GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM PROCUREMENT Comitê de Sourcing. Compra de Displays. CatalogoDisplays.indd 1 27/06/13 18:23

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM PROCUREMENT Comitê de Sourcing. Compra de Displays. CatalogoDisplays.indd 1 27/06/13 18:23"

Transcrição

1 GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM PROCUREMENT Comitê de Sourcing Compra de Displays CatalogoDisplays.indd 1 27/06/13 18:23

2 CatalogoDisplays.indd 2 27/06/13 18:23

3 Introdução Planejamento Sustentabilidade Contratação de fornecedores Briefing Negociação/Orçamento Pré-produção/Produção Controle de qualidade/acompanhamento Avaliação do Processo/Contrato/Conclusão Pequeno Glossário Materiais de PDV citados neste Guia Links Úteis CatalogoDisplays.indd 3 27/06/13 18:23

4 INTRODUÇÃO À medida que os consumidores têm menos tempo para se dedicar aos processos de avaliação de compra, cresce a importância das ações in store e dos materiais de ponto de venda, que em poucos segundos devem cumprir a tripla tarefa de atrair, seduzir e incitar o target à aquisição do produto. Dentre os diversos materiais de ponto de venda, que envolvem peças promocionais e de merchandising, os displays são os que mais despertam a atenção do público. Tanto, que de acordo com um levantamento realizado pela Facta, 30% dos shoppers percebem os displays nos PDV s, contra 18% que notam os clip strips; 15%, os stoppers; 14%, as pontas de gôndola (bem mais onerosas); 13%, as faixas de gôndola; e 10%, os wobblers. Dos mais simples, produzidos em papelão, aos mais duráveis e sofisticados, elaborados com materiais resistentes e suportados por um vasto leque de recursos tecnológicos, os displays são divididos pelo mercado em seis grupos específicos de chão, parede, balcão, vitrine, ambientações e especiais (móvel expositor), sendo que a opção por um determinado tipo deve considerar as características do produto, necessidades da marca, objetivo da ação e adequação ao local de exposição. Mais do que meramente evidenciar os produtos e atrair a atenção dos shoppers, cabe a estes instrumentos traduzir o posicionamento da marca, por meio de mensagens publicitárias e do próprio design, que devem estar devidamente alinhados aos valores da marca. Tendo em vista a complexidade desta tarefa, para assegurar o melhor retorno sobre os investimentos injetados é preciso que o profissional de procurement atente aos múltiplos fatores que envolvem cada elo desta cadeia, do planejamento do projeto à correta destinação dos displays e seus resíduos ao término da ação, passando pela concepção do design, prototipagem, processo de produção, logística de distribuição e manutenção das peças. Afinal, além do produto, estará em evidência é a imagem da marca. CatalogoDisplays.indd 4 27/06/13 18:23

5 PLANEJAMENTO A equipe de compras já não exerce um papel meramente operacional, como era prática no passado. Cada vez mais, vem participando das decisões estratégicas da companhia, atuando em conjunto com as áreas de marketing e trade marketing desde a fase de planejamento dos projetos. Porém, para contribuir efetivamente no projeto de um display ou de ações que envolvam este instrumento, os profissionais de procurement devem conhecer as especificidades de toda cadeia de materiais de ponto de venda, assim como seus devidos custos, e acompanhar de perto as constantes novidades e tendências do setor. Desse modo, é fundamental manter um bom relacionamento tanto com os fornecedores (que respondem pela concepção e produção das peças) e varejistas (responsáveis pelos canais de distribuição), como com suas respectivas entidades representativas, participando sempre que possível de seus fóruns, seminários, congressos e workshops. A compra de displays deve ser planejada com antecedência, haja vista a complexidade nas múltiplas etapas envolvidas no projeto, que deverá contemplar as dimensões e aspectos físicos do produto, objetivo e período da ação, valores e posicionamento da marca, local de exposição (pontos de venda, feiras, convenções e outros eventos), espaço físico e regulamentações desse local, bem como o impacto da peça ao meio ambiente. Somente após estudar esses pontos será possível definir o tipo e categoria de display temporário (para exposições por período de até dois meses), semipermanente (entre dois e seis meses) e permanente (acima de seis meses) mais adequados à ocasião e, finalmente, contratar os prestadores de serviço, que detém o conhecimento técnico necessário em suas áreas de atuação. CatalogoDisplays.indd 5 27/06/13 18:23

6 Sustentabilidade Cada vez mais, as empresas e suas marcas, produtos ou serviços vêm sendo cobrados por sua consciência ecológica, razão pela qual o impacto dos materiais e processos empregados na produção dos displays deve ser previsto ainda na fase de planejamento do projeto. Portanto, é essencial ao profissional de procurement informar-se sobre os procedimentos ambientalmente corretos, bem como buscar parceiros comprometidos com a questão, firmando alianças com empresas realmente engajadas nesta causa e desenvolvendo ações compartilhadas entre os envolvidos (agências de design / marketing promocional, produtores de displays e canais de distribuição). Dessa forma, será sempre possível encontrar soluções sustentáveis, capazes de superar as dificuldades técnicas, financeiras e culturais. Afinal, se é verdade que ainda não há economia de escala na produção de materiais reciclados, também não há como negar as vantagens econômicas geradas por iniciativas que envolvam, por exemplo, o reuso das peças do display. Lembre-se de que a falta de conhecimento e de envolvimento nesta área acarreta problemas na imagem da marca, comprometendo os resultados esperados tanto por sua empresa, quanto pelo planeta. Por permitir o reaproveitamento de suas partes, os displays modulares favorecem a logística reversa. Sempre que possível, utilize materiais reciclados e/ou recicláveis nos projetos, rejeitando o uso de insumos e matérias-primas nocivas ao meio ambiente (como o ftalato presente no pvc). CatalogoDisplays.indd 6 27/06/13 18:23

7 Contratação de fornecedores Revelando-se cada vez mais preparada para atender as expectativas dos anunciantes, a indústria de displays vem desenvolvendo projetos criativos e inovadores, suportados por tecnologias de última geração. Contudo, a seleção dos fornecedores especializados em materiais de ponto de venda exige alguns cuidados especiais. Caso o serviço seja demandado diretamente ao produtor de displays, além de conhecer seu portfólio e carteira de clientes, cabe à empresa contratante analisar ainda seu modus operandi, assegurando-se de que está tecnicamente qualificado e em linha com as novas exigências do mercado, que abarcam investimentos em pesquisa e desenvolvimento de materiais, equipamentos, sistemas e processos, visando o alcance de uma melhor gestão de custos, bem como de maior qualidade, produtividade e responsabilidade socioambiental. Dependendo de sua estrutura e posicionamento, as próprias agências de design e de marketing promocional podem responder pelo trabalho estratégico e tático do projeto, seja identificando as necessidades da marca, seja selecionando os demais prestadores de serviço e acompanhando de perto todas as etapas de produção. Porém, é preciso avaliar o potencial criativo e sensibilidade dessas agências na compreensão da proposta, pois mais do que propiciar uma combinação harmoniosa de formas, cores e texturas ao corpo do projeto, o design do display deve expressar a alma da marca, que não será percebida apenas pelo resultado estético, mas pelos valores emocionais que é capaz de evocar. Também é possível encontrar no mercado empresas de outsourcing end to end, especializadas na gestão de todos os elos da cadeia de materiais de ponto de venda, do desenvolvimento do projeto ao reaproveitamento dos materiais, por meio da logística reversa. Independentemente do tipo de fornecedor escolhido, é sempre importante constatar sua atualização frente às tendências da área, bem como seu know-how técnico, que assegurará a viabilização da peça idealizada. Até porque, o display ideal é o que agrega simultaneamente design e funcionalidade. CatalogoDisplays.indd 7 27/06/13 18:23

8 A opção por fornecedores regionais reduz os custos decorrentes do frete de materiais. A despeito do tipo de fornecedor (agência, produtor ou empresa de outsourcing) que executará o projeto de display, a concepção do design deverá sempre ser de propriedade do anunciante prerrogativa que deve ser especificada em contrato. É possível optar entre dois fluxos de compra: pagar pelo projeto técnico/criativo aprovado, abrindo nova concorrência para sua execução, ou assegurar o primeiro lote de produção ao idealizador da proposta vencedora. Seja qual for a prática adotada, deverá ser previamente esclarecida a todos os concorrentes. Tendo em vista a crescente especialização dos produtores de displays em determinados processos e tipos de materiais, é fundamental conhecer a capacidade técnica de cada fornecedor antes de contratar seus serviços. Briefing Vale lembrar que todas as agências de design ou de marketing promocional envolvidas em um processo de concorrência devem receber um briefing de igual teor detalhado e objetivo, transmitindo com clareza as necessidades do cliente. O mesmo procedimento deve ser adotado nas concorrências entre os produtores de displays, aos quais devem ser transmitidos todos os dados necessários ao entendimento do projeto, incluindo seu detalhamento técnico. As boas práticas do mercado preveem também que, caso um prestador de serviço participante da concorrência expresse alguma dúvida em relação a determinado ponto do briefing, a resposta deve ser encaminhada inclusive aos demais integrantes, iniciativa que garantirá maior transparência ao processo. CatalogoDisplays.indd 8 27/06/13 18:23

9 Quanto mais rico em detalhes técnicos for o briefing, mais coerentes serão os orçamentos. Negociação / Orçamento Embora a área de compras deva atuar em conjunto com a de marketing e trade marketing, evitando dissonâncias na compreensão do projeto e garantindo que o mesmo esteja de acordo aos valores da marca, durante a negociação propriamente dita convém que o procurement seja o único a tratar de custos com os prestadores de serviços envolvidos, prática que assegurará maior foco e objetividade ao processo. O orçamento dos produtores de displays deve ser aberto, detalhado e transparente. A ABA sugere que este documento contemple as despesas diretas e indiretas de fabricação (overhead), abarcando itens como custo de mão de obra, matéria-prima, frete, embalagem, margem, impostos etc. Vale lembrar que, a exemplo do que ocorre em outros setores do mercado de comunicação, parcerias de longo prazo com os fornecedores de displays tendem a minimizar os custos, que ainda poderão ser otimizados pelo volume da demanda e/ou pacote de serviços preestabelecido. O prazo para pagamento do fornecedor costuma estar atrelado à entrega do produto ou à emissão da respectiva nota fiscal, devendo ser estabelecido entre as partes ainda na fase de negociação. O(s) prazo(s) de entrega do produto deve(m) ser claramente especificado(s) em contrato, sendo que eventuais atrasos são passíveis de multa. Na via contrária, caso haja necessidade de antecipação na entrega, o cliente deverá negociar previamente uma taxa de urgência. Ao contratar micro e pequenas empresas, optantes pelo simples nacional, o anunciante assume os custos de distribuição, já que estes fornecedores não recolhem icms. Tal valor (icms) deve ser considerado na equalização das propostas. CatalogoDisplays.indd 9 27/06/13 18:23

10 Pré-produção Com base nas informações do briefing, o fornecedor irá estudar a viabilidade técnica do projeto, considerando os recursos disponíveis, design e materiais mais adequados, tendo em vista os aspectos funcionais e conceituais do display. A partir daí, será elaborado o layout e/ou um projeto tridimensional da peça, capaz de permitir sua perfeita visualização para aprovação ou solicitação de eventuais ajustes, a fim de que o produto final possa atender plenamente às expectativas do cliente. Uma vez aprovada a proposta, o produtor de displays desenvolverá um protótipo, para que seja submetido aos mais diversos testes, capazes de avaliar, entre outros aspectos, a estética, dinâmica, estabilidade e resistência da peça. Embora seja sempre possível solicitar um pré-orçamento para mensurar a verba antes da elaboração do protótipo, vale lembrar que o custo final só poderá ser definido após a devida aprovação deste modelo, visto que ele determinará com precisão o grau de complexidade exigido no processo de produção. O projeto tridimensional do display pode ser produzido manual ou digitalmente, sendo que o processo digital costuma ser mais rápido, preciso e menos oneroso. Já o protótipo deve ser sempre artesanal. Via de regra, a empresa contratante não paga o protótipo ao produtor de displays vencedor do processo de concorrência. produção A fase de produção do display invariavelmente demanda um modelo artesanal, visto que o mesmo deverá ser desmembrado para que cada setor envolvido no processo (corte, moldagem, montagem, pintura, impressão, acabamento CatalogoDisplays.indd 10 27/06/13 18:23

11 etc.) possa executar sua parte com total assertividade. Evidentemente, o tempo de produção dependerá da complexidade do projeto, bem como dos sistemas e processos utilizados na manufatura das peças, tendo em vista as matérias-primas empregadas. No entanto, a indústria de displays tem disponibilizado novas tecnologias, capazes de agilizar a execução, além de minimizar custos e conferir maior precisão ao resultado final. É o caso, por exemplo, da impressão digital, que vem substituindo com vantagens a serigráfica; e da injeção de plástico, uma boa opção de moldagem para demandas de grande volume. Amplie sua base de fornecedores. Esta prática poderá ser útil ao cumprimento de prazos. Controle de Qualidade / Acompanhamento Antes de distribuir os displays recebidos aos pontos de venda ou outros locais de exposição, é prudente submeter as peças a um controle de qualidade interno, de forma a se certificar de que todos os detalhes acordados entre o cliente e fornecedor (como estabilidade da estrutura, espessura das paredes, normas de aplicação da logomarca, funcionamento dos recursos mecânicos e/ou eletrônicos, entre outros itens) foram devidamente respeitados. Porém, a responsabilidade do profissional de procurement no processo de compra de displays não termina na entrega das peças pelo fornecedor. Uma vez instaladas nos canais planejados, ainda é preciso zelar pela manutenção das mesmas, ao longo de todo o período de exposição negociado com os varejistas (quando expostas nos pontos de venda) ou organizadores de eventos. Assim, é sempre prudente firmar um contrato de manutenção. Ao final dessa jornada, os displays deverão ser removidos para reaproveitamento futuro ou descarte. Neste caso, é imprescindível assegurar a destinação adequada de cada material utilizado e correto tratamento dos resíduos sólidos, como determina a Lei /2010. CatalogoDisplays.indd 11 27/06/13 18:23

12 Avaliação do Processo O processo de compra de display deve ser encerrado com a criteriosa avaliação de cada fornecedor envolvido. Para tanto, aconselha-se a elaboração de uma planilha, capaz de apurar se as expectativas foram plenamente atingidas. Este instrumento poderá considerar itens como: qualidade no atendimento, compreensão do briefing, criatividade/inovação, prazo de pagamento, custos adicionais após a finalização, pontualidade na entrega, garantia de manutenção da(s) peça(s) e qualidade no pós-venda, dentre outros aspectos que julgar relevantes. Contrato O contrato com o produtor de displays, agência de design / marketing promocional ou empresa de outsourcing end to end deverá ser desenvolvido pelo departamento jurídico do anunciante ou do próprio prestador de serviço e firmado antes do início da execução do projeto. Utilize um contrato guarda-chuva, estabelecendo a condição comercial, descrição detalhada do escopo de trabalho do fornecedor e cláusulas salvaguardando as partes envolvidas. CONCLUSÃO Não é de hoje que as verbas então destinadas às mídias convencionais têm migrado para outros canais de comunicação, como o PDV, onde podem ocorrer até 85% das decisões de escolha das marcas. Nesse cenário, os displays ocupam um papel de destaque, atraindo a atenção dos consumidores e incitando-os à aquisição do produto promovido. No entanto, o processo de compra desta importante ferramenta de merchandising é bastante complexo, o que exige do profissional de procurement uma forte aproximação com as áreas de marketing e trade marketing da companhia, bem como com fornecedores, varejistas e suas respectivas entidades representativas. CatalogoDisplays.indd 12 27/06/13 18:23

13 Só assim será possível obter o conhecimento técnico necessário para agregar valor em todas as etapas que envolvem essa tarefa (detalhadas neste Guia) e assegurar maior assertividade nas tomadas de decisão, seja na escolha do melhor modelo de contratação de fornecedores (produtor de displays, agência de design/marketing promocional ou empresa de outsourcing), seja na seleção das tecnologias e materiais empregados na produção (dos mais simples, como aramado e papelão, aos mais sofisticados, que recorrem ao LED e telas touchscreen tendências na área) ou mesmo na opção pelo melhor caminho a seguir após a utilização das peças (descarte ou reaproveitamento, tendo em vista o correto tratamento dos resíduos sólidos e política de logística reversa). Afinal, o que está em jogo é a imagem da marca, a otimização de recursos e o alcance do maior retorno possível em cada ação implementada no PDV. Pequeno Glossário Ftalato Composto químico derivado do ácido ftálico, empregado como aditivo para tornar o plástico (especialmente o PVC) mais maleável. Nocivo à saúde, o ftalato migra para os alimentos, seja por meio de algumas embalagens e utensílios (como bicos de mamadeira, garrafas, copos e filmes plásticos), seja através da contaminação do solo pelas águas residuais das indústrias que o utilizam. PDV Ponto de venda de produtos ao consumidor final. Prototipagem Etapa de desenvolvimento do protótipo. Protótipo Materialização do projeto; primeiro exemplar; modelo utilizado para orientar as equipes envolvidas no desenvolvimento do produto (profissionais de marketing, procurement, designers, projetistas, engenheiros etc.), bem como para testar os atributos funcionais da peça, antes de sua produção em série. Serigrafia Silk-screen; técnica de impressão manual ou automatizada, que consiste na aplicação de tinta sobre uma tela trabalhada com áreas permeáveis e impermeabilizadas, responsáveis pela forma da imagem que se deseja imprimir. CatalogoDisplays.indd 13 27/06/13 18:23

14 Materiais de PDV citados neste Guia Ftalato Composto químico derivado do ácido ftálico, empregado como aditivo para tornar o plástico (especialmente o PVC) mais maleável. Nocivo à saúde, o ftalato migra para os alimentos, seja por meio de algumas embalagens e utensílios (como bicos de mamadeira, garrafas, copos e filmes plásticos), seja através da contaminação do solo pelas águas residuais das indústrias que o utilizam. Display de Balcão Clip Strip Display de Parede Display de Vitrine Móvel Expositor Ponta de Gôndola Clip Strip Wobbler Stopper Clip Strip CatalogoDisplays.indd 14 27/06/13 18:24

15 Links Úteis ABA - Associação Brasileira de Anunciantes Ampro - Associação de Marketing Promocional Popai - The Global Association for Marketing at Retail Popai Brasil CatalogoDisplays.indd 15 27/06/13 18:24

16 CatalogoDisplays.indd 16 27/06/13 18:24

Professor André Martins

Professor André Martins Professor André Martins Definição Merchandise, do inglês significa mercadoria, e merchandiser significa negociante. Portanto, merchandising, em sua tradução literal, seria mercadização; mas, adaptando

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO ACADÊMICO POPAI BRASIL

REGULAMENTO DO PRÊMIO ACADÊMICO POPAI BRASIL 1 REGULAMENTO DO PRÊMIO ACADÊMICO POPAI BRASIL 1 -O PRÊMIO ACADÊMICO POPAI BRASIL 2012 O PRÊMIO POPAI BRASIL é a edição nacional da única premiação criada para reconhecer os mais originais e eficazes materiais

Leia mais

Logística no Ponto de Venda (PDV)

Logística no Ponto de Venda (PDV) Logística no Ponto de Venda (PDV) Pesquisa: Percepção do Varejo em Relação às Ações Promocionais Maio de 2005 Objetivo: Avaliar o impacto dos vários tipos de promoções praticadas em supermercados junto

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

REGULAMENTO PRÊMIO ESTANDESIGN 2013

REGULAMENTO PRÊMIO ESTANDESIGN 2013 REGULAMENTO PRÊMIO ESTANDESIGN 2013 O PRÊMIO O Prêmio EstanDesign é uma iniciativa do Grupo Feira & Cia com o apoio do SINDIPROM (Sindicato de Empresas de Promoção, Organização e Montagem de Feiras, Congressos

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Comitê de Agências Gestão 2008 ÍNDICE OBJETIVO DO DOCUMENTO... 3 DEFINIÇÕES... 4 PONTOS PARA A ELABORAÇÃO DE UMA CONCORRÊNCIA... 5 RFI: Quando

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Invente, crie. Nós imprimimos. Ponto de venda, sinalização e personalização de frota.

Invente, crie. Nós imprimimos. Ponto de venda, sinalização e personalização de frota. Invente, crie. Nós imprimimos. Ponto de venda, sinalização e personalização de frota. A F9 é um dos mais experientes e equipados birôs de impressão digital do país. Desde os anos 90, quando a F9 foi fundada,

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

sz propaganda propaganda sz consulting sz webdesign sz branding sz design um novo começo. um novo começo. além da marca e muito mais

sz propaganda propaganda sz consulting sz webdesign sz branding sz design um novo começo. um novo começo. além da marca e muito mais sz propaganda um novo começo. propaganda sz um novo começo. sz consulting maximizando resultados sz branding além da marca sz design e muito mais sz webdesign sem portas fechadas Planejamento estratégico,

Leia mais

Decor Store. Interiores. Loja de Decorações de Interiores. Cristiane Dal Prá Designer de Interiores

Decor Store. Interiores. Loja de Decorações de Interiores. Cristiane Dal Prá Designer de Interiores Decor Store Interiores Loja de Decorações de Interiores Cristiane Dal Prá Designer de Interiores Quem somos A Decor Store Interiores é uma loja que agrega em um único espaço vários itens relacionados a

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

Subáreas. Marketing estratégico: Marketing de varejo

Subáreas. Marketing estratégico: Marketing de varejo Marketing estratégico: Marketing de varejo Marketing de serviços: Marketing de agronegócios Área: Marketing e Vendas Competências diagnóstico mercadológico; metodologia de análise e segmentação de mercado

Leia mais

1 - Conceituação de Produto

1 - Conceituação de Produto 1 - Conceituação de Produto Se para a maioria dos estúdios de design, o trabalho tem início com o desenvolvimento do produto, engana-se pois o processo começa com a conceituação. Pois, da precisão do conceito

Leia mais

MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR

MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR Introdução 02 A importância de calcular o ROI dos investimentos Capítulo 1 04 Aprendendo a definir os investimentos

Leia mais

REGULAMENTO GERAL COMISSÃO ORGANIZADORA PRÊMIO BRASILEIRO DE EMBALAGEM EMBANEWS TROFÉU ROBERTO HIRAISHI

REGULAMENTO GERAL COMISSÃO ORGANIZADORA PRÊMIO BRASILEIRO DE EMBALAGEM EMBANEWS TROFÉU ROBERTO HIRAISHI REGULAMENTO GERAL 1. DOS OBJETIVOS: O Concurso é promovido pela revista embanews e Newgen Comunicação e organizado pelo IBEM - Instituto Brasileiro de Embalagem, com a finalidade de destacar os melhores

Leia mais

DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS

DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS Alternativas tecnológicas disponíveis. Variações de custo e de segurança das operações. Copyright Ecovalor Consultoria

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO

Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO EPR 707 Prof. Dr. Carlos Eduardo Sanches da Silva Prof. Dr. Carlos Henrique Pereira Mello EPR 707 ENGENHARIA DO PRODUTO O que é o PDP PDP é o processo de negócio que: Busca as especificações de projeto

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec ETEC de São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

Portfólio V I S U A L M E R C H A N D I S I N G

Portfólio V I S U A L M E R C H A N D I S I N G Portfólio GLAUBER BRITTO V I S U A L M E R C H A N D I S I N G Perfil Profissional Atuando há 7 anos no mercado de Varejo e Atacado, passou por empresas de grande porte no Brasil, também obtém uma experiência

Leia mais

EMENTAS PÓS-FLEX 2016 CÂMPUS PRAÇA OSÓRIO

EMENTAS PÓS-FLEX 2016 CÂMPUS PRAÇA OSÓRIO EMENTAS PÓS-FLEX 2016 CÂMPUS PRAÇA OSÓRIO ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Consiste em apresentar aos alunos conceitos de administração e de planejamento estratégico em organizações, analisando o processo de

Leia mais

Palavra do CEO. Gilberto Grosso CEO

Palavra do CEO. Gilberto Grosso CEO Palavra do CEO A Avant é uma gigante por natureza. Ainda jovem nessa curta existência de duas décadas, já é uma das organizações líderes em iluminação no Brasil, reconhecida pela extrema qualidade dos

Leia mais

OFERTA DE CONSULTORIAS TÉCNICAS E DE GESTÃO PARA NEGÓCIOS

OFERTA DE CONSULTORIAS TÉCNICAS E DE GESTÃO PARA NEGÓCIOS OFERTA DE CONSULTORIAS TÉCNICAS E DE GESTÃO PARA NEGÓCIOS A Universidade do Estado do Pará (UEPA) através da (RITU) com apoio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), disponibiliza ao

Leia mais

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO A melhor formação cientifica, prática e metodológica. 1 POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA Marketing Vendas Logística ANTES: foco no produto - quantidade de produtos sem qualidade

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL

A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL ISSN 1984-9354 A SUSTENTABILIDADE EM PROJETOS DE PRODUTO: UMA ABORDAGEM AMBIENTAL Jaqueline Colares Viegas (UFF) Mara Telles Salles (UFF) Resumo A sustentabilidade tem se tornado um tema cada mais relevante

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Curso de Bacharelado em Administração

Curso de Bacharelado em Administração PRODUÇÃO TEXTUAL 2 2º SEMESTRE DISCIPLINA PROFESSOR Teorias da Administração II Ivan Campos Introdução à Contabilidade Vânia Silva Introdução à Economia Regina Melassise Matemática Helenara R. Sampaio

Leia mais

a) VISUAL MERCHANDISING

a) VISUAL MERCHANDISING a) VISUAL MERCHANDISING (1) Introdução Enquanto o marketing planeja, pesquisa avalia e movimenta o produto desde a sua fabricação até sua chegada ao ponto-de- venda, o merchandising representa o produto

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais

AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009

AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009 AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009 O SESI/SENAI - PR, torna pública a RETIFICAÇÃO referente ao Edital de CREDENCIAMENTO N.º 502/2009, conforme segue: Fica Incluído no ANEXO III - ÁREAS

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

Nova Lei de Contratação de Serviços de Publicidade Lei Federal nº 12.232/10

Nova Lei de Contratação de Serviços de Publicidade Lei Federal nº 12.232/10 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS Secretaria Municipal de Gestão e Controle Departamento de Auditoria Nova Lei de Contratação de Serviços de Publicidade Lei Federal nº 12.232/10 LEI FEDERAL 12.232, DE 29

Leia mais

Propaganda. Agência DIS Propaganda Apresentação / Portfólio

Propaganda. Agência DIS Propaganda Apresentação / Portfólio Agência DIS Propaganda Apresentação / Portfólio A DIS Propaganda é uma agência de propaganda e marketing que há mais de 30 anos em atividade, vem construindo as marcas de seus clientes. Propaganda O nosso

Leia mais

Manual Prático do Usuário

Manual Prático do Usuário Página 12 Saiba mais Em quanto tempo seu cliente recebe o produto Como é emitida a Nota fiscal e recolhido os impostos Pergunte ao Suporte Todos os pedidos serão enviados em até 24 horas úteis, após a

Leia mais

Pós Graduação em Trade Marketing

Pós Graduação em Trade Marketing Pós Graduação em Trade Marketing Público - alvo O curso é dirigido para profissionais de Marketing, Comunicação, Administração e ainda para aqueles que atuem no Varejo ou Indústria nas áreas de Gestão,

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento CONSUMIDORES (EM MILHÕES) 23,4 18,7 R$ 328 R$ 335 R$ 373 R$ 350 R$ 342 R$ 350

O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento CONSUMIDORES (EM MILHÕES) 23,4 18,7 R$ 328 R$ 335 R$ 373 R$ 350 R$ 342 R$ 350 ARTESANATO BOLETIM COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento Em 2012, o faturamento foi de R$ 22,5 bilhões no Brasil, e de aproximadamente R$ 28 bilhões em 2013.

Leia mais

Logística Empresarial. Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II. Aula 6. Conceitos Importantes.

Logística Empresarial. Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II. Aula 6. Conceitos Importantes. Logística Empresarial Aula 6 Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II Prof. Me. John Jackson Buettgen Contextualização Conceitos Importantes Fluxos logísticos É o movimento ou

Leia mais

Procurement Guia de Melhores Práticas Unindo a ciência de compras a arte de marketing

Procurement Guia de Melhores Práticas Unindo a ciência de compras a arte de marketing Procurement Guia de Melhores Práticas Unindo a ciência de compras a arte de marketing Maio de 2009 Objetivo Esse material tem como objetivo: Apresentar as tendências mundiais e as melhores práticas de

Leia mais

ACONTECENDO? O QUE ESTÁ O QUE PODEMOS FAZER?

ACONTECENDO? O QUE ESTÁ O QUE PODEMOS FAZER? O QUE ESTÁ ACONTECENDO? O futuro é uma incógnita. As tendências são preocupantes, mas uma coisa é certa: cada um tem de fazer sua parte. Todos somos responsáveis. A atual forma de relacionamento da humanidade

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING MÓDULO I 304101 FUNDAMENTOS DE MARKETING Fundamentos do Marketing. Processo de Marketing.

Leia mais

Política de Comunicação de Marketing

Política de Comunicação de Marketing OBJETIVO Esta política tem como objetivos garantir o alinhamento das ações e projetos de comunicação de marketing da TIM, com sua Missão e seus princípios com relação à Sustentabilidade, de forma responsável,

Leia mais

Fashion Marketing & Communication

Fashion Marketing & Communication Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Guia de sustentabilidade para plásticos

Guia de sustentabilidade para plásticos Guia de sustentabilidade para plásticos Maio 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 Introdução... 4 Contextualização dos plásticos... 6 Composição dos móveis e utensílios de plásticos...7 Requerimentos para materiais que

Leia mais

Propaganda. Agência DIS Propaganda Apresentação / Portfólio

Propaganda. Agência DIS Propaganda Apresentação / Portfólio Agência DIS Propaganda Apresentação / Portfólio A DIS Propaganda é uma agência de propaganda e marketing que há mais de 28 anos em atividade vem construindo as marcas de seus clientes. Propaganda O nosso

Leia mais

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais.

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais. Unidade de Projetos de Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais Branding Agosto de 2009 Elaborado em: 3/8/2009 Elaborado por: Apex-Brasil Versão: 09 Pág: 1 / 8 LÍDER DO GRUPO

Leia mais

Contratação de Promotores

Contratação de Promotores GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM PROCUREMENT Comitê de Sourcing Contratação de Promotores CatalogoPromotores_18_pag.indd 1 23/09/13 14:28 4 5 7 12 13 14 16 17 Introdução/Contratação de fornecedores Briefing

Leia mais

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER

LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER Conceito LOGÍSTICA REVERSA ACITSIGOL ASREVER É uma área da logística que atua de forma a gerenciar e operacionalizar o retorno de bens e materiais, após sua venda e consumo, às suas origens, agregando

Leia mais

Bens duráveis: duram muito tempo como, por exemplo, casas, carros, etc.

Bens duráveis: duram muito tempo como, por exemplo, casas, carros, etc. A3 - Produto e Preço O que é produto? Produto é o conjunto de benefícios que satisfaz o desejo e/ou a necessidade do consumidor, pelo qual ele está predisposto a pagar em função da sua disponibilidade

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

marketing Promocional Marketing 11 3721-3787

marketing Promocional Marketing 11 3721-3787 Marketing Promo Descomplicado 2015 Um dos maiores desafios que o Marketing Promocional enfrenta é o excesso de informações recebidas diariamente pelos consumidores, o que exige maior empenho dos profissionais

Leia mais

Leia dicas infalíveis para aumentar a produtividade do seu time e se manter competitivo no mercado da construção civil.

Leia dicas infalíveis para aumentar a produtividade do seu time e se manter competitivo no mercado da construção civil. Leia dicas infalíveis para aumentar a produtividade do seu time e se manter competitivo no mercado da construção civil. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01 PROMOVA A INTEGRAÇÃO ENTRE AS ÁREAS DE SUA

Leia mais

NAGI PG. Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás. Polo: Petrobras

NAGI PG. Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás. Polo: Petrobras NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS Capacitação em Gestão da Inovação para o Setor de Petróleo e Gás Polo: Petrobras Programa do Módulo I Módulo I: Planejamento Estratégico

Leia mais

MANUAL PARA FORNECEDORES

MANUAL PARA FORNECEDORES Página 1 de 11 SUMÁRIO: 1 VISÃO...3 2 MISSÃO...3 3 PRINCÍPIOS...3 4 POLÍTICA DE GESTÃO INOVA...4 5 - MENSAGEM AO FORNECEDOR...4 6 - OBJETIVO DO MANUAL...5 7 - REQUISITOS BÁSICOS DO SGQ...5 8 - AVALIAÇÃO

Leia mais

MERCHANDISING NO PDV: AGREGANDO VALOR AO PLANO DE COMUNICAÇÃO 1

MERCHANDISING NO PDV: AGREGANDO VALOR AO PLANO DE COMUNICAÇÃO 1 1 MERCHANDISING NO PDV: AGREGANDO VALOR AO PLANO DE COMUNICAÇÃO 1 Rafael Vinícius Back RESUMO Esse artigo consiste em demonstrar brevemente o papel do Merchandising no composto da comunicação e sua importância

Leia mais

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink

Diretrizes de Sustentabilidade Carelink 1 Para a, o que é sustentabilidade? É a forma mais eficaz para alcançarmos resultados consistentes, buscando soluções integradas que envolvam aspectos sociais, tecnológicos, econômicos e ambientais, de

Leia mais

Processos de planejamento de campanha publicitária

Processos de planejamento de campanha publicitária Processos de planejamento de campanha publicitária O que é planejar? Processo administrativo e sistemático para se atingir um determinado objetivo, coordenando a atuação do assunto em questão, para se

Leia mais

Prezados, seguem abaixo questionamentos pertinentes a Concorrência FIESC nº 020/2014 Lote 2.

Prezados, seguem abaixo questionamentos pertinentes a Concorrência FIESC nº 020/2014 Lote 2. Data: 16/09/2014 Para: AOS PARTICIPANTES DA CONCORRÊNCIA 020/2014 De: FIESC COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO Assunto: Esclarecimento n. 6 Pergunta: Prezados, seguem abaixo questionamentos pertinentes a Concorrência

Leia mais

MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS. Qual a diferença?

MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS. Qual a diferença? MARKETING PROMOCIONAL X PROMOÇÃO DE VENDAS Qual a diferença? Marketing promocional É uma ferramenta que se utiliza de várias outras para promover a promoção de vendas. Por exemplo: Marketing promocional

Leia mais

Portfólio Desenvolvimento de Trabalho

Portfólio Desenvolvimento de Trabalho Desenvolvimento de Trabalho Apis significa abelha. Mas isso você encontra em qualquer dicionário. O que você precisa mesmo saber é o que leva uma agência de comunicação a escolher Apis como seu nome. Em

Leia mais

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade 1. Introdução O ciclo dos produtos na cadeia comercial não termina quando, após serem usados pelos consumidores, são descartados. Há muito se fala em reciclagem e reaproveitamento dos materiais utilizados.

Leia mais

DISPLAYS EMBALAGENS ARAMADOS E INJETADOS PARA SUAS CAMPANHAS DE PDV MERCADO ATUAL. são PESADAS e pouco práticas. Espaço RESTRITO para COMUNICAÇÃO

DISPLAYS EMBALAGENS ARAMADOS E INJETADOS PARA SUAS CAMPANHAS DE PDV MERCADO ATUAL. são PESADAS e pouco práticas. Espaço RESTRITO para COMUNICAÇÃO MERCADO ATUAL O mercado consome DISPLAYS ARAMADOS E INJETADOS PARA SUAS CAMPANHAS DE PDV Espaço RESTRITO para COMUNICAÇÃO EMBALAGENS são PESADAS e pouco práticas MERCADO ATUAL Exige mais TEMPO DE PLANEJAMENTO

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Consultoria em COMPRAS e REDUÇÃO DE CUSTOS. Rumo à COMPETITIVIDADE das Empresas!

Consultoria em COMPRAS e REDUÇÃO DE CUSTOS. Rumo à COMPETITIVIDADE das Empresas! Consultoria em COMPRAS e REDUÇÃO DE CUSTOS Rumo à COMPETITIVIDADE das Empresas! QUEM SOMOS A EZ Trade Center apoia as empresas na OTIMIZAÇÃO DE COMPRAS e REDUÇÃO DE CUSTOS operacionais, permitindo gerar

Leia mais

Projeto de Incentivo à Reciclagem

Projeto de Incentivo à Reciclagem Projeto de Incentivo à Reciclagem Boas Práticas em Meio Ambiente Apresentação: O objetivo do seguinte projeto tem a finalidade de auxiliar a implementação da Coleta Seletiva e posteriormente envio para

Leia mais

O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados

O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados O Sistema Legal de Gestão dos Óleos Lubrificantes Usados ou Contaminados Proteção e Participação da Sociedade Março/2015 Lubrificante deterioração contaminação Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado OLUC

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

A PRÓXIMA GERAÇÃO DE PILHAS RECARREGÁVEIS MAIS ENERGIA, MAIS DIVERSÃO.

A PRÓXIMA GERAÇÃO DE PILHAS RECARREGÁVEIS MAIS ENERGIA, MAIS DIVERSÃO. MAIS ENERGIA, MAIS DIVERSÃO. Resultado de ampla pesquisa e desenvolvimento, a linha de pilhas recarregáveis REPLAY surgiu para quebrar os paradigmas do segmento. Alta tecnologia pensada especialmente para

Leia mais

Gestão do Conhecimento. Aplicada ao Marketing

Gestão do Conhecimento. Aplicada ao Marketing Edson Roberto Scharf Gestão do Conhecimento Aplicada ao Marketing Visual Books Sumário Apresentação... 13 1 Marketing: A Empresa Conectada ao Futuro através do Conhecimento... 15 1.1 Conceito Central...15

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores Gestão e Organização de Conferências e Reuniões Organização de conferências e reuniões, nos mais variados formatos, tais como reuniões educativas, encontros de negócios, convenções, recepções, eventos

Leia mais

4-8 TRANSFORME BONS NEGÓCIOS EM SUCESSO MAIO 2015. d a s 11 h à s 2 0 h Anhembi São Paulo - SP. www.feiplastic.com.br. facebook.

4-8 TRANSFORME BONS NEGÓCIOS EM SUCESSO MAIO 2015. d a s 11 h à s 2 0 h Anhembi São Paulo - SP. www.feiplastic.com.br. facebook. 4-8 MAIO 2015 d a s 11 h à s 2 0 h Anhembi São Paulo - SP TRANSFORME BONS NEGÓCIOS EM SUCESSO www.feiplastic.com.br Apoio Institucional: facebook.com/feiplastic Organização e Promoção: O EVENTO Com a ampliação

Leia mais

O que é Estudio Cosmica?

O que é Estudio Cosmica? Apresentacao O que é Estudio Cosmica? Criação e Concepção de Ideias e Projetos. Estudio Cosmica é um Estúdio de Criação e desenvolvimento de Ideias, Sempre Atento e antenado ao Mercado e novidades, buscando

Leia mais

Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação.

Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação. Product Lifecycle Management [PLM] Comprometa-se com a inovação. SoftExpert PLM Suite é uma solução que oferece os requisitos e as habilidades necessárias que as empresas precisam para gerenciar com êxito

Leia mais

O maior desafio da comunicação visual é fazer o olho do consumidor parar nos produtos com maior valor agregado

O maior desafio da comunicação visual é fazer o olho do consumidor parar nos produtos com maior valor agregado O maior desafio da comunicação visual é fazer o olho do consumidor parar nos produtos com maior valor agregado Todo estabelecimento comercial deve chamar a atenção do consumidor e despertar nele o interesse

Leia mais

Uma empresa é viável quando tem clientes em quantidade e com poder de compra suficiente para realizar vendas que cubram as despesas, gerando lucro.

Uma empresa é viável quando tem clientes em quantidade e com poder de compra suficiente para realizar vendas que cubram as despesas, gerando lucro. Página 1 de 9 2. Análise de Mercado 2.1 Estudo dos Clientes O que é e como fazer? Esta é uma das etapas mais importantes da elaboração do seu plano. Afinal, sem clientes não há negócios. Os clientes não

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO O título do projeto deve delimitar a área de abrangência onde as ações serão executadas. Setembro, 2014 1 SUMÁRIO 1. DADOS GERAIS

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

5 PASSOS PARA SE TORNAR UM CORRETOR DE IMÓVEIS. gerenciador e site imobiliário

5 PASSOS PARA SE TORNAR UM CORRETOR DE IMÓVEIS. gerenciador e site imobiliário 5 PASSOS PARA SE TORNAR UM CORRETOR DE IMÓVEIS gerenciador e site imobiliário Introdução 4 Primeiro passo: você como corretor! 7 Segundo passo: defina seu nicho! 11 Terceiro passo: crie seu portfólio de

Leia mais

seguir. Este artigo visa esclarecer as principais dúvidas sobre o cadastro de produtos no comércio eletrônico.

seguir. Este artigo visa esclarecer as principais dúvidas sobre o cadastro de produtos no comércio eletrônico. OHá endereçamento muitas particularidades de estoque que éenvolvem uma forma o de identificar onde cadastro um de produto produtos estáno localizado comércio dentro eletrônico, de umque armazém, almoxarifado

Leia mais

Shopper Marketing: A Influência no Momento da Compra MANUAL DO CURSO ESPM. Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP.

Shopper Marketing: A Influência no Momento da Compra MANUAL DO CURSO ESPM. Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP. Shopper Marketing: A Influência no Momento da Compra MANUAL DO CURSO ESPM Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP Informações Central de Relacionamento: (11) 5081-8200 (opção 1) Segunda a

Leia mais

Gestão da Marca. Construção de valores

Gestão da Marca. Construção de valores Gestão da Marca Construção de valores Design é mais do que o veículo pelo qual as marcas se expressam e se conectam com seus clientes... o design é um reflexo do ecossistema humano Marc Gobé Especialista

Leia mais

REVENDEDOR Conheça os benefícios de ser um Revendedor Grupo Positiva

REVENDEDOR Conheça os benefícios de ser um Revendedor Grupo Positiva Conheça os benefícios de ser um Revendedor Grupo Positiva Prezado Revendedor Seja bem-vindo! O Grupo Positiva conta com você para crescer no mercado e se tornar a empresa número 1 no segmento de soluções

Leia mais

Da marcação de conformidade à codificação de valor agregado

Da marcação de conformidade à codificação de valor agregado Nota técnica Da marcação de conformidade à codificação de valor agregado Tecnologia de jato de tinta contínuo Ultra High Speed cria novas oportunidades para a melhoria das embalagens A inovação no setor

Leia mais

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade

Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade Logística Reversa Meio-ambiente e Produtividade Carla Fernanda Mueller, carla@deps.ufsc.br 1. Introdução O ciclo dos produtos na cadeia comercial não termina quando, após serem usados pelos consumidores,

Leia mais

Operações de Rotina. 4.13 Arrumação da Loja

Operações de Rotina. 4.13 Arrumação da Loja 4.13 Arrumação da Loja Operações de Rotina O bem-estar na loja depende de muitos fatores. Um dos mais importantes é a arrumação, pois propicia uma boa impressão, tanto aos clientes quanto aos colaboradores.

Leia mais

CONCEITO. O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas:

CONCEITO. O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas: Parceria com: CONCEITO O conceito BI Soluções PME foi inspirado em três premissas: Reunir empresários de um mesmo setor afim de cooperar esforços para atingir resultados maiores e melhores com mais economia.

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Logística Agroindustrial Canais de suprimentos e distribuição. Prof. Paulo Medeiros

Logística Agroindustrial Canais de suprimentos e distribuição. Prof. Paulo Medeiros Logística Agroindustrial Canais de suprimentos e distribuição Prof. Paulo Medeiros Canais de suprimento e distribuição Podemos dividir as operações logísticas de uma empresa em três áreas: Suprimentos;

Leia mais

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis:

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Canais de marketing Prof. Ricardo Basílio ricardobmv@gmail.com Trade Marketing Trade Marketing Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Distribuidores; Clientes; Ponto de venda.

Leia mais

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM União Metropolitana de Educação e Cultura Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM Lauro de Freitas - BAHIA 2013 2 JUSTIFICATIVA A principal justificativa para o desenvolvimento e implementação

Leia mais

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS RAMA 1 O QUE É O RAMA? Página 3 Sumário 2 PARA QUE SERVE O RAMA? 3 Página 4 COMO FUNCIONA O RAMA? Página 5 4 POR QUE PARTICIPAR Página 9 DO RAMA? 5 COMO PARTICIPAR DO RAMA? Página 10 6 QUAIS OS BENEFÍCIOS

Leia mais