1 O número concreto. Como surgiu o número? Contando objetos com outros objetos Construindo o conceito de número

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 O número concreto. Como surgiu o número? Contando objetos com outros objetos Construindo o conceito de número"

Transcrição

1 Página 1 de 5 1 O número concreto Como surgiu o número? Contando objetos com outros objetos Construindo o conceito de número Como surgiu o número? Alguma vez você parou para pensar nisso? Certamente você já imaginou que um dia alguém teve uma idéia genial e de repente inventou o número. Mas não foi bem assim. A descoberta do número não aconteceu de repente, nem foi uma única pessoa a responsável por essa façanha. O número surgiu da necessidade que as pessoas tinham de contar objetos e coisa. Nos primeiros tempos da humanidade, para contar eram usados os dedos, pedras, os nós de uma corda, marcas num osso... Com o passar do tempo, este sistema foi se aperfeiçoando até dar origem ao número. Hoje nós já sabemos lidar com os mais diferentes tipos de números:

2 Página 2 de 5 Até o final da história você saberá em que época e por que o homem inventou um desses números. Contando objetos com outros objetos Há mais de anos, o homem vivia em pequenos grupos, morando em grutas e cavernas para se esconder dos animais selvagens e proteger-se da chuva e do frio. Veja estes caçadores.

3 Página 3 de 5 Para registrar os animais mortos numa caçada, eles se limitavam a fazer marcas numa vara. Nessa época o homem se alimentava daquilo que a natureza oferecia: caça, frutos, sementes, ovos. Quando descobriu o fogo, apreendeu a cozinhar os alimentos e a proteger-se melhor contra o frio. A escrita ainda não tinha sido criada. Para contar, o homem fazia riscos num pedaço de madeira ou em ossos de animais. Um pescador, por exemplo, costumava levar consigo um osso de lobo. A cada peixe que conseguia tirar da água, fazia um risco no osso. Mais ou menos há anos, o homem começou a modificar bastante o seu sistema de vida. Em vez de apenas caçar e coletar frutos e raízes, passou a cultivar algumas plantas e criar animais. Era o início da agricultura, graças à qual aumentava muito a variedade de alimentos de que podia dispor. E para dedicar-se às atividades de plantar e criar animais, o homem não podia continuar se deslocando de um lugar para outro como antes. Passou então a fixar-se num determinado lugar, geralmente às margens de rios e cavernas e desenvolveu uma nova habilidade: a de construir sua própria moradia.

4 Página 4 de 5 Começaram a surgir as primeiras comunidades organizadas, com chefe, divisão do trabalho entre as pessoas etc.. Com a lã das ovelhas eram tecidos panos para a roupa. O trabalho de um pastor primitivo era muito simples. De manhã bem cedo, ele levava as ovelhas para pastar. À noite recolhia as ovelhas, guardando-as dentro de um cercado. Mas como controlar o rebanho? Como Ter certeza de que nenhuma ovelha havia fugido ou sido devorada por algum animal selvagem? O jeito que o pastor arranjou para controlar o seu rebanho foi contar as ovelhas com pedras. Assim: Cada ovelha que saía para pastar correspondia a uma pedra. O pastor colocava todas as pedras em um saquinho. No fim do dia, à medida que as ovelhas entravam no cercado, ele ia retirando as pedras do saquinho. Que susto levaria se após todas as ovelhas estarem no cercado, sobrasse alguma pedra! Esse pastor jamais poderia imaginar que milhares de anos mais tarde, haveria um ramo da Matemática chamado Cálculo, que em latim quer dizer contas com pedras. Construindo o conceito de número Foi contando objetos com outros objetos que a humanidade começou a construir o conceito de número. Para o homem primitivo o número cinco, por exemplo, sempre estaria ligado a alguma coisa concreta: cinco dedos, cinco peixes, cinco bastões, cinco animais, e assim por diante.

5 Página 5 de 5 A idéia de contagem estava relacionada com os dedos da mão. Assim, ao contar as ovelhas, o pastor separava as pedras em grupos de cinco. Do mesmo modo os caçadores contavam os animais abatidos, traçando riscos na madeira ou fazendo nós em uma corda, também de cinco em cinco. Para nós, hoje, o número cinco representa a propriedade comum de infinitas coleções de objetos: representa a quantidade de elementos de um conjunto, não importando se trata de cinco bolas, cinco skates, cinco discos ou cinco aparelhos de som. É por isso que esse número, que surgiu quando o homem contava objetos usando outros objetos, é um número concreto.

Podemos até dizer que a hipótese é bem convincente, isto é...

Podemos até dizer que a hipótese é bem convincente, isto é... Podemos até dizer que a hipótese é bem convincente, isto é... Os números romanos são fáceis de compreender mas Qual é a lógica que há por detrás dos números arábicos ou fenícios? Muito simples: Trata-se

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS 01

LISTA DE EXERCÍCIOS 01 LISTA DE EXERCÍCIOS 01 01 - (Unicamp 2014) Desde o período neolítico, os povos de distintas partes do mundo desenvolveram sistemas agrários próprios aproveitando as condições naturais de seus habitats

Leia mais

A PRÉ-HISTÓRIA. Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita.

A PRÉ-HISTÓRIA. Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita. A PRÉ-HISTÓRIA Período que vai do aparecimento dos seres humanos à invenção da escrita. PERÍODO PALEOLÍTICO OU IDADE DA PEDRA LASCADA No começo de sua trajetória, o homem usou sobretudo a pedra (além do

Leia mais

OS PRIMEIROS POVOADORES DA TERRA

OS PRIMEIROS POVOADORES DA TERRA OS PRIMEIROS POVOADORES DA TERRA Criacionismo: modelo de explicação para a origem de tudo que existe no universo. Seus defensores, acreditam que a vida e todas as coisas existentes foram criadas por um

Leia mais

HISTÓRIA PRÉ-HISTÓRIA

HISTÓRIA PRÉ-HISTÓRIA Grupo 1 Universo A Pré-História Professor Carlos HISTÓRIA PRÉ-HISTÓRIA Para começarmos é importante saber como os historiadores conceituam a Pré-História: A Pré-História é conceituada como o período que

Leia mais

AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL

AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL Introdução À medida que o tempo passou, os seres humanos transformaram o meio ambiente onde viviam. Hoje, o planeta está muito diferente da época do Príncipe Solo. Na época da

Leia mais

Aula 3 de 4 Versão Aluno

Aula 3 de 4 Versão Aluno Aula 3 de 4 Versão Aluno As Comunidades Indígenas Agora vamos conhecer um pouco das características naturais que atraíram essas diferentes ocupações humanas ao longo dos séculos para a Região da Bacia

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo -

Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo - Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo - Estudo do Meio 1º Ano 1º Período 2º Período 3º Período À descoberta de si mesmo - A sua identificação Conhecer a sua identificação Conhecer o seu nome

Leia mais

A criação do Homem e a sua relação com Deus segundo as narrativas de Génesis 1 e 2 - A importância da compreensão dos textos antigos, para se poder

A criação do Homem e a sua relação com Deus segundo as narrativas de Génesis 1 e 2 - A importância da compreensão dos textos antigos, para se poder A criação do Homem e a sua relação com Deus segundo as narrativas de Génesis 1 e 2 - A importância da compreensão dos textos antigos, para se poder entender o mundo atual - Génesis 1 e 2 (Citações da A

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Vou encomendar uma haste de madeira para pendurar uma cortina. O que preciso fazer para comprar a haste do tamanho certo?

Vou encomendar uma haste de madeira para pendurar uma cortina. O que preciso fazer para comprar a haste do tamanho certo? Todos os dias medimos coisas, nas mais variadas ocupações e atividades. Afinal, o que é medir? Aqui está uma lista de casos para que você e seu grupo analisem e indiquem o que medimos em cada situação:

Leia mais

Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 02 versão: 1.1 30/06/2014

Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 02 versão: 1.1 30/06/2014 Arquitetura de Computadores e Telecom Aula: 02 versão: 1.1 30/06/2014 Robson Vaamonde http://www.vaamonde.com.br http://www.procedimentosemti.com.br Professor do Curso Prof. Robson Vaamonde, consultor

Leia mais

AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL

AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL AULA 2 O IMPACTO AMBIENTAL Introdução O progresso maltratou a natureza. Os lugares visitados pelo Príncipe Solo não eram mais ou mesmos. No lugar de florestas, plantações e no lugar de planícies, cidades.

Leia mais

Povos americanos: Primeiros habitantes da América do SUL

Povos americanos: Primeiros habitantes da América do SUL Povos americanos: Primeiros habitantes da América do SUL Nicho Policrômico. Toca do Boqueirão da Pedra Fiurada. Serra da Capivara Piauí- Brasil Ruínas as cidade inca Machu Picchu - Peru Código de escrita

Leia mais

Mas nem sempre o Homem habitou a terra...

Mas nem sempre o Homem habitou a terra... A Pré-História abarca um período de tempo muito longo, desde há mais de 4 milhões de anos até cerca de 4000 a.c., quando surgiu a escrita nas primeiras civilizações. Mas nem sempre o Homem habitou a terra...

Leia mais

Prova bimestral. história. 4 o Bimestre 3 o ano. 1. Leia o texto e responda.

Prova bimestral. história. 4 o Bimestre 3 o ano. 1. Leia o texto e responda. Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 4 o Bimestre 3 o ano história 1. Leia o texto e responda. As evidências mais antigas da amizade entre

Leia mais

Idade dos Metais. Mariana Antunes Vieira. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons.

Idade dos Metais. Mariana Antunes Vieira. Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. Mariana Antunes Vieira Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/ A Idade

Leia mais

As sociedades recoletoras e as primeiras sociedades produtoras

As sociedades recoletoras e as primeiras sociedades produtoras As sociedades recoletoras e as primeiras sociedades produtoras A origem do Homem Várias teorias científicas e religiosas Charles Darwin (1809/1882) Evolução das espécies As espécies originaram-se umas

Leia mais

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha técnica no. 2.1 Atividade Principal 2.1 SENTINDO A NATUREZA Objetivo da 2 Os escoteiros estão trabalhando por um mundo onde o habitat natural seja suficiente para suportar as espécies nativas. Objetivos

Leia mais

Apostila 2. Capítulo 7. A evolução da capacidade energética do ser humano. Página 233

Apostila 2. Capítulo 7. A evolução da capacidade energética do ser humano. Página 233 Apostila 2 Capítulo 7 Página 233 A evolução da capacidade energética do ser humano A vantagem energética Nosso antepassados criaram um método para as caçadas, que lhes dava certa vantagem energética sobre

Leia mais

Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril

Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril Tema: Comemoração do Dia da Conservação do Solo Destinatários: Crianças dos 6 aos 10 anos - 1º ciclo Objectivo: Pretende-se que no final das actividades as crianças

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar:

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: Meditação Crianças de 7 a 9 anos NOME:DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4) 2-

Leia mais

A PINTORA Era madrugada, fumaça e pincéis estampavam a paisagem interna de um loft. Lá fora uma grande lua pintava as ruas semi-iluminadas com um fantasmagórico prateado. Uma mão delicada retocava a gravata

Leia mais

PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA

PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA PRÉ-HISTÓRIA: EDUCAÇÃO PARA SOBREVIVÊNCIA Augusto Pereira da Rosa¹ Ester Miriane Zingano² RESUMO A educação durante a Pré-História tem como objetivo a sobrevivência do grupo. Embora sem ter consciência

Leia mais

CURUPIRA AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO VIII 3 O BIMESTRE RESOLUÇÃO COMENTADA

CURUPIRA AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO DO GRUPO VIII 3 O BIMESTRE RESOLUÇÃO COMENTADA Aluno(a) Data: 14 / 09 / 11 3 o ano 2 a Série Turma: Ensino Fundamental I Turno: Matutino Professoras: Disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências Naturais e História/Geografia Eixo Temático Herança

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

MOVIMENTO SOB A AÇÃO DA GRAVIDADE QUEDA LIVRE Lançamento obliquo e horizontal. profº CARLOS ALÍPIO

MOVIMENTO SOB A AÇÃO DA GRAVIDADE QUEDA LIVRE Lançamento obliquo e horizontal. profº CARLOS ALÍPIO 1 MOVIMENTO SOB A AÇÃO DA GRAVIDADE QUEDA LIVRE Lançamento obliquo e horizontal 2 QUEDA LIVRE MOVIMENTO SOB AÇÃO DA GRAVIDADE Na natureza podemos observar que um corpo abandonado dentro do campo gravitacional

Leia mais

Canadá. Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país. Leia a nossa história e descubra...

Canadá. Você sabia que... Alguns fatos sobre o meu país. Leia a nossa história e descubra... Canadá Você sabia que... Os indivíduos e as comunidades têm o direito a exprimir as próprias opiniões e a participar, com os governos locais, na tomada de decisões e ações que afetem o seu direito à alimentação.

Leia mais

A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO

A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO ÁREA ESCOLA HISTÓRIA 1992/1993 MEMÓRIAS DOS ALUNOS E PROFESSORES DO 7º ANO QUE ESTIVERAM ENVOLVIDOS NO PROJECTO A ÁGUA FACTOR DE CIVILIZAÇÃO INDICE 1 PROJECTO 2 TEXTO MOTIVAÇÃO 3 SOCIEDADES RECOLECTORAS

Leia mais

Oficina de fabricação de sabão a partir de resíduos de óleo doméstico (de cozinha)

Oficina de fabricação de sabão a partir de resíduos de óleo doméstico (de cozinha) Oficina de fabricação de sabão a partir de resíduos de óleo doméstico (de cozinha) Essa cartilha tem como objetivo, auxiliar no processo de ensinoaprendizagem durante a oficina de Fabricação de sabão a

Leia mais

Produçaõ de peixes. Adaptado de: "Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin" (FAO, 1979)

Produçaõ de peixes. Adaptado de: Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin (FAO, 1979) Produçaõ de peixes Adaptado de: "Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin" (FAO, 1979) Onde pôr seu tanque de peixes 1. Você tem que escolher um lugar bom para sua tanque. 2. Lembra

Leia mais

BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES

BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES Nome: Data: / / 2015 ENSINO FUNDAMENTAL Visto: Disciplina: Natureza e Cultura Ano: 1º Lista de Exercícios de VC Nota: BRASIL: UM PAÍS DE MUITAS ESPÉCIES QUANDO OS PORTUGUESES CHEGARAM AO BRASIL, COMANDADOS

Leia mais

Os animais. Eliseu Tonegawa mora com a família - a. www.interaulaclube.com.br. nova

Os animais. Eliseu Tonegawa mora com a família - a. www.interaulaclube.com.br. nova A U A UL LA Os animais Atenção Eliseu Tonegawa mora com a família - a esposa, Marina, e três filhos - num pequeno sítio no interior de São Paulo. Para sobreviver, ele mantém algumas lavouras, principalmente

Leia mais

Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos

Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos Apresentação da obra Sempre me disseram que os dragões eram todos maus e que devíamos fugir deles a sete pés. Mas,

Leia mais

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 INSTRUÇÕES 1. Preencha o cabeçalho e com o nome completo de cada aluno da equipe MÉDIA = 2. Todas as respostas deverão ser apresentadas nos espaços apropriados, com

Leia mais

Escola de Português Verão de 2015 Ano 13 Nível 2. Exercícios Semana 4. 1) Complete os diálogos usando o tempo verbal mais adequado:

Escola de Português Verão de 2015 Ano 13 Nível 2. Exercícios Semana 4. 1) Complete os diálogos usando o tempo verbal mais adequado: Escola de Português Verão de 2015 Ano 13 Nível 2 Exercícios Semana 4 Revisão Tempos verbais: 1) Complete os diálogos usando o tempo verbal mais adequado: 1 2 2) Revisão verbos SABER, PODER e QUERER: 3)

Leia mais

Arte da Pré-História

Arte da Pré-História ALUNO(A) Nº SÉRIE: 6º. Ano TURMA: DATA: / /2013 Profª Ana Lúcia Leal - DISCIPLINA: ARTE Ficha de Aula - III Trimestre Arte da Pré-História As primeiras expressões artísticas As mais antigas figuras feitas

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE LÍNGUA

Leia mais

INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO. Programa de Desenvolvimento da Educação - PDE Programa de Desenvolvimento da Educação - PDE

INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO. Programa de Desenvolvimento da Educação - PDE Programa de Desenvolvimento da Educação - PDE INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO Evolução Humana Rodrigo Valle Cezar A Evolução Humana INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO Evolução Humana é o nome dado ao processo de mudança e adaptação pelo qual os seres humanos passaram

Leia mais

Evolução humana. NEANDERTHAL Parente próximo do Pedro Vitória 1 ser humano

Evolução humana. NEANDERTHAL Parente próximo do Pedro Vitória 1 ser humano Evolução humana NEANDERTHAL Parente próximo do Pedro Vitória 1 ser humano Árvore evolutiva Há cerca de 5 milhões de anos, o grupo de primatas que habitava a selva africana subdividiu-se, o que originou

Leia mais

Autor: Rabbi Yehuda Ashlag

Autor: Rabbi Yehuda Ashlag Autor: Rabbi Yehuda Ashlag A Kabbalah ensina a correlação entre causa e efeito de nossas fontes espirituais. Estas fontes se interligam de acordo com regras perenes e absolutas objetivando gols maiores

Leia mais

Seu Alcides conta sua experiência com tecnologias de captação de água de chuva para a convivência com o semiárido

Seu Alcides conta sua experiência com tecnologias de captação de água de chuva para a convivência com o semiárido Seu Alcides conta sua experiência com tecnologias de captação de água de chuva para a convivência com o semiárido Introdução Alcides Peixinho Nascimento 1 Alaíde Régia Sena Nery de Oliveira 2 Fabrício

Leia mais

Povos americanos: Maias, Incas e Astecas

Povos americanos: Maias, Incas e Astecas Povos americanos: Maias, Incas e Astecas Nicho Policrômico. Toca do Boqueirão da Pedra Fiurada. Serra da Capivara Piauí- Brasil Ruínas as cidade inca Machu Picchu - Peru Código de escrita dos maias, México.

Leia mais

A evolução da espécie humana até aos dias de hoje

A evolução da espécie humana até aos dias de hoje 25-11-2010 A evolução da espécie humana até aos dias de hoje Trabalho elaborado por: Patrícia da Conceição O aparecimento da espécie humana não aconteceu de um momento para o outro. Desde as mais antigas

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

Acostumando-se com os Milagres

Acostumando-se com os Milagres Acostumando-se com os Milagres Ap. Ozenir Correia 1. VOCÊ NÃO PERCEBE O TAMANHO DO MILAGRE. Enxame de moscas Naquele dia, separarei a terra de Gósen, em que habita o meu povo, para que nela não haja enxames

Leia mais

Conteúdo: Aula 1: A América antes de Colombo As primeiras civilizações da Mesoamérica Aula 2: Os Maias Os Astecas Os Incas FORTALECENDO SABERES

Conteúdo: Aula 1: A América antes de Colombo As primeiras civilizações da Mesoamérica Aula 2: Os Maias Os Astecas Os Incas FORTALECENDO SABERES CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA INTERATIVA I Conteúdo: Aula 1: A América antes de Colombo As primeiras civilizações da Mesoamérica Aula 2: Os Maias Os Astecas Os Incas CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO

Leia mais

COLÉGIO O BOM PASTOR PROF. RAFAEL CARLOS SOCIOLOGIA 3º ANO. Material Complementar Módulos 01 a 05: Os modos de produção.

COLÉGIO O BOM PASTOR PROF. RAFAEL CARLOS SOCIOLOGIA 3º ANO. Material Complementar Módulos 01 a 05: Os modos de produção. COLÉGIO O BOM PASTOR PROF. RAFAEL CARLOS SOCIOLOGIA 3º ANO Material Complementar Módulos 01 a 05: Os modos de produção. Modos de Produção O modo de produção é a maneira pela qual a sociedade produz seus

Leia mais

Unidade III Conceitos sobre Era Medieval e Feudalismo. Aula 10.2 Conteúdo Sociedades indígenas da Amazônia antiga

Unidade III Conceitos sobre Era Medieval e Feudalismo. Aula 10.2 Conteúdo Sociedades indígenas da Amazônia antiga Unidade III Conceitos sobre Era Medieval e Feudalismo. Aula 10.2 Conteúdo Sociedades indígenas da Amazônia antiga Habilidades: Compreender as principais características dos povos originais da Amazônia

Leia mais

Para onde vou Senhor?

Para onde vou Senhor? Para onde vou Senhor? Ex 40:33-38 "Levantou também o pátio ao redor do tabernáculo e do altar e pendurou a coberta da porta do pátio. Assim, Moisés acabou a obra. Então a nuvem cobriu a tenda da congregação,

Leia mais

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças.

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças. TEXTOS PARA O PROGRAMA EDUCAR SOBRE A APRESENTAÇÃO DA PEADS A IMPORTÂNCIA SOBRE O PAPEL DA ESCOLA Texto escrito para o primeiro caderno de formação do Programa Educar em 2004. Trata do papel exercido pela

Leia mais

Colégio Visconde de Porto Seguro

Colégio Visconde de Porto Seguro Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I 2011 AULA 1 Ensino Fundamental e Ensino Médio Atividade de Recuperação Contínua Nome do (a) Aluno (a): Atividade de Recuperação Contínua de Ciências Nível I Classe:

Leia mais

SÉRIE 6: MODOS DE VIDA

SÉRIE 6: MODOS DE VIDA 23 The Bridgeman Art Library SÉRIE 6: MODOS DE VIDA Gustave Caillebotte Esboço para Paris, um dia chuvoso 1877 Óleo sobre tela. 24 Ministério da Cultura e Endesa Brasil apresentam: Arteteca:lendo imagens

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADE 1

PLANO DE ATIVIDADE 1 PLANO DE ATIVIDADE 1 Questão-Problema Para que serve e como funciona o filtro? Material - Filtro de Aquário - 2 Garrafas de Plástico 2L - Tesoura - Colher - Copo transparente - Terra - Areia de Aquário

Leia mais

HABILIDADES. Compreender que cada pessoa é única e especial. Valorizar a identidade de cada um. Descobrir e conhecer a sua história de vida.

HABILIDADES. Compreender que cada pessoa é única e especial. Valorizar a identidade de cada um. Descobrir e conhecer a sua história de vida. Disciplina: História Trimestre: 1º PLANEJAMENTO ANUAL - 2012 Série: 2º ano Turma: 21, 22, 23 e 24 CONTEÚDOS HABILIDADES AVALIAÇÕES Unidade 1 Cada um tem um jeito de ser. Descobrindo a minha história. Eu

Leia mais

MATEMÁTICA DIVERTIDA: JOGOS MATEMÁTICOS

MATEMÁTICA DIVERTIDA: JOGOS MATEMÁTICOS 1 MATEMÁTICA DIVERTIDA: JOGOS MATEMÁTICOS 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 Bruna Diane de Sousa Oliveira 1 Camila Botelho Santos 2 Isabela Souza Pereira 3 RESUMO As dificuldades

Leia mais

Neste e-book vamos esclarecer melhor como é feita essa transição financeira, quais os melhores investimentos para a aposentadoria, como você deve administrar os demais gastos, onde é possível cortar despesas

Leia mais

SERIE: APRENDENDO COM OS BICHINHOS A FORMIGUINHA

SERIE: APRENDENDO COM OS BICHINHOS A FORMIGUINHA Radicais Kids - Sábado 13/12 Ministério Boa Semente Igreja em células SERIE: APRENDENDO COM OS BICHINHOS A FORMIGUINHA Lição: Xô Preguiça!! Base bíblica: Provérbios 6:6-11 Preguiçoso, aprenda uma lição

Leia mais

Podemos considerar arte da pré-historia todas as manifestações que surgiram antes do aparecimento das primeiras civilizações e da arte escrita.

Podemos considerar arte da pré-historia todas as manifestações que surgiram antes do aparecimento das primeiras civilizações e da arte escrita. Podemos considerar arte da pré-historia todas as manifestações que surgiram antes do aparecimento das primeiras civilizações e da arte escrita. Inicialmente as formas de arte possuíam uma utilidade prática,

Leia mais

Crianças e números. Senso numérico. Vamos fazer uma experiência. Observe as figuras : Onde há mais pessoas? Agora veja estas figuras :

Crianças e números. Senso numérico. Vamos fazer uma experiência. Observe as figuras : Onde há mais pessoas? Agora veja estas figuras : Senso numérico Crianças e números Vamos fazer uma experiência. Observe as figuras : Onde há mais pessoas? Agora veja estas figuras : Em qual dos dois casos foi mais fácil perceber onde há mais pessoas?

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

Um planeta. chamado Albinum

Um planeta. chamado Albinum Um planeta chamado Albinum 1 Kalum tinha apenas 9 anos. Era um menino sonhador, inteligente e inconformado. Vivia num planeta longínquo chamado Albinum. Era um planeta muito frio, todo coberto de neve.

Leia mais

Sistema de Ensino CNEC

Sistema de Ensino CNEC 1 SUMÁRIO VOLUME 1 "O homem é um pedaço do Universo cheio de vida." Ralph Waldo Emerson Capítulo 1 O Tempo não para 5 Capítulo 2 Você percebendo-se como sujeito histórico 20 Capítulo 3 O Universo que nos

Leia mais

Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia.

Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia. Jesus e sua vida Segundo os Evangelhos, Jesus teria vivido toda sua infância, adolescência e juventude em Nazaré com sua família e com o povo dessa pequena aldeia. Seu nascimento foi no meio de muitas

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR

O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR Bíblia para crianças apresenta O PRÍNCIPE TORNA-SE UM PASTOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: E. Frischbutter; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido

Leia mais

EXERCÍCIOS SOBRE A PRÉ-HISTÓRIA BRASILEIRA

EXERCÍCIOS SOBRE A PRÉ-HISTÓRIA BRASILEIRA EXERCÍCIOS SOBRE A PRÉ-HISTÓRIA BRASILEIRA TESTANDO SUA ATENÇÃO À AULA 1. O que defende a Teoria do Estreito de Bering? A. Que o homem veio para a América atravessando uma ponte de gelo entre a Ásia e

Leia mais

O MUNDO DAS FORMIGAS LAMANA, Isabel C. A. C. MESSIAS, Leidi Renata SPRESSOLA, Nilmara H.

O MUNDO DAS FORMIGAS LAMANA, Isabel C. A. C. MESSIAS, Leidi Renata SPRESSOLA, Nilmara H. O MUNDO DAS FORMIGAS LAMANA, Isabel C. A. C. MESSIAS, Leidi Renata SPRESSOLA, Nilmara H. Resumo O tema das formigas foi escolhido de maneira espontânea devido ao grande número das mesmas em nossa escola,

Leia mais

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: ESTUDOS SOCIAIS 1ª POSTAGEM ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Querido aluno, segue a orientação para esta atividade. - Ler com atenção, responder

Leia mais

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I CONTEÚDO E HABILIDADES HISTÓRIA. Conteúdo:

FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I CONTEÚDO E HABILIDADES HISTÓRIA. Conteúdo: Conteúdo: Aula 1: A origem dos primeiros povos americanos Os períodos da Pré-História Americana Aula 2: Diferentes modos de vida Quem chegou primeiro ao território brasileiro? Habilidades: Aula 1: Conhecer

Leia mais

04 Os números da empresa

04 Os números da empresa 04 Os números da empresa Além de conhecer o mercado e situar-se nele, o empreendedor tem de saber com clareza o que ocorre com os números de sua empresa. Neste capítulo conheça os principais conceitos,

Leia mais

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim?

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim? viu? eu não falei pra você? o quê? este ano está igualzinho ao ano passado! foi você que jogou esta bola de neve em mim? puxa, acho que não... essa não está parecendo uma das minhas... eu costumo comprimir

Leia mais

Avaliação 4 o Bimestre

Avaliação 4 o Bimestre Avaliação 4 o Bimestre NOME: N º : CLASSE: Na unidade 9, lemos um texto informativo sobre as estações do ano, um gráfico de previsão do tempo e um conto que trazia a idéia de tempo medido pelo relógio.

Leia mais

Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei

Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 01- Estamos apenas começando Deus criou, eu cuidarei O velho testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

Trabalhar em Casa. Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar. 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol

Trabalhar em Casa. Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar. 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol Trabalhar em Casa Um Guia para quem quer iniciar um trabalho em casa e não sabe por onde começar 2015 bastianafutebol.com @bastianafutebol Como Começar? Primeiro você deve escolher o tipo de trabalho que

Leia mais

Plano Curricular de Estudo do Meio 2.º Ano - Ano Letivo 2015/2016

Plano Curricular de Estudo do Meio 2.º Ano - Ano Letivo 2015/2016 1.º Período Localização no espaço e no tempo: Localização/compreensão espacial e temporal Reconhecer datas e factos importantes da sua vida. Localizar datas e factos importantes numa linha de tempo. Reconhecer

Leia mais

DAVI, O REI (PARTE 1)

DAVI, O REI (PARTE 1) Bíblia para crianças apresenta DAVI, O REI (PARTE 1) Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

Unidade 8. Ciclos Biogeoquímicos e Interferências Humanas

Unidade 8. Ciclos Biogeoquímicos e Interferências Humanas Unidade 8 Ciclos Biogeoquímicos e Interferências Humanas Ciclos Biogeoquímicos Os elementos químicos constituem todas as substâncias encontradas em nosso planeta. Existem mais de 100 elementos químicos,

Leia mais

O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural

O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural Marcos Santos Figueiredo* Introdução A presença dos sindicatos de trabalhadores

Leia mais

UNVERSDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DO REITOR COMISSÃO DA VERDADE TRANSCRIÇÃO DE ENTREVISTA

UNVERSDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DO REITOR COMISSÃO DA VERDADE TRANSCRIÇÃO DE ENTREVISTA UNVERSDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DO REITOR COMISSÃO DA VERDADE TRANSCRIÇÃO DE ENTREVISTA Entrevista realizada em: 5.6.2013 Hora: 16h30min. Local: Sala do prof. Almir Bueno CERES Caicó/RN

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

Recuperação - 1ª Etapa Ensino Fundamental II

Recuperação - 1ª Etapa Ensino Fundamental II 1 HISTÓRIA 6º ANO ENS. FUNDAMENTAL II PROFESSOR (A): SEBASTIÃO ABICEU NOME: Nº QUESTÃO 01: O que a História estuda? Responda com suas palavras. QUESTÃO 02: O que são fontes históricas? QUESTÃO 03: Dê exemplos

Leia mais

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV

AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Ciências AUTORES: NANCY MARTINS DE SÁ STOIANOV Graduada em História e Pedagogia, Doutora em Filosofia e Metodologia de Ensino, Autora da Metodologia ACRESCER. REGINALDO STOIANOV Licenciatura Plena em Biologia,

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

As fotos a seguir são tristemente verdadeiras...

As fotos a seguir são tristemente verdadeiras... As fotos a seguir são tristemente verdadeiras... Quem é responsável por enfrentar esta situação? Prefeitura? Entidades de defesa do ambiente?? Governo? Meios de comunicação? Cientistas? Organizações

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

Introdução a Micro-Informática. Academia de Ensino Superior São Roque Turma 1-SINA-7

Introdução a Micro-Informática. Academia de Ensino Superior São Roque Turma 1-SINA-7 Introdução a Micro-Informática Academia de Ensino Superior São Roque Turma 1-SINA-7 Como Surgiu a Informática? Podemos dizer que a Informática evoluiu junto com a Matemática. Ela Surgiu a muito tempo antes

Leia mais

VENHA O TEU REINO...

VENHA O TEU REINO... VENHA O TEU REINO......assim na terra como no céu Estudo e reflexão sobre a vivência do Reino de Deus e seus valores no mundo de hoje, especialmente frente aos movimentos sociais atuais. NUTRE ago/set

Leia mais

MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS

MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS Jair Bevenute Gardas Isabel Corrêa da Mota Silva RESUMO A presente pesquisa tem o objetivo de possibilitar ao leitor um conhecimento específico sobre a história da Ciência

Leia mais

Pastora Gabriela Pache de Fiúza

Pastora Gabriela Pache de Fiúza Sementinha Kids Ministério Boa Semente Igreja em células SERIE: AS PARÁBOLAS DE JESUS Lição 8: A ovelha perdida Principio da lição: Não importa onde você está. Deus sempre vai ao seu encontro. Base bíblica:

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

TECNOLOGIAS NO COTIDIANO: DESAFIOS À INCLUSÃO DIGITAL

TECNOLOGIAS NO COTIDIANO: DESAFIOS À INCLUSÃO DIGITAL TECNOLOGIAS NO COTIDIANO: DESAFIOS À INCLUSÃO DIGITAL O que é Tecnologia? O que é Tecnologia Educacional? Tecnologia e Tecnologia Educacional Histórico da Evolução da Tecnologia O homem foi utilizando

Leia mais

A Música na Antiguidade

A Música na Antiguidade A Música na Antiguidade Josemar Bessa A palavra música deriva de arte das musas em uma referência à mitologia grega, marca fundamental da cultura da antigüidade ocidental. No entanto muitos estudiosos

Leia mais

A água. Alexandra Daniela

A água. Alexandra Daniela A água Novembro de 2007 Alexandra Daniela Luciana 12 1 Essa água poluída pode matar peixes e outros animais que a bebem e provocar doenças nas pessoas. Também faz com que as reservas de água potável (que

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

BIOLOGIA IACI BELO. Como duas espécies distintas podem evoluir para formas idênticas?

BIOLOGIA IACI BELO. Como duas espécies distintas podem evoluir para formas idênticas? BIOLOGIA IACI BELO www.iaci.com.br ASSUNTO: EVOLUÇÃO CONVERGENTE Série: 3EM Como duas espécies distintas podem evoluir para formas idênticas? por Joshua Clark - traduzido por HowStuffWorks Brasil Há cerca

Leia mais

O nascimento de Jesus Lucas 2

O nascimento de Jesus Lucas 2 O nascimento de Jesus Lucas 2 Só para você Nesta idade se você puder ter alguns brinquedos que as crianças possam distrair-se enquanto aguardam as outras chegarem será bastante proveitoso. Não se esqueça:

Leia mais