Antonio Dias. Coach Executivo, Consultor e Empreendedor. No 20 - Maio 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Antonio Dias. Coach Executivo, Consultor e Empreendedor. No 20 - Maio 2012"

Transcrição

1 No 20 - Maio 2012 Rosabeth Moss Kanter define confiança como a crença de que o sucesso é possível. Acho que o grande benefício do momento atual para o Brasil é que agora, nós, brasileiros, acreditamos que o sucesso do nosso país é possível antes, não tínhamos esta confiança Coach Executivo, Consultor e Empreendedor Entrevistado por Fernando Luzio Conversamos com Antonio Dias que foi executivo chefe da Norske Skog no Brasil, uma das maiores fabricantes de papel newsprint do mundo, onde tivemos a oportunidade de conhecê-lo e tê-lo como um cliente muito especial e importante para a história da Luzio. Além das inúmeras oportunidades de projetos relevantes que nos proporcionou, Antonio contribuiu para o aprimoramento metodológico da nossa firma com suas recomendações e seus feedbacks, sempre muito ricos. Nos projetos em que trabalhamos juntos, pudemos aprender também com seu estilo de liderança sempre cirúrgico, com um bom senso inspirador, uma visão estratégica sempre muito apurada e sólida, e uma pessoa constantemente alegre e motivada. Hoje, Antônio é coach de executivos, consultor de empresas e empreendedor. Inclusive Antonio tem realizado um trabalho notável de coaching do nosso CEO, Fernando Luzio. A entrevista foi gravada na sede da Luzio Strategy Consulting em São Paulo. Apresentamos a seguir trechos da entrevista. A versão completa você poderá ouvir pelo site ou baixar no seu tocador mp3 (iphone/ipod ou outros) pelo site da Luzio ou pela itunes Store (utilize o link no nosso site). Fernando Luzio. Conte um pouco da sua história, para que todos possam te conhecer, nas suas próprias palavras.. Quero iniciar também agradecendo, e dizendo que os trabalhos realizados pela Luzio para a Norske Skog foram muito importantes para nós, e que a qualidade deles foi sempre dentro ou acima do esperado, então, que bom que ambos os lados ficaram satisfeitos numa relação win-win. Vou começar contando um pouco da minha história... Sou casado há 23 anos e tenho dois filhos, Luccas e Yago. Sou formado em Engenharia Civil e atuei no ramo por pouco tempo. Comecei minha carreira em 1985, quando trabalhei basicamente como engenheiro de planejamento em diversas 1

2 obras da Racional Engenharia. Logo percebi que existia um vácuo entre o que acontecia na prática e aquilo que realmente me interessava. E o vácuo se chamava planejamento. Então, resolvi fazer um mestrado em Planejamento de Construção nos Estados Unidos. Voltei ao Brasil e continuei trabalhando na Racional. Tive a oportunidade de ganhar uma bolsa de doutorado em Privatização, dentro do departamento de Engenharia Civil, juntamente com o departamento de business, e voltei aos Estados Unidos. Sem dúvida alguma, foram anos muito interessantes. Quando retornei ao Brasil, busquei uma colocação num ramo completamente diferente da Engenharia Civil, o que representou a primeira encruzilhada da minha carreira, afinal, tinha dedicado tantos anos de estudo à Engenharia e acabei indo trabalhar numa empresa de papel a Pisa Papel de Imprensa, sendo que nunca tinha visto antes uma máquina de papel. Mas fui, principalmente porque gostei muito daquele que seria meu chefe: o Diretor Presidente, Célio Santos que, posteriormente, foi Presidente do Grupo O Estado de São Paulo. Trabalhei com ele durante alguns anos como assessor direto da presidência. A Pisa tinha sócios: O Estado de São Paulo e uma empresa da Nova Zelândia chamada Fletcher Challenge, que me convidou para ir fazer um trabalho na Nova Zelândia e ficar como expatriado por algum tempo. Morei lá com minha família durante 4 anos. A Fletcher Challenge tinha não apenas a Divisão de Papel, mas outras divisões industriais como floresta, construção e energia. Nos meus 4 anos ali, tive a oportunidade de participar de várias Divisões, inclusive, da Corporativa. Terminei meu trabalho na Fletcher Challenge como Diretor de Estratégia. Aí me deparei com minha segunda encruzilhada: um novo CEO da Divisão de Papel foi nomeado e me disse Antonio, gostaria que você fosse meu Diretor de Relações com Investidores ; Você deve estar brincando! Você deve ter muitas outras pessoas que podem ocupar esta posição, não sou um técnico da área, nunca fiz, nem imaginei ou almejei fazer isso ; Estou te dando a oportunidade da sua vida porque você vai estar diante de investidores de grandes fundos de investimento para contar a história da nossa empresa. Normalmente, quem tem este tipo de oportunidade são os CEOs, e estou dando esta chance a você. Se você cometer alguns erros, vou e corrijo, não tem problema algum. Enquanto você cometer os erros e não eu, está bom. Concordamos em fazer isso durante o período de um ano em que a empresa estava sendo vendida, e foi uma experiência fantástica! Esta segunda encruzilhada significou trilhar um caminho que era menos óbvio versus continuar no óbvio, e o caminho menos óbvio foi muito mais interessante, como muitas vezes acontece, pois é ele que acaba trazendo grandes aprendizados. Depois, a Divisão de Papel foi comprada pela Norske Skog, uma empresa norueguesa. Em 2001, fui convidado a voltar da Nova Zelândia para o Brasil para ser responsável pela área comercial na América do Sul. Baseei-me em Curitiba e durante 3 anos realizei este trabalho. Foi naquela época que nos conhecemos. Depois daquele período, fui convidado a assumir as operações da América do Sul de uma maneira geral, considerando as áreas comercial, de operação e logística. Fiquei nesta posição por mais 2 anos quando, numa mudança organizacional e num rearranjo das diferentes Unidades de Negócios, assumi a posição de responsável pelas Unidades da América do Sul (uma no Brasil e outra no Chile), e pelas Unidades na Europa relacionadas a papel para revistas (4 Unidades, 2 na Noruega, 1 na Alemanha e 1 na Áustria). Durante este período de aproximadamente 2,5 anos, eu tinha uma vida bastante atribulada em termos de viagem. Vivia dentro do avião, mas sempre foi muito interessante por causa O que um executivo deve fazer para enriquecer o processo de planejamento estratégico? Ele tem que dar o exemplo walk the talk. Se ele considera algo importante para a organização, tem que demostrar a importância do processo para a organização. Se ele não o fizer, as pessoas que estão assoberbadas de trabalho do dia a dia não o farão, obviamente. das diferentes culturas, das diferentes possibilidades, de tudo que acontecia. Eu passava basicamente de 10 a 15 dias por mês na Europa, depois na América do Sul. Fui neste ritmo até o momento em que resolvi mudar minha carreira talvez, uma terceira encruzilhada. Hoje, sou coach executivo, empreendedor (trabalho com desenvolvimento e incorporação imobiliária) e consultor. Fernando Luzio. O Brasil tem assumido um posicionamento relevante no cenário econômico internacional, atraindo atenção e recursos de investidores internacionais, mesmo com todos os gargalos estruturais que, hoje, emperram o nosso desenvolvimento sustentável. Qual é a sua opinião sobre este novo momento do Brasil?. Fernando, não há dúvidas de que o momento é bem especial para o Brasil por uma série de razões, mas quero colocar algo que contribui muito para isso. Existe uma professora em Harvard chamada Rosabeth Moss Kanter, que há alguns anos escreveu um livro onde define confiança como a crença de que o sucesso é possível. Acho que o grande benefício deste momento para o Brasil é que agora, nós, brasileiros, acreditamos que o sucesso do nosso país é possível antes, não tínhamos esta confiança. Esta autoconfiança que agora temos é uma das grandes molas propulsoras para conseguirmos atingir os objetivos a que nos propomos. E logicamente, esta abertura para o mundo torna a situação muito única. Em comparação aos demais países dos 2

3 BRICs, o Brasil é uma democracia mais solidificada, mais parecida com as outras democracias ocidentais, o que traz um grau de conforto bastante grande para investidores. Então, vejo que o Brasil também está sendo visto cada vez com mais carinho e com mais seriedade por investidores que vêm aqui buscar oportunidades. Neste processo de internacionalização de empresas brasileiras como a Vale e a Gerdau, é importante percebermos que, apesar de termos um mercado grande com potencial de crescimento, temos também a competência e a possibilidade de atuarmos em outros mercados. As empresas chinesas, por exemplo, têm um mercado interno bastante grande, mas têm também um olhar para fora muito maior do que o nosso. Portanto, temos que aproveitar este momento não só para atrair investimentos, mas também para internacionalizar nossas empresas que, sem dúvida, se tornarão mais competitivas e com maior possiblidade de sucesso, do que se ficarmos olhando somente para as oportunidades internas. Fernando Luzio. Durante anos, as escolas de negócios e, de certa maneira a imprensa, acreditavam que as empresas familiares eram uma estrutura atávica que não sobreviveria aos novos tempos de competição implacável. Porém, várias delas têm inovado seus modelos de negócios e hoje são líderes em diversos segmentos de atuação. E se analisarmos grandes empresas brasileiras algumas delas, inclusive, em forte processo de internacionalização, várias possuem forte vínculo com as famílias que as fundaram. Nosso cliente, o Grupo Randon, é um exemplo disto: uma empresa familiar em processo de internacionalização já há algum tempo, onde os familiares ainda estão na liderança da companhia. Quais são as vantagens e desvantagens de negócios cuja presença da família controladora ainda é bastante presente? Na sua opinião, o que faz com que uma empresa familiar sobreviva no tempo?. Quando falamos em empresa familiar, inicialmente temos aquela ideia de pequenas e médias empresas que, com certeza, são as molas propulsoras do emprego e desenvolvimento econômico de um país. Nos Estados Unidos, por exemplo, 50% da mão de obra trabalha em empresas com 1 a 500 funcionários; e estas empresas correspondem a 99,7% das existentes nos Estados Unidos, o que é bastante representativo. Então, obviamente, estas empresas são absolutamente necessárias para a solidificação de um mercado de trabalho e para esta pujança econômica que tanto esperamos ver no Brasil, e que observamos em outros lugares. No Brasil, temos excelentes empresas familiares como, por exemplo, o grupo Votorantim que, em 2005, foi escolhido como a melhor empresa familiar do mundo, pelo IMD (Institute for Management Development) um reconhecimento fantástico. Temos outros grupos controlados por famílias, como Itaú-Unibanco, Klabin no setor de papel, Suzano: grandes empresas com uma história de sucesso há algumas gerações. Quais as desvantagens do controle familiar? Primeiro, eu diria que o profissionalismo é inconsistente. Em várias dessas empresas, as pessoas estão em posições de lideranças porque são parte da família, o que impede que a meritocracia seja plenamente funcional. Existe também, uma falta de controle sobre o tomador de decisão que muitas vezes decide sem as informações necessárias. E por último, outra desvantagem é a governança inapropriada. Temos o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), um órgão que busca, com constância e competência, levar um pouco desta cultura de governança para as empresas. Existe, realmente, um movimento de vários executivos para que suas empresas criem sistemas e órgãos que permitam que a governança aconteça em termos de tomada de decisão, de reporting, de desenvolvimento. Porém, este é um caminho que está sendo iniciado, a governança ainda é incipiente e temos um trabalho grande pela frente. Um dos fatores que restringem as empresas familiares é o acesso ao capital, o que começa a se tornar um pouco mais promissor com a chegada de vários fundos de private equity ou de angel investors. Por exemplo, no ano passado, a Peixe Urbano (uma empresa de compra coletiva), foi escolhida como a melhor startup de tecnologia no mundo. Eram 3 jovens que moravam nos Estados Unidos e que foram financiados por fundos de private equity para poderem sair de uma situação inicial onde eram 3 e, 3 anos depois, transformarem-se em mil funcionários. Portanto, o acesso ao capital é absolutamente relevante para o profissionalismo e desenvolvimento de uma empresa familiar. Com relação às vantagens, uma das maiores é o empreendedorismo, normalmente do dono, do fundador: aquela visão de negócio e aquela paixão que acabam contaminando a organização e fazendo com que ela se desenvolva. De algum modo, isto também acaba sendo transmitido à segunda geração, em alguns casos com mais sucesso, em outros, com menos. E para finalizar: o que faz uma empresa permanecer viva e se desenvolver ao longo de gerações? Gosto muito do modelo Votorantim, um caso excepcional, tanto em termos de competência, quanto em termos de tamanho, mas a ideia básica do seu sucesso é a meritocracia: a clareza sobre a função da família e a função do negócio. Quanto mais tivermos esta clareza de que a empresa é minha, mas talvez eu não seja a pessoa mais competente ou adequada para fazer sua gestão, mais casos de sucesso como a Votorantim, Klabin e Itaú-Unibanco nós teremos. Fernando Luzio. Você tem razão, acho que um grande desafio para a empresa familiar é conseguir estabelecer um bom modelo de meritocracia. É curioso: se por um lado o engajamento da família, o olhar e amor do dono pelo negócio contaminam as pessoas, por outro lado, as empresas familiares têm dificuldade de criar um modelo de meritocracia que transmita este envolvimento do dono e da família com o negócio, reconhecendo também o esforço das pessoas. Esta é uma ponte que percebo que as empresas familiares têm dificuldade de fazer. Enquanto executivo e líder, você patrocinou inúmeros exercícios de planejamento estratégico. Inclusive, tivemos a oportunidade de presenciar isso na Norske Skog. Qual é a importância de um processo de planejamento estratégico para o futuro das organizações? O que um executivo pode fazer para dar poder e enriquecer este processo? Que ações ou posturas, na sua opinião, não devem ser tomadas durante os trabalhos de planejamento?. Sem dúvida, acredito muito no planejamento. Sabemos há muito tempo que quando o planejamento é bem desenvolvido e temos uma estratégia fantástica, ele é uma condição relevante para o sucesso da empresa, mas não é suficiente. Estamos cheios de casos de empresas com um ciclo de planejamento super elaborado e que fazem estratégias muito claras, mas cuja entrega e execução não acontecem. Então, a importância do planejamento é absolutamente vital, mas não é suficiente. Por isso, gosto muito de falar em planejamento e execução da 3

4 estratégia que foi planejada. Ir para a ação, para a execução, é claramente mais importante do que o planejamento em si, porque é onde os resultados irão aparecer. Há dez anos, estava muito in voga a busca pelo redesenho de processo e pela eficiência, onde é preciso fazer a mesma coisa com mais rapidez ou com menos recursos. E isso, de algum modo, ainda acontece hoje. Um dos grandes fatores importantes dentro de um ciclo de planejamento estratégico é não olhar apenas para a eficiência dos processos e dos objetivos estratégicos, mas para a sua eficácia, porque não adianta só fazer bem feito e com poucos recursos, precisamos fazer bem feito e com poucos recursos aquilo que precisamos fazer. Hoje, vejo executivos cada vez mais eficientes e envolvidos com o negócio, mas cada vez mais anestesiados com a velocidade com que as coisas acontecem, sem se perguntarem se estão fazendo as coisas certas na prioridade adequada. O que um executivo deve fazer para enriquecer o processo? Minha resposta é muito simples: ele tem que dar o exemplo walk the talk. Se ele considera o planejamento estratégico algo importante dentro da organização, ele não pode fazer uma remarcação de último minuto; ele não pode sair no meio da reunião de estratégia; ele não pode delegar para uma outra pessoa tocar a reunião. Ele tem que demostrar a importância do processo para a organização. Se ele não o fizer, as pessoas que estão assoberbadas de trabalho do dia a dia não o farão, obviamente. A não ser que você encontre uma pessoa um pouco fora da curva que abrace aquela ideia, mas claramente não terá a mesma possibilidade de levar as coisas adiante, comparado a um executivo de mais alto escalão. Em muitos casos, há executivos que utilizam o ciclo de planejamento estratégico para justificarem porque as coisas não acontecem, ao invés de buscarem o caminho a ser seguido. Então, algumas sugestões que eu daria são: não ficar buscando justificativa; não ficar se defendendo perante ao time; não dominar a reunião colocando que só ele sabe qual é a estratégia que deve acontecer; encontrar o equilíbrio entre estar presente, dar a devida importância, mas também se ausentar um pouco daquela discussão, permitindo que a organização também traga sugestões, traga novas possibilidades de crescimento e desenvolvimento. E finalmente, diria que não existe a estratégia perfeita. Sabemos que dentro dos negócios, nunca teremos a informação perfeita. Então, em algum momento precisamos dizer Está bom! Está excelente! Agora, vamos fazer isso acontecer! Vamos partir para a ação!. E, no decorrer daquela ação, teremos a oportunidade de fazer reavaliações. Fernando Luzio. Temos percebido que empresas de origem familiar começam a ter de experimentar a introdução de métodos, processos e disciplina no planejamento das suas operações principalmente aquelas com uma trajetória de empreendedorismo muito grande e que passam por processos de profissionalização com a entrada de fundos de private equity. Entretanto, neste tipo de empresa existe uma história de negligência e resistência com relação a métodos estruturados, interpretados como burocratização. Na sua opinião, como é que você vê essa evolução? Você acha que isso tem melhorado? Nossas empresas já estão mais cientes da necessidade de um bom trabalho de planejamento para a sua própria sustentabilidade, ou ainda estamos imaturos nesta questão?. Creio que ainda somos imaturos com relação a isso. Vivemos um pouco naquela cultura do Bom, quando acontecer eu resolvo, deixa comigo! Para que planejar se as coisas serão diferentes de qualquer jeito?. Uma forma muito simples de verificar isso é observar quais são os heróis da empresa, quais são as histórias de sucesso da empresa. Se o herói é o gerente de manutenção que ficou 30 horas à frente de uma máquina, sem dormir, para fazê-la funcionar e, no dia seguinte, é exaltado por todos por ter se doado e conseguido fazer com que a coisa voltasse a funcionar, percebemos que os valores daquela empresa estão basicamente direcionados a fazer no momento do incêndio. Muito provavelmente, este mesmo gerente de manutenção que ficou 30 horas acordado tem uma competência não muito forte em planejamento de manutenção, e talvez tenha um estagiário trabalhando no planejamento 4

5 ou na manutenção preventiva porque o negócio dele é apagar incêndio. Ou aquele vendedor que faz uma super venda, sem se atentar se ela está respaldada por um processo e por toda uma estrutura operacional da organização; se existe sistema para fazer a entrega; e se a produção vai conseguir cumprir com as datas com as quais ele se comprometeu. Então, ainda estamos muito imaturos. Outro ponto é a valorização de muitos executivos ao esforço pontual. Vamos pegar um caso de um gerente que tem que fechar um contrato e pega um avião às 6 horas da manhã para Recife; fica o dia todo sentado batalhando com o cliente; segue até às 3 horas da manhã; fecha o contrato; pega o avião às 5 da manhã de volta ao escritório; chega para o chefe e diz Trabalhei 20 horas! Está aqui o contrato. ; Puxa, quanto esforço! Você vai ser compensado por isso!. Versus um outro profissional que vai fechar um contrato tão bom ou igual ao do primeiro caso, e que o faz basicamente através de um telefone porque já fez um trabalho anterior que não aparece naquele momento: ele já educou o cliente, mostrando-lhe porque ele deve fechar aquele negócio. O fechamento propriamente dito é um ponto daquele processo e não o processo como um todo. Depois de 3 minutos de conversa ao telefone, ele chega para o chefe e diz Fechei o contrato!, Puxa! Podia ser melhor, você nem se esforçou.... É o que eu chamo de paradigma do esforço. Hoje, ainda valorizamos muito o esforço e não o resultado. Quando conseguirmos valorizar mais o resultado, seja através da melhoria operacional ou até do planejamento estratégico onde, novamente, não é o planejamento em si, mas sim os resultados obtidos daquele planejamento, aí vamos começar a ter uma maturidade maior. Estamos progredindo, e com bastante velocidade, não estamos parados, mas ainda continuamos imaturos. Fernando Luzio. Você construiu uma carreira internacional brilhante como executivo, trabalhando em grandes organizações e em culturas diferentes da nossa. Na sua opinião, quais as grandes diferenças entre executivos e executivas brasileiros, e os de outros países? Quais características tornam o nosso executivo singular em relação ao de outras culturas? E como é que as grandes corporações internacionais enxergam, hoje, o nosso executivo brasileiro? Como somos vistos lá fora?. Quero iniciar meu comentário colocando de uma maneira muito simplificada o que entendo como alicerces de um negócio. São dois: relacionamento e confiança. O business tem como alicerce relacionamentos de diversos tipos e características: clientefornecedor, executivo-investidor, etc.. E existe a confiança, porque só vou fazer um negócio com você se eu confiar que cada um irá fazer a parte que foi acordada. Na minha opinião, uma das grandes singularidades do executivo brasileiro é a sua habilidade em desenvolver relacionamentos. Percebi durante toda a minha carreira como o brasileiro é empático, como ele facilita o desenvolvimento do relacionamento de uma maneira quase informal que, às vezes, até deixa a outra parte um pouco desconfortável. Mas o fato é que, como resultado, os relacionamentos criados são mais abertos, mais amplos. Outra singularidade do executivo brasileiro é a flexibilidade. O excesso do famoso jeitinho brasileiro não faz bem, mas na dose certa, com certeza permite que o brasileiro saia de situações engessadas e busque alternativas ou novas formas de fazer a coisa que possam resolver aquela situação com maior facilidade. Sobre o que as grandes corporações pensam a respeito da mão de obra e dos executivos brasileiros, a visão que já me foi passada é a seguinte: competência profissional boa. Uma boa formação e uma cultura apropriada para negócios internacionais. Somos abertos a diferentes culturas e a diferentes modos de fazer as coisas, até porque também somos um melting pot São Paulo é a cidade que tem mais japoneses e descendentes de japoneses fora do Japão; é a cidade que tem mais libaneses fora do Líbano, ou seja, uma grande gama de diferentes culturas faz parte do nosso tecido social, o que é absolutamente importante. Eles também veem o brasileiro como um povo comprometido e que trabalha duro, até porque não temos algumas facilidades em termos de automação e de processo. Um ponto que eu gostaria de destacar e que não é tão positivo assim, é o fato do brasileiro não ter clareza sobre a distinção entre um relacionamento profissional e um relacionamento pessoal. Como já dizia Sérgio Buarque de Holanda, por ser cordato e gentil, e por uma necessidade de ser bem quisto, o brasileiro tem medo de magoar a outra pessoa e acaba assumindo, profissionalmente, uma postura que não é a mais adequada. O brasileiro diz Sim, posso fazer e me comprometo a entregar, quando na realidade ele quer dizer Não. Isso confunde tremendamente os americanos, europeus e asiáticos: Você disse sim, disse que iria fazer aquela entrega para mim quando, na realidade, você já sabia que não iria entregar! E ainda avisa de última hora, quando avisa!. Assim, precisamos distinguir a grande diferença entre o pessoal e o profissional. E o fato de eu ter tido alguma discussão contigo no escritório não significa que, no final do dia, nós não vamos tomar uma cerveja juntos, pelo contrário. Fernando Luzio. E é interessante porque isso volta para o início da sua resposta: essa característica de não dizer não ou de não assumir uma postura que seja sustentável, acaba ferindo o capital de confiança que foi construído, e que é uma habilidade nossa.. Um outro ponto relacionado a isso é que, até pela nossa história de ex-colônia e de sociedade relativamente hierarquizada, de algum modo as pessoas evitam fazer colocações mais contundentes na presença de um Diretor ou Presidente. Na minha experiência trabalhando numa empresa norueguesa, era exatamente o contrário: a primeira vez em que participei de uma reunião com o CEO e vários Diretores, o CEO falou algo e o Diretor disse, na cara dele, Eu não concordo!, e argumentou eu quase caí da cadeira. É muito difícil este nível de abertura numa empresa brasileira. Geralmente, medimos o que vamos dizer quando, na realidade, o importante naquele momento é dar uma opinião frente a uma decisão que foi colocada na mesa, e tenho a obrigação e a reponsabilidade de dá-la, e não simplesmente deixar de dá-la porque Será que ele vai gostar? Será que é apropriado?. Isso acaba também, de algum modo, confundindo as mensagens e as decisões que são tomadas. Fernando Luzio. Hoje, dentro do novo cenário empresarial brasileiro, temos vivido também, o que muitos têm chamado de apagão da mão de obra, e que tem trazido o grande desafio para as empresas de formação de lideranças fortes que conduzam as organizações, aproveitando essa onda de crescimento do país. Na sua opinião, quais são as competências fundamentais para um líder ter sucesso no seu papel de gestor de pessoas? Quais são as habilidades 5

6 que cada vez mais ele terá de dominar para ter sucesso nesse mundo em transformação global acelerada, e com tantos choques culturais?. Esta pergunta é super interessante, Fernando. Vejo duas competências centrais para qualquer líder que queira ter sucesso ao gerir pessoas. A primeira é quase uma repetição do que falei anteriormente: a conduta. O executivo deve ter uma conduta exemplar, fazer o walk the talk, entregar suas promessas. Alguns autores chamam isto de impecabilidade da palavra. A segunda competência está relacionada ao desenvolvimento das fortalezas das pessoas que fazem parte do seu time. Ainda mais hoje, quando o apagão de mão de obra é absolutamente relevante, o desenvolvimento da equipe é uma meta importante de sucesso. Há alguns anos, tive a oportunidade de ter contato com um trabalho feito pela McKinsey, no qual eles falavam que o CEO deveria investir entre 30% a 50% do seu tempo com pessoas e no desenvolvimento delas. E quando falo em desenvolver pessoas, o ponto mais importante para mim é desenvolver as fortalezas, ou seja, identificar aquilo que aquela pessoa já faz bem e trabalhar para que ela seja ainda melhor, porque é através do desenvolvimento adicional dessa competência que essa pessoa vai se sobressair e vai, também, conseguir fazer com que as outras competências dela aumentem de nível. É uma tendência quase natural do ser humano trabalhar sobre os defeitos, sobre os pontos fracos: Você não faz bem isso, você não faz bem aquilo. Isso aqui não deu certo. Isso aqui ficou errado. Ao fazermos isso, estamos reforçando que aquela pessoa não tem competência alguma. Quando olhamos para o outro lado da moeda e dizemos Puxa, olha como você fez bem isto e como você fez bem aquilo, criamos um outro tipo de dinâmica que permite com que as pessoas tenham um desenvolvimento mais rápido e adequado. Com relação às habilidades do gestor do futuro, não tenho uma resposta única, mas vou usar um framework de John Zenger, um pesquisador americano que responde à pergunta O que uma pessoa deve desenvolver?, falando da intersecção de 3 dimensões: 1) o que aquela pessoa já faz bem, que é sua fortaleza; 2) para o quê aquela pessoa tem paixão e energia para desenvolver; 3) qual é a competência que realmente fará a diferença para aquela organização. Quando encontro a intersecção entre o que faço bem; o que tenho paixão em fazer; e o que a empresa precisa, é nisso que tenho que trabalhar. Portanto, não consigo te dar uma reposta mágica, mas consigo te dizer que cada um tem que achar a sua resposta! Fernando Luzio. Nos últimos anos, você tem se dedicado ao aconselhamento de executivos, ao trabalho de coaching em diversas organizações pelo Brasil e, também, fora do Brasil. Na sua opinião, quais são os grandes anseios e desafios dos executivos, hoje? Qual é o verdadeiro desafio de liderar pessoas, de ser gestor num momento histórico tão particular de mudanças sócio culturais, de redes sociais, de tecnologias de tempo real, cujos reflexos ainda temos dificuldade de vislumbrar?. Acho que o primeiro anseio que os executivos têm é de serem vistos como tendo visão estratégica. Só que a própria visão que eles têm da visão estratégica é muito curta, porque entendem a visão estratégica somente como a participação num ciclo de planejamento estratégico aonde, de algum modo, eles contribuem para a formulação da estratégia. Quando, na realidade, esta visão estratégica percorre todos os dias da organização. Como relacionar o dia a dia das pessoas que trabalham na minha equipe com a estratégia da empresa? Como traduzir a visão da organização e seus objetivos em metas que tenham significado para o time? Como assegurar que exista alinhamento entre o trabalho executado e a estratégia da Acho que o verdadeiro desafio de liderar pessoas é se conhecer melhor. O desafio não está no outro, não está na situação e não está na empresa. O desafio está em entender como você impacta as pessoas. Então, minha sugestão é muito mais para um olhar interno do que externo 6

7 organização? Como explicar as mudanças que aconteceram na organização e seus impactos? Isso é ter visão estratégica. Portanto, ela não se restringe à reunião, ao workshop, ao ciclo de planejamento estratégico. Ela tem que ser disseminada no dia a dia. A Gerdau tem como diretriz o seguinte: nenhuma reunião acontece enquanto a pessoa que a liderava não explicasse como aquela reunião estava relacionada ao planejamento estratégico e aos objetivos da organização. Olha que coisa fantástica! É o executivo que tem que fazer isso. Outro anseio, Fernando, é pelo feedback. Hoje, vejo os executivos ávidos por feedback, que não é uma prática constante nas organizações. A prática é Bom, eu vou fazer uma avalição do seu desempenho anual, portanto, vamos sentar durante 2 horas em algum momento do ano para eu te dar o feedback. Mas, e o que acontece durante os outros 364 dias? Então, existe o anseio de Como é que eu estou indo? Estou indo bem ou não? Estou me desenvolvendo? Como é que está sendo meu resultado? Meu chefe não me disse nada, então eu acho que estou indo bem. Isso precisa acontecer numa frequência mais adequada. Outro anseio é o de estar no lugar correto, na hora correta: Com tantas oportunidades acontecendo à minha volta, será que estou no lugar correto? Será que não estou perdendo tempo? Será que eu não deveria estar na empresa do vizinho? Meu amigo foi promovido e eu ainda não fui. É a preocupação de sempre estar vendo se a grama do vizinho é mais verde do que a grama lá de casa. Com relação aos desafios, vou enumerar dois. Primeiro, o tempo; a velocidade com que as coisas acontecem; o gerenciamento do tempo; a falta de tempo. As pessoas se colocam numa determinada velocidade que é difícil de parar. Em seu livro Os Sete Hábitos de Pessoas Eficazes, Stephen Covey conta a história do afiar a serra. Tem um lenhador cortando uma árvore com uma serra que está completamente desafiada. Ele vai, passa a serra e não acontece nada na árvore. Um sujeito para, vê aquela situação e fala para o lenhador Meu amigo, sua serra não está afiada. Você precisa ir até à cidade afiar sua serra para poder cortar, Mas eu não tenho tempo de ir até à cidade para afiar a serra. Muitas vezes, caímos nessa mesma situação. Acreditamos que não temos tempo para refletir, que não temos tempo para nos renovarmos e acabamos vivendo numa velocidade que parece adequada quando, na realidade, se tivéssemos momentos de reflexão e avaliação, talvez faríamos de um modo diferente e seríamos mais eficazes e eficientes. O segundo desafio é o foco. Qual é mesmo a minha prioridade? Com os 200 s que recebo só na primeira hora da manhã; com as 45 reuniões para as quais fui chamado; com os telefonemas dos meus clientes; qual é a minha prioridade? Será que estou só apagando incêndio? O fato é que a grande maioria dos executivos tem como desafio a priorização das atividades, tanto do dia a dia, quanto no médio e longo prazos. Agora, qual que é o verdadeiro desafio, Fernando? E aqui, vou tomar a liberdade para dar uma resposta pouco convencional... Acho que o verdadeiro desafio ao liderar pessoas é se conhecer melhor. O desafio não está no outro, não está na situação e não está na empresa. O desafio está em entender como você impacta as pessoas. Então, minha sugestão é muito mais para um olhar interno do que externo. Claramente, não existe o líder ideal e nem o modelo de líder ideal, porque se existisse, só seriam CEOs e Diretores pessoas daquele modelo, sendo que temos uma gama infinita de pessoas, das mais centralizadoras às mais descentralizadoras; das mais autocráticas às menos autocráticas; das que se comunicam melhor às que se comunicam pior cada uma com sua competência, cada uma com seu sucesso. Portanto, é como você se conhece, como você se entende que transpassa para o exterior: este é o grande desafio dos líderes de hoje. Fernando Luzio. Antonio, quem te conhece sabe o quão sábio você é, sempre ponderando suas ideias com muita precisão e cuidado e sabendo, como poucos, ouvir e interpretar as ideias do seu interlocutor. Pude vivenciar isso, inclusive, na sua atuação como executivo. Percebemos em você uma forte influência da filosofia, além das suas preocupações com o equilíbrio emocional e espiritual no trabalho, o que tem sido muito procurado por todos, hoje, em todas as organizações. Você acredita que as empresas, se quiserem manter um vínculo forte com seus colaboradores e até mesmo com seus clientes no futuro, não poderão mais ignorar essas necessidades intangíveis das pessoas? Você acha que essas preocupações, absolutamente legítimas e até necessárias em um mundo em ebulição, serão abraçadas de fato pelas organizações? Como tornar o ambiente organizacional mais estimulante para que as pessoas se sintam verdadeiramente identificadas e engajadas com aquela organização?. Primeiramente, quero agradecer as tuas palavras gentis. Quero fazer uma pequena analogia não me recordo de quem falou isso, mas vou parafraseá-lo: o corpo humano precisa produzir glóbulos vermelhos para sobreviver, mas o propósito do ser humano não é produzir glóbulos vermelhos. Nos negócios, é lógico que precisamos produzir lucro e criar valor molas propulsoras da perpetuidade da organização. Uma organização que não gera valor e lucro está fadada a não seguir adiante. Mas, acho que às vezes confundimos esta necessidade absolutamente relevante de gerar valor, com o real propósito da empresa. Precisamos, com mais constância, visitar o propósito ou a missão da empresa. Por que eu existo? Por que esta empresa existe? O propósito dela é dar lucro? Muito provavelmente, Fernando, a grandíssima maioria dos empreendedores e fundadores de empresa não a fundaram simplesmente porque queriam ganhar dinheiro. De algum modo, eles tinham a clareza de uma crença, de um objetivo, de uma razão de existência que, em algum momento, acabou se perdendo por pressões internas ou externas. Então, creio que é muito possível este equilíbrio, um entendimento de que o foco não pode ser exclusivo no resultado financeiro. Precisamos ter uma visão mais holística do nosso negócio. Existe um movimento nos Estados Unidos chamado capitalismo consciente, um movimento incipiente, mas que já conta com algumas empresas bastante interessantes e cujo objetivo não é, de novo, deixar de dar o retorno ao acionista. O que eles estão começando a demonstrar é que as empresas que praticam este capitalismo consciente, tendo esta visão mais holística do negócio com relação aos colaboradores, clientes e a sociedade, na realidade geram resultados melhores do que aquelas que simplesmente visam ao lucro. Quando quebrarmos o paradigma da exclusividade do lucro e entendermos que podemos ter, ao invés de uma competição, uma cooperação entre diferentes objetivos, ligados e complementares, acredito que vamos começar a observar uma mudança nas organizações. E você falou de filosofia, Fernando. Tenho uma visão muito simples sobre o homem, a organização e o meio: acredito que é o homem que faz o meio e não o meio que faz 7

8 Nos negócios, é lógico que precisamos produzir lucro e criar valor molas propulsoras da perpetuidade da organização. Uma organização que não gera valor e lucro está fadada a não seguir adiante. Mas, acho que às vezes confundimos esta necessidade absolutamente relevante de gerar valor, com o real propósito da empresa. Precisamos, com mais constância, visitar o propósito ou a missão da empresa. Por que eu existo? Por que esta empresa existe? o homem. Nunca o meio vai fazer com que o homem mude, e sim o homem é quem faz com que o meio mude. Isto significa que, se quisermos ter empresas mais conscientes e que visem a este equilíbrio de forças, então precisamos trabalhar sobre a educação dos executivos para que eles façam esta alteração, pois são eles que têm que capitanear este movimento. Quanto mais executivos conscientes, com maior clareza do propósito e dos objetivos a serem alcançados, maior será a possibilidade de termos empresas que consigam entregar objetivos que não são exclusivamente financeiros, e que tenham este equilíbrio tão saudável para todos nós. Fernando Luzio. Antonio, hoje, como empreendedor, consultor, coach e cidadão, alguma coisa lhe tira o sono?. Na realidade, nada tira meu sono. Quero fazer referência a um documentário chamado I Am, feito por Tom Shadyac, um diretor de Hollywood que, inclusive, foi o diretor do Ace Ventura (para quem gosta do Jim Carrey), dentre outros filmes. Um cara super bem sucedido dentro do que ele se propôs a fazer, e que num determinado momento sofreu um acidente e repensou sua vida. Neste documentário, Tom Shadyac procurou reposta para duas perguntas: o que tem de errado no mundo? E o que temos que fazer a esse respeito? Ele entrevistou várias pessoas escritores, líderes de negócio, líderes espirituais, tentando achar a resposta. E num determinado momento, ele se remete a um concurso de composição feito no início do século XX, em Londres, onde se fazia exatamente esta pergunta: o que está de errado com o mundo hoje? E uma pessoa, G. K. Chesterton, escreveu o seguinte: Caros senhores, o que tem de errado no mundo? Eu. Atenciosamente, G. K.. É interessante pensarmos O que eu estou fazendo para que o mundo seja diferente do que ele é hoje?. E se alguma coisa me tiraria o sono, seria exatamente esta reflexão, porque se eu não estou fazendo algo para que o mundo fique melhor, não estou sendo útil ao meio, então preciso buscar alguma coisa que me dê utilidade para que eu possa contribuir. Afinal, estamos todos aqui, de algum modo, contribuindo. Fernando Luzio. Antonio, sabemos que a história dos empreendedores e dos executivos de sucesso também conta com fracassos que sempre provocam movimentos de superação marcantes. Você viveu alguma situação na sua vida executiva ou privada, de perda ou de fracasso, que criou um divisor de águas na sua história? Se isto aconceteceu, como é que você fez a virada? O que você fez para superar o desafio e retomar sua trajetória de êxito? E se você pudesse voltar no tempo, você tomaria uma decisão diferente para evitar que aquilo tivesse acontecido?. Vou compartilhar uma situação que eu 8

9 não chamaria de fracasso, mas que sem dúvida mudou muito o modo como enxergo meu desenvolvimento profissional e, consequentemente, minha vida profissional e pessoal. Como mencionei inicialmente, tive uma carreira muito interessante, tanto em termos de diversidade cultural, quanto em diversidade de posições. Na minha última posição em que era responsável pelas operações na América do Sul e na Europa, tínhamos aprovado, junto ao conselho de administração da empresa, um projeto de expansão das operações no Brasil. Era um projeto de investimentos de mais ou menos US$ 250 milhões onde eu tinha diversos chapéus: era o patrocinador do projeto, chairman do Steering Committee, responsável pela região da América do Sul e pelas operações do Brasil. Após 8 meses, o diretor de projeto que era realmente responsável pela execução do mesmo, pela contratação dos fornecedores e pelo desenvolvimento técnico do projeto, pediu para sair da organização. Trouxemos um outro diretor de projeto super experiente que já fazia parte da companhia. No momento em que recebeu o bastão, ele fez uma avaliação e emitiu uma opinião em que o projeto teria um custo signifiticamente maior uma informação que, até aquele momento, não era conhecida. A situação foi levada ao Conselho de Administração que disse Bom, vamos parar o projeto e fazer uma avaliação do que está acontecendo para decidirmos, então, se o projeto deve ou não continuar. Naquele momento, Fernando, apesar de eu não ter nenhuma responsabilidade direta pelo projeto, mas por ter clareza sobre minha responsabilidade perante aquelas operações, achei que deveria entregar minha posição e assim o fiz. O CEO aceitou, entreguei minha posição e continuei na organização. Passado um tempo, percebi que era o momento de buscar outro caminho. Eu diria que esta foi minha quarta encruzilhada inicialmente, falamos de três. Acordei com a Norske Skog um determinado tempo de transição, dentre todas as atividades que tinha, e acabei saindo da organização. Foi um processo super tranquilo onde não houve nenhum tipo de dificuldade. Mas é claro que, naquele momento em que saí da organização, eu não tinha clareza sobre meu próximo passo. Quase tão importante quanto ter clareza sobre o que fazer, era ter clareza sobre o que não fazer, e era claro para mim que eu não queria mais do mesmo. Já que terei uma oportunidade de mudar, então vou experimentar esta mudança. Logicamente, sofri a tentação de voltar a ser um executivo de uma multinacional ou de uma grande empresa brasileira, mas me detive no meu propósito de me permitir fazer algo diferente por um período de tempo. Parti para um processo de exploração, uma espécie de período sabático, em que passei por diversas fases, ciclos naturais de processos de mudança: uma sensação de perda; necessidade de ficar introspectivo, um encapsulamento e a sensação de que meu mundo era eu mesmo; e depois uma sensação de estar pronto para experimentar, sem me jogar de cabeça, mas colocando o dedão do pé para ver a temperatura da água. Todos estes sentimentos foram muito importantes para mim. Um dos aprendizados que compartilho com as pessoas é Não tentem pular as fases. É importante que você passe por cada uma delas. Cada um tem uma velocidade, alguns podem demorar mais, outros menos, mas atravessar estas fases é parte importante da experiência. Neste ciclo tive duas oportunidades fantásticas. Uma, conviver mais intensamente com minha esposa e filhos, estar mais presente física e emocionalmente, sentir-me parte integrante da família. Outra, fazer um curso nos Estados Unidos chamado Life Launch, que me permitiu ter uma visão mais holística, mais profunda do que estava acontecendo comigo. Ambas oportunidades ajudaram-me na decisão de me dedicar às atividades que tenho hoje. Outro dia, lendo um livro escrito em por Charles Handy um autor de quem gosto muito, depareime com a seguinte conceituação: O emprego no futuro será um portfólio de empregos. Pensei Opa! Estou dentro, então. Já sou o empregado do futuro. Então, hoje, tenho uma carreira portfólio. Mas, imagine eu, que sempre tive muita clareza dos passos da minha carreira, apesar de algumas encruzilhadas, de repente me deparar, pela primeira vez, com uma situação em que eu não tinha essa clareza toda... Encarei como uma oportunidade de me reinventar. E foi ótimo! Desta forma, meu aprendizado nisso tudo foi respeitar o processo e ter a certeza de que alguma coisa diferente iria acontecer. É esta confiança que te permite viver o processo com uma certa tranquilidade. Você me perguntou Se eu pudesse voltar no tempo, faria diferente?. Eu não voltaria no tempo porque o que aconteceu me permitiu um aprendizado e uma experiência que foram super importantes para mim. Fernando Luzio. Antonio, você sempre trabalhou muito e continua trabalhando muito, ainda mais agora com esse portfólio de projetos. O que te inspira e te motiva a trabalhar tanto?. Bom, para responder a esta pergunta, tenho que te contar uma outra história... Assisti a um documentário muito interessante, chamado Finding Joe, sobre a vida de um autor de quem gosto muito: Joseph Campbell. Neste documentário, ele conta que existia um Buda de ouro num monastério na Tailândia. Um dia, os monges perceberam que um exército inimigo iria atacar a cidade e, obviamente, tomar o monastério. Como eles não tinham tempo para levar a grande estátua do Buda de ouro para outro lugar, forraram-na com concreto e pedras e a deixaram ali mesmo. Quando o exército inimigo chegou, olhou para um Buda de concreto, viu que aquilo não tinha valor nenhum e o deixou no monastério. Depois de muito tempo ali, o exército foi embora, mas os monges que estavam lá já não sabiam mais da história do Buda de ouro. A única coisa que eles enxergavam era um Buda de concreto e pedra. Um certo dia, um jovem monge meditava à frente do Buda quando caiu um pedaço do concreto e ele percebeu que embaixo havia um dedo dourado. Ele chamou os outros monges e o Buda de ouro foi desvelado. Então, o que me motiva é saber que dentro de cada um de nós existe um Buda de ouro. É fantástico saber que posso desvelar um Buda de ouro que existe dentro de mim. E mais do que isso: através das minhas competências e talentos, posso também contribuir para que outros Budas de ouro sejam desvelados. É isto que, hoje, me motiva a trabalhar tão intensamente. Fernando Luzio. Antonio, quem são as pessoas que influenciaram ou têm influenciado seu pensamento?. Já mencionei dois deles: Charles Handy, um filósofo Irlandês, autor de livros de negócios que, em 2001, esteve em segundo lugar na lista dos 50 pensadores vivos mais influentes, ficando atrás do Peter Drucker. É um cara fantástico! Especificamente, gosto muito dos livros Beyond Certainty e The Age of Paradox, uma continuação do The Age of Unreason livros bastante 9

10 Buda que disse Sua vida é moldada por seus pensamentos. Você é aquilo que você pensa, o que significa que fazemos nossas escolhas, e é através das nossas escolhas, dos nossos pensamentos, que determinamos nosso destino. Portanto, temos que observar que a responsabilidade sobre a nossa vida não é do outro ou do meio, mas é nossa interessantes. O outro é Joseph Campbell, um professor americano de mitologia que desenvolveu um conceito chamado A Jornada do Herói (The Hero s Journey), que é uma espécie de roteiro de todas as histórias mitológicas das diferentes culturas, no qual você sai de onde está, passa por uma situação de separação e iniciação onde irá participar de uma aventura, e fecha com o retorno, voltando à vida normal. George Lucas, quando escreveu Star Wars, utilizou a ideia da jornada do herói do Joseph Campbell para desenvolver toda a saga. É muito interessante! Albert Einstein, além de cientista e matemático, era um super filósofo que acreditou que todas as religiões, artes e ciências eram direcionadas para enobrecer a vida do homem, levando-o da esfera da mera existência física para a liberdade. Ou seja: tudo nos leva para o mesmo caminho. Deepak Chopra, um médico e escritor indiano que mora no Estados Unidos, escreveu uma obra que é meu livro de cabeceira se eu pudesse levar apenas um livro para uma ilha, seria este: As Sete Leis Espirituais do Sucesso. E por fim, colocaria na minha lista o Steve Jobs. Todo mundo conhece sua genialidade e seu discurso fantástico em Stanford. Ele teve um estilo de liderança que não é exatamente o meu, o que me mostra que, mesmo sendo diferente de mim, ele foi super bem sucedido (obviamente, muito mais bem sucedido do que eu). Ele tinha muita clareza e forte crença sobre o que queria: não abrir mão de excelência, de pureza de design, de simplicidade. Ele sabia o que queria e tinha a competência de liderar os outros àquele objetivo. Independente do relacionamento que ele tinha com seus funcionários, sua clareza é inspiradora. Fernando Luzio. Antonio, para encerrar a nossa conversa, se você pudesse deixar uma carta com uma mensagem final para seus filhos, como um legado da sua experiência, do seu conhecimento acumulado, procurando dizer a eles: Meus filhos, se eu pudesse dizer umas poucas coisas que, na minha opinião, são fundamentais para alguém ser feliz como indivíduo e como profissional..., quais seriam essas mensagens?. Vou aproveitar e utilizar alguns grandes pensadores para responder à tua pergunta. O primeiro é Buda que disse Sua vida é moldada por seus pensamentos. Você é aquilo que você pensa, o que significa que fazemos nossas escolhas, e é através das nossas escolhas, dos nossos pensamentos, que determinamos nosso destino. Portanto, temos que observar que a responsabilidade sobre a nossa vida não é do outro ou do meio, mas é nossa. Então, se meus filhos entenderem isto e assumirem a responsabilidade pela definição do destino deles, acho que já é um primeiro grande passo. O segundo pensador é Gandhi, que eu parafraseio assim: Seja a mudança que você quer ver no mundo, ou seja, se 10

11 você quer mais cooperação, coopere mais. Se você quer menos violência, aja com atos de não violência. Se você quer mais felicidade, dê felicidade ao outro. E, por fim, vou utilizar uma frase do Joseph Campbell: Follow your bliss. Traduzir bliss é um pouco difícil, porque no dicionário esta palavra está relacionada à felicidade ou alegria. Mas, na realidade, eu a traduziria como Siga sua sabedoria interna, não vá atrás dos outros, faça aquilo que você acredita que seja o certo para você. E aí, eu deixaria uma pergunta aos meus filhos: Se vocês tivessem todo o tempo do mundo e todo o dinheiro do mundo, o que vocês fariam? Como vocês se expressariam para o mundo?. Esta é a resposta para Follow your bliss... Fernando Luzio. Antonio, meu parabéns pela entrevista! Desde o dia em que te convidamos, eu sempre soube que seria uma conversa maravilhosa. Aprendi muito e saio daqui enriquecido. É o tipo da entrevista que faz com que a gente sinta aquela agradável sensação de missão cumprida com esse projeto. Tenho certeza de que todos que nos ouvirem terão esta mesma sensação. Te agradeço muito, do fundo do meu coração.. Eu é que agradeço a oportunidade, Fernando. Foi ótimo! PROGRAMA NOVOS INTÉRPRETES Entrevistador: Fernando Luzio Idealização e Direção: Fernando Luzio e Renê Guedes Supervisão Editorial: Patrícia Luzio Edição e Fotografia: Carla Scorzato Apoio: Marcia de Moraes e Robson Crociati Produção: Luzio Strategy Consulting Luzio Strategy Consulting / Rua Afonso Braz, cj. 43 Vila Nova Conceição - São Paulo - SP Brasil À esquerda, Fernando Luzio e, à direita 11

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Cristina Soares Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Quando decidi realizar meu processo de coaching, eu estava passando por um momento de busca na minha vida.

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

Minha lista de sonhos

Minha lista de sonhos Licença No: # 122314/LS Fone: +55-11 5539-4719 E mail: vagner@programavirandoojogo.com.br Web: www.programavirandoojogo.com.br 2015 Minha lista de sonhos Com visão 2025 PREPARADO POR VAGNER MOLINA Rua

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Jairo Martins da Silva. FOTOs: divulgação

Jairo Martins da Silva. FOTOs: divulgação Jairo Martins da Silva FOTOs: divulgação E N T R E V I S T A Disseminando qualidade e cultura Superintendente-geral da Fundação Nacional da Qualidade, Jairo Martins da Silva fala sobre o desafio da qualidade

Leia mais

Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido

Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido Produtividade e qualidade de vida - Cresça 10x mais rápido Você já pensou alguma vez que é possível crescer 10 vezes em várias áreas de sua vida e ainda por cima melhorar consideravelmente sua qualidade

Leia mais

Como fazer contato com pessoas importantes para sua carreira?

Como fazer contato com pessoas importantes para sua carreira? Como fazer contato com pessoas importantes para sua carreira? - Tem alguém com quem você gostaria de fazer contato? - Porque você não o fez até agora? - Por que é importante aprender a fazer esses contatos?

Leia mais

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais!

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Por Rafael Piva Guia 33 Prático Passos para criar Ideias de Negócio Vencedores! Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Que bom que você já deu um dos

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Você, no entanto, pode nos ajudar!

Você, no entanto, pode nos ajudar! Este livro pode ser adquirido por educação, negócios, vendas ou uso promocional. Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, o autor não assume nenhuma responsabilidade por erros

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

Pamela McLean. No 27 - Abril 2013. CEO e Cofundadora do Hudson Institute of Coaching

Pamela McLean. No 27 - Abril 2013. CEO e Cofundadora do Hudson Institute of Coaching No 27 - Abril 2013 Esta não é uma época fácil para ser líder e acho que temos exigido muito de nossos líderes. O trabalho de bons líderes é muito mais complexo do que jamais foi, mais ambíguo, com mudanças

Leia mais

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Guia Fundamental para Gestão de Qualidade em Serviços Objetivo Capacitar os participantes a interpretarem os requisitos da Norma ISO 9001:2008, relacionados aos

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil 10Minutos Futuro do trabalho Pesquisa sobre impactos e desafios das mudanças no mundo do trabalho para as organizações no B O futuro do trabalho Destaques Escassez de profissionais, novos valores e expectativas

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE

METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE 1 Sumário METODOLOGIA A.I.D.A.: SIMPLES E EFICIENTE... 3 Passo Um: OBTER A ATENÇÃO DO COMPRADOR... 4 Passo Dois: MANTER O INTERESSE NA MENSAGEM... 8 Passo Três: DESPERTAR NO CLIENTE O DESEJO DE COMPRAR

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

Erasmo Battistella. Fundador e Presidente da BSBIOS. No 23 - Setembro 2012

Erasmo Battistella. Fundador e Presidente da BSBIOS. No 23 - Setembro 2012 No 23 - Setembro 2012 Um dos meus grandes desafios como empreendedor foi (e é) convencer as pessoas que estão ao nosso lado de que é possível fazer. Em muitos momentos, ficamos numa zona de conforto de

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil!

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Implemente esses 3 passos para obter resultados fantásticos no Inglês! The Meridian, 4 Copthall House, Station Square, Coventry, Este material pode ser redistribuído,

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

CONHECENDO-SE MELHOR DESCOBRINDO-SE QUEM VOCÊ É? 13 PASSOS QUE VÃO AJUDÁ-LO PARA SE CONHECER MELHOR E DESCOBRIR QUE VOCÊ REALMENTE É

CONHECENDO-SE MELHOR DESCOBRINDO-SE QUEM VOCÊ É? 13 PASSOS QUE VÃO AJUDÁ-LO PARA SE CONHECER MELHOR E DESCOBRIR QUE VOCÊ REALMENTE É CONHECENDO-SE MELHOR DESCOBRINDO-SE QUEM VOCÊ É? 13 PASSOS QUE VÃO AJUDÁ-LO PARA SE CONHECER MELHOR E DESCOBRIR QUE VOCÊ REALMENTE É Descobrindo-se... Fácil é olhar à sua volta e descobrir o que há de

Leia mais

Expectativas e desafios do jovem no mercado de trabalho:

Expectativas e desafios do jovem no mercado de trabalho: ASSUNTO em pauta Expectativas e desafios do jovem no mercado de trabalho: comunicação entre jovem e empresa Velychko 30 REVISTA DA ESPM maio/junho de 2011 O jovem quer seu espaço no mercado de trabalho.

Leia mais

Problemas, todos temos. Os chefes PONTO. direto ao

Problemas, todos temos. Os chefes PONTO. direto ao Se você usa alguma delas, entre imediatamente em estado de alerta; você pode não ser um líder tão capaz quanto imagina Problemas, todos temos. Os chefes então, nem se fale. Mas, se aqueles que são terríveis

Leia mais

#38. FeedForward. O e a caminho de Ser. Ser Feliz. Márcia Pinho COACH e Fundadora da believe IN (ICC 10410)

#38. FeedForward. O e a caminho de Ser. Ser Feliz. Márcia Pinho COACH e Fundadora da believe IN (ICC 10410) O e a caminho de Ser. Ser Feliz. Alexandra Lemos International Executive Coach Coach Trainer da ICC para Portugal www.mindcoach.pt O e a caminho de Ser. Ser Feliz. E de repente estava tudo errado. A minha

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Autor: Marcelo Maia http://infoempreendedorismo.com

Autor: Marcelo Maia http://infoempreendedorismo.com Nesse ebook você irá aprender como gerar uma renda mesmo que do zero rapidamente na internet, se você já tem um produto irá aprender como aumentar suas vendas agora mesmo de forma garantida. Crie um sistema

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências boletim Jovem de Futuro ed. 04-13 de dezembro de 2013 Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências O Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013 aconteceu de 26 a 28 de novembro.

Leia mais

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Por Tiago Bastos 1 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar

Leia mais

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado pessoas do grupo. Não basta simplesmente analisar cada interpretação possível, é preciso analisar quais as conseqüências de nossas possíveis respostas, e é isso que proponho que façamos de forma racional.

Leia mais

Simone Costa. Você Produtiva. Livro de exercícios

Simone Costa. Você Produtiva. Livro de exercícios Simone Costa Você Produtiva Índice Exercício 01: Autoconhecimento - Um mergulho em mim Exercício 2: Quem sou eu? Exercício 03: Agarre-se aos seus valores Exercício 04 : Respeitar a si mesma Exercício 05:

Leia mais

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo Empreendedor Empresas Micro e Pequenas Empreender Empreendedorismo Cultural Ação

Leia mais

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br Realização e Organização www.vamaislonge.com.br Quem somos... Leonardo Alvarenga, tenho 23 anos, sou criador do Não Tenho Ideia e do #VáMaisLonge. Sou formado em Educação Física mas larguei tudo logo após

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

"É possível levar energia renovável para todos"

É possível levar energia renovável para todos "É possível levar energia renovável para todos" Por Daniela Chiaretti De Nairóbi, Quênia Connie Hedegaard: "Acho que quando temos uma crise global como a que estamos vivendo, é uma oportunidade excelente

Leia mais

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL WWW.SUPERVISORPATRIMONIAL.COM.BR SUPERVISOR PATRIMONIAL ELITE 1 OS 3 PASSOS PARA O SUCESSO NA CARREIRA DA SEGURANÇA PATRIMONIAL Olá, companheiro(a) QAP TOTAL. Muito prazer, meu nome e Vinicius Balbino,

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Passos para recrutar voluntários

Passos para recrutar voluntários Passos para recrutar voluntários Encontrando o voluntário Faça um - mostrando o que Deus está fazendo no ministério Coloque no boletim um Em todos os eventos do ministério que levantam outras pessoas passe

Leia mais

Liderança Motivação e Criatividade Palestrante Tatiane Franklin Coach, Palestrante e Consultora Organizacional

Liderança Motivação e Criatividade Palestrante Tatiane Franklin Coach, Palestrante e Consultora Organizacional Liderança Motivação e Criatividade Palestrante 80% das pessoas não se sentem motivadas para trabalhar. 92% dos lideres não sabem aplicar feedback. 66% das pessoas se demitem dos lideres. Líder é aquele

Leia mais

Redação do Site Inovação Tecnológica - 28/08/2009. Humanos aprimorados versus humanos comuns

Redação do Site Inovação Tecnológica - 28/08/2009. Humanos aprimorados versus humanos comuns VOCÊ ESTÁ PREPARADO PARA CONVIVER COM OS HUMANOS APRIMORADOS? http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=voce-esta-preparado-conviver-humanosaprimorados&id=010850090828 Redação do

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

Como fazer seu blog se destacar dos outros

Como fazer seu blog se destacar dos outros Como fazer seu blog se destacar dos outros Fama. Tráfego. Reconhecimento. Muito dinheiro no bolso. Esses itens certamente estão presentes na lista de desejos de quase todos os blogueiros. Afinal, ninguém

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

www.poderdocoachingemgrupos.com.br

www.poderdocoachingemgrupos.com.br Pesquisa de Mercado A condução de pesquisas de mercado é uma das atividades mais eficazes e importantes que você pode fazer quando você estiver projetando seu coaching em grupo. Você vai se surpreender

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO

SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO FAÇA ACONTECER AGORA MISSÃO ESPECIAL SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO RENATA WERNER COACHING PARA MULHERES Página 1 Q ue Maravilha Começar algo novo

Leia mais

análise da sequência de

análise da sequência de Laila Vanetti - Setembro de 2014 Laila Vanetti - Setembro de 2014 último encontro análise da sequência de vendas de Conrado adolpho 1º E-mail Conrado adolpho Assunto: O que fizemos aqui na Webliv... Oi,

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

PROGRAMA DIAMANTE 4X4

PROGRAMA DIAMANTE 4X4 PROGRAMA DIAMANTE 4X4 DIAMANTE 4X4 Prezado Consultor, Nós da família Hinode preparamos esse material com muito carinho para você, pois temos um sonho de fazer desse mundo, um mundo melhor. Nosso objetivo

Leia mais

Prefácio. Julio Rezende Pai, empreendedor

Prefácio. Julio Rezende Pai, empreendedor Prefácio Nesse treinamento vou compartilhar o que os empresários do ramo de SEGURANÇA ELETRÔNICA não compartilham com ninguém, aliás, nenhum empresário quer contar o segredo de suas Empresas, Correto?

Leia mais

Teleconferência Novo Diretor-Presidente 15 de Junho de 2015

Teleconferência Novo Diretor-Presidente 15 de Junho de 2015 Operadora: Bom dia. Sejam bem-vindos à teleconferência da TOTVS. Estão presentes os senhores Laércio Cosentino, CEO e Membro do Conselho da Administração, Rodrigo Kede, Diretor-presidente, e Gilsomar Maia,

Leia mais

Grasiela - Bom à gente pode começar a nossa conversa, você contando para a gente como funciona o sistema de saúde na Inglaterra?

Grasiela - Bom à gente pode começar a nossa conversa, você contando para a gente como funciona o sistema de saúde na Inglaterra? Rádio Web Saúde dos estudantes de Saúde Coletiva da UnB em parceria com Rádio Web Saúde da UFRGS em entrevista com: Sarah Donetto pesquisadora Inglesa falando sobre o NHS - National Health Service, Sistema

Leia mais

Liderança e Gestão Pedagógica: foco nos resultados da aprendizagem dos alunos

Liderança e Gestão Pedagógica: foco nos resultados da aprendizagem dos alunos Liderança e Gestão Pedagógica: foco nos resultados da aprendizagem dos alunos Encontro de Lideranças do PIP - Municipal Belo Horizonte, 05 e 06 de setembro de 2013 Implementação dos CBC Secretaria de Estado

Leia mais

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução Esta segunda sequência respeita a estrutura da sequência do Eben que analisamos.o template é adequado aos profissionais que podem (e querem) trabalhar com os três mosqueteiros, ou seja, apresentar uma

Leia mais

Diagnosticando os problemas da sua empresa

Diagnosticando os problemas da sua empresa Diagnosticando os problemas da sua empresa O artigo que você vai começar a ler agora é a continuação da matéria de capa da edição de agosto de 2014 da revista VendaMais. O acesso é restrito a assinantes

Leia mais

A Qualidade Fundamental do Vendedor Altamente Eficaz

A Qualidade Fundamental do Vendedor Altamente Eficaz Em abril de 2.000 Jack Welch - o executivo do século foi entrevistado pela Executive Focus International. Essa entrevista foi coberta com exclusividade pela revista brasileira HSM Management, edição de

Leia mais

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para QUAL NEGÓCIO DEVO COMEÇAR? No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para então definir seus objetivos e sonhos.

Leia mais

, como desenvolver o seu primeiro infoproduto

, como desenvolver o seu primeiro infoproduto Olá! Seja bem-vindo a essa série de três vídeos, onde eu quero mostrar exatamente como criar, como desenvolver e como fazer um marketing do seu próprio produto digital, criando um negócio altamente lucrativo

Leia mais

A alma da liderança Por Paulo Alvarenga

A alma da liderança Por Paulo Alvarenga A alma da liderança Por Paulo Alvarenga A palavra liderança é uma palavra grávida, tem vários significados. Desde os primórdios dos tempos a humanidade vivenciou exemplos de grandes líderes. Verdadeiros

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL Lembro-me que haviam me convocado para uma entrevista de trabalho no NOVOTEL. Lembro-me de estar ansioso e ter passado a noite anterior preparando a minha entrevista. Como iria

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

VENDAS NÃO OCORREM POR ACASO

VENDAS NÃO OCORREM POR ACASO VENDAS NÃO OCORREM POR ACASO THIAGO CONCER VENDAS NÃO OCORREM POR ACASO O GUIA DE VENDAS DA EQUIPE COMERCIAL 2ª EDIÇÃO REVISADA E AMPLIADA 2015 BAURU, SP Rua Machado de Assis, 10-35 Vila América CEP 17014-038

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

Daniel Randon. Presidente da Fras-Le / Grupo Randon. No 3 - Outubro 2011

Daniel Randon. Presidente da Fras-Le / Grupo Randon. No 3 - Outubro 2011 No 3 - Outubro 2011 Liderar é formar pessoas, delegar e principalmente cuidar mais da estratégia da empresa Presidente da Fras-Le / Grupo Randon Entrevistado por Fernando Luzio 1 Conversamos com Daniel

Leia mais

Atividade - Sequência Conrado Adolpho

Atividade - Sequência Conrado Adolpho Atividade - Sequência Conrado Adolpho Agora, eu quero lhe apresentar os 6 e-mails do conrado adolpho para vender o 8ps. Quero que você leia está sequência com muita atenção e, depois, responda às provocações

Leia mais

Ampliando o valor do Coaching

Ampliando o valor do Coaching Ampliando o valor do Coaching Por Marshall Goldsmith 1 Este estudo de um caso real mostra como um executivo pode expandir o alcance de um projeto de coaching simples (pessoal) para beneficiar a sua equipe

Leia mais

Como criar. um artigo. em 1h ou menos. Por Natanael Oliveira

Como criar. um artigo. em 1h ou menos. Por Natanael Oliveira Como criar um artigo em 1h ou menos Por Natanael Oliveira 1 Como escrever um artigo em 1h ou menos Primeira parte do Texto: Gancho Inicie o texto com perguntas ou promessas, algo que prenda atenção do

Leia mais

Como conversar com possíveis iniciadas

Como conversar com possíveis iniciadas Como conversar com possíveis iniciadas Convidar outras mulheres a tornarem-se consultoras é uma atividade chave para quem quer tornar-se diretora. Aprenda como fazer a entrevista de iniciação, ou seja:

Leia mais

Aos 45 anos, Carlos Ferreirinha é fundador e presidente da

Aos 45 anos, Carlos Ferreirinha é fundador e presidente da Business Batemos um papo com o primeiro gestor de luxo do Brasil e ele abriu o jogo sobre o avanço do mercado em solo nacional, seus projetos e se ainda está em forma para exercer tudo isso. texto LUCAS

Leia mais

17/07/2013 ALTA PERFORMANCE ALTA PERFORMANCE ALTA PERFORMANCE. CEOLIN Representante Interior Bahia. SILVA Representante Interior Pernambuco

17/07/2013 ALTA PERFORMANCE ALTA PERFORMANCE ALTA PERFORMANCE. CEOLIN Representante Interior Bahia. SILVA Representante Interior Pernambuco 17/07/2013 Ser Humano para SUPERAÇÃO DE METAS Transformação Pessoal Sonhos A Jornada é mais importante que o Destino Decisão Onde Vamos Viver? 1 Imprevisibilidade Mudanças constantes. Sem estabilidade

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

34º Café da Gestão. Resultados. Ana Paula Alcantara 06/12/2013

34º Café da Gestão. Resultados. Ana Paula Alcantara 06/12/2013 34º Café da Gestão Atitudes para Resultados Ana Paula Alcantara 06/12/2013 Fim de Ano Momento de Reflexão Rever Planos e Atitudes Senado Federal Fazendo Diferença Ficar Imóvel Como Evitar? Criar Alianças

Leia mais

Rafael Siqueira 0 SUCESSO. é apenas seu! 5 passos para conquistar o caminho para o seu Sucesso!

Rafael Siqueira 0 SUCESSO. é apenas seu! 5 passos para conquistar o caminho para o seu Sucesso! 0 SUCESSO é apenas seu! 5 passos para conquistar o caminho para o seu Sucesso! 0 SUCESSO é apenas seu! 5 passos para conquistar o caminho para o seu Sucesso! Versão 1.0 Introdução: Acredito que o processo

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Honrar os valores, uma questão de integridade

Honrar os valores, uma questão de integridade Honrar os valores, uma questão de integridade Por: P.A. (Paulo Alvarenga) Nos últimos congressos de desenvolvimento profissional que participei, o que mais tenho escutado é sobre a importância dos valores.

Leia mais

Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos

Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos Erros e Dicas para Vender seus Serviços MElina Kunifas 2010 WWW. M E L I N A K U N I F A S. C O M Caro leitor, este livreto tem o propósito de educar e

Leia mais

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende Como transformar a sua empresa numa organização que aprende É muito interessante quando se fala hoje com profissionais de Recursos Humanos sobre organizações que aprendem. Todos querem trabalhar em organizações

Leia mais

Situação Financeira Saúde Física

Situação Financeira Saúde Física Um dia um amigo me fez uma séria de perguntas, que me fez refletir muito, e a partir daquele dia minha vida vem melhorando a cada dia, mês e ano. Acreditando que todos temos um poder interno de vitória,

Leia mais

Meus Valores, Minha Vida O que realmente move você?

Meus Valores, Minha Vida O que realmente move você? Meus Valores, Minha Vida O que realmente move você? Talvez você já tenha pensado a esse respeito, ou não. Se souber definir bem quais são os seus valores, terá uma noção clara de quais são suas prioridades.

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

Tomada de Decisão uma arte a ser estudada Por: Arthur Diniz

Tomada de Decisão uma arte a ser estudada Por: Arthur Diniz Tomada de Decisão uma arte a ser estudada Por: Arthur Diniz Tomar decisões é uma atividade que praticamos diariamente, de uma forma ou de outra. Podemos até mesmo tomar a decisão de não tomar nenhuma decisão.

Leia mais

Connections with Leading Thinkers

Connections with Leading Thinkers Instituto de Alta Performance Connections with Leading Thinkers O investidor-anjo e acadêmico Antonio Botelho discute as barreiras ao empreendedorismo e à inovação colaborativa no Brasil, e as formas de

Leia mais

Motivar a sua equipe: O grande desafio da Liderança

Motivar a sua equipe: O grande desafio da Liderança Motivar a sua equipe: O grande desafio da Liderança Existem diversos textos sobre Gestão sendo publicados diariamente, e dentre eles, muitos tratam do tema liderança, que certamente é um dos assuntos mais

Leia mais

CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA

CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA 1 CONFLITO DE SER MÃE EMPREENDEDORA Quando nos tornamos mãe, sem dúvida nenhuma é a melhor coisa desse mundo. Nossos filhos nascem, curtimos muito eles, nos dedicamos exclusivamente e chega uma hora que

Leia mais

4 pilares da liderança. 4 pilares da liderança. Copyright 2014 Portway Ltda. www.portway.com.br

4 pilares da liderança. 4 pilares da liderança. Copyright 2014 Portway Ltda. www.portway.com.br 4 pilares da liderança E m maio de 2014, um executivo de um Cliente me procurou para conversar sobre seu desenvolvimento pessoal. Ele é responsável direto por 800 pessoas, todas com nível superior e em

Leia mais

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Palestra tudo O QUE VOCE sobre precisa entender Abundância & Poder Pessoal EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Como aprendemos hoje na palestra: a Lei da Atração, na verdade é a Lei da Vibracao. A frequência

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING

PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING 11 PORTFÓLIO DE CURSOS E COACHING W W W. C O M U N I C A C A O E M F O C O. C O M. BR SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS... 3 2. CURSOS IN COMPANY 2.1. ORATÓRIA E TÉCNICAS DE APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO...

Leia mais

Mas elas não querem ser felizes nem ter sucesso, mas também nem vão para a atitude de ação.

Mas elas não querem ser felizes nem ter sucesso, mas também nem vão para a atitude de ação. T.B.C. Tirar a BUNDA da Cadeira em 2015 Na verdade fiquei por um tempo pensando qual seria o melhor título para este artigo, pois estava entre: as pessoas/empresas não querem ser felizes nem ter sucesso,

Leia mais