.vp@gov-madeira.pt

Leia mais

I Agrupamento de Escolas de Valongo FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL

I Agrupamento de Escolas de Valongo FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato A preencher pela entidade empregadora CARACTERIZAÇÃO DO

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO 1.

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO 1. FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL CÓDIGO DE IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO Código da publicitação do procedimento Código de candidato CARACTERIZAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO Carreira Categoria

Leia mais

Índice Introdução... 3 1 Contagem dos trabalhadores por cargo/carreira segundo a modalidade de vinculação e género... 4

Índice Introdução... 3 1 Contagem dos trabalhadores por cargo/carreira segundo a modalidade de vinculação e género... 4 BALANÇO SOCIAL 2015 Índice Introdução... 3 1 Contagem dos trabalhadores por cargo/carreira segundo a modalidade de vinculação e género... 4 Evolução dos Recursos Humanos... 5 1.1 Contagem dos prestadores

Leia mais

BALANÇO SOCIAL 2014 1/19

BALANÇO SOCIAL 2014 1/19 BALANÇO SOCIAL 2014 1/19 ÍNDICE INTRODUÇÃO. 3 1. Organograma do IDE, IP-RAM 5 2. Distribuição global dos recursos humanos.. 6 3. Estrutura etária dos recursos humanos. 10 4. Estrutura de antiguidades.

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL Código de identificação do processo. Caracterização do posto de trabalho

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO PROCEDIMENTO CONCURSAL Código de identificação do processo. Caracterização do posto de trabalho Código de identificação do processo Código de publicitação do procedimento Código de candidato a preencher pela entidade empregadora Caracterização do posto de trabalho Carreira Categoria Área de actividade

Leia mais

RH PROCEDIMENTO CONCURSAL/CANDIDATURA

RH PROCEDIMENTO CONCURSAL/CANDIDATURA RH PROCEDIMENTO CONCURSAL/CANDIDATURA INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO Código da publicitação do procedimento Indicar o número do aviso publicado no Diário da República ou o número do código da oferta de emprego

Leia mais

Consultor é apenas uma pessoa experiente, com boa. empreender.

Consultor é apenas uma pessoa experiente, com boa. empreender. Consultor é apenas uma pessoa experiente, com boa técnica, bom senso e ainda com vontade de ensinar e empreender. Quem é Novo Empreendedor: O Novo Empreendedor: 25% tem entre 45 e 64 anos; 8,8% tem mais

Leia mais

COMO FORMALIZAR UMA CANDIDATURA A PROCEDIMENTO CONCURSAL

COMO FORMALIZAR UMA CANDIDATURA A PROCEDIMENTO CONCURSAL COMO FORMALIZAR UMA CANDIDATURA A PROCEDIMENTO CONCURSAL 1 Índice: Preenchimento do Formulário de Candidatura ao Procedimento Concursal Código de Identificação do Processo e Caracterização do Posto de

Leia mais

A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS

A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS A PROCURA DE EMPREGO DOS DIPLOMADOS COM HABILITAÇÃO SUPERIOR Em Fevereiro de 2008, o GPEARI do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior publicou o segundo relatório sobre a procura de emprego

Leia mais

Representatividade das MPEs:

Representatividade das MPEs: Representatividade das MPEs: Número de Estabelecimentos Empresarias e Mercado de Trabalho 1 CONTEXTO DAS MPES NO ESTADO DA BAHIA: Estabelecimentos empresariais MPEs: O estado da Bahia possui 174.067 estabelecimentos

Leia mais

Código: CHCB. PI.JUR.01 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas:1 de 5. 1. Objectivo

Código: CHCB. PI.JUR.01 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas:1 de 5. 1. Objectivo Código: CHCB. PI.JUR.01 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas:1 de 5 1. Objectivo São objectivos predominantes do Gabinete Jurídico, informar e colaborar em termos Jurídico Legais, na tomada de decisão do, contribuindo

Leia mais

Relatório Anual de Transparência Ano de 2015

Relatório Anual de Transparência Ano de 2015 Relatório Anual de Transparência Ano de 2015 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Estrutura jurídica e da Propriedade... 3 3. Estrutura de governação... 4 4. Sistema interno de controlo de qualidade... 4 5.

Leia mais

Primeiro Inquérito às Práticas Profissionais dos Diplomados em Sociologia

Primeiro Inquérito às Práticas Profissionais dos Diplomados em Sociologia Primeiro Inquérito às Práticas Profissionais dos Diplomados em Sociologia Principais resultados ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE SOCIOLOGIA OBJETIVO A Associação Portuguesa de Sociologia (APS) pretendeu com este

Leia mais

1. Nome da Empresa. 2. Sector de Actividade. 3. Responsável pelo preenchimento do questionário. 4. Formação/Habilitações literárias. Page 1.

1. Nome da Empresa. 2. Sector de Actividade. 3. Responsável pelo preenchimento do questionário. 4. Formação/Habilitações literárias. Page 1. Outro Projecto do Mestrado em Ambiente, Saúde e Segurança IMPLEMENTAÇÃO DOS SISTEMAS DE GESTÃO DE AMBIENTE E DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO AO NÍVEL DAS GRANDES EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

Leia mais

1. Introdução 3. 2. Enquadramento ao Balanço Social 5. 3. Caracterização da Estrutura de Recursos Humanos 7. 4. Comportamento Organizacional 22

1. Introdução 3. 2. Enquadramento ao Balanço Social 5. 3. Caracterização da Estrutura de Recursos Humanos 7. 4. Comportamento Organizacional 22 1 Balanço Social 2013 Índice 1. Introdução 3 2. Enquadramento ao Balanço Social 5 3. Caracterização da Estrutura de Recursos Humanos 7 4. Comportamento Organizacional 22 5. Desenvolvimento dos Recursos

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO Administração Cálculos Financeiros Administração Administração (EII) Administração - Habilitação em Administração de Empresas Administração - Habilitação em Administração

Leia mais

OFERTAS DE TRABALHO CONCURSOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 17-03-2015

OFERTAS DE TRABALHO CONCURSOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 17-03-2015 OFERTAS DE TRABALHO CONCURSOS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 17-03-2015 Concurso de Admissão de Voluntários para Prestação de Serviço Militar em Regime de Contrato na Categoria de Oficiais, nas Classes de

Leia mais

BOLETIM DO EMPREGO DE PANAMBI 1 Ano 2- N 5 Maio de 2015

BOLETIM DO EMPREGO DE PANAMBI 1 Ano 2- N 5 Maio de 2015 BOLETIM DO EMPREGO DE PANAMBI 1 Ano 2- N 5 Maio de 215 Laboratório de Gestão Laboratório de Economia Aplicada Projeto de Extensão: Apoio ao Desenvolvimento de Arranjos Produtivos Locais 1. Apresentação

Leia mais

ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 2 CAPÍTULO 1 EFECTIVOS... 4. Total de efectivos... 4. Efectivos/Relação Jurídica de Emprego... 5

ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 2 CAPÍTULO 1 EFECTIVOS... 4. Total de efectivos... 4. Efectivos/Relação Jurídica de Emprego... 5 ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 2 CAPÍTULO EFECTIVOS... 4 Total de efectivos... 4 Efectivos/Relação Jurídica de Emprego... 5 Efectivos p/serviços... 6 Estrutura etária... 7 Estrutura habilitacional... 8 Nível

Leia mais

GABINETE DE ESTRATÉGIA, PLANEAMENTO E AVALIAÇÃO CULTURAIS. Voluntariado Formal - Arte e Cultura em 2012. Arte. Cultura. GEPAC Setembro 2013

GABINETE DE ESTRATÉGIA, PLANEAMENTO E AVALIAÇÃO CULTURAIS. Voluntariado Formal - Arte e Cultura em 2012. Arte. Cultura. GEPAC Setembro 2013 ... Cultura GABINETE DE ESTRATÉGIA, PLANEAMENTO E AVALIAÇÃO CULTURAIS Arte Voluntariado Formal - Arte e Cultura em 2012 GEPAC Setembro 2013 TÍTULO Voluntariado Formal nas Artes e na Cultura em 2012 DIREÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 254, DE 30 DE ABRIL DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 254, DE 30 DE ABRIL DE 2013 Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal - SINJ-DF RESOLUÇÃO Nº 254, DE 30 DE ABRIL DE 2013 Dispõe sobre a estrutura dos Serviços Auxiliares do Tribunal de Contas do Distrito Federal.

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/01/2016 de 05/04/2016. Processo nº 2216/2016.

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Comunicação Social 25 de março de 2004 Pesquisa Mensal de Emprego Taxa de desocupação é de 12% em fevereiro Em fevereiro de 2004, a taxa de desocupação ficou estável tanto em relação ao mês anterior (11,7%)

Leia mais

ENQUADRAMENTO DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 15

ENQUADRAMENTO DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 15 ÍNDICE Apresentação 13 PRIMEIRA PARTE ENQUADRAMENTO DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 15 I. A Gestão dos Recursos Humanos: do Modelo Clássico ao Modelo Gestionário 1. Antecedentes

Leia mais

SEMINÁRIO O GESTOR LOCAL

SEMINÁRIO O GESTOR LOCAL SEMINÁRIO EMPRESAS LOCAIS E SOCIEDADES COMERCIAIS PARTICIPADAS CCDRCentro 22 Fevereiro de 2013 Gestor local / Gestor público Conceito de Gestor Local membros de órgãos de gestão ou administração 1 Os gestores

Leia mais

ANO ECONÓMICO DE 2016 BALANÇO SOCIAL MUNICÍPIO DA LOUSÃ

ANO ECONÓMICO DE 2016 BALANÇO SOCIAL MUNICÍPIO DA LOUSÃ ANO ECONÓMICO DE 2016 BALANÇO SOCIAL MUNICÍPIO DA LOUSÃ Balanço Social EXERCÍCIO 2016 NOTA INTRODUTÓRIA O Balanço Social 2016 do Município da Lousã, foi executado em conformidade com o estabelecido pelo

Leia mais

PRINCÍPIOS GERAIS PRINCÍPIOS GERAIS PRINCÍPIOS GERAIS NÍVEIS DA REFORMA PRINCÍPIOS GERAIS. Funções de suporte Apoio à Governação Gestão de Recursos

PRINCÍPIOS GERAIS PRINCÍPIOS GERAIS PRINCÍPIOS GERAIS NÍVEIS DA REFORMA PRINCÍPIOS GERAIS. Funções de suporte Apoio à Governação Gestão de Recursos PRINCÍPIOS GERAIS Funções de suporte Apoio à Governação Gestão de Recursos Funções Operacionais 30-03-2006 1 30-03-2006 2 PRINCÍPIOS GERAIS Apoio à Governação (em todos os Ministérios) Serviços de planeamento,

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO Nº 207, DE 05 FEVEREIRO DE 1999 Dispõe sobre a transformação dos cargos efetivos e o enquadramento dos servidores do Quadro de Pessoal do Conselho da Justiça Federal e da Justiça Federal de Primeiro

Leia mais

PROJECTO DE DECRETO - LEI DE ALTERAÇÂO DO ECD. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Decreto-Lei n.º xx/2011 de x de Outubro

PROJECTO DE DECRETO - LEI DE ALTERAÇÂO DO ECD. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Decreto-Lei n.º xx/2011 de x de Outubro PROJECTO DE DECRETO - LEI DE ALTERAÇÂO DO ECD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Decreto-Lei n.º xx/2011 de x de Outubro Foram observados os procedimentos decorrentes da Lei n.º 23/98, de 26 de Maio. Assim:

Leia mais

SECRETARIA-GERAL DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

SECRETARIA-GERAL DO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA-GERAL DO MINISTÉRIO DA SAÚDE CARACTERIZAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DOS SERVIÇOS NÃO INTEGRADOS NO SNS Coordenação Rita Cordeiro (Chefe de Divisão) Rita Cordeiro Execução Ema Paula SIOE 31-12-2010

Leia mais

REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS

REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS REGULAMENTO DAS PROVAS DE AVALIAÇÃO DE CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR DOS MAIORES DE 23 ANOS (Decreto-Lei nº 64/2006, de 21 de Março, com as alterações produzidas pelo Decreto-Lei nª.

Leia mais

Estatística e Probabilidade

Estatística e Probabilidade Estatística e Probabilidade Administração e Ciências Contábeis 3º Semestre LISTA DE EXERCÍCIOS GRÁFICOS ESTATÍSTICOS, DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA Módulo 2 1. Classifique os gráficos abaixo, de acordo com

Leia mais

Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5

Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5 Anexo F Cursos de Mestrado em TSI Situação em 2000 Adaptado de: http://www.desup.min-edu.pt/posgrad.htm Índice 1 Ensino Superior Público... f.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo... f.5 Ordenação

Leia mais

RECONHECIMENTO DAS QUALIFICAÇÕES PROFISSIONAIS e a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RECONHECIMENTO DAS QUALIFICAÇÕES PROFISSIONAIS e a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA O Contabilista Certificado na Administração Pública RECONHECIMENTO DAS QUALIFICAÇÕES PROFISSIONAIS e a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Avelino Azevedo Antão Do POCP ao SNC-AP Objectivos do POCP integração dos diferentes

Leia mais

Faculdade La Salle Mantida pela Sociedade Porvir Científico Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01.

Faculdade La Salle Mantida pela Sociedade Porvir Científico Credenciada pela Portaria Ministerial nº. 2.653 de 07/12/01 D.O.U. de 10/12/01. CONSELHO PEDAGÓGICO - COP RESOLUÇÃO Nº 81/2010, DE 08 DE ABRIL DE 2010 Aprova quadro de equivalência de disciplinas entre cursos de graduação da Faculdade La Salle. O Presidente do Conselho Pedagógico

Leia mais

EMPREGABILIDADE. Integ na Electomec.

EMPREGABILIDADE. Integ na Electomec. Desde a sua criação, a Universidade da Beira Interior tem vindo a desempenhar a sua missão como centro de criação, transmissão e difusão de cultura, de ciência e de tecnologia, com uma forte ênfase na

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Título Balanço Social 2006. Autoria Direcção-Geral dos Recursos Humanos da Educação

FICHA TÉCNICA. Título Balanço Social 2006. Autoria Direcção-Geral dos Recursos Humanos da Educação FICHA TÉCNICA Título Balanço Social 2006 Autoria Direcção-Geral dos Recursos Humanos da Educação Elaboração Gabinete de Planeamento e Qualidade (GPQ) Núcleo de Gestão e Avaliação (NGA) 1 ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA...

Leia mais

Relatório do Balanço Social

Relatório do Balanço Social Relatório do Balanço Social 2014 Secretaria-Geral Ministério da Educação e Ciência 10 de abril de 2015 Ficha Técnica Título Relatório do Balanço Social 2014 Data de finalização 10 de abril de 2015 Endereço

Leia mais

Anúncio De Concurso do Instituto Nacional de Saúde Pública. Técnico nível 1

Anúncio De Concurso do Instituto Nacional de Saúde Pública. Técnico nível 1 Anúncio De Concurso do Instituto Nacional de Saúde Pública Técnico nível 1 O presente anúncio de recrutamento é coordenado pela Direcção Geral da Administração Pública (DGAP), de acordo com os procedimentos

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCORRÊNCIA

RELATÓRIO DE CONCORRÊNCIA 001 - RECIFE 1 - ASSESSOR JURÍDICO 0 ASSESSOR JURÍDICO 10 857 85,70 5 - ANALISTA AMBIENTAL - LABORATÓRIO 8 BACH. OU LIC. EM CIÊNCIAS (BIOLÓGICAS, AMBIENTAIS, NATURAIS) OU 2 37 18,50 LIC. EM BIOLOGIA 9

Leia mais

NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS

NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS NORMA OPERACIONAL DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NOB/SUAS 2.5 Condições de Habilitação e Desabilitação dos Municípios I. Da Habilitação Para habilitação dos municípios nos níveis de gestão definidos

Leia mais

FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO

FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO iniciativa CENTROS DE EXCELÊNCIA :: iniciativa :: gestão :: financiamento ÍNDICE NOTAS EXPLICATIVAS PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PRÉ-PROJECTO 3 I - INFORMAÇÃO GERAL 5 1.

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas Projeto Curricular de Escola Ensino Secundário - 2011 / 2012. Projeto Curricular. do Ensino Secundário

Escola Básica e Secundária de Velas Projeto Curricular de Escola Ensino Secundário - 2011 / 2012. Projeto Curricular. do Ensino Secundário Projeto Curricular do Ensino Secundário Ano Letivo 2011/2012 1 1- Introdução De acordo com o Decreto -Lei n.º 74/ 2004, de 26 de março, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei nº 24/2006, de 6

Leia mais

CARGO 1: TÉCNICO EM GESTÃO DE INOVAÇÃO ÁREA: ADMINISTRAÇÃO TIPO A CARGO 2: TÉCNICO EM GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E

CARGO 1: TÉCNICO EM GESTÃO DE INOVAÇÃO ÁREA: ADMINISTRAÇÃO TIPO A CARGO 2: TÉCNICO EM GESTÃO DE DESENVOLVIMENTO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E Agenda I 12 e 13/5/2008 Período provável para entrega dos documentos referentes à avaliação de títulos (para cargos de nível superior) e para a entrega dos documentos necessários à comprovação de idade

Leia mais

Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%)

Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%) 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 30/12/1943 - Distância da capital: 71 km - Área: 240 Km 2 - Localização Mesorregião: Agreste Potiguar Microrregião: Agreste Potiguar - População: 14.483 (IBGE/2007)

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE PÚBLICA Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE PÚBLICA Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular CONTABILIDADE PÚBLICA Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Contabilidade 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

no Estado do Rio de Janeiro

no Estado do Rio de Janeiro MICROEMPREENDEDORES FORMAIS E INFORMAIS NOTA CONJUNTURAL DEZEMBRO DE 2013 Nº27 no Estado do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL DEZEMBRO DE 2013 Nº27 PANORAMA GERAL De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO. Versão 1.0 Dezembro 2015

PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO. Versão 1.0 Dezembro 2015 PROCEDIMENTO PARA A QUALIFICAÇÃO DE VERIFICADOR DE PÓS-AVALIAÇÃO Versão 1.0 Dezembro 2015 Índice 1. Objetivo... 2 2. Campo de aplicação... 2 3. Documentos de referência... 2 4. Qualificação de verificadores

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 142/2011 de 11 de Novembro de 2011

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 142/2011 de 11 de Novembro de 2011 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 142/2011 de 11 de Novembro de 2011 A promoção da acessibilidade constitui um direito consagrado constitucionalmente, uma vez que é condição

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PARANÁ

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PARANÁ Processo n.º : 126369/13-TC Origem : SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO DE SÃO JERÔNIMO DA SERRA Assunto : PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2012 Instrução n.º : 4005/13 - DCM - CONTRADITÓRIO

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 2.270, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Institui vantagens e altera a Lei Complementar n. 84, de 28 de fevereiro de 2000, que trata do Plano de Carreira, Cargos e Remuneração para os servidores públicos da

Leia mais

Pág. 1 de 48 MAPA DE PESSOAL 2015 - TURISMO DE PORTUGAL - 1ª ALTERAÇÃO LISTA DE ATIVIDADES/PROCEDIMENTOS E POSTOS DE TRABALHO NECESSÁRIOS*

Pág. 1 de 48 MAPA DE PESSOAL 2015 - TURISMO DE PORTUGAL - 1ª ALTERAÇÃO LISTA DE ATIVIDADES/PROCEDIMENTOS E POSTOS DE TRABALHO NECESSÁRIOS* MAPA DE PESSOAL 2015 - TURISMO DE PORTUGAL - 1ª ALTERAÇÃO LISTA DE ATIVIDADES/PROCEDIMENTOS E POSTOS DE TRABALHO NECESSÁRIOS* existentes 1ª Alteração Funções Dirigente superiores 1 1 Presidente Conselho

Leia mais

Embaixada de Portugal Tripoli

Embaixada de Portugal Tripoli ANEXO I AVISO DE ABERTURA Concurso Externo para o recrutamento de 1 (um) lugar de ASSISTENTE ADMINISTRATIVO do Quadro Único de Contratação dos Serviços Externos do Ministério dos Negócios Estrangeiros,

Leia mais

1. Ingresso na Carreira Docente 1.1. Prova de Ingresso

1. Ingresso na Carreira Docente 1.1. Prova de Ingresso PROPOSTAS DO M.E. O Ministério da Educação (ME) tem vindo, no âmbito do processo negocial que se iniciou em Março, a apresentar um conjunto de propostas às organizações sindicais representativas dos docentes.

Leia mais

EDITAL N.º: 002/2014/RM

EDITAL N.º: 002/2014/RM EDITAL N.º: 002/2014/RM A DIRETORA DO INSTITUTO RONDON MINAS, no uso de suas atribuições legais e de acordo com as disposições da legislação em vigor, faz saber que estarão abertas as inscrições para o

Leia mais

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015 SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estatística e Indicadores De acordo

Leia mais

Desigualdade de gênero nos bancos

Desigualdade de gênero nos bancos Novembro de 2013 Desigualdade de gênero nos bancos APRESENTAÇÃO De acordo com os dados mais atuais da Relação Anual de Informações Sociais 2012 (RAIS), o setor bancário brasileiro tinha, em dezembro daquele

Leia mais

Guia Prático Redução de taxa contributiva Apoio à contratação a termo de trabalhadores mais velhos e públicos específicos

Guia Prático Redução de taxa contributiva Apoio à contratação a termo de trabalhadores mais velhos e públicos específicos GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA APOIO À CONTRATAÇÃO A TERMO DE TRABALHADORES MAIS VELHOS E PÚBLICOS ESPECÍFICOS INSTITUTO DA

Leia mais

ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE CLASSE DESCENTRALIZADA E.E. EMÍLIO ROMI

ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE CLASSE DESCENTRALIZADA E.E. EMÍLIO ROMI ETEC PROF. DR. JOSÉ DAGNONI SANTA BÁRBARA D OESTE CLASSE DESCENTRALIZADA E.E. EMÍLIO ROMI AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO

Leia mais

Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE -

Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE - Boletim eletrônico trimestral sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho a partir dos dados da - Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE - Elaboração: (SPM), Fundo de Desenvolvimento das Nações

Leia mais

Lei de Bases do Sistema Educativo. Alteração Lei nº 113 /V/99

Lei de Bases do Sistema Educativo. Alteração Lei nº 113 /V/99 Lei de Bases do Sistema Educativo Alteração Lei nº 113 /V/99 Lei nº 113 /V/99 de 18 de Outubro Por mandato do Povo, a Assembleia Nacional decreta nos termos da alínea d) do nº 2 do artigo 187º da Constituição,

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 154 10 de Agosto de 2010 42925

Diário da República, 2.ª série N.º 154 10 de Agosto de 2010 42925 Diário da República, 2.ª série N.º 154 10 de Agosto de 2010 42925 CV: classificação curricular (currículo académico, científico, técnico C: classificação final. Haverá lugar a entrevista quando forem necessários

Leia mais

DGAE-Direção-Geral da Administração Escolar SESSÕES TEMÁTICAS. Pessoal Docente. Avaliação do Desempenho Progressão na Carreira

DGAE-Direção-Geral da Administração Escolar SESSÕES TEMÁTICAS. Pessoal Docente. Avaliação do Desempenho Progressão na Carreira SESSÕES TEMÁTICAS Pessoal Docente Avaliação do Desempenho Progressão na Carreira maio e junho de 2015 CICLO AVALIATIVO Docentes de carreira o ciclo inicia-se na data correspondente ao momento da sua última

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS Balanço e próximos passos 1 de dezembro de 2015

CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS Balanço e próximos passos 1 de dezembro de 2015 1 de dezembro de 2015 1.Caraterísticas e objetivos dos CTeSP 2.Fases de registo de cursos 3.Ações de divulgação 4.Cursos registados em números 5.Próximos passos 1. Caraterísticas e objetivos Interação

Leia mais

Universidades instituto público VS Universidades fundação

Universidades instituto público VS Universidades fundação Universidades instituto público VS Universidades fundação O Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior (Lei 62/2007 de 10 de Setembro) prevê no seu Capítulo VI (art. 129º e segs.) a possibilidade

Leia mais

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 13 de maio de 2016. Série. Número 88

JORNAL OFICIAL. 2.º Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 13 de maio de 2016. Série. Número 88 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 13 de maio de 2016 Série 2.º Suplemento Sumário SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO Despacho n.º 204/2016 Nomeia, em regime de comissão de serviço por

Leia mais

DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE EMPREGO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE ORIENTAÇÃO E COLOCAÇÃO DIREÇÃO, I.P.

DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE EMPREGO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE ORIENTAÇÃO E COLOCAÇÃO DIREÇÃO, I.P. DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE EMPREGO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE ORIENTAÇÃO E COLOCAÇÃO DIREÇÃO, I.P. Assistente Operacional (m/f) - Contrato de Trabalho a Termo

Leia mais

o Aluno : qualquer aluno do 3 o ano do MIEI que se encontre nas condições expressas neste documento para inscrição na disciplina;

o Aluno : qualquer aluno do 3 o ano do MIEI que se encontre nas condições expressas neste documento para inscrição na disciplina; Normas de Funcionamento da Disciplina Actividade Prática de Desenvolvimento Curricular Vertente de Estágio Mestrado Integrado em Engenharia Informática Preâmbulo Este documento destina-se a regulamentar

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Betim, MG 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 346,8 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 378089 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Anexo A Estrutura de intervenção

Anexo A Estrutura de intervenção Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização,

GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização, LIDERANÇA E PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DAS IPSS Cuidamos do Futuro do Envelhecimento em Portugal GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os

Leia mais

Denis Alcides Rezende Educação e Consultoria em Informação e Estratégia - 55 (41) 9974.1168-9D Consultoria

Denis Alcides Rezende Educação e Consultoria em Informação e Estratégia  - 55 (41) 9974.1168-9D Consultoria Denis Alcides Rezende Educação e Consultoria em Informação e Estratégia www.denisalcidesrezende.com.br - 55 (41) 9974.1168-9D Consultoria Funções Organizacionais Privadas ou Públicas As macroatividades

Leia mais

O Envelhecimento em Portugal

O Envelhecimento em Portugal O Envelhecimento em Portugal Situação demográfica e sócio-económica recente das pessoas idosas I. Enquadramento geral As expressões sublinhadas encontram-se explicadas no final do texto Consideram-se pessoas

Leia mais

REGIME JURÍDICO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

REGIME JURÍDICO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO REGIME JURÍDICO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Pela Lei nº 3/2014* de 28 de Janeiro (em vigor desde 27 de Fevereiro), foi alterado o regime jurídico da promoção e prevenção da segurança e da saúde no

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVO QREN. Carlos Castro

SISTEMAS DE INCENTIVO QREN. Carlos Castro SISTEMAS DE INCENTIVO QREN Carlos Castro SISTEMAS DE INCENTIVOS QREN Destinatários Empresas De qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica Associações Empresariais Entidades do Sistema Científico e

Leia mais

DISPONIBILIZAÇÃO DE VAGAS PARA FORMAÇÃO SUPERIOR EM CABO VERDE DESTINADA À DIÁSPORA Ano lectivo 2012/ 2013

DISPONIBILIZAÇÃO DE VAGAS PARA FORMAÇÃO SUPERIOR EM CABO VERDE DESTINADA À DIÁSPORA Ano lectivo 2012/ 2013 DISPONIBILIZAÇÃO DE VAGAS PARA FORMAÇÃO SUPERIOR EM CABO VERDE DESTINADA À DIÁSPORA Ano lectivo 2012/ 2013 I. INSTITUTO UNIVERSITÁRIO DE EDUCAÇÃO O antigo IP Instituto Pedagógico evoluiu para uma Instituição

Leia mais

Vagas de Estágio (26.05.2015)

Vagas de Estágio (26.05.2015) Vagas de Estágio (26.05.2015) Polivalente de Manutenção Designer de Interiores Assistente Engenheiro projetista / Desenhador / Orçamentista Engenheiro / Técnico de Ajudas à Navegação e Monitorização Marítima

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 562. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 562. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte LEI COMPLEMENTAR Nº 562 Altera dispositivos da Lei Complementar n.º 245, de 27.6.2002, que dispõe sobre o Plano de Cargos e Salários do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo -

Leia mais

ANTONIO MARTINS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

ANTONIO MARTINS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 08/05/1963 - Distância da capital: 357 km - Área: 245 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Umarizal - População: 6.997 (IBGE/2007) - Número

Leia mais

Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6

Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em 2000. 1 Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6 Anexo G Cursos de Doutoramento em TSI - Situação em 2000 Adaptado de: http://www.desup.min-edu.pt/posgrad.htm Índice 1 Ensino Superior Público...g.2 2 Ensino Superior Particular e Cooperativo...g.6 Ordenação

Leia mais

BALANÇO SOCIAL

BALANÇO SOCIAL BALANÇO SOCIAL 205 Índice Índice... 2 Introdução.... Organograma... 4 2. Aspetos a salientar... 5. Caracterização dos efetivos/movimentação de recursos humanos... 5 4. Trabalhadores Segundo o Género, Estrutura

Leia mais

Governo do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

Governo do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO Governo do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Educação CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO COMISSÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PROCESSO Nº: E-03/100.071/2010 INTERESSADO: COLÉGIO REALENGO PARECER CEE

Leia mais

DECRETO Nº 707 DE 11 DE MARÇO DE 2013

DECRETO Nº 707 DE 11 DE MARÇO DE 2013 DECRETO Nº 707 DE 11 DE MARÇO DE 2013 Estabelece a Estrutura Organizacional Básica da Secretaria Municipal de Saúde SEMSA. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO, Capital do Estado do Acre, no uso das atribuições

Leia mais

Maio 2004. São Paulo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Maio 2004. São Paulo. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Maio 2004 Região Metropolitana de São Paulo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 1 I) INTRODUÇÃO PESQUISA MENSAL DE EMPREGO ESTIMATIVAS PARA O MÊS DE MAIO DE

Leia mais

Vale Inovação. Dezembro de 2011. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME)

Vale Inovação. Dezembro de 2011. Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) 1 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) Projecto Simplificado de Inovação Dezembro de 2011 2 Enquadramento: Apoiar de forma simplificada a aquisição de

Leia mais

O diferencial digital nas utilizações da Internet. Mariana Almeida Ricardo Travassos Sílvia Santos

O diferencial digital nas utilizações da Internet. Mariana Almeida Ricardo Travassos Sílvia Santos O diferencial digital nas utilizações da Internet Mariana Almeida Ricardo Travassos Sílvia Santos Plano de trabalho Revisão de literatura Metodologia em ciências sociais Formulação das hipóteses de trabalho

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia REGULAMENTO D0 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE DOUTOR EM ENGENHARIA MECÂNICA Artigo 1.º Adequação/ Criação A Universidade da Beira Interior, através do, confere o grau de Doutor em Engenharia

Leia mais

REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE

REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE (aprovado em reunião de CTC de 2014/10/15) Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto ISCAP/IPP CAPITULO I Disposições gerais Artigo

Leia mais

Adaptação dos Cursos de Engenharia Civil e de Engenharia do Território do IST à Declaração de Bolonha

Adaptação dos Cursos de Engenharia Civil e de Engenharia do Território do IST à Declaração de Bolonha Instituto Superior Técnico Departamento de Engenharia Civil e Arquitectura Adaptação dos Cursos de Engenharia Civil e de Engenharia do Território do IST à Declaração de Bolonha Proposta de Opções Estruturais

Leia mais

3º Trabalho de GI Análise DFD

3º Trabalho de GI Análise DFD 3º Trabalho de GI Análise DFD Problemas típicos da organização Diálogo com o exterior Mestrado de Gestão da Ciência, Tecnologia e Inovação 2000/2001 Cadeira : Prof.: GI-Gestão da Informação Luis Manuel

Leia mais

EDITAL Nº 05 /2012/REITORIA/IFTO, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012.

EDITAL Nº 05 /2012/REITORIA/IFTO, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012. EDITAL Nº 05 /2012//IFTO, DE 13 DE FEVEREIRO DE 2012. SELEÇÃO DE TUTORES DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - BOLSISTAS DO PROGRAMA DA REDE E-TEC BRASIL CAMPUS PARAÍSO DO TOCANTINS RETIFICAÇÃO Nº 01 O REITOR DO INSTITUTO

Leia mais

( ) Professor Educação Infantil: Formação Completa em Pedagogia ou Curso Normal Superior com Habilitação em Educação Infantil.

( ) Professor Educação Infantil: Formação Completa em Pedagogia ou Curso Normal Superior com Habilitação em Educação Infantil. Check List para entrega de documentos Obs: trazer os documentos na ordem que segue abaixo FOTOCÓPIAS: ( ) Comprovação da idade mínima de 18 (dezoito) anos completados até a data de nomeação; ( ) (2) Cópias

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA ANO LECTIVO 2009/2010 DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, GESTÃO E ENGENHARIA INDUSTRIAL Prof. Joaquim Carlos Pinho (Universidade de Aveiro) Prof. Lucia Lima (Universidade

Leia mais

O desemprego dos diplomados da Universidade do Minho

O desemprego dos diplomados da Universidade do Minho O desemprego dos diplomados da Universidade do Minho Situação em junho de 2011 Trabalho realizado por: Elisabete Pacheco e Isabel Santos Serviços para a Garantia da Qualidade Miguel Portela, Carla Sá e

Leia mais

INQUÉRITO À INSERÇÃO NA VIDA ACTIVA AOS EX-FORMANDOS DE CURSOS QUALIFICANTES

INQUÉRITO À INSERÇÃO NA VIDA ACTIVA AOS EX-FORMANDOS DE CURSOS QUALIFICANTES REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA SECRETARIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL INQUÉRITO À INSERÇÃO NA VIDA ACTIVA AOS EX-FORMANDOS DE CURSOS QUALIFICANTES 2002 SÍNTESE DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Avaliação Qualitativa de Políticas Públicas

Avaliação Qualitativa de Políticas Públicas RECEBIDO EM: / / PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO IV CURSOS DE EXTENSÃO N o TÍTULO DO CURSO Avaliação Qualitativa de Políticas Públicas PROPONENTE IDENTIFICAÇÃO DO RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Nome: João Victor

Leia mais

Análise sobre a participação de negras e negros no sistema científico

Análise sobre a participação de negras e negros no sistema científico Análise sobre a participação de negras e negros no sistema científico Isabel Tavares 1 Maria Lúcia de Santana Braga 2 Betina Stefanello Lima 3 Em 213, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico

Leia mais

Constituem ainda elementos indicadores da qualificação, em termos substanciais, de uma locação como financeira,

Constituem ainda elementos indicadores da qualificação, em termos substanciais, de uma locação como financeira, ÍNDICE 1. NCRF 9 2. Regime Contabilístico 3. Regime Fiscal 4. IVA 5. Quadro Resumo 6. Exemplos 1. NORMA CONTABILÍSTICA E DE RELATO FINANCEIRO ( NCRF ) 9 Na sequência da publicação do Decreto-Lei n.º 158/2009,

Leia mais