Parte 1: Compreensão e interpretação do texto. As cruéis sereias. Aluno(a): Professor(a): Turma: n o : Data:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parte 1: Compreensão e interpretação do texto. As cruéis sereias. Aluno(a): Professor(a): Turma: n o : Data:"

Transcrição

1 Aluno(a): Professor(a): Turma: n o : Data: Leia o texto a seguir com atenção. Trata-se de um trecho da epopeia Odisseia, atribuída ao poeta grego Homero. Originariamente narrada em versos, ela narra as aventuras de Odisseu ao atravessar o mar para retornar ao seu reino, a ilha de Ítaca, após vencer a guerra de Troia. As cruéis sereias Um dos mais terríveis perigos que Ulisses teve de enfrentar em seu regresso a Ítaca foram as sereias, demônios marinhos com rosto de mulher, mas dotados de asas e garras de aves de rapina. Seu canto era tão melodioso e sedutor que atraía irresistivelmente todos os marujos que passavam pelas vizinhanças da ilha onde elas viviam. Os navios aproximavam-se então imprudentemente da costa pontilhada de escolhos agudos e de íngremes rochedos e rachavam os cascos, soçobrando nas águas pardacentas. Os náufragos que porventura conseguissem alcançar terra eram impiedosamente devorados por seres demoníacos. Advertidos por Circe, Ulisses e seus companheiros sabiam perfeitamente o que deviam fazer mal avistassem a ilha das sereias. Tinham de trabalhar rápido antes que uma só nota de seu harmonioso canto viajasse pelos ares. Vedaram, pois, cuidadosamente os ouvidos com pedaços de cera de abelha, que haviam recolhido na ilha de Eeia, e depois amarraram Ulisses ao mastro com cordas sólidas. Fora essa a forma que o herói havia imaginado para, de maneira segura, satisfazer a sua insaciável curiosidade, um dos traços marcantes do seu espírito. Mal tinham os companheiros acabado de cingir o corpo de Ulisses com os últimos nós, as sereias, enxergando ao longe o barco dos gregos, iniciaram o seu canto mavioso e aliciante: Venha, Ulisses, honra e orgulho da nobre Grécia! Aproxime-se para ouvir a nossa voz! Quem por aqui passa deleita-se com nossas melodias, escuta os feitos gregos na altiva Troia e penetra os segredos do universo. Seduzido por tais apelos, o herói ordenou asperamente aos companheiros que o soltassem, mas estes, com os ouvidos entupidos pela cera, continuavam tranquilos a remar. Percebendo, porém, que Ulisses fazia esforços desesperados para libertar-se, dois deles se levantaram e foram reforçar ainda mais os laços. Apenas quando a ilha das cruéis sereias desapareceu no horizonte é que os marujos, cientes de que já não havia perigo, retiraram a cera que lhes tapava os ouvidos e cortaram as cordas que prendiam o astuto Ulisses ao mastro da nau. Homero. Odisseia. Adaptação de Roberto Lacerda. São Paulo: Scipione, p Parte 1: Compreensão e interpretação do texto 1 A epopeia é uma narrativa, o que signifi ca que nela costumamos encontrar os elementos constitutivos das narrativas em geral. Escreva que elemento da narrativa está explícito em cada trecho transcrito a seguir. a) As artimanhas de Ulisses para passar pela ilha das sereias e resistir aos apelos do canto delas. b) O intervalo entre o avistar a ilha das sereias e o afastar-se dela. 1

2 c) Ulisses e seus companheiros, Circe e as sereias. d) Uma ilha com costa pontilhada de escolhos agudos e de íngremes rochedos. 2 Conforme você estudou, epopeia é uma longa narrativa que exalta as ações de um herói histórico ou lendário que representa um povo. Além disso, essa narrativa tem por objetivo contar fatos passados os quais podem servir de exemplo para os ouvintes. Ciente disso, copie do texto o trecho em que é possível identifi car: a) o povo representado pelo herói: b) o fato que pode servir de exemplo ao povo: 3 Identifi que no trecho abaixo alguns aspectos da epopeia. Escreva pelo menos dois deles. Advertidos por Circe, Ulisses e seus companheiros sabiam perfeitamente o que deviam fazer mal avistassem a ilha das sereias. Tinham de trabalhar rápido antes que uma só nota de seu harmonioso canto viajasse pelos ares. 4 Releia o trecho do canto das sereias. Sabendo que mavioso signifi ca suave, harmonioso, e aliciante signifi ca sedutor, responda: a) Que argumentos as sereias usaram para convencer Ulisses a se aproximar delas? b) Por que elas tinham certeza de que Ulisses seria seduzido por esses argumentos? 5 Por que as sereias não conseguiram alcançar seu objetivo? Assinale a resposta correta: a) Porque Ulisses, como todo herói, resiste bravamente aos apelos das sereias. ( ) b) Porque Ulisses não consegue ouvir o canto das sereias por causa da cera nos ouvidos. ( ) c) Porque os companheiros de Ulisses desobedecem à ordem de desamarrá-lo. ( ) d) Porque os companheiros de Ulisses não conseguem ouvir a ordem dele por causa da cera nos ouvidos. ( ) 2

3 6 Por que Ulisses foi amarrado ao mastro do navio em vez de, como seus companheiros, vedar os ouvidos com cera de abelha? 7 Na epopeia o herói sempre vence os perigos. Imagine outro modo de Ulisses resistir ao canto das sereias. Escreva um parágrafo contando o que imaginou. Parte 2: Conhecimentos de gramática Você estudou que, para compor um texto, não basta juntar palavras, frases, orações ou parágrafos. É preciso relacioná-los de modo a produzir sentido. 1 Copie dos trechos a seguir palavras ou expressões que estabelecem relações de tempo entre fatos narrados: a) Os navios aproximavam-se então imprudentemente da costa pontilhada de escolhos agudos e de íngremes rochedos e rachavam os cascos, soçobrando nas águas pardacentas. b) Tinham de trabalhar rápido antes que uma só nota de seu harmonioso canto viajasse pelos ares. c) Vedaram, pois, cuidadosamente os ouvidos com pedaços de cera de abelha, que haviam recolhido na ilha de Eeia, e depois amarraram Ulisses ao mastro com cordas sólidas. 2 Copie dos trechos a seguir palavras ou expressões que estabelecem relações de espaço, de lugar entre fatos narrados: a) Mal tinham os companheiros acabado de cingir o corpo de Ulisses com os últimos nós, as sereias, enxergando ao longe o barco dos gregos, iniciaram o seu canto mavioso e aliciante. b) Venha, Ulisses, honra e orgulho da nobre Grécia! Aproxime-se para ouvir a nossa voz! Quem por aqui passa deleita-se com nossas melodias, escuta os feitos gregos na altiva Troia e penetra os segredos do universo. 3

4 3 Copie dos trechos a seguir palavras ou expressões que estabelecem relações de modo entre fatos narrados: a) Advertidos por Circe, Ulisses e seus companheiros sabiam perfeitamente o que deviam fazer... b) Seduzido por tais apelos, o herói ordenou asperamente aos companheiros que o soltassem, mas estes, com os ouvidos entupidos pela cera, continuavam tranquilos a remar. 4 Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta das relações estabelecidas pelas palavras ou expressões grifadas: Percebendo, porém, que Ulisses fazia esforços desesperados para libertar-se, dois deles se levantaram e foram reforçar ainda mais os laços. Apenas quando a ilha das cruéis sereias desapareceu no horizonte é que os marujos, cientes de que já não havia perigo, retiraram a cera que lhes tapava os ouvidos e cortaram as cordas que prendiam o astuto Ulisses ao mastro da nau. a) tempo, modo oposição ( ) c) oposição, tempo, modo ( ) b) oposição, intensidade, tempo ( ) d) modo, tempo, oposição ( ) 5 Nos trechos a seguir, foram destacados alguns elementos coesivos, isto é, que estabelecem relações de sentido entre palavras, frases, parágrafos ou partes de um texto. Marque a alternativa que defi ne a relação estabelecida pelo elemento coesivo em destaque em cada caso. a) Um dos mais terríveis perigos que Ulisses teve de enfrentar em seu regresso a Ítaca foram as sereias, demônios marinhos com rosto de mulher, mas dotados de asas e garras de aves de rapina. ( ) adição ( ) oposição ( ) conclusão b) Os navios aproximavam-se então imprudentemente da costa pontilhada de escolhos agudos e de íngremes rochedos e rachavam os cascos, soçobrando nas águas pardacentas. Os náufragos que porventura conseguissem alcançar terra eram impiedosamente devorados por seres demoníacos. ( ) adição ( ) oposição ( ) conclusão 6 Reescreva o trecho a seguir trocando os elementos coesivos em destaque de modo a mudar as relações estabelecidas por eles: Percebendo, porém, que Ulisses fazia esforços desesperados para libertar-se, dois deles se levantaram e foram reforçar ainda mais os laços. com o primeiro elemento, em vez de relação de oposição, estabeleça relação de conclusão; com o segundo elemento, em vez de relação de adição, estabeleça relação de oposição. 4

5 : unidades 1 e 2 Gênero: epopeia Respostas e comentários para o professor Parte 1: Compreensão e interpretação do texto 1 a. Ação. 1 b. Tempo. 1 c. Personagens. 1 d. Espaço. 2 a. Povo de Ítaca/ povo grego. 2 b. Resistir aos apelos do canto das sereias, ou seja, resistir àquilo que encanta. 3 O herói é o líder de um grupo. / A interferência de deuses na ação do herói. / O herói é sempre ajudado pelo seu povo a vencer os desafi os que encontra. 4 a. Elas iriam contar como os gregos venceram os troianos e ensinar a Ulisses os segredos do universo. 4 b. Porque sabiam do poder de sedução dos elogios ao herói e porque queriam seduzi-lo também para a aventura de conhecer segredos do mundo. 5 Item d. 6 Porque, embora tivesse curiosidade em conhecer o canto das sereias, não queria correr o risco de se deixar seduzir por elas. 7 Professor, o importante é a coerência com o contexto e a organização interna do parágrafo. Parte 2: Conhecimentos de gramática 1 a. Então. 1 b. Antes que. 1 c. Depois. 2 a. Ao longe. 2 b. Por aqui. 3 a. Perfeitamente. 3 b. Asperamente. 4 Item b. 5 a. Oposição. 5 b. Adição. 6 Percebendo, portanto, que Ulisses fazia esforços desesperados para libertar-se, dois deles se levantaram, mas foram reforçar ainda mais os laços.

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

OLIMPVS.NET BIBLIOTECAS. DURAÇÃO PREVISTA DA SESSÃO EM SALA DE AULA OU BIBLIOTECA: 50 +15 minutos opcionais

OLIMPVS.NET BIBLIOTECAS. DURAÇÃO PREVISTA DA SESSÃO EM SALA DE AULA OU BIBLIOTECA: 50 +15 minutos opcionais OLIMPVS.NET BIBLIOTECAS VOLUME 4 O ENIGMA DE ULISSES GUIÃO DESTINATÁRIOS: dos 9 aos 14 anos NÚMERO MÁXIMO DE PARTICIPANTES: 26 DURAÇÃO PREVISTA DA SESSÃO EM SALA DE AULA OU BIBLIOTECA: 50 +15 minutos opcionais

Leia mais

GRUPO IV 2 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO IV 2 o BIMESTRE PROVA A A GERAÇÃO DO CONHECIMENTO Transformando conhecimentos em valores www.geracaococ.com.br Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: MANHÃ Data: 12/5/2010 PROVA GRUPO GRUPO IV 2 o BIMESTRE PROVA

Leia mais

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Montanhas e costas marítimas; Mar Mediterrâneo, Mar Egeo e Mar Jônico. Costa bastante recortada com 80% de montanhas; Grande numero de Ilhas; Formação

Leia mais

A GRÉCIA ANTIGA passo a passo

A GRÉCIA ANTIGA passo a passo A GRÉCIA ANTIGA passo a passo ÉRIC DARS e ÉRIC TEYSSIER Ilustrações de Vincent Caut Tradução de Julia da Rosa Simões Copyright do texto 2011 by Éric Dars e Éric Teyssier Copyright das ilustrações 2011

Leia mais

ANTIGUIDADE OCIDENTAL PROFESSORA JACK PÓVOAS

ANTIGUIDADE OCIDENTAL PROFESSORA JACK PÓVOAS ANTIGUIDADE OCIDENTAL PROFESSORA JACK PÓVOAS A CIVILIZAÇÃO GREGA Sem Grécia e Roma nós não seríamos o que somos. Michael Grant GRECIA GRÉCIA: a Terra dos Deuses NOME OFICIAL: República Helênica. CAPITAL:

Leia mais

ADMISSÃO2014 Número de Inscrição Língua Portuguesa/ 1ª Série QUESTÃO 1 No texto 1, há a formulação e defesa de um ponto de vista por meio de argumentação e exemplificação. Tomando por base o fato principal

Leia mais

COLÉGIO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO PARALELA. 3ª Etapa 2010

COLÉGIO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO PARALELA. 3ª Etapa 2010 COLÉGIO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO PARALELA 3ª Etapa 2010 Disciplina: História Ano: 6º. Educadora:Marta Maria Turmas: manhã e tarde. Caro educando, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

TÍTULO DO PROGRAMA. NASCER Série: Lendas da Ciência SINOPSE DO PROGRAMA

TÍTULO DO PROGRAMA. NASCER Série: Lendas da Ciência SINOPSE DO PROGRAMA TÍTULO DO PROGRAMA NASCER Série: Lendas da Ciência SINOPSE DO PROGRAMA O filósofo Michel Serres conduz o documentário ao mundo grego dos séculos 5 e 6 antes de Cristo, para mostrar o momento que ele considera

Leia mais

Ulisses. Maria Alberta Menéres GUIÃO DE LEITURA. Introdução. 1. Nesta obra contam-se as aventuras fantásticas de Ulisses, um herói grego.

Ulisses. Maria Alberta Menéres GUIÃO DE LEITURA. Introdução. 1. Nesta obra contam-se as aventuras fantásticas de Ulisses, um herói grego. GUIÃO DE LEITURA Ulisses Maria Alberta Menéres (ASA, 2011) Introdução 1. Nesta obra contam-se as aventuras fantásticas de Ulisses, um herói grego. 1.1. Observa o mapa e identifica dois locais importantes

Leia mais

ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA-4º ANO

ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA-4º ANO Disciplina : Língua Portuguesa Professora: Nilceli Barueri, / 08 / 2010 2ª postagem Nome: n.º 4º ano ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA-4º ANO Queridos alunos, aqui está a segunda postagem de Língua Portuguesa.

Leia mais

Tyll, o mestre das artes

Tyll, o mestre das artes Nome: Ensino: F undamental 5 o ano urma: T ata: D 10/8/09 Língua Por ortuguesa Tyll, o mestre das artes Tyll era um herói malandro que viajava pela antiga Alemanha inventando golpes para ganhar dinheiro

Leia mais

PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO?

PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO? PERÍODO HOMÉRICO EM HOMENAGEM A HOMERO QUEM FOI HOMERO? Homero foi um poeta épico da Grécia Antiga, ao qual tradicionalmente se atribui a autoria dos poemas épicos Ilíada e Odisseia. Poemas épicos = são

Leia mais

Novo Programa de Português do Ensino Básico

Novo Programa de Português do Ensino Básico Novo Programa de Português do Ensino Básico No dia-a-dia, deparamos frequentemente com textos/discursos que nos chamam a atenção um pouco por todo o lado. Mas que nos dizem esses textos/discursos? O que

Leia mais

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Bíblia para crianças apresenta AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da

Leia mais

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 04 RESSURREIÇÃO DE DORCAS / CORNÉLIO E PEDRO Nome: Professor: Sala

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 04 RESSURREIÇÃO DE DORCAS / CORNÉLIO E PEDRO Nome: Professor: Sala MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 04 RESSURREIÇÃO DE DORCAS / CORNÉLIO E PEDRO Nome: Professor: Sala VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA Usamos a Bíblia na Nova Versão Internacional

Leia mais

Lindo e Triste Brasil

Lindo e Triste Brasil SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 07 / / 0 II AVALIAÇÃO ESPECIAL DE GEOGRAFIA 5.º ANO/EF UNIDADE: ALUNO(A): Nº: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 0,0 MÉDIA:

Leia mais

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre

Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Disciplina:História Professora: Andréa Alexandre Cidadania Democracia Filosofia Geometria Teatro Período Pré-Homérico (2800 1100 a. C.) povoamento da Grécia. Período Homérico (1100 800 a. C.) poemas

Leia mais

POR ANA FLÁVIA ALONÇO 1. Pedagoga e mestranda pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Atualmente é capacitadora do Projeto DICA.

POR ANA FLÁVIA ALONÇO 1. Pedagoga e mestranda pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Atualmente é capacitadora do Projeto DICA. O conhecimen como eixo POR ANA FLÁVIA ALONÇO 1 O necessário é fazer da escola um âmbito onde leitura e escrita sejam práticas vivas e vitais, onde ler e escrever sejam instrumentos poderosos que permitem

Leia mais

Jussara Braga. Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva. Ilustrações de Rogério Borges

Jussara Braga. Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva. Ilustrações de Rogério Borges Jussara Braga Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Ilustrações de Rogério Borges 1 O desejo das águas é um livro poético escrito em prosa, mas cheio de poesia e lirismo. Por isso,

Leia mais

OLIMPVS.NET. Capítulo Áreas / Disciplinas

OLIMPVS.NET. Capítulo Áreas / Disciplinas VOLUME 1 GUIÕES INTERDISCIPLINARES Capítulo Áreas / Disciplinas 1 Psicólogos e diretores de turma 2 História; Geografia 3 Psicólogos e Diretores de Turma ; Geografia 4 Matemática; História 5 História 6

Leia mais

HISTÓRIA REVISAO 1 REVISAO 2. Vídeo - Moisés Príncipe do Egito.

HISTÓRIA REVISAO 1 REVISAO 2. Vídeo - Moisés Príncipe do Egito. Vídeo - Moisés Príncipe do Egito. Os hebreus Foram os primeiros povos monoteístas da história. Seus reis mais famosos foram Davi e Salomão. A Bíblia é uma fonte importante para o conhecimento sobre a história

Leia mais

Na sala de aula com as crianças

Na sala de aula com as crianças O CD Rubem Alves Novas Estórias, volume 3, abre novas janelas de oportunidade para quem gosta da literatura. Através do audiolivro podemos apreciar encantadoras histórias e deixar fluir a imaginação. Rubem

Leia mais

- Fernão, mentes? - Minto!

- Fernão, mentes? - Minto! Na etapa 3, leste um excerto do primeiro capítulo da Peregrinação de Fernão Mendes Pinto, numa adaptação de Aquilino Ribeiro. Nesta etapa, vais ler um excerto do último capítulo do original, Peregrinação,

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA A REUNIÃO GERAL DOS RATOS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA A REUNIÃO GERAL DOS RATOS SEQUÊNCIA DIDÁTICA A REUNIÃO GERAL DOS RATOS LÍGUA PORTUGUESA ESCOLA: NOME: DATA: / / TURMA: PROFESSORA: A REUNIÃO GERAL DOS RATOS Uma vez, os ratos, que viviam com medo de um gato, resolveram fazer uma

Leia mais

História de Trancoso

História de Trancoso Aluno(a): Professor(a): Turma: n o : Data: Leia o texto a seguir com atenção. História de Trancoso Joel Rufi no dos Santos Era uma vez um fazendeiro podre de rico, que viajava solitário. Ah, quem me dera

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs UMA IDEIA TODA AZUL

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs UMA IDEIA TODA AZUL Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 5 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: UMA IDEIA TODA AZUL Um dia o Rei teve uma ideia. Era a primeira da vida

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 9 ano Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE Análise de textos poéticos Texto 1 Um homem também chora Um homem também

Leia mais

Cartão postal. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz

Cartão postal. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz Cartão postal CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz SINOPSE geral da série Chico, 6 anos, adora passar as tardes na estamparia de fundo de quintal do seu avô. Nela, Vô Manu construiu um Portal

Leia mais

PROVAS DE ADMISSÃO (PROVA MODELO) 5º ANO

PROVAS DE ADMISSÃO (PROVA MODELO) 5º ANO PROVAS DE ADMISSÃO (PROVA MODELO) 5º ANO PARTE I PORTUGUÊS Grupo I Lê com atenção o texto A. O Beijo da Palavrinha Era uma vez uma menina que nunca vira o mar. Chamava-se Maria Poeirinha. Ela e a sua família

Leia mais

LIÇÃO 1 A SUPERIORIDADE DE CRISTO Cristo é superior a tudo e a todos, portanto, reina sobre tudo e todos Hebreus 1.1-2.18; 5.1-10

LIÇÃO 1 A SUPERIORIDADE DE CRISTO Cristo é superior a tudo e a todos, portanto, reina sobre tudo e todos Hebreus 1.1-2.18; 5.1-10 LIÇÃO 1 A SUPERIORIDADE DE CRISTO Cristo é superior a tudo e a todos, portanto, reina sobre tudo e todos Hebreus 1.1-2.18; 5.1-10 1. Pesquise cinco passagens no Antigo Testamento que anunciem o Messias,

Leia mais

Introdução a mitologia Africana para sala de aula

Introdução a mitologia Africana para sala de aula Introdução a mitologia Africana para sala de aula Curso de extensão Universidade Castelo Branco Prof. Dr. Arthur Vianna (PUCSP) Escola de formação de Professores Curso de História Objetivo Proporcionar

Leia mais

A História dos Três Porquinhos

A História dos Três Porquinhos SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 0 / / 03 UNIDADE: III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Atividade 11. Caça ao Tesouro Autômatos de Estados Finitos

Atividade 11. Caça ao Tesouro Autômatos de Estados Finitos Atividade 11 Caça ao Tesouro Autômatos de Estados Finitos Sumário Freqüentemente programas de computador precisam processar uma seqüência de símbolos como letras ou palavras em um documento, ou até mesmo

Leia mais

EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS (6º ANO)

EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS (6º ANO) EXERCÍCIOS DE PORTUGUÊS (6º ANO) ADJETIVO 1. Leia. Escreva o substantivo que dá nome ao animal citado no texto. 2. De acordo com a ilustração, escreva esse substantivo e uma palavra que atribua característica

Leia mais

VALORES E EDUCAÇÃO NA HISTÓRIA E NO IMAGINÁRIO: REVISITANDO HOMERO E HESÍODO NA GRÉCIA ANTIGA

VALORES E EDUCAÇÃO NA HISTÓRIA E NO IMAGINÁRIO: REVISITANDO HOMERO E HESÍODO NA GRÉCIA ANTIGA VALORES E EDUCAÇÃO NA HISTÓRIA E NO IMAGINÁRIO: REVISITANDO HOMERO E HESÍODO NA GRÉCIA ANTIGA Sandra Hoyler BAUERMEISTER Homero (VIII a.c) foi o mais antigo e respeitado poeta da Grécia Antiga. Até hoje

Leia mais

Fábula. Obs: A estrutura das fábulas segue a mesma explicada no gênero anterior Conto. Afinal fazem parte do mesmo tipo textual: Narrativa.

Fábula. Obs: A estrutura das fábulas segue a mesma explicada no gênero anterior Conto. Afinal fazem parte do mesmo tipo textual: Narrativa. 10 Fábula O que é: Trata-se de um gênero narrativo ficcional bastante popular. É uma história curta, vivida por animais e que termina com uma conclusão ético- moral. As fábulas eram narrativas orais, e

Leia mais

Surfista Solitário: imagens ouvidas a partir da música

Surfista Solitário: imagens ouvidas a partir da música Surfista Solitário: imagens ouvidas a partir da música Patricia Flores de Medeiros 1 Este trabalho trata sobre a música Surfista Solitário, de Gabriel O Pensador e sua insistente necessidade de ser ouvida

Leia mais

O Crente Sempre Alerta!

O Crente Sempre Alerta! 2 de Outubro de 2015 Vieram contra Gibeá dez mil homens escolhidos de todo o Israel, e a batalha tornou-se rude; porém os de Gibeá não sabiam que o mal lhes sobrevinha. Juízes 20.34 EXÓRDIO O capítulo

Leia mais

ESCOLA BÍBLICA I. E. S.O.S JESUS

ESCOLA BÍBLICA I. E. S.O.S JESUS Data: 03/03/08 COMO A MORTE ENTROU NO MUNDO PECADO Significa errar o alvo, rebelião, desobediência. etc. HERMENEUTICA A arte de interpretar o sentido das palavras em leis, textos, Romanos, 5 : 12 12 Portanto,

Leia mais

UM FORTE HOMEM DE DEUS

UM FORTE HOMEM DE DEUS Bíblia para crianças apresenta SANSÃO, UM FORTE HOMEM DE DEUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Lyn Doerksen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia

Leia mais

Cultura Juvenil e as influências musicais: pensando a música afro-brasileira e a sua utilização entre os jovens na escola

Cultura Juvenil e as influências musicais: pensando a música afro-brasileira e a sua utilização entre os jovens na escola Cultura Juvenil e as influências musicais: pensando a música afro-brasileira e a sua utilização entre os jovens na escola Patrícia Cristina de Aragão Araújo 1 Thaís de Oliveira e Silva 2 A escola existe

Leia mais

MITO: vem do vocábulo grego mythos, que significa contar ou narrar algo.

MITO: vem do vocábulo grego mythos, que significa contar ou narrar algo. ORIGEM DA FILOSOFIA Nasce no século VI a.c., em Mileto (cidade situada na Jônia, região de colônias gregas na Ásia menor). Filosofia representa a passagem do saber mítico (alegórico, fantástico, fantasioso)

Leia mais

Hans Staden. um aventureiro no Novo Mundo. Jô Oliveira. Adaptação e ilustrações. e m q u a d r i n h o s

Hans Staden. um aventureiro no Novo Mundo. Jô Oliveira. Adaptação e ilustrações. e m q u a d r i n h o s Hans Staden e m q u a d r i n h o s um aventureiro no Novo Mundo Jô Oliveira Adaptação e ilustrações 4 Primeiro Em um dia do ano de 1553, uma pequena embarcação transportando um grupo de marinheiros enfrentava

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Juventude e Relações Humanas

Juventude e Relações Humanas SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: / / 03 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA.º ANO/EM PROFESSOR(A): VALOR: 0,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO:

Leia mais

A escolinha do mar. Texto: Ruth Rocha Ilustrações: Adilson Farias. Elaboração Anna Flora

A escolinha do mar. Texto: Ruth Rocha Ilustrações: Adilson Farias. Elaboração Anna Flora A escolinha do mar Texto: Ruth Rocha Ilustrações: Adilson Farias Elaboração Anna Flora Brincadeira 1: A escolinha do mar Material necessário Para o aluno: 2 rolos de papel crepom azul (qualquer tom) 1

Leia mais

APRENDER A ESCREVER. Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola

APRENDER A ESCREVER. Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola http://luizsoaresdecassia.blogspot.com.br APRENDER A ESCREVER Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola Todos os anos, milhares de meninos e meninas do ensino fundamental de todo

Leia mais

EXEMPLOS DE QUESTÕES DA PROVA DE NIVELAMENTO DE PORTUGUÊS PRODUÇÃO DE TEXTO

EXEMPLOS DE QUESTÕES DA PROVA DE NIVELAMENTO DE PORTUGUÊS PRODUÇÃO DE TEXTO EXEMPLOS DE QUESTÕES DA PROVA DE NIVELAMENTO DE PORTUGUÊS PRODUÇÃO DE TEXTO QUESTÕES QUE ENVOLVEM CONHECIMENTO RELATIVO À NORMA CULTA DA LÍNGUA (CONCORDÂNCIA VERBAL, REGÊNCIA VERBAL E NOMINAL, PONTUAÇÃO,

Leia mais

Tipos de Resumo. Resumo Indicativo ou Descritivo. Resumo Informativo ou Analítico

Tipos de Resumo. Resumo Indicativo ou Descritivo. Resumo Informativo ou Analítico Resumir é apresentar de forma breve, concisa e seletiva um certo conteúdo. Isto significa reduzir a termos breves e precisos a parte essencial de um tema. Saber fazer um bom resumo é fundamental no percurso

Leia mais

Literatura e Redação conexões possíveis

Literatura e Redação conexões possíveis Literatura e Redação conexões possíveis Desde 2005, a UFSC vem explorando os temas extraídos das obras literárias, de leitura obrigatória, para elaboração das propostas de Redação. O gêneros textuais cobrados

Leia mais

Nono Trabalho: A Tomada do Cinturão de Hipólita

Nono Trabalho: A Tomada do Cinturão de Hipólita Simbologia Oculta Os 12 Trabalhos de Hércules Nono Trabalho: A Tomada do Cinturão de Hipólita A Coragem de Ser Autêntico O Cinturão de Hipólita: A Coragem de Ser Autêntico A missão do herói era conseguir

Leia mais

GRUPO V 2 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO V 2 o BIMESTRE PROVA A Sistema de Ensino PROVA V 2 o BIMESTRE PROVA A Valor da prova: 4,0 forum.netxplica.com Autoridades não conseguem forum.netxplica.com diminuir poluição para os Jogos Olímpicos. Tempestade de areia faz situação

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca Nome: Ensino: F undamental 4 o ano urma: Língua Por ortuguesa T ata: D 13/8/09 Você já pensou no significado da palavra conviver? Assim como cada pessoa tem suas características físicas, cada um tem também

Leia mais

Prova Final de Português

Prova Final de Português Prova Final de Português 2.º Ciclo do nsino Básico Decreto-ei n.º 9/202, de 5 de julho Prova 6/Época special Critérios de Classificação 2 Páginas 205 Prova 6/. special CC Página / 2 CITÉIOS GIS D CSSIFICÇÃO

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ZERO Instruções REDAÇÃO Você deve desenvolver seu texto em um dos gêneros apresentados nas propostas de redação. O tema é único para as três propostas. O texto deve ser redigido em prosa. A fuga do tema

Leia mais

Formação de Português 2013/2014

Formação de Português 2013/2014 Formação de Português 2013/2014 Oficina de formação: Ler para compreender, interpretar, reagir e apreciar 6.ª sessão Objetivos do ensino da leitura de poesia Alimentar o gosto pela sonoridade da língua

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 7 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Sotaque mineiro: é ilegal, imoral ou engorda? Gente, simplificar é um pecado. Se a vida não fosse tão corrida, se não tivesse

Leia mais

Lista de Exercícios:

Lista de Exercícios: PROFESSOR(A): Ero AVALIAÇÃO RECUPERAÇÃO DATA DA REALIZAÇÃO ROTEIRO DA AVALIAÇÃO 2ª ETAPA AVALIAÇÃO RECUPERAÇÃO DISCIPLINA: HISTÓRIA ANO: 6º CONTÉUDOS ABORDADOS Cap. 4: o mundo grego todos os temas Cap

Leia mais

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA DESAFIO DO DIA. Conteúdo: A civilização cretense Os primeiros povos gregos

FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES HISTÓRIA DESAFIO DO DIA. Conteúdo: A civilização cretense Os primeiros povos gregos CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA Conteúdo: A civilização cretense Os primeiros povos gregos CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA Habilidades: Compreender o processo de formação da civilização grega.

Leia mais

3º ano Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas. Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão

3º ano Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas. Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão 3º ano Filosofia Teorias do conhecimento Prof. Gilmar Dantas Aula 4 Platão e o mundo das ideias ou A teoria do conhecimento em Platão ACADEMIA DE PLATÃO. Rafael, 1510 afresco, Vaticano. I-Revisão brevíssima

Leia mais

Lição 1 Como Amar os Inimigos

Lição 1 Como Amar os Inimigos Lição 1 Como Amar os Inimigos A. Como seus pais resolviam as brigas entres você e seus irmãos? B. Em sua opinião qual a diferença entre amar o inimigo e ser amigo do inimigo? PROPÓSITO: Aprender como e

Leia mais

ESTAMOS TODOS NO MESMO BARCO

ESTAMOS TODOS NO MESMO BARCO ESTAMOS TODOS NO MESMO BARCO Há muitos anos, Tom era funcionário de uma empresa muito preocupada com a educação. Um dia, o executivo principal decidiu que ele e todo grupo gerencial, um total de 12 pessoas,

Leia mais

QUESTÃO 1 Nessa charge, o autor usou três pontos de exclamação, na fala da personagem, para reforçar o sentimento de

QUESTÃO 1 Nessa charge, o autor usou três pontos de exclamação, na fala da personagem, para reforçar o sentimento de Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português desafio nota: Texto para a questão 1. (Disponível em: )

Leia mais

Cópia autorizada. II

Cópia autorizada. II II Sugestões de avaliação Português Compreensão de texto 2 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Compreensão de texto Nome: Data: Leia este texto expositivo e responda às questões de 1 a 5. As partes de um vulcão

Leia mais

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula!

PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! PONTUAÇÃO: é preciso saber usar a vírgula! Bete Masini A pontuação é, sem dúvida, um dos principais elementos coesivos do nosso texto. Certamente, não podemos crer no que muitos já falaram (e ainda falam):

Leia mais

Projeto Internos: a fotografia no hospital

Projeto Internos: a fotografia no hospital CRIAÇÃO Projeto Internos: a fotografia no hospital Haná Vaisman É impossível ficar três meses lidando com uma pessoa todo dia e falar que ela é só paciente e você só médico. Você acaba tendo preocupações

Leia mais

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO PROCESSO SELETIVO/2009 CADERNO 2 Respostas da 2. a Fase Língua Portuguesa RESOLUÇÃO FGVS-2.ªFase/2.ºCad-Língua Portuguesa-Resolução-manhã 2 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto para responder às questões de

Leia mais

Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty

Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty Nome Data de início: / / Data de término: / / 2 Leitura Pessoal David Batty 1ª Edição Brasil As referências Bíblicas usadas nesta Lição foram retiradas

Leia mais

1. (FUVEST-SP) Em Queria que me ajudasses, o trecho destacado pode ser substituído por:

1. (FUVEST-SP) Em Queria que me ajudasses, o trecho destacado pode ser substituído por: COLÉGIO DE APLICAÇÃO DOM HÉLDER CÂMARA AVALIAÇÃO: EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES I DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR(A): ANA PAULA DA VEIGA CALDAS ALUNO(A) DATA: / / TURMA: M SÉRIE: 9º ANO DATA PARA ENTREGA:

Leia mais

Teorema de Pitágoras. Módulo 1 Unidade 10. Para início de conversa... Matemática e Suas Tecnologias Matemática 1

Teorema de Pitágoras. Módulo 1 Unidade 10. Para início de conversa... Matemática e Suas Tecnologias Matemática 1 Módulo 1 Unidade 10 Teorema de Pitágoras Para início de conversa... Certamente, você já deve ter ouvido falar no Teorema de Pitágoras. Pois bem, nesta unidade, ele será o centro das atenções, mas vamos

Leia mais

PORTUGUÊS IRIA 5ª E.F.

PORTUGUÊS IRIA 5ª E.F. PORTUGUÊS IRIA 5ª E.F. 1º (1,5) 01. Rasura, borrões, corretivos, serão considerados ERROS; 02. Respostas claras e com letra legível; 03. Respostas somente com caneta, PRETA ou AZUL. 04. Esta prova contém

Leia mais

Avaliação de História 6º ano FAF *Obrigatório

Avaliação de História 6º ano FAF *Obrigatório 08/06/2015 Avaliação de História 6º ano FAF Avaliação de História 6º ano FAF *Obrigatório 1. Nome Completo: * 2. Número: 3. Série: * Marcar apenas uma oval. 6ºA 6ºB Na Grécia Antiga se desenvolveu uma

Leia mais

Aula 6 Tema: Tecnologia: corpo, movimento e linguagem na era da informação. LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Aula 6 Tema: Tecnologia: corpo, movimento e linguagem na era da informação. LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 6 Tema: Tecnologia: corpo, movimento e linguagem na era da informação. 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula

Leia mais

Você é um Cristão Embaixador ou Turista do Reino de Deus?

Você é um Cristão Embaixador ou Turista do Reino de Deus? Você é um Cristão Embaixador ou Turista do Reino de Deus? 2 Coríntios 5:18-20 Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, a saber,

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

O livro que falava com o vento e outros contos

O livro que falava com o vento e outros contos LER a partir dos 10 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL O livro que falava com o vento e outros contos JOSÉ JORGE LETRIA Ilustrações de Alain Corbel Apresentação da obra O Livro Que Falava com o Vento

Leia mais

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo LEITURA ORANTE DA BÍBLIA Um encontro com Deus vivo A quem nós iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. (Jo 6,68) Recordando a história... A leitura orante da Palavra é uma tentativa de responder

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Português 12.º Ano de Escolaridade Prova 639/1.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

Formação de PROFESSOR

Formação de PROFESSOR Formação de PROFESSOR 1 Especial Formação de Professor Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação Ricamente ilustrada e escrita em versos, a obra narra a história de Ubaldo, urubu descendente de uma família

Leia mais

O que a Bíblia diz sobre o dinheiro

O que a Bíblia diz sobre o dinheiro Seção 2 O que a Bíblia diz sobre o A questão do e das posses é mencionada muitas vezes na Bíblia. Esta seção examina o que a Bíblia nos ensina sobre a nossa atitude para com o. Ela vai nos ajudar a considerar

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 6 PORTUGUÊS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao quarto bimestre escolar ou às Unidades 7 e 8 do livro do Aluno. Avaliação - Língua Portuguesa NOME: TURMA: escola:

Leia mais

Graça nos relacionamentos. Pais e filhos sob a direção de Deus

Graça nos relacionamentos. Pais e filhos sob a direção de Deus FILHOS DA GRAÇA Efésios 6.1-4 1 Filhos, obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo. 2 Honra teu pai e tua mãe este é o primeiro mandamento com promessa 3 para que tudo te corra bem e tenhas longa

Leia mais

Projetos. Outubro 2012

Projetos. Outubro 2012 Projetos Outubro 2012 Assunto de gente grande para gente pequena. No mês de outubro os brasileiros foram às urnas para eleger prefeitos e vereadores e a Turma da Lagoa não poderia ficar fora deste grande

Leia mais

Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo

Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo Oficina inaugural de produção textual sobre o texto narrativo Caro Monitor, Esta oficina tem como objetivo geral favorecer o primeiro contato do aluno da EJA Ensino Fundamental com o tipo textual que será

Leia mais

ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012

ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012 ENTREVISTA MARCOS MARINO 33º COLOCADO AFRFB / 2012 Olá, amigos do Estratégia! Como diz meu amigo Sérgio Mendes, como é bom estar aqui! Hoje irei entrevistar o Marcos Marino, aluno do Estratégia Concursos

Leia mais

Revisão de DANIEL 1-9. Exemplos da fidelidade de Deus Exemplos da fidelidade de homens de Deus Demonstração da soberania de Deus sobre o mundo

Revisão de DANIEL 1-9. Exemplos da fidelidade de Deus Exemplos da fidelidade de homens de Deus Demonstração da soberania de Deus sobre o mundo Revisão de DANIEL 1-9 Exemplos da fidelidade de Deus Exemplos da fidelidade de homens de Deus Demonstração da soberania de Deus sobre o mundo Daniel 1-6 História Sonhos e visões proféticas Daniel 1 Terceiro

Leia mais

UM VIAJANTE EM BUSCA DE SI MESMO

UM VIAJANTE EM BUSCA DE SI MESMO UM VIAJANTE EM BUSCA DE SI MESMO (TAVARES, GONÇALO M. Uma viagem à Índia: melancolia contemporânea (um itinerário)/. Prefácio de Eduardo Lourenço. São Paulo: Leya, 2010, 452 p.) Valdemar Valente Junior

Leia mais

Disciplina: Matemática Data da realização: 24/8/2015

Disciplina: Matemática Data da realização: 24/8/2015 Ficha da semana 4º ano A/B/C. Instruções: 1. Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue à professora no dia seguinte. 2. As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno

Leia mais

EXPANSÃO MARÍTIMA ESPANHOLA PORTUGAL - 1415 ESPANHA - 1492 POR QUÊ A ESPANHA DEMOROU PARA INICIAR A EXPANSÃO MARÍTIMA?

EXPANSÃO MARÍTIMA ESPANHOLA PORTUGAL - 1415 ESPANHA - 1492 POR QUÊ A ESPANHA DEMOROU PARA INICIAR A EXPANSÃO MARÍTIMA? EXPANSÃO MARÍTIMA ESPANHOLA PORTUGAL - 1415 ESPANHA - 1492 POR QUÊ A ESPANHA DEMOROU PARA INICIAR A EXPANSÃO MARÍTIMA? O ATRASO DA ESPANHA EM RELAÇÃO À PORTUGAL SE EXPLICA PELO FATO DE QUE A ESPANHA ESTAVA

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 7 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 7 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 7 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 8. A PALAVRA Tanto que tenho falado, tanto

Leia mais

O NASCIMENTO DO OCIDENTE GRÉCIA

O NASCIMENTO DO OCIDENTE GRÉCIA O NASCIMENTO DO OCIDENTE O MUNDO ANTIGO O MUNDO DE HOMERO GRÉCIA Mundo Antigo Segundo Eratóstenes -Século III a.c. Os gregos representavam a Terra como um disco plano rodeado por água. A representação

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Placas. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz

Placas. CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz Placas CONSULTORAS Patrícia Corsino e Hélen A. Queiroz SINOPSE geral da série Chico, 6 anos, adora passar as tardes na estamparia de fundo de quintal do seu avô. Nela, Vô Manu construiu um Portal por onde

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL 2013 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV DISCIPLINA : LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS GERAIS Ampliar gradativamente suas possibilidades de comunicação e

Leia mais

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. O PORCO-ESPINHO

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. O PORCO-ESPINHO ENSINO FUNDAMENTAL Conteúdos do 6º Ano 3º/4º Bimestre 2014 Trabalho de Dependência Nome: N. o : Turma: Professor(a): Monique Data: / /2014 Unidade: Cascadura Mananciais Méier Taquara Redação Resultado

Leia mais