DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO"

Transcrição

1 BRASIL AIC N DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO DIVISÃO DE GERENCIAMENTO DE NAVEGAÇÃO AÉREA 30/08 AV GENERAL JUSTO, 160 2º AND. - CASTELO RIO DE JANEIRO RJ 18 DEZ 2008 TEL: AFTN: SBRJYNYI ADM: PAME FAX: TELEX: COMAER BR ROTAS ESPECIAIS DE AERONAVES EM VÔO VISUAL NA ÁREA TERMINAL DE BELO HORIZONTE (REA) 1 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 FINALIDADE Esta Circular de Informações Aeronáuticas visa disciplinar o tráfego de aeronaves voando VFR na Área Terminal de Belo Horizonte, através do uso das Rotas Especiais de Aeronaves em Vôo Visual (REA), objetivando evitar interferência com o tráfego IFR e com os espaços aéreos condicionados, através do estabelecimento de limites verticais e percursos com referências visuais bem definidas. 1.2 ÂMBITO As disposições contidas nesta AIC aplicam-se aos órgãos do SISCEAB com jurisdição sobre os espaços aéreos envolvidos e às aeronaves em vôo VFR em circulação na TMA Belo Horizonte. 2 CONCEITUAÇÕES 2.1 ÁREA DE CONTROLE TERMINAL DE BELO HORIZONTE Área com centros em S/ W e S/ W com raios de 40 NM, tendo como limites verticais estabelecidos de 5500FT ao FL 195, inclusive. 2.2 PORTÃO DE ENTRADA E SAÍDA Espaço aéreo definido para uso ao se entrar ou sair de uma REA.

2 2.3 ROTA ATS tráfego aéreo. Rota especificada, de acordo com a necessidade, para proporcionar serviços de NOTA: A expressão ROTA ATS se aplica, segundo o caso, às aerovias, rotas com ou sem controle, rotas de chegada ou saída, etc. 2.4 ROTA ESPECIAL DE AERONAVES EM VÔO VISUAL (REA) É uma rota ATS estabelecida com o propósito de permitir, exclusivamente, vôos VFR de aeronaves sob condições específicas. 2.5 ZONA DE CONTROLE DE BELO HORIZONTE (CTR) Arco de círculo de 12 NM de raio, com centro em S/ W e arco de círculo de raio 8 NM, com centro em S/ W, ligados por tangentes, tendo como limites verticais estabelecidos de MSL/AGL a 5500FT. 3 DISPOSIÇÕES GERAIS 3.1 As disposições contidas nesta AIC complementam o previsto na ICA (Regras do Ar e Serviços de Tráfego Aéreo) e ICA (Regras Especiais de Tráfego Aéreo para Helicópteros). 3.2 As aeronaves em vôo nas REA devem adotar as normas aplicáveis ao vôo VFR, previstas nas ICA e ICA 100-4, particularmente no que se refere à separação entre aeronaves e entre estas e os obstáculos existentes ao longo das rotas. NOTA 1: As referências visuais descritas nesta AIC são informadas com as coordenadas geográficas com o único objetivo de auxiliar o piloto na obtenção e identificação visual da citada referência. NOTA 2: O vôo visual através das REA, apoiado ou não por outros meios de navegação, em hipótese alguma dispensa o contínuo contato visual com o terreno, conforme estabelecido na ICA As aeronaves quando nos portões de saída das REA(Sete Lagoas, Flores, Nova Lima e Cirrus) deverão aguardar autorização do APP Belo Horizonte para entrar na CTR-BH. 2

3 4 PROCEDIMENTOS GERAIS 4.1 Toda aeronave evoluindo de acordo com as regras de vôo visual (VFR), na TMA-BH, deve, compulsoriamente, utilizar as REA estabelecidas nesta AIC (ANEXO), exceto em situações operacionais específicas, autorizadas pelo APP-BH, em concordância com as regras previstas nas ICA e ICA 100-4, no que for pertinente. 4.2 É compulsório o uso do transponder Modo A/C, em funcionamento, para utilização das REA (vide CIRTRAF e AIP-BRASIL, Volume I, Parte ENR). 4.3 A aeronave em vôo, dentro da REA, deverá manter seu altímetro ajustado em QNH, fornecido pelo APP-BH. 4.4 A aeronave procedente de aeródromo desprovido de órgão ATS, com destino à localidade dentro das projeções dos limites laterais da TMA-BH, deverá observar a regulamentação em vigor, informando ao APP-BH, via fonia, a REA a ser utilizada. 4.5 O piloto em comando da aeronave deve especificar, no item OBSERVAÇÕES do Plano de Vôo, as REA que irá utilizar. NOTA: Informar ao APP-BH quando se tratar do primeiro vôo nas REA, quando for pertinente. 4.6 Na impossibilidade de prosseguir em condições meteorológicas de vôo visual dentro de qualquer REA, a aeronave deverá regressar e pousar no aeródromo de partida, ou em outro mais próximo, ou solicitar autorização para realizar vôo VFR Especial, ou solicitar uma modificação de VFR para IFR, desde que atenda aos requisitos para tais operações. 4.7 As REA terão como limites laterais, em toda sua extensão, 3NM de largura (1,5NM para cada lado do eixo nominal), e, como limites verticais, a altitude estabelecida para cada rota, conforme o item 5, abaixo, e o Anexo desta AIC. 4.8 As REA terão seus espaços aéreos classificados como Classe D (DELTA) em toda a sua extensão, sendo prestada informação de tráfego entre vôos IFR/VFR (e aviso para evitar tráfego, quando solicitado pelo piloto); os vôos VFR recebem apenas informação de tráfego em relação a todos os outros vôos (e aviso para evitar tráfego, quando solicitado pelo piloto) e, sendo exigida, necessariamente, a comunicação bilateral contínua, ficando todos os tráfegos sujeitos a uma autorização ATC. 3

4 4.9 As mudanças de altitude, nos diversos trechos das REA, devem ser efetuadas a partir dos fixos de posição, definidos no anexo a esta AIC, sendo realizadas sob inteira responsabilidade do piloto em comando e estritamente em condições de vôo visual As aeronaves voando nas REA deverão entrar em contato com a APP-BH, na freqüência MHz Devido à necessidade de gerenciamento de fluxo de aeronaves para ingresso na TMA/CTR Belo Horizonte, poderão ser aplicadas medidas de espaçamento entre as aeronaves através da solicitação da realização de esperas em pontos de referência visuais das REA. 5 CARACTERÍSTICAS DAS REA (VIDE ANEXO) 5.1 REA ALFA LIMITES Posição Pirapama ( S/ W) e Posição Paraopeba ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL RUMOS MAGNÉTICOS: 253º/073º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Santana do Pirapama ( S/ W); Setor Norte do Município de Araçaí; Setor Sudeste do Município de Cordisburgo e Rodovia MG 231 e Município de Paraopeba ( S/ W). 5.2 REA BRAVO LIMITES Posição PIRAPAMA ( S/ W) e Posição JEQUITIBÁ ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL RUMOS MAGNÉTICOS: 199º/019º 4

5 5.2.4 REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Santana do Pirapama ( S/ W);Rio das Velhas e Município de Jequitibá( S/ W) 5.3 REA CHARLIE LIMITES a) Posição CONCEIÇÃO ( S/ W) e Posição JEQUITIBÁ ( S/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 274º/094º b) Posição JEQUITIBÁ ( S/ W) e Posição PARAOPEBA ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL065 RUMOS MAGNÉTICOS: 285º/105º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Conceição do Mato Dentro ( S/ W); Município de Lapinha; Setor Norte do Município de Santana do Riacho; Rodovia MG 238; Município de Jequitibá( S/ W); Município de Vargem Bonita; Linha Férrea e Município de Paraopeba ( S/ W). 5.4 REA DELTA LIMITES Posição PILAR ( S/ W) e Posição COCAIS ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL RUMOS MAGNÉTICOS: 208º/028º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Morro do Pilar ( S/ W); Serra do Cipó; Rio 5

6 Preto do Itambé; Través do Município de Itambé do Mato Dentro; Través do Município de Senhora do Carmo; Rio do Tanque; Município de Ipoema; Rodovia MG 434; Rodovia BR 381; Rodovia MG 436 e Município de Barão de Cocais ( S/ W). 5.5 REA ECHO LIMITES Posição ITABIRA ( S/ W) e Posição COCAIS ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL RUMOS MAGNÉTICOS: 239º/059º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Itabira ( S/ W); Rodovia MG 434; Rodovia BR 381; Través do Município de São Gonçalo do Rio Abaixo; Rodovia MG 436 e Município de Barão de Cocais ( S/ W). 5.6 REA FOXTROT LIMITES a) Posição MONLEVADE ( S/ W) e Posição COCAIS ( S/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 277º/097º b) Posição COCAIS( S/ W) e Posição ITABIRITO ( S/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 251º/071º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de João Monlevade ( S/ W); Rodovia BR 381; Serra do Cipó; Município de Barão de Cocais( S/ W); Município de 6

7 Caeté (Antenas de Transmissão); Setor Norte do Município de Conceição do Rio Acima; Entroncamento das Rodovias BR356 e MG030; Município de Itabirito e Pico do Itabira. 5.7 REA GOLF LIMITES Posição OURO PRETO ( S/ W) e Posição ITABIRITO ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL RUMOS MAGNÉTICOS: 316º/136º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Mariana; Município de Ouro Preto ( S/ W); Serra do Espinhaço; Rodovia BR 356; Entroncamento das Rodovias BR356 e MG030 e Município de Itabirito. NOTA 1: Atentar para a Área Restrita SBR318 OURO PRETO (área circular com centro nas coordenadas S/ W e raio de 1NM) do GND/1500FT AGL, ativada permanentemente. Sobrevôo abaixo de 1500FT AGL somente com a autorização da Prefeitura Municipal de Ouro Preto. NOTA 2: A altura mínima para entrada/saída no Portão Ouro Preto é de 1500 FT AGL, exclusive, até o cruzamento da Área Restrita SBR318 OURO PRETO. 5.8 REA HOTEL LIMITES Posição CONGONHAS ( S/ W) e Posição NOVA LIMA ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL RUMOS MAGNÉTICOS: 022º/202º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Congonhas ( S/ W); Rodovia BR 040; 7

8 Município de Itabirito; Rodovia MG 030; e Município de Nova Lima ( S/ W). NOTA 1: Atentar para a Área SBR 327(Serra da Moeda), com os limites verticais GND/7000FT. NOTA 2: Atentar para o tráfego de helicópteros na região central de Belo Horizonte. 5.9 REA INDIA LIMITES Posição JECEABA ( S/ W) e Posição TERESINHA ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL RUMOS MAGNÉTICOS: 330º/150º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Jeceaba ( S/ W); Usina Hidrelétrica; Través do Município de Belo Vale; Município de Bonfim; Município de Rio Manso; Rodovia BR 381 (Rodovia Fernão Dias) e Município Santa Teresinha de Minas ( S/ W) REA JULIET LIMITES a) Posição ITAGUARA ( S/ W) e Posição TERESINHA( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL065 RUMOS MAGNÉTICOS: 049º/229º b) Posição TERESINHA( S/ W) e Posição JUATUBA ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL065 RUMOS MAGNÉTICOS: 033º/213º 8

9 REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Itaguara ( S/ W); Rodovia BR 381 (Rodovia Fernão Dias); Município Santa Teresinha de Minas ( S/ W); Serra Azul; Través do Município de Igarapé; Lagoa Serra Azul; Município de Juatuba e Trevo de Juatuba ( S/ W) REA KILO LIMITES a) Posição ITAÚNA ( S/ W) e Posição JUATUBA ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL065 RUMOS MAGNÉTICOS: 084º/264º b) Posição JUATUBA ( S/ W) e Posição FLORES ( S W) ALTITUDE MÁXIMA: 6000ft RUMOS MAGNÉTICOS: 098º/278º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Itaúna ( S/ W); Rodovia MG 050; Linha Férrea; Lagoa Serra Azul; Município de Juatuba; Trevo de Juatuba ( S/ W);Município de Vianopólis de Minas; Rodovia MG 050; Través do Município de Betim e Represa Vargem das Flores ( S/ W). NOTA: Atentar para a Área SBR 334(Sarzedo), com os limites verticais GND/5500FT e para a Área SBP 340(Betingas), com os limites verticais GND/1000FT AGL 5.12 REA LIMA LIMITES Posição PARÁ DE MINAS ( S/ W) e Posição JUATUBA ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: FL075 9

10 RUMOS MAGNÉTICOS: 137º/317º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Pará de Minas ( S/ W); Rodovia BR 262; Trevo de Juatuba ( S/ W) e Município de Juatuba REA MIKE LIMITES a) Posição MARAVILHAS ( S/ W) e Posição PRATA( S/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 115º/295º b) Posição PRATA ( S/ W) e Posição SETE LAGOAS ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: 5500ft RUMOS MAGNÉTICOS: 097º/277º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Maravilhas ( s w); Município de Cachoeira da Prata ( S/ W); Rodovia MG 238; Município de Inhaúma e Trevo de Sete Lagoas ( S/ W) REA NOVEMBER LIMITES a) Posição ANGUERETÁ ( S/ W) e Posição PRATA ( S/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 177º/357º b) Posição PRATA ( S/ W) e Posição JUATUBA ( S/ W) 10

11 ALTITUDE MÁXIMA: 6000ft RUMOS MAGNÉTICOS: 188º/008º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Angueretá ( S/ W); Rio Paraopeba; Través do Município de Pontinha; Município de Cachoeira da Prata ( S/ W); Município de Fortuna de Minas; Município de Cachoeirinha; Município de Juatuba e Trevo de Juatuba ( S/ W) REA OSCAR LIMITES a) Posição SÃO JOSÉ ( S/ W) e Posição PARAOPEBA( S/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 157º/337º b) Posição PARAOPEBA( S/ W) e Posição SETE LAGOAS ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: 5500ft RUMOS MAGNÉTICOS: 172º/352º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de São José da Lagoa ( S/ W); Entroncamento das Rodovias BR 135 e BR 040; Município de Paraopeba ( S/ W); Través do Município de Caetanópolis; Município de Imbiruçu; Serra do Tombador; Município de Sete Lagoas e Trevo de Sete Lagoas ( S/ W) REA PAPA LIMITES a) Posição CORDISBURGO ( S/ W) e Posição PARAOPEBA ( S/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 222º/042º 11

12 b) Posição PARAOPEBA ( S/ W) e Posição PRATA( S/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 213º/033º c) Posição PRATA ( S/ W) e Posição PARÁ DE MINAS ( W/ W) RUMOS MAGNÉTICOS: 225º/045º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Cordisburgo ( S/ W); Rodovia MG231; Município de Paraopeba ( S/ W); Município de Caetanopólis; Município de Cachoeira da Prata ( S/ W); Través do Município de Fortuna de Minas; Rio Paraopeba; Município de São José da Varginha; Rodovia MG 060; Rodovia MG 431 e Município de Pará de Minas ( S/ W) REA QUEBEC Rota utilizada pelas aeronaves com destino aos aeródromos de Confins e/ou Lagoa Santa ou deles procedentes LIMITES Posição Jequitibá ( S/ W) e Posição Cirrus ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: 5000ft RUMOS MAGNÉTICOS: 171º/351º REFERÊNCIAS VISUAIS: Município de Jequitibá ( S/ W); Aeródromo de Cirrus Sociedade Aerodesportiva (SIVJ) ( S/ W) 12

13 5.18 REA SARZEDO Rota utilizada, exclusivamente, pelas aeronaves que irão utilizar a Área Sarzedo, no trecho Carlos Prates/Sarzedo/Carlos Prates LIMITES Posição BELVEDERE ( S/ W) e Posição IBIRITÉ ( S/ W) ALTITUDE MÁXIMA: 5000ft RUMOS MAGNÉTICOS: 262º/082º REFERÊNCIAS VISUAIS: Torre do Belvedere ( S/ W); Avenida Raja Gabáglia; Rodovia MG 040; Represa de Ibirité; Município de Ibirité ( S/ W). NOTA: Atentar para a Área Perigosa SBP 340 (Betingas), com limites verticais GND/1000FT AGL. 6 DISPOSIÇÕES FINAIS 6.1 Esta AIC foi aprovada pelo Boletim Interno do DECEA, nº 200, de 15 de outubro de Os casos não previstos nesta Circular serão resolvidos pelo Exmo. Sr. Subdiretor de Operações do DECEA. 13

14 18 DEZ 2008 AIC N30/08 14

ROTAS ESPECIAIS DE AERONAVES EM VOO VISUAL NA ÁREA TERMINAL DE SÃO LUÍS

ROTAS ESPECIAIS DE AERONAVES EM VOO VISUAL NA ÁREA TERMINAL DE SÃO LUÍS BRASIL DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO AIC N DIVISÃO DE INFORMAÇÕES AERONÁUTICAS 21/12 AV GENERAL JUSTO, 160 2º AND. - CASTELO 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ 13 DEZ 2012 TEL: 021 3814-8237 AFTN:

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CARTA DE ACORDO OPERACIONAL ENTRE O CONTROLE DE APROXIMAÇÃO DE BELO HORIZONTE (APP-BH), TORRE DE CONTROLE DE AERÓDROMO DE BELO HORIZONTE (TWR-BH),

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CARTA DE ACORDO OPERACIONAL ENTRE O CONTROLE DE APROXIMAÇÃO DE BELO HORIZONTE (APP-BH), TORRE DE CONTROLE DE AERÓDROMO DE BELO HORIZONTE (TWR-BH),

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO BRASIL AIC N DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO DIVISÃO DE GERENCIAMENTO DE NAVEGAÇÃO AÉREA 05/11 AV GENERAL JUSTO, 160 2º AND. - CASTELO 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ 13 JAN 2011 TEL: 021 3814-8237

Leia mais

AIC DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO N DIVISÃO DE INFORMAÇÕES AERONÁUTICAS 05/08 AV GENERAL JUSTO, 160 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ 14 FEV 2008

AIC DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO N DIVISÃO DE INFORMAÇÕES AERONÁUTICAS 05/08 AV GENERAL JUSTO, 160 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ 14 FEV 2008 BRASIL AIC DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO N DIVISÃO DE INFORMAÇÕES AERONÁUTICAS 05/08 AV GENERAL JUSTO, 160 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ 14 FEV 2008 TEL: (21) 3814-8237 AFTN: SBRJYGYI ADM PAME

Leia mais

OBJETIVO. Esperas no Solo Intervenção do ATCo Congestionamento na Frequência

OBJETIVO. Esperas no Solo Intervenção do ATCo Congestionamento na Frequência NOVAS REA TMA SBWH OBJETIVO MENOS MENOS MENOS MAIS MAIS MAIS Esperas no Solo Intervenção do ATCo Congestionamento na Frequência Aeronaves no Setor Visual Autonomia aos Pilotos Sucesso no Planejamento de

Leia mais

Email: @decea.gov.br AFS: SBRJYGYO TEL.: (21) 2101-6277 ASSINATURA: 21 2117-7294

Email: @decea.gov.br AFS: SBRJYGYO TEL.: (21) 2101-6277 ASSINATURA: 21 2117-7294 BRASIL AIC DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO N SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES DIVISÃO DE GERENCIAMENTO DA NAVEGAÇÃO AÉREA 20/12 AV. GENERAL JUSTO, 160 2º ANDAR 20021-130 RIO DE JANEIRO-RJ 13 DEZ 2012

Leia mais

ANEXO A ROTA ESPECIAL DE AERONAVES EM VOO VISUAL REA

ANEXO A ROTA ESPECIAL DE AERONAVES EM VOO VISUAL REA 12 NOV 2015 AIC N 16/15 ANEXO A ROTA ESPECIAL DE AERONAVES EM VOO VISUAL REA Índice REGRAS GERAIS... 2 REA A... 3 REA B... 3 REA C... 4 REA D... 4 REA E... 5 REA F... 5 REA G... 6 REA H... 6 REA I... 6

Leia mais

TEL: (21) 3814-6252 AFTN: SBRJYGYI ADM: AISCEA FAX: (21) 3814-5369 TELEX: 2137113CAERBR

TEL: (21) 3814-6252 AFTN: SBRJYGYI ADM: AISCEA FAX: (21) 3814-5369 TELEX: 2137113CAERBR BRASIL AIC DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO N DIVISÃO DE INFORMAÇÕES AERONÁUTICAS 12/03 AV. GENERAL JUSTO, NR 160, CASTELO CEP 20021-130 - RIO DE JANEIRO - RJ 27 NOV 2003 TEL: (21) 3814-6252 AFTN:

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV GENERAL JUSTO, 160 2º ANDAR 23/13 20021-130 RIO DE JANEIRO RJ 12 DEZ 2013

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV GENERAL JUSTO, 160 2º ANDAR 23/13 20021-130 RIO DE JANEIRO RJ 12 DEZ 2013 BRASIL AIC DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO N SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV GENERAL JUSTO, 160 2º ANDAR 23/13 20021-130 RIO DE JANEIRO RJ 12 DEZ 2013 EMAIL: dnor@decea.gov.br AFS: SBRJYGYO TEL.:

Leia mais

INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO. IVAO Brasil Academy. Versão 01 / Maio 2013

INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO. IVAO Brasil Academy. Versão 01 / Maio 2013 INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO Versão 01 / Maio 2013 Estrutura do Espaço Aéreo Brasileiro Autor: Renan Rodrigues - VID378006 Padronizado por:

Leia mais

TEL: (5521) 21016320 AFTN: SBRJYGYC FAX: (21) 21016198 VEÍCULOS AÉREOS NÃO TRIPULADOS

TEL: (5521) 21016320 AFTN: SBRJYGYC FAX: (21) 21016198 VEÍCULOS AÉREOS NÃO TRIPULADOS BRASIL DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV GENERAL JUSTO, 160 2º AND. - CASTELO 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ AIC N 21/10 23 SEP 2010 TEL: (5521) 21016320 AFTN: SBRJYGYC

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-11

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-11 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-11 CARTA DE ACORDO OPERACIONAL ENTRE O BRASIL E A BOLÍVIA REFERENTE À OPERAÇÃO NOS AERÓDROMOS DE CORUMBÁ E PUERTO SUÁREZ 2010 MINISTÉRIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-23

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-23 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-23 CARTA DE ACORDO OPERACIONAL REFERENTE AOS PROCEDIMENTOS DE TRÁFEGO AÉREO NA TMA FOZ, CTR CATARATAS, CTR FOZ, CTR GUARANI E ATZ ITAIPU

Leia mais

P R E P A R A Ç Ã O P A R A B A N C A D A A N A C P I L O T O D E L I N H A A É R E A R E G U L A M E N T O S D E T R Á F E G O A É R E O

P R E P A R A Ç Ã O P A R A B A N C A D A A N A C P I L O T O D E L I N H A A É R E A R E G U L A M E N T O S D E T R Á F E G O A É R E O P R E P A R A Ç Ã O P A R A B A N C A D A A N A C P I L O T O D E L I N H A A É R E A R E G U L A M E N T O S D E T R Á F E G O A É R E O V Ô O P O R I N S T R U M E N T O S PLÍNIO JR. 1 D I S T Â N C

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-18 CARTA DE ACORDO OPERACIONAL ENTRE A V FAE, APP-RJ E TWR-AF 2011 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE

Leia mais

Regras de voo visual nocturno (VFR Nocturno)

Regras de voo visual nocturno (VFR Nocturno) CIRCULAR DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA PORTUGAL INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL TELEFONE 218423502 INFORMAÇÃO AERONÁUTICA AFTN - LPPTYAYI AEROPORTO DA PORTELA, 4 19/02 TELEX 12120 - AERCIV P 1749-034 LISBOA

Leia mais

ROTAER 2-1 CAPÍTULO II EXTRATO NORMATIVO

ROTAER 2-1 CAPÍTULO II EXTRATO NORMATIVO ROTAER 2-1 2-1 Utilização de Aeródromos CAPÍTULO II EXTRATO NORMATIVO a. Nesta publicação encontram-se relacionados somente aeródromos brasileiros abertos ao tráfego aéreo, de acordo com a IMA 58-10, de

Leia mais

CAPÍTULO II EXTRATO NORMATIVO

CAPÍTULO II EXTRATO NORMATIVO ROTAER 2-1 CAPÍTULO II EXTRATO NORMATIVO 2-1 Utilização de Aeródromos a. Nenhum aeródromo civil poderá ser utilizado por aeronaves civis se não estiver devidamente registrado ou homologado e, ainda, divulgado

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO BRASIL AIC N DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO DIVISÃO DE GERENCIAMENTO DE NAVEGAÇÃO AÉREA 07/09 AV GENERAL JUSTO, 160 2º AND. - CASTELO 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ 12 MAR 2009 TEL: 021 3814-8237

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE SEGURANÇA E EFICÁCIA DE HELIPONTOS. Visão geral sobre a operação de helicópteros no espaço aéreo brasileiro

SEMINÁRIO SOBRE SEGURANÇA E EFICÁCIA DE HELIPONTOS. Visão geral sobre a operação de helicópteros no espaço aéreo brasileiro SEMINÁRIO SOBRE SEGURANÇA E EFICÁCIA DE HELIPONTOS Visão geral sobre a operação de helicópteros no espaço aéreo brasileiro ROTEIRO Operação em Plataformas Petrolíferas Corredores de Helicópteros Procedimentos

Leia mais

BRASIL DEPARTAMENTO DO CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV. GENERAL JUSTO, 160 2º Andar

BRASIL DEPARTAMENTO DO CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV. GENERAL JUSTO, 160 2º Andar BRASIL DEPARTAMENTO DO CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV. GENERAL JUSTO, 160 2º Andar AIC N 24/13 20021-130 RIO DE JANEIRO RJ 12 DEZ 2013 http://ais.decea.gov.br/ dpln1@decea.gov.br

Leia mais

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Definições e Conceitos AERÓDROMO: Área definida sobre a terra ou água destinada à chegada, partida e movimentação de aeronaves; AERÓDROMO CONTROLADO: Aeródromo

Leia mais

MÓDULO 15 - TRÁFEGO AÉREO Alexandre L. D. Bastos e Derick M. Baum

MÓDULO 15 - TRÁFEGO AÉREO Alexandre L. D. Bastos e Derick M. Baum MÓDULO 15 - TRÁFEGO AÉREO Alexandre L. D. Bastos e Derick M. Baum (versão: 17/05/2009) 1. INTRODUÇÃO A idéia que o céu é infinito e que existe liberdade ao se voar pode ter seu romantismo, porém, e cada

Leia mais

Departamento de Treinamento

Departamento de Treinamento Departamento de Treinamento Manual de Interpretação de Cartas SID ERC STAR - VAC Departamento de Treinamento - IVAOBR 1 Sumário SID 4 APRESENTAÇÃO 4 BRIEFING 5 CABEÇALHO 6 FREQÜÊNCIAS 6 PROCEDIMENTO 7

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO FCA 100-69

COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO FCA 100-69 COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO FCA 100-69 CARTA DE ACORDO OPERACIONAL EN- TRE ARGENTINA BRASIL E PARAGUAI REFERENTE AOS PROCEDIMENTOS DE TRÁFEGO AÉREO NA TMA FOZ, CTR CATARATAS, CTR FOZ E CTR GUARANI

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO BRASIL AIC N DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO DIVISÃO DE INFORMAÇÕES AERONÁUTICAS 31/08 AV GENERAL JUSTO, 160 2º AND. - CASTELO 20021-130-RIO DE JANEIRO RJ 18 DEZ 2008 TEL: 021 3814-8237 AFTN:

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS RELATÓRIO FINAL A - 032/CENIPA/2013 OCORRÊNCIA: AERONAVE: MODELO: DATA: ACIDENTE PT-OID 310R 26FEV2010 ADVERTÊNCIA Conforme

Leia mais

Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação

Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação Gestão de operações aeroportuárias: Controle do espaço aéreo e auxílios à navegação Designação de Aerovias ROTAS CONTINENTAIS: São aerovias traçadas sobre o continente ligando pontos e/ou auxílios de

Leia mais

INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO. IVAO Brasil Academy. Versão 01 / Maio 2013

INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO. IVAO Brasil Academy. Versão 01 / Maio 2013 INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO Versão 01 / Maio 2013 Regulamentos de Tráfego aéreo de helicópteros Padronizador: Cmte. João Gabriel Faria - VID

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO 2006 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO TRÁFEGO

Leia mais

MANUAL TERMINAL RIO TMA Rio (SBWJ)

MANUAL TERMINAL RIO TMA Rio (SBWJ) MANUAL TERMINAL RIO TMA Rio (SBWJ) ESPAÇO AÉREO SOB RESPONSABILIDADE DO ÓRGÃO APP TMA Rio de Janeiro (SBWJ) ESPACO AÉREO SOB RESPONSABILIDADE DO ÓRGÃO ATC ÁREA CLASSIFICAÇÃO LIMITE VERTICAL TMA Setor 1

Leia mais

Compartilhar objetivos e alcançar um novo patamar em tratamento de resíduos sólidos. Essa é a proposta do governo de minas.

Compartilhar objetivos e alcançar um novo patamar em tratamento de resíduos sólidos. Essa é a proposta do governo de minas. Compartilhar objetivos e alcançar um novo patamar em tratamento de resíduos sólidos. Essa é a proposta do governo de minas. Compartilhar objetivos e alcançar um novo patamar no tratamento de resíduos.

Leia mais

Regulamento de Tráfego Aéreo

Regulamento de Tráfego Aéreo Regulamento de Tráfego Aéreo ICAO/OACI Órgão regulamentador da aviação civil internacional. A ele compete promover, incentivar e estabelecer padrões para a aviação civil internacional. Idealizado na convenção

Leia mais

SAUDE SUPLEMENTAR ESTADO

SAUDE SUPLEMENTAR ESTADO SAUDE SUPLEMENTAR ESTADO DE MINAS GERAIS REGIONAL DE SAÚDE BELO HORIZONTE RENATO CERCEAU Brasil, 2013-1ª edição RENATO CERCEAU SAÚDE SUPLEMENTAR: DE MINAS GERAIS ESTADO REGIONAL DE SAÚDE BELO HORIZONTE

Leia mais

Guia Prático de Consulta sobre as alterações do Espaço Aéreo para a Copa das Confederações 2013

Guia Prático de Consulta sobre as alterações do Espaço Aéreo para a Copa das Confederações 2013 Guia Prático de Consulta sobre as alterações do Espaço Aéreo para a Copa das Confederações 2013 2 Este guia tem apenas a função de ilustrar e apresentar, resumidamente, as implicações e restrições operacionais

Leia mais

OBJETIVO IDENTIFICAR OS CONCEITOS DE GERENCIAMENTO DE FLUXO DE TRÁFEGO AÉREO PUBLICADOS NO AIP-BRASIL

OBJETIVO IDENTIFICAR OS CONCEITOS DE GERENCIAMENTO DE FLUXO DE TRÁFEGO AÉREO PUBLICADOS NO AIP-BRASIL CGNA AIP-BRASIL OBJETIVO IDENTIFICAR OS CONCEITOS DE GERENCIAMENTO DE FLUXO DE TRÁFEGO AÉREO PUBLICADOS NO AIP-BRASIL 2 ROTEIRO O AIP BRASIL CONCEITOS REGRAS GERAIS REGRAS ESPECÍFICAS 3 Documento básico

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-4 REGRAS E PROCEDIMENTOS ESPECIAIS DE TRÁFEGO AÉREO PARA HELICÓPTEROS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-4 REGRAS E PROCEDIMENTOS ESPECIAIS DE TRÁFEGO AÉREO PARA HELICÓPTEROS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-4 REGRAS E PROCEDIMENTOS ESPECIAIS DE TRÁFEGO AÉREO PARA HELICÓPTEROS 2014 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO 2006 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO TRÁFEGO

Leia mais

MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO

MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO IMA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO 30 JUN 1999 MINISTÉRIO DA AERONÁUTICA DIRETORIA DE ELETRÔNICA E PROTEÇÃO AO VÔO TRÁFEGO AÉREO IMA 100-12 REGRAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-9 PROCEDIMENTOS ESPECIAIS PARA AERONAVE PRESIDENCIAL 2014 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO

Leia mais

ENR 5 ALERTAS À NAVEGAÇÃO. Espaço de dimensões definidas, dentro do qual existem riscos potenciais ou atuais para a navegação aérea.

ENR 5 ALERTAS À NAVEGAÇÃO. Espaço de dimensões definidas, dentro do qual existem riscos potenciais ou atuais para a navegação aérea. AIP - ENR 5.1-1 ENR 5.1 ÁREAS PROIBIDAS, RESTRITAS E PERIGOSAS ENR 5 ALERTAS À NAVEGAÇÃO ÁREA PERIGOSA Espaço de dimensões definidas, dentro do qual existem riscos potenciais ou atuais para a navegação

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-37 SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-37 SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-37 SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO TRÁFEGO AÉREO ICA

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-60

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-60 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO CIRCEA 100-60 PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS DE GRANDES DESVIOS DE ALTITUDES, GRANDES DESVIOS LATERAIS E MOVIMENTO DE AERONAVES 2012 MINISTÉRIO

Leia mais

Aspectos metodológicos para a projeção de localidades intra-urbanas uma aplicação a Minas Gerais

Aspectos metodológicos para a projeção de localidades intra-urbanas uma aplicação a Minas Gerais Aspectos metodológicos para a projeção de localidades intra-urbanas uma aplicação a Minas Gerais Moema Gonçalves Bueno Fígoli Laura Rodríguez Wong Marcos Roberto Gonzaga Marília Miranda Forte Gomes Palavras-chave:

Leia mais

PRESERVAÇÃO DO PATRIMONIO NATURAL NO SUL MERIDIONAL DA SERRA DO ESPINHAÇO

PRESERVAÇÃO DO PATRIMONIO NATURAL NO SUL MERIDIONAL DA SERRA DO ESPINHAÇO PRESERVAÇÃO DO PATRIMONIO NATURAL NO SUL MERIDIONAL DA SERRA DO ESPINHAÇO Ronald Carvalho Guerra Diretor de Meio Ambiente Prefeitura Municipal de Ouro Preto Gerente da APA da Cachoeira das Andorinhas -

Leia mais

BRASIL DEPARTAMENTO DO CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV. GENERAL JUSTO, 160 2º Andar

BRASIL DEPARTAMENTO DO CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV. GENERAL JUSTO, 160 2º Andar BRASIL DEPARTAMENTO DO CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES AV. GENERAL JUSTO, 160 2º Andar AIC N 27/13 20021-130 RIO DE JANEIRO RJ 12 DEZ 2013 http://ais.decea.gov.br/ dpln1@decea.gov.br

Leia mais

Glossário da Aviação Brasileira

Glossário da Aviação Brasileira Glossário da Aviação Brasileira Caro colaborador, Criamos esse glossário especialmente para você! Organizamos em um único documento diversos termos da aviação brasileira e outras siglas que você utilizará

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA

COMANDO DA AERONÁUTICA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-11 PLANO DE VÔO 15 JAN 2000 COMANDO DA AERONÁUTICA DIRETORIA DE ELETRÔNICA E PROTEÇÃO AO VÔO TRÁFEGO AÉREO ICA 100-11 PLANO DE VÔO 15 JAN 2000 Portaria DEPV

Leia mais

- - - - Anais do 7º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2014) - Direitos Reservados - Página 170 de 843 - - - -

- - - - Anais do 7º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2014) - Direitos Reservados - Página 170 de 843 - - - - - - - - Anais do 7º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2014) - Direitos Reservados - Página 170 de 843 - - - - - - - - Anais do 7º Simpósio de Segurança de Voo (SSV 2014) - Direitos Reservados - Página

Leia mais

PROPOSTA DE ROTAS ESPECIAIS DE HELICÓPTERO (REH)

PROPOSTA DE ROTAS ESPECIAIS DE HELICÓPTERO (REH) PROPOSTA DE ROTAS ESPECIAIS DE HELICÓPTERO (REH) BASEADA NA REUNIÃO DO DIA 15/JAN/2015 ENTRE DECEA/SRPV, ABRAPHE, ESCOLAS DE AVIAÇÃO E CENTROS DE TREINAMENTO OBSERVAÇÕES GERAIS: -> NAS REHs CRIADAS, MODIFICADAS

Leia mais

FORUM SEGURANÇA APAU 2015 11 ABRIL 2015 BASE AÉREA Nº6 MONTIJO

FORUM SEGURANÇA APAU 2015 11 ABRIL 2015 BASE AÉREA Nº6 MONTIJO FORUM SEGURANÇA APAU 2015 11 ABRIL 2015 BASE AÉREA Nº6 MONTIJO Este manual de instruções é composto de duas partes: Participação com chegada por via aérea Participação com chegada por via terrestre 1 Atenção:

Leia mais

Manual de Voo VFR. Virtual Varig Brasil

Manual de Voo VFR. Virtual Varig Brasil Manual de Voo VFR Virtual Varig Brasil Setembro 2010 REGRAS DE VÔO Regras de vôo visual(vfr) -Visual Flight Rules(VFR). -São regras que evitam a colisão de aeronaves com obstáculos ou com outras aeronaves

Leia mais

Legenda da Descrição de Rotas NOME DA ROTA

Legenda da Descrição de Rotas NOME DA ROTA ANEXO B DESCRITIVO DAS ROTAS ESPECIAIS DE HELICÓPTEROS (REH) 1. Nas Áreas CONTROLADAS, as altitudes MÁXIMAS descritas DEVEM ser obedecidas, sob risco de serem infringidas as separações mínimas ou de provocar

Leia mais

GVT Minas Gerais. Lista de Cidades Longa Distância Nacional BELO HORIZONTE

GVT Minas Gerais. Lista de Cidades Longa Distância Nacional BELO HORIZONTE GVT Minas Gerais Lista de Cidades Longa Distância Nacional Área Local AMANDA BALDIM CUIA GAMELEIRA DA PALMA MOCAMBO SAO VICENTE SUMIDOURO DO ROTULO VARGEM GRANDE BARREIRO VENDA NOVA BETIM CHARNECA LIBERATOS

Leia mais

TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO

TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR E SERVIÇOS DE TRÁFEGO AÉREO 2009 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

Leia mais

INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO. IVAO Brasil Academy. Versão 01 / Maio 2013

INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO. IVAO Brasil Academy. Versão 01 / Maio 2013 INTERNATIONAL VIRTUAL AVIATION ORGANISATION DIVISÃO BRASILEIRA DEPARTAMENTO DE TREINAMENTO Versão 01 / Maio 2013 Prodedimento RNAV (GNSS) Autor: TCel Av SERGIO KOCH Padronizado por: Cmte. João Gabriel

Leia mais

Classe de espaço aéreo

Classe de espaço aéreo Curso n 7 Classe de espaço aéreo As classes de espaço aéreo são uma normalização dos serviços prestados nos espaços aéreos. Uma classe de espaço define os serviços que são prestados de acordo com o regime

Leia mais

MAIORES INFORMAÇÕES NOS SITES: www.decea.gov.br www.cgna.gov.br www.anac.gov.br

MAIORES INFORMAÇÕES NOS SITES: www.decea.gov.br www.cgna.gov.br www.anac.gov.br Guiia prráttiico de consulltta sobrre as alltterrações do espaço aérreo parra a Riio+20.. Deparrttamentto de Conttrrolle do Espaço Aérreo ESTE GUIA TEM APENAS A FUNÇÃO DE ILUSTRAR E APRESENTAR, RESUMIDAMENTE,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA EXTRAORDINÁRIA DE GESTÃO METROPOLITANA

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA EXTRAORDINÁRIA DE GESTÃO METROPOLITANA PPP RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS ESTUDO LOGÍSTICO Este Relatório Técnico apresenta o modelo logístico proposto para o transporte dos resíduos sólidos urbanos da RMBH e do Colar Metropolitano. O detalhamento

Leia mais

DECEA. Melhoria dos Serviços de Navegação Aérea nas Bacias Petrolíferas

DECEA. Melhoria dos Serviços de Navegação Aérea nas Bacias Petrolíferas DECEA Melhoria dos Serviços de Navegação Aérea nas Bacias Petrolíferas OBJETIVO Conhecer as propostas de Melhoria dos STA nas Bacias Petrolíferas. ROTEIRO Cenário Atual Concepção Operacional Planejamento

Leia mais

Autorização de abertura de procedimentos licitatórios para contratação de obras. Bom Sucesso - São Tiago 45 63

Autorização de abertura de procedimentos licitatórios para contratação de obras. Bom Sucesso - São Tiago 45 63 Autorização de abertura de procedimentos licitatórios para contratação de obras Trecho Extensão (km) Valor da obra(r$ milhões) Bom Sucesso - São Tiago 45 63 Bonfinópolis de Minas (entroncamento MG-181)

Leia mais

PESQUISA PRESIDENTE GOVERNADOR - SENADOR PESQUISA RELATÓRIO 2/2 CONTRATANTE DA PESQUISA: PARTIDO DA REPÚBLICA-PR MINAS GERIAS ESTADO: MINAS GERAIS

PESQUISA PRESIDENTE GOVERNADOR - SENADOR PESQUISA RELATÓRIO 2/2 CONTRATANTE DA PESQUISA: PARTIDO DA REPÚBLICA-PR MINAS GERIAS ESTADO: MINAS GERAIS PESQUISA PRESIDENTE GOVERNADOR - SENADOR PESQUISA RELATÓRIO 2/2 CONTRATANTE DA PESQUISA: PARTIDO DA REPÚBLICA-PR MINAS GERIAS ESTADO: MINAS GERAIS PERÍODO DE REALIZAÇÃO DOS TRABALHOS: 12 A 19 DE SETEMBRO

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-11 PLANO DE VÔO

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-11 PLANO DE VÔO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-11 PLANO DE VÔO 2008 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO TRÁFEGO AÉREO ICA 100-11 PLANO

Leia mais

Região Metropolitana de Belo Horizonte

Região Metropolitana de Belo Horizonte RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ RIO GRANDE DO N ORTE PARAÍBA PIAUÍ PERNAMBUCO ACRE TOCANTINS ALA GOAS RONDÔNIA SERGIPE MATO G ROSSO BAHIA GOIÁS DF MINAS GERAIS MATO G ROSSO DO S UL E SPÍRITO

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CONTABILIDADE ICA 172-2 COBRANÇA DE SERVIÇOS PRESTADOS PELO DECEA E ORGANIZAÇÕES SUBORDINADAS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CONTABILIDADE ICA 172-2 COBRANÇA DE SERVIÇOS PRESTADOS PELO DECEA E ORGANIZAÇÕES SUBORDINADAS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CONTABILIDADE ICA 172-2 COBRANÇA DE SERVIÇOS PRESTADOS PELO DECEA E ORGANIZAÇÕES SUBORDINADAS 2011 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO

Leia mais

INFORMAÇÃO AERONÁUTICA

INFORMAÇÃO AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA INFORMAÇÃO AERONÁUTICA ICA 53-1 NOTAM 2014 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO INFORMAÇÃO AERONÁUTICA ICA 53-1

Leia mais

Manual de Fraseologia - Gold Virtual Airlines. Tutorial. Manual de Fraseologia

Manual de Fraseologia - Gold Virtual Airlines. Tutorial. Manual de Fraseologia Manual de Fraseologia 1 Neste tutorial você aprenderá a realizar comunicação com os órgãos de controle de tráfego aéreo. Introdução Após ter realizado seu planejamento de voo e envio do mesmo seguirá com

Leia mais

REGULAMENTO DE TRÁFEGO AÉREO MÓDULO 1. Professor: Carlos Silva

REGULAMENTO DE TRÁFEGO AÉREO MÓDULO 1. Professor: Carlos Silva REGULAMENTO DE TRÁFEGO AÉREO MÓDULO 1 Professor: Carlos Silva www.aerocurso.com 2010 MÓDULO 1 AULA 1 Professor: Carlos Silva 1 - INTRODUÇÃO AO REGULAMENTO DE TRÁFEGO AÉREO Com o surgimento das aeronaves,

Leia mais

Votação de Marília Campos nos municípios Resultados em ordem alfabética das cidades Município Votos % (*) ABAETÉ 17 0,16 ABRE CAMPO 14 0,18 ACAIACA 1

Votação de Marília Campos nos municípios Resultados em ordem alfabética das cidades Município Votos % (*) ABAETÉ 17 0,16 ABRE CAMPO 14 0,18 ACAIACA 1 Votação de Marília Campos nos municípios Resultados em ordem alfabética das cidades Município Votos % (*) ABAETÉ 17 0,16 ABRE CAMPO 14 0,18 ACAIACA 1 0,04 ÁGUA BOA 12 0,17 AGUANIL 1 0,04 AIURUOCA 1 0,03

Leia mais

RESOLUÇÃO N 4.661, DE 9 DE ABRIL DE 2014 (MG de 10/04/2014)

RESOLUÇÃO N 4.661, DE 9 DE ABRIL DE 2014 (MG de 10/04/2014) RESOLUÇÃO N 4.661, DE 9 DE ABRIL DE 2014 (MG de 10/04/2014) Dispõe sobrea forma e o prazo de pagamento da Taxa pela Utilização Potencial do Serviço de Extinção de Incêndio relativa ao exercício de 2014,

Leia mais

REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL RBAC nº 105 EMENDA nº 00

REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL RBAC nº 105 EMENDA nº 00 REGULAMENTO BRASILEIRO DA AVIAÇÃO CIVIL RBAC nº 105 EMENDA nº 00 Título: Aprovação: SALTOS DE PARAQUEDAS Resolução ANAC nº xxx, de yyyyy de zzzz de 2010. Origem: SSO/GPNO SUMÁRIO SUBPARTE A - GERAL 105.1

Leia mais

CONTROLE DE REVISÃO CAPÍTULOS AFETADOS DATA DE INSERÇÃO RESPONSÁVEL

CONTROLE DE REVISÃO CAPÍTULOS AFETADOS DATA DE INSERÇÃO RESPONSÁVEL Conteúdo CONTROLE DE REVISÃO... 3 CONCEITUAÇÃO... 4 GENERALIDADES... 4 PROCEDIMENTOS RADIOTELEFÔNICOS... 4 IDIOMAS... 8 ALFABETO FONÉTICO... 9 ALGARISMOS... 10 NÚMEROS INTEIROS... 11 NÚMEROS DECIMAIS...

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Acerca dos fenômenos meteorológicos e da climatologia do espaço aéreo, julgue os itens que se seguem. 51 O fenômeno de halo ocorre exclusivamente em nuvens altostratus, que consistem

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL !" """ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA N o 034/DGAC, DE 19 DE JANEIRO DE 2000 Aprova a Instrução de Aviação Civil que dispõe sobre alterações em vôos regulares e realização

Leia mais

Guia de relatórios de pernas dos tours da IVAO-BR

Guia de relatórios de pernas dos tours da IVAO-BR International Virtual Aviation Organization Divisão Brasil da IVAO Departamento de Eventos Guia de relatórios de pernas dos tours da IVAO-BR (para pilotos) BR-EAC Brasil, 02 de maio de 2014. - 1 - Índice

Leia mais

ANEXO VIII DIRETRIZES PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL

ANEXO VIII DIRETRIZES PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL ANEXO VIII DIRETRIZES PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL PÁGINA 1 DE 6 I INTRODUÇÃO Os trabalhos e análises destinados à preparação dos documentos antecedentes e indispensáveis à abertura do processo licitatório

Leia mais

BRASIL DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

BRASIL DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO www.aisweb.aer.mil.br BRASIL DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO INSTITUTO DE CARTOGRAFIA AERONÁUTICA GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA Av. GENERAL JUSTO, 160 CEP: 20.021-130 - RIO DE JANEIRO

Leia mais

REGULAMENTO OPERATIVO AERODROMO E. MATTEI PISTICCI (MT)

REGULAMENTO OPERATIVO AERODROMO E. MATTEI PISTICCI (MT) REGULAMENTO OPERATIVO AERODROMO E. MATTEI PISTICCI (MT) 1 PREFÁCIO O presente Regulamento Operativo constitui uma pequena coleta de disposições, normas e critérios operativos, que devem ser adotados por

Leia mais

Navegação Aérea. velocímetro, considerando-se a direção e a distância voada a partir de um ponto de referência conhecido.

Navegação Aérea. velocímetro, considerando-se a direção e a distância voada a partir de um ponto de referência conhecido. Navegação Aérea Navegaçao aerea é a maneira de conduzir um veículo voador de um lugar a outro em segurança, pode ser um balão, um dirigível ou qualquer artefato próprio para voar. A Navegação aérea requer

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS

Leia mais

Trechos que serão contemplados pelo Programa Caminhos de Minas

Trechos que serão contemplados pelo Programa Caminhos de Minas Caminhos de Minas - Obras autorizadas Extensão (km) 1 Água Boa Malacacheta 51,2 2 Anel Viário Sete Lagoas - Av. Norte / Sul 3,3 3 Brumadinho - Piedade do Paraopeba - BR/040 12,0 4 Conceição Mato Dentro-Serro

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA. Apronto Operacional Copa das Confederações FIFA Brasil 2013

COMANDO DA AERONÁUTICA. Apronto Operacional Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 Apronto Operacional Copa das Confederações FIFA Brasil 2013 OBJETIVO Padronizar os procedimentos das aeronaves envolvidas nas atividades aéreas relativas ao Controle do Espaço Aéreo na TMA-RJ, por ocasião

Leia mais

Imagens de satélite para o Estado de Minas Gerais

Imagens de satélite para o Estado de Minas Gerais Imagens de satélite para o Estado de Minas Gerais 2009 Abre Campo 27/05/09 0 Acaiaca 29/07/09 0 Açucena 27/05/09 0 Água Boa 27/05/09 0 Alfenas 21/04/09 2-5 Alpercata 27/05/09 0 Alpinópolis 08/08/09 0 Alterosa

Leia mais

CIRCULAR DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA n PORTUGAL

CIRCULAR DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA n PORTUGAL CIRCULAR DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA n PORTUGAL INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL TELEFONE 218423502 INFORMAÇÃO AERONÁUTICA AFTN - LPPTYAYI AEROPORTO DA PORTELA 25/03 TELEX 12120 - AERCIV P 1749-034 LISBOA

Leia mais

CIRCULAR DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA n PORTUGAL

CIRCULAR DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA n PORTUGAL CIRCULAR DE INFORMAÇÃO AERONÁUTICA n PORTUGAL INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL TELEFONE 218423502 INFORMAÇÃO AERONÁUTICA AFTN - LPPTYAYI AEROPORTO DA PORTELA 21/05 TELEX 12120 - AERCIV P 1749-034 LISBOA

Leia mais

Bacia Sedimentar. Bacia Hidrográfica

Bacia Sedimentar. Bacia Hidrográfica acia Sedimentar acia Hidrográfica Piaui Sergipe Tocantins Mato Grosso ahia Goias Distrito Federal Minas Gerais Mato Grosso do Sul Sao Paulo Rio de Janeiro Espirito Santo Cisco Oil and Gas S.A. Orteng Equipamentos

Leia mais

Class. Geral / Class. PNE*

Class. Geral / Class. PNE* IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Processo Seletivo Simplificado - Edital IBGE nº 05/2009 Relação de classificados - AGENTE CENSITÁRIO DE INFORMÁTICA (ACI) - MG Município / Área de

Leia mais

Desafios legais para regulamentação dos VANTs e oportunidades

Desafios legais para regulamentação dos VANTs e oportunidades Desafios legais para regulamentação dos VANTs e oportunidades O que é Micro VANT? µ VANT ou µ RPAs é uma subdivisão de VANTs levando em conta seu peso máximo de decolagem, autonomia operacional, distância

Leia mais

CURSO DE CAPACIDADE DE PISTA

CURSO DE CAPACIDADE DE PISTA CGNA CURSO DE CAPACIDADE DE PISTA ASMU 2011 CGNA TEORIA DE CAPACIDADE DE PISTA ASMU 2011 OBJETIVO Apresentar a audiência a evolução histórica do Cálculo de Capacidade de Pista no Brasil, bem como os aspectos

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PROTEÇÃO AO VOO CIRPV 63-4

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PROTEÇÃO AO VOO CIRPV 63-4 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PROTEÇÃO AO VOO CIRPV 63-4 PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS REFERENTES À DIFUSÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE CINZAS VULCÂNICAS 2009 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

Leia mais

CONTROLE DE VAZOES NAS ZONAS DE ABASTECIMENTO/ SISTEMA DE DISTRIBUIÇAO - RMBH

CONTROLE DE VAZOES NAS ZONAS DE ABASTECIMENTO/ SISTEMA DE DISTRIBUIÇAO - RMBH ZA 01.00 VIANÓPOLIS EP 3,10 01.00 MARIMBA/S. AFONSO EP 19,80 01.00 VNT ETA/EAT1 A H 0,38 01.00 TOTAL DISTRIBUIDO/ ZA = 23,28 ZA 02.00 VNT ETA/EAT1 B H 10,58 02.00 EAT-1/BETIM(R3) ANU.D 96,52 02.00 EAT-1/RES.ANGOLA

Leia mais

CONTROLE DE VAZOES NAS ZONAS DE ABASTECIMENTO/ SISTEMA DE DISTRIBUIÇAO - RMBH

CONTROLE DE VAZOES NAS ZONAS DE ABASTECIMENTO/ SISTEMA DE DISTRIBUIÇAO - RMBH ZA 01.00 VIANÓPOLIS EP 3,00 01.00 MARIMBA/S. AFONSO EP 19,60 01.00 VNT ETA/EAT1 A H 0,39 01.00 TOTAL DISTRIBUIDO/ ZA = 22,99 ZA 02.00 VNT ETA/EAT1 B H 5,54 02.00 EAT-1/BETIM(R3) ANU.D 90,24 02.00 EAT-1/RES.ANGOLA

Leia mais

Instruções para elaboração do Plano Diretor

Instruções para elaboração do Plano Diretor Instruções para elaboração do Plano Diretor A Lei Federal 10.257, de 10 de julho de 2001, conhecida como Estatuto da Cidade, determina que os municípios elaborem seu Plano Diretor, define os critérios

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA PROTEÇÃO AO VOO ICA 63-19 CRITÉRIOS DE ANÁLISE TÉCNICA DA ÁREA DE AERÓDROMOS (AGA) 2015 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE

Leia mais

Belo Horizonte, 30 de novembro de 2012

Belo Horizonte, 30 de novembro de 2012 Belo Horizonte, 30 de novembro de 2012 JUSTIFICATIVA AUMENTO DA CIDADE SEM PLANEJAMENTO (ESPALHAMENTO URBANO) USO QUASE EXCLUSIVO DO MODO RODOVIÁRIO PARA O TRANSPORTE PÚBLICO AUMENTO DA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS DO AR 2013 MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO TRÁFEGO AÉREO ICA 100-12 REGRAS

Leia mais

Como chegar ao Verde Folhas 1. Coordenadas geográficas do Verde Folhas para GPS: Latitude: 20 5' 20.24" S Logitude: 44 3' 7.52" O

Como chegar ao Verde Folhas 1. Coordenadas geográficas do Verde Folhas para GPS: Latitude: 20 5' 20.24 S Logitude: 44 3' 7.52 O Como chegar ao Verde Folhas 1. Coordenadas geográficas do Verde Folhas para GPS: Latitude: 20 5' 20.24" S Logitude: 44 3' 7.52" O Trajeto Rio de Janeiro Verde Folhas Se o GPS somente pedir o local onde

Leia mais

MÓDULO 6 - CAPACIDADE DO LADO AÉREO Cláudio Jorge Pinto Alves (versão: 14/05/2014)

MÓDULO 6 - CAPACIDADE DO LADO AÉREO Cláudio Jorge Pinto Alves (versão: 14/05/2014) MÓDULO 6 - CAPACIDADE DO LADO AÉREO Cláudio Jorge Pinto Alves (versão: 14/05/2014) 1 - INTRODUÇÃO De 1970 a 2010 observou-se um aumento de 7% ao ano no movimento de passageiros e prevê-se, para o período

Leia mais