Desidratação e Reidratação. Evitando a Desidratação: Bebidas Esportivas ou Água

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desidratação e Reidratação. Evitando a Desidratação: Bebidas Esportivas ou Água"

Transcrição

1 Desidratação e Reidratação. Evitando a Desidratação: Bebidas Esportivas ou Água Autor:Bob Murray Desidratação e Reidratação Evitando a Desidratação: Bebidas Esportivas ou Água Bob Murray, PhD, FACSM Introdução De acordo com o posicionamento da National Athletic Trainers Association (NATA) publicado no ano 2000 sobre Reposição de Fluidos para Atletas a ocorrência de uma desidratação significativa é evitável, ou pelo menos atenuada, quando são seguidos protocolos de hidratação para garantir a pratica mais produtiva e segura a todos os atletas. 1 Minimizar a desidratação é a medida mais simples, mas também a mais eficaz que os atletas podem tomar para proteger tanto a saúde quanto o desempenho. Atletas regularmente apresentam desidratação e hipertermia, e alguns acabam sofrendo as conseqüências. Sempre que a atividade física extenuante acontece e principalmente em ambiente quente as funções cardiovasculares e termoregulatórias são colocadas sob estresse acentuado. De fato, há poucas dúvidas de que a atividade física vigorosa realizada em ambiente quente é um dos principais estresses fisiológicos que o organismo humano pode enfrentar. A competição entre os músculos e a pele pelo suprimento sanguíneo limitado consegue rapidamente sobrecarregar a capacidade cardiovascular do organismo, podendo criar circunstâncias fisiológicas negativas que tragicamente já tiraram a vida de atletas. Durante o exercício intenso, o volume plasmático diminui e, juntamente com o aumento paralelo da osmolalidade plasmática, provoca uma cascata de eventos fisiológicos com o objetivo de manter a função cardiovascular (ex., pressão venosa central, fluxo sanguíneo na pele e no músculo) e permitir a continuidade do exercício. 2 No entanto, há um limite para a capacidade do organismo manter a homeostase fisiológica durante a prática de exercícios em ambiente quente quando não mais consegue lidar com as demandas. Quando este limite é atingido, a fadiga se instala e o exercício é interrompido ou, no mínimo, o término antecipado. Se a atividade física continua, surgem os sintomas do comprometimento da função cardiovascular (ex., síncope, exaustão pelo calor), e, em casos graves, comprometimento neurológico e hipertermia grave (ex., choque térmico). Efeitos da Desidratação nas Funções Fisiológicas e no Desempenho O estado de hidratação é um determinante crítico da capacidade fisiológica para o atleta treinar, competir e se recuperar com sucesso. Mesmo a desidratação leve (ex., perda de 1-2% no peso corporal) tem efeito negativo na função fisiológica e no desempenho. Um atleta que deixa de repor os fluidos corporais perdidos através da sudorese vivencia muitas mudanças funcionais adversas, incluindo aumento da frequência cardíaca e da osmolalidade plasmática durante o exercício, diminuição da circulação sanguínea na pele e aumento da temperatura central. Conforme a desidratação aumenta, maior o impacto negativo no desempenho. O fato de atletas regularmente apresentarem desidratação durante treinos e competições faz com que a ingestão

2 adequada de líquidos seja a primeira intervenção nutricional para todos os atletas. Os benefícios da ingestão suficiente de líquidos durante o exercício no desempenho já foram claramente determinados por décadas de pesquisas científicas. A simples verdade é que nenhuma outra intervenção nutricional se compara a oferecer efeitos de melhoria no desempenho que estar bem hidratado. Atletas Não Costumam Ingerir o Suficiente Apesar de os benefícios da hidratação terem sido bem definidos, a maioria dos atletas ainda apresenta desidratação durante treinos e competições. Mesmo os atletas mais bem intencionados, educados e tendo líquidos facilmente disponíveis podem desidratar, pois eles geralmente subestimam a perda de suor e, acabam não consumindo o suficiente. Outro fator é que o mecanismo de sede em seres humanos é um indicador inexato em curto prazo das necessidades de fluidos. Por esses motivos, uma desidratação pode ocorrer rapidamente em atletas altamente condicionados. 3 Infelizmente, não há qualquer sinal fisiológico claro que mostre que a desidratação está acontecendo, e a maior parte dos atletas se esquece dos efeitos sutis da desidratação (sede, fadiga crescente, irritabilidade, incapacidade de se concentrar mentalmente, hipertermia), em grande parte porque estão muito acostumados a sentir esses sintomas. Diretrizes da Hidratação. O consumo adequado de líquidos em intervalos regulares durante o exercício facilmente evita a desidratação. Todos os atletas conseguem se educar para aumentar a ingestão de líquidos e aprender com a experiência quanto de líquido precisam em diferentes circunstâncias de exercício e meio ambiente. Atletas que suam muito (> 2 litros/hora) talvez não consigam ingerir líquidos suficientes para permanecerem totalmente hidratados. Entretanto, todos os atletas conseguem aprender a aumentar a ingestão de líquidos, e procedimentos deveriam ser implementados para garantir que isto seja feito. O balanço hídrico, homeostase de eletrólitos, função cardiovascular e controle termoregulatório estão intimamente ligados e cada um deles tem grande impacto na saúde e desempenho. Por esse motivo, é importante que técnicos, treinadores, preparadores físico, cientistas do exercício e médicos especializados em medicina esportiva entendam os princípios dos mecanismos fisiológicos que permitam que o organismo humano gerencie o estresse imposto pelo exercício. Ciência das Bebidas Esportivas Uma das maneiras mais efetivas de prevenir a desidratação é fazer com que os atletas consumam quantidades adequadas de uma bebida esportiva devidamente formulada. Os quatro benefícios primários para consumir uma bebida esportiva formulada adequadamente são: Incentivar a ingestão voluntária do líquido. Estimular a absorção rápida. Promover a reidratação completa e rápida. Melhorar o desempenho esportivo. Incentivar a ingestão voluntária de fluidos. Atletas não costumam ingerir uma quantidade suficiente de líquidos que seja compatível com a perda pelo suor. 3 Isso significa que eles podem desidratar voluntariamente, uma ocorrência freqüente durante a atividade física. Consequentemente, uma bebida esportiva efetiva não deve apenas apresentar características de sabor para melhorar a aceitação durante a atividade física; mas também conter uma composição correta de eletrólitos para manter o estímulo para ingestão, já que o mecanismo da sede no cérebro é estimulado pelos efeitos osmóticos dos eletrólitos nos fluidos corporais. Uma melhor ingestão de bebida esportiva pode ser garantida a medida que sua fórmula apresente equilíbrio adequado entre palatabilidade e função. Uma bebida esportiva deve ter o melhor sabor quando os atletas já se exercitaram e estão aquecidos,

3 suados e com sede, e deve ter composição eletrolítica adequada para manter o estímulo fisiológico para ingestão de líquidos. Muitos atletas confiam apenas na sede como estímulo para ingestão de líquidos, mas a sede é uma maneira inadequada de avaliar as necessidades de fluidos quando estamos fisicamente ativos. A sede é desencadeada por duas mudanças fisiológicas: aumento na concentração de sódio no sangue e queda da volemia. Sempre que suamos, parte do suor provém do sangue. E como perdemos mais moléculas de água do sangue do que de eletrólitos, a concentração plasmática de sódio o sal do sangue aumenta, o que estimula a sede. Mas se o suor for reposto apenas por água pura, a concentração plasmática de sódio diminui, o que reduz a sede. Portanto, a água pura isoladamente, apesar de ser boa para matar a sede, é deficiente para reidratar. Diferentemente de uma bebida esportiva que ajuda a manter o estímulo fisiológico para beber, a água interrompe a sede antes de o atleta conseguir se reidratar adequadamente. 3 Infelizmente, quando os atletas bebem apenas água, o estímulo osmótico para beber é interrompido porque a concentração plasmática de sódio o determinante primário da osmolalidade plasmática cai rapidamente abaixo do limiar da sede. A ingestão de água consegue aliviar a sede quando a hidratação não está nem próxima do normal. Estimular a absorção rápida. Para se manter bem hidratado durante o exercício, o fluido, os carboidratos e eletrólitos em uma bebida esportiva precisam ser rapidamente absorvidos para compensar a perda de fluidos e eletrólitos pelo suor e a oxidação rápida de carboidratos pelo músculo. Para estimular a absorção, a bebida esportiva deve ser formulada com o objetivo de maximizar o esvaziamento gástrico e acelerar a absorção de solutos (carboidratos, eletrólitos) e fluidos para dentro da corrente sanguínea. As bebidas com altas concentrações de carboidratos geralmente apresentam esvaziamento gástrico mais lento, e, portanto devem ser evitadas durante atividades físicas pelo risco de causar distensão abdominal ou sensação de saciedade, desconforto gástrico, eructação e náuseas. Apesar de os principais fatores que comprometem a taxa de esvaziamento gástrico terem o teor energético e volume do alimento ou fluido ingerido, a desidratação e exercícios intensos também podem retardar o esvaziamento gástrico. 4, 5 Uma vez que o fluido deixa o estômago, ele vai para o intestino delgado, onde as características de uma bebida esportiva são extremamente importantes. A superfície do jejuno na porção proximal do intestino delgado é rico em receptores proteínas especificas que transportam nutrientes para dentro da corrente sanguínea. Essas proteínas transportadoras funcionam como uma porta giratória, permitindo que o sódio e a glicose, dois ingredientes comuns e absolutamente necessários em uma bebida esportiva, entrem na célula. Como resultado do transporte destes solutos, as moléculas de água rapidamente seguem o mesmo movimento para manter o equilíbrio osmótico. Em outras palavras, a absorção da água do intestino é acelerada pela presença de sódio e glicose no intestino. A absorção de fluido será retardada se a osmolalidade da bebida sendo consumida for muito alta. O excesso de carboidratos, tipos inadequados de carboidratos, ou alta osmolalidade retardarão a absorção de fluidos. A posição da NATA confirma este resultado indicando que durante eventos em que é necessária alta ingestão de líquidos para sustentar a hidratação, a concentração de carboidratos deveria ser mantida baixa (ex.., <7%) para maximizar o esvaziamento gástrico e a absorção de fluidos. 1 Promover a reidratação rápida. O ponto fundamental para a reidratação rápida e completa é a oferta de eletrólitos suficientes na bebida de reidratação para agir como estímulo osmótico para restaurar e manter o volume de fluidos extracelular, incluindo a volemia. E isso depende da ingestão tanto de fluido quanto de eletrólitos que foram perdidos no suor.

4 Um estudo conduzido na Nova Zelândia ajuda a provar este ponto. Durante este experimento, pediu-se para os participantes pedalarem em uma sala quente por três horas, ingerindo em uma das ocasiões água, e em outra ocasião uma bebida esportiva adequadamente formulada. Os resultados mostraram que a concentração plasmática de sódio foi melhor mantida e que a produção de urina foi menor quando a bebida esportiva foi consumida. 6 Por quê? Os eletrólitos na bebida esportiva manteram concentração plasmática de sódio e serviram como estímulo osmótico para reter o fluido ingerido, reduzindo a produção de urina pelos rins. A posição da NATA também trata deste ponto no trecho em que diz que o consumo isolado de água diminui a osmolalidade, o que limita o impulso para beber líquidos e aumenta levemente a excreção de urina. A inclusão de sódio na bebida de reidratação ou na dieta permite que o volume do fluido seja melhor conservado e aumenta o estímulo para beber. 1 Melhorar o desempenho esportivo. Décadas de pesquisas confirmam que as bebidas esportivas são superiores à água melhorando o desempenho tanto durante o exercício intenso quanto prolongado. 7-9 O principal motivo é que os carboidratos na bebida esportiva oferecem combustível tanto para os músculos quanto para o cérebro. A ingestão de bebida esportiva durante o exercício mantém as concentrações da glicemia e promove a captação de carboidratos para dentro das células musculares. Como consequência, isso aumenta o uso de carboidratos como combustível para os músculos e o cérebro. A manutenção da oxidação de carboidratos beneficia o desempenho em uma ampla variedade de tarefas, inclusive mantendo as habilidades motoras nos períodos finais de prática e jogos. A posição da NATA é muito clara sobre este aspecto quando diz que a inclusão de carboidratos e eletrólitos na bebida de reidratação consegue manter a glicemia, a oxidação de carboidratos e equilíbrio eletrolítico e consegue manter o desempenho quando a sessão de exercícios ultrapassa 50 minutos em duração ou é extremamente intensa. 1 Conclusão A desidratação é uma condição comum que pode comprometer a saúde e o desempenho de atletas. Fazer com que atletas sigam um programa individualizado de hidratação, incluindo o consumo de uma bebida esportiva adequadamente formulada, é uma das maneiras mais efetivas de prevenir a desidratação e ajudar na segurança e melhor desempenho dos atletas. Referências Bibliográficas 1 Casa, DJ, et al. NATA Position Statement: Fluid Replacement For Athletes. J Athl Training 35: , Davis JE, Fortney SM. Effect of fluid ingestion on orthostatic responses following acute exercise. Int J Sports Med 18: Greenleaf, JE. Problem: thirst, drinking behavior, and involuntary dehydration. Med Sc. Sports Exer 24: , Van Nieuwenhoven MA, Vriens BE, Brummer RJ, Brouns F. Effect of dehydration on gastrointestinal function at rest and during exercise. Eur J Appl Physiol 83(6): Leiper JB, Nicholas CW, Ali A, Williams, C, Maughan, RJ. The effect of intermittent high-intensity running on gastric emptying of fluids in man. Med Sci Sports Exerc 37:240-7, Vrijens DMJ & Rehrer NJ. Sodium-free fluid ingestion decreases plasma sodium during exercise in the heat. J Appl Physiol 86: , Davis JM, Jackson DA, Broadwell MS, Queary JL, Lambert CL. Carbohydrate drinks delay fatigue during intermittent, high-intensity cycling in active men and women. Int J Sport Nutr 7: Welsh RS, Davis JM, Burke JR, Williams, HG. Carbohydrates and physical/mental performance

5 during intermittent exercise to fatigue. Med Sci Sports Exerc 34: McConnell G, Snow RJ, Proietto J, Hargreaves M. Muscle metabolism during prolonged exercise in humans: influence of carbohydrate availability. J Appl Physiol 87:

A INFLUÊNCIA DOS SAIS MINERAIS DAS BEBIDAS NA HIDRATAÇÃO

A INFLUÊNCIA DOS SAIS MINERAIS DAS BEBIDAS NA HIDRATAÇÃO A INFLUÊNCIA DOS SAIS MINERAIS DAS BEBIDAS NA HIDRATAÇÃO Conselho Científico do Instituto de Hidratação e Saúde Resumo A hidratação pode ser feita através da ingestão de água ou de outras bebidas, ou até

Leia mais

NECESSIDADES NUTRICIONAIS DO EXERCÍCIO

NECESSIDADES NUTRICIONAIS DO EXERCÍCIO Departamento de Fisiologia Curso: Educação Física NECESSIDADES NUTRICIONAIS DO EXERCÍCIO Aluno: Anderson de Oliveira Lemos Matrícula: 9612220 Abril/2002 Estrutura de Apresentação Líquidos Eletrólitos Energia

Leia mais

SPORTS SCIENCE EXCHANGE

SPORTS SCIENCE EXCHANGE 12 SPORTS SCIENCE EXCHANGE REIDRATAÇÃO E RECUPERAÇÃO APÓS O EXERCÍCIO Nutrição no Esporte Número 12 Julho/Agosto - 1997 Ronald J. Maughan, Ph.D. Membro do comitê revisor do GSSI Sports Medicine. Membro

Leia mais

Bebida hidratante. suplementação

Bebida hidratante. suplementação Texto > Paula Cristóvão Santos e Custódio César* Bebida hidratante A razão de ser isotónica Há mais do que uma boa razão para ingerir bebidas isotónicas antes, durante ou após o exercício. E a recomendação

Leia mais

A SEDE. Conselho Científico do Instituto de Hidratação e Saúde

A SEDE. Conselho Científico do Instituto de Hidratação e Saúde A SEDE Conselho Científico do Instituto de Hidratação e Saúde Resumo A sede tem sido caracterizada como uma combinação de sensações que aumentam com a desidratação e diminuem com a rehidratação, em resultado

Leia mais

FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO:

FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO: FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO: Ed Burke, Phd. Fisiologista do Esporte da Universidade do Colorado (USA). DEFINIÇÃO: Causas de fadiga muscular: - Desidratação: Transpiração, respiração, produção de urina. -

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DA HIDRATAÇÃO DO ATLETA Isabela Guerra

IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DA HIDRATAÇÃO DO ATLETA Isabela Guerra IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO E DA HIDRATAÇÃO DO ATLETA Isabela Guerra Resumo O atleta que tem como objetivo otimizar seu desempenho deve se alimentar bem, utilizar suplementos e ergogênicos de forma cautelosa

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A alimentação adequada e nutricionalmente equilibrada é um dos fatores importantes e essenciais para a otimização do desempenho, sendo

Leia mais

DIFERENÇA DE RESULTADOS EM TREINOS AERÓBIOS DE ALTA INTENSIDADE COM E SEM INGESTÃO DE ÁGUA E BEBIDAS ISOTÔNICAS Guilherme Giorgi Pauleti Moreira

DIFERENÇA DE RESULTADOS EM TREINOS AERÓBIOS DE ALTA INTENSIDADE COM E SEM INGESTÃO DE ÁGUA E BEBIDAS ISOTÔNICAS Guilherme Giorgi Pauleti Moreira DIFERENÇA DE RESULTADOS EM TREINOS AERÓBIOS DE ALTA INTENSIDADE COM E SEM INGESTÃO DE ÁGUA E BEBIDAS ISOTÔNICAS Guilherme Giorgi Pauleti Moreira RESUMO O presente trabalho visa mostrar o quanto é importante

Leia mais

Principais propriedades físicas da água.

Principais propriedades físicas da água. BIOQUÍMICA CELULAR Principais propriedades físicas da água. Muitas substâncias se dissolvem na água e ela é comumente chamada "solvente universal". Por isso, a água na natureza e em uso raramente é pura,

Leia mais

O Papel do Professor de Educação Física na Prevenção de Lesões em Atletas

O Papel do Professor de Educação Física na Prevenção de Lesões em Atletas 1 O Papel do Professor de Educação Física na Prevenção de Lesões em Atletas Resumo: O professor de Educação Física tem uma grande importância na prevenção de lesões em atletas, se o mesmo respeitar os

Leia mais

Prof.º Carlos Eduardo de Oliveira

Prof.º Carlos Eduardo de Oliveira Prof.º Carlos Eduardo de Oliveira IMPORTÂNCIA POR QUE A ÁGUA É ESSENCIAL PARA O ORGANISMO? 2 IMPORTÂNCIA A água costuma ser chamada de nutriente silencioso, denominação que reflete o grau de certeza da

Leia mais

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte Prof. Antonio Carlos Fedato Filho Prof. Guilherme Augusto de Melo Rodrigues Monitorando e conhecendo melhor os trabalhos

Leia mais

factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS

factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS FACTO: Os estudos disponíveis não permitem concluir que o consumo de bebidas refrescantes não alcoólicas (independentemente

Leia mais

Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais

Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais Qual é a faixa normal de osmolalidade plasmática? 260-290 - 310 mosm/kg H 2 0 Super-hidratação Desidratação NORMAL Osmolalidade é uma função do número total

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ESTADO DE HIDRATAÇÃO E REHIDRATAÇÃO EM ATLETAS DE FUTEBOL DE AMBOS OS SEXOS, DE ACORDO COM A INGESTÃO DE LÍQUIDOS

AVALIAÇÃO DO ESTADO DE HIDRATAÇÃO E REHIDRATAÇÃO EM ATLETAS DE FUTEBOL DE AMBOS OS SEXOS, DE ACORDO COM A INGESTÃO DE LÍQUIDOS AVALIAÇÃO DO ESTADO DE HIDRATAÇÃO E REHIDRATAÇÃO EM ATLETAS DE FUTEBOL DE AMBOS OS SEXOS, DE ACORDO COM A INGESTÃO DE LÍQUIDOS AD LIBITUM, ÁGUA SIMPLES E ÁGUA COM SAL Dissertação de mestrado em Nutrição

Leia mais

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES

APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES APOSTILA AULA 2 ENTENDENDO OS SINTOMAS DO DIABETES 1 Copyright 2014 por Publicado por: Diabetes & Você Autora: Primeira edição: Maio de 2014 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta apostila pode

Leia mais

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes TER DIABETES NÃO É O FIM... É o início de uma vida mais saudável, com alimentação

Leia mais

XVIII CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 19 a 23 de outubro de 2009

XVIII CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 19 a 23 de outubro de 2009 AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE NUTRIÇÃO E SUPLEMENTAÇÃO DE INSTRUTORES QUE ATUAM EM ACADEMIAS WILSON CÉSAR DE ABREU 1, ALESSANDRA BOUERI LAZARINI 2, CARLA MICHELLE FERREIRA DE ABREU 3 RESUMO: O presente

Leia mais

hidratação ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS

hidratação ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS hidratação ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS O NOSSO CORPO É CONSTITUÍDO NA MAIOR PARTE POR ÁGUA A ÁGUA É O PRINCIPAL CONSTITUINTE DO ORGANISMO, É ESSENCIAL PARA A VIDA E TEM

Leia mais

Minerais e Vitaminas como Fontes Ergogênicas. Magnésio, Zinco, Cálcio e Vitaminas B1 e B6.

Minerais e Vitaminas como Fontes Ergogênicas. Magnésio, Zinco, Cálcio e Vitaminas B1 e B6. Minerais e Vitaminas como Fontes Ergogênicas Magnésio, Zinco, Cálcio e Vitaminas B1 e B6. Minerais e Vitaminas como Fontes Ergogênicas Magnésio, Zinco, Cálcio, Vitaminas B1 e B6. Historicamente o homem

Leia mais

O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO A EXPOSIÇÃO AO CALOR PRODUZ REAÇÕES NO ORGANISMO

O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO A EXPOSIÇÃO AO CALOR PRODUZ REAÇÕES NO ORGANISMO O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO Muitos trabalhadores passam parte de sua jornada diária diante de fontes de calor. As pessoas que trabalham em fundições, siderúrgicas, padarias, - para citar

Leia mais

Hidratação no futebol: uma revisão

Hidratação no futebol: uma revisão ARTIGO DE REVISÃO Hidratação no futebol: uma revisão Cristiano Ralo Monteiro 1, Isabela Guerra 2 e Turíbio Leite de Barros 3 RESUMO A hidratação deve ser considerada antes, durante e depois do exercício.

Leia mais

Prof. Kemil Rocha Sousa

Prof. Kemil Rocha Sousa Prof. Kemil Rocha Sousa Preparo Físico Termo geral usado para descrever a habilidade para realizar trabalho físico. A execução de trabalho físico requer: - funcionamento cardiorrespiratório - força muscular

Leia mais

INTRODUÇÃO. Diabetes & você

INTRODUÇÃO. Diabetes & você INTRODUÇÃO Diabetes & você Uma das coisas mais importantes na vida de uma pessoa com diabetes é a educação sobre a doença. Conhecer e saber lidar diariamente com o diabetes é fundamental para levar uma

Leia mais

ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS

ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS ANÁLISE FUNCIONAL DO FITNESS Sobre a Avaliação: O profissional conecta os sensores nos dedos do cliente para que possam captar os sinais do sistema nervoso e enviá-los ao computador, gerando resultados

Leia mais

DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg

DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg DIAFORMIN (cloridrato de metformina) União Química Farmacêutica Nacional S/A Comprimido 850 mg Diaformin cloridrato de metformina Comprimido IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO:

Leia mais

PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado

PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado MODELO DE BULA PARA O PACIENTE I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO PEDIALYTE 45 Zinco cloreto de sódio gliconato de zinco glicose monoidratada citrato de sódio diidratado citrato de potássio monoidratado APRESENTAÇÃO

Leia mais

3ºano-lista de exercícios-introdução à fisiologia animal

3ºano-lista de exercícios-introdução à fisiologia animal 1. (Udesc) Os hormônios são substâncias químicas produzidas pelas glândulas endócrinas que atuam sobre órgãos-alvo à distância. A ação hormonal pode provocar o estímulo ou a inibição das funções orgânicas.

Leia mais

GLIFAGE XR cloridrato de metformina Merck S/A Comprimidos de ação prolongada 500 mg / 750 mg / 1 g

GLIFAGE XR cloridrato de metformina Merck S/A Comprimidos de ação prolongada 500 mg / 750 mg / 1 g GLIFAGE XR cloridrato de metformina Merck S/A Comprimidos de ação prolongada 500 mg / 750 mg / 1 g Glifage XR cloridrato de metformina APRESENTAÇÕES Glifage XR 500 mg: embalagens contendo 30 comprimidos

Leia mais

Fluxo sanguíneo - 21% do débito cardíaco.

Fluxo sanguíneo - 21% do débito cardíaco. Função renal: excreção, controle do volume e composição dos líquidos corporais. Composto por um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga urinária e pela uretra. Os rins situam-se na parte dorsal do

Leia mais

Atividade Física. A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver os nutrientes.

Atividade Física. A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver os nutrientes. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Atividade Física A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver

Leia mais

41 Por que não bebemos água do mar?

41 Por que não bebemos água do mar? A U A UL LA Por que não bebemos água do mar? Férias no verão! Que maravilha! Ir à praia, tomar um solzinho, nadar e descansar um pouco do trabalho. Enquanto estamos na praia nos divertindo, não devemos

Leia mais

Necessidades Nutricionais Antes, Durante e Depois do Exercício

Necessidades Nutricionais Antes, Durante e Depois do Exercício Nut. Cláudia Dornelles Schneider Prof. Adj. Depto. de Nutrição Necessidades Nutricionais Antes, Durante e Depois do Exercício Porto Alegre, RS, Brasil Janeiro de 2013 Nutrição Esportiva últimas 2 décadas

Leia mais

Cloridrato de metformina

Cloridrato de metformina Cloridrato de metformina Prati-Donaduzzi Comprimido de liberação prolongada 500 mg e 750 mg Cloridrato de metformina_bula_paciente INFORMAÇÕES AO PACIENTE cloridrato de metformina Medicamento genérico

Leia mais

Nós precisamos de beber água para sobreviver!... A. água representa cerca de 60 a 70% do peso corporal e é. do organismo ocorram adequadamente.

Nós precisamos de beber água para sobreviver!... A. água representa cerca de 60 a 70% do peso corporal e é. do organismo ocorram adequadamente. A Água A água é o centro da vida! Nós precisamos de beber água para sobreviver!... A água representa cerca de 60 a 70% do peso corporal e é indispensável a todas as funções do organismo, designadamente,

Leia mais

PEDRO MAIA FITNESS & CYCLING

PEDRO MAIA FITNESS & CYCLING TREINOS INDOOR Vá para fora cá dentro Assim dizia um slogan turístico há uns anos atrás e que se aplica na perfeição a este género de treino. Apesar deste ano estarmos a ter um Inverno frio mas clemente

Leia mais

PEDRO MAIA - FITNESS & CYCLING

PEDRO MAIA - FITNESS & CYCLING PEDRO MAIA - FITNESS & CYCLING PERSONAL TRAINER DESCANSO OBRIGATÓRIO A Importância da Alimentação Depois de termos descrito e elaborado alguns dos conceitos mais utilizados para treinarmos da forma mais

Leia mais

EXERCÍCIO FÍSICO E HIDRATAÇÃO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

EXERCÍCIO FÍSICO E HIDRATAÇÃO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA CLÁUDIA BRUM DE AZEVEDO EXERCÍCIO FÍSICO E HIDRATAÇÃO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA FLORIANÓPOLIS-SC 2008/1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO ESPORTE CURSO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Biologia. 8 o ano. Caderno 2

Biologia. 8 o ano. Caderno 2 Biologia 8 o ano Caderno 2 Módulos 7 e 8 1 A atividade das enzimas no organismo humano varia em função do grau de acidez do meio. Observe o gráfico e responda: Qual curva representa o local da ação da

Leia mais

LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS

LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS INTRODUÇÃO Um grande grupo muscular, que se situa na parte posterior da coxa é chamado de isquiotibiais (IQT), o grupo dos IQT é formado pelos músculos bíceps femoral, semitendíneo

Leia mais

Mecanismos renais de absorção e equilíbrio ácido-básico

Mecanismos renais de absorção e equilíbrio ácido-básico Mecanismos renais de absorção e equilíbrio ácido-básico A absorção no túbulo contornado proximal A característica base do túbulo contornado proximal é reabsorção ativa de sódio, com gasto energético, na

Leia mais

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo

Leia mais

INFLUÊNCIA DO MODO E TIPO DE CONSUMO DE BEBIDAS NA DIURESE

INFLUÊNCIA DO MODO E TIPO DE CONSUMO DE BEBIDAS NA DIURESE INFLUÊNCIA DO MODO E TIPO DE CONSUMO DE BEBIDAS NA DIURESE Conselho Científico do Instituto de Hidratação e Saúde Resumo As recomendações de ingestão de água especificam por vezes a proporção de água a

Leia mais

Calor. Calor. Temperatura Corporal. Perfusão Pele

Calor. Calor. Temperatura Corporal. Perfusão Pele 2 Temperatura Central ( core ) T retal > 1ºC > T oral Estável em condições Basais ( ± 0,6 ºC ) Variabilidade moderada: exercício intenso ( 38,5-40,0 ºC ) temperaturas extremas 2 Temperatura Pele Grande

Leia mais

Sistema neuro-hormonal

Sistema neuro-hormonal Sistema neuro-hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? Qualquer alteração no exterior ou no interior do corpo corresponde a um Estímulo que provoca uma resposta do sistema neurohormonal. Como funciona

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

Isotônicos. Ursula Trindade (DRE: 103142682)

Isotônicos. Ursula Trindade (DRE: 103142682) Isotônicos Ursula Trindade (DRE: 103142682) Osmolaridade e Osmolalidade Referem-se ao número de partículas osmoticamente ativas. Osmolaridade: número de partículas osmoticamente ativas de soluto contidas

Leia mais

TÍTULO: CONHECIMENTO E UTILIZAÇÃO DE BEBIDAS ISOTÔNICAS POR PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA

TÍTULO: CONHECIMENTO E UTILIZAÇÃO DE BEBIDAS ISOTÔNICAS POR PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA TÍTULO: CONHECIMENTO E UTILIZAÇÃO DE BEBIDAS ISOTÔNICAS POR PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS CORAÇÃO

Leia mais

FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana

FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana Enquadramento A alimentação garante a sobrevivência do ser humano Representa uma fonte de

Leia mais

CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL

CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL Prof. Hélder Mauad CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL São variáveis e sujeitas a controle fisiológico São variáveis e sujeitas a controle fisiológico 1. Sistema Nervoso

Leia mais

Diabetes - Introdução

Diabetes - Introdução Diabetes - Introdução Diabetes Mellitus, conhecida simplesmente como diabetes, é uma disfunção do metabolismo de carboidratos, caracterizada pelo alto índice de açúcar no sangue (hiperglicemia) e presença

Leia mais

Deficiência de Desempenho Muscular. Prof. Esp. Kemil Rocha Sousa

Deficiência de Desempenho Muscular. Prof. Esp. Kemil Rocha Sousa Deficiência de Desempenho Muscular Prof. Esp. Kemil Rocha Sousa Desempenho Muscular Refere-se à capacidade do músculo de produzir trabalho (força X distância). (KISNER & COLBI, 2009) Fatores que afetam

Leia mais

E-book Como Diminuir Diabetes em 30 dias

E-book Como Diminuir Diabetes em 30 dias E-book Como Diminuir Diabetes em 30 dias Dicas e Informações sobre Diabetes Nesse e-book você vai aprender um pouco mais sobre diabetes e também vai descobrir algumas dicas para diminuir o seu nível de

Leia mais

RESPOSTAS RENAIS A UMA DIETA HIPERPROTEICA

RESPOSTAS RENAIS A UMA DIETA HIPERPROTEICA RESPOSTAS RENAIS A UMA DIETA HIPERPROTEICA Marcos José Andrade Lima Universidade Federal da Paraíba Faculdade Integrada de Patos marcosandrade.saude@hotmail.com Introdução O aparelho excretor tem a função

Leia mais

Tipos de Diabetes e 10 Super Alimentos Para Controlar a Diabetes

Tipos de Diabetes e 10 Super Alimentos Para Controlar a Diabetes Esse Ebook Tem O Objetivo de Ajudar Diabéticos, a Levar Uma Vida Normal Lembrando Que A Diabetes E Uma doença Silenciosa, e Muito Perigosa se Você Ignora-la. Um Outro Ponto Importante e Que A forma de

Leia mais

PYR-PAM pamoato de pirvínio

PYR-PAM pamoato de pirvínio PYR-PAM pamoato de pirvínio DRÁGEA 100 MG Bula do Paciente Pyr-Pam UCI-FARMA Conforme RDC 47/09 Página 1 PYR-PAM pamoato de pirvínio FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO PYR-PAM DRÁGEA 100 MG: cartucho contendo

Leia mais

Nutrientes. E suas funções no organismo humano

Nutrientes. E suas funções no organismo humano Nutrientes E suas funções no organismo humano O corpo humano necessita de uma série de substâncias básicas indispensáveis para a formação de tecidos, para obtenção de energia, para a realização de atividades

Leia mais

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE 01 CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE A obesidade é uma doença crónica que se caracteriza pelo excesso de gordura corporal e que atinge homens, mulheres e crianças de todas as etnias e idades. A sua prevalência

Leia mais

A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas

A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas A juventude americana não participa de

Leia mais

www.receitasganharmassamuscular.com

www.receitasganharmassamuscular.com Esse e-book é oferecido como bônus na compra do e- book Receitas Anabólicas no site: www.receitasganharmassamuscular.com INTRODUÇÃO Nesse e-book você vai aprender a montar uma dieta para musculação personalizada,

Leia mais

Alimentação Saudável

Alimentação Saudável ANO LECTIVO 2010/2011 Alimentação Saudável Turma: 8º A Elaborado por: Adriana nº1, Carolina Pereira nº8 e Cátia nº10 Disciplina: Área de Projecto e Formação Cívica Professores: Eurico Caetano e Helena

Leia mais

Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos (Manual Merck)

Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos (Manual Merck) Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Distúrbios do Coração e dos Vasos Sangüíneos Capítulo14 - Biologia do Coração e dos Vasos Sangüíneos

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

Beba água e tenha mais saúde! Nutricionistas: Dra. Antónia Campos Dra. Ana Marques

Beba água e tenha mais saúde! Nutricionistas: Dra. Antónia Campos Dra. Ana Marques Beba água e tenha mais saúde! Nutricionistas: Dra. Antónia Campos Dra. Ana Marques Sumário Introdução; Benefícios da água no nosso organismo; Desidratação e seus efeitos; Grupos de risco; Análise da água

Leia mais

DIGEDRAT. (maleato de trimebutina)

DIGEDRAT. (maleato de trimebutina) DIGEDRAT (maleato de trimebutina) Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A. Cápsula mole 200mg I - IDENTIFICAÇÃO DO DIGEDRAT maleato de trimebutina APRESENTAÇÕES Cápsula mole Embalagens contendo

Leia mais

EFEITO DE REPOSITOR HIDROELETROLITICO NA HIDRATAÇÃO DE JOGADORES JUNIORES DE FUTEBOL

EFEITO DE REPOSITOR HIDROELETROLITICO NA HIDRATAÇÃO DE JOGADORES JUNIORES DE FUTEBOL 0 CAROLINA DE SOUZA CARNEIRO MARA REIS SILVA NÚBIA CRISTINA SANTOS MELO PAULA AZEVEDO ARANHA CRISPIM RODRIGO ROCHA SALES EFEITO DE REPOSITOR HIDROELETROLITICO NA HIDRATAÇÃO DE JOGADORES JUNIORES DE FUTEBOL

Leia mais

DEPRESSÃO. Tristeza vs Depressão «Será que estou deprimido?» «Depressão?! O que é?»

DEPRESSÃO. Tristeza vs Depressão «Será que estou deprimido?» «Depressão?! O que é?» DEPRESSÃO Tristeza vs Depressão «Será que estou deprimido?» Em determinados momentos da nossa vida é normal experienciar sentimentos de «grande tristeza». Para a maioria das pessoas, tais sentimentos surgem

Leia mais

FURP-CIMETIDINA. Fundação para o Remédio Popular FURP. Comprimido. 200 mg

FURP-CIMETIDINA. Fundação para o Remédio Popular FURP. Comprimido. 200 mg FURP-CIMETIDINA Fundação para o Remédio Popular FURP Comprimido 200 mg BULA PARA O PACIENTE FURP-CIMETIDINA 200 mg Comprimido cimetidina APRESENTAÇÃO Embalagem com 10 comprimidos de 200 mg. USO ORAL USO

Leia mais

DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO

DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO Preparatório Concursos- 2012 DISTÚRBIO HIDRO- ELETROLÍTICO E ÁCIDO-BÁSICO Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Distúrbio hidro-eletrolítico e ácido-básico Distúrbios da regulação da água; Disnatremias;

Leia mais

1. INTRODUÇÃO...3 2. RASTREIO E AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL...6 3. INTERVENÇÃO NUTRICIONAL...9

1. INTRODUÇÃO...3 2. RASTREIO E AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL...6 3. INTERVENÇÃO NUTRICIONAL...9 Importância da avaliação nutricional em Cuidados Continuados Março 2008 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. RASTREIO E AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL...6 3. INTERVENÇÃO NUTRICIONAL...9 4. GUIA PARA PREVENIR E

Leia mais

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Object 1 Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Curso de Educação Física. Centro Universitário Toledo de Araçatuba - UNITOLEDO. (Brasil) Prof. Mário Henrique

Leia mais

Calor e Frio Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/

Calor e Frio Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ Calor e Frio Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO O ser humano dispõe de mecanismos reguladores eficazes porque precisa

Leia mais

Dr. Milton Mizumoto Diretor Médico da Corpore

Dr. Milton Mizumoto Diretor Médico da Corpore Manual do corredor n Este manual tem como objetivo orientar o corredor iniciante que pretende praticar corridas em busca de bem estar e condicionamento físico. n São dicas aprendidas em livros e observações

Leia mais

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue Universidade Estadual Paulista DIABETES E EXERCÍCIO FÍSICO Profª Dnda Camila Buonani da Silva Disciplina: Atividade Física e Saúde Tópicos da Aula 1. Carboidrato como fonte de energia 2. Papel da insulina

Leia mais

ESTRESSE OCUPACIONAL SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

ESTRESSE OCUPACIONAL SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO ESTRESSE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Página 1 de 9 1. OBJETIVO... 3 2. ESCOPO... 3 3. DEFINIÇÕES... 4 4. ESTRESSE OCUPACIONAL: CARACTERIZAÇÃO... 4 4.1. Conceitos fundamentais... 4 4.2. Conseqüências

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE REPOSIÇÃO HÍDRICA: REVISÃO E RECOMENDAÇÕES APLICADAS RESUMO

ESTRATÉGIAS DE REPOSIÇÃO HÍDRICA: REVISÃO E RECOMENDAÇÕES APLICADAS RESUMO 219 CDD. 20.ed. 612.044 ESTRATÉGIAS DE REPOSIÇÃO HÍDRICA: REVISÃO E RECOMENDAÇÕES APLICADAS Marcelo Luis MARQUEZI * Antonio Herbert LANCHA JUNIOR* RESUMO Grande atenção tem-se dado às estratégias de reidratação

Leia mais

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si

Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si Dia Mundial da Diabetes - 14 Novembro de 2012 Controle a diabetes antes que a diabetes o controle a si A função da insulina é fazer com o que o açúcar entre nas células do nosso corpo, para depois poder

Leia mais

LOSARTANA POTÁSSICA Hypermarcas S/A Comprimido revestido 50mg e 100mg

LOSARTANA POTÁSSICA Hypermarcas S/A Comprimido revestido 50mg e 100mg LOSARTANA POTÁSSICA Hypermarcas S/A Comprimido revestido 50mg e 100mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: LOSARTANA POTÁSSICA Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimido revestido

Leia mais

Termorregulação e Exercício. cio - Climas Quentes - Estratégia de abordagem. Temperatura corporal normal. Equilíbrio Hidroeletrolítico

Termorregulação e Exercício. cio - Climas Quentes - Estratégia de abordagem. Temperatura corporal normal. Equilíbrio Hidroeletrolítico Estratégia de abordagem Termorregulação e Exercício cio - Climas Quentes - Prof. Tony Meireles Doutor PPGEF - UGF PHP UGF Equilíbrio Hidroeletrolítico Desidratação Relacionada à Atividade Física Significância

Leia mais

Portuguese Summary. Resumo

Portuguese Summary. Resumo Portuguese Summary Resumo 176 Resumo Cerca de 1 em 100 indivíduos não podem comer pão, macarrão ou biscoitos, pois eles têm uma condição chamada de doença celíaca (DC). DC é causada por uma das intolerâncias

Leia mais

dicloridrato de cetirizina Solução oral 1mg/mL

dicloridrato de cetirizina Solução oral 1mg/mL dicloridrato de cetirizina Solução oral 1mg/mL MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE dicloridrato de cetirizina Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÃO Solução oral 1mg/mL Embalagem

Leia mais

APARELHO EXCRETOR HUMANO

APARELHO EXCRETOR HUMANO Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Aparelho Excretor Humano APARELHO EXCRETOR HUMANO O descarte dos produtos indesejáveis e a regulação hidrossalina

Leia mais

Profs. Nolinha e Thomaz

Profs. Nolinha e Thomaz 1 TREINAMENTO DE QUESTÕES DISCURSIVAS () Profs. Nolinha e Thomaz QUESTÃO 01 Um pesquisador realizou um experimento para verificar a influência da bainha de mielina na velocidade de condução do impulso

Leia mais

Exercícios e bem estar na gestação

Exercícios e bem estar na gestação na gestação Sete motivos para você exercitar-se durante a gravidez. Aumente sua energia. Melhore a qualidade do seu sono. Reduza o desconforto. Prepare-se para a chegada do bebe. Reduza a ansiedade. Melhore

Leia mais

Trimeb. (maleato de trimebutina)

Trimeb. (maleato de trimebutina) Trimeb (maleato de trimebutina) Bula para paciente Cápsula mole 200 mg Página 1 Trimeb (maleato de trimebutina) Cápsula mole FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES Embalagens com 20, 30 ou 60 cápsulas contendo

Leia mais

de elite podem apresentar essas manifestações clínicas. ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA

de elite podem apresentar essas manifestações clínicas. ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA É inquestionável que a melhora na aptidão física, com os conseqüentes benefícios físicos e fisiológicos, permite as pessoas portadoras de reações alérgicas suportar com mais tranqüilidade os seus agravos

Leia mais

Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético e de nutrientes para dois objetivos: Crescimento e desenvolvimento.

Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético e de nutrientes para dois objetivos: Crescimento e desenvolvimento. Necessidade nutricional da criança e do adolescente atleta Francisco Leal Kobielski Giuseppe Potrick Stefani Introdução Diferentemente dos adultos, os atletas jovens necessitam de um aporte energético

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA: O MELHOR REMÉDIO PARA EMAGRECER E TER SAÚDE

ATIVIDADE FÍSICA: O MELHOR REMÉDIO PARA EMAGRECER E TER SAÚDE Dr. Marcos Sandoval Medeiros de Freitas VI ATIVIDADE FÍSICA: O MELHOR REMÉDIO PARA EMAGRECER E TER SAÚDE A mudança dos maus hábitos alimentares para uma alimentação equilibrada e a implantação de uma atividade

Leia mais

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16 DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA A tensão do dia a dia é a causa mais freqüente das dores de cabeça mas, elas poderem aparecer por diversas causas e não escolhem idade e sexo. Fique sabendo, lendo este artigo,

Leia mais

Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. FORTALECENDO SABERES

Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. FORTALECENDO SABERES 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. 3 CONTEÚDO

Leia mais

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer:

Confira a lista dos 25 melhores alimentos para emagrecer: Emagrecer nem sempre é uma das tarefas mais simples. A fórmula parece simples (dieta + exercício + descanso) porém diferentes pessoas precisam de diferentes soluções. Uma coisa é certa: qualquer ajuda

Leia mais

Estado de hidratação em ciclistas após três formas distintas de reposição hídrica

Estado de hidratação em ciclistas após três formas distintas de reposição hídrica A r t i g o O r i g i n a l Estado de hidratação em ciclistas após três formas distintas de reposição hídrica Hydration status in cyclists after three different forms of fluid replacement GOMES, L P S;

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS DIABETES MELLITUS Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem atualmente cerca de 171 milhões de indivíduos diabéticos no mundo.

Leia mais

Relaxante Muscular e Analgésico. APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de paracetamol em embalagens com 12 comprimidos.

Relaxante Muscular e Analgésico. APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de paracetamol em embalagens com 12 comprimidos. BULA DO PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Paralon Relaxante Muscular e Analgésico clorzoxazona 200 mg e paracetamol 300 mg Comprimidos APRESENTAÇÕES Comprimidos de 200 mg de clorzoxazona e 300 mg de

Leia mais