O DESAFIO DO BTG 1 I O BANCO DE ANDRE ESTEVES ENFRENTA UMA SERIE DE PROBLEMAS COM I

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O DESAFIO DO BTG 1 I O BANCO DE ANDRE ESTEVES ENFRENTA UMA SERIE DE PROBLEMAS COM I"

Transcrição

1 _.=:::::::~-::::::: ~~------~--~:--~ ~ :;::::::::::::::::::::::.:::::::=.::::::::::=.--- ~ = ~-:::;:-::.::-:::::::::::::::=:!=:;::=-~, ;7-,J I NSPIRAÇÃO PARA INOVAR ~ O DESAFIO DO BTG 1 I O BANCO DE ANDRE ESTEVES ENFRENTA UMA SERIE DE PROBLEMAS COM I EMPRESAS DE SEU PORTFOLIO, COMO SETE BRASIL, BRASIL PHARMA, LEADER, I ENEVA, PETRO AFRICA... DE QUE FORMA ISSO PODE AFETAR OS RESULTADOS DO GRUPO -E O QUE FAZER PARA NÃO COMETER OS MESMOS ERROS NO FUTURO! 1 l UMA FÁBULA ORl,ENTAL ZHOU Q.UNFEI A EX-OPERARIA QUE SE TORNOlf A MULHER MAIS RICA DA CHINA * * O MACHISMO ENTf}E l;;llts POR QUE AS MULHERES NAO TEM VEZ NO TOPO DAS EMPRESAS DE TI '! 1 J 1 ) 1! ' J J '! 4 www. e poc a n eg oc i os.com. b r

2 --- OS FRUTOS DA LAVA JATO De um lado, investidores se movimentam para ocupar o espaço deixado pelas empresas envolvidas na operação da PF. De outro, companhias organizam programas gigantescos de integridade corporativa para manter a policia distante. Surgirá daí um país melhor? I CRISTIANE BARBIERI

3 DILEMA S C ORRUPÇÃO ' DESDE O CARNAVAL, EDUARDO BARELLA, PRESIDENTE DO GRUPO PROGE_N, VEM TENDO REUNIOES SEMANAIS COM FUNDOS DE INVESTIMENTO. ALGUNS CONTRATARAM A EMPRESA DE ENGENHARIA DE PROJETOS PARA AVALIAR ATIVOS COLOCADOS À VENDA em decorrência da Operação Lava Jato. Outros querem negociar para que, caso as aquisições sejam concretizadas, a Progen se torne a sócia operacional dessas obras e concessões. "Tem muita conversa em curso", diz Barella. A Progen não está sozinha nesse movimento. Se, num primeiro momento, houve uma paralisação na economia e nos negócios, em função das grandes operações da Polícia Federal, sobretudo da Lava Jato, agora a máquina está voltando a rodar. De um lado, há fundos e empresas agindo para ocupar espaços e avançar sobre ativos de quem está em dificuldades. De outro, há uma corrida inédita de companhias de todos os tamanhos e setores, para evitar problemas com a polícia e a Justiça. O denominador comum dessa movimentação foi a Lava Jato, seguida de mais 30 operações menos famosas da Polícia Federal em cima de empresas, no último ano. As investigações contra desvios de recursos públicos e crimes financeiros, antes periféricas na PF, representaram 22% de suas atividades, em O número dessas operações passou de 147, entre e 2010, para 281, nos quatro anos seguintes, um crescimento de 91%. Com tendência de alta. Como se sabe, a Zelotes, que envolve corrupção, sonegação e mais de 70 grandes companhias, realizada em 2015, pode ter um volume de desvios de dinheiro duas vezes superior ao da Lava Jato. Há ainda investigações envolvendo CEF, estatais do setor elétrico e outras por vir. "Na verdade, temos tido a impressão de que vai faltar polícia, vai faltar Judiciário e até mesmo advogado criminalista", diz Fabyola En Rodrigues, sócia da Demarest Advogados. HORA DA BARGANHA Numa ponta desse quebra-cabeças, estão as companhias que, asfixiadas pela impossibilidade de acessar o mercado financeiro, colocaram ativos à venda. Grandes construtoras, como OAS, Engevix, Galvão e UTC, precisam fazer caixa e levru an1 ao mercado negócios nos quais haviam entrado como forma de diversificação (leia quadro à pag. 119). Na outra ponta, estão as construtoras médias. Sem receber das gigantes que as contratavam como prestadoras de serviços, nem tendo reconhecidos os aditivos pleiteados junto à Petrobras, elas também entraram em crise. Várias pediram recuperação judicial e agora procuram investidores. Há ainda os ativos que a própria Petrobras deve colocar à venda, como sua participação na Braskem e em blocos do pré-sal. O jogo, nesse momento, pru ece favorável ao comprador. "Olhamos muita coisa da Lava Jato e gastamos muito tempo na Invepar", diz o sócio de um dos maiores fundos estrangeiros de priva.te equity presentes no país. "Mas vemos dois desafios: um é o preço e o outro é a insegurança jurídica." Segundo ele, os fundos de pensão sócios da Invepar, por exemplo, avaliam as concessões que detêm entre R$ 11 bilhões e R$ 12 bilhões. As propostas colocadas pelos investidores na mesa da OAS, controladora da Invepar, foram de, no máximo, R$ 1,5 bilhão. "Eles terão de fazer uma forte marcação a mercado [atualizar o preço ao que o negócio vale no momento presente] sobre esses ativos'', diz. Já a insegurança jurídica apontada diz respeito a não haver precedentes sobre as consequências às empresas condenadas. "As multas a uma empresa que cometeu atos lesivos na lei anticorrupção podem atingir controladores, controladas e coligadas, numa eventual ll6 / ÉPOCA NEGÓCIOS I MAIO 2015 Foto: FABIANO ACCORSI MAIO 2015 / ÉPOCA NEGÓCIOS / ll7

4 DILE M AS C ORRUP ÇÃO condenação", diz Claudia Ele na Bonelli, sócia da TozziniFreire Advogados. "A compra e venda desses ativos nem de longe pode ser analisada como uma fusão e aquisição comum, se a empresa não estiver em recuperação judicial." Segundo o executivo do fundo dé private equity, porém, a segurança inexiste mesmo se ela estiver em recuperação. "Avaliamos que a única maneira de blindar contra possíveis condenações e passivos é se a venda for feita por meio de leilão público", diz ele. Outro receio é com a possibilidade de que a empresa adquirida seja considerada inidônea - e perca o setor público como cliente. Só que boa parte dos negócios à venda são sólidos, operacionalmente bem estruturados e, em alguns casos, têm geração de receita futura contratada. "Os investidores estão procurando cavalos encilhados, para se tornar consolidadores das indústrias", afirma Thiago Sandim, sócio do Demarest Advogados. "A abertura do jogo de xadrez é agora." Assim como a Progen de Barella, vários outros escritórios de engenharia, muitos dos quais estrangeiros, estão se posicionando para avançar no mercado. Apresentam-se como especialistas em projetos - e é justamente a falta deles que deixa aberta a porta para a corrupção. O governo licitou muitas obras com base apenas em estudos de viabilidade, a etapa inicial de uma construção. Num estudo de viabilidade, o grau de aproximação do custo final da obra é de 40%: um projeto de R$ 1 bilhão pode custar R$ 1,4 bilhão ou R$ 600 milhões. Conforme eles avançam em detalhamentos, até chegar no projeto executivo, a precisão sobe para 5% de margem de erro. Sem ter clareza sobre o custo de ulna obra ou se ela seria viável do ponto de vista econômico, os pedidos de aditivos contratuais explodiram e se tornaram um dos principais caminhos para o desvio de verbas. "Quanto mais incertezas numa obra, melhor para a construtora", diz Barella. "É preciso sair desse cenário e levar o país a um outro patamar, pelo planejamento." Em obras com a iniciativa privada, Barella trabalha com custos abertos e tem parte dos ganhos atrelada sobre a economia conseguida para seus clientes. AS MÉDIAS DERAM CONTA Só há uma concessão operada or empresas de médio porte no p Is: os 437 quilômetros da BR-050 entre Goiás e Minas Gerais. Em janeiro de 2014, quando o consórcio Planalto venceu a licitação, houve uma grita geral das grandes construtoras: ele não teria habllldade, capacidade, recursos ou conhecimento técnico para levar adiante as obras. De lá para cá, a MGO Rodovias, como foi rebatizada, cumpriu as determinações estabelecidas, conseguiu empréstimos e teve o aval da ANTT para começar a cobrar pedágio, no mlls passado. "O primeiro ano de trabalho é dlflcll porque os contratos são multo exigentes'', diz Helvécio Soares, presidente da MGO. "É preciso preparar ambulãnclas, médicos, guinchos, obras e ter o pessoal treinado em seis meses." Para chegar lá, a MGO colocou pessoas experientes na direção. Apesar de pagar mais caro pelos empréstimos, não houve estouro no orçamento. É exatamente o oposto do que acontece nas concorrências públicas. Mais da metade dos estudos para a área de ferrovias do Programa de Investimento em Logística (PIL), lançado pelo governo em 2013, por exemplo, foram feitos pela Progen. "Após sua conclusão, sugeri ao governo que começásse ~n os a fazer os projetos imediatamente, para descobrir quais trechos eram viáveis", diz Barella. "Me foi dito que eles preferiam ir direto para o mercado e passar o risco ao construtor. Só que não dá para construir 12 mil quilômetros de rodovias apenas com estudos, porque a construtora vai multiplicar o preço por sete, oito vezes!" Em outras palavras, como o interesse da construtora é maximizar seus ganhos, aumentando o custo da obra, ela o fará. No caso das ferrovias, o projeto detalhado não foi feito, não se desenvolveu o modelo econômico e o setor continua parado. LICITADAS COM RASCUNHOS A té mesmo as construtoras de médio porte - as candidatas mais fortes a ocupar o espaço das grandes - concordam com essa visão. "Obras são licitadas com rascunho de um projeto básico", diz Carlos Eduardo Lima Jorge, presidente da comissão de obras públicas da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Constrnção). A expectativa é que na atualização da lei de concessões, prevista para acontecer em setembro, só sejam permitidas concorrências em obras que tenham projetos executivos detalhados. De todo modo, as construtoras médias estão em plena operação para avançar no espaço aberto pelas grandes. O governo precisa de uma agenda positiva e tenta atrair novas empresas à área. Assim, as entidades setoriais têm conversado com interlocutores do primeiro escalão, como os ministros Nelson Barbosa e Gilberto Kassab, e a presidente da Caixa, Miriam Belchior. No início de maio, o grupo deve apresentar a Barbosa e Joaquim Levy, da Fazenda, um estudo e modelagem jurídica sobre mudanças na lei de concessões, para permitir às construtoras médias assumir a tarefa. Feito pela GO Associados, consultoria do ex-secretário do Ministério da Fazenda Gesner Oliveira, o estudo modulou os projetos, redefmiu taxas de retorno, previu o estímulo à emissão de debêntures de infraesb utura e a project finances - o sistema em que os fluxos de caixa futuros saldam os financiamentos. A pergunta que Lima Jorge diz mais respon dei~ em sua interlocução com o governo, é "o que impedirá as constrntoras médias de se tornarem novos monstros gigantescos e corruptores?". Ele responde: "O que garante isso é o novo Brasil. Os instrumentos de controle avançaram muito, há novos sistemas de compliance, a lei anticorrupção, a pressão das ruas. Não é possível criar um novo clube das empreiteiras, como foi feito no passado". HORA EXTRA São exatamente as mesmas razões pelas quais, nos escritórios de advocacia e nas consultorias, ninguém tenha morrido de tédio no último ano. Depois da Lava Jato, a demanda por trabalho aumentou 40% em algumas áreas e só não é maior porque a cr ise econômica tem segurado projetos. Nos grandes escritórios, criminalistas, tributaristas, especialistas em direito societár io, concorrencial e compliance têm se reunido NA PRATELEIRA EMPRESAS E PARTICIPAÇÕES À VENDA. EM FUNÇÃO DOS DESDOBRAMENTOS DA LAVA JATO 8!1!41 lnvepar (Aeroporto de Guarulhos, Concesslon6rlas Rio Teresópolls, Bahia Norte, t'~~,~~~~~a~ ~~~:~~=~1 1 ~a~~t~e~~~í~~:~~ ':1;-. ~~~~.'~.'~~. ~~~~~~.~ ~ ~~~.~~ ~.. /t~... 24,44 PARTICIPAÇÃO DA VENDEDORA, EM O/o... OAS Empreendimentos, ~.. ~.... ~~~: ~~'.~~:~~~ ~~~'.~~~~'.~:::::::::::::::::::::: :: ::: ::~:~:::::: : :::::::::: : ::::::: : :::::: OAS Oleo e Gás ). 61 ~~~ ~~~~~~ i)õ'... ~~~~~ ~~~ ~~ ~~~ ~ ~~~~; '1{)õ'.... ~~~~~ :~~~~~: ~~~~ ~:~~~~~ ::::::: : ::::::: : ::::::: : '.:~j:~:;t.: :: :~~ ::::::::::::::::::::::: : ::::::::: Aeroporto de Brasília/ (Engevlx) :~..:.'.:::..=. 500/o da lnframérlca, dona de 510/o do aeroporto de Brasília ;;~;~~;~~~!(~~~;~#i :::::::::::::::::::::::: ~ ~ : :t.::: :~;tt.#~~~~~#~~~:~#~~~~:~~ ~~~~. 1 ~. 1 ~~. ~~~~. 1 ~~.~.~ ~~~.~~~.'~ )..... ::,1... ;~~~~'~ ~~~~0~ ~!~~~~~~~~~~.. CAB Ambiental (Galvão Participações) ::!:. 66,58 ~~~~~~ ~~ ~~ ~;~~~~~ ~~ i~~~ ~~~~~ ~~~;~;...'jf;,t.... :::~ii:i~~~:~~i~::~~~~;i: em equipes multidisciplinares, para resolver as necessidades variadas de seus clientes. Há desde as negociações de aquisições e investimentos até a realização de auditorias que identificam riscos em atos passados das empresas e a criação de programas de integridade, estrnturas que tentam evitar práticas de corrupção. Sem contar, é claro, com a defesa dos envolvidos na Lava Jato e outras operações da PF. "Ligo a TV no jornal da manhã e espero para ver se algum cliente foi preso", diz Fabyola, da Demarest. "Na última fase da Lava Jato, fiquei esperando, pronta para ir para Curitiba. Não? Ninguém foi preso? Ufa!" 118 I ÉPOCA NEGÓCIOS / MAIO 2015 Foto: DIVULGAÇÃO M AIO 2015 f ÉPOCA NEGÓCIOS f 119

5 DILEMAS CORRUPÇÃO Não que seus clientes tenham cometido crimes, afirma. Nenhum deles está preso. É que tanto a Polícia Federal quanto a Justiça estão mais equipadas, preparadas e mudaram a força no uso da lei. "A aplicação da legislação é cada vez mais abrangente, para punir não quem pratica o fato, mas o autor intelectual", diz. Ela cita alguns exemplos. Até poucos anos atrás, uma ação criminal envolvendo prisões em empresas poderia c hega i~ no máximo, a um gerente de uma loja em que houvesse comida estragada, por exemplo. A detenção só acontecia após sentenças condenatórias transitadas em julgado, para penas acima de oito anos. "Hoje, as prisões cautelares são uma regra'', afirma Fabyola. "Quais são os critérios? Ter se reunido algumas vezes com algum dos delatores basta?" Com centenas de processos andando ao mesmo tempo, em diferentes fases e em muitas áreas, as incertezas para a defesa se tornam maiores. Ao mesmo tempo, as multas, previstas no Código Penal desde os anos 40, passaram a ser aplicadas com rigor e vontade. É um fato inédito. Se condenadas, as empresas também terão seu nome publicado no Cadastro Nacional das Empresas Punidas, da CGU, como hoje acontece com as associadas ao trabalho escravo. "É um cenário em que a empresa é pega no bolso, tem seu nome publicado na internet, colocado numa listagem negativa, seus executivos aparecem algemados na imprensa e ela não será mais contratada pelo poder público: fica totalmente engessada", diz Fabyola. "É um outro momento, em que o ganho fácil da corrupção é certamente exposto." Assim, dentro das corporações as mudanças também aceleraram. Têm A OAS colocou à venda a arena Fonte Nova (BA), a Linha Amarela e o metrô do Rio. A Petrobras também deve se desfazer de ativos, como sua participação na Braskem 120 f ÉPOCA NEGÓCIOS f MAIO 2015 Fotos: OFFSIDE/REX SHUTTERSTOCK: AG~NCIA O GLOBO; GABRIEL DE PAIVA; ADI LEITE/VALOR

6 DILEMAS CORRUPÇÃO NA FRIGIDEIRA ALGUMAS MUDANÇAS DE PROCEDIMENTO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS, NA ERA DOS GRANDES ESCÂNDALOS CORPORATIVOS BLINDAGEM INVESTIGAÇÃO EXECUTIVO PROTEÇÃO CAIXA-FORTE BONS MODOS OLHO LÁ FORA Implementação INTERNA ATIVISTA Aumentou Desde o estouro Estabelecimento Executivos têm de programas Empresas com As contratações a exigência da Lava Jato, de regras de acompanhado de Integridade, potencial de de direto res pas- dos diretores aumentou a conduta para de perto e com com regras de envolvimento em saram a exigir no- pord&os, os procura por encontros com preocupação as compliance, Investigações têm vas características seguros voltados proteção o setor público, Investigações auditorias, feito auditorias dos profissionais. à proteção do patrimonial dos tais como lugares feitas nos EUA adequados, ena Europa, treinamento de de compliance, São prioriza- patrimônio e controladores funcionários, canal com revisão dos executivos da defesa de de denúncias de contratos, que defendem executivos, caso e help desk. pagamentos, ativamente a pro- ele seja envolvido A demanda efetiva prestação pagação de boas numa Investigação tem partido da de serviços e atas práticas, da ética e diretoria de reuniões o estabelecimento de controles e processos rígidos de Integridade quantidade de participantes das reuniões, registros dos encontros em função da gravidade da punição das Leis Anticorrupção americana e Inglesa Fonte: Escritórios de advocacia sido feitas investigações internas gigantescas, para descobrir se processos, contratos, atas de reuniões e diretores, no passado, tinham as melhores práticas e se as prestações de serviços foram efetivamente feitas. Com relação ao futuro, todos os processos estão sendo revistos. Ou recriados, de modo a proteger os principais executivos, com direito a implantação de diretorias de compliance, canais de denúncia e muito treinamento para funcionários. "As palestras são gtavadas pelas empresas para serem distribuídas a novos funcionários, que têm de assinar um termo de ciência com a política de ética e conduta", diz Fernando Villela, sócio da Siqueira Castro Advogados. "O curioso é que, quando abrimos para perguntas e respostas, percebemos que há mesmo muitas dúvidas e práticas erradas por falta de informação." VALOR DA INTEGRIDADE Até mesmo o perfil dos executivos de alto escalão contratados tem mudado. Para ocupar o lugar dos que estão presos ou foram afastados, são priorizados aqueles que defendem fortemente a ética e as boas práticas. Eles, por sua vez, têm exigido seguros deresponsabilidade civil de administradores, os chamados D&Os, mais parrudos. "O executivo que assume uma diretoria está colocando o nome e a carreira em jogo e, com os riscos atuais, no mínimo precisa de uma apólice de seguro", diz Fabyola. Em alguns lugares, também aumentaram as ações para proteção ao patrimônio de sócios. Engana-se quem pensa que as novas práticas estão restritas apenas às empresas bilionárias. Um fabricante de produtos de beleza de médio porte, por exemplo, consultou a Siqueira Castro para saber se vender em grandes quantidades nos salões de beleza em favelas, recebendo geralmente em dinheiro, poderia ser considerado lavagem. "Não existem normas, mas as empresas estão se preocupando porque sua integridade tem um valor tão grande ou maior do que qualquer produto", afirma João Daniel Rossi, sócio do escritório. Para todos os entrevistados nesta reportagem, as mudanças acabarão tornando empresas - e o cenário brasileiro de modo geral - melhores, mais éticas e com práticas mais sustentáveis. Será? ~ 122 f ÉPOCA NEGÓCIOS f MAIO 2015

"FCPA e a Lei 12.846/2013 - Lei Anticorrupção" São Paulo, 05 de setembro de 2013. Fabyola Emilin Rodrigues Demarest Advogados

FCPA e a Lei 12.846/2013 - Lei Anticorrupção São Paulo, 05 de setembro de 2013. Fabyola Emilin Rodrigues Demarest Advogados "FCPA e a Lei 12.846/2013 - Lei Anticorrupção" São Paulo, 05 de setembro de 2013 Fabyola Emilin Rodrigues Demarest Advogados CORRUPÇÃO, O MALDOSÉCULO http://www.transparency.org/ http://g1.globo.com/economia/noticia/2012/12/ranking-do-indice-de-percepcao-da-corrupcao-no-mundo.html

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Somos um escritório jurídico que reúne especialistas nos mais diversos ramos do direito empresarial. Priorizamos a ética nas relações com os clientes e nos dedicamos muito ao

Leia mais

Lei anticorrupção não pega em empresas CLAUDIA ROLLI DE SÃO PAULO

Lei anticorrupção não pega em empresas CLAUDIA ROLLI DE SÃO PAULO Fonte: Folha de São Paullo Data: 15/12/2014 Seção: Mercado Versão: Impresso e Online Lei anticorrupção não pega em empresas CLAUDIA ROLLI DE SÃO PAULO Seis em cada dez empresas não estão preparadas para

Leia mais

Garrastazu Advogados

Garrastazu Advogados PROGRAMA DE INTEGRIDADE CORPORATIVA Garrastazu Advogados Constituída a partir de uma história profissional de trinta e cinco anos de experiência na advocacia, a Garrastazu Advogados foi criada em 1999

Leia mais

Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações. São Paulo, 22/09/15

Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações. São Paulo, 22/09/15 Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações São Paulo, 22/09/15 Nossa Agenda 1. Preocupações atuais no ambiente corporativo 2. Gestão de riscos e controles internos 3. Terceiros

Leia mais

LEI Nº 12.846/2013 A LEI ANTICORRUPÇÃO. S e m i n á r i o r e a l i z a d o n o F e l s b e r g A d v o g a d o s e m 0 5 / 0 2 / 2 0 1 4

LEI Nº 12.846/2013 A LEI ANTICORRUPÇÃO. S e m i n á r i o r e a l i z a d o n o F e l s b e r g A d v o g a d o s e m 0 5 / 0 2 / 2 0 1 4 LEI Nº 12.846/2013 A LEI ANTICORRUPÇÃO S e m i n á r i o r e a l i z a d o n o F e l s b e r g A d v o g a d o s e m 0 5 / 0 2 / 2 0 1 4 01. Introdução E v y M a r q u e s e v y m a r q u e s @ f e l s

Leia mais

Senise, Moraes & Maggi Sociedade de Advogados surgiu da união de advogados com diversos anos de experiência e sólida formação jurídica que perceberam

Senise, Moraes & Maggi Sociedade de Advogados surgiu da união de advogados com diversos anos de experiência e sólida formação jurídica que perceberam Senise, Moraes & Maggi Sociedade de Advogados surgiu da união de advogados com diversos anos de experiência e sólida formação jurídica que perceberam as necessidades dos clientes na realidade hipercomplexa

Leia mais

ponto Frio Ponto Frio (GLOB3 e GLOB4) faz parte do Grupo Pão de Açúcar desde 2009. Saiba qual é o futuro da empresa e se suas ações podem se valorizar

ponto Frio Ponto Frio (GLOB3 e GLOB4) faz parte do Grupo Pão de Açúcar desde 2009. Saiba qual é o futuro da empresa e se suas ações podem se valorizar pág. 08 DOUGLAS DUEK COMO AS EMPRESAS PODEM CHEGAR À BOLSA? pág. 12 TRENDS O QUE PODE ATRAPALHAR A BOLSA EM 2011 A REVISTA DO INVESTIDOR NA BOLSA ANO 3 MAR 11 #36 R$ 12,00 9 771982 835003 0 3 0 3 6 EXEMPLAR

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO [LEI NO. 12.846, DE 1º. DE AGOSTO DE 2013]

LEI ANTICORRUPÇÃO [LEI NO. 12.846, DE 1º. DE AGOSTO DE 2013] LEI ANTICORRUPÇÃO [LEI NO. 12.846, DE 1º. DE AGOSTO DE 2013] PROGRAMA DE COMPLIANCE E ACORDO DE LENIÊNCIA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BELO HORIZONTE BRASÍLIA SALVADOR www.scbf.com. br SUMÁRIO A Lei Anticorrupção

Leia mais

LEI 12.846 DECRETO 8.420

LEI 12.846 DECRETO 8.420 LEI ANTICORRUPÇÃO LEI 12.846 de 1º. de agosto de 2013 DECRETO 8.420 de 18 de março de 2015 Maria Luisa Pestana Guimarães Assessora Jurídica da CBIC PONTOS RELEVANTES 1. Aplicável nas três esferas do Poder:

Leia mais

Case study. A bailarina do Mensalão: notas sobre criminal compliance. Davi Tangerino. 2014 Trench, Rossi e Watanabe Advogados

Case study. A bailarina do Mensalão: notas sobre criminal compliance. Davi Tangerino. 2014 Trench, Rossi e Watanabe Advogados Case study A bailarina do Mensalão: notas sobre criminal compliance. Davi Tangerino 2014 Trench, Rossi e Watanabe Advogados Quebra de dever de compliance no Mensalão 1. Lavagem in a nutshell origem da

Leia mais

Lei 12.846 Anticorrupção CMI- SINDUSCON RJ - 09/09/14

Lei 12.846 Anticorrupção CMI- SINDUSCON RJ - 09/09/14 Lei 12.846 Anticorrupção CMI- SINDUSCON RJ - 09/09/14 Aprovada em agosto de 2013 Lei de âmbito Federal, entrou em Vigor em janeiro de 2014, prevendo punições para as empresas que cometerem atos de Corrupção

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA 13ª VARA FEDERAL CRIMINAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE CURITIBA, PARANÁ RÉU PRESO PROCEDIMENTO nº 5073475-13.2014.4.04.7000/PR GERSON DE MELLO ALMADA, já qualificado

Leia mais

AGEOS Associação Gaúcha de Obras de Saneamento. Giovani Agostini Saavedra Saavedra & Gottschefsky Advogados Associados

AGEOS Associação Gaúcha de Obras de Saneamento. Giovani Agostini Saavedra Saavedra & Gottschefsky Advogados Associados AGEOS Associação Gaúcha de Obras de Saneamento Giovani Agostini Saavedra Saavedra & Gottschefsky Advogados Associados Breve panorama sobre a nova Lei Anticorrupção Giovani Agostini Saavedra Contexto da

Leia mais

COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN

COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN COMO ENFRENTAR A INADIMPLÊNCIA NO SEGMENTO EDUCACIONAL SEGUNDO ESPECIALISTAS DA ACERPLAN - Treinar e capacitar os profissionais que cobram e atendem inadimplentes nas escolas; - Cadastrar os inadimplentes

Leia mais

P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia

P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia P.P.P. PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS O porque das Parcerias Público Privadas Impossibilidade de obtenção de recursos públicos A crise da economia causada pelo endividamento público Limitação provocada pela

Leia mais

Compliance e Legislação Tributária: Desafios para as empresas em 2015

Compliance e Legislação Tributária: Desafios para as empresas em 2015 Compliance e Legislação Tributária: Desafios para as empresas em 2015 Eduardo Nascimento (eduardo@morad.com.br) Antonio Carlos Morad (acmorad@morad.com.br) www.morad.com.br 2015 Outlook for Legal Issues

Leia mais

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC

Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Notas sobre o balanço de um ano do PAC Brasília, 22 de janeiro de 2008 NOTAS SOBRE O BALANÇO DE UM ANO DO PAC AVALIAÇÃO GERAL Pontos positivos e destaques: 1)

Leia mais

LEI 12.846/2013 (Lei Anticorrupção LAC)

LEI 12.846/2013 (Lei Anticorrupção LAC) 14 DE MARÇO DE 2014 LEI 12.846/2013 (Lei Anticorrupção LAC) FABIO VALGAS Chefe Regional Controladoria Regional da União no Estado do Rio de Janeiro Lei 12.846/2013 Lei Anticorrupção - LAC A Lei n.º 12.846/13

Leia mais

Valor Econômico 16/01/2015 Belo Monte tem risco de novo atraso

Valor Econômico 16/01/2015 Belo Monte tem risco de novo atraso Valor Econômico 16/01/2015 Belo Monte tem risco de novo atraso As consequências financeiras da operação Lava Jato, da Polícia Federal, para algumas construtoras aumentam o risco de não cumprimento do

Leia mais

Página 1 de 5 Atraídos pela crise, investidores chineses vêm com tudo para liquidação no Brasil Publicado 3 horas atrás Crédito: Pixabay Por Guilherme Pimenta São Paulo guilherme.pimenta@jota.info E Por

Leia mais

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE Resultados da 128ª Pesquisa CNT/MDA Brasília, 21/07/2015 A 128ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 12 a 16 de julho de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

Mesa-redonda "Governança Corporativa" - IFHC e Grant Thornton

Mesa-redonda Governança Corporativa - IFHC e Grant Thornton Mesa-redonda "Governança Corporativa" - IFHC e Grant Thornton Instituto Fernando Henrique Tópicos 1. Lei anticorrupção americana - pionera 2. Breve comparação entre leis 3. Tendencias globais Contexto

Leia mais

Infraestrutura no Brasil

Infraestrutura no Brasil www.pwc.com.br Infraestrutura no Brasil Como agregar valor e gerenciar a complexidade de ativos de capital, programas ou portfólios de médio a grande porte (greenfield ou brownfield). O contexto de infraestrutura

Leia mais

http://www.bovespa.com.br/investidor/juridico/070413nota.asp

http://www.bovespa.com.br/investidor/juridico/070413nota.asp Página 1 de 6 Página Inicial Legislação do Mercado Jurisprudência Tributação do Mercado Regulamentação da Bolsa Câmara de Arbitragem Notícias e Entrevistas Artigos Indicação de Leitura O Poder Judiciário

Leia mais

Veículo: Valor Online Data: 29/04/09

Veículo: Valor Online Data: 29/04/09 Veículo: Valor Online Data: 29/04/09 Cresce procura por gestores de risco Em tempos de crise, os gestores de risco estão sendo garimpados pelas empresas como pedras raras. Segundo a consultoria Michael

Leia mais

Brasil não pode emperrar pré-sal, diz presidente do World Petroleum Council Qua, 19 de Setembro de 2012 08:08

Brasil não pode emperrar pré-sal, diz presidente do World Petroleum Council Qua, 19 de Setembro de 2012 08:08 Dirigindo uma das principais entidades de petróleo do mundo, o World Petroleum Council, mas também presidente da brasileira Barra Energia, Renato Bertani acha que o Brasil não pode se dar ao luxo, como

Leia mais

COM A CORRUPÇÃO TODOS PAGAM CONTROLAR A CORRUPÇÃO FUNCIONA. ... assegurar a educação dos seus filhos. Os cidadãos vencem a corrupção

COM A CORRUPÇÃO TODOS PAGAM CONTROLAR A CORRUPÇÃO FUNCIONA. ... assegurar a educação dos seus filhos. Os cidadãos vencem a corrupção COM A CORRUPÇÃO TODOS PAGAM Você já parou para pensar sobre o dano que a corrupção faz ao país e à população? As sociedades onde há mais corrupção sofrem diversas formas de miséria. Cada país gera seu

Leia mais

Empresas recuperam em contratos até 39 vezes o valor doado a políticos Seg, 30 de Março de 2015 12:52

Empresas recuperam em contratos até 39 vezes o valor doado a políticos Seg, 30 de Março de 2015 12:52 É política de boa vizinhança. Evidentemente quando você apoia um partido ou um candidato, no futuro eles vão procurar ajudá-lo, afirmou o empresário Cristiano Kok, da empreiteira Engevix, em entrevista

Leia mais

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL A Engenharia Consultiva Nacional e a Construção da Infraestrutura Um breve diagnóstico O setor de infraestrutura apresenta aspectos distintos

Leia mais

CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI. Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL

CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI. Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL CONTADOR JOSE LUIZ VAILATTI Lei 12. 846/2013 LEI ANTI CORRUPÇÃO EMPRESARIAL Atender às exigências internacionais de combate a corrupção Estimular a prática do compliance. Ética corporativa na administração.

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2003

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2003 REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2003 (Da Sra. Edna Macedo) Solicita ao Sr. Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, no âmbito do Banco Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Ambiental. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Ambiental. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Ambiental Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Temos forte atuação na gestão de pleitos perante as agências ambientais e o Ministério

Leia mais

A Petrobras e as construtoras envolvidas na Opera~lo Lava Jato respondem por grande parte do investimento e do emprego no pais

A Petrobras e as construtoras envolvidas na Opera~lo Lava Jato respondem por grande parte do investimento e do emprego no pais Grandes dem ais para parar A Petrobras e as construtoras envolvidas na Opera~lo Lava Jato respondem por grande parte do investimento e do emprego no pais Marcelo Moura e Marcos Coronato U ma pneumonia

Leia mais

Este princípio se refere ao grau de exposição ao risco socioambiental das atividades e das operações de uma instituição.

Este princípio se refere ao grau de exposição ao risco socioambiental das atividades e das operações de uma instituição. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO Este Documento contém os aspectos a serem observados pelos administradores, colaboradores, prestadores de serviço, clientes e usuários dos produtos e serviços oferecidos pela Renascença

Leia mais

Cenário Mundial - Corrupção

Cenário Mundial - Corrupção Cenário Mundial - Corrupção Pesquisa aponta 10 práticas de corrupção comuns no dia a dia do brasileiro 1. Não dar nota fiscal 2. Não declarar Imposto de Renda 3. Tentar subornar o guarda 4. Falsificar

Leia mais

A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE. Agosto, 2014

A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE. Agosto, 2014 A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE Agosto, 2014 Lei Anticorrupção Brasileira: Lei 12.846/2013 Aspectos Gerais: Vigência: Entrou em vigor em 29/01/2014; Será regulamentada. Objetivo: Responsabilizar

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

Concessões e Parcerias: Ampliação das Oportunidades de Negócios

Concessões e Parcerias: Ampliação das Oportunidades de Negócios Concessões e Parcerias: Ampliação das Oportunidades de Negócios André Dabus 15/09/2015 Agenda Breve apresentação AD; Financiabilidade, Riscos e Garantias no Segmento de Infraestrutura; Identificação e

Leia mais

Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte. Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges

Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte. Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges Estrutura da apresentação A visão de Governança Corporativa e Compliance

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM CUSTOMER SUCCESS STORY Maio 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários: 182 (2012) Faturamento:

Leia mais

'Década perdida foi a da alta das commodities', diz economista de Cambridge

'Década perdida foi a da alta das commodities', diz economista de Cambridge 'Década perdida foi a da alta das commodities', diz economista de Cambridge José Gabriel Palma Veja, 16.1.2016, entrevista a Luís Lima Gabriel Palma, professor da universidade britânica, afirma que latino-

Leia mais

manual anticorrupção

manual anticorrupção manual anticorrupção ÍNDICE Introdução 4 Histórico 4 O Código de Conduta da Klabin 5 Por que um Manual Anticorrupção se já há um Código de Conduta? 5 Conceitos e Esclarecimentos 6 O que é corrupção? Práticas

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES 1. Introdução As tabelas a seguir apresentam os MACROPROCESSOS do BNDES, segregados por plataformas. As

Leia mais

BRASIL SALOMÃO E MATTHES ADVOCACIA

BRASIL SALOMÃO E MATTHES ADVOCACIA BRASIL SALOMÃO E MATTHES ADVOCACIA Fundação - 1.3.1969-46 anos Thiago Pena Advogado com atuação em contratos, societário e contencioso cível. 2º Panorama Econômico e Jurídico Painel Jurídico I Módulo:

Leia mais

FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO

FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO O Brasil vive momento determinante do seu futuro, em que a sociedade exige novos paradigmas nas relações comerciais entre o poder público e atores privados. Esse cenário

Leia mais

Nova Lei Anticorrupção Brasileira: Desafios e Oportunidades

Nova Lei Anticorrupção Brasileira: Desafios e Oportunidades Nova Lei Anticorrupção Brasileira: Desafios e Oportunidades Fernanda Fauze Carlos Advogada Trench, Rossi e Watanabe Advogados Agenda 1 Introdução 2 Contexto: Combate à Corrupção no Brasil Prisões por crimes

Leia mais

PENALIDADES E RESPONSABILIDADE DE TERCEIROS LEI Nº 12.846/13

PENALIDADES E RESPONSABILIDADE DE TERCEIROS LEI Nº 12.846/13 PENALIDADES E RESPONSABILIDADE DE TERCEIROS LEI Nº 12.846/13 21/02/2014 E v y M a r q u e s e v y m a r q u e s @ f e l s b e r g. c o m. b r 01. PENALIDADES Penalidades Esfera Administrativa Multa de

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE COMPLIANCE

QUESTIONÁRIO DE COMPLIANCE QUESTIONÁRIO DE COMPLIANCE O combate à corrupção é parte essencial na forma como a CPFL Energia conduz seus negócios. Este posicionamento é declarado no Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL

Leia mais

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Propostas para os candidatos Desde as eleições de 1994, a CNI apresenta à sociedade e aos candidatos sugestões para melhorar o desempenho da economia. Propostas

Leia mais

Regulação de Utilidades Públicas Avaliação & Gestão de Ativos Auditoria & Riscos SEPEF 2015

Regulação de Utilidades Públicas Avaliação & Gestão de Ativos Auditoria & Riscos SEPEF 2015 Regulação de Utilidades Públicas Avaliação & Gestão de Ativos Auditoria & Riscos SEPEF 2015 1 O que foi a MP579 11 de setembro de 2012 O dia que fez o setor parar Para entender a razão da MP 579 ter sido

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Comissão de Fiscalização Financeira e Controle CFFC

CÂMARA DOS DEPUTADOS Comissão de Fiscalização Financeira e Controle CFFC REQUERIMENTO Nº, DE 2013 (do Sr. Fernando Francishcini) Requer que seja convocado o Sr. Manoel Dias, Ministro de Estado do Trabalho e Emprego para expor acerca dos últimos acontecimentos naquele Ministério,

Leia mais

Compras de recebíveis, avaliações e consultoria INVESTIMENTOS EM RECEBÍVEIS. Liberte O VALOR DE SEUS RECEBÍVEIS

Compras de recebíveis, avaliações e consultoria INVESTIMENTOS EM RECEBÍVEIS. Liberte O VALOR DE SEUS RECEBÍVEIS Compras de recebíveis, avaliações e consultoria INVESTIMENTOS EM RECEBÍVEIS Liberte O VALOR DE SEUS RECEBÍVEIS INVESTIMENTOS EM RECEBÍVEIS Temos os recursos para financiar as maiores transações e examinamos

Leia mais

Slice Management. Controlando o que você não vê. Direto ao assunto

Slice Management. Controlando o que você não vê. Direto ao assunto Slice Management Controlando o que você não vê Direto ao assunto O Slice Management (SM) é uma prática de gerenciamento que consiste em colocar um sistema de inteligência em todas as áreas da empresa.

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO E PRÁTICAS DE COMPLIANCE PARA PESSOAS JURÍDICAS

LEI ANTICORRUPÇÃO E PRÁTICAS DE COMPLIANCE PARA PESSOAS JURÍDICAS LEI ANTICORRUPÇÃO E PRÁTICAS DE COMPLIANCE PARA PESSOAS JURÍDICAS Objeto da Lei n.º12.846, de 2013 A Lei Anticorrupção dispõe sobre: a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurídicas. pela

Leia mais

LATIN LAWYER 2 ND REGIONAL PROJECT FINANCE SUMMIT ANALISA AS NOVIDADES NOS FINANCIAMENTOS ESTRUTURADOS

LATIN LAWYER 2 ND REGIONAL PROJECT FINANCE SUMMIT ANALISA AS NOVIDADES NOS FINANCIAMENTOS ESTRUTURADOS Dezembro, 2014 NEWS 1. ESTRATÉGIA DE CRESCIMENTO DE EMPRESAS É DEBATIDA POR SÓCIOS DO SOUZA CESCON EM EVENTO PROMOVIDO PELA AMCHAM EM NOVA IORQUE 2. LATIN LAWYER 2 ND REGIONAL PROJECT FINANCE SUMMIT ANALISA

Leia mais

DEFESA DOS CARENTES "O que decidem no mensalão torna-se norte para juízes" Por Marcos de Vasconcellos

DEFESA DOS CARENTES O que decidem no mensalão torna-se norte para juízes Por Marcos de Vasconcellos Revista Consultor Jurídico, 14 de outubro de 2012 DEFESA DOS CARENTES "O que decidem no mensalão torna-se norte para juízes" Por Marcos de Vasconcellos Enquanto, na última semana, os ministros do Supremo

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O D I G I T A L

A P R E S E N T A Ç Ã O D I G I T A L APRESENTAÇÃO DIGITAL APRESENTAÇÃO Investimento contínuo em qualificação. Adequação às necessidades do cliente. Ética e Gestão Profissional. Esses são os principais pilares que nortearam a fundação do Escritório

Leia mais

DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS DESMISTIFICANDO AS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS UMA IMPORTANTE ALTERNATIVA PARA O AVANÇO DA INFRAESTRUTURA BRASILEIRA Daniel R. Figueiredo Especialista em Estruturação de Projetos de PPP e Concessões 26/08/2015

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

Programa de Compliance da CCEE

Programa de Compliance da CCEE Programa de Compliance da CCEE O que é compliance São processos e procedimentos adotados pela empresa visando detectar, prevenir e combater fraudes e infrações às leis e regulamentos, bem como assegurar

Leia mais

Por que abrir o capital?

Por que abrir o capital? Por que abrir capital? Por que abrir o capital? Vantagens e desafios de abrir o capital Roberto Faldini Fortaleza - Agosto de 2015 - PERFIL ABRASCA Associação Brasileira de Companhias Abertas associação

Leia mais

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA Por meio de um investimento estratégico de até R$314,7 milhões, a BNDESPAR ingressa no capital social da Renova Energia. Parceria de Longo Prazo A

Leia mais

HORA DE COMPRAR AÇÕES DA PETROBRAS?

HORA DE COMPRAR AÇÕES DA PETROBRAS? A reprodução indevida, não autorizada, deste relatório ou de qualquer parte dele sujeitará o infrator a multa de até 3 mil vezes o valor do relatório, à apreensão das cópias ilegais, à responsabilidade

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

RISCOS E FRAUDES CORPORATIVOS

RISCOS E FRAUDES CORPORATIVOS agenda 5ª Edição RISCOS E FRAUDES CORPORATIVOS Prevenção de Faudes Corporativas D 10 de Dezembro? Hotel Staybridge São Paulo W Mantenha os seus pertences à vista. A Corpbusiness não se responsabiliza por

Leia mais

Mitos e verdades sobre franquias. Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias

Mitos e verdades sobre franquias. Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias Mitos e verdades sobre franquias Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias Bem informado, o futuro franqueado terá maiores possibilidades de fazer um bom negócio Administrar uma

Leia mais

Um programa de compliance eficiente para atender a lei anticorrupção Lei 12.846/2013

Um programa de compliance eficiente para atender a lei anticorrupção Lei 12.846/2013 Um programa de compliance eficiente para atender a lei anticorrupção Lei 12.846/2013 FEBRABAN Arthur Lemos Jr Promotor de Justiça Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos Compliance A LEI PROVOCA

Leia mais

Seguro Garantia. Um novo nicho?? O que devemos saber para comercializar Evolução e Produtos. Brasília, 25 de Novembro de 2011.

Seguro Garantia. Um novo nicho?? O que devemos saber para comercializar Evolução e Produtos. Brasília, 25 de Novembro de 2011. Seguro Garantia Um novo nicho?? O que devemos saber para comercializar Evolução e Produtos Brasília, 25 de Novembro de 2011 Rogério Vergara Seguro Garantia Segurado Contrato Tomador Apólice Contragarantia

Leia mais

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI Prof. Fernando Rodrigues Quando se trabalha com projetos, é necessária a utilização de técnicas e ferramentas que nos auxiliem a estudálos, entendê-los e controlá-los.

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? ÉTICA

LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? ÉTICA LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? 10 REVISTA RI Abril 2014 Dois meses após a entrada em vigor da Lei de Combate à Corrupção (no 12.846), pesquisas de mercado

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS CUSTOMER SUCCESS STORY Junho 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários:

Leia mais

Governança Corporativa ao Alcance de Todos

Governança Corporativa ao Alcance de Todos Autor: Charles Holland* Governança Corporativa ao Alcance de Todos Segundo o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa IBGC, governança corporativa são as práticas e os relacionamentos entre acionistas/quotistas,

Leia mais

Energia Solar. Márcio Trannin Brasília, 28 de maio de 2015

Energia Solar. Márcio Trannin Brasília, 28 de maio de 2015 Energia Solar Márcio Trannin Brasília, 28 de maio de 2015 A Apine Perfil dos sócios geradores privados e concessionárias de geração PCHs e UHEs de médio e grande porte UTEs a biomassa, gás, carvão mineral

Leia mais

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens.

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens. Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios www.siemens.com/compliance "A cultura de uma empresa e seus valores fazem a diferença.

Leia mais

FANTÁSTICO E JORNAL NACIONAL DENUNCIAM ESQUEMA QUE TRANSFORMA SAÚDE EM BALCÃO DE NEGÓCIOS

FANTÁSTICO E JORNAL NACIONAL DENUNCIAM ESQUEMA QUE TRANSFORMA SAÚDE EM BALCÃO DE NEGÓCIOS FANTÁSTICO E JORNAL NACIONAL DENUNCIAM ESQUEMA QUE TRANSFORMA SAÚDE EM BALCÃO DE NEGÓCIOS A reportagem veiculada no programa Fantástico, da Rede Globo, no domingo (04/01), trouxe à tona um drama que assola

Leia mais

O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê?

O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê? O profissional mais estratégico que a empresa precisa ter: O ECONOMISTA Fundamental em qualquer empresa por quê? Diagnostica. Avalia. Cria. Planeja. Resolve. O Economista é um profissional imprescindível

Leia mais

Demanda 2015: 476 mil passageiros/dia

Demanda 2015: 476 mil passageiros/dia 21/06/2012 Demanda 2015: 476 mil passageiros/dia Campo da Pólvora Lapa Brotas Acesso Norte Pituaçu Detran PernambuésImbuíCAB Bonocô Rodoviária Juá Retiro Pirajá Flamboyant Lauro de Freitas Bairro da Paz

Leia mais

Clipagem de Notícias da SEF - 12/05/11

Clipagem de Notícias da SEF - 12/05/11 Riscos Fiscais DUPLICAÇÃO DA SC-401 Matérias veiculadas na imprensa Clipagem de Notícias da SEF - 12/05/11 JORNAL: DIÁRIO CATARINENSE Estado consegue vitória parcial Tribunal Regional Federal decidiu ontem

Leia mais

Os fundos de pensão precisam de mais...fundos

Os fundos de pensão precisam de mais...fundos Página 1 de 3 Aposentadoria 20/08/2012 05:55 Os fundos de pensão precisam de mais...fundos Os planos de previdência de empresas e bancos não têm conseguido cumprir suas metas, incompatíveis com um cenário

Leia mais

CICLO DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA 14/07/2014 TRABALHO PARA O PRESO

CICLO DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA 14/07/2014 TRABALHO PARA O PRESO TRABALHO PARA O PRESO Julho 2014 1 Sumário Categoria:... 3 Ementa... 3 Ideia... 4 Trabalho para o preso... 4 Nome do Pré-Projeto:... 4 Órgão executor:... 4 Início / Término da implementação:... 4 Público-alvo:...

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

Formação em Parcerias Público Privadas. Desenvolvimento de uma carteira de projetos

Formação em Parcerias Público Privadas. Desenvolvimento de uma carteira de projetos Formação em Parcerias Público Privadas Desenvolvimento de uma carteira de projetos Novembro de 2013 1. Contexto Atual 2. Análise das Demandas do Setor Público 3. Como Estruturar um Procedimento 4. Como

Leia mais

FID - Fraudes, Investigações e Disputas A Nova Lei Brasileira Anticorrupção 12.846/13 Câmara de Com. e Ind. Japonesa do Brasil

FID - Fraudes, Investigações e Disputas A Nova Lei Brasileira Anticorrupção 12.846/13 Câmara de Com. e Ind. Japonesa do Brasil FID - Fraudes, Investigações e Disputas A Nova Lei Brasileira Anticorrupção 12.846/13 Câmara de Com. e Ind. Japonesa do Brasil Page 1 BDO Brazil TÓPICOS BDO Brazil Valores BDO no Brasil Serviços Departamento

Leia mais

Título do Slide Máximo de 2 linhas

Título do Slide Máximo de 2 linhas PMO: Como vencer em projetos de grandes corporações Luiz Del Col 11/Fev/2014 Terça-feira O webinar iniciará em 15 minutos Iniciaremos o webinar às 20h (Horário de Brasília) PMO: Como vencer em projetos

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez O que são finanças? Finanças é a arte e a ciência de gestão do dinheiro; Imprescindível, pois todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam dinheiro; A teoria

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados voltada para os mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa em todo o território nacional. Sociedade nascida da união de profissionais

Leia mais

Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online

Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online Clipping, Segunda-feira, 04 de Janeiro de 2010 Jornal do Commercio PE (28/12/09) - online Porto Gente (04/01/10) online Pernambuco Na indústria, mais demanda por trabalho Texto publicado em 28 de Dezembro

Leia mais

SOUZA CESCON FAZ APRESENTAÇÃO NO PRINCIPAL EVENTO DE PETRÓLEO E GÁS DA AMÉRICA LATINA: A RIO OIL & GAS EXPO AND CONFERENCE.

SOUZA CESCON FAZ APRESENTAÇÃO NO PRINCIPAL EVENTO DE PETRÓLEO E GÁS DA AMÉRICA LATINA: A RIO OIL & GAS EXPO AND CONFERENCE. Setembro, 2014 Caso ocorra erro de visualização, acesse nossa Versão Web ou Versão PDF NEWS 1. OS SÓCIOS LUIS SOUZA E MARIA CRISTINA ENTRE OS 50 ADVOGADOS MAIS DESTACADOS DA AMÉRICA LATINA SOUZA CESCON

Leia mais

Legislação Anticorrupção

Legislação Anticorrupção O que muda com a Lei nº 12.846/2013 e com o Decreto nº 8.420/2015 gsga.com.br São Paulo Rio de Janeiro Curitiba Belo Horizonte Brasília Introdução 2 oooa partir da edição da chamada Lei Anticorrupção (Lei

Leia mais

O papel dos Parques tecnologicos no desenvolvimento de uma região

O papel dos Parques tecnologicos no desenvolvimento de uma região O papel dos Parques tecnologicos no desenvolvimento de uma região Desenvolvimento econômico com forte valor agregada: Inovação Campo Grande 21 de Setembro Dr Michel Brunet INOVA TOOLS 3 tecnopoles estudas

Leia mais

Pós-graduação em Direito e Processual Penal

Pós-graduação em Direito e Processual Penal Apresentação O Grupo Verbo Jurídico figura hoje como uma das instituições mais completas quando se trata de preparação para Concursos Públicos, também atuando no segmento editorial e de ensino. No campo

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Junho 2009

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Junho 2009 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Junho 2009 O papel do private equity na consolidação do mercado imobiliário residencial Prof. Dr. Fernando Bontorim Amato O mercado imobiliário

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Implantação de Obras Planejamento Administração de Empresas. Orçamentação Contratos Marketing Apoio Técnico

Gerenciamento de Projetos Implantação de Obras Planejamento Administração de Empresas. Orçamentação Contratos Marketing Apoio Técnico Gerenciamento de Projetos Implantação de Obras Planejamento Administração de Empresas Orçamentação Contratos Marketing Apoio Técnico www.bethonico.com.br APRESENTAÇÃO Desde o ano 2000, a Bethonico Planejamento

Leia mais

O que é Finanças? instituições, mercados e instrumentos envolvidos na transferência de fundos entre pessoas, empresas e governos.

O que é Finanças? instituições, mercados e instrumentos envolvidos na transferência de fundos entre pessoas, empresas e governos. Demonstrações Financeiras O Papel de Finanças e do Administrador Financeiro Professor: Roberto César O que é Finanças? Podemos definir Finanças como a arte e a ciência de administrar fundos. Praticamente

Leia mais

ALERT. Governo Federal publica Decreto que regulamenta a Lei Anticorrupção

ALERT. Governo Federal publica Decreto que regulamenta a Lei Anticorrupção 19 de março de 2015 ALERT Governo Federal publica Decreto que regulamenta a Lei Anticorrupção A equipe de Compliance do Aidar SBZ Advogados permanece à disposição para esclarecimentos adicionais. Contatos:

Leia mais

Compliance Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Compliance Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais