Relatoria. Saúde Mental na Rede de Atenção: Como a RAPS se organiza? Aparecida Moreira Paulossi da Silva Coordenadora Saúde Mental Maringá PR.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatoria. Saúde Mental na Rede de Atenção: Como a RAPS se organiza? Aparecida Moreira Paulossi da Silva Coordenadora Saúde Mental Maringá PR."

Transcrição

1 Relatoria Saúde Mental na Rede de Atenção: Como a RAPS se organiza? Coordenadora da mesa: Aparecida Moreira Paulossi da Silva Coordenadora Saúde Mental Maringá PR. Palestrantes convidados: Stellanaris Pinheiro Coordenação Saúde Mental de São Bernardo do Campo São Paulo. Cibele Neder Área Técnica de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde Mental São Paulo. Rita Acioli Coordenadora Saúde Mental de Caruaru Pernambuco. Armando Raji, secretario de saúde do município de Sorocaba. A coordenadora da mesa Aparecida, inicia a mesa redonda agradecendo a presença de todos e passando a palavra Essa mesa redonda tem por objetivo promover uma reflexão sobre a Saúde Mental na Rede de Atenção à Saúde e discutir a organização da Rede de Atenção Psicossocial e seus componentes no contexto da Região de Saúde. Tem início a mesa redonda com a palestrante Fernanda Nicasso, coordenadora adjunta de Saúde Mental do ministério da Saúde, apresentando a temática Rede de Atenção Psicossocial, apresentando alguns desafios para implantação e desenvolvimento da Rede de Atenção. Os principais desafios presentes são a política nacional de saúde metal, álcool e outras drogas do SUS, orientada pelas diretrizes da reforma psiquiátrica, a Lei 10216/2001 aponta a nova institucionalidade para a política pública. O primeiro desafio é efetivar o direto ao cuidado de base comunitária/territorial, garantindo o acesso ampliando os pontos de atenção, deve ser pensando como garantir o acesso e outras formas de atenção. Alguns dados apontam uma ampliação dos serviços oferecidos, alguns serviços ainda apresentam pontos de insuficiência para a demanda, em particular o CAPS III, CAPS AD, CAPS IJ, Unidades de acolhimento adulto e Infanto-juvenil. Afirmação da lógica de serviços territoriais e de cuidado comunitário a partir das necessidades das pessoas, redução dos parâmetros populacionais para a implantação e desenvolvimento de CAPS.

2 Leitos em Hospitais gerais saúde mental e não mais leitos psiquiátricos, ainda em processo de mudança. A palestrante apresenta um mapa com a distribuição do CAPS no Brasil, apesar das fragilidades dos serviços, podemos perceber um aumento da cobertura. Como garantia de acesso, diz como criar condições para que os serviços sejam eminentemente territórios. Responsabilidade territorial definida. A sustentabilidade da RAPS, financiamento aumento dos custeios de CAPS: 2012 passam a ter um custeio fixo, possibilitando alguns municípios a terem o serviço terapêutico. A questão do financiamento segue sendo uma questão central, o financiamento da RAPS, tem sido um recurso do nível municipal e federal, Uma questão importante é o co-financiamento em nível estadual, como por exemplo, a Rio Grande do Sul. Outra questão importante para a garantia do acesso e do próprio espaço físico para a implantação dos serviços, no ano de 2013 o Ministério da Saúde inicia um financiamento para a construção de CAPS, mesmo ainda sendo insuficiente para a demanda proposta, tendo que ocorrer uma ampliação do financiamento. Em questão a garantia do cuidado alguns pontos chamam atenção no campo de álcool e outras drogas e infância e juventude: a inserção e/ou priorização tardia, que trás uma realidade atual, apesar do crescimento do serviço, ainda temos alguns vazios assistências, existe ainda uma fragilidade nesse campo. A política para saúde mental voltadas para essas pessoas seriam diferentes diretrizes da reforma psiquiátrica. Programa Crack, tendo como eixo o cuidado, promovendo uma ampliação da RAPS e da rede de assistência social em parceria UNODC: prevenção em ambientes escolares. A saúde mental da infância e juventude tem uma inserção tardia na política do SUS. Armando Raji, secretario de saúde do município de Sorocaba, apresentando à temática desistitucionalização. Inicia sua fala dizendo que o município de Sorocaba apresenta a maior concentração de hospitais psiquiátricos, mais de 2000 moradores,cabendo assim ao município administrar e encerrar alguns hospitais. O hospital Vera Cruz, administrado prefeitura do município, por meio de mandado judicial. O hospital Vera Cruz é chamado polo de desinstitucionalização, onde ocorre o encontro de vários setores. Desde o início do ano o Instituto é o responsável

3 pela administração, desde já, houve uma implantação de residências terapêuticas, mobilizando assim a Rede de Saúde Mental. O principio da Territorialização, afirma que a reforma psiquiátrica nunca adentro o município, existem unidades de saúde convencionais que atendem as demandas. Cibele apresentando o Programa de Braços Abertos Rede de Atenção psicossocial, inicia sua fala apresentando o município de São Paulo, informando a distribuição dos serviços de saúde mental, afirmando que existe grandes diferenças de um local para o outro. Acredita que com a consolidação dos preceitos da Reforma Psiquiátrica seja com as construções de novos meios de assistência ao usuário. A palestrante apresenta um vídeo com a temática de Braços Abertos, programa do estado de São Paulo. O programa conta com 186 profissionais da área da saúde, distribuídos em diversas áreas de assistência, além do fornecer fontes de remuneração, alimentação e estudos para a inclusão dessas pessoas.divididos em grupos de três e quatros pessoas, em uma determinada área de trabalho (jardinagem, limpeza pública), caso algum profissional não compareça, a equipe vai atrás para saber os motivos da ausência. A Implementação de um novo equipamento na Rua Helvetia como Ponto de Apoio, estrategicamente onde era localizada a Crakolândia. A adesão do programa foi muito significativa, desde o inicio em Janeiro, mais de 60% já aderiram alguns tratamento em saúde, muitos deles voltaram para suas casas, reforçando o vinculo familiar. O estudo revelou a preocupação com a saúde da mulher, com base nos dados, é preocupante o número de violência contra as mulheres, além do alto índice de DTS, com base nos dados, a equipe do programa fez a inclusão de um médico ginecologista. Dentro da política de enfrentamento das Drogas, o município tem a proposta de fortalecer a rede de assistência. Apresenta como proposta a ampliação do número de CAPS para atender o aumento do número da demanda de usuários.

4 A palestrante Rita Acioli, iniciou sua fala, expondo uma situação vivida por seu município, dizendo que, Caruaru apresenta uma característica diferente dos municípios apresentados, tendo apenas um hospital psiquiátrico, divergindo das características clinicas dos pacientes. Além do processo de aceleração para o fechamento do hospital, menos de 2 meses para o fechamento de 120 leitos, sendo 10% moradores, tendo assim a preocupação com o que fazer com os pacientes, qual a nova formar de prestar assistência a esses pacientes. Caruacu tem aproximadamente 319 mil habitantes, tendo apenas um CAPS II, convertido de acordo com a necessidade para CAPSIII. Para o porte do município a necessidade era de 14 leitos, porém, o hospital não suportava o número da demanda, ocorreu uma sensibilização em diversas áreas, como exemplo o SAMU, para auxiliar em alguns casos. A imprensa foi bastante rigorosa quando as decisões tomadas pela secretaria de saúde da região. A rede de atenção básica, com 44 unidades de saúde, 04 equipes do NASF, consultórios da ria tipo III (pactuado, ainda não implantado), Centro de Convivência (pactuado, ainda não implantado), Centros de saúde, se transformando em ESF. Sobre a atenção Psicossocial especializada, 01 CAPS III, 01 CAPS II, CAPSi ( ainda não tem implantado), Unidades de atenção psicossocial (ambulatório) 06 psicólogos, 10 psiquiatras e 1 assistente social. Rede de Urgência, contando com SAMU e 01 UPA. Atenção residencial de caráter transitório, UAA e UAIJ. Atenção Hospitalar 07 leitos no Hospital Manoel Afonso. Estratégias de Desinstitucionalização. As portas de entrada de acordo o que é comum a todos. Agradeceu a todos os componentes da mesa pela oportunidade, bem como, todos os congressistas presentes no evento. A palestrante Stellanaris Pinheiro Coordenação Saúde Mental de São Bernardo do Campo São Paulo, inicia sua fala, contando dos desafios de Transformar saberes, práticas, relações, cultura: construindo o cuidado no campo da saúde mental. Inicia sua fala falando sobre a reforma psiquiátrica e as políticas de governo e as voltadas para saúde mental, álcool, crack e outras drogas. Desafios apresentados como Cuidado Asilar, agendamento, pontual, ato individual, institucional, procedimentos generalizados, prescritos, abstinência forçada. Cuidados Substitutivos, pautado no acolhimento RT, ato coletivo, territorial, PTS, trabalha com a redução de danos.

5 As instituições estão em constantes transformações, não sendo um espaço de doença, de aspecto territorial. SBC (São Bernardo do Campo): 3 CAPS, 1 CAPSi, 2 CAPS AD, 1 CAPS Adi/ 3 ainda previstos. As residências terapêuticas, garantia do direito à vida em comunidade; além da indenização pelos nãos de reclusão; quanto menos instituições melhor; casa espaço de pertencimento e poder. As unidades de acolhimento, casa provisória; recurso terapêutico do CAPS AD; usuário vulnerável com demanda de moradia; SBC = 2 repúblicas, 3 previstas. Consultório de Rua, direito a viver na rua, estar na rua, sair da rua, não ser arrancado da rua e ser acompanhado na rua. Movimento nacional da população em Situação de rua. Núcleo de Trabalho e Arte, direito de cidadania, valor econômico, valor social, identidade social, produção de subjetividade, exercício de solidariedade, autonomia e transformação social. Projetos: pastelaria e lanchonete Q Sabor, confecção de bolsas e sacolas, customização de camisetas, artesanato, oficina de móveis, difusora de design. Apoio: Horta, revista digital. Cursos: palhaços, culinária, corte e costura, remando para vida. A palestrante apresentou algumas fotos os projetos desenvolvidos, bem como, dos usuários do sistema, informou também, que teve autorização dos usuários para a exibição das fotos apresentadas, com o término de seu tempo, encerrou sua fala agradecendo a atenção de todos os congressistas presentes, e a oportunidade de debater a temática. Perguntas dos Congressistas: Veralise Ministério da Saúde Rio Grande do Sul, pergunta se falando em rede diz que se fala em integral, relata que sentiu falta de vinculo, como é que está funcionando na prática? Amanda Enfermeira Consultório de Rua/ CAPS AD, pergunta qual a experiência em relação ao consultório de rua e sobre o matriciamento? Graziela Psicóloga do Rio Grande do Sul, como se deu a construção do CAPS III, como foi à experiência em São Bernardo?

6 Luzimar Questiona sobre a portaria 94, que garanti a adesão dos pacientes ao Audezir Secretaria de Saúde Bahia, quer saber sobre o financiamento do CAPD AD. Poliana Vila Velha, quer saber sobre a relação dos programas/ comunidades terapêuticas com o judiciário. Congressista CAPS AD/ vitória, questiona como se organiza a RAPS, como está o investimento, como o MS pode ajudar na questão do financiamento, sendo que no estado, vivemos uma situação complicada sobre o financiamento. As questões foram respondidas de acordo com a experiência dos palestrantes, todas as dúvidas foram sanadas. A coordenadora da mesa agradeceu a todos os palestrantes presentes, mostrando a relevância do tema, e da interação em espaços para a discussão de temas voltados para a Saúde Mental. Agradeceu também a presença dos congressistas presentes, sem mais, encerrou-se a roda de conversa.

NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5

NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5 NOTA TÉCNICA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (RAPS) 19/04/2012 Pag. 1 de 5 A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, através do Núcleo de Atenção à Saúde Mental//Coordenadoria de Políticas e Atenção à Saúde

Leia mais

NOTA TÉCNICA 55 2011

NOTA TÉCNICA 55 2011 Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com transtornos mentais e com necessidades decorrentes do uso prejudicial de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do SUS. Minuta de portaria: Institui a Rede

Leia mais

MANUAL DE USO DO SISTEMA SAIPS - SISTEMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE

MANUAL DE USO DO SISTEMA SAIPS - SISTEMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE MANUAL DE USO DO SISTEMA SAIPS - SISTEMA DE APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EM SAÚDE CADASTRAMENTO DE PROPOSTAS INCENTIVO CAPS, UA, SRT, LEITO HABILITAÇÃO CAPS, UA, SRT, LEITO Versão 1 Mar/2013 Informações

Leia mais

DROGAS Estruturação da rede de atenção em saúde mental infanto-juvenil

DROGAS Estruturação da rede de atenção em saúde mental infanto-juvenil DROGAS Estruturação da rede de atenção em saúde mental infanto-juvenil Centro de Apoio Operacional às Promotorias da Infância e Juventude Ministério Público do Estado de Pernambuco Adaptado de: Manual

Leia mais

Cuidado. Prevenção. Autoridade. Crack, é possível vencer 2011-2014. Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários

Cuidado. Prevenção. Autoridade. Crack, é possível vencer 2011-2014. Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Prevenção Educação, Informação e Capacitação Cuidado Aumento da oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários Autoridade Enfrentamento ao tráfico de drogas e às organizações criminosas Crack, é

Leia mais

PORTARIA Nº- 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011

PORTARIA Nº- 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 PORTARIA Nº- 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas,

Leia mais

PREFEITURA DO CABO DE SANTO AGOSTINHO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE SAÚDE MENTAL

PREFEITURA DO CABO DE SANTO AGOSTINHO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE SAÚDE MENTAL PREFEITURA DO CABO DE SANTO AGOSTINHO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE SAÚDE MENTAL OFICINA DE ATUALIZAÇÃO PERCURSOS FORMATIVOS NA RAPS CABO DE SANTO AGOSTINHO PERÍODO:

Leia mais

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014 A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014 Da segregação à conquista da cidadania 1980 mobilização dos usuários, familiares e trabalhadores de saúde visando

Leia mais

O CUIDADO QUE EU PRECISO

O CUIDADO QUE EU PRECISO O CUIDADO QUE EU PRECISO GOVERNO FEDERAL GOVERNO ESTADUAL GOVERNO MUNICIPAL MOVIMENTOS SOCIAIS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O CUIDADO QUE EU PRECISO Serviço Hospitalar de Referência AD CAPS AD III Pronto Atendimento

Leia mais

Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município?

Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município? Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município? 1) Como deve ser a rede de saúde mental no seu município? A rede de saúde mental pode ser constituída por vários dispositivos

Leia mais

QUALIHOSP 2013 Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo

QUALIHOSP 2013 Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo REDES DE ATENÇÃO EM SAÚDE: A EXPERIÊNCIA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO QUALIHOSP 2013 Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo SÃO BERNARDO DO CAMPO É O 5º MUNICÍPIO DO ESTADO DE SP EM POPULAÇÃO E ORÇAMENTO

Leia mais

Reestruturação da Atenção Básica em São Bernardo do Campo Avanços e Desafios

Reestruturação da Atenção Básica em São Bernardo do Campo Avanços e Desafios Reestruturação da Atenção Básica em São Bernardo do Campo Avanços e Desafios Departamento de Atenção Básica e Gestão do Cuidado Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo/SP São Bernardo do Campo/SP

Leia mais

CAPS AD III PORTÃO. Prefeitura Municipal de Curitiba Inauguração em Modalidade III em

CAPS AD III PORTÃO. Prefeitura Municipal de Curitiba Inauguração em Modalidade III em CAPS AD III PORTÃO Prefeitura Municipal de Curitiba Inauguração em Modalidade III em CAPS AD III PORTÃO EQUIPE DE PROFISSIONAIS Coordenadora administrativa 1 Apoio Técnico 1 Coordenadora técnica 1 Médico

Leia mais

SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO DE PACIENTES: FERRAMENTA QUALIFICADORA DO ACESSO, EQUIDADE E INTEGRALIDADE NA ATENÇÃO DOMICILIAR.

SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO DE PACIENTES: FERRAMENTA QUALIFICADORA DO ACESSO, EQUIDADE E INTEGRALIDADE NA ATENÇÃO DOMICILIAR. SECRETARIA DE SAÚDE DE SÃO BERNARDO DO CAMPO COMPLEXO HOSPITALAR MUNICIPAL - CHMSBC OFICINA DE TRABALHO DO LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO EM ATENÇÃO DOMICILIAR. MINISTÉRIO DA SAÚDE. ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DE

Leia mais

III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: TRABALHO, CULTURA E INCLUSÃO SOCIAL NA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL.

III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO PSICOSSOCIAL: TRABALHO, CULTURA E INCLUSÃO SOCIAL NA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Área Técnica de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas III CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DE REABILITAÇÃO

Leia mais

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA,

Carta de Campinas 1) QUANTO AO PROBLEMA DO MANEJO DAS CRISES E REGULAÇÃO DA PORTA DE INTERNAÇÃO E URGÊNCIA E EMERGÊNCIA, Carta de Campinas Nos dias 17 e 18 de junho de 2008, na cidade de Campinas (SP), gestores de saúde mental dos 22 maiores municípios do Brasil, e dos Estados-sede desses municípios, além de profissionais

Leia mais

Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas

Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas Plano Intersetorial de Políticas sobre o Crack, Álcool e Outras Drogas Estruturar e organizar a rede de serviços de prevenção, tratamento e acolhimento do município de São Paulo destinadas aos cuidados

Leia mais

FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES

FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES 13º AUDHOSP Congresso Nacional de Auditoria em Saúde e Qualidade da Gestão e Assistência Hospitalar FINANCIAMENTO DA ASSISTENCIA PARA ALÉM DO PAGAMENTO POR PRODUÇÃO MAC/FAEC/INCENTIVOS/REDES Setembro/2014

Leia mais

O desafio de transformar saberes, práticas, relações, cultura : construindo o cuidado em liberdade em São Bernardo do Campo

O desafio de transformar saberes, práticas, relações, cultura : construindo o cuidado em liberdade em São Bernardo do Campo O desafio de transformar saberes, práticas, relações, cultura : construindo o cuidado em liberdade em São Bernardo do Campo Política Municipal de Saúde Mental * Reforma Psiquiátrica *Política de Governo

Leia mais

Mapeamento da rede de atenção aos usuários de drogas: Um método exp loratór

Mapeamento da rede de atenção aos usuários de drogas: Um método exp loratór Mapeamento da rede de atenção aos Linha usuários de drogas: Um método Políticas Públicas sobre Drogas exploratório Pedro Henrique Antunes da Costa Telmo Mota Ronzani Fernando Basile Colugnati Centro de

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO MEMÓRIA DO VIII ENCONTRO CATARINENSE DE SAÚDE MENTAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO MEMÓRIA DO VIII ENCONTRO CATARINENSE DE SAÚDE MENTAL MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA FEDERAL DOS DIREITOS DO CIDADÃO MEMÓRIA DO VIII ENCONTRO CATARINENSE DE SAÚDE MENTAL PERÍODO: 03 a 05 de novembro de 2009 LOCAL: Centro de Cultura e Eventos-Universidade

Leia mais

Processo de contratualização ao PMAQ 1º Ciclo 2011/2012

Processo de contratualização ao PMAQ 1º Ciclo 2011/2012 Processo de contratualização ao PMAQ 1º Ciclo 2011/2012 Departamento de Atenção Básica e Gestão do Cuidado. Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo/SP São Bernardo do Campo/SP População IBGE (estimativa

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2012 1 ÍNDICE 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família Área Programática 2.1 (Rio de Janeiro) 1.2. Estratégia da Saúde da Família Área Programática 3.1 (Rio de Janeiro) 1.3.

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 1 ÍNDICE 1. Saúde 1.1. Estratégia da Saúde da Família Área Programática 2.1 (Rio de Janeiro) 1.2. Estratégia da Saúde da Família Área Programática 3.1 (Rio de Janeiro) 1.3.

Leia mais

Construindo a Rede de Atenção Psicossocial em São Bernardo do Campo. Reflexões a partir do Municipio

Construindo a Rede de Atenção Psicossocial em São Bernardo do Campo. Reflexões a partir do Municipio Construindo a Rede de Atenção Psicossocial em São Bernardo do Campo Reflexões a partir do Municipio . PENSAR A REFORMA PSIQUIÁTRICA É PENSAR A CIDADE: QUE CIDADE QUEREMOS? OS DIREITOS HUMANOS. A REFORMA

Leia mais

O Planejamento na Administração Municipal. - Plano Plurianual Participativo 2010 2013 -

O Planejamento na Administração Municipal. - Plano Plurianual Participativo 2010 2013 - O Planejamento na Administração Municipal - Plano Plurianual Participativo 2010 2013 - Informação é Cidadania Março - 2013 Orçamento = Planejamento Programa de Governo Planejamento Estratégico Situacional

Leia mais

CONTEXTO: Entendimento de que o crack é um problema grave e complexo, visto que não é só uma questão da saúde pública, mas da assistência social,

CONTEXTO: Entendimento de que o crack é um problema grave e complexo, visto que não é só uma questão da saúde pública, mas da assistência social, Recife, 16 de setembro de 2011 CONTEXTO: Entendimento de que o crack é um problema grave e complexo, visto que não é só uma questão da saúde pública, mas da assistência social, desenvolvimento econômico,

Leia mais

A PROTEÇÃO SOCIOASSISTENCIAL PARA USUÁRIOS DE CRACK E OUTRAS DROGAS E SUAS FAMÍLIAS: OS DESAFIOS DA INTERSETORIALIDADE

A PROTEÇÃO SOCIOASSISTENCIAL PARA USUÁRIOS DE CRACK E OUTRAS DROGAS E SUAS FAMÍLIAS: OS DESAFIOS DA INTERSETORIALIDADE A PROTEÇÃO SOCIOASSISTENCIAL PARA USUÁRIOS DE CRACK E OUTRAS DROGAS E SUAS FAMÍLIAS: OS DESAFIOS DA INTERSETORIALIDADE Título: A Proteção Socioassistencial para Usuários de Crack e Outras Drogas e suas

Leia mais

PROPOSTA PARA SAÚDE MENTAL IV GERES. SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE Gerência de Atenção à Saúde Mental

PROPOSTA PARA SAÚDE MENTAL IV GERES. SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE Gerência de Atenção à Saúde Mental PROPOSTA PARA SAÚDE MENTAL IV GERES SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE Gerência de Atenção à Saúde Mental PRINCÍPIOS DO MODELO Saúde Mental como transversal Desinstitucionalização Clínica ampliada Território

Leia mais

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS Atualização da Minuta de portaria para a Assembleia do CONASS em 21/03/2012 1. Contextualização Pessoas com deficiência são

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária / Saúde da Família Brasília, 05 a 08 de Agosto de 2008 Apoio Matricial em Saúde Mental: a Iniciativa de

Leia mais

Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010

Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010 Saúde da População em Situação de Rua, com foco em Saúde Mental Consultório de Rua Ministério da Saúde Área Técnica de Saúde Mental Álcool e outras Drogas Miriam Di Giovanni Curitiba/PR - 12/11/2010 Saúde

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 121, DE 25 DE JANEIRO DE 2012 Institui a Unidade de Acolhimento para pessoas

Leia mais

COMUNICAÇÃO NA LINHA ASSISTENCIAL

COMUNICAÇÃO NA LINHA ASSISTENCIAL COMUNICAÇÃO NA LINHA ASSISTENCIAL Ministério da Saúde QUALIHOSP 2011 São Paulo, abril de 2011 A Secretaria de Atenção à Saúde/MS e a Construção das Redes de Atenção à Saúde (RAS) As Redes de Atenção à

Leia mais

SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil

SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil ID 1676 SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil Dutra, Laís; Eugênio, Flávia; Camargo, Aline; Ferreira

Leia mais

GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE

GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE Blocos de financiamento: Com a implementação do Pacto pela Saúde, os recursos federais, destinados ao custeio de ações e serviços da saúde, passaram a ser divididos

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DECRETO Nº 7.508/11 Região de Saúde - espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de municípios limítrofes, delimitado a partir de identidades culturais, econômicas

Leia mais

Competências e Processo de Trabalho nos CAPS CAPS I

Competências e Processo de Trabalho nos CAPS CAPS I Competências e Processo de Trabalho nos CAPS CAPS I PRUDENTÓPOLIS - PR PRUDENTÓPOLIS Município com aproximadamente 48 mil habitantes; Faz parte da 5ª Regional de Saúde; 70 % da população vive na zona

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SÃO GONÇALO ARTICULADOR

TERMO DE REFERÊNCIA SÃO GONÇALO ARTICULADOR TERMO DE REFERÊNCIA SÃO GONÇALO ARTICULADOR PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA INDIVIDUAL EM ARTICULAÇÃO DE REDE INTERSETORIAL ALCOOL E DROGAS DESCENTRALIZADO I. CONTEXTO O decreto 7.179 de 2010 da Presidência

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial

Rede de Atenção Psicossocial NOTA TÉCNICA 62 2011 Rede de Atenção Psicossocial Altera a portaria GM nº 1.169 de 07 de julho de 2005 que destina incentivo financeiro para municípios que desenvolvem Projetos de Inclusão Social pelo

Leia mais

APOIO MATRICIAL EM SAÚDE MENTAL PARA REDE BÁSICA EM BELO HORIZONTE

APOIO MATRICIAL EM SAÚDE MENTAL PARA REDE BÁSICA EM BELO HORIZONTE APOIO MATRICIAL EM SAÚDE MENTAL PARA REDE BÁSICA EM BELO HORIZONTE ALEXANDRE DE ARAÚJO PEREIRA Na última década, a Estratégia de Saúde da Família (ESF) - e a Reforma Psiquiátrica Brasileira (RPB) têm trazido

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 233/14 - CIB / RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 233/14 - CIB / RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 233/14 - CIB / RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS no uso de suas atribuições legais, e considerando: a Lei Federal nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, que regulamenta o Sistema Único

Leia mais

PLANO DE AÇÃO INTERSETORIAL DE COMBATE AO USO DO CRACK E OUTRAS DROGAS

PLANO DE AÇÃO INTERSETORIAL DE COMBATE AO USO DO CRACK E OUTRAS DROGAS PROPOSTA PLANO DE AÇÃO INTERSETORIAL DE COMBATE AO USO DO CRACK E OUTRAS DROGAS Crack é possível vencer 1 P á g i n a Secretaria de Educação Secretaria de Assistência Social Secretaria de Segurança Pública

Leia mais

AMBIENTES DE TRATAMENTO. Hospitalização

AMBIENTES DE TRATAMENTO. Hospitalização FONTE: Ferigolo, Maristela et al. Centros de Atendimento da Dependência Química - 2007- Maristela Ferigolo, Simone Fernandes, Denise C.M. Dantas, Helena M.T. Barros. Porto Alegre: Editora AAPEFATO. 2007,

Leia mais

DIALOGANDO COM O PLANO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS. Departamento de Proteção Social Especial Juliana M.

DIALOGANDO COM O PLANO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS. Departamento de Proteção Social Especial Juliana M. DIALOGANDO COM O PLANO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS Departamento de Proteção Social Especial Juliana M. Fernandes Pereira Marcos importantes para o trabalho social com a questão das drogas

Leia mais

Política Nacional de Humanização da Atenção e da Gestão do SUS

Política Nacional de Humanização da Atenção e da Gestão do SUS Política Nacional de Humanização da Atenção e da Gestão do SUS Por que precisamos de uma PNH? Para enfrentar as graves lacunas quanto ao acesso aos serviços e e à atenção integral à saúde. Para modificar

Leia mais

Como estão divididos os recursos da Saúde Mental no Fundo Nacional de Saúde?

Como estão divididos os recursos da Saúde Mental no Fundo Nacional de Saúde? Como estão divididos os recursos da Saúde Mental no Fundo Nacional de Saúde? Primeiramente, destacamos que os recursos repassados pelo Fundo Nacional de Saúde para os Fundos Estaduais ou Municipais de

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA Romaldo Bomfim Medina Jr 1 Luciane Silva Ramos 2 Fernanda Franceschi de Freitas 3 Carmem Lúcia Colomé Beck 4 O movimento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ARTICULADOR BOA VISTA

TERMO DE REFERÊNCIA ARTICULADOR BOA VISTA TERMO DE REFERÊNCIA ARTICULADOR BOA VISTA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA INDIVIDUAL EM ARTICULAÇÃO DE REDE INTERSETORIAL ÁLCOOL E DROGAS DESCENTRALIZADO I. CONTEXTO O decreto 7.179 de 2010 da Presidência

Leia mais

Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas

Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas Plano Municipal de Enfrentamento ao uso prejudicial de Crack, Álcool e Outras Drogas 1. APRESENTAÇÃO e JUSTIFICATIVA: O consumo de crack vem aumentando nas grandes metrópoles, constituindo hoje um problema

Leia mais

PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012

PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 130, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 Redefine o Centro de Atenção Psicossocial

Leia mais

Identificação de recursos comunitários existentes e a sua articulação

Identificação de recursos comunitários existentes e a sua articulação Módulo 4 Atenção em rede como condição para o tratamento integral Unidade 2 Identificação de recursos comunitários existentes e a sua articulação 109 Identificação de recursos comunitários existentes e

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS. Projetos e Políticas Públicas de competência do SISNAD

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS. Projetos e Políticas Públicas de competência do SISNAD MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA NACIONAL DE POLÍTICAS SOBRE DROGAS Projetos e Políticas Públicas de competência do SISNAD Brasília, junho de 2012 Prevenção Educação, Informação e Capacitação Cuidado Aumento

Leia mais

Minha Casa Minha Vida PROJETO DE TRABALHO SOCIAL-PTS RELATÓRIO DAS AÇÕES DO PTS NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA AGOSTO-2015

Minha Casa Minha Vida PROJETO DE TRABALHO SOCIAL-PTS RELATÓRIO DAS AÇÕES DO PTS NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA AGOSTO-2015 Minha Casa Minha Vida PROJETO DE TRABALHO SOCIAL-PTS RELATÓRIO DAS AÇÕES DO PTS NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA AGOSTO-2015 SENHOR DO BONFIM - BAHIA 2015 1 ATIVIDADES: DESCRIÇÃO A correta utilização

Leia mais

PORTARIA No- 2.681, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2013

PORTARIA No- 2.681, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2013 PORTARIA No- 2.681, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2013 Redefine o Programa Academia da Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos

Leia mais

PSICÓLOGO - 40H. A. Paranoide. B. Esquizoide. C. Dependente. D. De esquiva. E. Histriônica.

PSICÓLOGO - 40H. A. Paranoide. B. Esquizoide. C. Dependente. D. De esquiva. E. Histriônica. QUESTÃO 01 O suicídio representa hoje um importante problema de saúde pública no Brasil e seus índices vêm crescendo a cada ano. A respeito do suicídio pode-se afirmar que: A. Programas dirigidos para

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL. Patricia Maia von Flach

REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL. Patricia Maia von Flach REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL Patricia Maia von Flach Rede de Atenção Psicossocial PORTARIA 3088 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 OBJETIVOS: I - Ampliar o acesso à atenção psicossocial da população em geral; II

Leia mais

Transtornos do Espectro do Autismo

Transtornos do Espectro do Autismo Transtornos do Espectro do Autismo O Município adotou o documento Ministerial, LINHA DE CUIDADO PARA A ATENÇÃO ÀS PESSOAS COM TRANSTORNOS DO ESPECTRO DO AUTISMO E SUAS FAMILIAS NA REDE DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL,

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Grupo Atitude Vila Macedo

Mostra de Projetos 2011. Grupo Atitude Vila Macedo Mostra de Projetos 2011 Grupo Atitude Vila Macedo Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Centro de Referência

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ARTICULADOR

TERMO DE REFERÊNCIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ARTICULADOR TERMO DE REFERÊNCIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ARTICULADOR PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL PARA ARTICULAÇÃO DE REDES INTERSETORIAIS DE ATENÇÃO AO USUÁRIO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS I CONTEXTO

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE (PAS) 2016

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE (PAS) 2016 PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE (PAS) 2016 PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE 2014-2017 INSTRUMENTOS DE GESTÃO - 2013 2014 2015-2016 PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE PAS 2014 E 2015 PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE DE 2014-2017 PAS

Leia mais

ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1

ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1 ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1 Kenia S. Freire 2, Sabrina Corrêa Da Silva 3, Jaqueline Oliveira 4, Carolina B. Gross

Leia mais

SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO BÁSICA O VÍNCULO E O DIÁLOGO NECESSÁRIOS ÍNDICE

SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO BÁSICA O VÍNCULO E O DIÁLOGO NECESSÁRIOS ÍNDICE MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS / DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DE SAÚDE MENTAL COORDENAÇÃO DE GESTÃO DA ATENÇÃO BÁSICA

Leia mais

ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL)

ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL) ROBERTO REQUIÃO 15 GOVERNADOR COLIGAÇÃO PARANÁ COM GOVERNO (PMDB/PV/PPL) PROPOSTAS PARA SAÚDE Temos plena convicção de que uma ambulância com destino à capital não pode ser considerada como um tratamento

Leia mais

A Educação Permanente na articulação de uma rede de cuidado integral à saúde: A experiência da Estratégia Saúde da Família na AP 3.

A Educação Permanente na articulação de uma rede de cuidado integral à saúde: A experiência da Estratégia Saúde da Família na AP 3. Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Subsecretaria de Atenção Primária, Coordenação de Área Programática 3.2 Estratégia Saúde da Família na AP 3.2 Coordenadoria de Educação Permanente SPDM A Educação

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA MUNICIPAL

AUDIÊNCIA PÚBLICA MUNICIPAL PREFEITURA MUNICIPAL DE OCARA CE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE AUDIÊNCIA PÚBLICA MUNICIPAL RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DA SAÚDE JAN ABR DE 2015 RUA JOSÉ CORREIA SN CEP 62 755-000 CENTRO OCARA - CEARÁ. FONE

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE 2013 PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA PSE RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELO PSE NO ANO DE 2013. Janeiro/2014 PREFEITURA MUNICIPAL DO SURUBIM SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

Leia mais

A atuação do Assistente Social na Atenção Básica Inês Pellizzaro I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas

Leia mais

PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00

PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00 PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Legislações - GM Seg, 26 de Dezembro de 2011 00:00 PORTARIA Nº 3.088, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2011 Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento

Leia mais

Organização da Atenção Básica nas ações de prevenção e cuidado compartilhado do HIV

Organização da Atenção Básica nas ações de prevenção e cuidado compartilhado do HIV Organização da Atenção Básica nas ações de prevenção e cuidado compartilhado do HIV A experiência de São Bernardo do Campo / SP Wilson Cesar Ribeiro Campos campos.wcr@gmail.com Psicólogo no PM DST/Aids/HV

Leia mais

PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE

PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE 2015 2 PREFEITURA MUNICIPAL DE VALENÇA-RJ Endereço: Rua Dr. Figueiredo nº 320 Centro Valença-RJ - CEP: 27.600-000

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE SÁUDE DEPARTAMENTO DE APOIO À GESTÃO

PREFEITURA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE SÁUDE DEPARTAMENTO DE APOIO À GESTÃO PREFEITURA DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE SÁUDE DEPARTAMENTO DE APOIO À GESTÃO O MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO Área total: 407,1 Km 2 52% área de Proteção aos Mananciais População: 765.203

Leia mais

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Dra. Patrícia

Leia mais

5 - Curso de Aperfeiçoamento em Crack e outras Drogas para Agentes dos Sistemas Judiciário, Policial e Ministério Público;

5 - Curso de Aperfeiçoamento em Crack e outras Drogas para Agentes dos Sistemas Judiciário, Policial e Ministério Público; EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA 1/ PARA ALUNOS DOS CURSOS DO CENTRO REGIONAL DE REFERÊNCIA EM CRACK E OUTRAS DROGAS DA ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE SANTA CATARINA A (SES), por meio DO Centro de Referência

Leia mais

Ata da Reunião do Fórum Social de Ribeirão Preto realizado em 11 de Agosto de 2012

Ata da Reunião do Fórum Social de Ribeirão Preto realizado em 11 de Agosto de 2012 Acesse o Site do Fórum Social de Ribeirão Preto e conheça as propostas aprovadas. Ata da Reunião do Fórum Social de Ribeirão Preto realizado em 11 de Agosto de 2012 Pauta: Mobilização para as Eleições

Leia mais

Introdução. (ASM/SES-RJ) em parceria com o Núcleo de Pesquisas em Políticas Públicas de Saúde Mental do IPUB/UFRJ (NUPPSAM).

Introdução. (ASM/SES-RJ) em parceria com o Núcleo de Pesquisas em Políticas Públicas de Saúde Mental do IPUB/UFRJ (NUPPSAM). TÍTULO: PERFIL PRELIMINAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PARA O ATENDIMENTO EM SAÚDE MENTAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES AUTORES: Maria Cristina Ventura Couto 1 ; Maria Paula Cerqueira Gomes 2 ; Daniely Silva

Leia mais

A IMPORTANCIA DO CENTRO DE CONVIVÊNCIA E CULTURA NA INSERÇÃO SOCIAL DOS PACIENTES COM TRANSTORNO MENTAL

A IMPORTANCIA DO CENTRO DE CONVIVÊNCIA E CULTURA NA INSERÇÃO SOCIAL DOS PACIENTES COM TRANSTORNO MENTAL A IMPORTANCIA DO CENTRO DE CONVIVÊNCIA E CULTURA NA INSERÇÃO SOCIAL DOS PACIENTES COM TRANSTORNO MENTAL 1 SANTOS, Kassila Conceição Ferreira; SOUZA, Ana Lúcia Rezende; NOGUEIRA, Douglas José. Palavras-chave:

Leia mais

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012

Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer. SALVADOR/BA ABRIL de 2012 Política Nacional sobre Drogas e o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas Crack, é possível vencer SALVADOR/BA ABRIL de 2012 MARCOS HISTÓRICOS 1998: Adesão do Brasil aos princípios diretivos

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA LEI 10.216/2001 Modelo de Estrutura

IMPLEMENTAÇÃO DA LEI 10.216/2001 Modelo de Estrutura IMPLEMENTAÇÃO DA LEI 10.216/2001 Modelo de Estrutura Helvécio Miranda Magalhães Júnior Secretário Municipal de Saúde - Belo Horizonte Presidente do CONASEMS Lei 10.216/2001: um pouco da história Apresentada

Leia mais

Agosto, 2012 VI Seminário Internacional de Atenção Básica Universalização com Qualidade

Agosto, 2012 VI Seminário Internacional de Atenção Básica Universalização com Qualidade PREFEITURA DO RECIFE SECRETARIA DE SAÚDE DIRETORIA GERAL DE REGULAÇÃO DO SISTEMA GERÊNCIA DE ATENÇÃO BÁSICA Recife em Defesa da Vida Agosto, 2012 VI Seminário Internacional de Atenção Básica Universalização

Leia mais

CRACK, É POSSÍVEL VENCER

CRACK, É POSSÍVEL VENCER 19 CRACK, É POSSÍVEL VENCER Estudos Técnicos/CNM Dezembro de 2014 SUMÁRIO Objetivo e justificativa do estudo...131 Introdução...132 Eixo Cuidado...133 Eixo Autoridade...135 Eixo Prevenção...136 O problema

Leia mais

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 122, DE 25 DE JANEIRO DE 2011

Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 122, DE 25 DE JANEIRO DE 2011 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 122, DE 25 DE JANEIRO DE 2011 Define as diretrizes de organização e funcionamento

Leia mais

REDEFINIÇÃO DO CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS 24H Diário Oficial da União Nº 20, Seção 1, sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

REDEFINIÇÃO DO CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS 24H Diário Oficial da União Nº 20, Seção 1, sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 Circular 051/2012 São Paulo, 27 de Janeiro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) REDEFINIÇÃO DO CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS 24H Diário Oficial da União Nº 20, Seção 1, sexta-feira,

Leia mais

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014 A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014 Política Estadual de Saúde Mental 1995 - Lei Estadual nº 11.189 Segue os princípios e diretrizes do SUS e da

Leia mais

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Objetivos da 15ª. Reafirmar, impulsionar e efetivar os princípios e diretrizes do SUS- saúde como DH Mobilizar e estabelecer

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE SAÚDE - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE SAÚDE - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS 1 - Apoiar a construção coletiva e implementação do Plano Realizar a Conferência com uma ampla participação da comunidade Conferência Municipal de Saúde Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES

Leia mais

PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE

PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE PREFEITURA MUNICPAL DE VALENÇA Secretaria Municipal de Saúde PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE 2014 2 PREFEITURA MUNICIPAL DE VALENÇA-RJ Endereço: Rua Dr. Figueiredo nº 320 Centro Valença-RJ - CEP: 27.600-000

Leia mais

PORTARIA Nº 122, DE 25 DE JANEIRO DE 2011

PORTARIA Nº 122, DE 25 DE JANEIRO DE 2011 PORTARIA Nº 122, DE 25 DE JANEIRO DE 2011 Define as diretrizes de organização e funcionamento das Equipes de Consultório na Rua. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os

Leia mais

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal

Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack, Álcool e outras drogas. Governo Federal O QUE É? Conjunto de medidas, que pretende reorganizar o atendimento aos dependentes químicos na Rede do Sistema Único

Leia mais

Plano Municipal de Enfrentamento à Situação de Rua Desenho de Processos da FASC SMS

Plano Municipal de Enfrentamento à Situação de Rua Desenho de Processos da FASC SMS Plano Municipal de Enfrentamento à Situação de Rua Desenho de Processos da Porto Alegre, 25/07/202 Plano Municipal de Enfrentamento à Situação de Rua Devido à relevância dos projetos da dentro do programa

Leia mais

Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas

Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas Construção de Redes Intersetoriais para a atenção dos usuários em saúde mental, álcool, crack e outras drogas EDUCAÇÃO PERMANENTE SAÚDE MENTAL - CGR CAMPINAS MÓDULO GESTÃO E PLANEJAMENTO 2012 Nelson Figueira

Leia mais

Políticas Pública de Saúde METAS VIVER SEM LIMITE

Políticas Pública de Saúde METAS VIVER SEM LIMITE Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Políticas Pública de Saúde METAS VIVER SEM LIMITE Organização

Leia mais

O Ministério da Saúde e os. Crônicas

O Ministério da Saúde e os. Crônicas O Ministério da Saúde e os Cuidados às Condições Crônicas Contexto atual Mudanças sociais dos últimos 30 anos -características da vida contemporânea Transição demográfica, alimentar e epidemiológica Avanços

Leia mais

Mais informações: www.saude.gov.br/academiadasaude http://www.atencaobasica.org.br/comunidades/academia-da-saude

Mais informações: www.saude.gov.br/academiadasaude http://www.atencaobasica.org.br/comunidades/academia-da-saude Ministério da Saúde Brasília - DF 2014 Ministério da Saúde Brasília - DF 2014 CARTILHA INFORMATIVA Quais são as políticas que subsidiam o Programa Academia da Saúde? Política Nacional de Atenção Básica

Leia mais

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político Jairnilson Paim - define o SUS como um sistema que tem como característica básica o fato de ter sido criado a partir de um movimento

Leia mais

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade Introdução Há cerca de 20 anos, a Secretaria de Saúde de um grande município começou a desenvolver e implantar iniciativas relacionadas à Alimentação

Leia mais

Planejamento Estratégico Municipal. Tibagi -PR. A Cidade Que Nós Queremos

Planejamento Estratégico Municipal. Tibagi -PR. A Cidade Que Nós Queremos Municipal Tibagi -PR A Cidade Que Nós Queremos Bem Vindos a Tibagi A Cidade Que Nós Queremos Planejamento Estratégico Municipal Tibagi -PR Municipal Cidades e Cidadãos As cidades são as pessoas A vida

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Conhecendo e compartilhando com Rosário e a rede de saúde

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Conhecendo e compartilhando com Rosário e a rede de saúde UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Faculdade de Ciências Médicas Departamento de Saúde Coletiva Residência Multiprofissional em Saúde Mental e Coletiva Relatório Referente à experiência de Estágio Eletivo

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Assessoria de Comunicação TERRITÓRIO DE PAZ CIDADE DE DEUS - RIO

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Assessoria de Comunicação TERRITÓRIO DE PAZ CIDADE DE DEUS - RIO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Assessoria de Comunicação TERRITÓRIO DE PAZ CIDADE DE DEUS - RIO Agenda do evento: Rio de Janeiro (RJ) Dia: 14.12.2009 Local: Rua Zózimo do Amaral, 346,. Próximo a Escola Municipal

Leia mais