BIOLOGIA APLICADA À TEOLOGIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BIOLOGIA APLICADA À TEOLOGIA"

Transcrição

1 BIOLOGIA APLICADA À TEOLOGIA Edson Talarico Rodrigues 1 OBJETIVOS DO TEMA A biologia ajuda a compreensão teológica? Que relação há entre essas duas ciências? Cremos que sim, pois Deus é o autor da vida e a biologia, na essência, é o estudo da vida. Desse modo, a biologia e suas diversas ramificações científicas, nas suas constatações, exaltam a Deus (Rom 8.19,20). De modo sucinto, esta apostila objetiva: Transmitir conceitos de biologia que permitem aumentar a compreensão de certos assuntos bíblicos. Aumentar a confiança no valor das Escrituras diante de assuntos que estas revelam e as ciências ainda não desvendaram (vida após a morte, espírito alma e corpo etc).. Abordar sucintamente aspectos de teorias científicas que estão equivocadas (criação e evolução do universo, dos seres vivos e do homem). Identificar exemplos de como certas revelações da Bíblia podem ser aplicadas a as suntos científicos, direcionando-os, confirmando-os ou corrigindo-os; mesmo que a Bíblia não tenha sido elaborada com fins científicos. A biologia é a ciência que estuda os processos vitais de plantas, animais e outros seres vivos. Um grande número de especialidades fazem parte das ciências biológicas, devido à diversidade e complexidade dos seres vivos, tal como se verifica nas definições sucintas da Tabela 1. Tabela 1- Algumas das Principais Especialidades das Ciências Biológicas. ESPECIALIDADE ÁREA DE ESTUDO 1- Zoologia Animais 2- Zootecnia Produção animal com fins de exploração comercial 3- Botânica Plantas 4- Fitotecnia Produção vegetal com fins de exploração comercial 5- Taxonomia Classificação sistemática de plantas e animais 6- Morfologia Formas dos seres vivos 7- Fisiologia Funcionamento dos sistemas orgânicos 8- Anatomia Forma e inter-relação das estruturas internas de um organismo 9- Histologia Constituição microscópica de tecidos e órgãos 10- Citologia Células 11- Embriologia Formação e desenvolvimento do embrião 12- Virologia Vírus 13- Micologia Fungos 14- Bacteriologia Bactérias 15- Entomologia Insetos 16- Microbiologia Microrganismos 17- Imunologia Processos internos de defesa do organismo 18- Paleontologia Vida orgânica do passado fósseis 19- Genética Mecanismos de hereditariedade 20- Ecologia Relações dos seres vivos entre si e com o ambiente. 1 Engº Agrº, D. Sc., Professor da UEMS, Presbítero da Igreja Evangélica Assembléia de Deus.

2 2 1- DEFINIÇÃO DE VIDA Conceitos obtidos em citações de PEDERSOLI e WELLINGTON (1982): É o conjunto de princípios que resistem à morte - Bichat. É o conjunto das operações de nutrição, crescimento e destruição, cuja causa é um princípio que tem o seu fim em si próprio - Aristóteles. Grego. Entre 350 e 300 ac. Realizou os primeiros estudos de zoologia e a primeira idealização de átomo. É a adaptação contínua das relações externas - Herbert Spencer. Sociólogo e filósofo inglês. Viveu de 1820 a Escreveu os Princípios de Biologia. É uma destas coisas que não se definem, toda a gente sente, compreende e observa. Não se lhe dá, porém, uma definição precisa. Francis Blaise Pascal. Matemático e Físico. Descobridor da pressão atmosférica, elaborou o teorema sobre o hexágono, idealizou a primeira máquina de calcular. É algo que não se pode definir (Claude Bernard). Na Bíblia o assunto é citado com mais extensão, enfatizando Deus como o criador e mantenedor da vida no planeta. A vida humana não se encerra com a morte do corpo. Alguns exemplos ilustrativos: Eu vim para que vocês tenham vida com abundância (Jesus Cristo, Jo 10.10). Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens (Jo 1.4). Eu sou... a vida (Jesus Cristo, Jo 14.6). Quem crê em mim, ainda que morra viverá; e todo aquele que vive e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto? (Jesus, em Jo e 26). Se alguém guardar a minha palavra nunca verá a morte (Jesus, em Jo 8.51). Em muitos casos não é possível submeter as declarações bíblicas à experi-mentação científica. É por isso que um dos requisitos básicos para o estudo dessas de-clarações é a fé na inspiração divina da Bíblia Doutrinas Científicas sobre a Origem e Natureza da Vida - Materialismo- A vida é um efeito da matéria organizada, o resultado da interação da energia com a matéria organizada. Assim, a vida é um arranjo especial da matéria no espaço, permitindo uma organização para que ocorram reações bioquímicas especiais em determinados níveis. - Vitalismo- A vida resulta da interação entre a matéria e um agente imaterial (alma e espírito), originada da vontade divina. Para o vitalismo é a vida (força vital) que causa a organização da matéria. Essas duas doutrinas servem como princípios básicos para as duas teorias que tentam explicar a origem da vida no planeta: criacionismo e evolucionismo. As ciências biológicas permitem a constatação de que a vida é um fenômeno complexo e o nível de conhecimentos cientéficos atuais ainda não é suficiente para explicá-la completamente. As delcarações bíblicas a seguir reivindicam que Deus é o idealizador, criador e mantenedor dos sêres vivos. - Gn 1.2- "O Espírito de Deus pairava (chocava, incubava a vida) sobre a face das águas". Dá idéia de que ocorreram preparativos graduais na criação das condições para o surgimento da vida. Essa idéia é compartilhada pelas ciências naturais e pelos relatos bíblicos (Gn 1 e 2). As declarações bíblicas a seguir reivindicam que Deus é o idealizador, criador e mantenedor dos sêres vivos. - Jó "O Espírito de Deus me fez e o sopro do Todo-Poderoso me dá vida". - Jó e 15- "Se ele retirasse para si o seu espírito e recolhesse para si o seu fôlego, toda a carne juntamente expiraria e o homem voltaria para o pó. - Jó 12.7 a 10 - O verso 10 informa que os animais possuem vida e o gênero humano possui espírito. - Sl ,30 (nos seres vivos em geral). - Sl "Sai-lhe o espírito e ele volta para a terra".

3 3 - At "Deus dá a todos a vida"... - Mt 9.24 e At Enquanto a alma está no corpo, existe vida 1.2- Evolução dos Conceitos Científicos sobre a Origem da Vida A seqüência de hipóteses citadas a seguir demonstra que as ciências evoluem por meio da experimentação e da interpretação, na busca interminável da verdade. a- Aristóteles, 350 ac- Introduziu a idéia da geração espontânea. "Peixes, moluscos e insetos nascem espontaneamente da matéria em putrefação". b- Paracelso, no séc XVI - Abiogênese ou Geração Espontânea. "Os ratos, sapos, enguias e tartarugas são gerados a partir da água, ar, madeira podre etc. c- John Needhan, em Misturou caldo de galinha, sucos vegetais e outros líquidos alimentares num tubo de ensaio, aqueceu e depois fechou para impedir a entrada de ar. Alguns dias depois se formaram pequenos organismos (Não aqueceu muito). Interpretação: Surgiram espontaneamente da matéria contida no tubo = abiogênese. d- Louis Pasteur, em "Nenhum ser vivo pode surgir rápida e espontaneamente a partir da matéria bruta, mas todo organismo provém de outro já existente (Teoria da Biogênese). Experiência: Colocou os sucos de fácil degradação num vidro com gargalo fino, comprido e encurvado. Ferveu e esperou várias semanas. Tirou oo gargalo e com dois dias havia contaminação. Interpretação: "A putrefação das substâncias orgânicas é devido a microrganismos". Ele desenvolveu a "pasteurização", esterilização de alimentos por meio da mudança brusca de temperatura. Primeiro alta, depois baixa. 1.3 Algumas Observações sobre Criacionismo e Evolucionismo O espaço disponível para este curso não permitirá aprofundar os conhecimentos sobre criação e evolução, porque a isso exigiria o conhecimento prévio de uma ampla base conceitual em biologia. Serão abordadas apenas algumas observações com a finalidade de questionar conceitos da teoria evolucionista. O ensino ministrado atualmente nas escolas (adotado com base naquilo qué mais aceito hoje pela Comu-nidade Científica) tem valorizado em demasia os conceitos evolucionistas, sem levar em conta os questionamentos a essa teoria. Verifica-se também que o modelo criacionista não tem sequer sido citado em vários livros didáticos. Serão abordadas apenas algumas observações com a finalidade de questionar conceitos do modelo evolucionista e de demonstrar a credibilidade científica dos conceitos criacionistas. Surgimento do Universo e da Vida - Modelo criacionista - Criacão súbita de tipos de vida complexos e diversificados, com lacunas sistemáticas entre tipos diferentes e variações genéticas entre esses. - Modelo Evolucionista - Evolução gradual do Universo e aparecimento gradual dos tipos de vida, através de longos períodos. Surgiram tipos complexos de vida advindos de tipos mais simples; e estes surgiram a partir da matéria não viva (recordar a doutrina materialista). Contestações No criacionismo se discorda de que formas mais complexas de vida tenham surgido das mais simples e da transmutação entre espécies mas a é inegável a evolução restrita, devido à variabilidade genética ou a formação de espécies ou sub-espécies entre os tipos originais é incontestável. A 1ª Lei da Termodinâmica afirma que toda a matéria e energia do universo é constante. A 2ª Lei da termodinâmica afirma que energia e matéria tendem sempre a mudar do estado ordenado para estados mais simples. Com base nessas Leis (valor maior que teoria, pois são inquestionáveis), o Universo não poderia ter se criado a si mesmo ou

4 existido há muito tempo. Se fosse assim, já teria se deteriorado. Portanto, o universo físico e a energia foram criados. Se a 2ª Lei da Termodinâmica afirma que os sistemas ordenados tendem para a desordem, a menos que haja um mecanismo de conversão (fotossíntese), então torna-se impossível moléculas simples e proteínas complexas terem dado origem a sêres vivos (recordar a Doutrina materialista).os experimentos de laboratório sobre a origem da vida mostram resultados que dependem de condições de laboratório, artificiais e muito improváveis. Há lacunas no registro fóssil entre organismos unicelulares e invertebrados, entre invertebrados e vertebrados, entre peixes e anfíbios e répteis, entre répteis e aves e entre mamíferos inferiores e primatas (elos perdidos). Mutações e Seleção Natural são insuficientes para terem produzido o aparecimento de formas atuais de vida a partir um simples organismo primordial. Atualmente pode-se verificar que as mutações são quase sempre prejudiciais dentro do ambiente natural de um organismo. Para evoluir, os organismos teriam que sofrer uma infinidade de mutações benéficas 4 2- CARACTERÍSTICAS DOS SERES VIVOS Os conceitos científicos a seguir são utilizados para caracterizar os seres vivos. A maioria possui todas as características. Ao estudá-las podemos concluir que: Os seres vivos possuem alto grau de complexidade e de organização. Deus, ao ter criado todos esses mecanismos, demonstra que é extremamente sábio, organizado e trabalhador Organização em Diferentes Níveis -Átomos moléculas células tecidos órgãos sistemas ou aparelhos indivíduo espécie comunidades biosfera Metabolismo É o conjunto de processos químicos envolvidos na liberação e utilização de energia no interior das células vivas. Esses processos são responsáveis pelo crescimento, manutencão e regeneração do organismo. O fator que provoca a liberação de energia é a ruptura ou estabelecimento de ligações químicas Reprodução Um ser vivo produz outros semelhantes a si próprio. A reprodução pode ser sexuada ou assexuada. (divisão celular). Nos vegetais a reprodução assexuada pode se dar pelos métodos de propagação vegetativa. Diversos microrganismos inferiores se reproduzem por divisão celular. Em insetos ocorre a partenogênese Sensibilidade Reação a estímulos do meio ambiente Movimento Mesmo as plantas, que permanecem no solo movimentam as partes vegetativas em direção à luz e as raízes em direção às camadas de solo. Existem também as plantas sensitivas, cujos folíolos se retraem quando algo os toca Diferenciação Ocorre em organismos multicelulares. Consiste no aparecimento de células com diferentes formas e funções no organismo.

5 2.7- Adaptação Os seres vivos possuem nos seus organismos mecanismos que lhes permitem sobreviver a fatores estressantes impostos pelo ambiente. Alguns mais outros menos. Por exemplo, existem homens vivendo desde o Polo Norte (esquimós) até as regiões desérticas (povos beduínos do deserto) Regeneração Os seres vivos podem reconstituir partes perdidas ou danificadas, por meio da divisão celelar. Exemplos: reposição do rabo da lagartixa, cicatrizações de ferimentos, soldadura de ossos. 3- FONTES DE ENERGIA Os seres vivos obtém energia para o crescimento, metabolismo, movimentação, reprodução, por meio de um dos seguintes processos: fotossíntese, quimiossíntese, fermentação e respiração (aeróbica ou anaeróbica) Fotossíntese Nesse pocesso, os vegetais clorofilados e certas algas utilizam a luz solar como fonte primária de energia A energia solar é transformada em energia química armazenada (processo químico Essa energia é utilizada pelas plantas e pelos outros seres vivos, nos processos de fermentação, respiração aeróbica ou anaeróbica. - Clorofila - Substância existente nas células foliares (dentro dos cloroplastos). Tem a função de catalizar (provocar, favorecer) a fotossíntese. Absorve ondas luminosas nas freqüências vermelha e azul do espectro e refletem a parte verde. A clorofila absorve a energia luminosa e a transfere para vários compostos. Equação da Fotossíntese: 6CO H 2 O clorofila C 6 H 12 O 6 + 6H 2 O + 6O e luz 2 (gas carbônico) + (água) = (glicose) + (água) + (oxigênio) Respiração Celular O esquema a seguir sintetiza o processo de respiração celular. Os alimentos vão se convertendo em compostos orgânicos menores, que são degradados e vão assumindo formas cada vez mais simples. A degradação vai liberando energia bioquímica, que é transformada e utilizada em todas as atividades dos seres vivos. DEGRADAÇÃO DE COMPOSTOS ENERGÉTICOS GLICOSE CO2 H2O Liberação de energia para utilização em outras atividades do organismo COMPOSTO ALTAMENTE ENERGÉTICO

6 CONCLUSÃO: A luz é a fonte originadora da vida no planeta, porque gera a energia necessária à sintese de elimentos dos seres autotróficos (responsáveis pela síntese do próprio alimento = plantas). A humanidade adquiriu esses conhecimentos recentemente a partir de 1771, quando Joseph Priestley verificou que as plantas absorviam CO 2 e liberavam O 2. No entanto, muito antes disso as Escrituras Sagradas afirmaram que a luz é a fonte original de energia para a vida. Esse conceito é utilizado sentido simbólico, pois a luz é um dos símbolo de Deus. Diversas manifestações de Deus ocorrem com a presença de luz intensa. - Análise ilustrativa de alguns textos bíblicos. Ecl (parafraseando) - Após o semeio é ótimo que haja a luz do sol, porque há muitos dias de trevas, que não são bons.. Ml O sol é a salvação e o responsável pela engorda de bezerros (pastam aquilo que a luz fez crescer).. Jo Jesus - Luz do Mundo. Luz da Vida - É o mesmo que considerar a luz como fonte de vida.. 1 Pe A luz é maravilhosa.. 2 Samuel Efetividade da luz límpida (luz também tem qualidade), juntamente com níveis adequados de umidade do solo.. Tia As dádivas perfeitas descem do "Pai das Luzes". Que luzes? Há mais de uma? Sim. A luz branca é a união de todas as cores. Cada cor expressa uma freqüência de vibração. A freqüência maior é a do infra-vermelho (transmite calor, serve para tratar contusões musculares). A freqüência menor é a ultra-violeta, que tem efeitos lesivos sobre as células animais e vegetais (câncer de pele). A cromoterapia é uma disciplina em desenvolvimento e há ainda muitas descobertas a serem feitas sobre o efeito das luzes nos sêres vivos CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVOS Estima-se que existam na atualidade entre 10 e 100 milhões de espécies de sêres vivos. A Taxonomia ou sistemática é a área das ciências biológicas que se dedica à identificação e classificação dos sêres vivos. Alguns conceitos e regras de classificação serão estudados para que possamos avaliar com mais profundidade como a obra da criação é diversificada. Esse é um dos motivos pelos quais Deus é adorado (Sl ). O conhecimento da diversidade da vida na terra gera um argumentonumérico contra a doutrina materialista, pois esta afirma que a vida é simplesmente um efeito da matéria organizada, que surgiu e evoluiu ao estágio atual pelo simples arranjo casual de substâncias químicas. É mais lógico crer na estratégia poderosa de um Sêr superior que criou e organizou a biodiversidade (Sl 19.1). A sistemática ordena os sêres vivos com sete elementos, cada um mais específico que o outro, da seguinte forma: REINO FILO CLASSE ORDEM FAMÍLIA GÊNERO ESPÉCIE

7 Reinos MONERA - Composto por bactérias e algas azuis, que vivem na água e realizam fotossíntese. Exemplos importantes: bacilo de Koch, casusador da tuberculose, bacilo de Hansen, causador da Lepra. PROTISTA - Diferencia-se do reino Monera porque o núcleo da célula é separado do citoplasma (eucarionte). Composto por protozoários e algas unicelulares, que fazem fotossíntese. Exemplos de protozoários: ameba, giárdia, Tripanossoma cruci = doença de Chagas. Plasmódio: vive na saliva dos pernilongos anófiles = malária. Algas: vivem nas águas e em lugares úmidos. Responsáveis por 90% da fotossíntese do planeta. FUNGOS - Alimentam-se por:. Parasitismo - à custa de outro sêr vivo,. Saprofitismo - provoca a decomposição da matéria orgânica e. Simbiose - associação com outro sêr vivo que resulta em benefício para ambos PLANTAS - Compostas pelas classes:. Briófitas - musgos. Pteridótitas - samambaias e avencas. Gymnospermas - não produzem frutos, só sementes. Ex: pinheiro, faia, cipreste.. Angiospermas - são a classe mais numerosa. Formadas pelas subclasses monocotiledônea e dicotiledônea. São as plantas completas, que produzem todos os órgãos, inclusife frutos (Gn 1.11). ANIMAL - Classes: invertebrados, anelídeos, artrópodes ( moluscos e insetos = hexápodos), peixes, répteis, aves, mamíferos. VIRUS - UM SÊR DIFERENTE - Não pertencem a nenhum reino. - Não são formados por células. Possuem uma capa protêica e o núcleo, que é constituído por ácido nuclêico (DNA ou RNA). - Comportam-se ora como seres vivos, ora como material inerte (cristalizam-se e se conservam indefinidamente). - Possuem somente duas características típicas dos sêres vivos:. capacidade de reprodução e. capacidade de sofrerem mutações. - Todos os vírus são parasitas, pois só se desenvolvem dentro de outras células vivas.. utilizam o sistema de replicação celular para se multiplicarem,. afetam o funcionamento normal das células, provocando doenças. - Como combater os vírus?. Não há remédio curativo. O próprio organismo produz anticorpos para destruí-los. As vacinas existem e são, muitas vezes, o próprio vírus atenuado. - Doenças Viróticas Curáveis: gripe, caxumba, conjuntivite, certas verrugas. - Doenças Viróticas Fatais e Incuráveis: Aids, poliomielite (paralisia infantil), hidrofobia (raiva), hepatite (cura parcial, pois o vírus continua latente no organimo. O doente não pode mais doar sangue) Exemplos de Classificação - Regras de nomeclatura para nomes científicos:. São escritas em latim - lingua morta. Não sofrerá mais mudança.. Devem ser destacados no texto - em negrito, ou itálico, ou grifado.. Gênero deve ter inicial maiúscula e espécie, em letras minúsculas. MILHO: Reino Mataphyta Filo Tracheopsida Classe - Angiospermae Subclasse Monocotiledoneae Ordem Graminales Família - Graminaceae Gênero Zea Espécie - mays

8 4.3- Espécie É o conjunto de seres semelhantes que podem cruzar-se entre si, dandoorigem a descendentes férteis. Em maio de 1992 estavam catalogadas 1,4 milhão de espécies, pelo "Global Biodiversity" (ALMANAQUE ABRIL, 1993). No capítulo da criação (Gn 1), Deus estabelece a lei de fecundidade unicamente dentro da espécie. Nas ciências biológicas pode-se comprovar o cumprimento dessa lei. Hoje se identificam os mecanismos orgânicos responsáveis pela mesma (não serão aqui discorridos). Tomemos o exemplo do cruzamento entre égua e jumento. São espécies diferentes que podem gerar o burro ou a mula. Porém esses descendentes são estéreis Manipulação de Espécies pelo Homem As espécies de plantas, animais, insetos e microrganismos são manipuladas para atender aos interesses do homem (Gn ). Modernamente tem havido um grandeavanço nas áreas de genética, melhoramento e biotecnologia, permitindo ao homem desenvolver raças, variedades e linhagens de seres vivos mais eficientes Exemplos de Melhoramento Genético de Espécies Animais - Os objetivos mais freqüentes são maior precocidade, maior taxa de conversão alimentar, carne mais macia, maior produção de leite, etc. Plantas - Objetivos mais freqüentes: mais produtiva, maior teor de proteína, resistente ao clima quente, tolerante a elementos tóxicos do solo ( Alumínio, Manganês, Ferro), menos exigentes em nutrientes, etc. Microrganismos - Exemplos - Bacillus thuringiensis - Bactérias utilizadas como controle biológico de lagartas, parasitando-as e matando-as. Evitam o uso de agrotóxicos, que são prejudiciais ao ambiente e ao homem.. Rhizobium japonicum - Bactérias utilizadas para misturar com sementes de soja. Fazem simbiose com as raízes. Ingessam superficialmente e formam nódulos. Recebem carboidratos (açúcares) e fornecem o nitrogênio, que captam do ar na forma gasosa e o transformam na forma de aminoácidos (forma que a planta consegue absorver). Essa transformação é muito cara por meios industriais (N gasoso para N amoniacal. Exige 800º C e 200 atm de pressão). O N é o adubo mais caro. No entanto nessa parceria a bactéria oferece gratuitamente à planta. Um grande número de microrganismos faz esse trabalho, em assciações ou isolados (vida livre). 5- A AGRICULTURA NA BÍBLIA - Norma para Conservação de Linhagens Em Dt 22.9 a Lei determinou aos israelenses: "Não semear a vinha com duas espécies de semente... para não degenerar o fruto da semente". Por que? - Para evitar a mistura varietal. A variedade nativa está adaptada ao ambiente (resistência a pragas, doenças, características de solo e clima etc) e o comportamento de uma variedade introduzida será diferente, podendo ser introduzidas plantas com comportamento indesejável quanto a período de maturação dos frutos, resistência a pragas e doenças, sabor e formato dos frutos etc.

9 Até hoje, em regiões com tradição em determinada cultura, existem as variedades melhoradas pelos produtores, que estão adaptadas à região. Muitas vezes não são as mais produtivas, mas permitem o cultivo com menor investimento em insumos que as variedades modernas. Um grande cuidado nos campos de produção de sementes de grãos é o controle da pureza física das sementes. Assim, na produção de semente de soja não pode existir a "corda de viola". Para o arroz, é proibida a presença do "arroz vermelho". Essa dificuldade é citada na Parábola do Joio e do Trigo (Mt ). Uma grande lição espiritual é tirada daqui. Trata-se da necessidade do cristão manter a sua natureza espiritual intacta, sem contaminar com a semente do mundanismo. Parábola do Semeador, Mt Uma boa variedade é semeada e para expressar todo o seu potencial genético, são necessários outros fatores: solo profundo, ausência de ervas daninhas, luminosidade não excessiva, níveis adequados de umidade do solo. Os termos um a cem, a sessenta e a trinta expressa diferentes produtividades. Símbolos: Semente semeada = Palavra de Deus anunciada, Solos diferentes = Nossos corações - características pessoais que nos levam a atitudes espirituais positivas ou negativas. A vegetação de cerrado se caracteriza por plantas de porte baixo e com caule retorcido, mas o solo dos cerrados é profundo e tem caracterísficas físicas favoráveis à penetração das raízes. Nesse caso, as plantas se desnvolvem pouco devido aos elementos alumínio, ferro e manganês, que em níveis elevados são tóxicos para a maioria das plantas. Por isso, é necessário a incorporação de doses corretas de calcário, que inativa quimicamente os elementos tóxicos e fornece os nutrientes cálcio e magnésio. Não adinta ótimos níveis de adubo químico, ótimo preparo do solo, ótima irrigação, se esse problema básico não fôr resolvido. Da mesma forma, o nosso coração é como um solo onde germinou a semente do evangelho. Cada solo tem suas características particulares e exige um preparo específico para permitir a produtividade máxima. A estratégia correta é minimizar os pontos fracos e aproveitar ao máximo as qualidades. - ENXERTIA A enxertia é um processo de multiplicação de plantas que utiliza a reprodução por gemiparidade ou brotamento (de uma pequena gema se forma um novo indivíduo). É portanto um processo de reprodução assexuada. Os indivíduos que se originam possuem as mesmas características do indivíduo originário. - Vantagens. Apressa a obtencão de plantas desejáveis.. Aproveita as boas caqracterísticas do indivíduo a reproduzir, que serão perpetuadas. Na reprodução via sementes isso não ocorre devido à variabilidade genética.. Permite o cultivo de plantas que têm problemas com pragas e doenças de solo (citrus e tomate (nos solos amazônicos são atingidos pos Pseudomonas solanacea rum) - Termos e Procedimento. Cavalo - Planta que será enxertada. É decepada e o caule é fendido para receber o enxerto.. Cavaleiro - Planta que fornecerá a gema ou borbulha.. Fazer um corte no caule do cavalo, introduzir a gema sob a casca, envolver a região com fita plástica especial. Após o pegamento da gema, eliminar todos os outros ramos que brotarem. - Exemplos Práticos:. Citrus - Cavalo de Limão Cravo ou Tangerina Cleópatra, resistentes às doenças mais comuns e adaptados às condições de clima e solo do Brasil Utiliza-se para cavaleiro a borbulha de uma variedade selecionada. 9

10 . Seringueira - Cavalo de variedade adaptada à região e cavaleiro de clone introduzido altamente produtivo. - Exemplo Bíblico. Romanos e 24. Designação Simbólica Designação Técnica A Quem se Refere Ramos da Oliveira quebrados Cavaleiro que gera a gema Israel Zambujeiro natural Cavalo - recebe a gema Os gentios Origem da Seiva da Oliveira Seiva elaborada, sintetizada nas folhas Aquele que age em favor de Israel = DEUS - FRUTICULTURA A fruticultura era intensamente utilizada pelos israelenses. A terra de Canaã era famosa pela fertilidade e talento para produzir frutos (Dt 8.7-9; Nm 13.23). O estado de Mato Grosso possui potencial para a exploração de várias fruteiras de clima tropical. Plantações estão sendo introduzidas nos programas de diversificação agrícola, em andamento no estado, com vistas a ampliar divisas e reverter a monocultura de soja existente. As plantas frutíferas são as mais completas pois produzem todos os órgãos. Porisso são classificadas na ordem angiospermae (rever item 4.1, assunto "plantas". - Algumas Aplicações Espirituais Jo e Gl 5. 22, 23 - Jesus quer que os cristãos produzam frutos. De acordo com Mt 21.19, somos obrigados a frutificar e se não o fizermos, poderemos desagradá-lo. Sl Há uma estação própria para a árvore frutificar. Isso quer dizer que os frutos espirituais têm uma época própria para se manifestarem em nossa vida. Na natureza a planta sómente frutifica depois de ter germinado, produzido raiz, caule, galhos, folhas e flores. Não seria proveitoso todas as plantas frutíferas frutificarem ao mesmo tempo. Por isso, Deus programou que as espécies de frutifiquem em estações diferentes. - PODA Espiritualmente, essa prática está ligada à disciplina, no sentido de retirarmos os defeitos que prejudicam nossa comunhão com Deus. É utilizada em várias espécies de plantas, principalmente as frutíferas. Os dois tipos principais são: Poda de Formação - Feita à medida em que a planta vai se desenvolvendo, com a finalidade de orientar o crescimento, para dar-lhe uma arquitetura desejável. São retirados os "ramos ladrões" (porque não são necessários e sómente roubam a seiva, que seria útil em outras partes da planta) e os galhos em excesso. Poda de Limpeza - Tem a finalidade de eliminar galhos e ramos velhos ou doentes, porque se permanecerem na planta ou próximos dela serão fonte de entrada de doenças. Ao tirá-los damos chance para que a planta se regenere melhor. Jesus exemplifica esse tipo de poda em João 15. 3, para a cultura da uva. A poda exige bom senso de quem a faz, porque se fôr muito drástica pode causar um estreesse que levará a planta à morte ou à queda de produtividade. Por outro lado, se fôr muito leve será incipiente ECOLOGIA Ciência que estuda o relacionamento dos seres vivos entre si e com o ambiente. Alvo Principal - Esta ciência se dedica a conhecer como os seres vivos se adaptam às condições diferentes do ambiente e o que deve ser feito para preserva preservar o ambiente.

11 6.1- Conceitos Básicos Cadeia Alimentar - Cadeia alimentar é o fluxo de energia que passa de um ser vivo para outro, por meio de alimentos. Na ecologia reconhece-se que quase sempre para um estar vivo outro tem que morrer. Em outras palavras, a moeda energética que paga o valor da vida é a morte. Igualmente em teologia há uma lei indicando que sem derramamento de sangue não se elimina as forças mortais do pecado (Hb 9.14 e 22; Rm ; Col 2.13,14, entre outros). Recentemente existem contaminações que estão sendo veiculadas ao homem pela via dos alimentos, na cadeia alimentar. É o caso do mercúrio lançado nos mananciais pelos garimpeiros, que entra na cadeia alimentar principalmente pelos peixes. Ao comê-los as pessoas introduzem o metal no organismo. O seu malefício se manifesta através de anomalias genéticas e problemas nas glândulas. As populações ribeirinhas têm sido afetadas por esse mal. Outro exemplo é o da contaminação de alimentos por agrotóxicos. Esquema de como pode ser uma Cadeia Alimentar ENERGIA DO AMBIENTE - Luz solar, elementos minerais, mat. org. decomposta, água, microrganismos, etc 11 transferência de energia VEGETAL- Produtor (Armazena a energia do sol para produzir alimento). transf. de energia Consumidor Primário - Ex: BOI (come vegetais) Consumidor Secundário - Ex: HOMEM (come carne bovina) Consumidor Terciário Ex: Microrganismos Decompositores da Matéria Orgânica RETORNO DE ENERGIA AO AMBIENTE Fatores Ecológicos São condições que interferem na adaptabilidade dos seres vivos em determinada região. Alguns exemplos: - Luz - Alguns seres precisam de muita luz. Há plantas que exigem-na em grande intensidade e outras que se adaptam à sombra de árvores. Fungos e bactérias vivem em locais sombrios. Morcegos vivem em cavernas e baratas não suportam a luz. Espiritualmente os cristãos se adaptam à luz intensa (Jo 1.4, 5, 9, 19-21; Mt 3.16). - Temperatura - Cada ser vivo está adaptado a uma faixa restrita de temperatura, mas tem capacidade de adaptar-se dentro dos limites de tolerância. - Umidade - Os seres vivos não sobrevivem sem água. Seja no solo (plantas) ou ao ar (todos os seres terrestres e aéreos). A Bíblia fala muito em sede, mananciais, água pura e cristalina, entre outros termos. Isso decorre do grande valor que a cultura is raelense dá à água, pois vivem num ambiente árido.

12 12 CICLO DA ÁGUA = Evaporação e Evapotranspiração nuvens chuva mananciais Deus é o Autor do Ciclo da Água. Ele ostenta diante de Jó a Sua sabedoria ao estabelecer a provisão das chuvas, que são responsáveis pela manutenção da vida nos mais diferentes ecossistemas. - Pressão - Atmosférica - seres terrestres - hidráulica - seres aquáticos. Nas grandes altitudes o ar é rarefeito, penetra com menor pressão nos pulmões. Muitas pessoas passam mal nessas condições que são inóspitas. (La Paz, Bolívia, a capital mais alta do mundo). Nas grandes profundidades dos oceanos, a pressão hidráulica é tão grande que somente alguns peixes e animais marinhos estão condicionados a sobreviver ali. Podemos conhecer esses lugares apenas através de submarinos não tripulados com equipamentos de filmagem. - Salinidade - água doce e salgada. Solos salinos (ocorrem, geralmente, quando a evaporação é maior que a infiltração de água). As espécies de plantas podem ser sensíveis, tolerantes e resistentes) População - Conjunto de seres de uma mesma espécie, num ambiente definido Comunidade - Conjunto de espécies de seres que vivem num mesmo espaço, numa relação de interdependência Meio Biótico - Conjunto de seres vivos de um ambiente Meio Abiótico - Conjunto das condições físicas do ambiente (ar, luz, água, temperatura) Ecossistema - Reunião dos meio biótico e abiótico. Na terra há um número infinito de ecossistemas. Depende da delimitação que se faz Biosfera - Conjunto de ecossistemas existentes na terra. É a parte da terra onde existe vida Poluição - Ameaças ao Ecossistema Poluição atmosférica. Pobres e ricos contribuem igualmente para o seu aumento. - Poluição da miséria - Provodcada pela ausência de infra-estrutura e saneamento básico, que leva ao lançamento de dejetos a céu aberto, nos solo e na água. - Poluição da riqueza - Provocada pelas atividades industriais dos centros urbanos, com o lançamento de resíduos químicos na atmosfera e pela acumulação do lixo, resultante do consumo excessivo e do desperdício.. Contaminação do Ar - Veículos auto-motores, resíduos de indústrias diversas, queimadas de florestas. A concentração de CO 2 aumenta em 1% ao ano. As queimadas contribuem com 25% desse valor. Efeito Estufa - O calor do sol entra na atmosfera e não mais escapa para o espaço. Fica retido pelo efeito do CO 2, CH 4 (metano), N 2 O (óxido nitroso), O 3 (oxônio) e CFC 2 (clorofluorcarbonetos). Isso explica parcialmente o aumento de calor nos meses de seca no Centro Oeste do Brasil (época de queimadas aumento de CO 2 na atmosfera)

13 - Degelo - Está comprovado que a temperatura média anual do mundo está aumentando do início do século até agora. Reações em Cadeia: maior evaporação mais chuva mudança no regime dos ventos e uma série de reações climáticas adversas Extinsão de Espécies É uma conseqüência danosa da ação indiscriminada do homem. Existem no planeta entre 10 e 100 milhões de espécies. Apenas 1,4 milhão de espéceis são conhecidas. No total, 25% correm risco de extinsão nos próximos 20 anos. A cada dia desaparecem, por força da ação humana, cerca de 300 espécies animais e vegetais, de acordo com o Plano das Nações Unidas para o Meio ambiente (ALMANAQUE ABRIL, 1993). Desde épocas remotas vem ocorrendo extinsão de espécies. Atualmente, no entanto as perdas são alarmantes. Em Lv está citado um estranho réptil que voa e tem quatro patas. Há muito tempo essa criatura desapareceu. A bíblia relata sobre a existência da sepente marinha ou dragão do mar. Esse ser é quase desconhecido. Algumas pessoas afirmam tê-lo visto e fazem descrições espantosas. Conferir nos seguintes textos bíblicos: Jó 41.1, 12-24; Is 27.1, Ez Providências que Deveriam ser Tomadas Criar Parques Florestais, Proibir o desmatamento indiscriminado, Tratar os esgotos antes do lançamento nos mananciais, Adotar critérios para os locais de instalação de indústrias (RIMA - Relatório do Impacto sobre o Meio Ambiente), Instalar filtros especiais nas chaminés de indústrias e escapamento de carros, Aplicar com mais critério os agrotóxicos nas lavouras e criações, pois contaminam o aplicador, o ambiente e o consumidor Poluição na Qualidade de Vida do Homem Transcrição de trecho da palestra proferida pelo Engº Agrº Célio Claret, durante o XXXV Congresso Brasileiro de Olericultura, Foz do Iguaçu, em Em busca de maiores comodidades, o homem utilizou o seu talento e inventou a máquina, a qual lhe poupa esforço físico. O advento da era industrial alterou seu modo de vida a um ritmo cada vez mais acelerado, chegando a ser vertiginoso nos dias atuais. Assim, estimulado pela cobiça e utilizando a máquina sem os devidos critérios, o homem: Aprendeu a refinar e armazenar seus alimentos - o que na prática equivale a degradá-los e a desvirtuá-los; Adotou uma vida sedentária; Busca diversões e prazeres cada vez mais intensos - o que expõe a duras provas o sistema nervoso; Desrespeitou a natureza: envenenou a terra, as águas e os alimentos, poluiu o ar, submeteu os solos f'érteis ao processo de erosão, transformando-os gradativamente em desertos; Alterou o seu ritmo biológico e o dos demais seres; Não soube conservar a saúde e os prazeres simples, que obtinha de uma vida harmônica, em contato com a natureza. Instituições e autoridades científicas afirmam que estamos no limiar de uma verdadeira catástrofe, confirmando o que há muito se vem alertando. Mas ainda há tempo de evitar essa catástrofe. Para isso não é necessário voltar à vida primitiva. Porém, é indispensável empreender o retorno inteligente à natureza, aproveitando os avanços tecnológicos que possam ser úteis e rejeitando tudo o que, de um modo ou de outro, contrarie o equilíbrio físico, mental e espiritual do homem. 13

14 6.5- Ponto de Vista Teológico - Restauração da Terra A mensagem bíblica apresenta o pecado como a causa fundamental que leva o homem à irracionalidade da auto-destruição. No sentido de gerenciamento do universo, pecado significa desprogramação (alteração) da ordem harmônica estabelecida por Deus. Há previsão de uma era futura em que haverá uma restauração completa da saúde humana e de toda a natureza (Rm ). Essa era é conhecida como Milênio, quando Jesus Cristo reinará por mil anos sobre a terra (Is ). De acordo com Is , naqueles dias o efeito dessa restauração se fará sentir na longevidade das pessoas, pois quem morrer aos 100 anos morrerá ainda jovens - Literatura ALMANAQUE ABRIL. Ed. Abril. Anos 1990 e BARROS, C. Os seres vivos. Ed. Ática, 44ª Ed, São Paulo p. BÍBLIA SAGRADA. Ed Revisada, JUERP, Trad. João Ferreira de Almeida, ª Impressão, CLARET, C. A importância das hortaliças e frutas na alimentação e na saúde humana - Novos paradigmas. In: Anais do XXXV Congresso Brasileiro de Olericultura.. Foz do Iguaçu, pp PEDERSOLI, J.L. & WELLINGTON, C.G. Biologia vols. I, II e III. Belo Horizonte, Ed. Lê, SILVA JÚNIOR, C da; SASSON, S.; SANCHES, P.S. B. Ciências. O mundo em que vivemos. São Paulo, Ed. Saraiva, p. 14

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS 6 ano 1 volume CONTEÚDOS OBJETIVOS 1.Astronomia: estudando o céu Estrelas e constelações Sistema Solar e exploração do Universo - Movimentos da - Terra e da Lua Reconhecer

Leia mais

Cadeia alimentar 3º ano

Cadeia alimentar 3º ano Cadeia alimentar 3º ano O equilíbrio ecológico depende diretamente da interação, das trocas e das relações que os seres vivos estabelecem entre si e com o ambiente. Os seres respiram, vivem sobre o solo

Leia mais

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida Introdução A ciência que estuda como os seres vivos se relacionam entre si e com o ambiente em que vivem e quais as conseqüências dessas relações é a Ecologia (oikos = casa e, por extensão, ambiente; logos

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE 1- Leia o texto e responda as questões Todos os animais, independentemente do seu estilo de vida, servem como fonte de alimento para outros seres vivos. Eles estão

Leia mais

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS O fluxo de energia em um ecossistema é unidirecional e necessita de uma constante renovação de energia, que é garantida pelo Sol. Com a matéria inorgânica que participa dos ecossistemas

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos Ser humano: semelhanças e diferenças (características físicas e comportamentais, gostos pessoais) Partes do corpo humano Sentidos humanos: audição, visão, paladar, tato e olfato Cuidados com os órgãos

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, em sua versão 2012, apresentará uma redação e 180 questões objetivas, divididas nas quatro áreas do conhecimento: - Ciências

Leia mais

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros Necessidades básicas O planeta oferece meios que satisfaçam as necessidades básicas dos seres vivos. Necessidades básicas dos

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D Ensino Fundamental Ciências da Natureza II Habilidade da Questão Conteúdo Matriz da EJA/FB 01 Fisiologia Vegetal (Transporte e absorção de H34, H40, H41, H63 substâncias); Fotossíntese

Leia mais

5ª série / 6º ano 1º bimestre

5ª série / 6º ano 1º bimestre 5ª série / 6º ano 1º bimestre Água e o planeta Terra Hidrosfera Distribuição e importância Hidrosfera é o conjunto de toda a água da Terra. Ela cobre 2/3 da superfície terrestre e forma oceanos, mares,

Leia mais

34 Por que as vacas mastigam o tempo todo?

34 Por que as vacas mastigam o tempo todo? A U A UL LA Por que as vacas mastigam o tempo todo? Nos sítios e fazendas que têm criação de gado, os bois e vacas se espalham pelo pasto e têm hora certa para ir ao cocho receber o trato. O trato pode

Leia mais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS A proposta A proposta de ensino das Ciências Naturais se fundamenta na construção do pensamento científico acerca dos fenômenos

Leia mais

Matéria e Energia no Ecossistema

Matéria e Energia no Ecossistema Matéria e Energia no Ecossistema Qualquer unidade que inclua a totalidade dos organismos (comunidade) de uma área determinada, interagindo com o ambiente físico, formando uma corrente de energia que conduza

Leia mais

Maxillaria silvana Campacci

Maxillaria silvana Campacci Ecologia Aula 1 Habitat É o lugar que reúne as melhores condições de vida para uma espécie. Temperatura, quantidade de água, intensidade da luz solar e tipo de solo determinam se o habitat é adequado ao

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1B

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1B CADERNO DE EXERCÍCIOS 1B Ensino Fundamental Ciências da Natureza II Habilidade da Questão Conteúdo Matriz da EJA/FB 1 Biomas brasileiros H18 2 Problemas ambientais H19 3 Cadeia alimentar H24 4 Evolução

Leia mais

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento AULA 4 FLORESTAS As florestas cobriam metade da superfície da Terra antes dos seres humanos começarem a plantar. Hoje, metade das florestas da época em que recebemos os visitantes do Planeta Uno não existem

Leia mais

CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR

CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR Cadeia alimentar: é uma seqüência de seres vivos relacionando-se dentro de um ecossistema, onde um ser serve de alimento para outro ser. Exemplo: Capim capivara onça bactéria

Leia mais

PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS Perceber e utilizar os códigos intrínsecos da Biologia. Relacionar o conhecimento das diversas disciplinas para o entendimento

Leia mais

De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo?

De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo? De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo? 07/2011 Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não

Leia mais

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO Provas 2º Bimestre 2012 CIÊNCIAS DESCRITORES DESCRITORES DO 2º BIMESTRE DE 2012

Leia mais

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA

Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA Atividade de Ciências 5º ano Nome: ATIVIDADES DE ESTUDO Complete com as principais características de cada bioma: MATA ATLÂNTICA FLORESTA AMAZÔNICA FLORESTA ARAUCÁRIA MANGUEZAL PANTANAL CAATINGA CERRADO

Leia mais

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável E C O L O G I A Deriva do grego oikos, com sentido de casa e logos com sentido de estudo Portanto, trata-se do estudo do ambiente da casa Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que

Leia mais

1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS. Eu um ser no ambiente

1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS. Eu um ser no ambiente 1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS Eu um ser no ambiente Higiene Corporal Os cinco sentidos Corpo humano Perceber a importância do cuidado com o corpo, da vacinação e da prevenção de acidentes.

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEPA COLÉGIO MILITAR DE BRASÍLIA PLANO DE AULA BIOLOGIA 1º ANO/EM

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEPA COLÉGIO MILITAR DE BRASÍLIA PLANO DE AULA BIOLOGIA 1º ANO/EM MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEPA COLÉGIO MILITAR DE BRASÍLIA Prof. Salomão profsalomao@gmail.com PLANO DE AULA BIOLOGIA 1º ANO/EM Sem Mês Início Término CH 1ª FEV 7 11 3 ASSUNTO: ASPECTOS

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Resposta

Questão 1. Questão 2. Resposta Questão 1 O gráfico mostra os níveis de glicose medidos no sangue de duas pessoas, sendo uma saudável e outra com diabetes melito, imediatamente após uma refeição e nas cinco horas seguintes. Essa substância

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE 1. OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura Nutrientes - o que são Funções dos nutrientes ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE Apresentar

Leia mais

A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem

A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Link para acessar o conteúdo, calendário, notas, etc. www.e-conhecimento.com.br Ensino Médio Primeiros Anos Ecologia oikos casa ; logos - estudo A Ecologia e sua Importância Estudo das Relações dos Seres

Leia mais

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local;

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; A Vida no Solo A Vida no Solo A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; O solo é constituído por alguns componentes: os minerais, o húmus, o ar, a água e os seres

Leia mais

VÍRUS E BACTÉRIAS. Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias

VÍRUS E BACTÉRIAS. Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias VÍRUS E BACTÉRIAS Vírus e bactérias foram, por muito tempo, juntamente com seres unicelulares

Leia mais

CIÊNCIAS DESCRITORES

CIÊNCIAS DESCRITORES CIÊNCIAS DESCRITORES 1. BIMESTRE - 2015 4.º ANO Identificar a permeabilidade nos diferentes tipos de solo. Identificar a presença de água no interior do corpo dos seres vivos. Identificar as condições

Leia mais

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.:

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= TEMPO ATMOSFÉRICO

Leia mais

Bem vindo ao novo Sistema Solar

Bem vindo ao novo Sistema Solar Bem vindo ao novo Sistema Solar Bem-vindo ao novo Sistema Solar Big Bang: grande explosão que formou o universo Prótons Grande Explosão Primeiros Estrelas Galáxias Elétrons Nêutrons átomos Elemento Químico

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO Competências essenciais Conteúdos Materiais N.º de aulas (45 min.) Compreender que a vida dos seres é assegurada pela realização de funções

Leia mais

Questão 89. Questão 90. Questão 91. alternativa B. alternativa B

Questão 89. Questão 90. Questão 91. alternativa B. alternativa B Questão 89 Qual das alternativas classifica corretamente o vírus HIV, o tronco de uma árvore, a semente de feijão e o plasmódio da malária, quanto à constituição celular? Plasmódio da Vírus Tronco Semente

Leia mais

ECOLOGIA é a Ciência que estuda as relações dos seres vivos entre si e deles com o ambiente.

ECOLOGIA é a Ciência que estuda as relações dos seres vivos entre si e deles com o ambiente. 1.1 - Relação da Ecologia com outras Ciências ECOLOGIA é a Ciência que estuda as relações dos seres vivos entre si e deles com o ambiente. Ser Vivo Ser Vivo Ambiente 1.1 - Relação da Ecologia com outras

Leia mais

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP)

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) PROBLEMAS AMBIENTAIS Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) Liga-se com a hemoglobina impedindo o O2 de ser conduzido INVERSÃO TÉRMICA *Inversão térmica é um fenômeno

Leia mais

Centro de Educação Integrada

Centro de Educação Integrada Centro de Educação Integrada 2º ANO BIOLOGIA Sistemática e classificação biológica Biodiversidade Vírus Reino Monera: bactérias e arqueas Reino Protoctistas: Algas e protozoários Reino Fungi: Fungos Fundamentos

Leia mais

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Módulo 09 GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Quando ocorre o fechamento dos estômatos a condução de seiva bruta fica prejudicado bem como a entrada de gás carbônico para o processo fotossintético. 02. C O deslocamento

Leia mais

EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (7 ANO)

EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (7 ANO) EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (7 ANO) 1- Uma das etapas do ciclo de vida é o processo da reprodução. O comportamento reprodutivo varia muito entre os seres vivos e é por meio dele que uma espécie de ser vivo

Leia mais

Ciências do Ambiente- MÓDULO 1 Professora: Andréa Rodrigues ECOLOGIA GERAL

Ciências do Ambiente- MÓDULO 1 Professora: Andréa Rodrigues ECOLOGIA GERAL Ciências do Ambiente- MÓDULO 1 Professora: Andréa Rodrigues ECOLOGIA GERAL O que é Ecologia? Algumas definições: 1.Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e o meio ambiente (Haeckel, 1866).

Leia mais

Aula 14 Distribuição dos Ecossistemas Brasileiros Floresta Amazônica Mais exuberante região Norte e parte do Centro Oeste; Solo pobre em nutrientes; Cobertura densa ameniza o impacto da água da chuva;

Leia mais

BIOQUÍMICA DA CÉLULA. Mutação e Reparação. & Rotas Metabólicas. Prof. Antonio Márcio Teodoro Cordeiro Silva, M.Sc. Prof. Henrique Santana Costa, M.Sc.

BIOQUÍMICA DA CÉLULA. Mutação e Reparação. & Rotas Metabólicas. Prof. Antonio Márcio Teodoro Cordeiro Silva, M.Sc. Prof. Henrique Santana Costa, M.Sc. BIOQUÍMICA DA CÉLULA Mutação e Reparação Aspectos do Conceituais DNA & Rotas Metabólicas Prof. Antonio Márcio Teodoro Cordeiro Silva, M.Sc. Prof. Henrique Santana Costa, M.Sc. JARDIM DO ÉDEN FASES DA HISTÓRIA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS NATURAIS, HUMANAS E SOCIAIS (ICNHS) Prof. Evaldo Martins Pires Doutor em Entomologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS NATURAIS, HUMANAS E SOCIAIS (ICNHS) Prof. Evaldo Martins Pires Doutor em Entomologia ECOLOGIA GERAL Aula 04 Aula de hoje: CICLAGEM DE NUTRIENTES E CICLOS BIOGEOQUÍMICOS O ciclo ou a rota dos nutrientes no ecossistema está diretamente relacionado ao processo de reciclagem ou reaproveitamento

Leia mais

PROVA DE BIOLOGIA I. O esquema representa alguns aspectos metabólicos e fisiológicos de uma planta. H 2 O + PRODUTOS ORGÂNICOS DA FOTOSSÍNTESE

PROVA DE BIOLOGIA I. O esquema representa alguns aspectos metabólicos e fisiológicos de uma planta. H 2 O + PRODUTOS ORGÂNICOS DA FOTOSSÍNTESE 24 PROVA DE BIOLOGIA I Q U E S T Ã O 4 0 O esquema representa alguns aspectos metabólicos e fisiológicos de uma planta. PRODUÇÃO ABSORÇÃO O 2 Processo A CO 2 O 2 CO 2 H 2 O Processo B LIBERAÇÃO H 2 O Processo

Leia mais

Matéria e energia nos ecossistemas

Matéria e energia nos ecossistemas Aula de hoje Matéria e energia nos ecossistemas Matéria e energia nos ecossistemas A forma e funcionamento dos organismos vivos evoluiu parcialmente il em respostas às condições prevalecentes no mundo

Leia mais

Poluição do ar. Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador. Deu no jornal. Nossa aula

Poluição do ar. Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador. Deu no jornal. Nossa aula A UU L AL A Poluição do ar Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador do laboratório de poluição atmosférica experimental da Faculdade de Medicina da USP, a relação entre o nível de poluição e a

Leia mais

Resolução Resolução OBJETIVO 2004

Resolução Resolução OBJETIVO 2004 1 Nas bactérias, a cadeia respiratória encontra-se associada à membrana plasmática e os ácidos nucléicos estão associados ao citoplasma. a) É assim também em um protista, em um animal e em um vegetal?

Leia mais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais A proposta Em sua organização teórico-metodológica, a proposta enfatiza a construção do pensamento científico acerca

Leia mais

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Ecologia (oikos = casa; logos = ciência) Estuda as relações entre os seres vivos, e o ambiente em que vivem; Multidisciplinar A Ecologia é complexa, e envolve:

Leia mais

Mudanças do clima, mudanças no campo

Mudanças do clima, mudanças no campo Mudanças do clima, mudanças no campo Sumário executivo do relatório escrito por Jessica Bellarby, Bente Foereid, Astley Hastings e Pete Smith, da Escola de Ciências Biológicas da Universidade de Aberdeen

Leia mais

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras MEIOS DE CULTURA Associação equilibrada de agentes químicos (nutrientes, ph, etc.) e físicos (temperatura, viscosidade, atmosfera, etc) que permitem o cultivo de microorganismos fora de seu habitat natural.

Leia mais

Por que os peixes não se afogam?

Por que os peixes não se afogam? Por que os peixes não se afogam? A UU L AL A Dia de pescaria! Juntar os amigos para pescar num rio limpinho é bom demais! Você já reparou quanto tempo a gente demora para fisgar um peixe? Como eles conseguem

Leia mais

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES. CONTEÚDO ESPECÍFICO Biologia: visão geral e origem da vida

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES. CONTEÚDO ESPECÍFICO Biologia: visão geral e origem da vida Colégio Estadual Antônio M. Ceretta Ensino Fundamental, Médio e Profissional Plano de Trabalho Docente - Ano 2015 Disciplina: Biologia Professora: Katia Lazaretti Série: 1ª Série Período: 1 trimestre ESTRUTURANTES

Leia mais

Formas do fósforo: -Ortofosfatos: PO 4 3-, HPO 4 2-, H 2 PO 4 -, H 3 PO 4

Formas do fósforo: -Ortofosfatos: PO 4 3-, HPO 4 2-, H 2 PO 4 -, H 3 PO 4 CICLO DO FÓSFORO O fósforo é um não-metal multivalente pertencente à série química do nitrogênio (grupo 15 ou 5 A) que se encontra na natureza combinado, formando fosfatos inorgânicos, inclusive nos seres

Leia mais

Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO. QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.)

Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO. QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.) Delza - Ciências 6ª Série RECUPERAÇÂO QUESTÃO 1 (Descritor: associar características básicas à classificação dos seres vivos.) Assunto: Classificação dos seres vivos Os cientistas estabeleceram um sistema

Leia mais

Grandes Problemas Ambientais

Grandes Problemas Ambientais Grandes Problemas Ambientais O aumento do efeito de estufa; O aquecimento global; A Antárctica; A desflorestação; A Amazónia; A destruição da camada de ozono; As chuvas ácidas; O clima urbano; Os resíduos

Leia mais

PROVA DE BIOLOGIA. Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/9811533-criticos-aos-transgenicos-estaomalformados-diz-pesquisador.

PROVA DE BIOLOGIA. Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/9811533-criticos-aos-transgenicos-estaomalformados-diz-pesquisador. 13 PROVA DE BIOLOGIA Q U E S T Ã O 1 6 Críticos aos transgênicos estão mal informados, diz pesquisador Cientista que desenvolve seu trabalho pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) diz

Leia mais

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm A biodiversidade em diferentes ambientes http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm Unidade básica da vida a célula Quem foi Robert Hooke? Por volta de 1667, o cientista inglês

Leia mais

Centro de Ensino Médio Setor Leste Disciplina: Biologia Professor: João Couto Aluno: Bruce do Souza Melo Turma: 2 N. -Taxonomia-

Centro de Ensino Médio Setor Leste Disciplina: Biologia Professor: João Couto Aluno: Bruce do Souza Melo Turma: 2 N. -Taxonomia- Centro de Ensino Médio Setor Leste Disciplina: Biologia Professor: João Couto Aluno: Bruce do Souza Melo Turma: 2 N -Taxonomia- Taxionomia Os biólogos têm especial interesse pelo estudo dos organismos

Leia mais

ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) - AR

ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) - AR ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) é uma das áreas da biologia que mais cai no ENEM, sendo que, dentro da ecologia, impactos ambientais são pontos bem cobrados. Nessa aula, iremos estudar alguns

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL UFRGS FISIOLOGIA VEGETAL 1. (Ufrgs 2015) A coluna à esquerda, abaixo, lista dois hormônios vegetais; a coluna à direita, funções que desempenham. Associe adequadamente a coluna direita com a esquerda.

Leia mais

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph

Composição do solo. 3 partes: Física: granulometria, porosidade, textura, dadas principalmente pelos. Químico: nutrientes disponíveis e ph JARDINAGEM O que é solo? O solo é a camada superficial da crosta terrestre, sendo formado basicamente por aglomerados minerais, matéria orgânica oriunda da decomposição de animais e plantas e organismos

Leia mais

1º ano. Construir um modelo para representar o processo de duplicação do DNA. Livro 1- Unidade 5 - p. 136

1º ano. Construir um modelo para representar o processo de duplicação do DNA. Livro 1- Unidade 5 - p. 136 Estudo das Origens O que é a Biologia? A Biologia no contexto histórico. A Biologia e suas áreas de atuação. Os Métodos científicos utilizados em pesquisas nas áreas da Biologia em Roraima, no Brasil e

Leia mais

ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL. Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências 17A,17B, 17C, 17D e E.

ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL. Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências 17A,17B, 17C, 17D e E. ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências Turma: 17A,17B, 17C, 17D e E. Lista dos conteúdos Características dos Seres Vivos

Leia mais

ÁGUA. Água conhecida como elemento vital. primitivas. evoluídas. História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água.

ÁGUA. Água conhecida como elemento vital. primitivas. evoluídas. História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água. ÁGUA Água conhecida como elemento vital Comunidades primitivas evoluídas Água Sobrevivência História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água. Civilizações mais primitivas comunidades nômades

Leia mais

ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO

ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO BANDEIRANTES (PR) Av. Com. Luiz Meneghel, 992 - fone/fax (043) 542-4566 e.mail - saaeban@ffalm.br - CGCMF 75624478/0001-91 ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Elaborado por:

Leia mais

Elementos essenciais a vida: Zn, Mo e o Co. - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe;

Elementos essenciais a vida: Zn, Mo e o Co. - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe; Elementos essenciais a vida: - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe; - Micronutrientes principais: Al, Bo, Cr, Zn, Mo e o Co. Bio organismos

Leia mais

Publicado no Força do Oeste - pg 02 21/12/2006. Fatos da grande evolução da vida no planeta

Publicado no Força do Oeste - pg 02 21/12/2006. Fatos da grande evolução da vida no planeta Publicado no Força do Oeste - pg 02 21/12/2006 Fatos da grande evolução da vida no planeta O planeta terra surgiu a bilhões de anos atrás e, desde então, vem passando por alterações significativas, modificando

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2A

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2A CADERNO DE EXERCÍCIOS 2A Ensino Fundamental Ciências da Natureza II Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Cadeia alimentar e fluxo de energia H43 2 Esquema do sistema digestório H46 3 Órgãos

Leia mais

O clima está diferente. O que muda na nossa vida?

O clima está diferente. O que muda na nossa vida? O clima está diferente. O que muda na nossa vida? 06/2011 Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada. 2 SUMÁRIO

Leia mais

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui:

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: COLÉGIO JOÃO PAULO I ENSINO MÉDIO 2009 ECOLOGIA PROF. XANDI 1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: a) população b) comunidade c) ecossistema d)

Leia mais

Quadro de conteúdos CIÊNCIAS

Quadro de conteúdos CIÊNCIAS Quadro de conteúdos CIÊNCIAS 1 6 o ano UNIDADE CAPÍTULO CONTEÚDO 1 Ecologia: seres vivos e ambiente 2 Água: substância vital 3 O ar e a atmosfera 1 O mundo dos seres vivos 2 Os seres vivos e as suas interações

Leia mais

AQUECIMENTO GLOBAL. Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas CAPA

AQUECIMENTO GLOBAL. Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas CAPA CAPA AQUECIMENTO GLOBAL Ações que o setor hortifrutícola deve realizar para se proteger das mudanças climáticas Por Mônica Georgino Um dos maiores desafios da humanidade no século 21 é aprender a lidar

Leia mais

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia 1. Durante uma aula de campo, a professora informou que naquela área existiam diversas espécies de formigas, seres que estabelecem uma relação intraespecífica harmônica conhecida como sociedade. Informou

Leia mais

ECOLOGIA GERAL FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS

ECOLOGIA GERAL FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS ECOLOGIA GERAL Aula 05 Aula de hoje: FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS Sabemos que todos os organismos necessitam de energia para se manterem vivos, crescerem, se reproduzirem e, no caso

Leia mais

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial.

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Lixo reflexo da sociedade Definição Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Todo lixo gerado pode ser classificado em dois tipos:orgânico

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.

Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv. 88 Currículos dos Cursos do CCB UFV CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADOR DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Marco Aurélio Pedron e Silva pedron@mail.ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 89 Bacharelado e Licenciatura

Leia mais

Cerrado e caatinga. Compare estas duas fotos:

Cerrado e caatinga. Compare estas duas fotos: A UU L AL A Cerrado e caatinga Compare estas duas fotos: cerrado caatinga Observando as duas figuras, a característica que mais nos chama a atenção é que os dois ambientes parecem muito secos. Nesta aula,

Leia mais

PlanetaBio Resolução de Vestibulares UFRJ 2007 www.planetabio.com

PlanetaBio Resolução de Vestibulares UFRJ 2007 www.planetabio.com 1-O gráfico a seguir mostra como variou o percentual de cepas produtoras de penicilinase da bactéria Neisseria gonorrhoeae obtidas de indivíduos com gonorréia no período de 1980 a 1990. A penicilinase

Leia mais

Dinâmica dos Ecossistemas

Dinâmica dos Ecossistemas UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ECOLOGIA Prof. Oriel Herrera Monitores: John David & Giuliane Sampaio Dinâmica dos Ecossistemas Fortaleza-CE Versão

Leia mais

M i c r o Z o o m. - um jogo de observação e memória -

M i c r o Z o o m. - um jogo de observação e memória - M i c r o Z o o m - um jogo de observação e memória - Material de Apoio Raiva A raiva é uma doença fatal. Isso significa que se uma pessoa que se uma pessoa não vacinada for contaminada pelo vírus da raiva

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Período 1ºPeríodo Nº Aulas previstas 37 aulas Conteúdos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES ANO LECTIVO 2014 / 2015 PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano DOMÍNIO: PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES

Leia mais

DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO

DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Ciclo Biogeoquímico 1. É a troca cíclica de elementos químicos que ocorre entre os seres vivos e o ambiente. 2. Todos os elementos

Leia mais

Parâmetros de qualidade da água. Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas

Parâmetros de qualidade da água. Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas Parâmetros de qualidade da água Variáveis Físicas Variáveis Químicas Variáveis Microbiológicas Variáveis Hidrobiológicas Variáveis Ecotoxicológicas Coloração - COR Variáveis Físicas associada à presença

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Ano letivo 01/016 CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período : Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS 1.1. Importância de uma alimentação equilibrada e segura Alimentos e nutrientes;

Leia mais

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufc) Na(s) questão(ões) a seguir escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO (Ufc) Na(s) questão(ões) a seguir escreva no espaço apropriado a soma dos itens corretos. Respiração e Fermentação 1. (Fuvest) O fungo 'Saccharomyces cerevisiae' (fermento de padaria) é um anaeróbico facultativo. Quando cresce na ausência de oxigênio, consome muito mais glicose do que quando

Leia mais

O desmatamento das florestas tropicais responde por 25% das emissões globais de dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa.

O desmatamento das florestas tropicais responde por 25% das emissões globais de dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa. Biodiversidade Introdução Na Estratégia Nacional para a Biodiversidade, desenvolvida pelo Ministério do Meio Ambiente, acordou-se que o Brasil deve dar ênfase para seis questões básicas: conhecimento da

Leia mais

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto Capítulo 21 Meio Ambiente Global Geografia - 1ª Série O Tratado de Kyoto Acordo na Cidade de Kyoto - Japão (Dezembro 1997): Redução global de emissões de 6 Gases do Efeito Estufa em 5,2% no período de

Leia mais

Uso de Microorganismos na Produção de Álcool.

Uso de Microorganismos na Produção de Álcool. Uso de Microorganismos na Produção de Álcool. Microorganismos são fontes ricas de produtos naturais, podem ser usadas como combustíveis, produtos químicos: polímeros e drogas. A habilidade de manipular

Leia mais

Noções de Cidadania. Profª Karin

Noções de Cidadania. Profª Karin Noções de Cidadania Profª Karin Meio Ambiente e Saúde Ecologia: estudo seres vivos, ambiente, solo, água, ar, animais e vegetais. Equilíbrio entre o homem e meio ambiente. Avaliar as atitudes e consequências

Leia mais

Exercícios para Prova 1 de Biologia 1 Trimestre

Exercícios para Prova 1 de Biologia 1 Trimestre Exercícios para Prova 1 de Biologia 1 Trimestre Pessoal a matéria da prova de Biologia é dos Módulos 1 a 5 (Edgard) e Módulo 1 (Ricardo). Parte I O Gabarito está na última folha. 1. Ordene as categorias

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 117 Bacharelado ATUAÇÃO O Bacharelado em Ciências Biológicas tem como objetivo principal formar e capacitar

Leia mais

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA.

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. 1. CARREIRA DE PESQUISA EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA CARGO DE PESQUISADOR

Leia mais

7 ANO AULA DE CIÊNCIAS. Professora Andressa =)

7 ANO AULA DE CIÊNCIAS. Professora Andressa =) 7 ANO AULA DE CIÊNCIAS Professora Andressa =) 7 ANO PLANTAS Apostila volume 4 Importâncias Influência nas condições ambientais Influência no clima Fonte de Alimento para grande Abrigo para inúmeras

Leia mais

Questão 13. Questão 15. Questão 14. alternativa E. alternativa C

Questão 13. Questão 15. Questão 14. alternativa E. alternativa C Questão 13 A cidade de São Paulo, atravessada por dois grandes rios, Tietê e Pinheiros, e seus inúmeros afluentes, é freqüentemente assolada por grandes enchentes nos períodos chuvosos. Após as enchentes,

Leia mais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS A proposta O Material Didático Positivo, em sua proposição textual e metodológica, procura fornecer elementos para que

Leia mais