Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei /08 a. Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei 11.738/08 a. Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM"

Transcrição

1 Aspectos Gerais sobre a Aplicação da Lei /08 a partir da ADI 4167 Ericksen Prätzel Ellwanger Assessor jurídico da FECAM

2 A Lei /2008 A Lei nº , de 17/7/2008, instituiu o piso salarial nacional do magistério público da educação básica. Os prefeitos sempre reconheceram a necessidade de melhorar a remuneração dos professores, no entanto os impactos da lei tem causado muitas preocupações, pois não é estabelecida a fonte de recursos que Municípios utilizarão para pagar o piso. Os recursos vinculados a MDE não podem ser destinados somente para pagamento de pessoal. É preciso assegurar investimentos em outras ações que assegurem a qualidade do ensino, a preservação do equilíbrio das contas públicas e o respeito às exigências da LRF.

3 ADIN 4167 Em 29/12/2008 cinco governadores (RS, SC, PR, MS, CE) ajuizaram a ADI 4167, questionando alguns dispositivos da Lei do Piso: - o conceito de piso salarial como vencimento básico - a diminuição da jornada de trabalho dos professores dentro das salas de aula. Em 17/12/2008, o STF decidiu, por meio de liminar em medida cautelar que o piso equivaleria à remuneração e o limite de 2/3 da carga horária do professor para efetivo trabalho com os alunos estava suspenso. - Com essa decisão, Estados e Municípios não estavam obrigados a considerar o piso como vencimento inicial da carreira e poderiam continuar cumprindo o percentual de horas atividades conforme suas leis específicas.

4 O julgamento do STF O julgamento final da ADI 4167 ocorreu em abril/2011, e o STF julgou a Lei do Piso constitucional. Com isso, ficam valendo as definições da Lei, que são as seguintes: Piso salarial é aplicável para professores com jornada de 40h semanais e formação em nível médio; Os valores do piso são proporcionais às demais jornadas, observando se os percentuais definidos em leis municipais para diferenciação salarial de titularidade. O valor inicial do piso, estabelecido pela Lei, era de R$ 950,00. Porém, a Lei prevê a atualização anual desse valor, e os aumentos foram os seguintes: 2010 R$ 1.124, R$ 1.187,02

5 Valor do piso em 2011 Valores do piso proporcionalmente à carga horária:

6 O pagamento em 2009 e 2010 Em 2009, deveriam ser pagos dois terços (2/3) da diferença entre o valor do piso e o vencimento inicial de carreira praticado. Admitia se considerar no cálculo do piso as vantagens pecuniárias, pagas a qualquer título, até 31 de dezembro de Em 2010, o piso foi integralizado, a partir de 1º de janeiro. Na integralização do piso deveria ter sido pago o vencimento básico, acrescido das gratificações e adicionais (situação suspensa pelo STF, no período de dez/2008 a abril/2011)

7 Atualização do valor do piso O art. 4º estabelece que o valor do piso deve ser atualizado anualmente, no mês de janeiro, com base no porcentual de crescimento do valor mínimo nacional por aluno/ano dos anos iniciais do ensino fundamental definido no Fundeb. Esses percentuais cresceram 7,78% em 2010, 15,84% em 2011 e estima se um crescimento de 22% em 2012, o que elevará o valor do piso para R$ 1.448,00. De 2009 a 2012 o piso terá crescido mais de 40%, com a tendência de crescimento constante a cada ano. Essa situação se explica na medida em que as matrículas no ensino fundamental estão decrescendo e a receita aumentando ano a ano. Isso implica no aumento do valor mínimo nacional.

8 Profissionais abrangidos Referência exclusiva a carreiras profissionais efetivos do magistério Não se aplica aos temporários Categorias abrangidas: profissionais que desempenham as atividades de docência ou as de suporte pedagógico à docência, isto é, direção ou administração, planejamento, inspeção, supervisão, orientação e coordenação educacionais, exercidas no âmbito das unidades escolares de educação básica, em suas diversas etapas e modalidades, com a formação mínima determinada pela legislação federal de diretrizes e bases da educação nacional.

9 Horas-atividade A Lei do Piso estabelece o limite máximo de 2/3 da carga horária do professor para trabalho efetivo com os alunos, o que significa que o mínimo de 1/3 (33,33%) da jornada de trabalho será destinado às atividades de planejamento, coordenação e avaliação do trabalho didático. Estados e Municípios teriam prazo até 31 de dezembro de 2009 para elaboração ou adequação dos Planos de Carreira e Remuneração do Magistério. O tempo destinado às horas atividade já havia sido definido no Plano Nacional de Educação (Lei nº /01) e proposta nas Diretrizes para elaboração da carreira do magistério do CNE. O percentual girava em torno de 20% a 25% do total da jornada.

10 Horas-atividade Tabela exemplificativa proporcionalidade entre carga horária e hora atividade: Carga horária hora classe hora atividade 40 26,4 13, ,8 10, ,5 8, ,2 6,8 10 6,6 3,4

11 Decisão do STF sobre as horas-atividade De acordo com a decisão final do STF em relação às horasatividades, o dispositivo legal foi considerado constitucional. Porém como houve empate no julgamento, deliberou se que não há efeito vinculante à decisão da Corte, exclusivamente em relação ao 4º do art. 2º, por não ter tido a maioria absoluta. Surgiram discussões acerca da possibilidade de rediscussão no Judiciário.

12 O piso e os aposentados ALeidoPiso(art.2º, 5º)asseguraaextensãodopisoa todas as aposentadorias e pensões dos profissionais do magistério que sejam reajustadas pela paridade (são aumentadas sempre que a remuneração dos servidores em atividade for modificada). O reajuste de benefícios pela paridade somente está contemplado em regras específicas de transição e pela norma que garante o direito adquirido àqueles que implementaram os requisitos para obtenção da aposentadoria pelas regras anteriores que previam esse reajustamento pela paridade (Emendas Constitucionais nº 41/2003 e nº 47/2005). A paridade não alcança aqueles que se aposentarem pelas novasregrastrazidaspelaúltimareformadaprevidência, cuja forma de reajuste é diversa.

13 Aplicação da Lei Caso seja necessário conceder aumentos nos vencimentos iniciais da carreira, a alteração no valor dos salários tem de ser aprovada por lei municipal. O projeto de lei deve ser encaminhado ao Poder Legislativo, buscando a autorização para conceder as alterações nos vencimentos iniciais. O projeto de lei em questão deve estabelecer retroatividade a 1º de janeiro do corrente ano. É preciso prever que haja previsão na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e destinação de recursos na Lei Orçamentária Anual (LOA) para fazer frente ao aumento salarial da categoria.

14 Aplicação da Lei Os Municípios no limite prudencial devem observar as exigências constitucionais e da LRF, antes de conceder aumentos decorrentes do pagamentodopiso: Ultrapassando os limites, os Municípios têm prazo de dois quadrimestres para diminuir o porcentual de recursos destinados ao pagamento de pessoal: redução das despesas com cargos em comissão e funções de confiança, exoneração de servidores não estáveis, e, se necessário, exoneração de servidores estáveis. proibições da LRF concessão de vantagens, aumento, reajuste ou adequação de remuneração (salvo os derivados de sentença judicial, determinação legal e a revisão geral anual prevista pela Constituição); criação de novos cargos, empregos ou funções; alterações na estrutura de carreira que impliquem em aumento de despesa; realização de novas contratações e; contratação de horas extras.

15 Aplicação da Lei AdequarosPlanosdeCarreiraeRemuneraçãodoMagistério em relação à carga horária do professor com o limite de 2/3 da jornada em atividades com os alunos, prevendo, portanto o percentual da jornada destinada às horas atividades. Realizar levantamento cadastral dos profissionais do magistério para análise dos indicadores físico financeiros, pois, com a diminuição do tempo do professor em sala, possivelmente será necessário contratar mais professores para garantir ao aluno o direito de 4 horas diárias de efetivo trabalho de integração em sala de aula.

16 Aplicação da Lei Proceder à análise do impacto do crescimento vegetativo das folhas de pagamento do magistério e observar os limites de gastos com pessoal estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Tendo em vista as alterações nos salários-base dos professores e o efeito cascata dos planos de carreira, decorrente das vantagens pecuniárias e dos percentuais de diferenciação por titularidade, é precisar analisar se a previsão de receitas do Município suporta os gastos previstos, de forma a manter o equilíbrio das finanças públicas.

17 Aplicação da Lei Realizar levantamento dos professores inativos para conhecimento do impacto nos institutos de previdência próprio, pois a Lei garante que o valor do piso também é estendido a todas as aposentadorias e pensões dos profissionais do magistério público que sejam reajustadas pela paridade, ou seja, sempre que a remuneração dos servidores em atividade for modificada.

HISTÓRICO DA LEI DO PISO E PROPOSTA DE ENCAMINHAMENTO Mariza Abreu Consultora em Educação 26.outubro.2015 Histórico da Lei do Piso Nacional do Magistério (I) Constituição Federal de 1988: Art. 206. O ensino

Leia mais

Art. 1º. O presente piso salarial nacional destina-se aos profissionais do magistério público da educação básica e possui vigência simultânea ao Fundeb, uma vez que se constituiu em âmbito da Lei 11.494/07

Leia mais

O valor do Piso Nacional do Magistério divulgado pelo MEC teve 27% de ganho real entre 2008 e 2014, média de 4,5% ao ano.

O valor do Piso Nacional do Magistério divulgado pelo MEC teve 27% de ganho real entre 2008 e 2014, média de 4,5% ao ano. QUAL SERÁ O VALOR DO PISO DO MAGISTÉRIO PARA 2014? * Lizeu Mazzioni 1. MEC: R$ 1.697,00: o ano começou novamente com a polêmica do novo valor do Piso Nacional do Magistério, que segundo interpretações

Leia mais

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em

1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em 1. O Novo Plano Nacional de Educação (2011 2020) O antigo Plano Nacional de Educação terminou sua vigência em 2010 e o Novo Plano encontra-se em discussão na Câmara dos Deputados (PL 8.035/2010). Até o

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DA PMPA

PLANO DE CARREIRA DA PMPA PLANO DE CARREIRA DA PMPA A realização do Pregão referente o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos servidores municipais de Porto Alegre, segundo divulgado pela PMPA e compatível com o Programa Estratégico

Leia mais

ORIENTAÇÕES ACERCA DA APLICAÇÃO DA LEI 12.994 DE 2014

ORIENTAÇÕES ACERCA DA APLICAÇÃO DA LEI 12.994 DE 2014 ORIENTAÇÕES ACERCA DA APLICAÇÃO DA LEI 12.994 DE 2014 Consultam-nos as secretarias municipais de saúde acerca da aplicabilidade imediata da Lei 12.994/14 que altera a Lei 11.350/06 para instituir o piso

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 114, DE 2015 Altera a Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008, para instituir novo piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI N o 5.446, DE 2009 Dispõe sobre a contagem do tempo de exercício dos profissionais que exercem atividades em unidades de educação infantil como de efetivo exercício

Leia mais

LIMITES DE GASTOS COM PESSOAL. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

LIMITES DE GASTOS COM PESSOAL. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado LIMITES DE GASTOS COM PESSOAL Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado LEGISLAÇÃO BÁSICA Constituição Federal: art. 169 LC 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal): Art. 19, inciso III: DP total município = 60%

Leia mais

CONSTITUIÇÃO ESTADUAL TÍTULO VI CAPÍTULO II DAS FINANÇAS PÚBLICAS. Seção I. DISPOSIÇÕES GERAIS (Arts. 207 e 208)

CONSTITUIÇÃO ESTADUAL TÍTULO VI CAPÍTULO II DAS FINANÇAS PÚBLICAS. Seção I. DISPOSIÇÕES GERAIS (Arts. 207 e 208) CONSTITUIÇÃO ESTADUAL TÍTULO VI CAPÍTULO II DAS FINANÇAS PÚBLICAS Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS (Arts. 207 e 208) Art. 207 - Lei complementar disporá sobre finanças públicas, observados os princípios estabelecidos

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 1. NOVAS REGRAS PARA OS SERVIDORES QUE INGRESSAREM NO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A PROMULGAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EC Nº 41/03. a) Principais Características. - fim da paridade

Leia mais

MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL

MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL MÓDULO II PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL LEGISLAÇÃO BÁSICA LEI Nº 11.738, DE 16/07/2008 1 Profissionais têm direito ao piso piso. O art. 1º e o 2º do art. 2º definem quais profissionais têm direito

Leia mais

Defendendo uma sociedade justa e igualitária LANA IARA GOIS DE SOUZA RAMOS PARECER JURÍDICO

Defendendo uma sociedade justa e igualitária LANA IARA GOIS DE SOUZA RAMOS PARECER JURÍDICO CEZAR BRITTO PARECER JURÍDICO APLICABILIDADE DO PISO SALARIAL NACIONAL DO MAGISTÉRIO PÚBLICO. INCONSTITUCIONALIDADE DO PROJETO DE LEI QUE PREVÊ PAGAMENTO PARCELADO DO VALOR DA SUA ATUALIZAÇÃO E RETROATIVO.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Analista/Técnico MPU

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Analista/Técnico MPU ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA Analista/Técnico MPU 4/5 - Classificação de gastos públicos (despesas). Normas da LRF sobre despesas (1ª Parte) Sergio Karkache sekarkache@yahoo.com.br http://sergiokarkache.blogspot.com

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA LEI Nº 278, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014. Altera e insere dispositivos na Lei Municipal nº 016, de 20 de janeiro de 2004, a qual dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração dos Servidores do Magistério

Leia mais

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP)

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Conceitos gerais de gestão pública: princípios e regras da administração pública, processos de licitação, contratos

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL SPPS DEPARTAMENTO DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO DRPSP COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA, ATUÁRIA, CONTABILIDADE

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian) Requer informações ao Ministro da Educação sobre que medidas estão sendo desenvolvidas para cooperar tecnicamente com os estados que não

Leia mais

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei:

LEI Nº 2.581/2009. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a seguinte Lei: LEI Nº 2.581/2009 DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE CAETÉ. O Prefeito Municipal de Caeté, Minas Gerais, faz saber que a Câmara Municipal

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 Institui o Programa Nacional de Incentivo à Educação Escolar Básica Gratuita (PRONIE). O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei institui o Programa Nacional de

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS

A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA APROVA E EU SANCIONO A SEGUINTE LEI: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E DOS CONCEITOS NORMATIVOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BARRA LEI Nº. 209/12, DE 04 DE ABRIL DE 2012. INSTITUI O PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E VENCIMENTOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

BRUNO PENA & ADVOGADOS ASSOCIADOS S/S

BRUNO PENA & ADVOGADOS ASSOCIADOS S/S PARECER Interessado: Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás - SIPOL. SERVIDOR PÚBLICO. INGRESSO EM 2004. APOSENTADORIA. PARIDADE. INTEGRALIDADE DE PROVENTOS. IMPOSSIBILIDADE. RELATÓRIO Trata-se

Leia mais

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB INATIVAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS Eduardo Matta Milton da Silveira Diretor de Administração dos Benefícios Previdenciários eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB O que vou levar? Como

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL. Prezado(a) Servidor(a),

COMUNICADO OFICIAL. Prezado(a) Servidor(a), COMUNICADO OFICIAL Prezado(a) Servidor(a), Em razão das diversas informações desencontradas acerca do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), Lei nº 5.623, de 1º de outubro de 2013, gostaríamos

Leia mais

Encontro Professores Salas de Informática. Lages, 30 de abril de 2016

Encontro Professores Salas de Informática. Lages, 30 de abril de 2016 Encontro Professores Salas de Informática Lages, 30 de abril de 2016 Jornada SINTE/SC defende que aos Professores ACT s, que atuam na disciplina de Professor Orientador de tecnologia Educacional e Informática

Leia mais

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte,

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte, LEI Nº 302/05 "DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

Informativo nº 37 DÉBITO DE PEQUENO VALOR

Informativo nº 37 DÉBITO DE PEQUENO VALOR Informativo nº 37 DÉBITO DE PEQUENO VALOR O art. 100 da Constituição Federal de 1988 dispõe sobre a forma de pagamento de precatórios judiciais, que se realizarão na ordem cronológica de apresentação,

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre o PCCR

Perguntas e Respostas sobre o PCCR Perguntas e Respostas sobre o PCCR 1) Como é o ingresso na Secretaria Municipal de Educação? O ingresso no Quadro de Pessoal da Secretaria Municipal de Educação, assim como em toda a Administração Pública

Leia mais

Comentário às questões do concurso do TCE_RS/Oficial_de_Controle_Externo/CESPE/2013

Comentário às questões do concurso do TCE_RS/Oficial_de_Controle_Externo/CESPE/2013 Comentário às questões do concurso do TCE_RS/Oficial_de_Controle_Externo/CESPE/2013 Julgue os itens a seguir, relativos ao orçamento público. 96.O orçamento público tem caráter e força de lei, em sentido

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005, DE 2014

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005, DE 2014 ESTUDO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ATRIBUIÇÕES E PRAZOS INTERMEDIÁRIOS DA LEI Nº 13.005, DE 2014 Ana Valeska Amaral Gomes Paulo Sena Consultores Legislativos da Área XV Educação, Cultura e Desporto Nota

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

CARTILHA DO SUBSÍDIO

CARTILHA DO SUBSÍDIO CARTILHA DO SUBSÍDIO Cléa da Rosa Pinheiro Vera Mirna Schmorantz A Direção do SINAL atenta às questões que dizem com a possibilidade de alteração da estrutura remuneratória das carreiras de Especialista

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE DIRETRIZES NACIONAIS PARA OS PLANOS DE CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE DIRETRIZES NACIONAIS PARA OS PLANOS DE CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE DIRETRIZES NACIONAIS PARA OS PLANOS DE CARREIRA DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA Estabelece as diretrizes nacionais para os planos de carreira dos profissionais

Leia mais

8ª Secretaria de Controle Externo

8ª Secretaria de Controle Externo Fls. 12 À Auditora de Controle Externo, Maria Clara Seabra de Mello Costa, para proferir Orientação Técnica. Em 23 de janeiro de 2014. JOSÉ AUGUSTO MARTINS MEIRELLES FILHO Secretário da 8ª Secretaria de

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MEDIDA CAUTELAR NA RECLAMAÇÃO 17.446 RIO GRANDE DO NORTE RELATORA RECLTE.(S) ADV.(A/S) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :MUNICÍPIO DE LUCRÉCIA :AMARO BANDEIRA DE ARAÚJO

Leia mais

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS

PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS PLANOS DE CARGOS E SALÁRIOS DOS SERVIDORES MUNICIPAIS LEI COMPLEMENTAR MUNICIPAL N. 27/99 De 12 de Novembro de 1999 Aprova o Plano de Cargos dos Servidores do Poder Executivo Municipal e contém providências

Leia mais

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE

LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE LEI Nº 21.710, DE 30 DE JUNHO DE 2015. Dispõe sobre a política remuneratória das carreiras do Grupo de Atividades de Educação Básica do Poder Executivo, altera a estrutura da carreira de Professor de Educação

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE CANTAGALO Secretaria Municipal de Governo e Planejamento

Estado do Rio de Janeiro PREFEITURA MUNICIPAL DE CANTAGALO Secretaria Municipal de Governo e Planejamento 1 LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL GUIA PRÁTICO PARA O CIDADÃO O que é a LRF? A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), ou Lei Complementar nº 101, é o principal instrumento regulador das contas públicas no

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 669. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

LEI COMPLEMENTAR Nº 669. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Faço saber que a Assembléia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte LEI COMPLEMENTAR Nº 669 Institui a modalidade de remuneração por subsídio e o Plano de Carreira para os servidores ocupantes dos cargos de Músico de Orquestra Nível Superior, Músico A e Músico B e dá outras

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça Autos: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS - 0006845-87.2014.2.00.0000 Requerente: ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS BRASILEIROS - AMB Requerido: CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA - CNJ Ementa: PEDIDO

Leia mais

LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003. O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 8.690, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2003 Institui o Plano de Carreira dos Servidores da Área de Atividades de Administração Geral da Prefeitura de Belo Horizonte, estabelece a respectiva Tabela de Vencimentos

Leia mais

INFORMATIVO. Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para. uma melhor prestação de serviços

INFORMATIVO. Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para. uma melhor prestação de serviços INFORMATIVO GESTÃO DE PESSOAS 2013-2016 Maio - 2016 Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para uma melhor prestação de serviços uma sociedade cada vez mais complexa e dinâmica exige

Leia mais

SINTE/SC - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO NA REDE PÚBLICA DO ENSINO DO ESTADO DE SANTA CATARINA

SINTE/SC - SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO NA REDE PÚBLICA DO ENSINO DO ESTADO DE SANTA CATARINA OFÍCIO Nº. 00113/13/DEPTO. JURÍDICO FLORIANÓPOLIS, 14 DE MAIO DE 2013. DO: DEPARTAMENTO JURÍDICO PARA: DIRETORIA EXECUTIVA DO SINTE/SC ASSUNTO: PROFESSORES ACT S DAS SALAS DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL E INFORMÁTICA

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014 Solicitação de Trabalho nº 252/2014 CONOF Solicitante: Deputado Pauderney Avelino ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014 ASPECTOS ORÇAMENTÁRIOS E FINANCEIROS SOBRE A INCLUSÃO DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR COMO DESPESA DE MANUTENÇÃO

Leia mais

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008

DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 DECRETO Nº 29.290, DE 22 DE JULHO DE 2008 DODF de 23.07.2008 Dispõe sobre o afastamento para estudo, congressos, seminários ou reuniões similares de servidor e empregado da Administração Pública Distrital

Leia mais

SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI N. 48, DE 16 DE MAIO DE 2014

SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI N. 48, DE 16 DE MAIO DE 2014 SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI N. 48, DE 16 DE MAIO DE 2014 Dispõe sobre a revisão geral anual e o reajuste dos vencimentos básicos dos Profissionais da Educação Básica (professores) da Rede Municipal

Leia mais

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES

A Previdência dos Servidores. Previdência Complementar. Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES A Previdência dos Servidores após 2004 Previdência Complementar Prof. Eduardo Rolim de Oliveira Vice-Presidente do PROIFES Recife, PE 15 e 16/09/2011 Formas de aposentadoria Invalidez Com proventos proporcionais

Leia mais

Art. 1º O Art. 2º da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo único:

Art. 1º O Art. 2º da Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, passa a vigorar acrescido do seguinte parágrafo único: PROJETO DE LEI N o, DE 2010 (Do Sr. Pedro Chaves) Altera a Lei nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, para regulamentar a EC nº 63/10, instituir o piso salarial profissional nacional, as Diretrizes do Plano

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA Regulamenta o inciso VIII do artigo 206 da Constituição Federal, para instituir o piso salarial profissional

Leia mais

Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1

Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1 Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1 Elaborado por Leandro Felipe (2014) Contém nota pedagógica Introdução O objetivo principal deste caso é ajudar o Prefeito

Leia mais

Entendendo a Planilha de Prestação de Contas dos Recursos. Vinculados à Educação no Município de São Paulo

Entendendo a Planilha de Prestação de Contas dos Recursos. Vinculados à Educação no Município de São Paulo Entendendo a Planilha de A planilha de da Educação foi montada para possibilitar que você acompanhe, durante todo o exercício, a publicação bimestral dos dados das receitas e despesas, referentes à vinculação

Leia mais

PREVIDENCIA SOCIAL ASPECTOS GERAIS SOBRE RPPS. RPPS Consult Consultoria e Assessoria em RPPS

PREVIDENCIA SOCIAL ASPECTOS GERAIS SOBRE RPPS. RPPS Consult Consultoria e Assessoria em RPPS PREVIDENCIA SOCIAL ASPECTOS GERAIS SOBRE RPPS RPPS Consult Consultoria e Assessoria em RPPS O que é Previdência Social? Previdência Social é que um seguro que o indivíduo faz durante o período em que está

Leia mais

A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO François E. J. de Bremaeker Luiz Estevam Gonçalves Rio de Janeiro fevereiro de 2015 A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo,

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Disciplina: D 4.11 Elaboração e Programação Orçamentária e Financeira (40h) (Aula 4: Programação Orçamentária e Financeira) Professor: Bruno César

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 581/2007

PROJETO DE LEI Nº 581/2007 1 PUBLICADO DOC 09/02/2008, PÁG. 85 EMENDA Nº 01 AO PROJETO DE LEI Nº 581/2007 Altera-se redação do artigo 2º como segue Art. 2º. Ficam instituídas as carreiras dos servidores de nível superior da Prefeitura

Leia mais

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA 1. INTRODUÇÃO A previdência social no Brasil pode ser divida em dois grandes segmentos, a saber: Regime Geral de Previdência Social (RGPS):

Leia mais

O ORÇAMENTO PÚBLICO AO ALCANCE DO CIDADÃO

O ORÇAMENTO PÚBLICO AO ALCANCE DO CIDADÃO O ORÇAMENTO PÚBLICO AO ALCANCE DO CIDADÃO Denise Rocha Assessora de Política Fiscal e Orçamentária São Luís - MA 23 a 27 de agosto de 2004 1ª ETAPA - ENTENDENDO O ORÇAMENTO PÚBLICO A importância do orçamento

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL. 2. O plano garante a permanência dos triênios.

COMUNICADO OFICIAL. 2. O plano garante a permanência dos triênios. COMUNICADO OFICIAL Prezado(a) Servidor(a) Em razão das diversas informações desencontradas acerca do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR), que a Prefeitura do Rio enviou à Câmara de Vereadores,

Leia mais

LEI 10.073. Parágrafo único - São consideradas atividades do Agente Comunitário

LEI 10.073. Parágrafo único - São consideradas atividades do Agente Comunitário LEI 10.073 Regulamenta o exercício das atividades de Agente Comunitário de Saúde e de Agente de Combate às Endemias no âmbito do Município e dá outras providências. O Povo do Município de Uberaba, Estado

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSULTORIA DE ORÇAMENTO E FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA Nota Técnica nº 13/2007 Medida Provisória nº 359/2007 NOTA TÉCNICA Nº 13/2007

CÂMARA DOS DEPUTADOS CONSULTORIA DE ORÇAMENTO E FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA Nota Técnica nº 13/2007 Medida Provisória nº 359/2007 NOTA TÉCNICA Nº 13/2007 NOTA TÉCNICA Nº 13/2007 SUBSÍDIOS À APRECIAÇÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 359, DE 16 DE MARÇO DE 2007, QUANTO À ADEQUAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Altera as Leis n os 10.355, de 26 de dezembro de 2001, 10.855,

Leia mais

Descrição da Ação Criada, Expandida ou Aperfeiçoada Despesa Aumentada 1º ano 2º ano 3º ano

Descrição da Ação Criada, Expandida ou Aperfeiçoada Despesa Aumentada 1º ano 2º ano 3º ano ADEQUAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA Art. 16, Inciso I e 4º, inciso I, da LC 101/2000 Estudo da adequação orçamentária e financeira para a finalidade de Reposição Salarial com Aumento Real, em cumprimento

Leia mais

QUADRO DE CARREIRA DOCENTE DA EDUCAÇÃO SUPERIOR FACULDADE TRES DE MAIO SETREM

QUADRO DE CARREIRA DOCENTE DA EDUCAÇÃO SUPERIOR FACULDADE TRES DE MAIO SETREM QUADRO DE CARREIRA DOCENTE DA EDUCAÇÃO SUPERIOR FACULDADE TRES DE MAIO SETREM O presente documento apresenta o Quadro de Carreira Docente (QCD) da Educação Superior da Sociedade Educacional Três de Maio

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: BA000408/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/07/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024953/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46204.006979/2011-03 DATA DO

Leia mais

No que se refere ao funcionamento e às normas que regem a elaboração do orçamento público, julgue os próximos itens.

No que se refere ao funcionamento e às normas que regem a elaboração do orçamento público, julgue os próximos itens. Observação: As questões foram analisadas antes da divulgação do gabarito pelo CESPE. No que se refere ao funcionamento e às normas que regem a elaboração do orçamento público, julgue os próximos itens.

Leia mais

O consulente não juntou outros documentos aos autos.

O consulente não juntou outros documentos aos autos. PROCESSO Nº : 10.471-0/2013 INTERESSADO : PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA XAVANTINA ASSUNTO : CONSULTA RELATOR : CONSELHEIRO WALDIR TEIS PARECER Nº : 040/2013 Excelentíssimo Senhor Conselheiro: Trata-se de

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1.539/2013 DE 26/02/2013.

LEI MUNICIPAL Nº 1.539/2013 DE 26/02/2013. Rua Antônio José Carlos, 01 Centro Morrinhos do Sul RS CEP 95.577000 Fone: (0xx51)6051055 Fax: (0xx51)6051112 CNPJ Nº 93.317.980/000131 email: morrinhosdosul.@uol.com.br LEI MUNICIPAL Nº 1.539/2013 DE

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor,

APRESENTAÇÃO. Prezado servidor, 1 3 5 APRESENTAÇÃO Prezado servidor, A Lei Municipal nº 5.111 de 23 de novembro de 2010 criou o AMERIPREV, que é o responsável pela gestão do RPPS, Regime Próprio de Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

Desafios dos Novos Gestores Eleitos 2013/2016

Desafios dos Novos Gestores Eleitos 2013/2016 Desafios dos Novos Gestores Eleitos 2013/2016 Orçamento e Lei de Responsabilidade Fiscal Patrícia Sibely D Avelar Secretária Municipal de Fazenda de Lagoa Santa FORMAÇÃO Graduada em Ciência Contábeis.

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. Fixa normas para a execução orçamentária e financeira do exercício de 2012 e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO RIO GRANDE

Leia mais

Desembargador CARLOS SANTOS DE OLIVEIRA

Desembargador CARLOS SANTOS DE OLIVEIRA AÇÃO DE COBRANÇA. PAGAMENTO DE GRATIFICAÇÃO DE INCENTIVO À DOCÊNCIA. VERBA DESTACADA DO FUNDEB. LEI FEDERAL Nº 11.494/07. NUTUREZA PROPTER LABOREM. PROFESSORES EM ESTAGIO PROBATÓRIO. ATO ADMINISTRATIVO

Leia mais

Parágrafo 3º - O benefício previsto na presente cláusula é limitado a um curso de graduação, por beneficiário.

Parágrafo 3º - O benefício previsto na presente cláusula é limitado a um curso de graduação, por beneficiário. P R O P O S T A Acordo Coletivo de Trabalho que entre si fazem o Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar do Estado do Rio de Janeiro, com sede a Rua dos Andradas, nº 96, grupos 802/803, Centro,

Leia mais

Adequação do plano de carreira do magistério público municipal ao piso salarial nacional dos profissionais da educação básica

Adequação do plano de carreira do magistério público municipal ao piso salarial nacional dos profissionais da educação básica Adequação do plano de carreira do magistério público municipal ao piso salarial nacional dos profissionais da educação básica CONSULTA N. 812.465 EMENTA: Consulta Prefeitura Municipal Plano de carreira

Leia mais

PNE: análise crítica das metas

PNE: análise crítica das metas PNE: análise crítica das metas Profa. Dra. Gilda Cardoso de Araujo Universidade Federal do Espírito Santo Ciclo de Palestras do Centro de Educação 2015 Metas do PNE Contexto Foram 1.288 dias de tramitação,

Leia mais

LEI Nº. 1463, DE 19 DE OUTUBRO DE 2007

LEI Nº. 1463, DE 19 DE OUTUBRO DE 2007 LEI Nº. 1463, DE 19 DE OUTUBRO DE 2007 Autoria: Poder Legislativo Institui e regulamenta o uso do Vale-Transporte no Município de Lucas do Rio Verde - MT. O Prefeito do Município de Lucas do Rio Verde,

Leia mais

Darcy Francisco Carvalho dos Santos (Contador e Economista)

Darcy Francisco Carvalho dos Santos (Contador e Economista) Dezembro de 2011 Crescimento vegetativo da folha de pagamento do do Estado do RS Darcy Francisco Carvalho dos Santos (Contador e Economista) Estudos e Trabalhos sobre Finanças Públicas Estaduais www.darcyfrancisco.com.br

Leia mais

COMPOSIÇÃO SALARIAL DOS DOCENTES DA REDE ESTADUAL PAULISTA UMA ANÁLISE A PARTIR DO BOLETIM DE ACOMPANHAMENTO DE PESSOAL DA SEE - SP 1996-2010

COMPOSIÇÃO SALARIAL DOS DOCENTES DA REDE ESTADUAL PAULISTA UMA ANÁLISE A PARTIR DO BOLETIM DE ACOMPANHAMENTO DE PESSOAL DA SEE - SP 1996-2010 COMPOSIÇÃO SALARIAL DOS DOCENTES DA REDE ESTADUAL PAULISTA UMA ANÁLISE A PARTIR DO BOLETIM DE ACOMPANHAMENTO DE PESSOAL DA SEE - SP 1996-2010 Ana Paula Santiago do Nascimento FEUSP Brasil anpnascimento@gmail.com

Leia mais

JUIZ FEDERAL TRF 1ª REGIÃO

JUIZ FEDERAL TRF 1ª REGIÃO DIREITO FINANCEIRO I. Finanças Públicas na Constituição Federal... 02 II. Orçamento... 04 III. Despesa Pública... 39 IV. Receita Pública... 76 V. Dívida Ativa da União de Natureza Tributária e não-tributária...

Leia mais

A INSTITUIÇÃO TESOURO ESTADUAL EM TEMPO DE AMEAÇAS ÀS FINANÇAS CAPIXABAS*

A INSTITUIÇÃO TESOURO ESTADUAL EM TEMPO DE AMEAÇAS ÀS FINANÇAS CAPIXABAS* A INSTITUIÇÃO TESOURO ESTADUAL EM TEMPO DE AMEAÇAS ÀS FINANÇAS CAPIXABAS* Marcos Bragatto O sucesso da gestão de qualquer instituição se fundamenta na eficiência do desempenho do tripé métodos, meios e

Leia mais

O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O Povo do Município de Belo Horizonte, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Lei 7238 de 30 de Dezembro de 1996 DISPÕE SOBRE O QUADRO ESPECIAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE, INSTITUI O PLANO DE CARREIRA DOS SERVIDORES DA SAÚDE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE, ESTABELECE

Leia mais

LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010

LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010 LEI N 1021 DE 30 DE JUNHO DE 2010 Altera a Lei nº 256, de 30 de março de 2000, para aperfeiçoar as regras e procedimentos sobre o Plano de Carreira e Remuneração (PCR) do Grupo Ocupacional do Magistério

Leia mais

LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.241 DE 28 DE JULHO DE 2006 Institui o Plano de Carreira da Fundação Zôo-Botânica de Belo Horizonte e dá outras providências. O POVO DO MUNICÍPIO DE BELO HORIZONTE, por seus representantes, decreta

Leia mais

LEI Nº 3.356, DE 20/10/2010.

LEI Nº 3.356, DE 20/10/2010. LEI Nº 3.356, DE 20/10/2010. DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO MAGISTÉRIO DA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA MUNICIPAL DE ARACRUZ/ES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

APROVAÇÃO DAS LEIS ORÇAMENTÁRIAS. Kilmer Távora Teixeira Auditor Governamental CGE/PI

APROVAÇÃO DAS LEIS ORÇAMENTÁRIAS. Kilmer Távora Teixeira Auditor Governamental CGE/PI APROVAÇÃO DAS LEIS ORÇAMENTÁRIAS Kilmer Távora Teixeira Auditor Governamental CGE/PI BASE LEGAL Constituição Federal de 1988, Título VI, artigos 165 a 169; Lei 4.320, de 17/03/64; Lei de Responsabilidade

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA

PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA PROPOSTA DE PROJETO DE LEI SOBRE O PISO SALARIAL NACIONAL DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PÚBLICA Regulamenta o inciso VIII do artigo 206 da Constituição Federal, para instituir o piso salarial profissional

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO PREVIDENCIÁRIO 1. Da Previdência Social DIREITO PREVIDENCIÁRIO Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 47 DE 19 DE NOVEMBRO DE 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE GUAÍRA APROVA:

PROJETO DE LEI Nº 47 DE 19 DE NOVEMBRO DE 2015. A CÂMARA MUNICIPAL DE GUAÍRA APROVA: PROJETO DE LEI Nº 47 DE 19 DE NOVEMBRO DE 2015. Altera a Lei Municipal nº 2101 de 02/09/2004 e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE GUAÍRA APROVA: Art. 1º Fica alterado o art. 6º da Lei Complementar

Leia mais

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Art. 205 - A educação, direito de todos e dever do Estado e da família,

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART. 26) DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO

PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART. 26) DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO Poder Judiciário COMISSÃO INTERDISCIPLINAR Portaria nº 201, de 21 de dezembro de 2006 Supremo Tribunal Federal. VERSÃO: 11.01.2007 PROPOSTA DE CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS UNIFORMES (LEI Nº 11.416/2006, ART.

Leia mais

Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre:

Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre: Lei n.º 346/2014. Iracema-RR, em 12 de Maio de 2014. Que dispõe sobre: Estabelece o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração dos Profissionais da Educação Básica do Município de Iracema e dá outras providências.

Leia mais

LEI FEDERAL DO VALE TRANSPORTE

LEI FEDERAL DO VALE TRANSPORTE LEI FEDERAL DO VALE TRANSPORTE A LEI FEDERAL NÃO SE APLICA AOS SERVIDORES MUNICIPAIS LEI 7418/ 1985 Art. 1º Fica instituído o vale-transporte, (Vetado) que o empregador, pessoa física ou jurídica, antecipará

Leia mais

Lei 141/2012 - Comentários

Lei 141/2012 - Comentários Lei 141/2012 - Comentários Áquilas Mendes Prof. Dr. Livre-Docente de Economia da Saúde da FSP/USP e do Departamento de Economia da PUC-SP agosto/2012 BREVE CONTEXTO DA LEI 141/2012 CONSIDERAÇÕES GERAIS

Leia mais

Circular nº 074/16 Brasília, 4 de abril de 2016. Às seções sindicais, secretarias regionais e aos diretores do ANDES-SN

Circular nº 074/16 Brasília, 4 de abril de 2016. Às seções sindicais, secretarias regionais e aos diretores do ANDES-SN Circular nº 074/16 Brasília, 4 de abril de 2016 Às seções sindicais, secretarias regionais e aos diretores do ANDES-SN Companheiros, Encaminhamos, anexa, Nota da Diretoria do ANDES-SN sobre o Projeto de

Leia mais

Negociação salarial dos servidores municipais O que você precisa saber

Negociação salarial dos servidores municipais O que você precisa saber Negociação salarial dos servidores municipais O que você precisa saber Nunca se avançou tanto em tão pouco tempo A Prefeitura de Blumenau atendeu inúmeras reivindicações dos servidores públicos municipais

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro RELAÇÃO DE DOCUMENTOS INTEGRANTES DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA (CONTAS DE GOVERNO) EXERCÍCIO DE 2013 CONFORME OFÍCIO-CIRCULAR Nº 14/2014 PRS/GAP RESPONSABILIZAÇÃO CADASTROS do Prefeito

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

O PREFEITO MUNICIPAL DE BARRETOS, ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N.º 3629, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2003. (Com alterações impostas pelas leis n. os 3.636, de 17 de dezembro de 2003; 3.727, de 27 de janeiro de 2005; 3.816, de 27 de dezembro de 2005; 4.048, de 07 de março

Leia mais

Eixos da Campanha Salarial 2011 Definidos na reunião do Setor das IFES

Eixos da Campanha Salarial 2011 Definidos na reunião do Setor das IFES Eixos da Campanha Salarial 2011 Definidos na reunião do Setor das IFES Contra qualquer reforma que retire direitos dos trabalhadores. Regulamentação/Institucionalização da negociação coletiva no setor

Leia mais

SUBSÍDIO PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS NÍVEL SUPERIOR PCCS NS ESPECIALISTAS OPTANTES, EFETIVOS, ATIVOS J40

SUBSÍDIO PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS NÍVEL SUPERIOR PCCS NS ESPECIALISTAS OPTANTES, EFETIVOS, ATIVOS J40 SUBSÍDIO PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS NÍVEL SUPERIOR PCCS NS ESPECIALISTAS OPTANTES, EFETIVOS, ATIVOS J40 AGOSTO/2014 1 INTRODUÇÃO Este material foi elaborado pela Secretaria Municipal de Planejamento,

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 6.697-C DE 2009 Dispõe sobre as carreiras dos servidores do Ministério Público da União e as carreiras dos servidores do Conselho Nacional do Ministério Público; fixa valores

Leia mais