Ana Carolina Melo de Oliveira FARIAS 1, Maria do Perpetuo Socorro Soares TEIXEIRA 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ana Carolina Melo de Oliveira FARIAS 1, Maria do Perpetuo Socorro Soares TEIXEIRA 2"

Transcrição

1 PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO DE UM AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COOPERATIVA COM O USO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA O CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO UNICEUMA Ana Carolina Melo de Oliveira FARIAS 1, Maria do Perpetuo Socorro Soares TEIXEIRA 2 1 UNICEUMA, São Luís/MA, Brasil, 2 IFMA, São Luís/MA, Brasil, RESUMO: O objetivo principal deste trabalho consiste na realização e implantação de um ambiente computacional para Ambientes Interativos de Ensino-aprendizagem cooperativa, dispostos em uma arquitetura de rede de computadores e sua utilização em uma plataforma de Educação a Distância. Tal proposta pretende desenvolver-se a partir do estudo das interações cooperativas envolvendo professores, alunos e sistema computacional, tendo uma infra-estrutura como a Internet e/ou, mais particularmente, uma Intranet como suporte de comunicação. O que propomos será, inicialmente, considerando o período de experimentação e testes, aplicado à disciplina Sistemas Cooperativos do Curso de Sistemas de Informação do UNICEUMA e, para o desenvolvimento do mesmo, faremos, além de um estudo sobre o tema proposto, um estudo comparativo entre o modelo educacional clássico e o modelo proposto. Concluímos, apesar de o trabalho ainda se encontrar em fase de implantação, o quão se faz imprescindível e urgente, ao nível das instituições maranhenses de ensino, projetos nesta área. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância, Aprendizagem cooperativa, Tecnologias Educativas. 1 Introdução As mudanças tecnológicas que ocorreram no mundo nos últimos anos, acarretaram transformações em diversos setores da vida humana, especialmente no setor produtivo e educacional. 1

2 O ensino teve uma grande expansão junto à evolução da Sociedade. A quantidade de conhecimento que o ser humano precisa adquirir cresceu, aumentando-lhe o tempo de formação. Consequentemente, a aquisição do conhecimento com qualidade, a um custo não muito elevado, a qualquer tempo e lugar, tornou-se uma preocupação comum dessa nova sociedade. A evolução tecnológica ocorrida nos últimos tempos ressaltou a necessidade de introduzir novas técnicas no ensino e, o uso de computador na educação mostrou-se muito interessante. A Internet deu uma nova dimensão ao processo ensino-aprendizagem em todas as suas nuances, dentre elas, o reconhecimento do homem em manter-se atualizado ao longo de sua vida através da Educação Permanente, aquela que não está restrita somente aos períodos escolares, como a Educação a Distância (EAD) (TEIXEIRA, 2002). A EAD vem acontecendo há muito tempo, seus meios é que são constantemente atualizados. O computador, aliado à evolução das telecomunicações, da telemática e o surgimento da Internet, redimensionou o processo educativo, rompendo as barreiras do espaço e do tempo, aumentando as possibilidades educativas e o avanço do EAD, hoje, inevitavelmente mediada pelas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), que ganharam resignificação, a partir do uso do computador e da Internet (Web-rádio, , Web-vídeo, Web-Câmera, etc) e, por isso, passaram a ser conhecidas, equivocadamente, como as Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTIC). A idéia de empregar o computador no suporte a atividades em educação e treinamento não é recente. Contudo, o panorama mundial atual, globalizado, exige o uso das chamadas TIC e, como não poderia deixar de ser, o sistema educativo não deve ficar de fora desse processo, fazendo-se, entretanto, necessário ao mesmo adaptar-se a esse atual momento. Com isso, o presente trabalho aborda a construção de um modelo pedagógico de aprendizagem cooperativa que possibilite à plataforma de EAD do UNICEUMA, a partir de um processo educativo, mediado pelas TIC, consoante com as necessidades do aprendiz, condições de responder às exigências do mundo moderno e de uma formação continuada. 1.1 Ensino cooperativo 2

3 A cooperação é uma das atividades humanas mais importantes. Porém, nas salas de aula tradicionais a cooperação não é um fator principal. A competição para a recompensa é o comportamento dominante nas salas de aula, isto implica que o sucesso de um estudante reduz as chances de recompensa dos outros. Conseqüentemente, e em resposta aos Sistemas Tutoriais Inteligentes (STI) clássicos, no que diz respeito, principalmente, ao papel desempenhado pelo aprendiz e calcado em um modelo de aprendizagem cooperativa, criou-se a categoria denominada Ambiente Interativo de Aprendizagem (do inglês Interactive/Intelligent Learning Environment - ILE). Em um ILE o estilo da interação, muda para permitir ao aprendiz uma participação mais ativa, pois o controle da interação passa a ser compartilhado entre o sistema e o aprendiz. Apareceram em seguida, os ILEs cooperativos ou Ambientes cooperativos de ensino-aprendizagem mais conhecidas sob o nome CSCL (do inglês Computer Supported Collaborative Learniong). Falamos, portanto, de aprendizagem cooperativa auxiliada por computador (LABIDI, 1998) Atualmente, no Maranhão como no Brasil, os computadores nas escolas começam a se tornar uma realidade, o que nos falta é aperfeiçoar, cada vez mais, o Ensino Assistido por Computador, através de sistemas inteligentes, com o objetivo de satisfazer, adequadamente, às necessidades do aprendiz de forma mais dinâmica e eficiente no seu processo de aprendizagem. Assim, o que propomos pode ser localizado na categoria dos ILEs e CSCLs em sua vertente que se utiliza de métodos e técnicas provenientes da Inteligência Artificial, como uma alternativa para construção de ambientes de aprendizagem cooperativos (LABIDI, 1998). 1.2 Processo Ensino-aprendizagem no sistema proposto A concepção do processo ensino-aprendizagem no sistema proposto, a partir de seu Modelo Pedagógico Mediador, não considera unicamente o processo em si, ou os diferentes momentos de evolução do mesmo, como também, o controle e a avaliação deste em todos os seus momentos, a partir da concepção de indicadores capazes de avaliar a qualidade da aprendizagem do estudante tais como: generalização, reflexão domínio e solidez do aprendizado, que propiciará entre outras coisas, a retroalimentação do sistema, a 3

4 partir da avaliação que o estudante será capaz de fazer do sistema, em todas as suas etapas, a fim de avaliar qualitativamente o mesmo (DUARTE, 2000). O modelo pedagógico proposto prevê, na prática, a partir do que foi exposto acima, uma relação onde o professor deixa de ser um simples transmissor de informações e, principalmente, o aluno deixa de ser um simples depósito dessas informações. O professor converte-se em um guia, um orientador, um apoio neste processo mais democrático, onde o aluno passa a ter maior autonomia e independência, onde suas idéias possam ser respeitadas e levadas em consideração na construção do conhecimento e, o aprender a aprender, possa se fazer valer, em todas as etapas do aprendizado, a fim de que o mesmo possa levar o aluno ao aprender a fazer e, no convívio com os outros, praticar o aprender a conviver, para que, ao final, possa levar a cabo o aprender a Ser (no convívio com o outro, no grupo de trabalho entre alunos ou com próprio professor, de forma colaborativa); pilares da educação para o novo milênio e, sem dúvida nenhuma, um dos maiores desafios desta (DELORS, 2001). Com isso, tal processo se fundamenta no princípio geral básico da aprendizagem desenvolvimentista (aprendizaje desarrolladora), que propicia o desenvolvimento das formações psicológicas vinculadas com a aprendizagem e as interações, neste contexto, registradas em Inter e Intranet, para o qual não é imprescindível, necessariamente, um espaço físico de trabalho em grupo, considerando que, esse Grupo de Colaboração pode e, como na maioria das vezes, deve ser virtual, como no caso da EAD (COLLAZO, 2004). 1.3 EAD baseada na WEB O aspecto pedagógico do acompanhamento da evolução do aprendizado dos alunos pode ser significativamente favorecido em cursos que utilizam a tecnologia computacional. Pode-se organizar, de forma personalizada, o conteúdo didático a ser disponibilizado ao aluno em função de seus avanços, dúvidas e dificuldades, ou seja, podem-se criar várias alternativas de seqüências de estudo (diferentes planos didáticos) para o aprendizado de determinado tópico. Dessa forma, entre as características que a Web proporciona em relação ao ensino a distância, podemos citar (TEIXEIRA, 2007): 4

5 Interatividade: em salas de aula, a interatividade fica restrita ao limite físico e temporal, que não ocorre com os recursos pela Web, em que não há restrições de localização e, quanto ao fator temporal, o estudante pode acessar a Internet a qualquer horário; Ensino independente de tempo e lugar: o treinamento pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer momento e o alcance é limitado pelo alcance da Internet; Minimização de deslocamentos e economia de tempo: não há necessidades de deslocamentos freqüentes para locais físicos predeterminados, o que também determina uma redução de custos sobre o transporte, alimentação e hospedagem, com conseqüente redução e economia de tempo; Atendimento em massa personalizado (mass customization): é a possibilidade de oferecimento de ensino em massa com a adequação às características dos alunos. Aprendizagem no ritmo da aprendizagem: o que faz com que o indivíduo possa ter um papel ativo sobre o ritmo e necessidades de aprendizagem; Network: possibilita e promove a troca de experiências, criando uma comunidade virtual. Essa troca enriquece, estimula e dinamiza o aprendizado dos alunos; Independência de formato: A Web, pela sua concepção, permite simultaneamente a transmissão de informação em diversos formatos (imagem, texto, som, animação, vídeo, entre outros.). Os dados podem ser encapsulados segundo padrões específicos e transmitidos via rede; Sistema dinâmico e incremental: É um meio de transmissão com grande dinâmica (atualização constante do conteúdo). Uma vez que a informação original fica armazenada em um servidor e todos os clientes se utilizam da mesma fonte (em Inter ou Intranet), sempre que esta é atualizada ou modificada o efeito é sentido de imediato por todos os usuários; Independência geográfica e temporal: O acesso à base de informações só depende da existência de um terminal com acesso à Internet e da disponibilidade de um browser; pode ser feito a qualquer tempo e lugar segundo a disponibilidade do usuário. 5

6 2 Legislação da EAD no Brasil A Nova Lei de Diretrizes e Base da Educação Brasileira (LDB) e o Plano Decenal de Educação para Todos (1993/2003), juntos, tornaram a EAD um compromisso nacional. Em 1995, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) criou a Secretaria de Educação a Distância (SEED/MEC) (SEED/MEC, 2007) com objetivo de valorizar o papel da EAD na implantação de uma nova cultura educacional visando a ampliação do espaço educacional e do domínio de conhecimento por meio da disseminação de programas, conhecimentos e tecnologias aplicadas à EAD. A EAD vem atualmente recebendo estímulos significativos do Governo Federal que a coloca em suas prioridades. As instituições que querem oferecer o ensino de graduação à distância devem obter junto à Secretaria de Educação Superior do Ministério, o credenciamento e autorização para tal. Uma vez autorizada, a universidade pode oferecer cursos utilizando vídeo, Internet, impressos e outras mídias. Todas essas universidades possuem sites que informam sobre seus cursos a distância. Na verdade, os cursos a distância oferecidos por um número significativo de universidades ainda utiliza muito pouco dos recursos da Web como ferramentas de auxilio ao ensino a distância. Os recursos didáticos utilizados com mais freqüência são livros, cadernos e guias de estudo, todos impressos. Outros recursos também são citados em alguns sites, tais como: fitas de vídeo, fitas de áudio, telefone, fax, computador, tele e videoconferências, rádio e TV. Dessa forma, um número considerável desses cursos, ainda não se configura como cursos totalmente virtuais, ou seja, via Web (TEIXEIRA, 2004). De outro lado, existem várias outras universidades que oferecem cursos de extensão e disciplinas de graduação e de pós-graduação utilizando recursos de EAD. Algumas delas são fortemente apoiadas em recursos da Web. Também estão sendo formados consórcios de universidades com o objetivo de democratizar a educação e o ensino através da utilização de tecnologias de educação à distância. 3 O UNICEUMA e a EAD Ao longo de seus vinte anos de experiência em educação superior, sempre por meio de metodologias clássicas de ensino, onde o modelo educativo, presencial, tradicional 6

7 foi preponderante, o UNICEUMA demonstrou interesse nas plataformas de ensino à distância, ao perceber que a mesma trazia consigo um diferencial político, educacional e profissional. O UNICEUMA adotou a EAD com o objetivo de adequar o seu processo pedagógico tradicional a um processo competitivo e condizente com a evolução tecnológica. Passando a incluir-se, assim, em um mercado globalizado que exige uma formação continuada dentro das novas tecnologias disponíveis. Com o reconhecimento dos benefícios que a EAD pode trazer para a educação atual, as instituições se apresentam cada vez mais aceitáveis a este processo. O UNICEUMA utiliza uma plataforma própria, construída em Moodle, para realização de cursos à distância que, ainda, não permite grandes possibilidades educativas, além da cooperação com algumas disciplinas semi-presenciais planejadas e solicitadas pelo corpo docente; como é o caso da Disciplina Sistemas Cooperativos do Curso de Sistemas de Informação, usada experimentalmente para validação desta proposta. Dessa maneira, a partir dos resultados obtidos, propomos melhorias consideráveis para programa de EAD do UNICEUMA dentre elas, um ambiente de aprendizagem entre alunos e professores no processo educacional, dispostos dentro de uma arquitetura de rede de computadores, baseando-se em modelo pedagógico de aprendizagem cooperativa, já usado em outras Instituições parceiras no nosso estado como é o caso do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA). Neste sentido, o UNICEUMA deixa claro que as experiências que trazem benefícios ao ensino, serão sempre acolhidas e apoiadas pela instituição, como a que propomos. 3.1 Modelo Educacional Clássico Este modelo (Figura 1) está sofrendo muitas críticas, pois além de exigir muitos recursos, dar mais importância ao ensino enquanto ficou reconhecido atualmente que o foco deve ser a aprendizagem. O modelo clássico dar ênfase à aquisição enciclopédica de conhecimento. Contudo, frente ao crescimento vertiginoso do conhecimento (estamos vivendo a era da informação e do conhecimento) ficou claro que é mais interessante 7

8 centralizar a educação no desenvolvimento de habilidades para avaliar e solucionar problemas e situações reais. 1. Análise ou pressuposição de entrada do aluno 2.Apresentação baseada no conhecimento e no talento do professor 3.Avaliação da aprendizagem Figura 1: Modelo Educacional Tradicional (LABIDI, 2002) A EAD surgiu devido à necessidade de levar oportunidades de aprendizagem a um número cada vez maior de pessoas de forma a superar as limitações que o modelo clássico não resolveu: número crescente de pessoas, custo elevado, incompatibilidade de tempo, falta de oportunidades educacionais (em algumas regiões), entre outros (GONZÁLEZ, 2005). 3.2 Modelo de EAD proposto para o UNICEUMA A proposta do modelo de EAD divide-se em três partes: o Modelo Prático, o Modelo Pedagógico e o Modelo Tecnológico (Figura 2). Modelo EAD para UNICEUMA Modelo Prático Modelo Pedagógico Modelo Tecnológico Modelo de avaliação do sistema Figura 2 : Modelo EAD para o UNICEUMA (TEIXEIRA, 2007) 8

9 Modelo Prático Para o desenvolvimento de um projeto instrucional de EAD devemos considerar as funcionalidades fundamentais do sistema de EAD. Isto define o Modelo Prático. Um sistema é um conjunto de recursos humanos, materiais e informacionais que interage com o meio para realizar sua finalidade. As funções que compõe o sistema de EAD são: Administração, Planejamento, Produção, Utilização, Supervisão, Acompanhamento e Avaliação. Sugerimos a criação do Núcleo (ou Coordenação) de EAD do UNICEUMA/MA. As funcionalidades do Modelo Prático seriam, portanto, geridas por esta coordenação (Figura 3): Montar Equipe Administração Planejamento Produção Utilização Supervisão Acompanhamento Avaliação Figura 3: Funções do Sistema de EAD (TEIXEIRA, 2007) 9

10 Criar Equipe. Para o bom funcionamento desta modalidade educacional devese criar uma equipe interdisciplinar constituída por professores, pedagogos, psicólogos, profissionais de informática e administradores. Administração. A participação do coordenador em todas as fases é necessária. O coordenador responde pelo desenvolvimento do sistema como um tudo. Planejamento. É a ação que estabelece objetivo, metas, condições de execução, recursos necessários, custos, cronogramas, explicitar a proposta pedagógica. O planejamento responde às questões: O Quê? Como? Quem? Quando? Onde? Quanto? Relativa a todas as partes e atividades do sistema. O planejamento de EAD deverá ser feito a partir das reais condições da instituição e dos usuários (clientela). Produção. É a ação de elaboração de materiais instrucionais que serão disponibilizados (sob forma de CD-ROM ou para download) para os usuários: textos básicos, manuais de orientação, áudio, vídeo, etc. Utilização. A recepção do material pelos usuários pode ser realizada de várias maneiras: livre (não controlada), organizada (controlada), isolada (limitada), etc. Deve-se, portanto, ter uma equipe de tutores (ou monitores) para garantir a utilização correta do material, criar estímulo na utilização do material. Supervisão. Em uma perspectiva de EAD, a supervisão assume o objetivo de orientação e incentivo à formação de grupos de trabalho. A supervisão refere-se ao conjunto de atividades que contribuem para o melhoramento do ensino. Acompanhamento e Avaliação. Tem por objetivo de aperfeiçoar e garantir a melhor utilização do sistema. É indispensável definir na fase de planejamento os mecanismos e instrumentos que permitirão o acompanhamento e a avaliação considerando os objetivos do programa. Modelo Pedagógico A proposta de um modelo pedagógico é geralmente baseada na definição de dois modelos: um modelo educacional e um modelo instrucional. Os dois modelos são compostos pelos mesmos elementos. A diferença é que o primeiro é mais abrangente. 10

11 A visão clássica da educação era centralizada no professor como detentor do saber. A visão moderna da educação é centralizada no aluno dando mais importância ao aprendiz e ao processo de aprendizagem. Em realidade é a própria evolução tecnológica que faz com que novas visões da educação apareçam. As mudanças ocorridas trouxeram uma nova visão do papel de cada elemento no processo educacional, principalmente do aluno e do professor. A EAD deve, portanto, se basear em um modelo moderno. O professor não é mais visto como o principal detentor do saber, mas passa a ser um administrador, organizador, e coordenador de um ambiente desenhado para facilitar a aprendizagem do aluno, um facilitador desse processo; onde o aluno deixa de ser um simples receptor passivo de informações e começa a interagir com multi meios, conteúdos, formas de apresentação, e experiências de forma autônoma e em grupo para alcançar os objetivos (FRAWLWY, 2000). A maioria dos projetos de EAD modernos se baseia em um modelo pedagógico composto por quatro elementos: diagnóstico, seleção, realização e avaliação (Figura 4). Modelo Pedagógico Mediador Proposto Diagnóstico Seleção Realização Avaliação (Feedback) Figura 4: Modelo Pedagógico Moderno (TEIXEIRA, 2007) Diagnóstico: Contrariamente ao modelo clássico, saber que um aluno concluiu determinado nível de formação já não é mais suficiente para o ingresso. É preciso diagnosticar com mais profundidade quais os objetivos específicos de cada disciplina, o que aluno domina ou não. Esta fase tem por objetivo determinar o perfil do aprendiz que ajuda na tomada de decisão sobre o aluno: o que aluno deve aprender e como ele pode melhor participar do processo nos dois pontos de vista instrucional e educacional. O Modelo Pedagógico deve responder às perguntas: a quem o UNICEUMA/MA deseja respectivamente oferecer e atender, com relação à educação? 11

12 Seleção. Este elemento do modelo define a escolha dos procedimentos de aprendizagem a serem realizados pelo aluno. Devem-se levar em conta as características individuais de cada um. Realização. É a aplicação das atividades de aprendizagem definidas na fase anterior. Essas devem ser planejadas e realizadas de acordo com os objetivos e condições diagnosticadas. É nesta fase em que se dá, necessariamente, a prática pedagógica, com a aplicação dos preceitos didáticos pedagógicos por nós proposto. Na fase de Realização é que propomos a aplicação do Modelo Didáticopedagógico Mediador (Figura 5), adaptado e melhorado de modelos utilizados isoladamente em EAD que, visto sob uma perspectiva vigotskiana, torna-se capaz de promover o aprendizado apoiado nas TIC em um ambiente de aprendizagem cooperativo de forma exitosa. Proposto inicialmente para o IFMA, foi disponibilizado, a partir de um processo de parceria com o UNICEUMA, para o desenvolvimento de trabalhos complementares de encerramento de curso dos alunos da graduação em Sistemas de Informações e contemplam estudos cooperativos. Professor: desenha ambientes mediados e os propõe ao aluno Método: utilização de ambientes mediados. Aprendizagem cooperativa. Reflexão-ação Relação Professor X Aluno: relação horizontal AMBIENTES DE APRENDIZAGEM COOPERATIVOS APOIADOS PELAS TIC Meta: promover nos indivíduos a tarefa de construir-se, de apropriarse do mundo e de si mesmos. Aluno: faz suas próprias mediações sobre o que lhe chega mediado Conteúdos: os alunos constroem os conteúdos através do conhecimento, a arte, os jogos, o estético, as interações e as relações com os outros seres (relação entre o afetivo e o cognitivo) Figura 7: Modelo didático-pedagógico mediador (CARLIER, 1998; TEIXEIRA, 2007) 12

13 Avaliação. A cada atividade (ou unidade) realizada pelo aluno deve-se verificar se os objetivos foram alcançados. Os propósitos de avaliação devem ser claramente definidos no modelo. O objetivo do diagnóstico é de dar a cada aluno um feedback e as oportunidades para alcançar perfeitamente os objetivos. Importância da definição dos objetivos: Todo processo instrucional tem como finalidade mudanças de comportamento. Consequentemente, os objetivos devem ser explicitados sob forma de proposições ou descrições de mudanças esperadas ao final de cada etapa. A definição dos objetivos deve atuar como: Base na construção do currículo; Base de informação sobre o desenvolvimento das atividades; Base para avaliação; e Guia para o aluno saber onde está e aonde vai. Modelo Tecnológico Pode-se usar ambientes de apoio ao ensino a distância baseado na WEB. Como exemplo: WebCity, AulaNet, TelEduc, ProInfo (do MEC), etc. Esses ambientes permitem aos alunos, distantes geograficamente, se cadastrarem e participarem dos cursos oferecidos, de forma que o sistema gerencia todas as interações entre os diversos alunos e os coordenadores dos cursos, oferecendo mailing-list, fóruns de discussão, chat, sessões sincronizadas de ensino, transferência de arquivos, banco de dúvidas, etc. Levando em consideração que o UNICEUMA/MA tem as competências necessárias para desenvolver seu próprio ambiente de apoio à EAD com as vantagens de personalização, flexibilidade e incrementalidade, poder-se-ia ressaltar que, atualmente, existe o CEAD/CEUMA, um ambiente de apoio ao ensino a distância do UNICEUMA. Contudo, qualquer que seja o ambiente escolhido, gratuito, ou próprio, a proposta de EAD baseada na WEB só terá efeito e sucesso se ela for apoiada por um laboratório de criação multimídia. Tal laboratório terá como função principal a criação do material didático multimídia usando recursos avançados de geração de vídeo, imagens, som, etc. 13

14 Finalmente, não se pode deixar de ressaltar outros recursos tecnológicos que estão ampliando e dinamizando as possibilidades do ensino a distância, como é o caso da tele e videoconferência. O UNICEUMA/MA pode a médio ou longo prazo adquirir esta tecnologia uma vez que seu programa de EAD já está consolidado. 4 Considerações Finais Finalmente, concluímos que: Aperfeiçoar o uso EAD no UNICEUMA/MA, segundo o que propomos, é de maior importância para a Instituição; pois, além de consolidar sua imagem, trará maior economia e flexibilidade aumentando o leque de seus alunos potenciais para todo o território nacional. O caráter se faz, imprescindível e urgente, para implantação deste projeto, tendo em vista que, ao nível das instituições maranhenses de ensino, há poucos projetos reconhecidos na área. Entretanto, há vários núcleos que estão sendo criados tendo os mesmos objetivos, como o do IFMA. A importância de seguir uma abordagem baseada em modelos para implantação desta modalidade de ensino no UNICEUMA/MA, em especial o modelo pedagógico de aprendizagem cooperativa/colaborativa é indispensável. Ter uma própria infra-estrutura de videoconferência como recurso complementar ajudando na implantação do projeto de EAD e possibilitando o credenciamento da Instituição junto ao MEC é de extrema importância. Referências CARLIER, Mônica. Ambientes de aprendizaje colaborativos apoyados con tecnologías de la información y la comunicación como instrumentos mediadores en la relación pedagógica. Colômbia- 1998, p COLLAZO, R. Una concepción teórico-metodológica para al produción de cursos a distancia basados en el uso delas Tecnologías de la Información y las Comunicaiones. 14

15 Tesis en opción al Grado Científico de Doctor en Ciencias de la Educación. Ciudad da la Habana DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez, Brasília, DF: UNESCO, 2001, p.56. DUARTE, Newton. Vigotski e o aprender a aprender : crítica às apropriações neoliberais e pós modernas da tória vigotskiana. Campinas São Paulo: Autores associados, 2000, p FRAWLWY, William. Vygotsky e a Ciência Cognitiva. Linguagem e integração das mentes social e computacional. Porto Alegre, Artes Médicas, GONZÁLES, Y. Propuesta Didáctica para el desarrollo de estrategias de aprendizaje con el apoyo de las Tecnologías de Información y las Comunicaciones. Tesis presentada en opción al Grado Científico de Doctor en Ciencias Pedagógicas. Habana, LABIDI, S. and Ferreira, J.S. Technology Assisted Instruction Applied to Cooperative Learning. In the Proceedings of the IEEE International Frontiers in Education (FIE 98). Tempe, Arizona, USA. November 4-7, LABIDI, Sofiane; Souza, Cenidalva M. SHIECC: A Computer Supported Collaborative Learning. International Journal of Continuous Engineering And Life Long Lerning Special Issues On Intelligent Agents for Education and Training Systems, Holanda, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E MISNISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA (SEED/MEC). Referenciais de qualidade para educação superior à distância. Brasília, agosto de TEIXEIRA, M. P. S. S et. Alli. Quality Intelligent Tutoring Hypermedia Systme for Training in Quality Control. ICTE, Badajoz/Espanha, ISBN: colección TEIXEIRA, M. P. S. S, et al. Proposta de implantação de uma plataforma de educação a distância para o CEFET-MA mediada pelas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e baseada em um modelo pedagógico de aprendizagem cooperativa. TELEDUC 04, Habana,

16 TEIXEIRA, M. P. S. S. Un Modelo Pedagógico para Educación a Distância con el uso de las Tecnologías de la Información y las Comunicaciones en el Centro Federal de Educación Tecnológica de Maranhão. Tesis en opción al Grado Científico de Doctor en Ciencias de la Educación. Ciudad da la Habana Tese Revalidada pela Universidade Federal de Santa Catarina em Educação Científica e Tecnológica. Florianopólis: UFSC,

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES FACULDADE ZACARIAS DE GÓES DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Valença Bahia Dezembro 2011 DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Resenha a ser apresentada como avaliação da disciplina EAD em Ambiente

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação

Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Profa Alessandra Regina Brito Mestre em Ciências Ambientais e Saúde Docente EAD Pós-graduações: Epidemiologia e Saúde Trabalhador Coordenação Pedagógica Pós-graduação Epidemiologia Como surgiu a EAD O

Leia mais

XVII SEMINÁRIO NACIONAL DE ENSINO DA MEDICINA VETERINÁRIA. 13 a 15 de agosto de 2008 Brasília - DF

XVII SEMINÁRIO NACIONAL DE ENSINO DA MEDICINA VETERINÁRIA. 13 a 15 de agosto de 2008 Brasília - DF XVII SEMINÁRIO NACIONAL DE ENSINO DA MEDICINA VETERINÁRIA 13 a 15 de agosto de 2008 Brasília - DF MODELOS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EaD Informática como ferramenta pedagógica no ensino da Medicina Veterinária

Leia mais

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO 2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO Maria do Rozario Gomes da Mota Silva 1 Secretaria de Educação do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA

SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA ARTIGO ACEITO PARA O IADIS EUROPEAN CONFERENCE 2012 LISBOA (PORTUGAL) Categoria mini artigo com no máximo 2500 palavras RESUMO Este artigo

Leia mais

Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD

Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD 1 Curso Técnicas, Legislação e Operação de Sistemas de Educação a Distância (EAD) Módulo/Disciplina Tecnologia Educacional em EAD Unidade I Material Instrucional - Texto 1. Introdução Qualquer que seja

Leia mais

EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA

EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA EDUCAÇÃO CONVENCIONAL X EDUCAÇÂO MEDIADA por Anelise Pereira Sihler é Pedagoga, Especialista em Gestão de Pessoas, Gestão Educacional, Educação a Distância, Educação colaborativa, Relações Humanas, mestre

Leia mais

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O TRABALHO DO TUTOR COMO MEDIADOR DO CONHECIMENTO SOEK, Ana Maria (asoek@bol.com.br) Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Brasil HARACEMIV,

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

3º ECOM.EDU Encontro de Comunicação e Educação de Ponta Grossa O TUTOR NA EAD: QUEM É E O QUE FAZ.

3º ECOM.EDU Encontro de Comunicação e Educação de Ponta Grossa O TUTOR NA EAD: QUEM É E O QUE FAZ. 223 3º ECOM.EDU Encontro de Comunicação e Educação de Ponta Grossa O TUTOR NA EAD: QUEM É E O QUE FAZ. Andréia Bulaty 70 GT2: Mídia e Educação à Distância Modalidade: Pôster Resumo: O presente trabalho

Leia mais

DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância

DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância DIÁLOGO VIRTUAL COM A SAÚDE : um projeto piloto de extensão a distância 128-TC-B5 Maio/2005 Marcio Vieira de Souza, Dr. Universidade do Vale do Itajai-UNIVALI-SC e-mail: mvsouza@univali.br Fernando Spanhol,

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região Objetivo geral Elaborar um projeto básico de curso on-line Objetivos específicos 1.Aplicar conceitos e fundamentos do DI na concepção

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Andréa Tonini José Luiz Padilha Damilano Vera Lucia Marostega Universidade Federal de Santa Maria RS RESUMO A UFSM vem ofertando Cursos de Formação

Leia mais

PROJETO DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS

PROJETO DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS PROJETO DISCIPLINAS SEMIPRESENCIAIS FACULDADE CASTELO BRANCO Portaria MEC nº 304, de 16/04/2008 D.O.U de 17/04/2008 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 02 2 JUSTIFICATIVA... 04 3 OBJETIVOS... 06 4 PROPOSTA PEDAGÓGICA...

Leia mais

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte

Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Sumário Apresentação O papel do Aluno Ambiente Virtual de Aprendizagem Disciplina Ofertadas na modalidade Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente Virtual Dúvida e Suporte Dúvidas 3 5 6 9 10 11 14

Leia mais

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD 1 FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD Elisangela Lunas Soares UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar elisangela.soares@unicesumar.edu.br Alvaro Martins Fernandes Junior UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar

Leia mais

EaD como estratégia de capacitação

EaD como estratégia de capacitação EaD como estratégia de capacitação A EaD no processo Ensino Aprendizagem O desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação (tics) deu novo impulso a EaD, colocando-a em evidência na última

Leia mais

ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM

ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM AVINIO, Carina de S.¹; ENDERLE, Mariana G.²; VISENTINI, Lucas³. 1 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS Aline Passos Amanda Antunes Ana Gabriela Gomes da Cruz Natália Neves Nathalie Resende Vanessa de Morais EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS Trabalho apresentado à disciplina online Oficina

Leia mais

SISTEMA DE APOIO AO ENSINO BASEADO EM AGENTES. Resumo

SISTEMA DE APOIO AO ENSINO BASEADO EM AGENTES. Resumo SISTEMA DE APOIO AO ENSINO BASEADO EM AGENTES Sérgio A. S. de Moraes 1 Resumo Este apresenta a modelagem de um Sistema Tutor Inteligente (STI) baseado em uma arquitetura Multi-Agente (MA) para apoio ao

Leia mais

Curitiba- Pr outubro de 2015. 1 Carmem Lúcia Graboski da Gama Instituto Federal do Paraná Campus Paranaguá carmem.gama@ifpr.edu.br.

Curitiba- Pr outubro de 2015. 1 Carmem Lúcia Graboski da Gama Instituto Federal do Paraná Campus Paranaguá carmem.gama@ifpr.edu.br. O uso do Facebook como um Objeto Educacional para ajudar alunos em dificuldade na aprendizagem do Cálculo Diferencial e Integral como também da Geometria Analítica em diferentes localidades. Curitiba-

Leia mais

ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO

ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO ESTUDO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR NA CIDADE DE PORTO VELHO Porto Velho - RO - 03/2010 Sara Luize Oliveira Duarte, Universidade de Taubaté, saralod@msn.com Walace

Leia mais

RESISTÊNCIA X ACEITAÇÃO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE UMA FACULDADE TECNOLÓGICA EM FORTALEZA-CE

RESISTÊNCIA X ACEITAÇÃO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE UMA FACULDADE TECNOLÓGICA EM FORTALEZA-CE 1 RESISTÊNCIA X ACEITAÇÃO DA MODALIDADE SEMIPRESENCIAL DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE UMA FACULDADE TECNOLÓGICA EM FORTALEZA-CE Fortaleza CE, 01 de maio de 2014 Luciana Rodrigues Ramos Duarte Faculdade Ateneu

Leia mais

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line 1 2 A HIPOCAMPUS é uma empresa de consultoria em comunicação e ensino digital com foco nos profissionais de saúde. Estamos prontos a auxiliar empresas dos diferentes segmentos da área de saúde a estabelecer

Leia mais

DESIGN INSTRUCIONAL: APLICABILIDADE DOS DESENHOS PEDAGÓGICOS NA EAD ON-LINE BRASILIA-DF, MAIO, 2009

DESIGN INSTRUCIONAL: APLICABILIDADE DOS DESENHOS PEDAGÓGICOS NA EAD ON-LINE BRASILIA-DF, MAIO, 2009 1 DESIGN INSTRUCIONAL: APLICABILIDADE DOS DESENHOS PEDAGÓGICOS NA EAD ON-LINE BRASILIA-DF, MAIO, 2009 Karine Xavier Freire Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal karine.xavier@gmail.com Categoria

Leia mais

A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS TUTORES PRESENCIAIS DO POLO UAB DE FLORIANÓPOLIS: POSSIBILIDADES DE QUALIFICAÇÃO DO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM.

A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS TUTORES PRESENCIAIS DO POLO UAB DE FLORIANÓPOLIS: POSSIBILIDADES DE QUALIFICAÇÃO DO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM. A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS TUTORES PRESENCIAIS DO POLO UAB DE FLORIANÓPOLIS: POSSIBILIDADES DE QUALIFICAÇÃO DO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM. Resumo Fabiana Gonçalves¹ Prefeitura de Florianópolis Grupo de

Leia mais

Interatividade na Educação a Distância

Interatividade na Educação a Distância Interatividade na Educação a Distância Rubevan Medeiros Lins (UFAM) rubevan@yahoo.com Márcia Helena Veleda Moita (UFAM) marciamoita@ufam.edu.br Silvana Dacol (UFAM) sdacol@ufam.edu.br Resumo O tema central

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (Área de Língua Portuguesa)

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO (Área de Língua Portuguesa) 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Universidade de Brasília Proposta NNS/FUB n.º 017/2006. Referência: Edital de Licitação SEB/MEC Processo n.º 23.000005051/2006-27 Programa de Incentivo à Formação Continuada

Leia mais

Capacitação de Recursos Humanos para o Uso de Tecnologias no Ensino Fundamental

Capacitação de Recursos Humanos para o Uso de Tecnologias no Ensino Fundamental Programa 0042 ESCOLA DE QUALIDADE PARA TODOS Objetivo Melhorar a qualidade do ensino fundamental, mediante a democratização do acesso a novas tecnologias de suporte à formação educacional. Indicador(es)

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS: APOIO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NOVAS TECNOLOGIAS: APOIO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES 1 NOVAS TECNOLOGIAS: APOIO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Lúcia Helena de Magalhães 1 Neuza Maria de Oliveira Marsicano 2 O papel das tecnologias da informação na atual sociedade da informação vem sendo

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.

Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais. Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail. Infraestrutura de EaD para apoio a cursos presenciais Prof. ª Dra. Christine da Silva Schröeder ICEAC/SEaD/FURG christine1004sch@gmail.com Perspectivas de análise: EAD e mudança Perspectivas de análise:

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet 57 Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet Hoje em dia ter a Internet como aliada é um recurso indispensável para qualquer educador ou responsável por treinamento corporativo que atue em qualquer

Leia mais

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época.

O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época. Educação a distância (EaD, também chamada de teleducação), por vezes designada erradamente por ensino à distância, é a modalidade de ensino que permite que o aprendiz não esteja fisicamente presente em

Leia mais

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO PRESENCIAL: estudos preliminares e proposta de uma metodologia de implantação no CEFET-Bambuí Christiane dos Santos

Leia mais

A Educação a Distância no Instituto Federal do Espírito Santo

A Educação a Distância no Instituto Federal do Espírito Santo A Educação a Distância no Instituto Federal do Espírito Santo História - EAD Primeira notícia: aulas por correspondência ministradas por Caleb Fhilips em março de 1728 na Gazette de Boston, EUA. Enviava

Leia mais

Sistema de Gestão de Aulas

Sistema de Gestão de Aulas Sistema de Gestão de Aulas criando cultura para o Ensino a Distância e melhorando o processo ensino-aprendizagem pela internet RICARDO CREPALDE* RESUMO O objetivo deste artigo é apresentar a experiência

Leia mais

http://www2.joinville.udesc.br/~gpie Avanilde Kemczinski, Dra.

http://www2.joinville.udesc.br/~gpie Avanilde Kemczinski, Dra. http://www2.joinville.udesc.br/~gpie Foco As investigações do grupo estão relacionadas a utilização, avaliação e desenvolvimento de Tecnologias de Informação e Comunicação - TIC, como elemento facilitador

Leia mais

MBA Executivo. Coordenação Acadêmica: Prof. Marcos Avila Apoio em EaD: Prof a. Mônica Ferreira da Silva Coordenação Executiva: Silvia Martins Mendonça

MBA Executivo. Coordenação Acadêmica: Prof. Marcos Avila Apoio em EaD: Prof a. Mônica Ferreira da Silva Coordenação Executiva: Silvia Martins Mendonça Coordenação Acadêmica: Prof. Marcos Avila Apoio em EaD: Prof a. Mônica Ferreira da Silva Coordenação Executiva: Silvia Martins Mendonça 1 O Instituto COPPEAD: O Instituto COPPEAD oferece o curso de especialização

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

O que é educação a distância (*)

O que é educação a distância (*) O que é educação a distância (*) José Manuel Moran Professor da Universidade Bandeirante e das Faculdades Sumaré-SP Assessor do Ministério de Educação para avaliação de cursos a distância jmmoran@usp.br

Leia mais

Profa. Dra. Cleide Jane de Sá Araújo Costa Prof. Dr. Fábio Paraguaçu Duarte da Costa Profa. Dra. Anamelea de Campos Pinto Profa. Ms.

Profa. Dra. Cleide Jane de Sá Araújo Costa Prof. Dr. Fábio Paraguaçu Duarte da Costa Profa. Dra. Anamelea de Campos Pinto Profa. Ms. ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Profa. Dra. Cleide Jane de Sá Araújo Costa Prof. Dr. Fábio Paraguaçu Duarte da Costa Profa. Dra. Anamelea de Campos Pinto Profa. Ms. Maria Aparecida Viana

Leia mais

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador Maceió AL, maio/2009 Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas lpmercado@oi.com.br Categoria: B- Conteúdos e

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1

PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 PROPOSTAS DE EAD NO ENSINO SUPERIOR, SOB A ÓTICA DA LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL 1 Elaine Turk Faria 1 O site do Ministério de Educação (MEC) informa quantas instituições já estão credenciadas para a Educação

Leia mais

Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital

Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital Métodos e Práticas na Formação Inicial e Desenvolvimento Profissional do Professor de Matemática em uma Plataforma Digital Carla de Araújo 1 GD13 Educação Matemática e Inclusão Resumo: Tendo em vista as

Leia mais

Um modo de ser. em educação a distância. dinâmica do meio educacional

Um modo de ser. em educação a distância. dinâmica do meio educacional dinâmica do meio educacional 1 :: marilú fontoura de medeiros professora doutora em Educação/UFRGS Um modo de ser em educação a distância Percorrer o atual contexto da Educação a Distância é trilhar um

Leia mais

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA 9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA Autor(es) MICHELE CRISTIANI BARION FREITAS Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO 1. Introdução A partir de ferramentas

Leia mais

Referenciais de Qualidade adotados na Adaptação de um Curso a Distância

Referenciais de Qualidade adotados na Adaptação de um Curso a Distância 1 Referenciais de Qualidade adotados na Adaptação de um Curso a Distância Data de envio do trabalho: 06/11/2006 Ludmyla Rodrigues Gomes Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) ludmyla.gomes@enap.gov.br

Leia mais

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792

ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 ÀGORA, Porto Alegre, Ano 3, jan/jun.2012. ISSN 2175-3792 70 A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O USO DE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA Rita de Cássia Viegas dos Santos

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS

OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS OS USOS DAS VIDEOCONFERÊNCIAS EM EAD: DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DIDÁTICAS São Luís MA maio de 2012 Categoria: C Setor Educacional: 3 Classificação das áreas de pesquisa em EAD Macro: C / Meso: J /

Leia mais

Papel da SBIS na Educação

Papel da SBIS na Educação I Ciclo de Seminários de Tecnologias de Informação em Saúde Educação Continuada, Certificação Profissional e Título de Especialista: o Projeto da SBIS Prof. Renato M.E. Sabbatini Diretor de Educação e

Leia mais

Educação a distância: os ambientes virtuais e algumas possibilidades pedagógicas

Educação a distância: os ambientes virtuais e algumas possibilidades pedagógicas Educação a distância: os ambientes virtuais e algumas possibilidades pedagógicas Maria Elisabette Brisola Brito Prado 1 Nos últimos anos, a educação a distância via telemática ganhou uma nova dimensão,

Leia mais

Escola Virtual ENAP: Relato de Experiência

Escola Virtual ENAP: Relato de Experiência 1 Escola Virtual ENAP: Relato de Experiência Maio/2005 190-TC-A5 Tarcilena Polisseni Cotta Nascimento Escola Nacional de Administração Pública ENAP Tarcilena.Nascimento@enap.gov.br Maria Fernanda Borges-Ferreira

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

ANA CATARINA LIMA SILVA Grad. em Ciência da Computação pela UFMG Mestranda em Administração email: catarina@dcc.ufmg.br. 1.

ANA CATARINA LIMA SILVA Grad. em Ciência da Computação pela UFMG Mestranda em Administração email: catarina@dcc.ufmg.br. 1. 1 de 7 13/11/2012 15:55 ANA CATARINA LIMA SILVA Grad. em Ciência da Computação pela UFMG Mestranda em Administração email: catarina@dcc.ufmg.br ANA CATARINA LIMA SILVA 30.10.2000 1. Introdução Os avanços

Leia mais

FAQ Estude Sem Dúvidas

FAQ Estude Sem Dúvidas FAQ Estude Sem Dúvidas Núcleo de Educação a Distância Faculdade Flamingo São Paulo Atualizado em: Outubro/2015 2 Estude sem dúvidas FAQ para os alunos de Pedagogia Presencial Caros alunos e alunas do curso

Leia mais

A Era Da Informação: Uma Leitura Da Educação Contemporânea Por Meio Da Comunicação Informatizada 1

A Era Da Informação: Uma Leitura Da Educação Contemporânea Por Meio Da Comunicação Informatizada 1 A Era Da Informação: Uma Leitura Da Educação Contemporânea Por Meio Da Comunicação Informatizada 1 Otavio OLIVEIRA 2 Cintia BARIQUELO 3 Jamile SANTINELLO 4 Universidade Estadual do Centro-Oeste Resumo

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Sumário Apresentação As Vantagens Dessa Moderna Sistemática do Ensino O Papel do Aluno Professor Tutor Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Dúvidas e Suporte

Leia mais

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia.

RESUMO. PALAVRAS-CHAVE: Educação à distância; Informática; Metodologia. 1 O PAPEL DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: Um Estudo de Caso no pólo UNOPAR, Machadinho do Oeste - RO Izaqueu Chaves de Oliveira 1 RESUMO O presente artigo tem por objetivo compreender a importância

Leia mais

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem

Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Modelos educacionais e comunidades de aprendizagem Temos literatura abundante sobre comunidades de aprendizagem, sobre a aprendizagem em rede, principalmente na aprendizagem informal. A sociedade conectada

Leia mais

Workflow Genético para Planejamento e Gerenciamento de Currículo em EAD

Workflow Genético para Planejamento e Gerenciamento de Currículo em EAD Workflow Genético para Planejamento e Gerenciamento de Currículo em EAD Autor: Robson da Silva Lopes 1, Orientadora: Prof a. Dr a. Márcia Aparecida Fernandes 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da

Leia mais

Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB.

Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB. Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB. Profa. Dra. Nara Maria Pimentel Diretora de Ensino de Graduação da UnB Presidente do Fórum

Leia mais

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Adja F. de Andrade adja@inf.pucrs.br 1 Beatriz Franciosi bea@inf.pucrs.br Adriana Beiler 2 adrianab@inf.pucrs.br Paulo R. Wagner prwagner@inf.pucrs.br

Leia mais

Eje temático: EXPERIENCIAS Y ACCIONES CONCRETAS RELACIONADAS CON LA EDUCACIÓN MEDIÁTICA EN EL ÁMBITO DE LA EDUCACIÓN FORMAL

Eje temático: EXPERIENCIAS Y ACCIONES CONCRETAS RELACIONADAS CON LA EDUCACIÓN MEDIÁTICA EN EL ÁMBITO DE LA EDUCACIÓN FORMAL Eje temático: EXPERIENCIAS Y ACCIONES CONCRETAS RELACIONADAS CON LA EDUCACIÓN MEDIÁTICA EN EL ÁMBITO DE LA EDUCACIÓN FORMAL Titulo: UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB) Autor: Wilson dos Santos Almeida

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 03 DOCÊNCIA E TUTORIA NA EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Introdução A Educação a Distância, por meio dos inúmeros recursos didáticos e tecnológicos,

Leia mais

Educação à Distância: Possibilidades e Desafios

Educação à Distância: Possibilidades e Desafios Educação à Distância: Possibilidades e Desafios Resumo André Alves Freitas Andressa Guimarães Melo Maxwell Sarmento de Carvalho Pollyanna de Sousa Silva Regiane Souza de Carvalho Samira Oliveira Os cursos

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

PIBID DE FÍSICA MODALIDADE EAD- FUNCIONAMENTO, DESAFIOS E PERSPECTIVAS Patricia Martins Guarda Regina Lelis de Sousa

PIBID DE FÍSICA MODALIDADE EAD- FUNCIONAMENTO, DESAFIOS E PERSPECTIVAS Patricia Martins Guarda Regina Lelis de Sousa PIBID DE FÍSICA MODALIDADE EAD- FUNCIONAMENTO, DESAFIOS E PERSPECTIVAS Patricia Martins Guarda Regina Lelis de Sousa Resumo Este trabalho consiste no relato de experiência de coordenadores de área do Programa

Leia mais

MANUAL - DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL SUMÁRIO

MANUAL - DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL SUMÁRIO MANUAL - DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL SUMÁRIO APRESENTAÇÃO AMBIENTE VIRTUAL AS VANTAGENS DESSA MODERNA SISTEMÁTICA DO ENSINO SÃO: O PAPEL DO ALUNO PROFESSOR TUTOR AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ACESSO AO AMBIENTE

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Instrumentos de avaliação para credenciamento

Leia mais

Florianópolis SC - maio 2012. Categoria: C. Setor Educacional: 3. Classificação das Áreas de Pesquisa em EaD Macro: A / Meso: L / Micro: N

Florianópolis SC - maio 2012. Categoria: C. Setor Educacional: 3. Classificação das Áreas de Pesquisa em EaD Macro: A / Meso: L / Micro: N LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ESPAÇO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E AMPLIAÇÃO DE CONHECIMENTOS REFERENTES À INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Florianópolis SC - maio 2012 Categoria: C Setor

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1

Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Fundação Presidente Antônio Carlos- FUPAC 1 Sumário Apresentação Ambiente Virtual As Vantagens Dessa Moderna Sistemática do Ensino O Papel do Aluno Professor Tutor Avaliação da Aprendizagem Acesso ao Ambiente

Leia mais

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007)

softwares que cumprem a função de mediar o ensino a distância veiculado através da internet ou espaço virtual. PEREIRA (2007) 1 Introdução Em todo mundo, a Educação a Distância (EAD) passa por um processo evolutivo principalmente após a criação da internet. Os recursos tecnológicos oferecidos pela web permitem a EAD ferramentas

Leia mais

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE)

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE) PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE (SÍNTESE) Ao longo de mais de cinco décadas, a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) estruturou um ambiente acadêmico intelectualmente rico

Leia mais

1 - Dos componentes da metodologia do Curso de Pedagogia a Distância CEAD/UAB

1 - Dos componentes da metodologia do Curso de Pedagogia a Distância CEAD/UAB RESOLUÇÃO INTERNA CEAD Nº 001/2013-CONCENTRO (ALTERADA RES.05/2014) Sistema de Educação a Distância Do CEAD para a oferta do Curso de Pedagogia a Distância/UAB Dispõe sobre a metodologia do Curso de Pedagogia

Leia mais

PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA GESTÃO DE CURSOS EM EaD

PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA GESTÃO DE CURSOS EM EaD PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA GESTÃO DE CURSOS EM EaD Maringá PR Maio 2012 Camilla Barreto Rodrigues Cochia CESUMAR camilla.cochia@ead.cesumar.br José Renato de Paula Lamberti

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Portaria/MEC nº 2.690, publicada no Diário Oficial da União de 02/08/2005

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Portaria/MEC nº 2.690, publicada no Diário Oficial da União de 02/08/2005 PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Portaria/MEC nº 2.690, publicada no Diário Oficial da União de 02/08/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Fundação Universidade do Vale do Itajaí

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli

Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli Projeto de Implantação do Núcleo Tecnológico de Educação Aberta - NTEA Prof. Me. Gilson Aparecido Castadelli Ourinhos - 2012 2 1- DADOS GERAIS 1.1 UNIDADE EXECUTORA FIO - FACULDADES INTEGRADAS DE OURINHOS

Leia mais

A Utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação nas Escolas Públicas Estaduais e Municipais de Maceió

A Utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação nas Escolas Públicas Estaduais e Municipais de Maceió A Utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação nas Escolas Públicas Estaduais e Municipais de Maceió Lívia Maria Omena da Silva liviamariaomena@gmail.com CESMAC Alexa Luiza Santos Farias alexafarias1@hotmail.com

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC em Gestão Trabalho em Equipe. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC em Gestão Trabalho em Equipe. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT 1 RESOLUÇÃO CONSU 2015 04 de 14/04/2015 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT Campus Virtual 2 A. JUSTIFICATIVA A vida universitária tem correspondido a um período cada vez mais

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Mídia, linguagem e educação

Mídia, linguagem e educação 21 3 22 Mídia, Linguagem e Conhecimento Segundo a UNESCO (1984) Das finalidades maiores da educação: Formar a criança capaz de refletir, criar e se expressar em todas as linguagens e usando todos os meios

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE O USO DA INTERNET NO PROCESSO EDUCACIONAL: O DESAFIO PARA OS PROFESSORES

Leia mais

Tópicos Especiais. Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Informática Educativa no Brasil 17/01/2009

Tópicos Especiais. Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Informática Educativa no Brasil 17/01/2009 Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia da Informaçao 1 Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil

Leia mais

ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NA MODALIDADE EAD DA UAB-UFSCAR

ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NA MODALIDADE EAD DA UAB-UFSCAR 1 ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL NA MODALIDADE EAD DA UAB-UFSCAR SÃO CARLOS/SP, MAIO/2012 Marilu Pereira Serafim Parsekian UFSCar mparsekian@gmail.com Luiz Marcio Poiani UFSCar

Leia mais

PROPOSTA PARA FOMENTO AO USO DE TIC NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFPR

PROPOSTA PARA FOMENTO AO USO DE TIC NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFPR 1 PROPOSTA PARA FOMENTO AO USO DE TIC NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFPR Curitiba PR Maio 2012 Categoria: A Setor Educacional: 3 Classificação das Áreas de Pesquisa em EaD Macro:C / Meso:I / Micro:N Natureza:B

Leia mais

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação.

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. PLATAFORMA AcademiaWeb Sistema de gerenciamento de escola virtual com gestão de conteúdo, transmissão de web-aula ao vivo e interação online com os participantes.

Leia mais